clube   |   doar   |   idiomas
A CEDAE comprova: há muito governo na água do Rio de Janeiro
Sete motivos por que a CEDAE deve ser desestatizada e privatizada

A Estação de Tratamento de Água do Guandu, que atende a região metropolitana do Rio de Janeiro, está distribuindo água com gosto e cheiros de terra desde o início de 2020.

A responsabilidade é da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae), mas o problema não é de hoje: a questão da poluição na água da região se arrasta por décadas e passou por quatro governos diferentes do Rio de Janeiro e seis presidentes da Cedae.

A avaliação é que a falta de investimentos na estação resultou na indisponibilidade de equipamentos cruciais para a realização do serviço.

Em um momento em que se discute no Senado Federal o Novo Marco do Saneamento Básico, a Cedae é exemplo de como saneamento básico e abastecimento de água são importantes demais para serem deixados nas mãos do estado.

Aqui estão 7 motivos para se privatizar a estatal.

1. Serviço precário

A Cedae atende a 65 municípios do Rio de Janeiro, um estado em que 50% dos domicílios não têm coleta de esgoto e dois terços disso não é tratado. Há ainda um desperdício de água próximo a 50% por causa de vazamentos em encanamentos sem manutenção adequada e fraudes, prejudicando o meio ambiente.

2. Os contratos da Cedae não têm metas

Estudo da FGV Ceri (Centro de Estudos de Regulação e Infraestrutura) apontou que a maioria das companhias estaduais de saneamento do sudeste presta serviços para os municípios sem licitação e sem metas definidas para o atendimento à população em termos de abastecimento de água e esgoto.

Apenas 1,67% dos contratos firmados entre os municípios atendidos pela Cedae conta com metas bem definidas. Para efeito de comparação, a Sabesp tem metas bem definidas em 83,4% dos contratos com os municípios atendidos, a Cesan (ES) conta com 80% e a Copasa (MG) em 77,6% — Sabesp e Copasa têm mais de 49% de seu capital com investidores privados, ao passo que a Cedae é 99,9996% estatal. 

3. Sem dinheiro para investimentos

A universalização do saneamento básico no Rio de Janeiro é estimada em cerca de R$ 30 bilhões. Porém, nos últimos cinco anos, a Cedae investiu por ano em média apenas R$ 230 milhões. Além disso, os valores caíram: entre 2014 e 2017, a companhia reduziu em 62% os investimentos.

Além disso, com as contas públicas fluminenses em colapso, não há a possibilidade de haver repasses para aumentar o ritmo de investimentos.

4. Uma das tarifas mais altas do país

Segundo levantamento de pesquisadores do IPEA de 2018, a Cedae é a empresa de saneamento que cobra os maiores valores em taxas e tarifas por seus serviços do país.

Ela cobra mais que o triplo da tarifa para residências determinada pela Sabesp, companhia que atende São Paulo. A estatal fluminense também cobra de estabelecimentos comerciais e industriais muito mais do que Copasa, Sabesp e Sanepar (outra empresa de capital aberto).

Os valores aumentaram nos últimos anos: entre 2014 e 2017, as tarifas da Cedae foram reajustadas em 22,3%.

5. Tarifas são destinadas a engordar a folha de pagamento

Porém, esse dinheiro não vai para aumento de investimentos, como já afirmado. Segundo estudo da Inter.B, as despesas com empregados cresceram 55% no período equivalente — o que significa que o grosso das receitas vai para bancar os gordos salários do burocratas e apadrinhados políticos empoleirados na estatal.

Não é à toa que o presidente da Assembleia Legislativa do Rio, André Ceciliano (PT), já está se movimentando para impedir a privatização da empresa.

6. Falta de transparência

Segundo o deputado estadual Chicão Bulhões (NOVO), os parlamentares não conseguiram acesso ao contrato de prestação de serviço entre a Cedae e o município do Rio de Janeiro. O fato demonstra a falta de transparência da estatal em sua prestação de contas e serviços.

7. Melhoria das contas do Rio de Janeiro

Em 2016, a Secretaria de Parcerias e Investimentos da Presidência da República estimou que a concessão do sistema de saneamento do estado do Rio à iniciativa privada poderia gerar R$ 1,5 bilhão no ato da assinatura dos contratos. O dinheiro iria para o governo do estado do Rio de Janeiro, melhorando a dívida líquida do estado.

Nada de novo

Todos os fatos acima apenas relatam a mesma e velha história de sempre: o real problema não é que a CEDAE esteja com escassez de financiamento; o problema é que ela é gerenciada por políticos e burocratas.

Quando uma empresas monopolista e estatal passa a ser dominada por conchavos e loteamentos políticos, o resultado inevitável é que ela irá se tornar pavorosamente ineficiente.  

Não importa em quanto seja aumentada a quantidade de dinheiro jogada no sistema; no final, a administração burocratizada, sem concorrência e aparelhada por políticos irá simplesmente desperdiçar (para não dizer desviar) este dinheiro — afinal, esta é a regra em empresas estatais que operam em uma reserva de mercado, sem concorrência, e com um quadro repleto de apadrinhados políticos.

E este é o grande problema dos sistemas estatizados e monopolistas: é impossível fazer uma administração racional dos recursos: dado que a receita independe da qualidade dos serviços ofertados, e dado que as despesas seguem orientações políticas, e não a qualidade dos serviços, não há um real sistema de lucros e prejuízos a ser seguido. Logo, não há racionalidade na administração. Com efeito, nem sequer é possível saber o que deve ser melhorado, o que está escasso e o que está em excesso. Não há como inovar ou se tornar mais eficiente.

Em um sistema de saneamento controlado integralmente pelo governo, são os políticos e burocratas que determinam quem irá receber o serviço, e como serão repartidas as receitas entre seus apadrinhados. 

Políticos e burocratas que gerenciam empresas não se guiam pelas demandas dos consumidores, mas sim pelas conveniências financeiras do arranjo.

A solução ideal seria abrir o mercado para a concorrência, permitindo a entrada de novas empresas concorrentes (todos os detalhes estão explicitados neste artigo). Entretanto, como isso dificilmente irá ocorrer (pois há um limite à liberdade tolerável no Brasil), a única solução imediata e definitiva é retirar os políticos e burocratas da jogada, abrindo o capital da empresa — como já ocorreu com Copasa, Sabesp e Sanepar.

Isso, por si só, já garantiria um salto qualitativo nos serviços, pois agora a empresa estaria sob o escrutínio de investidores privados, que não tolerariam lambanças como água com gosto e cheiro fétidos —pois isso faria desabar o valor das ações.

Já passou da hora de tentarmos um pouco de capitalismo no Brasil.


autor

Luan Sperandio
é graduando em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e faz MBA em Liderança e Desenvolvimento Humano na Fucape Business School. Atualmente, é vice-presidente da Federação Capixaba de Jovens Empreendedores, e Diretor de Conteúdo do portal Ideias Radicais.


  • Carlos  04/02/2020 18:37
    Eis o Freixo no Twitter:

    "Vitória! Barramos na Alerj a privatização da Cedae. Trata-se de uma empresa lucrativa e seria um absurdo vendê-la. Água não é mercadoria, é direito."

    twitter.com/MarceloFreixo/status/1070388180610936832

    Tradução: receber água com bosta, mesmo pagando uma das tarifas mais altas do país, é um direito inalienável da orgulhosa população fluminense. Eles que se virem, portanto.
  • Fabrício  04/02/2020 18:43
    Todo socialista tem tesão em tomar dinheiro do povão para redistribuir para seus apaniguados. Novidade zero (mas eu aplaudo o Freixo por ao menos ter sido franco quanto a isso).
  • Consagrado  05/02/2020 00:34
    Digno de ser emoldurado e exposto nos anais da internet. Igual esse dois:

    vermelho.org.br/2014/03/14/venezuela-o-socialismo-que-deu-certo/

    www.conversaafiada.com.br/economia/2012/02/27/o-capitalismo-de-estado-venceu-e-melhorou-a-vida-do-pobre
  • Ex-microempresario  05/02/2020 18:52
    Se água não é mercadoria, é direito, como e porquê a Cedae tem lucro vendendo água?
  • Jorge Silveira  11/02/2020 18:38
    Realidade geral que se repete em diversos estados do Nordeste, onde a maior e mais cobiçada "mercadoria" é o emprego apaniguado - e nem sempre competente - nas prestadoras de serviços estatais do saneamento básico.
  • Sou Livres  04/02/2020 18:40
    Imagine que você vende um produto, mas a cada 10 unidades, joga 3 fora.

    É o que a CEDAE faz com a água no Rio de Janeiro. 29% de toda água distribuída é desperdiçada pelo meio do caminho e não chega até a casa das pessoas.

    Por que a esquerda fluminense é contra a CPI da Cedae?
  • João A.  04/02/2020 18:42
    Saneamento de Niterói:

    Até 1999, com a estatal CEDAE:

    Abastecimento de água - 72%
    Coleta de esgoto - 35%
    Tratamento esgoto - 35%


    A partir de 1999, operado por concessão privada:

    Abastecimento de água - 100%
    Coleta de esgoto - 93,1%
    Tratamento esgoto - 100%
  • Carioca  04/02/2020 18:50
    Já encontraram geosmina na água da Cedae, um produto químico não recomendado nem para animais. Agora moradores encontraram detergente também. Tá tudo dominado.
  • Pedro Paulo  04/02/2020 18:57
    Pô, tão reclamando de barriga cheia. O estado está gentilmente oferecendo um cardápio bem variado de águas: com cocô, com geosmina e com detergente. Um luxo. É necessário um pouco mais de gratidão por esse mimo.
  • Guilherme  04/02/2020 19:39
    Quem é usuário sabe: tem de tudo na água da Cedae, menos água. A estatal e o coronavíruas estão em árdua disputa para ver quem mata os cariocas primeiro.
  • Guilherme  04/02/2020 18:52
    37 bairros do Rio e mais três cidades da Baixada após a Cedae ter cortado o fornecimento.

    oglobo.globo.com/rio/falta-dagua-ja-atinge-37-bairros-no-rio-tres-cidades-da-baixada-24228138
  • Carlos Alberto  04/02/2020 19:02
    Em um mês, Cedae distribuiu 120 bilhões de litros de água contaminada

    Quantidade equivale a 48 mil piscinas olímpicas em 31 dias

    oglobo.globo.com/rio/em-um-mes-cedae-distribuiu-120-bilhoes-de-litros-de-agua-contaminada-1-24225323
  • anônimo  04/02/2020 20:06
    Interessante é que a comparação deste artigo se deu entre a CEDAE (99,9% do capital votante em poder do Estado do Rio ) e sociedades de economia mista de outros Estados da Federação (empresas com mais de 50,01% do capital votante em poder de algum outro ente público).

    Foi um comparativo setor público x setor público e não setor público x setor privado.

    Sabesp, Copasa e demais estatais estão muito longe de ser um exemplo de eficiência e transparência na gestão.

    Isso mostra que o descalabro da CEDAE se deve não apenas ao fato de ser uma empresa pública, mas, também, por ser uma empresa pública do Estado do Rio de Janeiro.
  • Carioca  04/02/2020 20:12
    Tentei, mas não entendi o seu ponto. Existe uma grande diferença, em termos de eficiência e de serviços prestados, entre uma empresa ter 100% do seu capital nas mãos do estado, e essa mesma empresa passar a ter mais de 49% em mãos privadas (e isso foi explicado no artigo).

    Ambos os arranjos são bastante distintos.

    Agora, se o seu argumento é o de que o real problema está na mentalidade do povo do Rio de Janeiro, então inevitavelmente você terá de defender que a Cedae seja integralmente vendida para uma empresa estrangeira. Eu apoio. E você?
  • anônimo  04/02/2020 21:17
    Eu é que não entendi seu ponto.

    Petrobrás também tem capital aberto e não tem nada de eficiente ou transparente, ainda que esteja sujeita a uma série de regulações adicionais pelo simples fato de ter suas ações negociadas em bolsa.

    Estatal é terreno para maracutaia, não importa se com capital 50,01% ou 100% público.

    A comparação do artigo mostra que Cedae é a pior dentre as estatais (pior dentre as piores).

    Se quiser vender para estrangeiro, nacional ou alienígena, temeu apoio.


  • Humberto  04/02/2020 21:32
    "Petrobrás também tem capital aberto e não tem nada de eficiente ou transparente"

    Menos, meu caro, bem menos. Até eu que não tenho simpatia nenhuma por ela, e que defendo a privatização até de jardim de infância reconheço que esta sua afirmação é absurdamente falsa.

    Vide valor de mercado, lucros e políticas de divulgação de preços da empresa.
  • anônimo  04/02/2020 21:54
    E telebrás?
    Spturis?
    Eletrobrás?
    Celesc?
    Cesp?
    Emae?
    Quer mais exemplos ou está bom?

    Em termos de eficiência e transparência, a única diferença entre uma empresa pública (capital 100% estatal) e uma sociedade de economia mista (menos de 100% mais de 50,01%) é que a primeira foi feita para lesar exclusivamente a população enquanto que a segunda foi feita para lesar a população e os trouxas que resolveram comprar suas ações.
  • Vladimir  04/02/2020 22:21
    Os "trouxas" que têm ações de Sabesp, Sanepar, Copasa e Cesp não estão nada tristes com os fartos e generosos dividendos pagos por elas (pesquise).

    Empresa que paga altos dividendos, por definição, não está sendo mal gerida (como é o caso da Cedae). Não existe empresa mal gerida com dinheiro sobrando para pagar dividendos.

    Faça um favor a si próprio e pare de falar de coisas que você claramente não sabe.
  • anônimo  04/02/2020 22:56
    Então pela sua lógica Cedae é um exemplo de boa gestão, já que distribui gordos dividendos todos os anos.

    Isoladamente, a distribuição de dividendos não diz nada sobre a qualidade de uma empresa.

    Mas vou parar por aqui. Não vou perder meu tempo com você nem pedir para me dizer qual o dividend yield de Telebrás, SPTuris e outras maravilhas do gênero. Fui.
  • Vladimir  05/02/2020 00:37
    "Então pela sua lógica Cedae é um exemplo de boa gestão, já que distribui gordos dividendos todos os anos."

    Meu Deus! A Cedae só paga dividendos ao Tesouro do Estado do Rio de Janeiro! Ela não tem acionistas privados! Como é que isso (tirar dinheiro da estatal para dar para o governo, que então irá retornar o dinheiro para a estatal) pode ser algum mensurador de eficiência?

    A função precípua de uma estatal é exatamente essa: pagar dividendos para o Tesouro. Caralho, a própria esquerda vive repetindo este fato como argumento contra qualquer privatização.

    Sério mesmo, sua ignorância é ímpar.

    "Isoladamente, a distribuição de dividendos não diz nada sobre a qualidade de uma empresa."

    Não, mas empresa mal gerida não distribui dividendos. Prova disso é a própria Petrobras, que, desde a descoberta do petrolão, suspendeu a distribuição de dividendos (em 2014), o que emputeceu os acionistas estrangeiros, que até entraram com um processo contra a empresa na corte de Nova York (pesquise). Depois dessa, a empresa ficou pianinha e rapidamente adotou medidas para se reerguer a voltar a ser eficiente

    "Mas vou parar por aqui."

    Faça esse favor à humanidade.

    "Não vou perder meu tempo com você nem pedir para me dizer qual o dividend yield de Telebrás, SPTuris e outras maravilhas do gênero."

    Obrigado por me poupar desse trabalho. Até agora, a perda de tempo foi toda minha.

    "Fui."

    Mas vá mesmo!
  • Doisberto  05/02/2020 12:40
    Rambo dos teclados: "Empresa que paga altos dividendos, por definição, não está sendo mal gerida (como é o caso da Cedae). Não existe empresa mal gerida com dinheiro sobrando para pagar dividendos."

    Anonimo: "Então pela sua lógica Cedae é um exemplo de boa gestão, já que distribui gordos dividendos todos os anos. "

    Rambo dos teclados: "mimimimimimimimi... Sério mesmo, sua ignorância é ímpar."
  • Cel. Trautmann  05/02/2020 15:09
    E o Rambo está certo. A Cedae não paga dividendos para investidores privados. Não é questão de opinião, mas sim um fato.

    E você ficou tão desnorteado com as respostas que levou, que até mudou de nome. Ficou com vergonha até do anonimato...
  • HAWLISON DOS SANTOS PEREIRA  06/02/2020 00:39
    A apple não distribui PN de dividendos. Sera que é mal gerida??????
  • Daniel Cláudio  06/02/2020 00:57
    Não?! Que estranho…

    investor.apple.com/dividend-history/default.aspx

    www.dividend.com/dividend-stocks/technology/personal-computers/aapl-apple-inc/

    br.investing.com/equities/apple-computer-inc-dividends

    Aliás, perceba que os valores só aumentam…


    Ignorante querendo sacar pra cima de quem sabe é uma tristeza.
  • Imperion  05/02/2020 12:45
    Petrobrás e mais eficiente que a estatal 100 por cento do governo, como era a alguns anos. So nao é perfeita porque metade ta na mao do governo e sujeita a interferência politica.
  • Dane-se o estado.  10/02/2020 12:35
    Por questão de calculo econômico é por definição, impossível uma estatal ser eficiente. Essa discursarão aqui só pode ter sido piada mesmo!
  • Medroso  04/02/2020 20:11
    Pessoal, qual a chance do TRUMP NÃO SER re-eleito? Já viram as pesquisas?


    Da uma olhada nisso gente, 90% das pesquisas indicam que sanders vence!
    E antes de qualquer coisa, em 2016 erraram muito eu sei, as pesquisas não iam usar o mesmo modus operandi novamente e esperar resultado diferente, eles não são burros, tentar a mesma coisa levaria TRUMP a se eleger com o pé nas costas

    www.realclearpolitics.com/epolls/2020/president/us/general_election_trump_vs_sanders-6250.html
  • John  04/02/2020 20:37
    Nulas. Sanders não ganharia nem na Argentina ou na França, muito menos nos EUA.

    Quanto a institutos de pesquisa, impressiona como eles ainda são levados a sério. Parece que, quanto mais eles erram, mais respeito eles ganham. Todos os institutos erraram o resultado das primárias democratas de ontem, no minúsculo estado de Iowa! Isso é uma façanha.
  • Mr Citan  04/02/2020 21:23
    Nem levo em conta essas pesquisas. Elas não levam em conta o americano conservador comum, que por convenção social prefere não mencionar o Trump, mas que tá lá na cabine de votação pra votar nele.

    Os Dems, a mídia e demais militantes progressistas não levaram isso em conta em 2016, e pelo jeito não aprenderam nada.
    Depois não adiantam chorar na Times Square e ficarem gritando igual a retardados no dia da posse.

    Aliás, os Democratas ficaram sem rumo após a derrota da Hillary, investiram numa oposição baseada no ódio e anti-americana. A única candidata minimamente normal foi Tulsi Gabbard, mas as bases do partido estão tão dominadas por comunistas e outros malucos, que capaz de escolherem Sanders ou Warren.

    Pra você ver como os DEMs estão perdidos, basta ver a Convenção dos DEM em Iowa que aconteceu essa semana:
    Não conseguiram definir quem ganhou, problemas com votação, os do chapéu de alumínio falaram que a culpa foi do Trump e dos russos, outros que a culpa eram dos Clintons, e chegaram a ao cúmulo de disputar delegados na base do CARA OU COROA.

    Os caciques querem Biden, mas as denúncias de corrupção tornaram difícil a candidatura dele.

    E pra piorar a situação dos DEMs, o impeachment do Trump só serviu pra dar mais força a ele, o que faz dele franco favorito para a reeleição.

    Conclusão: Em se tratando dos DEMs, até as eleições em Novembro, muita coisa bizarra vai acontecer.
  • Fabrício  04/02/2020 22:26
    "e chegaram a ao cúmulo de disputar delegados na base do CARA OU COROA."

    Não, e o pior de tudo foi a cena do sujeito jogando a moeda para fazer o "cara ou coroa". Ele não sabia como fazia isso!

    twitter.com/awzurcher/status/1224533900946485250
  • Drink coke  04/02/2020 21:33
    Acho bom as pesquisas apontarem vitoria do Sander, pois fará muitos americanos sairem do sofa e irem votar para garantir que esse desastre não ocorra. Aliás, Trump só não ganha se acontecer um colapso na economia americana
  • Medroso  05/02/2020 02:06
    E se o Sanders ganhar? E se um democrata ganhar? Seria bom pro Brasil? O dolar iria baixar kkkkkkkk

    Mas voltando aqui, o Boris Johnson é brabo heim galera, o maluco é classe A. O cara ta louco no livre comércio e disse que tem pressa até pra fechar com o Brasil.

    A esquerda esta literalmente entrando em parafuso e a mídia esta em choque
  • Trader Jovem  05/02/2020 02:08
    A divida americana ta explodindo, qual vai ser o fim disso? O Trump vai ser um fracasso?


    Cara, basta a China continuar indo pro buraco que o estado americano quebra, os chineses são os maiores detentores dos títulos americanos.

  • Trader veterano  05/02/2020 02:49
    "Cara, basta a China continuar indo pro buraco que o estado americano quebra, os chineses são os maiores detentores dos títulos americanos."

    Isso não faz sentido nenhum. A China é a credora. Os EUA são os devedores. Se o credor morre, a situação do devedor melhora. Se você deve R$ 100 mil para o seu vizinho, e ele morre e não deixa parentes, sua situação financeira piorou ou melhorou?

    www.mises.org.br/article/2621/o-governo-chines-detem-11-trilhao-de-dolares-em-titulos-do-governo-americano-o-que-isso-implica
  • Trader Jovem  05/02/2020 19:22
    Trader Veterano , mas as exportações da china são em grande maioria consumidas pelos EUA. Por isso se o ''credor'' falir, o devedor pode ate ter uma folga, mas ele vai exigir mais no pagamento dos títulos. E pelo lado das exportações, a partir do momento que os EUA subirem impostos pra honrar com a divida, as exportações chinesas podem cair devido a queda no consumo americano.

  • Trader veterano  05/02/2020 19:56
    "mas as exportações da china são em grande maioria consumidas pelos EUA."

    Sim.

    "Por isso se o ''credor'' falir, o devedor pode ate ter uma folga, mas ele vai exigir mais no pagamento dos títulos."

    Não é assim que funciona. Quem detém títulos de um governo não pode "exigir mais no pagamento". Os títulos são prefixados. Informe-se sobre isso.

    "E pelo lado das exportações, a partir do momento que os EUA subirem impostos pra honrar com a divida"

    No seu próprio cenário criado, a China tinha sumido. Logo, os EUA não precisam se preocupar em subir títulos para pagar um credor que sumiu.

    "as exportações chinesas podem cair devido a queda no consumo americano."

    O que apenas retorna tudo ao início.
  • Consagrado  05/02/2020 02:56
    "Cara, basta a China continuar indo pro buraco que o estado americano quebra, os chineses são os maiores detentores dos títulos americanos."

    Non sequitur.
  • Imperion  05/02/2020 12:43
    O estado americano quebra pelas proprias irresponsabilidades.
  • Imperion  05/02/2020 12:41
    Quando a divida de um governo cresce, a ponto dele nao consefuir pagar, falencia. Mas isso ta longe com os eua. A divida é 22 trilhoes, mas o ativos da economia americanasa o 100 trilhoes. Entoa estao longe da falencia.
    O que ocorre é que esse descompasso irrsponsavel faz com que a prosperidade americana decaia ao longo prazo. Isso pode ata frear em definitivo a expansao americana, como ocorreu com a Japonesa
    Ja estao falando em japanificação da economia americana. O que vai levar decadas.
    Mas o excesso de divida americana pode no curto prazo ajudar a causar.mais uma crise americana. Andaram ejetando dinheiro na maquina , e isso fez a divida subir e agora estao diminuindo essa injeção. A curva de juros esta invertendo.
    Tudo isso é sinal de.mais uma crise como a de 2008.
    Foi a intervencao no mercado que gerou essa bolha e a divida alta é consequência. Agora é hora do mercado se ajustar de novo.
    A.divida americana entao é o indicativo de que estao fazendo lambança. Se ela estivesse diminuindo, significaria que o gov estaria agindo mais responsável, o que frearia a próxima crise ciclica.
  • Imperion  05/02/2020 11:47
    Institutos de pesquisa saem perguntando somente pros eleitores do lula, se o Lula ganha eleição. Dae que é isso que faz com que o resultado seja que o lula vai ganhar. Os critérios da pesquisa ja sao pra manipular os resultados
    Trump nao esta tao atras pra perder uma eleicao com somente 10 por cento dos votos. Ao contraio do que as pesquisas e imprensa tendenciosos tá falando, a administração tem sido boa pra metade dos cidadaos americanos.
  • cmr  05/02/2020 14:52
    Eu torço pela reeleição do Trump.

    A hegemonia americana já está com os dias contados, Trump está acelerando esse processo.
  • Trader  05/02/2020 15:10
    Eu gostaria de ver isso que você está vendo. Na prática, só vejo o contrário. E todos os números do mercado financeiro (gente que aposta dinheiro em suas convicções) concordam comigo.
  • Gustavo A.  06/02/2020 19:39
    Cara, essas pesquisas mensuram voto direto, os Estados Unidos tem sistema de votação distrital.

    Por isso a Hilary aparecia na frente, e ela teve mais votos. Porém, o jogo é jogado conforme as regras.

    Outro ponto importante é que até os democratas estão perdendo votos no número absoluto, se você abrir as pesquisas, verá que vantagem do Sander, por exemplo, vem diminuindo.

    Porém nem os democrtas suportam ele, até a mídia vai contra. Biden vai vencer as primárias e é o nome que tem mais chances de vencer o Trump. Warren e Sanders são insanos.
  • Mr Citan  04/02/2020 20:35
    Eu até concordo que a água no Hell de Janeiro deveria ser privatizada, mas como apoiar isto se até mesmo a Light (compania energética) e a SuperVia (transporte) sempre tem notícias negativas sobre essas empresas.
    Meu palpite que essas empresas sofrem de um mal comum aqui na banânia: Falta de respeito com a propriedade privada.
  • Francisco  04/02/2020 20:43
    A Light sofre com gatos, já a Supervia é um monopólio protegido e garantido pelo estado, como toda PPP. Estranho seria é se fosse boa.

    E, ainda assim, convenhamos: ambas são muito menos desastrosas que a Cedae. Não tem nem comparação.
  • Ex-microempresario  05/02/2020 18:58
    Privatizar, no sentido de ter várias empresas privadas competindo em liberdade, está muito além da capacidade de compreensão da sociedade brasileira. Seria como querer implantar o conceito de Estado Laico na Arábia Saudita.

    O máximo que pode acontecer é a concessão do monopólio para algum grupo privado amigo do governo, o que na prática significa o mesmo que nada.
  • Ex-carioca  05/02/2020 20:29
    Morei 5 anos no Rio, em 4 municipios diferentes. Aqui vai minha experiencia:

    Abri 3 chamados presenciais para a light em Seropedica, Rio de janeiro e Itaguai. Todas as vezes fui atendido em menos de 8h por funcionarios muito profissionais. Problemas rapidamente resolvidos. Alem disso, consegui fazer tudo pela agencia virtual: abertura, encerramento de contrato, emissao de nada consta, atualizacao de dados e etc

    Abri 2 chamados presenciais para a cedae. Nenhum deles foi atendido. No primeiro chamado, Os vizinhos e eu quem arrumamos o problema na rua que a propria cedae causou fazendo merda. No segundo, um colega de trabalho e eu arrancamos o gato na minha casa e fizemos reparo no encamento da rua. Fiz reclamacoes, inclusive para a ouvidoria e nem resposta tive. Alem disso, voce nao consegue fazer nada online, somente imprimir segunda via.

    Enfim. É imprescindivel tirar da mão de politicos, sindicatos e funcionarios publicos

  • Kennedy  04/02/2020 21:15
    Moro no Rio de Janeiro e sinceramente, acho que privatizar não vai mudar muita coisa. Vai passar de um monopólio estatal para um monopólio privado, até porque político nenhum cogita sequer estudar a possibilidade de implantar um sistema de disputa por concessões, essa e outras possibilidades parecem nem existir porque ninguém fala delas.

    Aqui onde eu moro pagamos caro pela água em comparação até com os vizinhos, avacalhando muito nosso custo de vida. Tenho até medo que uma privatização porca faça o monopólio simplesmente reajustar os preços sem se preocupar com a redução de custos de produção e uma reestruturação de fato da empresa.
  • Bernardo  04/02/2020 21:33
    "até porque político nenhum cogita sequer estudar a possibilidade de implantar um sistema de disputa por concessões, essa e outras possibilidades parecem nem existir porque ninguém fala delas"

    É aí que você entra com o poder da divulgação de ideias, como o modelo de privatização defendido por este site não , que é o único que garante concorrência.

    Por outro lado, se você nem quer, então que continua bebendo cocô e pagando caro pra políticos. Não é por mim.

    P.S.: ao menos defenda a venda para uma empresa suíça, então.
  • Kennedy  05/02/2020 12:12
    Já estou defendendo a privatização adequada dessa coisa abjeta, mas "política é a arte do possível". O Presidente da ALERJ é um petista e já tem militantes posicionados até na Central do RJ afirmando que a CEDAE está "sofrendo uma sabotagem com o intuito de induzir revolta na população para que seja viável privatizá-la" — para algo estar sofrendo sabotagem, é porque pelo menos alguma vez essa coisa deveria ter ao menos oferecido um serviço razoável, o que nunca aconteceu por aqui desde que me conheço por pessoa.

    Nem boto fé que algo bom vai resultar disso, o que recorrentemente acontece são pessoas agitando/reclamando que a CEDAE tem que resolver o problema, mas nenhuma delas conhece ou defende algum modelo de privatização, e também não possuem o menor interesse em se insruir sobre isso. Na prática "a revolta induzida pela sabotagem da CEDAE" nunca teve nenhum potencial de ocasionar a privatização dela, evidenciando mais uma narrativa ridícula da esquerda.

    O máximo que vai acontecer é uma privatização toda regulada e engessada se o PT ceder um pouco ou sair da Presidência da ALERJ.
  • Skeptic  04/02/2020 22:54
    Já é alguma coisa, monopólio privado é bem menos pior que monopólio estatal.
  • Gustavo A.  06/02/2020 19:46
    Existe uma diferença tremenda entre o Estado gerir o monopólio e uma empresa privada.

    Tudo começa no processo de licitação, ali existe uma concorrência, empresas concorrendo pela melhor proposta. Após a concessão, o Estado não fiscalizará mais o Estado e sim a empresa privada.

    Outro ponto é que existe um princípio administrativo que rege os contratos públicos chamado "soberania do interesse público pelo privado", que justifica até mesmo quebra de contrato, ou seja, a empresa deve cumprir nos moldes.

    Nos temos diversos exemplos de concessões que funcionam muito melhor que o monopólio estatal, posso te dar o exemplos das estradas em SP. Das 20 melhores do Brasil, 19 estão em SP e todas foram concedidas.

    Por fim, um último ponto relevante: se a empresa der prejuízo, não é você quem vai pagar a conta. As tarifas só poderão subir de acordo com o contrato firmado com o poder público.

    Enfim, eu também acho que deveria ocorrer uma real privatização, mas é ilusão acreditar que o monopólio privado é igual o público.
  • Skeptic  04/02/2020 22:51
    Teve babaca de esquerda falando que tudo isso foi planejado para a CEDAE ser privatizada. Moradores da área fizeram questão de deixar claro que o serviço sempre foi péssimo.
  • Felipe L.  05/02/2020 00:40
    Seria surpresa se funcionasse e a gastança não fosse majoritariamente para salários dos funcionários. É assim também com universidades como a Unicamp e USP.

    É como se os Correios cuidassem da água. E a Sabesp não está muito melhor. Basta ver o racionamento de água que houve anos atrás na Grande São Paulo, como se os moradores agora estivessem morando numa roça, e não em um país infestado de bacias hidrográficas e águas subterrâneas.

    Não há nada melhor para a CEDAE do que desestatizar totalmente o setor de saneamento. Se não der para vender ou mesmo doar essa porcaria, que então pelo menos deixe os moradores escolherem as empresas no setor.
  • Felipe L.  05/02/2020 00:57
    Aproveitando sobre a questão do saneamento, me chama a atenção a porca qualidade da infraestrutura brasileira (fiquei mal-acostumado com a Flórida). Só ver o que acontece depois das chuvas. A região de MG atingida parece que sofreu terremoto com furacão (último furacão registrado no Brasil foi o Catarina, em 2004, e algo bem mais fraco do que o Furacão Dorian que passou perto de onde morava). Tem avenida que até cai, isso em Belo Horizonte, imaginem então em cidades interioranas. Estrada que cede, e fica tudo por isso mesmo. As ruas de farelo começam a abrir buracos (o que é motivo de comemoração, quando não acontece coisa pior como parte da rua ceder). Será que nenhum vereador ou prefeito poderia fazer algo para mudar isso? Será que um dia o Brasil terá isso?

    Me lembrou agora dos romanos. Esses caras trouxeram água encanada há milênios, e hoje esse problema crônico de saneamento continua no Brasil. Algum historiador poderia dizer se esse sistema de saneamento era todo privado?
  • Gustavo A.  06/02/2020 19:48
    Por curiosidade, como era morar na Florida?

    Eles fazem concessões dos "serviços públicos"? Pelo que pesquisei, estradas não são concedidas.
  • Imperion  05/02/2020 11:30
    Estão sabotando a operação de tratamento pra depois dizer que a privatizacao é ruim. Greve não é a unica coisa que os corporativistas fazem.
    É a opção de espalhar medo, terror na população. E tem gente que acredita que eles estao certos. É aquela falácia de que vao perder os empregos, entao ta liberado negligenciar as operações, mesmo que isso cause envenenamento, ja que como a culpa é coletiva, é dificil achar o reaponsavel pela policia civil no inquerito.
  • Pobre Paulista  05/02/2020 14:25
    É no RJ, relaxem, eles merecem!
  • Aprendiz de EA  05/02/2020 20:23
    Pessoal eu tenho duas dúvidas:

    1 - Como se daria a concorrência no setor de água e saneamento, visto que tem toda a questão de instalar tubulações? Se a tubulação de onde moro pertence à empresa A, e eu decida cancelar seus serviços e contratar a empresa B, como isso poderia ser feito?

    2 - Vamos fingir que por exemplo todo o setor aéreo brasileiro é desregulamentado e um genuíno livre mercado é instalado, após isso empresas estrangeiras entram rasgando no Brasil e levam todas as nacionais à falência. Nesse cenário alguém diria "Isso é péssimo, pois agora todo o lucro da operação aérea no Brasil vai pro exterior enriquecer os gringos", a mim isso não faz sentido pois os Reais gerados não saem do Brasil, eles só são cambiados por dólares ou Euros e então remetidos para as matrizes das empresas. A minha visão faz sentido?
    (O exemplo do setor aéreo é aleatório mesmo)

    Obrigado!
  • Leandro  06/02/2020 00:17
    1 - Explicado em detalhes no artigo linkado. Link de novo:

    mises.org.br/Article.aspx?id=646

    Sugiro ler o artigo todo, mas, se estiver sem tempo, pule para a seção "A consequência desses contratos de precificação: um mercado livre"

    2 - Correto. Nenhum real sai do Brasil (pois o real não é moeda corrente no exterior). Igualmente, dado que nenhum dólar jamais entrou no Brasil (pois não é moeda corrente aqui dentro), também é totalmente errado dizer que haverá fuga de dólares.

    Para entender em detalhes a mecânica do processo, veja esta explicação:

    mises.org.br/article/3052/o-investimento-estrangeiro-so-vira-quando-a-moeda-for-estavel--historicamente-nao-e-o-nosso-caso#ac238510
  • anônimo  05/02/2020 20:52
    Desculpem o off, mas alguém sabe porque os postos não baixaram o preço da gasolina mesmo com a petrobrás reduzindo?
    Álcool? Imposto?
    Virou debate hoje e eu não sei apontar bem a causa;
  • Leandro  06/02/2020 00:11
    O preço do etanol está nas máximas históricas. E como o etanol compõe 29% da mistura da gasolina, essa disparada recente do etanol encarece a gasolina.

    Confira no gráfico a evolução do preço do etanol:

    ibb.co/2Pn5bR5
  • anônimo  06/02/2020 00:58
    Muito obrigado, pelo que eu vi, desde o candle vermelho de maio de 2019 subiu 27% e também existe um ciclo anual de preços; (Algo relacionado a safra?) Então podemos esperar a queda daqui poucos meses/semanas

  • Drink coke  06/02/2020 01:51
    O preço do etanol sobe no verão e cai no inverno
  • Felipe L.  06/02/2020 14:11
    Além do etanol que o Leandro disse (na verdade por lei a composição é de até 27% na gasolina), o setor no Brasil é extremamente regulado. Falando do etanol, acho que só no estado de São Paulo que o combustível é menos caro. Não é igual na Flórida, que os preços não são repassados nem com uma disparada do preço do petróleo.

    Será que o Bolsonaro tem coragem de enfrentar lobby de usineiro e acabar com essa mistura idiota no combustível, copiando o resto do mundo (que é de 10% de etanol)? Se sim, vai acabar até a lógica também dos motores flexíveis em combustível, já que a demanda por eles existe pois eles toleram melhor essa porcaria de mistura (além da menor tributação, que é algo que deveria acabar também).
  • Adalberto  06/02/2020 14:57
    "Não é igual na Flórida, que os preços não são repassados nem com uma disparada do preço do petróleo."

    Nos EUA, a concorrência entre postos é feroz, pois a liberdade de entrada neste ramo é quase que total. Qualquer mercearia da vovó pode ter uma bomba de gasolina, diesel e etanol na sua frente.

    Quando há livre concorrência, preços raramente são repassados.

    Como no Brasil a entrada neste setor é proibida (qual foi a última vez que você viu um posto falir? Qual a última vez que você viu um posto novo surgir?), preços são repassados imediatamente.

    "Será que o Bolsonaro tem coragem de enfrentar lobby de usineiro e acabar com essa mistura idiota no combustível, copiando o resto do mundo (que é de 10% de etanol)?"

    Difícil, pois o etanol é também usado para aumentar a octanagem da gasolina. Como a gasolina comum da Petrobras é uma bosta, é necessário acrescentar etanol para melhorar sua octanagem. O que realmente dá pra ser feito é diminuir a porcentagem para algo em torno de 22 a 25%.
  • cmr  07/02/2020 13:46
    ...qual foi a última vez que você viu um posto falir? Qual a última vez que você viu um posto novo surgir?...

    Qual foi a última vez que você viu um posto, aqui no Brasil, vender gasolina "benzida" ?. kkkkkkkk

    O nosso combustível tem a "bênção" de todos os "santos", além de ser de qualidade inferior... kkkkk
  • Che  06/02/2020 01:30
    Alguém me explica porque alguns países estão re-estatizando empresas de saneamento, por exempo a Alemanha?
  • Régis  06/02/2020 01:48
    Toda semana um pau-mandado vem aqui fazer a mesma pergunta. Só que antes eles punham o link. Como apanhavam (e nunca mais voltavam), agora pararam de postar o link e apenas jogam a "notícia" no ar.

    Sem problemas. Aqui nada passa batido.

    Você deve estar se referindo a isso aqui, né?

    economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/03/07/tni-884-reestatizacoes-mundo.htm

    Já deve ser a quinta vez em duas semanas que alguém vem aqui fazer a mesma pergunta.

    Todos os exemplos citados na matéria do UOL, todos, são de parcerias público-privadas e concessões monopolísticas, as quais são a antítese da livre concorrência.

    Na prática, políticos concedem o monopólio da exploração de um serviço para seus empresários favoritos. O político entrega um setor ao empresário amigo, o qual está completamente protegido da concorrência, e em troca esse empresário amigo paga propinas para o político.

    Ora, se o mercado é fechado pelo governo, o qual proíbe a concorrência e garante uma reserva de mercado para a empresa vencedora da licitação, temos um perfeito exemplo de mercantilismo, que é o oposto de um livre mercado. Obviamente, não tem como isso dar certo.

    Há vários artigos neste site explicando por que PPPs e reservas de mercado não têm como funcionar. PPP é reserva de mercado; é monopólio privado garantido e protegido pelo governo.

    A chave para tudo está na propriedade privada. Apenas aquilo que pertence genuinamente a alguém será tratado com a máxima eficiência e de modo a trazer o máximo retorno. Um encanamento ou uma estrada cuja gestão foi concessionada é como um carro alugado pelo período um mês. No início, você tem muito cuidado e carinho por ele, pois sabe que vai precisar dele em boas condições por um bom tempo. Ou seja: você precisa que ele lhe traga um bom retorno. Porém, à medida que a data de devolução vai se aproximando, você inevitavelmente passa a ser mais relapso, não se importando em verificar seus fluidos e sua calibragem de pneus. No extremo, você até se diverte fazendo um pequeno rali na lama ou jogando-o em vários buracos numa estrada.

    Por que se preocupar? A ideia é apenas extrair o máximo do recurso, exaurindo-o sem preocupações. O carro não é seu e você logo o estará devolvendo ao dono. Para que cuidar bem dele? O mesmo é válido para qualquer serviço concessionado.

    Apenas quando a estrada ou serviço de água tem um dono legítimo, que poupou, investiu e construiu com capital próprio, é que ela será gerida da melhor forma possível. Porém, apenas isso não garante a qualidade do serviço. Este serviço precisa estar submetido à livre concorrência (de outras empresas de água ou de outras estradas que fazem a mesma rota).

    Somente em um ambiente de propriedade privada e livre concorrência é que a busca pelo lucro se traduz em benefícios ao consumidor. Qualquer outro arranjo que se afaste desse será inevitavelmente pior. Entregar um serviço monopolístico a alguém e ficar regulando o preço e o modo de gestão desse serviço é algo que simplesmente não tem como dar certo.

    Artigos sobre como fazer essa livre concorrência no setor de água, saneamento básico e infraestruturas:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=646

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1614
  • Dane-se o estado  10/02/2020 13:19
    O que vai acontecer com os Alemães dá até pra prever: após a re estatização, vão baixar enormemente o preço para fazer o populismo e usar o velho discurso de "as empresas privadas te exploram" e merdas do tipo... depois, quando a empresa quebrar operando em um preço muito abaixo da capacidade de custeamento e operação, vão aumentar enormemente os preços das tarifas e os impostos, e todas as merdas já conhecidas. O gado médio alemão vai entrar na sua dissonância cognitiva e amnésia conveniente padrão, vai ignorar qualquer lei de mercado, vai ignorar que os preços vão estar até piores que quando era privada, e vai repetir a lavagem cerebral que foi doutrinado a aprender "se voltar a ser privada, os empresários vão nos explorar com preços altíssimos!"

    Como se vê... o conceito de livre concorrência e liberdade de boicote a empresas com preços muito altos, além dos efeitos de pressão concorrencial por qualidade, também é alienígena e incognoscível ao australopitecosgermanicos médio. Os idiotas nunca vão parar pra pensar que concessão privada é tão corrupta e inútil quanto estatização completa.

    Eu cheguei a conclusão de que vivemos em uma sociedade com graves doenças mentais; dá até pra ser tentado a acreditar naquelas teorias de conspiração de que o governo coloca alguma substância na água pra emburrecer a população.

    A crença de que um monopólio estatal com poder concentrado e coercitivo estaria acima da tendência de oportunismo econômico de quem tem o poder é simplesmente doentia, no mínimo uma necessidade infantil e paternal de ser punido.

    Não sei nem se Freud conseguiria explicar direito tal fenômeno.

    Enfim...
  • Luccas Attílio  06/02/2020 13:09
    Conforme o texto afirma: "Nada de novo".
    Estado com pouco dinheiro e baixa capacidade de gerenciamento produtivo.

    Discuto esse tipo de assunto no meu blog:


    velhaeconomia.blogspot.com
  • Maximiliano Rodrigues  06/02/2020 17:49
    Até concordo com a questão da ingerência politiqueira na gestão da empresa, mas mesmo privatizada continuaria monopólio, só que privado. Aqui em Goiás tiraram uma estatal (CELG) da transmissão de energia, entrou a ENEL (estatal Italiana), pergunta se melhorou alguma coisa? Tá sofrendo intervenção por descumprimento de metas e por constantes quedas de energia. Monopólio seja público ou privado é um terror para quem consome e paga pelos produtos / serviços. Só privatizar não garante melhoria.
  • Goiano médio  06/02/2020 19:18
    Eu não tenho nenhuma simpatia por empresas italianas (tão avacalhadas quanto as brasileiras), mas sua afirmação sobre a Enel é injusta. A Celg estava completamente dilapidada e defasada. Não fazia investimento nenhum há anos. Aí a Enel assumiu e não só teve de investir para acabar com a defasagem, como também para modernizar. Ou seja, trata-se de um investimento duplo.

    Aí não há milagres, meu caro. Se uma empresa assume outra que estava em descalabro, é óbvio que haverá percalços e insatisfações no curto prazo. Na prática, você está querendo que uma situação que resultou de anos de falta de investimento seja resolvida em meses. Isso leva alguns anos.

    oglobo.globo.com/economia/enel-vai-investir-24-bi-no-brasil-ate-2022-mais-da-metade-do-total-previsto-para-america-latina-24101389
  • Rafael  07/02/2020 19:52
    Gosto de teoria econômica, mas, com relação as empresas de água, não compreendo a teoria. Tentem acompanhar:

    1- uma situação é o livre mercado, apoio totalmente, várias empresas concorrendo pelo melhor serviço e melhor preço. Questão: Como aplica-se livre mercado em um monopólio perfeito como a água? Como ficaria um monopólio estatal para um monopólio privado?

    2- o nível de investimento é muito diferente da luz, é bem maior, mais contínuo e operação mais complexa na rede, além do que é questão de saúde, já que ninguém bebe luz... Como não concorre quem fiscaliza? Fica como a energia elétrica? Cria-se uma agência governamental cheia de pupilos para fiscalizar? (nem citei que o problema vem em par, água e esgotamento)

    gostaria de comentários... contrapontos...

    Grato!
    Rafael
  • Leitor Atento  07/02/2020 23:11
  • Jorge Silveira  11/02/2020 18:55
    Aqui na Paraíba, comparando-se o transparente SIMULADOR DE TARIFAS da SANEPAR, em confronto com a metodologia de faturamento e resultados apurados pela CAGEPA, ninguém sabe explicar o porquê da cobrança de de água e esgotos resultar - em janeiro/2020 - num custo final maior em 167 % para o mesmo volume de 36 m3 de água e coleta de esgoto COMERCIAL, medidos e consumidos na conta 01/2020 em cada região.

    E, mesmo ressalvadas a peculiaridades locais do Paraná e da Paraíba - bem como o universo atendido por cada uma dessas empresas - ninguém sabe dizer no que diferem os serviços prestados pela SANEPAR, com relação àqueles prestados pela CAGEPA, para que nesta se justifique a cobrança exorbitante.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.