clube   |   doar   |   idiomas
Keynesianos não querem assumir a paternidade da filha

Bresser-Pereira: Nova Matriz o quê?  Nunca ouvi falar...
Os marxistas, sempre que confrontados com as consequências sanguinolentas de seus experimentos na URSS (62 milhões de mortos), na China de Mao Tsé-Tung (100 milhões de mortos), e no Camboja de Pol-Pot (3 milhões de mortos, em uma população de 8 milhões) — no total, os regimes marxistas assassinaram aproximadamente 110 milhões de pessoas de 1917 a 1987 —, saem-se com a mesma resposta: esses regimes "deturparam Marx".

Embora seja compreensível que pessoas que defendiam apenas o lado romântico do comunismo ("De cada qual, segundo sua capacidade; a cada qual, segundo suas necessidades") queiram manter distância dos aspectos mais sanguinolentos dessa ideologia, trata-se de uma postura tola.  Afinal, o uso mais elementar da lógica já é o suficiente para mostrar que o comunismo necessariamente requer métodos brutais para ser implantado.

No entanto, como bem sabemos, um dos pré-requisitos para se ser comunista é o total desprezo pela lógica.  Sendo assim, tal postura, advinda dessa gente, é compreensível.  Patética, mas compreensível.

Agora, é novidade para mim keynesianos não quererem assumir a paternidade de seus projetos.  Isso é algo que, devo confessar, nunca vi.  Deve ser mais uma daquelas pororocas brasileiras.

Recente reportagem da revista Época mostra que a Nova Matriz Econômica — até outro dia propagandeada por keynesianos com a emoção de quem vê uma crença se concretizar — ficou órfã.

Por ter sido da equipe que a colocou [a Nova Matriz Econômica] em prática — e por ter se oposto à magnitude do ajuste fiscal promovido por seu antecessor, Joaquim Levy — Nelson Barbosa, mereça ou não, carrega o estigma da nova matriz, uma realização hoje renegada até por seus pais, os economistas ditos desenvolvimentistas.

O fiasco retumbante do projeto que tinha o Estado no palco relegou o pensamento desenvolvimentista aos escombros. Com o Estado falido, seus apoiadores não apenas negam a política da nova matriz, como brigam entre si.

Eles racharam em dois grupos, acusam-se de ter influenciado equivocadamente o Palácio do Planalto e disputam o título de quem leu melhor a obra do economista John Maynard Keynes — e, por isso, seria um "verdadeiro keynesiano", e não um mero "desenvolvimentista" criador de matrizes.

"A nova matriz está órfã", disse Samuel Pessôa, professor do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, no Rio. "Não tem pai, mãe, avó, tio, primo, nem amigo. Tem horas que dizem que nem existiu."

[...]

Em um evento recente, [Luiz Carlos] Bresser-Pereira foi instado a comentar as ideias da turma da Unicamp. Seriam as tais ideias inspiradas na leitura rigorosa de lorde Keynes?

— Não! — disse, ao fim do debate na FGV, em agosto.

— Por quê?

— Porque não...  And that's all  (e isso é tudo).

O fracasso da criatura espantou seus padrinhos.

Curiosamente, há apenas três anos, todos eles desciam aos níveis do ridículo para elogiar o modelo ultrakeynesiano vigente no Brasil.  O pai-de-todos, em particular, deixou a sua marca para a posteridade, convidando ao escárnio.

Só que o tempo passou e foi implacável com os sonhos dessa turma; a realidade econômica — aquela que nunca pode ser abolida, apenas ignorada — se impôs.

"Deturparam Keynes!" será o novo mantra.



2 votos

autor

Leandro Roque
é o editor e tradutor do site do Instituto Ludwig von Mises Brasil.

CATEGORIA
  
POST POR DATA
comentários (39)

  • Marx  24/12/2015 00:41
    Ai ai, eu com minha humilde teoria aniquilei aproximadamente 110 milhões de pessoas em 70 anos, fazendo alguns cálculos (o que não é o meu forte) foram então aproximadamente 1,5 milhão por ano, o que nos dá 4.300 por dia, o que nos leva a 179 por hora e finalmente, aproximadamente 3 pessoas mortas por minuto em longos 70 anos! Mas me desculpem, afinal eu só queria ajudar o povão. :(
  • Pobre Paulista  25/12/2015 11:22
    Você só conseguiu essa impressionante taxa - 3 pessoas por minuto ao redor do globo - pois empregou capital em seu trabalho (principalmente armas, mas também gás tóxico, bombas e afins).

    Quero ver se você conseguiria isso tudo fazendo todo esse trabalho manualmente.
  • Marx  26/12/2015 21:48
    Ótima observação ! Afinal, o que seria de mim e minhas teorias sem o maldito capital ? Nada.
  • anônimo  29/12/2015 14:07
    Admita Marx! Você era na verdade um satanista que criou uma filosofia e economia pretextuais. Seu verdadeiro objetivo era, ao colocar idiotas úteis para agir com base nestes pseudoconceitos, provocar toda a balburdia e destruição que o marxismo criou, e deste modo prestar oblações, reverências e sacrifícios a satanás, com as almas perdidas e enviadas ao inferno!

    ERA ISTO QUE VOCÊ QUERIA.
  • Gabriel  24/12/2015 00:57
    Já me impressiona algumas pessoas ainda levarem minimamente a sério um Ministro que tentou acabar com hiperinflação com a brilhante ideia de se congelar os preços, tal qual está sendo feito na Venezuela. Os intelectuais que tanto defendem essas políticas hoje acabam abandonando o barco furado como se nunca tivessem defendido aquilo ou, pior ainda, vem com desculpas como dito no artigo "deturparam keynes".

    E esse é o pior e mais perigoso tipo de ser humano, aquele hipócrita e repugnante que faz qualquer negócio para se chegar a um objetivo, neste caso da "nova matriz" os "intelectuais" e "economistas" lhe abandonam para tentar inventar uma outra "formula mágica" para novamente botar o seu amor keynesiano em prática, mas sob uma nova roupagem obviamente, para enganar o grande público.
  • David Barros  24/12/2015 03:04
    Quando vi, numa matéria de introdução a economia quando estava na faculdade de química industrial, o gráfico da inflação X taxa de desemprego que KEYNES desenvolveu, eu entendi que o socialismo é um câncer para qualquer povo do mundo.
  • Ronaldo  24/12/2015 03:08
    UM cara que diz que o dolar deve ser R$3,60 ou qualquer valor já não merece minha atenção
  • Karion Minussi  24/12/2015 03:39
    É sempre assim...

    "se não deu certo, então não era comunismo"...
    "se roubou, então não era de esquerda"...
    "se a matriz econômica não deu certo, então é porque foi deturpada"...

    Começo a achar que esse pessoal da esquerda veio de Marte!
  • Eraldo Filho  24/12/2015 03:43
    Veríssimo já escreveu em sua coluna que o que produziu toda essa crise foi Dilma ter sido neoliberal.

    Não, meus amigos, esses esquerdistas não são de Marte. Eles são cara de pau mesmo.
  • O Homem de 9 Dedos  24/12/2015 13:37
    Todo mundo sabe que quem produziu a crise foi Pedro Álvares Cabral e a globalização.

    Este pessoal é tudo canalha. Falam como se não soubessem a tragédia que dá quando alguém segue a palhaçada pela qual advogam. Tudo que ela fez foi na agenda deles:

    - Aumento de gastos.
    >Mobilidade urbana aumentada.
    >Mais fundos para a molecada de classe média emasculada das federais que passam pais tempo com teachers do que com os pais.
    >Mais bolsa família.

    - Redução artificial dos juros.
    >Bancos públicos respondendo por uma fatia extraordinária de crédito. Saído direito do Manifesto Comunista.

    - Desvalorização cambial.
    >Vamos fingir que foi de propósito e que o governo ainda está controlando isso.

    - Controle de preços.
    >Setor elétrico, alguém?

    - Protecionismo.
    >Tarifas arbitrárias para valorizar a produção nacional.
    >Cotas para insumos nacionais.

    O que ela fez de neoliberal? Fez concessão de infraestrutura. Como se as estradas não fossem poças de lixo em todo o nordeste. Mas não são os aeroportos causando a crise, são?

    A crise foi manufaturada lá no palácio dela com uma dívida impagável que só cresce.
  • Liberalismo nos outros é refresco  05/01/2016 17:11
    É...é sempre assim:

    "Se não é anarco-capitalismo então é socialismo".

    "Deturparam as ideias de Mises".

    "Onde o capitalismo não deu certo então não é capitalismo"...

    Esses ultraliberais devem ter fugido do hospício!

  • Keynesianismo no dos outros é que é  11/01/2016 11:34
    "Se não é anarco-capitalismo então é socialismo"

    Nunca li isso. E nem teria como, dado que não há nenhuma sociedade anarcocapitalista.

    "Deturparam as ideias de Mises"

    Também nunca li isso. E nem teria como, dado que nenhuma política econômica clama ser misesiana.

    "Onde o capitalismo não deu certo então não é capitalismo"...

    Desconheço tal lugar.

    Pode continuar gemendo e chorando. Isso nos diverte.
  • Erick  24/12/2015 14:24
    Pelo menos né?
    Olhando pelo lado bom, pelo menos essa turma sente vergonha dessa aberração. Imagina se resolvessem seguir o modelo daquele sindicalista tarado da Venezuela? Iriam mentir dizendo que o Brasil está passando por toda essa catástrofe porque faltam estímulos ou falta seguir a nova matriz econômica.
  • Gabriel  24/12/2015 14:37
    Pois outro dia mesmo eu vi o Ciro Gomes falando algo do tipo. Ele dizia que aumentar gasto não era keynesianismo. Para se-lo, tinha que aumentar o investimento público.
  • Rennan Alves  24/12/2015 16:10
    Ou seja: trocar seis por meia-dúzia.
  • Wesley  24/12/2015 17:10
    O Ciro Gomes é o único esquerdista que vi que é contra a desvalorização cambial. Parece que ao menos ele é mais inteligente por perceber que tudo é dolarizado e que se o dólar aumenta, isso gera inflação de preços. Já é um progresso se comparado aos demais.
  • Oric  24/12/2015 22:55
    Ciro Gomes é só um pilantra que quer ser líder do gado.

    Nada do que ele fala ele acredita de verdade.
  • Wesley  24/12/2015 22:00
    Vi um keynesiano dizendo que um pouco de inflação é bom para a economia para fazer a economia aquecer. Por que os keynesianos defendem a impressão de dinheiro, é só para fortalecer os gastos do governo? Dizer que um pouco de inflação é bom, segundo a EA, seria o mesmo que dizer que incinerar uma parcela do seu dinheiro é bom para a economia? Um abraço!
  • Viking  28/12/2015 14:42
    Inflação é ótimo para aquecer a economia. Queimando dinheiro você pode aproveitar o calorzinho por ele fornecido para se aquecer.
  • Luciano  25/12/2015 02:10
    O que acham disso ?

    Switzerland to vote on banning banks from creating money

    www.telegraph.co.uk/finance/economics/11999966/Switzerland-to-vote-on-banning-banks-from-creating-money.html
  • Enrico  25/12/2015 18:56
    Um sistema de 100% de reservas é o recomendado pela maioria dos austríacos. Não ficou bem claro, entretanto, como:

    1) Vão atingir os 100% de reservas, partindo de um sistema onde não há 100% de reservas?

    2) O Banco Central criará o dinheiro? O sistema mudará? Se for aquela ideia de dar poder ao parlamento para decidir quantos bilhões criar e jogá-los no orçamento, então a Suíça terá chances de entrar em hiperinflação, derrubando o franco, que é uma moeda forte.
  • Carlos Lima  30/12/2015 05:46
    Luciano, se, apesar do meu inglês sofrível, eu consegui realmente entender o que li nesse link que você nos enviou, e que fala sobre o referendo na Suíça, de repente o artigo pode ter sido a notícia mais importante do ano, ou talvez da década, ou quem sabe até deste século. Se a proposta se concretizar, poderá ser um dos sonhos dos economistas da escola de Viena virando realidade. Isso se eu entendi direito a proposta, faço questão de repetir, já que meu inglês deixa muito a desejar... assim como o meu português... rsrsrs... Só estranhei ninguém ter feito comentários sobre algo tão importante e relevante para as discussões que acontecem neste site.
  • Economista da UNICAMP  25/12/2015 14:49
    (Meio off-topic)

    Feliz natal aí austríacos

    Que papai noel Mantega inicie um Quantitative Easing de felicidade na vida de vcs e que isso resulte em um efeito multiplicador aumentando a saúde e prosperidade proporcionalmente.
  • Dissidente Brasileiro  25/12/2015 15:32
    Vejam aí mais um 7x1 no Bananão, vulgo braziul. Quem vai pagar a conta dessa safadeza, adivinhem?

    Caixa aumenta participação em empréstimos de maior risco
  • Dinheiro na Cueca  25/12/2015 21:56
    Serão os rentistas, os entesouradores e os especuladores do mercado financeiro. Irão com eles a mídia golpista, o PSDB e os ditadores de facebook.

    O PT não pagará a conta.

    E ainda vai levar os restos para casa. Advinha como?
  • Paraninfo  26/12/2015 01:36
    Eu acabei de assistir uma propaganda do PSDB com o Geraldo Alckimin.

    Chega a ser bizarra a proposta dos tucanos. Desconto no imposto do arroz e feijão parece piada. Os frouxos arrecadam bilhões em impostos e dão moedas de desconto.

    Isso mostra cada vez mais o fracasso da inteligência humana.
  • anônimo  26/12/2015 17:06
    Ainda possuem caras de pau que afirmam que PSDB é de direita.
  • marxista  27/12/2015 14:36
    Mas deturparam o Marx. Me cite uma pasagem do Marx que falam que tem exterminar todo o mundo...
  • Convertido  27/12/2015 19:29
    Cito várias.

    "A sociedade está passando por uma revolução silenciosa, à qual deve se submeter, e que não presta mais atenção às existências humanas que solapa do que um terremoto se importa com a casa que faz desmoronar. As classes e as raças fracas demais para dominar as novas condições de vida devem perecer."

    (Karl Marx, New-York Daily Tribune, 4 de março de 1853)

    www.marxists.org/archive/marx/works/1853/03/04.htm


    "Quanto aos judeus, que desde a emancipação de seu secto meteram-se em todos os lugares, ao menos nas pessoas de seus eminentes representantes, à frente da contra-revolução – o que os espera?

    Não se pode esperar pela vitória para atirá-los de volta ao seu gueto."

    (Karl Marx, Die Neue Reinische Zeitung, n.º 145, 17 de novembro de 1848)
    www.marxists.org/archive/marx/works/1848/11/17a.htm


    "Às frases sentimentais sobre irmandade que têm sido oferecidas aqui em nome das nações mais contra-revolucionárias da Europa, respondemos que o ódio aos russos era e ainda é a primeira paixão revolucionária dentre os alemães; que o ódio revolucionário a checos e croatas foi adicionado a ela, e que apenas através do mais determinado uso do terror contra esses povos eslavos, juntamente com poloneses e magiares, podemos salvaguardar a revolução. [...] Então haverá uma luta, uma "inexorável luta de vida e morte", contra aqueles eslavos que traem a revolução; uma luta aniquiladora e um terror cruel – não pelos interesses da Alemanha, mas pelos interesses da revolução!"

    (Friedrich Engels, Die Neue Reinische Zeitung, n.º 222, 14 de fevereiro de 1849)

    www.marxists.org/archive/marx/works/1849/02/15.htm


    "Somente numa ordem de coisas em que não existam mais classes e antagonismos entre classes as evoluções sociais deixarão de ser revoluções políticas. Até lá, às vésperas de cada reorganização geral da sociedade, a última palavra da ciência social será sempre: "O combate ou a morte: a luta sanguinária ou nada. É assim que a questão está irresistivelmente posta". (Karl Marx, "Luta de Classes e Luta Política", 1847)

    www.marxists.org/portugues/marx/1847/04/luta-class-luta-polit.htm


    O movimento proletário é o movimento autônomo da maioria imensa no interesse da maioria imensa. O proletariado, a camada mais baixa da sociedade atual, não pode elevar-se, não pode endireitar-se, sem fazer ir pelos ares toda a superstrutura [Überbau] das camadas que formam a sociedade oficial. Pela forma, embora não pelo conteúdo, a luta do proletariado contra a burguesia começa por ser uma luta nacional. O proletariado de cada um dos países tem naturalmente de começar por resolver os problemas com a sua própria burguesia.

    Ao traçarmos as fases mais gerais do desenvolvimento do proletariado, seguimos de perto a guerra civil mais ou menos oculta no seio da sociedade existente até ao ponto em que rebenta numa revolução aberta e o proletariado, pelo derrube violento da burguesia, funda a sua dominação.

    [...]

    Em sentido próprio, o poder político é o poder organizado de uma classe para a opressão de uma outra. Se o proletariado na luta contra a burguesia necessariamente se unifica em classe, por uma revolução se faz classe dominante e como classe dominante suprime violentamente as velhas relações de produção, então suprime juntamente com estas relações de produção as condições de existência da oposição de classes, as classes em geral, e, com isto, a sua própria dominação como classe.

    [...]

    Os comunistas rejeitam dissimular as suas perspectivas e propósitos. Declaram abertamente que os seus fins só podem ser alcançados pelo derrube violento de toda a ordem social até aqui. Podem as classes dominantes tremer ante uma revolução comunista!

    (Karl Marx & Friedrich Engels, "O Manifesto Comunista", 1848)

    www.marxists.org/portugues/marx/1848/ManifestoDoPartidoComunista/index.htm
  • anônimo  30/12/2015 13:34
    Marx foi o maior apologista a violência que já existiu.

    "seus fins só poderão ser alcançados pela derrubada violenta das condições sociais existentes. Que as classes dominantes tremam diante da revolução comunista! "

    "Horrorizai-vos porque queremos abolir a propriedade privada."

    (Karl Marx, manifesto comunista)


  • cmr  30/12/2015 15:24
    Marx foi o Anti-Cristo, o filho do Demônio.
  • Joao Vitor Ribeiro Alves  29/12/2015 05:20
    O nível de canalhice de qualquer marxista ou keynesiano é mais de 9000!
  • Paulo Henrique Martinello  05/01/2016 17:46
    oglobo.globo.com/brasil/pt-quer-superar-ajuste-com-mais-impostos-emprestimos-da-china-18397060


    1) Vender papéis da dívida ativa da União para bancos e levantar recursos para obras

    2) Adotar sete faixas de alíquotas do Imposto de Renda - a mais alta de 40% para salários acima de R$ 108 mil mensais - e isenção para quem ganha até R$ 3.390

    3) Instituir imposto de renda sobre lucros e dividendos e remessa de recursos para o exterior

    4) Fim da possibilidade de empresas poderem abater do IR o valor pago como juros para os acionistas

    5) Aumentar o Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) para propriedades improdutivas

    6) Mudar tributação sobre cigarros

    7) Criar um imposto sobre grandes fortunas

    8) Elevar imposto sobre heranças e doações

    9) Instituir imposto semelhante ao IPVA para jatinhos e helicópteros

    10) Legalizar jogos de azar

    11) Volta da CPMF (já encampada)

    PUBLICIDADE

    12) Alterar legislação para acordos de leniência (já encampada)

    13) Repatriação de recursos mantidos no exterior (já encampada)

    14) Captação de empréstimo na China para financiar empresas brasileiras



    Retirando o classico CONFISCO E ROUBO dos impostos, esse primeiro item(não que os outros não sejam) é especialmente preocupante não é?

    Financiamento da dívida via inflação, correto?
  • Fernando  05/01/2016 17:49
    Alguém poderia me dizer como pode ficar a situação econômica com essa pressão que o PT está fazendo para ressucitar o PAC, gastos públicos, e também como ficará com o Barbosa no comando da Fazenda? Será possível que haja de novo um crescimento sem sustentação por alguns anos? o que pode acontecer?
  • Donato  05/01/2016 18:27
    Não, não será possível.

    Explicado ao final deste artigo:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2265
  • Fernando  05/01/2016 19:12
    Ok. Mas o PT está pressionando o governo para este fazer caír os juros, será que a economia fica pior se o BC baixar juros?
  • Marcos  05/01/2016 20:32
    Desvaloriza ainda mais o câmbio e pressiona ainda mais a inflação. Acabou a farra permitida pelo dólar mundialmente fraco (que foi o segredo de tudo).

    Enquanto o povo não entender isso, continuará totalmente perdido, acreditando em soluções mágicas e na possibilidade da volta da "economia da era Lula".
  • Henrique Matos  08/01/2016 17:52
    Olha a pérola do Belluzzo nessa mesma matéria da Época: "Assim como os economistas alemães, os brasileiros se dividem entre os que não leram Keynes e os que leram e não entenderam", disse Belluzzo. "Fazer críticas à política atual não significa recomendar o expansionismo fiscal, mas ressaltar a incongruência entre a política fiscal e a monetária."

    Um dia sonhei em fazer um mestrado na Unicamp depois que conheci o instituto Mises e por consequência a escola Austríaca estou curado dessa doença.
  • O Homem de 9 Dedos  08/01/2016 19:05
    Não entendi nada.

    Que incongruência é essa? No Brasil uma é ruim e a outra é pior. Ninguém toca no problema da política monetária (a irrelevância da taxa de juros por causa do Dilmão) e o problema da política fiscal (o próprio Dilmão) é incorrigível.

    Eu só sinto raiva quando eu vejo os dados do Brasil. Já estou naquela de "quem se importa".
    Pega um artigo do IMB lá de 2012 e lê. Os problemas são exatamente os mesmos de um que lança ontem. Ninguém corrige nada e tudo só piora. Esse país é uma pegadinha que o comediante esqueceu de explicar. Gente como o Belluzzo são só palhaços, mesmo.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.