clube   |   doar   |   idiomas
O governo cubano e as regras do “Mais Médicos” explicitam a natureza exploradora do socialismo
Socialistas são muito mais gananciosos e exploradores do que o mais inescrupuloso capitalista

Sejamos diretos: o programa "Mais Médicos", lançado em 2013 por Dilma Rousseff, foi, na realidade, uma genial criação da ditadura cubana.

Visto por todos como 'humanitário', o programa nada mais era do que uma fachada utilizada pelo regime socialista para aumentar suas receitas e, consequentemente, solidificar ainda mais seu poder. Em outras palavras, uma ditadura criou um esquema por meio do qual aumentava seu poder e sua riqueza ao mesmo tempo em que recebia aplausos mundiais.

Rotulada de "diplomacia dos doutores", eis como o esquema realmente funcionava:

1) O governo cubano enviava, temporariamente, profissionais médicos para o Brasil com o declarado objetivo de atender os mais pobres das áreas afastadas do país.

2) Em troca, o governo brasileiro pagava os salários destes médicos enviando o dinheiro para a Organização Pan-Americana de Saúde - OPAS (um braço da Organização Mundial da Saúde).

3) Ato contínuo, a OPAS depositava o dinheiro diretamente na conta-bancária do governo cubano.

4) O governo cubano então retinha até 75% deste valor e, só então, repassava os 25% restantes aos médicos cubanos.

5) Mas a coisa pode ser ainda pior: destes 25%, o governo cubano retém mais 60%, o que deixa o médico cubano com apenas 10% do valor originalmente depositado nas contas do governo cubano. Cuba alega que este valor adicional confiscado (60% de 25%) está guardado em uma conta bancária em Cuba. Só que, como não há qualquer controle sobre isso, é bem provável que o regime embolse também esta fatia.

6) Em números atualizados, sabe-se que, por meio deste arranjo, o governo brasileiro já repassou nada menos do que R$ 3,2 bilhões de reais diretamente à ditadura cubana.

7) A cifra é superior aos R$ 2,5 bilhões que o BNDES emprestou para obras do Porto de Mariel (R$ 2,4 bilhões), aeroporto de Havana (R$ 525 milhões) e para construção de fábricas locais (56 milhões).

8) O valor total desembolsado pelo governo brasileiro foi de R$ 6 bilhões. Segundo relatório do TCU, tal valor dava para formar 52.413 novos médicos brasileiros para serviço permanente (quase cinco vezes o número de profissionais importados de Cuba para atuação temporária). Ou então construir 14.068 Unidades Básicas de Saúde em municípios menores (quase 3 UBS para cada cidade). Ou construir 1 UBS para cada município e ainda usar o restante do dinheiro para formar cinco novos médicos para cada uma dessas unidades.

9) Ou seja, se a intenção do governo brasileiro fosse realmente melhorar a saúde, o dispêndio total direcionado ao programa Mais Médicos traria muito mais retorno (melhorias permanentes em vez de meramente paliativas) caso fosse investido aqui mesmo.

Reféns e escravos

Mão-de-obra estrangeira, que vem para trabalhar livremente, é sempre bem-vinda, independentemente de sua nacionalidade. Por outro lado, mão-de-obra estrangeira que é utilizada como fachada para sustentar regimes ditatoriais e homicidas é algo ética e moralmente intolerável. Se 75% do dinheiro utilizado para financiar essa mão-de-obra é desviado para sustentar uma ditadura homicida, então o programa nada mais é do que uma fachada para bancar a boa vida de tiranos.

Mas tudo piora.

Se essa mão-de-obra não tem nem sequer o direito de escolher como quer trabalhar, e se sua família é mantida como refém no país de origem, então o programa é escravagista e chantagista. 

"Você é treinado em Cuba e nossa educação é gratuita. A saúde é gratuita, mas a que preço? Você acaba pagando por ela pelo restante de sua vida". Essas foram as palavras da doutora Yaili Jiménez Gutierrez, uma das médicas enviadas por Cuba, um uma reportagem do jornal The New York Times (que não pode nem remotamente ser acusado de direitista ou reacionário).

Prossegue a doutora:

É quando você sai de Cuba pela primeira vez que você então descobre várias coisas que sempre foi proibido de ver. E aí chega um ponto em que você se cansa de ser um escravo.

Segundo a reportagem, os médicos cubanos, tão logo chegaram ao Brasil, começaram a notar a disparidade salarial e de tratamento não apenas em relação aos médicos brasileiros, mas também em relação aos outros médicos estrangeiros que participavam do programa. Além de os salários dos médicos brasileiros e estrangeiros no Brasil serem quatro vezes maiores que os seus, as liberdades civis e econômicas deles eram inacreditáveis para os padrões cubanos.

"Começamos a ver como as condições dos outros médicos eram totalmente diferentes", explicou a doutora Jiménez. "Eles podiam ficar com suas famílias, trazer seus filhos, morar com eles. E os salários eram muito maiores".

Não demorou muito, e vários cubanos começaram a se rebelar. Até 2017, mais de 150 médicos cubanos já haviam entrado com processos nos tribunais brasileiros exigindo igualdade de proteção e pedindo que possam permanecer no Brasil como terceirizados independentes, podendo assim manter todo o seu salário.

O The New York Times resumiu assim a situação:

As sementes da rebelião foram plantadas um ano atrás em uma conversa entre um médico cubano e um sacerdote em um remoto vilarejo no nordeste brasileiro.

Anis Deli Grana de Carvalho, uma médica de Cuba, estava terminando seu período de três anos no Brasil. Porém, tendo se casado com um brasileiro, ele queria permanecer no país e continuar trabalhando. O pastor ficou revoltado ao descobrir que, sob os termos do seu contrato, os médicos cubanos podiam ficar com apenas 25% do valor que o governo brasileiro paga ao governo cubano pelos serviços destes médicos. [...]

Ao final de setembro de 2016, ela entrou com um processo em um tribunal federal para trabalhar como autônoma independente. Algumas semanas depois, vários outros médicos cubanos fizeram o mesmo e moveram ações nos tribunais brasileiros.

No fim do ano passado, juízes expediram liminares para alguns casos, concedendo aos médicos cubanos o direito de permanecer no país como prestadores autônomos de serviços, ganhando salário integral. Um juiz federal da capital denunciou o programa como uma "forma de trabalho escravo" que não pode ser tolerada.

Pouco depois de as primeiras liminares serem concedidas, supervisores cubanos no Brasil convocaram os médicos que haviam aberto processos e os demitiram na hora, de acordo com diversos médicos. Foi-lhes oferecida a escolha de tomar um avião de volta a Cuba em 24 horas — ou enfrentar oito anos de exílio.

Além de terem mais de três quartos do seu salário confiscados, os médicos cubanos não tinham a permissão de trazer seus familiares para o Brasil. Estes eram estrategicamente mantidos reféns em Cuba para garantir que os médicos enviados ao Brasil não iriam desertar e fugir do paraíso socialista.

Para aqueles cubanos que deixaram a família para trás a fim de buscar melhores condições de vida, os custos foram altos; no entanto, segundo eles próprios, tudo valeu a pena.

Conclui a reportagem:

"É triste deixar a família e os amigos em nosso país natal", disse Maireilys Álvarez Rodríguez, médica cubana que processou o governo e conseguiu trazer a família para o Brasil. "Mas aqui estamos em um país onde você é livre, onde ninguém pergunta aonde você está indo ou lhe diz o que fazer. Em Cuba, sua vida é ditada pelo governo".

Não deixa de ser uma curiosa contradição: exatamente aquele regime que se jacta de priorizar a "igualdade" fez com que seus médicos fugissem do país por causa de uma arbitrária desigualdade de tratamento, chegando ao ponto de abandonarem suas famílias e terem de pedir ao governo brasileiro para que, finalmente, alguma igualdade de tratamento lhes fosse concedida.  

A ganância socialista

Após ser eleito, Jair Bolsonaro anunciou novas condições para a manutenção do programa Mais Médicos. De um lado, os médicos cubanos teriam de fazer o Revalida; de outro, eles agora teriam de receber o pagamento integral por seus serviços (nada mais de a ditadura cubana confiscar 75% dos proventos) e seus familiares seriam livres para vir ao Brasil caso os médicos assim quisessem. Mais: também foi oferecido asilo àqueles que quisessem permanecer no Brasil.

O governo cubano, como imaginado, prontamente rejeitou os novos termos, alegando que a "dignidade" e o "altruísmo" dos cubanos não podem ser questionados. E imediatamente mandou os médicos voltarem para Cuba.

Como disse Rafael Ribeiro, o regime socialista gosta de parolar conceitos como "mais-valia" e "exploração", mas é ele próprio quem esbulha seus trabalhadores, explora sua mão-de-obra e aprisiona seus familiares. E quando seus programas "humanitários" não mais trazem retorno financeiro para o regime, eles imediatamente cancelam tudo e punem os "rebeldes".

No final, socialistas sempre se mostram mais gananciosos, mais ávidos e mais exploradores do trabalho humano do que até mesmo o mais inescrupuloso capitalista.

43 votos

autor

Thiago Fonseca
é graduado em administração pela FGV-SP e é empreendedor do ramo de eletroeletrônicos


  • Jenifer Viana  22/11/2018 15:51
    'O caminho para a servidão' descrito por um cubano que 'desertou' do regime cubano.

    www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/11/a-gente-se-sentia-explorado-diz-cubano-que-saiu-do-mais-medicos-e-ficara-no-brasil.shtml
  • 4lex5andro  23/11/2018 02:40
    Isso que é outro exemplo de fonte nada direitista nem conservadora, como bem demonstrado nas últimas eleições.

    É desse modo que se tem uma ideia do nível de insanidade - ou desonestidade - em se defender qualquer regime coletivista e anti-liberdades individuais.

    Mesmo em seu formato moderado que governou o Brasil até recentemente.
  • Humberto  22/11/2018 15:54
    Excelente compêndio. Muito obrigado pelas informações. IMB como sempre mantendo o alto nível de suas postagens. Obrigado pelo serviço!
  • Bernardo  22/11/2018 15:58
    Em Cuba, taxistas ganham muito mais do que médicos. Taxistas ganham em um dia mais do que um médico ganha em um mês.

    O motivo? O salário dos médicos é regulado pelo governo ao passo que não há controle sobre os salários dos taxistas.

    E a fonte disso é um site abertamente esquerdista:



    Se um esquerdista souber que os salários desregulamentados (livre mercado) são muito maiores do que os salários regulados pelo estado, a cabecinha do coitado explode.
  • André Lima  23/11/2018 17:27
    Taxista também é autônomo. Esse negócio de desregulamentar, no fim das contas, prejudica e desampara o assalariado. Mas como tô disposto a aprender, quero ver se há um exemplo de tal fenômeno acontecendo com os assalariados.
  • Fabrício  22/11/2018 16:16
    Imaginem a gritaria que seria da esquerda caso este mesmo programa, com as mesmas condições, fosse americano e não cubano? Imagine, por exemplo, se fosse Trump exportando médicos, confiscando 75% dos salários e mantendo os familiares reféns nos EUA? Gritos de "capitalista escravagista!" seriam seguidos de correntes de abaixo-assinado, textões de Facebook e vídeos de celebridades no Instagram para que a ONU fizesse alguma coisa (no mínimo, fechar os aeroportos americanos).

    Mas como tudo foi arquitetado por aquele regime maravilhoso e humanista de esquerda, tudo é lindo. Ah, e quem critica é reacionário.
  • Marcelo Ferreira  22/11/2018 16:42
    Mas Cuba pode pô. Lá todo mundo é igual.
  • Caio  22/11/2018 16:27
    A ganância é a base do próprio conceito socialista: conseguir algo em troca de nada. Ou, no caso, conseguir muito confiscando quase que a integralidade dos proventos alheios.
  • Realista  22/11/2018 16:35
    O governo cubano é apenas mais explícito em relação aos outros governos.

    Enquanto a maioria se contenta em confiscar 40% da renda (via impostos diretos e indiretos), o cubano vai direto pra 75%.

    Enquanto os outros apenas criam dificuldades para você sair do país e emigrar legalmente, o cubano vai na raiz e proíbe.

    Enquanto os outros dificultam que você transporte toda a sua família após conseguir uma cidadania estrangeira, o cubano mantém seus familiares como reféns obrigando você a desistir.

    É claro que o governo cubano é muito mais nefasto, mas observe que as práticas, na essência, não são lá muito distintas. É uma questão de grau.
  • Guilherme  22/11/2018 16:41
    Thomas Sowell certa vez disse: "A escravidão tem um histórico tão nefasto que era de se imaginar que iríamos querer eliminá-la. Mas não. Em vez disso, apenas colocamos o arranjo sob uma nova direção (governo)."
  • Chiaki Lisboa  22/11/2018 18:09
    Vamos ser sempre reféns do estado pois é ele quem nos educa, em poucos anos os governos anexarão a internet em seu inerente catálogo de controle, pois muitos aqui sabem o quão livre já foi a mídia, hoje não passa de uma bela moça de bordel do estado.
    Quando esse dia chegar, quando encontrarem uma forma de regular a internet, seja ela a camada superior ou as camadas inferiores (faz anos que os governos combatem as camadas da DeepWeb) não haverá pra onde correr, ficaremos reféns desses malditos, pois o povo terá que escolher e, com certeza escolherão o pior.
    Digo ainda mais pois, se até lá não desenvolverem a programação neural, a cada dia que passa a ciência se desenvolve ainda mais, ao passo que a Ética (Bioética e Moral) individual e de coletivos análogos ao estado são cada dia mais demonizadas, fazendo o povo crer que é o estado quem deve prover o direito, a ética e a moral por si só através das escolas. Quando possuírem total controle da linguagem neural não passaremos de meros zumbis, aí sim alcançaremos a nulidade total da liberdade.
  • ed  22/11/2018 19:11
    Na verdade não estamos muito longe dos 70% de salário confiscado.

    Vide meu exemplo.

    Recebo 5200 bruto CLT + vale alimentação de uns 400 reais por mês. Mas meu custo total como indica esse site é de 8350 reais.

    Eu recebo apenas 4222 de salário líquido pois tenho que pagar INSS + IRPF.

    Acabou? Não, pois tudo o que eu compro possui imposto.

    Resumo: Eu deveria receber mais de 8 mil reais mas recebo apenas 4222 e ainda pago impostos em tudo o que compro.

    Somando tudo me equiparo a um escravo cubano com os seus 75% confiscado.
  • FL  22/11/2018 17:12
    Excelente artigo, exceto pelo fato de chamar estes cubanos de "médicos" diversas vezes.
  • Régis  22/11/2018 17:25
    Ok, vou morder a isca. Eles são o quê?
  • Jean Carlo Vieira  22/11/2018 17:58
    Eles podem ser considerados médicos em seu país, onde a formação não é lá grandes coisas. Garanto que muitas pessoas que estão cursando medicina no Brasil têm um conhecimento mais amplo do que eles.
  • Régis  22/11/2018 18:13
    Ok, se o argumento é esse (de que são pouco qualificados) é aceitável. Meu receio era virem dizer que não eram médicos mas sim espiões e agitadores revolucionários...
  • FL  22/11/2018 18:55
    Caro Régis, o argumento é exatamente esse (até acredito que pode haver algum "espião" infiltrado, mas achar que todos são isso tem uma enorme distância).

    Até acredito que estes profissionais têm alguma formação em "biológicas", como um curso técnico em enfermagem ou algo semelhante... mas daí pra falar que são médicos...
  • FL  22/11/2018 19:00
    E apenas para complementar: obviamente que não é um pedaço de papel (diploma) que diz que alguém é um bom ou mau profissional, existem infinitos casos de pessoas sem qualquer graduação formal que obtiveram sucesso em suas profissões.

    Meu ponto é que, hoje, é assim que funciona. Para praticar medicina no Brasil, é preciso ter o tal do CRM. Se são médicos mesmo, façam a tal revalidação, passem no teste e se qualifiquem, não deveria ser nada difícil.

    Um brasileiro que por acaso se forme em medicina em outro país teria que passar por isso para praticar a profissão aqui, certo? Por que seria diferente para estrangeiros?

    (não to nem entrando em toda a questão moral do óbvio esquema dissecado no artigo, to fingindo que acredito na coisa toda para o bem da discussão)
  • Walterson  30/11/2018 13:29
    Alguns cubanos já fizeram o Revalida e, inclusive, já possuem CRM. Logo, não são todos que tem alguma formação em biomédicas como enfermagem, por exemplo.
  • thiago  23/11/2018 15:45
    sem contar a importância que tem o conhecimento da língua e da cultura para o exercício desse tipo de medicina
  • jonhg  26/11/2018 14:38
    segundo o CFM, são "feldsher".
    portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=24548:editorial-mais-medicos-versao-cubano-brasileira-dos-feldsher-sovieticos&catid=46:artigos&Itemid=18
  • JOSE F F OLIVEIRA  22/11/2018 19:18
    Vídeo demostra a FRAUDE ... (youtu.be/5l5gthT097Q)
  • Airton  22/11/2018 19:22
    Ok. Os cubanos vão embora agora como resolver o problema de alocar médicos brasileiros nos rincões do país, locais para onde as prefeituras, por mais que ofereçam salários altos, não conseguem médicos?
  • Bruno  22/11/2018 19:27
    As vagas já não foram quase que totalmente preenchidas? Ao menos é o que diz a mídia.
  • Lucas  23/11/2018 14:33
    Sim. O Ministério da Saúde registrou, até as 8h desta sexta-feira (23), que 84% das 8.517 vagas disponibilizas para substituir os cubanos no Mais Médicos já foram preenchidas.

    7.154 profissionais já escolheram onde vão atuar e estão definitivamente alocados no programa.

    As inscrições, que iriam até domingo (25), foram prorrogadas até 7 de dezembro devido a ataques cibernéticos.

    renovamidia.com.br/84-das-vagas-disponiveis-no-mais-medicos-ja-foram-ocupadas/
  • Bruno  23/11/2018 21:26
    Cerca de 90% das vagas antes ocupadas por médicos cubanos já foram preenchidas — e por médicos com diploma reconhecido.

    Ou seja, era lorota a história de que o Brasil precisava de Cuba para oferecer assistência médica à população. E lorota escandalosa. Foi apenas uma forma de o governo do PT transferir mais de 7 bilhões de reais à ditadura comunista amiga do partido — valor maior do que o prejuízo oficial da Petrobras com o petrolão.

    A imprensa que disse que faltariam médicos para os pobres, por causa da oposição de Bolsonaro ao acordo com Cuba, tem de pedir desculpa.

    E o PT tem de ser investigado por mais esse esquema — que também tirou empregos de milhares de brasileiros.

    www.oantagonista.com/brasil/imprensa-tem-de-pedir-desculpa-pela-lorota-mais-medicos/
  • Imperion  22/11/2018 19:32
    Impressionante como o stablishment esconde as coisas. Caso se falasse em escravidao dos cubanos a dois anos atras, o perseguidonera o denunciador. Por isso todo mundo se calava.
  • Dalton Catunda Rocha  22/11/2018 20:12
    Ideologias à parte, existe o famoso e prestigiado ranking QS. Tal ranking avalia milhares de universidades do mundo inteiro.
    Vou me focar, naquilo que o ranking QS diz, sobre escolas de medicina. Segundo o ranking QS, a melhor escola de medicina existente no mundo inteiro é, a Universidade de Harvard. Por sinal, segundo o ranking QS, nenhuma, repetindo, nenhuma das 50 melhores escolas de medicina do mundo, se localiza na América Latina. Veja este site: ( www.topuniversities.com/university-rankings/university-subject-rankings/2018/medicine )

    Vou agora, falar sobre o que o ranking QS diz, sobre as escolas de medicina da América Latina. Segundo o QS, a melhor escola de medicina da América Latina é a USP, que é a única representante da América Latina no grupo de escolas de medicina entre as 51 e 100 melhores escolas de medicina do mundo.
    Entre as 101 e 500 melhores escolas de medicina do mundo, sobram dedos nas mãos, para contar o número de escolas de medicina da América Latina presentes. Acreditem, no que eu digo. O país da América Latina, com o maior número de escolas de medicina, entre as melhores escolas de medicina do mundo é o Brasil. Eu apenas escrevo, aquilo que o ranking QS diz.

    Nenhuma das 500 melhores escolas de medicina do mundo é de Cuba, Bolívia, Paraguai e Venezuela. Quem duvidar, eu peço que veja o link do ranking QS. Apenas aviso, que o ranking QS é todo ele, em inglês. Tal ranking QS é altamente prestigiado e respeitado, no mundo inteiro. Ver site: (www.topuniversities.com/university-rankings/university-subject-rankings/2018/medicine )

    Sobre a produção de pesquisa médica em Cuba, ela é basicamente, uma nulidade completa. Por sinal, pesquisando na lista de trabalhos de pesquisa médica, eu notei que não apenas Cuba, como também Venezuela, Nicarágua, Bolívia e Paraguai são nulidades, na área de pesquisa médica.
    **********************
    Foi uma grande mancada castrista ou cubanada na saúde, esta decisão da cleptomaníaca tirania da Família Castro de retirar, estes tantos milhares de médicos cubanos. Mesmo que cessassem os envios por parte do governo brasileiro à tirania castrista, estes milhares de médicos cubanos tendo salários integrais, enviariam uma parte de seu dinheiro aos seus familiares na ilha-prisão.
    Uma outra coisa. Estes mais de 8 mil médicos cubanos atendiam milhões de pessoas, por ano, nos lugares mais remotos do Brasil. Sem o atendimento destes cubanos, a simpatia de milhões de brasileiros por Cuba irá acabar, por conta do inevitável esquecimento que haverá. Lembro que foi exatamente onde há mais médicos cubanos, mais o PT teve maior votação, em 2018.
    Sem esta fortuna que saía do Brasil e ia para a ilha-prisão, como irá a mafiosa Família Castro, manter a economia cubana, ainda funcionando?
    A Venezuela está arruinada demais agora, para ajudar Cuba. A Nicarágua também, não tem nada para dar a Cuba.
    Resumindo tudo, os cubanos vão ter apertar os cintos. Ainda mais. Ver sote: g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2018/11/17/o-prejuizo-bilionario-da-saida-do-mais-medicos-para-a-medicina-de-exportacao-de-cuba.ghtml
  • Juliano  22/11/2018 20:48
    A parte triste dessa história é que agora os cubanos vão ser obrigados a voltar para a ilha prisão e as entidades que garantem a reserva de mercado para os médicos brasileiros bate palma. Assumindo que não estavam aqui à força, a qualidade de vida deles tende a piorar, não o contrário.

    O que não faltou foi gente tentando justificar com a comparação com a OAB ou com o CREA, no sentido de que seria "injusto" que outros profissionais pudessem atuar sem a filiação a essas entidades.
  • Pérsio   22/11/2018 21:19
    Mais um excelente artigo do Instituto Mises Brasil. Parabéns pela coragem em dizer, com todas as letras, pela farsa perpetrada pelo governo cubano, contra os médicos e contra a população da ilha-prisão caribenha.
    Socialismo é DOENÇA!
  • Mário   22/11/2018 23:13
    Os telegramas sobre o Mais Médicos revelados pela Folha de S. Paulo mostram que Cuba ofereceu o programa ao governo Dilma em troca do pagamento de suas dívidas no Porto de Mariel.

    Ou seja, o Brasil pagou Cuba através do Mais Médicos a fim de que Cuba devolvesse o dinheiro emprestado pelo BNDES para a obra da Odebrecht (e, mesmo assim, o BNDES tomou um calote).

    Essa é a caixa-preta do PT que Jair Bolsonaro terá de abrir.
  • Skeptic  23/11/2018 06:32
    Quando o programa começou, a direita maluca disse que era comunistas infiltrados para pregar marxismo em comunidades carentes. Médicos corporativistas reclamaram da "concorrência desleal". A esquerda patética sempre achando tudo lindo. Os libertários acertaram desde o começo, eram trabalhadores escravos.
  • anônimo  23/11/2018 15:35
    Onde estão os textos dessa previsão? No grupo Liberalismo elogiaram esse programa dizendo que, junto com a aproximação econômica ao Obama, seria o fim do regime cubano em poucas décadas.
  • Mila  23/11/2018 09:32
    Juliano, considero bem óbvio que esses profissionais cubanos não estavam aqui obrigados, ou mesmo que estivessem, com certeza, estavam adorando. Acredito que a maioria que está voltando, sim, está voltando porque o ditador Castro, os obrigou à isso, pelos motivos já expostos aqui, mas principalmente por ter suas famílias reféns lá em Cuba.
    Quanto à essa bobagem "as entidades que garantem a reserva de mercado para os médicos brasileiros bate palma." sinceramente, isso beira uma mentalidade muito atrofiada, pois não acredito que profissionais cubanos pudessem representar qualquer ameaça aos médicos brasileiros.

  • Rafael Silva  23/11/2018 14:30
    E pensar que eu bati palma pra essa vergonha.
  • thiago  23/11/2018 15:39
    Genial não. Esse pessoal não tem nada de genial. É tudo efêmero, frágil e sem coerência. Não é à toa que caiu.
  • raphael  23/11/2018 17:55
    desse "golpe" a dilmanta nao vai falar?
    de repente ate a falha de sp anda tao investigativa.... onde sera que estavam na ultima decada de robalhera?
    s... a pergunta eh retorica...
  • Bruno  23/11/2018 22:49
    "Nem que tenha que trabalhar recolhendo lixo ou varrendo rua. Mas para meu país eu não volto, não, porque me sinto enganado." -- médico cubano que atende em Pirapetinga, Minas Gerais

    www.oantagonista.com/brasil/para-meu-pais-eu-nao-volto-nao/
  • Bruno  23/11/2018 22:52
    "A proposta era de que Cuba pagasse os empréstimos do governo brasileiro com o dinheiro que o próprio governo brasileiro lhe pagaria pelo programa Mais Médicos.

    Toda a negociação, segundo os relatos oficiais, foi feita em termos comerciais, e não de 'ajuda humanitária', como o programa era vendido. Por isso, prevendo que o novo governo de direita, que derrotara o PT, faria uma investigação sobre o programa, os cubanos apressaram-se a rompê-lo unilateralmente."

    blogs.oglobo.globo.com/merval-pereira/post/caixa-preta.html
  • Felipe Lange  24/11/2018 00:17
    Pessoal, eu infelizmente não estou encontrando o meu comentário (acho que vou ter que printar e guardar os links), no qual eu falava sobre infraestrutura. É uma cobrança que faço aqui no site há meses (um mecanismo de achar comentários por referências porque não consigo achá-lo), um dos poucos pontos fracos que eu poderia mencionar.

    É que o Leandro comentou anos atrás sobre o fato da infraestrutura chinesa ser excelente comparada à brasileira (o que não é difícil, entretanto; tem mais esse comentário dele). Alguém sabe o que exatamente aconteceu para a infraestrutura deles ser tão boa? Teria alguma relação com as ZEEs?
  • Bruno Rafael  24/11/2018 05:39
    Eu quero uma análise econômica desse episódio.
    Já que esse site é de economia

    Por favor Leandro ou qualquer outro...

    Se agora os salários dos próximos médicos serão apropriados por brasileiros que vão consumir ou investir aqui no Brasil, isso terá um efeito em nossa economia...
    Como será o reflexo na balança comercial?

    Qualquer esclarecimento é bem vindo

  • João Paulo  26/11/2018 13:21
    Por que a tara com balança comercial, algo completamente sem sentido?

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2477
  • Xandão  24/11/2018 07:59
    g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2018/11/21/telegramas-revelam-que-partiu-de-cuba-proposta-para-criar-mais-medicos-em-negociacao-secreta-com-governo-dilma.ghtml

    É triste mas não deixa de ser irônico, os mesmos que acreditam em mais-valia, são os mesmos que tomam 85% dos salários e ainda mantém as famílias dos médicos como reféns para não deserdarem.
  • Observador  25/11/2018 23:48
    Amigos do Mises, vocês já viram esse site? socialdemocracy21stcentury.blogspot.com

    Eles tem vários artigos "refutando" a escola austríaca em todos os seus âmbitos. O site pode parecer meio fundo de quintal de começo, mas ele é fonte de vários desenvolvimentistas, pós-keynesianos e nacionalistas modernos. Segue alguns artigos que dei uma lida rapidamente:

    socialdemocracy21stcentury.blogspot.com/2014/03/why-misess-praxeological-theories-are.html

    socialdemocracy21stcentury.blogspot.com/2011/02/limits-of-human-action-axiom.html

    socialdemocracy21stcentury.blogspot.com/2011/05/some-quick-thoughts-on-austrian.html

    socialdemocracy21stcentury.blogspot.com/2010/10/was-mises-socialist-why-mises-refutes.html
  • anônimo  29/11/2018 14:54
    A social-democracia da pós-Guerra Fria nada mais é do que um refúgio dos socialistas em negação, socialistas que perceberam que socialismo não funciona, mas ainda não largaram o osso. Por isso social-democratas fazem reformas pró-mercado, mas não atacam o socialismo.

    Durante a Segunda Guerra e a Guerra Fria, a social-democracia era inimiga mortal do socialismo e muito próxima do ideologicamente dos países capitalistas. Hoje social-democratas e socialistas são amiguinhos.

    O mais irônico é que o modelo econômico defendido por social-democratas e socialistas modernos não está próximo do socialismo clássico e sim do fascismo. Intervenção econômica, subsídios, protecionismo, parcerias público-privadas, etc, o que é defendido por esquerdistas modernos era exatamente o que fascistas fizeram e defenderam desde sempre.

    É bom todos esquerdistas continuarem defendendo a social-democracia, porque em menos de 20 anos não vai mais existir social-democracia, todas estarão falidas.
  • Igor  26/11/2018 11:30
    Não entendo por que tudo é depositado nas costas do socialismo... Se o governo americano explora alguém, a culpa é do governo. Se o governo cubano explora alguém, a culpa é do socialismo? Isso não é defender socialismo e sim defender o não fanatismo anti-socialismo mortandela da fome.
  • Edson  26/11/2018 13:21
    "Não entendo por que tudo é depositado nas costas do socialismo..."

    Defina "tudo".

    "Se o governo americano explora alguém, a culpa é do governo."

    Correto.

    "Se o governo cubano explora alguém, a culpa é do socialismo?"

    É culpa do governo. No entanto, se o governo faz isso em nome do socialismo (como o próprio governo assume), e se a própria prática do governo é socialista, então lamento, mas o socialismo fica a descoberto.

    "Isso não é defender socialismo e sim defender o não fanatismo anti-socialismo mortandela da fome."

    Ininteligível.
  • SRV  26/11/2018 15:38
    Igor,

    Favor apontar um lugar onde o socialismo deu certo. E cuidado com a falácia dos países nórdicos!
  • Libertariozinho  26/11/2018 17:52
    Parem de replicar esse argumento de "onde deu certo"
    Isso é coisa de baixo nível e inclusive condenada pelo próprio Mises.
    Toda forma de pensamento deve ser julgada no tribunal da razão e não pelo seu suposto histórico.
  • Mila  27/11/2018 12:14
    Juliano, considero bem óbvio que esses profissionais cubanos não estavam aqui obrigados, ou mesmo que estivessem, com certeza, estavam adorando. Acredito que a maioria que está voltando, sim, está voltando porque o ditador Castro, os obrigou à isso, pelos motivos já expostos aqui, mas principalmente por ter suas famílias reféns lá em Cuba.
    Quanto à essa bobagem "as entidades que garantem a reserva de mercado para os médicos brasileiros bate palma." sinceramente, isso beira uma mentalidade muito atrofiada, pois não acredito que profissionais cubanos pudessem representar qualquer ameaça aos médicos brasileiros.

  • Liliane  28/11/2018 17:39
    Veja o relato de alguém que conviveu com o socialismo desde a ditadura militar: carlosliliane64.wixsite.com/magiaeseriados/um-relato-pessoal
  • Desiludido  28/11/2018 20:42
    Blablablabla. Enquanto isso, Eduardo Bolsonaro disse que talvez não aprove a reforma da previdência. Mas continuem no mundinho encantado...
  • anônimo  29/11/2018 14:32
    Eu estou impressionado com o poder do esquerdismo em destruir a sanidade das pessoas. Tudo bem que o brasileiro nunca foi conhecido por ser um povo muito inteligente, mas não é possível que depois de tudo o que o PT fez no país, existam tantas pessoas que ainda defendam esse partido.

    Socialismo parece uma ameba comedora de cérebros.
  • Jew  07/12/2018 14:12
    istoe.com.br/as-atrocidades-do-mais-medicos/
  • Emerson Luis  14/12/2018 19:10

    Como refutar os principais argumentos em favor do Mais Médicos cubano:

    Refutação de 20 rotinas pró-escravidão de médicos cubanos

    Mais 25 rotinas pró-escravidão desmascaradas

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.