clube   |   doar   |   idiomas
Políticos ainda irão descobrir: é impossível fechar negócios não-essenciais sem afetar os essenciais
E a abolição das mais básicas liberdades individuais e econômicas

Como todos já sabem — e, principalmente, vivenciam —, em decorrência do surto de Covid-19, vários prefeitos e governadores ao redor do país ordenaram o fechamento de todos os empreendimentos tidos como "não-essenciais".

Os exemplos mais famosos de negócios tidos como não-essenciais são restaurantes, bares, cafés, cinemas, boates, lojas, academias, shoppings e outros negócios.

Na prática, são todos os empreendimentos que não são tidos como "cruciais à nossa sobrevivência".

Quem desobedecer e abrir seu comércio está sujeito a multas, perda de alvará e, em última instância, cadeia.

Mas aí começa a encrenca. 

Como já era de se esperar, políticos e burocratas, aparentemente, não fazem a mais mínima ideia de como funcionam as cadeias de produção e suprimento de uma economia de mercado: mesmo no curto prazo, fechar todas as atividades supostamente não-essenciais significa um enorme risco para a continuidade das próprias atividades essenciais. 

Vários dos empreendimentos listados como não-cruciais para a vida humana são, com efeito, integrantes da cadeia de suprimentos daqueles outros empreendimentos tidos como cruciais para a vida humana.

Hospitais, por exemplo, não podem permanecer funcionais sem toda uma cadeia de suprimentos minimamente funcional. E os trabalhadores dos hospitais podem precisar de recorrer a serviços não-essenciais para se manterem sãos.

Se, por exemplo, a peça de um aparelho de ar-condicionado do hospital quebra, ou, igualmente ruim, se qualquer peça de qualquer equipamento hospitalar (e todos eles são cruciais) tem de ser reposta, de onde elas virão? O comércio de manutenção e reparação de ar condicionado, de motores, de refrigeradores e de demais equipamentos e máquinas está fechado por ordens de prefeitos e governadores. Ordenar uma peça nova para as poucas fábricas que ainda estão operando não é viável (por causa do fator tempo). E as distribuidoras não necessariamente estão estocadas. Dependendo da peça, ela pode estar em falta. E aí o hospital tem de parar suas atividades. E em meio a um surto.

Se ocorre uma pane em algum computador ou equipamento eletrônicos dos hospitais, nada pode ser feito, pois as oficiais de consertos também estão fechadas.

O comércio de locação de caçambas para a remoção de detritos também está fechado.

E todo o setor de serviços voltados para o necessário relaxamento e distração das equipes médicas, que são seres humanos como nós e que estão intensamente sob pressão, também está abolido. A rotina dessas pessoas é hospital-casa-hospital, sem nada mais com o que se distrair. 

E piora: se o celular de algum deles estragar (o que é perfeitamente factível), não há o que fazer, pois as lojas de consertos de celulares (assim com as de conserto de televisores, computadores e similares) também estão fechadas. Ou seja, o médico nem sequer conseguirá se comunicar. 

Se o carro estragar, as oficinas estão fechadas. Ele terá de ir táxi ou Uber. Mas se o motorista estiver contaminado, há risco de transmissão, pois um médico não entrará no veículo com trajes de hospital (luvas e máscaras).

E há também as coisas que aparentemente são mais triviais, mas são igualmente importantes. Por exemplo: lojas que vendem importantes equipamentos elétricos e eletrônicos estão fechadas (assim como quase todas as fábricas). Se hospitais, médicos ou meros mortais precisarem de algo movido a eletricidade (quase que tudo, hoje em dia), eles até podem conseguir por delivery, mas nem todas possuem esse sistema. Um hospital até consegue com alguma facilidade, mas médicos e demais pessoas físicas em suas casas, não.

Mas isso ainda não é nada. O próprio transporte de cargas nas estradas está comprometido.

Desta vez, caminhoneiros estão com toda a razão

A ordem de se fechar restaurantes foi estendida para os restaurantes de beira de estrada, que são exatamente aqueles onde os caminhoneiros almoçam, jantam e tomam banho. Para piorar oficinas, lojas de peças e borracharias também foram fechadas.

Eis alguns trechos de uma reportagem do jornal Valor Econômico:

Sem serviços e restaurantes nas estradas, caminhoneiros pedem apoio

Diversos relatos de caminhoneiros nas redes sociais e em grupos de WhatsApp apontam que não há em diversas regiões do interior do país condições mínimas para manter o transporte de mercadorias, sobretudo por causa de ações restritivas ao tráfego de pessoas e veículos. 

Borracharias, lojas de peças e serviços de mecânicos, por exemplo, não foram enquadrados como essenciais e, portanto, não podem abrir diante do Decreto 10.282 publicado em 20 de março. O fechamento de restaurantes é outro entrave apontado pelos motoristas.

"Não temos onde comer. A caixa de cozinha dos caminhões quebra um galho, mas não dá para estocar comida. Não temos onde tomar banho. Não dá para continuar viagem", diz o caminhoneiro Ilizeu Kosooski , de Garibaldi (RS), que chora em vídeo que circula em vários grupos. 

No depoimento, ele afirma que um restaurante conhecido de beira de estrada em Casimiro de Abreu, no Rio de Janeiro, estava aberto e ontem ele conseguiu almoçar. Mas após às 16 horas a Vigilância Sanitária do Estado mandou fechar o estabelecimento. "Eu estava me programando para jantar lá e seguir viagem. Mas disseram que eles têm que ficar de portas fechadas."

O mesmo relato é feito por diversos motoristas, em estradas diferentes. "Não tem onde tomar banho", diz um áudio que circula em redes sociais. "Não sou bicho para ficar sem banho". […] 

Wanderlei Alves, conhecido como Dedeco, afirmou ao Valor que está sendo cobrado para entregar materiais hospitalares com urgência para a Secretaria da Saúde do Maranhão, mas está com medo de seguir viagem. "Estou carregado de máscaras, luvas e outros materiais essenciais para este momento. Mas não posso ir até o Maranhão e passar fome. Se é para morrer de fome, fico com minha família e morro abraçado", diz ele, que é de Curitiba (PR). Dedeco saiu de Araquari, em Santa Catarina, no sábado e, se tudo der certo, pretende chegar em São Luis amanhã.

"Estamos vendo justas homenagens para médicos, enfermeiros e até profissionais de limpeza. Mas se nós pararmos, nenhum deles come. E também não há combustível para o transporte de doentes", completa. 

Ou seja, estranhamente, prefeitos e governadores não veem borracharias, oficinas e pontos de alimentação como serviços essenciais.

Os relatos de restaurantes fechados nas estradas vão se avolumando. Nos poucos que ainda estão abertos, há apenas o serviço de entrega de marmitas, o que significa que os caminhoneiros têm de se aglomerar em filas (exatamente o oposto do que recomendas as medidas sanitárias) e esperar um bom tempo até conseguirem a sua comida.

Como corretamente disse um deles:

"Querem que os motoristas não parem, para não faltar as coisas, mas estão com restaurantes fechados, borracharias e mecânicas fechadas. Quero ver quando os caminhoneiros pararem, quem irá levar comida para as cidades? […] Transportamos comida mas temos comida para comer."

E o problema não se limita apenas à alimentação. Se o caminhão estraga (motor ou suspensão, por exemplo) ou tem o pneu furado, seja na estrada ou mesmo na cidade, não há como o caminhoneiro chamar um borracheiro ou um mecânico, pois, como dito, tais serviços estão proibidos, pois foram tipificados por políticos como "não-essenciais". 

E então, como consequência, o caminhão fica parado e, caso não seja saqueado, a carga (alimentos, remédios e equipamentos higiene hospitalar) simplesmente não é entregue. E tudo porque um serviço "não-essencial" foi proibido.

O fim da liberdade e a ascensão das autocracias

Recentemente, o governador paulista João Dória (PSDB), que sempre foi um dos mais radicais entusiastas do confinamento total e que decretou o fechamento total do setor de serviços do estado, disse que as fábricas não podem parar.

A fala é correta, mas a atitude é contraditória. Não faz sentido nenhum dizer que as fábricas devem continuar operando, mas proibir o comércio não-essencial de funcionar. Na prática, ele liberou a ponta inicial da cadeia produtora, mas fechou a ponta final. Produzir carros está liberado, mas vendê-los é proibido.

E isso está ocorrendo em todo o Brasil. João Dória é apenas o caso mais visível por ele ser o governador do mais rico estado do país. Em todos os outros estados observa-se o mesmo fenômeno totalitário.

Há até a inacreditável proibição de se locomover por estradas, um atentado à mais básica liberdade do indivíduo. 

E o mais interessante é que tais atos são explicitamente inconstitucionais, mas não se vê nenhuma manifestação contrária dos supostos amantes da Constituição. OAB e MP estão em silêncio. E a própria imprensa, que deveria denunciar, foi a primeira a bater palmas e se transformou na maior defensora deste descalabro, inclusive sites que se autointitulam antagonistas do establishment. 

Na prática, o país foi subdividido em várias autocracias regionais e municipais, com cada uma delas fechada para as outras cidades e para os outros estados. E o mercado foi abolido. A propriedade privada não foi confiscada, mas agora opera inteiramente sob ordens de políticos, que determinam até quando ela pode abrir ou não. É a própria manifestação do fascismo clássico: propriedade privada sob total controle do estado.

Conclusão

Além do totalitarismo, há também aquele inevitável festival de incoerências. Por exemplo, há alguns municípios que ainda permitem a abertura de algumas lojas, mas reduziram o horário de funcionamento deles. Além de não fazer nenhum sentido, tal medida apenas piora a questão sanitária. Por ficarem abertas por menos tempo, a aglomeração de consumidores é maior. Normalmente, eles acabam se avolumando em filas em frente a estes estabelecimentos para conseguirem comprar algo. Isso é o exato oposto das medidas de distanciamento social preconizadas pelos governos.

Ou seja, quando as lojas não estão fechadas, elas estão aglomeradas e racionadas. Parece economia socialista.

A realidade é que, do nada, absolutamente do nada, as liberdades mais básicas dos cidadãos foram atacadas e toda a liberdade de mercado, que já era baixa no Brasil, foi abolida. Não se pode produzir, não se pode vender, não se pode consumir e não se pode trabalhar.

Apenas alguns setores estão autorizados pelo estado a funcionar. Os outros que desobedecerem e resolverem produzir serão punidos.

E o pior: políticos e burocratas seguem na firme crença de que é realmente possível fazer essa compartimentalização da economia: definir setores como essenciais e não-essenciais, separá-los e manter a economia funcionando sem qualquer ruído, havendo no máximo alguma perda de comodidade, e não uma completa disrupção de longas cadeias integradas de produção.

Para eles, a economia de mercado é como se fosse um chuveiro com duas torneiras de água quente e fria, e que, se você fechar a água quente, o banho pode até ficar mais desagradável, mas você sai limpo do mesmo jeito. Eles juram que a economia funciona de igual maneira: você pode fechar setores inteiros e, o máximo que isso trará, é um pequeno incômodo. E só.

E eventuais argumentos de que "os outros países também estão fazendo esse isolamento horizantal" não se sustentam. Não são todos os cientistas que pregam isolamento total (800 epidemiologistas e médicos já se manifestaram contra esse arranjo). E menos ainda os que pregam isolamento total sem nenhuma consideração de custos sociais. Ademais, unanimidade não equivale a razão.

Por fim, eis o mais curioso: contrariamente até mesmo ao que nós libertários sempre imaginamos, o totalitarismo está vindo dos governos municipais e estaduais, e não do governo federal. Chegamos ao inacreditável ponto em que a tradicionalmente centralizadora Brasília se tornou menos nefasta do que um prefeito e um governador de estado.

______________________________________

Leia também:

O fim da civilização?

Coronavírus: um caso raro de choque de oferta e de demanda - e suas possíveis consequências nefastas

Para que haja máscaras e álcool em gel para todos, só há uma solução: deixar os preços subirem


autor

Gustavo Guimarães

é administrador de empresas pela FGV-SP, empreendedor do ramo da construção civil, e autodidata em economia.

 


  • Capital Imoral  27/03/2020 20:23
    O dia de Melinda

    Melinda desperta, ainda é madrugada, ela precisa levantar silenciosamente para não acordar as crianças e seu marido, Wellingson. O barraco é gelado, mas seu cuidado e amor mantém todos aquecidos. O café precisa estar na mesa antes das 5 horas, quando ela sai de casa e vai para o ponto de ônibus.

    Enquanto a maioria se mantém em isolamento em bairros de classe média do Rio, Melinda precisa pegar 2 ônibus e 1 metro, para, finalmente, chegar na casa da patroa e trabalhar como diarista. Até para ir ao trabalho é preciso matar um Leão.

    O leão metropolitano
    O sol ainda não brilhou nos céus da Favela do Vidigal, mas Melinda já se encontra no ponto de ônibus. A viagem é longa e ela precisa estar cedo no trabalho. O primeiro ônibus chega e está, estranhamente, pouco ocupado. Mas, ao observar o segundo, ainda na periferia do centro, de longe já se nota a longa fila para entrar no ônibus. O Leão metropolitano rugia no início da manhã, desta vez, ele está muito mais letal. Alguém dizia em meio a multidão: É preciso ter poucas aglomerações, estamos com pandemia de coronavírus. E recebia como resposta: Pobre não pega isso não, meu irmão! O ônibus partiu lotado, no fundo, todos sabiam do risco, mas, acostumados com a luta diaria, o ter que superar mais um obstáculo legal ou físico, tornou-se tão corriqueiro assumir riscos, que sabiam que dariam um jeito, com sempre fizeram. O leão metropolitano precisava ser superado.

    Em frente à estação de metrô, um grande Mupi digital mostra o seguinte aviso: "Cuidado, evite aglomerações, use álcool em gel e máscara de proteção!". Melinda olhava em volta e apenas encontrava o aspecto frio e indiferente de uma estação de metro. Aspecto esse, que parecia se estender para as pessoas ao seu redor. São quase 7 horas. Melinda perguntou ao funcionário da estação: Moço, onde consigo uma dessas máscaras? Ele logo respondeu: "Compra naquela loja, custa só 10 reais". "Mas esse é o preço da minha passagem de volta!" respondeu Melinda. A máscara, pelo jeito, ficará para depois, quando receber da diária. A estação lotou. O leão metropolitano rugia e ela precisava estar em movimento para sobreviver. Correu para o primeiro vagão e conseguiu um lugar. Olhava em volta e via pessoas, muitas delas, com suas máscaras no rosto e smartphones na mão. Melinda pegou seu celular, olhou fotos dos filhos e marido, e pensou: Queria estar em casa agora com eles, mas preciso trabalhar, se parar, a dívida só aumenta. O vagão se movimentava e ela pensava em sua vida: Por que não consegui fazer uma faculdade? Por que tive tantos filhos? Como fui parar nesta situação? Por que não consegui me encaixar? Quando, no canto do vagão, um homem espirra, a tensão aumenta, mas todos ficam em silêncio. O som metálico e obscuro do movimento do vagão cria uma sensação de que a morte está por perto, como um monstro invisível. Não há mais tempo para pensar, apenas aguardar. Melinda chegou a seu destino, agora é ir para o segundo trabalho.

    Trabalhamos porque não temos escolha
    Melinda comprimentou seu Jailson, porteiro do condominio de luxo, e, logo entrou para mais um dia de trabalho.

    O leão metropolitano apresentou-se com um agradável comprimento: "Ah, que benção tua presença, Melinda! Eu não sei o que seria dessa casa sem você! Os meninos, Richard e Hebert, então loucos com essa coisa de coronavírus. Não param de correr pela casa com nossa poodle, Luccy. Por gentileza, comece limpando os quartos, sala de estar, depois cozinha, banheiros, e, por fim, piscina e varanda - ainda hoje quero bater panelas". E assim Melinda deu início à labuta. Enquanto trabalhava, pensava nos meninos e no marido. Pensava na faculdade e nos sonhos que não pode realizar. Pensava, sim, em seus erros, porém, sempre soube que houve um culpado muito maior do que suas ações. Uma mão invisível que conduz o contexto. Havia um virús que sempre atormentou e prejudicou o potencial de Melinda, ela pensava, pensava, pensava, mas nunca encontrou respostas.

    Dona Dulce, proprietária do apartamento, observava o trabalho de Melinda. O trabalho, normalmente, era executado com rapidez e eficiência, mas, desta vez, havia algo de errado: Ela estava um pouco pálida, lenta e fazia longas pausas. "Se sente bem?" Perguntou dona Dulce. "Sim, estou melhor do que nunca!" respondeu Melinda - que logo voltou a trabalhar. Melinda, de fato, mentiu, ela não se sentia bem, mas não poderia se dar ao luxo de perder o trabalho, suas preocupações, como sustento dos filhos, eram mais urgentes. Era preciso matar este leão antes de receber o salário.

    Finalmente, depois de 8 horas e muita luta para se manter em pé, o trabalho estava feito. O apartamento estava limpo. O teatro fora feito. O leão estava morto. Vitória.

    Agora é voltar para casa com o fruto da caça: mistura, álcool em gel, máscaras, uma caixa de bombom para as crianças.

    Uma grande luz azul se destaca em meio a escuridão do barracão, é a televisão, no qual o marido e os filhos de Melinda se entretêm. Estão atentos, o programa preferido deles está passando. O som magnético é interrompido pelo atrito da porta de madeira a se abrir. É Melinda com suas sacolas mágicas a entrar. Todos se esbaldam de alegria numa mistura de paz e esperança: Paz, pela mãe estar de volta ao ninho; esperança, pelas sacolas mágicas, mágicas, que trazem o imprevisível. Tudo é muito rápido: Seu Wellingson iniciando conversa - Que horas se vai fazer comida?; o Zequinha abrindo a caixa de bombom - só depois da janta!; a carlinha mostrando, orgulhosa, seu 10 em artes; O Wesley aumentando o som da TV - abaixa esse som, Moleque!. Tanta alegria num simples barraco do Vidigal.

    A alegria é interrompida por um baque.
    Melinda cai, desmaia, fica inconsciente.

    Entre a consciência e a inconsciência, imagens circulam: O desespero da família; a movimentação dos vizinhos; o ser atendida pelo SAMU; a espera no hospital; os exames; a enfermeira que diz:

    Melinda, Melinda, você tem coronavírus.


    Capital Imoral é filósofo, escritor e já refutou Mises.
  • Vinícius Tebaldi  28/03/2020 04:13
    TLDR;
    Vou esperar sair o filme.
  • João  28/03/2020 13:06
    É incrível como esse cara não cansa de escrever essas porcarias.
    Que chatice, todo artigo é assim.
    Ele perde tempo aqui escrevendo esses textos, sempre é o primeiro a comentar, que à toa.
  • Ex-microempresario  29/03/2020 18:55
    Já perdeu a graça. Não leio mais faz tempo.
  • Dário Xavier  29/03/2020 20:37
    Sua crônica é ótima, mas ele não refuta Mises, muito menos o artigo que você respondeu. Vocês se auto-intula filósofo, mas só o que vi é um romance de ficção. Pois a COVID-19 não causa desmaios, ou inconsciência, segundo, sua heroína não apresenta nenhum sintoma da doença. Terceiro, seu romance traz a tona problemáticas causadas pelo Estado, não pelo mercado. Concessão pública de transporte é problema do Estado que garante reserva de mercado, onde, se Mises, Adam Smith e outros Liberais fosses ouvidos, o próprio marido da Melinda poderia comprar um carrinho velho e fazer transporte, iniciando seu próprio negócio, por exemplo. Todos os problemas relatados em seu romance, foram causados e sentados pela ação estatal, e não pelo livre comércio. Portanto, se recolhe a sua insignificância intelectual e tenta melhorar, falou?! Abraço!
  • Marlon Soares   29/03/2020 21:55
    Porém ele alcança o que se propõe: Entreter e distrair as massas doutrinadas desde a infâncias levando-as ao caos e em seguida explorando ao seu bel prazer.
    Porém devemos admitir: a esquerda é boa em arte abstrata. Provavelmente sua única competência. rs
  • Francisco Albuquerque  31/03/2020 17:58
    Refutando o Capital Imoral. hahahahah
  • Visão  01/04/2020 19:21
    Legal, em toda a história, de valor só tem a Melinda. O esteriótipo utilizado com muito mau caratismo pelos "populistas". O motorista do primeiro ônibus é só mais um, o motorista do segundo ônibus é só mais um. O motorista do metrô [e só mais um. O porteiro é só mais um. Claro, Melinda é uma pobre coitada da favela, vítima do frenético capitalismo insensível. Os outros são apenas coadjuvantes que ajudam a enfeitar a cena que, de forma hipócrita e leviana, tem uma visão míope da situação. Refutar o Mises não deve ser algo difícil, refutar a própria consciência obcecada é que se torna utópico.
  • Diego  02/04/2020 12:34
    Gostei, nota 2,5!
  • Alison Goatee  02/04/2020 20:02
    Você poderia ter poupado a estória e todo sofrimento de Melinda, escreveria apenas:
    "Melinda não saiu de casa porque não tinha emprego e nem havia trabalho."
  • Marcelo  06/04/2020 16:02
    Curitiba não fechou o comércio e está tudo bem.
    Evidente o uso político desse vírus gripal de pouca gravidade.
    Querem quebrar o Brasil para derrubar Bolsonaro e voltar a roubalheira.
  • Luis Alfredo  27/03/2020 20:31
    Os países mais ricos conseguirão, talvez não todos, sair desta história com algum arranjo democrático. Já países como o Brasil, o cenário é negro. Provavelmente caminharemos para algum regime autoritário, mais provável, tipo Venezuela. Aliás a América Latina toda deve ir por aí. Daí por diante trevas e mais trevas. Para nós brasileiros o apocalipse chegou mesmo.
  • VALDERI FELIZADO DA SILVA  28/03/2020 02:47
    Nada a ver.
    Alarmismo.
    Do mesmo jeito que dizem que aqui terão meio milhão de mortos por causa dessa forte gripe.
  • Anti-BC  27/03/2020 20:33
    Excelente texto!
  • Aprendiz de EA  27/03/2020 20:34
    Pessoal, alguém mais recebeu o email da Avaaz pedindo pros países ricos perdoarem a dívida dos países mais pobres porque "milhões de pessoas podem morrer da peste chinesa nesses países"? Estão usando um alarmismo extremo pra justificar sua cruzada contra o pagamento das dívidas públicas, dívidas essas que foram vieram da gastança estatal excessiva, sendo que a esquerda ama gastança estatal, ou seja, uma complete incoerência. Segue o link da dita cuja petição:

    secure.avaaz.org/campaign/po/coronavirus_debt_relief_loc/

    A melhor parte é a Avaaz ainda se apresentando como uma instituição politicamente neutra. E não é de jeito nenhum a primeira vez que fazem isso, já perdi a conta de quantos emails do tipo "O mundo contra Trump" ou "Bolsonaro está destruindo o meio ambiente", etc, que eu recebi, mas até hoje espero um email do tipo "O mundo contra Xi-Jinping".
  • Imperion  27/03/2020 22:03
    O avaaz faz campanhas sim. As pessoas são livres pra fazer suas petições, mas o administrador corta as que não são de cunho ideológico esquerdista. Aquele site brasileiro de petição change.org era "petição a favor de Dilma e Lula" e "contra Temer e o golpe". Sempre a favor das proposições ideológicas esquerdistas. Modera era petista roxo.
  • VALDERI FELIZADO DA SILVA  28/03/2020 02:47
    O Avazz, ao meu ver, é um território neutro.
    Você pode fazer qualquer tipo de abaixo-assinado.
    Tanto de esquerda, quanto de direita.
    O problema é que o engajamento da esquerda é infinitamente superior.
    Por isso que parece que lá só tem esquerdista.
  • WDA  27/03/2020 20:50
    "Políticos ainda irão descobrir: é impossível fechar negócios não-essenciais sem afetar os essenciais"

    Rapaz... eu tava dizendo exatamente isso, ontem, pra uma conhecida: " não dá pra fechar os negócios não-essenciais sem afetar os essenciais".
  • Antônio Prado  27/03/2020 21:08
    A economia é uma teia, meu caro. Todos dependem de todos, não tem jeito!!
  • WDA  27/03/2020 23:31
    É verdade.
  • Pedro  27/03/2020 20:55
    QUal a saída entao Tiago? Abrir tudo? Morrer todo mundo? Ir na contramão do mundo inteiro e dos médicos?
    Vc é um gênio, só nao te descobriram ainda cara

    Solução: Basta calibrar o decreto.

    Fábricas seguem abertas e funcionando
    Caminhoneiros rodando
    serviços de manutenção dos caminhões tb
    Comércio somente posto de gasolina, mercado, farmacia e loja de conveniencia
    Serviços - apenas médicos, in loco (tipo conserto de eletrodomestico) ou virtual

    As restrições devem ser nas principais metropoles. Cidade pequena tem menos chances de infecção pois ha menos aglomeração
  • Humberto  27/03/2020 21:39
    O cidadão acima diz que, se deixar as coisas funcionarem, "vai morrer todo mundo". Aí, logo em seguida, ele cita várias atividades que têm de continuar funcionando.

    Não entendi a lógica. Se ele próprio afirma que quem trabalhar vai morrer, como pode ele logo em seguida dizer que várias atividades devem funcionar? As vidas desses profissionais não são importantes? Por que eles podem ser mandados para a morte e os outros não? Que lógica é essa?

    Sim, você é um gênio. Só não o descobriram ainda, cara. (É assim? Fiz certinho?)

    É cada ser patético que desaba de pára-quedas por aqui…

    P.S.: quem é Tiago?
  • Fabrício  27/03/2020 21:47
    Tem de ser muito otário pra falar que esse Covid-19 mata todo mundo. É impressionante como esses sim são os verdadeiros gados do Brasil.

    Na Itália, que é o centro da histeria, só morreu quem já era velho e tinha problemas renais, cardíacos, pulmonares, e de obesidade. Pessoas que morreram do corona, e não tinham outras doenças, não chegaram a 0,3% dos infectados. Um número ridículo.

    O próprio governo da Itália já reconheceu que contabilizou como Covid-19 gente que estava com gripe simples.

    99% of Those Who Died From Virus Had Other Illness, Italy Says

    E piora. A coisa é tão bizarra que até a Universidade de Oxford teve de intervir. Um estudo assinado por vários cientistas afirma que apenas 12% das mortes atribuídas ao Covid, na Itália, realmente foram causados pelo vírus.

    www.cebm.net/global-covid-19-case-fatality-rates/

    Já o Secretário da Defesa Civil da Itália diz que o número de casos pode ser 10 vezes maior, o que significa que a taxa de mortalidade é menor que 1%.

    Ou seja, políticos estão fodendo a economia por causa de uma manipulação de dados em nível mundial.
  • anônimo  27/03/2020 21:52
    O Ministério da Saúde italiano divulgou novas estatísticas envolvendo a Covid-19 no país.

    A idade média dos mortos:
    - do sexo masculino é de 79,5 anos.
    - para as mulheres, 83,7 anos, sendo que apenas 30% das vítimas são mulheres.

    A vítima em média tinha 2,7 outras doenças graves antes de contrair o vírus; 48,5% tinham três ou mais doenças. Apenas três pacientes (0,8 %) não tinham outras doenças antes.

    Câncer, doenças cardíacas e hemorragia cerebral foram algumas das doenças anteriores encontradas.

    Até 17 de março 17 pessoas com menos de 50 anos morreram:
    - 5 tinham menos de 40 anos;
    - todos eram homens;
    - todos com doenças anteriores graves; e
    - problemas de saúde mais comuns: pulmonares, doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade severa e outras.

    Ninguém com menos de 30 anos morreu.

    Dos falecidos, 71,1% são da Lombardia, seguida pela região de Emília-Romana (17,3%); Vêneto (3,9%); Piemonte (1,8%); e Ligúria (1,1%.).

    Curiosamente, todas as outras regiões têm menos de 1% do total de mortos...


    www.salute.gov.it/nuovocoronavirus


    Está cada vez mais evidente que essa covid-19 é ridícula. Contagiosa sim, mas fraca. Zika, Chikungunya e dengue são muito mais letais. E são transmitidas por mosquitos, algo que a gente não controla. Já o covid-19 é só você usar máscara e luvas, e evitar sair beijando na boca de desconhecidos. E vão foder o país por causa disso.
  • Eduardo  11/04/2020 04:20
    Ele pode ser menos letal, porém mais mortal, pois infecta um número muito maior e rapidamente. Só esse ano já matou mais que Zika, sarampo e H1N1 juntos no Brasil. Imagina se não tivesse quarentena. Não se afobe, os números vão subir muito ainda.
  • Ivan  27/03/2020 22:01
    Enquanto isso, a gripe comum mata 650 mil pessoas por ano.

    g1.globo.com/bemestar/noticia/doencas-relacionadas-a-gripe-matam-ate-650-mil-pessoas-por-ano-no-mundo-dizem-oms-e-cdc.ghtml

    Ou seja, 1.780 por dia, 74 por hora, 1 por minuto.

    Se o coronga começar a ficar perto disso, aí sim podemos começar a nos preocupar. Por enquanto, ainda faltam mais 625 mil mortos para se igualar à gripe comum.

    Ou seja, até agora, é tudo histeria pura — o que, aliás, é totalmente perceptível na própria mídia: quando há UMA morte, eles noticiam como se fosse a chegada do Apocalipse. Até tiram foto dos familiares.

    Enquanto isso, só hoje, pela estatística, a gripe comum terá matado 1.780. Mas sem fotos na imprensa.
  • Sandro  28/03/2020 13:31
    Gripe comum tem cura, meu amigo. Estamos diante de um inimigo quase que desconhecido para a ciência mundial. Se você tem a fórmula mágica (uma daquelas poções made in Venezuela), passe por favor às pessoas.
  • Humberto  28/03/2020 20:06
    Não tem cura? Tá por fora, hein? Hidroxicloroquina com azitromicina. 100% de sucesso em todos os pacientes submetidos a isso.

    São poucos os veículos de mídia que estão divulgando isso. Não têm interesse em acabar com a histeria. Ganham dinheiro assim, criando pânico. Vide o Jornal Nacional, que vem batendo recordes seguidos de audiência só falando nisso.

    No entanto, converse com as equipes medicas dos principais hospitais de São Paulo. Fica a dica.
  • Eduardo  29/03/2020 16:38
    Quem ta por fora é vc, Humberto. Dá uma estudada em metodologia científica antes de se informar na mídia que vc mesmo condena:

    propesq.ufsc.br/ninguem-provou-que-hidroxicloroquina-cura-covid-19/
  • Humberto  29/03/2020 21:24
    Mas a hidroxicloroquina, sozinha, de fato não garante nada. O que está comprovado que resolve, desde que usada logo no início da contaminação, é hidroxicloroquina com azitromicina, que foi que exatamente o que eu disse.

    Você tá mandando link de universidade federal falando só de um componente. Aprenda a ler e atualize-se.

    E também não adianta começar a usar a mistura um mês após o diagnóstico, com os pulmões já quase parados. Aí, realmente, é fim.

    Já quem usa a combinação imediatamente após o diagnóstico tem 100% de cura.

    Aprenda a ler, e principalmente, vá para as pesquisas internacionais, e não fique só nas federais brasileiras.
  • Eduardo  08/04/2020 03:26
    Já é a terceira vez q tento te responder mas acho q o
    Site bloqueia comentários que contrariam a política daqui. Enfim, resumindo, por que as pessoas continuam morrendo de Covid se vc tem a cura, Humberto?
  • Humberto  08/04/2020 04:05
    Não entendi. Você está perguntando para mim por que políticos e burocratas não adotam esse procedimento?! É isso mesmo?


    Aliás, viu que o David Uip se auto-prescreveu a hidroxicloroquina? Não respondeu pro Datena, mas agora tem até a foto da receita médica que ele se auto-prescreveu circulando na internet.

    saude.estadao.com.br/noticias/geral,nao-ha-nenhuma-importancia-no-que-tomei-ou-deixei-de-tomar-avisa-david-uip-sobre-cloroquina,70003263560

    www.reddit.com/r/coronabr/comments/fwyj47/david_uip_teria_se_receitado_cloroquina/

    Vá você perguntar pra essas "autoridades" por que elas proíbem o povo de usar um medicamento que elas próprias utilizam em si mesmas. São elas que têm de explicar suas atitudes, e não eu.

    Era realmente só o que faltava: eu agora tenho de justificar por que políticos e burocratas fazem cagadas.
  • Eduardo  09/04/2020 20:58
    Que ''políticos e burocratas'' são esses que vc puxou da cartola? Nunca mencionei eles.
    Não importa se David Uip tomou ou não, pois não há provas de que funciona (espero muito que funcione). E só porque tem uma receita dele (com data anterior ao período que ele ficou doente) não significa que ele tomou. Outros tomaram e morreram. Além disso vc disse que ele tomou só a cloroquina, mas antes vc disse que, sozinha ela não funcionava, precisava da azitromicina. Deixa o efeito do cogumelo baixar pra começar a responder.
  • Humberto  09/04/2020 21:45
    Já existe vacina contra a gripe. Comprovadamente eficaz. E, no entanto, muito gente vacina morre de gripe todo ano. E aí?

    Entenda esse básico: não existe nenhum remédio de eficácia 100% garantida no mundo. Até remédio pra dor de cabeça não funciona igualmente para todos (para mim, só funciona o Anador; pra minha mulher, só o Tylenol).

    É óbvio ululante que a hidroxicloroquina não será 100% eficaz para todas as pessoas do mundo. Mas isso não é motivo para ignorá-la.

    Pela sua lógica, todos os tratamentos contra o câncer deveriam ser abolidos, pois nenhum deles é comprovadamente 100% eficaz.

    Vocês, torcedores do vírus e da debacle econômica, deveriam arrumar argumentos um pouquinho melhores. Deixem de ser desumanos e ridículos.
  • Eduardo  10/04/2020 19:47
    EU entendo que não existe 100% de eficácia. Sou médico e não torço pro vírus. Me mostre apenas um único estudo multi-cêntrico, duplo-cego, randomizado e placebo controlado atestando a eficácia da cloroquina. Até lá aprenda a estudar metodologia científica.
  • Observadpr  10/04/2020 23:13
    Randomizado? Ainda não teve tempo. Mas não-randomizado tem. E os resultados são alvissareiros.

    www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7102549/

    Por outro lado, não existe absolutamente nenhum modelo científico estabelecendo a correlação entre níveis de confinamento e de evolução da epidemia - e a própria OMS, a grande responsável pela tragédia, já voltou atrás e alertou que o contágio está se dando em casa (sem luz solar, sem ar livre, sem espaço, sem vitamina D). Já tem burocrata até falando em invadir casas e retirar pessoas. É pra ficar em casa só até começar a morrer de fome, ou mais um pouco?

    O lockdown total, que você apoia, é uma aventura mística.
  • Eduardo  11/04/2020 04:17
    Você quer tanto acreditar que funciona que usa um estudo que tem um valor estatístico igual a um palpite. Não é randomizado, nem duplo-cego e nem controlado. Os periódicos vão publicar qualquer coisa sobre Covid, mesmo que o estudo seja um lixo. Nenhum médico sério está se baseando nesse artigo. Você critica a OMS no início mas quando ela fala algo que te agrade, você a usa para sustentar sua argumentação. Cada infectado transmite pra um determinado percentual de pessoas com quem ele entra em contato, então quanto menos pessoas ele tiver contato, menor a transmissão. Ele vai transmitir para os que moram com ele, independente da quarentena. Nenhum burocrata vai invadir sua casa. Por tudo isso, o único que acredita em algo místico aqui é você.
  • Lucas  19/05/2020 02:52
    Esse que é o problema, quando os estudos estiverem prontos provavelmente a pandemia vai ter passados, logo seguindo a lógica que dado os potenciais benefícios e os malefícios conhecidos tem que se pesar se é ou não interessante utilizar esse medicamento. Da uma olhada nessa entrevista: www.youtube.com/watch?v=X6CEupVfU2g
  • Dane-se o estado  29/03/2020 19:58
    Covid-19 não é desconhecido da ciência, é muito bem conhecido. É difícil levar a sério tanta besteira alarmista.
  • Sars  30/03/2020 12:36
    Gripe comum mata 650 mil por ano no mundo. O Corona na Espanha mata uns 1000 POR DIA com com 0,5% da população mundial e com medidas de quarentena ja valendo.

    A doença é mt contagiosa, logo supor que 50% da populaçao mundial pegaria em 2020 sem quartentena alguma nao é absurdo.
    Ai ja vai pra 100 mil por dia. 2 meses o corona faz o estrago que a gripe leva um ano
  • Ericsson  30/03/2020 15:26
    Sua informação é falsa. Corona na Espanha apenas agora entrou na faixa dos 500 por dia. Nunca chegou perto de 1.000 por dia. Pode até chegar, mas ainda não chegou.

    Vá sacar em outro lugar.

    De resto, não houve quarentena na Suécia. Nos países nórdicos, Dinamarca e Noruega fecharam tudo. Já a Suécia manteve tudo aberto (exceto universidades). Adivinhe onde há menos casos e menos mortes, proporcionalmente? Exato, Suécia. Até o The New York Times teve de se render.

    In the Coronavirus Fight in Scandinavia, Sweden Stands Apart


    Pelo visto, a tese de Osmar Terra (confinamento não só não resolve, como ainda piora), já citada aqui, vai se revelando correta.
  • Estado o Defensor do Povo  28/03/2020 19:43
    Não tem mais como pôr em prática uma solução libertária, vá no canal do ancap.su, ele fala alguma sugestões, só que para tal o sistema de saúde deveria ser totalmente privatizado e desregulamentado pelo Estado há muito tempo.
  • Tannhauser  29/03/2020 09:29
    A saída é:
    1. Isolar grupos de risco;
    2. Fazer testes em massa, incluindo aqueles que não manifestem a doença;
    3. Isolar quem der positivo ao teste por 2 semanas;
    4. Quem puder trabalhar de casa sem perda de produtividade, que continue assim.

    A saída NÃO é:
    1. Isolar todos, impedindo que o virus se espalhe e esperar um vacina que levará 1 ano e meio pra ficar pronta.
    2. Planejamento central da economia;
    3. Jogar notas de cem reais para a população através de drones do Elon Musk.
  • Dane-se o estado  29/03/2020 20:02
    Ainda tem o fato de que 50% dos infectados analisados são assintomáticos. Isso basicamente nos diz que controle sobre a propagação é no mínimo ilusão. O que farão com esses 50%? Manter em quarentena pra sempre? E ainda se deve considerar também que muita gente pode estar infectado e não fez o teste. Kkkkkk isso vai continuar sendo disseminado por ai muitas e muitas vezes, basicamente a humanidade vai ter que se acostumar com a nova gripe.
  • Estado o Defensor do Povo  29/03/2020 21:29
    Caro Tannhauser, e como você pretende realizar os pontos 1 e 2 sem fazer uso da força? Por ora eu preferiria que a última palavra estivesse nas mãos de dono de propriedade, e os políticos só teriam a última palavra nas propriedades públicas (propriedade do Estado), visto que não dá tempo de privatizar nada agora.
  • Victor  31/03/2020 01:20
    Achei muito bom o artigo, todavia, lendo as observações, sinto que carece de mais profunda explanação.

    Explico-me.
    O cerne do debate não deve ser se a medida de isolamento é exagerada frente ao problema. Absolutamente.
    O ponto principal é que qualquer medida forçada de isolamento é uma agressão per se. Não importa se o vírus chinês mata velho ou mata jovem, mata pouco ou mata muito.
    O ponto é que mesmo que a nova doença matasse tanto quanto o ebola não será meia duzia de burocratas que dirão o que eu devo ou não fazer. Eu e cada pessoa sabe o que é melhor para si e, por conseguinte, cada ação será o que melhor a sociedade como um todo pode fazer.
    Boa noite
  • Antônio Prado  27/03/2020 21:01
    Liberdade, sim, mas liberadde pra que?? Pra que milhões de néscios fiquem palpitando e exercendo pressão nos governantes??? O Brasil vai falir, isso é fato. Se falir e todas as empresas quebrarem, será culpa do governo que não liberou a verba na crise e obrigou o confinamento. Mas se o governo libera a verba (que não tem), o país pula no buraco do mesmo jeito. Nos dois casos, milhões de idiotas insatisfeitos gritando nas redes sociais, exercendo a LIBERDADE.

    Reli essa semana o que um niilista acéfalo escreveu defendendo a china (lucianoduarte.com/chineses-e-a-vaidade/). Discordo em tudo o que ele diz, mas ele tem razão em uma coisa: liberdade boa e que traz prosperidade é a da China, onde os cidadãos tem liberdade para ficarem calados e não se intrometerem nos assuntos do governo, levam uma vida tranquila e são protegidos por governantes capazes.
  • Capital Imoral  27/03/2020 21:13
    "Discordo em tudo o que ele diz, mas ele tem razão em uma coisa"

    Que macumba é essa?
    Ou você discorda de tudo ou concorda que ele tem razão em alguma coisa.
  • Ãntonio Prado  27/03/2020 23:00
    O que eu disse, nobre cavalheiro, é que o pobre coitado acéfalo pelo menos admite que, no fim das contas, o chinês é mais nobre e mais rico que o ocidental (sim, agora também é mais rico e mais saudavel! E a gripe que a china mata com duas semanas destrói completamente o ocidente com um mes).

    Mais vinte anos e veremos milhares de brasileiros fungindo daqui para ser "mão de obra escrava" na china. Mão de obra escrava, alias, muito feliz, e sem a vaidade de querer dar pitaco em politica e economia, como bem disse o acéfalo do artigo citado (que infelizmente so disse uma coisa util em toda a vida).
  • WDA  28/03/2020 02:09
    Pqp. Depois dessa já sabemos quem é o "pobre coitado acéfalo". E pelo visto ele trabalha na embaixada da China...
  • Alfredo  27/03/2020 21:40
    Aumenta um pouquinho a dose do Rivotril e do Gardenal.
  • Antônio Prado  27/03/2020 22:06
    Se voces não entendem eu desenho:

    Existem dois navios com cem escravos e cinco capitães em cada. No primeiro, no navio do AUTORITARISMO, os capitães se impõem sobre os escravos estupidos e tomam a força o controle do navio, pois so eles conseguem navegar com maestria e garantir a sobrevivencia nos mares.

    No segundo navio, no navio da DEMOCRACIA LIBERAL, os escravos fazem uma votação e colocam no comando do navio os escravos mais influentes, mais conversados e mais sorridentes.

    Qual sera o destino de cada um dos navios? A gripe já passou na China, mas no ocidente...
  • Estado o Defensor do Povo  29/03/2020 04:21
    Puxa cidadão, defender ditadura, pelo amor de Deus, podes até pensar que um governador tirano sábio pode ser melhor que a liberdade, mas olha o tamanho do risco que isso envolve, agora só para refletir, imagine se as rédeas desse sistema que o senhor defende caísse nas mãos de seu pior inimigo, você ainda o defenderia?
  • Dane-se o estado  29/03/2020 20:05
    Você não gosta de democracia? Ela já é uma forma de ditadura. Que pena!
  • Jairdeladomelhorqp/tras  27/03/2020 21:19
    Pessoal,
    Só uma pergunta. Quem é que pode dizer o que é essencial para mim? E o que não é?
    Quem sabe das minhas necessidades físicas e espirituais? O Dória? O Witzel?
    Mais deprimente é ver o gado aplaudindo estas medidas.
    Fazer o que? Mises faz muito bem o seu trabalho. Nós também tentamos. Mesmo sabendo da possível inutilidade.
    Abraços
  • Carlos Brodowski   28/03/2020 01:17
    Ver políticos cometendo atrocidades e autoritarismos, e demonstrando total e avassaladora ignorância econômica é algo totalmente comum e esperado.

    Agora, dose mesmo é ver a imprensa toda, sem exceção, não apenas aplaudindo, como também apedrejando e caluniando aqueles que ousam questionar este sacrossanto modelo. Jamais pensei que chegaríamos a um ponto em que o presidente (um político!) está certo, e todo o resto da mídia está errado. Que tempos...
  • Anti-BC  28/03/2020 16:17
  • Felipe L.  27/03/2020 21:21
    Sei de algumas cidades onde está tendo gente revoltada e fazendo buzinaço para acabar com as quarentenas. Políticos e burocratas, por mais bem-intencionados que possam ser, quando tomam decisões, acabam causando problemas. Com as oficinas e lojas de auto-peças sendo fechadas, e se os veículos da prefeitura precisarem de reparos e revisões? Vão ver vídeos de DIY no YouTube, coisa que quase inexiste aqui no Brasil?

    Leandro, você pretende escrever um artigo (ou alguma outra pessoa) para falar sobre essas medidas do lado da demanda ("demand-side") que estão sendo feitas à rodo aqui no Brasil? Vou listar algumas que lembro:

    "- Juros do cheque especial caem em fevereiro e chegam a 130% ao ano";
    "- Governo anuncia crédito de R$ 40 bi a PMEs que não demitirem por 2 meses";

    E que pena... enquanto nos EUA a gasolina está sendo vendida por aproximados US$ 1 o galão, aqui, apesar dos preços reduzidos na Petrobras, ainda não vi essa redução. É culpa das toneladas de regulações, impostos, moeda fraca, assim como insegurança jurídica e institucional. Se eu encontrar material sobre, faço um artigo comparando esse mercado com o brasileiro. Em tempos mais difíceis, algo primordial como o combustível, cair de preço, é importantíssimo.
  • Thiago  27/03/2020 22:21
    1 - Amigo meu que mora la falou que ta a 0,50 o galão em Boston.

    2 - Sobre o combustivel no Brasil : mises.org.br/article/2845/carteis-postos-e-precos-da-gasolina--de-quem-realmente-e-a-culpa-pela-forte-alta

    3 - Estou mais ansioso eh por um artigo que fala desses 2 trilhões nos EUA e dos 5 trilhões a nível mundial. Apesar de ter vários artigos que falam dos nefastos problemas que a criação de dinheiro do nada criam, esses 2 trilhões atuais tem uma situação peculiar.

  • Felipe L.  27/03/2020 23:47
    Vish... ano passado na Flórida a gasolina era por volta de US$ 2,30. E eu achava barato.

    Eu quando estava falando do setor de combustíveis, falava de achar material sobre o setor americano, para eu poder comparar. Nem no Mises Institute achei muita coisa. Esse artigo do Mises Brasil sobre o mercado brasileiro de combustíveis é de excelência.
  • Raphael  28/03/2020 01:29
    Sobre a gasolina aqui no Brasil:

    1) Os repasses da Petrobras foram muito menores do que a queda total no preço do barril do petróleo.

    2) O preço do etanol anidro, que representa quase 30% da gasolina, estava em disparada e chegou às máximas históricas (pode pesquisar).

    3) Nos EUA, há livre mercado no setor de refino, de distribuição e, principalmente, de postos de combustíveis. Qualquer bodega de beira de estrada pode ter uma bomba de gasolina. Aqui no Brasil, o refino é monopólio da Petrobras, há apenas três distribuidoras (ninguém consegue entrar no mercado por causa das regulações estatais), e, também por causa das regulações estatais, os postos são sempre os mesmos. Nenhum quebra, nenhum surge, e ninguém novato pode entrar no ramo. É o setor mais fechado e cartelizado da economia. Há muito mais concorrência e liberdade de mercado no setor bancário do que no setor de combustíveis.

    4) Vários governadores elevaram a base de cálculo do ICMS da gasolina. (Atenção: eles não elevaram a alíquota, mas sim o valor da base de cálculo. Pesquise)

    5) Entretanto, ainda assim, a gasolina tem caído. Aqui em Belo Horizonte, já cheguei a pegar gasolina a R$ 4,999. Hoje, pelo site que acompanho, já tem gasolina a R$ 4,20. E a tendência é de cair mais.
  • Imperion  28/03/2020 01:21
    Os EUA sob o Bush gostaram 4 trilhões de dólares nas guerras do Afeganistão e Iraque. Esse dinheiro saiu de algum lugar. Fazer dinheiro pra gastar. É semelhante. O resultado foi a mega desvalorização do dólar no mundo todo. Isso que provocou a valorização do real nos anos 2003 a 2008.

    Colocar dois trilhões lá vai ter o mesmo efeito no longo prazo, caso os EUA ficassem parados e o Brasil não. Mas como o Brasil também parou, o real tb vai se desvalorizar.
  • Globalista  28/03/2020 00:32
    Os governadores tinham uma oportunidade única em ferrar o presidente. Se decretassem Lockdown de apenas cidades com casos (que ainda são minoria absoluta) teria sido um golpe mortal, pois ele subestimou o vírus inicialmente. A economia seria bastante afetada sem ser totalmente parada, mas a culpa seria do presidente por subestimar o vírus. Os governadores sairiam como os sensatos do episódio e a mídia faria o restante do trabalho.

    Mas os imbecis, como bons socialistas ignorantes econômicos, seguiram a imbecilidade que uma mídia louquinha pra causar crise nesse governo sugeriu, ou seja, fechar tudo pro bendito vírus não espalhar. Taí o resultado. O vírus é capaz de espalhar menos e o vencedor na visão do povo trancafiado vai ser o presidente.
  • Eduardo  28/03/2020 20:57
    A cidade de Vò na Itália fez lockdown antes de apresentar um caso sequer e ainda hoje ninguém está doente lá apesar da cidade estar cercada por outras que estão tomadas pelo vírus.
  • Alboreto  29/03/2020 14:04
    Sua informação é falsa. Havia 89 infectados. E adivinhe só? Todos se curaram!

    exame.abril.com.br/ciencia/como-a-cidade-de-vo-na-italia-erradicou-o-coronavirus-em-duas-semanas/

    Ué, mas o vírus não é letal? Taxa de cura de 100% não condiz com um vírus letal.

    De resto, as cidades do norte da Itália também se fecharam um mês antes dos casos explodirem. Ou seja, todo o atual surto está ocorrendo sob um cenário de total confinamento imposto há mais de um mês. Isso confirma totalmente a tese do doutor Osmar Terra, que lidou com o H1N1 no RS e observou que as taxas explodiram sob confinamento.


  • Eduardo  29/03/2020 16:32
    Seu artigo confirma exatamente o que falei. Fez lockdown antes de confirmarem o primeiro caso e não há nenhum caso hoje. Não fiz nenhum comentário sobre a letalidade.
  • anônimo  01/04/2020 21:03
    "Para realizar a quarentena, as autoridades do local permitiram que a Universidade de Pádua, localizada em Pádua, realizasse os testes nos indivíduos infectados. Após o primeiro teste, foram identificados 89 indivíduos com o vírus. No segundo, apenas seis dos testados estavam infectados e permaneceram isolados.

    Sendo assim, a taxa de recuperação da cidade de Vò aumentou para 100%, visto que os únicos seis habitantes com o vírus não tiveram contato com mais ninguém até que estivessem curados. Os pesquisadores alertam, porém, que essa é uma medida que deve ser tomada com antecedência. Quando os testes e o período de quarentena começaram, apenas 3% da população estava infectada."

    Vá sacar em outro lugar.
  • Artista Estatizado  27/03/2020 23:09
    Ué, achei que era óbvio para todos aqui que o objetivo de impor essas medidas restritivas estúpidas é chantagear o governo federal, para que abra as portas do cofre e perdoe as dividas dos governos estaduais e municipais.

    Nenhum deles se dispôs a pagar os salários dos que ficarem desempregados com recursos estaduais ou municipais. Assim podem continuar a farra da gastança e jogar a conta no governo federal

    Para o pagador de impostos, vai ser ruim de qualquer forma, independente de qual nível de governo pague, mas explica a aparente estranheza dos comportamentos das diferentes esferas.
  • Neto  28/03/2020 01:20
    Boas observações. De fato está ficando cada vez mais claro que é isso mesmo. E pensar que eu até confiava em alguns governadores aí (não vou falar o nome por vergonha e dignidade própria).
  • Imperion  28/03/2020 05:57
    É impossível parar tudo assim como é impossível resolver esse problema com redistribuição de renda. Todo mundo querendo receber por estar parado. É mais fácil tomarem de você do que vc receber.

    As favelas ja estão no zero. São os bolsões de pobreza. Já são os primeiros que sabem que não vai dar pra ficar parado.

    Quando começar o toma-toma, ocorre o afundamento social de vez. Um vai acusando o outro. Um começa a matar o outro por viveres. 
  • Aristóteles Duarte Ribeiro  27/03/2020 23:26
    Vocês são a favor de manter serviços de boates, estádios de futebol, shows e outros eventos com grande aglomeração de pessoas? Acham que tais serviços são importantes para a manutenção de serviços considerados essenciais pelo governo?
  • Bernardo  28/03/2020 00:31
    Não sei exatamente quem são estes "vocês", logo, não posso responder por eles. Falando exclusivamente por mim, a resposta é: eu jamais proibiria terceiros de empreender. E jamais proibiria pessoas de fazerem besteiras. Se fizerem, que arquem com as consequências.

    Sim, é tão simples quanto isso.

    Em um cenário de liberdade, as pessoas devem arcar com as consequências de seus atos. Se eu sou o dono de uma boate, e resolvesse abri-la, faria cada cliente assinar um termo de compromisso por meio do qual ele se responsabilizaria por completo por tudo o que vier a ocorrer ali dentro. Se ele assinar, fim de papo. Se ele não assinar, ele não entra na minha propriedade.

    Entenda o básico: ninguém é obrigado a ir a lugar nenhum. Se algum estabelecimento está aberto, ninguém é obrigado a entrar nele. Qual a dificuldade de aceitarem isso?

    Eu, por exemplo, jamais iria a uma grande aglomeração. Mas também jamais proibiria outras pessoas de o fazerem. Não sou totalitário. Não tenho o direito de me meter na vida alheia.

    E se há algo que eu jamais faria — pois aí já é algo completamente imoral — é proibir um pai de família de trabalhar honestamente para ganhar o próprio sustento. E é exatamente isso que estamos vendo hoje. O que esses falsos bons samaritanos estão realmente defendendo é a proibição de que outras pessoas ganhem o próprio sustento. Essa putada totalitária se finge de preocupada e tudo, mas, na prática, o que eles realmente querem é acabar com a autonomia do indivíduo e obrigá-lo a se tornar dependente do estado. Isso traz muito retorno em eleições.

    E você? Defende a proibição ao trabalho, ao empreendedorismo, à autonomia individual e ao sustento próprio? Sim ou não?
  • VALDERI FELIZADO DA SILVA  28/03/2020 02:44
    Tudo bem, e qual a solução?
    Deixar tudo aberto, sem controle?
    Eu mesmo estou achando que tudo isso é exagerado.
    Mas virar as costas e deixar o "vírus" fazer o papel evolucionário, podendo fazer alguma coisa, está fora do meu limite moral.
  • Humberto  28/03/2020 05:50
    A solução é tripla:

    1) copiar a Coreia de Sul, que simplesmente fez o básico e sensato. Testou e isolou os positivos, e deixou livre os não-infectados.

    Aliás, explica por que o Japão, que tá perto de Coreia e China, não teve nada? Possui uma população bastante idosa e, até agora, teve 1.128 infectados e 42 mortos — taxa baixíssima para um país idoso.

    E não teve nada de confinamento.

    2) Sair às ruas de luvas, máscaras, manga comprida e calça comprida. Agindo assim, pode acreditar, a chance de contágio é quase nula. Você só será contaminado se algum outro contaminado cuspir dentro do seu olho. O problema é que ninguém quer esse desconforto.

    3) Aos já contaminados, usar hidroxicloroquina com azitromicina. 100% de sucesso em todos os pacientes submetidos a isso.

    Ou seja, a solução já está aí. Já se sabe o que fazer com os contaminados e o que fazer para não se contaminar. E fim.

    No final, o risco de se contrair Covid-19 é o mesmo de você pegar uma gripe no inverno. Se usar luvas e máscaras, e evitar contato com terceiros, estará praticamente protegido.

    E o risco é menor do que pegar dengue (muito mais fatal que a Covid-19), pois você dificilmente vê o mosquito e ele pode lhe picar enquanto você estiver dormindo.

    Eu já fui um dos que pensavam que isso era grave. Mas realmente não passa de uma gripe forte. Quem morreu é quem já tinha mais de 70 anos e tinha outros problemas de saude: diabetes, problemas cardíacos, problemas renais, respiratórios etc.

    Quem tem menos de 60 anos, que tinha saúde boa e foi contaminado, já melhorou depois de 11 dias. Agora, com a descoberta de que hidroxicloquina com azitromicina (dois remédios antigos) cura 100% dos doentes, não há mais motivo nenhum pra histeria.

    É bizarro que seja declarada 'pandemia' algo que é várias vezes menos letal que tuberculose, e que por causa disso tenhamos que fechar todas as economias. Realmente, vivemos em uma era de delicadeza e frescura extremas.

    Mas como políticos adoram controle absoluto, e dado que eles hoje gozam total apoio da imprensa, estão lavando a égua.

    E a verdade é que os epidemiologistas se transformaram nas novas sumidades mundiais. O que eles determinam está decidido, e ai de quem discordar. Se eles mandarem fechar as economias por 2 anos, é pra obedecer. Quaisquer considerações econômicas sobre os efeitos disso é mero obscurantismo materialista e anti-vida humana.
  • Thomas  28/03/2020 06:10
    Outro dia eu perguntei e pergunto de novo: como podem os epidemiologistas terem se transformado nas únicas pessoas do planeta com o direito de terem uma opinião sem o ônus de serem responsabilizados pelas consequências dela? Por que eles podem especificar medidas que afetarão negativamente toda a sociedade, e essas medidas não podem sequer ser questionadas?

    Será que epidemiologistas também são especialistas na divisão internacional do trabalho, e nas consequências de sua implacável destruição?

    Ao que tudo indica, entramos na era da superstição.
  • Osmar  28/03/2020 06:57
    Assista entre 3:40 e 7:30. E depois entre 13:50 e 18:20 (Recomendo ver tudo, mas, se não quiser, veja ao menos esse trecho que sugeri)


  • anônimo  28/03/2020 07:07
    Excelente vídeo! Merece ampla circulação. Além de ser médico, ele estava na linha de frente contra o H1N1 (que é muito pior).

    Aliás, ontem, o G-20 recomendou "minimizar interrupções no comércio", além de outras medidas para evitar o colapso social. Até outro dia, quem dissesse isso era imbecil, irresponsável, criminoso, egoísta e assassino. Agora, porém, já virou recomendação política. Vão anotando as mutações.
  • Renan  30/03/2020 03:56
    Não, cidadão. Apenas isolaram a cidade após descobrirem que haviam infectados. E mesmo se não tivessem feito isolamento, após os testes poderiam ter feito. A ordem não importa.
  • Cristian  30/03/2020 02:45
    "Sair às ruas de luvas, máscaras, manga comprida e calça comprida. Agindo assim, pode acreditar, a chance de contágio é quase nula. Você só será contaminado se algum outro contaminado cuspir dentro do seu olho. O problema é que ninguém quer esse desconforto."

    Luva não! Isso é bobagem e ainda pior que as mãos nuas. Troque as luvas por álcool gel. Bem mais eficiente.

    Máscara o melhor funcionamento é: Na rua, o melhor uso dela é pra quem está contaminado não contaminar os outros. E em casa, se tiver pessoas de riscos (idosos) usar mascaras para proteger seus entes.
  • Milton Friedman Cover's  28/03/2020 02:45
    Excelente artigo, como sempre leio aqui.

    Ah, sr, João Doria! Nada como aproveitar um momento sinistro, para dizer o mínimo, e atacar o presidente Bolsonaro, por este criticar a paralisação da Economia no Brasil!

    Excelente o ponto do artigo: o que é essencial ou não para os "ilustres" políticos, principalmente, prefeitos e governadores? Os caminhoneiros estão errados?! Se eles não podem se alimentar, consertar os veículos, tomar banho ( ah, sim, higiene não mata vírus, bactérias...esqueci desse "pormenor"..), como entregarão alimentos, remédios aos hospitais, farmácias que atendem, por exemplo, transplantados, diabéticos, que se não tomarem os imunossupressores, remédios para controlar o diabetes, etc., morrerão, além de TODAS AS OUTRAS MERCADORIAS IMPORTANTES PARA O BOM FUNCIONAMENTO DA SOCIEDADE?!

    Se não houver funcionamento normal de todo o processo produtivo, do comércio, como as empresas pagarão os impostos, tributos que mantêm postos de saúde, hospitais, farmácias públicas que atendem pessoas com doenças crônicas, além de tudo que envolve o Estado, sem poder vender uma lanterna de carro, por exemplo?

    Como foi dito, tudo funciona em cadeia, nada é menos importante na cadeia produtiva e comercial, ou matam-se pessoas por outras doenças, fome e quebra o país totalmente.

    Sr. João Doria: acalme o seu ego, reze, beba o seu uísque 12 anos e esqueça por ora a sua pretensão de ser presidente em 2022 ( sim, o sr. interrompeu o mandado de prefeito para ser governador e pretende fazer o mesmo para se candidatar à presidência da República em 2022, nós sabemos disso!....), libera já tudo, eu escrevi, TUDO! Apenas mantenha as orientações sobre manter distância, uso de máscaras nos idosos e pessoas com doenças crônicas, além de quarentena para os doentes de gripe, seja ela qual for ( lembrando que idosos saudáveis podem e devem sair, com máscaras, para compras, pois muitos vivem só e manter pessoas presas em casa sem sintomas, saudáveis, provocará depressão e ansiedade, que podem ser fatais em muitos casos...), seja coerente com o seu discurso liberal de campanha e deixe o estado mais rico da Federação ( se continuar fechado, será a futura Etiópia, Somália....), trabalhar, criar, investir, progredir, crescer, vender. Essa sugestão serve também para os demais estados preocupados em fazer oposição ao presidente Bolsonaro, que embora não entenda de economia ( não tem essa obrigação...), segue as orientações do ministro Paulo Guedes, que tem seus defeitos, claro, mas afirma que se continuar assim por mais uma semana, quebrará todo o país. Por isso Bolsonaro tem se exposto às críticas da imprensa de esquerda, defendendo o fim total dessa quarentena geral totalmente idiota, comunista! Perdão, fui redundante. Idiota e comunista é pleonasmo!

    O povo consciente, os empresários, trabalhadores das mais diversas áreas já começaram a gritar, buzinar, pressionar para que tudo, eu disse TUDO, volte ao normal, aliás, ao normal, não, a mais liberdade econômica, pois chega de viver em um país que ama tributos e governos impedindo as pessoas de buscar a liberdade real, a felicidade em criar, produzir, vender livremente.

    Nas Sagradas Escrituras, tanto antes como depois de Cristo, a liberdade é defendida à exaustão, inclusive, a liberdade de amar ou não a Deus.

    Todo político não se diz cristão? Pois bem, sejam cristãos!

    Sr. governador João Doria: leia com atenção esse site, o artigo acima, as opiniões dos leitores, incluindo a minha e lembre-se: conserte a sua biografia agora, enquanto ainda há tempo e libere a sociedade dessa prisão, da falência total. Ou o sr. não conseguirá se eleger nem síndico do prédio, condomínio em que o sr. mora. Isso se ainda houver pessoas para habitar residências, caso o fechamento produtivo total continue por mais um, dois, três dias apenas.

    Precisamos de pessoas com visão liberal econômica no comando do País. Governantes que imitam Lula, Dilma, Haddad, Ciro, etc., com discursos intervencionistas na economia, na sociedade, tendem a ficar no rodapé da História. Apenas como uma nota curta das suas péssimas gestões públicas.

    Abraços a todos desse site.
  • Fã do Nego Ney...  28/03/2020 02:47
    Tem muita gente dizendo que com toda essa treta com a peste a China vai ser a grande beneficiada, pois o resto do mundo vai tirar dívida pra segurar a economia e o credor será a China, que além de lucrar vai ganhar controle político sobre vários países. Aí eu vos pergunto: Isso faz sentido? O mundo vai realmente sair pegando crédito da China? A China não foi a mais fortemente atingida em meio a tudo isso e não teria ela mesma que se endividar pra manter a economia?
    Obrigado.
  • Jeferson Vasquez  28/03/2020 18:48
    Boicote a tudo que é da china! Simples!
  • Ex-microempresario  29/03/2020 19:03
    Ache um (um só!) produto no supermercado que não tenha componentes chineses ou que foi fabricado sem máquinas e ferramentas chinesas.
  • Donald Trump  28/03/2020 04:09
    Trump signs $2 trillion coronavirus relief bill as the US tries to prevent economic devastation

    www.cnbc.com/2020/03/27/house-passes-2-trillion-coronavirus-stimulus-bill-sends-it-to-trump.html

    De onde vão sair esses 2 trilhões? Do endividamento público e das reservas bancárias em excesso?

    Talvez seja hora de alguma análise sobre este assunto.
  • Analfabeto Economico  28/03/2020 13:06
    No Brasil tá a mesma coisa. Pensando nisso agora.
  • Felipe L.  28/03/2020 04:18
    Parafraseando Ryan McMaken: Estudar um vírus de RNA com fita simples e sentido positivo não faz de você um especialista em Economia e Ciência Política.
  • G. Fiúza  28/03/2020 06:10
    O governador do Pará, filho do lendário Jader Barbalho, proibiu hoje toda e qualquer circulação de CARROS que possa ser caracterizada como carreata - exorbitando assim qualquer diretriz de saúde.

    Prezados talibãs, vocês estão entregando a liberdade de bandeja a tiranetes. Estão gestando o ovo da serpente.
  • G. Fiúza  28/03/2020 07:06
    Outra coisa: por que os governadores não pararam o Brasil no ano passado para evitar as quase 800 mortes por H1N1? Bando de capitalista assassino?

    Quem não quer aterrorizar a população tem a obrigação de separar as estatísticas dos mortos COM coronavírus (idosos vitimados por outras doenças) e dos mortos POR coronavírus. Isso não só não está sendo feito, como ainda tem governador intencionalmente inflacionando as mortes por coronavírus, para assim justificar suas medidas draconianas. Ao fazerem isso, aumentam a corrida geral aos hospitais, prejudicando os que de fato precisam.
  • junior  28/03/2020 11:28
    Tem vários lugares que estão confiscando produtos das farmácias. E outra, estão inflando os números de mortes
  • Analfabeto Economico  28/03/2020 13:00
    O Governo Federal está liberando milhões atrás de milhões. De onde vem esse dinheiro, do orçamento mesmo ou Guedes ligou a impressora.
  • Yuri Vianna  28/03/2020 13:17
    Rapaz, vejam isso:

    "Sob pressão, fábrica de ventiladores pulmonares é invadida na Grande SP.
    Vice-prefeito de Cotia levou 35 equipamentos da Magnamed, segundo a empresa. Sócios tentam captar 100 milhões de reais"

    exame.abril.com.br/negocios/sob-pressao-fabrica-de-ventiladores-pulmonares-e-invadida-em-sao-paulo/?utm_source=pushnews&utm_medium=pushnotification&utm_campaign=push_exame&utm_term=push_exame



    "Nunca desperdice uma crise grave. E o que quero dizer com isso, é uma oportunidade de fazer coisas que você acha que não podia fazer antes." – Rahm Emanuel, chefe de gabinete de Barack Obama de 2009 a 2010.
  • Felipe L.  28/03/2020 13:56
    Alguém ainda sabe se ainda é possível calcular o PPR desses últimos anos no Brasil? É que o site do Banco Central continua extremamente confuso.
  • Liberal Inteligente e Educado.  28/03/2020 15:40
    Já ouviu falar em crime de responsabilidade e processo criminal por crime contra a vida? Pois é. Bossanauro que aguarde
  • DR  28/03/2020 16:42
    Pessoal do Mises, pessoal que acompanha o site me respondam. Sejam sinceros, essa é uma tentativa de quebrar economicamente os países ocidentais e implantar um sistema de controle político-social aos moldes do Partido Comunista Chinês? Por que a Itália, que é a ponta da chamada "Nova Rota da Sede" da China, está sofrendo tanto com essa "pandemia"? O que povo brasileito pode fazer agora para frear esse sistema aqui, ou já é tarde demais? Existe alguma forma de implodirmos esse sistema a nível mundial ou só com uma guerra, que parece que está mais próxima a cadda dia?
  • Ex-microempresario  29/03/2020 19:06
    O sistema de controle político-social da União Européia é igual ao da China. Talvez pior, se considerarmos a hipocrisia. O governo da China pelo menos não tenta disfarçar que é autoritário.
  • Nycolas  28/03/2020 16:50
    Instituto mises, gostaria que me tirassem uma dúvida: a algum tempo descobri uma doutrina econômica chamada distributismo, baseada nos trabalhos de Belloc e Chesterton, você devem conhecer . Eu estou com dificuldade de refutar essa doutrina pois os caras consideram os trabalhos de economistas como Hayek. Gostaria que o Instituo pudesse formular uma critica construtiva contra o distributismo.
  • Gilberto  28/03/2020 17:22
    Eu já to com minha glock carregada e estocando munição para quando o Armagedom chegar. A única forma de se proteger
  • D. Almeida  28/03/2020 17:39
    Meus cumprimentos a todos. A tuberculose e outras doenças infecciosas de fato matam mais, então olhando por este prisma deveríamos dar mais atenção a elas do que a atual causadora da pandemia. Ocorre que essas mesmas doenças atualmente não tem a mesma eficiência em levar sistemas de saúde de primeiro mundo ao colapso, não nesta proporção que estamos vendo em que as famílias não conseguem nem enterrar seus entes queridos, em que locais de divertimento público estão sendo utilizados como necrotério por países estruturados economicamente. Se por um lado a maioria das vítimas fatais são idosos e/ou pessoas com co-morbidades nessas economias de primeiro mundo por outro temos que nosso país também possui esse público alvo. Poderíamos voltar a normalidade das atividades econômicas e esperar os casos aparecerem e serem tratados, mas estaríamos certo que isso levaria a um total caos ao nosso já decadente sistema de saúde (público e particular). Consultas e tratamentos médicos essenciais, como o de câncer, seriam inevitavelmente interrompidos, como já está ocorrendo, o que levará a um terrível cenário de mortes. De outro lado o caos na economia com essa paralização já pode ser notado e perdurará por vários anos, provocando uma verdadeira depressão econômica. Por tudo isso, minha opinião, é que nesse primeiro momento se trate com muito vigor essa doença que se alastra, sendo que a comunidade médica, através de visão majoritária e oficial, informa que o confinamento se mostra como mais eficiente medida. O problema da economia DEVERÁ deve ser cobrado por nós de nossas autoridades, através de reajuste de cargas tributárias, correção de anomalias no funcionalismo público, etc. e essa é a oportunidade perfeita que teremos para colocar o Estado (União, estados e municípios), Executivo, Legislativo e Judiciário na parede por mudanças profundas para melhorar a economia nacional.
  • Osmar  28/03/2020 20:02
    Você não entendeu ainda. Quarentena comprovadamente não altera nada.

    Assista ao vídeo abaixo entre 3:40 e 7:30. E depois entre 13:50 e 18:20 (Recomendo ver tudo, mas, se não quiser, veja ao menos esses trechos que sugeri)


  • Dalton Catunda Rocha  28/03/2020 17:44
    Até o presente momento, o Brasil tem sido pouquíssimo vitimado realmente, pelo coronavirus. Ver site: diariodopoder.com.br/brasil-tem-menor-indice-de-letalidade-dos-25-paises-com-mais-casos/

    Muito mais eficaz que fechar milhões de negócios honestos, em todo o Brasil, teria sido:

    1- Obrigar todas as pessoas que saíssem de suas casas, que só saíssem com máscaras cirúrgicas de pano. Alguns reais, por pessoa.
    2- Colocar em todos os negócios abertos, um gerador de luz UV, que é um germicida que custaria menos de R$40 e duraria meses.

    Só que:

    1- Como disse Jânio Quadros: A massa não gosta de pensar. A massa gosta de odiar.

    2- Já que a estratégia de derrubar Bolsonaro com o Queiroz e/ou as milícias não funcionou, o coronavirus está aí, para gerar uma brutal recessão no Brasil. Recessões passadas, já derrubaram Collor e Dilma.

    ****************
    Num rápido resumo, o coronavirus não é um assunto médico. O coronavirus é um assunto político e ideológico.
  • Carlos83  31/03/2020 14:28
    Dalton, você por acaso é o autor de um artigo sobre o fracasso das reformas agrárias ao redor do mundo, publicado pelo finado MSM?
  • Luiz Fernando Carvalho  28/03/2020 21:19
    Há um grande mal em muitas "profissões": falta de visão sistêmica!
    Claro que o assunto está em alguns cursos, inclusive de administração (até mesmo pública), mas, quem presta atenção??
  • Milton Friedman Cover's  28/03/2020 21:39
    Ao Liberal Inteligente e Educado,

    Você não tem nenhuma das três qualidades!

    Só da forma que se dirige ao presidente do País, já demonstra ser você um marxista militante.

    "crime de responsabilidade e processo criminal", onde e por quê??

    Por querer que o País continue funcionando normal, gerando receitas, pessoas empregadas, empreendedores crescendo e atendendo os desejos dos consumidores??? Sério, que você defende tudo fechado, o País falindo, pessoas morrendo de fome?

    Parabéns! Você acaba de ganhar o prêmio Pol Pot de exterminador do ano! ganhou também o prêmio Mao por ser "inovador".

    Passe na China para receber os seus prêmios, isso se não morrer de fome antes, caso tudo continue fechado, ou será que você pensa que o papai Estado vai importar recursos financeiros de Marte?

    Cada "ator" que aparece por aqui. Lembre-se: aqui não é o FB nem o Twitter, Mister Magoo!

  • Guilherme  28/03/2020 22:07
    Pessoal, por favor.
    Como se proteger nessa crise? Dicas de investimento pra este momento delicado. Dólar? Euro? Ouro?
    Vcs ainda tão comprando títulos públicos no tesouro direto mesmo com essa gastança toda?
  • Hudson  29/03/2020 20:22
    Eu to correndo pro ouro. Dolar já era. Procure os relatorios da EuroPacif Capital, sempre tem dicas boas. O cara ta prevendo o dolar indo pras cucuias faz um tempão já
  • Imperion  29/03/2020 21:02
    Compre acoes de empresas medicas. Caso esse cenario de producao caida se consolide, sao as unicas que o gov permite continuarem funcionando.
    Titulos tão pagando juros baixissimos.
    No dólar vc entrou atrasado.
    O ouro é muito comprado em crises e ele ja subiu. Era pra ter feito antes tb.
  • Sadib  06/04/2020 17:36
    Na minha opinião agora não é de se proteger, mas de comprar - MUITAS - ações. Além de algumas ações brasileiras, o IVVB11 me parece excelente no momento (o ETF que segue o S&P 500) - além de estar a um ótimo valor, ainda te protege da desvalorização do real.
    Dólar e ouro estão caros, então não me parece sensato comprar agora.
    A curva de juros longa deu uma boa subida em Março, então pensando em longo prazo pode ser interessante.
    Mas é claro, tudo depende de seu apetite para o risco, e no fim, você deve decidir onde investir.

    Pra mim a grande pergunta é se chegamos no fundo do poço das ações, ou não. E embora nem sempre o passado se repita, acho interessante sempre comparar a situação atual com outras crises:

    www.invesco.com/us-rest/contentdetail?contentId=049233173f5c3510VgnVCM100000c2f1bf0aRCRD&audienceType=investors
  • Oliveira  28/03/2020 22:25
    As pessoas devem ser convencidas do que devem fazer pelo embate de argumentos e fundamentos científicos.
    Não se pode privar liberdades fundamentais com base em uma folha de papel de um governador ou de um prefeito.
    Direitos de ir e vir, de exercer atividade de subsistência, de reunião, manifestação, protesto, entre outros, todos suprimidos. Estamos num totalitarismo de fato.
    A constituição tem procedimento rígido para restrição de liberdades. O congresso, que representa o povo, não aprovou Estado de Defesa ou de Sítio.
    Esses decretos de prefeitos e vereadores constituem abuso de autoridade.
  • V.K.  28/03/2020 22:39
    O vírus ilustra como todo radicalismo ideológico humano (marxista, liberal ou conservador) não pode ser levado a sério, revelando- se imaturo, porque a vida sempre ilustra número de variáveis superiores às privilegiadas pelos sectarismo partidário (intervencionismo, não-intervencionismo, "?", segundo Roger Scruton). Agir como se não existisse o problema colapsaria o sistema de saúde e multiplicaria as situações éticas indesejáveis nos hospitais. Trancafiar todo mundo vai progressivamente estrangulando a economia, desde os menores prestadores de serviço até os grandes e o próprio Estado. Daí discordar do artigo, pois a definição de serviço essencial é um primeiro (e até óbvio) estágio de transição para avaliações científicas sobre a curva de contaminação, isolamento de focos de contaminação e liberação progressiva das camadas de serviços. A questão dos caminhoneiros se resolve com a inclusão das borracharias e restaurantes de estrada. Simples assim. Crescer é preciso...
  • Bernardo  29/03/2020 13:35
    "A questão dos caminhoneiros se resolve com a inclusão das borracharias e restaurantes de estrada. Simples assim."

    Ué, quer dizer então que esses podem morrer? Por que tais estabelecimentos devem abrir e, com isso, arriscar a vida de seus funcionários? E, se eles podem abrir, por que outros não?

    Vale lembrar que funcionários de restaurante de estrada lidam com uma enorme rotatividade de clientes oriundos de diversos pontos do país. Em termos de transmissão de vírus, estes lugares são muito mais propícios que uma lojinha de bairro, que está fechada.

    Logo, você é um baita de um incoerente. E o mais legal é que você incorre nesta incoerência com aquele ar superior de quem jura ter encontrado uma solução original e irrefutável.
  • Jeferson  29/03/2020 14:56
    Não Bernardo, não significa que eles tem que morrer.
    Significa sim que serviços essenciais são importantes que se mantenham funcionando, dada as suas características específicas ao contexto em que nos encontramos

    Não é pq o cidadão fica em casa no meio de um tiroteio que ele é insensivel com o policial
    Não é pq o cidadão fica em casa quando o médico ta dando plantão que ele quer que o médico morra
    Não é pq o cidadão fica em casa quando o cientista está manipulando substâncias de alta periculosidade que ele quer que o cientista morra.

    Cada um trabalha na medida do possível e da essencialidade
  • Bernardo  29/03/2020 21:25
    Não respondeu. Vou de novo, pela última vez: por que os trabalhadores destas atividades estão liberados para morrer e os outros não? Quem trabalha em restaurante de estrada (que está em contato com um fluxo muito maior e mais variado de pessoas) é menos humano do que quem trabalha em restaurante de bairro, que tem sempre os mesmo clientes? Por que os restaurantes de estrada devem abrir (segundo você) e os de bairro devem ficar fechados (segundo você)?

    Não adianta tergiversar, tem de responder sem cair em contradição. Sigo no aguardo.
  • P. Almeida  30/03/2020 12:17
    Na verdade estão fazendo tempestade em copo d'agua

    O decreto do Doria so fala de restrição a shopping, academia, bares e restaurantes, deixando claro que pode funciona delivery.

    O que acontece é que ninguem quer sair de casa, ou saem muito poucos, a demanda cai e o comércio nao vende. Mas como a culpa nunca é do setor privado e sim sempre do governo, então temos que encontrar o bode expiatório.

    O que mais se ve nos jornais é reportagem de loja ou salão de beleza que abriu mas ninguem apareceu pra consumir... A culpa ai tb é do governo?
  • Castro  30/03/2020 15:23
    Vá mentir em outro lugar. Todos estes serviços estão suspensos desde a segunda-feira passada.

    Aliás, o coitado de um cabeleireiro foi abrir o salão dele (e havia cliente lá dentro), e a polícia simplesmente foi lá e o prendeu. Veja o vídeo abaixo:

    twitter.com/fIaviogarage/status/1244605594364973058

    Você apoia essa medida? Sim ou não?
  • Artista Estatizado  29/03/2020 15:43
    E quanto às outras empresas necessárias para fazer as borracharias e restaurantes de beira de estrada funcionarem? Por acaso essas empresas não tem fornecedores, prestadores de serviços? Máquinas para serem consertadas? E quanto às empresas necessárias para fazer essas últimas funcionarem?

    Rapidamente você precisará incluir todas os agentes econômicos. Bastava só mais um pouquinho de raciocínio para chegar a essa conclusão. Da próxima vez faça mais uma forcinha. Não seja preguiçoso.
  • Joselito  29/03/2020 19:08
    O ser acima, acabou de solucionar o problema do mundo, ele resolve, entendeu?

    Agora ele é o estado e sabe como resolver os problemas, ô animal o estado faz as mesmas coisas que vc acabou de citar, deixa que eu resolvo, e eles vão sempre achar que resolvem melhor que vc, o q é muito provável, já que vc, um jênio (com j) com um comentário desses no Mises Brasil, vc deve votar no Doria, fala a a verdade....

    Caso ainda não tenha percebido, vou desenhar pra ti, o mises Brasil/escola austríaca acredita que uma sociedade livre se auto-regula, não acredita nisso?, Cuba, Venezuela e China te esperam... agora lá vem ele com os mesmos argumentos mofados de comunistas, mas quem vai cuidar dos pobres, eu preferiria ser pobre nos Estados Unidos da América do que ter maduro cuidando de mim, mas eu sei que tu gosta dele, ele vai resolver todos os teus problemas com as canetadas ou no bico do coturno...

    Ah, e tu deve ser um dos q tá vibrando com a impressora do Guedes...
  • Ex-microempresario  29/03/2020 19:10
    "avaliações científicas sobre a curva de contaminação"

    Auguste Comte mandou lembranças!
  • Jairdeladomelhorqp/tras  29/03/2020 00:35
    Caro Fã do Nego Ney,
    Vc pergunta se a China foi a mais atingida? Não, a China não foi a mais atingida. Segundo dados oficiais a China tem 1.38 bilhão de habitantes. Sabe quantos morreram oficialmente até agora? 3.299 pessoas, isto é 0, 00000239 por cento da população. Ou seja, na prática, nada.
    Um dado que gostaria de saber é quantas pessoas morreram nas regiões afetadas antes do corona. Por exemplo, em março do ano passado quantas pessoas morreram na Lombardia e quantas morreram neste mes de 2020. Assim poderíamos estabelecer uma comparção deviadamente real. Se alguém tem este dado agradeceria.
    Abraços
  • Thyslei  29/03/2020 14:00
    Você confia nos dados Chineses, no meu entender houve e está havendo muitas mortes na China.
  • Fã do Nego Ney...  29/03/2020 15:36
    Com atingida eu não me refiro ao número de infectados/mortos, mas sim atingida na economia, veja, o país ficou quase parado durante 2 meses, tanto que os níveis de poluição caíram brutalmente nas grandes cidades durante esse período, e tudo isso numa época em que a China já está desacelerando com força. Será que a própria China não terá mais problemas daqui pra frente do que o ocidente, ainda mais com o Trump e e cia querendo apertar ainda mais o cerco?
  • Prof. Aronnax  29/03/2020 02:19
    Observo que uma legião de pessoas chega aqui no site para pedir soluções imediatas para a pandemia do vírus chinês. Essas pessoas falham em entender que os problemas atuais são resultados do acúmulo dos erros cometidos no passado. Não há solução mágica. A Escola Austríaca vêm criticando as medidas estatais desde longa data e, se isso não mudar agora, crises como essa se repetirão pelos próximos anos, sem dúvida. A Escola Austríaca é a única que realmente se preocupa com o futuro das pessoas.
  • Leonardo  29/03/2020 14:54
    Muito bom o texto! Mas faltou uma solução para esse problema.
  • Humberto  29/03/2020 21:27
    A solução é tripla:

    1) Copiar a Coreia de Sul, que simplesmente fez o básico e sensato. Testou e isolou os positivos, e deixou livre os não-infectados.

    Aliás, por que o Japão, que tá perto de Coreia e China, não teve nada? Possui uma população bastante idosa e, até agora, teve 1.128 infectados e 42 mortos — taxa baixíssima para um país idoso.

    E não teve nada de confinamento.

    2) Sair às ruas de luvas, máscaras, manga comprida e calça comprida. Agindo assim, pode acreditar, a chance de contágio é quase nula. Você só será contaminado se algum outro contaminado cuspir dentro do seu olho. O problema é que ninguém quer esse desconforto.

    3) Aos já contaminados (atenção: foi contaminado, mas ainda está no início), usar hidroxicloroquina com azitromicina. 100% de sucesso em todos os pacientes submetidos a isso.

    Ou seja, a solução já está aí. Já se sabe o que fazer com os contaminados e o que fazer para não se contaminar. E fim. O item dois é facílimo de ser implantado, e, curiosamente, ninguém fala dele. A mídia quer é tocar o terror, pois ganha muita audiência com isso.

    No final, o risco de se contrair Covid-19 é o mesmo de você pegar uma gripe no inverno. Se usar luvas e máscaras, e evitar contato com terceiros, estará praticamente protegido.

    E o risco é menor do que pegar dengue (muito mais fatal que a Covid-19), pois você dificilmente vê o mosquito e ele pode lhe picar enquanto você estiver dormindo.

    Eu já fui um dos que pensavam que isso era grave. Mas realmente não passa de uma gripe forte. Quem morreu é quem já tinha mais de 70 anos e tinha outros problemas de saude: diabetes, problemas cardíacos, problemas renais, respiratórios etc.

    Quem tem menos de 60 anos, que tinha saúde boa e foi contaminado, já melhorou depois de 11 dias. Agora, com a descoberta de que hidroxicloquina com azitromicina (dois remédios antigos) cura 100% dos doentes, não há mais motivo nenhum pra histeria.

    É bizarro que seja declarada 'pandemia' algo que é várias vezes menos letal que tuberculose, e que por causa disso tenhamos que fechar todas as economias. Realmente, vivemos em uma era de delicadeza e frescura extremas.

    Mas como políticos adoram controle absoluto, e dado que eles hoje gozam total apoio da imprensa, estão lavando a égua.

    E a verdade é que os epidemiologistas se transformaram nas novas sumidades mundiais. O que eles determinam está decidido, e ai de quem discordar. Se eles mandarem fechar as economias por 2 anos, é pra obedecer. Quaisquer considerações econômicas sobre os efeitos disso é mero obscurantismo materialista e anti-vida humana.
  • Felipe L.  30/03/2020 01:17
    Torço para que realmente funcione essa hidroxicloroquina, e que não seja mais uma fosfoetanolamina.
  • Dane-se o estado  30/03/2020 17:54
    Quarentena de países inteiros é uma das mais ridículas loucuras já feitas. Isto na faz sentido nem se.fosse um surto de ebola que é um dos piores vírus e um dos mais mortais que já existiu. O mais engraçado é que surto de ebola existe e já existiu, e ninguém trancou cidades, o que foi feito? O que deve ser feito em qualquer epidemia, isolar o grupo de risco e deixar live o resto, transmitir informação e deixar o povo se precaver. Se o ebona não teve necessidade disso e há surtos do mesmo até hoje, um vírus da gripe/pneumonia vai precisar?
  • anônimo  30/03/2020 20:37
    Só mostra o uso político desse vírus. A contenção do Ebola foi feita de forma bem cirúrgica e correta. Um dos raros casos de sensatez da OMS.
  • Carlos Alberto  30/03/2020 21:30
    E é exatamente isso. Estão usando esse vírus apenas para avançar seus projetos pessoais totalitários.

    Veja o projeto que Marcelo Freixo apresentou hoje: na prática, acabou a propriedade privada no Brasil. Agora, o imóvel praticamente se tornou do inquilino.

    twitter.com/MarceloFreixo/status/1244670915482390528
  • Capitão Sueco  03/04/2020 00:25
    Você percebe o uso político desse vírus quando a mídia fica forçando quarentena 24h por dia, mas não citou uma única vez o exemplo dos países que não adotaram a quarentena pra combater o vírus. E olha que há vários exemplos que poderiam usar.

    www.cnbc.com/2020/03/30/sweden-coronavirus-approach-is-very-different-from-the-rest-of-europe.html

    Pra ver como a mídia escolheu um lado e está defendendo a qualquer custo, basta ver o que fizeram com o discurso do diretor da OMS. Não precisa ser muito inteligente para entender que países pobres não podem adotar quarentena como países ricos.
  • Artista Estatizado  29/03/2020 15:38
    Alguém já parou para tentar estimar quantas das mortes supostamente causadas pelo coronavirus na Itália ocorreriam de qualquer forma? É um exercício difícil, claro, mas importante para o bem do debate.

    No Brasil, segundo pesquisei, morrem por volta de 1 milhão de pessoas por ano de causas naturais. Ou seja, boa parte das mortes (talvez uma maioria) ocorridas, e que ocorrerão, no Brasil ocorreriam de qualquer forma, por causas naturais.
  • Carlos83  30/03/2020 14:01
    Se olharmos como a gripe atinge os italianos, podemos ter uma noção:

    •In the winter seasons from 2013/14 to 2016/17, an estimated average of 5,290,000 ILI cases occurred in Italy, corresponding to an incidence of 9%.

    • More than 68,000 deaths attributable to flu epidemics were estimated in the study period.

    • Italy showed a higher influenza attributable excess mortality compared to other European countries. especially in the elderly.

    Fonte: www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1201971219303285


    Vale lembrar também que a Lombardia, como muitos falaram aqui, a faixa etária média é elevada. É uma região rica, com muitos aposentados, alto nível de instrução, provavelmente. Também é um paraíso para os velhinhos, pois está fora do grande eixo turístico migratório. As pessoas que moram lá devem querer paz. E o italiano é muito ativo fisicamente, muito contato corporal, homens tem o costume de se beijar nos lábios. Cenário perfeito para um virus.

    É igual ao alcool gel. A explosao da demanda por atendimento superou e muito a oferta do serviço. Por isso o caos naquela região. E a imprensa com suas narrativas do novo apocalipse espalham o terror. Mas o resto da italia está bem.
    ichef.bbci.co.uk/news/624/cpsprodpb/12C8A/production/_111183967_italy_quaratine_cornavirus_080320_640-nc.png

  • anônimo  30/03/2020 21:44
    O pesquisador que apavorou o mundo e justificou os lockdowns pelo Ocidente, se baseou em números chineses, ou seja, dados totalmente falsos. Aqueles valores de letalidade por faixa de idade foram calculados por dados crus, um amadorismo sem tamanho.

    Pra ter ideia da m*rd* que ele fez, é quase o mesmo que pegar esses dados coletados: pt.wikipedia.org/wiki/Pandemia_de_gripe_A_de_2009_no_Brasil e afirmar que a letalidade do H1N1 no Brasil foi de 60%.

    Se esse vírus perambulasse como qualquer outro tomando medidas de mitigações, mataria umas 3 vezes mais que a gripe. Há muito mais doenças causadas por microrganismos que iriam matar mais do que esse COVID-19.

    Aceitamos implementar o comunismo a nível mundial por causa de uma gripe. Só mostra como a humanidade está cada vez mais fraca.
  • Ex-microempresario  30/03/2020 19:23
    A média de mortes na Itália ano passado foi de 1770 pessoas por dia.
  • ricardo castro  29/03/2020 18:29
    Excelente material, ainda nao tinha essa perspetiva. So acreditava que pandemia não o que estamos vivenciando, mas epidemia viral, merecedora de cuidados e com aspectos regionais e culturais a serem tratados isoladamente, especialmente em razão do clima frio, que favorece o vírus. O que serve pra europa e pra nova york nao serve necessariamente para o Brasil. O resto é discurso midiático de espalhar a discórdia. Mas vejo por esse texto a privação da liberdade como algo interessante para a cultura socialista. Parabéns ! Argumentação muito lúcida, fiquemos atentos. Ricardo
  • Ex-microempresario  29/03/2020 19:33
    O resultado da estatização é sempre óbvio: a burocracia estatal se preocupa apenas com ela mesma, nunca com a questão que supostamente seria a sua função.

    Tanto os políticos quanto seus admiradores admitem abertamente que a política de confinamento visa "proteger o sistema de saúde". É isso que importa.

    Quando a epidemia passar, a opinião pública estará preparada para o próximo passo: quem pretender contrair uma doença, deverá antes pedir uma autorização do governo. Quem ficar doente sem autorização será processado por prejudicar o planejamento do sistema público de saúde.
  • Marlon Soares   29/03/2020 21:44
    Populismo meu caros, populismo! A esquerda foi aos lugares que os liberais não vão, portanto a massa populacional foi educada (doutrina) por eles desde a tenra infância. O resultado está aí, décadas se passam e o cenário apenas piora.
    Se ao final dessa crise não terminarmos em uma ditadura de extrema esquerda, já estaremos no lucro!
  • Carina Barreto  29/03/2020 23:09
    Primeiro, parabéns IMB por mais um excelente texto que me fez refletir e até perceber o autoritarismo disfarçado de altruísmo.
    Segundo, eu tenho uma dúvida: ( me perdoem, mas sou nova na Escola Austríaca e to tentando aprender) vi em vários canais no youtube - dito liberais- que defendiam a quarentena, pois alegaram que o fato de sair ás ruas coloca a vida dos outros em risco também devido à pandemia e isso é uma violação dos direito básicos defendidos pelos liberais. Esse é um argumento válido?
    E se tivermos alguém infectado que se recusa a seguir as ordens de ficar isolado, manda-lo para á prisão seria a atitude correta?
    Obg!
  • Ex-microempresario  30/03/2020 18:47
    Carina, eu acho esse um tema muito interessante, e talvez sem uma resposta definitiva.

    Na vida em sociedade, estamos a todo momento criando riscos. Cada vez que alguém dirige um automóvel, está assumindo o risco de causar um acidente. Cada vez que um médico faz uma cirurgia ou um engenheiro constrói um prédio, existe o risco de errar.

    O que a gente faz? Na melhor das hipóteses, fingimos que alguns rituais tornam o risco "aceitável". Então existem trocentas regras para dirigir um carro, ou para um médico fazer uma cirurgia, ou para um engenheiro construir um prédio. O risco continua existindo, todo mundo evita pensar no assunto para ver se as tais regras realmente funcionam ou mesmo se fazem sentido.

    Pessoas doentes existem o tempo todo. O risco de contaminação sempre existe, e provavelmente não pode ser eliminado.

    O que não faz sentido é viver a vida fingindo que riscos não existem e de repente, só porque a midia mundial resolveu inventar um escândalo, tratar esse risco como se fosse uma coisa completamente diferente dos outros.
  • Natasha  31/03/2020 01:52
    Carina,
    O problema ai é de definição de propriedade. Vc tem direito ao ar limpo ou eu tenho direito de poluí-lo?
    Existe uma vertente da teoria economica que fala de bens públicos.
    O certo, à luz do liberalismo é que se definisse a propriedade, se eu tenho direito a nao ser infectado ou se tenho direito de livre circulação, e ai a outra parte pagaria ao outro pelo dano, infecção ou circulação restrita.
    O engraçado desses canaiszinhos liberaloides é que eles agora se abraçam no Leviatão malvadão chamado Estado
  • Dane-se o estado  31/03/2020 18:54
    Bens públicos não existem! Imposto é roubo! Bens públicos são falácia positivista. Estado não é legítimo. Externalidades não necessitam de regulação monopolista estatal! este vírus é uma farsa desnecessária; estado não é e nunca será eficiente. Estado não passa de uma fraude contábil administriva e econômica. Estado não passa de um grupo de oportunistas que acham que tem o monopólio das qualidades e aptidões (coisa que nunca possuem) e acham que tem o direito de impor de forma unilateral incondicional e perpétua suas leis arbitrárias, não importa o quanto são ineficientes, corruptas, imorais, antiéticas, e o quanto sejam mentirosos. Democracia é uma falácia de espoliação de gente que acha que tem direito sobre o trabalho alheio. Tudo isto não passa de uso populista e político e catastrofista.
  • Natasha  01/04/2020 21:16
    Nossa que horror o comentário desse senhor!
    Raramente comento, mas costumo ler os artigos e alguns comentários.
    Parece um cão raivoso, apenas vocifera contra um conceito universal na teoria economica, reconhecido por todas as vertentes. Bens rivais e excludentes existem independente da sua vontade, vc pode discutir como vai lidar com eles, mas existir eles existem.
    Não há o desenvolvimento de nenhum raciocínio por parte dessa pessoa, nenhuma contribuição ao debate.

    Eu tenho muita vontade de me aprofundar na teoria de Mises, mas o que me dá receio é que vejo muitos comentarios aqui parecidos com esse. Torço que seja minoria.

    Será que eu falei alguma besteira muito grande pra ele me responder assim?
  • Dane-se o estado  31/03/2020 19:03
    Ninguém é responsavel por doenças, quem estar doente tem interesse natural em entrar em quarentena e buscar ajuda, quem quer se previnir também. Estado não é necessário e liberalismo é a verdadeira utopia. Regulação estatal é o que você está vendo agora. Sem estado hospitais e seguradoras de saude seriam livres para criar cláusulas de contenção pré existentes nos contratos de seus clientes. Em uma epidemia evocariam os contratos e colocavam em quarentena o grupo de risco, quem se negasse a cumprir seria multado ou punido, teria seus dados publicados, assim como lugar onde mora, para alertar todo o resto da sociedade para boicotar tal indivíduo ou grupo de indíviduos. Nao haveria uso político para histeria, pois isso prejudicaria a economia e nenhuma seguradora lucra com excesso de pacientes lotando recursos.

    Toda atividade humana tem externalidades, e agências refuladoras podem perfeitamente ser privadas, pois quando a agência é estatal ela será a primeira a ser comprada e corrompida.
  • Ericsson  30/03/2020 01:08
    Mais uma evidência anedótica de que confinamento está longe de ser o que estão propagando. Ao contrário: pode piorar tudo.

    Nos países nórdicos, Dinamarca e Noruega fecharam tudo. Já a Suécia manteve tudo aberto (exceto universidades). Adivinhe onde há menos casos e menos mortes, proporcionalmente? Exato, Suécia. Até o The New York Times teve de se render.

    In the Coronavirus Fight in Scandinavia, Sweden Stands Apart


    Pelo visto, a tese de Osmar Terra (confinamento não só não resolve, como ainda piora), já citada aqui, vai se revelando correta.
  • Renan  30/03/2020 03:50
    Mesmo se estivessem corretos, colocar um estado inteiro em quarentena porque há 16 casos na capital é coisa de um literal retardado mental. Nem a China fez algo tão absurdo assim. Os governadores ouviram uma mídia doidinha pra causar uma crise e vão pagar caro.
  • anônimo  30/03/2020 22:49
    Coreia do Sul, Japão, Singapura, México, Bielorrússia, Suécia, Austrália e Rússia (esses três últimos fecharam universidades) serão algum dos "laboratórios" que usaremos para fazer as inevitáveis comparações com os países que seguiram as palavras iluminadas da OMS (que há 2 meses jurava que não havia nada para nos preocuparmos e tudo estava sob controle).

    Se esses países tiverem um aumento menor que 20% das mortes anuais médias e não entrarem em colapso econômico, significa que tudo não passou de uma histeria mundial por causa de uma gripe. E os culpados serão apontados.
  • Jango  01/04/2020 04:19
    Tem outros mais. TODOS países asiáticos NÃO fecharam o país. Eu já estou me preparando pra coletar os dados a partir da semana que vêm.

    Esquerdistas vão ter que trocer bastante pra morrer muita gente e justificar o que fizeram.
    Conservadores e libertários vão ter que apontar SEM DÓ o dedo pros culpados, ter sangue nos olhos pra estirpar esse tipo de gente da vida pública. Não apenas pelo colapso econômico, mas também pro totalitarismo irracional que promoveram.

    A fonte é horrível, mas o texto dá uma boa ideia da "farsa" que é esse vírus, aconselho a leitura: omelhordos.blogueirosdobrasil.com/a-grande-farsa-mundial-do-covid-19-nao-estao-ocorrendo-mais-mortes-por-causa-do-coronavirus/

    Esse canal é um dos poucos libertários que estão tomando a frente e defendendo a liberdade. Vídeos muito bons sobre o assunto.

  • Sadib  30/03/2020 12:49
    Pessoal, seguindo o comentário do caro Imperion ai em cima. A quantidade de dinheiro que o FED está empurrando pra economia é similar aos valores que foram gastos na guerra do Iraque e Afeganistão, e que segundo esse Instituto, foi responsável pela forte desvalorização do dólar na época (e pelo nosso crescimento maior do PIB).
    Vocês acreditam que veremos uma desvalorização do dólar similar agora, ou como a maioria dos países estão indo para as mesmas "soluções", todas as moedas vão desvalorizar, gerando inflação generalizada?
    Será que passada a crise existe alguma change do real se valorizar?
  • Bresser Pereira  30/03/2020 19:43
    Só uma pergunta, Sadib:
    Qual a sua preocupação com o real se desvalorizar? ou com o dolar se desvalorizar? (Não digo inflação, mas sim a taxa de cambio entre as mesmas)
  • Sadib  06/04/2020 17:28
    Caro Bresser, minha preocupação é por conta de investimentos. A alguns anos venho focando em ouro, tesouro IPCA e dólar - muito levando em conta discussões que já vi/participei nesse site. E por sorte estava pouco comprado em bolsa.
    Pra mim a taxa de câmbio tem sido a variável mais importante pra decidir onde investir a médio/longo prazo, e ter uma ideia pra onde ela vai é essencial. Ela também tem um impacto enorme na economia (como muitas vezes é falado aqui).
  • Imperion  31/03/2020 02:04
    Chance sempre tem, mesmo que mínima. Mas as contas brasileiras teriam que melhorar muito. Diferente de 2000 a 2010, 0s eua pagam agora pra oferta monetária ficar parada nos bancos. Entao mesmo com trilhões de ajuda, nao vai desvalorizar o dolar. So se os fed vender seus titulos. Dae sim teria inflacao no dólar.
  • Drink coke  30/03/2020 19:31
    Engraçado é que a primeira vez na historia da humanidade que temos um Lockdown nessa proporção, estamos simplesmente jogando no escuro, ninguém é capaz de dimensionar as consequências na economia e ninguém é capaz de dimensionar sua efetividade, mesmo sendo incapazes de avaliar o custo-beneficio de maneira racional estão chamando isso de ciência.

    Obs.: A Italia iniciou o Lockdown em 16/03, desde então o número de infectados já triplicou
  • Fabrício  30/03/2020 21:26
    "A Italia iniciou o Lockdown em 16/03, desde então o número de infectados já triplicou"

    Shhh, não enfatize essa obviedade, pois irá dar tilt no cérebro dos otários que defendem confinamento — meros cãezinhos amestrados seguidores da OMS, a mesma que, em fins de janeiro, disse que o novo coronavírus não era nada com o que se preocupar.

    Osmar Terra avisou que confinamento só piora tudo.
  • Lee Bertharian  30/03/2020 21:41
    Bom artigo, parabéns ao IMB.
    O bovino gadoso médio acredita que o autoritarismo pode se instalar instantaneamente, personalizado num bigodudo em roupas camufladas, ou que políticos e partidos "malvados" (ou seja, seu antagonista) conspiram diariamente para que se instale.
    Infelizmente não é assim que funciona... Como na historinha do sapo na água fervente, a cada lei idiota (sal na mesa, farol aceso de dia, etc) e a cada regulamentação esdrúxula (camelôs, uber, etc) que aceitamos cumprir, despedimo-nos de mais um naco de liberdade.
    Conclusão: é a evolução natural que qualquer atividade política (atenção minarquistas) se aproveite da dependência do gado para que se instaure um Estado opressor.
  • Tiago Renoux  30/03/2020 22:14
    Gostaria de uma explicação de como o livre mercado, políticas liberais, agiriam numa situação de pandemia até mais grave que essa atual, ou outro qualquer evento catastrófico, quando por exemplo, um vendedor ambulante não consegue sobreviver por falta de gente circulando.
    Como numa crise dessa não depender do estado?
  • Mário  31/03/2020 08:12
    Sua própria pergunta já é contraditória. Se há livre mercado, então não há esse negócio de pessoas não estarem circulando. Afinal, se todos estão trancadinhos em casa, de baixo da cama, com medo de uma gripe, quem irá trabalhar e produzir? E aí, como todos irão sobreviver?

    Não existe, em um cenário de livre mercado, "falta de gente circulando". Hoje, só há falta de gente circulando porque políticos e burocratas prometeram mandar para a cadeia quem for encontrado circulando. Em um livre mercado, não tem disso de ficar todo mundo em casa sendo sustentado por não se sabe quem*. As coisas não serão produzidas por mágica. Se ficar todo mundo em casa, o mundo entra em colapso e todos morrem de inanição.

    De resto:

    www.mises.org.br/article/275/como-o-livre-mercado-lidaria-com-epidemias-e-quarentenas


    P.S.: o governo vai dar dinheiro para as pessoas ficarem em casa. Mas quem vai dar dinheiro para o governo dar dinheiro para as pessoas ficarem em casa?
  • L Fernando  31/03/2020 00:22
    "A nossa curva é diferente da América do Norte. Eu ouvi o outro comentarista falar e discordo dos números que está dando porque são teóricos, números clássicos. O Brasil teve até agora 4.256 infectados e 136 óbitos. A Itália, a Espanha e os Estados Unidos estão no hemisfério norte, o frio faz com a contagiosidade e letalidade sejam maiores. O Brasil teve ao total de 4 semanas, metade do que a Itália teve ontem, que teve 9 mil casos. Já há cinco trabalhos acadêmicos dizendo que o clima e a humidade, a temperatura e o clima, fazem a maior diferença. Nova York, ontem, estava 7 graus, Londres estava 7 também, Paris estava 8. Aqui estava 26 e estava chovendo. Nós ainda estamos aproveitando esse clima."

    brasilsemmedo.com/coronavirus-clima-pode-diminuir-contagio-diz-pesquisador/
  • Keynesiano  31/03/2020 05:37
    Observações de um Keynesiano:

    1 )Como a escola austríaca enxerga crises financeiras aconteceram mesmo antes da criação dos bancos centrais, como exemplo as crises das Tulipas? Assim, não seria correto admitir que governos e bancos centrais que geram as crises. Austríacos não explicam as bolha que ocorreram na ausência de bancos centrais.

    2) Em momentos de estabilidade e tranquilidade há uma propensão das pessoas a assumirem mais risco (se alavancando excessivamente) visando maiores ganhos que em determinado momento resultará em investimentos errados e assim numa crise financeira ("a estabilidade gera a instabilidade"). Alavancagem possibilita maiores lucros, assim a própria natureza humana nos momentos de tranquilidade assume uma tomada de risco/alavancagem maior em busca de maior lucro, o irá gerar "overinvestments" (que depois irá culminar na crise financeira)
    Quem cria as bolhas então seria as decisões erradas das pessoas que tem oscilações de momento de euforia e medo. O setor privado em certos momentos de euforia vai adquirindo um nível de alavancagem excessiva que em algum momento resulta no crash.
  • Say  31/03/2020 08:13
    1) A bolha das Tulipas (que está longe de ter sido uma crise) foi causada por uma explosão da oferta monetária: no caso, um súbito influxo de ouro oriundo das recém-descobertas colônias.

    Artigo inteiro sobre isso:

    www.mises.org.br/article/267/a-mania-das-tulipas-e-o-ambiente-monetario-holandes-do-seculo-xvii

    (Dica: antes de falar que "austríacos não explicam as bolha que ocorreram na ausência de bancos centrais", utilize a ferramenta de busca do site. Evita passar a imagem de calunioso).

    De resto, convenhamos: se tudo o que você tem a favor dos Bancos Centrais é a bolha das tulipas, então, sinceramente, caso encerrado.

    P.S.: é falsa a ideia de que crises são causadas exclusivamente por Bancos Centrais. Crises são causadas, aí sim, exclusivamente por intervenções estatais. Banco Central é apenas um dos vários tipos de intervenções estatais. Há crises causadas por um aumento súbito de impostos; há crises causadas por uma súbita restrição ao livre comércio (forte aumento das tarifas de importação); há crises causadas por repentinas regulações do mercado de trabalho (que explodem repentinamente o desemprego); há crises causadas por uma súbita guinada nas políticas de um governo, o que gera um profundo abalo na confiança dos agentes econômicos (a famosa "incerteza gerada pelo regime"); e, finalmente, há crises causadas pelo fato de o estado proibir as pessoas de trabalhar, produzir e circular livremente, (como a atual).

    Tudo isso gera crise. E todas as crises são causadas por alguma intervenção estatal.


    2) Este item refuta completamente o primeiro item. Impressionante que você não tenha se dado conta desta sua fragorosa autocontradição. O que possibilita todo este comportamento que você descreveu é exatamente a contínua injeção de dinheiro e crédito barato na economia, algo possibilitado exatamente pelos Bancos Centrais.

    Mais ainda: como sabem que haverá um BC para salvá-los caso façam besteira, tem-se o cenário completo para o risco moral. Não houvesse um BC dando a garantia de que haveria pacotes de socorro, não haveria comportamento imprudente, pois aí as perdas seriam reais e impossíveis de serem socializadas.

    Não houvesse Banco Central manipulando juros artificialmente e injetando dinheiro na economia, não haveria como as pessoas se alavancarem e assumirem riscos extremos. Lógica básica.

    Em suma: quem defende que Bancos Centrais são necessários e benéficos, mas logo em seguida criticas alavancagens, especulações e comportamentos irracionais é alguém que sofre de sérios problemas de cognição e de lógica.
  • Nivaldo  31/03/2020 08:26
    De vez em quando, a grande mídia dá um cochilo e acaba deixando passar a publicação de artigos lúcidos sobre o tema. Este a seguir é muito bom.

    opiniao.estadao.com.br/noticias/espaco-aberto,estrategias-regulatorias-de-combate-a-covid-19,70003251324

    Trechos:

    Autoridades e médicos precisam, urgentemente, reconhecer as condições de vida da maioria dos brasileiros, que dependem do trabalho diário para sobreviver. O IBGE contabiliza 40 milhões de trabalhadores informais no País. Em estimativa conservadora, se cada um for responsável pelo sustento de mais um membro da família, tem-se 80 milhões de brasileiros sem perspectiva de renda. Entre eles, doceiras, pipoqueiros, vendedores ambulantes, manicures, etc.

    O governo federal propõe o pagamento de pouco mais de meio salário mínimo para famílias inteiras viverem isoladas, o que significa, na realidade, que passarão fome no ostracismo, acumulando contas para pagar. Sem falar dos atuais 12 milhões de desempregados e dos novos milhões que a eles já se somam, ainda não contabilizados. Com alto risco de o dinheiro não chegar a tempo.

    É urgente admitir a incapacidade financeira – e histórica – do Estado brasileiro de alimentar os necessitados se a paralisação forçada persistir por meses a fio, afetando porcentagem que certamente ultrapassará com folga mais da metade da população.

    Infectologistas renomados já se manifestaram contra políticas de isolamento na ausência de sintomas do vírus, como o professor titular Esper Kallás, do Departamento de Moléstias Infecciosas da Faculdade de Medicina da USP, em entrevista ao Estado (17/3). Kallás criticou políticas de fechamento de estabelecimentos de maneira descoordenada, que resultam em "apagão econômico", pois "não dá para parar tudo por muito tempo". Isso é, de fato, impossível, sem provocar fome generalizada e colapso social, com perspectiva de saques e aumento exponencial da criminalidade.

    A política de isolamento horizontal ignora o fator tempo e os impactos sociais e econômicos decorrentes. Além disso, Kallás alertou que há sério risco de que, quando os governos permitirem a reabertura, o vírus volte a se alastrar e a contaminação cresça novamente.

    […]

    No Brasil, com renda per capita tremendamente inferior à americana, o confinamento da população por meses mostra-se inviável, pois haverá crescimento real do número de mortes decorrentes da rápida subnutrição e perda de imunidade, resultando em probabilidade maior de contaminação por coronavírus. Por essas e outras razões, é provável que a estratégia de isolamento horizontal, no longo prazo, leve à morte mais pessoas do que haveria com a adoção da estratégia de isolamento vertical.
  • robson santos  31/03/2020 14:38
    É fácil saber o por que, jamais essas midias canalhas fariam tal editorial ou matéria se não fosse pelo diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, ter soltado esse discurso:

    www.youtube.com/watch?v=VKF75XUP0AE

    É um vídeo do canal Bolsonaro no youtube, parcial eu sei, mas..
    E agora? E os governadores e prefeitos das metrópoles, ainda vão ter tempo de orquestrar tudo pela dívida pública e/ou golpe no governo? Devem estar desesperados...

    Agora vai começar o "espetáculo de atualização de informações da OMS", ao invés de criticarem se isso não é uma retratação, vindo daquele FDP etíope comunista trapalhão segundo dissidentes chineses (fonte: Asia Times / Hong Kong), visto como "velho amigo da China", não é médico e "Durante a campanha de três anos de Tedros para ganhar o posto da OMS, ele foi acusado de ter encoberto três grandes epidemias de cólera enquanto ministro da Saúde na Etiópia, classificando incorretamente os casos como "diarréia aquosa aguda" (AWD) - um sintoma da cólera - em uma tentativa para minimizar o significado das epidemias, acusações que ele negou. (fonte: GlobalResearch.ca).

    Mas claro que depois desse discurso ele ainda vai alegar que o isolamento foi muito mais eficaz...


    www.cpadnews.com.br/universo-cristao/49889/diretor-da-oms-pode-ter-vinculo-com-partido-comunista-da-china-segundo-dissidentes.html

    asiatimes.com/2020/02/who-accused-of-being-affiliated-with-beijing/

    www.globalresearch.ca/who-who-tedros-adhanom/5704110


    Ele substituiu Dr Margaret Chan na OMS, que na matéria é lembrada como controversa.. claro, era ela mesma crítica da OMS!!
    "a OMS está sobrecarregada e é incapaz de responder com agilidade aos desafios da saúde global" (Sridhar e
    Gostin, 2011, scholarship.law.georgetown.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1622&context=facpub)


    Agora, observem a cobertura em tempo real da BandNews no youtube, a tradução em tempo real do locutor, é ridícula:

    www.youtube.com/watch?v=WnFfF1jpjwo&t=12s (assistam a partir do minuto 17:50 do vídeo, e em 19:05 ele fala o que o video do canal Jair Bolsonaro acima expôs).

    E, nunca é demais, lembrar sobre o lixo da mídia propagandista vermelha:

    www.brasil247.com/blog/a-resposta-da-china-ao-virus-foi-de-tirar-o-folego

  • robson santos  31/03/2020 15:58
    e olha a canalhice da Globo:
    g1.globo.com/politica/noticia/2020/03/31/bolsonaro-cita-discurso-de-diretor-da-oms-e-omite-trecho-sobre-assistencia-as-pessoas-que-ficaram-sem-renda.ghtml

    Uma tradução tendenciosa, e não abriram espaço dos comentários!

    Passo a palavra de um dos youtubers nos comentários:

    "A traducao foi um lixo principalmente quando o presidente fala e passa a ter contornos extranhos : Por exemplo: 1-quando ele diz que as medidas de distanciamento adotadas por alguns paises (Can buy time =pode comprar tempo) significando UMA SITUACAO QUE ESTA SENDO ADIADA e nao (depende do tempo) como foi traduzido, o que da outro sentido para quem ouve e a expressao e simples principalmente para um jornalista. 2. Alguns paises (Have a strong social welfare) o que significa que esses paises tem uma forte estrutura de apoio social por exemplo igual aqui no Reino Unido enquanto outros nao tem para manterem as pessoas em casa, MAS NAO sigifica como na traducao (que foram tomadas acoes mais fortes e alguns paises nao) ISSO NAO FOI DITO NESSA FRASE (SE A TRADUCAO FOSSE FIEL AS PESSOAS ENTENDERIAM QUE NAO DA PRA COMPARAR A ALEMANHA< INGLATERRA PEDINDO PARA AS PESSOAS FICAREM EM CASA COM OS PAISES DA AFRICA OU DA AMERICA DO SUL POR EXEMPLO). 3. Logo em seguida ele diz que vem da Africa de uma familia pobre e que as pessoas TEM que trabalhar todos os dias para ganhar o pao de cada dia. E QUE OS GOVERNOS DEVEM LEVAR ISSO EM CONTA (E NAO DEVEM TOMAR CONTA DESSA POPULACAO) como foi traduzido novamente passando a impressao que o governo tem que sustentar as pessoas. Olha daria para pontuar muito mais situacoes onde a traducao deu outro significado ao que estava sendo realmente dito, porque sim isso e dar outro significado. AGORA NAO ESTOU DIZENDO QUE E MA FE, mas principalmente pelo interlocutor nao se expressar como um nativo e usando frases comuns para um jornalista deixa muito a desejar."
  • Nivaldo  31/03/2020 08:29
    Estamos em pleno exercício de loucura política traduzida na engenharia política. Devia-se proteger os grupos de risco até que os sãos tivessem adquirido anticorpos. Optou-se pelo impossível em cidades grandes: o isolamento. É desalentador, é devastador, é suicida.

    Numa guerra o Estado manda sua gente para a morte certa para salvar a Nação. Aqui vemos que condena-se os muitos à morte certa por inanição por puro capricho e engenharia política. O tal isolamento horizontal é suicídio coletivo. É preciso acabar com isso imediatamente.

    Não se pode minimizar a pandemia do coronavírus. Ela, todavia, vai gerar consequências menos graves do do que a terapêutica de confinamento, que destrói a economia e o meio de vida dos mais pobres. Estão dando ao Estado poder econômico só visto em tempos de guerra.
  • Marcos Roberto  31/03/2020 12:31
    Ontem ou domingo saiu uma reportagem em que, em uma cidade do interior, a prefeitura roubou os aparelhos respiratórios de um hospital particular recém inaugurado. Muito triste isso, ainda mais vendo a dona do hospital chorando por causa disso.
  • Lucas BS  31/03/2020 14:25
    Vão me perdoando por sequestrar o tópico, mas venho encarecidamente pedir ao Leandro ou alguém pra traduzir esse artigo do Rothbard:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=72

    - Mas já ta em português, animal !

    Não pra mim...

    O artigo é completíssimo, mas subentende que o leitor já seja mestre em causa-efeito, o que define juro, o que define câmbio, como um mexe no outro, o que acontece com isso se o governo fizer aquilo...

    Não achei artigo no mises explicando com detalhe cada uma dessas variáveis e o que conecta uma com a outra...
  • anônimo  31/03/2020 22:09
    Leia esses:
    www.mises.org.br/article/2971/a-melhor-ferramenta-para-se-prever-uma-recessao-nos-eua-a-inversao-da-curva-de-juros


    www.mises.org.br/article/1696/como-ocorreu-a-crise-financeira-americana

    www.mises.org.br/article/2585/afinal-o-fed-ira-elevar-os-juros-sua-decisao-refletira-sua-posicao-em-relacao-a-trump

    www.mises.org.br/article/1707/na-politica-monetaria-dos-eua-as-relacoes-de-causa-e-efeito-deixaram-de-ser-previsiveis

    Mastigadinhos.
  • Osmar  31/03/2020 14:29
    A OMS, que de boba não tem nada, já percebeu que essa imbecilidade de confinamento total (isolamento horizontal) vai dar uma merda grande. Consequentemente, já tirou o dela da reta e falou pra os países reconsiderarem essa insanidade. Agora, só irão continuar seguindo essa cretinice apenas os muito ricos (que podem se dar a esse luxo) e os deslumbrados bananistas que acham o máximo seguir ordens organizações supranacionais.


  • anônimo  31/03/2020 19:02
    A OMS muda de opinião a cada momento. MAS pelo menos tenta se retratar da cagadas passadas ou eventuais, muito diferente dos "especialistas" brasileiros.
  • Dalton Catunda Rocha  31/03/2020 15:44
    "O Brasil tem sido criticado pela mídia e políticos, todos "especialistas" em infectologia, sobre sua estratégia de combate ao coronavírus, mas os números não lhes dão razão. Países como Holanda, Turquia, Áustria, Portugal, Noruega e Suíça, sede da OMS, confirmaram o primeiro caso na mesma época do Brasil, mas têm mais ocorrências, apesar de bem menores, juntos ou isoladamente. Somados, são 58.970 casos em 134,4 milhões de pessoas. Aqui, são 4.579 em 212,2 milhões de brasileiros." > diariodopoder.com.br/numeros-confirmam-que-brasil-enfrenta-o-coronavirus-melhor-que-europeus/
  • Walmir  31/03/2020 18:03
    Enquanto isso...

    "A indústria de farinha de trigo, produto básico da cadeia alimentar, alerta para dificuldade de abastecimento. [...]

    Segundo comunicado da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo), "diante da descoordenação entre ações federais, estaduais e municipais, o fornecimento normal das farinhas está sendo prejudicado em alguns Estados pela dificuldade de liberação do fluxo das mercadorias, ameaçando o desabastecimento em algumas regiões".

    De acordo com a entidade, em alguns Estados, de 30% a 35% do volume de farinha não estão sendo entregues por causa do fechamento de fronteiras estaduais e da falta de serviços básicos de apoio nas estradas aos caminhoneiros, como alimentação e borracharia, por exemplo."


    economia.estadao.com.br/noticias/geral,queda-de-braco-entre-supermercados-e-industrias-suspende-compra-de-leite-em-caixinha,70003254490.amp
  • Bernardo  31/03/2020 18:41
    Uma senhora foi se manifestar verbalmente contra o confinamento. Foi algemada e agredida pela polícia.

    Quem acha que isso é normal não está entendendo nada do que se passa no país. A escalada autoritária, ao contrário do que muitos imaginavam, vem dos governos estaduais.

    mobile.twitter.com/Eliel_J_Souza/status/1245053213201530885
  • Mauricio  01/04/2020 02:39
    Eu apoio Bolsonaro mas só cego que não quer enxergar,ele é um fraco e está demonstrando isso.Os governadores,junto com o poder judicial,tornaram o Brasil uma ditadura.Como isso pode ter acontecido tão rápido e sem reação
    alguma da população e do presidente? Consequências graves virão.
    Mas nem para mandar o advogado geral da união apresentar notícia-crime na PGR contra os governadores e comandantes de policias militares estaduais, inclusive violando artigos da lei de abuso de autoridade, Bolsonaro faz,nem isso ele faz.Entao imagina o presidente declarar um estado de exceção,o Brasil acaba totalmente,tudo destruído e nem assim Bolsonaro vai agir.
    Recomendo esse vídeo ,entrevista onde participa o Osmar Terra e também um grande empresário Júnior Durski.Acompanhem a partir do minuto 47.A entrevista foi
    dia 26 de março.
    O empresário diz que as micro,pequenas e médias empresas não aguentam 3 semanas paradas.Ja estamos entrando na terceira semana.Ele explica em detalhes como funciona gente,vão quebrar milhares de empresas,serão dezenas de milhões de desempregados e Bolsonaro não faz absolutamente nada.Ou seja ,os prefeitos e governadores têm mais poderes que o presidente.
    Seria patético se não fosse trágico.
    m.youtube.com/watch?v=6U7vKv6WXUQ
  • Drink coke  31/03/2020 19:35
    O país que melhor controlou o Coronavirus no mundo todo é Taiwan, um país do lado da China e repleto de turistas Chineses, simplesmente só tinha 2 mortes e 256 contaminados até a quinta-feira passada.

    E o mais incrivel, Taiwan não precisou de nenhum lockdown, sua economia e ruas estão funcionando normalmente.
  • Felipe L.  01/04/2020 01:51
    Acho que a explicação está neste artigo:

    "Why Taiwan Hasn't Shut Down Its Economy"

    Parece um tema bom para eu colocar no meu blog. Agora não sei se vai ter audiência...
  • Mauricio  01/04/2020 02:38
    Pelo que eu li outros países não adotaram quarentenas rígidas,além de Taiwan tem Israel,república Tcheca, Suécia, Japão , Holanda e acho que Coréia do Sul.
  • Judeu  02/04/2020 14:29
    Ao invés de seguir o exemplo de países asiáticos que estão acostumados com situações assim, ocidentais preferiram seguir recomendações de pesquisadores engomadinhos que nunca vivenciaram nada próximo.

    Nem botaram a mãozinha na consciência pra buscar alguma outra solução, só engoliram a primeira merda forçada por uma mídia desesperada.
    A parte boa é que apontar o dedo pros idiotas culpados vai ser muito fácil. Vai ser completamente diferente das crises mundiais anteriores.

    Lembrem-se: as comparações com países que NÃO adotaram lockdown serão inevitáveis. Por isso o desespero dos catastrofistas em forçar na mídia que todos os países estão adotando lockdown.

    Aconselho ao MISES em ficar de olho nos dados desses países. Porque logo que a economia colapsar, os culpados irão alegar que salvaram Bilhões de morrerem.
  • Dilmo  31/03/2020 20:48
    Prefeitura rouba respiradores de hospital particular e entrega para hospital público que não tem ninguém qualificado para manusear os equipamentos:

    g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2020/03/30/provedor-diz-que-santa-casa-nao-tem-equipes-para-operar-respiradores-retirados-de-hospital-particular-impensado.ghtml

    As maravilhas do planejamento centralizado socialista defendido por gente que não possui capacidade de administrar nem carrinho de pipoca.
  • anônimo  02/04/2020 04:36
    Facinho de tomar. Depois desaparece, tudo orquestrado. Na hora de indenizar , vai levar anos.
  • Padre  01/04/2020 00:51
    Esse episódio serviu para mostrar como não existe nenhum relevante que seja contrário ao establishment, todos abaixam a cabeça para o que os "especialistas" ligados à ONU ditam. E isso já estava acontecendo com uma série de leis socialistas que são aprovadas todos os anos na maioria dos países.

    Está na hora de organizarmos exércitos privados para tomar algum país e implantar o ancapistão. Esse evento foi um aviso importante, não terá outro. A ONU mostrou que é perfeitamente capaz de implementar o comunismo mundial sem o menor esforço.
  • TIAGO DONISETE MARIANO  01/04/2020 04:45
    Parece que o governador do RJ está querendo fazer até tabelamento de preços ,olha o nivel em que chegamos,então Parafraseando o ancap.su "se eu quisesse votar em comunista tinha votado no freixo"
  • Milton Friedman Cover's  01/04/2020 06:11
    Bom dia.

    Cuidado com o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom! Ele é etíope, país pobre sem tradição em combate a endemias, foi Ministro da Saúde da Etiópia, com sérias acusações de desvio de verbas, tem Phd em "saúde comunitária", e é membro ativo do TPLF, Tigray People's Liberation Front, partido marxista-leninista da Etiópia! E pertence a uma ala radical do partido.

    Tedros sucedeu a então diretora geral, chinesa! Ele recebeu apoio dos chineses para ser eleito. Disputou com um paquistanês, um britânico e ganhou o cargo mais importante da OMS.

    Tem muitas fotos com ele e políticos chineses na net. Em janeiro de 2020, Tedros disse que a epidemia do Covid-19 estava controlada na China. Em março, dois meses depois, Tedros avisou que era uma pandemia e que seria necessário confinamento horizontal da sociedade.

    Tedros comunista, China comunista, de onde veio o Covid-19. Tudo muito estranho.

    Abraços.
  • Felipe L.  01/04/2020 13:15
    Leandro, você acha que o Brasil pode voltar a ter aquela taxa de desemprego relativamente baixa, de aproximados 6%, ou aquilo foi um fenômeno inédito, quando a economia estava no pico da expansão por um ciclo econômico, ainda com demografia favorável e os salários do setor privado ficaram estagnados? Parece uma pergunta estúpida, mas no mínimo nos dá alguma imaginação (pelo menos em mim dá). Acho meio difícil pois agora, além de não estarmos em nenhum ponto de expansão econômica

    Esses pacotes que estão sendo feitos nos EUA me lembraram muito o que foi feito no país perto da crise de 2008. A economia americana só se recuperou depois da entrada do Jack Lew, que passou a discursar em prol de uma moeda forte, e com o travamento do Congresso, que não passou as leis malucas do Obama? Será que isso irá ocorrer de novo após a reeleição do Trump?
  • Leandro  01/04/2020 15:10
    "você acha que o Brasil pode voltar a ter aquela taxa de desemprego relativamente baixa, de aproximados 6%, ou aquilo foi um fenômeno inédito, quando a economia estava no pico da expansão por um ciclo econômico, ainda com demografia favorável e os salários do setor privado ficaram estagnados?"

    Essa taxa de 6% foi alcançada apenas em um mês, dezembro, que sempre apresenta as menores taxas do ano. Desde que o IBGE reformulou sua metodologia, a menor média foi de 7%, e, exatamente como você disse, ocorreu no ápice da expansão fiscal e do crédito. Era, obviamente, algo insustentável, como acabou sendo revelado em seguida.

    d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/brazil-unemployment-rate.png?s=bzuetotn&v=202003311248V20191105&d1=19200426

    É crucial também enfatizar que boa parte desses empregos estavam ligados ao setor público, seja diretamente via concursos, seja indiretamente via obras de empreiteiras (que sobrevivem quase que exclusivamente de dinheiro de impostos).

    "Acho meio difícil pois agora, além de não estarmos em nenhum ponto de expansão econômica"

    Agora já era. Com toda essa destruição econômica que está sendo artificialmente imposta por políticos, e a qual irá dizimar o capital das empresas, qualquer taxa de desemprego abaixo de 15% (ou até mesmo 20%) será pleno emprego.

    "A economia americana só se recuperou depois da entrada do Jack Lew, que passou a discursar em prol de uma moeda forte, e com o travamento do Congresso, que não passou as leis malucas do Obama?"

    Correto.

    "Será que isso irá ocorrer de novo após a reeleição do Trump?"

    Por enquanto, é imaterial, pois o dólar segue extremamente forte. É só não fazerem muita besteira por lá, que tudo volta em menos de dois anos. (A moeda forte garantirá custos baixos de produção, algo crucial para qualquer recuperação das finanças das empresas).
  • Felipe L.  01/04/2020 16:40
    Desculpe, eu esqueci algum pedaço, eu ia falar que agora o Brasil além de não estar em grande expansão econômica (o crescimento no ano passado foi UMA PORCARIA, perdemos para países como Bolívia), o bônus demográfico também havia acabado e a moeda não está nada valorizada. Quando estava começando a se valorizar em julho, veio o Paulo Guedes, baixou a SELIC e começou a estragar tudo.

    Na verdade essas próprias quarentenas impostas pelos governos e prefeituras de maneira despótica estão sendo piores do que a própria recessão que viria. Uma hora eles vão parar, porque nem eles nem os burocratas fazem fotossíntese. Mas já vai ter estrago, de qualquer jeito. Uma economia não deveria sofrer tanto assim por causa de um vírus, isso prova de que políticos e burocratas não sabem fazer nada direito (e que você saber sobre um vírus de RNA de fita simples não te faz um economista). Nem uma rua que preste sabem, imagine agora modelar toda uma economia. Infelizmente eu fui otimista demais, quando publiquei o meu artigo sobre o desempenho do Brasil no começo desse ano.

    Economias relativamente livres como Cingapura, Hong Kong, Taiwan e Suécia irão se recuperar da pandemia. Isso não é um grande problema para eles. Taiwan é inédito pois lá praticamente não está existindo essas restrições que contaminaram todo o mundo, e sem uma explosão de casos do vírus. Imagine só, Cingapura com uma taxa de poupança altíssima (mais de 50% do PIB, enquanto o Brasil fica abaixo de 20%), eles vão passar por isso com bem menos dor do que em outras partes do mundo.

    Pode ser mais difícil para países como os EUA, pois esses "estímulos fiscais" sempre prolongam recessões. Isso já foi feito lá por volta de 2008.

    Problema é em países como o Brasil, onde o mercado de trabalho é tão regulado que os empregadores parecem que são obrigados a te contratar (chamar esse programa Verde e Amarelo de reforma é uma ofensa, é muito mixuruca e ainda é temporário, além de pegar somente uma faixa etária), a economia agoniza desde meados de 2015 com uma recuperação medíocre, a moeda é uma porcaria (e ainda com ajuda do Ciro Guedes), sem segurança jurídica e patrimonial, instabilidade política (agora está menos, mas é só ver o que o STF tem feito) e um monte de coitado que agora está tendo que demitir, provavelmente muitos deles abriram o seu negócio se endividando anos atrás.

    O maldito "deep state" que só atrapalha o desenvolvimento, com parasitismo, corporativismo e autoritarismo. O que fazer com isso?

    Agora o governo está dando essas esmolas e buscando essas políticas keynesianas, mas cadê as reformas? Muito triste. Esse país eu acho que vai permanecer na mediocridade. Não vai virar uma Venezuela, mas não terá o padrão de vida nem de um país como Portugal.

    Que eu possa voltar a sair do país quando puder.
  • anônimo  01/04/2020 21:58
    A segunda pior nota do Brasil no indice de.liberdade economica, é a da integridade das intituicoes, ela é tao ruim no brasil , que essas reformas aqui so saem a conta gotas.
    E na base do conchavo. Reformas que sairiam em meses, aqui saem em anos. A reformecca da previdencia vai ter que ser refeita em dois anos, de tao fraca.
  • TIAGO DONISETE MARIANO  01/04/2020 19:09
    Parece que o governador do RJ está querendo fazer até tabelamento de preços ,olha o nivel em que chegamos,então Parafraseando o ancap.su "se eu quisesse votar em comunista tinha votado no freixo"
  • Bob Axelrod  01/04/2020 20:52
    Voces choram muito!
    Trader que é trader ganha na alta e ganha baixa. Volatilidade é vida!
    comprado em Ouro e mini dolar e vendido em bova! Só na alavancagem.
  • Sadib  06/04/2020 17:41
    Amigo, boa sorte. Eu não tenho apetite para trade de curto prazo. A longo prazo agora temos um excelente oportunidade para compra, mas acertar o timing exato nesses dias que vemos essa volatilidade maluca de +10% em um dia, e circuit breaker no outro, não é para os fracos.
  • Átila  02/04/2020 01:22
    Os burocratas e parasitas perderam completamente a vergonha e escancararam o autoritarismo. Agora, distribuir alimentos dá cadeia.

    Empresário que distribuía cestas básicas é preso em Paraty

    Um empresário que distribuía cestas básicas em Paraty (RJ) foi preso nesta terça por infringir medida sanitária, informou o jornal Extra.

    Um decreto da prefeitura do município proibiu aglomerações para evitar o contágio pelo novo coronavírus. A doação juntou cerca de 200 pessoas no centro da cidade.

    www.oantagonista.com/brasil/empresario-que-distribuia-cestas-basicas-e-preso-em-paraty
  • Yuri Vianna  02/04/2020 05:21
    Leandro,

    E quanto as perspectivas de inflação: vc acredita que haverá uma disparada na inflação brasileira nos próximos meses?

    Previsão:
    "Somados o déficit fiscal e a linha de crédito subsidiada (cuja contrapartida, não esqueçamos, é aumento da dívida do governo), a dívida bruta saltaria de R$ 5,5 trilhões (75,8% do PIB) no final do ano passado para R$ 6,2 trilhões (86,7% do PIB) em 2020."

    Esse deficit público seria financiado pelo setor bancário, correto? Deficits financiados pelo setor bancário são inflacionários, correto?

    Se ocorrer, essa alta seria mais pelo choque de oferta ou pelo aumento do deficit público?

    Nesse cenário o que seria melhor: ouro, fundos cambiais ou Tesouro IPCA ?
  • Leandro  02/04/2020 16:05
    "E quanto as perspectivas de inflação: vc acredita que haverá uma disparada na inflação brasileira nos próximos meses?"

    Nos próximos meses? Não. Com mais de 25% de desempregados, com o restante com a renda em queda (os que ainda trabalham terão redução salarial), com os preços das commodities em baixa, e com a gasolina em queda, não haverá inflação de preços.

    Pode haver algum aumento de preços pontual em itens alimentícios, como leite, arroz, feijão e outros grãos. Mas inflação generalizada não.

    "Esse deficit público seria financiado pelo setor bancário, correto?"

    Não necessariamente. Fundos de investimento, estrangeiros, fundos previdenciários e até mesmo pessoas físicas podem financiar. Atualmente, menos de 25% da dívida pública está em posse dos bancos.

    "Se ocorrer, essa alta seria mais pelo choque de oferta ou pelo aumento do deficit público?"

    Nem um nem outro. O choque de oferta gerou também um choque na demanda (sem trabalhar, produzir e ofertar, ninguém tem renda; sem renda, não há demanda; Lei de Say básica) e a relação entre déficit público e inflação não é direta.

    Eis as duas variáveis em que você deve ficar de olho: preços das commodities em reais e oferta monetária.

    Eis a evolução dos preços das commodities em reais:

    ibb.co/ZcHwRdJ

    Os preços estão lá embaixo.

    É por isso que o Banco Central não está nem aí para o dólar. O dólar alto afetará gravemente os custos de produção das empresas, mas não a inflação de preços aos consumidores. E como o mandato do Banco Central está voltado exclusivamente para a inflação de preços aos consumidores, e não para os custos de produção das empresas, ele não está nem aí.

    Enquanto os preços das commodities estiverem lá em baixo, não haverá nenhuma preocupação em relação à taxa de câmbio.

    "Nesse cenário o que seria melhor: ouro, fundos cambiais ou Tesouro IPCA ?"

    Falo apenas por mim, e isso não é dica de investimento: ouro (mas você já devia ter entrado há muito tempo) e Tesouro IPCA (mas apenas para aposentadoria)
  • Felipe L.  02/04/2020 16:34
    Leandro, o que poderia fazer as commodities voltarem a ficar caras em real? Haveria algum outro causador além de um dólar fraco?
  • Leandro  02/04/2020 17:27
    Dólar fraco e explosão na demanda mundial, principalmente da China.

    Ou então, uma súbita e inesperada praga em todas as plantações e colheitas, em simultâneo ao bombardeio de todas as plataformas de petróleo e de todas as minas, bem como o extermínio de todo o rebanho.

    Por ora, nada disso está no radar.
  • YURI  02/04/2020 16:56
    Como sempre, muito esclarecedor.

    Muito grato pela atenção
  • anônimo  03/04/2020 08:30
    Se o gov soltar tresmilzao na mao do trabalhador parado por tres meses, isso nao injetaria dinheiro na economia e com a producao parada, nao geraria inflacao, pois aumentaria a demanda?
  • Túlio  03/04/2020 15:50
    De onde estará vindo o dinheiro? Sem uma resposta clara e conclusiva quanto a isso, não há como fazer quaisquer considerações adicionais.
  • Artista Estatizado  02/04/2020 09:49
    www.google.com/amp/s/noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2020/04/01/italia-numero-de-mortes-coronavirus.amp.htm

    A notícia afirma que morreram por volta de 800 pessoas por dia por corona nesses últimos dias, e que esse valor seria o pico da doença.

    Alguém sabe qual foi o número total (por qualquer razão) de mortes médio na Itália durante esse período? Se continuou na faixa dos 1800, que foi a média diária durante o ano passado, isso significa que não houve praticamente nenhuma morte incremental na Itália por causa do corona. Ou seja, essas pessoas já morreriam de qualquer forma por causas naturais
  • Nothing Forest  02/04/2020 16:57
    Sim: omelhordos.blogueirosdobrasil.com/a-grande-farsa-mundial-do-covid-19-nao-estao-ocorrendo-mais-mortes-por-causa-do-coronavirus/

    Se o número de mortes anuais média não aumentar nem 10%, significa que destruíram a economia mundial por uma doença que mataria apenas os velhos doentes que morreriam nos próximos 3 anos, no máximo.
  • anônimo  03/04/2020 22:10
    Enquanto as pessoas tiverem essa mentalidade que podem ser sustentadas pelo estado, elas buscarão oportunizar qualquer coisa pra fazê-lo. Sorte que essa quarentena não é uma epidemia destrutiva. Vai durar nem um mês. Porque se fosse o estado não teria dinheiro pra pagar os policiais pra impedirem os saques, com a destruição da economia. Numa epidemia mortífera de verdade, o primeiro a quebrar é o estado. O que sobrar, o novo estado, é resultado da organização dos sobreviventes.
  • Agnaldo  03/04/2020 00:57
    Agora, a censura se tornou oficial. Passou a ser simplesmente proibido sequer questionar a eficácia das quarentenas.

    Notícia de hoje:

    O Twitter apagou sete postagens do pastor evangélico Silas Malafaia nesta quinta-feira (2), registra o Painel da Folha.

    Nos tuítes, Malafaia colocava em questão a eficácia das quarentenas no combate ao novo coronavírus no Brasil e apoiava as críticas de Jair Bolsonaro às medidas restritivas impostas pelos governadores.

    A rede social, que já havia apagado postagens de Jair e Eduardo Bolsonaro, divulgou a seguinte nota sobre o caso:

    "O Twitter anunciou recentemente em todo o mundo a expansão de suas regras para abranger conteúdos que forem eventualmente contra informações de saúde pública orientadas por fontes oficiais e possam colocar as pessoas em maior risco de transmitir Covid-19".

    www.oantagonista.com/brasil/twitter-apaga-mensagens-de-silas-malafaia/


    Entenderam? Agora é proibido até mesmo questionar as sumidades e os tecnocratas que estão acabando com as economias mundiais ao proibirem todo mundo produzir (o governador do Rio, Adolf Witzel, já avisou que vai mandar prender todo mundo que estiver andando na rua). Todo mundo agora tem de abaixar a cabeça e dizer amém para "as fontes oficiais".
  • Rafael  03/04/2020 01:15
    Não sei se perceberam, mas estamos vivendo um arranjo extremamente semelhante ao comunismo:

    1) Fronteiras fechadas

    2) Pessoas proibidas de fazerem trabalho produtivo

    3) Maioria da população sem renda

    4)Governo controlando a distribuição de ração (cesta básica)

    5) A elite midiática/artística/política postando vídeos de vinhos, queijos e serviçais ao seu dispor

    6) Proibição de qualquer crítica ao estamento tecnocrático
  • G. Fiúza  03/04/2020 01:23
    A mídia noticiou que já está faltando gás em São Paulo. Estranho. Os humanistas digitais garantiram que tudo ficaria bem: bastaria todo mundo ficar parado.
  • carlos83  03/04/2020 12:14
    A liberdade de expressão acabou. Chegamos ao ponto em que "redes sociais" dizem como um país deve ser conduzido:

    agenciabrasil.ebc.com.br/justica/noticia/2020-03/ministro-do-stf-proibe-campanhas-contra-isolamento-da-covid-19

    Ademais, é proibido criticar a OMS. Eles sabem tudo. Sabem tanto que simplesmente não recomendaram contra um vírus que atinge o trato respiratório um acessório que protege... o trato respiratório!

    Quantas infecções não foram causadas pelo falta do uso de máscaras?
    Algum pedido de desculpas ou indenização vai rolar?
    A mídia alarmista não comenta e reconhece essa contradição?





  • Aristóteles  03/04/2020 16:01
    Não só não recomendaram as máscaras, como falaram abertamente que não era pra usar. Agora, deram um cavalo-de-pau e estão querendo obrigar todo mundo que saia de casa a usá-las.

    E são os conselhos desses gênios que os políticos estão seguindo bovinamente, e passando leis proibindo qualquer questionamento. Quem ainda não entendeu o que está acontecendo nunca mais entenderá nada do mundo.
  • anônimo  06/04/2020 07:18
    Que situação bizarra estamos vivendo, é como um socialismo mundial.
  • Dane-se o estado  03/04/2020 05:27
    A OMS parabeniza a China... O que você esperaria de redes sociais esquerdistas como twitter.
  • Leigo  03/04/2020 11:41
    Uma dúvida:

    O ministro Mandeta relatou que poderá ocorrer desabastecimento e escassez de medicamentos devido a quarentena da Índia.

    Nesse cenário, estão revivendo os discurso da importância do desenvolvimento da indústria nacional de medicamentos, para reduzir essa dependência e evitar problemas como esse.

    O que pensam sobre isso?
  • Caio  03/04/2020 15:54
    Para ser ter uma forte indústria farmacêutica no Brasil, as seguintes coisas são necessárias:

    1) Cérebros altamente capacitados

    2) Bens de capital de última geração (o que exige importações maciças e, é claro, moeda forte)

    3) Incentivos fiscais (ou seja, o governo não pode tributar as farmacêuticas).

    Quando estes três itens estiverem em prática, aí sim dá pra começar a discutir esta "substituição de importações". Por ora, é muito mais prático importar da Índia. Porém, se o governo de lá enlouqueceu e mandou fechar tudo, então, obviamente, estamos diante de uma falha de estado, e não de uma falha de mercado. Defensores do estado devem explicações.
  • anônimo  06/04/2020 22:33
    Deixar os empreendimentos farmacêuticos livres. Livre contratação de pessoal. Contrato livre pra pesquisadores. Cortar burocracia pra investimentos médicos. Cortar taxas de importação pra equipamentos científicos. E corte de impostos pra quem fabrica no Brasil, mas sem protecionismo. Universidade ligadas aos desenvolvedores. Nada de burocracia que impeça os desenvolvedores de investir em aulas e capacitações cientificas aos seus funcionários, nem burocracias que falam que só os cursos oficiais servem.

    Privatização de universidades. Cursos voltados ao que o mercado precisa e não cursos voltados e escolhidos pelo burocrata que quer oferecer curso superior genérico e depois vir com políticas que obrigam contratações. Se o mercado quer um profissional, é obvio que se ele tiver a capacitação, vai ser contratado.

    O desenvolvedor de um produto tem que ser protegido por patente, para ele explorar sua criação e recuperar o dinheiro investido. Caso contrario os investimentos para pesquisa mixam.

    Pesquisar é uma atividade econômica importante como todas as outras. São produtos fabricados que tem que ser vendidos depois. Então funciona como qualquer atividade econômica. É necessário investir, juntar, comprar material, melhorar o processo de como é fabricar e no fim vender. Recupera-se o dinheiro e se investe na melhoria pro futuro e vendas futuras. Senão estagna.
  • anônimo  03/04/2020 22:26
    Sobre Bolsonaro e a sua entrevista:

    Fez muita palhaçada? Fez. Perdeu grandes oportunidades? Perdeu. É um boçal? Digamos que sim. Mas o cara está sendo sensato. Na posição dele, e com as circunstâncias de hoje, não precisaria ficar se preocupando com desemprego e um aumento brutal da dívida pública. Era só aderir ao establishment, ao politicamente correto e deixar rolar... Só lavar as mãos e tirar o dele da reta.

    O cara tem culhão. Nem Trump bancou essa. Acho que é a última grande liderança mundial a não concordar totalmente com as medidas que estão sendo tomadas. Estou com ele nessa. Não vou deixar o cara sozinho.
  • Gabriel  03/04/2020 22:51
    Confesso que a postura dele me surpreendeu. E deve ter surpreendido até a oposição. Segundo seus detratores, ele é um autoritário que não perderia a oportunidade para instalar uma ditadura no país.

    Mas aí eu pergunto: esse não seria o momento perfeito para avançar nas instituições? É só sair pela mídia falando que é para combater o coronavírus instalar o estado de sítio e mandar ver. Como você disse, era só aderir ao movimento que os governadores e prefeitos já se encarregaram de começar (com o apoio maciço da mídia).

    Mas não. Estamos vendo o cara pedindo para acabar com a quarentena e voltar a normalidade, algo que está deixando até oposição de boca aberta.

    Já os governadores são o exato oposto.
  • Raimundo  03/04/2020 22:30
  • Vitoria  03/04/2020 22:38
    Eu fui hoje pro posto que fica do lado do meu apartamento, mas chegando na esquina eu corri e voltei - porque os flanelinhas que ficam na avenida (é uma das principais de Fortaleza) agora estão ameaçando e assediando todo mundo que passa, pedindo dinheiro.

    Eu tô real presa dentro de casa, pedindo tudo por Rappi ou ligando pra mercadinho de rua. E não é por causa do coronavírus, é por medo de assalto mesmo.

    Tá MUITO perigoso aqui.
  • Rodrigo  03/04/2020 22:45
    A Praça da Sé está um caos também... os crackeiros foram pra lá e dominaram tudo. Andam em bandos de 10 ou 15... estão assaltando as lojas fechadas, roubando pedestres, todo dia tem confronto com a polícia, bomba de gás, pedras, etc...
  • anônimo  04/04/2020 01:21
    Sim . É previsto que em quatentenas tem saques. A policia fica atarefada controlando o cidadao, o estado tem menos recursos pra fazer segurança... Isto porque não e uma grande epidemia de fato. Se fosse o estado ia pra lona, nao se pagaria as polícias.
    E nessa regressão, as pessoas iriam comecar a se descivilizar se. O direito a segurança privafa faz falta.
  • YURI VIANNA  04/04/2020 03:41
    LA CASA DE PAPEL

    EPISÓDIO 4 - 4 TEMPORADA

    O assaltante se disfarça de economista e marca uma reunião com o presidente do banco da Espanha

    No diálogo o assaltante diz:

    - Os relatórios da situação atual não são nada bons. Aumento da dívida pública da Espanha
    Recomendamos medidas anti inflacionárias. E o mais importante: aumente suas posições em ouro. Esse é o único ativo que irá se valorizar.

    - A crise de 2008 será risível perto da atual.

    - Aposte no lado vencedor: o ouro
  • YURI   05/04/2020 14:44
    Leandro,

    Pelo que entendo, se o dólar se enfraquecesse a nível mundial (como na época do governo Bush) seria excelente para o Brasil, ok? (Importações mais baratas e todas bençãos disso).

    Mas, pelo que você explicou em outro comentário: nosso IPCA está baixo porque o IGP-M está baixo. E o IGP-M está baixo porque preço das matérias primas (commodities) estão mundialmente baixos.

    Sendo assim: ao mesmo tem que dólar mais fraco seria positivo, ele geraria um aumento no preço das commodities (matérias-primas) que iria gerar um aumento na nossa inflação?
  • Leandro  05/04/2020 15:15
    "se o dólar se enfraquecesse a nível mundial (como na época do governo Bush) seria excelente para o Brasil, ok? (Importações mais baratas e todas bençãos disso)."

    Não necessariamente. Se o dólar se enfraquecesse, as commodities encareceriam. Até poderíamos importar alguns eletrônicos mais baratos (eletrônico sempre cai de preço), mas os preços dos alimentos, dos combustíveis e dos metais industriais, por exemplo, seriam bem maiores.

    Este é o tradeoff.

    E é exatamente por isso que temos de buscar uma moeda forte independentemente do dólar. O real se valorizar exclusivamente porque o dólar se enfraqueceu seria o famoso exemplo da vitória de Pirro.

    "Mas, pelo que você explicou em outro comentário: nosso IPCA está baixo porque o IGP-M está baixo. E o IGP-M está baixo porque preço das matérias primas (commodities) estão mundialmente baixos."

    Correto.

    "Sendo assim: ao mesmo tem que dólar mais fraco seria positivo, ele geraria um aumento no preço das commodities (matérias-primas) que iria gerar um aumento na nossa inflação?"

    De novo: dólar fraco não é necessariamente positivo, como explicado acima. O que é positivo é termos uma moeda forte, independentemente de quão forte esteja o dólar.

    Apenas um dólar fraco geraria todos os problemas acima. O ideal é nos preocuparmos exclusivamente com nossa moeda, sem ficar torcendo para um enfraquecimento do dólar (algo que não traria grandes benefícios para o mundo, exceto que, talvez, seria um pouco mais barato comprar iPads e Smartphones).

    No período 2005-2010, não só o dólar estava fraco, como também o real estava forte (nossa Selic, afinal, estava continuamente acima dos 10%). Mas tal arranjo durou pouco.

    No momento, o dólar está extremamente forte ao redor do mundo (vide o índice DXY e os preços das commodities em dólar) e o real, por incrível que pareça, já esteve pior (quando se olha os preços das commodities em reais). Não é à toa que, por exemplo, o preço da gasolina caiu (não há queda de preços em moedas realmente fracas) e várias pessoas oferecem descontos (de salário, inclusive) para conseguir moeda. No momento, ao redor do mundo, as pessoas estão se desfazendo de ativos e buscando liquidez. É isso o que a incerteza gera: busca por liquidez. Quanto maior a incerteza, mais as pessoas se desfazem de ativos e buscam moeda. Isso gera fortalecimento da moeda. O dólar foi, disparado, o mais beneficiado. Todo o mundo, literalmente, correu para ele. Sua apreciação foi pornográfica. Mas o real também ganhou com isso (embora, é óbvio, muito menos que o dólar). Vide os preços das commodities em reais.
  • Felipe L.  05/04/2020 22:03
    O IGP-M foi bem alto. Por exemplo, em janeiro desse ano, ficou praticamente em 8%. Claro, em janeiro de 2017 foi pouco menor, mas meses depois houve deflação de preços nesse índice. É alto para uma economia que está praticamente estagnada.

    Pena não existir uma métrica para medir o "índice do Real", como existe para o dólar americano (o Ulrich já chegou a dizer que iria mostrar esses dados atualizados, mas ainda estou esperando).

    Não sei se você disse isso, mas eu havia lido aqui, em algum comentário, de que o real não estava forte no governo Lula, mas era o dólar que estava fraco. Acho que isso faria pouco sentido pois, se apenas o dólar estivesse fraco, essas commodities iriam interferir nos preços no Brasil e o governo do PT não duraria nem um mandato direito. Poderíamos afirmar que foi até 2010 que o real se manteve forte e, apesar de ele ter seguido em desvalorização, isso só foi dar problema anos depois, quando o dólar voltou a se fortalecer mundialmente? Mesmo porque a expansão de crédito havia começado no primeiro governo Lula, mas ela demorou para dar problemas pois o câmbio estava favorável até um certo tempo. Isso teria sido sustentado sem os ortodoxos? Seria o preço da onça do ouro o melhor mensurador da força do real? Peguei agora mesmo o preço histórico da commodity, desde 2000. Acho até um bom mensurador, mas note que ele vai sempre subindo, principalmente porque hoje usamos uma moeda fiduciária.

    Que gráfico você tem usado para medir a inflação de preços acumulada para o real? Ontem eu tentei usar o site do Banco Central, não consegui nem mesmo para a inflação acumulada até dezembro do ano passado. Eu iria fazer a medição do "valor correto" do câmbio.
  • Leandro  06/04/2020 15:22
    "O IGP-M foi bem alto. Por exemplo, em janeiro desse ano, ficou praticamente em 8%."

    Acumulado em 12 meses está em 6,81%. Alto, mas longe de ser trágico (para os padrões brasileiro, é claro). Em 2008, por exemplo, ultrapassou os 19%.

    "Pena não existir uma métrica para medir o "índice do Real", como existe para o dólar americano"

    Na ausência, utilize o índice de commodities acima, em reais. É o melhor que está tendo.

    "Não sei se você disse isso, mas eu havia lido aqui, em algum comentário, de que o real não estava forte no governo Lula, mas era o dólar que estava fraco. Acho que isso faria pouco sentido pois, se apenas o dólar estivesse fraco, essas commodities iriam interferir nos preços no Brasil e o governo do PT não duraria nem um mandato direito."

    O dólar estava inquestionavelmente fraco, e o real, em termos de preços das commodities, estava estável. Ainda assim, a inflação de preços foi relativamente alta, graças às contínuas injeções de dinheiro na economia em decorrência da forte expansão do crédito estatal.

    ?"Poderíamos afirmar que foi até 2010 que o real se manteve forte e, apesar de ele ter seguido em desvalorização, isso só foi dar problema anos depois, quando o dólar voltou a se fortalecer mundialmente?"

    Sim. O enfraquecimento começou em meados de 2010 (o que também é comprovado pelo índice de preços das commodities em reais).

    "Mesmo porque a expansão de crédito havia começado no primeiro governo Lula, mas ela demorou para dar problemas pois o câmbio estava favorável até um certo tempo."

    A expansão do crédito estatal acelerou-se a partir de 2009 e foi realmente turbinada a partir de 2010.

    "Isso teria sido sustentado sem os ortodoxos?"

    Estes não existiam mais a partir de janeiro de 2011, quando a total heterodoxia foi implantada.

    "Seria o preço da onça do ouro o melhor mensurador da força do real?"

    Não mais, pois vários governos e bancos centrais ao redor do mundo passaram a comprar ouro como se não houvesse amanhã (especialmente Rússia e China). Isso elevou acentuadamente o preço da commodity, desvirtuando essa sua capacidade de ser um mensurador em tempo real da inflação da moeda.

    "Que gráfico você tem usado para medir a inflação de preços acumulada para o real?"

    Aí não tem o que inventar: realmente tem de ser o IPCA. Agora, se você quiser acompanhar em tempo real o verdadeiro poder de compra da moeda, aí é o índice de commodities.
  • anônimo  06/04/2020 03:19
    Ignorando o dolar, pro real ficar forte aqui dentro, teriamos que eliminar o defict publico, cortar gastos estatais, nao aumentar a oferta monetaria, melhorar e aumentar produtividade aqui dentro?
  • Felipe L.  06/04/2020 15:28
    Sim. Mas para aumentar a produtividade, precisamos de uma moeda pelo menos estável. Sem moeda estável, investimentos que aumentam a produtividade, envolvendo a importação de bens de capital, ficam inviabilizados. Como a nossa moeda afundou do jeito petista desde o ano passado, aquelas tarifas que foram abolidas sobre os bens de capital praticamente não adiantaram em nada.
  • Raimundo  06/04/2020 15:28
    Enquanto isso, em Sobral, Ivo Gomes, irmão do Cirão da Massa, simplesmente acabou de instalar o comunismo na cidade.

    Uma fábrica da lingeries foi confiscada, um interventor foi nomeado pelo prefeito (Ivo Gomes), e, a partir de hoje (segunda-feira 6), a administração da fábrica será de competência da prefeitura de Sobral: a fábrica terá de deixar de fabricar lingerie para produzir máscaras e outros equipamentos de proteção individual (EPIs).

    cn7.com.br/prefeito-de-sobral-decreta-intervencao-em-empresa-para-produzir-mascaras/


    Se, depois dessa, algum empresário ainda for levar suas empresas para o Ceará, então merece mesmo ser enrabado.
  • Anti carimbeiro  06/04/2020 16:34
    Tem muita gente que nao aprende mesmo e continua elegendo esquerdista hard. Aposto que pelo menos metade da populaçao local aplaudiu a atitude do prefeito. Depois nao sabem porque o estado é um dos mais pobres do Brasil.
  • Sadib  06/04/2020 19:15
    Pessoal, para aqueles que se interessam em discutir sobre investimentos, pensei em criar um canal aberto no Telegram pra discutirmos sobre o tema.

    Não sei se o pessoal anima, mas pra quem se interessar segue o link:

    t.me/misesinvest

    Ou busque no Telegram: Mises Invest
  • Olavo  07/04/2020 15:25
    Sob o pretexto de proteger o povo contra um vírus de letalidade baixíssima, o Brasil já vive sob lei marcial instaurada contra a Constituição por governos estaduais.
  • Pedro U.  10/04/2020 23:51
    Muitos no Brasil diziam que estávamos diante do fascismo, do retorno da ditadura em 2018.

    Tinham razão.

    Só erraram a origem do autoritarismo.

    Quem diria? Aquele presidente fascista eleito, que ia acabar com as nossas liberdades, segundo os lacrojornalismo brasileiro, está lutando para que a população tenha PELO MENOS o direito de ir e vir

    E adivinha quem a mídia agora está aplaudindo? Governadores e prefeitos, que são os tiranetes de ocasião que solapam os direitos e as liberdades mais fundamentais dos cidadãos.

    Há especial tesão com dois ditadorzinhos de merda.
  • Fernando  21/04/2020 18:06
    Efeitos não intencionados do lockdown, do distanciamento social compulsório e das demais medidas intempestivas:

    - hospitais sem demanda a ponto de quebrar e demitindo funcionários.

    - pessoas morrendo em casa ou chegando ao hospital com pouca chance de vida porque o medo tomou conta e preferiram não ir a hospitais para diagnóstico e tratamento cedo de sintomas

    - exames de rotina sendo postergados impedindo o diagnóstico precoce de doenças graves
    tratamento de doenças graves sendo postergados para dar lugar ao combate do covid-19.

    Todas as vidas importam.

    gauchazh.clicrbs.com.br/coronavirus-servico/noticia/2020/04/hospital-de-novo-hamburgo-demite-132-trabalhadores-ck99988kl00yt017nid4s80cn.html
  • Daniel Samary  22/04/2020 17:50
    Se Bolsonaro fosse no discurso oficial e reproduzisse esse texto, não conseguiriam nem debater com ele, pois explica tudo e mais um pouco. PERFEITO!


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.