clube   |   doar   |   idiomas
Grupos de estudos de Escola Austríaca
O atual estágio do ensino de economia e ciências sociais no Brasil é desolador.  O keynesianismo e o marxismo são dominantes.  Nas ciências sociais, abilolados conceitos marxistas, como o "valor-trabalho" e a "mais-valia" — e a inevitável "teoria de exploração", que é derivada destes dois primeiros — permeiam todas as disciplinas, as quais condenam o livre mercado de trocas voluntárias e fazem apologia ao estado, que é visto como uma instituição benevolente e essencial para reparar injustiças sociais. 

Na economia, todos os dias, milhares de alunos vão para as salas de aulas perder preciosas horas de sua vida ouvindo "professores" keynesianos ensinarem teorias que não fazem o mínimo sentido, e que mais se parecem com propagandas soviéticas que exortam o dirigismo estatal da economia.  Todas essas teorias já totalmente refutadas pelos economistas da Escola Austríaca de Economia. 

A maioria dos alunos aceita passivamente estes "ensinamentos" e conclui suas formações sabendo literalmente menos do que sabiam quando ingressaram no curso, já que as teorias aprendidas desvirtuam — e esse é justamente o objetivo — até mesmo o bom senso mínimo necessário para rejeitar todo o besteirol acadêmico.

Mas alguns alunos percebem que há algo de muito errado em tudo isso, e correm atrás de respostas que sejam ao menos condizentes com a lógica. Muitos desses alunos acabam encontrando a Escola Austríaca por meio de sites como o do Mises Brasil e outros. 

Um fenômeno interessante é que estes estudantes organizam por conta própria palestras sobre a Escola Austríaca em suas faculdades, e o Mises Brasil já está tendo dificuldades em atender a todos os pedidos que recebe para enviar membros e acadêmicos ligados ao Instituto para palestrar.  Embora o conteúdo disponível seja o suficiente para uma sólida formação autodidata — agora complementada pelos cursos on-line —, há uma carência por uma forma sistemática de estudo.

estudantes_liberdade.jpegNa completa ausência de um curso superior austríaco, o Mises Brasil, em conjunto com o Estudantes Pela Liberdade, está agora oferecendo uma parceria a esses bravos alunos que não estão apenas atrás de um diploma, pois também querem realmente aprender.  Grupos de estudos de Escola Austríaca que se formarem com um mínimo de membros e planejamento, receberão guias, apostilas e livros. Para dar início à parceria após a formação de um grupo, preencha as informações abaixo.




autor


CATEGORIA
  
POST POR DATA
comentários (48)

  • Cristiano  16/04/2013 21:44
    A internet quebrando mais um paradigma. A forma de aprendizado e educação está sendo rapidamente modificada.
  • Andre  09/05/2013 01:28
    Caros,

    Gostaria de compartilhar o seguinte post sobre um modelo de crescimento para o Brasil baseado em capital, talento e instituições (CTI): omeioeosi.wordpress.com/2013/05/07/brasil-no-modelo-c-t-i/

    Acredito que possa gerar discussões interessantes.

    Atenciosamente,
    André
  • Igor  16/04/2013 23:14
    Não tenho disponibilidade para organizar um grupo, mas gostaria sim, e muito, de participar de um. Estou meio perdido no meio dos keynesianos/estatistas/comunistas... e não sei por onde começar. Parabéns ao IMB :)
  • Fabiano  17/04/2013 15:45
    Não tenho disponibilidade para organizar um grupo, mas gostaria sim, e muito, de participar de um. [2]
  • Gabriel Mury  17/04/2013 18:07
    Não tenho disponibilidade para organizar um grupo, mas gostaria sim, e muito, de participar de um. [3]
  • Henrique Mareze  17/04/2013 18:39
    Não tenho disponibilidade para organizar um grupo, mas gostaria sim, e muito, de participar de um. [4]
  • Jeferson  17/04/2013 21:30
    Poderíamos organizar um grupo num fórum de internet. Só precisaríamos de infraestrutura e iniciativa pra isso.

    Eu mesmo sempre senti falta de um lugar em que pudesse debater com outras pessoas idéias austríacas sobre a conjuntura econômica atual do Brasil e do mundo, como ocorre em universidades (porém com teorias keynesianas e/ou monetaristas). Com certeza isso ajudaria muito na dispersão e consolidação desse conhecimento. Se o IMB apoiasse nisso de alguma maneira, seria grandioso.
  • Alexandre M. R. Filho  30/04/2013 17:01
    Tem no FB ué!
  • Rodrigo  05/05/2013 18:51
    Eu também gostaria de participar de algo assim,não conheço ninguém assim,sou de Fortaleza-CE e adoraria participar,debater com pessoas com as mesmas afinidades.Obrigadooo
  • Rafael Hotz  17/04/2013 00:02
    O próximo passo será dado quando o instituto tiver condições de criar uma espécie de prova certificadora em economia. Assim os interessados em aprender economia podem se preparar e mostrar que realmente aprenderam perante o mercado de trabalho.

    Vejo que isso seria possível ser testado agindo em conjunto com instituições como Anbima e Apimec, criando um banco de questões para o conteúdo de economia dos exames CGA e CNPI.
  • Filipe Celeti  18/04/2013 17:46
    Essa ideia é fantástica Rafael!
  • Paulo Flavio de Andrade  17/04/2013 10:39
    Dos diversos seminários que participei, e das insistentes conversas com os acadêmicos das áreas das humanas chego a uma impressão: A tradição liberal no Brasil é desconhecida ou ignorada.
    Enquanto acadêmico de Ciências Sociais, sinto na pele essa impressão.
    Quando me anuncio como liberal, duas são as reações: a) primeiro o susto, afinal, nas academias brasileiras fazer ciências sociais e ser socialista é uma e a mesma coisa; b) tenho que ficar me justificando, e tentando (em vão) dizer que não sou mau, não quero fuder com todo mundo, não tenho o menor desejo de ficar sacaneando com as pessoas.
    Em resumo, não consigo fazer qualquer debate, em alto nível, sobre o pensamento liberal.
    Já me conformei... se desejo discutir sobre o pensamento liberal, o farei apenas com os livros...
  • Ricardo  17/04/2013 13:51
    Também não tenho um grupo ou pessoas próximas interessadas,porém gostaria imensamente
    de participar. Se houver a possibilidade, quais procedimentos para este intento.
  • Daniel Marchi  17/04/2013 20:01
    Brasília, presente.

    escolaaustriacadf.blogspot.com.br
  • Antonio Galdiano  19/04/2013 16:05
    Alenta a alma saber que em Brasília tem algo que preste.

    A última de Brasília que vi foi um grupo circense de ex-alunos da UNB que veio à FEA-RP fazendo uma apresentação (interrompendo aula por aula, obviamente) com gracejos (e outras imbecilidades) praguejando contra a "mercantilização do ensino".
    Ao final da apresentação, o grupo agradeçeu por ter "roubado o nosso tempo" (palavras do grupo), se identificou como um grupo de ex-alunos da UNB cujo nome do grupo era ladrões de não sei o quê (ou algo do tipo) e pediu dinheiro.
    Imediatamente disse em bom tom: "Já estou saturado de ladrões de Brasília", e saí da sala para ir tomar água.
    É cada uma que me aparece daí ein!!! Deve ser um dos lugares mais inabitáveis da civilização ocidental.


    O artigo de vocês (se me lembro, inclusive, era uma tradução) sobre "praxeologia ganha nobel em psicologia" (ou algo do tipo) foi realmente magnífico.

    Seria interessante, conforme as coisas forem evoluindo, integração dos grupos de estudo através de conferências e vídeo-conferências. Um dia isso poderá evoluir até mesmo para participações internacionais.

  • Marcelo L.  17/04/2013 22:37
    Não conheço ninguém por perto que estude ou sequer conheça a Escola Austríaca.

    Vocês poderiam divulgar os grupos, na medida em que eles forem surgindo, por cidade. O que acham? Assim fica mais fácil para ingressar em um. Fica a sugestão. Aposto que tem muita gente na minha situação, já que a maioria conheceu a EA pelo site. Mas a iniciativa é ótima, antes que eu esqueça de elogiar. PARABÉNS!
  • david  19/04/2013 14:56
    Não é um grupo de estudos, pelo menos por enquanto, mas quem se interessar em ler artigos libertários sobre arquitetura e urbanismo, mais especificamente sobre economia espacial, estamos traduzindo e publicando artigos sobre o tema aqui: arquiteturadaliberdade.wordpress.com/

  • Rafael  19/04/2013 16:48
    Tem o Rendering Freedom também.
  • Bruno D  23/04/2013 01:17
    Muito interessante Rafel, li rápido a página sobre brasilia e bem, parece ser a primeira coisa que li na internet em 200 anos, o Mises apesar de lançar vários artigos sobre as falácias de politicas públicas sobre economia, inflação etc. Tem algumas sobre outros temas importantes como desarmamento e apenas uma sobre politicas públicas para projetos e obras civis por exemplo explicitando sobre o caso do trem bala no brasil(muito interesante o artigo fala historicamente como as ferrovias nos EUA se desenvolveram).
    Sou engenheiro e frequento o Skycripecity por ser um fórum de discussão e não de artigos vejo muitos foristas(como gostam de serem chamados os usuários que postam comentários) totalmente a favor do planejamento estratégico estatal. Quando falam de empresário só faltam xingar a mãe do sujeito.
    Muito me preucupa isso pois no RJ estamos tendo uma pilha de obras financiadas com dinheiro público e as tão temidas PPP (Parcerias Público-Privadas).

    O Rendering Freedon vai de encontro a isso?

    Parece que vou poder finalmente e graças a Deus abandonar o Skycriper...

    Se a palestra sobre favelização(Planejamento, Regulação e Favelização) fosse aqui no rj e não na FAU-USP.. seria um prato cheio.

    Att
  • Rafael  23/04/2013 03:18
    Sim, eu já abandonei esses fóruns esquerdistas faz tempo, é perda de tempo...

    O Rendering Freedom é do arquiteto Anthony Ling, ele têm bons artigos sobre o tema aqui no Mises.

    Aqui em SC eu também sinto falta de palestras como essa.
  • Danielbg  23/04/2013 12:06
    Rafael, vc é de qual lugar de SC?
  • Rafael  23/04/2013 12:49
    Florianópolis
  • Danielbg  23/04/2013 13:03
    Sou de Joinville, seria interessante um grupo por estas bandas!
  • Alexandre M. R. Filho  29/04/2013 16:39
    Aqui em Criciúma acabamos de criar um grupo de estudos na Unesc. O negócio é difundir as idéias em SC, molecada. O estado é tido como um lugar de pouca interferência estatal, mas isso é lenda.
  • Cauê Bleil  24/09/2019 19:03
    Tenho interesse e formar um grupo libertário aqui em SC, tenho noção em desenvolvimento de sites, programação e banco de dados para caso for necessário. Caso alguém tenha interesse entre em contato comigo por esse e-mail: caue.bleil@gmail.com ou por esse contato: (47)99605-8459
  • Bruno D  29/04/2013 17:28
    Aqui no RJ também, está tudo vamos dizer assim: recomeçando..
  • Eduardo  22/04/2013 22:43
    Gostaria muito de participar do Grupo de Estudos. Porém, venho me valendo dos ensinamentos da Escola Austríaca faz pouco tempo, de modo que não me vejo habilitado, pelo menos neste momento, a comandar o grupo de estudos.

    Seria interessante que informassem como seria o funcionamento dos encontros, pois do conhecimento que tenho dos grupos de estudos na minha área de atuação - direito - o organizador é quem toma a iniciativa das atividades (normalmente indica-se algum livro para leitura e nos encontros debate-se sobre o seu conteúdo). Por isso minha indagação sobre o procedimento a ser aplicado.

    Acredito que para mim o tempo não será um empecilho, mas sim achar pessoas para formarem o grupo.


  • Danielbg  23/04/2013 02:15
    Pq não criar um fórum aqui neste mesmo site?
  • Melanie Schwartz  23/04/2013 11:52
    Fui ao debate em Brasília na Livraria Cultura no dia 20 de abril de 2013. Fiquei muito admirada com o número de espectadores. Imaginei que a sala fosse ficar praticamente vazia por três motivos: economia é um tema chato, EA representa um pequeno grupo entre as escolas de pensamento econômico e Brasília deve ter muita gente pouco entusiasmada com as ideias austríacas. Achei muito legal quando vi que a sala estava bem povoada. Eu mandei um e-mail para todos os colegas de trabalho, mas nenhum compareceu, infelizmente.

    Espero que esses grupos de estudo e divulgação continuem crescendo. Vai ser difícil quebrar o paradigma, mas acho que a EA tem todas as ferramentas necessárias para atrair cada vez mais seguidores.

    Se tiver algum grupo formado em Brasília, eu gostaria de participar. Especialmente, se for um grupo que pretende usar o conhecimento econômico de forma mais prática (consultoria de empresas, aplicações financeiras, etc.). Senti muito falta disso durante o curso de graduação.
  • Leandro  23/04/2013 12:50
    Melanie, você deveria ter se apresentado a nós.
  • Flaco Marques  24/04/2013 18:35
    Também sinto falta de um debate de economia brasileira sobre a perspectiva austríaca. Os poucos trabalhos dos nossos bravos cientistas se concentram especialmente em teoria (ciclos, moeda, etc). Contudo, existe um vácuo altamente explorável no tocante a conjuntura brasileira.

    Gostaria de formar um grupo com o objetivo simplesmente de estudar grandes "obras". De cabo a rabo, discutindo, entendendo. Assim como FHC, Francisco de Oliveira, Ruth Cardoso e outros, se reuniam semanalmente para se debruçar sobre "O Capital".

    Essa estratégia é boa, não só para entender melhor a teoria, mas cultivar lideranças (intelectuais e políticas) na escola austríaca brasileira.
  • Gilda  28/04/2013 01:18
    Uma verdadeira 'divina providência'. Ótima iniciativa da ILMB, Fernando!
  • JonatasMand  30/04/2013 16:37
    O grupo precisa, necessariamente, ser presencial ou pode ser na forma de grupo online?

  • HL  03/05/2013 17:18
    Até gosto muito dos conceitos de economia, mas como estudante de pedagogia fica difícil viabilizar um grupo de estudos da escola austríaca na minha área. Seria mais interessante autores mais teóricos e não econometrias.
  • Flaco Marques  03/05/2013 18:03
    Poxa HL, mas a escola austríaca está bem longe das econometrias. Há quem considere "Ação Humana" um tratado sociológico. E o subjetivismo metodológico dos austríacos os afasta ainda mais da ortodoxia formalmente matematizada.
  • Junior  03/05/2013 19:50
    Estudei e me formei na década de 90 em Ciencias Economicas na Ufpr.
    Confesso que nao fui dos alunos mais aplicados porem uma coisa é fato durante meu curso recebi muita informacao sobre Marx e Keynes. Tive duas ou tres disciplinas que o ano inteiro foi praticamente Marx. somente depois que sai da faculdade fiquei conhecendo outras teorias ou doutrinas economicas. em relacao a escola austriaca durante o curso no maximo foi mencionada que existiu sequer foi aprofundado o estudo. portanto é fato que o conteudo programático do curso é orientado ideologicamente, o que é uma pena

  • Blah  03/05/2013 20:18
    Aposto que indicou no máximo uma obra de um desses autores: Mises, Hayek, Rothbard, Böhm-Bawerk. Nenhum professor indicou os autores que simplesmente destruíram a teoria econômica marxista.
    E ninguém indicou "Failure of New Economics", de Henry Hazlitt, que é uma refutação linha a linha da "Teoria Geral do Trabalho..." de Keynes.
    Resumindo: você passou anos estudando autores cujas teorias foram refutadas e demolidas há muito tempo :)
  • Anarcofóbico  06/05/2013 00:05
    Pq a demora pra criar uma aba "Fórum" aí em cima, meu Deus??!
  • Neto  06/05/2013 10:37
    'Pq a demora pra criar uma aba "Fórum" aí em cima, meu Deus??!' [2]
  • Arthur Dias  06/05/2013 14:59
    'Pq a demora pra criar uma aba "Fórum" aí em cima, meu Deus??!' [3]
  • Rodolfo  10/05/2013 05:36
    'Pq a demora pra criar uma aba "Fórum" aí em cima, meu Deus??!' [4]
  • João Nascimento Pires  19/07/2013 22:25
    Infelizmente não há ninguem aqui que estude sobre a escola austriaca em goiania pelo menos não que eu saiba
  • Juno  19/07/2013 23:56
    Há um núcleo do Estudantes pela Liberdade em Goiás, pode ser uma boa opção:
    https://www.facebook.com/epl.go
  • Victor Inácio   18/12/2013 01:25
    Também gostaria bastante de participar de algum dos grupos
  • JonatasMand  13/05/2014 17:24
    A ideia foi concretizada? Os grupos de estudos foram montados? Sou aqui de SP/Capital e gostaria de saber se há algum grupo se reunindo nos moldes propostos. Sou formado em economia pelo Mackenzie e tive contato com a EA apenas pelo Mises.org e leituras indicadas.
  • Juno  13/05/2014 23:33
    Você poderia ver com o núcleo do Estudantes pela Liberdade da sua cidade se há algum grupo de estudos em atividade:

    https://www.facebook.com/epl.sp
  • aspone  13/05/2014 18:42
    Acho que não. Montamos um por aqui e não foi pra frente... Nunca recebemos material do IMB nem do EPL. Não que isso seja um problema muito grande, já uqe há grupos de sucesso que tb não receberam nada...
  • JonatasMand  16/05/2014 16:46
    Sim. Conheço o núcleo, mas não gostaria de nada associado a grupos maiores. Até pensei (penso) em organizar um aqui em SP/SP, mas meus conhecimentos não são sólidos.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.

Curso Online: Economia para não economistas

Por Equipe IMB - 05/09/2019

A organização do roubo

Por Helio Beltrão - 29/08/2019

/ palavra do presidente

Trump, o câmbio e a volta da guerra fria

Por Helio Beltrão - 24/08/2019

Cavalgaduras keynesianas

Por Helio Beltrão - 21/08/2019