clube   |   doar   |   idiomas
Acreditar em ideias socialistas pode tornar você uma pessoa infeliz
Uma filosofia baseada no ressentimento impede o progresso do indivíduo

Em meu campus universitário, o maior e mais ativo clube estudantil era a "União Revolucionária dos Estudantes" (que segue muito ativo), também conhecido como a confraria dos alunos marxistas.

Embora eu, já àquela época, não concordasse com as idéias socialistas, uma coisa sempre me chamava a atenção: todos aqueles alunos pareciam profundamente infelizes.

Eles sempre entravam nas salas de aula com um olhar raivoso e viviam constantemente resmungando e se queixando de tudo e de todos. E as reclamações não se limitavam apenas aos "malefícios do capitalismo", mas também às infindáveis frustrações e injustiças que aparentemente dominavam suas vidas pessoais e acadêmicas.

Sempre tentei entender se havia alguma conexão entre a disfunção de suas vidas e sua ideologia socialista.

Para aqueles jovens revolucionários, cada frustração de suas vidas era culpa de outra pessoa. Se eles não recebiam as notas que juravam merecer, a culpa era de algum professor burguês. Se eles não recebessem propostas de emprego que levassem em consideração seu profundo intelecto, então era óbvio que o sistema capitalista os estava perseguindo e oprimindo. A tendência sempre era apontar as "classes inimigas" como as grandes responsáveis não só por todos os "malefícios sociais" como também por suas frustrações e problemas pessoais.

Ao transferir a culpa para terceiros, eles se aliviavam da responsabilidade por seus próprios problemas. Eles desperdiçavam todo seu tempo e energia reclamando, projetado uma auto-piedade e se afogando nessa autocomiseração. E faziam isso buscando solidariedade e reparação, em vez de simplesmente assumirem o controle de suas vidas e tentarem resolver seus problemas. Como resultado, suas frustrações iam apenas se avolumando.

Essa atitude também os privava daquele que é um dos grandes prazeres da vida: vivenciar a alegria trazida pela empatia que temos ao ver a felicidade alheia. De acordo com o jogo de soma zero característico de sua mentalidade marxista, a prosperidade dos outros ocorria à custa da sua própria. Consequentemente, eles se ressentiam de todas as pessoas mais bem-sucedidas que eles. E eles se tornaram tão preocupados em puxar as pessoas para baixo e arrastá-las para sua própria infelicidade, que acabaram ficando com pouca ou nenhuma energia para realmente tentar algum aprimoramento próprio.

Se aqueles meus camaradas estudantes algum dia tentassem impor o socialismo ao país, não seria necessário recorrer a nenhuma teoria econômica para concluir que causariam uma profunda e ampla miséria (econômica, social e mental). E o que é realmente irônico é que eles aparentemente não percebiam que a grande miséria de suas vidas já estava sendo causada pela própria ideia do socialismo, a qual residia apenas em suas mentes.

As raízes psicológicas do socialismo

E, apesar de tudo isso, e não obstante o fato de toda a lógica e evidência econômicas mostrarem que o liberalismo clássico e o capitalismo enriquecem e libertam toda a sociedade ao passo que o socialismo escraviza e empobrece, aqueles jovens socialistas ainda assim se mantinham firmemente convictos e apegados à sua ideologia. Por quê?

De acordo com Ludwig von Mises, não se trata simplesmente de uma questão de ignorância econômica ou de um erro intelectual generalizado. Antes, trata-se de uma questão psicológica. Ele foi ainda mais adiante e argumentou que as raízes do socialismo estão na neurose.

[A] raiz da oposição ao liberalismo não pode ser compreendida recorrendo-se ao método da razão. Tal oposição não se origina da razão, mas de uma atitude mental patológica — isto é, do ressentimento e de uma condição neurastênica que se poderia chamar de "complexo de Fourier", assim denominado em razão do socialista francês do mesmo nome.

O arcabouço mental socialista pode ser resumido em uma palavra: ressentimento. Como escreveu Mises:

O ressentimento ocorre quando alguém odeia tanto uma outra pessoa, por esta encontrar-se em circunstâncias mais favoráveis, que este alguém até mesmo se prepara para suportar pesadas perdas, se a pessoa odiada ao menos pudesse também se prejudicar. Muitos dos que atacam o capitalismo sabem muito bem que sua situação, sob qualquer outro sistema econômico, seria menos favorável. Não obstante, com pleno conhecimento deste fato, defendem uma reforma, isto é, o socialismo, porque anseiam que o rico, a quem invejam, também sofra com isso.

O psicólogo Jordan B. Peterson também caracterizou o socialismo como sendo conduzido tanto pelo ressentimento quanto pela promoção do ressentimento. Em um painel, disse ele sobre o marxismo:

Há o lado negro disso tudo, que é o que afirma que todos aqueles que têm mais que você só conseguiram isso porque roubaram de você. E essa afirmação realmente possui grande apelo perante aquele instinto mais Caim do espírito humano. Qualquer um que tenha mais do que eu conseguiu suas posses de uma maneira corrupta, e isso justifica não só minha inveja, como também minhas ações para tentar "nivelar o jogo", por assim dizer, e ainda parecer virtuoso ao fazer isso.

Há uma crescente filosofia do ressentimento que creio estar sendo hoje conduzida por um patológico etos anti-humano.

Aqueles que se perderam em uma descendente espiral de ressentimento prefeririam fracassar a serem bem-sucedidos se isso significasse que seus inimigos de classe também iriam sofrer conjuntamente. A frase "o sofrimento adora companhia" é particularmente aplicável à mentalidade socialista.

Como explicou Mises, as pessoas frequentemente recorrem ao ressentimento e à busca por bodes expiatórios porque isso oferece consolo, por mais efêmero que seja:

No caso do fracassado social, que é nossa única preocupação aqui, a consolação consiste em acreditar que sua incapacidade de alcançar as sublimes metas a que aspira não deve ser atribuída à sua própria incapacidade, mas às deficiências da ordem social. O descontente espera da derrocada desta ordem social o sucesso que o sistema existente lhe recusou.

É por essa razão que Mises diz que "para o homem moderno, o socialismo tornou-se um elixir contra a adversidade terrena."

E esta atitude compulsiva, insalubre e perniciosa é o que ofusca a mente do "guerreiro de classes", tornando-o impermeável a novas idéias. Como escreveu Mises, o socialismo frequentemente se resume a um mecanismo de defesa contra um complexo de inferioridade:

O neurótico se aferra à sua "mentira salvadora" e, quando tem de escolher entre renunciar a ela ou à lógica, prefere sacrificar a lógica. A vida seria insuportável para ele não fosse o consolo que encontra na ideia do socialismo. Ela lhe diz que não é ele, mas o mundo, que falhou por ter-lhe causado o fracasso. Esta convicção o resgata de sua decrépita autoconfiança e o libera do tormentoso sentimento de inferioridade.

Somente você pode alterar suas circunstâncias

Por sorte, esse tipo de neurose pode ser curada, mas requer grande esforço do indivíduo. Como escreveu Mises:

Não se pode mandar todo mundo que sofre do complexo de Fourier para um tratamento psicanalítico; o número dos pacientes é muito alto. Não há remédio para este caso senão o tratamento da doença pelo próprio paciente.

E o ponto de partida para conduzir esta auto-terapia é que cada indivíduo aceite o fato de que o ressentimento, a inveja e a busca por culpados irão trazer apenas frustração, estagnação e sofrimento desnecessário.

Todos somos responsáveis por melhorar nossas próprias vidas, por mais difícil e demorada que possa ser essa tarefa. Recorro novamente ao renomado professor de psicologia Jordan Peterson, que construiu sua carreira e seu reconhecimento majoritariamente no fato de ajudar indivíduos a abandonarem o ressentimento e a auto-piedade e passarem a assumir responsabilidade por suas próprias vidas. Ele argumenta que, muito melhor do que a agitação política e os atritos, oferecer esse tipo de ajuda é a melhor maneira de ajudar ideólogos a crescerem, amadurecerem e abandonarem suas tendências neuróticas que os levam a se apegar a idéias socialistas e a outros credos tóxicos.

Em uma sessão de perguntas e respostas, ele aconselhou dizer o seguinte a tais pessoas:

Veja, adoraríamos que você pudesse prosperar como indivíduo. Abandone essa sua mentalidade baseada em cultos coletivistas. Saia das sombras, das demoníacas sombras de sua possessão ideológica, dê um passo em direção à luz e se torne uma pessoa iluminada e plenamente desenvolvida.

O antídoto tanto para o socialismo quanto para o ressentimento derrotista é a reflexão individual e a ação. Se a pessoa fizer o esforço de olhar para si própria e tentar se auto-aprimorar, ela irá descobrir que seu ressentimento começará a desaparecer, a auto-suficiência irá crescer, e sua vida irá melhorar.

E abandonar idéias socialistas será um excelente efeito colateral disso tudo.

 

53 votos

autor

Daniel Sanchez
é o editor da Foudation For Economic Education. Seu escritos estão compilados em DanSanchez.me.

  • Bruno  05/02/2018 15:19
    Aproveitando que mencionaram o excelente Jordan Peterson, vale a pena (se é que existe uma alma que ainda não viu) postar de novo aquela que é a melhor entrevista (ou devo dizer carnificina?) da história: Peterson versus jornalista feminista vitimista.

    O primeiro traz um trecho legendado:




    E aqui a entrevista completa:

  • J. Rohn  05/02/2018 15:45
    Você não pode mudar as estações, não pode mudar o solo, não pode mudar o vento, a chuva, o sol. Tudo o que acontece, acontece com todos nós. A única coisa que você pode mudar é você e sua resposta a estes elementos. Sua resposta ao que acontece são suas ações, sua atitude, sua disciplina e, acima de tudo, sua capacidade de criar valor para os consumidores. É isso o que trará grande parte dos bons resultados de sua vida.

    O capitalismo, sob essa ótica, nada mais é do que um arranjo em que as pessoas aceitam plena responsabilidade por suas ações. E também por sua falta de disciplina. O capitalismo premia a responsabilidade pessoa, a disciplina e a criação de valor para terceiros, e pune a irresponsabilidade, a falta de disciplina e a incapacidade de criar valor.

    Sendo assim, é totalmente natural que uma pessoa que acredite em valores como responsabilidade, disciplina e criação de valor para terceiros também acredite em um sistema econômico que promova e recompense essas coisas.

    Igualmente, é totalmente natural que uma pessoa que não acredite nesses mesmos valores também acredite em um sistema econômico que os destrua e premie o ressentimento.
  • Rafael  05/02/2018 15:56
    Ideias de esquerda se resumem apenas a atribuir a terceiros a culpa pelo próprio fracasso. Esquerdismo nada mais é do que uma ideologia voltada a abolir a responsabilidade pessoal e viver posando de "vítima" por não ter o mesmo sucesso de terceiros. É totalmente compreensível que pessoas irresponsáveis e sem disciplina defendam um sistema que premie esse comportamento.
  • Sempre Mais do MESMO  07/02/2018 10:24
    .
    Esquerdistas, digo socialistas, SÃO MANÍACOS!

    São frustrados consigo mesmos, sentem-se inferiores e por isso tornam-se OBSCURANTISTAS:

    - Fazem apologia da pobreza como vingança contra as pessoas de sucesso econômico.

    - Solidarizam-se somente com BANDIDOS e nunca com as vítimas, porque somente se identificam com os bandidos. São os bandidos que os representam e a derrota do bandido é sentida como mais uma derrota para si.
    (Ninguém odeia o árbitro que rouba a favor do seu time, mas odeia os que roubam contra (é da natureza humana: emoção denuncia). Da mesma forma esquerdista não odeia bandido, mas apenas policiais honestos.
    Um torcedor pode até admitir que o juiz roubou a favor do seu time, mas JAMAIS conseguirá odiar o juiz. Da mesma forma solidarizam-se com bandidos, mesmo tendo que admitir que são bandidos e ENTÃO começam a INVENTAR DESCULPASe FAZER APELOS EMOCIONADOS. É o único meio de DEFENDEREM os BANDIDOS com que SE IDENTIFICAM e POR TAL SENTEM-SE por eles REPRESENTADOS.

    - Defendem tarados e terroristas ISLÂMICOS como vingança contra o mundo que odeiam.

    - Defendem TUDO que for NOCIVO ao BEM VIVER e apoiam a degradação das DROGAS, do ROUBO, do BANDITISMO, a MISÉRIA, a BAIXA PRODUTIVIDADE (agricultura familiar e contra trangênicos e defensivos agricolas)...

    Enfim, ODEIAM o PROGRESSO, a ALEGRIA GENUINA, o ORGULHO e a DIGNIDADE INDIVIDUAL e TUDO MAIS que for do BEM VIVER.

    Sonham com a disseminação da miséria, da dor, da depressão, da frustração sexual
    ...SÃO OBSCURANTISTAS porque SÃO FRUSTRADOS com a própria individualidade ...daí o apreço por coletivismos onde LIVRAM-SE de SI e da reponsabilidade sobre si.
  • Carlos A. Damasceno  05/02/2018 16:04
    Estudei sociologia na universidade e embora gostasse dos tópicos abordados toda a literatura se concentrava exclusivamente em idéias de esquerda. Eu também queria ver as idéias do "outro lado" mas simplesmente não tinha acesso a elas.

    Não cheguei a desenvolver um total complexo de Fourier, mas fiquei completamente perdido e sem rumo ao terminar o curso, com vários conflitos internos.

    Me tornei praticamente um sujeito infeliz e passivo perante o mundo ao invés de perceber todo o meu potencial.
    Infelizmente levou anos para eu sair desse caminho.
  • ANTONIO  05/02/2018 17:44
    que bom que você melhorou, também sofri isso e olha que fiz engenharia
  • Ze da Moita  06/02/2018 10:04
    quando tive sociologia jurídica na faculdade, faço direito, a profª era a caricatura de socialista, passou por Durkheim e Weber com uma aula fria e algumas críticas e quando chegou em Marx o olhar dela mudava completamente, como era só uma matéria introdutória e já estávamos próximo a época de provas ela não conseguiria se aprofundar em Marx e explicar outros autores socialistas como Gramsci e também como é universidade privada a maioria mal lembra o que viu na aula quanto mais adotar esses discursos revolucionários com dinheiro alheio
  • Rafael  06/02/2018 10:09
    Também passei por isso. A descompressão foi lenta e trabalhosa, mas consegui me livrar dessa forma neurótica de pensar.
  • Vladimir  05/02/2018 16:08
    Excelente artigo, e vale adicionar um ponto: o nacionalismo também é outra doença tóxica e derrotista. Ele retira a responsabilidade do indivíduo e joga toda a culpa de qualquer problema econômico nos "malditos estrangeiros". Tem muita gente de direita com essa ideologia (o que leva a tarifas e cotas de importação, defendendo até mesmo ao banimento de produtos de determinados países).
  • cmr  05/02/2018 18:08
    O patriotismo também.

    "O patriotismo é o último refúgio do canalha" - Samuel Johnson.
    "O patriotismo é a virtude dos selvagens" - Oscar Wilde.

    E quando a nós brasileiros, estamos na merda, ou socialistas assumirão o poder nesse paíseco (Ciro Gomes, Lula,...)
    ou nacionalistas (Bolsonaro e cia.)
  • Alexandre Carlito Borges Rodrigues  08/02/2018 19:00
    Não sou contra o patriotismo, pois o brasileiro tem que se orgulhar de seu país. Não se pode confundir patriotismo com restrição ao livre comércio.
    Quanto ao Jair Bolsonaro, é a concretização política do movimento conservador demonstrado no país nos últimos meses, é muito interessantes ficar debatendo ideias, mas a verdadeira batalha se dá na tomada do poder de um país (por meios legítimos é óbvio) e também se dá no campo cultural. A esquerda está atacando a cultura conservadora, a qual é baseada nos princípios judaico-cristãos. ACORDEM. Só um questionamento: Quantas empresas o governo do PT estatizou?
  • Breno  08/02/2018 19:31
    Quantas ele estatizou foi provavelmente zero, mesmo porque, por pior que isso aqui seja, não é exatamente tranqüilo o governo sair fazendo confiscos e estatizando propriedade privada. Ainda não somos uma Venezuela.

    No entanto, caso esteja interessado, eu posso falar quantas estatais o PT criou: 43 estatais.

    opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,proliferacao-de-estatais,10000069719

    oglobo.globo.com/opiniao/estatais-criadas-desde-lula-sobrecarregam-tesouro-19951647

    E elas deram um prejuízo de R$ 8 bilhões, integralmente pagos por nós. Tá pouco para você?


    Acho que está bem claro quem realmente tem de "acordar", né?
  • Alexandre Carlito Borges Rodrigues  09/02/2018 09:42
    OK, mas o enfoque principal da esquerda está no aumento do poder estatal ou está na revolução cultural? Para combatermos eficientemente os canhotos temos que começar a lutar culturalmente, mas infelizmente ideias de alguns libertários e esquerdistas convergem nesse ponto, e aqueles acabam apoiando o movimento que eles julgam combater, falo de questões como liberação de drogas, aborto por exemplo.
    A esquerda está abolindo as raízes do ocidente, desse modo o socialismo será apenas uma consequência, Gramsci já deu a receita e eles estão assando o bolo no forno cultural libertário.

  • Separatista  09/02/2018 11:51
    Não sou contra o patriotismo, pois o brasileiro tem que se orgulhar de seu país.

    Não entendo como isso poderia ser classificado como um argumento razoável.
    Aliás, isso é o mesmo que dizer:
    Não sou contra o patriotismo, pois o brasileiro tem que ser patriota.

    Como bem citado pelo cmr, Samuel Johnson está corretíssimo.
    Afinal, existe alguma desculpa mais esfarrapada do que o patriotismo para que o estatismo seja praticado?
  • Alexandre Carlito Borges Rodrigues  09/02/2018 18:37
    Não entendo como isso poderia ser classificado como um argumento razoável.
    Aliás, isso é o mesmo que dizer:
    Não sou contra o patriotismo, pois o brasileiro tem que ser patriota.


    Esse argumento não tem fundamento, o patriotismo tem uma relação quase nula com o estatismo, um exemplo óbvio disso é os EUA. Aliás o "não-patriotismo" é incentivado pelos globalistas, daí você já pode deprender algo, correto? E o que seria sua classificação de argumento razoável? seria somente o que vai de encontro ao que você acredita?

    Como bem citado pelo cmr, Samuel Johnson está corretíssimo.
    Afinal, existe alguma desculpa mais esfarrapada do que o patriotismo para que o estatismo seja praticado?


    O brasileiro não tem que se orgulhar do Brasil, isso eu vejo como um dever. Não confunda patriotismo com impedimento ao livre mercado e transações comerciais entre as nações.
  • Separatista  09/02/2018 20:30
    Bom, foi você quem disse: Não sou contra o patriotismo, pois o brasileiro tem que se orgulhar de seu país.
    Isso não é um argumento razoável, pois não tem valor lógico nenhum.
    Afinal, a definição de patriotismo é justamente ter devoção (orgulho) a seu país.

    E ainda acrescentou: O brasileiro não tem que se orgulhar do Brasil, isso eu vejo como um dever.
    Isso é uma contradição lógica, mas o mais importante é você explicar pra gente por que é um dever de todos os brasileiros ter orgulho do Brasil.
    Por que alguém tem que ser devoto de algum país? Só porque nasceu em seu território?
    Existe algum motivo para esse orgulho ou é só porque você quer? Tem algum argumento razoável em torno disso?

    E o que seria sua classificação de argumento razoável? seria somente o que vai de encontro ao que você acredita?
    Responda as perguntas acima e veremos se há alguma linha de raciocínio a ser seguida.
    Até agora não vi nenhuma.

    o patriotismo tem uma relação quase nula com o estatismo
    Se a relação fosse quase nula como você diz, não veríamos grandes programas de estado serem criados em nome da pátria.
    Os exemplos são vários e óbvios: Alemanha Nazista, Fascismo italiano, o regime soviético, o regime militar brasileiro de 1964, o getulismo, o atual governo americano com seu slogan "Make America Great Again" e o seu antecessor com a frase "Yes, we can!" e, é claro, não podemos esquecer do recente bordão que circula no brasil: "BRASIL ACIMA DE TUDO!!! DEUS ACIMA DE TODOS!!!".

    Se alguém diz que um país está acima de tudo, ele está necessariamente negando os direitos do indivíduo.
    E para convencer a população que suas idéias são as melhores para o "brasil", mesmo que remova direitos individuais, nada melhor que uma turba de seguidores patriotas.
  • Jailma Viana  24/06/2018 14:47
    Caro Alexandre Carlito,
    Meditei sobre a tua afirmação: "não sou contra o patriotismo, pois o brasileiro tem que se orgulhar do seu país."
    Pensei, pensei, tornei a pensar, e cheguei a pensar que a tua expressão:... o brasileiro "tem" que se orgulhar.... fosse um tanto quanto mandatória, pouco libertária.
    Mas de qualquer maneira voltei a pensar e resolvi dividir em etapas a minha vida para melhor me orgulhar a respeito do meu país. Ficou assim.
    Quando morei no RS me orgulhei do por do sol no Guaíba.
    Quando morei no Para, me orgulhei das verdes matas.
    Quando morei no Tocantins, me orgulhei dos rios piscosos.
    Quando morei no RJ, me orgulhei da beleza das praias.
    Quando morei no ES, me orgulhei da deliciosa muqueca.
    Foi só,
    Abraços
  • Prometheus  05/02/2018 23:42
    Esses caem no grupo das bolsonetes, e também da esquerda, que adora colocar um inimigo no exterior, proteção contra o capital estrangeiro e idiotices similares.
  • S. Freud  05/02/2018 23:53
    Socialismo é claramente o mecanismo defensivo de egos desorientados e neurotizados com uma crença de ameaça irreal. O ideal utópico trata-se da sublimação das pulsões imaturas e irracionais de satisfação plena, que buscam rejeitar a escassez do mundo real e a inevitável realidade de que o mundo não se ajustará a logica do princípio do prazer absoluto interno de cada um. A absorção contínua do ego em tais ideáis obcessivos atingem níveis psicóticos que obstruem a capacidade racional do mundo fora e até mesmo de autocrítica, criando uma autoimagem distorcida e uma racionaização de vítima impotente para justificar seu próprio desejo de destruição do mundo, mundo este que se nega a atender seu princípio absoluto de prazer ao mesmo tempo que desloca seu incosnciente desejo destrutivo projetando-o nas intenções alheias, colocando todos como vilões persecutórios de seu ideal.
  • Felipe Lange  05/02/2018 23:58
    Fato, geralmente é essa porcalhada de neoconservadores que ainda se intitulam como conservadores.
  • Ze da Moita  06/02/2018 10:08
    a inveja é um sentimento forte, todos tem, eu já tive e posso ter, qualquer um aqui já teve, só que vc tem duas opções: usar ela como sentimento motivador para se aprimorar e superar o objeto da sua inveja(vc tem um vizinho rico, vc busca enriquecer) ou vc ataca o objeto da inveja e tenta igualá-lo a sua condição (políticas de redistribuição de renda), entendo que o capitalismo é o que dá melhor direção para inveja ao incentivar o trabalho(tanto como empregado como empreendedor) para obter bens que possui o desejo de ter
  • Ze da Moita  07/02/2018 14:14
    acho que sem querer "respondi" vc
  • Demolidor  05/02/2018 16:13
    Muito bom o texto. Já tendo estudado em universidade pública, sempre achei que parcela significativa dos meus professores e de colegas engajados em centros acadêmicos e DCE eram caso psiquiátrico. Mesma impressão que tive com alguns funcionários públicos. Notem que não estou dizendo de todos, pois tive alguns professores muito bons e excelentes colegas.

    Mas faço uma ressalva. Hoje, bem sucedido, vejo que muitas das agruras pelas quais eu e minha família passamos (com parentes da área de construção civil, uma área muito bem paga em qualquer país com economia saudável, descendo ao estado de mendicância) foi consequência direta e acima de qualquer dúvida das ações dos vários governos e do estado brasileiro. A bagunça econômica dos anos 1980 e atual é de responsabilidade exclusiva de um bando de invejosos e ressentidos que se apossou da máquina pública.

    A responsabilidade por nosso sucesso e felicidade é, sim, nossa. Mas não podemos deixar de reconhecer quando somos sacaneados. E uma coisa que particularmente me preocupa é um aspecto do que chamo de cultura organizacional do estado brasileiro: a maneira pejorativa como enxergam o povo, algo que não vejo muito paralelo em outras paragens. Fica fácil colocar exigências draconianas e negligenciar pessoas que se considera incapazes e inferiores.
  • Fabrício  05/02/2018 16:27
    Essa neurose é tão antiga quanto o homem. O socialismo usa a tática de fazer as pessoas ignorarem o 10º mandamento como um prelúdio para abolir o 7º.
  • junior  05/02/2018 16:30
    Quero agradecer ao IMB pelo conhecimento disseminado aqui. Descobri a escola austríaca há 4 meses e então venho aqui todos dias pegar conhecimento lendo mais de 10 artigos por dia. Sou programador e achava que para aprender economia tinha que fazer faculdade, e Ficar lá 4 anos aprendendo a fazer cálculos "cabulosos" (kkk) mas não. Economia trata da ação humana.

    Aprendo muito com os comentários também.
  • KARL MARX  05/02/2018 16:31
    Olá camaradas !

    Aqui no inferno o comunismo trouxe a igualdade prometida pelas minhas idéias: está todo mundo ferrado por igual.

    Além disso, aqui no inferno não existe Estado conforme as minhas idéias também prometiam: o que tem no lugar do Estado é um ditador com um chifre enorme e rabo afiado, o nome dele é Satanás, ele é todo vermelho, tem uma estrela no peito, cospe fogo e é muito mau humorado.

    Tem mais uma coisa: quem não obedece as ordens do ditador é obrigado a ouvir funk brasileiro por 02 semanas seguidas trancafiado numa sala, sem direito a falar com nenhum dos vários advogados que moram aqui no inferno.

    Ah ! Quanto a mim: sou o conselheiro do Satanás, ele fala que sou o seu braço esquerdo, uma recompensa que jamais imaginei pudesse alcançar. Consegui esse reconhecimento junto ao Satã (para os íntimos) graças aos resultados que as minhas idéias produziram para a humanidade. Engels também está no conselho, ele é o braço direito do nosso querido ditador.

    Saudações vermelhas !
    KARL MARX
  • Mateus  05/02/2018 21:41
    Po, marx... Excelente.. HAUHUAHSA
  • Felipe Lange  05/02/2018 17:17
    Resumindo: marxismo faz mal à saúde mental.
  • Manoel Graciano de Castro  05/02/2018 17:32

    Ex Petista!!

    Agradeço imensamente ao Instituto Mises Brasil, por este trabalho de divulgação da cultura do livre mercado, já li todos os artigos, cada um melhor que o outro, mas este é simplesmente excelente, parabéns ao autor Daniel Sanches, gostei demais dos comentários também.
  • Constatação  05/02/2018 19:06
    Socialismo é a ciência de resolução de problemas com a utilização do fígado.
  • Paulo Mubarack  05/02/2018 20:07
    Excelente artigo e comentários muito verdadeiros. Parabéns a todos!
  • marcela  05/02/2018 21:37
    Com certeza a esquerda tanto a podre quanto a cheirosa são totalmente sem noção!Uma filosofa chamada Marcia Tiburi que pertence a ala podre da esquerda, defende abertamente o assalto.Já o MBL que pertence a ala cheirosa tem feito críticas ásperas a ela,muito embora defendam volchers que nada mais são do que programas estatais financiado com roubo=imposto.Será possível que só nós Ancaps temos juízo nessa droga de país?
  • Cesar Augusto Ilgenfritz  05/02/2018 23:20
    O estranho caso dos caranguejos gaúchos finalmente explicado!
  • Gaudêncio   07/02/2018 03:36
    Caranguejos? Sim, caranguejos.

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2553
  • lucas  05/02/2018 23:56
    Por falar em estado socialista, veja o que o professor Vasconcelos, da Uerj falou sobre ensinar os filhos em casa no site da BBC.

    "Não dá para trabalhar caso a caso, dependendo de cada comarca ou cada juiz. Há uma lacuna: o homeschooling, como está hoje, é um risco para as famílias e sociedade como um todo. Tem que ter uma relação instituída com o Estado. Não pode se limitar a tirar as crianças da escola. No momento, não conseguimos nem sequer ter um censo dessas crianças. O Estado não permite que uma mãe faça com seu filho o que ela quer. É preciso normatizar o processo".

    "Não posso concordar que as crianças sejam retiradas da escola na infância ou na adolescência e fiquem em homeschooling sem nenhuma satisfação ao Estado do que está sendo trabalhado"

    É cada coisa que aparece.

    link
    www.bbc.com/portuguese/brasil-42897647
  • keila lopez  06/02/2018 10:59
    Os liberais é que tem inveja dos funcionários publicos que tem uma bela carreira, vcs vivem criticando, isso nao faz bem pra vcs pessoal, menos inveja por favor.
  • Álisson Lords  07/02/2018 00:22
    Morrendo de inveja mesmo... Assim como você morrendo de medo de que um dia a estabilidade estatutária dos servidores públicos se torne coisa do passado e, assim, todos terão que produzir, sendo produtivos num mercado que não dá chance para pessoas que só estão seguras em suas funções, não por eficiência (se fosse por eficiência, os libertários estariam se explodindo de inveja, e tbm já não seria necessário o regime atual), mas por lei. Assim como os salários só se mantém "invejáveis" por que o Estado não cria riqueza, só consome a que trabalhadores (empregados e empregadores) do setor privado criam e sem os quais os "invejáveis" salários não seriam possíveis.
    Chega a ser uma falta de respeito sua para com todos os trabalhadores do setor privado, não somente com os libertários, vir falar essas asneiras aqui, Sra. Keila Lopes.
    Passe bem!
  • 21  07/02/2018 11:26
    Que nada Álisson, vamos seguir seguir as belas carreiras do funcionarismo público, parar com nossa inveja, acho que seria melhor que todos os cargos fossem públicos, pois são belos, também seria ótimo que todo nosso salário fosse público, pagássemos 100% de imposto para que o Estado retornasse bons serviços a nós.
  • keila lopez  07/02/2018 18:21
    quanta dor de cotovelo, só porque vcs nao tem capacidade intelectual para passar em um concurso
  • diego  07/02/2018 22:48
    Os libertarios nao estao dispostos a virarem parasitas e viverem a custa dos pobres
  • Pobre Paulista  08/02/2018 11:53
    Bom dia.

    Eu passei num concurso em 2004 e desisti de ingressar a tempo.

    Argumento derrubado, próximo por favor.
  • kira  08/02/2018 15:48
    Taí como prova a explícita psicologia de um esquerdista, prepotente e arrogante, se acha superior ao resto do mundo, precisa se incultir de uma aura de superioridade e autoridade para compensar seu fracasso na vida profissional comum. Além de ser um parasita do trabalho e dinheiro alheio e nada de útil produzir para a sociedade. É claro que sempre há a chance de perfis aqui serem fakes de algum liberal engraçadinho, mas alguém consegue comparar com a realidade e atestar muita diferença? Esse é o sonho patético e verdadeiramente egoísta de todo esquerdista, ganhar as custas dos outros privilégios e vivier de nada útil.
  • Demolidor  09/02/2018 15:03
    Dois. Também passei em concurso público, trabalhei em repartição federal, estudei em duas universidades federais...

    Minha conclusão é a mesma de Roberto Campos: há algo de doentio no estado e na mentalidade estatal.

    Hoje, felizmente, estou livre. Tenho meus próprios negócios, não dependo de governo brasileiro pois são internacionais, e posso morar onde bem entender.

    Conheço a realidade de outros brasileiros que largaram seus empregos públicos e foram morar fora do país, para trabalhar na iniciativa privada em lugares realmente livres (o que exclui a Europa, obviamente). Estão, via de regra, melhor de vida, trabalhando menos e não querem saber de voltar.

    Além disso, é nítida que a situação de funcionários públicos em economias livres, como Estados Unidos, Cingapura, Suíça ou Emirados Árabes é bem melhor que a brasileira. Embora a maioria não goze, legalmente, de estabilidade de emprego como no Brasil, na prática é muito difícil um funcionário público ser mandado embora. Além disso, com o estado enxuto e muito mais eficiente, essas pessoas são bem vistas pela sociedade como um todo (quem já viu americanos acenando para bombeiros e militares sabe bem do que estou falando), não como parasitas vagabundos como são enxergados pela população brasileira.

    Também passo.
  • Sindicato dos Capitalistas  06/02/2018 12:56
    Será que ninguém percebeu que esse Levante Popular e a UJS estão sendo pagos pelo PCdoB, PSOL e PDT ?

    Eles são socialistas que não socializam. O próprio Caetano vai em acampamento do MTST com 30 milhões em imóveis.

    O principal motivo do fracasso do socialismo é a inexistência de lucro e preços. O segundo motivo é que os líderes são canalhas, mentirosos, enganadores, corruptos, bandidos, etc.

    Os caras estão soltando assassinos e estupradores das prisões. Eu não conheço um socialista que não seja canalha.
  • Intruso  06/02/2018 14:48
    Enquanto houver miséria e exploração, haverá a ideologia socialista de um mundo melhor.
  • Breno  06/02/2018 16:29
    Ué, mas dado que exploração e miséria ocorrem exatamente no socialismo (vide a Venezuela, que já foi o quarto país mais rico do mundo, e hoje a população está na mendicância), então por que as pessoas que são exploradas e estão na miséria por causa do socialismo pedem exatamente mais socialismo?

    Não entendi sua lógica.
  • Felipe Lange  06/02/2018 18:39
    Tipo... quando o ser humano surgiu, no estado de pobreza extrema, na sua condição natural?
  • Andre  06/02/2018 19:47
    Odiar e ter motivos pra reclamar são necessidades humanas tanto quanto comer e passar um tempo relaxando. Ideias socialistas suprem muito bem estas necessidades.
  • Porteiro  06/02/2018 19:53
    Haverá também abundância de mendigos como você falando essas besteiras.
  • Xenon  06/02/2018 21:02
    Correção: Enquanto houver gente insana sedenta pelo poder absoluto, sempre haverá dor, miséria e morte.
  • Rodrigo Amado  06/02/2018 15:21
    E pessoas infelizes tendem a acreditar no socialismo. Pois requer menos coragem para a pessoa reconhecer que ela é infeliz por culpa dela do que botar a culpa nos outros.

    Socialismo é a ideologia dos invejosos e fracassados, além dos psicopatas que usam os fracassados para alcançar o poder e depois usar o poder para matar os fracassados.
  • Celso Borges  06/02/2018 18:09
    Pessoal, fiz dois semestres de jornalismo em uma Universidade Federal, e esse texto se encaixa perfeitamente nos alunos da turna na época. Muitos até gente boa, mas com essa mentalidade de excluído, de minoria...queria tanto ter ficado mais e ter ajudado alguns a se livrar disso, ao invés, comecei Ciências Contábeis :)
  • Bruno  06/02/2018 20:46
    Algum artigo explica a bolha da internet(empresas .com). O motivo a causa e a recuperação...

    Qual foi a intervenção que causou isso?
  • Arnaldo Gunzi  06/02/2018 22:55
    Texto: O" artista"

    Hoje me encontrei com o "artista". Um sujeito de 30 e poucos anos, formado em Belas-Artes de uma universidade carioca.

    Era alguém revoltado com a vida. Reclamava que a sociedade não apreciava o seu trabalho. Ninguém entendia a sua expressão de crítica ao sistema capitalista. Ele era uma força da desordem, contra a ordem. Estava além de seu tempo e muito acima de seus pares.

    Ora, por uma questão de lógica, perguntei a ele porque ele gostaria de ser reconhecido pela sociedade, já que ele estava além do tempo e de seus pares? E porque um artista assim precisaria de reconhecimento externo, já não bastaria a satisfação com a obra em si? Em resposta, ele bravejou algo contra o sistema capitalista – fascista – norte-americano.

    Eu disse a ele que "arte", no conceito grego da época de Aristóteles, vem de "artificial". Que os gregos consideravam todo o trabalho uma arte, por ser feito com o trabalho humano. Um sapateiro é um artista: tranforma couro e linha em algo que vai proteger o pé de alguém. Um varredor de rua é um artista: luta contra a entropia da natureza para manter as ruas limpas. O trabalho enobrece.

    A resposta dele foi algo relacionado à dialética marxista. Acho que ele não entendeu a pergunta, e eu certamente não entendi a resposta.

    A irmã do "artista" declarou que ele morava com a mãe. Nunca tinha trabalhado na vida, exceto em alguns "bicos". A sua fonte de renda era uma mesada (da magra aposentadoria da mãe). Ele não ajudava em tarefa doméstica alguma e vivia reclamando de tudo.

    Para concluir, não sei como dialogar com alguém assim, com visões básicas do mundo completamente distintas. Talvez ele esteja mesmo muito à frente do nosso tempo…

    Ao me despedir do sujeito, suas últimas palavras foram "Fora Temer"!


    ideiasesquecidas.com/2017/03/14/o-artista/
  • Rafael (outro)  06/02/2018 23:13
    Quando me deparo com esta discussão sempre penso que no Brasil nossos capitalistas são tão falsos quanto os nossos socialistas: ambos tem o mesmo objetivo, que é se escorar no estado para proveito pessoal. Ressalvadas exceções no lado do enpreendedor.

    O cara que se arrisca, compra 100 camisetas de futebol e vai pra frente do estádio defender uns trocados é o meu herói nacional... já o empresário que consegue aprovar uma lei que o favoreça é o inimigo oculto.
  • Álisson Lords  06/02/2018 23:54
    Li essa baboseira do Sr. Vasconcelos ontem à noite. Fiquei pasmo com palavras tão imbuídas de estatismo. É arrepiante ler tais coisas em plena era de clara intrusão e agigantamento do Estado em nossas vidas. Tal modo de pensar está naturalizado na maior parte da nossa sociedade, e com maior vigor entre os ditos intelectuais.
    Quanto ao artigo acima, fazendo uma avaliação dele a partir da minha experiência pessoal, digo que, após tomar contato de forma menos preconceituosa com os textos do Instituto Mises, tive um giro de 360 graus no meu modo de pensar vários aspectos da realidade. Friso bem: quando deixei de lado meus preconceitos. Os preconceitos que todo discípulo do socialismo tem e que seria redundante dizê-los aqui e que o artigo os pontua bem, especialmente nas palavras do caríssimo von Mises.
    Era infeliz e não sabia! Rsrs.
    Hoje, estou numa "Cruzada" pela difusão das idéias da Escola Austríaca de Economia, procurando ajudar as pessoas de boa vontade a se iniciarem no mesmo processo de verdadeiro crescimento intelectual pelo qual passei e ainda passo, e assim serem livres e felizes!
    Obrigado Mises e ao Instituto que leve esse honroso nome!
  • Sempre Mais do MESMO  07/02/2018 10:53
    Sempre saltou-me a vista a criação arbitrária ou fantasiosa de "modelos de valor consensual" mesmo que nestes nenhum valor de fato exista. Um surrealismo moral. Este fato se desenvolve da seguinte forma: um grupo de indivíduos passa a valorizar determinado comportamento, exibindo tal procedimento como característica consagradora dos que o adotam como item de sua escala moral. Na periferia de tal grupo todos observam a anuência eloquente dos integrantes do grupo em triunfante exibicionismo sobre o valor do item moral, alardeado com ostensivo apoio grupal.

    Todos percebem a louvação mútua no grupo, como se os integrantes sinceramente se reconhecessem superiores aos demais não irmanados. Logo, os inseguros sedentos de valor postiço tendem a imitar o tal comportamento e adotam a escala moral de tal espalhafatoso grupo corporativo, seja tentando repetir em si as sensações que lhe exibem os integrantes, seja para obter seu apoio ou apenas para exibir a outros a aparência triunfante como integrante de tal grupo,. Tentando convencer a platéia sobre o valor que "se atribui" para, pelo menos, "sentir" através desta platéia que pretende iludir.

    - A moda é modalidade desta insânia, pura estupidez, plenamente irracional, onde o indivíduo toma por referência a aparência do meio externo ostentado, induzindo sua mente a valorizar o que pressupõe que lhe atribuirá valor no meio social.
    .
    Muitos indivíduos que não trocam galanteios entre si, sentem-se atraídos pelo clima corporativo do grupo e querem irmanarem-se para obter as honrarias morais que o grupo reivindica dos demais. Adotam tais itens morais em seus discursos e sentem-se implicitamente reconhecidos em seu mérito, ou "valor social", segundo a opinião propagandeada pelo grupo.
    Algo como na GENIAL estória, onde o rei se "veste" com roupas "só percebidas pelas melhores pessoas". Assim, todos que querem se exibir integrantes do grupo "dos melhores", ostentam anuência para com a beleza das "roupas" do rei.
    Na estória todos parecem acreditar que os outros realmente as vejam. Então cada um tenta esconder dos demais, e até de si, que não pertencem a "elevada classe" por não verem roupa alguma. Despertos de seu transe quando alguém grita "o rei está nu!".

    Na realidade as coisas não são tão simples, até porque nem todos conseguem acreditar que as "belas roupas" existam (ou os bons sentimentos existam), exibindo sua anuência apenas por OPORTUNISMO, pouco importando-se com a realidade do fato e tão pouco com a própria opinião. Assim, no mundo real, tão logo alguém grite que "o rei está nu!", outro grita que uma "má pessoa" se revelou. Todos então encontram o referencial de "inferioridade" que tanto almejavam para sentirem-se superiores; encontraram um dos "piores" que confirma a superioridade dos "melhores" na apoteose BINÁRIA (maniqueísta). Assim os interessados mais reforçam a idéia de que só os melhores percebem as tais "belas roupas" e que eles as percebem.
    A coisa só se complica se o número dos "piores que gritam" (visibilidade) aumenta, pois isto aterroriza os que se querem consensualmente reconhecidos como "melhores", respaldados no maior ou mais ostensivo consenso. Como se tal definisse a "verdade" que os consagra, ante o silêncio em contrário. Daí o DESEJO dos ideológicos por CALAR os CÉTICOS e sobretudo os CRÍTICOS.

    Quando indivíduos se encontram na companhia anuente de seus pares, tendem a alhearem-se da própria razão, ou consciência, substituindo-a pela "consciência coletiva" do grupo no qual se apoiam. Como se este fosse uma entidade superior ao indivíduo. Preferem então a anuência grupal em detrimento da própria consciência. Perdendo até a noção do ridículo.
  • Leigo  07/02/2018 12:04
    É triste quando libertários se enquadram nisso.
  • Sempre Mais do MESMO  07/02/2018 14:21
    .
    Libertários NÃO SÃO COLETIVISTAS.

    O coletivismo é um apelo a um "algo maior" que o indivíduo e por tal com direito sobre estes.

    Assim, dentre coletivistas, o que os une é o que chamo de MITO AGREGANTE, que nada é senão o "OBJETIVO SUPREMO" ou "FIM REDENTOR".

    Ou seja, IDEOLOGIAS, todas, SÃO COLETIVISTAS porque fundamentam-se em PROMESSAS PARA a COLETIVIDADE. Sempre pretendem justificar os MEIOS, que PRECONIZAM SALVADORES, exatamente na ALEGADA SALVAÇÃO FINAL. Só que tal "salvação" não tem data e tão pouco é uma certeza previsível.

    Exatamente por isso todas as IDEOLOGIAS prescindem de NEXO, coerência ou realidade. Afinal é o "objetivo sonhado" lá para um futuro prometido que FAZ VERDADE TUDO QUE EM SEU NOME SEJA AFIRMADO.

    Eis aí a diferença entre IDEOLOGIA, TEORIA ou FILOSOFIA.

    - Ideologias partem de FINS mirabolantes prometidos para futuro sem data e incerto.

    - Teorias e FILOSOFIAS se BASEIAM em PRINCÍPIOS AXIOMÁTICOS e daí prosperam para conhecimentos adquiridos que fundamentarão novos conhecimentos teóricos ou filosóficos.

    Os denominados LIBERTÁRIOS possuem PRINCÍPIO que norteia a filosofia que advogam COMO MEIO de AÇÃO e NÃO como objetivo redentor a ser alcançado. ...sem previsão de data, lógico.

    ...SENDO SEMPRE UMA CENOURA na PONTA de UMA VARA AMARRADA ao LOMBO do JUMENTO. ...isso são as ideologias, promessas fraudulentas para os "profetas" e seus lunáticos seguidores conquistarem o PODER e, como MANÍACOS, CONTROLAREM a VIDA ALHEIA e explorarem-na do jeito que lhes aprouver. Escravizar é o objetivo, pois que pretendem impor sua vontade aos divergentes.
  • Benjamim Cartwright  07/02/2018 12:36
    Pessoal do IMB, bom dia!
    Por favor ajudem-me com a seguinte dúvida, porque sou um novato em Escola Austríaca.
    Além da Fox News, quais outros jornais e sites norte-americanos e europeus são alinhados às opiniões conservadoras e desta Escola?
    Abraços!!!
  • FL  07/02/2018 13:06
    Caro Bonanza, um bom site conservador é o Daily Wire, especialmente por causa do Ben Shapiro.

    Desconheço algum site gringo seguidor da escola austríaca.
  • Ferlinusortus  07/02/2018 16:20
    mises.org
  • Benjamim Cartwright  08/02/2018 12:15
    Prezado Felinusortus!
    Obrigado pela indicação!!!
    Já salvei em meus favoritos.
    Abraços!
  • Benjamim Cartwright  08/02/2018 11:56
    Prezado FL,
    Muito obrigado pela indicação!!!
    Já salvei em meus favoritos.
    Abraços!
  • Pobre Paulista  07/02/2018 12:53
    Ou será que: Ser uma pessoa infeliz o torna suscetível ao socialismo?
  • Sempre Mais do MESMO  07/02/2018 14:24
    .
    Faz sentido, aliás mais sentido.

    Show! ...considero esta uma afirmação mais correta ou com maior incidência na realidade.
  • Natalia Matiazzo  08/02/2018 16:47
    Falando em gente raivosa e estressada por conta de ide0logia, achei um vídeo aqui de uma figura autodeclarada nacionalista e eleitora do Ciro Gomes, fica até de picuinha com os eleitores do Lula. Vale a pena ler pra ver o quão fora da realidade é esse pessoal.

    O vídeo é esse: www.youtube.com/watch?v=_c8lWjcMJEo&t=409s

    E aqui eis a transcrição de parte da diversão:

    "Bom, nós os eleitores do Ciro Gomes, devemos comemorar a condenação do Lula? Você comemorou? A leitura que eu tenho dessa condenação, ela não dá margem nem para lamento nem para comemoração.

    Primeiro, porque estamos vivendo uma fase no Brasil que não tem espaço para comemorar absolutamente nada do que está acontecendo. E segundo porque a condenação dele veio a reboque de uma investigação, primeiramente de um golpe contra o governo Dilma, e de uma investigação eivada de interesses dos EUA que no seu nascedouro teve ali as espionagens da NSA e tem o seu protagonista, o juiz Sérgio Moro viajando pra lá sempre, prestando contas para os estadunidenses, para o Departamento de Justiça dos EUA, viagem paga pelo Departamento de Estado dos EUA.

    Então, a gente sabe que esse processo todo que levou à condenação do Lula está então contaminado por interesses exógenos que não são dignos de nenhuma comemoração, que não implicam em algo bom para o desenvolvimento do Brasil, para o fim da corrupção etc e tal. Só por isso nós já não devemos comemorar.

    E também não devemos porque é uma condenação muito falha, não tem provas cabais, provas muito frágeis e eu acho que qualquer pessoa tem que passar por uma investigação e depois ser condenada ou não, que seja mais séria e não esteja entorno de interesses políticos. Embora eu julgo que o interesse político e a política vêm de ambos os lados, ou seja, tanto o Lula quanto a parte que o acusa e julga estaria aí fazendo política, por fim tudo é política nesse país, né?

    Mas eu acho que não tá legal, na minha opinião eu não comemorei a condenação tá? E se eu pudesse dar um conselho pra vocês, eleitores do Ciro Gomes, não comemorem também porque está aí mergulhado, embebido em interesses que não são exatamente aquilo que a gente deva comemorar.
    Isso favorece o Ciro Gomes? Eu creio que não. Porque seria se o PT fizesse uma aliança com ele, se o Lula renunciasse à disputa para presidência do Brasil. Então isso seria muito proveitoso para ele. Mas nessas circunstâncias de condenação, até porque ela não impede o Lula de concorrer, a própria presidente do partido, Gleisi Hoffmann, já afirmou isso e o presidente Lula mesmo, em pleno palanque pós-condenação disse que vai disputar sim as eleições.

    Isso é muito ruim porque vai se encaixar, vai ao encontro daquilo que eu tenho dito da ingovernabilidade. Ele vai vencer possivelmente porque é o candidato mais cotado e eles vão tentar obstá-lo de governar devido a todo esse retrospecto de investigação e tudo isso que por fim culminou a condenação. A gente vai acabar numa atmosfera de ingovernabilidade e o país parado novamente para se inserir no cenário geopolítico que nós vamos ter aí grandes mudanças como eu já disse no meu vídeo passado. Não há então o que comemorar, gente. Não há mesmo.

    Mas também não há o que se lamentar porque eu acho que de certo modo, o PT merece um pouco tudo isso que tá acontecendo, um pouco não, merece muito porque se o Lula e a Dilma tivesse feito reformas estruturais e tirasse um pouco o poder da Rede Globo, isso não teria acontecido. E a gente sabe que a RG é quem protagonizou, quem veiculou, quem propagou todo o espetáculo da investigação Lava-jato, do julgamento do Lula, é quem colocou o Moro num pedestal. Ela está aqui mesmo para fazer aquilo que o Império do Norte manda desde sempre. Ela foi criada pra isso. Para ter acesso direto ao povo brasileiro, à mente do povo, sem ela não teria golpe, não teria o soft power dos EUA no Brasil.

    (...)

    É muita petulância, sabe. Esses instrumentos de pressão dos EUA, eles agem discaradamente nos países subdesenvolvidos e são eles que viabilizam o colonialismo, o próprio soft power deles também e a intervenção econômica."

  • Daniel  09/02/2018 14:23
    Convença-se que você não esta aqui para corrigir as supostas injustiças do passado de ninguém.
  • Sávio Martins Santos  09/02/2018 20:05
    Quando se tenta mostrar isso a jovens doutrinados e para mais velhos na mesma condição, focando especificamente os debates (políticos/ideológicos) nas redes sociais com os defensores do socialismo/comunismo:

    Fiz este mesmo comentário num post de Rodrigo Constantino onde ele cita a influência de Carl Rogers:

    "Colocar-se no lugar do outro é uma tarefa mais complicada do que pode parecer. Se você tenta realmente compreender a outra pessoa, você pode entrar em seu mundo particular, ver como a vida se parece sob seu ponto de vista, e correr o risco de mudar o seu próprio ser. Esse contato pode influenciar suas atitudes e sua personalidade, e esse risco é um dos mais assustadores para nós, pois nos apegamos às nossas crenças para dar alguma ordem em meio ao caos da existência.

    Quando alguém se opõe a você, portanto, é muito tentador simplificar seu ponto de vista, fazer alguma paródia, distorcer sua posição, bater num espantalho criado para não ter que efetivamente escutar o que está sendo dito."

    É complicado, convivi por vários anos entre vários amigos defensores dessa ideologia retrógrada, assimilei tudo o que era passado dentre eles, pesquisei a fundo tudo que eles debatiam, sempre analisando de forma imparcial, quando discordava em pontos defendidos quase me linchavam por não aceitar o que a bíblia dessa ideologia socialista impõem. Simplesmente sem opção para debater, tem que aceitar sem questionamentos o que o socialismo apregoa e, pasmem, não aceitam nada, mas nada mesmo, de leituras, pesquisas, fatos, que mostram a podridão desse regime, são como fanáticos doutrinados dentro de uma seita, eles são os defensores da seita, seus soldados, tudo que lhes é mostrado não valem nada, não tem valia, mesmo corroborado por 'FATOS' intrínsecos historicamente registrados. Portanto, mesmo quando você procura debater de forma civilizada, eles os escorraçam com a mesma verborréia de sempre: Não saber nada de história, não ler e entender realmente o que é o socialismo/comunismo, ser defensor coxinha capitalista, fascista, golpista... etc, etc... São doutrinados dentro de uma trincheira ideológica e creem fielmente na bíblia vermelha.
    Para eles, os espantalhos a serem derrotados somos nós.
  • Alexandre Duran  11/02/2018 13:14
    Eu já fui (em minha tenra juventude) filiado ao PCB - não apenas filiado mas militante ferrenho, sendo tb parte da JCB aqui no RJ (onde moro) durante muitos anos.
    A lástima do comunista é perder totalmente a autocrítica, jamais colocando sua ideologia a prova dos fatos abundantes que a realidade dita - pois quem faz isso (como eu fiz) chega inevitavelmente a conclusão : Comunismo é uma merda e você é um idiota-útil.
  • Eduardo Marzbanian  12/02/2018 23:49
    Texto brilhante. É isso mesmo. O ressentimento é a porta de entrada para o socialismo. Confesso que quase segui por esse caminho na época da faculdade, quando fui apresentado ao Capital, que é uma espécie de "inside down" do capitalismo. Marx criou uma teoria elegante para justificar o fim do capitalismo. Nela, todo aquele que trabalha é vítima do capitalista, que se apropria de grande parte do valor do trabalho empregado pelo trabalhador. Como papel aceita qualquer coisa, no mundo dele, não existe mercado e nem riscos. Nesse capitalismo Stranger Things do Marx, o capitalista é sempre vencedor e o trabalhador sempre perdedor. Daí para frente, foi possível arregimentar uma horda de zumbis "ressentidos" com a suposta exploração capitalista.
  • Oliveira  14/02/2018 18:29
    Descobri este site por acaso.. buscava em meu navegador algo como "pq o capitalismo é tão odiado".. Cada artigo que lia aqui, sentia como se estivesse me libertando, não conseguia parar de ler.. Sempre ouvia desde minha infancia coisas do tipo "o empresario se enriquece ás custas da exploração dos mais fracos", "somos quintal do EUA".. Resultado: me condenava por qualquer pensamento de ambição profissional, tinha um monte de conflitos internos, posso dizer que sofri uma lavagem cerebral marxista/esquerdista/socialista.. Quero poder aprender mais e mais.. Já me sinto gratificado pelo que aprendi ate aqui.. e o mais importante: me sinto hoje livre. Obrigado ao site e a todos que colaboram com suas opiniões.
  • Emerson Luis  20/02/2018 09:21

    Esquerdistas preferem que todos sejam igualmente miseráveis, mas querem fazer parte da elite dos "mais iguais do que os outros".

    * * *
  • Marcos Porto  23/07/2018 13:42
    Acredito que a forma mais eficaz utilizada em larga escala pelos esquerdistas para promover o pragmatismo de suas ideias no entendimento (mente) dos seus seguidores, principalmente nas universidades, é torná-los cada vez mais "acéfalos", criando um ciclo vicioso mental como ambiente no qual os indivíduos estarão inseridos cada vez mais profundamente, ou seja, eles instilam a subversão dos princípios e valores na mente de seus seguidores, gerando uma "causa justa" pelo que lutar e muita revolta; esta revolta interior, aliada à incapacidade de raciocinar com lógica (efeito do assédio mental praticado pelos professores/mentores) faz com que o indivíduo se sinta sempre "ameaçado" no ambiente em que vive e, por isso, busca estar sempre em grupos (formados por pessoas tão lesadas em suas faculdades mentais quanto eles próprios - típicos soldadinhos de chumbo). Sentem-se tão "peixinhos fora d'água", que, percebendo sua incapacidade de contra-argumentar com seus "opositores", juntam-se, cada vez mais e mais, com seus "iguais" para repetir, como mantras, porém aos berros, frases que consideram fortes, direcionados àqueles contra os quais foram orientados a utilizar termos pejorativos porque só deste modo conseguem vislumbrar um sentimento de superioridade (numérica e "filosófica!?!")... Ato contínuo, posicionam-se de forma refratária aos argumentos contrários. Bem, como sabemos que para mudarmos rumo à evolução, ao desenvolvimento como seres humanos, temos, necessariamente que passar pelo arrependimento, n~~ao sem antes admitirmos os nossos próprios erros e é por essa razão que em sua "formação socialista", desde cedo, são blindados, em suas bolhas refratárias, para que jamais se libertem, ou, pelo menos, seus mentores se assegurem de que cada soldadinho durará um longo período defendendo a "causa", em profundo sofrimento, dada a tremenda insatisfação por eles sentida. Enfim, cada tentativa frustrada de contrapor-se a verdades irrefutáveis transforma-se em combustível (dos revoltosos) para as próximas afrontas que se seguirão em sua infeliz jornada à utópica "Terra do NUNCA"...


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.