clube   |   doar   |   idiomas
A tirania, enquanto ela vigora, não é reconhecida por suas vítimas
Quando elas acordam, o estrago já é irreversível

Como uma tirania surge? Como ela sobrevive?

Uma resposta ingênua seria: pessoas diabólicas, de alguma maneira, capturam as alavancas do poder enquanto o povo está inocentemente cuidando de suas vidas. Com sorrisos sinistros e girando as pontas de seus bigodes de maneira sinistra, os tiranos violenta e unilateralmente impõem suas vontades criminosas sobre a população.

O povo rapidamente percebe que seus ditadores são venais e vis, mas pouco pode fazer a não ser se submeter silenciosamente. Já está escravizado. Sua única esperança de emancipação é a intervenção de um super-herói – um carismático corajoso para liderar uma revolução, ou um nobre governo estrangeiro enviando seus militares para protegê-los dos malfeitores.

Como dito, essa resposta é "ingênua", e certamente é. Mesmo assim, essa resposta refleta a atitude de muitos adultos. De acordo com essa atitude, a tirania é flagrante, pura e óbvia para todos (quase como num desenho animado); e, portanto, nunca é aceita voluntariamente. A tirania é um mal puro que é impiedosamente imposto sobre as massas desafortunadas.

Em nossas mentes, cidadãos esclarecidos que somos das democracias do século XXI, a tirania é o Reino do Terror na França revolucionária. São os nazistas e fascistas de 80 anos atrás. São Stalin, Mao e Saddam Hussein. São Vladimir Putin, Xi Jinping, Kim Jong-un e o Talibã de hoje.

Para aqueles de nós que vivenciamos eleições reais e regulares, a tirania parece estar confinada a tais regimes – regimes distantes no tempo ou espaço e, portanto, culturalmente distantes de nós.

Tiranos sempre são convincentes

Esses regimes passados e distantes são de fato tirânicos. No entanto, a atitude popular em relação a eles é perigosamente imatura. Todo tirano sempre consegue convencer um grande número de pessoas sob seu comando de que está utilizando a força exclusivamente para o bem maior. Os aspirantes a tiranos que não conseguem convencer o povo de seus propósitos nobres nunca conseguem o poder que anseiam. Muito poucas pessoas se submetem.

Todo e qualquer tirano verdadeiro sempre aponta para algum problema – talvez real ou talvez inventado, mas infalivelmente exagerado – cuja persistência infligirá ao seu amado povo um dano sem precedentes. Com sua cuidadosamente ensaiada pose de visionário corajoso e caridoso, ele convence o povo a obedecê-lo, demonstrando jamais ter receio de usar todos os poderes de que precisa para salvar seu povo dos terríveis perigos à espreita. E ele insiste que seu exercício de poder deve ser amplo e ousado, livre de sutilezas legais ou éticas que apenas o impediriam de salvar seu rebanho.

Tremendo de medo desses terríveis perigos descritos por seu senhor, e esperançoso pela salvação prometida, o povo se submete. Como ovelhas.

Muitas pessoas, é claro, reconhecem e até se irritam com a arbitrariedade do tirano e a dureza de seus ditames. Porém, acreditando que esses ditames são necessários para um bem maior, a maioria obedece humildemente. Há alguma reclamação, mas, no final, a dócil submissão prevalece. "O resultado final amanhã valerá a pena a dor, o sofrimento e a indignidade de hoje. Não temos escolha a não ser obedecer ao nosso líder", pensam eles.

E é assim que a verdadeira tirania surge e sobrevive. Ela surge e sobrevive sempre com a aceitação – e muitas vezes também com a aprovação entusiástica – de um grande número de suas vítimas. Essas vítimas, portanto, não sentem que estão vivendo sob uma tirania. Tirania é o que acontece com outras pessoas; pessoas menos iluminadas ou muito menos afortunadas do que nós; pessoas cujos opressores, ao contrário de nossos próprios líderes amorosos e preocupados, discursam louca e caricaturalmente em línguas estranhas, muitas vezes vestidos em trajes militares.

A tirania, acredita-se, não acontece conosco, pois não se se trata de uma tirania se o objetivo declarado é a nossa salvação; não é tirania aquilo que promete nos proteger de perigos que temos certeza de que são reais, grandes e iminentes. 

E aquelas poucas aberrações ideológicas que imprudentemente insistem em chamar nossos salvadores de "tiranos" não reconhecem e não apreciam a necessidade de uma ação rápida e decisiva imposta de cima para baixo. Essas aberrações deveriam ser ignoradas e talvez até mesmo silenciadas à força.

Tirania, vale insistir, não acontece conosco. Afinal, estamos cumprindo voluntariamente as ordens de nossos líderes, sabendo que são para o nosso próprio bem. Se estivéssemos sofrendo a opressão de tiranos, resistiríamos. Somos, não se esqueça, um povo orgulhoso. Somos iluminados, democráticos e livres. Consequentemente, dado que a grande maioria de nós não está resistindo às ordens de nossos líderes, eles, por definido, não podem ser tirânicos. C.Q.D.

Nossos líderes, em suma, não são tiranos. Eles são servidores públicos em quem devemos confiar se quisermos ser salvos.

E assim concluem todos os tiranizados.

Socialismo Sanitário é tirania

Dado que a tirania sempre conta com o amplo apoio de suas vítimas, a maioria das pessoas que vive sob ela não tem conhecimento do terrível destino que as aguarda. 

E assim é com a tirania do socialismo sanitário de hoje. 

Acreditando que as ordens de lockdown, os decretos sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras e o fechamento de escolas são necessários para evitar perdas incalculáveis de vidas, as pessoas obedecem. Este não é o momento para permitir que picuinhas sobre liberdades individuais, sobre estado de direito, ou sobre preocupações com outros assuntos que não a Covid obstruam o valente e louvável esforço de nossos líderes para nos salvar.

A proibição de tudo que as pessoas valorizam, a criminalização da interação social, o individualismo efetivamente obscurecido pelo uso obrigatório de máscaras, a censura diligente de todos aqueles que se atrevem a discordar, e a sociedade completamente disforme em sua rotina diária são meros incômodos passageiros que não devem jamais ser questionados. Nossos líderes sabem o que fazem.

Comunicação e agregação são exatamente as atitudes que o estado mais teme. Mas tais medidas — que representam o próprio funcionamento de uma sociedade livre — terem sido proibidas por nossos líderes mostra apenas o quanto eles se preocupam em demasia com nossa saúde.

E o fato de estes mesmos líderes nos estimularem a olharmos com um misto de suspeita e ódio a qualquer semelhante que não esteja com a face oculta sob um pano é apenas um ensinamento dolorosamente necessário que está sendo imposto visando ao próprio bem da civilização.

A esperança

No entanto, como acontece com toda tirania, a verdade acabará por emergir. No futuro, os olhos das pessoas se abrirão para os exageros, para as meias-verdades, para as distorções e para as mentiras descaradas usadas para defender as restrições tirânicas de hoje. 

Algum dia, no futuro, as pessoas olharão para 2020 e verão como um ano em que a tirania escureceu o globo.

Nossos filhos e netos balançarão a cabeça espantados com o fato de os adultos – os "adultos" – de 2020 terem sido tão crédulos ao ponto de acreditar piamente nos exageros histéricos e nos enganos e duplicidades utilizados para justificar essa tirania. Eles ficarão estupefatos com o fato de que, em 2020, tantos jornalistas, especialistas e políticos engoliram sem questionar todas as previsões exageradas (e erradas) de cientistas loucos como Neil Ferguson e seus colegas do Imperial College

As mandíbulas de nossa progênie cairão de perplexidade quando ponderarem sobre as "reportagens" bizarramente atrozes e tendenciosas da mídia sobre a Covid-19. E nossos descendentes simplesmente se conformarão com a impossibilidade de entenderem plenamente como e por que nos permitimos ser engolfados por tal tirania.

E então nossos filhos e netos darão risadas, imbuídos da confiança de saber que nunca serão tão ingenuamente crédulos como fomos nós em 2020.



autor

Donald Boudreaux
foi presidente da Foudation for Economic Education, leciona economia na George Mason University e é o autor do livro Hypocrites and Half-Wits.


  • Átila  15/12/2020 19:22
    Muito bom! Vai ter gente estrebuchando, defendendo a tirania mas dizendo estar falando em nome da CI-ÊN-CIA.
  • Carlos A.  15/12/2020 19:23
    A questão é: vamos supor que a Covid seja resiliente e realmente esteja aí para ficar (como toda gripe e resfriado). Como é que violar direitos humanos irá combatê-la?
  • Fernando  15/12/2020 19:31
    Blankout.
  • Juliano  15/12/2020 19:32
    Nunca foi sobre a pandemia. Sempre foi sobre controle.
  • Klaus  15/12/2020 19:40
    Exato. Quem ainda acredita que é uma questão de saúde não entendeu absolutamente nada do mundo.

    É tudo parta do plano do Grande Reset, esquematizado pela ONU e pelo Fórum Mundial Econômico de Davos, na diabólica figura do senhor Klaus Schwab.

    Resumidamente:

    As elites globalistas já têm esquematizado todo um plano que visa suprimir as moedas nacionais e impor uma moeda digital, a qual abolirá completamente toda privacidade do indivíduo, fará com que ele apenas consuma o que o estado autorizar e, ainda por cima, permitirá a imposição da Renda Básica Universal, o que manterá toda a população dócil e submissa.

    Isso representará a maior ruptura econômica da história recente. Será o Grande Reset, que já é falado abertamente por Davos, FMI e ONU.

    Toda essa agenda começou a ser colocada em prática com essa fraudemia da Covid-19, a qual foi instigada por toda a elite globalista já conhecia: ONU, OMS, Fórum de Davos e George Soros. Os lockdowns — que não têm nenhum respaldo científico e que nunca foram adotados na história do mundo — foram inventados exatamente para quebrar as economias, destruir as pequenas empresas, criar as bases para a nacionalização das indústrias e, finalmente, impor as moedas digitais. Não mais haverá soberania nacional. Todos passarão a seguir ordens de Davos.

    Os lockdowns sempre foram uma medida crucial para a implantação desta medida. O Partido Democrata americano é amplamente favorável e está no bolso de Soros e de Klaus Schwab (o real mentor do Grande Reset).

    Grande Mídia e Redes Sociais apoiam tudo isso e suprimem qualquer dissidência (e agora está escancarado: o Twitter simplesmente proíbe e deleta qualquer crítica ao processo eleitoral americano) porque sabem que terão muito a ganhar no futuro arranjo.

    A Grande Mídia será essencial para convencer a população de que tudo está correto e tudo está sendo feito para o bem dela. Ela será crucial para manter o populacho desinformado e submisso. Em troca, terá a sua fatia no novo arranjo e receberá grandes agrado$ do establishment (o qual será feito de maneira direta com as moedas digitais, que estarão fora do escrutínio do público).

    As viagens internacionais serão (aliás, já estão sendo) deliberadamente restringidas com o objetivo de "reduzir a poluição", que é um dos objetivos explícitos da ONU, do Fórum de Davos e do New Green Deal, do Partido Democrata.

    (Li que já estão com planos de obrigar os países a só emitirem passaportes para cidadãos que provarem que já se vacinaram.)

    Estamos vivenciando a maior conspiração organizada da história humana, e toda a imprensa não só não está denunciando, como está adorando tudo.

    Por enquanto, Trump realmente era a única peça fora do quebra-cabeça. Uma eventual reeleição dele frustraria esses planos. Retirá-lo da jogada era absolutamente crucial. Para isso, valeria fazer absolutamente tudo (as fraudes comprovadas são escandalosas, mas como a mídia o odeia e ama o Biden, nada ganha repercussão. Já era).

    Brace yourself.


    P.S.: Todos os fatos que citei acima são perfeitamente encontráveis em qualquer googlada. Tudo o que fiz foi juntar as peças do esquema.

    P.P.S: leia os dois artigos linkados para você entender o que já está sendo implantado como consequência dos lockdowns:

    www.mises.org.br/article/3303/a-grande-mudanca-monetaria-e-bancaria-que-esta-por-vir--esta-preparado

    www.mises.org.br/article/3277/comecamos-com-os-lockdowns-e-estamos-indo-para-o-grande-reset-atualizado

    P.P.P.S.: mas, ei, ao menos veja o lado positivo: com a ascensão dos Democratas, teremos dólar mais barato.
  • Tesla  15/12/2020 22:18
    Fraudaram a eleição americana na cara de pau exatamente para isso. Se Trump estivesse no poder, o plano deles seria muito dificultado. Ele não cederia ao Globalismo tão fácil como os democratas.

    Se armem e comprem Bitcoin.
  • Revoltado  16/12/2020 19:18
    Imagino a euforia daqueles que diziam as fraudes serem fake-news criada pelos Republicanos!

    Devem agora estar com o orifício anal piscando de felicidade, não entendendo as conseqüências malévolas que se abaterá em nós!
  • Roberto Oliveira   26/02/2021 16:44
    Caro Klaus seus arrazoados, lúcidos e claros, se coadunam com a expressa realidade. Apenas ouso acrescentar em sua verve, lúcida e lógica, que os verdadeiros senhores do mundo não são as personagens materializadas em figuras como Klaus Schwab ou Soros e nem mesmo em um Zuckerberg ou um Bezos, Musk ou Gates; não. Creio que esses são mordomos dos senhores reais que os usam para agir no teatro de operações. Os verdadeiros senhores que comandam o show se acham nas sombras, de onde há decênios, quiçá séculos, a tudo comandam, invisíveis aos olhos de suas vítimas, nós. Porém, com o avanço de sua agenda estão saindo das sombras para a luz, crentes que darão o cheque mate - vide a união do vaticano com os Rothschild na promoção do que estão chamando de - Capitalismo inclusivo.
    Sê você não leu, leia o livro de H G Wells - A conspiração aberta - escrito em 1933 o ano da ascensão de Hitler na Alemanha e do início do terrível holodomor na Ucrânia. Essa obra é impressionantemente atual. Lá há clara referencia a um governo mundial. "Nada há na política que antes não tenha antes passado pela literatura."
    Como essa história, nossa história será conclusa, sinceramente não o sei. Apenas ouso salientar que os últimos grãos de areia da ampulheta correm céleres para o desfecho do que chamo de - "O fim de todas as coisas."
    Que nosso Senhor JESUS CRISTO ilumine você e família.
  • Lucas  15/12/2020 19:23
    Quando a vacina chegar, vocês irão tomá-la?
  • Fabrício  15/12/2020 19:29
    1) Não.

    2) A vacina da gripe, que já existe há décadas, tem apenas 50% de eficácia. Não há a mais mínima chance de qualquer vacina desenvolvida em três meses ser melhor do que isso.

    3) Qualquer vacina precisa de pelo menos dez anos de prova para se saber se há efeitos colaterais.

    4) Quem tomar uma vacina elaborada às pressas (não interessa se é da Pfizer ou de uma estatal chinesa) corre o risco de, daqui a alguns anos, se descobrir infértil, impotente, cego, surdo, com deficiência motora, com definhamento de algum órgão, ou coisa semelhante.

    5) Por que se arriscar para tomar uma vacina (feita às pressas) contra um resfriado (Covid-19 é resfriado, e não gripe) cuja taxa de sobrevivência é de 99,995%?

    6) Qualquer adulto com menos de 70 anos e que seja minimamente sensato deveria ficar longe de uma vacina feita às pressas. E o fato de, aqui no Brasil, uma vacina feita pelo governo chinês (a qual não é usada nem na China e nem em nenhum outro país do mundo) estar sendo estrepitosamente defendida por políticos (que certamente estão recebendo agrado$ desses laboratórios) deveria aumentar ainda mais a desconfiança.
  • Breno  19/12/2020 22:05
    Boa noite, Fabrício. Tudo bem? Você poderia me dizer onde eu posso encontrar essa informação da taxa de sobrevivência ser de 99, 995%?
  • Julio  20/12/2020 12:48
    No portal transparência você irá ter a resposta: transparencia.registrocivil.org.br/registros
  • Breno  20/12/2020 20:38
    Sim. E aposto que, nesse final de ano, a mídia irá espalhar aos quatro cantos que o aumento de mortes ocorrido entre o ano passado e esse ano foi maior do que o ocorrido entre 2018 e 2019, mas, com certeza, vai esconder o fato de que o aumento ocorrido entre 2015 e 2016 foi maior, de modo a não quebrar a narrativa.
  • Victor  15/12/2020 20:58
    Tomarei a vacina apenas por questões profissionais e tão tarde quanto me seja permitido, já que as cias aéreas e os países exigirão algum tipo de controle nesse sentido para entrar em seus territórios.
    Mas tivesse eu um emprego normal sem necessidades de grandes deslocamentos adiaria por anos tal vacinação e quem sabe até me mudaria para uma cidade do interior onde a sabedoria popular ainda é valorizada.
  • Edson Magalhães  15/12/2020 21:43
    Não.

    Eu tomo todo ano a vacina da gripe e os resultados nos últimos 12 anos tem sido excelentes. Porém foi uma vacina desenvolvida ao longo de décadas até que eu tivesse a oportunidade (e o dinheiro) para tomar.

    Agora vão me oferecer "de graça" (ah, tá!) uma vacina desenvolvida na China em 6 meses. Vou declinar e pedir a opinião de quem tomou.........
  • Guimarães  16/12/2020 15:11
    Enquanto isso, a China acaba de anunciar a compra de 100 milhões de doses de uma vacina alemã.

    www.bloomberg.com/news/articles/2020-12-16/china-secures-100-million-doses-of-biontech-shot-to-boost-supply

    Ué, mas a vacina deles não é a melhor do mundo? O Dória garante.

    Qualquer paulista que aceitar tomar a vacina chinesa do Dória merece realmente seu destino...
  • Anônimo  20/12/2020 13:41
    O paulista não vai aceitar, tapado. Vai ser obrigado por força policial. A menos que Bolsonaro e Pazuello punam exemplarmente os subversivos Doria e Bonner.
  • Julio  20/12/2020 12:44
    Não
  • Imperion  15/12/2020 19:30
    No pôker tem um ditado: Se você não sabe quem é o pato, é porque o pato é você..
  • Bernardo  15/12/2020 19:42
    A Alemanha aprovou uma lei que dá ao estado o poder de literalmente fazer tudo o que quiser em nome do "combate à Covid".

    O governo poderá, "legalmente", fechar qualquer empresa, impor lockdown, prender quem não usar máscaras, enfiar agulhas e fazer testes compulsórios nas pessoas, bem qualquer outra medida tirânica que os políticos bem entenderem.

    www.dw.com/en/german-parliament-due-to-pass-law-on-pandemic-powers/av-55648921

    A coisa tá acelerando.
  • Tesla  15/12/2020 22:20
    E a mídia dá total apoio ao governo totalitário. As máscaras "democráticas" estão caindo muito rápido.
  • Túlio  15/12/2020 19:47
    Um homem perseguiu uma mulher por toda a loja e a assediou exigindo que ela colocasse uma máscara. Zero reclamação das feministas e da galera dos direitos das mulheres.

    twitter.com/BrendonLeslie/status/1338669605540286466
  • David  15/12/2020 20:04
    Viver a sua vida como um ser humano normal tornou-se hoje o maior ato de resistência. Ser normal tornou-se revolucionário.
  • anônimo  15/12/2020 20:10
  • Victor  15/12/2020 20:56
    Lutar pelos filhos? Que filhos? As taxas de natalidade viraram pó, não haverá geração futura. E mesmo quem tenha filhos está muito enganado achando que são seus, são do estado, ele os educará, os corrigirá e os alimentará.
  • Victor  15/12/2020 20:53
    A bolha misândrica está estourando ainda que de maneira torpe, o que é o direito da mulher diante do bem coletivo de usar uma máscara inútil?
  • anônimo  15/12/2020 21:40
    Alguém tem acompanhado a situação Argentina ? A mídia tá passando peno pela possível aprovação do aborto. Só queria saber como isso vai botar comida na mesa do argentino e acabara com a pobreza.

    cgn.inf.br/noticia/294549/argentinos-desenterram-carne-de-frango-estragada-para-comer#:~:text=Nas%20imagens%2C%20argentinos%20famintos%20s%C3%A3o,os%20alimentos%20em%20um%20aterro.

    valor.globo.com/mundo/noticia/2020/09/30/pobreza-na-argentina-atinge-409percent-da-populacao-no-primeiro-semestre.ghtml
  • Leopoldo  15/12/2020 22:35
    E Sua Santidade está caladinha em relação a isso. Não se dignou a se pronunciar contra nem sequer via Twitter.

    Não é à toa que esse Bergoglio é amado pela mídia progressista. Aliás, não conheço um ateu, um abortista e um gayzista que não o adore. Tá tudo dominado.
  • Felipe  15/12/2020 22:16
    É deprimente, embora não esteja surpreso.
  •   15/12/2020 22:49
    apertem os cintos, o piloto sumiu (se é que um dia tivemos piloto) 2021 promete!...
  • Ex-carioca  15/12/2020 23:35
    Pois é. E o populista do PR para ajudar 2021 solta esta hoje no ceagesp:

    " Aqui, quando se fala de privatização, quero deixar bem claro. Enquanto eu for presidente da República, essa é casa de vocês", afirmou o presidente."

    agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2020-12/bolsonaro-visita-ceagesp
  • anônimo  16/12/2020 01:12
    Bolsonaro foi completamente castrado pelo corporativismo dos milicos carreiristas.
  • Augusto  16/12/2020 00:49
    Eis uma maneira de começar a lidar com totalitários:

  • Neto  15/12/2020 23:23
    Pergunta sinceraça: alguém aqui conhece alguma pessoa que morreu de gripe normal esse ano?

    Ao longo de meus quase 30 anos de vida conheci cinco pessoas que morreram de gripe comum. Quatro eram idosos e um tinha aprox. 60 anos.

    Pergunto isso porque esse ano ninguém mais morre de gripe e sempre foi comum pessoas morreram de gripe.
  • Otávio   15/12/2020 23:42
    Pergunte a qualquer médico ou enfermeiro que trabalha em hospital ou pronto-socorro: todos eles são obrigados a declarar "Covid-19" como causa mortis de qualquer pessoa que tenha morrido de qualquer outra doença.

    Motivo: planos de saúde e seguros de vida, por lei, são isentos de arcar com os custos de mortes causadas por uma pandemia, o que faz perfeito sentido econômico.

    www.conjur.com.br/2020-abr-01/direito-civil-atual-seguros-privados-cobrem-eventos-associados-pandemias

    E eu nem acho que eles estão errados. Ao contrário: não faz sentido eles serem obrigados a pagar por algo que não está no contrato e cuja veracidade ninguém comprova.

    Mas o ponto é: por causa dessa prática, esse número oficial de mortos divulgado está extremamente inflado. Pessoas que efetivamente morreram de Covid (e não com Covid) não chega nem às metade do divulgado. E estou sendo conservador na estimativa (tem médico que jura que o número real não chega a 20% do divulgado).
  • Fabrício   15/12/2020 23:56
    Daqui a algumas décadas, depois que toda a classe jornalística já tiver sido trocada e tivermos jornalistas mais comprometidos com a verdade e não com politicagem, aí é que começaremos a descobrir a verdade.

    E historiadores vão analisar esse período e dar gargalhadas de como fomos imbecis, crédulos e ingênuos.

    Pode parecer wishful thinking, mas foi assim que ocorreu na Alemanha (após o nazismo e o comunismo) e no leste europeu.
  • Carlos Alexandre  16/12/2020 01:10
    Peguem as estatísticas de excesso de morte nesse ano em relação ao ano passado e vocês verão a farsa que tá por trás disso tudo
  • Richard  16/12/2020 11:11
    Jornalistas são a mesma corja de vagabundos desde os tempos de Nietzsche kkk, esquece
  • Welder Vieira Arantes  16/12/2020 13:38
    ...não acho que darão gargalhadas...
  • Revoltado  16/12/2020 19:17
    E constatarão que esta foi a era mais afrescalhada da história humana!
  • Breno  17/12/2020 21:38
    Boa noite, Otávio. Se não se importa, poderia enviar os links, fontes, dados e gráficos os quais você tem acesso que refutam a narrativa convencional, além de informações que demonstrem o fato dos números estarem sendo inflados?
  • Otávio  17/12/2020 22:30
    O link principal já foi ofertado. Agora, mandar links de conversas pessoais que eu tive com médicos é um tantinho quanto impossível (ainda não há essa tecnologia).

    Se você souber como faz essa mágica, divulgue ao mundo.
  • Breno  19/12/2020 21:54
    Desculpe. Eu acabei me expressando mal. O que eu queria saber é se, além disso, você tem mais alguma informação que refute a narrativa convencional.
  • Breno  20/12/2020 21:57
    Então, por exemplo, se uma pessoa morreu de câncer, mas estava com o vírus, então, ela entrou pras estatísticas , mesmo que ela tenha morrido com o vírus e não com o vírus.

    Isso pode ser provado através de uma rápida visita ao site do Registro Civil, onde você constata que o aumento de mortes ocorrido entre esse ano e o ano passado, certamente, ao término do ano, ficará dentro da média, possivelmente abaixo dos aumentos ocorridos entre os anos de 2015 e 2016 ( 13,9% ) e, também, de 2017 e 2018 ( 13,7% ).

    Além disso, é notória uma anomalia ocorrida no número de mortes provocados por outras doenças, principalmente pneumonia, em relação ao ano passado, o que reforça mais ainda essa ideia.
  • anônimo  21/12/2020 11:00
  • Libertarianismo  22/12/2020 14:14
    Como é a tag correta pra compartilhar vídeo do youtube aqui? O tutorial do site está bugado e não mostra.
  • Flávio  22/12/2020 14:53
    Escreva "youtube" (sem aspas) dentro de colchetes, imediatamente antes do endereço do vídeo.

    E aí, imediatamente após o endereço, escreva "/youtube" (sem aspas), também dentro de colchetes.
  • Lucas Mateus  16/12/2020 01:04
    Primeiramente, parabéns pela iniciativa sem preço, mas de altíssimo valor, desse Instituto em publicar esse preciosíssimo artigo!

    Provas e Evidências Científicas Incontestáveis e Irrefutáveis da "Pandemia de Casos".

    Alguém já notou que esta "pandemia" é uma "pandemia" de casos?

    Diferentemente das reais pandemias, onde são os mortos que avolumaram as estatísticas, nesta são os "casos".

    Uma "pandemia" não de mortos infectados, mas de "casos positivos" surgidos através de testes que sequer foram desenhados, ou criados, para detectar vírus RNA.

    É o caso do atual PCR (Polymerase Chain Reaction), teste cujo próprio inventor abandonou devido à sua inespecificidade (é inútil e não testa nada! Apenas detecta material genético).

    Em uma coletiva em 16 de março de 2020, o Diretor Geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou o seguinte: "Temos uma mensagem simples para todos os países: Testem, testem, testem."

    A mensagem de Tedros Adhanom ganhou destaque (e eco) na Agência Reuters e na BBC. Daí em diante, surgiu o Mantra: "Testem, Testem, Testem"; e surgiu a "pandemia" (de casos, e apenas de casos).

    Mais de uma centena de médicos, imunologistas, virologistas, infectologistas, e também advogados, de diversos países, já formaram a The World Doctors Alliance; a Peoples Court; a Anhörungen / Hearings, dentre diversas outras organizações internacionais, e que não param de crescer, para desmascarar a que já é considerada a maior Fraude Científica da História da Humanidade!

    Há farto material nos links a seguir!

    Pensem em seus familiares, em seus filhos, amigos, e divulguem a verdade!

    Farto Material:

    covileaks.co.uk/

    acu2020.org/hearings/

    bpa-pathology.com/covid19-pcr-tests-are-scientifically-meaningless/

    Bônus! Para quem desejar tudo bem mastigadinho, basta ouvir o advogado Reiner Fuellmich, que junto com outros de sua profissão estão movendo um gigantesco processo contra as autoridades sanitárias da Alemanha em razão da Fraudemia!

    Aqui: www.bitchute.com/video/KuNKA5ZC4sLH/

    Que Deus nos proteja!
  • Nielsen  16/12/2020 15:08
    Estamos em um nível que acredito ser muito difícil relegar essa postura a pura covardia e medo. O medo existe, mas ninguém permanece como um cão tremendo no canto da parede por tanto tempo de forma tão absurda (ninguém pode ser tão burro assim). O problema é muito mais que medo e histeria, é falta de caráter e hombridade mesmo.

    A sociedade perdeu totalmente a vergonha na cara, são infantis sonsos que acham que fazem bem ao terceirizar a saúde e a responsabilidade própria ao governo.
  • Ed  16/12/2020 13:58
    Esse vídeo demonstra que os números de mortes pela covid foram inflados:

    www.youtube.com/watch?v=1YVVCpmoqGE&ab_channel=GuilhermeFiuza

  • Rick, O Garoto Prodígio  16/12/2020 16:43
    Um questionamento que venho refletindo sobre vacinas e as ideias anti-vacinas:

    O primeiro é esse raciocínio:

    Não há um problema de não tomar a vacina? Por exemplo, se o "João" não tomar a vacina ele pode contaminar "Maria"?

    Nesse caso existiria respaldo em ser a favor de que todos tomem a vacina?

    O segundo raciocínio é este:

    Se o problema for a obrigação do governo, então as escolas ou qualquer entidade particular (privada), poderiam apenas deixar os indivíduos que se vacinaram entrar nos locais do quais eles são donos? (Nesse caso sem necessitar de um decreto governamental e simplesmente as empresas e propriedades privadas em geral colocando isso como regimento interno, o qual, só entra quem for vacinado.

    Nesse caso seria melhor?
  • Hugo  16/12/2020 17:00
    "Não há um problema de não tomar a vacina? Por exemplo, se o "João" não tomar a vacina ele pode contaminar "Maria"?"

    Se Maria tomou a vacina (e aqui vamos dar de barato que a vacina é eficaz), então ela não tem de se preocupar com Joao. Ela já está imunizada.

    O fato de João não ter tomado a vacina não tem qualquer importância para Maria. Afinal, ela já está imunizada.

    Quem afirma que ambos têm de tomar a vacina está, na prática, dizendo que a vacina não adianta nada. Aí, neste caso, nem faz sentido tomar.

    "Nesse caso existiria respaldo em ser a favor de que todos tomem a vacina?"

    Não. Quem acredita na vacina, por definição, deve tomá-la e ficar 100% tranquilo. Estará imune em relação ao resto da humanidade.

    Não existe isso de uma vacina "só funciona se 100% das pessoas tomá-la". Isso é a anti-definição de vacina.

    É igual àquela piada do português que inventou a pílula que mata a sede, mas ela só funciona se você tomar com quatro copos d'água…

    "Se o problema for a obrigação do governo, então as escolas ou qualquer entidade particular (privada), poderiam apenas deixar os indivíduos que se vacinaram entrar nos locais do quais eles são donos?"

    Sem problemas, desde que seja uma decisão 100% voluntária e tomada exclusivamente pelos proprietários.
  • Rick, O Garoto Prodígio  16/12/2020 20:40
    Obrigado pelos esclarecimentos!
  • weberth mustapha  16/12/2020 20:02
    Eu já perdi dois ''amigos'' não para o COVID, mas sim por discordar das medidas do governo, pessoas intolerante que sequer aceitam argumentos que não o já comprado da mídia mainstream.
    Muito complicado o ano que vivemos, estamos vendo bem diante de nossos olhos o direito de livre expressão ir embora. De certa forma vi o nascer das redes sociais, nunca vi tanta intolerância com opiniões contrárias igual hoje.

    Literalmente, vi as redes sociais, junto com a mídia tradicional implodir qualquer direito de livre expressão. Hoje, há assuntos intocáveis que podem te levar desde bloqueio a exclusão, e na vida real, perda de ''amigos'', mulheres, empregos.

    Essa intolerância não vem da ''esquerda'', a maioria dos esquerdistas sequer leram um livro na vida, eu nem acredito que haja esquerda.
    Acredito que pessoas seguem determinadas páginas, jornais e pessoas e compram todos os discursos prontos daqueles ''iluminados''.

    Basta ver os vídeos raiz do Arthur do Val, a maioria daquela galera não tem resposta para nada. Não passa de chavões, de gritos, de histeria coletiva, de seguir Quebrando o tabu, etc.

    Assim, quem segue a mídia mainstream, não pensa, não lê, não crítica. Se está lá "Vamos fechar todo o brasil por 2 meses sem pensar nas consequências'', acabou. Aquele é o discurso dela e ponto final.

    Quem ela prefere acreditar. Num zé mané que discorda por A mais B ou nas páginas que ela segue. no Felipe Neto, no ATila ursorindo, no Jornal Nacional???

    Pessoas assim compram qualquer discurso. Não sei exatamente quantos % do povo são assim, mas para mim, são a maioria.
    Hoje o discurso é fechar tudo, restringir tudo, pandemia isso, pandemia aquilo. Quem sabe o que amanhã a mídia irá impor, e o seu colega de serviço vai aceitar pacatamente e ainda tentar convencer os indecisos que tá certo??

    Talvez seja o fim do dinheiro físico, para evitar assalto, agilidade , etc... O que já foi previsto aqui e está acontecendo.
    Claro, sem ponderar qualquer outra consequência.

    Mas quem pensa diferente jamais deve se calar, aceitar a opinião da maioria só por ser maioria. Liberdade de expressão é sagrada. Não importa se perdemos ''amigos'', crushs do tinder, etc.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  17/12/2020 00:14
    E pode apostar que esse esquema todo aí é calculado. Basta lembrar de livros que já dissertaram sobre: "The strategy of subversion" de Paul Blackstock, "Comunista exposto" e vários outros. Satura-se diuturnamente os noticiários com informações cuidadosamente preparadas e ganha-se pelo cansaço. Mesmo quem antes opunha alguma resistência acaba com o raciocínio podado após alguns meses.
  • Tatunca Nara  17/12/2020 05:23
    A única forma de combater essa fraudemia é praticando subversão.
  • Pérsio   17/12/2020 16:33
    Excelente artigo em defesa da liberdade. Precisamos lutar pelo direto de expressão, de acreditarmos numa sociedade de Estado mínimo (ou até SEM Estado), no livre arbítrio e na responsabilidade individual.
    Feliz Natal e Próspero Ano Novo aos participantes do Instituto Mises.
  • Tyu  17/12/2020 22:22
    Links abaixo, traduzidos via chrome, tratam de assuntos sobre essa fraudemia.

    Estudo da Johns Hopkins Explode Covid Death Hoax
    drive.google.com/file/d/1ZebWYt_iEnEouVfSyWM0VYZv1NBEwGkW/view?usp=sharing

    Estudo de referência descobre que máscaras são ineficazes
    drive.google.com/file/d/1Bh_nyLMf39R9ClS-MlZ5KQ8GIY2yFmTd/view?usp=sharing

    Governador da Florida força laboratórios a relatar o número de ciclos de teste PCR
    drive.google.com/file/d/1t8vFm0QI-G14S7cBMLbu0Lm-zascpN4R/view?usp=sharing


    O maior embuste já perpetuado para um público desavisado.
    drive.google.com/file/d/1yWt26gl5MUqV4NeJlYQb3FS-tSvI151s/view?usp=sharing


    O vírus SARS-Cov-2 nunca foi comprovado.
    drive.google.com/file/d/12rDrvnGGSE2MvSmlrFIpO4w6sy6vaJDO/view?usp=sharing


    Vacinas de emergência Covid-19 podem causar efeitos colaterais massivo
    drive.google.com/file/d/1jYgwovlFsQoVrRo3DiEaN-DoYpD_5Fz_/view?usp=sharing



    Tudo isso leva a uma reflexão.
    Os responsáveis por provocar essa situação são aqueles eleitos através do voto.
    Ao invés de ficarmos lamentando, via internet, podemos fazer algo mais fácil e simples.
    Desobediência civíl...........não votar nas próximas eleições. Muito fácil e sem violência. Apenas
    usar a rede para levantar o movimento.
    Nosso problema é gerado por nós mesmo.


  • LSB  21/12/2020 14:49
    "Essas aberrações deveriam ser ignoradas e talvez até mesmo silenciadas À FORÇA."

    Por isso que digo que o "conflito" é inevitável. Sowell, no seu espetacular "Conflito de Visões", confessa que não vê como se chegar a consensos.

    A esquerda/progressistas acreditam que tudo é opressão e, portanto, a violência seria somente uma "reação" LEGÍTIMA, uma vez que os opressores jamais deixariam de oprimir por "livre e espontânea vontade".
    Já os não esquerdistas/progressistas não irão "mudar" pois não aceitam a retórica/teoria "esquerdista/progressista"; todavia, dadas a agressividade e a violência dos progressistas (que, por estarem "salvando o mundo", sequer cogitam a autocrítica), também passam a defender a defesa/reação com a força.

    Em suma: o século XXI será a RESSACA do século XX: os conflitos ideológicos - empurrados para "debaixo do tapete" no século XX pelos "progressistas" (com a inocente aceitação dos não esquerdistas)- serão levados "às vias de fato" neste século (pois, agora, economia, relações sociais e política estão indo à pique em função das aberrações políticas, jurídicas, sociais e burocráticas levadas à cabo anteriormente pelos "carpinteiros do Universo" - ou "cordeiros de Deus que vieram tiram os pecados do mundo").
  • Welfare State  27/02/2021 12:26
    Comecei a ler o artigo e me veio à mente uma corrida do Rubens Barrichello "Hoje não, hoje não, hoje sim." o artigo enquadrar-se-ia perfeitamente ao comportamento tirano de liberais como Trump/Bolsonaro e suas teses negacionistas que apontam para algum problema – talvez real ou talvez inventado (econômico), mas infalivelmente exagerado – cuja persistência infligirá ao seu amado povo um dano sem precedentes.

    Para os tiranos liberais "O resultado final amanhã, valerá a pena a dor, o sofrimento e a indignidade de hoje das mortes causadas pelo coronavírus.". Afinal, pensam vocês, só está morrendo velhos economicamente improdutivos mesmo, por que isso deveria nos preocupar?

    Os liberais sofrem da síndrome de Crespúsculo, se sentem tão especiais que pensam que existe uma conspiração interessada em manipular suas vidas.
  • Fabrício  27/02/2021 14:17
    "o artigo enquadrar-se-ia perfeitamente ao comportamento tirano de liberais como Trump/Bolsonaro"

    Gentileza especificar qualquer medida implantada por um destes dois que possa ser qualificada como "tirana".

    Gentileza apontar políticas que um destes dois implantaram que trouxeram uma redução das liberdades individuais.

    "e suas teses negacionistas que apontam para algum problema"

    Gentileza definir "teses negacionistas".

    Curiosamente, negacionistas e tiranos são os vários governadores e prefeitos do Brasil, que tiranicamente negaram a liberdade do povo de trabalhar, de se locomover, de ganhar a vida digna e honestamente por meio do próprio trabalho. No final, submeteram o povo a ter de depender das esmolas distribuídas por políticos.
    Isso sim é negacionismo e tirania.

    "cuja persistência infligirá ao seu amado povo um dano sem precedentes."

    Aí concordo. A persistência desta tirania negacionista implantada por governadores e prefeitos infligirá no povo um dano econômico e moral sem precedentes.

    E o que tem de gente bosta que defende isso…

    "Os liberais sofrem da síndrome de Crespúsculo, se sentem tão especiais que pensam que existe uma conspiração interessada em manipular suas vidas"

    Dado que essa frase veio de um autoritário bosta como você, que defende exatamente o negacionismo tirânico que fodeu para sempre a vida das pessoas, a ironia não deixa de ser relevante: ao mesmo tempo em que você ferra os outros, você diz que se eles reclamarem é porque acreditam em teorias da conspiração.

    Parabéns: você provou que existe sim gente que habita o vale da baixeza humana.
  • Victor  27/02/2021 14:17
    O mundo tá tão invertido, que hoje, quem defende liberdade de ir e vir, de trabalhar e de simplesmente viver é chamado de "tirano negacionista", e quem quer proibir os outros de viverem e trabalharem é chamado de "científico respeitável".


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.