clube   |   doar   |   idiomas
Expoente da esquerda reconhece abertamente: impostos são apenas para destruir e punir as pessoas
A esquerda realmente entende de impostos; por isso os defende

O governo Joe Biden fez, recentemente, dois grandes anúncios: um pacote de US$ 2,3 trilhões em infraestrutura e um aumento da alíquota de imposto sobre ganhos de capital de 20% para 39,6%.

Ele também quer aumentar a alíquota máxima do Imposto de Renda de Pessoa Física, dos atuais 37% para os mesmos 39,6% do imposto sobre ganhos de capital.

Na própria imprensa já estão dizendo que todo o pacote de estímulos — que envolve não apenas gastos em infraestutura, mas também vários gastos assistenciais — custará US$ 4 trilhões.

Como a arrecadação de impostos não aumentará US$ 4 trilhões, a diferença será coberta via endividamento e impressão monetária.

A impressão monetária já está acelerada desde o ano 2020, como mostra o gráfico do M2 abaixo:

M2.png

Gráfico 1: evolução do M2 americano 

Na prática, o Partido Democrata está adotando os princípios da Teoria Monetária Moderna (TMM), o que não é surpresa nenhuma, dado que foram exatamente os integrantes do seu partido que mais agitaram para colocar tal teoria em evidência perante o mundo.

O básico sobre a TMM

Para entender toda a "lógica", da esquerda atual, é necessário você entender o básico sobre a Teoria Monetária Moderna.

Sucintamente, a TMM afirma que um governo que tem a liberdade de imprimir a própria moeda não sofre de nenhuma restrição fiscal. Sempre que quiser incorrer em qualquer gasto (ou em qualquer aumento de gasto), basta o Banco Central imprimir a quantidade de moeda necessária. 

É realmente simples assim. 

Se os fatores de produção (mão-de-obra e todos os maquinários industriais) não estiverem 100% ocupados — ou seja, se a economia não estiver a pleno emprego, com o PIB crescendo aceleradamente —, não há por que se preocupar com qualquer pressão nos preços. O Banco Central pode imprimir sem medo.

No entanto, caso a inflação de preços porventura comece a incomodar, basta o governo aumentar impostos. Isso irá "enxugar" todo esse excesso de moeda da economia.

Para os adeptos da TMM, portanto, a função da tributação não é "obter receitas" para o governo (ele não precisa de receitas, pois pode simplesmente imprimir moeda). A tributação, ao contrário, tem duas funções: a) retirar moeda da economia quando esta se torna excessiva e começa a pressionar os preços; e b) motivar o uso da moeda nacional e obter sua aceitação geral, pois é essa unidade de conta que o estado reconhece como meio de pagar impostos.

A tributação, portanto, tem uma função reguladora: ela reduz o excesso de demanda na economia e modifica o comportamento individual.

Como consequência, todos os gastos do governo podem ser financiados ou pela criação direta de moeda pelo Banco Central ou pelo endividamento do governo. O endividamento seria apenas uma espécie de "alternativa de luxo", a qual não geraria nenhuma consequência negativa, pois o estado pode emitir dívida e, depois, imprimir moeda para quitar esta dívida.

E como os gastos públicos levam à criação de moeda, os próprios gastos criam a poupança necessária para financiar o déficit orçamentário (as pessoas recebem a moeda criada pelo governo e, em seguida, podem utilizar essa moeda para comprar novos títulos do governo). 

Consequentemente, o governo pode definir a taxa de juros em qualquer nível que desejar, de preferência em zero.

Uma resposta franca e reveladora

A grande expoente da Teoria Monetária Moderna é a economista Stephanie Kelton. Foi ela quem escreveu o livro que se tornou a Bíblia do movimento: The Deficit Myth (O Mito do Déficit), o qual diz, como é de se imaginar, que déficits orçamentários não têm importância nenhuma, pois podem ser cobertos via impressão monetária.

Recentemente, Kelton foi entrevistada pela Bloomberg Markets. Em um determinado momento, o entrevistador perguntou: "Já que não precisamos nos preocupar com os déficits do governo, então por que existem impostos?"

A resposta de Kelton foi iluminadora.

Lembre-se que a justificativa que sempre foi tradicionalmente apresentada para a existência de impostos é que, parafraseando Oliver Wendell Holmes, eles são o "preço da civilização". Os céticos, por outro lado, sempre apontaram que, historicamente, as sociedades com impostos muito baixos eram frequentemente muito mais civilizadas – pense no Século de Ouro Holandês, na Idade de Ouro Islâmica, na Inglaterra Vitoriana, e na pejorativamente chamada de "Era Dourada" da história americana (aquela época de ouro de trinta anos em que quase tudo que é útil foi inventado). 

E, ainda assim, ao longo desse período, as receitas federais foram um quinto do que são hoje.

Por que, mesmo com menos impostos, houve tanta civilização? Porque muito do que os governos fazem hoje era feito por instituições de caridade e por empresas que competiam pelo dinheiro de seus clientes, e não pelo confisco  do orçamento dos indivíduos via impostos. Quando médicos, bombeiros e escolas têm de satisfazer seus clientes, as coisas ficam bastante civilizadas.

Entretanto, mesmo se aceitarmos a ideia de que o "estado deve ser um vigia noturno" e, portanto, deve ofertar serviços de defesa nacional e pagar salários para os juízes do Supremo Tribunal, ainda assim a proposta fica complicada: afinal, se o governo pode simplesmente imprimir moeda para pagar por toda essa "civilização", por que existem impostos?

Qual foi a resposta de Kelton? Os impostos ainda seriam necessários, pois eles nos tornam pobres. E também porque eles podem punir pessoas de quem ela não gosta.

Eis a resposta dela:

Impostos retiram dinheiro das mãos das pessoas, de modo que elas não mais podem gastá-lo. Impostos ajudam a retirar poder de compra das pessoas e repassar esse poder de compra para o governo. […] 

Impostos são importantes para redistribuição. Você pode aumentar ou reduzir impostos, ou mesmo criar novos impostos, se você se importa com coisas como redistribuição de riqueza e de renda. 

Você tem impostos porque você quer incentivar ou desincentivar determinados comportamentos. Impostos são importantes se você quiser incentivar as pessoas a comprar carros elétricos e eletrodomésticos menos poluentes, e para desincentivar as pessoas a fumar ou a poluir a atmosfera.

Especificamente, Kelton gosta do fato de os impostos "retirarem dinheiro das mãos das pessoas, de modo que elas não mais podem gastá-lo", deixando mais poder de compra para o governo. Ou seja, os impostos tornam as pessoas mais pobres, e isso aparentemente é um ponto positivo para ela, provavelmente porque ela acredita que os governos são realmente bons em tirar as pessoas da pobreza. 

Mas depois é que veio o melhor: não se trata apenas de o governo gastar nosso dinheiro com mais sabedoria do que jamais poderíamos ter. Kelton acrescenta dois motivos secundários pelos quais adora impostos: punir determinadas pessoas confiscando e redistribuindo seu dinheiro e punir pessoas por fazerem coisas de que ela não gosta — como comprar carros bons e máquinas de lavar que realmente funcionam. 

Em outras palavras, os impostos nada mais do que uma espécie de engenharia social em que há incentivos para seus amigos e punições para os não tão amigos.

Está fora do escopo deste artigo adentrar nos custos morais e práticos que o uso de impostos visando a uma engenharia social acarretaria para a civilização. Quando todas as decisões individuais — desde o que comemos e onde passamos as férias, até que tipo de sacola usamos para carregar nossas compras — ficam sujeitas à decisão de políticos, todo o pacto social do "viver e deixar viver" já foi abolido. Não há nada fora do alcance destes "incentivadores"; nenhum detalhe é pequeno demais. O próprio conceito de civilização, que depende de liberdade e livre iniciativa, já foi revogado.

Combine esses fatos – nenhum detalhe pequeno demais para os engenheiros sociais e sua capacidade de impor obediência quase universal por meio de impostos e subsídios – e corremos o risco de uma sociedade totalitária autorizada": uma em que, na teoria, somos livres, mas usarmos essa liberdade sofreremos multas ruinosas.

Para concluir

Vale acrescentar que nós libertários concordamos totalmente com Kelton em um ponto: impostos realmente servem para espalhar a pobreza e para punir as pessoas das quais não gostamos. É por isso que libertários, por serem éticos e generosos, são contrários a todo e qualquer imposto.

Por fim, é sempre bom ver que a esquerda agora reconhece que impostos nada têm a ver com civilização. Eles servem para destruir, e agora na modalidade de punição discriminatória.

_____________________________

Leia também:

Impostos nada mais são do que roubo legalizado

O tenebroso conto de fadas da Teoria Monetária Moderna

A Teoria Monetária Moderna foi aplicada na Argentina - eis os resultados


autor

Peter St. Onge
é Ph.D. pela George Mason University, pesquisador do Mises Institute e membro do Montreal Economic Institute. Foi professor assistente da Fengjia University College of Business, em Taiwan.


  • Estado maximo, cidadão mínimo.  23/04/2021 17:52
    "Até que chegou o momento em que não se sabia quem era homem e quem era porco". E mais:

    Guerra é paz;
    Ignorância é sabedoria;
    Verdades são mentiras...
  • Estudante da liberdade  23/04/2021 17:57
    Lockdown funcionou em SP?

    noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2021/04/23/queda-mortes-casos-internacoes-sao-paulo-sp.htm

    A midia ja esta fazendo a propaganda, igual fizeram de Araraquara vs Bauru e Chapéco.

    ''Ta vendo fecha tudo resolve''
  • Fabrício  23/04/2021 18:08
    Esse é o problema da ignorância, sobretudo biológica. Já estamos no fim da segunda onda. É óbvio que chegaria um momento em que os contágios e mortes cairiam. Nenhuma doença se mantém com contágios crescentes eternamente. Sempre há um início, uma aceleração, um pico, uma desaceleração e o fim. E sempre ocorre em no mínimo duas ondas (em alguns casos, três ondas).

    Isso é tão óbvio que chega até a ser constrangedor ter de desenhar isso.

    Lockdown não serviu para nada em termos biológicos. As coisas seriam as mesmas (biologicamente) com ou sem lockdowns. Mas eles foram extremamente eficientes em dizimar a economia, empregos, sonhos, famílias e sustentos.
  • Estudante da liberdade  23/04/2021 19:53
    E porque a imprensa gosta tanto de lockdown? A bbc fez um araraquara vs bauru, olhem o resultados. é verdade?

    www.bbc.com/portuguese/brasil-56640000
  • Bernardo  23/04/2021 20:53
    Você vai ficar repetindo a mesma pergunta sobre Araraquara (já respondida) quantas vezes?

    Tá aqui:

    www.mises.org.br/article/3298/lockdown-a-nova-ideologia-totalitaria#ac273467
  • Analista de Risco  23/04/2021 21:30
    A metodologia é péssima, o texto, capcioso e os dados, errados.
    Segue o gráfico que destrói toda a narrativa (e que você não verá em nenhum veículo de mídia mainstream):

    ibb.co/VQ9vZHN

    Dados retirados direto da fonte.

    Uma pessoa mais cínica diria que o lockdown serviu para aumentar e concentrar o pico de mortes, o exato oposto do que os lockdowners defendem.
  • Bruno  23/04/2021 21:37
  • Fabrício  23/04/2021 21:43
    Eis o que escrevi em abril de 2020, quando ainda mal tínhamos entrado na segunda onda (destaque colocado agora):

    Eis o trivial que muitos se recusam a aceitar: se você tranca todo mundo em casa, os contágios continuam normalmente (os contaminados assintomáticos contaminam os outros) e, pior, as pessoas não desenvolvem imunidade. Ficar trancado em casa sem luz solar, sem ar livre, sem espaço, sem vitamina D simplesmente piora sua imunidade.

    Assim que você sair à rua, começa uma segunda onda, e você será inevitavelmente contaminado.

    Já quem está saindo à rua desde já está adquirindo imunidade.

    População confinada em casa não adquire nem imunidade, nem anticorpos e nem vitamina D. Tão logo a pessoa sai do confinamento, queda enferma. Essa política de confinamento total (isolamento horizontal) pode até parecer boa no início (embora nem sequer acelera o achatamento da curva), mas é suicida no longo prazo.

    Por outro lado, se não fosse o confinamento, a população já teria atingido a imunidade de rebanho e já estaria pronta.

    Todos os países que adotaram confinamento (Itália, Espanha, França e, agora, EUA) se estreparam. Todos os que não adotaram se deram bem (Coreia do Sul, Taiwan, Hong Kong, Cingapura, Alemanha, Holada).

    Mas é absolutamente proibido falar disso.
  • Kuster  24/04/2021 03:51
    O caso de Araraquara é HILÁRIO pra qualquer observador independente. Deveria ser o caso mais clássico pra abandonar essa bizarrice sanitária de uma vez por todas no Brasil.

    Um mês após o início do Lockdown, o número de mortes TRIPLICOU. Aí quase 2 meses depois, quando o número de mortes ficou menor do que antes ao início do lockdown, o que a mídia noticiou? Mas lógico, que o lockdown fui um sucesso absoluto.

    revistaoeste.com/brasil/covid-19-depois-de-um-mes-de-lockdown-aumenta-o-numero-de-pacientes-internados-em-leitos-de-uti-em-araraquara/

    A mídia abandonou não só o debate, mas também a lógica mais elementar. A CANALHICE NÃO TEM FIM.
  • Túlio  23/04/2021 18:10
    De novo a mesma pergunta?

    Lockdown — mesmo que um extremamente rigoroso — não faz um vírus morrer e sumir.

    Entendam ao menos esse básico: vírus não morrem e somem. Impressionante como as pessoas têm enorme dificuldade de entender isso. Se vírus morressem e sumissem, ninguém nunca mais teria gripe e resfriado. No entanto, gripe e resfriado são ocorrências sazonais. Por quê?

    Porque os vírus não morrem. Eles, na melhor das hipóteses, ficam dormentes, e atacam quando a imunidade da pessoa cai.

    Ora, por que você acha que a pessoa que anda descalça com o corpo quente, ou que toma um vento frio com o corpo quente, fica gripada ou resfriada? O vírus não entrou nela naquele momento. Ela fica gripada porque o choque térmico reduz sua imunidade. E quando a imunidade cai, o vírus (que já estava no corpo da pessoa, porém dormente) se manifesta e ataca.

    Enquanto as pessoas não entenderem esse básico, é impossível ter qualquer diálogo.

    Neste exato momento, várias pessoas perfeitamente saudáveis estão com o Sars-Cov-2 sem saber. No entanto, se a imunidade cair, elas prontamente apresentarão os sintomas. E lockdown não mudará nada disso.

    É por isso, aliás, que várias pessoas em casa também se infectam. Há inúmeros relatos de pessoas que pegaram Covid sem nunca sair de casa. Eu mesmo conheço quatro pessoas assim. O vírus vem pelo ar. O vírus entra no corpo da pessoa e fica ali, dormente. E ele se manifesta quando a imunidade cai.

    Lockdown não só não impede nada disso, como, ao contrário, ao piorar a imunidade faz com que aumente o número de contaminados. Por isso esse "estranho" fenômeno dos lockdowns que fazem aumentar o número de contágios.

    Por que algumas pessoas se recusam a aceitar o básico sobre biologia?
  • Introvertido  23/04/2021 18:27
    Eu acho engraçado essa hipocrisia da esquerda, quando os casos e mortes diarias cresciam durante o lockdown, os esquerdistas diziam "É porque não foi implementado direito", depois que começou á diminuir eles aclaramam "Viu, lockdown funciona!".

    Parece até piada, é natural que as mortes e os casos diminuiam com o tempo, pois o vírus enfraquece com o tempo, às tais novas ondas só começam quando uma nova variante se espalha...
  • Mauri  30/04/2021 12:38
    Quando o vetor de uma doença é o próprio ser humano nada vai impedir a sua propagação.
    Vejam que o Covid-19 chegou ao Polo Sul, nos Himalaias, Alasca, nas aldeias indígenas mais afastadas da civilização.
    Fechar as pessoas em casa é como colocar comida para o cachorro, o virus vai chegar e pegar as pessoas na fase que o seu sistema imunológico está mais desprevinido.
    Quando saímos o nosso sistema de defesa entra em alerta máximo para enfrentar quaisquer ameças, tipo: doenças, poeira, poluição, etc. O sistema de defesa entra no modo Alita Full preparando o corpo para lutar ou correr. Ocorre que isto gasta muita energia e não pode ser mantido o tempo todo.
    Para poupar o corpo e economizar energia quando entramos em casa ou num lugar seguro, o corpo abaixa as defesas e fica assim até sairmos novamente. Caso venha alguém infectado vai passar o virus para uma pessoa quando as suas defesas estão em stand by, aí vem o perigo do fique em casa. O virus entra com tudo, por isto vemos tantas pessoas falando que o pai não saia de casa e pegou o Covid.

  • Revoltado  30/04/2021 14:22
    Escutei história quase semelhante aqui em meu trabalho, com o diferencial que uma cliente nossa perdeu a mãe, por conta da enfermidade chinesa.
    A propósito, Nova York foi o estado nos EUA em que mais se registrou casos de infectados que nada mais faziam que simplesmente ficar em casa. Até o governador Cuomo teve de admitir a cagada feita.
  • Estado maximo, cidadão mínimo.  23/04/2021 17:57
    Se por aqui na bananalândia temos presidentes que se arrogam o título de "pai dos pobres" pode-se considerar Stephanie Kelton como a "mãe dos pobres"?
  • Guilherme  23/04/2021 21:27
    Mas a TMM é destruidora de pobres.

    Políticos adoram a TMM porque ela abole completamente as restrições à expansão do orçamento. A TMM expande maciçamente o tamanho do estado ao aumentar a oferta monetária livremente (o que dá poder de compra ao estado). E, se a inflação de preços começar a incomodar, o estado "tributa o dinheiro em excesso" e com isso reduz o poder de compra da população (e aumenta ainda mais o do estado).

    Quem paga esses impostos? O setor privado. Quanto mais o setor privado encolhe, mais o estado cresce.

    É muito mais eficaz que socialismo. E não é quantitative easing para o povo. É para os políticos.
  • Vladimir  23/04/2021 21:31
    Bom ponto. Exatamente por isso, a menos que seja fortemente combatida, a TMM veio para ficar. Difícil pensar em uma teoria que seja mais atraente para políticos. Ela é muito mais sedutora que o keynesianismo, o qual, por mais defeitos que tenha, ao menos ainda reconhece um mínimo de realidade e atribui algumas ineficiências ao estado.

    Já a TMM abole todos os freios ao estado. Não há qualquer restrição orçamentária ao seu crescimento. E nem qualquer restrição ao confisco sobre o setor privado.
  • Guilherme  23/04/2021 18:02
    O que há de mais nefasto na TMM é o fato de ela ser totalmente anti-setor privado e completamente pró-setor público.

    A TMM é um duplo ataque ao setor privado.

    Pela TMM, já que o governo tem a total liberdade de imprimir e gastar dinheiro, então ele tem um poder de compra ilimitado. Na prática, isso permite ao governo sobrepujar o setor privado e fazer uma melhor oferta para conseguir mão-de-obra, materiais, equipamentos etc. O que o governo quiser ele consegue.

    E indivíduos e empresas seriam correspondentemente privados destes recursos.

    E aí, para combater a inflação de preços que essa explosiva oferta monetária acarretaria, o governo aumentaria impostos para "retirar" dinheiro do setor privado.

    Portanto, ficamos assim:

    1) de um lado, o governo imprime dinheiro e, consequentemente, obtém todos os bens, serviços e mão-de-obra que deseja, deixando o setor privado desprovido;

    2) de outro, ele aumenta impostos para retirar esse mesmo dinheiro da economia, asfixiando ainda mais o setor privado e retirando seu poder de compra.

    A TMM, portanto, nada mais é que um esquema inventado para que o governo sempre possa ganhar e para que setor privado sempre saia perdendo. Não é à toa que a extrema-esquerda caiu de amores por isso.
  • Antônio  23/04/2021 18:14
    O mais impressionante sobre a Teoria Monetária Moderna é que, além de ela ser antiga (nada mais é do que a State Theory of Money, de Goerge Knapp, que já era criticada por Mises em 1910), ela venceu a parada sem nenhum debate.

    Sem alarde, e sem que tivesse havido qualquer discussão, os governos e bancos centrais ao redor do mundo simplesmente adotaram seus pressupostos. Parodiando Júlio César, a TMM surgiu (ou melhor, ressurgiu), dominou e venceu.
  • Introvertido  23/04/2021 18:24
    Esse é o maior problema dá ciência humana: Uma tese não precisa necessariamente precisa se provar correta para ser testada e usada, para os esquerdistas e outros seres que odeiam á lógica, tudo que importa é a ideologia e o emotivismo, se eu disser "Quero arrancar dinheiro dos ricos gananciosos para dar aos pobres", os esquerdistas baterão palmas.
  • Daniel Cláudio  23/04/2021 18:25
    Isso apenas mostra como a esquerda retroagiu até mesmo economicamente. Ela sempre defendeu impostos (desde que pagos exclusivamente "pelos outros") e até mesmo defendia que fossem usados para "tirar dos mais ricos" (nada mais que uma punição), mas ela ao menos aparentava entender que impostos também eram usados para bancar o estado.

    Agora, pelo visto, passaram a acreditar que quem banca o estado é a impressão de dinheiro. Ou seja, involuíram. Conseguiram ficar ainda mais beócios em economia.
  • Arthur  23/04/2021 18:30
    Mas ao menos estão mais francos e sinceros em suas defesas. Isso é um avanço.
  • Humberto  23/04/2021 18:31
    A TMM não é muito diferente do que era feito rotineiramente durante o governo Sarney (não é à toa que André Lara Rezende foi um dos idealizadores do Plano Cruzado).
  • Askelladen  23/04/2021 18:39
    A grande ironia é o preço do dólar nas alturas no mundo inteiro.
    Quem mora em SP sabe que sendo de esquerda ou de direita aumentam os impostos sem lubrificante e os próprios salários principalmente numa pandemia.
  • Trader  23/04/2021 18:48
    O dólar segue alto porque todos os países do mundo adotaram a TMM. Logo, já que tá todo mundo imprimindo, então todos correram para a moeda que é historicamente mais confiável, que é o dólar.

    Enquanto isso, alimentos, combustíveis, metais industriais e materiais de construção civil estão nas máximas históricas. Mas como as mensalidades escolares e os preços dos vestuários não explodiram (pelo óbvio motivo de que não estão sendo demandados), então a "inflação oficial" segue controlada…
  • Felipe  23/04/2021 19:14
    Na verdade é a nossa moeda mesmo que está doente. Mesmo porque o real desvalorizou em relação até ao quiate birmanês, além de moedas como peso colombiano, peso mexicano e afins.

    O M1 de vários países subiu mais forte, mas nem em todos e não foi de maneira uniforme. Por exemplo, o M1 no Brasil subiu 50 % em 2020. No México, essa subida foi de 17,6 %. No Equador, não foi nem de 10 %, tendo subido 8,21 %. O M1 chileno subiu 63,63 %. Então como que o Chile está com menos inflação de preços do que o Brasil? A moeda deles é mais forte e a economia deles é bem mais aberta, ou seja, a maior oferta de bens e de serviços ameniza os efeitos da expansão monetária. O Equador está vivendo uma deflação de preços desde julho de 2020 (menor que nos EUA!).
  • Matheus S.  23/04/2021 18:52
    "Como consequência, todos os gastos do governo podem ser financiados ou pela criação direta de moeda pelo Banco Central ou pelo endividamento do governo. O endividamento seria apenas uma espécie de "alternativa de luxo", a qual não geraria nenhuma consequência negativa, pois o estado pode emitir dívida e, depois, imprimir moeda para quitar esta dívida."

    Genial. E com isso acabou a pobreza.

    "O governo Joe Biden fez, recentemente, dois grandes anúncios: um pacote de US$ 2,3 trilhões em infraestrutura e um aumento da alíquota de imposto sobre ganhos de capital de 20% para 39,6%.

    Ele também quer aumentar a alíquota máxima do Imposto de Renda de Pessoa Física, dos atuais 37% para os mesmos 39,6% do imposto sobre ganhos de capital."

    Em um cenário pós-Trump, eu não duvido que isso passe também pelo Senado controlado por republicanos e uma mídia a mercê do Partido Democrata.

    O que eu tenho para dizer é: O capital que foi repatriado por Trump irá sair novamente dos EUA e com isso, países com um ambiente tributário mais amigável irão receber essa enxurrada de dinheiro americano, só da Apple foram mais de US$280 bi.
  • Trader  23/04/2021 19:12
    Estou torcendo para tudo isso ser implantado. Desde que esses pacotes começaram a ser discutidos, o dólar caiu de R$ 5,85 para R$ 5,50, mesmo com a piora do nosso cenário político.

    Se o governo daqui (junto com o Banco Central) fizer o básico do básico, sem querer reinventar a roda, é só correr pro abraço. E dá até pra pensar em reeleição. Tem caminhões de dólares louquinhos para entrar em qualquer país que seja minimamente receptível. Qualquer sinalização positiva nossa e eles virão correndo pra cá. Vai ser possível até desfazer todas as recentes cagadas cambiais.
  • Giovana  27/04/2021 20:12
    Para isso acontecer, alguém precisa chutar o Fraude Guedes do Ministério da Economia (Brasil é muito União Soviética, pelo amor de Deus, enfim) e o Neto paspalho do BC! Roberto Campos deve estar se revirando... Melhor esquecer e comprar bitcoin, mais seguro do que apostar no Brasil.
  • Roger Lima  28/04/2021 11:43
    Cara, isso NUNCA vai acontecer , já que o Brasil já se provou por diversas vezes ser um manicômio juridico e econômico , então o milionário que está fugindo de uma país tecnicamente mais livre ( que é os estados unidos ) NUNCA iria vir para o Brasil que está em um processo de Venezuelização constante.

    Ninguém seria louco o suficiente pra investir em um país aonde o STF pode do dia pra noite rabiscar uma regra ou lei que pode ferrar com todo o capital investido do empresário isso é por que eu nem vou entrar na questão do povo brasileiro odiar investimento externo e o empreendedorismo, alegando que estão sendo "explorados" pelo patrão porco capitalista, é um sonho, ou melhor uma utopia pensar que o Brasil pode ser uma potência ou um país sério, isso aqui foi feito e pensado desde o início para ser esse manicômio eterno.

    A única solução viável e sólida para esse lixo de país seria uma secessão total , mas nem isso o povo pacato e passivo é capaz de fazer , preferem naufragar todos juntos no Titanic Brasil , do que optarem pela libertade
  • Felipe  23/04/2021 19:14
    Brasil aplicou isso na década de 1980 e obviamente era aquela coisa maravilhosa...

    A Argentina tem ficado nisso desde o fim do regime de conversibilidade do peso argentino. Vocês podem ver a maravilha que é, o país mesmo no governo "liberal" do Macri jamais teve uma inflação de preços abaixo de 20 %. O Líbano já está até pior, indo para uma hiperinflação em questão de apenas alguns meses...

    Agora, levando-se em conta de que o Federal Reserve System mudou a metodologia dos agregados monetários (e não fez o mesmo para os anos anteriores, o que causou essa explosão), ainda dá para mensurar a expansão monetária pelo M2? Pelo M1?
  • Estado maximo, cidadão mínimo.  23/04/2021 21:40
    No fim das contas acho que a TMM só pode ser aplicada por governos de países que possuem alguma grande reserva econômica para ser explorada (petróleo, minérios ou grandes extensões de terras agricultáveis). Se uma Dinamarca da vida aplica a TMM dem dó nem piedade, os políticos passam fome junto com o povo.
  • Bob Fields  23/04/2021 20:16
    Pelo que me parece
    é só aplicar essa bomba chamada TMM por tempo suficiente que o resultado final será:
    TODO o dinheiro na mão do Estado

    Lamentável
  • Humberto  23/04/2021 21:01
    Mas isso seria uma questão de coerência. Afinal, as bases da TMM estão no livro The State Theory of Money:

    www.amazon.com.br/State-Theory-Money-Georg-Friedrich/dp/1614274967

    Ou seja, para eles, o certo é o dinheiro começar no estado e terminar no estado.
  • Eudes  23/04/2021 20:52
    Se a TMM é uma maravilha, qual explicação o povo dessa teoria dá para o caos na Alemanha durante a famosa hiperinflação alemã?
  • Humberto  23/04/2021 20:58
    Nem precisa ir para a Alemanha da década de 1920 (que de fato também foi um exemplo prático da TMM; aliás, a teoria original é alemã, chama-se The State Theory of Money e foi criada pelo alemão Georg Friedrich Knapp). O Brasil de Sarney e as atuais Argentina e Venezuela são dois grandes expoentes dessa teoria.
  • Felipe  24/04/2021 03:27
    Venezuela hoje depende do Irã para ter gasolina. Para chegar nesse ponto, é porque o país se meteu num grande buraco.
  • Estado maximo, cidadão mínimo.  23/04/2021 21:30
    Aí é que está. A imprensa mainstream NÃO comenta nada a respeito. Simplesmente endossa isso sem pudor algum. Qualquer um que se posicione contra é censurado e visto como "inimigo dos pobres", fascista, ou o que seja. E como a maioria tem memória curta nem se lembram direito da era Sarney, ou, para estes, a hiperinflação da época era culpa dos donos de supermercados (como a imprensa da época dava a entender).
  • rraphael  23/04/2021 21:55
    eu fui olhar a repercussao das propostas do bidê, incrivel a quantidade de mulheres que apoiam integralmente

    encerrei o exercicio depois de encontrar o seguinte desenvolvimento :

    "fico impressionada com um monte de pobre (detalhe , pobre que ganha 40.000 USD anuais) sendo contra taxar rico"

    dai uma senhorinha de seus la +60 anos tentou fazer um apelo a razao :

    "nao é questao de taxar rico, esse dinheiro vai sair do pais ao inves de retornar a comunidade em forma de emprego, serao nossos filhos e netos que pagarao a conta"

    teve como retorno o seguinte :

    "o retorno a comunidade é uma obrigaçao da empresa (sic), o choro é livre minha senhora" , (cry me a river) ao melhor estilo maju

    fica claro que é apenas entulho ideologico, por isso nem existe debate

    o artigo tinha como titulo algo como "bidê vai aumentar os impostos pra financiar creche" ... somente depois de 4-5 paragrafos cheios, escondidos entre termos complicados, havia a questao do subsidio de industrias multi milionarias

    a midia sempre faz muito bem o papel de travestir a realidade e induzir certos comportamentos na populaçao , em outros momentos da minha vida dificilmente eu veria por la uma senhora coberta de razao e preocupada com o futuro de seus descendentes sendo invalidada com linguagem tosca por uma moderninha qualquer

    pobre EUA, de potencia mundial virou parquinho de progressista, a china nao precisa nem fazer esforço
  • Revoltado  26/04/2021 20:10
    eu fui olhar a repercussao das propostas do bidê, incrivel a quantidade de mulheres que apoiam integralmente

    ===Rafael, vou citar o red-pillado Racconing Racoon, que já visitou o blog em no artigo sobre o MeToo disse uma realidade que eu mesmo já constatei "in loco":

    Mulheres são esquerdistas naturais!

    Se eu ganhasse 50 reais por cada cisgênera (usando a linguagem atual) e trans que defende progressismo, faltando poucos centímetros para integrar um DCE de universidade pública ou mesmo a diretoria de um PSOL ou PCdoB, eu teria no bolso uns R$ 5.000,00 e assim poderia passar um mês inteiro no litoral! (não pagamos tributos por sonhar, então me darei a este direito)...

    Progressismo e sexo feminino praticamente andam de mãos dadas!

    Me surpreende o fato de que aqui, duas trans participaram do Mises Brasil e ambas defendem idéias libertárias ou mesmo do que chamamos "liberal-conservadorismo"! Todas as semelhantes que tendo conhecido pessoalmente, são verdadeiros PSOLs ambulantes, no que tange à política, pelo menos. Tanto que como já relatei aqui dois meses atrás, uma me insultou via rede social por ter criticado o STF em tentar inocentar o Ladrão de 9 Dedos via Ministro Edson Fachin.
  • Jeferson Vasquez  27/04/2021 01:24
    Mulheres são assim mesmo! Sempre são capazes de jogar fora a própria liberdade por segurança!
  • rraphael  27/04/2021 10:50
    meu caro revoltz, na minha familia praticamente nao tem muié canhotera
    um caso de uma prima de uma prima (ou seja, nao é do meu sangue) super bem criada, entrou na usp e por la imagino que infernizaram tanto a vida que a menina virou hippie do tipo que nem toma banho kk , praticamente renegou o proprio nome pra nao ser taxada de , bom , aqueles nomes que a gente ta acostumado e nao liga, mas quando a pessoa nao tem cabeça acaba cedendo pra panela
    o que eu acho engraçado é que essa turma diz lutar contra o patriarcado e no fim só virou muleta do papai-estado , diga isso pra uma dessas e veja os olhos saltarem das orbitas e as veias saltarem da testa hahah
    abs
  • Revoltado  27/04/2021 12:43
    Me retificando: o vilipêndio que passei foi em março.
  • Marionete do Nego Ney  23/04/2021 22:25
    É amigos, o governo da terra do Homem Laranja Mau está apertando o cerco contra as criptomoedas, vemos constantes discursos de "autoridades" chamando o Bitcoin de "dinheiro de bandido", "dinheirinho de jogo", alegando que "só terroristas gostam disso" e outras boçalidades do tipo, e aliás, deem uma olhada nisso:

    www.latimes.com/business/technology/story/2021-04-07/peter-thiel-calls-bitcoin-chinese-financial-weapon

    Agora aparentemente vão começar à usar esse papo nacionalista patético numa tentativa desesperada de pastorear também o pessoal da direita pro lado "anti-cripto" da força, já dizia o ditado: "Quem tem c% tem medo".

    O que eu quero dizer com isso? Que o livre mercado literalmente conseguiu, em 12 anos, o que governos vem tentando fazer (e falhando) a mais de um século: Bater de frente com o dólar americano, ameaçando sua posição hegemônica global. Que eu saiba, nenhuma moeda estatal de nenhum país por aí chegou perto dessa façanha, nem mesmo o Euro que tinha como uma de suas fundações fazer oposição ao dólar conseguiu mais do que causar pequenas preocupações temporárias nos burocratas americanos. Daí um inocente paper publicado por um cara que nem se sabe quem é (na verdade nem sequer sabemos se foi um cara, uma mulher, um grupo de pessoas, aliens, reptilianos, illuminatis ou sei lá), deu origem à um sistema de pagamentos simplesmente fantástico, e não só isso, mas criou uma moeda capaz de botar medo nos burocratas mais poderosos do planeta e serviu de base para inúmeras outras moedas com propriedades similares e objetivos diversos.

    Se isso não prova a titânica superioridade do livre mercado em relação ao "livre mercado, pero no mucho" e ao planejamento estatal eu não sei o que mais provaria, negar isso a essa altura é desonestidade intelectual ou ignorância pura, não existe terceira opção!

    Algo que também acho interessante é que ninguém consegue formular uma crítica minimamente decente à EA, podem ver, é só vomitação de clichês, ofensas baratas e frases de efeito formuladas por quem claramente não entende nada sobre EA ou libertarianismo, cada vez mais eu me convenço que economia de verdade é a de Menger, Mises, Hayek e Rothbard, o resto é papo de comadre.

    Enfim, não esqueçam de glorificar o grande Nego Ney!
  • Bruno  23/04/2021 22:44
    Se os EUA tiver maioria de democratas, o que acontecerá? Viria investimento pro Brasil?

    Fazendo o básico, juros positivos, reforminha e privatização meio que nem o Temer. Será que rola?

    Porque veja bem, o Biden quer washigton D.C como estado, isso daria mais 2 senadores democratas pro senado americano. Fazendo o senado americano se tornar maioria democrata. Quer de 9 para 14, o numero de ministros da suprema corte, também dando maioria democrata.
  • Carlos Brodowski   23/04/2021 23:48
    É exatamente essa ameaça de entronização dos democratas o que pode fazer com que os mais espertos retirem do país boa parte do capital deles. Se não for para o Bitcoin, irá para outras moedas. Pode até respingar um pouquinho para nós. Ainda melhor.

    Em tempo: mesmo eu não acredito que os democratas sejam tão burros ao ponto de adotar políticas ignaras. Tão logo as coisas comecem a degringolar, a turma do Bill Clinton assume e reverte o curso. Por enquanto, quem está no comando é a turma da Kamala Harris, da AOC, do Sanders e de outros malucos. Mas isso não vai durar muito.
  • Felipe  24/04/2021 13:03
    Sempre me intrigou a agenda reformista que o Bill Clinton conduziu nos Estados Unidos na década de 1990.

    Tem gente dizendo que o Lula no Brasil, junto com o Dirceu, está buscando gente "do mercado" para acalmar o mercado financeiro, caso for eleito... aqui na América Latina tivemos alguns políticos mais pragmáticos, como o Rafael Correa e o Evo Morales.
  • Estado maximo, cidadão mínimo.  23/04/2021 23:58
    Se fosse eu o presidente faria isso mesmo: arranjaria uma vaga de ascensorista pro Ciro Jegues, traria um ortodoxo pra cuidar da economia e moeda, mandaria uma equipe diplomática pra lá afim de captar investidores interessados, DARIA UMA BANANA PRA ONU, OMS E O QUE VALHA. Viveria feliz pra sempre.
  • Bruno  23/04/2021 22:54
    Vocês acham que o Bitcoin, A internet e toda descentralização tecnologica vai derrubar o establishment?
    Eu duvido! Os democratas voltaram e para ficar!
  • Diogo  23/04/2021 23:51
    Qualquer establishment, para se manter, tem de ser minimamente racional, e com uma economia arrumada. Se eles optarem por esse caminho, realmente será difícil saírem. Caso contrário, não durarão, e serão substituídos por outro establishment um pouco mais racional.
    É sempre assim na história do mundo.

    P.S.: Bitcoin ainda está longe de incomodar o establishment. O preço do Bitcoin não é, por enquanto, nenhum constrangimento para o establishment. Já o ouro, este sim constrange. Se começar a subir muito, é bem possível que haja alguma retaliação. Já o BTC, por ora, sem problema algum.
  • rraphael  24/04/2021 01:35
    derrubar nao vai, mas é uma otima forma de escapar do jugo

    o discurso do BTC ser coisa de criminoso é um otimo exemplo da falsa dicotomia que é criada pra que o estado continue tendo influencia

    lembre-se que coisas como autoridade nao existem per se, um rei nao tem um reinado se a plebe resolver enforca-lo, e essa fraudemia ja mostrou que o medo irracional é mais efetivo que a violencia de uma guerra
  • Sadib  24/04/2021 20:59
    Sem dúvida, como falei aqui. As novas gerações são majoritariamente esquerdistas.
  • Jeferson Vasquez  27/04/2021 01:26
    Uma hora isso vai mudar! Nem que seja na dor! Pois só aprendem dessa forma!
  • Felipe  24/04/2021 03:35
    Falando dos islâmicos, existe material bom para consultar sobre essa tal era de ouro? Já vi conservadores cristãos criticando sobre esse período. Geralmente os artigos da Wikipédia em Português são precários.

    Não sei se poderia ser dito sobre os turcos otomanos. O Império Otomano foi algo gigantesco e que se manteve assim por bastante tempo. No final das contas, esses impérios enormes se mantinham por extração de riqueza.

  • vastolorde  27/04/2021 14:49
    Ela ocorreu entre os séculos VIII e XIII. Mas na verdade não foi em um período fechado. Houve variações. Ocorreu no período do Califado Abássida. Tem um detalhe curioso. As duas areas mais desenvolvidas era Al andulus, Espanha atual e a região da Pérsia. Baga era o centro, mas eram essas duas as areas mais desenvolvidas de fato. O interessante, é que a maioria dos grandes matemáticos e filósofos ou eram judeus, ou eram persas, arabé mesmo eram bem poucos, a única coisa que unia todos era a língua árabe. Na verdade os arabes juntaram a civilização persa e bizantina, esses estavam fragilizados depois de 600 anos de guerra constante. A própria população aceitou o dompinio arabe, porque os imperios anteriores exploravam sem dó essa populações. Algumas cidades até mesmo abriram as portas, sem mesmo lutar.
  • bolsodilmalula  27/04/2021 20:54
    'superinteressante : maome!" mostrou que ele ela libertario, numa epoca que ninguem era. por isso populações aceitaram o domino arabe. entrando pro grupo dele , voce tinha muitas facilidades economicas. a opção era a escravidao direta.
  • Kuster  24/04/2021 03:38
    Jão Bidê está fazendo speedrun em como destruir um império.
  • Lucas  24/04/2021 06:06
    Resumindo: impostos servem para financiar o velho coletivismo de sempre.

    Aquela ideia de que os interesses "da coletividade" vêm sempre antes dos interesses individuais. De que "se deixar as pessoas agirem conforme os seus próprios interesses, elas irão prejudicar terceiros", sendo, por isso, necessário proibir as pessoas de fazerem o que querem e obrigá-las a fazer o que não querem. E quem irá dizer o que pode e o que não pode? A "coletividade", é claro, por meio da sacrossanta "democracia", em que a maioria(?) "manda" nos demais! A propósito, quando dizem que alguém ou alguma ideia é uma "ameaça à democracia", na verdade querem dizer "ameaça ao coletivismo".

    E sabe o que é pior? Não é só "a esquerda" que defende isso. Tem muita gente que se declara "liberal" e até mesmo "de direita" que acredita em coletivismo e defende pautas coletivistas. Nessa pandemia vimos vários exemplos disso.

    As pessoas acham "errado" ser individualista - justamente por terem uma ideia equivocada sobre o que é individualismo - e abraçam com força o coletivismo. Para piorar, nessa pandemia, a mentalidade coletivista se fortaleceu muito. Nunca tinha visto tanta gente defendendo o coletivismo como atualmente!
  • Thiago  24/04/2021 13:59
    Já parei de ver as coisas que esse povo faz na economia como uma coisa ideológica ou de ignorância.

    Quando se começa a ver essas coisas pelo lado espiritual, se percebe que isso é feito de forma proposital com a única intenção de promover o caos e deixar as pessoas dependentes do estado e sem esperanças.

    Eles precisam derrubar o pilar da liberdade pra conseguir seus objetivos, então é isso que eles estão fazendo.

    As pessoas podem fazer isso parar, mas a grande maioria está dormindo.
  • Jeferson Vasquez  27/04/2021 01:28
    Talvez acordem, tarde demais e com muita dor!
  • anônimo  24/04/2021 14:05
    Já não é o que os economistas usam atualmente para a famigerada meta de inflação, olhar o tal do hiato do produto? A principal diferença então é o uso dos impostos para supostamente enxugar a quantidade de moeda, e não os juros..

    Me parece óbvio que nenhum dos dois vai cair. Já que o governo vai estar se expandindo via moeda, e o setor privado retraindo com impostos. Menos produção e mais moeda = no minimo uma hiperinflação no fim
  • Felipe  25/04/2021 02:48
    Para quem quiser saber de alguns exemplos práticos de aplicação da Teoria Monetária Moderna, basta verem esse trabalho do Steve Hanke.
  • Bruno  25/04/2021 06:49
    Se o Regan foi tudo isso que falam, porque os EUA entrou em recessão em 1991?
  • Supply-sider  25/04/2021 13:58
    A recessão de 1990 (Reagan saiu em 1988) foi causada por várias intervenções no sistema bancário (que começaram em 1988 e foram implantadas pelo Congresso americano), pela Guerra do Golfo (que fez explodir rapidamente o preço do petróleo) e por aumentos de impostos do governo Bush. Sugiro estudá-las.

    A recessão começou em meados de 1990 e terminou em meados de 1991. O preço da gasolina saltou de US$ 0,55 para 1,05 (aumento de 100%) em apenas 6 semanas, começando em julho de 1990. Digite "RB1!" (sem aspas) no TradingView e confira você próprio. A incerteza que isso gerou à época foi enorme.

    Sim, a guerra do Golfo foi um passeio, mas apenas quando se olha em retrospecto. À época, ninguém tinha certeza de nada (e os EUA, até então, não tinham tido nenhuma vitória militar significativa desde a Segunda Guerra). Os fatores incerteza e insegurança são cruciais para a decisão de investimentos.

    Mas isso ainda foi o de menos. O governo Bush elevou não apenas as alíquotas do imposto de renda, como também as de ganho de capital. Isso foi crucial para o desastre (o governo Clinton, por sua vez, reduziu essas alíquotas). Elevar impostos sobre ganhos de capital significa punir pessoas que se arriscam criando empresas com o intuito de gerar valor para posteriormente vendê-las. Reduzir impostos sobre ganhos de capital foi o segredo dos governos Reagan e Clinton, e seu aumento foi o desastre do governo Bush I.
  • Vitor Lessa  25/04/2021 13:31
    Caros colegas,

    Se vocês fizerem parte de algum grupo de wpp de discussão de ideias liberais, por favor, me adicionem, 34 998680412.

    Obrigado.
  • Fritz inteligente e educado  25/04/2021 16:59
    Pessoal, muita gente considera um bom investimento comprar uma casa pra sair do aluguel, porém não somente os preços das casas são ridículos na maior parte do Brasil (fora dos rincões pelo menos), os juros são absurdos, mas se no meio do financiamento o cara perder o emprego e não conseguir pagar já era casa e o dinheiro já pago, e soma-se à isso o fato de o direito de propriedade no Brasil ser de mentirinha, ou seja, a casa não é realmente sua mesmo que esteja paga e no seu nome, ela é do estado e este te deixa morar ali enquanto for conveniente.
    Pois bem, para escapar do aluguel não seria mais inteligente usar o dinheiro que iria pra pagar o financiamento e aplicar pesado em investimentos rentáveis até que os rendimentos sejam suficientes para pagar o aluguel? Meu pensamento faz sentido?
    Obrigado!
  • Estado maximo, cidadão mínimo.  26/04/2021 17:19
    Agora com juros baixos é que é hora de entrar no mercado imobiliário, seja comprando, seja construindo. Mas meu sonho mesmo acho que era ter um motorhome pra ficar viajando por aí. Mas o preço de um deles aqui na Banânia...
  • Rodolfo Andrello  25/04/2021 19:11
    Tudo no Estado, nada contra o Estado, e nada fora do Estado...
  • Bruno  25/04/2021 20:24
    Quero saber a profecia de cada um de vocês aqui, sobre:

    1 - Brasil nos próximos anos economicamente e eleição

    2 - Eua economicamente

    3 - Mundo

    4 - China

    5- Russia e nova empreitada belica
  • Daniel  25/04/2021 21:52
    1 - Do mesmo jeito dos últimos anos. Somos medíocres, o que significa que sempre revertemos à nossa média. Nunca iremos para o buraco, mas também nunca subiremos para muito acima de onde estamos.

    2 - Ainda sem concorrentes, mas bem mais fraco.

    3 - Recuperação de PIB (pois está partindo de níveis bastante depreciados)

    4 - PIB crescendo, mas sem qualquer auditoria quanto à veracidade dos números. Porém, após ter jogado o vírus no mundo, e atiçado a mídia a fazer campanha de terror, conseguiu deprimir as economias de todos os países, exceto a sua. Jogada de mestre, temos de reconhecer.

    5- A mesma coisa de sempre.
  • Curioso  25/04/2021 22:16
    Porém, após ter jogado o vírus no mundo, e atiçado a mídia a fazer campanha de terror, conseguiu deprimir as economias de todos os países, exceto a sua. Jogada de mestre, temos de reconhecer.

    Acredito que todos que acompanham o Mises Br com frequência sabem que a mídia é seletivamente ignorante afinal a mídia não quer desagradar os grupos de interesse que a sustentam. A Fiesp, por exemplo, ficaria chateada com a Rede Globo caso ela começasse a defender redução dos impostos de importação.

    Mas em relação a origem do coronavírus existe algo realmente sólido no sentido de que o governo chinês liberou ou criou este vírus propositalmente? Isso para mim não faz sentido pois hoje é comprovado que o vírus estava em circulação desde novembro de 2019 via analises de esgoto e até mesmo em bolsas de sangue coletadas na época. Por que o governo chinês reprimiu médicos no inicio de janeiro de 2020 se o governo já sabia que o vírus já havia se espalhado e nada mais poderia ser feito? Por que o governo chinês demonstrou incompetência ao lidar com o vírus em janeiro de 2020 se independente do que fizesse o mundo já estaria contaminado?
  • Saciador  25/04/2021 22:21
    "hoje é comprovado que o vírus estava em circulação desde novembro de 2019 via analises de esgoto e até mesmo em bolsas de sangue coletadas na época."

    Correto. Isso significa que o vírus chinês já circulava o mundo sem qualquer alerta do governo chinês.

    "Por que o governo chinês reprimiu médicos no inicio de janeiro de 2020 se o governo já sabia que o vírus já havia se espalhado e nada mais poderia ser feito?"

    Pelo óbvio motivo de que o governo chinês não queria que o mundo ficasse sabendo que o vírus era de lá. Médicos chineses estavam dando com a língua nos dentes, e isso era intolerável. Não fossem esses médicos, talvez nunca ficaríamos sabendo a origem do vírus.

    "Por que o governo chinês demonstrou incompetência ao lidar com o vírus em janeiro de 2020 se independente do que fizesse o mundo já estaria contaminado?"

    Espero que agora você tenha entendido.

    P.S.: é sério que você está surpreso com "incompetência governamental"?
  • Fabrício  25/04/2021 22:23
    O cara perguntar "qual era o interesse do governo chinês em esconder a origem do vírus" foi de lascar…
  • Sadib  26/04/2021 00:29
    Temos que ser mais gentis uns com outros por aqui, estamos todos do mesmo lado, todos tentando aprender.
  • Sadib  25/04/2021 23:23
    Não exatamente as mesmas perguntas, mas serve as respostas daqui.

    Já a Rússia continuará a ser irrelevante. Muito barulho, pouca ação.
  • GAROTA DO TUCKER  25/04/2021 21:49
    Tá aqui um mais um clássico do "neutralismo" austríaco: "tudo que não nos mata nos deixa mais fortes para continuar de pé pagando impostos e pensando... 'Ah como eu gostaria de ser libertário e ter coragem de afogar esses keynesianos numa privada bem imunda...; ah como eu queria ter colhões; ah como eu queria aprender a praticar tiros para não deixar que o Estado invada minha propriedade e não degole minha familia inteira; ah como eu queria ser menos educadinho e dizer na cara desses esquerdistas que eles são os verdadeiros genocidas; ah como eu queria...". Enquanto isso, nós garotas de aço aprendemos a manejar estilingues e manejar panelas.
  • TUCKER DA GAROTA  26/04/2021 05:03
    sua eloquencia no humor te garante um papel no porta dos fundos
    me envia seu cv que eu passo pro duvivier , ok ?
  • LUIZ HENRIQUE AMADOR  26/04/2021 12:54
    [OFF TOPIC]

    Galera, o que vocês tem a dizer sobre o setor imobiliario? Durante a pandemia, pude perceber que houve uma grande aumento na demanda por materiais elétricos e de construção. Na minha rua mesmo, está sendo construído 5 casas ao mesmo tempo - algumas ao lado e outras na frente. Devido a isso, voces acham que o setor imobiliário está supervalorizado? Se sim, acreditam que irá voltar ao normal?
  • Caio  26/04/2021 14:42
    Foi o momento ideal para comprar ou construir imóveis (para quem tinha renda e patrimônio acumulados, é claro). Juros historicamente baixos e mão de obra aceitando qualquer salário. Os preços dos materiais dispararam, mas, para quem já tinha patrimônio acumulado, isso não foi nada. Os juros baixos mais do que compensaram.
  • Marcos  04/05/2021 12:27
    Silêncio! Um esquerdista está descobrindo o imposto sobre a renda (podem rir!):

    twitter.com/_makavelijones/status/1388962654824411141

    Detalhe: este imposto foi criado por um governo de esquerda.
  • Ítalo  04/05/2021 12:33
    23:59 - "Tem que ter redistribuição forçada da renda"

    00:01 - "Taxaram 30% da minha renda! Absurdo!"
  • Rafael  04/05/2021 12:35
    ESQUERDISTA: adj. também usado como substantivo masculino e feminino - Denominação aplicada aos que desejam distribuir a propriedade alheia e gostam de votar impostos porém não de pagá-los. De um modo geral, acham que a sociedade deve distribuir mais do que produz, desde que as esquerdas (quer dizer, eles mesmos) se encarreguem da distribuição. Donde o provérbio: "muitos dos interessados na distribuição do bolo querem sobretudo o controle da faca". A tradução latina de homem de esquerda é "homo sinistrae".

    www.mises.org.br/article/252/verbetes-de-um-dicionario
  • Marcio  04/05/2021 20:29
    Esquerdista como sempre é piada pronta... rs
  • Introvertido  04/05/2021 13:06
    É isso mesmo que eu estou lendo? O sujeito disse que teve 30% de sua renda taxada, e que á culpa é dos liberais.
  • imperion  04/05/2021 14:19
    a velha hipocrisia. o cretino quer imposto no forevis dos outros. ae ele descobre que os outros são ele. ele vai bancas mas não vai ser bancado
    o velho karma economico não falha
  • Emerson Luis  10/05/2021 13:46

    Mas se "déficits orçamentários não têm importância nenhuma, pois podem ser cobertos via impressão monetária", então qual é o problema de sonegar impostos?

    * * *
  • Breno  10/05/2021 15:10
    Pessoal, uma dúvida: a TMM se encaixaria conforme os preceitos neokeynesianos?
  • Trader  10/05/2021 17:00
    Pós-keynesianos.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.