FORMULÁRIO DE CONTATO

Envie-nos sua mensagem e entraremos
em contato o mais breve possível.


Nome 


Email 


Mensagem 





Instituto Ludwig von Mises Brasil
Fone: +(5511) 3704-3782
E-mail: contato@mises.org.br
O momento é exatamente agora. O valor de mercado da estatal está nas máximas, assim como o petróleo em reais. Ninguém poderá dizer que foi a "preço de banana".

Se vender direitinho, vai sobrar dinheiro para Auxílio Brasil e vai até dar superávit nominal no orçamento, com um belo abatimento da dívida.
Outra notícia:

Governo zera Imposto de Importação de medicamentos para diversos tipos de câncer e outras doenças, como leucemia, linfoma, câncer de mama ou de pulmão, além de doenças como anemia, esclerose múltipla e dermatite atópica.

E aí, é subsídio? Gera distorção? "Liberais" do Novo, por coerência, terão de dizer que sim.
Vamos ver se você acertou a previsão no ano que vem. Só resta esperar.

Muitos que fizeram previsões erraram.
Petrobras reajusta mais uma vez preços da gasolina e do diesel
Litro da gasolina terá alta de 7,04% nas refinarias; diesel sobe 9,15%.

g1.globo.com/economia/noticia/2021/10/25/petrobras-reajusta-mais-uma-vez-precos-da-gasolina-e-do-diesel.ghtml

Surgem rumores de privatização da Petrobrás.

www.infomoney.com.br/mercados/privatizacao-da-petrobras-entrou-no-radar-diz-bolsonaro/

Se privatizassem a Petrobras acredito que o governo ia conseguir uns 100 bilhões de reais com a venda por baixo.
É o que acontece quando se tem um ministro chiCagão Boy.
Interessante é notar que tanto na recessão, quanto na expansão dos mercados, a inflação vem.
Com a inflação ocorre o "imposto inflacionário" sempre canalizado para os bancos.
Sempre o sistema bancário sai ganhando.
Não à toa, é que o Heitor de Paola vem lecionando, que a Nova Ordem Mundial totalitária, a controlar coisas e mentes, será uma tecnocracia a monopolizar o poder econômico e político mundial.
Nem Lula nem Bolsonaro serão candidatos. O STF vai garantir isso, até mesmo para que seus ministros voltem a ter sossego. Barrar a candidatura dos dois é a única maneira de os ministros voltarem a poder andar pelas ruas.

Lula será indiciado em um de seus dezenas de crimes e ficará de fora pela lei da Ficha Limpa. Bozo fará um acordo com o STF para proteger seus filhos e, em troca, abrirá mão da reeleição, que é uma exigência do STF (aquela trégua costurada por Temer é só o início disso). Concorrerá ao Senado, manterá imunidade parlamentar e indicará Tarcísio.

A eleição, portanto, será entre Tarcísio, Leite, Moro, Haddad e Ciro.

Ciro não passa dos 12%, ainda mais agora que brigou feio com o PT.

Leite será idolatrado pela imprensa e será também o candidato de todo o Beautiful People, mas não tem nenhuma penetração popular, principalmente no Nordeste, que não vota nem em sulista nem em homossexual (quem é nordestino sabe disso).

Moro terá seguidores fieis entre os lava-batistas, mas estes são uma espécie em extinção.

Haddad tem o recall e o apoio de Lula. Está no segundo turno.

Tarcísio tem inúmeras vantagens: tem um currículo incriticável, possui várias realizações efetivas no Nordeste, e não é almofadinha nem mauricinho. Ainda mais importante: tem uma feição (no sentido de aparência mesmo) bem popular. Está longe de passar a imagem de um bacana rico. Isso dialoga com o povo. Também é bom de debate e é carismático. Nem mesmo a imprensa anti-bolsonarista delirante consegue criticá-lo.

Se fizer tudo direitinho, dá pra levar. Mas vai depender inteiramente de como estará a economia até lá.

Quanto aos outros três itens, concordo com o que foi colocado aqui no geral.
Hoje o Romeu Zema anunciou que irá congelar o ICMS sobre o Diesel. Isso na prática seria a alíquota não aumentar, quando o Diesel aumentar o preço de novo?

Não seria mais fácil ele reduzir o ICMS?
1- Lula x Bolsonaro; acho que o Bolsonaro vence, torço para isso, afinal democracia é isso mesmo, é torcer pelo menos ruim.

Mas se o Bolsonaro perder, estou quase certo de que ele usará a mesma retórica do Trump, a de que a eleição foi fraudada e não duvido do Lula fazendo o mesmo caso perca.

2- Violentos protestos envolvendo democratas vs republicanos, mais violentos ainda do que os da eleição passada, nenhum perdedor aceitando os resultados das eleições.

3- Venezuela 2.0

4- Politicamente correto, ideologia de gênero, feminismo, globalismo, agenda verde, etc... Todas essas agendas avançando ainda mais rápido, por isso vários países do leste europeu saindo do bloco, oooppps !!! eles morrem de medo da Rússia, logo é melhor ficar no bloco mesmo, dentro da Otan, e só fazer barulho inútil contra essa agenda...

Digo barulho inútil, pois já prevejo ameaças à aqueles que se opuserem à agenda progressista européia; podem sofrer ameaças de expulsão da UE e da otan e com isso ficar a mercê da Rússia, o que eles morrem de medo.

Logo vão aceitar tudo, gritando mas vão.
Tem também a mamata de ficar encostado nos países ricos do ocidente.

Vamos ver até onde o povo do leste europeu defende seus valores cristãos e conservadores, o futuro dirá.
Uma coisa é a teoria. Outra é a prática.

Houve uma pandemia e com isso os inimigos do governo - dentro e fora do meio político - viram na manipulação da população uma forma de criar problemas que desgastariam o governo. O fique em casa. O tome 600 reais para não termos uma guerra civil. O desemprego; a recessão subsequente. O real se desmanchando.

Ai vem o presidente do senado que quer ser presidente; os mesmos q tiraram Lula do pleito de 2017 o trazem (trarão) de volta em 2022; o presidente q disse q seria um presidente de um mandato se desespera pra ser reeleito qdo qq outro no lugar dele teria renunciado, prefeitos, governadores, todo mundo inflacionado os números da pandemia pra receberem mais dinheiro. O povo, cada vez mais adorando receber Sinédrio sem trabalhar...

Este cenário não é controlado nem no melhor compêndio de economia.

Estamos diante de um cenário novo. Impensado por qq referencial teórico.

Sempre levei muita fé no Paulo Guedes e entendo q uma coisa é ser um comentarista fora do governo, outro, é estar dentro do processo, q, por essência, demanda saber contemplar interesses.



1 - Crescimento econômico baixo e IPCA em 4% ou mais, acima do centro da meta de inflação. Lula perde pra todos, menos pro Bolsonaro. Nesse caso ele venceria e já daria pra esperar o dólar em R$ 6,00 ou mais.

2 - Na mesma².

3 - Algum "peronista de direita" vence e continua quase a mesma coisa. Improvável sair algo sério dali.

4 - Acho o mesmo o colega "Estado máximo, cidadão mínimo".
Li essa coluna sobre o preço da gasolina, e esse trecho constata aquilo que os austríacos não cansam de falar:

"Como brasileiro não ganha em dólar e o câmbio distorce valores, pode-se também tomar como base o salário mínimo. Neste caso, houve grande variação do poder de compra da gasolina nos últimos 20 anos.

O pior deles foi 2004, pois o salário-mínimo (SM) de R$ 206,00 permitia comprar apenas 103 litros. Em 2017 o brasileiro teve a gasolina mais barata do período: 254 litros com 1 SM.

Hoje? Com preços subindo sem parar, R$ 1.100,00 (SM) adquirem apenas 169 litros."


Moeda forte é isso.
não, o peru não estropiou na fraudemia, é natural que agora que ela tá passando os preços recuem. e isso não é recessão. é ajuste natural de mercado.
Guedes já era conhecido pelo mercado como defensor de moeda fraca, além de aumentar impostos. Agora com esse furo no teto e essa PEC dos precatórios, ele dá um tiro de misericórdia e não se mostra tão preocupado assim com a responsabilidade fiscal.

E o Brasil deve continuar como um dos poucos países emergentes onde o estado, mesmo tributando 33 % do PIB, ainda consegue déficit de R$ 1 trilhão.
Só agora que algumas reformas correram. Em 2019 era o melhor ano para correr atrás de reformas e todo mundo sabe que o Bolsonaro quis criar brigas em redes sociais e só muito depois que eles foram atrás da reforma previdenciária. Essa reforma teve aumento de impostos, mas pelo menos ela trouxe uma valorização do real e com um saudoso IPCA de julho até outubro. Mas como aqui nada pode dar certo, começaram com aquelas reduções malucas de juros e as falas do Guedes... aí o estrago estava feito. Na verdade os lockdowns só adiaram a data da inflação de preços. Na melhor das hipóteses o real ficará menos ruim, mas continuará inferior ao renminbi.
Mais de um ano depois...

Chuveirou dinheiro na economia que foi uma maravilha, agora falam como se a inflação fosse culpa só dos outros e não deles... de fato tem fatores externos, mas não adianta tirar o corpo fora. Apenas comparem a inflação brasileira com a do Paraguai, do Peru, do Uruguai, da Bolívia, da Colômbia e do Chile. Ou mesmo com a do México, sob um governo de esquerda. Vamos abandonar a porcaria do real e usar dólar americano e nuevo sol peruano.

Se os juros fossem pelo menos atrativos aqui, essas commodities mais caras em dólar trariam algum benefício para o País, como foi em 2003-2011.
Lula vence (53% x 47%)

2023 vai aprovar a Reforma Tributária com CPMF e aumento geral de impostos (pequeno e médio empresário e população em geral)

Por baixo uns 200 bilhões de reais(ao ano) em aumento de arrecadação
Nos três anos seguintes Superávit Primário e queda do dólar(juros não vão diminuir)
Queda do dólar l, aumento do consumo, aumento da arrecadação e correção do salário pros servidores públicos
2026 revisão do teto de gastos e fim da queda do dólar.
Preço da gasolina está em alta histórica no Paraguai.

O interessante é que, historicamente, o preço da gasolina lá pode cair tanto quando o guarani se desvaloriza ante dólar, quanto quando o guarani se valoriza ante a moeda americana.
Depois de ver a participação do Romeu Zema no Flow Podcast, ele parece ser o único, no momento, a ter condições de disputar com o Bolsonaro nas eleições, embora pouco provável. A oposição é péssima e gente almofadinha e com frescura não tem apelo eleitoral. O candidato precisa mostrar força (mesmo que ele não tenha).
Muito interessante não conhecia, mas vamos nos ater aos fatos históricos. O apartheid só aceitou Mandela depois que viram que não tinham chance, após uma coluna de blindados ser aniquilada por soldados cubanos c lança mísseis soviéticos.