FORMULÁRIO DE CONTATO

Envie-nos sua mensagem e entraremos
em contato o mais breve possível.


Nome 


Email 


Mensagem 





Instituto Ludwig von Mises Brasil
Fone: +(5511) 3704-3782
E-mail: contato@mises.org.br
a) Segundo a própria esquerda, a carga tributária sobre os mais pobres é de 32%. Os mais pobres gastam 32% de tudo o que recebem em tributos.

g1.globo.com/economia/noticia/super-ricos-pagam-menos-tributos-que-os-10-mais-pobres-diz-estudo.ghtml

E, curiosamente, essa mesma esquerda que confessa isso defende que tudo continue como está, ou seja, que os pobres continuem pagando impostos para receberem saúde e educação "grátis".

b) Já os libertários defendem a abolição dos impostos (o que imediatamente daria um aumento de 32% na renda dos pobres) e a total liberdade de entrada no mercado para provedores de saúde e educação, o que traria uma forte redução nos preços.

c) Ou seja, haveria um aumento de 32% na renda e uma forte redução nos preços (por causa da concorrência).

d) Acabe com as escolas estatais, com a saúde estatal, com os subsídios à cultura, congele os salários do funcionalismo público (isso é perfeitamente legal), feche várias repartições, agências reguladoras e ministérios. Ato contínuo, reduza impostos. Em todas as faixas de renda. E principalmente sobre o consumo. Com isso, os pobres terão um duplo aumento da renda.

e) Ademais, há algumas décadas, antes de o estado se intrometer na saúde, a Igreja mantinha hospitais de excelente nível, fornecendo vários serviços gratuitos, serviços estes que eram financiados por doações, inclusive de ateus caridosos.

Mas desde que o estado entrou em cena para mostrar todo o seu amor aos pobres, a Igreja perdeu doações, pois as pessoas pensaram: "O estado já faz o serviço; não preciso mais contribuir para serviços caritativos".

O curioso é que absolutamente ninguém toca nesse assunto. Ninguém comenta como os serviços caritativos da Igreja auxiliavam as pessoas no passado e hoje perderam espaço para o SUS. Defensores da saúde estatal é que devem explicações.

f) Vale lembrar que, assim como a saúde, a alimentação, o vestuário, a moradia e os combustíveis também são essenciais. Como os pobres pagam por tudo isso? Exato: trabalhando e produzindo.

g) Por fim, em relação àqueles que forem absolutamente incapazes de tudo, você é quem irá ajudá-los. Você vai ajudar e vai agitar para que outros também ajudem. Vai criar páginas nas redes sociais pedindo ajuda. Vai pedir doações. No extremo, vai vender vários de seus bens para arrecadar o dinheiro.

Há várias coisas para você fazer para ajudá-los que não seja roubar ou escravizar terceiros.


Para concluir, é imprescindível entender o problema:

Como Mises explicaria a realidade do SUS?

Um retrato da saúde brasileira - um desabafo de dois médicos

E então podemos partir para a solução:

Quatro medidas para melhorar o sistema de saúde

Um breve manual sobre os sistemas de saúde - e por que é impossível ter um SUS sem fila de espera
Primeiro, acabar com esse delírio de juros reais negativos e menores que os da Suíça. O Brasil não está neste nível.

Depois, interromper — ou, no mínimo, reduzir substantivamente — a expansão monetária. Os números atuais do M1 são típicos de um país em hiperinflação.

Por fim, cortar gastos e reduzir impostos, abrindo assim espaço para o empreendedorismo. O aumento da oferta de bens e serviços arrefeceria em muito as pressões inflacionárias.

www.mises.org.br/article/3190/economistas-do-lado-da-oferta-vs-economistas-do-lado-da-demanda--entenda-esta-distincao-crucial

www.mises.org.br/article/3108/o-segredo-do-enriquecimento-economico--e-por-que-os-paises-em-desenvolvimento-continuam-atrasados
"... enfim, um povo que tem que pagar por tudo."

Bom mesmo é o Brasil, onde saúde é de graça, educação é de graça, tudo é de graça.
Sou leigo no assunto.
Tenho 2 perguntas:

1- Se os serviços públicos fossem privatizados, como o pobre iria usá-los?

2- As leis trabalhistas realmente ajudam os pobres?

Obrigado!
Vão apenas informatizar a burocracia.
Vi a discussão.

O Chaves poderia trabalhar um tempo com a caixa de engraxates da Chiquinha e depois comprar a sua própria caixa, assim embolsaria tudo.
Nos comentários do artigo abaixo tem um pessoal falando dessa bobagem do Projeto Vênus. Procure por "totó" .

mises.org.br/Article.aspx?id=1346


Claro, ninguém acredita no Projeto Vênus, fora os militontos que foram enganados. Nem os próprios projetistas do "projeto" acreditam.

Mas então, por que ele existe? Ora, porque o projeto incita a militância! As pessoas que fazem protestinho pelo Projeto Vênus fazem sem saber que estão, na realidade, participando cabo de guerra da luta entre direita e esquerda.
Como pode-se melhorar o estado de coisas, nesse caso como manter a moeda em estabilidade no atual cenário?
Obrigado pelas respostas!

E logo mais terei mais duvidas para sanar! kkkkkkkk

Até logo.
Ótima medida do lado da oferta.

Pena que, sem moeda estável, dificilmente será proveitosa.
Sim. Veja uma discussão aqui:

www.mises.org.br/article/3129/a-exploracao-dos-trabalhadores-e-um-mito--e-e-facil-de-entender-por-que#ac243145


P.S.: o vídeo linkado, que serviu como ponto de partida para a discussão, foi removido do YouTube, mas você pode vê-lo neste outro endereço aqui.

"Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas"

"Tudo poderá ser feito no mesmo ambiente virtual: recebimento das respostas necessárias da prefeitura; registro da empresa; obtenção do número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e inscrições fiscais; desbloqueio do cadastro de contribuintes; recebimento das licenças, quando necessárias; e ainda o cadastro dos empregados que serão contratados. O Balcão Único permitirá ainda que os empreendedores possam, no momento da abertura da empresa, realizar o cadastro de empregados pelo e-Social."

O que vocês pensam sobre?
Mudando um pouco de assunto, vocês acham que seria possível ter alguma interpretação austríaca sobre o seriado Chaves?

O Seu Madruga é um devedor (não sei nem se é possível o sujeito dever 14 meses de aluguel e ainda ficar na casa) e que às vezes se envolve em economia informal (sempre desempregado, provavelmente naquela época nem existia assistencialismo), o Seu Barriga é um capitalista e dono de imóveis (em um episódio ele apareceu com aproximadamente US$ 10 mil em cédulas, se não me engano), entre outras coisas.
Só em abril? Será que estão muito otimistas?

Falando de metas, o governo Temer foi o que mais cumpriu as metas de inflação (centro da meta). Em 2016 ainda estava alta a inflação, graças ao começo do ano e com a Dilma ainda no poder. Entretanto ele cumpriu em 2017 e 2018, governo Bolsonaro ainda não cumpriu um centro da meta pelo que eu saiba.
Eu sou open border, o que julgo ser algo politicamente incorreto. Uma página de libertários dos EUA me passou alguns artigos sobre o tema, acho que até perdi. Se encontrar, eu passo.

Tem um site só sobre isso.
Se o projeto for para juntar todos que acreditam que socialismo funciona e mandar para Vênus, eu apoio.
Supondo que a redução de impostos tenha credibilidade (isto é, as pessoas não fiquem desconfiadas que um mês depois vai voltar a subir):

- O poder aquisitivo das pessoas aumenta, elas tendem a consumir mais.

- Como a produção não cresce instantaneamente, haverá uma subida nos preços que inibirá o consumo.

- Algumas pessoas vão adiar o aumento de consumo e deixar o dinheiro no banco. Haverá mais crédito para os produtores.

- Outras pessoas vão consumir mais mesmo com a subida de preços. A maior margem de lucro ajudará os produtores a aumentar sua produção.

- Algum tempo depois, a produção aumenta, os preços voltam a cair, todo mundo pode consumir mais.

- Com os produtores vendendo mais, eles também passam a consumir mais e o ciclo se realimenta.

Toda alteração na economia tem um período de ajuste, que pode ser mais longo ou mais curto, mas de um jeito ou de outro toda redução de impostos acaba sendo boa e todo aumento de imposto acaba sendo ruim.

A diferença entre "reduzir impostos" e "estimular a demanda agregada" é que o ato de comprar basicamente serve para trazer satisfação a quem compra.

Reduzir impostos permite que as pessoas comprem mais: as pessoas ficam mais felizes.

"Estimular a demanda agregada" significa o governo usar o dinheiro dos impostos para comprar: o governo fica mais feliz.
"Você acredita mesmo que a justiça americana deixaria barato uma fraude nas eleições?"

Você acredita mesmo na imparcialidade e idoneidade de uma justiça estatal monopolista formada por burocratas?
Uma coisa é imigração. Outra coisa é assistencialismo pra comprar votos de imigrante.