clube   |   doar   |   idiomas
As 20 lições que aprendemos em 2020
A principal: os genuínos defensores da liberdades são a ínfima minoria

Até o momento, este ano foi estupefaciente. Uma verdadeira doutrina de choque. Sofremos um ataque inclemente e devastador.

E o agressor não foi um vírus. O Sars-Cov-2 é um vírus normal, do tipo que se alastra e ataca o sistema respiratório. Ele se comporta como todos os demais vírus já encontrados pela ciência no passado, e a maneira correta de lidar com ele — como com todos os vírus — é por meio da terapêutica médica e da adaptação imunológica.

No entanto, pela primeira vez na história, decidiram combater um vírus por meio do autoritarismo estatal, como se decretos, ordens e coerções violentas pudessem intimidar o vírus e fazê-lo desaparecer.

O estado passou a encarar um vírus como se ele fosse uma sarna, um piolho, e pudesse ser vencido por uma simples declaração de guerra contra ele, a qual se resumia a destruir todas as mais básicas liberdades civis.

Muito mais do que o novo coronavírus, o estado (mais especificamente, prefeitos e governadores) foi o grande agressor. Ele assumiu o controle total, emitindo decretos aleatórios especificando o que os cidadãos podiam e não podiam fazer, e humilhando empreendedores e trabalhadores ao especificar quais empreendimentos eram considerados essenciais (e podiam funcionar) e quais eram triviais (e deveria ser fechados). 

O estado impingiu seus decretos sob a mira de armas, espancando pequenos empreendedores que apenas queriam trabalhar, destruindo milhares de pequenas empresas, levando outros milhões à depressão (com aumento substantivo no número de suicídios), violando todos os direitos humanos mais básicos, e despedaçando as vidas de incontáveis milhões ao redor do mundo.

E tudo de que o estado precisou para conseguir isso foi fazer a mídia e seus acólitos acreditarem na pré-moderna e não-científica (e essencialmente infantil) ideia de que a maneira correta de lidar com um vírus era correr e se esconder dele, ignorando completamente o fato de que os seres humanos evoluíram lado a lado com vírus ao longo de milhões de anos. Esquecemos tudo o que aprendemos com ciência no século XX.

O governo tentou amedrontar e expulsar o vírus com retórica e violência, mas, no fim, governos têm apenas uma habilidade: a capacidade de controlar e amedrontar as pessoas. E isso ele demonstrou que sabe fazer muito bem.

Daqui a alguns anos, olharemos para trás e veremos o que realmente aconteceu, ao analisarmos dois conjuntos de dados: a média de mortes ao longo de um período de cinco anos, a qual não irá revelar nada de atípico (e este fato irá atordoar as gerações futuras), e os dados do PIB, que revelarão uma brutal devastação econômica jamais antes vista no mundo moderno, nem mesmo em uma depressão ou em uma guerra.

Essa grande supressão destruiu não apenas setores inteiros da indústria, das artes e dos serviços, como também, e ainda mais fundamentalmente, abalou a confiança das pessoas em relação a coisas que até então dávamos como garantidas, como liberdade civil, leis e proteção da propriedade contra agressões.

Quanto mais cedo reconhecermos que o verdadeiro inimigo é o estado e sua total falta de restrições, mais rapidamente poderemos nos preparar para garantir que nada disso jamais volte a ocorrer. 

Eis as 20 maiores lições que aprendemos até agora em 2020.

1) Governos são totalmente capazes de fazerem o impensável, e de maneira repentina, sem nenhum plano de saída, nenhuma consideração para com custos econômicos e socais, e com total desconsideração pelos mais básicos direitos individuais.

2) Nenhuma constituição efetivamente protege os cidadãos e garante seus direitos básicos. Elas se tornam irrelevantes quando governos declaram uma emergência.

3) O lobby empresarial é bem menos poderoso do que se imaginava.

4) Vários políticos se importam muito mais com seu poder pessoal do que com a opinião pública.

5) As pessoas, em grande parte, são muito menos preocupadas com suas liberdades do que era de se imaginar.

6) A esquerda progressista nunca realmente esteve preocupada com os pobres, e nunca esteve comprometida com liberdades civis. Nem sequer se preocupa com a privacidade individual e com a educação infantil.

7) A compreensão de conceitos econômicos básicos é algo raro.

8) Não existe um "consenso científico". Cientistas da mesma área discordam entre si, e às vezes até radicalmente, e muitas vezes por motivos puramente políticos.

9) A estrutura da lei, do direito e do estado é perfeitamente capaz de sofrer alterações dramáticas e até mesmo repentinas. As cortes superiores protegem os políticos e não os cidadãos.

10) A mídia perdeu completamente o manto da imparcialidade e da informação. Ela agora reporta apenas a narrativa que lhe interessa, e suprime todos aqueles que tenham uma visão distinta.

11) Credenciais profissionais são úteis, mas deixaram de ser decisivas para qualquer debate. Pior: passaram a ser usadas como armas.

12) A maioria das pessoas não possui a mais mínima ideia de como ler estatísticas e de como analisar números; para muitas, dados são apenas abstrações.

13) Praticamente nenhum grupo político ou grupo de interesse está genuinamente preocupado com os pobres, com a classe trabalhadora e com os grupos marginalizados — ao menos, não o bastante ao ponto de colocar os interesses deles acima da mera politicagem. 

14) Muito frequentemente, os "princípios" que as pessoas proclamam ter não passam de uma falsa sinalização de virtude, apenas para parecerem virtuosas e compassivas nas redes sociais.

15) A propagação da verdade está em desvantagem em relação à propagação de erros e mentiras.

16) A ciência já conhecida e estabelecida pode perfeitamente ser esquecida em uma geração.

17) Por mais que nossas instituições aparentem ser inteligentes e impressionantes, elas não foram criadas e nem muito menos são administradas por pessoas igualmente inteligentes.

18) O mercado é ainda mais impressionante do que eu jamais sonhei. A rapidez de empreendedores em se adaptar a condições exigentes e contrárias, ao ponto de nos manter vivos e com entretenimento, é algo que beira a ficção.

19) A saúde psicológica da maioria das pessoas está diretamente ligada aos seus direitos de posse e às suas liberdades. Tire uma, ou as duas, e as pessoas se desintegram emocionalmente.

20) A coragem moral individual é o tesouro mais precioso de uma sociedade. É tão rara quanto poderosa. No final, foram alguns poucos indivíduos quem se arriscaram para nos trazer informações relevantes sobre tudo e foram alguns poucos indivíduos que se arriscaram para nos manter alimentados e entretidos. 

_______________________________

Leia também:

Coronavírus: muitos erros, nenhum acerto e o paroxismo da estupidez

Após quatro meses de pandemia, restou uma certeza: o fracasso dos governos é retumbante

Políticos destruíram o mercado e ignoraram direitos humanos com alarmante entusiasmo

Destruir a economia não é uma política social - e muito menos uma questão de saúde pública

Abram, e deixem que pessoas livres façam suas escolhas


autor

Jeffrey Tucker
é Diretor-Editorial do American Institute for Economic Research. Ele também gerencia a Vellum Capital, é Pesquisador Sênior do Austrian Economic Center in Viena, Áustria.  Associado benemérito do Instituto Mises Brasil, fundador e Diretor de Liberdade do Liberty.me, consultor de companhias blockchain, ex-editor editorial da Foundation for Economic Education e Laissez Faire books, fundador do CryptoCurrency Conference e autor de diversos artigos e oito livros, publicados em 5 idiomas. Palestrante renomado sobre economia, tecnologia, filosofia social e cultura.  

  • Carlos Alberto  24/09/2020 19:03
    Excelente. Permita-me acrescentar uma:

    "Não existe nenhuma grande entidade da sociedade genuinamente interessada em defender as liberdades civis. A agenda política sobrepujou o indivíduo. "
  • Marcelo  28/09/2020 11:00
    Tudo isso não seria possível sem a participação da grande mídia ultracomunista.
  • Ulysses  24/09/2020 19:04
    Uma que eu aprendi: a mídia está mais preocupada em defender uma agenda do que em realmente informar o povo.
  • Realista  24/09/2020 19:09
    Você só aprendeu essa agora?!
  • Guimarães  24/09/2020 19:41
    Em outras palavras: a mídia não busca informar, mas sim nos convencer de algo.
  • Marcos.  12/12/2020 14:28
    Perfeito.
  • Greg  24/09/2020 19:06
    Derrubem a Republica.
  • Leonardo Moraes  26/09/2020 12:11
    A possibilidade da volta da monarquia é sentido na sociedade atualmente?
  • Richard  14/12/2020 19:17
    Não acho que Monarquia seja a solução, afinal já vivemos uma aristocracia - que é nada mais do que uma monarquia mitigada.
  • Fabrício  24/09/2020 19:08
    O ano de 2020 foi a primeira vez em minha vida que vi gente xingando e ameaçando quando se anunciava que um determinado remédio tinha potencial de cura.

    Foi aí que realmente descobri que a vigarice e o fanatismo político e ideológico de algumas pessoas impossibilita qualquer convivência em sociedade.
  • Gustavo Henrique  14/12/2020 20:25
    Não é bem assim. Tem torcedor político, mas o problema é anunciar um remédio como cura, sem ter eficácia comprovada. Mandar o exército (sustentado por nossos impostos) fazer o remédio (com nossos impostos obviamente) e, enfim, outras idiotices mais.

    Quem quer tomar sempre pôde tomar, médicos não foram impedidos de receitar... Mas liberal querendo que o governo forneça medicamento sem comprovação científica é complicado.
  • Daniel  14/12/2020 20:35
    "Quem quer tomar sempre pôde tomar, médicos não foram impedidos de receitar…"

    Tá desinformado, hein? O remédio foi retirado das farmácias por ordens estatais. Antes, você comprava Reuquinol livremente, sem receitas. Depois, só com receita. E vários postos de saúde, seguindo ordens puramente políticas de governadores e prefeitos, baniram o remédio. (Sei disso por experiência própria na família).

    "Mas liberal querendo que o governo forneça medicamento sem comprovação científica é complicado."

    Cite um.
  • Gustavo Henrique  14/12/2020 21:49
    Não foi retirado das farmácias, foi determinado que a compra só seria possível mediante apresentação de receita médica, já que as pessoas estavam estocando sem nem ter a doença.

    Eu disse sobre os liberais por conta dessa histeria sobre um medicamento que nunca foi proibido, só não tinha protocolo médico na rede pública pra seu uso
  • Vinícius  15/12/2020 00:14
    "Eu disse sobre os liberais por conta dessa histeria sobre um medicamento que nunca foi proibido, só não tinha protocolo médico na rede pública pra seu uso"

    Ou seja, na prática, proibiram os pobres de tomar o remédio preventivamente. Ricos, que podiam pagar médicos para emitir receitas, continuaram tendo acesso normalmente.

    E você minimizando e aplaudindo.
  • Gustavo Henrique  15/12/2020 17:04
    Ou proibiram os ricos de estocar medicamentos e deixarem os pobres sem, são duas hipóteses...
  • Vinícius  15/12/2020 14:30
    "O Estado não proibiu o remédio, só proibiu você de adquirí-lo sem um documento carimbado pelo próprio Estado."

    Ufa, que alívio...

    Aliás, já começaram as campanhas esquerdistas para cassar o CRM dos médicos que emitem essas receitas.
  • Felipe  14/12/2020 23:35
    Pelo menos a prefeitura aqui de Mococa incentivou o uso de hidroxicloroquina por distribuição (não sei se ainda estão fazendo isso). Sobre as outras informações eu não sei.

    Lamentável, de qualquer forma. É nisso que dá o estado controlar o setor de saúde.
  • L Fernando  14/12/2020 21:22
    Complicado é não fazer nada e morrer na mingua
    Nunca vi na minha vida pessoas tão imbecis..
    Medicamente usado a 70 anos
    Mas uma vachina que sequer existe ainda o Dória quer enfiar goela abaixo
  • Lucas  14/12/2020 23:33
    (...) o problema é anunciar um remédio como cura, sem ter eficácia comprovada.

    Sem eficácia comprovada? Vejamos:

    No dia 10 de abril saiu o primeiro estudo confirmando a hidroxicloroquina. Era da China.62 pacientes foram tratados no Renmin Hospital, de Wuhan. O tratamento era de 5 dias com hidroxicloroquina (400 mg) e sem azitromicina. Era um estudo randomizado. Os quatro pacientes que progrediram para pneumonia severa estavam no grupo controle. Sendo um estudo controlado, randomizado, e vindo da China comunista, era de se esperar que fosse o fim da politização do medicamento. Não seria mais uma "bandeira da extrema direita". E as críticas por "falta de cuidado", agora estariam resolvidas, por este ser randomizado. Ledo engano. O estudo não foi divulgado na grande mídia.

    No dia 21 de abril foi publicado o primeiro estudo negativo. Com o discurso de que o medicamento é extremamente perigoso já massificado, passaram a aplicar a hidroxicloroquina apenas em pacientes extremamente graves, com a doença bem avançada. Foi o caso do estudo dos veteranos, nos EUA. Houve maior taxa de mortes entre quem recebeu o medicamento. Enquanto o estudo da China, que recomendava o uso, não saiu na grande mídia, este saiu, com estardalhaço.

    "A hidroxicloroquina não é um medicamento para ser experimentado em pacientes neste momento", afirmou o ex-secretário de Assuntos de Veteranos, Dr. David Shulkin.

    "Estudo fraudulento", reagiu Didier Raout em seu twitter. "O grupo controle foi tratado com azitromicina. Pacientes com linfopenia quase morrendo foram tratados com hidroxicloroquina", afirmou.

    No mesmo dia, o Instituto de Marselha divulgou uma análise técnica do estudo dos veteranos e respondeu ao pesquisador. As críticas e observações dos graves problemas das pesquisa não saíram nem na grade mídia, nem na mídia especializada.

    No dia 24 de abril foram publicados dois estudos. Um positivo e um negativo.

    O primeiro estudo era o da da Fiocruz. Feito em Manaus, era com pacientes graves. Muito doentes no início dos tratamentos: 43% em UTI e 88,9% em terapia respiratória antes do tratamento. E apenas com cloroquina, a versão mais tóxica, não a hidroxicloroquina. Foram dois grupos. O primeiro, com alta dosagem. 1200mg por dia, o dobro do usado no protocolo original da França. Este grupo teve 39% de mortalidade. No segundo grupo, 600mg por dia. Esse teve uma mortalidade baixa, de 15%, o que é um bom número para pacientes graves, já com pneumonia avançada. "Sugerem que doses mais altas de cloroquina não devem ser recomendadas para o tratamento de COVID-19 grave", foi a conclusão. Os resultados do estudo saíram em toda a mídia brasileira e dos EUA. Comentaristas mantiveram o foco apenas nos que morreram do coração no braço de altas doses.

    O segundo estudo veio do Irã. Feito por cientistas importantes do país, o estudo concluiu que a hidroxicloroquina era boa para os pacientes. Não saiu na mídia.

    Logo depois, para aumentar o viés de confirmação negativo dos cientistas brasileiros, como algo que nem deveria ser estudado, bolsonaristas ameaçaram os cientistas da Fiocriz de morte, devido às altas doses em um dos braços do estudo.

    Na primeira metade de maio, diversos estudos sobre a hidroxicloroquina foram publicados. Seguiam sempre o mesmo procedimento. Os que apresentavam resultados positivos, a maioria deles, ficavam restritos aos fóruns científicos. Os negativos saíam na grande mídia. Sobre os negativos, nenhuma crítica era feita pelos jornalistas do ramo científico. E dos positivos, um chamou a atenção. Era da China, em pacientes graves. No grupo controle, sem tratamento, 45% das pessoas morreram, no grupo tratamento, 18%. Semelhante com o número do braço de baixa dosagem da Fiocruz, que era de 15%. Entretanto, com o mesmo percentual, os cientistas chineses recomendavam o uso.

    Na sequência, as duas mais conceituadas revistas de medicina do mundo, Lancet e a New England Journal of Medicine, publicaram estudos com resultados negativos sobre a hidroxicloroquina. Isso levou a OMS a parar suas pesquisas. Tudo noticiado com ampla repercussão mundial. Motivou médicos e governos do mundo todo a pararem de prescrever os medicamentos, acreditando que teriam mais riscos do que benefícios.

    No dia da publicação do estudo sobre a da Lancet, com 96 mil pacientes, Didier Raoult, já contestou em seu twitter. "Incorporação de dados falsificados", exclamou. Experiente, ele viu inconsistências na hora. Acertou.

    twitter.com/raoult_didier/status/1265291857866764288

    Pela primeira vez as incoerências dos estudos contra o tratamento, saíram na grande mídia. Os dados eram falsos. Pacientes e hospitais que não existiam. Depois de uma ampla reação de cientistas de diversos lugares, o estudo, logo depois, foi retirado.

    A mesma coisa ocorreu com um estudo da New England. Também foi retirado.

    A Organização Mundial da Saúde também patrocinou um estudo com hidroxicloroquina. É o Recovery Trial da Universidade de Oxford. É um estudo completo "padrão ouro". O protocolo do professor Didier Raoult foi ignorado. Só hidroxicloroquina e para pacientes bastante doentes. A média foi de cerca de 9 dias depois dos sintomas, com 60% já precisando de oxigênio. E 17% já precisando de ventilação. Enquanto Didier alega 0.6% de mortes em seus estudos. Em Oxford, 25% do grupo tratamento morreu.

    A dose foi de 2400 mg no primeiro dia, quatro vezes maior que o protocolo da França. Depois seguem aplicando 800mg diários. No estudo da Fiocruz, na Amazônia, com dose de 1200 mg, os cientistas já falavam que essa dose era alta demais e não deveria ser usada. No Recovery, eles dobraram a dose. O maior estudo, o mais completo, e eles não leram o estudo da Fiocruz? Fizeram diferente, com uma dose tóxica, disseram que não funciona e geraram notícias para o mundo. E foi uma dose, inclusive, inédita. Nunca ninguém usou essa quantidade de hidroxicloroquina para nenhum tratamento de nenhuma doença.

    Por fim, até o presente momento, temos 199 pesquisas sobre a HCQ, 134 revisadas por pares. Nas que estudaram o tratamento precoce, 100% delas foram positivas. Nas que estudaram o tratamento em estágios mais avançados, 78% delas foram positivas. Aqui, neste link é possível ter acesso a todas.

    A evolução da COVID-19 está bem documentada. Não é semelhante à AIDS, onde o paciente pode morrer em seis meses ou 20 anos. A grande maioria das pessoas incuba o vírus por seis dias. Logo depois apresenta sintomas e, em mais uma semana ou 10 dias, cerca de 5% dos sintomáticos fica grave (o número varia um pouco). Dos graves, intubados, cerca de metade morre.

    Vamos para uma lógica bem básica. Você fica em um ponto de foco da pandemia, dá o medicamento para 100 pessoas que já apresentam sintomas, se em 15 dias, do total, apenas um ou dois precisarem ser intubados, o medicamento funciona e temos uma comprovação. É simples. Nem é necessário esperar para saber se os intubados morreram. Não precisa de grupo controle, nem de revisão por pares, nem de duplo cego, nem de publicação em revista conceituada. Só precisa contar corretamente o número de pacientes intubados. Logo, bastaria esperar duas semanas para confirmar ou não o tratamento.

    Algum cientista um dia estudará isso como o maior caso de viés de confirmação da história. Os fatos acima demonstram que na ciência não se pode mentir grosseiramente. Influências externas podem atrapalhar bastante, e criar narrativas, mas são desmascaradas. A dose do estudo de Oxford, expondo a fragilidade do experimento, e os dois estudos com dados falsos, caíram na hora. Portanto, a confirmação virá. A verdade, ao que parece, na ciência, vence. Será consenso entre os cientistas em breve. É uma história grande demais para ser esquecida.

    A narrativa de que a hidroxicloroquina não funciona é a maior farsa da história recente da humanidade!
  • anônimo  15/12/2020 01:44
    Lucas, obrigado pela contribuição. Mesmo que não dê em nada, clarificou muito o nebuloso assunto.
  • Gustavo Henrique  15/12/2020 17:13
    O estudo do Raoult continha diversas falhas metodológicas:

    "Em 3 de abril, a Sociedade Internacional de Quimioterapia Antimicrobiana, que administra a revista, declarou que o estudo não atendia ao "padrão esperado" para publicação, mas não se descobriu que Rolain tivesse participado do processo de revisão por pares.

    Embora as revisões por pares após a publicação não sejam uma prática usual, eles começaram a ganhar mais atenção como uma maneira de corrigir muitos dos problemas e lacunas que surgem com o processo padrão. Nesse caso, o estudo foi revisado por Frits Rosedaal, epidemiologista clínico do Centro Médico da Universidade de Leiden, na Holanda.

    A crítica contundente de Rosedaal ecoa muitas das mesmas críticas feitas por cientistas externos após a publicação do estudo. Em particular, ele condena a decisão da equipe de Raoult de excluir dos resultados finais do estudo seis pacientes que tomaram hidroxicloroquina, incluindo quatro cuja condição piorou, um dos quais acabou morrendo durante o período do estudo (nenhum no grupo de controle morreu).

    Também houve outras inconsistências, como material suplementar mencionando que vários pacientes assintomáticos foram incluídos no estudo, enquanto a linguagem real do estudo alegava ser um exame de pacientes hospitalizados (é improvável que pessoas sem sintomas tenham sido hospitalizadas por COVID-19).

    Esses e outros problemas com os dados foram suficientes para tornar o estudo "quase, se não completamente não informativo", escreveu Rosendaal. O tom excessivamente esquisito do artigo na promoção da hidroxicloroquina como um tratamento de COVID-19 não é apenas infundado, acrescentou ele, "mas, dada a desesperada demanda por um tratamento de COVID-19, associado aos efeitos colaterais potencialmente graves da hidroxicloroquina, totalmente irresponsável".

    Um outro estudo, publicado nesta segunda-feira (13), critica de forma parecida o estudo francês, observando que "este estudo tem várias questões metodológicas importantes, incluindo o design, a medida do resultado e as análises estatísticas".

    Embora pareça que as principais consequências desta pesquisa foram e desapareceram, com a maioria dos países não entusiasmados com a hidroxicloroquina e outros medicamentos que se mostraram promissores para o tratamento de COVID-19 agora disponível, suas repercussões podem durar muito mais tempo."


    Bem, pode ser que algum dia se comprove a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento da covid, mas até lá, o medicamento será um tratamento off label. E repito, o medicamento não é proibido, por essas e outras que o governo fornece até homeopatia pela rede pública.

    Tem outro texto na internet, com entrevista de cientistas brasileiros, que explica os efeitos da cloroquina: www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/07/10/se-cloroquina-nao-cura-covid-por-que-ha-curados-por-ela-ciencia-explica.htm

    Mas bem, não cabe a nós discutir nos comentários do IMB se a cloroquina funciona, só não faz sentido querer financiar através de dinheiro de impostos um medicamento que não tem eficácia comprovada.
  • Gustavo Henrique  15/12/2020 17:15
    Detalhe que esqueci de comentar no outro comentário... revolucionou o método científico hein amigão? Só por meia dúzia numa sala e se der certo, deu... Os grande cientistas da humanidade te invejam. Não sei pq laboratórios e universidades perdem tanto tempo fazendo testes "a toa"...
  • weberth  24/09/2020 19:18
    O que eu vi, também:
    - Amigos próximos que se dizem liberais, esbravejam contra o estado, quando a PM diz que vai prender, enrolam o rabo e ficam em casa (eu furei o lockdown, acredito sim no vírus, mas não aceitei que um prefeito de merda me impedir de sair de casa.)
    - Comerciantes são os mais revoltados, quase todos eles, tem noção do mal que são os governos;
    - Universitários, professores, pesquisadores, nossa ''nata'' intelectual, praticamente são papagaios da grande mídia, apenas repetem os mantras e notícias sem alguma análise.
    - Vi mais ''rebeldia'' e conceitos de que o governo (prefeito e governador) não poderiam ter feito o que fizeram, na classe pobre, do que em qualquer outro grupo, em especial os jovens universitários
    Em minha opinião, de uma maneira mais primária, a auxilar de limpeza de uma empresa tem mais consciência libertária do que um professor universitário

    P.S: Isso tudo me faz pensar, se vale a pena ter filhos, não só a questão financeira, mas principalmente, deixar um ser vivo para um futuro nebuloso que veremos.
  • Edujatahy  24/09/2020 20:16
    Caro Webert,
    Ter filhos e fomentar uma família significa enfrentar esse sistema. Os planejadores sociais saem vitoriosos quando você pensa em não ter filhos.

  • Anônimo  25/09/2020 14:37
    Basta lembrar se você ter nascido valeu a pena. Lembrou? Então. Todos tem direito à vida, independentemente de quem está ou deixa de estar no governo.
  • Marcos.  12/12/2020 14:33
    Seu pensamento me representa, o que acontecerá com a mente dele depois que eu partir? Quem o ensinará? O que ensinará? Devo ao menos fazer o possível pra mostrar essa realidade pra que meus possíveis filhos não se deixem cegar.
  • Humberto  24/09/2020 19:40
    Pra mim, 2020 foi ano em que toda a incoerência da esquerda foi desnudada.

    Além do que o artigo apontou, de que ela está cagando para os pobres e para os trabalhadores, o máximo da incoerência da esquerda foi revelada na questão policial.

    A esquerda, que vivia reclamando de brutalidade policial, passou a aplaudir quando a polícia começou a espancar ambulantes e a prender mulheres e crianças que estavam "furando a quarentena".

    Ou seja, a esquerda só não gosta da polícia quando ela bate em bandido. Já quando ela espanca trabalhadores (reacionários) e prende mulheres e crianças, aí ela é top.
  • Felipe  24/09/2020 19:42
    Não sei se alguém aqui segue, mas o canal Ancap.su explodiu de audiência diante dessa ditadura de lockdowns, ao passo que outros canais do meio se estagnaram.
  • Lucas  24/09/2020 19:59
    Se explodiu de audiência eu não sei, mas a minha audiência esse canal ganhou! Já nem assisto mais o Ideias Radicais.
  • West  25/09/2020 02:25
    Esse ideias radicais pra mim já deu. Não vi um único vídeo dele condenando o lockdown. Em tudo tá cada vez mais incoerente.
  • Felipe  25/09/2020 21:40
    Mas é verdade, ele realmente não falou um piu sobre a ditadura dos lockdowns. Não sei o motivo. Realmente ele ter perdido familiares deve ter sido muito difícil e eu deixo meus sentimentos por isso, mas por que deixar de falar de um assunto como esse que está ao nosso redor?

    Assim, ele corre o risco de perder a fatia para canais menores como o do Ancap.su.
  • Marcos Roberto  25/09/2020 18:01
    Ideias Graduais.
  • Estado o Defensor do Povo  24/09/2020 20:58
    O Peter é excelente mesmo para apresentar as notícias com seus comentários sarcásticos, todo Sr.Bovino Gadoso de banânia tem que conhecer o canal dele.
  • Roberto Dantas   28/09/2020 05:48
    Não se esqueça do canal Visão Libertária que também é do Peter do Ancap.su . Agora em relação ao Ideias Radicais se ele perdeu parente por causa do vírus, mais um motivo para ele não se calar como fez diante dessa estupidez de lockdown. O tal lockdown não fez diferença.
  • Felipe  28/09/2020 16:19
    Ele perdeu os familiares em 2019. Deve ser muito ruim isso. Eu acho que não sinto tanta falta dos meus avós porque eu era o neto mais atencioso.
  • Felipe  04/10/2020 18:38
    Só para deixar claro que o meu objetivo não é expor isso e me desculpo por isso pois não foi intencional, e sim de não ser desonesto, já que ele mesmo falou sobre isso no Twitter. Meus sentimentos.
  • Gabriel Santos  24/09/2020 19:44
    Não vamos esquecer da vista grossa que fizeram (e ainda fazem) para aglomerações "engajadas na causa".

    Protesto do BLM e "antifa"? Liberados, dane-se o "distanciamento social". E se criticar você não passa de um "fascista e supremacista branco". Agora ir trabalhar? Não! Ir à escola? Não! Ir ao parque? Genocídio, eles dizem.

    2020 desnudou a hipocrisia do "beautiful people" da mídia. Enquanto os pobres sofrem, jornalista continua recebendo o seu salário, postando vinho na internet e passando pano para aglomeração de "antifas".

    Mas, claro, eles estão preocupados com o bem-estar dos pobres, por isso defendem o lockdown. O mesmo lockdown que detonou a economia, deixou esses pobres desempregados e dependentes de esmola emergencial do governo.

    Nunca vi tanta hipocrisia.
  • Fabrício  24/09/2020 19:46
    Atenção:

    Evolução do número total de contágios na Suécia, que não fez lockdown:

    ibb.co/qCcCkGn

    Imunidade de rebanho já praticamente atingida.


    Agora, eis a evolução do número total de contágios na Dinamarca, que fez lockdown:

    ibb.co/QjXsVZP

    Voltando com força. Lockdown completamente inútil.


    Não esperem encontrar essa desmoralizante informação na imprensa.
  • Marco Aurélio  24/09/2020 19:53
    Se os amantes do lockdown virem esse gráfico, o número de suicídios volta a subir.
  • Eslavo  25/09/2020 14:48
    Isso já era esperado, só a grande mídia que não deu ouvidos pra quem se cansava de falar isso.

    Vírus airbornes são extremamente contagiosos, portanto a não ser que o lockdown seja PERFEITO (o que é impossível até para países desenvolvidos) são inúteis. E isso ainda ignorando todo o efeito econômico e tirânico que um lockdown perfeito traria.

    O único efeito intervencionista que traria resultados positivos seria fechar as fronteiras. Exportadores e importadores seriam prejudicados, mas o grosso das atividades econômicas se sairiam relativamente bem.
    Mas no episódio que vivemos, não adiantaria nada, pois a China escondeu a existência do vírus o máximo que pôde. Quando veio a tona, todos lugares já estavam infectados.
  • Fabrício  28/09/2020 14:22
    Número total de mortes na Suécia, de outubro de um ano até agosto do ano seguinte, começando em 1989.

    ibb.co/ZKjK0gZ

    Este é o gráfico que destrói completamente a narrativa de que a Covid-19 era um vírus atípico e que era necessário lockdown para combatê-lo. Não espere nada sobre isso na mídia.
  • Jojo  28/09/2020 17:03
    Pois é, no Brasil foi a mesmíssima coisa. Perfeitamente dentro do aumento de mortes esperadas de um ano pro outro.

  • JOSE ROBERTO BARRETO  14/12/2020 19:08
    Estou vendo este grafico em 14/12 e os numeros da Suecia estao em mais de 90k contra 24k da Dinamarca. Chego a conclusão de que o lockdown funcionou.
  • Humberto  14/12/2020 19:24
    Neste caso, você deveria se informar melhor (junto com o Fabrício, que errou nessa). Os dados mostram que as políticas da Dinamarca, da Finlândia e da Noruega foram ainda menos restritivas que as da Suécia.

    Sim, desde junho, Finlândia e Noruega, passaram a adotar políticas menos restritivas que as da Suécia.

    O site "Our World in Data" mostra o índice de rigor ("stringency index") adotado pelos governos. Quanto maior o número, maior o rigor. Finlândia, Dinamarca e Noruega têm números mais baixos que os da Suécia, o que significa que seus governos foram ainda menos rigorosos.

    Não discuta comigo. Discuta com a fonte.

    ourworldindata.org/grapher/covid-stringency-index?stackMode=absolute&time=2020-11-12®ion=World

    Além de não haver obrigatoriedade do uso máscaras, e os finlandeses dizem que para eles "a vida nem mudou muito".

    www.euractiv.com/section/languages-culture/news/finland-europes-quiet-success-in-covid-19-fight/

    De novo: não discuta comigo; vá discutir com os finlandeses.

    Não é à toa que esses países simplesmente sumiram da mídia.

    How Finland and Norway Proved Sweden's Approach to COVID-19 Works
  • anônimo  14/12/2020 19:38
    Fora que o número de contágios não significa absolutamente nada, pois depende do número de testagens e de erros médicos.

    Já o número total de mortes absolutas conta a história real.

    E a Suécia está com o menor número de mortes totais desde 2010.

    www.statista.com/statistics/525353/sweden-number-of-deaths/
    Ou seja, fosse eu um pouquinho mais cínico, diria que a Covid aumentou a expectativa de vida dos suecos.

    E tem mais: o número diário de mortes totais de 2020, comparado aos anos anteriores, mostra uma história semelhante.

    Veja que, no índice semanal, o pico foi entre a 13a e 21a semana:

    www.statista.com/statistics/1115707/sweden-number-of-deaths-per-week/

    Ou seja, após dois meses e meio sem confinamento rígido, o número de óbitos começou a voltar ao "normal".

    Daqui a algumas décadas, historiadores e jornalistas mais sérios, não comprometidos com ideologias e politicagens, vão analisar esse período e dar gargalhadas de como fomos imbecis.
  • Victor  15/12/2020 02:22
    O ocidente já era depois dessa pandemia, os números certos a serem confrontados é o número de contágios em países ocidentais/ ocidentalizados vs países orientais. Tirando poucas exceções o oriente e África estão vencendo de lavada:

    O paupérrimo Moçambique tem menos casos de covid que uma cidade média brasileira, o Paquistão tem 20x menos contágios que o Br, Filipinas um país mal exemplo de tudo lá no Oriente tem tantos casos quanto o estado de MG, Nigéria, pense num país medonho, tem menos casos que o diminuto estado do SE.


    Ficaram aí tempo demais brincando de estado de bem estar social, progressismo, social democracia, feminismo, ateísmo, dando pensão pra mãe solteira e o resultado está aí. África subsaariana, exceto a ocidentalizada South África, com mais capacidade pra combater uma pandemia que qualquer canto do ocidente exceto Oceania.
  • Gustavo Henrique  14/12/2020 20:30
    A Dinamarca tem metade da população da Suécia e teve praticamente 1/4 dos casos, parabéns pela excelente interpretação dos gráficos.
  • Humberto  14/12/2020 20:41
    Não entendi. Considerando os dados acima — que mostram que o governo da Dinamarca foi menos rígido que o da Suécia —, qual o seu ponto?
  • Neto  24/09/2020 19:54
    A maior lição, e esta é reforçada a cada dia, é que ciência foi sequestrada e politizada e, como consequência, se desmoralizou completamente. Junto com a mídia.

    Se perigar, políticos ainda terão mais popularidade que cientistas pró-lockdown.
  • Ronaldo  24/09/2020 22:27
    Boa noite, eu sou cientista na área de botânica, devo dizer que além de estar correto, ainda afirmo que cada cientista, ou pesquisador como gostam de se chamar, está preocupado somente com seus estudos e suas verbas. Por exemplo, se um jornalista perguntar a um pesquisador de tartarugas o que devemos fazer para preservar esses animais, ele simplesmente vai dizer para bloquearem todas as praias do mundo, problema resolvido! Ele não consegue ter uma além do seu próprio campo de estudo.
  • Eslavo  25/09/2020 14:52
    E isso já tempos, só agora vários perceberam.

    Não existe pessoa mais pré-preconceituosa do que cientista. O poder de um paradigma na ciência é quase tão forte quanto um dogma na religião.
  • Jairdeladomelhorqptras  26/09/2020 14:10
    Caro Eslavo,
    Convém também recordar que a classe de "cientistas" que mais apoiou o nazismo foi a dos médicos. Alguns relatos apontam que 40% dos médicos da Alemanha se filiaram ao partido nazista. Alguns chegaram ao extremo de se colocarem a disposição para "purificar" os arianos assassinando os deficientes de sua própria "raça".
    Ciência alguma está acima do pensamento ideológico e político predominante em sua época.
    Abraços
  • Anti histéricos  24/09/2020 20:14
    É senhores... Tá complicado.
    Enquanto os histéricos medrosos escondiam em casa eu ia trabalhar tranquilo sozinho no escritório, felizmente o coworking que trabalho continuou aberto (apenas para mim por uns 2 meses).
    Por meses eu andava a pé de casa até o coworking pois sou contra trabalhar em casa. Eu valorizo demais minha família para juntar meu trabalho à minha família, essa idéia do home office para mim é anti-natural e anti-família em vários sentidos.

    Pois bem. Agora fico torcendo para que não se fique mais abrindo as coisas. Os histéricos doentes mentais saem de casa e querem impor sua loucura a todo mundo. Chego no coworking e agora ficam enchendo meu saco todo dia para colocar o pedaço de pano sujo no meu rosto. AHhh vão catar coquinho, fiquem em casa então, se é para sair de casa com esse nível de covardia. Que continue cada um na sua casa debaixo de cama chorando com medo.

    Inacreditável a loucura que esse mundo virou em tão pouco tempo. Um bando de maluco sinalizando virtude porque coloca um pano sujo no rosto (pano esse que fica em cima de mesa, debaixo de copo, no pescoço, no bolso da calça e etc) e agora ficam querendo exigir o mesmo comportamento imbecil dos outros.

    Que loucura... que loucura...
  • Revoltado  25/09/2020 17:56
    Sim,

    Defender home-office e ficar em casa fazendo nada (produtivo de fato) é fácil quando se possui recursos, programaçãozinha na Internet ou plataformas, delivery, etc.
    E quem quase nada disso tem? Deve passar fome em prol duma estupidez tamanha?
    Resta saber se tais defenderiam tão fervorosamente o lockdown contra serviços "não essenciais" se os entregadores de comidas assim o fizessem. Pimenta no reto alheio é refresco a esse povo!
    Como disse certa vez o comediante Daniel Alvarenga em seu canal: "trabalho essencial é aquele que põe comida na tua mesa".
    O resto, é falácia de riquinho com consciência social!
  • Revoltado  25/09/2020 18:00
    Em tempo!

    Mesmo durante a fase mais rigorosa do lockdown, não deixei de sair com minhas velhas e prezadas garotas de programa cis e travestis e cá estou eu (e assim estão todas com quem interagi brincando como gente grande [risos]) saudável e tranqüilo!

    Se o Sr. Nigel Fergusson, que defendia essa palhaçada, pôde fazê-lo na Grã-Bretanha, por quê não eu? (risos)
  • Roberto Dantas   28/09/2020 05:58
    Assino embaixo tudo que você escreveu.
  • Gustavo  24/09/2020 20:32
    Gostei do artigo mas senti uma certa falta de objetividade.
    Alguns são muito óbvios e não precisam de explicação, mas outros não.

    Por exemplo, o item 3. Se o lobby empresarial é fraco, qual lobby é forte?
    Nós acabamos de ver no Brasil a corruptocracia das maiores empresas do país e seu lobby fortíssimo no governo que gerou todas as perdas pra sociedade que já conhecemos.
    E veja hoje o Sistema S: não conseguem acabar com esse maldito sistema, pra mim é por conta do Lobby. Mas enfim, que lobby é forte no pais entoa?

    O item 4 ficou meio non-sense:o político não precisa da opinião pública pra se reeleger e ficar em evidencia na mídia?

    o item que fala do consenso cientifico: não há um consenso sobre o virus por exemplo? Onde há convergencia e onde há divergencia, por exemplo? Nem tudo todo mundo concorda, mas no grosso ha um consenso.
    Todos os médicos que conheço pensam mais ou menos igual sobre a pandemia.

    Item 10: a mídia já foi imparcial alguma vez? Eu defendo a mídia parcial e que cada um defina que mídia mais lhe representa.

    Em suma, tiveram algumas coisas que poderiam ficar mais claras. Eu acho que justamente toda essa celeuma que temos atualmente é por conta de má definição dos termos e falta de clareza do que exatamente se quer falar
  • Amante da Lógica  24/09/2020 21:12
    "Se o lobby empresarial é fraco, qual lobby é forte?"

    Funcionalismo público. (Aliás, é inaceitável um brasileiro ainda não ter percebido isso).

    "Nós acabamos de ver no Brasil a corruptocracia das maiores empresas do país e seu lobby fortíssimo no governo que gerou todas as perdas pra sociedade que já conhecemos."

    Em decorrência do conluio entre estados e grandes empresários. Isso ocorre em todas as economias em que há estado, varia apenas o grau e a explicitude da corrupção.

    Dito isso, você fez uma generalização injusta. O esquema envolveu basicamente empreiteiras e um frigorífico.

    "E veja hoje o Sistema S: não conseguem acabar com esse maldito sistema, pra mim é por conta do Lobby. Mas enfim, que lobby é forte no pais entoa?"

    Funcionalismo público. O fato de você realmente não perceber isso é assustador.

    "O item 4 ficou meio non-sense:o político não precisa da opinião pública pra se reeleger e ficar em evidencia na mídia?"

    É claro que precisa, mas a paixão por usufruir o poder é muito maior. Essa foi a comparação. Vide os governadores e prefeitos. Os trabalhadores (os verdadeiros) os odiavam e viviam implorando para poderem voltar a trabalhar, mas a glória de mandar falou bem mais alto.

    Onde você mora, aliás?

    "o item que fala do consenso cientifico: não há um consenso sobre o virus por exemplo?"

    Nenhum.

    "Onde há convergencia e onde há divergencia, por exemplo? Nem tudo todo mundo concorda, mas no grosso ha um consenso."

    É sério que você pensa isso? Não há quanto à letalidade do vírus. Uns falam em 0,5%. Outros, em mais de 10%.

    Não há consenso quanto à maneira de se combatê-lo: as justificativas para o lockdown mudavam a cada mês.

    Primeiro, mandaram todo mundo ficar em casa para "continuarmos vivos". Depois, passaram a falar que a quarentena era para "achatar a curva" e "dar tempo" para o sistema de saúde se preparar para uma sobrecarga de pacientes. Depois, passaram a dizer que é para ficarmos confinados até "acharem uma vacina". Agora, querem voltar a trancar tudo de novo porque a curva de contágio ainda não está aceitável.

    Não há nem consenso científico quanto às máscaras.

    Veja também aqui:



    Por fim, sempre houve apenas duas maneiras de se derrotar um vírus: imunidade natural e vacinas.

    E só.

    Destruir empresas e empregos, obrigar todo mundo a ficar trancado em casa, e proibir as pessoas de se aproximarem nunca foi cura para vírus em nenhum lugar e em nenhum momento da história do mundo.

    Para todos os vírus que atacam humanos, nossas únicas defesas são a prevenção e o nosso próprio sistema imunológico.

    Para a grande maioria dos vírus, nem todas as pessoas precisam ser infectadas para se tornarem imunes, e nem todas precisam de uma vacina caso ela seja descoberta. A imunidade é alcançada quando uma determinada porcentagem da população já contraiu alguma forma do vírus, com ou sem sintomas. E então o vírus efetivamente morre.

    Isso significa que a fatia vulnerável da população pode se isolar durante os dias ativos do vírus, e então voltar à vida normal tão logo a "imunidade de rebanho" tenha sido alcançada por meio da infecção de uma fatia da população não-vulnerável.

    É por isso que, historicamente, o conselho médico para os idosos sempre foi o de evitar aglomerações em épocas de gripe (inverno). E é também por isso que grupos não-vulneráveis se infectarem e se curarem sempre foi algo positivo.

    No entanto, tudo acima, que até então sempre foi o consenso científico, foi completamente esquecido esse ano.

    "Todos os médicos que conheço pensam mais ou menos igual sobre a pandemia."

    Você precisa urgentemente trocar seus médicos.

    "Item 10: a mídia já foi imparcial alguma vez? Eu defendo a mídia parcial e que cada um defina que mídia mais lhe representa."

    Imparcialidade efetiva nunca houve, mas houve uma época em que a mídia informava e apresentava o contraditório. Jornalista se limitava a dar notícia. A opinião ficava por conta do editorial e das colunas.

    Hoje, a mídia não informa, ela opina. E ainda suprime o outro lado.

    Se você acha que é a mesma coisa, nada posso fazer por você.

    "Em suma, tiveram algumas coisas que poderiam ficar mais claras."

    Na verdade, era sua visão de mundo que já estava muito rósea.

    "Eu acho que justamente toda essa celeuma que temos atualmente é por conta de má definição dos termos e falta de clareza do que exatamente se quer falar"

    Na verdade, a celeuma é por haver um exército de desinformados que busca informações com um exército de interesseiros e politiqueiros.

    No mais, perdoe-me a sinceridade, mas você está espantosamente desinformado sobre tudo. Parece até que só assiste à Globo News…
  • Giuseppe  24/09/2020 21:06
    Uma dúvida que tenho: sob a ótica libertária, há qualquer contradição em impedir, por meio de força, uma pessoa sem máscara de adentrar minha loja (uma propriedade privada)?
  • Petri  24/09/2020 21:13
    Não, não há. Na sua propriedade privada, só entra quem você quiser. As regras são suas. Quem não se dispuser a obedecê-las não tem o direito de entrar.
  • Igor  24/09/2020 21:18
    Seria correto dizer que o estado é a besta de que fala bíblia?

    As pessoas adotam um modo de pensar e um modo de agir muito sombrio. Outro dia saí para um lugar aqui perto de casa sem máscara e a vizinha que nunca disse um A para mim perguntou "Cadê a máscara?" Imagino que essas pessoas me denunciariam por qualquer motivo, como pensar diferente.

    É que nem viver dentro da matrix, tentando se esconder ou se antecipar aos agentes Smith.
  • Lucas  24/09/2020 22:00
    Seria correto dizer que o estado é a besta de que fala bíblia?

    Se seria correto dizer isso eu não sei, mas eu também já cheguei a essa mesma conclusão (principalmente depois que comecei a ler sobre agorismo e criptomoedas)!
  • Perifento  24/09/2020 23:56
    Cheguei a uma conclusão parecida anos atrás mas achei que era exagero e etc. Ainda bem que não acho isso sozinho.

  • Beto  25/09/2020 22:20
    É certo que pelo menos todo estadista é uma besta quadrada.
  • weberth  28/09/2020 15:04
    Pode ter até sentido, olhando pelo prisma religioso. A bíblia teve uma grande parte escrita sob o jugo do império romano, então, era natural temerem grandes governos.
    Coisa curiosa é o Racha (sisma) da ICAR, vaticano, tema não muito falado é a renuncia do Bento XVI, e posteriormente ascensão do PaPa Franscisco. Dizem, já li pouco sobre o tema, que houve uma pressão muito grande de progressistas dentro da ICAR contra Bento, que era mais conservador, e para evitar um racha da igreja, ele teria renunciado para manter a mesma unida.
    Enfim, o catolicismo está no fim (Igrejas abandonadas, falta de fiéis, denúncias, poucos jovens se interessam pela religião ) mesmo que o mundo não acabe, para eles, o progressismo será a ''Besta'' final para a ICAR.
  • Felipe  28/09/2020 18:39
    Por que a Igreja Católica condenava a usura (não sei se condena ainda)?
  • Imperion  29/09/2020 00:34
    Usura seria a agiotagem. Mas eles e os muçulmanos consideram qualquer cobrança de juros agiotagem, mesmo que baixa. É mais por desconhecimento mesmo, por achar que era um tipo de extorsão.

    A pessoa que empresta e não devolve é que é uma ladra. E enquanto se protegeu essa prática, eles não devolviam o emprestado e o mercado nunca evoluiu.

    A igreja católica perdeu poder político e acabou por dar arrego. Afinal, deixou de ter controle sobre as instituições bancárias. Mas o mundo muçulmano ainda tem reservas e continua pecado. Teoricamente acham "imoral" emprestar algo e ter de devolver algo maior. Mesmo que exista a parábola bíblica dos talentos. 
  • Manoel Graciano  24/09/2020 21:26
    Não tenho capacidade para opinar a respeito deste artigo, contudo achei sensacional.
  • Eslavo  25/09/2020 14:53
    Melhor esperar a opinião do Felipe Néscio.
  • Buscando o equilibrio  24/09/2020 21:29
    Pelo que entendi, houve uma conspiração global que politizou o vírus? É isso mesmo?
  • Fabrício  24/09/2020 22:07
    Quase. Deixa eu tentar desenhar para você.

    Impor lockdown em decorrência de um vírus foi uma estratégia abraçada por todos os opositores do governo de cada país.

    Em países governados pela direita, a oposição de esquerda e a mídia defenderam lockdown (pois sabiam que isso ferraria a economia e, em tese, destroçaria a popularidade do governante de direita).

    Em países governados pela esquerda, a oposição de direita passou a defender lockdown com a mesma motivação (um exemplo clássico disso é a Espanha).

    A única diferença entre os dois cenários é que a mídia se tornou militante apenas no primeiro.

    Aqui no Brasil, vários jornalistas falavam abertamente em seus Twitter, em tom de comemoração, que a popularidade de Bolsonaro iria desabar "graças" ao colapso econômico gerado pelo lockdown.

    Nos EUA, mesmíssima coisa.

    Em simultâneo a tudo isso, políticos que passaram a recomendar a hidroxicloroquina foram massacrados e qualquer menção ao remédio foi silenciada, mesmo com sua eficácia comprovada (até hoje, todos que tomaram nas primeiras 48 horas do sintoma se curaram). Inventaram que a HCQ causava cegueira, problemas renais, cardíacos e mortes.

    Curiosamente, a própria Rede Globo, em 2016, recomendou a HCQ no Jornal Nacional para o combate da Zika, e fez questão de enfatizar que era um remédio seguro, liberado, sem efeitos coletareis e recomendado até para mulheres grávidas — o contrário de tudo que ela fala hoje.



    E aí?
  • Revoltado  25/09/2020 15:00
    Em países governados pela direita, a oposição de esquerda e a mídia defenderam lockdown (pois sabiam que isso ferraria a economia e, em tese, destroçaria a popularidade do governante de direita).

    ==== Sem contar o fato que NENHUM dos ditos periodistas tem até aqui criticado a postura chinesa de omitir dados sobre a COVID19 quando surgiu em 2019 em Wuhan. Inclusive um empresário local ganhou 18 anos de prisão por chamar Xi JinPing de "palhaço".

    A única diferença entre os dois cenários é que a mídia se tornou militante apenas no primeiro.

    Aqui no Brasil, vários jornalistas falavam abertamente em seus Twitter, em tom de comemoração, que a popularidade de Bolsonaro iria desabar "graças" ao colapso econômico gerado pelo lockdown.

    Nos EUA, mesmíssima coisa.

    Curiosamente, a própria Rede Globo, em 2016, recomendou a HCQ no Jornal Nacional para o combate da Zika, e fez questão de enfatizar que era um remédio seguro, liberado, sem efeitos coletareis e recomendado até para mulheres grávidas — o contrário de tudo que ela fala hoje.

    ==== Nem é necessário ser favorável ao governo atual para notar a parcialidade dessa imprensa-marrom! Como escrevi antes, é tudo tara ideológica! Se hoje o Bolsonaro declarasse que recomenda a introdução de ozônio no canal reto do cidadão suspeito de Coronavirus, amanhã no máximo a extrema-imprensa teria opinião quanto à inserção de objetos (fálicos sobretudo) sobre o referido canal, empurrando esfíncter adentro bastante similar ao do pastor Silas Malafaia ou do chefe de estado russo quanto à paradas d orgulho LGBT.
    Em suma, basta o chefe do Executivo brasileiro dizer "A" para que o beautiful people do Leblon/Vila Madalena defenda "B", mesmo que seus políticos de estimação porventura apóiem "A".
  • rraphael  24/09/2020 21:33
    aqui tem uma boa sintese da imprensa (ainda sem o coronga) :

  • Revoltado  25/09/2020 14:34
    Raphael,

    Jornalistas atuais (em imensa maioria) não passam de "publicitários da Esquerda". Não existe profissional mais tarado ideológico que o tal do periodista.

    É a úncia categoria de trabalho que regojiza em ver colegas sendo prejudicados por governos aos quais se masturbam e ver o resto da sociedade definhar por conta dos mesmos.

    È claro que não orgasmam, quando são os próprios os afetados.
  • Fritz inteligente e educado  25/09/2020 15:56
    Pois é Revoltado, sempre que eu digo que jornalista não precisa de faculdade, na verdade nem sequer ensino médio, já me olham como se eu estivesse defendendo o tal bigodudo do gás.
    Mas é, frequentemente vemos "jornalistas" formados em universidades de renome cometendo erros dignos daqueles estagiários com QI bem medíocre, sendo totalmente partidários enquanto se dizem ideologicamente neutros ou simplesmente mentindo na cara dura. Enquanto isso vejo em blogs e no youtube pessoas formadas em outras áreas ou mesmo sem diploma nenhum fazendo um ótimo trabalho em todos os sentidos.
  • Jovem trader  24/09/2020 23:55
    Day Trade funciona ou não? é possível? quem aqui recomenda e quem não recomenda?

    Anos de estudo e tal da?
  • Estado o Defensor do Povo  25/09/2020 02:46
    Claro que funciona, basta você saber o que está fazendo e definir quais são seus objetivos, aliás, qualquer coisa funciona quando você se prepara o suficiente com objetivos "realistas"(algo difícil de avaliar, mas seria mais ou menos algo como estabelecer metas a curto prazo que são factíveis probabilisticamente com os recursos que você tem no momento), se você quer ganhar 4 mil reais por mês, day trade pode ser uma opção caso tenha competência o suficiente, ganhar mais de 15 mil ? Talvez se você for muito muito bom, mais de 100 mil? Aí seilá, melhor tentar outra coisa se for esse o caso.
  • Estado o Defensor do Povo  25/09/2020 02:50
    Vi um dado estatístico de que menos de 10% dos day traders têm lucro? E a média do que eles ganham por mês é 6 mil, tenha isso em mente antes de investir seu tempo nisso, mas eu não quero te desmotivar não, como eu falei, qualquer coisa funciona se você se preparar o suficiente (e ter um pouco de sorte), nada lhe impede de ganhar uma grana boa fazendo day trade.
  • Trader  25/09/2020 03:29
    Eu não recomendo. É o caminho mais curto e rápido para a falência e o desespero.

    O problema de day trade é que é muita emoção e pouca razão. Você vai levado pelo flow. Se está ganhando, quer ganhar ainda mais. E aí perde tudo. E se está perdendo, redobra a aposta achando que o mercado vai virar. E aí toma mais ferro ainda.

    Você pode ter a certeza absoluta de que uma ação vai subir, e muito, no curto prazo. E pode até estar certo. Mas nada impede que ela caia forte em um dia de alta volatilidade. E aí você perde toda a aposta.

    Principalmente no Brasil, país em que a bolsa está intrinsecamente ligada ao noticiário político. Ou seja, mais do que estudar balanço de empresas, você tem de adivinhar qual será a merda política do dia em Brasília.

    Repense.
  • Analista de Risco  25/09/2020 13:05
    Não, não funciona.

    DAY TRADE É CASSINO, MUITO MAIS SORTE DO QUE TÉCNICA, DIZ PESQUISADOR

    Os movimentos dos preços no curto prazo são aleatórios, o que faz com que seja impossível saber se determinado ativo vai subir ou descer dentro desse pequeno intervalo de apenas 1 dia (ou algumas horas).
    E isso nada tem a ver com dedicação, estudos ou objetivos.

    Os desvios tendem a ser suavizados com o passar do tempo, por isso ouve-se tanto que investimento em renda variável é para o longo prazo. Aí sim é possível gerar valor.

    O problema do daytrade piora quanto leva-se em conta um aspecto de economia comportamental: ganhos e perdas são percebidos de formas diferentes. Estima-se que impacto de uma perda seja 3x maior que o de um ganho. Dessa forma, cada vez que se perde (e isso inevitavelmente irá acontecer, além dos próprios custos de operação), há uma tendência em aumentar a aposta para compensar (o famoso dobro-ou-nada).
    Tal fato foi observado no estudo acima, o que quer dizer que o tempo (ou a tal "experiência"), na verdade, joga contra o investidor.

    Ademais, segue o relato de um daytrader levado ao extremo.

    A única forma de ganhar dinheiro com daytrade é "vender cursos para otários".
  • Perifento.  25/09/2020 15:13
    Faça trade apenas com 20% do seu patrimônio e isso tem que ser uns 30 ou 40 mil reais para operar com força e ver dinheiro em poucos trades quando a oscilação é favorável, e sempre tenha um plano de curto e longo prazo. Tenha em mente que isso traz um ganho de R$2.000 ou R$3.000 ao mês, se for frugal isso dá e sobra.

    No trade ganho metade que no meu antigo emprego e o mesmo que um motorista de Uber, porém se o mercado vier abaixo igual março eu faço 6 figuras e poderei ficar sossegado com dinheiro pelos próximos 10 anos, e no mesmo evento um empregado qualificado regular e o motorista de Uber ganharão quanto? Aí é que está a diferença entre ser trader e ter um plano.

    Se for fazer trade só pelos R$3.000 reais recomendo que não faça, estude mais e projete um plano de longo prazo antes.
  • Imperion  26/09/2020 17:05
    Quando num ciclo econômico o governo estimula a expansão monetária, as pessoas gastam mais, tomam empréstimos, compram produtos financeiros, e estes sobem por causa dessa artificialidade toda. Depois têm que pagar os empréstimos quando os ativos se desvalorizam.

    As pessoas se acham gênios financeiros, mas estão surfando na bolha gerada pelos juros baixos. Nessas horas, engraxates jogam na bolsa. O que tem de Youtubers entrando nessa e fazendo propaganda…

    Todo mundo se acha gênio, mas na subida da bolha todo mundo ganha. Os produtos financeiros estão encarecendo.
    Mas segundo a TACE, por padrão, o governo não consegue manter os juros baixos para sempre. E quando ele subir, os ativos se desvalorizarão e quem comprou na alta e tomou empréstimos para fazê-lo vai pagar o preço.

    Tenha precaução pra entrar nisso.

    O Brasil não tem fundamentos sólidos pra segurar a inflação. Tem muito menos condição que uma economia desenvolvida pra manter os juros baixos, como agora.

    Essa farra de agora tem data e hora pra começar a acabar. Os juros vão voltar a subir. Os políticos sabem de antemão que o que fazem produzem esses movimentos. E compram de antemão. É um jogo de cartas marcadas.
  • Rafael  25/09/2020 02:08
    Olha só. Quem diria?

    ~ "LOCKDOWN foi um erro monumental e não deve ocorrer novamente" - Boris Johnson

    www.express.co.uk/life-style/health/1320428/Coronavirus-news-lockdown-mistake-second-wave-Boris-Johnson
  • Thiago  25/09/2020 11:31
    Uai, tem uma semana que ele disse que se os casos começassem a subir novamente, teria novo lockdown.

    Mudou de idéia?

    E pode ter certeza que a mídia socialista vai fingir que nem viu essa noticia, não teremos nada disso informado por aqui.
  • Analista de Risco  25/09/2020 13:08
    Isso é old news.

    Menos de um mês após esse anúncio, já estão fechando tudo novamente...

    The UK's new lockdown rules (and local lockdowns) explained
  • João Carlos da Cunha  25/09/2020 03:50
    Nunca a direita, esquerda, centro políticos estiveram preocupados com o País ou seus cidadãos - seus objetivos são, tão somente, poder e o correlato dinheiro.

    96% da população brasileira é analfabeta e sem educação, real ou funcional. Estes garantem aos políticos bandidos uma capacidade de manipulação política muito efetiva.

    A truculência e pouca capacidade mental dos militares, inclusive do presidente deste país, é capaz de ações radicais e patrióticas, desde que seus interesses pessoais (os filhotes Eduardo Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, Rogéria Bolsonaro (ex-esposa) e sua casta atual esposa não estejam em jogo.

    Estamos vivendo um militarismo às avessas - ao invés de patriotismo, temos a corrupção; ao invés de lealdade a espoliação; ao invés da ética e moral, a lei de Gerson; ao invés de planejamento e ações estratégicas para o pais num horizonte de longo -prazo, a visão de curto-prazo, imoral, visão imediatista, lei de Gerson, roubar enquanto pode, tirar vantagem, aproveitar as benesses do cargo, legislar em causa própria, conchavos entre judiciário-legislativo - judiciário. Enfim, pobre Brasil e pobre brasileiros!
  • Ex-carioca  25/09/2020 18:56
    Concordo 100% com você. Veja você a notícia de ontem com o Salim Mattar (tava demorando para ele falar a verdade)

    "o ex-secretário especial de Desestatização e Privatização diz que o presidente abandonou a agenda liberal de olho na reeleição e que o ministro da Economia e seu ex-chefe, Paulo Guedes, está sendo "tolhido" por militares e outros ministros..." - Veja mais em economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/09/24/salim-mattar-ex-secretario-bolsonaro-privatizacao-marcos-cintra.htm?cmpid=copiaecola

    Alguma novidade? O presidento Dilmo sempre viveu de dinheiro público com seus filhos parasitas e sempre sindicalizou para funcionário público (militar e policial). Submeteu vergonhosamente aquele plano de carreira para os militares paralelamente à reforma previdenciária. E, pior de tudo, desidratou a reforma administrativa para não incluir os servidores atuais, dando uma de joão sem braço alegando que não poderia propor algo do tipo.

    Com ctz o presidento Dilmo é menos pior que Haddad, porém está muito, MUITO LONGE de ser alguém minimamente decente para destravar o Brasil do funcionalismo público.

    O futuro do Brasil é a Argentina. Daqui 2 anos a esquerda vai entrar de voadora e muito mais radical.
  • anônimo  25/09/2020 20:32
    Olha, digo mais. Após anos e anos de picaretagens, sei não se em breve não vai eclodir uma guerra civil por essas bandas. Chuto que em breve as regiões mais desenvolvidas vão querer se separar da federação da Alice no país das maravilhas. Acho que a região sul e centro-oeste vão ser as primeiras, com a sequência de outros estados que flertam ou já flertaram com a ideia (Pernambuco, São Paulo). Vão vendo.
  • Jojo  25/09/2020 22:28
    Pior que é isso mesmo. Ou Paulo Guedes faz um milagre pouco provável, ou a esquerda volta ainda mais radical. O Brasil irá sofrer a mesmíssima coisa que a Argentina se continuar no mesmo curso que está.
  • Sadib  26/09/2020 17:12
    O pior de tudo é que o nome dos liberais de verdade ficará sujo (igual acontece na Argentina), e ficará mais dificil ainda ideias verdadeiramente liberais prosperarem por aqui. Virão com aquele discurso que os neoliberais quebraram o país, só privilegiaram banqueiro, a fome aumentou, e toda a conversinha de sempre.
  • Rene Kultz  25/09/2020 16:10
    O que mais assustou nesta história toda é o fato de que várias pessoas discutiram se as medidas de Lockdown funcionavam ou não. Mas quase ninguém questionou a legitimidade dos governos de implementar essas medidas. Não teve um fórum para discutir o que poderia ser feito quando a doença surgiu. Ao invés disso, o plano veio pronto de uma ditadura comunista e foi seguido por vários países do mundo, mesmo que a legislação local proíba explicitamente o governo de tomar essas medidas.
  • anônimo  25/09/2020 17:00
    A liberdade está morta. Não sobrevive nem a um resfriado, quem dirá uma classe política bem estabelecida e um paradigma estatista. A liberdade está mais em risco do que qualquer grupo de risco. Este ano foi o colapso de toda e qualquer esperança para o Bananal. Já nada mais importa. Precisamos nos articular ao redor da triste realidade que de libertário todo mundo tem um pouco, mas isso não importa. As pessoas não importam, nem mesmo o presidente da república.

    Da forma como está não há mais futuro.
  • Jojo  25/09/2020 22:02
    Poderiam fazer um artigo sobre a situação atual da Argentina?

  • anônimo  26/09/2020 08:17
    Nada de novo. Outro país da América do Sul que vive rolando golpes atrás de golpes, sejam internos ou externos. Não duvido que por lá vá acontecer em breve uma secessão, assim como foi comentado mais acima em relação ao bananil.

    E outro, o cara me fala no vídeo sobre o Mercosul. Tá de brincation, fulano? Esse Mercosul é uma piada, alguém aqui encontra em um mercado uma variedade de produtos desses países além de uma dúzia de vinhos e tomates enlatados?

    O Paraguai seria o único que poderia trazer algum benefício já que possui baixas tarifas de importação, mas os bondosos burocratas bostileiros estipularam uma cota máxima ridícula de produtos que você pode trazer de lá sem pagar imposto ou tomar uma surra da polícia federal. Viva la revolución Hermano!!!
  • Jovem trader  25/09/2020 23:16
    Quais as consequências no futuro da politica do BACEN e do PG? Bolhas? Crise igual a PETISTA? Inflação?
  • anônimo  26/09/2020 03:54
    Não precisamos esperar o futuro
    Várias noticias de desabastecimento de insumos, IGP-M em 2 dígitos, curva longa de juros mais inclinada, na prática deixando o crédito mais caro hoje do que quando a selic estava em 4%, tesouro encontrando dificuldade para encontrar compradores de títulos, dolar sem fluxo ao Brasil deixando o câmbio instável.
    Inflação real, aquela que considera a cesta de consumo de uma pandemia, bem maior que a oficial(IPCA).

  • Felipe  26/09/2020 13:02
    Inflação, sem dúvidas. É questão de tempo para ela voltar a ficar generalizada. Tenho medo do que a equipe atual do BCB vai querer fazer.

    Crise pior do que a do petismo já estamos tendo, já que meses de lockdowns perpetrados por governadores e prefeitos foram mais destrutivos do que anos de governo Dilma. O governo federal, entretanto, piorou as coisas, pois destruiu a moeda e fez explodir os custos de produção, coisa que não está acontecendo com outros países.
  • Tiano  28/09/2020 00:43
    Lockdown?
    O Brasil ficou longe de um lockdown. Praticamente todas as atividades econômicas estavam liberadas para funcionar. Tirando os bares e shoppings que ficaram fechados uns 2 ou 3 meses mas que hoje estão todos normais.
    Empresários bons de verdade conseguiram se reinventar. Não adianta culpar o governo, é o consumidor que mudou nesse novo normal. Quem não entender isso pode ficar na cama pra chorar pois lá pelo menos é quentinho.
    Basta ver que os maiores empresários do ramo de tecnologia se deram bem. O negócio agora é ficar atento ao novo comportamento do consumidor
  • Imperion  26/09/2020 16:51
    O provável: o deficit fiscal é 11 por cento do PIB. Isto quer dizer que o governo gasta 11 por cento do PIB acima do que arrecada. Como ele não para de gastar, ele rola e emite título pra continuar gastando.

    O endividamento dele vai passar o PIB em um ou dois anos.

    A farra terá que acabar. Como continuar gastando é inflacionário, ele não conseguirá manter os juros baixos por muito tempo. Ele vai subir os juros.

    Pela TACE, quando o fizer, freará a expansão monetária e o país de novo entrará em recessão.
    Esse é o provável de acontecer.

    E como inflação derruba o real, o ouro vai continuar se valorizando. E o dólar dificilmente vai perder para o real. Eles erram, mas o real erra mais.
  • Cuca Estival  26/09/2020 19:44
    É factível, mas com juros mais altos o dólar tende a cair e tornar mais barato insumos e capital, ou não?
  • Imperion  28/09/2020 14:24
    A tendencia atual é mais inflação. O governo continua com várias medidas inflacionárias. E deve continuar assim por mais cinco anos. É um governo demand side. Não olha a oferta como se deve. No curto prazo isso não deve ser resolvido. 
  • anônimo  26/09/2020 18:13
    As consequências? A canhota voltará com tudo em 2020. A prévia disso serão as eleições para as prefeituras das maiores cidades. Vai dar PT, PDT e PSOL a rodo. Nem preciso dizer que vão prometer mundos e fundos e o povão vai comprar a causa.

    PS.: Em um futuro mais ou menos longínquo o cenário será esse: uma terra cheia de velhos pobres e jovens cracudos, e como os políticos não vão conseguir cobrar tributos deles, vão arrendar para grupos estrangeiros o que estiver a disposição: terras para agricultura, minas, água doce, madeira..
  • Ex-carioca  26/09/2020 19:53
    Não temamos o futuro. Está tudo sob controle (CONTROLE DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS).

    g1.globo.com/politica/noticia/2020/09/26/em-meio-a-crise-e-pandemia-um-em-cada-quatro-servidores-publicos-recebera-promocao-salarial-em-2020.ghtml

    g1.globo.com/politica/blog/julia-duailibi/post/2020/06/30/ministerio-publico-pede-ao-tcu-suspensao-de-gratificacao-a-militares.ghtml

    g1.globo.com/politica/noticia/2020/09/24/ministerio-publico-pede-ao-tcu-suspensao-da-promocao-de-mais-de-600-procuradores.ghtml

    economia.estadao.com.br/noticias/geral,uma-semana-antes-de-promocao-em-massa-da-agu-tcu-promoveu-39-servidores,70003452445



    Li uma nóticia há um tempo atrás, porém não encontrei o link para colocar aqui. O autor fez um levantamento e constantou que quase metade do congresso nacional tem algum vínculo com o funcionalismo público.

    Quando findar a lei que impede o aumento dos servidores até 2021, eu aposto que haverá uma explosão de aumento represados.
  • O que vai ser do mundo?  26/09/2020 21:05
    Estou muito preocupado com o futuro do Ocidente, me acalmem por favor. Olhem o que esta acontecendo, a midia esta credenciando quebra quebra nos EUA, estão impondo guela abaixo pronome neutro em empresas e sociedades, liberdade de expressão nem existe mais!!! E as pesquisas novamente apontam BIDEN com mais vantagem que Hillary em 2016, aqui no Brasil mostra Bolsonaro favorito mas acho que mudaram a estratégia, vão tentar a estratégia oposta aqui já que não funcionou mostrar rejeição do Bolsonaro.

    A china com passe livre e irresponsabilidade de fazer o que quiser, credenciado pela midia. E ai cara aonde vai parar isso, cade as pessoas pagam por isso, a midia vai ser assim até quando? E nossa liberdade? Eu não quero ser preso por não usar pronome neutro
  • Regirock  26/09/2020 21:07
    OFF TOPIC

    Olá amigos do Instituto Mises, estive pensando em investir em ouro para o longo prazo visto alguns excelentes artigos publicados nesse site e a desvalorização progressiva do real. Entretanto, frente as escolhas possíveis me surgem algumas dúvidas:

    1 - No caso de fundos de investimento como o da Orama ou da XP, há a cláusula que afirma que o investidor pode ser chamado a aportar novos valores para cobrir prejuízos do fundo. Não seria isso um risco excessivo visto que esses fundos operam alavancados podendo ultrapassar o patrimônio líquido do fundo? Caso eles quebrem além de perder o dinheiro o investidor também ficaria endividado?

    2 - No caso de comprar ouro pela B3, visto que os preços de OZ1D são proibitivos para aportes mensais, seriam OZ2D e OZ3D boas alternativas mesmo tendo menor liquidez? Ou estes não devem ser utilizados para fazer reserva de valor como pretendido?
  • Trader  27/09/2020 00:40
    1) Absolutamente todos os fundos de investimentos, de todos os tipos, têm essa cláusula. Relaxa, ela nunca é usada.

    2) Se está inseguro, abra conta no Mercado Bitcoin e compre PaxGold. Mas leia muito a respeito antes. Quando se trata do seu dinheiro, só faça algo quando se sentir seguro.
  • Anon  02/10/2020 23:35
    Tem tb a possibilidade de comprar na Parmetal e na Ouro Minas. Pode comprar pouco e são confiáveis.
  • Joao Paulo  27/09/2020 20:11
    E o Capital Imoral? Desistiu de comentar ou tá com medo de pegar Covid pela internet? As piadas dele são hilárias.
  • WMZ  28/09/2020 03:09
    g1.globo.com/mundo/noticia/2020/09/27/como-funciona-a-economia-de-belarus-a-ultima-planificada-da-europa.ghtml

    Belarus é uma economia planificada e as taxas de pobreza são pequenas.
  • Eduardo  28/09/2020 14:19
    Não há planificação econômica nenhuma na Bielorrússia. O país está na posição 88 no ranking de liberdade econômica da Heritage. O Brasil está em 144.

    www.heritage.org/index/country/belarus

    Ou seja, o Brasil é muito mais planificado que a Bielorrússia (pois é).

    A carga tributária da Bielorrússia é ridícula. O IRPF tem alíquota de 13% (no Brasil é 27,5%). O IRPJ tem alíquota de 18% (no Brasil, 34%). A carga tributária total é de 25% (no Brasil é de 40%).

    A facilidade de se empreender por lá é maior do que no Brasil. As tarifas de importação estão abaixo de 2%.

    O que segue amarrando a economia é que ela cheia de estatais, que não concorrem com o setor privado (são protegidas).
  • Felipe  28/09/2020 16:24
    A coisa está tão feia que a atual Bielorrússia é governada por um ditador socialista há décadas. A moeda deles também desvalorizou menos do que a nossa nesse ano, além do fato de que eles sequer cogitaram em lockdowns.

    Agora ele corre risco de cair. Lukashenko é um monstro, o problema é se no lugar dele entrar um cara pior. Só consigo me lembrar do Iraque e da Líbia.
  • O Demoniocrata  14/12/2020 20:01
    Piorque Lukashenko é o estado democrático de direito. Neste arranjo, troca-se um ditador por centenas de milhares de microditadores (conhecidos também como políticos e funcionários públicos), igualmente famintos por poder e privilégios, abusados, violentos, violadores de propriedade privada e vagabundos
  • Pergunta de leito  28/09/2020 12:07
    O que explica o boom de venda de materiais de construção nos últimos meses?
  • Guilherme  28/09/2020 14:20
    Pessoas fazendo reformas em suas casas. Tenho uma prima que é arquiteta. Ela disse que, pela primeira vez na vida, teve de recusar pedidos, tamanha era a demanda.

    Agora, por que todo mundo resolveu reformar a casa ao mesmo tempo eu já não sei. Mas certamente teve algo a ver com a quarentena.
  • Trader  28/09/2020 14:49
    Concessão de crédito imobiliário:

    ibb.co/SmZZdPV

    Saldo de crédito imobiliário:

    ibb.co/wh6nrPQ

    Acelerou forte em 2020. Certamente relacionado aos juros historicamente baixos.

    Junte a isso o fator quarentena, com todo mundo preso em casa e querendo reformar, e você tem essa combinação perfeita. E explosiva.
  • Felipe  28/09/2020 16:21
    Acho que é por isso que aquário de vidro ficou tão caro... os vidros devem ter se encarecido.

    Só eu que acho surpreendente esse otimismo em querer reformar casa mesmo nesse caos dos lockdowns e coronavírus?
  • Thiago  28/09/2020 18:31
    Em breve teremos um surto enorme de leilões de recuperação de imóveis. E não vai demorar. O brasileiro não tem mesmo a mínima idéia do buraco em que o país está indo.
  • Imperion  28/09/2020 20:14
    Baixaram o juros pra 2 por cento, o que dá juros negativos. Quando um BC abaixa os juros, diminuem os custos para empréstimos. Então as pessoas emprestam mais: pra comprar ações, gastar, rolar dívidas. E isso aumenta a inflação daquilo em que se está gastando.

    Some-se a isso o fato de que ficam criando crédito direcionado... E uma das modalidades é o credito imobiliário. Se o governo dá dinheiro pra comprar casas, as pessoas compram casas, a corrida faz subir os preços, o que faz com que se compre novas casas: afinal as pessoas fazem isso pra ganhar na valorização. Isso gera bolhas.

    Na hora em que se aumentar os juros de dois pra dez outra vez, ou o governo cortar o crédito subsidiado direcionado à construção, ocorrerá o movimento oposto. O preço das casas diminuirá e os pedidos de construção cairão. Pois tem menos dinheiro pra financiar a expansão artificial.

    Quem reformou deve ter aproveitado pra vender antes de cair. Ou novamente acharam que ia durar para sempre.
  • AMAURI JOSE JUNQUEIRA  02/10/2020 00:27
    A verdade é que a sucessão de bobagens começou lá fora. O vírus já era conhecido em dezembro de 2019, porém os governos aguardam os protocolos de pandemia, quando o mundo todo já está infectado, para agir. Apesar de ser um vírus comum, seus efeitos não são comuns. Perdi vários amigos que possuíam doenças simples, que se agravaram com o vírus. É óbvio que o lockdown não era a solução, mas também menosprezar como gripinha não era também. Um erro que vem da presidência até vereadores. Pobres lideranças.
  • Judeu  02/10/2020 03:07
    E eram pra fazer o quê?
  • L Fernando  14/12/2020 19:16
    Esqueceu de por a tua solução, já que todos erraram.
    Virus afetou as pessoas que nunca tiveram cuidados com elas mesmo, sistema imunológico baixo e com pessoas que tiveram uma carga viral muito alta.
    E ainda o presidente foi o único que preconizou o tratamento precoce, que na minha opinião é o responsável entre ficar doente ou ser um gripizinha
    Letalidade extremamente baixa.
  • Intruso  15/12/2020 00:38
    Então na sua visão a culpa é da vítima.
  • L Fernando  15/12/2020 01:59
    Cada um é responsável pelo seu estilo de vida e hábitos.
    Existem horrores de doenças que são originadas nisso
    No caso do virus é evidente que estaremos sujeito a sermos infectados, mas não foi isso que eu me referi.
    Se a culpa não é da vitima , muito menos do Birolito

    O que o lockdown ou uso de máscaras resolveu?
    Elevar a imunidade, VITAMINA D sempre foi a melhor saida.
  • Richard  15/12/2020 11:34
    Por mais que eu não considere esse vírus tão 'fodão' quanto a galera por a fala, seu argumento de culpar a vítima por não cuidar da saúde beira o cômico kkk
  • L Fernando  15/12/2020 18:56
    Mas de a sugestão do que se poderia ter sido feito.
    Sempre existiram virus na evolução da humanidade
    Não existem vitimas, existem pessoas. Ccômico é tu afirmar que uma pessoa que seja infectada é uma vitima
    Só se for vitima do virus, então que se processe o virus
    è patético alguém não entender que hábitos e estilo de vida influenciam em tudo.
  • Gustavo Henrique  14/12/2020 20:22
    Qual a sugestão para os leitos de UTIs com 100% de ocupação, senão impedir que mais pessoas peguem o vírus ao mesmo tempo?

    Acho engraçado a ingenuidade de pensar que em uma sociedade privada não ocorreriam restrições.

    Claro, existe o autoritarismo, ele foi manifestado na pandemia; políticos, como sempre, tomaram decisões erradas... Porém impedir que muitas pessoas pegassem o vírus ao mesmo tempo é a única tática para se evitar o esgotamento de leitos de UTI.

    Obs.: eu não concordo com lockdown, o jeito que foi feito no início da quarentena foi estúpido, empresas não poderiam deixar de trabalhar, mas restrições tinham que ser impostas por quem é responsável pela gestão e infelizmente ainda não estamos em uma sociedade privada.
  • Márcio  14/12/2020 20:33
    Meu caro, quando foi que UTI nunca esteve lotada? Quando foi que os hospitais do SUS estiveram com capacidade ociosa? É nessa hora que a gente vê o descolamento de alguns em relação à realidade.

    Desde que me entendo por gente, sempre ouço dizer que "faltam leitos nas UTIs" do sistema público. Aí, do nada, no mundo da Covid, todo mundo passou a falar da escassez de leitos como se fosse algo completamente inédito no Brasil.

    O mais legal é que, do nada, começaram a falar do SUS como se apenas agora ele estivesse com sobrelotação. Ora, UTI no SUS sempre foi lotada. Sempre. Aliás, é incrível como muita gente argumenta como se antes de março de 2020 o SUS fosse uma beleza. Já se esqueceram dos pacientes pelos corredores, das filas intermináveis e das demoras de meses para marcar um exame. E das UTIs sempre entupidas.

    É realmente impressionante como o povo acredita e repete igual cordeirinho em tudo o que a mídia diz.


    P.S.: dado que Lockdown comprovadamente não funciona, cabe a você explicar como é que tamanha destruição econômica melhoraria a situação das UTIs.
  • Gustavo Henrique  14/12/2020 22:59
    Quando foi que hospitais privados tiveram lotação de 100% em UTIs? Mesmo no SUS, acontecia menos do que os problemas usuais do péssimo sistema.

    Detalhe, isso estava acontecendo ao redor do mundo todo, em alguns locais os médicos foram obrigados a escolher quem viveria e quem morreria...

    Não defendi lockdown.
  • Márcio  15/12/2020 00:18
    "Quando foi que hospitais privados tiveram lotação de 100% em UTIs?"

    Nem mesmo hoje. No Brasil inteiro não está tendo ausência de UTI. No máximo, você encontra umas chamadas sensacionalistas da Globo dizendo que tal cidade está com as UTIs lotadas. Mas quero ver alguém provar que o Brasil inteiro está sem UTI.

    "Mesmo no SUS, acontecia menos do que os problemas usuais do péssimo sistema."

    Você está dizendo que hoje o SUS está pior do que jamais esteve? Não que eu duvide (pois a tendência de fato é que hospitais estatais piorem continuamente), mas há alguma fonte confiável e imparcial?

    "Detalhe, isso estava acontecendo ao redor do mundo todo, em alguns locais os médicos foram obrigados a escolher quem viveria e quem morreria…"

    Sim. Nos hospitais estatais da Europa. Qual o espanto?
  • Márcio  15/12/2020 17:33
    Pedi comprovação para a sua afirmação de que o Brasil inteiro está sem leitos de UTI, e você fala de Birigui, Indaiatuba e de um (um!) hospital de Salvador…

    Colapso! Vamos fechar o país!
  • Victor  15/12/2020 06:01
    Meu caro, quando foi que UTI nunca esteve lotada? Quando foi que os hospitais do SUS estiveram com capacidade ociosa? É nessa hora que a gente vê o descolamento de alguns em relação à realidade.

    Não é verdade que "as UTIs sempre estiveram lotadas". Hospitais reservaram leitos exclusivos para tratar pacientes de covid. São leitos que não podem ser utilizados para nenhuma outra finalidade, portanto, não são afetados pela lotação dos hospitais no geral. No mês de outubro, quando houve uma considerável diminuição de casos, havia vários leitos livres. Como estavam reservados para covid e não podiam ser utilizados para outro fim, ficaram ociosos.

    Se pesquisar no Google por 'covid leitos livres outubro' encontrará notícias de várias cidades reportando que havia dezenas de leitos livres naquela época - algumas capitais reportaram ter mais de 70 leitos livres. Tanto que prefeitos e governadores chegaram a relaxar as restrições impostas, não por serem "bonzinhos", mas porque, com tantos leitos disponíveis, o sistema estava operando com relativa folga e não havia mais necessidade de tantas restrições.

    Só recentemente os casos voltaram a aumentar e esses leitos, outrora ociosos, voltaram a ser ocupados e a UTIs voltaram a atingir a capacidade máxima ou estão perto de atingi-la.
  • Ex-microempresario  15/12/2020 17:44
  • Richard  14/12/2020 21:24
    Gostaria eu de acreditar que temos poder de acabar com essa corja de ditadores enrustidos.
    Nada como viver a liberdade interna e esquecer o externo, já 'elvis'.
  • rraphael  15/12/2020 00:41
    final de contas : 2020 termina da mesma forma que começou, o setor de saude uma porcaria, educaçao pior ainda, moeda lixo, contas publicas horriveis, agora com uma penca de novos acolitos autoritarios

    o povão que passou o ano inteiro se escondendo do inevitavel e saiu bovinamente pra votar e legitimar todo esse circo

    sociedade ta de parabens, mostraram que tem todo direito de viver numa jaula , e a grande imprensa mais que merecido o titulo de industria decadente

    fica a confirmação de seguir as proprias convicções e paciencia pra lidar com a nova estupidez humana, pra turma que so agora aprendeu a lavar a mao qualquer espirro vai ser motivo pra briga e benção pra burocratas perseguirem inocentes
  • Mateus Bernardino  15/12/2020 00:52
    "3) O lobby empresarial é bem menos poderoso do que se imaginava."

    Essa asserção necessitaria uma investigação ou exploração pelo benefício da dúvida, por curiosidade. Primeiro porque aparentemente a pressão política "pró vs. contra" medidas restritivas de liberdades fundamentais e até comerciais mobilizou grandes interesses em ambos os lados, independente das somas levantadas - o poder do lobby vai além de valores pecuniários. Depois porque em teoria houve muita mobilização de uma parte importante de determinados grupos diretamente implicados na "contenção da pandemia", envolvendo somas colossais e dinheiro público em licitações, normas de segurança sanitária e mercados públicos etc., tanto pelos políticos quanto pelos produtores. Finalmente porque essa pandemia curiosamente beneficiou alguns ou prejudicou muito menos os grandes grupos do que pequenos, normalmente empresas multinacionais endossando toda essa agenda pró-lockdown. Vale reflexão sobre essas coisas.
  • Régis  15/12/2020 14:02
    A esmagadora maioria dos empreendedores, que é formada por micro, pequenos e médios, se ferrou completamente. Não conseguiram nem convencer prefeitos a deixarem-nos continuar funcionando.

    Qualquer prefeitinho de bosta do interior (sei do que falo porque moro no interior) conseguiu fechar restaurantes, bares e comércio sem ter de responder a qualquer contestação jurídica.

    Isso comprova que a classe empresarial (com a óbvia exceção dos megaempresários, que estão em conluio com os políticos) não tem poder nenhum. Se apanharam até pra prefeitinhos, imagina pra poderosos governadores.

    P.S.: se você duvida disso, encontre um pequeno empresário que tenha se dado bem nestes lockdowns. A maioria está na penúria, completamente desesperada.
  • Revoltado  15/12/2020 16:34
    Não apenas empresas, mas meros locais de entretenimento também padeceram com a situação. Cito em minha cidade um cineteatro que fechou suas portas (talvez) por tempo indeterminado e uma casa noturna voltada ao público LGBT situada na mesma rua em que resido.
    O prefeito local, por um tempo, determinou que os supermercados deveriam fechar nos domingos, o que foi um tiro no pé, dado que aos sábados, a aglomeração humana era expressivamente maior e dois meses depois, ele voltou atrás.
  • Giordano  15/12/2020 14:18
    3) O lobby empresarial é bem menos poderoso do que se imaginava.
    Depende de qual setor...por que as indústrias farmacêuticas ficaram ainda mais fortes!
  • Felipe  15/12/2020 15:50
    Todas as empresas se ferraram na quarentena. Mesmo a grande maioria das farmacêuticas (com a exceção da estatal chinesa, que comprou o Dória).

    Só se deram bem a Amazon (sem lobby e sem auxílio de governos) e a Zoom (sem lobby e sem auxílio de governos).

    Ah, e a Pfizer ficou famosa por não ter recebido auxílio do governo.
  • Imperion  15/12/2020 14:51
    Leandro, supondo que a oferta monetaria estivesse estavel e mesmo assim as pessoas passando a trocar todos os seus reais por bitcoins, qual a relacao que isso teria na moeda fiduciaria nacional? Ela desvalorizaria ?
  • Leandro  15/12/2020 16:28
    Ela se desvalorizaria em relação ao Bitcoin, que encareceria em relação ao real. E isso é tudo o que pode ser dito com certeza. Todo o resto dependeria de inúmeros fatores.

    Entretanto, estando o real com oferta rígida, é muito provável que ele se valorizasse em relação a todas as outras moedas fiduciárias.

    Lembrando que quem está vendendo Bitcoin está recebendo reais. Para todo comprador de Bitcoin (pagando em reais) há um vendedor de Bitcoin (recebendo em reais), de modo que a demanda geral por reais não está sendo afetada em relação a todas as outras moedas.

    Apenas se reais começarem a ser trocados por outras moedas é que podemos inferir o que irá acontecer com a taxa de câmbio do real em relação a essas outras moedas.
  • HeSave  15/12/2020 18:26
    Eu acrescentaria que a Sociedade ainda esta em uma fase de espera, acompanhando os acontecimentos e pensando nos caminhos a serem tomados contra tudo isso. Arrisco a dizer que até pessoas de esquerda vão se levantar contra isto. Assim como o conceito de famílias progressistas as leva a própria extinção, o conceito de destruir a economia, e mais precisamente os governos com dívidas, vai levar a extinção deste projeto. O que fez com que as pessoas ativassem o movimento conservador mundial não foi extinto, apenas suspenso pela farsa da panda vermelha. As pessoas de mentalidade conservadora não mudaram os seus ideais, apenas os deixaram em modo stand by por enquanto. Pode até demorar muito ainda, mas a retomada do movimento conservador mundial vai acontecer de uma maneira ou de outra. Planejadores sempre fracassam em seus resultados mais cedo ou mais tarde, isso é certo. E agora o movimento conservador tem bem claro que são seus adversários. Por enquanto é hora de mostrar as pessoas ao seu redor que prefeitos e vereadores estão lá APENAS para manter a cidade organizada. Isso vale para governadores e deputados estaduais, manterem os seus estados organizados e presidente e congresso nacional, manter o país organizado. Eles s´servem para isso. E então como pode eles estarem fazendo exatamente o contrário?
  • Caroline Correia  16/12/2020 12:40
    Eu aprendi que: Minha liberdade não é, e nunca poderá ser questionada, e isso independe da situação que o mundo passa.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.