clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários



Quanto mais impostos, pior para o cidadão.

Mas o que é ruim para o cidadão muitas vezes é bom para o político e para o burocrata.

E vice-versa.

* * *



"o bom senso exigiria que o governo iniciasse a reforma por cortes na própria gordura"

Parece-me que o que falta aos políticos e burocratas não é exatamente 'bom senso'...

* * *


Eu não entendo por que tamanha falta de hombridade dos funcionários públicos em assumir a realidade. Eu sou servidor federal e embolso, líquido, R$ 18 mil por mês (e olha que esse salário é considerado até baixo). Ganho auxílios transporte, moradia, saúde e família. Tenho gratificação de férias e natalina.

E não tenho problema nenhum em reconhecer que quem paga tudo isso são os desdentados. Pouco importa se "dou meu sangue" ou apenas vagabundeio no trabalho. No final, o salário vem de qualquer jeito. No final, eu subtraio a comida da mesa do desdentado, que deixa de alimentar seus filhos famintos para que eu tenha uma vida boa.

Qual o problema em admitir isso? Não fomos nós que criamos esse arranjo. Apenas nos beneficiamos dele. Até o dia em que tudo se esfacelar.


Prezado Julio, entendo sua posição e até mesmo concordo com ela. E também não sou a favor de certos tratamentos que foram dispensados acima.

Dito isso, vou tentar deixar algo mais claro: toda a discussão não se trata do que X pensa do funcionário público Y. Isso é o de menos. A real discussão é como o funcionário público Y ganha sua vida.

E como ele ganha? Espoliando -- mesmo que sem saber -- o indivíduo X.

Isso não é uma questão de opinião. É uma questão de fato. Y vive por meio do dinheiro que o governo rouba de X e repassa a Y.

Você pode tentar camuflar essa realidade, dar a ela uma roupagem mais palatável, e até mesmo dizer que "não é bem assim". Só que, infelizmente, é bem assim, sim.

Quando funcionários públicos são chamados de parasitas, isso não é uma mera "agressão gratuita". É simplesmente uma descrição da realidade. Por isso, vou ser direto: 100% dos funcionários públicos são parasitas, e não importa o quão "duro" eles trabalham. Sabe por que são parasitas? Porque vivem do dinheiro de impostos esbulhados da população (majoritariamente pobre).

Quem vive do dinheiro esbulhado dos pobres é parasita. Essa é a definição precípua de parasita. Parasita não é aquele que "trabalha pouco". Esse é o menor dos problemas, e nem sequer está em discussão. Parasita é quem se sustenta por meio do dinheiro roubado de terceiros.

Entendeu agora?

A partir do momento em que se vive do roubo dos desdentados, todo o resto se torna secundário. Nada se compara a esta imoralidade.

E a coisa piora quando você realmente começa a pensar nas consequências disso tudo.

O desdentado do interior do Piauí, ao comprar um pão ou um café, paga impostos municipais, estaduais e federais, os quais são prontamente redirecionados para o bolso de desembargadores, procuradores e juízes, que moram em mansão e recebem auxílio-moradia de R$ 5 mil. Vai também para o bolso de funcionários das assembléias legislativas, que recebem R$ 26 mil e mais auxílio transporte de R$ 500 enquanto andam de Range Rover.

O desdentado que nem sequer tem acesso a hospitais públicos banca, por meio do dinheiro que lhe é confiscado, os planos de saúde dos nababos do executivo, legislativo e judiciário.

Espero que agora as críticas sejam mais lógicas para você.


Escreveu isso tudo e ignorou o básico. Shkrelli só pôde fazer isso porque o remédio que ele comprou usufruía patente. Patente nada mais é do que um monopólio intelectual garantido pelo governo.

Shkrelli, portanto, usufruiu um monopólio intelectual garantido pelo governo. Exatamente o arranjo condenado pelo artigo.

Nós libertários somos contra patentes. Inúmeros artigos neste site sobre isso.


Ah, sim, também vale um adendo: a importação de remédios genéricos ao de Shkrelli era proibida pelo governo americano.

Belo arranjo, não?



Imagino que se pesquisarmos à fundo, concluiremos que a intenção é que morramos o mais depressa possível, para aliviar a previdência.


Tudo gira em torno do dinheiro, diminuir custos do que vai para o contribuinte e aumentar rendimento no bolso dos gestores.
A Anvisa nega liberação de medicamentos com segurança comprovada nos países referência em pesquisa e libera a Asparaginage chinesa, cheia de impurezas e sem estudos conclusivos de eficácia. Pq? Pq? Pq? Pq era mais barata e com certeza alguém no meio levou uma grana na negociação.


Comprei uma pomada no Paraguai, quando fui tirar minhas férias em Foz do Iguaçu, julho passado, o nome da pomada é Dolo Reuma, é um ótimo anti-inflamatório, porém sua venda é proibida no Brasil. Recentemente, um homem foi preso pois estava vendendo esta pomada. O cara para a cadeia.Eu tenho esta pomada em casa, é tipo um Gelol só que muito melhor. Paguei 9 reais, quando estou com dores musculares passo a pomada e menos de dez minutos não sinto mais dores, é ótimo para dores no joelho, reumatismo, etc. Outro remédio ótimo para trombose que comprei lá é o Dolo Reumin, ótimo para trombose, meu "padrasto"(82 anos) tomou e a perna dele voltou ao normal em menos de um mês, foi indicação de um amigo dele que estava na mesma situação e melhorou também. Os médicos daqui do Brasil não podem receitar, pois não tem Anvisa. Um curso de medicina no Paraguai custa em torno de R$ 800,00/mês, o preço cai pois não tem tanta burocracia e nem conselhos tentando diminuir a oferta de médicos para manter seus salários altos. Detalhe, são seis anos de curso e a grade não deixa a desejar a do Brasil. Muitos brasileiros cursam faculdade lá e depois fazem o revalida e tornam-se médicos aqui.


Martin Shkreli - o caso do onde derruba sua teoria de concorrência potencial poderia fazer com que preços baixassem, qualidade melhorasse, etc. Ele, Martin, comprou patente do remédio de tratamento da AIDS.

Eu ja vi esse cara no Periscope, um aplicativo pra transmissão via mobile, ele faz lives lá, mas nao sabia quem era e nem relevância deleno mundo dos negócios. Sabia vagamente que era um cara de negócios da área farmacêutica.

https://www.youtube.com/watch?v=mpTB1_wTk84


https://www.tecmundo.com.br/polemica/96199-entenda-martin-shkreli-homem-odiado-internet-video.htm

Entenda por que Martin Shkreli é o homem mais odiado da internet [vídeo]

https://www.tecmundo.com.br/polemica/96199-entenda-martin-shkreli-homem-odiado-internet-video.htm

No ano passado, um homem chamado Martin Shkreli, ex-CEO da Turing Pharmaceuticals, comprou, por 55 milhões de dólares, os direitos de exploração do remédio Daraprim — um dos mais utilizados no tratamento da AIDS.

Após realizar esse movimento, o empresário (que é dono do Team Imagine, equipe famosa de League of Legends) resolveu subir o preço do produto — da noite para o dia — em mais de 5.000%, passando do valor de US$ 13,50 para US$ 750 (número este considerado para um único comprimido).

Isso gerou uma grande revolta na internet, já que se tratava de uma decisão absurda que afetaria milhares de pessoas ao redor do mundo que compravam o remédio.

Depois de toda a polêmica, a Turing Pharmaceuticals resolveu dar um "desconto" de 50% para grandes hospitais, de modo que ele passaria a custar US$ 325. Estamos falando de uma única pílula de 25 mg (os pacientes geralmente precisam tomar o remédio por no mínimo uma semana, sendo recomendado o consumo de duas ou três pílulas por dia).

Ainda em novembro do ano passado, antes de ser preso, Shkreli deu uma declaração de que reduziria o preço do remédio em 10% para os consumidores, ou seja, passando de 750 dólares para 675 dólares. Contudo, um mês após essa notícia, o sujeito comentou publicamente que ele fez errado, pois, veja bem, ele acredita que deveria ter aumentado ainda mais os preços do Daraprim.

E qual seria o motivo de toda essa sacanagem (que ele pode repetir em breve com um remédio para a Doença de Chagas) com as pessoas que necessitam do tratamento? Em todas as ocasiões, Martin Shkreli sempre comentou que seria a questão do lucro. "Precisamos ter lucro com essa droga. Antes, as empresas estavam quase entregando gratuitamente", disse o CEO em entrevista ao Bloomberg.

Esta semana, Shkreli retorna aos holofotes, agora falando diretamente no congresso e mostrando por que ele é o homem mais odiado da internet (e talvez do mundo). Em vídeo publicado no Facebook, ele se recusa a responder as perguntas e simplesmente ri na cara dos políticos, mostrando seu lado insensível. Confira a transcrição dos diálogos:
Representante Jason Chaffetz: "O que você diria para uma mulher doente, velha, que talvez tenha AIDS, sem renda, que precisa de Daraprim para sobreviver? O que você diria pra ela quando ela tem que fazer aquela escolha?".

Martin Shkreli: "Seguindo o conselho do meu advogado, eu invoco meu privilégio da quinta emenda contra a autoincriminação e respeitosamente me recuso a responder a questão".

Chaffetz: "Você acha que fez algo de errado?".

Shkreli repete a mesma resposta padronizada.

Representante Trey Gowdy: "Sabe, você pode responder algumas questões. Esta não te incriminava. Só quero ter certeza que você entende que você é bem-vindo para responder as questões e nem todas as suas respostas vão te levar a incriminação. Você entende isso?".

Shkreli: "Eu prefiro seguir o conselho do meu advogado, não o seu."

Representante Elijah Cummings: "Eu quero te perguntar, não, eu quero litigar que você use qualquer influência que tem sobre sua antiga companhia para forçá-los a baixar o preço dessas drogas."

Shkreli apenas sorri e finge que não está ouvindo.

Cummings: "Você pode desviar o olhar se quiser, mas eu desejo que você possa ver os rostos das pessoas que não podem conseguir as drogas que precisam."

Cummings: "Certo ou errado, você é visto como o cara mau da indústria farmacêutica, você tem um holofote e tem uma plataforma. Você poderia usar essa atenção para limpar essa imagem, consertar seus erros e para se tornar um dos mais efetivos defensores dos pacientes no país. E um que poderia fazer uma grande diferença na vida de tantas pessoas".

Shkreli continua sorrindo como se o assunto não fosse com ele.

A sessão começou sem respostas e terminou da mesma forma. Aparentemente, Shkreli não mudou, e a vida de milhares de pessoas continuará em risco com as atitudes egoístas — apesar de permitidas pela constituição americana — do homem que deve continuar como um dos mais odiados do mundo.


Mas que raciocínio brilhante.

Quer dizer que se algum brasileiro for pra Noruega e não conseguir comprar quase nada (e é o que vai acontecer porque nossa paridade do poder de compra é muito menor e nossa moeda é mais fraca) então eu posso fazer a brilhante conclusão que o Brasil está em melhor situação que a Noruega.

A esquerda nunca pára de me surpreender.


Então estou vendo que o cidadão funcionário público está tendo a sua liberdade de buscar uma razoabilidade no pensamento libertário dada as atuais circunstâncias sendo proibida por deuses do supra sumo da inteligência e do gabarito da vida, as verdadeiras entidades das boas ações, detentores das virtudes, príncipes da moral e bons costumes. Só uma dica, desse jeito o modo perfeito incriticável que a maioria desse grupo pensa dificilmente encontrará uma massa de simpatizantes. Eu mesmo já fui escrachado várias vezes por tentar buscar algo mais palpável sem essa utopia de "vamos todos dar as mãos e o anarcocapitalismo chegará lindo leve e solto, basta encarar o mercado".
Fernando só uma dica, não perca mais seu tempo discutindo nesse antro de fanáticos, existem diversos outros grupos de liberais que estão abertos a discussões saudáveis. Falar aqui não serve de nada. Eu mesmo parei de comentar há um tempo, mas não pude ficar inerte ao ver um possível liberal em potencial ser escrachado dessa forma.


Uai... mas o FHC é um neo-liberalóide de primeira turma! O termo 'neo-liberal' surgiu para referenciar os atores políticos da esquerda que diziam que fariam uma nova forma de ser liberal (à esquerda, ou seja, regulando e controlando o mercado). Tony Blair, FHC, Bill Clinton fazem parte dessa turma. Para minha surpresa, até sites militantes de esquerda do Brasil conseguem minimamente dar nome aos bois quanto ao termo e relacioná-los às mesmas pessoas que citei anteriormente.


Meu caro, eu sou farmacêutico e você está coberto de razão. Tenho conhecidos e até alguns amigos que até um tempo atrás eram pessoas 'de boa' enquanto trabalhavam em outro local. Mas após passarem em concurso e irem para a ANVISA, é notável a empáfia que tomou conta de boa parte deles, sobretudo pelo papel de supostos guardiães da saúde pública. A imensa maioria esquerdopata petista doentiamente irritante!
Não aguento levar 15 minutos de conversa com essa turma. Acham que a população brasileira é totalmente refém do mesquinho mercado farmacêutico regido por regras capitalistas desumanas... e que por isso tem que cuidar 'da saúde do povo', protegendo-o contra as ações meramente de cunho lucrativo da indústria farmacêutica... é de dar nojo e enjoo em comprimido de sonrizal!


Nunca fez e nunca fará nenhum sentido considerarem os americanos/ingleses como direita, os soviéticos como esquerda e um oponente de ambos como "extrema-direita". Ainda bem que várias pessoas finalmente estão percebendo.

Quem popularizou que o nazifascismo é uma ideologia de "extrema-direita" foram os soviéticos para manchar a imagem de todos os outros movimentos que não fossem da Esquerda Marxista (extrema-esquerda), até mesmo sociais-democratas eram demonizados e perseguidos pelos socialistas dessa época. E ainda hoje a maioria dos idiotas repetem isso como se fosse algo incontestável.

Nazifascismo é de Terceira Via, pois é uma alternativa ao Capitalismo Liberal (direita) e ao Socialismo Marxista (esquerda). Qualquer tentativa de colocar exclusivamente em um lado é desonestidade intelectual. pt.metapedia.org/wiki/Fascismo

Mas se fosse colocá-lo obrigatoriamente em algum lado seria no lado esquerdista. É só observar os pontos nazistas e compará-los com o que os partidos de esquerda praticam atualmente.
https://ceticismopolitico.com/2012/07/15/sera-o-nazismo-de-extrema-direita-not-so-fast-junior/

Se a New Left fosse coerente com o que prega (homofobia, minorias, machismo, etc), também consideraria a própria URSS como direitista.
O PCO, por exemplo, foi coerente e afirmou que o PT é um partido de direita (extrema-direita, ainda por cima) por ser Corporativista. Não que estejam corretos, mas foram coerentes.



O pior é que esse careca desse canal e tantos outros imbecis com quem tive o desprazer de encontrar no Youtube são todos assim e vão ganhando fama, os próximos aqui da lista são todos assumidamente comunistas desde a imagem principal de seus canais: É Merlin das Trevas, Eduardo Lima, que tem inclusive acho que mais de 20.000 inscritos, aquele outro lá Saia da Matrix o nome do canal do infeliz que se diz neomarxista, aquela moça lá do Canal Púrpura cantando:
"Lula, ladrão, roubou meu coração!".

Ou aquele velho relativismo argumentativo de não querer definir conceitos pra poder se esquivar quando quiser.
"Ai, vocês tem que amadurecer o debate e acabar com esse preconceito de que comunismo matou gente e Marx não tem culpa se deturparam suas ideias."

Olha o vídeo da criatura, só no título:
6 mitos sobre o socialismo
https://www.youtube.com/watch?v=W509hWFcHyY

Todos com uma pompa intelectual, outro figura desse blogzinho https://bertonesousa.wordpress.com chamado Bertone Sousa falando que Mises não pode ser considerado nada, porque é marginal na academia e foi só um divulgador prosaico do liberalismo, que os que o leem, desprezam o saber acadêmico e fogem de debate sendo que ele mesmo ainda é super iniciante, tem só dois livros de história publicados e alguns artigos acadêmicos, falando isso!

Toda essa corja se popularizando, como ainda tem muita gente que segue esse pessoal. Isso que revolta e assusta.


Mas foi explicado no artigo que não tem nada disso de a anvisa "se achar melhor do que a FDA", são dois os principais pontos: se caso aprovado a entrada de tais medicamentos, devido ao custo somente segurados suplementares terão acesso evidenciando que a medicina socializada não está funcionando como o povo está sendo ludibriado a pensar que funciona, escancarando classes distintas de segurados de saúde; e com isso o risco do governo sofrer pressão popular e consequentes derrotas judiciais para aprovar a incorporação de tais medicamentos no SUS devido ao "direito social à saúde", mas tais medicamentos hoje são mais caros ainda, o que aumentaria demasiadamente e sucessivamente os gastos, mas devido ao desgaste político isto então acabaria sendo feito com o propósito de tentar esconder essa diferenciação de classes, empurrando como sempre a conta pra frente..
Juntos esses dois fatores derrubariam a imagem de políticos e do estado, ou seja, o "custo social" para a classe política.

Nenhum político quer isso. Eles querem é continuar controlando a imagem de protetores e fornecedores sociais da saúde. Só que para isto eles precisam de um órgão regulador de embuste, usado como a ferramenta de contenção do orçamento para a área da saúde, para a real finalidade de limitar os gastos e se protegerem legalmente ao praticarem o ato de restrição neste mercado. E nem foi falado sobre a influência de cartéis ou não.

Ou seja, não tem bobo ou ingênuo aí não ao ponto de se acreditar melhor que os outros, a questão é a imagem estatal sendo golpeada mais uma vez..



Quanto à validade dos medicamentos, um cardiologista me disse que o Brasil é o ÚNICO País onde os remédios têm validade por 2 anos - no resto do mundo são três anos - e que, se a maioria dos medicamentos comercializados aqui são produzidos lá fora, podemos usá-los sim, até os três anos de validade.



Leandro, seria possível que austro-libertários fizessem um lobby positivo, como para abolir agências reguladores e abaixar tarifas de importação?

Outra pergunta: eu sei que você cursou economia por um certo tempo. O que você fazia para lidar com os professores marxistas e keynesianos?


Não é bolha, é uma demanda crescente que está acontecendo graças ao processo de mercado e, também, aos burocratas mundo afora que desvalorizam a moeda e, claro, também para fugir das regulações bancárias.

Sim, vale a pena comprar. Eu compro desde 2015 e não me arrependo. E lucrei mais do que se estivesse mamando de juros no Tesouro Direto.


Certificadoras e agências privadas que, operando de maneira voluntária, terão incentivo para serem o mais eficientes possíveis, já que, operando em um regime de livre concorrência, terão motivos e estarão preocupadas com conquistar mais clientes.


Não existe. Até na Coreia do Norte há mercado negro. No fim, quem dá comida para o trabalhador é o cara que burla as legislações e passa por baixo dos panos.



Li esse artigo na aula do meu professor de esquerda (FATEC Mococa Gestão Empresarial) falando mal do mercado e que o mundo está indo em direção "à direita" e que a pobreza mundial só está aumentando (e ainda defende o atraso da CLT)... a Anvisa é mais uma autarquia mafiosa infestada de funcionários e burocratas inúteis que consegue ser pior que a FDA, outra agência estatal que está aí para agredir pessoas pacíficas.

O que faltou ser comentado no artigo é que a Anvisa também existe para proteger e oligopolizar o setor de saúde, que é extremamente regulado. A solução é viajar e/ou morar em El Salvador.

A própria existência de uma saúde estatizada subsidia a pessoa que não cuida da sua saúde e fica pedindo para os outros se sacrificarem ao resolverem seus problemas de saúde...


Li um comentário engraçado em outro texto que era mais ou menos assim. Cada cidadão teria seu "personal funça tabajara" que iria cheirar e experimentar os alimentos antes de você para se certificar de que está ok hahaha.


Pois é exatamente este seu posicionamento de irracionalidade racional que está demonstrando ao não reconhecer a incompatibilidade do serviço público e da causa libertária, o Estado se necessário, executa funções em uso de aparato coercitivo.
Sua função e orgulho de investigar e punir políticos corruptos contribuindo para um estado mais eficiente e menor é posicionamento liberal. Quem vive de fato sua ideologia não fica tomando essas bordoadas todas e entrando em parafuso com ela e o modo que leva a vida.
E respondendo sua pergunta inicial, punir os políticos corruptos com este código penal amigável ao corrupto e com este Estado inchado é inútil, estão espantando moscas de um presunto podre, outras aparecerão, tem é que jogar o presunto podre no lixo.


Ola, eu andei lendo sobre a crise de 29 e me gerou uma duvida. Como houve expansão da oferta monetaria se o padrão era o ouro? É possivel expandir o M2 com uma moeda lastreada em ouro?


Já pensou nisso? Se não fosse a Anvisa (criada apenas na década de 2000) todos nós brasileiros já teríamos morrido envenenados.

Afinal, todo mundo sabe que a indústria alimentícia lucra muito exatamente ao matar todos os seus consumidores. Deve ser a única indústria do mundo que ganha mais dinheiro com menos clientes. Quanto mais consumidores ela matar, maiores serão deus lucros.

Genial, não?

O brasileiro tem uma mentalidade tão anticapitalista, que consegue vislumbrar absurdos como esse. Indústria agora lucra mais extinguindo todos os seus consumidores.

P.S.: Por que não morríamos antes de criarem a Anvisa?



Se você se acha idiota, lembre-se que existem idiotas que levaram esse texto a sério:

www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/brasileira-que-mora-em-caracas-diz-que-viver-na-venezuela-e-melhor-do-que-no-brasil/


Como podemos confiar em algo que seja "gerido" por um governo medíocre, paquidérmico e ineficaz ?

Tenho ouvido de muitas e muitas pessoas, e a cada dia mais, o desejo de ir embora e NUNCA mais voltar para o Brasil.

Os motivos são basicamente dois:
1- cansado de trabalhar/produzir e bancar PARASITAS lotados nos governos municipal, estadual e federal.
2-inexistência de uma política de segurança pública e suas consequências nefastas com mais de 70 mil homicídios.

Alguém ai consegue enxergar uma mudança nessa bagaça ?

A elite governamental está cada vez mais dominante, mesmo diante de uma Lava Jato, e a mídia cada vez mais asquerosa.





Vai nessa... O Estado já se ocupou de tomar muitas propriedades para o bem do "planeta", a minha família adquiriu um sítio, uma area enorme já era inutilizavel por ser beira de Rio, agora a prefeitura vendeu um monte de propriedades para o PETAR ( a nossa inclusa), não sei o dono anterior não pagava impostos ou sei lá o que. Podemos ficar aqui, se não mexermos em nada, a outra opção é brigar na justiça.


Quem é que faria o controle de datas de vencimento dos alimentos, se não for a Anvisa ou qualquer outro órgão regulador do Estado? Quem controlaria o conteúdo dos alimentos?


Caro senhor vinícius espero que esse comentário não tenha sido feito com intuito de me intimidar, e sim, converso esses tipos de coisas com o meu chefe, inclusive que sou a favor da liberação das drogas, apesar de eu não sonegar imposto e nem utilizar drogas.

Pobre paulista, só uma dica, quando nos engajamos demais em uma causa é aí que temos mais capacidade de estar sendo irracionais, procure estudar um pouco sobre irracionalidade racional e analise o teor da maioria das respostas que estou tendo e compare com a galera marxista pra ver se não é a mesma coisa. Vc tenta argumentar de boa com marxistas aí vem a galera: "saaai daí porco capitalista pró empresário que não liga para os pobres", aí vem argumentar aqui: "saaai dai funça parasita expropriador de velhinha no semáforo vc é uma vergonha". Aqui vcs estão convictos que estão certos mas o outro lado tbm está, e aí, não existem semelhanças nas atitudes?

FL, te entendo perfeitamente e respeito seu posicionamento, vc foi o único que consegui ter uma conversa razoável, tenho até vontade de expor mais opiniões com o senhor, a conversa seria produtiva.



Ser coerente com os princípios que norteiam nossas vidas não é ser hostil. Dito isso, vamos às críticas:

1) Assumir uma vaga estatal que já existia antes de você assumir não aumenta o poder e a riqueza do estado, e se recusar a assumi-la tampouco os diminuiria. É diferente de ser um apadrinhado de um político que cria um cargo só para alocar alguém.

A perpetuação da violência é, sim, uma agressão ao PNA. Você, individualmente, pode ser (e é), irrelevante para contê-la. Mas no momento que assume um posto na guilda de ladrões (e, quiçá, assassinos) que é o Estado, você implicitamente contribui para a perpetuação da escravização do resto da sociedade em prol de pessoas como você. Não venha com essa conversa de que diante da sua irrelevância para efetuar qualquer mudança você não é responsável pelas consequências nefastas que a sua escolha pessoal inflige para todo o resto da sociedade.

2) Um liberal no estado está, de certo modo, reduzindo o dano. Se ele não participar de greves, não se engajar em sindicatos, não exigir mais privilégios, pelo menos não estará atrapalhando.

É quase que o mesmo discurso que ouvimos no metrô todo santo dia: "eu podia estar roubando, matando, mas estou aqui pedindo a sua ajuda". O pobre coitado do metrô, pelo menos, não está, de fato, roubando ninguém. Você, ao contrário, rouba todo o resto da sociedade cada minuto da sua vida, porque escolheu isso. Decerto, se você não faz nada do que disse, o mal para o resto da sociedade se resume ao roubo diuturno que, ao final de mês, se materializa no seu contracheque. Mas, de novo, isso não o exime da imoralidade da sua conduta.

3) Com mais renda, uma pessoa tem mais condições de se defender do estado, mesmo trabalhando para ele. É melhor ser funcionário público concursado do que ser beneficiário do Bolsa Família, pois este último é refém do cenário político, enquanto o primeiro está relativamente mais seguro quanto a isso.

Ora, quanto maior o butim, maiores serão os meios à disposição do ladrão para fazer qualquer coisa. Mas ele deixa de ser ladrão? Não. Outra: não presuma que alguém que se beneficie da redistribuição de renda coercitivamente imposta pelo Estado é "vítima" de qualquer natureza. A empregada que trabalhava aqui em casa (que hoje não posso mais ter) não queria ter a carteira assinada por mais que eu insistisse. E por quê não queria? Porque, se assinasse a carteira, perdia o "benefício" do Bolsa Família. Então, sinto muito, mas duvido que a maioria que mama nas tetas de qualquer programa estatal é "vítima" de qualquer sorte.

4) Na situação atual, na qual o empreendedorismo é massacrado, não podemos condenar uma pessoa que escolhe fazer um concurso para obter algum sustento. Com mais dinheiro e tempo disponível, ela pode fazer cursos, estudar e agregar valor a si mesma. Se decidir voltar ao mercado, pode fazer um bem maior às pessoas com mais capacitação.

Falso. O que é imoral é imoral aqui, na China, e no raio que o parta. Existe um sem número de ações possíveis a qualquer ser humano para buscar seu sustento que não a via estatal. Um deles é bater perna e cair fora dessa ditadura. Claro, nem todos terão recursos para isso. Mas é absurdamente pequeno o montante de recursos que você precisa para cair fora do Brasil. Nada que com um pouco de trabalho duro e economia pesada não surta efeito. Então é perfeitamente possível condenar qualquer um que soçobre diante do cenário econômico estúpido que estamos vivendo desde muitos anos atrás. Outra: com o empreendedorismo massacrado, se todo mundo escolher essa via para obtenção de seu sustento, de onde virão os recursos para o Estado? Do éter? Mais provável é o endividamento, que nada mais significa que tributação pesada no futuro. Ou seja, procurar a via estatal para sustentar-se agrava ainda mais o problema.

5) Nem todo funcionário público é um inútil como eu. Médicos, bombeiros, (alguns) professores efetivamente fazem algum bem à população pelo seu trabalho, mesmo que sua remuneração não dependa de sua produtividade.

De fato, uma minoria ínfima é útil ao resto da população. Não houvesse tamanho incentivo para as pessoas transformarem-se em consumidoras de impostos, todos estaríamos mais bem servidos, não só em qualidade dos bens e serviços oferecidos ao mercado, mas na abundância dos mesmos. O consumidor voltaria ao papel de soberano e o mercado teria que se curvar, finalmente, à vontade dele. Mas isso é sonho, não vai acontecer aqui NUNCA.

Desejo tudo de bom para você. Abraço!


Na ex-URSS, em Cuba e na Coreia do Norte, não são todos funcionários públicos. Funcionários públicos são somente a Nomenklatura, a elite do Partido-Estado e os iluminados do planejamento central (Gosplan na URSS). O resto do povão é escravo mesmo.


Caro Fernando,

A "mentalidade libertária" não pode tomar conta do funcionalismo público, pq uma das bases da mentalidade libertária é não haver funcionalismo público. O artigo fala exatamente sobre isso.

A mudança vir de fora do sistema é exatamente isso: aqui, ninguém acredita que um messias irá infiltrar as entranhas sujas do governo e promover uma limpeza total. A mudança é na mentalidade pessoal de cada um, e como podemos influenciar outras pessoas. Um exemplo simples é mostrar que as pessoas não podem esperar que as soluções para qualquer problema venham do governo. Na maioria dos casos, o problema é o próprio governo. (a discussão sobre a previdência é um bom exemplo disso; qualquer libertário minimamente informado "não liga" para o INSS, pois sabe que ali não está a solução para a sua aposentadoria, e provavelmente toma outras atitudes - trabalhar como PJ, sonegar, poupar e investir - para garantir sua aposentadoria, independente do governo.)

Minha "defesa" ao seu comentário foi pela abordagem das respostas, sempre agressivas. Como eu disse, eu concordo com tudo que foi dito sobre os funças (inclusive chamá-los de funças, me perdoe Daniel), mas tenho que no mínimo reconhecer que você está questionando a sua posição atual, o que já é um avanço.


É possível todos serem funcionários públicos?

Estava discutindo com um funça e ele falou que pelo fato dos empregos públicos serem melhores, o ideal era todos serem funcionários públicos. Algum lugar, como a URSS, já existiu isso?



Anvisa proíbe venda de lote de extrato de tomate com pelo de roedor

RESOLUÇÃO-RE N° 454, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2017

Graças à Anvisa, vc ingere come pêlo de rato dos produtos da Heinz...






Mas agência reguladora é isso, mesmo. Sob o pretexto de regular o serviço, ela cria embaraços exatamente em prol da manipulação do mercado pelos grandes laboratórios.


Fernando, então você membro da PF é a favor da sonegação? Seu superior sabe disso?


rcm o senhor viu quando falei que não concordo com tudo o que a pf faz e que sou especialista em área de combate a corrupção e não participo dessas operações anti liberdade da polícia?? Para com essa generalização burra. Porra tou sentindo que estou debatendo com marxistas, comportamentos iguaiszinhos.


Foi também a Anvisa que criou as regras que dificultam a venda de medicamentos nas farmácias. Diversos remédios avulsos, incluindo os mais básicos, não podem ficar ao alcance direto dos consumidores, que devem solicitá-los ao farmacêutico (com isso, criando também uma reserva de mercado para a profissão do farmacêutico, como explicado aqui ).

Como cidadão livre, eu não reconheço o direito da Anvisa de proibir que eu possa comprar um simples remédio para dor de garganta ou cabeça direto da prateleira de uma farmácia. A legitimidade do ato da Anvisa é a mesma daquela de um criminoso que te obriga a fazer algo sob a mira de uma arma, ainda que o criminoso jure que faz isso para o próprio bem da vítima.


O que os esquerdistas brasileiros estão fazendo é o que eles sempre fizeram quando um governo que apoiaram com todas as forças vai pro brejo. Não sei porque estão surpresos com a cara-de-pau deles.

A ordem de adoração dos esquerdistas aos líderes bolivarianos era nessa ordem: Venezuela - Argentina - Brasil - Bolívia - Uruguai - Equador: www.mises.org.br/Article.aspx?id=2439

Não precisa voltar muito no tempo para provar que os esquerdistas consideravam abertamente a Venezuela socialista. Olhe essas notícias de sites socialistas ou com tendências à esquerda, não apenas elogiando o governo da Venezuela, como ainda chamando o governo venezuelano de socialista:
espacosocialista.org/portal/?p=124
www.bbc.com/portuguese/noticias/2013/03/130103_obituario_chavez_cj.shtml
www.vermelho.org.br/pe/noticia/237785-7
https://www.terra.com.br/noticias/mundo/america-latina/os-14-anos-do-governo-socialista-de-chavez-na-venezuela,7b0c2812d904d310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

Perceba que todas essas notícias são ANTES das eleições de 2014. Depois das eleições de 2014, todos estão com receio de chamar a Venezuela de socialista por motivos óbvios.
Não sei porque algumas pessoas estão surpresas com as desculpas que os esquerdistas estão dando. A única coisa que não é escassa no socialismo são as desculpas.


Ou seja, enxugar gelo. Entre ir para a conta do Cunha na Suíça, investir em "saúde" e "educação", ou simplesmente dar o dinheiro para o Joesley Batista, dá tudo na mesma. Na verdade, acho que dar esse dinheiro para o Cunha é o menos pior.


A ANVISA existe justamente para proteger as grandes empresas farmacêuticas contra qualquer eventual concorrência. A importação de remédios bons e baratos é proibida ou dificultada por burocratas. Os preços dos remédios, principalmente para os idosos, são proibitivos por causa dessa bosta de agência.


Num passado não tão remoto não existia indústria farmacêutica e os medicamentos eram todos manipulados e faziam efeito terapêutico. Existe um cartel apoiado pelo governo para a existência de farmacêuticas nacionais que fabricam remédios ineficazes. Num passado não tão remoto esses medicamentos eram chamados de B.O. = "Bons para Otário" e hoje eles são o quê? Creio que não mudou muita coisa...

O preço do medicamento no Brasil é absurdamente caro para o consumidor. A ANVISA trava o livre mercado farmacêutico com suas resoluções absurdas e suas proibições de importação. Do jeito que a coisa anda, muita gente irá morrer e a saúde no Brasil continuará um caos.


Uma curiosidade: Quem criou a Anvisa? Resposta: Ninguém menos que o Fernando Henrique Cardoso, aquele que a esquerda brasileira implica de joelhos que é "neoliberal".


Concordo. Penso que as proibições da ANVISA estão relacionadas às importações. Proibir, regular, cansar as pessoas para que elas consumam das empresas brasileiras, proibindo que gastemos dinheiro fora do país. As nacionais lançam na mídia (Fantástico, Jornal Nacional, Ana Maria Brega) notícias chamando suplementos importados de "contaminados", sendo que estão em condições infinitamente melhores que os nacionais.



Ser coerente com os princípios que norteiam nossas vidas não é ser hostil. Dito isso, vamos às críticas:

1) Assumir uma vaga estatal que já existia antes de você assumir não aumenta o poder e a riqueza do estado, e se recusar a assumi-la tampouco os diminuiria. É diferente de ser um apadrinhado de um político que cria um cargo só para alocar alguém.

A perpetuação da violência é, sim, uma agressão ao PNA. Você, individualmente, pode ser (e é), irrelevante para contê-la. Mas no momento que assume um posto na guilda de ladrões (e, quiçá, assassinos) que é o Estado, você implicitamente contribui para a perpetuação da escravização do resto da sociedade em prol de pessoas como você. Não venha com essa conversa de que diante da sua irrelevância para efetuar qualquer mudança você não é responsável pelas consequências nefastas que a sua escolha pessoal inflige para todo o resto da sociedade.

2) Um liberal no estado está, de certo modo, reduzindo o dano. Se ele não participar de greves, não se engajar em sindicatos, não exigir mais privilégios, pelo menos não estará atrapalhando.

É quase que o mesmo discurso que ouvimos no metrô todo santo dia: "eu podia estar roubando, matando, mas estou aqui pedindo a sua ajuda". O pobre coitado do metrô, pelo menos, não está, de fato, roubando ninguém. Você, ao contrário, rouba todo o resto da sociedade cada minuto da sua vida, porque escolheu isso. Decerto, se você não faz nada do que disse, o mal para o resto da sociedade se resume ao roubo diuturno que, ao final de mês, se materializa no seu contracheque. Mas, de novo, isso não o exime da imoralidade da sua conduta.

3) Com mais renda, uma pessoa tem mais condições de se defender do estado, mesmo trabalhando para ele. É melhor ser funcionário público concursado do que ser beneficiário do Bolsa Família, pois este último é refém do cenário político, enquanto o primeiro está relativamente mais seguro quanto a isso.

Ora, quanto maior o butim, maiores serão os meios à disposição do ladrão para fazer qualquer coisa. Mas ele deixa de ser ladrão? Não. Outra: não presuma que alguém que se beneficie da redistribuição de renda coercitivamente imposta pelo Estado é "vítima" de qualquer natureza. A empregada que trabalhava aqui em casa (que hoje não posso mais ter) não queria ter a carteira assinada por mais que eu insistisse. E por quê não queria? Porque, se assinasse a carteira, perdia o "benefício" do Bolsa Família. Então, sinto muito, mas duvido que a maioria que mama nas tetas de qualquer programa estatal é "vítima" de qualquer sorte.

4) Na situação atual, na qual o empreendedorismo é massacrado, não podemos condenar uma pessoa que escolhe fazer um concurso para obter algum sustento. Com mais dinheiro e tempo disponível, ela pode fazer cursos, estudar e agregar valor a si mesma. Se decidir voltar ao mercado, pode fazer um bem maior às pessoas com mais capacitação.

Falso. O que é imoral é imoral aqui, na China, e no raio que o parta. Existe um sem número de ações possíveis a qualquer ser humano para buscar seu sustento que não a via estatal. Um deles é bater perna e cair fora dessa ditadura. Claro, nem todos terão recursos para isso. Mas é absurdamente pequeno o montante de recursos que você precisa para cair fora do Brasil. Nada que com um pouco de trabalho duro e economia pesada não surta efeito. Então é perfeitamente possível condenar qualquer um que soçobre diante do cenário econômico estúpido que estamos vivendo desde muitos anos atrás. Outra: com o empreendedorismo massacrado, se todo mundo escolher essa via para obtenção de seu sustento, de onde virão os recursos para o Estado? Do éter? Mais provável é o endividamento, que nada mais significa que tributação pesada no futuro. Ou seja, procurar a via estatal para sustentar-se agrava ainda mais o problema.

5) Nem todo funcionário público é um inútil como eu. Médicos, bombeiros, (alguns) professores efetivamente fazem algum bem à população pelo seu trabalho, mesmo que sua remuneração não dependa de sua produtividade.

De fato, uma minoria ínfima é útil ao resto da população. Não houvesse tamanho incentivo para as pessoas transformarem-se em consumidoras de impostos, todos estaríamos mais bem servidos, não só em qualidade dos bens e serviços oferecidos ao mercado, mas na abundância dos mesmos. O consumidor voltaria ao papel de soberano e o mercado teria que se curvar, finalmente, à vontade dele. Mas isso é sonho, não vai acontecer aqui NUNCA.

Desejo tudo de bom para você. Abraço!


Morre bebê que esperava liberação de remédio derivado da maconha

g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/06/morre-bebe-que-esperava-liberacao-de-remedio-derivado-da-maconha.html

O garoto aguardava a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária sobre a liberação do uso do canabidiol, substância química derivada da maconha.

A mãe do menino chegou a conseguir diretamente na Anvisa a autorização para importar o remédio, que demorou a ser liberado pelas autoridades brasileiras


Você está falando da mesma PF que combate a sonegação?
g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/pf-faz-operacao-em-campinas-para-combater-sonegacao-avaliada-em-r-3-bi.ghtml

Sinto muito, mas respondendo a sua pergunta, eu acho que qualquer servidor federal age contra o ideal libertário.
Afinal, grande parte da sua existência é dedicada ao combate a propriedade privada.


A ANVISA é um órgão muito interessante, proíbe a comercialização de certas substâncias no Brasil, porém é ineficiente em proibir os medicamentos similares (os quais, não possuem biodisponibilidade ou bioequivalência com os medicamentos originais, são meras cópias sem nenhuma comprovação de eficácia). Esse é um dos motivos para a SAÚDE PÙBLICA do Brasil ser um caos. Medicamentos sem eficácia sendo distribuídos pelo SUS.

Há um forte lobby de fabricantes nacionais em manter esse cartel e a ANVISA está em cena para ampará-los.



Vale também ressaltar que Código Penal e o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas utilizam a expressão drogas sem nenhuma vez citar quais são suas substâncias. E é assim porque quem define o que são e quais são as drogas no Brasil é a Anvisa, por meio de portarias — atos administrativos normativos de pouca expressão no campo jurídico.

Nesse sentido, é importante destacar que existe uma corrente doutrinária em nosso país, ainda que minoritária, que defende a inconstitucionalidade dos crimes relacionados ao comércio de drogas, uma vez que é necessária uma lei para definir o crime e sua pena, o que não existe nesse caso.

De um lado ou de outro, a Anvisa é a principal culpada pela patética guerra contra as drogas no Brasil. E seu poder é ilimitado, pois ela pode continuar elaborando portarias definidas segundo seus próprios critérios sobre quais substâncias devem ser consideradas proibidas ou permitidas. Não há como domá-la.


Sabe aquele carro de cachorro-quente que você tanto gostava e não existe mais? Quer comprar um simples remédio para tratar a doença da sua filha, mas ele não é legalizado no país? Precisa de alto rendimento no esporte, mas importar o suplemento que você precisa é crime?

Agradeça a ANVISA.

Quando é o estado quem dá o direito, é ele quem também tem o poder de tirá-lo. Se o estado lhe dá o "direito à saúde", é ele quem também o tira.


Mesmo se não houvesse nenhum estudo, deveria ser aprovada a venda legal do mesmo jeito.


Incrível pensar que a simples extinção da ANVISA (sem ser substituída por nada) reduziria gastos governamentais inúteis e ainda seria melhor para saúde do brasileiro. Impressiona o nível de arrogância dessas pessoas.


Obrigado Anvisa, Receita Federal, Governo Federal e todos os demais criminosos por acabarem com a nossa liberdade.


Exato.

ANVISA: Oficialização de cartéis. Não pagou comissão para eles, esquece. Você pode ter o melhor produto do mundo que eles engavetam.


Agências reguladoras e funcionários públicos só trazem desgraças a esse país.


Por trás da Anvisa há uma porção de empresas nacionais que se beneficiam de um mercado fechado. Este também é um dos grandes motivos das restrições às importações. Empresas nacionais subornam os burocratas da Anvisa, conseguem a proibição de importações e com isso ficam com uma enorme reserva de mercado aqui no Brasil.

Todos sabemos muito bem que as outras organizações mundiais são mais competentes, mas para que deixar as farmacêuticas nacionais concorrer com as empresas de fora? O bom mesmo é ter um mercado cativo para medicamentos, substâncias, médicos e, claro, impostos.


A ANVISA se acha melhor que o FDA americano e proíbe a comercialização de inúmeros fármacos e princípios ativos aprovados nos EUA, Europa e até mesmo pela rigorosíssima agência japonesa...."por falta de estudos", dizem eles....desprezando conclusões científicas de estudos dos melhores centros de pesquisas e universidades do mundo.


Vale também ressaltar a questão dos cigarros eletrônicos, que têm dez vezes menos substâncias cancerígenas que cigarros comuns e não produzem fumaça, apenas vapor, sem prejudicar a saúde de quem vive perto de fumantes.

Por isso os "e-cigarettes" são febre no mundo todo — com exceção da Turquia e do Brasil.

Desde 2009, a Anvisa proíbe a venda do produto por aqui. O mais incrível é que os diretores da Anvisa dizem que têm o objetivo de aprimorar a saúde no Brasil. Sim, eles aprimoram dificultando o acesso de fumantes ao produto, que poderia rapidamente substituir o cigarro e com substantivas melhorias.



seu problema é que vc não é bom suficiente em ganhar o que PENSA que merece, quem sabe disso de verdade são teus clientes.. vc só vai satisfazer essa vontade de ganhar mais do que consegue, no funcionalismo público.. então não é sem alternativa, é vc limitou as opções... se eu enfiar na minha cabeça que preciso e mereço ganhar 1 milhão de reais, apesar do valor que meus clientes e meus chefes atribuem ao meu trabalho, acaberei dizendo que não tenho alternativas exceto roubar bancos ou entrar pra política


o que importa em TI é o que deve importar: se vc sabe conseguir resultados ou se não sabe.. se vc consegue, arrisco dizer que nem o ensino médio seria necessário


trabalho na mesma área que vc, nunca conclui um curso superior, ganho o mesmo ou mais que meus colegas que se formaram, exceto aqueles que viraram funcionários publicos..

acho que o que rola é que vc não é bom o suficiente pra conseguir o tanto de dinheiro que queres.. só vais conseguir isso sendo funcionário publico, mesmo



Ola pessoal,

Desculpa perguntar isso aqui mas nao achei nenhum artigo relacionado.

E quanto ao Bitcoin? Eh bolha? Eh solido? Vale a pena vender agora pra quem tem?
Queria mto saber a opiniao de voces.

Abraco!


"...pois o sr. pode estar desperdiçando aliados."

Me intrometendo, pois não pude deixar de notar a importância desta frase, vocês funças já estão prestando excelente serviço que muito é interessante para a causa libertária, o descalabro das contas públicas causado em boa parte por seus vencimentos muito acima da média brasileira levarão a dívida pública ao fim de 2017 a marca de 80% do PIB e subindo, em breve momento o sr. Mercado vai pedir mais juros e o governo irá pagar. A máquina estatal Br vai parar e ficar igual RJ.

Vocês funças libertários realmente estão sabotando o estado de dentro de maneira eficaz, são aliados muito eficientes como os melhores espiões nos maiores conflitos da história, mas tal qual estes, só terão suas condecorações após sua morte.


Bom dia Sr Fernando,

Em 2004 eu passei num concurso para perito criminal da PF. Eu era recém-formado, jovem, achando que precisava amadurecer e esquecer essas ideais de "anarquia", "imposto é roubo" e etc.

Em 2006 saiu a convocação. Não fui, desisti. Não consegui me imaginar recebendo dinheiro roubado, por mais que se alegue que meu trabalho seria "honesto" (E a boa parte dele realmente seria). Preferi ir para o mercado de trabalho, para ganhar exatamente 1/3 do salário que teria na PF.

Então pare de mimimi: se você está buscando alguma legitimidade no seu trabalho, você não irá encontrar isso por aqui. Mas se você está realmente preocupado com isso, basta pedir exoneração e pronto. Vá encarar o mercado.



"Apesar de discordar dos termos "funça" e "parasita" você abusou de inocência e de hipocrisia colega, se acredita no estado, trabalha para ele e vive no mundo real é no mínimo perdição ideológica se auto classificar como libertário."

servidor federal se o senhor não percebeu eu fui irônico nos comentários, criticando exatamente a postura GENERALISTA de funça e parasita que adotaram aqui. Concordo com sua taxação de que eu fui inocente em expor essas ideias em um antro religioso como esse, mas onde está a hipocrisia? e outra coisa, é muito simplista da sua parte falar que minha atitude é perdição ideológica, não são todas as vertentes do libertarianismo que são extremas e tem esse rol taxativo de estado 0, praxeologia e demais afincos da escola austríaca.


FL muito obrigado pela resposta, eram respostas desse nível que eu estava esperando. Concordo com o que vc diz, mas dada a atual circunstância, vc não acha "menos pior" que a mentalidade libertária possa tomar conta do funcionalismo público? Eu por exemplo fui contra o nosso recente aumento salarial justamente por conhecer como funciona a economia e ter noção de que ganhamos muito acima do mercado, portanto não era necessário aumento salarial. Imagine se essa mesma mentalidade fosse majoritária no serviço público, a eficiência que isso acarretaria. Se o estado não tiver defensores da liberdade dentro, então ele nunca reduzirá e sempre irá buscando cada vez mais e mais espaço até o colapso. PS- sou sim libertário, flerto sim com a utopia de estado 0 e futuramente penso em escrever um livro realmente, porém a realidade não funciona dessa forma com esses extremismos. Imagine a situação hipotética de todos os libertários agirem iguais e se retirarem do estado, vc acha que isso por si só vai mudar a estrutura e o estado ocupado por nenhum libertário e provavelmente mais forte não vai querer frear esse empreendedorismo livre??


Bom dia, sr. FL.

Seu comentário foi excelente, exceto pelo uso do termo "funça". Se quisermos ser amistosos com libertários em potencial, temos que nos abster de sermos vulgares.

Abraço.


Bom dia, sr. Imposto análogo à escravidão.

Prazer, eu sou um VERME, um PARASITA e um INÚTIL. Não precisa me xingar, eu mesmo faço isso. Não escrevo este comentário defendendo causa própria.

Apenas peço para rever sua hostilidade em relação a funcionários públicos, pois o sr. pode estar desperdiçando aliados. De fato, é impossível devolver o dinheiro confiscado a todas as pessoas que foram roubadas, mas eu conheço alguns funcionários públicos que doam dinheiro para causas libertárias. Isso é devolver o dinheiro, de certa forma.


Abraço.


Bom dia, Eduardo.

Sou funcionário público, e concordo que meu serviço não é de valia nenhuma para ninguém além de mim. Procuro ser produtivo no resto do tempo, traduzindo livros e fazendo cursos.

Porém, discordo da hostilidade com que alguns libertários se dirigem a funcionários públicos. Veja bem, assumir um vaga estatal não necessariamente viola o PNA, por alguns motivos:

1) Assumir uma vaga estatal que já existia antes de você assumir não aumenta o poder e a riqueza do estado, e se recusar a assumi-la tampouco os diminuiria. É diferente de ser um apadrinhado de um político que cria um cargo só para alocar alguém.

2) Um liberal no estado está, de certo modo, reduzindo o dano. Se ele não participar de greves, não se engajar em sindicatos, não exigir mais privilégios, pelo menos não estará atrapalhando.

3) Com mais renda, uma pessoa tem mais condições de se defender do estado, mesmo trabalhando para ele. É melhor ser funcionário público concursado do que ser beneficiário do Bolsa Família, pois este último é refém do cenário político, enquanto o primeiro está relativamente mais seguro quanto a isso.

4) Na situação atual, na qual o empreendedorismo é massacrado, não podemos condenar uma pessoa que escolhe fazer um concurso para obter algum sustento. Com mais dinheiro e tempo disponível, ela pode fazer cursos, estudar e agregar valor a si mesma. Se decidir voltar ao mercado, pode fazer um bem maior às pessoas com mais capacitação.

5) Nem todo funcionário público é um inútil como eu. Médicos, bombeiros, (alguns) professores efetivamente fazem algum bem à população pelo seu trabalho, mesmo que sua remuneração não dependa de sua produtividade.

Desejo tudo de bom para você. Abraço!


Paulinho, quanto delírio. Pra começar, que conversa é esse de que não pode usar o celular enquanto ele carrega? Eu uso o meu normalmente com um cabo substituto (o original já rasgou) e não há problema nenhum.

O cabo original é frouxo e macio, por isso rasga fácil. Já os substitutos são mais rígidos e firmes (por causa do PVC), por isso duram mais.

Não tem absolutamente nada a ver com isso de "usar enquanto carrega". Pior ainda foi todo esse libelo da metade final do seu comentário. O que foi aquilo?


Caro fernando, o nível das respostas que te deram mostra o principal motivo do movimento libertário não atrair mais pessoas. Para a maioria dos que aqui frequentam e comentam, qualquer coisa diferente de "governo zero" simplesmente não serve. A irracionalidade é tanta que, dada a oportunidade, o cara prefere ter um governo desviando recursos do que ter um governo minimamente vigiado, simplesmente pq os "vigias" (você) também são funcionários públicos.

É mais ou menos assim: o mundo ideal é 100%. Hoje, o cara tem 10% do que considera ideal. Oferecem melhorar gradativamente para 20%, o cara acha um absurdo.

Sim, todo funça é sustendado com dinheiro roubado da população. Sim, a enorme maioria dos funças não faz porra nenhuma. Sim, a enorme maioria dos funças ganha muito mais do que deveria, às custas do dinheiro roubado. Partir disso para ofender todo e qualquer funcionário público que está realmente questionando sua posição (como você está fazendo) é uma burrice tremenda, vai apenas afastar as pessoas do movimento. Lamentável.

Minha opinião: sim, o seu trabalho é necessário para o cenário atual. O dinheiro recuperado vai voltar pra ser roubado novamente? Talvez, mas a omissão é um erro maior ainda. Esse artigo é uma excelente reflexão para você, Fernando. Ele fala de pessoas exatamente na sua posição. Quais as chances de uma pessoa sozinha fazer realmente a diferença numa máquina tão grande como o estado?


Esta é a lição. Em vez de tentar se infiltrar no estado, os defensores da liberdade devem perseguir seus ideais por meio do comércio, da educação, do empreendimento, das artes, da divulgação de ideias, do debate etc. Liderem e exerçam influência por meio do respeito alcançado por suas realizações. Estas são áreas que oferecem genuínas promessas e altos retornos.

Quando um libertário diz que está fazendo coisas boas em algum ministério ou em alguma agência reguladora, não tenho motivos para duvidar de suas palavras. Porém, quão melhor seria caso ele renunciasse a este emprego e escrevesse um livro expondo toda a mamata, charlatanice e roubalheira da burocracia? Um golpe bem colocado contra um órgão do governo pode produzir mais reformas, e gerar mais benefícios para a sociedade, do que décadas de tentativas de infiltração e subversão.



Se você é especialista numa área de análise de fraude e desvio de recursos, acredite, o mercado tem muito espaço para você. Existem diversas consultorias especializadas em auditoria forense de empresas.


Não há diferença alguma entre esses "conselhos" e os sindicatos: são todos inúteis e parasitas do dinheiro alheio.

Já passou da hora do Jonh Galt desligar o motor no Brasil.


Ambientalistas enchendo o saco e os progressistas com essa cantilena de que os empreendedores são conspiradores(Que eu saiba conspirações são uma especialidade de políticos maquiavélicos) e seus políticos de estimação,seriam anjos protetores contra o Mercado malvadão,até quando teremos de aguentar essa empulhação,atrasos e empobrecimento...


Bom o comentário até faz sentido, sobre o tal PVC...
Mas posso dizer uma coisa que é fato também...

Experimentem não utilizar o celular enquanto estiver carregando... meus cabos sempre duraram muito tempo, tanto que ainda utilizo um cabo no 7 que é do primeiro 5 ainda !!! E os cabos novos, guardados ...

Como assim ?!?!?
Exatamente como comentei acima, a maioria das pessoas utilizam o celular enquanto está em carga... até aí não é o maior problema.... mas quando isso acontece, ninguém presta atenção em um detalhe que ocorre... todos forcam excessivamente a base do cabo o que consequentemente irá forçar a capa mais do que o recomendado é irá arrebenta-lo!!

Podem prestar atenção, onde TODOS os cabos quebram !!!

O fato é que não adianta colocar a culpa em um ou outro, quando também fazemos parte deste processo !!

Algumas coisas não fazem sentido, quando só olhamos pro "culpado" sendo que não vemos que parte da "culpa", é nossa mesmo, sendo bitolados nesta porcaria de tecnologia e querendo o "conforto" de não sentar corretamente numa mesa, sofá, banco, etc... deixando a postura correta de lado, o que acarreta não só a quebra dos cabos como também da saúde dormidos em geral !!!

Podem ter certeza, que o cabo é o menor dos problemas...

Reflitam um pouco !!!


Esquerdistas como sempre passando vergonha: distorcendo os fatos, para que se encaixem na ideologia marxista!


O socialismo deu certo sim, criou uma estrututa politica gigantesca e esse sempre foi o objrtivo, entao deu certo. Fracasso economico para os pobres, mas para quem era do alto escalao estVa tudo bem..


Há uns 10 anos a televisão mostrou documentário sobre uma cidade russa formada ao redor de um gulag, campo de concentração bolchevique. Os moradores eram antigos prisioneiros e guardas daquele presídio. Mas o que causava espanto era que os torturados não procuravam vingar-se de seus algozes. Pelo contrário, pareciam respeitar aqueles monstros e mostravam-se agradecidos por terem sido poupados da morte, como ocorrera com tantos outros. É assim que um regime totalitário aniquila qualquer sentimento de humanidade numa população.


Apesar de discordar dos termos "funça" e "parasita" você abusou de inocência e de hipocrisia colega, se acredita no estado, trabalha para ele e vive no mundo real é no mínimo perdição ideológica se auto classificar como libertário. Agora coloque-se no seu devido lugar e faça como eu, frequente o site pelos artigos econômicos de excelente qualidade.


Será que a esquerda vai proibir o porte de lanternas ?

Como a esquerda acha que iluminação pública evita assaltos, eles devem estar pensando em proibir o apontamento de lanternas para os bandidos.

Imagine um bandido tentando te assaltar. Você saca a sua poderosa lanterna, e o bandido sai correndo com medo da luz.

Bizarro, né ?


Não acho que a China tenha apenas "mão de obra barata" e muito menos que saiba apenas fabricar produtos baratos e de baixa qualidade.

Artigo que saiu no New York Times, creio que em 2009:


Em 2007, pouco mais de um mês antes da data marcada para o iPhone aparecer nas lojas, Steve Jobs reuniu um punhado de seus subordinados em um escritório. Ele havia carregado durante semanas um protótipo do aparelho em seu bolso.

Jobs segurou seu iPhone no ar com raiva, inclinando-o num ângulo que permitisse que todos vissem as dúzias de pequenos arranhões que estragavam sua tela de plástico, como relatou um participante da reunião. Depois ele tirou suas chaves do bolso do jeans.

As pessoas irão carregar este celular no bolso, ele disse. As pessoas também carregam as chaves no bolso. "Eu não vou vender um produto que vai ficar riscado", ele disse tenso. A única solução era, em vez disso, utilizar vidro à prova de arranhões. "Eu quero uma tela de vidro, e quero que seja perfeita, dentro de seis semanas".

Depois de sair da reunião, um dos executivos marcou um voo para Shenzhen, na China. Se Jobs queria perfeição, não havia nenhum outro lugar para ir.

Durante anos, criadores de celulares evitaram o uso de vidro porque ele requer uma precisão de corte e lixamento que era extremamente difícil de se obter. A Apple já havia selecionado uma companhia americana, a Corning Inc., para manufaturar grandes chapas de vidro reforçado. Mas descobrir como cortar aquelas chapas em milhões de telas de iPhone exigia encontrar uma fábrica de corte vazia, centenas de pedaços de vidro para serem utilizados em experimentos e um exército de engenheiros de nível intermediário. Só a preparação já custaria uma fortuna. Então um pedido para o trabalho veio de uma fábrica chinesa.

Quando uma equipe da Apple a visitou, os donos da fábrica chinesa já estavam construindo uma nova ala. "Isto é para o caso de vocês fazerem um contrato conosco", disse o gerente, segundo um ex-executivo da Apple. Ela tinha um armazém cheio de amostras de vidro disponíveis, de graça, para a Apple. Os donos disponibilizaram engenheiros quase sem custo. Eles construíram dormitórios no próprio local para que os empregados estivessem disponíveis 24 horas por dia. A fábrica chinesa conseguiu o trabalho.

Outra vantagem crítica a favor da Apple foi que a China lhe forneceu engenheiros numa escala com a qual os Estados Unidos não poderia competir. Os executivos da Apple haviam estimado que cerca de 8,7 mil engenheiros industriais foram necessários para supervisionar e orientar os 200 mil trabalhadores da linha de montagem eventualmente envolvidos em manufatura de iPhones. Os analistas da companhia haviam previsto que seria necessário nove meses para encontrar esse mesmo número de engenheiros qualificados nos Estados Unidos. Na China, demorou 15 dias.

"Toda a cadeia de fornecimento está na China agora", diz um ex-executivo de alto escalão da Apple. "Precisa de mil juntas de borracha? Tem na fábrica vizinha. Precisa de um milhão de parafusos? A fábrica fica na outra quadra. Você precisa que aquele parafuso seja feito de modo um pouquinho diferente? Vai levar três horas".


Um último comentário meu: uma população educada também é um "bem de capital" escasso e que exige investimento, e, portanto, poupança. Só que enquanto a China usa seu capital para formar engenheiros, o Brasil usa seu capital em cursos de filosofia, sociologia, pedagogia e etc.


Acho que o pior da OAB é que o monopólio da atividade advocaticia e a obrigatoriedade de pagamento de anuidade acaba criando uma falsa representatividade dos advogados. E aí eles entram no campo político-partidário "em nome" dos advogados, mesmo que muitos não concordem com o que eles fazem. Ou seja, o advogado acaba sendo obrigado a financiar e sustentar a posição política da OAB, sob pena de não poder trabalhar. O pedido do impeachment do Temer, por exemplo, foi proposto pela OAB, mesmo que existam milhares de advogados que são contra isto.

Ah, claro, a defesa das prerrogativas fica em último plano.


Para quem não entendeu o texto, experimente dar uma volta pela cidade e pensar quantas empresas tem apenas clientes ricos. Aí imagine que não existem ricos. O que acontece com as empresas ?

Loja da BMW ? Não existe mais.
Loja da H.Stern ? Não existe mais.
Loja da Prada ? Não existe mais.
Restaurante caro especializado em comida francesa ? Não existe mais.
Hotel chique com diárias de quatro dígitos ? Não existe mais.
Motel com suíte de 300 m2 ? Não existe mais.
Academia super-chique com personal trainer exclusivo ? Não existe mais.
Pet Shop de luxo que vende ração orgânica importada mais cara que filé mignon ? Não existe mais.
Agência de viagens especializada em cruzeiros de luxo, estações de esqui e ilhas particulares ? Não existe mais.
Aluguel de helicópteros e jatinhos ? Não existe mais.
Galeria de arte ? Não existe mais.

O artigo não diz que um milionário, ao gastar, torna todos os outros milionários também. Diz que ele distribui riqueza. Quantas empresas e quantos empregos desapareceriam se a situação acima se tornasse realidade ?


Então se um cara que é de extrema-direita declara que gosta do nazismo, isso prova que o nazismo é extrema-direita ?

Se o José Dirceu declarar que é botafoguense, isso prova que o Botafogo é petista ?

Se o Aécio declarar que gosta muito de Castro Alves, isso prova que Castro Alves é tucano ?

Se o Luan Santana declarar que tem um BMW, isso prova que a BMW é uma organização sertaneja ?


Esses que vc citou vivem desse modo porque essa é exatamente sua fonte de renda: ser uma "celebridade". Quem vive uma vida normal não vai aparecer na Caras e nos programas sensacionalistas de TV. Fazer porralouquices é uma atividade mito bem planejada pelos seus assessores e pela mídia especializada.

Ganham as celebridades, ganham os personal isso e personal aquilo que gravitam em torno deles, ganham os jornalistas que tem público garantido. O povo que paga, não sei se "ganha" alguma coisa, mas fica satisfeito. Afinal, é isso que eles querem consumir.



concordo servidor federal, eu até esperava algum debate consciente, atentando para a parte em que me especializei, mas aí logo chegaram os comentários generalistas, vitimistas, carregados de cunho emocional, atitudes nível esquerda. Esse tipo de coisa acaba afastando as pessoas de um debate saudável. Pelo jeito o "funça" aqui é parasita e ponto final não importa o que faça. Falam que esquerda é utópico mas vivem tbm de utopias. Mas se possível gostaria de algum comentário mais lúcido sobre minha pergunta, sem essa mesma estratégia anti debate da esquerda. E reitero ainda mais a pergunta, o estado está aí mega inchado e o fato é esse, se a polícia federal não exercesse esse mínimo controle, não acham que estaria ainda pior?? No mundo real que eu vivo os políticos existem e precisam ser punidos, e aí? O estado não vai acabar do nada. Por mais que a pena não seja tão pesada, mas serve pra pelo menos coibir um pouco as atitudes ilícitas deles.