Mises Brasil Instituto Ludwig von Mises Brasil
http://www.mises.org.br


As chances do impeachment diminuíram; mas também aumentaram
por Helio Beltrão, sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

A chance do processo de impeachment avançar piorou com a "golpeada" dada pelo Supremo. Paradoxalmente, no entanto, a chance de a presidente cair em até 18 meses aumentou.

Um governante só pode se sustentar no poder com o apoio de uma maioria qualificada que o defenda e que contenha os ânimos da população contra as mazelas sociais, como desemprego e inflação. Esta maioria qualificada é formada pelas elites empresarial, intelectual, burocrática, midiática, religiosa, militar e outras. 

Estas elites, quando perdem poder ou recursos, especialmente em benefício da elite que toca o regime, tendem a reagir.

O apoio que a presidente tinha até o último ano do primeiro mandato era considerável. Desde então, a deterioração caminha a passos largos. Muitos dos que a apoiavam vocalmente agora estão quietos. E muitos dos que estavam quietos estão agora vocalizando sua insatisfação com as políticas do governo e com a presidente.

O processo de deterioração do apoio pelas elites não cessará pela eventual interrupção do processo de impeachment no Congresso.

Prevejo que a 'sorte' ficará contra a presidente nos próximos 18 meses. É como o que ocorre quando há uma pessoa com quem você trabalha e com a qual você não se dá. Parece que todos os dias a pessoa comete um novo erro. Os fatos conspiram contra a pessoa.

Portanto, fatos novos serão amplificados e a interpretação dada pela mídia e pelas redes sociais será usualmente a de atribuir cada vez mais culpa, corretamente, às políticas públicas dos últimos 5 anos.

O fim deste processo não é difícil de prever.