clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Propina, arrego e contabilidade criativa continuarão ocorrendo normalmente. Já os outros "problemas" citados são completamente secundários, e totalmente inócuos para o desenvolvimento econômico de um país. Destruição da moeda, isso sim gera atraso.


Infelizmente, a sociedade de hoje em dia, aceita tudo, rende-se, docilmente, como gado. E isso não será referendado, mas imposto, de cima para baixo aos cidadãos.

Prefiro o velho dinheiro em papel guardado em minha carteira de couro ao dinheiro digital do governo em smartphone.

Esse negócio de rastreabilidade, de o governo saber como estou gastando a minha grana, de ficar dependente de smartphone, além de outras implicações, não me parece algo bom.

Bitcoin, ouro e prata serão a única saída.


Em síntese, implicações através de exemplos:

Não existirá bunkers com dinheiro em espécie em nossa moeda nacional;
Não haveria dinheiro na cueca ou na calcinha;
Não haveria pagamento de propina para deliberar multas;
Não haveria pagamento de 'arrego' (propina recebida por policiais corruptos);
Não haveria o caixa 2;
Pode-se rastrear o uso de recursos para tentar fraudar eleições;
Não haveria contabilidade 'criativa';
Não haveria 'repasses' criminosos ou com desvios de finalidade;
Todo o dinheiro que já foi pilhado poderá ser inválido por esse sistema — quando caracterizado que é incompatível o patrimônio com o que foi declarado pela receita.


Para quem gosta de pesquisar, no site do World Bank tem um bom relatório sobre a economia soviética.

Lá fala que, por exemplo, numa fábrica com 1000 vagas, eles empregavam 2000 para evitar o desemprego.

Está em inglês e são vários volumes.

documents.worldbank.org/pt/publication/documents-reports/documentdetail/308201468147582494/volume-one


"E pensar que poderíamos ser assim desde 1994…"


Mas não é errado analisar todas as decisões que um país toma levando em consideração apenas a questão econômica? Cadê a geopolítica? Cadê o poder?


Se em 1994 tivéssemos dolarizado a economia, Lula jamais seria eleito. Talvez quem estivesse aí no poder fosse o PSDB. PT não teria a menor chance, porque o que importa na eleição é comida na mesa e isso é o que traz uma moeda saudável. Hoje estaríamos muito mais livres. Na pior das hipóteses, estaríamos como a Grécia. A Grécia está ainda quebrada (apesar de uma forte austeridade após 2015), mas eles tem o euro.


Pois é. A dolarização é justamente para países bagunçados como o Equador (mais bagunçado do que Argentina e Brasil). Se não fosse o dólar, hoje eles estariam piores do que a Venezuela. Rafael Correa certamente não acabou com o dólar pois isso foi bom para o mandato dele, já que, com a desvalorização mundial do dólar na sua época (que causou um encarecimento do petróleo, produto vastamente exportado do país), as receitas em petróleo aumentaram, e então ele embarcou em programas sociais.

O nível deles de índice de preços nos últimos anos tem sido invejável. Em 2020, os caras tiveram menos inflação de preços até do que os americanos. Quando ocorre a expansão monetária do FED, o dinheiro vai reverberando por toda a economia e, como o Equador é um país bastante distante, então esses efeitos maléficos da expansão monetária são diluídos.


Por favor!

Conte então porque a URSS faliu e acabou? O que faltou naquele socialismo? Porque eles não venceram o capitalismo?

Mostre que essas questões estão abertas.


Unico problema, no meu ver, é que com isso o governo pode começar a fazer campanha para demonizar outras cryptomoedas para que a população em geral fique com medo de usar essas moedas "não confiáveis" pois não serem do governo.


Dominancia fiscal só é valida quando, e apenas, os bancos financiam o tesouro;
Inflação é sempre um fenômeno monetário; A tese de dominancia fiscal é só político falando ''veja, não podemos subir juros, então temos de subir impostos''..

Nem no Lula 1, com crise nos titulos da dívida, a selic deixou de fazer seu papel. Obvio que ela teve de ir para 26%. Então o que podemos ter é um surto inflacionário, cambio subindo, a selic explodindo para cima para segurar. Uma estagflação. (Ou até recessão com inflação)

Esse seria um cenário possível caso um teto de gastos caia. Um Lula heterodoxo vença.. Mas não que a Selic deixa de ter efeito. Só deixa se o Banco Central quiser


O mundo é dividido em pessoas que acreditam em controle e as que não acreditam.
A história nos mostra isso, uma luta constante entre centralização de poder e descentralização. Acontece que antes, não havia material educativo suficiente para entendermos isso.
Quem, nos anos 80 ouvia falar da escola austríaca de economia????

A internet, graças justamente a descentralização está criando, em uma velocidade descontrolada, novas ideologias de pensamento e clareando o tema político.

Isso também leva a uma reação do ''sistema'', ou seja, aqueles que não aceitam descentralização e querem poder para si.

Acho que a longo prazo a centralização, justamente pelos motivos citados no texto, vai perder. Veremos surgir novas maneiras de convívio social e as pessoas entenderão de uma maneira mais clara e prática que poder do estado é ruim.

Pergunte para qualquer pessoa média, se ela prefere Uber ou coletivo público. Ela vai responder Uber, mesmo ela não entendendo todo o processo de descentralização e desburocratização que exister por detrás da ideia. E como o Uber revolucionou o transporte.



Demanda em alta (e consequente aumento de preços) desvia os fatores de produção para as necessidades mais prementes dos consumidores. Num segundo momento, isso leva ao aumento da oferta.

Em um cenário de escassez abrupta, o "preço abusivo" é a única solução realmente humanista

Fazendo uma analogia simples, imagine se, no início da pandemia, o governo tivesse restringido a compra de álcool em gel para apenas hospitais?? Você acha que oferta do bem seria a mesma??
Lembrando que chegou a faltar o item devido ao aumento absurdo da demanda (superior a 3000%).

Se você consegue entender o exemplo acima, consegue entender o que ocorreria com as vacinas (é literalmente a mesma coisa)



a parte mais importante do sistema de preços não é infomar fielmente a relação de oferta e demanda, mas sim a escassez(disponibilidade) de algo.

Você está certo em dizer que pessoas podem reter a produção para manipular os preços a seu favor, criando uma relação falsa de oferta e demanda. E, de fato, isso acontece toda hora no mercado.

Todavia, livres alterações, ainda que manipuladas por produtores, geram sinais importantissímos para o empreendedor planejar e ajustar os seus meios de produção para lidar com essa escassez. Por exemplo, se eu sou uma fábrica de sucos e os produtores de maçã combinam preços elevados, eu simplesmente posso alterar minha produção para processar uma safra concorrente(laranjas), pois isso já foi antevisto no planejamento.

A escassez(natural ou artificial) faz parte da vida de qualquer negócio. Aliás, gestores hábeis planejam e analisam riscos na produção, inclusive consideram as interrupções e manipulações de preços pelos fornecedores. E fornecedores, a todo instante, manipulam preços para obter lucros maiores. Isso é perfeitamente normal e o que se espera do mercado.

Já numa economia dirigida pelo Estado, os preços não flutuam, pois o burocrata utilizou o seu supercomputador com bigdata para determinar o preço justo. Quais são as consequências? Vamos pensar no exemplo da fábrica de suco:

1) produtores começam a ter prejuízos, pois quaquer aumento em seus custos não podem ser repassados (vão encerrar suas atividades)
2) a indústria de transformação "confiou" no preço regulado pelo governo por tanto tempo e nunca planejou alternativas na produção (vai fechar porque não tem insumo para produzir)
3) consumidor chega no supermercado para comprar o suco e não há mais produto


É EXATAMENTE ASSIM, ESTUDEI ECONOMIA POR UM BREVE PERÍODO NA UFF. NAQUELES IDOS DE 2007 E 2008 EU ERA PRÓ PSDB E VIVIA AS TURRAS COM AQUELES ESTUDANTES PETISTAS E PROFESSORES AINDA PIORES. MAS VEJAM SÓ...EU ESTAVA REDONDAMENTE ENGANADO ACREDITANDO QUE PSDB E PT ERAM ANTAGONICOS. ATE VC TIRAR TODO ESSE VENENO INTELECTUAL IMPLANTADO NÃO SÓ PELAS UNIVERSIDADES MAS TAMBÉM PELA MÍDIA, VC PRECISA DE MUITO, MAS DE MUUUUITO ESFORÇO E ESTUDO. FELIZMENTE TEMOS ESTE INSTITUTO PARA NOS AJUDAR...SALVE!


Vale a pena ler sim Paulo Gala. Rende momentos divertidos, principalmente no espaço de comentários (que, infelizmente, não são muitos).


'Mas temos que notar que grande parte dos preços do mundo não refletem a real correlação entre oferta e demanda, haja vista as diversas manipulações que agentes econômicos fazem .(governo, magnatas, exterioridades etc). Acho que nunca houve, no capitalismo, um "sistema de preços puríssimo". O cálculo econômico capitalista também já nasce irracional"

Ora, seu argumento não faz o sentido, quanto maior á demanda, maior á oferta, e quanto maior á oferta, maior será á concorrência, o que estimula maiores inovações e melhores preços, esse é o pilar principal do capitalismo.

Se isso não reflete uma real correlação entre oferta e demanda para você, então peço que utilize argumentos melhores, á não ser que por "real" você queira dizer "perfeita", e que por "puríssimo" você queria também dizer "perfeito", o que nesse caso é impossível, pois á própria natureza humana já é falha,.

Á única coisa na qual você acertou foi na parte "haja vista as diversas manipulações que agentes econômicos fazem .(governo, magnatas, exterioridades etc).".


Está faltando vacina mundialmente? As notícias que vejo é que há incompetência e desvios nos governos. Nos EUA, por exemplo, não há problema de vacinação.

P.S.: se for mandar links, gentileza mandar links que comprovem que há uma escassez mundial de todas as vacinas (no sentido de que acabaram os insumos). Dispenso links falando que determinado país está vivenciando escassez. Isso denota incompetência de governo e não de laboratórios.


Lembrando que, no Equador, a moeda é o dólar. Após anos de esquerda no país, o poder de compra dos equatorianos continua firme, pois político nenhum do país pode adulterar o poder de compra do dólar. Aliás, eles nem precisam se preocupar com o que o presidente vai fazer com a moeda do país assim que tomar posse.

E pensar que poderíamos ser assim desde 1994…


Se os produtores tem capacidade para aumentar a produção, porque não conseguem atender nem a demanda do estado?


Rafael,

Grande parte dos que alegam considerar o SUS confiável muito raramente (e sou otimista em usar esta expressão composta) utilizam/utilizariam seus serviços.
Sempre que posso, digo e escrevo que conheço gente que enaltece o sistema único, mas nunca necessitaram agendar sequer para cauterizar uma verruga.
Um socialistinha de I-Phone, conhecido meu, mora na Europa e certa feita teceu elogios ao sistema de saúde, não lembro-me de qual país.
Precisei de resiliência para não retrucar, escrevendo que o mesmo jamais utilizava o SUS daqui para nem mesmo pegar camisinha de graça para utilizar as nádegas gulosas que possui ou mesmo introduzir o que possui entre as pernas no traseiro igualmente faminto de outro semelhante a ele.
Em tempo, o mesmo é defensor intransigente de qualquer coisa que de chame vacina anti-COVID e tem ânsia de vômito quando ouve a palavra "hidroxicloroquina".


"É impossível somar valores, avaliações e estimativas. É possível somar apenas preços expressados em termos de dinheiro, mas não é possível somar escalas de preferência".

Mas temos que notar que grande parte dos preços do mundo não refletem a real correlação entre oferta e demanda, haja vista as diversas manipulações que agentes econômicos fazem .(governo, magnatas, exterioridades etc). Acho que nunca houve, no capitalismo, um "sistema de preços puríssimo". O cálculo econômico capitalista também já nasce irracional.


"Conservador, Guillermo Lasso é eleito presidente do Equador"

Depois de dez anos de chavismo, vários presidentes trocados, parece que finalmente entrou alguém diferente.

O interior do país é que deu voto majoritário para ele.



A ferramenta que pode derrubar o keynesianismo se chama bitcoin.
Porque sem essa ferramenta viveremos ciclos intermináveis de diminuição e volta do intervencionismo.

Só a mudança do sistema monetário para um modelo onde o estado não controle a emissão da moeda podemos sonhar com o fim definitivo do keynesianismo.


Big Data não muda absolutamente nada.

Aqueles que consideram que o problema do socialismo é meramente um problema de compilação de informação não entenderam nem o básico: o cerne do problema do socialismo está na ausência de preços em uma economia centralmente planejada (será que a Venezuela não ensinou nada?).

A função dos preços em uma economia de mercado é única e insubstituível, pois são os preços monetários que fornecem a indispensável ferramenta para o cálculo econômico. Como disse Mises: "É impossível somar valores, avaliações e estimativas. É possível somar apenas preços expressados em termos de dinheiro, mas não é possível somar escalas de preferência".

Tendo preços como um norte, empreendedores podem buscar lucros ao simplesmente examinar as diferenças entre os preços de mercado dos fatores de produção e os preços esperados dos produtos finais. E aí ele pode organizar a produção de acordo.

Sendo assim, mesmo se ele possuir excelentes dados, sem esse mecanismo de preços de mercado, nem o cálculo econômico e nem a eficiente alocação de recursos são possíveis; a economia planejada, consequentemente, não é factível.

Na ausência de preços competitivamente determinados para os fatores de produção, mesmo a posse de literalmente todo o conhecimento do mundo não seria capaz de fazer com que um indivíduo alocasse recursos produtivos de maneira economicamente racional dentro da divisão social do trabalho.

E a simples coletânea de dados, por mais volumosos e completos que sejam, não tem como abolir essa realidade.


Indo um pouco além do argumento da falta de preços:

1) Dados são informações passadas e apenas isso. Podem auxiliar um investimento, mas não podem fornecer uma inovação, papel esse do empreendedor.

2) Robôs são apenas automações. Não confunda com o que você vê em filmes. Robôs e computadores só fazem aquilo para o que são programados. Com o avanço da programação, poderão executar tarefas complexas que exigem a leitura de inúmeras variáveis, como conduzir 100% o seu carro ou limpar a sua casa, mas jamais serão capazes de criar o que não existe. O papel do empreendedor nunca será substituído.

3) O governo pode fazer o papel empreendedor, mas limitado a poucas mentes, sem incentivos para melhorias e com interesses desconexo do consumidor. A economia de mercado fornece uma sociedade de mentes empreendedoras, com incentivos a melhorias e interesses alinhados ao consumidor.

Por isso, a sociedade de mercado sempre será melhor do que qualquer outra.

De resto, um supercomputador não vai a abolir a escassez, nem as externalidades advindas dela, nem a preferência variável dos consumidores, que inclusive indicam uma sociedade livre de coerção.

É impossível um governo, por mais "onisciente" que seja, ter os burocratas e técnicos que tenham todo o conhecimento da população. Mesmo com supercomputadores e internet, ainda assim o conhecimento estaria disperso e não seria possível ser totalmente absorvido por iluminados do estado.


Curiosidade: isso de supercomputador já foi feito. No Chile de Allende havia um projeto que tentaria implantar exatamente isso: uma economia centralmente planejada por um computador gigante. E tudo em decorrência da tese de que o problema do socialismo pode ser resolvido com a coleta gigantesca de informações.


De novo essa baboseira do "supercomputador"? Supercomputadores e Big Data não faria diferença nenhuma. Um "supercomputador" não resolve o problema da alocação de recursos e nem o da produção, pois não resolve o problema da ausência de preços de mercado, que é a característica intrínseca do socialismo.

Sem preços de mercado livremente formados, simplesmente não há como alocar recursos de maneira racional, sensata e eficiente.

Dizer que um supercomputador pode substituir a propriedade privada e a livre formação de preços (algo que só é possível no capitalismo) é absolutamente o mesmo que dizer que um comitê centralizado especializado pode substituir a economia de mercado, que era exatamente o argumento dos socialistas.

Assim, quem fala em supercomputador simplesmente voltou ao problema original do socialismo. Retornou à década de 1930. E o argumento de Mises, de 1920, segue inabalado.


Dado que nunca li uma linha deste cidadão que não fosse lacração, tenha a bondade de me resumir aí qual o argumento dele.


Não ocorreriam faltas se os laboratórios pudessem comercializar livremente. Eles já teriam recebido e investido mais em produção. Presos aos governos, esperando para receber aos preços destes, só resta a eles fabricarem pouco (se fabricarem muito, e não escoarem, tomam prejuízo). Esse gargalo foi responsabilidade dos próprios governos.

Ou seja, é limitada somente porque os produtores estão presos à burocracia estatal. Eles são obrigados a receber somente o que os estados fornecem, ao preço que os burocratas estipulam, e ainda sofrem o risco de perderem a patente e os investimentos em vacinas. Com isso elas não tem condições de aumentar a produção com investimentos. Por isso a produção é limitada.

Agora, se estivesse liberada a compra e venda desde muito antes, eles estariam cheio do dinheiro e na perspectiva de lucros, aumentariam a produção pra equivaler à demanda, que já era previsivelmente alta para quando surgissem as vacinas.

Os investimentos são sempre feitos muito antes, tendo em vista os lucros futuros. Sendo assim, eles já teriam construído muitos centros produtores mesmo antes de se ter as vacinas, já estando tudo preparado pra produção em grande escala quando estas estivessem prontas.

Mas como os laboratórios não possuem segurança jurídica pra lucrar com preços livres, eles não fizeram e não farão os investimentos pra acelerar a produção, pois não terão retorno ou terão pouco.


Se o comércio das vacinas fosse livre, os laboratórios já teriam investido muito mais pra acelerar a produção. Nas mãos do estado estão todas com o pé no freio. A escassez de vacinas é muito maior.

E também tem a questão das patentes, que nada mais são do que monopólios intelectuais garantidos pelo estado.


Mises já refutou elegantemente a viabilidade do cálculo econômico no socialismo (economia dirigida pelo Estado). A tese também podem ser facilmente estendidas para o controle(regulamentação) da economia pelo Estado.

Todavia, essa discussão nunca vai acabar por conta da desonestidade intelectual dos acadêmicos progressistas vaiodosos. Vejam, por exemplo, os absurdos que diz a wikipedia (totalmente controlada por acadêmicos progressistas):

"O problema do cálculo econômico é uma crítica ao uso de uma economia planejada ..."
Eles usam o termo "crítica" em vez de "tese" para diminuir a importância do trabalho para mantê-lo marginalmente à discussão

"Paul Cockshott e Allin Cottrell argumentaram que o uso de tecnologia computacional agora simplifica o cálculo econômico e permite que o planejamento central seja implementado e mantido.[3] Leigh Phillips e Michal Rozworski lançaram um livro em 2019 que argumenta que corporações multinacionais como Walmart e Amazon já operam economias centralmente planejadas maiores que a União Soviética, afirmando que o problema de cálculo econômico é superável."
Os caras querem usar como exemplo empresas que possuem excelência no varejo para resumir toda a economia, desde a confeccção de um prego até um laboratório de biologia ...

Acadêmicos, em sua maioria, são totalmente centralizadores, autoritários, invejosos, vaiodosos e desonestos. Para eles, nada que não tenha o papelzinho "PhD" merece atenção, como se o conhecimento para existir e florescer devesse obrigatoriamente nascer ali.

Se você é um academico que acredita em economia planejada, a primeirissima coisa a se fazer seria refutar Mises. Se você conseguir, a sua tese vai ter mais solidez do que fazer analogia com multinacionais do varejo.


** Se você tentar corrigir a página do wikipedia, pode apostar que em menos de 1 dia as suas correções vão entrar em dispusta pelos guerreiros da justiça social e você não vai conseguir editar a página, mesmo rebatendo cada uma das dispustas (eles vencem no número)



mexico e argentina tao mais liberais que o brasil kkk
por aqui estamos pagando mais de 2 milhao pra exibir novela religiosa na ebc , e foi promessa de campanha fechar essa porcaria


Vá de Pax Gold. Está entre as opções de criptos do mercado bitcoin. A empresa que gerencia está localizada em Cingapura se não me falha a memória.


Bom, eu conheço algumas pessoas mais velhas que sobreviveram de coronavírus na UTI, mas aí não sei se eram de rede privada ou rede estatal. Seria bom fazer uma estatística sobre isso.

Nos EUA já fizeram uma estatística (do próprio CDC) sobre as chances de morrer de coronavírus, por faixa de idade.


Vai depender do país. Se for um país mais rico e capaz de gerar riqueza, vai durar mais. A URSS em si não era tão próspera, e levou algumas décadas para ruir por completo. Se for um país mais pobre e menos capaz, vai durar menos.

Entretanto, o que não existia naquela época existe hoje: informação descentralizada. Se na década de 1980 muitos dissidentes do comunismo tinham de ser bastante criativos para tentar lidar com a censura e afins, hoje isso é mais fácil e barato. Bolsonaro se elegeu por causa disso.

Hoje eles usam a economia mista porque sabem que uma economia socialista colapsaria muito rápido, inclusive o padrão de vida dos próprios burocratas.


Sim, o keynesianismo irá cometer suicídio um dia, assim como a URSS, e futuramente veremos o mesmo ocorrendo a China.
O problema é que até ruir, serão décadas e décadas de estragos em todos os campos possíveis (econômico, social, mmilitar, etc), vide URSS que quase causou um apocalipse nuclear, repressões a liberdade e genocídios.


Não sei se alguém já postou aqui no site, mas esse youtuber americano mostra a saga do Daniel Fraga, desde que ele passou a produzir e publicar vídeos nessa plataforma até o sumiço dele, e mostra como ele conseguiu peitar o estado sem medo nenhum. O youtuber também fala como a receita buscou confiscar a conta bancária dele e não encontrou praticamente nada kkk, e como ele juntou tudo o que tinha e converteu em bitcoin (isso quando a criptomoeda ainda não valia muita coisa). Imagina o quão rico ele deve estar agora? Aliás, o estado deve estar procurando o Fraga até hj e morrendo de raiva kkkk

www.youtube.com/watch?v=hUC7plAbQAM


"Argentina aprova isenção de imposto de renda para 93% dos trabalhadores"

150 mil pesos argentinos dão por volta de US$ 1071,42 na cotação do câmbio paralelo. O salário médio em dezembro de 2020 fora de 102.567 ARS.

Só eu que estou surpreso com isso, apesar de o congresso argentino estar lotado de esquerdistas?

Bolsonaro estava falando de aumentar a faixa de isenção de IR lá em 2018...


"Impostos sobre grandes fortunas ganham apoio na América Latina"

Esse trecho abaixo me chamou a atenção:

"No entanto, impostos sobre patrimônio bem planejados, como os da Noruega e da Suíça, podem aumentar a receita tributária e reduzir a desigualdade sem ameaçar empregos e investimentos, de acordo com Fernando Velayos, consultor de política tributária na Espanha e ex-pesquisador do Banco Interamericano de Desenvolvimento."

Será que eles sabem que, além das economias suíça e norueguesa serem muito mais livres, a tributação sobre corporações é bem menor e o sistema tributário é bem mais simples? O IRPJ da Suíça é de 18 % e o da Noruega é de 22 %. Se for o que eu estou imaginando, não há essa tributação de patrimônio na Noruega. Na Suíça é de 7 %, o que é feita em nível de cantão. O sistema tributário da América Latina é complexo na maioria dos países, e o brasileiro é campeão, sendo o mais complexo do mundo.


Lembram quando o Tiririca dizia "pior que tá não fica"? Pois é, parece que ele subestimou, e muito, o governo bananense. E o mais bizarro são as justificativas, 0% razão, 100% emotividade e falsa virtuosidade. Se esquecem completamente que se uma empresa vacinar seus funcionários por conta própria, isso diminui a carga no SUS (Sistema Utópico de Saúde), cada funcionário vacinado fora do SUS é uma dose que sobra pra um pobre/doente no SUS (Vamos fingir que eles realmente se importam com estes). Vivem chorando que "a iniciativa privada não fornece saúde pros pobres", aí quando um patrão quer dar a vacina pros funcionários os mesmos canhotos são contra, é um festival de bostejamento.

Mas enfim, mudando de assunto, recentemente investi uns trocados que eu tinha sobrando em criptomoedas e já tive alguns reais de retorno, pouca coisa, mas bem mais do que eu ganharia deixando o mesmo montante em uma conta poupança por esses poucos dias. Estou pensando em comprar também ouro, será que vale a pena? Digo isso pois se os BCs seguirem com as impressoras de dinheiro no modo turbo o ouro só tende a valorizar nos próximos meses, certo? Se sim, o que me dizem do PAX Gold? é confiável?




Reportagens ,videos,e pesquisas,permitem deduzir que grandes cidades dos steites estão em "ESTADO DE BOLHA",NY inclusive, e habitantes se mudam para estados menor custo de vida.Alugueis e serviços incompativeis com a renda de consumidores;salarios pequenos e em queda pelo trabalho remoto,tele trabalho de varios paises.

É claro, A BÔLHA terá que estourar,sintomas se manifestam nitidamente,não haverá força de governo que vai segurar este TSUNAMI que já se manifesta, o mercado fará a correção,acredito nisso.

A pandemia,ou fraudemia,ou falkemia pode atrapalhar ou justificar os vigaristas que criaram o "ESTADO DE BOLHA" que claro manipulam desde o assunto das hipotecas , criadas pelos "canhotos" norteamericanos, como sempre,canhotos.


Isso é verdade. Eu moro na Grande SP e tenho usado máscara embaixo do nariz, até porque uso óculos e usar máscaras até o nariz faz as lentes embaçarem, e ninguém nunca achou ruim, embora alguns talvez achem meio estranho. E passei a usar só em ambientes fechados (com exceção, é claro, da minha casa), na rua eu já quase nem uso mais.


O que não entendo: há uma produção limitada de vacinas no mundo no momento, e empresas priorizam vendas gigantescas para governos. Onde está essa sobra de vacinas a pronta entrega que empresas crêem que podem conseguir ? E pq não seriam vendidas ao governo federal em 1o lugar?
Não estou questionando a moralidade, legalidade ou necessidade de ampliar enormemente a vacinação no Brasil. A questão é de ordem prática: sendo a produção limitada, caso existissem doses a "pronta entrega" essas já teriam sido distribuídas a governos que fazem compras gigantes.



Se for entubado, a chance de morrer é bem alta, e no SUS então, pior ainda. Ontem mesmo (09/04) o pai de um amigo meu faleceu depois de ficar vários dias intubado num hospital municipal, e a causa dada foi complicações de covid (como a gente sabe, esse motivo pode ser bem duvidoso, mas isso já é outra história). E aí, qual o motivo de se ter orgulho do SUS mesmo?


O que realmente é necessário fazer (mas pelo jeito, não há quem tenha coragem):

Demissão dos milhares de aspones e fantasmas que infestam as repartições bananeiras;

Extinção das centenas de municípios fantoches criados para dar vida fácil para o baixo clero burocrático de Banânia;

Extinção de estatais, agências, ministérios ao máximo que puder;

Redução de salários e mordomias do alto clero burocrático.

Já diminuiria a necessidade de malabarismos com juros e moeda. Cadê aquele que têm peito pra isso?



Não. Expansão monetária, além de aumentar artificialmente a desigualdade econômica (veja aqui), ainda causa uma falsificação do cálculo econômico. E é essa falsificação do cálculo econômico que esses economistas convencionais confundem com crescimento econômico.

Há vários artigos sobre isso no site, mas um que faz uma explicação bastante sucinta e ainda assim completa é este (na parte final dele):

www.mises.org.br/article/3326/a-existencia-do-dinheiro-e-o-que-permite-o-desenvolvimento-e-o-progresso-da-civilizacao-


Se o comércio das vacinas fosse livre, os laboratórios já teriam investido muito mais pra acelerar a produção. Nas mãos do estado estão todas com o pé no freio. A escassez de vacinas é muito maior.

E também tem a questão das patentes, que nada mais são do que monopólios intelectuais garantidos pelo estado.


Alta dos juros pode se tornar ineficaz para controlar a inflação; entenda

A alta dos juros pode ser insuficiente para controlar a inflação no Brasil. Sem corrigir os rumos das contas públicas, alguns analistas alertam que o país pode ver a política monetária perder eficácia. Ou até caminhar para um cenário pior: entrar num quadro de dominância fiscal.

(...)

Em um cenário de dominância fiscal, a desordem das contas públicas faz com que a alta dos juros não tenha o efeito esperado – ou seja, a crise fiscal passa a dominar a política econômica do país.

Nesse ciclo perverso, o aumento da Selic não tem o efeito esperado sobre o controle da inflação. Em vez disso, ele eleva o endividamento do país e afugenta os investidores, diante do medo de insolvência – o que provoca a desvalorização do real e, consequentemente, contribui para o aumento dos preços, num efeito oposto ao desejado.

(...)

g1.globo.com/economia/noticia/2021/04/10/alta-dos-juros-pode-se-tornar-ineficaz-para-controlar-a-inflacao-entenda.ghtml


Oi, Leandro. Sempre acompanho o site e parabenizo você e os demais que contribuem para ele.


Eu fique na dúvida sobre o trecho " Suponha que o Banco A tivesse, antes da quebra, um total de $100 em seus depósitos à vista e $30 como reservas. Como explicado dois parágrafos acima, o total de depósitos à vista nesse banco seria reduzido para $30 (o valor das reservas), de modo que seus depósitos à vista agora estarão 100% lastreados. A diferença de 100 para 30 — isto é, 70 — seria transformada em quotas em fundos de investimento para os depositantes. A quota de cada depositante nesses fundos poderia ser livremente comercializada no mercado, e tal processo determinaria o valor final de mercado dessas quotas, o qual dependeria da qualidade do portfólio de cada fundo."

Eu não consegui entender porque os 70 seriam contabilizados mesmo que em quotas já que eles eram frutos da reserva fracionária sem lastro.(dinheiro fictício)Vou fazer algumas perguntas abaixo para você entender a a raiz da dúvida já que não consigo formular diretamente a questão.

Os 30,00 seriam distribuídos proporcionalmente ao que cada depositante tinha em conta antes da quebra ? Ou de forma igualitária.

Essas quotas dos 70,00 seriam de um fundo de investimento do próprio banco que já existia? Isso não prejudicaria os investidores iniciais desse fundo? Já que o número de cotas iniciais aumentaria, diminuindo o valor das cotas.

Ou seria criado um fundo de investimento representando os ativos do banco para então poder redistribuir aos depositantes em quotas?

Esses 70,00 seriam distribuídos de forma proporcional ou igualitária ?

Ao passo que fui fazendo essas perguntas, me fez parecer que já que os 70,00 refere-se ao dinheiro que o banco "deve" por ser um dinheiro que ele criou sem lastro, este valor seria usado proporcionalmente ao valor de seus depositantes para ser atrelado aos seus ativos na hora de criar o fundo de investimentos e suas quotas.

Agradeço de antemão sua cooperação e esclarecimento.







"Alta dos juros pode se tornar ineficaz para controlar a inflação; entenda"

Pessoal, quem aqui não se lembra daquela discussão de "dominância fiscal" que houve no Brasil, no começo de 2016? Pois então, voltou pelo jeito.

O aumento dos juros não necessariamente implica no aumento do custo de manter a dívida. Durante os anos Lula, a SELIC brasileira dificilmente ficava abaixo dos 10 % a.a. e nessa época até se conseguia um superávit primário (em 2003 foi conseguido um superávit primário de 4,3 % com juros bem altos). Desde 2014, estamos sem superávit primário e, apesar disso, os juros seguem historicamente baixos. O endividamento começou a cair mesmo no governo Temer, quando a economia passou a se recuperar e ele domou os bancos estatais.

Apesar da brutal redução da taxa de juros SELIC, o decréscimo nas despesas com os juros foi ínfimo: o gasto com juros foi de R$ 312,427 bilhões em 2020, enquanto em 2019 foi de R$ 367,282 bilhões, portanto uma economia de aproximados R$ 54,85 bilhões. Isso não paga nem metade do orçamento do Ministério da Saúde (e muito menos o que foi gasto com auxílio emergencial). Além disso, apenas uma parte dos títulos governamentais é atrelada à SELIC (em 2020, foi de 25,3 %). Ainda há os títulos atrelados ao IPCA: se a SELIC cai e o IPCA aumenta (que é o que está acontecendo agora), as despesas para pagar esses títulos aumentam, já que o IPCA subiu. Os títulos prefixados também entram nessa, sofrendo variação positiva no percentual com a expectativa futura de inflação pelos investidores.

Leandro tinha razão. Quem quiser ver, tem também esse artigo.


qual instituição o brasileiro aprendeu a confiar mais ... O SUS foi a resposta ...

tipico da america latrina

o SUS nao é uma instituiçao, por aqui nao deve ter , mas se alguem ainda duvida que pesquisas sao direcionadas esta ai mais uma evidencia

pena que a fonte nao tem sessao de comentarios abertos , nao da nem pra deixar uma cutucada


Isso porque METADE dos internados por Covid no SUS morrem. Enquanto 20% dos internados morrem na rede privada.


Li no livro do Blanchard que apesar da "neutralidade da moeda", " uma política monetária expansionista pode,por exemplo, ajudar a economia a sair da recessão e retornar mais rápido a seu nível natural." Confesso que esse assunto é um tanto complexo!


O texto não comentou a falta de vacinas no mercado mundial. A oferta de vacinas chegou no limite da capacidade de produção. A entrada das empresas privadas iria aumentar o preço das vacinas sem necessariamente garantir que elas sejam produzidas mais rapidamente.


Falta um artigo sobre quebra de patentes das vacinas. A quebra de patentes faria com que a produção mundial aumentasse vertiginosamente, mas novamente lobbys criam essa oferta artificialmente limitada impedindo que novas empresas entrem na competição.


Dá uma pesquisadinha no google mesmo, você vai ficar espantado como eu, o que tem de Padres inventores, cientistas,astrônomos, do carro ao avião tem Padres que tentaram esta invenção, a Teoria do Big Bang foi um Padre, estetoscopio foi um Padre quem inventou. A história precisa se contada por gente honesta, quanta desinformação.


Não vai acontecer. A mídia está demitindo o Guedes desde o primeiro semestre de 2019. Eu mesmo, que não tenho simpatias pelo chicaguista, reconheço que ficam fazendo esses boatos apenas para fazer preço, elevar juros de lonho prazo, tumultuar tudo e tentar derrubar o governo.

Quanto à redução do biodiesel, seria excelente. Isso é uma heterodoxia que serve apenas para agradar o lobby destes produtores.


Isso não é erro dos governantes, isso é previamente calculado.
Ora, o que vai acontecer se empresários estiverem livres para importar vacinas?
Simples, empresários vão se associar e vacinar todo mundo pq querem que a economia volte à normalidade.

Isso é um golpe de duas vias aos governantes. Primeiro porque deixa claro a incompetência do SUS e o absurdo de querer monopolizar a logística de vacinação de um país continental com milhões de pessoas.

E segundo, e mais importante, acaba a desculpa! Com todos vacinas os poderosos perdem a capacidade de continuar com o abuso do poder (e consequentemente diminuir sensivelmente a roubalheira).

Ficou mais do que evidente que o objetivo não é combater o covid, o objeto é AUXILIAR o covid. Só assim pode se continuar o terror.

(Nem entro no mérito da vacina ser experimental e etc..)


Atualizando......2.342 mortes após "vacinas" nos EUA:

medalerts.org/vaersdb/findfield.php?TABLE=ON&GROUP1=CAT&EVENTS=ON&VAX=COVID19



Mais um pouco do outro lado dessa fraudemia que os ordinários ficam arrepiados em mostrar.........

childrenshealthdefense.org/defender/science-mrna-vaccines-alter-dna/


As vacinas de mRNA podem alterar permanentemente o DNA? A ciência recente sugere que eles podem.

A pesquisa sobre o RNA SARS-CoV-2 por cientistas de Harvard e MIT tem implicações em como as vacinas de mRNA podem alterar permanentemente o DNA genômico, de acordo com Doug Corrigan, Ph.D., um biólogo bioquímico-molecular que diz que mais pesquisas são necessárias.

A cobertura inclinada da mídia forneceu um impulso de relações públicas particularmente frutífero para vacinas de mRNA.

Durante o ano passado, seria quase impossível para os americanos não perceberem a decisão da mídia de tornar as vacinas a narrativa COVID dominante, correndo para fazê-lo antes mesmo que ocorressem quaisquer mortes atribuídas ao coronavírus.

A cobertura inclinada da mídia forneceu um impulso de relações públicas particularmente frutífero para vacinas de RNA mensageiro (mRNA) - décadas em construção, mas nunca aprovadas para uso humano - ajudando a conduzir a tecnologia experimental para mais perto da linha de chegada regulamentar.

Em circunstâncias normais, o corpo produz ("transcreve") mRNA do DNA no núcleo da célula. O mRNA então viaja para fora do núcleo para o citoplasma , onde fornece instruções sobre quais proteínas fazer.

Peça ao Congresso para investigar as origens do COVID - tome medidas
Em comparação, as vacinas de mRNA enviam sua carga útil de mRNA sintetizado quimicamente (junto com as instruções de fabricação de proteína de pico) diretamente para o citoplasma.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e a maioria dos cientistas de vacinas de mRNA , a responsabilidade então para por aí - as vacinas de mRNA "não afetam ou interagem com nosso DNA de nenhuma forma", diz o CDC. O CDC afirma primeiro, que o mRNA não pode entrar no núcleo da célula (onde o DNA reside) e, segundo, que a célula - estilo Missão impossível - "se livra do mRNA logo após terminar de usar as instruções".

Uma pré - impressão de dezembro sobre o SARS-CoV-2 , feita por cientistas de Harvard e do Massachusetts Institute of Technology (MIT), produziu descobertas sobre o coronavírus selvagem que levantam questões sobre como o RNA viral opera.

Os cientistas conduziram a análise porque estavam " intrigados com o fato de que há um número respeitável de pessoas que apresentam resultados positivos para COVID-19 por PCR muito depois de a infecção ter desaparecido".

Suas principais descobertas foram as seguintes: ARNs SARS-CoV-2 "podem ser transcritos reversamente em células humanas", "essas sequências de DNA podem ser integradas no genoma celular e posteriormente transcritas" (um fenômeno denominado "retro-integração") - e existem vias celulares viáveis ??para explicar como isso acontece.

De acordo com o Ph.D. Para o bioquímico e biólogo molecular Dr. Doug Corrigan , essas descobertas importantes (que vão contra o "dogma biológico atual") pertencem à categoria de "Coisas que estávamos absoluta e inequivocamente certas não poderiam acontecer e que realmente aconteceram".

As descobertas dos pesquisadores de Harvard e do MIT também colocam as suposições do CDC sobre as vacinas de mRNA em terreno mais instável, de acordo com Corrigan. Na verdade, um mês antes do aparecimento do preprint Harvard-MIT, Corrigan já havia escrito um blog descrevendo os possíveis mecanismos e caminhos pelos quais as vacinas de mRNA poderiam produzir o mesmo fenômeno.

Em uma segunda postagem no blog , escrita após a publicação da pré-impressão, Corrigan enfatizou que as descobertas do Harvard-MIT sobre o RNA do coronavírus têm implicações importantes para as vacinas de mRNA - um fato que ele descreve como "o grande elefante na sala". Embora não afirme que o RNA da vacina necessariamente se comportará da mesma maneira que o RNA do coronavírus - isto é, alterando permanentemente o DNA genômico - Corrigan acredita que a possibilidade existe e merece um exame minucioso.

Na opinião de Corrigan, a contribuição da pré-impressão é que ela "valida que isso é pelo menos plausível e muito provavelmente provável ".

Transcrição reversa

Como a frase "transcrição reversa" implica, a via de DNA para mRNA nem sempre é uma via de mão única. Enzimas chamadas transcriptases reversas também podem converter RNA em DNA , permitindo que este último seja integrado ao DNA no núcleo da célula.

Nem a transcrição reversa é incomum. Os geneticistas relatam que " Mais de 40% dos genomas de mamíferos são compostos de produtos de transcrição reversa".

A evidência preliminar citada pelos pesquisadores Harvard-MIT indica que as enzimas da transcriptase reversa endógena podem facilitar a transcrição reversa de RNAs do coronavírus e desencadear sua integração no genoma humano.

Os autores sugerem que, embora as consequências clínicas exijam mais estudos, os efeitos prejudiciais são uma possibilidade distinta e - dependendo dos "locais de inserção no genoma humano" dos fragmentos virais integrados e do estado de saúde subjacente de um indivíduo - podem incluir "uma resposta imunológica mais grave ... como uma ' tempestade de citocinas ' ou reações autoimunes ".

Em 2012, um estudo sugeriu que a integração do genoma viral poderia "levar a consequências drásticas para a célula hospedeira, incluindo a interrupção do gene, mutagênese de inserção e morte celular".

Corrigan faz questão de dizer que as vias hipotetizadas para facilitar a retrointegração do RNA viral - ou da vacina - no DNA "não são desconhecidas por pessoas que entendem a biologia molecular em um nível mais profundo".

Mesmo assim, a discussão da pré-impressão sobre a transcrição reversa e integração do genoma gerou um turbilhão de comentários negativos de leitores que não queriam repensar o dogma biológico, alguns dos quais até defendiam a retratação (embora as pré-impressões sejam, por definição, não publicadas) com base em que "teóricos da conspiração ... levarei este artigo para 'provar' que as vacinas de mRNA podem de fato alterar o seu código genético.

Os leitores mais atentos concordam com Corrigan que o artigo levanta questões importantes. Por exemplo, um leitor afirmou que faltam evidências de confirmação "para mostrar que a proteína do pico é expressa apenas por um curto período de tempo (digamos 1-3 dias) após a vacinação", acrescentando: "Achamos que é esse o caso, mas não há evidências para isso. "

Na verdade, por quanto tempo o mRNA sintético das vacinas - e, portanto, as instruções para as células continuarem a fabricar a proteína spike - persistem dentro das células é uma questão em aberto.

Normalmente, o RNA é uma molécula " notoriamente frágil " e instável. De acordo com os cientistas, "essa fragilidade é verdadeira para o mRNA de qualquer ser vivo , seja ele de uma planta, bactéria, vírus ou humano".

Mas o mRNA sintético nas vacinas COVID é uma história diferente. Na verdade, a etapa que finalmente permitiu que os cientistas e fabricantes de vacinas resolvessem seu impasse de décadas de vacinas de mRNA foi quando eles descobriram como modificar quimicamente o mRNA para aumentar sua estabilidade e longevidade - em outras palavras, produzir RNA "que permanece no célula muito mais longa do que o RNA viral, ou mesmo o RNA que nossa célula normalmente produz para a produção normal de proteínas. "

Ninguém sabe o que o mRNA sintético está fazendo enquanto está "pendurado", mas Corrigan especula que sua maior longevidade aumenta a probabilidade de ele "ser convertido em DNA".

Além disso, como o mRNA da vacina também é projetado para ser mais eficiente em ser traduzido em proteína, "os efeitos negativos poderiam ser mais frequentes e mais pronunciados com a vacina em comparação com o vírus natural".

Cifrões

Corrigan reconhece que algumas pessoas podem ignorar seus avisos, dizendo "Se o vírus é capaz de fazer isso, então por que eu deveria me importar se a vacina faz a mesma coisa?"

Ele tem uma resposta pronta e convincente:

"[T] aqui está uma grande diferença entre o cenário onde as pessoas aleatoriamente, e sem querer, têm sua genética alterada porque foram expostas ao coronavírus, e o cenário onde deliberadamente vacinamos bilhões de pessoas enquanto dizemos a eles que isso não está acontecendo. "

Infelizmente, a atitude predominante parece ser que a "corrida para vacinar o público" justifica correr esses riscos extras .

Em meados de novembro, depois que o Jerusalem Post disse aos leitores que "quando o mundo começar a se inocular com essas vacinas completamente novas e revolucionárias, não saberá virtualmente nada sobre seus efeitos de longo prazo", um diretor de hospital israelense argumentou que não vale a pena esperar mais dois anos para descobrir os "riscos únicos e desconhecidos" das vacinas de mRNA ou os efeitos potenciais de longo prazo.

Nos Estados Unidos, o entusiasmo pela tecnologia de mRNA é igualmente irrestrito. Poucos dias depois que o CDC divulgou dados atualizados mostrando que mais de 2.200 mortes de indivíduos que receberam as vacinas de mRNA Pfizer ou Moderna foram relatadas em 26 de março, o The Atlantic elogiou a tecnologia , sugerindo que o "engenhoso" sintético A tecnologia de mRNA por trás das vacinas COVID da Pfizer e Moderna representou um "avanço" que poderia "mudar o mundo".

Em vez de descartar a perspectiva de retrointegração de DNA estranho como uma "teoria da conspiração", os cientistas deveriam conduzir estudos com o mRNA vacinado para avaliar os riscos reais.

Por exemplo, Corrigan acredita que, embora os dados in vitro em linhas de células humanas (uma das fontes de dados examinadas pelos pesquisadores de Harvard-MIT) ofereçam resultados "herméticos", ainda há uma necessidade de demonstrar de forma conclusiva a alteração genômica na vida real por meio de " PCR, sequenciamento de DNA ou Southern Blot ... em DNA genômico purificado de pacientes COVID-19 "- e indivíduos vacinados.

No entanto, em vez de abordar essas lacunas de pesquisa, as empresas estão salivando com o potencial de usar mRNA editado por humanos para "comandar nosso maquinário celular" e "fazer praticamente qualquer proteína sob o sol".

Um comunicado de imprensa de 10 de março pronunciando vacinas de mRNA, os vencedores da corrida de vacinas COVID-19, notaram que todas as grandes empresas farmacêuticas estão agora "testando a tecnologia [mRNA] entrando em acordos de licença e / ou colaboração com empresas de RNA bem estabelecidas. "

Em velhos desenhos da Disney, os espectadores muitas vezes assistimos tio rico do Pato Donald, Tio Patinhas de "olhos esbugalhados [por sua vez] no slot Vegas máquina de grandes dimensões cifrões " quando contemplando oportunidades para aumentar a sua já imensa riqueza.

A julgar pela disposição dos executivos da empresa farmacêutica de ignorar os riscos de longo prazo - e possivelmente multigeracionais - das vacinas de mRNA, eles devem estar igualmente hipnotizados por visões cifradas de um fluxo interminável de produtos mRNA " plug and play ".


Enquanto isso...

Confiança no SUS dispara e 61% consideram o sistema público melhor que o privado

Pesquisa Exame/Ideia divulgada nesta quinta-feira (9) aponta que, para 61% dos entrevistados, o Sistema Público de Saúde (SUS) tem mais competência para lidar com os problemas da pandemia do que a rede privada de Saúde.

A pesquisa também perguntou qual instituição o brasileiro aprendeu a confiar mais durante a pandemia. O SUS foi a resposta de 35% dos entrevistados. (...)

(...)

A Exame/Ideia aproveitou a votação do Projeto de Lei 948/2021, que autoriza a compra de vacina pela iniciativa privada, para perguntar aos entrevistados se eles concordam com a medida. Para 23%, as empresas podem contribuir com a pandemia se comprarem vacinas para imunizar seus familiares e funcionários. Outros 40% consideram que os empresários devem doar equipamentos e insumos para os hospitais.

(...)


1) Se você deixar de assumir a posição, o roubo ao dinheiro alheio não cessará.
2) Se você deixar de assumir a posição, alguém assumirá.
3) Se você deixar de assumir a posição, esse outro alguém poderá ser de esquerda.
4) Uma vez no cargo, existe uma chance de você zelar pela função. Eu prefiro acreditar em você que em alguém de esquerda.
5) Não só isso, seu compromisso com a liberdade pode lhe render frutos. Talvez você denuncie descaminhos, corrupções, ou melhore a eficácia do sistema. Mesmo que seja iluminando os colegas de trabalho para que num futuro hipotético estejam mais pró-liberdade.

Não vejo contradição, muito embora todos meus pontos sejam calcados em suposições.




"Guedes fica sob 'fogo cerrado'; já há bolsa de apostas para substituí-lo"

O Rogério Marinho certamente seria um desastre no lugar, pois ele é abertamente desenvolvimentista. O Brasil já está tendo desenvolvimentismo na política monetária, imagina na fiscal...

O Luiz Fernando Figueiredo não conheço e não encontrei muita coisa dele de tão relevante. Ele fez parte da equipe do BCB durante o segundo mandato do FHC. Ele pelo menos sabe que o estado brasileiro é extremamente inchado e o Brasil é um dos países emergentes mais gastões (vejam essa entrevista dele). O problema é que isenções fiscais parecem incomodá-lo (como se isenção fiscal fosse ruim...). Infelizmente ele parece flertar com lockdowns. Analisando essa notícia da época de sua nomeação, onde ele disse que iria trabalhar contra a volta da famigerada inflação e vendo que o IPCA no País, de 1999 a 2002, nunca ficou abaixo de 6 % (lembrando bastante alguns anos do governo do PT, embora nessa época do FHC o dólar ainda estava mundialmente forte), fico com muitas dúvidas.

Mansueto conheço pouco.

Agora falando do diesel, com essa redução de mistura do biodiesel no combustível, poderia na prática ser algo benéfico, análogo a reduzir o percentual de etanol na gasolina? O que acham?


O mais bizarro é que até dois meses atrás o Banco Central tava brincando de "forward guidance", pois achava que a inflação estava intoleravelmente baixa.

E como expliquei aqui, o período de 12 meses encerrado em maio próximo terá o maior índice de todos.

A única possível vantagem nisso tudo é que essas ideias heterodoxas esdrúxulas e ridículas, como keynesianismo e Teoria Monetária Moderna, poderão ser aposentadas para sempre.



Normal. E, para o mês de abril, será maior ainda. E para maior será recorde. O período de 12 meses encerrado em maio próximo terá o maior índice de todos.

Motivo: os meses de abril e maio do ano passado foram de deflação. Eles ainda estão na conta, puxando o acumulado de 12 meses para baixo. Assim que eles saírem da conta, o acumulado dará um salto. Ou seja, o período que englobar junho de 2020 a maio de 2021 vai esbarrar em 8%.


Foram vacinados apenas com a primeira dose, fazemos parte do BRICS que atualmente são grandes produtos de vacinas, mas por questão de guerras ideológicas do Governo fomos jogados pra escanteio. Já postei os dados acima e volto a repetir.

ourworldindata.org/grapher/covid-vaccination-doses-per-capita

O auxílio é pago principalmente a famílias que hoje são 40 milhões de informais que tiveram seus empregos afetados e podemos citar também por exemplo: garçons, cozinheiros, faxineiros e motoristas de van escolar.

Dinheiro existe sim, ano passado foi usado um fundo eleitoral de R$ 2 bilhões, reajuste de plano de saúde pra deputado, auxílio Iphone para magistrados, gastos maiores com emendas parlamentares, férias de 14 dias por R$ 2,4 milhões além dos gastos com publicidade. Esses gastos inclui desde a União, Estados e Municípios.

A União poderia criar um auxílio em parceria com Estados e Municípios para adicionarem também um valor como ajuda.

O meu primo tem um bar que está a 7 meses praticamente e trabalhando via delivery, não recebe nenhum tipo isenção de impostos, afastou quatro garçons e três pessoal da limpeza. O auxílio financeiro que já foi negado na Caixa e no BB que se dizem bancos do "povo". Enquanto filho de presidente financia imóvel a com taxa de juros de 4,85% a.a.

Quero saber qual realidade você vive ?


A conta do keynesianismo continua se aproximando...

Inflação de preços subindo forte... nesse mês de março, acumulado dos últimos doze meses, a inflação de preços chegou aos 6,1 %, maiores valores desde dezembro de 2016.

O absurdo é que pelo que me parece (corrijam-me se eu estiver errado), a reunião do COPOM será só em maio! Para 2021, a centro da meta passou a ser de 3,75 %, sendo o teto de 5,25 % e o piso mínimo de 2,25 %. Não tem a mínima lógica de haver um "piso mínimo" para essa meta, como se deflação de preços fosse algo ruim... os suíços e singapurianos então devem estar na miséria...

O México, desde 2003, tem uma meta de inflação de 3 % (1 p. p. +/-). Na Costa do Marfim é ainda menor, com uma meta de 2 % e 1 p. p. +/-.

Cadê os keynesianos falando que imprimir dinheiro em cenário recessivo "não iria causar inflação de preços" e um monte de gente comemorando essa SELIC de 2 %, inclusive xingando o Fernando Ulrich?


Então o artigo acertou..
oglobo.globo.com/economia/inflacao-acelera-em-marco-vai-610-em-12-meses-acima-do-teto-da-meta-1-24962837
Quem poderia imaginar


blabla blublublu. Já foram vacinados 10 por cento da população. É até muito, considerando que aqui não é grande centro produtor de vacinas e quase tudo vai ser importado. Quanto ao auxílio, R$150 é até muito, considerando que ninguém vai pagar por ele trabalhando, sendo produtivo. Dinheiro não cai de árvores, só países altamente produtivos podem pagar, coisa que a banânia com seus 100 milhões de desocupados, produtividade pífia, déficit de 11 por cento do PIB, está longe de ter condição de fazer


so nessa tua cabeca doentia e terraplanista o cara quer viver dependendo de 150,00.



Dos meus interesses? Estou comparando o Brasil — um país continental, de terceiro mundo, e com uma péssima infraestrutura — com seus pares. Você queria o quê? Que eu comparasse com a Suíça? Com Luxemburgo?

Sim, o Brasil, como mostra o gráfico, está melhor que a média mundial, melhor que a América Latina, melhor que Austrália, Nova Zelândia e Japão. O que mais você quer?

Você ficou nervoso porque refutei, com fatos e dados, sua afirmação. Tenta de novo.



Uma tamanha desonestidade você pegar um gráfico e selecionar apenas os países de seu interese


Vacinação está lenta SIM ! Vocês parecem que faltaram em aulas de estatística do ensino e do superior. Em números absolutos o Brasil está em 5° pois possui também a 6° maior população mundial . Olhe o ranking de vacinação aplicadas a cada 100 habitantes. A estrutura nacional estatal e privada de vacinação permite a vacinação de mais de 1 milhão de pessoas por dia, o que aconteceu apenas três vezes.

A negligência da União no tocante a negação de contratos de vacina só mostra o quanto precisamos de Estados mais livres e independentes. Eu tenho certeza absoluta se o Estado de Sergipe estivesse liberdade de comprar vacina não dependendo da União estaria bem adiantado. Mas parece que nunca vi o Instituto Misses tocar nesse assunto...

ourworldindata.org/grapher/covid-vaccination-doses-per-capita


Você que não está bem informado. A maioria vai receber R$ 150, o que não é o suficiente pra compra do gás, água e luz.

www.google.com/amp/s/www.infomoney.com.br/economia/maioria-vai-receber-r-150-de-auxilio-emergencial/amp/



é seguro dizer que um pai e uma mae deve qualquer coisa aos seus filhos. inclusive a propria vida se for o caso. afinal , direta ou indiretamente os filhos só estão nesta merda deste mundo por causa deles.

entã0 é DEVER dos pais ajudar os filhos a resolverem seus problemas.

ninguém deve nada a quem não seja seu filho


Aqui no Brasil, presidente que valoriza á liberdade é chamado de "ditador" e "genocida'", e pessoas que também valorizam são chamados de "neoliberais" e "Espalhadores de fake news", lógico que no país onde o poste mija no cachorro á ignorância roda livremente.




O site do Diário Oficial tem uma busca confusa, não encontrei nada. O que exatamente estão fazendo?

* * *



Comigo aconteceu várias vezes.

O sujeito repetir os fatos e argumentos, tudo bem. Repetir os exemplos, linguagem figurada, fraseado, é tolerável.

Mas o absurdo é o sujeito simplesmente copiar e colar tudo, até as experiências pessoais ("Certa vez na faculdade uma professora disse X e eu perguntei Y") como se tivesse sido ele e ainda colocar no nick dele o meu primeiro nome.

* * *



Só de curiosidade, a Dinamarca é um dos países com maiores trabalhadores sindicalizados no mundo. Só que lá, além da legislação trabalhista ser uma das mais flexíveis do mundo, os sindicatos precisam agradar os associados: ajudam a arrumar um emprego, elaboram planos de aposentadoria, entre outras coisas. Bem diferente daqui.

Mas não se preocupem: Brasil jamais terá algo assim, enquanto muita gente continuar com a cabeça incrustada de getulismo.


Bem que o exemplo abaixo poderia ser seguido, mas acho que é esperar muito do STF e governadores que tenham tal inteligência: sensoincomum.org/2021/04/08/quatro-estados-americanos-proibem-passaporte-de-vacinacao/


Geert Van der Bosche já avisou! Se mesmo assim eles querem insistir com isso mesmo com todos os avisos, então já deveriam considerar isso suicídio por parte de quem entrar nessa! Avisar pra salvar vidas é o que importa! Podia pegar tudo isso que disse ou fazer um resumo e distribuir panfletos por aí em caixas de correios! Se vão ler ou não é outra história!


Aí vem um zé porciúncola que diz que lutar contra o anti-cristo seria transitoriamente ser contra a volta de cristo! putz!

Olha na china como o cristianismo cresce mesmo com toda a opressão! Nunca é tarde pra lutar pra ser livre! Jesus não mandou esperar pra lutar pelo cristianismo! E pare de ir nessas igrejas que já estão todas subvertidas! Não passam de covardes! As cruzadas entre 500dc e 1500dc foram o quê? Eles não esperaram Jesus voltar pra serem livres! Diziam que já estava tudo acabado quando o império romano caiu e olha agora! Se fosse assim, tú já estaria falando alahu-akbar essa hora! Agradeça as cruzadas pois foram elas que possibilitou que você dissesse isso! Já chega de tanta indolência, falta de conhecimento e demonstração de covardia! Um dia serão cobrados por atitudes como essa! Aí quero ver!


Ele falou de tradição de família, não de que ele defende a família. Ele deve ter falado com relação às posturas de austeridade que os Ferreira Gomes tomaram no governo do Ceará.


Resposta convoluta e completamente sem sentido. Dado que farmacêutica quer dinheiro, ela vai vender pra quem pagar mais. Ela está defecando se é governo ou empresa. Vai pra quem pagar mais. Se empresas brasileiras se dispuseram a pagar mais que governos do resto do mundo, as farmacêuticas irão vender pra cá, e com muito boa vontade.

Escolha outra resposta para ao menos fingir coerência.



O que a esquerda quer é usar o SUS como trampolim para o estatismo socialista. Para isso, eles criam essas regras estúpidas, como se quisessem criar um monopólio da saúde. "Só o SUS deve mandar". Coisa mais ditatorial e antidemocrática impossível.

I ser humano tem direito à saúde, mas só aquela que o burocrata quer... assim se perde o direito aos tratamentos.

O próximo passo agora desses execráveis é proibir tratamentos de saúde fora do SUS. Assim eles conseguirão controle completo das pessoas.


Ressuscitou a bizarra tese da "obsolescência programada"? Inacreditável. Não aprenderam nada; não esqueceram de nada.

A questão da obsolescência programada - quanto tempo as coisas devem durar?


nessa linha de (falta) de raciocínio desses hipócritas, os planos de saúde e hospitais privados também deveriam ser proibidos... vamos todos morrer na fila ou nos corredores dos hospitais públicos, porque é "injusto" você se tratar em hospital particular enquanto outros não podem... o fim está próximo meus concidadãos... arrependam-se dos pecados e voltem à Deus...


Este site abaixo, é do Centro Nacional de Informações sobre Vacinas, orgão oficial do EUA, que informa sobre mortes e
sintomas após vacinação, ele é atualizado quase semanalmente.

medalerts.org/vaersdb/findfield.php?TABLE=ON&GROUP1=CAT&EVENTS=ON&VAX=COVID19


Um pouco longo, mas esclarece alguns "detalhes" sobre essa fraudemia............

Um lado que os ordinários da mídia, no braziu, não vão mostrar, porque será?

Dr. Mercola

www.mercola.com


"Vacinas" são terapia gênica.


À medida que as chamadas para a vacinação COVID-19 obrigatória crescem em todo o
mundo, está se tornando cada vez mais crucial entender o que essas injeções
realmente são. As "vacinas" de mRNA criadas pela Moderna e Pfizer são, na verdade,
terapias genéticas.

Como explicarei abaixo, simplesmente não há maneira de contornar isso, e os fabricantes de
medicamentos e as autoridades de saúde pública devem ser obrigados a admitir esse
fato. Porque? Porque faz toda a diferença do mundo. Você não pode exigir uma terapia
gênica contra COVID-19, assim como não pode forçar populações inteiras a se
submeterem à terapia gênica para um câncer que não têm e pelo qual podem nunca
estar em risco.

Curiosamente, a grande mídia, verificadores de fatos e vários grupos da frente da
indústria insistem que a alegação da terapia genética é falsa, embora cada detalhe sobre
as vacinas grite o contrário. Por que eles estão espalhando essa desinformação? Por que
eles não querem que você saiba o que realmente são essas injeções?

Em suma, eles sabem que rotulá-los como "terapias genéticas" seria como colocar um
rótulo de caveira e ossos cruzados neles. A maioria das pessoas tem bom senso
suficiente para perceber que a terapia genética é um jogo diferente de uma vacinação
regular e pode ser uma má ideia, especialmente para crianças e indivíduos mais jovens.
'Vacinas' de mRNA não atendem a nenhum dos critérios para uma vacina.

Para começar, vamos dar uma olhada em algumas definições básicas de palavras.
De acordo com os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças, uma vacina é:

"Um produto que estimula o sistema imunológico de uma pessoa a produzir
imunidade a uma doença específica, protegendo a pessoa dessa doença."

A imunidade, por sua vez, é definida como:

"Proteção contra uma doença infecciosa", significando que "Se você for imune a
uma doença, pode ser exposto a ela sem se infectar".

Essa é a definição médica. A definição jurídica, nos poucos casos em que foi detalhada, é
igualmente inequívoca:

Código de Iowa - "Vacina significa um antígeno especialmente preparado
administrado a uma pessoa com a finalidade de fornecer imunidade."

Código do estado de Washington - "Vacina significa uma preparação de um
microrganismo vivo morto ou atenuado, ou fração dele ..." O estatuto também
especifica que uma vacina "após a imunização estimula a imunidade que nos
protege contra a doença ..."

Essas definições, médicas e legais, apresentam problemas para "vacinas" de mRNA, uma
vez que:

As injeções de mRNA não conferem imunidade. A Moderna e a Pfizer admitem que
seus ensaios clínicos nem mesmo analisam a imunidade. Como tal, não cumprem a
definição médica e / ou legal de vacina.

Eles não inibem a transmissibilidade da infecção por SARS-CoV-2. Como tal, não
cumprem a definição médica e / ou legal de vacina.

Tentativa de dicionários para reescrever termos médicos

Não devemos ser enganados por tentativas de condicionar o público a aceitar termos redefinidos.
Em fevereiro de 2019, MerriamWebster definiu "vacina" como "uma preparação de microorganismos mortos,
organismos vivos atenuados ou organismos vivos totalmente virulentos que é administrada para
produzir ou aumentar artificialmente a imunidade a uma doença específica" Em 26 de fevereiro de 2021,
eles atualizaram a definição de "vacina" para:

"Uma preparação que é administrada (como por injeção) para estimular a resposta imunológica do corpo contra uma doença
infecciosa específica:

a: uma preparação antigênica de um agente patogênico tipicamente inativado ou
atenuado (como uma bactéria ou vírus) ou um de seus componentes ou produtos
(como uma proteína ou toxina).

b: uma preparação de material genético (como uma fita de RNA mensageiro
sintetizado) que é usado pelas células do corpo para produzir uma substância
antigênica (como um fragmento de proteína de pico de vírus) "

Vamos ser claros. Merriam-Webster não dita terminologia médica. Pode ser usado,
entretanto, para confundir as pessoas. Por enquanto, todos os dicionários médicos ainda
apresentam a definição tradicional de vacina, como o Merriam-Webster até este ano.
Dito isso, eu não ficaria surpreso se mudanças fossem feitas lá também, eventualmente,
se a deturpação das vacinas de mRNA de COVID-19 fosse mantida.

A terapia de mRNA não atende à diretiva de medidas de saúde pública
Há também a questão de saber se uma terapia genética pode ser obrigatória, e isso
pode depender de ela ser aceita como uma vacina. A decisão da Suprema Corte de 1905
em Jacobson v. Massachusetts estabeleceu essencialmente que o benefício coletivo
substitui o benefício individual.

Uma vez que as terapias de mRNA não tornam a pessoa imunizada imune e não inibem
a transmissão do vírus, elas não podem ser qualificadas como uma medida de saúde
pública capaz de fornecer benefício coletivo que substitua o risco individual e, portanto,
não podem ser obrigatórias.

Dito de outra forma, a decisão argumenta (embora os especialistas jurídicos divirjam em
alguns dos detalhes mais sutis de sua interpretação) que é aceitável que alguns
indivíduos sejam prejudicados por uma diretiva de saúde pública, desde que beneficie o
coletivo. No entanto, se a vacinação é uma medida de saúde pública destinada a
proteger e beneficiar o coletivo, então ela precisaria cumprir duas coisas:

1. Assegure-se de que a pessoa vacinada se tornou imune à doença.
2. Inibir a transmissão da doença da pessoa vacinada para outras pessoas.

Estamos agora de volta ao problema original de que as terapias de mRNA para COVID-19 não realizam nenhuma dessas coisas. Uma vez que essas terapias gênicas não tornam a pessoa imune e não inibem a transmissão do vírus, elas não podem ser qualificadas como uma medida de saúde pública capaz de fornecer benefício
coletivo que supere o risco individual.

Pelo contrário, o único que se beneficia de uma "vacina" de mRNA é o indivíduo que recebe a terapia gênica, uma vez que tudo o que eles são projetados para fazer é diminuir os sintomas clínicos associados à proteína S-1 pico.
Em outras palavras, eles não impedirão que você adoeça com SARS-CoV-2; eles só devem diminuir os sintomas da infecção se ou
quando você for infectado. Portanto, a vacinação só protege a si mesmo. Visto que você
é o único que obterá benefícios (sintomas menos graves de COVID-19 após a infecção),
a justificativa para aceitar os riscos da terapia "para o bem maior" de sua comunidade é flagrantemente irracional.

O marketing da terapia de mRNA como vacina viola a lei federal Uma vez que as "vacinas" de mRNA não atendem à definição médica e / ou legal de vacina, referir-se a elas como vacinas e comercializá-las como tal é uma prática
enganosa que viola a Seção 41 do Código 15 dos EUA da Lei da Comissão de Comércio
Federal, a lei que rege a publicidade de práticas médicas.
A falta de testes em humanos concluídos também coloca esses produtos de mRNA em desacordo com a seção 41 do código 15 dos EUA. Por esta lei, é ilegal anunciar "que um produto ou serviço pode prevenir, tratar ou curar doenças humanas, a menos
que você possua evidências científicas competentes e confiáveis, incluindo, quando
apropriado, estudos clínicos humanos bem controlados, comprovando que as alegações
são verdadeiras no momento em que são feitas. "
Aqui está o problema: o desfecho primário nos ensaios de "vacina" da COVID-19 não é um desfecho real de ensaio de vacina porque, novamente, os desfechos de ensaio de vacina têm a ver com imunidade e redução da transmissão. Nenhum deles foi medido.
Além do mais, os principais desfechos secundários no estudo da Moderna incluem a prevenção da doença COVID-19 grave (definida como necessidade de hospitalização) e a prevenção da infecção por SARS-CoV-2, independentemente dos sintomas. No
entanto, Moderna não mediu de fato a taxa de infecção, afirmando que era muito
"impraticável" fazê-lo.

Isso significa que não há evidências de que essa terapia genética tenha um impacto sobre a infecção,
para melhor ou para pior. E, se você não tiver nenhuma evidência, você não pode cumprir o requisito do Código dos EUA que afirma que você deve ter "evidências científicas competentes e confiáveis ... que comprovem que as alegações são
verdadeiras".
Para piorar as coisas, tanto a Pfizer quanto a Moderna estão agora eliminando seus grupos de controle, oferecendo a vacina real a todo e qualquer receptor de placebo que a deseje. Os estudos devem durar dois anos completos, mas com a eliminação do grupo de controle, a determinação da eficácia e dos riscos será quase impossível.

O que torna a terapia gênica das vacinas COVID?

Bem. Vamos passar para a definição de "terapia genética".
Conforme detalhado na página "What Is Gene Therapy" de MedlinePlus.gov:

"A terapia gênica é uma técnica experimental que usa genes para tratar ou prevenir
doenças… Os pesquisadores estão testando várias abordagens para a terapia gênica, incluindo:…
Introduzir um novo gene no corpo para ajudar a combater uma doença…
Embora a terapia genética seja uma opção de tratamento promissora para várias
doenças (incluindo doenças hereditárias, alguns tipos de câncer e certas infecções
virais), a técnica continua arriscada e ainda está em estudo para garantir que será
segura e eficaz. A terapia genética está sendo testada atualmente apenas para
doenças que não têm outra cura. "
Aqui, é importante notar que existem muitos tratamentos diferentes que se mostraram
muito eficazes contra o COVID-19 , portanto, certamente não se qualifica como uma
doença sem cura. Faz sentido que a terapia gênica seja restrita a doenças incuráveis, já
que esta é a única ocasião em que correr riscos drásticos pode ser justificado. Dito isso,
é assim que a Food and Drug Administration dos EUA define a terapia genética:
"A terapia gênica humana visa modificar ou manipular a expressão de um gene ou
alterar as propriedades biológicas de células vivas para uso terapêutico. A terapia
genética é uma técnica que modifica os genes de uma pessoa para tratar ou curar
doenças. As terapias gênicas podem funcionar por vários mecanismos:

• Substituir um gene causador de doença por uma cópia saudável do gene
• Inativar um gene causador de doença que não está funcionando corretamente
• Introduzir um gene novo ou modificado no corpo para ajudar a tratar uma doença
"
Em 17 de novembro de 2020, a Sociedade Americana de Terapia Gene + Celular
(ASGCT) anunciou "COVID-19 Vaccine Candidates Show Gene Therapy is a viável
Strategy", observando que:
"Dois ensaios da vacina COVID-19, ambos usando a tecnologia de RNA mensageiro
(ou mRNA) para ensinar o corpo a combater o vírus, relataram eficácia acima de 90
por cento.
Essas descobertas, anunciadas pela Moderna em 16 de novembro e pela Pfizer e seu
parceiro BioNTech em 9 de novembro ... demonstram que a terapia genética é uma
estratégia viável para o desenvolvimento de vacinas para combater o COVID-19.
Ambas as vacinas candidatas usam mRNA para programar as células de uma pessoa
para produzir muitas cópias de um fragmento do vírus. O fragmento então estimula
o sistema imunológico a atacar se o vírus real tentar invadir o corpo. "
mRNA entrega novas instruções genéticas.

Conforme explicado no vídeo do ASGCT acima, mRNA são moléculas que contêm
instruções genéticas para fazer várias proteínas. As "vacinas" de mRNA entregam uma
versão sintética de mRNA em suas células que carregam a instrução para produzir a
proteína spike SARS-CoV-2, o antígeno, que então ativa seu sistema imunológico para
produzir anticorpos. Depois, há o site de teste da Moderna, onde eles descrevem sua
tecnologia da seguinte forma:

"As vacinas típicas para vírus são feitas de um vírus enfraquecido ou inativo, mas o mRNA-1273 não é feito do vírus SARS-CoV-2. É feito de ácido ribonucléico mensageiro (mRNA), um código genético que diz às células como fazer proteínas, que ajudam o sistema imunológico do corpo a produzir anticorpos para combater o vírus. "
18 de novembro de 2020, a revista Wired fez um grande alarde sobre as vacinas COVID19 serem "vacinas genéticas", observando:

"O ingrediente ativo dentro da injeção é o mRNA - cadeias móveis de código
genético que contêm os projetos de proteínas. As células usam mRNA para obter
essas especificações do armazenamento rígido de DNA e colocá-las em suas fábricas
de produção de proteínas. O mRNA dentro da vacina da Pfizer e da BioNTech
direciona todas as células que alcança para executar um programa de construção de
pico de coronavírus ".

É importante ressaltar que, conforme relatado por David Martin, Ph.D.,

"Moderna… descreve seu produto não como uma vacina, mas como 'tecnologia de terapia genética' nos arquivos da SEC. Isso ocorre porque nem a Moderna nem a Pfizer fazem qualquer reclamação sobre seus produtos criando imunidade ou prevenindo a
transmissão. " Além disso, os arquivos SEC da Moderna declaram especificamente que "Atualmente, o mRNA é considerado um produto de terapia genética pelo FDA," também.

mRNA é 'forma comprovada de terapia gênica'

Em um artigo de fevereiro de 2021, a MIT Technology Review revisou a história da
tecnologia de mRNA em geral, e da Moderna em particular, afirmando:
"As vacinas não eram o foco. Na fundação da empresa em 2010, seus líderes
imaginaram que poderiam ser capazes de usar o RNA para substituir as proteínas
injetadas que compõem a maior parte da farmacopéia biotecnológica,
essencialmente produzindo drogas dentro das próprias células do paciente a partir
de um projeto de RNA. 'Estávamos perguntando, poderíamos transformar um
humano em um biorreator?' diz Noubar Afeyan, o cofundador da empresa ... "
Bloomberg, em agosto de 2020, relatou que a vacina Moderna buscaria transformar
seu corpo em "uma máquina de fazer vacinas". O New York Times foi mais direto ao
ponto. Em maio de 2020, eles relataram que "pesquisadores de dois hospitais
afiliados a Harvard estão adaptando uma forma comprovada de terapia genética para
desenvolver uma vacina contra o coronavírus". Leia novamente - uma forma comprovada
de terapia genética.
Então, para resumir: a definição de "genético" é algo relacionado aos genes, e a
definição de "terapia" é o tratamento médico de uma doença. A definição de "terapia
gênica" é o processo de modificar ou manipular a expressão de um gene, ou alterar as
propriedades biológicas de células vivas.
mRNA são fragmentos de código genético que instruem as células a produzir proteínas.
As terapias de mRNA COVID-19 "entregam instruções genéticas às suas células",
fazendo com que seu corpo produza um fragmento do vírus (a proteína do pico).
Portanto, as vacinas de mRNA SÃO terapia genética. Simplesmente não há maneira de
contornar isso. Eles cumprem todas as definições de terapia genética e nenhuma das
definições de vacina.

Definindo 'COVID-19'

Há ainda mais um problema potencial com a narrativa da "vacina COVID-19" como um
todo, que Martin revelou em uma entrevista de 25 de janeiro de 2021 no podcast Wise
Traditions (acima). Nele, ele explica:
"COVID-19 não é uma doença. É uma série de sintomas clínicos. É um guarda-chuva
gigante de coisas associadas ao que costumava ser associado à gripe e a outras doenças febris.

O problema que temos é que em fevereiro [2020], a Organização Mundial da Saúde
foi clara ao afirmar que não deveria haver uma conflação entre [SARS-CoV-2 e
COVID-19]. Um é um vírus, em sua definição, e o outro é um conjunto de sintomas
clínicos. A ilusão em fevereiro era que o SARS-CoV-2 causava o COVID-19.
O problema com essa definição, e com a expectativa, é que a maioria das pessoas
com teste positivo pelo método RT-PCR para teste de fragmentos do que está
associado ao SARS-CoV-2 não está doente. A ilusão de que o vírus causa uma
doença se desfez. Essa é a razão pela qual eles inventaram o termo portador assintomático. "

Resumindo, o SARS-CoV-2 ainda não foi definitivamente provado ser a causa real do
COVID-19. Portanto, uma terapia genética que instrui seu corpo a produzir um antígeno
SARS-CoV-2 - a proteína viral spike - não pode nem mesmo ser apontada como um
preventivo contra COVID-19, já que os dois não mostraram estar causalmente ligados.
"Eles têm mentido deliberadamente desde o início disso", disse Martin na entrevista.
"Não existe um nexo causal entre essas coisas ... Nunca esteve nem perto de ser estabelecido.

Temos uma situação em que a ilusão do problema é que as pessoas dizem: 'Não
quero obter COVID-19.' O que eles querem dizer é que não querem ser infectados
por um vírus. O problema é que essas duas coisas não estão relacionadas entre si.
Uma infecção viral não foi documentada na maioria dos chamados casos.
Não há base para essa fusão a não ser a manipulação do público. Essa é a primeira
metade do problema. A segunda metade do problema é que o que está sendo
anunciado como uma vacinação ... não é uma vacina. Isso é terapia genética ...
O que isso está fazendo? Ele está enviando uma fita de RNA sintético para o ser
humano e invocando dentro do ser humano, a criação da proteína spike S1, que é
um patógeno ... Supõe-se que uma vacina desencadeia imunidade. Não é para
acionar você a produzir uma toxina ...
Não é um pouco diferente. Não é a mesma coisa ... Não é uma infecção proibitiva.
Não é um dispositivo de transmissão de proibição. É um meio pelo qual seu corpo é
convocado para produzir a toxina com a qual, supostamente, seu corpo se acostuma
de alguma forma a lidar, mas ao contrário de uma vacina - que é para desencadear
a resposta imunológica - é para desencadear a criação da toxina. "

Por que a deturpação?

Quanto ao motivo pelo qual as empresas farmacêuticas estão deturpando essa
tecnologia, Martin suspeita que "isso é feito exclusivamente para que possam se colocar
sob o guarda-chuva das leis de saúde pública que exploram a vacinação".
As terapias gênicas experimentais não têm proteção de responsabilidade financeira do
governo, mas as vacinas pandêmicas sim, mesmo em estágio experimental, desde que a
autorização de uso emergencial esteja em vigor. Este é realmente um grande incentivo
para garantir que essa tecnologia seja percebida como uma vacina e nada mais.
Assim, mantendo a ilusão de que COVID-19 é um estado de emergência, quando na
realidade não é, os líderes governamentais estão fornecendo cobertura para essas
empresas de terapia genética de forma que elas fiquem isoladas de qualquer
responsabilidade.

Terapia gênica experimental é uma má ideia

Escrevi muitos artigos detalhando os efeitos colaterais potenciais e esperados dessas
"vacinas" de terapia genética. Se tudo isso é novo para você, considere revisar " Como a
vacina COVID-19 pode destruir seu sistema imunológico ", " Idosos morrendo após a
vacina COVID rotulada como causas naturais " e " Efeitos colaterais e lacunas de dados
levantam questões sobre a vacina COVID ."
A mensagem para levar para casa aqui é que essas injeções não são vacinas. Eles não
previnem a infecção, não o tornam imune e não evitam a transmissão da doença. Em
vez disso, eles alteram seu código genético, transformando você em uma fábrica de
proteínas virais que não tem botão de desligar. O que está acontecendo aqui é uma
fraude médica de magnitude sem precedentes e realmente precisa ser interrompida
antes que seja tarde demais para a maioria das pessoas.



Farmacêuticas não odeiam dinheiro, tanto que é uns dos negócios mais lucrativos do mundo.

O interesse econômico das farmacêuticas é outro, não faz sentido elas venderem vacinas para uma empresa específica de um país que já existe acordo de vacinação quando essas mesmas doses podem ser usadas em outro país que não possuem o suficiente e acordo através de órgãos internacionais. Isso vai acabar estimulando a aceleração econômica desse país que é bem mais vantajoso ao restante do mundo do que um grupo seleto de um país X que vai usar suas doses ao menos afetados clinicamente.

Lembrando também que esse tipo medida se não é bem aplicada pode causar desigualdades.


Esqueça que essa ideia de acabar com o consumo de carne partiu da cabeça mononeural dele. Ele só posta aquilo que a assessoria de imprensa dele o manda dizer. Se vocês observarem, já existe um alinhamento entre todos os grandes conglomerados frigoríficos do planeta em restringir o consumo de carne, especialmente entre os mais pobres. Li esses tempos que a Minerva Foods vai focar em carne vegetal e carne sintética e, assim como a JBS, focar em carne animal para consumidores mais específicos (ou seja, quem tem dinheiro pra pagar 60 reais no kg do contrafilé Angus); aliado a isso, diversas regulações estatais têm restringido a atividade de pequenos frigoríficos e açougues, que vendem carne "a granel". No interior ainda é muito comum as famílias comprarem os quartos bovinos em porta de fazenda e estocar carne, a um custo muito mais baixo. Já nos grandes centros, essa prática tem cada vez mais sucumbido e o preço da carne tem só aumentado, devido a tantas regulações (aplaudidas pelos grandes conglomerados de carne).


Vacinação não está rápida, vacinação não se mede em números absolutos e sim em números de proporção. O resultado da vacinação é exposta no número de mortos, que o Brasil atingiu uma média diária de 2500 pessoas. Testagem é uma coisa, testagem em massa é outra, meu pai diabético de 63 anos não conseguiu teste no posto de saúde com argumento que não tomava insulina, pagamos R$ 200 na rede particular.

A testagem em massa é o melhor método para o mapeamento da situação, coisa se tivesse sida aplicada em Manaus poderia salvar o Brasil da variante P1.

Outra coisa que nunca existiu isolamento, as taxas de isolamento são no mínimo 70% para ter um tipo eficácia, em grandes capitais o índice não chegou a 60%. Continuo a afirmar que o problema é econômico.

A primeira rodada do auxílio emergencial alcançou até aluno recém formado do ensino médio que nunca contribuiu para previdência, hoje querem pagar um auxílio que equivale a U$ 28. A ONU define pobreza quem vive com menos de U$ 1,90, uma conta básica de 1,90 x 30 = 57, ou seja, você vive na linha da pobreza.

O resultado é esse, todos na rua trabalhando e disseminando o vírus para não passar necessidade em casa, fruto de uma desigualdade que é promovida pelo Estado em geral. Não adianta liberar tudo quando o próprio Estado não consegue fornecer um kit de entubação.