clube   |   doar   |   idiomas
Sim, o “socialismo real” já foi tentado. E foi um desastre
Aparentemente, nunca há uma quantidade “adequada” de socialismo que satisfaça seus defensores

No dia 5 de maio de 2018 foi comemorado o 200º aniversário de Karl Marx. O filósofo alemão inspirou uma grande variedade de movimentos políticos que geraram incontáveis desastres humanos.

O falecido Rudolph Rummel, o demógrafo perito em contabilizar todos os homicídios em massa causados por governos, estimou o total de vidas humanas dizimadas pelo socialismo do século XX em 61 milhões na União Soviética, 78 milhões na China, e aproximadamente 200 milhões ao redor do mundo. Todas essas vítimas pereceram de inanições causadas pelo estadocoletivizações forçadasrevoluções culturaisexpurgos e purificaçõescampanhas contra a renda não-merecida, e outros experimentos diabólicos envolvendo engenharia social.

Em termos de monstruosidade, esse terror simplesmente não encontra paralelos na história humana.

Entretanto, embora tenha sido o inspirador direto de todas essas catástrofes, Marx continua sendo objeto de admiração de vários intelectuais e artistas. Um recente exemplo foi o filme O Jovem Karl Marx, de Raoul Peck, que retrata Marx como um radical repleto de bons princípios e dotado de uma louvável sede por justiça.

Felizmente para Marx, para seu mito e sua reputação, ele próprio nunca pessoalmente adquiriu o controle do aparato de algum estado. Consequentemente, o trabalho sujo de realmente implantar a necessária "ditadura do proletariado" foi deixado para terceiros. E aqueles que tentaram trazer o marxismo para a realidade prática rapidamente descobriram que o marxismo aplicado gera apenas empobrecimento, dizimação de vidas humanas, e a total destruição das liberdades individuais.

Não obstante, após um século marcado por brutais regimes socialistas baseados em várias interpretações das idéias de Marx, o filósofo alemão sempre é reabilitado sob o mesmo lema: "o socialismo real não fracassou; ele simplesmente nunca foi tentado".

Ou seja, uma experiência socialista genuinamente "pura" — como Marx presumivelmente queria — sempre acabava sendo maculada e se degenerava pela presença de idéias burguesas ou por hábitos capitalistas que persistiam no aparato estatal.

Um exemplo típico desse tipo de pensamento pode ser encontrado, por exemplo, em Noam Chomsky e em sua insistência de que o regime obviamente socialista da Venezuela não tem absolutamente nada de socialista. A mesma tenacidade é também encontrada em um artigo de 2017 do filósofo Slavoj Žižek intitulado "O problema com a revolução venezuelana é que ela não foi longe o bastante".

De acordo com Žižek, o socialismo só pode funcionar se os hábitos e costumes do status quo forem destruídos completamente e substituídos inteiramente por novas formas de pensar criadas e impostas pelos socialistas. Ou, como o próprio Žižek descreve, provérbios antigos (isto é, modos de pensamento) devem ser totalmente substituídos por novos provérbios. Por exemplo:

Revolucionários radicais como Robespierre fracassaram porque tentaram romper com o passado sem ser bem-sucedidos em seus esforços de impingir um novo arranjo de costumes (vale recordar o supremo fracasso da ideia de Robespierre de substituir a religião pelo novo culto do Supremo Ser).

Já líderes como Lênin e Mao foram bem-sucedidos (ao menos por algum tempo) porque inventaram novos provérbios, o que significa que impuseram novos costumes para regular a vida cotidiana das pessoas.

Ou seja, o problema com o socialismo venezuelano não está no fato de milhares de empresas, fábricas, indústrias e até mesmo pontos de comércio terem sido confiscadas e estatizadas, de os direitos de propriedade terem sido abolidos, e de milhões de cidadãos terem sido destituídos de suas liberdades básicas. Não, o problema é que o regime venezuelano foi muito conservador, e falhou em implantar uma total ruptura com o passado.

Mas como, afinal, esta ruptura com o passado pode ser implantada? A resposta está na linguagem utilizada pelo próprio Žižek. Tudo depende de "impingir um novo arranjo de costumes" e de "impor novos costumes". Esta, obviamente, é a linguagem da coerção e da violência. Esses novos "costumes" não teriam de ser impostos se as pessoas quisessem adotá-los voluntariamente, óbvio.

Do ponto de visto do socialista purista, se ao menos surgissem um novo Lênin ou novo Mao, e estes tentassem com mais afinco, aí sim o socialismo poderiam finalmente ser bem-sucedido. Como bem resumiu o portal satírico The Onion, "Faltou somente um outro grande expurgo para que Stálin conseguisse criar a Utopia comunista".

Por mais hiperbólica que tal declaração possa parecer, essa ideia ainda assim descreve de maneira realista a mentalidade daqueles que alegam que "o socialismo real nunca realmente foi tentado". Se o socialismo tiver de ser implantado, algo deve ser feito para abolir o apego que as pessoas têm à propriedade privada e a todos os outros costumes e idéias que insistem em criar obstáculos nessa estrada rumo à utopia.

Na prática, isso sempre significou utilizar o poder do estado para forçar um novo estilo de vida sobre as pessoas. Também significou que, dado que as leis da economia não podem ser revogados, quanto mais o socialismo era aplicado, mais o padrão de vida afundava. Porém, dizem os socialistas, enquanto os planejadores socialistas continuarem esforçados e obstinados, e heroicamente se recusarem a ser sabotados pelo pensamento capitalista, a utopia finalmente poderá ser alcançada. Sim, haverá muito sofrimento neste ínterim, mas a recompensa final será incalculavelmente sublime.

Em termos sucintos, eis o raciocínio dos socialistas: o socialismo só irá funcionar se ele for progredindo até chegar ao ponto do "socialismo total". Qualquer outro arranjo que não seja o socialismo pleno é inaceitável. Nenhum esforço parcial será suficiente. E todos os experimentos socialistas até hoje só fracassaram porque alguns elementos do "capitalismo" continuaram funcionando. Enquanto ainda existir qualquer aspecto econômico que não seja de socialismo pleno, o regime não será socialista.

Naturalmente, conclui o raciocínio, se o socialismo pudesse chegar ao seu estágio pleno — com todos os elementos do capitalismo eliminados — saberíamos que este sim seria o socialismo puro porque estaríamos vivendo em uma sociedade marcada por uma prosperidade sem precedentes e por uma igualdade total.

Representada graficamente, a ideia seria assim:

Um modelo para ilustrar a tese de que "o socialismo real nunca foi tentado"

utopia.png

O eixo horizontal mensura a intensidade do socialismo. O eixo vertical mensura a felicidade

Quanto mais o socialismo vai se intensificando, quanto mais coisas horrendas o estado vai fazendo, menor a felicidade das pessoas. Até que, finalmente, o socialismo chega à intensidade máxima, e aí sim as pessoas repentinamente se dão conta de que estão no paraíso e passam a vivenciar uma felicidade utópica.

Sem nenhum exagero, essa é a lógica dos socialistas que recorrem à tese de que "o socialismo real nunca foi tentado". Socialistas inflexíveis, como Chomsky e Žižek, vivem repetindo que meras medidas parciais não funcionam para o socialismo, e que apenas o socialismo total pode funcionar. Qualquer coisa que não seja socialismo pleno, ao que tudo indica, irá entrar em colapso, como mostra a Venezuela.

Tanto Marx quanto Stalin admitiram que esta "etapa intermediária" era um problema. Como Ludwig von Mises observou, Marx chegou ao ponto de inventar uma evolução que se daria em duas etapas para o socialismo:

Em uma carta, Karl Marx fez uma distinção entre dois estágios de socialismo: o estágio preliminar e o estágio superior. Mas Marx não forneceu nomes distintos para cada um desses dois estágios. No estágio superior, disse ele, haverá tamanha abundância de coisas, que será possível estabelecer o princípio de "para todos de acordo com suas necessidades".

Dado que os críticos estrangeiros observaram severas diferenças no padrão de vida dos russos, Stálin criou uma distinção. Ao final da década de 1920, ele declarou que o estágio preliminar era o "socialismo" e que o estágio superior era o "comunismo". A diferença era que, no estágio preliminar, havia uma desigualdade nas rações oferecidas aos cidadãos; a igualdade plena só seria alcançada no estágio superior, o comunismo.

O capitalismo parcial funciona melhor que o socialismo parcial

Observe, no entanto, o capitalismo não sofre este mesmo problema. Se pegarmos uma economia que sofre intervenções do estado e começarmos a introduzir reformas liberais parciais, isso por acaso fará a economia entrar em colapso?

Certamente não. Com efeito, a própria análise empírica mostra que, quanto menos relativamente socialista for uma economia, menor será a pobreza e maior será a prosperidade.

Historicamente, isso é óbvio. Os países que adotaram mais cedo o livre comércio, a industrialização, e as instituições de uma economia de mercado são hoje as economias mais ricas do mundo. Isso também ocorreu na Europa do pós-guerra, onde as economias relativamente mais pró-mercado, como as da Alemanha e do Reino Unido, são mais ricas e têm um padrão de vida maior do que as economias mais socialistas do sul da Europa, como Grécia e Espanha. Com efeito, isso também vale até mesmo para os países escandinavos, como a Suécia, que enriqueceram ao longo da história adotando regimes bem próximos ao laissez-faire.

Vemos esse fenômeno se manifestar explicitamente ao compararmos a Alemanha Ocidental com a Alemanha Oriental. Na Alemanha Ocidental após a Segunda Guerra Mundial, as reformas liberais efetuadas por Ludwig Erhard levaram a um período de acelerado crescimento econômico — mesmo com as reformas tendo sido apenas parciais. Ao abolir os controles de preços e outras restrições impostas pelo governo à economia, a Alemanha decolou ao passo que outras economias mais socialistas — como a do Reino Unido à época — ficaram estagnadas. Já a Alemanha Oriental, socialista, viu seu padrão de vida encolher ao longo deste mesmo período de tempo. 

Obviamente, a Alemanha Ocidental não adotou um capitalismo "puro e pleno". Os alemães adotaram um arranjo de economia relativamente mais laissez-faire que o resto da Europa. E a economia cresceu forte. Com efeito, as reformas de mercado feitas pelo governo da Alemanha Ocidental ocorreram quase que por acidente. E, ainda assim, chamamos os resultados de "o milagre alemão".

Outros exemplos podem ser encontrados na América Latina (Chile, Peru e Colômbia versus Venezuela, Equador e Bolívia) e na Ásia. Coréia do Sul e Japão estão longe de ser economias puramente de livre mercado. As economias de ambos os países são caracterizadas por uma grande variedade de restrições comerciais, ligações corporativistas entre governo e grandes empresas, e um maciço aparato regulatório. No entanto, Coreia do Norte e Vietnã, que são muito mais pobres, sempre tiveram uma participação estatal muito maior na economia — com o governo sendo o proprietário de várias empresas no Vietnã e de todas na Coreia do Norte — e um setor privado muito menor em relação aos do Japão e da Coreia do Sul.

E, ainda assim, pela lógica dos socialistas, o problema com a Coreia do Norte e com o Vietnã é que eles não têm socialismo pleno. Se tais países ao menos pudessem se livrar totalmente de seus resquícios capitalistas, então a Coreia do Norte finalmente irá se tornar próspera, e o Vietnã passará a rivalizar com o Japão em termos de produtividade e riqueza.

É claro que isso é um contra-senso total. Se a Coreia do Norte quiser ter menos pessoas passando forme, ela tem reduzir substantivamente o socialismo em sua economia, como fez a Coreia do Sul.

Conclusão

Onde os mercados são mais relativamente livres, o padrão de vida da população é mais alto, e maior é o crescimento econômico.

Ao contrário dos socialistas, os defensores do capitalismo não precisam ficar criando desculpas sobre o fato de "o capitalismo real nunca ter sido tentado" — ainda que mercados inteiramente livres, sem nenhuma intervenção estatal, nunca tenham existido em lugar nenhum do mundo.

Por outro lado, duzentos anos após o nascimento de Marx, a cada novo fracasso inspirado no marxismo, seus defensores são obrigados a recorrerem às mesmas desculpas de sempre, e com ares de originalidade.

A única esperança é que daqui a 200 anos eles já tenham desistido.

______________________________________________

Leia também:

Aviso aos socialistas: é impossível argumentar contra o histórico 100% fracassado do socialismo

Cresci em uma economia socialista. Eis o que as pessoas não entendem sobre liberdade

A catástrofe humanitária do socialismo venezuelano: 90% da população vive hoje na pobreza

Acreditar em ideias socialistas pode tornar você uma pessoa infeliz

37 votos

autor

Ryan McMaken
é o editor do Mises Institute americano.


  • Rui Costa Pimenta   07/05/2018 16:05
  • VINICIUS APARECIDO GONÇALVES  13/05/2018 22:33
    Que lixo! Vá morar lá...
    Ou (pelo nome, será mesmo o cara do PCO?) prefere continuar vivendo do fundo partidário em terras capitalistas?
  • João Pereira  07/05/2018 16:06
    Sério, esse assunto sobre comunas e socialistas negarem o óbvio já passou dá hora de ser tratado apenas da perspectiva econômica e política. Há muito tempo isso é caso de psiquiatria e psicologia. Esses caras têm que ser diagnosticados como doentes mentais. Ponto.
  • Sempre Mais do MESMO  07/05/2018 18:07
    Aquestão é que o Socialismo é meramente uma reinvindicação de PODER ABSOLUTO para uma GANG hierarquizada que irá escravizar todos os demais.
    Ora, o que move os adeptos não são razões, mas EMOÇÕES: AMBIÇÃO e FRUSTRAÇÃO. Esses dois tipos se completam.
    De um lado existe os crápulas que almejam ENRIQUECER através do PODER e NÃO do TRABALHO. Ao lado destas mentes perversas se juntam os RECALCADOS que, frustrados entre o que esperam de si e de si percebem, SE ENTREGAM Á INVEJA e percebendo não conseguirem elevarem-se passam a desejar a destruição de tudo que seja meritóriocomo uma vingança. Tornam-se OBSCURANTISTAS. Adotam qualquer ideologia que seja destrutiva da riqueza, da beleza, da inteligência, do conforto, do orgulho sincero, do respeito mútuo e de tudo que for saudável ao bem viver.
    SÃO CASO de PSICOLOGIA ou de POLÍCIA mesmo. São absolutamente desprovidos de limites em suas ambições e MANÍACOS atormentados pela realidade que tentam negar.
    .
    A esquerda é EXCLUSIVAMENTE uma reivindicação de PODER ABSOLUTO para a hierarquia estatal. Nada além disso e nada menos que isso.

    Evidentemente que se expusessem francamente este objetivo ninguém em são consciência se entregaria a estes ativistas com pretensões ESCRAVOCRATAS. Óbvio!

    Da mesma forma que um ESTELIONATÁRIO nunca irá dizer a sua pretensa vítima que ele vai aplicar-lhe um golpe, pois a "vantajosa oportunidade" que esta lhe oferecendo é uma mentira. Óbvio!

    Todo ativista de esquerda TEM PLENA CONSCIÊNCIA QUE o OBJETIVO se sua ideologia é uma fraude e sabe muito bem que ASSUMIR POSIÇÃO na HIERAQUIA ESTATAL LHE SERÁ VANTAJOSA e ESSE É SEU OBJETIVO:

    Viver como um SENHOR de ESCRAVOS, FEITOR ou mero USUFRUTUÁRIO da ESCRAVIDÃO ALHEIA.
    Consciente disso TODO ESQUERDISTA se destitui de absolutamente QUALQUER SENSO de DIGNIDADE em favor de seu objetivo: VIVER do PODER e NÃO do TRABALHO.

    Vai daí que não se constrangem, envergonham ou minimamente coram ao MENTIR descaradamente, pois conforme Trotski deixou claro, sua moral é voltada para a PRAXIS e tudo que for em favor de seu objetivo é moralmente válido segundo a moral esquerdista.

    Por isso descaradamente chamam o Nazismo e o Fascismo de "Direita" ou de "Capitalismo". Acusando aqueles que não aceitam submeterem-se ao comando esquerdista de Fascistas e Nazistas.

    Como o Nazismo já esta ficando conhecido como de esquerda, eles optam por xingar adversários de Fascistas.
    VEJAMOS ENTÃO um pedacinho da história do NASCIMENTO do FASCISMO e seu IDEOLOGO BENITO MUSSOLINI:

    resistenciaantisocialismo.wordpress.com/category/fascismo/

    Isso deve ser divulgado para desmascarar esses FARSANTES SAFADOS, ESTELIONATÁRIOS que se aproveitam da ignorância alheia (ignoram a verdade dos fatos) como todo estelionatário faz.
  • JP  07/05/2018 19:15
    Assim é:

    www.amazon.com.br/Ponerologia-Psicopatas-Poder-Andrew-Lobaczwiski/dp/8567394147?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&keywords=ponerologia&qid=1525720450&sr=8-1&ref=sr_1_1


    www.amazon.com.br/Esquerdista-Causas-Psicol%C3%B3gicas-Loucura-Pol%C3%ADtica/dp/8567394872?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&keywords=Mente+esquerdista&qid=1525720481&sr=1-1-fkmrnull&ref=sr_1_fkmrnull_1
  • Breno  07/05/2018 16:08
    O artigo do Slavoj Žižek é tão pavoroso quanto é franco e honesto. É exatamente assim que pensam todos os socialistas brasileiros (inclusive do PSB de Joaquim Barbosa e do PDT de Ciro Gomes), mas nenhum deles tem a hombridade de falar com essas palavras tão diretas.
  • Vanessa  07/05/2018 16:13
    Mas os socialistas estão certos. Quando o socialismo completo for atingido, todos os indivíduos realmente estarão vivendo uma utopia, pois todos já estarão no céu (mas tal consolo, obviamente, só serve para quem acredita em vida após a morte).
  • anônimo  07/05/2018 16:18
    Tem aquela história do cara que estava treinando seu cavalo para viver sem comida. A cada semana, ele diminuía a quantidade de ração para o cavalo se "acostumar" com a menor quantidade, até chegar ao ponto em que ele se acostumaria a viver sem comida alguma. O experimento estava indo muito bem. Infelizmente, quando estava quase chegando ao fim, o cavalo morreu.
  • Pobre Paulista  07/05/2018 16:42
    Que azar. Devia ter ensinado o cavalo a fazer fotossíntese, pelo menos.
  • Carlos G.  07/05/2018 16:18
    Acredito que o socialismo encontre terreno fértil na ausência de uma educação voltada para o ensino dos pilares econômicos e das leis de mercado.

    Muitas pessoas, da qual me incluía e até certo ponto posso permanecer incluso, não dominam economia como deveriam. E isso abre espaço para especulações amadoras de toda ordem do que deveria ser feito para um mundo melhor.

    Se ao invés de "doutrinação desastrada" fosse ensinado economia e história de fato, em escolas, o socialismo já estaria morto. E poderíamos rumar a um modelo econômico sustentável e em plena adaptação as demandas do mundo moderno.

    Mas desejar algo assim, uma educação pura, sem lastro ideológico visando unicamente o desenvolvimento do indivíduo é utópico nesse mundo em que vivemos.

    Felizmente, o Brasil não se tornou uma Venezuela. E se bem lutarmos para isso, talvez nunca se torne. Ainda há liberdade, mesmo que forças doentias se levantem em uma tentativa desesperada de ceifá-la.

    Ironicamente, o maior inimigo da esquerda tem sido a liberdade de informação. Nunca antes se viram surgir tantos liberais, por causa da censura e doutrinação em sala de aula. Mas a internet mudou tudo... talvez, por isso, o maior sonho dos ditos "progressistas" seja "regular" a internet.
  • Jorge  07/05/2018 19:03
    Acredito que seja exatamente este o ponto pelo qual ainda existem tantos simpatizantes do socialismo no Brasil e no mundo.

    Quando jovem, também deixei me levar pelo discurso utópico-fantástico de mais justiça, mais liberdade, menos pobreza e um mundo melhor. Quem, afinal, seria contra isso?

    O que não me ensinaram na escola e só aprendi ao longo dos anos é que a experiência histórica demonstra que o socialismo sempre gerou o resultado oposto dessas promessas.

    Tivéssemos um ensino baseado na realidade histórica, como é o caso dos textos do instituto mises, o socialismo seria tão ou mais desprezado do que o nazismo.
  • Jorge  07/05/2018 19:11
    Esse gráfico que aparece no meio do texto, demonstrando a incoerência do pensamento socialista, é excepcional. Parabéns ao autor por expressar a ideia com uma imagem tão simples e inteligente.
  • José Francisco Albarran  14/05/2018 14:33
    É preciso perguntar sempre: "quem paga?"
    Oitenta por cento das propostas esquerdistas se destrói por si.
  • Hawkings  07/05/2018 16:20
    O "socialismo verdadeiro" em uma nutshell: Quando seu organismo estiver totalmente doente, ele será plenamente saudável.
  • Mikhail  07/05/2018 16:34
    E curiosamente, ninguém menos que Bakunin foi um dos primeiros a apontar essa incoerência dos socialistas.

    Em tese, e como explicado no artigo, o socialismo seria apenas um estágio inferior ao comunismo, que seria o estágio supremo.

    No socialismo começariam as estatizações e tudo seria entregue ao estado, inclusive a vida de cada indivíduo. No comunismo, o estado (que já seria o dono de absolutamente tudo) desapareceria e todos seriam iguais. Genial, não?

    Além da comicidade da coisa, há um ponto que passou despercebido pelos socialistas, mas não por Bakunin: para haver igualdade plena e total, não pode existir uma única pessoa com mais poder que as demais, o que por definição significa que não pode haver estado. Consequentemente, os implantadores do socialismo teriam de voluntariamente abdicar do controle estatal (que, na prática, seria o controle de toda a sociedade socialista) e simplesmente se rebaixar à ralé.

    Na prática, portanto, os "ungidos" líderes marxistas tomariam o poder, e se comprometeriam "de boca" a não se valer do privilégio estatal, passando este poder aos proletariados tão logo o socialismo estivesse completo. É por isto que Lênin, Stalin, Mao Tse Tung, Che Guevara e família Castro, dentre outros, empoderaram os proletários... né?

    Bakunin apontou essa contradiçã , e foi devidamente deserdado.
  • Leonardo  07/05/2018 16:42

    No início, todo socialista promete salvar a humanidade. No final, descobre-se que ele sempre queria apenas poderes totalitários e privilégios nababescos à custa da miséria da população.

    Por isso, todo socialista, sem exceção, é um salvador da humanidade em benefício próprio.

    Todo revolucionário radical sempre acaba se transformando em um burocrata privilegiado à custa do povo, o que faz com que o socialismo necessariamente requeira uma ditadura.

    E, no final, tudo aquilo que os socialistas dizem ser a doença do sistema capitalista -- exploração, brutal desigualdade de riqueza devido ao controle dos meios de produção, manipulação da realidade -- é exatamente a natureza e a essência do socialismo.
  • Flavius Marcellus  07/05/2018 18:40
    O socialismo e comunismo exatamente tomaram ares religiosos. Por isso alguns psicólogos configuram como patologia certas manifestações de esquerda. Afinal mesmo com o erro evidente, a brutalidade sanguinária, são incapazes de auto-observação. Ao passo que se tornam tudo aquilo que criticavam antes. Querem acabar com a fome? Matam de fome mais do que no sistema anterior. Querem equalidade ? Criam desigualde extrema. No livro "comunidades imaginadas" (recomendo leitura), se toca esse tema, de que o iluminismo ajuda a trazer o estado como um deus, e as pessoas justamente passam a cultuar o nacionalismo e as figuras políticas como deuses. Ora veja Che, ou como Lula se compara sempre a Jesus, ou Evita com sua "santidade" ("es una santa" dizem até hoje os argentinos, e Cristina a usa e a copia). Existem estudos neurológicos que mostram que o ser humano entende melhor a lógica através de parábolas místicas, isso explica muito da aproximação justamente do sociocomunismo com uma espécie de cristianismo, de nova religião, justamente como Benedict Anderson, no livro que citei, explica. E dai pra patologia( temos o frenesi da Inquisição e outros mil exemplos) é apenas um passo. Ou seja é um pós cristianismo, cara de pau. Já vimos o que o excesso da religião fez nos últimos milênios, como sua tentativa de "santificar", e "equalizar", apenas beneficiou o alto clero, usando meios , tais quais no socio comunismo, brutais, contraditórios como que pregam. Ou seja, o iluminismo se torna um pós-cristianismo, em termos, para tomar dos antigos orfãos da velha Inquisição sua fé, e aplica-la no estado e suas figuras políticas, sujas e corruptas. O livre comércio parece ser a via de respiração da sociedade, das trocas, e isso é óbvio, é como tentar tirar oxigênio de uma rede micelial que depende dele, você o mata toda rede, e repetir o experimento 200 anos depois é sinal de imbecilidade acadêmica.
  • Sempre Mais do MESMO  07/05/2018 18:24
    A fantasia de Marx é um embuste deliberado:

    Marx jamais propôs o tal Comunismo e sim a Ditadura do Proletariado ou Socialismo Científico onde tudo seria do estado, mas o Estado seria representante dos proletários e PORTANTO tudo seria dos trabalhadores ...não estou brincando, não.

    A proposta seria algo do tipo: o representante no Poder, no cargo estatal, ficaria com a maior parte do que o trabalhador produz, mas como é um representante do trabalhador é o trabalhador que é o dono. ...rsrs

    Certamente, por isso, acreditam que:

    - Se um representante saboreia belas refeições até se fartar, então é o representado que esta comendo. Mesmo que esteja morrendo de fome.

    Talvez Nicolas Maduro na Venezuela acredite nisso e não perceba que a população esta faminta, mesmo que os representantes esjam se fartando de boas iguarias e luxos diversos.

    Devem acreditar que os trabalhadores venezuelanos, tanto quanto os cubanos vivem luxuosamente, já que assim vivem os representantes.
  • Ygor  07/05/2018 16:22
    O que os crentes do socialistas (aqueles que não são liderança) não conseguem entender é que o socialismo real é exatamente o socialismo na prática. O que ocorreu na URSS, Camboja, China, Cuba e Venezuela é o socialismo colocado em prática, com suas inevitáveis consequências. E isto sempre vai ocorrer, pois, em maior ou menor grau, em maior ou menor velocidade (no caso dos países que seguem a estratégia gramsciana da guerra de posição, isto demora mais), vai haver estatização dos meios de produção, e as demandas da sociedade (tal como do mercado) vão ser suprimidas para virar demanda do estado (e, mais ainda, dos seus líderes).
  • Rafael Lustosa  07/05/2018 16:29
    "A única esperança é que daqui a 200 anos eles já tenham desistido".
    Acho que isso nunca acontecerá. O marxismo é a ideologia que respalda "cientificamente" aqueles que são invejosos patológicos. E a inveja nunca será eliminada. Muitos dos que defendem o socialismo, principalmente seus líderes, sabem que sua ideologia não funciona. Mas o ato de tirar daqueles que são mais prósperos, ainda que o custo social seja altíssimo, é justificado pela inveja crônica que sentem.
    Eles sempre falam em "distribuição de renda", "taxar os mais ricos", etc., mas nunca falam que para se prosperar, o esforço pessoal é essencial. Nunca discutem profundamente sobre o que torna as pessoas ricas. Os pobres são meras desculpas para, na verdade, retirar mais recursos das pessoas prósperas.
    Marxismo, é, em sua essência, ódio contra as pessoas que prosperam. Inveja em seu estado mais cru.
  • Merovingian  07/05/2018 16:50
    O socialismo não foi implantado mas está sendo implementado o tempo inteiro. As pessoas, inclusive economistas, ainda acreditam que o Estado vai ser capaz de fazer redistribuição de renda eficiente, vai alocar recursos, vai reduzir a desigualdade etc etc
    O projeto de sociedade igualitária continua existindo e está vivíssimo !!!

    Veja esse site por exemplo, não tem um mês que não fale sobre Marx ou socialismo kkkkkkk
    Se for contar, deve ter mais artigos sobre Marx do que do próprio Mises.

    O fantasma de Marx continua assombrando por aí
    Está nas mentes dos libertários inclusive.
    Mesmo que seja pra falar mal, mas continuam falando sobre ele...



  • Cristiane de Lira Silva  07/05/2018 17:22
    Tá, tá bom. Vocês podem falar mal do socialismo! Pelo menos dessa vez vocês chaaram o que aconteceu de socialismo real. O que não aconteceu foi o comunismo, pelo menos de acordo com a teoria. Será que vocês podem parar de censurar comentários? Se o comentário não deseja a morte de ninguém ou se não tem um monte de palavrão então não tem porque censurar, não é mesmo? E façam o favor de continuar falando de socialismo, comunismo, capitalismo, livre mercado e se possível parem de falar em feminismo! Claro que vocês são livres para falar sobre o quiserem, mas parece que quando se trata desses temas vocês esquecem completamente da noção de liberdade... Dos outros! É sério: vocês não são bons em falar sobre feminismo e o problema é de vocês! Há grupos liberais por aí que aceitam o feminismo liberal ( que é um dos feminismos de verdade) e tem muita gente que consegue fazer críticas decentes. Mas vocês não são muito bons nisso.
  • Alfredo Gontijo  07/05/2018 17:54
    A senhora tá bem? Já acabou o tricô? Não tem mais crochê? As panelas já estão devidamente limpas? Já passou pano no chão? As roupas já estão lavadas e secas? Quando todas essas tarefas já estiverem consumadas, tenha a bondade:

    Como o feminismo se equivoca em relação ao capitalismo

    Progressistas, reacionários, histeria e a longa marcha gramsciana

    A diferença salarial entre homens e mulheres no Brasil
  • Sempre Mais do MESMO  07/05/2018 18:45
    Cristiani.....

    Você precisa saber que na proposta de Marx o Socialismo seria apenas a fase intermediária que evoluiria naturalmente para o tal Comunismo.

    Marx jamais propôs implantar o Comunismo, pois em seu besteirol desconexo o tal Comunismo só se daria APÓS o Socialismo Científico na forma de Ditadura do Proletariado criar o NOVO HOMEM e estabelecer a ABUNDÂNCIA ABSOLUTA.

    Somente com a abundância absoluta, que seria criada pelo Socialismo(quá quá quá) seria possível surgir naturalmente o tal Comunismo.

    Ou seja, se esta seguindo rigorosamente o besteirol desconexo de Marx em suas asneiras dogmáticas e afirmações falsas.
    MARX SABIA QUE SUA IDEOLOGIA ERA UM AMONTOADO DE ASNEIRAS DESCONEXAS, tanto que se valeu de afirmar a existência de VÁRIAS LÒGICAS, que regram a natureza, segundo a CLASSE do intivíduo.

    Perceba que Marx É UM MÍSTICO, não só pela crença na história como uma força condutora, mas também na classe como definidora do mecanismo mental. Embora sendo ELE, Marx, e seu rico patrocinador ENGELS, fossem muito BEM NASCIDOSnda burguesia raciocinavam sob a LÓGICA dos PROLETÁRIOS. Ou seja, uma CONTRADIÇÃO strictu senso.

    o besteirol marxista é um deliberado embuste, tanto a asneira de afirmar que todo valor decorre do tempo de trabalho teve que ser alterado para um tal TEMPO SOCIALMENTE NECESSÁRIO. ...mas quem saberia que "TEMPO" é esse? ...e pior, quem decidiria sobre o PADRÃO de tempo socialmente necessário para a dinâmica da produção de inúmeros produtos e serviços em variado modelos?

    Ou seja, Marx reconheceu suas asneiras e se saia com meras afirmações sem fundamento algum. Por isso jamais informou como funcionaria o o ESTADO SOCIALISTA que preconizava e muito menos como a tal abundância absoluta se daria.

    A afirmação das "contradições do capitalismo" - ALTERANDO o SIGNIFICADO do TERMO CONTRADIÇÃO - foi apenas um meio de tentar fugir das próprias contradições com mais uma afirmação imbecil sem fundamento algum. CONTRASTES não são CONTRADIÇÕES. Tão pouco diferenças o são.

    Todo o besteirol marxista é um AMONTOADO de AFIRMAÇÕES DESCONEXAS. Um outro exemplo é sua afirmação de que no capitalismo o proletaria é remunerado apenas com o suficiente para sobreviver e trabalhar para lucro do patrão. Porém afirma que cada vez o proletário será mais explorado. Ora, se ja ganha o mínimo não há como piorar. É apenas mais uma PROFECIA IDIOTA para ASSUSTAR.

    Enfim, o marxismo só foi levado a sério porque muito dinheiro dos ricos incomodados com a concorrência FINANCIARAM essa patuscada imbecil.
  • Luiz Moran  07/05/2018 17:33
    O problema é que os extremos são sempre ruins.

    O libertarianismo é também mais um exemplo de extremismo utópico: acreditar no funcionamento de um mundo de ursinhos carinhosos num ambiente de total ausência do Estado (ou de um poder organizador), é, sem dúvida, uma das mais absurdas ideologias que existe.
  • Régis  07/05/2018 17:55
    O neoconservadorismo (a paixão por determinados políticos de viés autoritário) é também mais um exemplo de extremismo utópico: acreditar que é possível ser civilizado um mundo comandado autoritariamente por um punhado de burocratas dotados de extremos poderes estatais é, sem dúvida, uma das mais absurdas ideologias que existe.

    E o pior é que é uma ideologia de frouxos e cagões: só gente fraca, medrosa e incapaz de se defender por conta própria pode chegar ao cúmulo da frouxidão de ter de implorar para que burocratas o protejam. Se algum dia eu chegar a pensar assim, morrerei de vergonha de os outros descobrirem.


    P.S.: ah, e ao passo que o libertarianismo nunca foi aplicado na prática nem sequer em versões distorcidas, o estatismo neoconservador vive causando desastres humanitários por aí. Só não é pior que o socialismo.
  • Libertariozinho  07/05/2018 18:31
    Qualquer pessoa que diz que libertarianismo se trata de "ursinhos carinhosos" não conhece nada a respeito da ideia. Sabemos que haverá criminosos, a diferença é que haverá uma justiça privada para puní-los, e não uma monopolizada e totalmente injusta como a justiça estatal e o sistema carcerário
  • Sempre Mais do MESMO  08/05/2018 13:15
    Lus Moran, ...éum Jênio ...rsrs

    A extrema honestidade também é ruim, é Luis?

    A extrema saúde também é coisa ruim, né Luis?

    A extrema inteligência também é coisa ruim, não é mesmo Luis?

    O GRANDE MAL É QUE certos tipos exóticos adoram REPETIR FRASES IDIOTAS porque são incapazes de julgar. Então se alguém fala uma asneira ostentando bem estar ao falar asneira, imediatamente os PAPAGAIOS reproduzem a frase sem fazer nenhum julgamento, mas atendo-se à aparência. Ou seja, se um tolo fala uma asneira e aparenta esta sentindo-se bem com isso o outro emula um cruzamento de MACACO com PAPAGAIO e IMITA o outro na expectativa de sentir o mesmo prazer, então repetindo como um papagaio aquilo que não julga, não entende mas tem capacidade apenas para repetir.

    Tem quem goste de CHÁ QUENTE e tem quem goste de CHÁ GELADO ...ambos são radicais, BOM MESMO É CHÁ MORNO!!!

    ...O serumano se animaliza cada vez mais.
  • Kristian  07/05/2018 17:39
    Eis o ponto: se uma ideia é boa e sensata, ela sobreviverá a qualquer implantação imperfeita.

    Por outro lado, se suas idéias exigem padrões impossíveis de pureza para ser implantadas e funcionarem, então talvez elas não sejam tão geniais quanto você acha.

    Uma boa ideia irá funcionar bem mesmo que seja implantada em uma versão distorcida e atabalhoada. Isso é exatamente o que faz com que uma ideia boa seja realmente boa.

    Teorias políticas e econômicas nunca são implantadas de uma forma pura e não distorcida. E seus defensores raramente se mostram satisfeitos com os políticos que alegam ter sido inspirados por elas. É assim que funciona no mundo real: não há pureza e não há idéias que sejam traduzidas para a realidade sem nenhuma distorção. Os liberais e libertários fornecem ótimos exemplos disso: há aqueles países que mais se aproximam de suas idéias, mas nenhum as implantou de maneira pura, sem distorções. E, ainda assim, os liberais e libertários reconhecem que a implantação -- ainda que distorcida -- dessas idéias trouxeram consequências positivas.

    Já os marxistas, no entanto, são os únicos pensadores que não aceitam absolutamente nenhuma responsabilidade por nenhuma implantação de suas idéias no mundo real. Para eles, a Alemanha Oriental não estava mais próxima do socialismo real do que a Alemanha Ocidental. A Coreia do Norte não está mais próxima do socialismo real do que a Coreia do Sul. A Venezuela não está mais próxima do socialismo real do que o Chile ou o Peru. A China maoísta não estava mais próxima do socialismo real do que Taiwan. E por aí vai.
  • Dalton Catunda Rocha  07/05/2018 17:46
    Há quase 100 anos atrás, o escritor português Fernando Pessoa (1888 – 1935) escreveu: "O comunismo não é um sistema: é um dogmatismo sem sistema — o dogmatismo informe da brutalidade e da dissolução. Se o que há de lixo moral e mental em todos os cérebros pudesse ser varrido e reunido, e com ele se formar uma figura gigantesca, tal seria a figura do comunismo, inimigo supremo da liberdade e da humanidade, como o é tudo quanto dorme nos baixos instintos que se escondem em cada um de nós." > conservadores.com.br/o-anticomunismo-de-fernando-pessoa/

    "Quais são as pessoas que curtem a esquerda e, em espécie, o comunismo?" Geralmente os fracassados, aqueles que nunca iriam conseguir chegar onde sonhavam sem a ajuda de uma corrente política que precisa de acólitos." > subversivoxxi.blogspot.com.br/2017/07/os-crimes-de-stalin-trajetoria.html

    "Porém o suprassumo da cretinice é contestar a fidelidade de Lula ao comunismo mediante a alegação de que é um larápio, um corrupto. Qual grande líder comunista não o foi? Qual não viver como um nababo enquanto seu povo comia ratos? Qual partido comunista subiu ao poder sem propinas, sem desvio de dinheiro público, sem negócios escusos, sem roubo e chantagem?" > www.dcomercio.com.br/categoria/opiniao/el_mayor

    O petróleo é dos árabes. E a Petrobrás é da CUT. Dei-me um país, que tenha monopólio estatal do petróleo e, eu lhe darei um país pobre e uma cleptocracia. Tudo o que a Petrobrás deu ao povo brasileiro, desde que foi criada em 1953, é uma sentença de viver num país pobre.
    Qual deveria ser o hino do PT? Aquela música que diz: "Onde está o dinheiro? O gato comeu, o gato comeu. E ninguém viu. O gato fugiu, o gato fugiu. O seu paradeiro está no estrangeiro."
    Quem quiser, que veja a música completa neste site: www.youtube.com/watch?v=92rr8EcDc90
  • Luis  07/05/2018 19:37
    Eu diria que algumas tribos vivem ou viviam de uma forma parecida ao comunismo. No sentido de não haver propriedade privada dos meios de produção. E também algo anarquista, no sentido de o cacique ser líder, mas não obrigar ninguém a nada.
  • Sempre Mais do MESMO  08/05/2018 13:29
    Não é que vivessem sem propriedade dos meios de produção, È QUE MEIOS de PRODUÇÃO ERAM INEXISTENTES.

    Contudo as tribos funcionavam como uma empresa onde TAREFAS SÃO DIVIDIDAS e todos tomam uma parte do produto para si, segundo o estabelecido pelo chefe.

    Trata-se de divisão do trabalho em pequenas tribos. Esse sistema não seria possível se a tribo tivesse, por exemplo, 2 milhões de integrantes.

    A FALÁCIA, digo a FALSA LÓGICA ou SOFISMA é uma arma eficiente contra a baixa reflexão. É preciso pensar pelo menos duas ou três "jogadas" pra frente. Pensar omente na próxima jogada sem nem mesmo prever a jogada alheia, é derrota certa.

    É PRECISO PENSAR e JULGAR! ...O MAIOR INIMIGO de QUALQUER IDEOLOGIA É SABER PENSAR E JULGAR.

    Ideologias preconizam o OBEDECER. Por isso são IDEOLOGIAS: rometem um Paraíso ou Nirvana qualquer num futuro sem data e INCERTO. Com essa promessa de fantasia futura, apresentam-se como RECEITA (conjuto de idéias que levarão ao futuro prometido) e com base NESSE FIM SUPREMO eXIGEM a OBEDIÊNCIA ABSOLUTA a seus LÍDERES.

    ...É LÓGICO que o objetivo dos LÍDERES não é atingir o tal objetivo, o FIM, mas sim USUFRUIREM dos MEIOS que afirmam levar ao FIM inventado apenas como FANTASIA para EXIGIR A OBEDIÊNCIA CEGA.

    Afinal a tudo justificam nos fins:
    Daí, qualquer ATROCIDADE é JUSTIFICADA pelo FIM REDENTOR, da mesma forma que QUALQUER IMBECILIDADE igualmente se justifica no FIM PROMETIDO ...isso são TODAS as IDEOLOGIAS.
  • anônimo  07/05/2018 21:05
    Nessas eleições de 2018 darei um basta para dar poder a políticos que governam o Brasil sob essa CF/88 socialista sendo que nenhum terá interesse de mudar, deixarei cancelar meu título me abstendo de votar após ter visto esse vídeo: www.youtube.com/watch?v=C8k_Vcd5SPM&pbjreload=10
  • Leigo  08/05/2018 12:01
    É melhor votar no NOVO, o mais liberal que está por ai... Enquanto você não vota, a galera vermelha vai votar.
  • Henderson Ogando  08/05/2018 09:10
    Texto excelente! Comentários, em sua maioria, idem! Aprendendo muito no site. Parabéns aos idealizadores, parabéns a todos que participam com opiniões! Não saberia apontar um caminho, mas, se instado a tanto, diria ser "por aí"...
  • Judeu  08/05/2018 12:13
    Eu sou a favor da volta da Guerra Fria.
  • EMERSON EDUARDO RODRIGUES SETIM  08/05/2018 12:15
    Socialismo funciona, é vocês que não sabem viver sem comida.
  • Rene  08/05/2018 12:40
    Não desmerecendo o autor, pois o artigo está ótimo, muito bem escrito. Mesmo assim, a parte que eu mais gostei foi o gráfico que ilustra a lógica de implantação do socialismo. É óbvio que as pessoas que defendem o socialismo estão completamente equivocadas. Mas mesmo que eles tivessem certos e que as coisas funcionassem exatamente como aquele gráfico mostra, eu preferiria mil vezes mais viver na sociedade com zero "socialism units" do que tentar chegar na utopia. Vai que nós damos o azar de seguir um outro líder que estacione a alguns passos antes da utopia, como aconteceu com todas as dezenas de líderes que antecederam este? Como diz o ditado: Melhor um pássaro na mão do que dois voando (Com a diferença que, neste caso, os pássaros voando nem existem de verdade)
  • Insurgente  08/05/2018 14:49
    Eles pregam a filosofia da miséria, a luta pelos desvalidos e desafortunados e acham que podem falar por todos os pobres e "inocentes".

    Fora isso:
    Não conseguem diferenciar desigualdade social de desigualdade de renda, causa de consequência, capitalismo de compadrio de capitalismo e livre-mercado, acham que podem falar em nome das "minorias", desvirtuam os valores, espanam a realidade das coisas para sempre manter presos a essa ideologia sendo escravos dela.

    ...E se conhece parte das liberdades, uma vez que nunca estiveram livres de verdade.

  • Insurgente  08/05/2018 16:34
    No último parágrafo:
    ... E se, leia-se E só.
  • Mineiro desconfiado  09/05/2018 01:00
    A teoria do satanista e estelionatário intelectual Marx é clara:

    Para se chegar ao paraíso comunista é preciso primeiro dar uma passadinha no inferno socialista.

    Só faltou explicar de que forma se daria essa transição e quanto tempo levaria.
    Além disso é no mínimo suspeito e contraditório imaginar que um sistema alicerçado no totalitarismo, confisco de propriedade e matança indiscriminada irá resultar em algo admirável num período posterior.
  • Tiago Barroso  11/05/2018 00:08
    Pelo que entendi sobre o ''Real Socialismo'', é um modelo de subsistência, sendo assim nenhum incentivo para o avanço em todas as áreas. Achei até semelhante ao feudalismo
  • Emerson Luis  15/05/2018 10:54

    "Porém, dizem os socialistas, enquanto os planejadores socialistas continuarem esforçados e obstinados, e heroicamente se recusarem a ser sabotados pelo pensamento capitalista, a utopia"

    Mas por que é necessário tanto esforço e determinação, visto que a "Marcha da História" é inexorável e a Revolução Comunista Mundial está predestinada a ocorrer independentemente dos empenhos para causá-la ou detê-la?

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.