clube   |   doar   |   idiomas
Como a agenda ambientalista e a imposição do ESG estão causando uma crise energética global
Ativismo gerou escassez de petróleo e gás, um retorno ao carvão e maiores emissões

Eletricidade racionada na China. Desabastecimento de carvão na Índia. Preço da eletricidade disparando em toda a Europa. Uma busca desesperada por postos que ainda têm gasolina no Reino Unido. Apagões e explosões no Líbano. 

A revista The Economist, em uma ótima reportagem, relata os eventos acima e mostra que os sintomas de uma profunda disrupção nos mercados de energia são globais.

Segundo a reportagem, na Ásia, os apagões são diários, em vários países. E o inverno, que gera um aumento na demanda por energia, ainda está para chegar no hemisfério norte.

Alguns anos atrás, os produtores de combustíveis fósseis teriam respondido a estes sinais enviados pelo sistema de preços aumentando o investimento e a produção. Em 2014, com o barril de petróleo em torno de US$ 100, a petrolífera europeia Royal Dutch Shell fez um investimento de US$ 30 bilhões em projetos de exploração e produção de petróleo e gás. Em seguida, gastou US$ 70 bilhões para adquirir a BG Group, uma rival britânica, para se tornar a maior produtora mundial de gás natural liquefeito.

Mas não desta vez.

Seu investimento em exploração, neste ano de 2021, caiu para irrisórios US$ 8 bilhões. No mês passado, a petrolífera vendeu todos os seus ativos de xisto na Bacia do Permiano, no Texas, para uma rival americana, a ConocoPhillips, por US$ 9,5 bilhões. 

A Shell também está se retirando da Nigéria, país em que ela estava desde 1936. 

Mais ainda: avisou que irá reduzir sua produção de petróleo de 1 a 2% ao ano até 2030.

Recentemente, os preços do petróleo — que chegaram a cair para US$ 20 em abril de 2020, no auge das incertezas quanto aos efeitos da Covid-19 — superaram US$ 80, o valor mais alto desde 2014. 

petro1.png

Figura 1: evolução do barril de petróleo

Já o preços do gás natural na Europa triplicaram desde 2020.

gas1.png

Figura 2: evolução do preço do gás natural na Europa

A demanda por carvão, uma commodity que todos davam como morta, disparou. Seu preço quase quintuplicou desde o ano passado.

coal2.png

Figura 3: evolução do preço da tonelada do carvão

Perguntado sobre o que a explosão nos preços significará em termos de investimento, o diretor de produção de óleo e gás da Shell respondeu francamente: "Da minha perspectiva, nada".

O que houve?

Sinalização de virtude e suas consequências

Preços mais altos não levarão a mais investimentos por um motivo simples: o ativismo dos ambientalistas e a agenda ESG obrigaram as empresas a se afastarem dos combustíveis fosseis.

Ao longo da última década, ativistas climáticos foram bem sucedidos em pressionar governos, bancos e grandes corporações a reduzirem investimentos em empresas de petróleo e gás natural. No início, tais esforços pareciam estritamente simbólicos. Mas, nos últimos anos, esses ativistas foram exitosos e conseguiram retirar investimentos públicos e privados da exploração de petróleo e gás e redirecioná-los para energias renováveis. 

O resultado está sendo a pior crise energética em 50 anos.

Sim, a redução de investimentos na exploração de petróleo e gás não é a única causa da crise energética atual. A recuperação pós-pandemia, guiada por uma maciça expansão monetária, gerou uma explosão na demanda. Está havendo uma escassez de vento (sério) na Europa, o que tornou inúteis as turbinas cólicas e aumentou a demanda por gás natural e carvão. E uma seca no Brasil obrigou o país a importar gás natural.

Mas a principal causa da atual escassez de energia é a redução de investimentos em petróleo e gás nos últimos cinco anos, guiada por preocupações climáticas.

"As considerações da agenda ESG [environmental, social, and governance — ambiental, social e governança] explicam a maior parte do declínio nos investimentos das petrolíferas nos últimos anos", relata o The Financial Times, "bem como o êxodo dos investidores dos mercados de petróleo e gás natural".

A Bloomberg concorda, e acrescenta que "o mercado está hoje obcecado com mudanças climáticas, o que levou a uma redução do apetite para se investir em combustíveis fosseis".

Além do lobby ambientalista, organismos multilaterais e governos de países desenvolvidos têm forçado as empresas e os bancos a reduzirem financiamentos para exploração de petróleo e gás, e a implementarem uma transição rápida para o mundo verde. Tudo isso é falado abertamente.

Investimentos para a exploração de petróleo e gás caíram à metade entre 2011 e 2021, observa o Financial Times. As descobertas de novos campos de petróleo caíram para as mínimas históricas entre 2016 e 2020. E não por uma escassez de petróleo, mas sim por escassez de investimentos em exploração. Hoje, as petrolíferas estão gastando 25% menos do que precisam para manter a produção de petróleo constante.

Como resultado da pressão dos ativistas, governos e investidores passaram a punir petrolíferas e empresas de gás natural. Quando uma despesas empresas, a EOG Resources, anunciou, ainda em fevereiro, que tinha a intenção de expandir sua produção, o preço de suas ações caiu mais do que o de todas as outras empresas do S&P 500. Naturalmente, petrolíferas e empresas de gás americanas, desde então, se recusaram a aumentar sua produção, mesmo com o aumento dos preços destas commodities.

A ideia de responsabilidade social nos investimentos é antiga, mas a agenda ESG foi adotada ao longo da última década por empresas que fazem doações para universidades, bancos de investimento, como o BlackRock, governos, pela Agência Internacional de Energia, pela ONU e, agora, pelas próprias petrolíferas, incluindo-se Shell, Total e várias outras. 

Em maio, um tribunal na Holanda ordenou que a Shell reduzisse suas emissões, uma sentença que tornou outras petrolíferas relutantes em investir em novas explorações de petróleo e gás.

Não é que os executivos das petrolíferas não soubessem que uma redução nos investimentos levaria aos atuais choques de preços. É que eles foram ignorados. Quando perguntaram ao ex-CEO da Exxon, Lee Raymond, o que lhe causava insônia, ele simplesmente respondeu: "estoques em baixa". Os acionistas da empresa haviam exigido que ele parasse de investir. Em 2020, sob a pressão de ativistas climáticos, o JPMorgan Chase, o maior banco de investimentos dos EUA, removeu Raymond de sua função de diretor do conselho da empresa.

"Hoje, o investimento em combustíveis fosseis passou a ser criminalizado, e o financiamento está cada vez mais esparso, com os grandes bancos ocidentais se retirando da atividade", relata o Financial Times. "Devido ao grande período de tempo entre o investimento e o surgimento da oferta, ainda estamos para vivenciar o verdadeiro impacto desta redução na produção  convencional de petróleo e gás. Em outras palavras, a oferta continuará aquém da demanda pelos próximos anos".

Saindo espetacularmente pela culatra

O resultado deste bem-sucedido ativismo climático foi, paradoxalmente, o aumento no uso do carvão e das emissões de carbono (a eletricidade produzida pelo gás natural gera metade das emissões da produzida por carvão).

China, Índia, EUA, Leste Asiático e Europa — todos estão minerando e queimando mais carvão para suprir a escassez de gás natural (vide a evolução dos preços do carvão na figura 3). 

O governo da China recentemente revogou todas as considerações ambientais para a exploração de carvão, ordenou que a produção fosse acelerada ao máximo possível, e impôs blecautes rotineiros devido à escassez de energia.

Especialistas sempre alertaram que o ativismo climático contra o gás natural geraria o efeito contrário. Oito anos atrás, o ativista Michael Shellenberger defendeu o fracking, argumentando que isso faria com que o gás natural se tornasse mais barato que o carvão. E foi realmente o que ocorreu nos anos seguintes. Porém, com o tempo, fracking voltou a ser criminalizado. Essa redução da exploração, ao tornar o gás mais caro, diminuiu a possibilidade se abandonar o carvão.

Ambientalistas também argumentam que petróleo barato aumenta seu uso. Só que o uso de petróleo é extremamente inelástico, dado que automóveis, caminhões e aviões dependem dele. Por outro lado, pouco óleo é utilizado para a produção de eletricidade, de modo que o gás natural é necessário para compensar a intermitência de luz solar e vento.

A prova está nos dados. A fatia dos combustíveis fosseis na produção de energia global se mantém inalterada em 84% desde 1980. Considerando que as emissões na Europa e nos EUA declinaram neste período, isso deve majoritariamente à transição do carvão para o gás natural.

O masoquismo ocidental

Se as coisas estão ruins na Ásia, na Europa, a situação beira o masoquismo.

Com o inverno se aproximando, sem carvão e sem energia éolica (como dito acima, não ventou no continente), o continente está totalmente dependente da Rússia. Mais especificamente, de Vladimir Putin. 

A Rússia oferta metade do gás natural consumido pelo continente, o qual aquece casas e é a força-motriz da indústria. Embora Moscou esteja cumprindo seus contratos de longo prazo, o The Wall Street Journal relata que Putin está se recusando a vender gás pelo preço vigente no mercado spot, cobrando mais caro.

Ainda segundo o jornal, outros oficiais do Kremlin fazem chantagem explícita: se os governos europeu aprovarem o marco regulatório do gasoduto Nord Stream 2, que vai da Rússia à Europa, a oferta de gás será mais abundante. Moscou tem duplo interesse no gasoduto: de um lado, ele irá aprofundar a dependência energética da Europa em relação à Rússia; de outro, o gasoduto irá privar a Ucrânia (cujo governo é inimigo de Moscou) de continuar coletando tarifas sobre o gás que circula nos atuais gasodutos.

O Reino Unido e a União Europeia prometeram zerar suas emissões até 2050. Para isso, fecharam todas as suas minas de carvão e despejaram bilhões em projetos de energia solar e éolica. A Alemanha e vários outros países europeus praticamente baniram o fracking.

Isso transformou os líderes europeus no equivalente a exploradores navais do século XVI, rezando por ventos e clima favoráveis, uma vez que, no continente, os preços da energia dependem inteiramente da quantidade de nuvens e das condições do vento. 

A Alemanha também se deu mal quando a chanceler Angela Merkel decidiu abolir toda a energia nuclear do país em uma reação exagerada ao acidente de Fukushima, em 2011. A última estação nuclear do país será desativada ano que vem. A Comissão Europeia está agora debatendo se deve ou não classificar a energia nuclear como energia sustentável, o que poderia reduzir os custos de financiamento para projetos nucleares. Mas a Alemanha é contra. 

Essa propensão da Europa a se auto-imolar em nome de metas climáticas inalcançáveis — e, consequentemente, ficar totalmente à mercê de Vladimir Putin — é um dos maiores atos de auto-sabotagem da história. E, ainda assim, os líderes europeus irão se encontrar na Conferência Climática de Glasgow, em novembro, para aumentar seu masoquismo energético.

Já o presidente americano Joe Biden parece ansioso para não ficar atrás dos seus congêneres europeus. Seguindo pressões dos ambientalistas, Biden já revogou a licença para a construção do Gasoduto Keystone, que seria construído entre Alberta, no Canadá, e as refinarias do estado americano de Nebraska (de onde ele seria conectado à rede já existente de oleodutos nos EUA, chegando às refinarias do sul do Texas) e também vetou novos projetos de fracking no Alasca e em todas as terras federais do país.

Como resultado, os EUA voltaram a ficar dependentes energeticamente de outros país.

"O presidente Biden efetivamente aceitou a ideia de que os EUA passarão a depender mais de petróleo estrangeiro", observa o The New York Times. "Sua administração vem pedindo à OPEC para aumentar a produção para ajudar a diminuir os preços do petróleo e da gasolina no país, ao mesmo tempo em que busca limitar o crescimento da produção de petróleo e gás no país".

Aumentar a dependência dos EUA em relação ao petróleo dos estrangeiros é uma medida que deixa até mesmo o The New York Times — que sempre defendeu a redução de investimentos em petróleo e gás — nervoso. O jornal recentemente alertou que "EUA e Europa podem se tornar mais vulneráveis às turbulências políticas daqueles países e aos caprichos de seus governantes".

Para concluir

O masoquismo energético do Ocidente beira o inacreditável. Um movimento ambientalista radicalizado em conluio com políticos sem visão fez com que investir em prospecção e refino de petróleo se tornasse uma atividade extremamente arriscada do ponto de vista financeiro. Nenhuma empresa fará investimento de longo prazo — imobilizado capital e recursos escassos — em um atividade que está cada vez mais criminalizada e que, dependendo do governo, pode até vir a ser proibida.

Sendo assim, a realidade será de cada vez menos oferta de combustíveis fosseis e preços cada vez maiores.

Trata-se de um desastre auto-induzido, que foi gestado cuidadosamente. Putin deve estar maravilhado com sua sorte estratégica.



autor

Gustavo Guimarães

é administrador de empresas pela FGV-SP, empreendedor do ramo da construção civil, e autodidata em economia.

 


  • Matheus  29/10/2021 19:17
    Exemplo ilustrativo e cristalino de como uma ideologia insana e minoritária, porém poderosa e com boas conexões políticas leva a decisões imbecis e consequentemente afeta o padrão de vida de bilhões de pessoas.
  • Davidson   06/11/2021 16:24
    Essa ideia já se mostrou um grande desastre, realmente essa ideia parece virtuosa, porém, se pensarmos um pouco lembramos que somos seres perversos e egoístas por natureza quem sinaliza muita virtude é na realidade um grande canalha enrustido, e se eu fosse esses caras que cagam regra em relação a meio ambiente ficaria bem esperto, que grandes players do petróleo tem muita grana e grana é um instrumento muito poderoso e tudo que é muito poderoso devemos antes de tudo olhar com reverência.
  • Matheus  29/10/2021 19:18
    Muito boas as informações. Obrigado ao Instituto por compartilhá-las.
  • David  29/10/2021 19:24
    Gás natural é uma das mais eficientes fontes de energia do planeta. Fornalhas e sistemas de aquecimento que usam gás natural têm uma eficiência de 90% (descontando-se a energia necessária para conduzir tudo pelo encanamento desde a fonte até os imóveis).

    Nunca entendi ambientalistas serem contra o gás natural. A exploração de gás natural deveria ser a prioridade não só de bancos de investimento como também de grupos ativistas ambientais. A própria disponibilidade de energia solar e éolica depende de gás natural. E nenhuma quantidade de dinheiro estatal pode mudar isso.

    Em suma, estupidez total.
  • Ulysses  29/10/2021 19:51
    E a energia eólica é péssima para o meio ambiente. Aliás, é provavelmente pior do que queimar carvão.

    1) Grandes áreas de terra são necessárias para se produzir uma quantidade significativa de energia.

    2) A produção e a instalação de uma única torre gera uma emissão de pelo menos 300 toneladas de CO2 (só o volume de concreto necessário para deixar a torre estável é monstruoso, e penetra muito fundo no solo).

    3) Quando o vento está girando a turbina, a poluição sonora é enorme. Além de perturbar animais e pessoas, as hélices fazer um verdadeiro genocídio de pássaros.

    4) Na época do ano em que mais se precisa de energia, as turbinas falham (no Texas recentemente, em que houve uma inesperada onda de frio, elas congelaram e pessoas literalmente morreram de frio). Se estiver frio e ventando forte, as turbinas congelam.

    "Despite the high wind, frozen turbines were discovered to rotate substantially slower and even shut down from time to time, resulting in up to 80% of icing-induced turbine power losses during the icing event."

    www.pnas.org/content/118/42/e2111461118

    5) As lâminas das turbinas têm uma expectativa de vida finita. Não mais do que 20 anos. E não podem ser recicladas, pois são um composto de diferentes materiais. Removê-las das torres para um aterro adequado requer vários caminhões percorrendo longas distâncias.
  • Gustavo   30/10/2021 04:58
    Qual a energia mais eficiente, limpa e segura que temos acesso?

    Energia Nuclear.

    Mas quando você vê que o gado ambientalista fica alvoroçado quando se fala isso, fica mais do que claro que não estão querendo resolver problema nenhum e sim seguir a narrativa que seus donos mandaram.
  • Carlos Maurício   30/10/2021 05:07
    É a mais limpa, mas não a mais segura, muito pelo contrário...

    É a forma de energia mais perigosa que existe. Chernobyl e Fukushima mandam lembranças.
  • Gustavo   30/10/2021 05:15
    Você está bem desinformado da evolução neste campo nas últimas décadas.
  • anônimo  30/10/2021 05:17
    No acidente de Fukushima (causado pela incompetência estatal*) o total de mortes foi de exatamente UMA pessoa.

    E foi o único acidente grave em todo o mundo civilizado (deixando de lado Chernobyl e os malucos soviéticos).

    Quantas pessoas já morreram na construção de hidroelétricas?

    Quantas pessoas já morreram na exploração de petróleo? E em refinarias?

    Quantas pessoas já morreram na instalação de parques eólicos?

    Energia nuclear segue padrões de segurança incomparáveis com as outras opções. Poderiam ser melhores ainda se os políticos e o governo não se metessem no que não entendem.

    * Para deixar bem claro: existem milhares e milhares de regulamentos, normas, carimbos e certificações exigidos pelo governo para cada detalhe de uma usina. Dá para dizer que o projeto da usina é feito mais pelos burocratas do governo do que pelos engenheiros. E todos os regulamentos e normas resultaram em uma usina construída no litoral e que tinha os geradores de emergência colocados abaixo do nível do mar. Dá para ser mais incompetente que isso?
  • Pedro Paulo  30/10/2021 05:19
    O problema de Chernobyl era de projeto. A água radioativa, que deveria ficar confinada dentro do reator, era utilizada diretamente nas turbinas de geração (em outras palavras, não havia distinção entre os circuitos primário e secundário, eram ambos um só).

    O que houve foi um acidente na turbina - e não no reator - mas por conta disso, vazou toda a radioatividade do reator.

    Desnecessário dizer, projeto estatal e socialista.
  • Lucas  30/10/2021 11:34
    [Energia nuclear] É a forma de energia mais perigosa que existe.

    Isso é o mesmo que dizer que avião é o meio de transporte mais perigoso que existe. De fato, os acidentes sempre tendem a ser desastrosos. Porém, exatamente por essa razão, há rígidos protocolos de segurança que buscam mitigar isso, fazendo com que esses acidentes sejam raros. Daí o fato de tanto o meio de transporte como a forma de energia serem considerados os mais seguros de todos.
  • Marcelo  02/11/2021 18:08
    A quantidade de energia consumida para minerar minério de urânio, separar o urânio, enriquecer o urânio, separar o material radioativo e estocar por milhares de anos é menor do que a energia produzida. A única vantagem é que essa concentração de energia é boa estrategicamente. Economicamente é uma furada.
  • Pensativo  02/11/2021 11:34
    Desculpa mas vc nunca visitou um parque eólico, não há barulho nenhum

    Geralmente são implantadas em locais inapropriados para agricultura

    E existem protótipos menores e mais eficientes em escala piloto
  • Phelippe  29/10/2021 20:10
    A agenda ambientalista tem uma poderosa capacidade de injetar culpa nas pessoas. Isso tem que ser estudado.

    Você come um churrasco com a sua família, e está destruindo a Amazônia. Se for bovino então, pior ainda, já que as vacas estão também manipulando o clima global. Tudo ao seu redor perde sentido. Para que viver, se daqui 10 anos tudo irá se acabar? Para que investir, poupar e ter baixa preferência temporal? E depois de estar nesse estado de vulnerabilidade, os políticos e burocratas (os mesmos que não sabem nem fazer uma calçada). Você não pode agora ter filho, porque está contribuindo para superpopulação e para as mudanças climáticas.

    Você vive o tempo todo com remorso, ansiedade e medo. Basicamente todo o seu modo de vida está destruindo o seu próprio futuro, que será apocalíptico. Googlem "climate change anxiety" e vocês verão como crianças e pré-adolescentes estão sendo manipulados.
  • Revoltado  29/10/2021 20:43
    Temos aptrendido que no século XXi, apenas três coisas são saudáveis:

    1) Fumar maconha

    2) Ser passivo em relações sexuais homo-eróticas.

    3) Brincar de roleta-russa.

    #1 - Já há estudos sobre a cannabis causar de perda de memória à impotência sexual.

    #2 - Também há estudos sobre câncer retal e mesmo micro-organismos serem despachados ao coração via corrente sangüínea por conta das fissuras anais, que várias vezes geram sangramentos.

    #3 - Me refiro a pegar um revólver, pôr um projétil no tambor, girá-lo, apontar a arma sobre a cabeça e apertar o gatilho? Não, mas tão perigoso quanto, essas doses extras das vacinas contra a COVID-19, cuja mais segura (teoricamente), a Pfizer, tem eficácia limitada de um semestre, sem contar as seqüelas potenciais e mesmo os óbitos.

    O Apocalipse demorou demais para chegar! Já venho brindando coisas como "Ao fim dos tempos!"
  • Felipe  29/10/2021 21:56
    Eu já tive essa ansiedade, creio eu.

    Muitas pessoas falaram que sofreram doutrinação esquerdista nas escolas (naquele estilo marxista clássico). No meu caso, foi mais coisa ambientalista mesmo. Felizmente depois de 2013 eu me livrei dessa praga, após ver o documentário "A grande farsa do aquecimento global".

    Pergunta se a alta burocracia e a elite esquerdista vai deixar de usar jatinhos particulares para preservar os minhocuçus na Amazônia...
  • Anna  06/11/2021 18:30
    Foi exatamente o que eu pensei. Eles não vão abrir mão dos jatinhos, helicópteros, iates, ar condicionado, etc etc... isso é só para as pessoas "comuns".
  • Jefferson  29/10/2021 20:14
    É difícil pensar num programa político mais claramente elitista, higienista e anti-pobre do que essa tese de "aquecimento global". Em nome de se estar combatendo algo que nem existe, os pobres tanto do primeiro mundo quanto do terceiro mundo devem ser esbulhados via preços maiores e ser proibidos de qualquer chance de melhorar de vida, pois qualquer industrialização será proibida.

    E a esquerda ainda diz que a direita é que é contra os pobres.
  • Guilherme  29/10/2021 20:19
    Qualquer agenda que defenda mais poder estatal e mais esbulho sempre atrairá os maiores sociopatas do mundo. E estes não têm idade mínima.
  • Revoltado  29/10/2021 20:48
    Jefferson,

    Bem expuseste, caro! Em geral são os endinheirados, com mentalidade de Leblon da novela das 9 da Globo, que defendem com ardor tais palhaçadas!
    É o segmento que mais aplaude qualquer sandice, não apenas a agenda verde do artigo, como as demais que conhecemos bem...
    Se amanhã a ONU ou OMS determinarem que veneno de cascavel é saudável e protege contra vírus perigosíssimos, no mesmo dia esses elitistas o consumirão, e caso a maioria deles morra, abafarão de todas as formas, alegando serem "fake-news".
    Como alguém pode desejar pôr filhos neste mundo? A idéia de não tê-los não é de todo o pior, não...
  • Elias  29/10/2021 20:17
    Não conseguiram abolir o capitalismo via comunismo, agora irão tentar via ambientalismo. E esse tem enormes chances de funcionar, pois é abraçado por quase todos os políticos do primeiro mundo.
  • Guilherme  29/10/2021 20:20
    Ambientalismo é o novo proletariado da esquerda.
  • Revoltado  29/10/2021 20:31
    E pensar que esta insanidade ganhou força em 2019, por conta de uma adolescente histérica de 16 anos que lançava sdeus ataques coordenados por comunoglobalistas contra governos como o do Brasil atual, mas mantém-se silente quanto à terra da COVID-19, que é o maior poluidor da Terra, mas bem protegido de críticas por saber comprar o agrado da mídia mainstream, nativa de um dos países mais progressistas do planeta...
  • Greg  29/10/2021 20:49
    Eu não entendo qual o real o interesse de quem está por trás dessa agenda ambientalista. O que eles têm a ganhar com isso? Será pura cegueira ideológica e sinalização de virtude? A Europa e EUA estão pagando muito caro por essa ideologia.
  • Edson  29/10/2021 22:10
    Quem está por trás está ganhando aquilo que sempre interessou: poder e controle sobre o resto das pessoas.

    Isso vale muito, mas muito mais do que dinheiro.
  • Felipe  29/10/2021 21:45
    Dado o fato de que a União Europeia e os Estados Unidos até hoje estão com as sanções impostas contra a Rússia, até que ponto isso será usado com relação ao gás natural que os russos exportam para o resto da Europa?

    Do ponto de vista ambiental, o carro usar álcool da cana causa menos impactos ao meio ambiente do que gasolina?

    Essa histeria ambientalista é nada mais do que uma metamorfose do comunismo original. Como eles sabem que uma economia comunista iria matar quase todo mundo de fome, então é melhor impor várias regulações.

    Agora dos impactos ambientais causados para obter as matérias-primas de baterias (para carros elétricos) e peças para painéis solares e turbinas de usinas eólicas ninguém fala...
  • Trader  29/10/2021 22:13
    Só sei que o Rublo Russo se valorizou fortemente desde que ficou claro que a Europa vai precisar importar muito gás da Rússia neste inverno:

    ibb.co/2k8X15r
  • Felipe  29/10/2021 22:29
    Tem sido uma das poucas moedas que se valorizaram no mundo ante o dólar. Mas a questão é: não seria isso por causa do encarecimento em si do gás natural e do petróleo, commodities que compõem uma grande pauta de exportação do país?

    Os juros altos no banco central de lá e a presidente que é bem-vista ajudam também na moeda.
  • Trader  29/10/2021 23:02
    Sim. Foi exatamente esse o meu ponto. O encarecimento desta commodity apreciou a moeda do país exportador desta commodity.
  • Thiago  29/10/2021 22:24
    "Dado o fato de que a União Europeia e os Estados Unidos até hoje estão com as sanções impostas contra a Rússia, até que ponto isso será usado com relação ao gás natural que os russos exportam para o resto da Europa?"

    Em nada. Putin está com as cartas na mão. Se ele girar fechar a torneira, os europeu congelam.

    "Do ponto de vista ambiental, o carro usar álcool da cana causa menos impactos ao meio ambiente do que gasolina?"

    O etanol é menos poluente. Só que também é menos eficiente (consome mais).

    No Brasil, não faz muita diferença.

    O Pró-Álcool, os carros "flex" e as trágicas consequências da intervenção estatal na nossa gasolina

    "Essa histeria ambientalista é nada mais do que uma metamorfose do comunismo original. Como eles sabem que uma economia comunista iria matar quase todo mundo de fome, então é melhor impor várias regulações."

    Sim. E tem todo o apoio do Beautiful People.

    "Agora dos impactos ambientais causados para obter as matérias-primas de baterias (para carros elétricos) e peças para painéis solares e turbinas de usinas eólicas ninguém fala…"

    Porque aí acaba todo o debate. E perde-se a "glória de mandar", como dizia Camões.
  • Alberto   30/10/2021 04:56
    Pegando a deixa da foto, vale ressaltar que a agenda ambientalista ganhou adeptos entre os jovens exatamante por causa da Greta.

    Eis como criar um movimento político:

    * Encontre uma criança com alguma instabilidade psíquica ou emocional

    * Conte a ela várias estórias de horror

    * Adestre a criança a aprender a repetir essas histórias de horror

    * Grite, chore e faça estardalhaços até conseguir atenção e fazer com que políticos se encontrem com a criança

    * Dê aos políticos a chance de posar para fotos com a criança

    * Xingue, calunie e difame qualquer pessoa que ousar questionar os "ensinamentos da criança".


    Reconheçamos: os ambientalistas deram uma aula de estratégia.
  • Gustavo  30/10/2021 05:05
    Sim, foi um truque genial do Soros.

    1- Vamos colocar uma criança autista para falar abertamente barbaridades sobre exterminar a população.

    2- Quando as pessoas reagirem agressivamente (e irão reagir, pois ninguém é obrigado a ficar passivo perante uma ameaça de extermínio), vamos apontar que elas estão sendo intolerantes e violentas com uma mera criança.

    3- Ganhamos a briga. O gado pronto para o abate será visto como violento e reacionário, já os abatedores serão vistos como iluminados e redentores.

    Não tem como perder. Os indivíduos de todos os países serão forçados a abrir mão de sua soberania e independência energética e se submeterem a uma ordem globalista que não foi eleita por ninguém.
  • Revoltado  04/11/2021 14:55
    De fato,

    agora pergunte a um deles aqui no Brasil, quê lhes pareceria a idéia de reduzirmos a maioridade penal brasileira aos 16 anos de idade, que por sinal era a mesma idade da menina sueca, quando tornou-se mundialmente famosa em 2019.

    Subitamente, tais adolescentes tornariam-se incapazes civilmente em segundos, a menos, claro, que optassem por trocar de sexo precocemente e sem o consentimento dos pais, aí voltam a ser "cônscios".
  • Paulo  30/10/2021 16:05
    Tecnocratas ricaços chegando a Glasgow em jatinhos privados, hospedando-se em luxuosíssimos hotéis 5 estrelas, e andando de limusines com chauffeurs em amplas comitivas irão passar as próximas duas semanas nos dando sermões sobre como devemos reduzir nosso padrão de vida.

    E com todo o apoio da esquerda.
  • Daniel  30/10/2021 16:53
    Melhor definição!
  • Anônimo  30/10/2021 21:38
    E para confirmar as informações do artigo aqui está uma notícia recente sobre os ecobobos indo implorar para o cartel da OPEP produzir mais petróleo. É risível, estamos em um mundo cada vez mais esquisito e errado. Vejam:

    www.moneytimes.com.br/eua-e-japao-vao-bater-a-porta-da-opep-para-impedir-petroleo-acima-de-us-100/amp/
  • Edson  31/10/2021 02:41
    Ambientalistas reclamando de gasolina cara. Há algo mais paradoxal?
  • Anônimo  31/10/2021 16:47
    Não, e essas figuras são tão tapados que esqueceram algo que está aí para acabar com os problemas ambientais gerados pela indústria do petróleo: mecanismos de captura de carbono. Esses sistemas catalisadores de última geração deixam aprisionados todos os gases tóxicos que os motores e geradores convencionais produzem, armazenando-os na forma de resíduos líquidos.

    Várias startups já estão investindo e atraindo investimentos para essa tecnologia, uma delas é a norte americana Remora Carbon. O mais legal é que esses resíduos podem ser reaproveitados pelas indústrias da construção civil e química.

    E os ecobobos fingem que não estão vendo. O progresso sempre se sobressai contra as ideologias baratas!
  • imperion turbo nuclear quantico com equio  31/10/2021 02:41
    Agora é tudo passado, pois estamos no pé do reator de fusão. Energia limpa, mas conhecendo os ambientaloides eles vão inventar também alguma restrição até pra esses reatores. O importante é manipular as mentes da opinião pública contra o setor produtivo, já que é daí que eles tiram o financiamento para seus movimentos.

    Ambientalista nenhum faria barulho sem financiamento. Não são uns pobretões lutando contra o demônio capitalista. Não se compra um navio de milhões pra jogar contra outras embarcações sem ter milhões pra comprar esse navio. Ambientalismo é um negócio lucrativo.
  • Revoltado  04/11/2021 14:57
    Assalariado pensa em como sobreviverá ao longo do mês, rezando para que não surjam imprevistos no parco orçamento mensal!

    As palhaçadas "woke" ocupam quase só as mentes de quem pertence ao "beautiful people". É o que na América do Norte chama-se "rich people problems".
  • Tabajara tecnologies  31/10/2021 02:50
    "Esta havendo uma escassez de vento" Isso porque eles não chamaram nossa famosa estocadora de ventos.
    Mas, seria possível criar lagos artificiais de hidreletricas com a água bombeada pela energia das eólicas e solar assim o fornecimento ficaria menos intermitente. E os custos seriam menores que baterias quimicas.
  • anônimo  01/11/2021 21:12
    eu ia comentar isso. As notícias são trágicas, mas não dá pra perder a piada
  • William Wallace  31/10/2021 08:04
    Grande e oportuno artigo!

    Eu lembro nos anos 80 a "turma" reclamando das usinas nucleares que seriam construídas na região de Peruíbe, litoral sul de SP. Essa palhaçada de evitar "danos ambientais" já começava a pipocar no mundo, no Brasil. Eu, muito jovem, caí naquela época no conto que o "meio ambiente" tem que ser preservado. Felizmente, nunca fui de sair às ruas em passeatas imbecis, aliás, nenhuma delas, mas defendia o discurso mentiroso que as esquerdas à época, pregavam.

    Felizmente, percebi que energia tem que ser usada, extraída de todas as formas possíveis, pois vimos o que aconteceu no Texas no último inverno, devido ao maldito discurso da esquerda.

    Como foi lembrado aqui, o "ambientalismo" é a nova bandeira da esquerda ( todas as formas de esquerda...), no mundo. Os esquerdistas perceberam que o velho chavão da defesa do pobre contra o malvadão capitalismo, não colava mais.

    Essa jovem, controlada pela turma do Soros & outros, é ouvida por líderes mundiais justamente por defender o que eles querem fazer com o mundo, claro, exceto eles, que continuarão usando e abusando das energias nucleares e de fósseis.

    A Terra, o planeta, é igual a qualquer outro ser vivo: nasce, cresce e morre. Ora está bem, ora está doente ( até por depender muito das condições solares, em termos de variação da temperatura....), então, não é o bicho humano, culpado pelas variações climáticas, que, segundo estudo mais sério, demonstra que o planeta está esfriando, não aquecendo, algo normal dentro dos ciclos de vida da Terra.

    Difícil é convencer o grande número de imbecis ( que vivem a "realidade" das redes sociais, via smartphones...), que tudo que a esquerda prega é mentira.

    Parabéns a esse importante Instituto por publicar artigos como esse, além de outros vários que demonstram aos leitores ser o Estado um grande câncer que mata cada vez mais. Vida? apenas sem o Estado atrapalhando.

    Nota-se também, como altamente negativo, o fato de muitos capitalistas aderirem ao socialismo, além de promovê-lo constantemente.

    Capitalista-socialista é uma tragédia só! A China está aí para confirmar essa regra de ouro.

    Abs.
  • Pobre Mineiro  01/11/2021 02:01
    Capitalista-socialista é uma tragédia só! A China está aí para confirmar essa regra de ouro.

    Explique melhor isso, não a regra de ouro, mas o que você "sabe" sobre a China.

    Pois eu moro na China há mais de um ano e vejo muito mais capitalismo e livre mercado aqui do que via no Brasil.
    Me atrevo a dizer que a China hoje é mais capitalista do que a Europa. (Já morei na Alemanha também)

  • William Wallace  02/11/2021 05:54
    Sério que você me pergunta o que é "capitalista-socialista", no exemplo que eu dei sobre a China?

    Ok. Vou explicar: a China, embora você veja mais "Capitalismo" e "livre iniciativa" na China do que no Brasil ( e Brasil não é exemplo de Liberalismo Econômico, nunca foi...), na China, e todos sabem disto, pois é fato; não tem liberdade política. Durante o auge da Fraudemia, pessoas foram acuadas pelo Estado Comunista Chinês. Empresários são presos porque criticaram o regime socialista, pois eu te lembro, caso tenha esquecido, que foi o infeliz do Mao que implantou o regime comunista por lá, em 1949 e este maldito regime sócio-político-econômico, jamais foi revogado, ou você se esquece que o sistema partidário é de único partido político, o Partido Comunista Chinês. Você se esquece que o atual líder do PCC foi escolhido pelos membros do politburo e que TODOS tem que obedecer o tal PCC, incluindo os religiosos ou estes e os outros, são presos.

    Não pode haver liberdade econômica, Capitalismo, onde o Estado é muito forte e ele decide que tipo de vida a pessoa pode ter, qual religião ela deve seguir, e prender todos aqueles que discordam das normas do regime socialista, mantido, repito; pelo PCC: Partido COMUNISTA chinês.

    Isso é Socialismo ou o conceito de socialismo foi alterado pela Nomenklatura Comunista? Caso o sistema político econômico da China seja Capitalismo, não Socialismo, eu sugiro a este renomado Instituto jogar no lixo, Mises e adotar Marx.

    Cuidado, sr. Pobre Mineiro, para não misturar as coisas.

    PS: sim, a Europa tem um monte de coisas erradas, em alguns países muita interferência do Estado, mas mesmo nestes, ainda não se chegou ao nível do PCC da "maravilhosa" China. E sim, na Europa tem vários países onde o Estado interfere pouco na vida das pessoas.

    PS2: claro que o sr. tem todo o direito de defender a sua tese aqui, mas duvido muito que eu tenha esse mesmo direito lá, na "Capitalista" China.
  • Ex-microempresario  02/11/2021 23:20
    William, quem está misturando as coisas é você, quando fala em "regime sócio-político-econômico".

    Regime político é uma coisa; regime econômico é outra.

    Politicamente a China é uma ditadura. Economicamente é capitalista (porque permite e incentiva a acumulação de bens de capital) e quase livre-mercado, como disse o Pobre Mineiro, que está lá e portanto tem alguma autoridade para opinar.

  • Gerson  02/11/2021 12:23
    Experimente ir em praça pública e criticar o governo chinês, depois volte aqui para nos contar o que acontece.
  • Ex-microempresario  02/11/2021 23:24
    Experimente ir para a França, Alemanha ou Suécia e poste no Twitter ou no Facebook que aquecimento global é uma fraude, que muçulmanos deveriam ser expulsos, que homossexualismo é doença e que lugar de mulher é em casa, e volte aqui para nos contar o que acontece.
  • L Fernando  03/11/2021 00:35
    nada a ver sua comparação
  • Fraude Eleitoral  03/11/2021 03:40
    Você está comparando alhos com bugalhos.
  • Pobre Mineiro  03/11/2021 10:09
    Perfeito Ex-Microempresário.

    As pessoas confundem liberdade econômica com liberdade civil e política.

    Para acrescentar, já que muitos leitores tocaram em vários pontos:

    No auge da pandemia eu já estava aqui na China, sorte a minha, pois me senti muito mais livre.
    Meus ex colegas de trabalho, no Rio de Janeiro, me mandaram vídeos, notícias produzidas por eles mesmos sobre a situação, teve até um vídeo de um deles correndo da polícia pois estava passeando, desobedecendo as regras.

    Já aqui na China teve shoppings, lojas, estabelecimentos que embarcaram na onda de um monte de exigências para entrar, e outros não.
    Claro que eu só ia, como só vou até hoje, nos lugares que não exigem que eu use máscara ou digitalize o QR code na entrada.

    Quer mais liberdade do que isso ?. (estou citando algo pontual)

    Observação: não estou dizendo nem nunca disse que a China é um bastião da liberdade civil e política, pois não é; só digo que não é esse inferno que muitos pensam; visto que nunca vi um policial chinês perturbar um cidadão andando nas ruas no auge da pandemia, quem ficou em casa ficou porque quis.

    Quanto a tal da liberdade, muitos não tem a menor idéia do que isso realmente significa, pois são escravos que se acham livres, nunca moraram ou estiveram em nenhum país cujo viés político ideológico e ou religioso fosse totalmente díspar do ocidente, é isso é um problema, essa falta de contato com outra realidade.

    O que eu aprendi é que nós todos somos livres para pensar igual ao establishment, exatamente isso, logo a liberdade não existe em lugar nenhum, só no fictício ancapistão que talvez tenhamos a liberdade.

    O exemplo que você citou envolvendo os ideais progressistas é perfeito. (progressismo é tirania)
    Aqui na China não existe esse progressismo, se um chinês dono de um estabelecimento não quiser que ocidentais, gays, muçulmanos, negros, etc... entrem, não há nada a ser feito contra, não é crime isso aqui.
    (nunca ouvi falar de chineses fazendo isso, não por ser proibido mas porque eles são muito pragmáticos com relação à relações profissionais e comerciais. Já o japonês faz isso direto, são mais ideológicos.)

    É muita prepotência ocidental achar que os chineses querem democracia e liberdade ocidental, pois não querem, eles no geral tem uma visão muito negativa disso tudo. (outros povos também)

    Conheci uma doutoranda de Biologia que fez o seu mestrado sanduíche na Holanda, ela disse que ficou horrorizada, que não podia falar nada na Holanda, pois tudo ofendia alguém. Que liberdade é essa ?, perguntou.
    A liberdade que eles tem lá é a liberdade de se drogar ?, dispenso isso. Dizia ela.
    Nos EUA, durante os violentos protestos entre os apoiadores de Trump e Biden, ela me mostrou algumas images e me perguntou: democracia é isso ?, respondi em tom sarcástico: sim.
    Não quero isso para o meu país, disse ela.
    Ela tinha 24 anos, uma moça jovem.
  • William Wallace.  04/11/2021 01:09
    Aqui, como sempre, tem uns polemistas como o pobre mineiro e o ex micro empresário, que amam misturar alhos com bugalhos e criar polêmicas apenas pelo prazer, nada mais. Freud explica isso muito bem.

    O fato de uma pessoa morar em um lugar, caros polemistas, não significa que ela conheça a fundo a política do país, que, com certeza, influencia a economia dele, como os artigos daqui demonstram claramente praticamente, TODOS os dias.

    Se a pessoa não entende que a política comunista da China influencia a economia dela, lamento, essa pessoa tem sérios problemas de compreensão de como funciona uma sociedade.

    O fato da China ter poder econômico e "liberdade", sim, entre aspas, não significa que ela seja Capitalista, isso é tão óbvio, que não perderei o meu precioso tempo explicando o básico.

    Por favor, os dois citados por mim, pesquisem como funciona a China, desde a Revolução de 1949, que os "reformistas", pouco alteraram, sr. pobre mineiro e outros; para saber diferenciar Comunismo de Capitalismo.

    Fato: a China, ao contrário de Cuba ( bem, país com parcos recursos, logo, nunca teria predominância econômica no mundo, mas óbvio que seria um grande centro de turismo, entre outros fatores benéficos, se não existisse Fidel.....), e da URSS, esta, sim, com recursos para ser uma potência econômica; percebeu que dominaria mais rapidamente a Ásia e quiçá o mundo, se usasse o Capitalismo para espalhar o comunismo no mundo.

    A URSS, não. Preferiu continuar controlando também a economia de forma total, deu no que deu. Hoje, com Putin ( que aliás, foi criado na KGB e já disse várias vezes que a Rússia nunca deixou de admirar Lênin, etc...), está muito melhor, mas sem o mesmo poder da China.

    A China não é capitalista, meus caros, apenas porque há uma "liberdade" econômica no país. Essa "liberdade", e por favor, consulte as informações na imprensa séria, obviamente; é altamente controlada pelo PCC, repito: PARTIDO COMUNISTA CHINÊS! Onde o líder da bandeira vermelha com foice e martelo ( se isso não é ser comunista, o que será então????), é escolhido, como acontece desde 1949, pelo Politburo do partido único da China.

    Grandes empresários já foram presos porque criticaram o governo chinês. O povo é controlado o tempo todo e não tem liberdade igual aos países não comunistas, tem

    "ham, mas na Europa, com a fraudemia, a situação era muito pior..", sério??? Chineses, como em alguns países da Europa, estados nos US e por aqui também, não podiam sair nas ruas se o aplicativo mostrasse que eles tiveram contato com o vírus ( e nisso, a China já domina: controle da população via internet...). Em muitas fábricas, os funcionários tem que prestar homenagens aos líderes do Partidão antes de começar o turno de trabalho.

    Sim, eu também falo com pessoas que vivem na China, inclusive ligada a Embaixada do Brasil lá.

    A Religião, qq, uma, tem que ter autorização do Partidão para funcionar e ter em seus estatutos, que a liderança comunista do país é maravilhosa.

    Resumo: qq. empresário pode "sumir" se ficar "indisposto" com a Nomenklatura do PCC.

    Pessoas que se rebelam às diretrizes, tem um código específico no seu documento que o impede de se locomover livremente, ter promoções no emprego, etc.

    O sr., pobre mineiro, é BRASILEIRO, logo, não está obrigado a seguir os ditames comunistas que os nascido lá, são, entenderam agora??

    O fato de morar lá, não significa que o sr. sabe profundamente o que acontece no país, até pq. as pessoas de lá, chineses, não querem correr o risco de ter problemas com as autoridades por contar aos estrangeiros o rigor e pressão que sofre dos comunistas diariamente.

    Querer dizer que a China é "capitalista", é desconhecer o que significa Capitalismo. Para quem frequentar este site, desculpe, é de se envergonhar.

    Acompanhem este site e conheça a China "capitalista".

    Boa sorte.

    PS: este link pode ajudar:

    www.theepochtimes.com/
  • William Wallace.  04/11/2021 01:26
    Completando:

    China: uma aberração econômica keynesiana e mercantilista
    O modelo econômico concentra privilégios àqueles ligados ao governo

    www.mises.org.br/article/2736/china-uma-aberracao-economica-keynesiana-e-mercantilista

  • Pobre Mineiro  04/11/2021 11:55
    Willian Wallace,

    Você nunca esteve na China, e entende mais da China do que quem mora na China.

    Suas fontes de informações são tablóides sensacionalistas enviesados ideologicamente, canalecos de YouTube, e possíveis nativos que detestam o próprio país. (Não é só o brasileiro que gosta de falar mal do Brasil, já conheci gente de toda parte do mundo que fala mal dos seus países e adoram o Brasil)

    Dunning Krueger mandou lembranças.

    Sobre os livros que você alega já ter lido, eles narram o passado.

    Bom, pode acreditar no que quiser.
  • William Wallace  05/11/2021 13:07
    Pobre Mineiro e Ex-Micro Empresário: os únicos que se acham no direito de opinar, pois, no caso do ex-micro, ele quando opina, não é o "dono da verdade", apenas os outros são, lol.

    País que não tem liberdade de pensamento, liberdade política ( ah, lembrando: Partido Comunista Chinês é Capitalista, segundo os dois rsrs...), jamais será realmente Capitalista, ou Mises estava errado: mais estado na vida das pessoas, mais capitalismo, segundo os "conhecedores" da China "capitalista".

    Pois é. País que escondeu a epidemia que começou em Wuhan ( não importa se há exagero, e há, na epidemia; mas ela foi escondida pelo governo de lá...), é admirado por alguns que frequentam aqui.

    Este site, com nome e foto da pessoa ( logo, não é tabloide sensacionalista, rsrs...), diz como é viver na "capitalista" China, sem sofrer perseguições:

    revistaoeste.com/mundo/jornalista-chinesa-presa-durante-a-pandemia-esta-perto-da-morte-diz-familia/

    Ela foi presa pq. quis acompanhar o problema em Wuhan.

    Antes que alguém cite que o mesmo acontece no Brasil, aqui nunca foi capitalista, como se disse nos seus comentários sobre a "maravilhosa" China, ok?

    Boa leitura e adeus. Sejam felizes na China "capitalista", mas, um conselho: criem um site dizendo que Mises estava errado. O correto, segundos vcs., é: mais Estado proporciona mais economia livre.

    Quando leio comentários assim em um site como o Mises, percebo que realmente o mundo está ao avesso.

    PS: Pessoas melindrosas e "sensíveis", sinceramente, não me impressionam em nada. Sim, Freud explica.
  • Ex-microempresario  05/11/2021 16:15
    Não falha nunca.

    Primeiro, sai arrotando clichês e dizendo que todo mundo que discorda é burro.

    Quando vê uma opinião contrária, xinga todo mundo e acusa os outros de fazerem exatamente o que ele faz.

    Depois, antes de desistir, posta umas bobagens com "lol", "rsrs" e "kkkkk" para dar a impressão de superioridade, e diz "adeus" para fingir que saiu por cima.

    No caso específico, torcendo para que ninguém perceba a contradição: quando o Pobre Mineiro fala que mora na China, a opinião dele sobre a China não vale nada. Mas aí ele mostra um site de alguém que mora na China e essa opinião é a prova incontestável de que ele está certo.

    Vai reler sua coleção de Seleções do Reader´s Digest, vai.
  • Ex-microempresario  04/11/2021 16:53
    "Aqui, como sempre, tem uns polemistas que amam misturar alhos com bugalhos e criar polêmicas apenas pelo prazer, nada mais. Freud explica isso muito bem."
    Já o William Wallace não mistura alhos e bugalhos nem cria polêmicas, porque têm a sabedoria divina e o poder de julgar os outros baseado nas teorias de Freud.

    O fato de uma pessoa morar em um lugar não significa que ela conheça a fundo a política do país..."
    Já o William Wallace sabe tudo sobre a política de um país mesmo sem morar nele.

    "Se a pessoa não entende que [...], essa pessoa tem sérios problemas de compreensão de como funciona uma sociedade."
    Já o William Wallace tem compreensão perfeita de como funciona a sociedade.

    "[...]isso é tão óbvio, que não perderei o meu precioso tempo explicando o básico."
    A julgar pelo tamanho dos repetitivos textos que posta o tempo do William Wallace não é tão precioso assim.

    Minha sugestão: procure um espelho, William, e perceba que todas as acusações que fez aos outros se aplicam melhor a você mesmo. Seus argumentos se resumem a repetir "eu estou certo porque eu sempre estou certo" e "você está errado porque quem discorda de mim sempre está errado".
  • William Wallace  05/11/2021 02:30
    Você continua com o complexo de Lênin. Lamentável.

    O único que pensa ser o dono da verdade, em todos os posts que comenta, é você, logo, quem precisa olhar no espelho e também aprender a interpretar melhor os textos, é você.


    Ah, esqueci: você é outro que pensa ser possível ter liberdade econômica sem liberdade política, de pensamento.

    Leia, é daqui do Mises:

    China: uma aberração econômica keynesiana e mercantilista
    O modelo econômico concentra privilégios àqueles ligados ao governo

    www.mises.org.br/article/2736/china-uma-aberracao-economica-keynesiana-e-mercantilista

    Leia bem, medite, antes de postar outra resposta sem nexo.

    Boa leitura!
  • Pobre Mineiro  08/11/2021 02:30
    Ah, esqueci: você é outro que pensa ser possível ter liberdade econômica sem liberdade política, de pensamento.

    Sim, é possível, já ouviu falar de Singapura e Hong Kong ?.
    Se você não sabe, são os lugares de maior liberdade econômica no mundo, já a liberdade civil...

    Singapura é um ditadura pesada, as leis são bizarras, o controle estatal sobre a economia beira o inexistente mas sobre a sociedade é intenso. Até chiclete lá é criminalizado. A endeusada democracia lá não tem vez.

    Hong Kong segue o mesmo padrão de Singapura, embora menos radical um pouco.

    Muitos países islâmicos tem muita liberdade econômica, já a civil e religiosa...

    E aí como é que fica ?.
  • Gerson  03/11/2021 11:33
    Lá se vai o senso das proporções.
    Não confunda a histeria da ditadura do politicamente correto, que no máximo vai cancelar você por um período, com uma ditadura de fato, que vai te tirar do jogo FISICAMENTE. As duas são um problema, mas a segunda é evidentemente mais violenta que a primeira.
  • Pobre Mineiro  04/11/2021 02:04
    Lá se vai o senso das proporções.

    Quero ver você dizer isso daqui há 20 anos. (o pior é se continuar se achando livre)

    A ditadura ocidental é gramiscista e não marxista, ou seja, é gradualista e não brutalista.
    Veja a quantidade de liberdade que você já perdeu nos últimos 20 anos.

    ...mas a segunda é evidentemente mais violenta que a primeira.
    vamos chegar lá, se preocupe...
    Ou talvez até não, pois o uso da força é a última instância para o exercício do poder.
    A força é usada quando há a necessidade de confrontação física, quando o povo é gado, manso e obediente, não precisa de gastar recursos para isso, é só ditar as ordens e o gado muge "sim mestre".

    A vantagem do brutalismo, para os ditadores, é que os seus regimes são implementados mais rápido.
    A desvantagem é que eles terão escravos conscientes de sua condição de escravo.
    Esse tipo de governo é mais passível de revoltas populares.
    Veja que hoje só a Coréia do Norte ainda sobrevive.

    A vantagem do gradualismo, para os ditadores, é que seus regimes correm muito menos riscos, pois seus escravos se acham livres e ainda defendem o arranjo e não raro, até lutam e morrrem por ele.
    A desvantagem é que demora muito mais tempo para ser implementado.

    Quando um sujeito como eu, nascido e crescido no Brasil, que já visitou a Europa algumas vezes e morou na Alemanha 6 meses, aos meus 44 anos vai morar na China em meio a uma fraudemia internacional, e na China vê mais liberdade do que viu no ocidente, principalmente no tocante à fraudemia...
    Alguma coisa está muito errada nisso aí. (nessas definições, vide a novilíngua do George Orwell)

    Digo mais uma vez: nunca disse que a China é um bastião da liberdade, pois não é, nem tem pretensões de ser.
    Só acho muito estranho um país tido como ditatorial pelo ocidente, conceder(sim, é uma concessão) mais liberdade aos seus cidadãos do que as democracias ocidentais que tanto prezam pela liberdade. (seja lá o que isso signifique no dicionário da novilíngua deles)
  • Ex-microempresario  04/11/2021 16:25
    Um tuíte errado faz você perder o emprego e acaba com suas chances de conseguir outro na sua área. De um minuto para outro você vira chapeiro do McDonalds. Já aconteceu com muita gente.

    O tal Maurício, jogador de vôlei, perdeu o emprego. Algum outro time do Brasil vai ser louco de contratá-lo? A patrulha despencará em cima de quem fizer isso.
  • Revoltado  04/11/2021 15:01
    E precisa ir à Europa, meu caro?

    Aqui mesmo em solo BR já vemos pessoas sendo prejudicadas moralmente/psicologicamente e mesmo profissionalmente por um só dessas pautas que expuseste!

    Semana passada contei sobre um amigo que foi coagido a tomar a segunda dose do experimento sem desejar, sob pena de converter-se em desempregado.

    Socialista de I-Phone adora intrometer-se na vida alheia, mesmo quando a questão nada tem a ver necessariamente com o relacionamento interpessoal do outro indivíduo!

    Na vida prática, só nos resta desejar à liberdade de expressão isto: R.I.P
  • Agamenon Hülse Bittencourt   31/10/2021 11:20
    Estamos caminhando para o cenário do livro A REVOLTA DE ATLAS.
  • Estudante  31/10/2021 19:49
    Amigos, sobre a Suécia, ela não fez lockdown mas sua queda economica foi igual ou parecida com os escandinavos que fizeram. Eai como explicar isso?

    João amoedo ta espalhando isso, que a retração dos nordicos foi igual e que logo lockdown n faz diferença
  • Fabrício   31/10/2021 23:43
    Você caiu na armadilha (não se preocupe, eu também caí antes). Os dados mostram que as políticas da Dinamarca, da Finlândia e da Noruega foram ainda menos restritivas que as da Suécia.

    Sim, desde junho de 2020, Finlândia e Noruega passaram a adotar políticas menos restritivas que as da Suécia.

    O site "Our World in Data" mostra o índice de rigor ("stringency index") adotado pelos governos. Quanto maior o número, maior o rigor. Finlândia, Dinamarca e Noruega têm números mais baixos que os da Suécia, o que significa que seus governos foram ainda menos rigorosos.

    Não discuta comigo. Discuta com a fonte.

    ourworldindata.org/grapher/covid-stringency-index?stackMode=absolute&time=2020-11-12®ion=World

    Além de não haver obrigatoriedade do uso máscaras, e os finlandeses dizem que para eles "a vida nem mudou muito".

    www.euractiv.com/section/languages-culture/news/finland-europes-quiet-success-in-covid-19-fight/

    De novo: não discuta comigo; vá discutir com os finlandeses.

    Não é à toa que esses países simplesmente sumiram da mídia.

    How Finland and Norway Proved Sweden's Approach to COVID-19 Works

    Hora de criar outra narrativa…
  • Fraude Eleitoral  01/11/2021 01:10
    mises.org/wire/why-there-no-correlation-between-masks-lockdowns-and-covid-suppression
  • Merania Aparecida de Oliveira  31/10/2021 20:59

    Há muito tempo, eu não lia algo tão esclarecedor sobre o que está acontecendo na economia principalmente no setor energético. É sabido que precisamos fazer alguma coisa por causa do aquecimento global.

    Estas intemperes climáticas provam isso. Mas dessa forma xiita que está sendo feita, só vai aumentar o preço do petróleo, do gás, etc, irá dificultar tudo. Tomará que não aconteça uma crise energética mundial.
    É verdadeiro e monstruoso tiro no pé, ou pela culatra, como citou o articulista!!
    E como sair desse imbróglio, será algo muito difícil!!


  • Douglas  01/11/2021 00:37
    E aí, acharam ruim as restrições do Covid?

    Então se preparem oara as restrições ambientais e climáticas. Essas serão totalmente desumanas e farão o Nazismo parecer uma brincadeira de criança!

    1- Restrição no consumo de água e luz;
    2- Proibição de consumo de carne (segundo o eugenista Bill Gates, a carne é a responsável pelo aquecimento global);
    3- Teremos créditos de carbono, uma especie de passaporte que vai controlar tudo o que consumimos e a quantidade de carbono que despejamos na atmosfera. Com base nisso, seremos restringidos em muita coisa;
    4- Falência de empresas e cooperativas agrícolas;
    5- Teremos de pagar imposto pro oxigênio (tipo pagar pra respirar).
    6- Plantar e colher será limitado (em alguns locais será totalmente proibido). Teremos que comprar todos alimentos do "Mercado Global".
    7- Fim da propriedade privada (Lembram do Klaus Schwab: Em 2030 você nao terá nada e será feliz?).

    É isso aí, bem vindos ao novo normal, de George Orwell 1984. Onde não poderemos mais pensar, nem nos expressar e nem fazer nada que os ditadores globalistas não autorizem. Afinal de contas, eles estao querendo apenas "Salvar o Planeta e o Meio Ambiente".

  • Fritz inteligente e educado  01/11/2021 18:45
    "1- Restrição no consumo de água e luz;"

    Acho difícil que aconteça assim abertamente pois hoje tudo depende de energia elétrica, restrições provavelmente causariam revoltas e tumulto político. O que talvez aconteça é que criem um tipo de "cota de consumo consciente" e usem a mídia pra envergonhar e rebaixar quem gasta mais, as hordas de zumbis canceladores já devem estar salivando.

    "2- Proibição de consumo de carne"

    Amigo nem brinque com isso, se hoje a caça desordenada já é um baita problema em muitos lugares (geralmente terras estatais ou de amigos do estado), espere pra ver o que vai acontecer se o comércio legal de carne for proibido, a caça se tornaria um negócio extremamente lucrativo, provavelmente veríamos espécies sendo extintas às dezenas todos os anos. Isso sem falar que não dá pra descartar que surjam facções criminosas, traficantes de carne nas grandes cidades, piorando ainda mais o que a proibição das drogas já causou. Tanto ambientalistas quanto especialistas em segurança pública deveriam estar frontalmente contra isso...

    "3- Teremos créditos de carbono, uma especie de passaporte que vai controlar tudo o que consumimos e a quantidade de carbono que despejamos na atmosfera. Com base nisso, seremos restringidos em muita coisa"

    Não duvido nem por um segundo que tentarão implementar isso, mas logo acharão jeitos de burlar o sistema, as pessoas sempre acham.

    "4- Falência de empresas e cooperativas agrícolas"

    As que não falirem vão se mandar pra China ou Rússia, dois países que não parecem dispostos à abaixar a cabeça pra toda essa boiolice.

    "5- Teremos de pagar imposto pro oxigênio (tipo pagar pra respirar)"

    Por mais que este seja cômico, muito me impressiona ninguém ter sugerido isso ainda.

    "6- Plantar e colher será limitado (em alguns locais será totalmente proibido). Teremos que comprar todos alimentos do "Mercado Global"."

    Sim, somente alimentos "aprovados pelos órgãos (in)competentes" serão permitidos, felizmente isso é muito difícil de controlar, pelo menos fora das cidades grandes.

    "7- Fim da propriedade privada (Lembram do Klaus Schwab: Em 2030 você nao terá nada e será feliz?)."

    Que propriedade privada? Aqui no Brasil pelo menos a sua casa não é sua, você paga um preço absurdo por ela (graças às políticas estatais de estímulo no setor de construção civil), depois paga rios de imposto todo ano, pra no final das contas o estado poder tomar ela de você sem mais nem menos, não preciso nem falar do MST e lixos afins. No seu negócio então, à menos que você tenha boa conexões políticas qualquer fiscalzinho meia bunda da prefeitura manda mais nele que você.
  • Pensativo  01/11/2021 11:50
    Estava pensando em como essa disparada de preços, juntamente com menores gastos globais em extração tem impactado os resultados das petrolíferas ?

    Usar esse slogan ESG deve estar sendo muito bom para criar e manter um desbalanceamento da oferta e demanda, e lucrar com isso.

    Sei lá estava só pensando
  • Black Pill  02/11/2021 02:10
    Quem aqui já tomou a Black Pill? Ta ai, imposto global, ESG, agenda ambientalista e tudo bem depois de uma pandemia (há quem diga que a pandemia foi fabricada pra levar a tudo isso, ou foi uma oportunidade ocasional daqueles que esperavam por isso).

    Enfim, quem tem esperança no mundo moderno? Sinceramente, vendo tudo, transfiro pra ouro ou bitcoin? Por onde pego minha riqueza e pra onde vou? O que vão fazer?
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  02/11/2021 04:04
    Todos esses temas que levantou são parte da velha e manjada estratégia política de criar problemas para vender soluções. Muitos a desconhecem, porém, hoje com mais canais de informação disponíveis, as pessoas já estão despertando. Essa é a nova esperança.
  • imperion turbo nuclear quantico com equio  02/11/2021 16:58
    Bitcoin na veia e, quando se aposentar, mude pra El Salvador. Vão te receber de braços abertos. Os hostis vão criminalizar e os meio hostis vão cobrar imposto. Brasil deve se tornar um dos hostis a quem compra Bitcoin.
  • Hugo  02/11/2021 17:40
    Sim. O porta-voz do PT, Fernando Haddad, já deixou claro em seu Twitter que o BTC será criminalizado no Brasil assim que os marginais voltarem ao poder.
  • Artista Estatizado  02/11/2021 17:57
    Não é necessário criminalizar. Basta determinar que precisa ser declarado no imposto de renda e cobrar 90% de imposto de ganho de capital.
  • Gerson  02/11/2021 12:11
    A agenda ESG é uma das maiores farsas atuais.
    Uma boa leitura a respeito é o livro Woke, Inc.
    Recomendo muito.
  • Felipe  02/11/2021 12:44
    Enquanto isso, Macron quer expandir a energia nuclear na França (mais de 70 % da eletricidade do país vem de energia nuclear):

    "France's nuclear drive offers chance of redemption for EDF"
  • Revoltado  04/11/2021 15:28
    Aposto um delicioso pacote do salgadinho Carambitos sabor bacon e dois litros do saboroso refrigerante Fruki versão Cola, de que ninguém berrará contra Monsieur Lacron. Afinal, sabemos bem, ele pertence ao lado vermelho da "força".
  • Rene  02/11/2021 16:28
    Soluções simples só resolvem problemas simples. Quanto mais complexo um problema, maior a complexidade da solução requerida. Mesmo que eu aceite totalmente o argumento dos ambientalistas de que o aquecimento global existe e é, na maior parte, culpa do ser humano, quem garante que o plano que eles estão propondo é realmente o melhor dentre todos os outros possíveis? Literalmente estão pedindo para dar uma montanha de dinheiro para eles, abrir mão das nossas liberdades e de nosso conforto, para por em ação um plano que nunca foi testado. Se não der certo (ou se eles estiverem errados), vão devolver o que nós demos, ou vão propor um plano ainda mais maluco? The answer, my friend, is blowin' in the wind...
  • ALEXANDRE J A SILVA  03/11/2021 18:19
    Rene.

    "Mesmo que eu aceite totalmente o argumento dos ambientalistas de que o aquecimento global existe e é, na maior parte, culpa do ser humano"

    Não é argumento de ambientalista. É constação de cientistas. É uma questão de química básica. Não tem muito o que ser contestado não. Combustíveis fosseis com base em carbono que ficaram enterrados pela eternidade, são retirados do solo pela ação do homem, no processo de queima este carbono é jogado para a atmosfera em forma de CO e CO2. É sabido que tais gases reduzem a transferência de calor da superfície do planeta para as camadas superiores da atmosfera criando o efeito estufa. Ora, com mais calor uma cadeia de processos se altera no planeta limitando a manutenção dos ecossistemas atuais .

    "quem garante que o plano que eles estão propondo é realmente o melhor dentre todos os outros possíveis? "

    Tecnicamente não existe essa garantia. Mas não deixa de ser medida sensata a promoção de energias renováveis e sem base em carbono. Como a vida vegetal naturalmente sequestra carbono do ar e deposita no solo, supõe-se que uma baixa emissão de carbono possibilite a retirada do excesso deste da atmosfera, reduzindo sua concentração, logo o efeito estufa e por fim mantendo ou recriando as condições para manutenção dos ecossistemas que deram base à vida atual.
  • Observador  03/11/2021 20:12
    Se há aquecimento e ele é causado pelo ser humano, então por que a terra era comprovadamente mais quente no passado?

    www.popsci.com/carbon-emissions-warming/

    est.ufba.br/sites/est.ufba.br/files/kim/medievalwarmperiod.pdf

    Quando a ideologia for deixada de lado, e as pessoas aceitarem que o que determina a temperatura na terra são as manchas solares e a oscilação decadal do pacífico, o nível do debate (e, principalmente, das "soluções") irá melhorar.
  • Ex-microempresario  04/11/2021 16:42
    E desde quando um fenômeno só pode ter uma causa?

    Já existiam incêndios antes do Homo Sapiens existir. Isso quer dizer que não existem incêndios causados pelo homem?

    A questão não é se a Terra já foi mais quente ou mais fria no tempo dos dinossauros. É saber quais as consequências de um aumento agora, lembrando que nos dados coletados não há registro de um aumento tão rápido quanto o que aconteceu no século XX.

    Por outro lado, é óbvio que políticos só falam bobagem sobre o assunto, mas isso não transforma um fato em falácia. Se o Ciro Gomes citar Mises ou Hayek, isso não transforma as idéias de Mises ou Hayek em bobagens.
  • L Fernando  06/11/2021 02:34
    o sujeito deveria trocar o nick de ex-microempresario para ex-mises
  • L Fernando  06/11/2021 02:30
    Combustiveis fósseis é mais uma lorota contado a séculos
    Haja dinossauros mortos
  • Eduardo  06/11/2021 15:28
    É mesmo? Conte-nos mais sobre essa "lorota" na qual o mundo vive e sobre a qual o mundo prosperou e enriqueceu. Estou deveras curioso.
  • Joao Paulo  03/11/2021 00:13
    Isso não é um artigo. É praticamente uma dissertação de mestrado! Muito bom.
  • Fraude Eleitoral  03/11/2021 12:35
    Ótimo texto.
  • Luis Carlos  03/11/2021 12:46
    Eu acho interessante como esses caras com viés esquerdista, se infiltram numa instituição, e querem definir como o mundo deve fazer e definir suas politicas, e impor suas agendas globalistas e todos tem aceitar essa pressão que se faz contra países como o Brasil por exemplo.
  • imperion turbo nuclear quântico com equio  03/11/2021 20:14
    É o sovietismo (conselhos).

    Muito antes da revolução russa, os esquerdistas tomaram os conselhos (soviets) e ajudaram a criar todo tipo de governo paralelo, que são instituições que legislam por fora, sem eleição. Seus membros não são escolhidos em eleição entre os que serão atingidos por suas decisões, mas por indicação indireta. Os soviets foram a base do domínio dos comunistas sobre o povo depois da revolução russa. Por isso a república era soviética até no nome. E o parlamento era o conselho supremo.

    Infiltrar-se em instituições faz parte da estratégia de poder deles. 
  • Ex-microempresario  04/11/2021 16:29
    Como se os "caras com viés direitista" também não queiram "definir como o mundo deve fazer e definir suas politicas". Muda um pouco o vocabulário e as táticas, mas como disse Baruch Spinoza séculos atrás, "O desejo mais profundo de cada indivíduo é conseguir que todos sejam proibidos de gostar do que ele não gosta e obrigados a gostar do que ele gosta".

    Por isso gosto tanto dos ideais libertários. Não afetando meu direito à vida e à propriedade, cada um vive como quiser e acredita no que quiser.
  • weberth mustapha  03/11/2021 18:11
    A doutrinação foi tão fortemente implantada, especialmente nos países ricos, que nem mesmo a realidade é capaz de mudar isso. Quando o preço dos combustíveis chegar a patamares absurdos (calma, vai subir mais), creio que nem isso será capaz de mudar políticas. Virão novas leis para adaptar sua mente a um mundo de racionamentos ( menos é mais, lema que aparece na globo) , e vc irá viver em um mundo com poucas coisas e tudo caro e díficil, e as empresas nada poderão para suprir a oferta.
  • ALEXANDRE J A SILVA  04/11/2021 13:21
    E o que te faz pensar que uma vida na roça trabalhando e tirando seu sustento da terra (uma vida, em teoria de racionamentos), é menos feliz que uma vida na cidade trabalhando sentado em frente a um computador com qualquer coisa que você queira a um ifood de distancia?

    Tudo são questões de perspectiva. Tem quem ache viver na roça sem os confortos da cidade um grande atraso de vida. Tem que ache que ficar em frente a um computador juntando gordura abdominal e se predispondo a um infarto que vai deixar o cara sequelado em cima da cama um bela de uma idiotia e perda de vida. No fim das contas o que vale é o indivíduo se sentir feliz com o que tem - seja o pouco da roça, ou seja o muito da cidade (q podem ser contrarios a depender da perspectia) - e todos poderem ter acesso a um mínimo de qualidade de vida proporcionado pela tecnologia e pela natureza. Se por um lado esquerdas e ambientalistas exageram quando querem impor para todos um estilo de vida minimalista, os liberais economico também se equivocam quando supõe que o mundo tem recursos para proporcionar elevadíssimos consumos para alguns e elevados para quase todos. O mundo não tem tais recursos. Se não usar com racionalidade, acaba. E daí, não vai ser racionalização. Vai ser inexistencia mesmo. As guerras seriam inevitáveis.

    Meus pacientes idosos mais saudáveis são pacientes provenientes de zonas rurais. Que se exercitaram por uma vida no labor daquele ambiente. Com a oferta maior de alimentos naturais, tiveram uma vida de boa alimentação, muitos nem cabeço branco tem e quase todos tem uma saúde mental de dá inveja a muitos jovens de hoje. Não vou falar de meus pacientes da cidade para não criar uma disputa desnecessária. A questão q eu defendo é... Não é o consumo a chave da felicidade, do bem estar e qualidade de vida. Ter um iphone não garante mais felicidade que ter um telefone fixo daquele que rodava os números. Tudo é questão de perspectiva e capacidade de se adaptar.

    A capacidade de consumo so é um problema quando olhamos para os políticos que empobrecem a nossa sociedade e daí, tal pobreza eleva a violência (pior no meio urbano, alias). E daí, qualquer um de nós fica exposto as suas consequências. A ter nossos planos de vida ceifados num assalto por exemplo. Esse deveria ser o foco da economia. Possibilitar inclusão. Propiciar possibilidades que reduzam os conflitos entre as pessoas. Se conseguirmos atingir isso, teremos encontrado uma base solida para crecermos enquanto nação em todos os campos, da ecologia à tecnologia.

  • Revoltado  04/11/2021 14:52
    Trabalho na zona rural é algo muito bacana!

    Não só é uma ocupação salutar pela produção de alimentos e víveres, como poderia ser terapêutico para socialistas de I-Phone politicamente corretos. Seria bonito de se ver trabalhando a terra, sob o sol do meio-dia ou das 13h, bronzeando-se. A palhaçada "woke" quase certamente sairia de seus corpos, junto às gotas de suor do labor pesado.
  • AGB  04/11/2021 16:54
    O comentarista Alexandre Silva já entendeu que seus pacientes de origem rural tem melhor saúde devido à sua constituição genética? A vida no campo é extremamente desgastante e elimina os indivíduos mais fracos em primeiro lugar. Tal como acontecia antes das descobertas sobre doenças infecciosas que a urbanização permitiu. Daí vieram a água encanada, o esgoto tratado, a comida bem conservada, a vacinação e demais procedimentos que garantiram a sobrevivência dos menos resistentes. Lembram-se da mortalidade infantil nos tempos antigos? Por outro lado esses avanços resultaram em crescimento das populações, incluindo um número considerável de elementos sujeitos a doenças degenerativas (cardiovasculares, pulmonares, diabete, neoplasias etc).
  • ALEXANDRE J A SILVA  10/11/2021 17:01
    AGB

    Isto que você narrou está correto.

    Do mesmo jeito que existe melhoramento genético ao acaso e deliberado (atualmente realizado principalmente em animais e alimentos com vistas a selecionar características desejáveis), também existe (e sempre existiu) o pioramento genético - geralmente ao acaso.

    De fato, com o advento da tecnologia, das ciências da saúde e correlatas, de saneamento básico urbano e medidas de higiene possibilitou-se que indivíduos que sucumbiriam no passado hoje possam viver e reproduzir e a despeito do aspecto humanístico que isto represente, as consequências serão (entre outras), o aumento do número de doenças - algumas com aspecto patológico bem definido, outra nem tanto, e variações comportamentais (vide por exemplo o boom de depressão/ansiedade dos últimos 10 anos - e tem quem coloque neste pacote, o aumento do LGBT para o LGBTQIAWZDTACGHH+).

    O que você citou, é aspecto de fato relevante e bem observado.

    Isto dito, desta vez fazendo a minha defesa, não foi a cerca deste aspecto que eu comentei no primeiro post. O que eu disse foi que, aspectos e/ou condições de consumo colocados como marcadores EXCLUSIVOS da felicidade por alguns nesta comunidade, não necessariamente representam o que seja DE FATO felicidade para todos, sequer para a maioria da sociedade. A felicidade é um conceito relativo e que está apenas em parte vinculada ao consumo e, todas as pessoas que investem tempo e dinheiro no consumo como forma de serem felizes devem ser muito cuidadosas, pois, a depender de como tal consumo é estruturado, recai-se em dívidas, juros e em necessidade de vinculações trabalhistas onerosas e cansativas para suprir estes compromissos e que muitas vezes (tais atividades trabalhistas) até mesmo atentam contra as próprias benesses proporcionadas pelo consumo.
  • Blackpilled  06/11/2021 03:20
    Honestamente, eu sou libertário apenas por mim mesmo, já tomei a blackpil faz tempo, a realidade é que o populacho nunca irá se rebelar contra o estado, não importa quão explorado ela seja, pois tudo que importa é o poder da narrativa e manipulação, não da verdade e razão, e mesmo quando alguma sociedade chega ao fundo do poço, o primeiro a fazer qualquer revolução séria e geralmente algum politico, ou alguém apoiado por políticos, que geralmente apenas substituem os políticos antigos para formar um novo regime no fim, geralmente muito mais pior que o anterior, o populacho nunca se rebela contra o estado por conta própria, e isso e algo claríssimo quando analisamos as rebeliões que ocorreram durante a historia da humanidade.

    Do meu ponto de vista, há mais chance de conseguirmos formar um ancapistão por meio de uma união popular pró-anarcocapitalista com o objetivo de declarar secessão em uma região de determinado pais, do que a população naturalmente ignorante se rebelar contra seus arrebatadores. Mas eu duvido que até mesmo isso ocorra, já que dificilmente alguém conseguiria formar um grupo assim, então nem perco tempo me iludindo.
  • ALEXANDRE J A SILVA  10/11/2021 19:50
    Blackpilled

    Esquece isso cara. A maioria das pessoas são acomodadas e não tem senso de justiça. Uma vida sem "direitos", sem "auxilios", sem "bolsa", sem "políticas" é algo inconcebível para boa parte de quem pensa minimamente; e abstrato para a maioria.

    Veja por exemplo o SUS, um programa de assistência em saúde de massas, mentiroso desde a primeira linha de seu projeto, que mata milhares de brasileiros todos os anos seja por sua atuação direita, seja pela falsa sensação de assistência que ele proporciona; que deseduca o cidadão a ser protagonista de seu próprio bem estar... Um programa que poderia ser chamado de exitoso se se assumisse eugênico. Mesmo neste cenário, perdendo amigos e parentes, as pessoas não se alertam para o que ele de fato é. As pessoas sucumbem à mentira de uma saúde socializada que nunca irá funcionar pois a conta simplesmente nunca fecha, se prendendo a uma falsa verdade de assistencia em saúde integral, gratuita e universal.

    As pessoas preferem uma mentira bondosa que uma realidade dura. Preferem viver com uma bolsa miserável que poderem ter mais qualidade de vida sobre uma rotina de trabalho. Inclusive os mais ricos também, adora socializar custos e riscos. Esses não podemos chamar de ignorantes, afinal, adoram monopolizar os lucros quando ocorrem (errados totalmente não estão).

    Infelizmente é isso. Esqueça uma sociedade libertária no curto e médio prazo. Com esta geração que aqui está, impossível.
  • 4lex5andro  08/11/2021 12:06
    "Em maio, um tribunal na Holanda ordenou que a Shell reduzisse suas emissões, uma sentença que tornou outras petrolíferas relutantes em investir em novas explorações de petróleo e gás."

    Explicado.
    Governos e tribunais em modo ativismo ecossocialista, afastando investimentos em energia e provocando pane no setor.
    Sem novidades no front.

    Depois o ''malvado'' nos telejornais da imprensa ''imparssial'' é o Brasil.
  • Revoltado  08/11/2021 16:34
    Ah, sim!

    Quando isso ocorre em países governados pelo lado vermelho da Força (possivelmente seja o caso dos Países Baixos), ninguém fica sabendo a respeito, por meio da mídia mainstream...
  • Emory Cardozo  08/11/2021 15:58
    Parabéns pelo excelente artigo.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.