O horror da China comunista e seus pavorosos campos de morte

Embora atualmente muito se fale sobre a economia da China e muito se critique o país, o que é realmente notável em todos esses comentários e críticas é quão distantes e limitados eles parecem ser quando se pensa na história recente da China.

E esse é um assunto profundamente doloroso, horrível em seus detalhes, mas altamente elucidativo e útil para nos ajudar a entender a política — e que também põe em perspectiva as notícias sobre esses recentes problemas na China.

É um escândalo, de fato, que poucos ocidentais sequer estejam informados — ou, se estão, não estão conscientes — sobre a sanguinolenta realidade que predominou na China entre os anos de 1949 e 1976, os anos da ditadura comunista de Mao Tsé-Tung. (Ou Mao Zédong).

Quantos morreram como resultado das perseguições e das políticas de Mao? Será que você se importaria em adivinhar? Muitas pessoas ao longo dos anos tentaram. Mas elas sempre acabavam subestimando os números. Porém, à medida que mais dados foram aparecendo durante as décadas de 1980 e 90, e os especialistas foram se dedicando mais intensamente às investigações e estimativas, os números foram se tornando cada vez mais confiáveis. Mas, ainda assim, eles permanecem imprecisos. Qual a margem de erro com a qual estamos lidando? Ela pode ser, por baixo, de 40 milhões; mas também pode ser de 100 milhões ou mais.

Para o Grande Salto para Frente, de 1959 a 1961, o número de mortos varia entre 20 milhões e 75 milhões. No período anterior foi de 20 milhões. No período posterior, dezenas de milhões a mais.

Estudiosos da área de homicídio em massa dizem que a maioria de nós não é capaz de imaginar 100 mortos ou 1.000. E, acima disso, tudo vira apenas estatística: os números passam a não ter qualquer sentido conceitual para nós, e a coisa se torna um simples jogo numérico que nos desvia do horror em si. Há um limite de informações horríveis que nosso cérebro pode absorver, um limite de quanto sangue podemos imaginar.

No entanto, há um motivo maior pelo qual o experimento comunista chinês permanece um fato oculto: ele apresenta um argumento forte e decisivo contra o poder do estado, de maneira ainda mais conspícua que os casos da Rússia e da Alemanha do século XX.

Esse horror já podia ser pressagiado quando uma guerra civil se seguiu à Segunda Guerra Mundial. Depois de nove milhões de mortos, os comunistas emergiram vitoriosos em 1949, tendo Mao como o soberano. Assim, a terra de Lao-Tzu (rima, ritmo, paz), do Taoísmo (compaixão, moderação, humildade) e do Confucionismo (piedade, harmonia social, progresso individual) foi confiscada pela importação da mais esquisita matéria-prima jamais conhecida pelos chineses: o marxismo alemão importado via Rússia.

Era uma ideologia que negava toda a lógica, toda a experiência, todas as leis econômicas, todos os direitos de propriedade, e todos os limites sobre o poder do estado, que alegava que todas essas noções eram meros preconceitos burgueses, e que afirmava que tudo o que era necessário para transformar a sociedade era criar um núcleo composto por poucas pessoas iluminadas e dotadas de ilimitados poderes para modificar todas as coisas.

É realmente bizarro pensar nisso: a China, dentre todos os lugares, com pôsteres de Marx e Lênin, e sendo governada por uma ideologia ditatorial, extorsiva e homicida, que só chegou ao fim em 1976. A transformação ocorrida nos últimos 35 anos foi tão espetacular que alguém dificilmente saberia que tudo isso já aconteceu, exceto pelo fato de o Partido Comunista ainda estar no poder, embora já tenha dispensado os princípios básicos da parte comunista.

O experimento começou da maneira mais sanguinolenta possível, após a Segunda Guerra, quando todos os olhos do Ocidente estavam voltados para assuntos internos (e, quando havia alguma preocupação externa, ela estava na Rússia). Os "mocinhos" (comunistas) haviam vencido a guerra contra os vilões (nacionalistas) da China — ou assim fomos levados a crer, na época em que o comunismo era a moda mundial.

A comunização da China se deu seguindo os três estágios usuais: expurgos, planejamentos e, por fim, a procura por bodes expiatórios.

Primeiro ocorreram os expurgos — também conhecidos como "purificação" — para que o comunismo pudesse ser implantado. Havia rebeldes a serem mortos e terras a serem nacionalizadas. As igrejas tinham de ser destruídas. Os contra-revolucionários tinham de ser suprimidos. A violência começou no campo e depois se espalhou para as cidades.

Todos os camponeses foram inicialmente divididos em quatro classes que eram consideradas politicamente aceitáveis: pobres, semi-pobres, médios, e ricos. Todos os outros eram considerados latifundiários e, assim, marcados para ser eliminados. Se nenhum latifundiário fosse encontrado, os "ricos" eram então incluídos nesse grupo.

A classe demonizada era desentocada em uma série de "encontros da amargura" — que ocorriam em nível nacional —, nos quais as pessoas delatavam seus vizinhos que possuíssem propriedades e que fossem politicamente desleais. Aqueles assim considerados eram imediatamente executados junto com quem quer que tivesse simpatias por eles.

A regra era que deveria haver ao menos uma pessoa morta por vilarejo. O número de mortos está estimado entre um milhão e cinco milhões. Adicionalmente, entre quatro e seis milhões de proprietários de terra foram trucidados pelo simples crime de serem donos de capital. Se alguém fosse suspeito de estar escondendo alguma riqueza, ele ou ela seria torturado com ferro quente até confessar. As famílias dos mortos eram também torturadas e os túmulos de seus predecessores eram saqueados e pilhados. O que acontecia com a terra? Era dividida em minúsculos lotes e distribuída entre os camponeses remanescentes.

A campanha então se dirigiu para as cidades. As motivações políticas eram o principal incentivo, mas havia também o desejo de se fazer controles comportamentais. Qualquer suspeito de envolvimento com prostituição, jogatina, sonegação, mentiras, tráfico de ópio, ou suspeito de contar segredos de estado, era executado sob a acusação de "bandido".

Estimativas oficiais colocam o número de mortos em dois milhões, sendo que outros dois milhões foram morrer nas prisões. Comitês residenciais formados por pessoas leais ao estado vigiavam cada movimento. Qualquer visita noturna era imediatamente denunciada, e todos os envolvidos eram presos ou assassinados. As celas das prisões iam ficando cada vez menores, chegando a um ponto em que uma pessoa vivia em um espaço de aproximadamente 35 centímetros. Alguns prisioneiros faziam trabalho forçado até morrer, e qualquer um que se envolvesse em alguma revolta era agrupado com seus colaboradores e todos eram queimados.

Havia indústrias nas cidades, mas aqueles que eram seus proprietários e gerentes eram submetidos a restrições cada vez mais apertadas: transparência forçada, escrutínio constante, impostos escorchantes, além de sofrerem todos os tipos de pressão para oferecer seus negócios à coletivização. Houve muitos suicídios entre os pequenos e médios empresários que perceberam para onde tudo estava indo. Filiar-se ao partido adiava apenas temporariamente a morte, já que em 1955 começou a campanha contra os contra-revolucionários escondidos dentro do próprio partido. Havia um princípio de que um em cada dez membros do partido era um traidor secreto.

Quando os rios de sangue haviam atingido seu ápice, Mao criou a campanha do Desabrochar das Cem Flores, durante dois meses de 1957, sendo o legado desta a frase que frequentemente se ouve: "Deixemos que cem flores desabrochem!" As pessoas foram encorajadas a falar abertamente e mostrar seu ponto de vista, uma oportunidade muito tentadora para os intelectuais. Mas essa liberalização durou pouco. Na verdade, foi tudo uma armadilha. Todos aqueles que falaram contra o que estava acontecendo na China foram arregimentados e aprisionados, talvez entre 400.000 e 700.000 pessoas, incluindo dez por cento das classes mais educadas. Outras eram rotuladas de direitistas e sujeitadas a interrogatório e reeducação; outras eram expulsas de suas casas e isoladas.

Mas isso não foi nada comparado à fase dois, que se tornou uma das maiores catástrofes da história do planejamento central. Após a coletivização das terras, Mao decidiu ir mais a fundo e passou a ditar aos camponeses o que eles deveriam plantar, como eles deveriam plantar, para onde eles deveriam mandar a colheita, e até mesmo se — em vez de ter de plantar qualquer coisa — eles deveriam ser arrastados para as indústrias. Essa etapa se tornaria o Grande Salto para Frente, que acabou por gerar a escassez mais mortal da história.

Os camponeses foram ajuntados em grupos de milhares e forçados a dividir todas as coisas. Todos os grupos deveriam ser auto-suficientes. As metas de produção foram aumentadas para níveis nunca antes imaginados.

Centenas de milhares de pessoas foram deslocadas de onde a produção era alta para onde ela era baixa, como um meio de impulsionar a produção. Elas também foram deslocadas da agricultura para a indústria. Houve uma campanha maciça para se coletar ferramentas e transformá-las em habilidade industrial. Como maneira de demonstrar esperança para o futuro, os coletivizados eram encorajados a fazer enormes banquetes e a comer de tudo, principalmente carne. Esse era um modo de mostrar a crença de que a colheita do ano seguinte seria ainda mais farta.

Mao tinha essa idéia de que ele sabia como cultivar os grãos. Ele proclamou que "as sementes são mais felizes quando cultivadas juntas" — e então as sementes foram semeadas em densidades de cinco a dez vezes maiores do que a normal.  As plantas morreram, o solo secou, e o sal subiu à superfície.  Para impedir que os pássaros comessem os grãos, os pardais foram exterminados, o que aumentou imensamente o número de parasitas. Erosões e enchentes se tornaram endêmicas. Plantações de chá foram transformadas em plantações de arroz, sob o argumento de que o chá estava em decadência e era coisa de capitalista.

Equipamentos hidráulicos construídos para servir às novas fazendas coletivas não funcionavam e não tinham peças para reposição. Isso levou Mao a colocar nova ênfase na indústria, que surgiu forçadamente nas mesmas áreas da agricultura, levando a um caos ainda maior. Os trabalhadores eram arrastados de um setor para outro, e cortes obrigatórios em alguns setores eram compensados com um aumento obrigatório das cotas em outros setores.

Em 1957, o desastre estava por todos os lados. Os trabalhadores estavam tão enfraquecidos que eram incapazes até mesmo de colher suas escassas safras; e assim eles morriam, vendo o arroz apodrecer. As indústrias se avolumavam, mas não produziam nada de útil. A resposta do governo foi dizer às pessoas que gorduras e proteínas eram desnecessárias. Mas a fome não podia ser negada. O preço do arroz subiu de 20 a 30 vezes no mercado negro.

Como as transações foram proibidas entre os grupos coletivistas (você sabe, a tal da auto-suficiência), milhões ficaram à míngua. Já em 1960, a taxa de mortalidade pulou de 15% para 68%, e a taxa de natalidade despencou. Quem quer que fosse pego estocando grãos era fuzilado. Camponeses flagrados com a menor quantia imaginável eram aprisionados. Fogueiras foram banidas. Funerais foram proibidos, pois eram considerados esbanjadores.

Aldeões que tentavam fugir dos campos para as cidades eram fuzilados nos portões. Os mortos por inanição chegaram a 50% em alguns vilarejos. Os sobreviventes ferviam grama e cascas de árvore para fazer sopa, enquanto outros vagueavam pelas estradas à procura de comida. Algumas vezes eles se bandeavam e atacavam casas, procurando por restos do milho que era servido ao gado. As mulheres eram incapazes de engravidar devido à desnutrição. Pessoas nos campos de trabalho forçado foram usadas em experimentos com comidas, provocando doenças e mortes.

Mas isso ainda era pouco. Em 1968, um membro da Guarda Vermelha, de 18 anos, chamado Wei Jingsheng, encontrou refúgio em uma família de um vilarejo em Anhui, e ali ele viveu para escrever o que ele viu:

Caminhávamos juntos ao longo do vilarejo. . .  Diante de meus olhos, entre as ervas daninhas, surgiu uma das cenas que já haviam me contado: um dos banquetes no qual as famílias trocam suas crianças para poder comê-las. Eu podia vislumbrar claramente a angústia nos rostos das famílias enquanto elas mastigavam a carne dos filhos dos amigos. As crianças que estavam caçando borboletas em um campo próximo pareciam ser a reencarnação das crianças devoradas por seus pais. O que fez com que aquelas pessoas tivessem de engolir aquela carne humana, entre lágrimas e aflições — carne essa que elas jamais se imaginaram provando, mesmo em seus piores pesadelos?

O autor dessa passagem foi preso como traidor, mas seu status o protegeu da morte, e ele foi finalmente solto em 1997.

Quantas pessoas morreram durante a fome de 1959-1961? A menor estimativa é de 20 milhões. A maior, de 43 milhões. Finalmente, em 1961 o governo cedeu e permitiu alguma importação de comida, mas foi pouco e já era tarde. Foi permitido a alguns camponeses voltar a plantar em sua própria terra. Surgiram alguns ateliês particulares. Alguns mercados foram permitidos. Finalmente, a fome começou a diminuir e a produção começou a crescer.

Mas então veio a terceira etapa: encontrar os bodes expiatórios. O que havia causado toda a calamidade? A resposta oficial era qualquer coisa, menos o comunismo; qualquer coisa, menos Mao. E então a captura de pessoas por motivos puramente políticos começou novamente — e aqui chegamos ao cerne da Revolução Cultural.

Milhares de campos e centros de detenção foram abertos. As pessoas que eram mandadas para lá, morriam lá. Na prisão, utilizava-se das desculpas mais fajutas possíveis para se eliminar alguém — tudo para haver sobras alimentícias, uma vez que os prisioneiros eram um fardo para o sistema, de acordo com o pensamento de quem estava no comando. Esse sistema penal, o maior já construído, era organizado em um estilo militar, com alguns campos mantendo por volta de 50.000 pessoas.

Havia um critério para se aprisionar alguém: os indivíduos eram abordados aleatoriamente e recebiam ordens de prisão de maneira indiscriminada. Isso acontecia com ampla frequência. Todos tinham de carregar consigo uma cópia do Pequeno Livro Vermelho, de Mao. Questionar a razão da prisão era em si uma evidência de deslealdade, já que o estado era infalível.

Uma vez preso, o caminho mais seguro era a confissão instantânea. Os guardas eram proibidos de usar de violência aberta, de modo que assim os interrogatórios durassem centenas de horas, o que frequentemente fazia com que os prisioneiros morressem durante o processo. Aqueles que tivessem seus nomes citados durante uma confissão eram então caçados e recolhidos.

Após ter passado por esse processo, você era mandado para um campo de trabalhos forçados, onde seria avaliado de acordo com o número de horas que seria capaz de trabalhar com pouca comida. Você não poderia comer carne nem qualquer tipo de açúcar ou azeite. Os prisioneiros passariam então a ser controlados pela racionalização do pouco da comida que tinham.

A fase final dessa incrível litania de criminalidade durou o período de 1966 até 1976, durante o qual o número de mortos caiu dramaticamente, variando "apenas" entre um milhão e três milhões. O governo, agora cansado e nos primeiros estágios da desmoralização, começou a perder o controle, primeiro dentro dos campos de trabalhos forçados, e então na zona rural. E foi esse enfraquecimento que levou ao período final, e de certa forma o mais cruel, da história comunista da China.

Os primeiros estágios da rebelião ocorreram da única maneira permissível: a linha dura começou a criticar o governo por ser muito frouxo e muito descompromissado com o ideal comunista. Ironicamente, isso começou a surgir exatamente no momento em que a moderação se tornou manifesta na Rússia. Os neo-revolucionários da Guarda Vermelha começaram a criticar os comunistas chineses como sendo "reformistas a la Khrushchev".  Como um escritor apontou, a guarda "se levantou contra seu próprio governo com o intuito de defendê-lo".

Durante esse período, o culto à personalidade de Mao chegou ao seu ápice, com o Pequeno Livro Vermelho atingindo um prestígio mítico. Os Guardas Vermelhos perambulavam pelo país tentando expurgar as "Quatro Coisas Antiquadas": idéias, cultura, costumes e hábitos. Os templos remanescentes foram obstruídos. Óperas tradicionais foram banidas, tendo a Ópera de Beijing todos os seus vestuários e cenários queimados. Monges foram expulsos. O calendário foi modificado. Todo o cristianismo foi banido. Animais de estimação como pássaros e gatos foram proibidos. Humilhação era a palavra de ordem.

Assim foi o Terror Vermelho: em sua capital, ocorreram 1.700 mortes e 84.000 pessoas fugiram. Em outras cidades, como Xangai, os números eram ainda piores. Foi implantado um processo de expurgo e purificação dentro do partido, com centenas de milhares presos e muitos assassinados. Artistas, escritores, professores, técnicos: todos eram alvos. Massacres organizados ocorriam em comunidades seguidas, com Mao aprovando cada passo como meio de eliminar cada possível rival político.

Mas, interiormente, o governo estava se fragmentando e rachando, mesmo que externamente ele estivesse se tornado ainda mais brutal e totalitário.

Finalmente, em 1976, Mao morreu. Em poucos meses, seus conselheiros mais próximos foram todos encarcerados. A reforma começou lenta a princípio, mas depois atingiu uma velocidade assustadora. As liberdades civis foram restauradas (comparativamente) e as reabilitações começaram. Os torturadores foram processados. Os controles econômicos foram gradualmente relaxados. A economia, por virtude da iniciativa humana e da iniciativa econômica privada, se transformou.

Tendo lido tudo isso, você agora faz parte da minúscula elite de pessoas que sabem alguma coisa sobre o maior campo de morte da história do mundo, que foi no que a China se transformou entre 1949 e 1976 — um experimento de controle total, algo que jamais se viu na história. Muitas pessoas hoje sabem mais sobre os produtos de baixa qualidade da China do que sobre as centenas de milhões de mortos e a inenarrável quantidade de sofrimento ocorrida sob o comunismo.

Quando você ouvir sobre produtos de baixa qualidade vindos da China, ou sobre trigo insuficientemente processado, imagine milhões sofrendo de uma fome dantesca, com pais trocando seus filhos para comê-los e, assim, permanecerem vivos. Não me diga que aprendemos alguma coisa com a história. Sequer conhecemos a história o suficiente para aprender algo com ela.

_____________________________

Nota sobre as fontes, todas as quais você deve comprar e ler em detalhes: "China: uma longa marcha na noite", por Jean-Louis Margolin em O Livro Negro do Comunismo, por Stéphane Courtois et al. (Harvard, 1999), pp. 234-277; Death by Government, por R.J. Rummel (Transaction, 1996); e Hungry Ghosts: Mao's Secret Famine, por Jaspar Becker (Owl Books, 1998).


3 votos

SOBRE O AUTOR

Lew Rockwell
é o chairman e CEO do Ludwig von Mises Institute, em Auburn, Alabama, editor do website LewRockwell.com, e autor dos livros Speaking of Liberty e The Left, the Right, and the State.




Quem inventou essa tese de que não existe déficit foi uma pesquisadora chamada Denise Gentil. Segundo ela, o déficit da previdência é forjado.

www.adunicentro.org.br/noticias/ler/1676/em-tese-de-doutorado-pesquisadora-denuncia-a-farsa-da-crise-da-previdencia-social-no-brasil-forjada-pelo-governo-com-apoio-da-imprensa

Só que essa mulher nem sabe separar rubricas. Ela mistura a receita da Previdência com a receita da Seguridade Social (que abrange Saúde, Assistência Social e Previdência) e então conclui que está tudo certo.

Nesta outra entrevista dela, ela diz isso:

"O cálculo do resultado previdenciário leva em consideração apenas a receita de contribuição ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) que incide sobre a folha de pagamento, diminuindo dessa receita o valor dos benefícios pagos aos trabalhadores. O resultado dá em déficit."

Certo. Esse é o cálculo da previdência. Receitas da Previdência menos gastos com a Previdência dão déficit, como ela própria admite. Ponto final.

Mas aí ela complementa:

"Essa, no entanto, é uma equação simplificadora da questão. Há outras fontes de receita da Previdência que não são computadas nesse cálculo, como a Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) e a receita de concursos de prognósticos. Isso está expressamente garantido no artigo 195 da Constituição e acintosamente não é levado em consideração."

Ou seja, o argumento dela é o de que as receitas para saúde e assistência social devem ser destinadas para a Previdência, pois aí haverá superávit.

Ora, isso é um estratagema e tanto. Por esse recurso, absolutamente nenhuma rubrica do governo apresenta déficit, pois basta retirar o dinheiro de outras áreas para cobri-la. Sensacional.

A quantidade de gênios que o Brasil produz é assustadora.

Não deixa de ser curioso que nem o próprio governo petista -- em tese, o mais interessado no assunto -- encampou a tese dessa desmiolada.

De resto, o problema da previdência é totalmente demográfico. E contra a demografia e a matemática ninguém pode fazer nada.

Quando a Previdência foi criada, havia 15 trabalhadores trabalhando e pagando INSS para sustentar um aposentado. Daqui a duas décadas será 1,5 trabalhador trabalhando e pagando INSS para sustentar um aposentado.

Ou seja, a conta não fecha e não tem solução. O problema é demográfico e matemático. Não é econômico. E não há ideologia ou manobra econômica que corrija isso.
Não existe déficit da previdência! Para justificar uma reforma que visa somente a tungar e sugar o trabalhador, o governo usa o seguinte estratagema: De um lado, pega uma das receitas, que é a contribuição ao INSS; do outro, o total do gasto com benefícios (pensão, aposentadoria e auxílios). Aí dá déficit! Só que a Constituição Federal estabelece, no artigo 194, que, junto com a saúde e a assistência social, a previdência é parte de um sistema de seguridade social, que conta com um orçamento próprio. Na receita, devem ser incluídas não apenas as contribuições previdenciárias mas também os recursos provenientes da Contribuição Social Sobre Lucro Líquido (CSLL), da Contribuição sobre o Financiamento da Seguridade Social (CSLL) e do PIS-Pasep. Aí temos a real situação: Superávit! Talvez você esteja supondo que o dinheiro que sobrou no orçamento da seguridade social mas faltou no da previdência tenha sido usado nas outras duas áreas a que, constitucionalmente, ele se destina. Mas, mesmo com os gastos com saúde e assistência, ainda assim temos saldo positivo. E como esse saldo se transforma em déficit? É que antes de destinar o dinheiro para essas áreas, o governo desvia 20% do total arrecadado com as contribuições sociais, por meio da DRU, para pagar dívidas, segurar o câmbio etc. Fora as renúncias e sonegações fiscais. Portanto, essa conversa de déficit é uma falácia pra empurrar goela abaixo do trabalhador uma "reforma" que tire ainda mais o seu dinheiro e o force a trabalhar por mais tempo.
As causas da Grande Depressão? Intervencionismo na veia.

Herbert Hoover
aumentou os gastos do governo federal em 43% em um único ano: o orçamento do governo, que havia sido de US$ 3 bilhões em 1930, saltou para US$ 4,3 bilhões em 1931. Já em junho de 1932, Hoover aumentou todas as alíquotas do imposto de renda, com a maior alíquota saltando de 25% para 63% (e Roosevelt, posteriormente, a elevaria para 82%).

A Grande Depressão, na verdade, não precisaria durar mais de um ano caso o governo americano permitisse ampla liberdade de preços e salários (exatamente como havia feito na depressão de 1921, que foi ainda mais intensa, mas que durou menos de um ano justamente porque o governo permitiu que o mercado se ajustasse).

Porém, o governo fez exatamente o contrário: além de aumentar impostos e gastos, ele também implantou políticas de controle de preços, controle de salários, aumento de tarifas de importação (que chegou ao maior nível da história), aumento do déficit e estimulou uma arregimentação sindical de modo a impedir que as empresas baixassem seus preços.

Com todo esse cenário de incertezas criadas pelo governo, não havia nenhum clima para investimentos. E o fato é que um simples crash da bolsa de valores -- algo que chegou a ocorrer com uma intensidade ainda maior em 1987 -- foi amplificado pelas políticas intervencionistas e totalitárias do governo, gerando uma depressão que durou 15 anos e que só foi resolvida quando o governo encolheu, exatamente o contrário do que Keynes manda.

As políticas keynesianas simplesmente amplificaram a recessão, transformando uma queda de bolsa em uma prolongada Depressão.



Crise financeira de 2008? Keynesianismo na veia. Todos os detalhes neste artigo específico:

Como ocorreu a crise financeira de 2008


Seu amigo é apenas um típico keynesiano: repete os mesmos chavões que eu ouvia da minha professora da oitava série.


Sobre o governo estimular a economia, tenho apenas duas palavras: governo Dilma.

O legado humanitário de Dilma - seu governo foi um destruidor de mitos que atormentam a humanidade
Prezados,
Boa noite.
Por gentileza, ajudem-me a argumentar com um amigo estatista. Desejos novos pontos de vista, pois estou cansado de ser repetitivo com ele. Por favor, sejam educados para que eu possa enviar os comentários. Sem que às vezes é difícil. Desde já agradeço. Segue o comentário:
------------------------------------
" Quanto ao texto, o importante é perceber que sem as medidas formuladas por keynes a alternativa seria o mercado livre, o capitalismo sem a intervenção estatal. Nesse caso, o que os defensores desse modelo não mencionam é que o capitalismo dessa forma tende à concentração esmagadora de capital, o que se levado às ultimas consequências irá destruir a própria sociedade. "O capitalismo tem o germe da própria destruição ", já disse Marx. Os capitalistas do livre mercado focam no discurso que eles geram a riqueza, mas a riqueza é sempre gerada socialmente. Como ja falei uma vez, um grande empresário não coloca sozinho suas empresas para funcionar, precisa de outras pessoas, que também, portanto, geram riqueza. Para evitar que a concentração da riqueza gerada fique nas mãos apenas dos proprietários, o Estado deve existir assegurando direitos que tentem minimizar essa distorção e distribua as riquezas socialmente geradas para todos. Isso não é comunismo, apenas capitalismo regulado, que tenha vies social. Estado Social de Direito que surgiu na segunda metade do século passado como resultado do fracasso do Estado Liberal em gerar bem estar para todos. Para que o Estado consiga isso tem que tributar. O Estado não gera riqueza, concordo. Mas o capitalismo liberal, por outro lado, gera a distorção de concentrar a riqueza gerada socialmente nas mãos de poucos. Essa concentração do capitalismo liberal gera as crises (a recessão é uma delas). O capitalismo ao longo do século 20 produziu muitas crises, a grande depressão da decada de 30 foi a principal delas. A ultima grande foi a de 2007/2008. O Estado, portanto, intervém para corrigir a distorção, injetando dinheiro. Esse dinheiro, obviamente, ele nao produziu, retirou dos tributos e do seu endividamento sim. Quando a economia melhorar o Estado pode ser mais austero com suas contas para a divida nao decolar em excesso e poder se endividir novamente numa nova crise, injetando dinheiro na economia pra superar a recessao e assim o ciclo segue. A divida do estado é hoje um instrumento de gestão da macroeconomia. Um instrumento sem o qual nao se conseque corrigir as distorções geradas da economia liberal. Basta perceber que todos os países mais ricos hoje tem as maiores dividas. Respondendo a pergunta do texto: o dinheiro vem mesmo dos agentes econômicos que produzem a riqueza, da qual o Estado tira uma parcela pelos tributos, com toda a legitimidade. E utiliza tal riqueza para assegurar direitos sociais e reverter crises. E o faz tambem para salvar a propria economia, que entraria em colapso sem a injeção de dinheiro do Estado (que o Estado tributou). Veja o que os EUA fizeram na crise de 2008. Procure ler sobre o "relaxamento quantitativo", que foi a injeção de 80bilhoes de dolares mensalmente pelo governo americano para salvar a economia mundial do colapso, numa crise gerada pelo mercado sem regulação financeira.

Veja esse texto do FMI, onde o proprio FMI reconhece que medidas d austeridade nao geram desenvolvimento e, portanto, reconhece a necessidade do gasto publico. (
www.imf.org/external/pubs/ft/fandd/2016/06/ostry.htm )

Esse artigo do Paul krugman sobre a austeridade, defendendo também o gasto publico:
https://www.theguardian.com/business/ng-interactive/2015/apr/29/the-austerity-delusion .
"
---------------------------------------------


E aí pessoal, já viram isso? (off-topic, mas ainda assim interessante):


Ancine lança edital de R$ 10 milhões para games


Agora vai... por quê os "jênios" do Bananão não tiveram esta ideia antes? E o BNDES vai participar também! Era tudo o que faltava para o braziul se tornar uma "potênfia" mundial no desenvolvimento de games.

Em breve estaremos competindo par-a-par com os grandes players deste mercado. Aliás, seremos muito MAIORES do que eles próprios ousaram imaginar para si mesmos. Que "horgulio" enorme de ser brazilêro...

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Gabriel  17/11/2009 23:01
    Assustador...
  • LUIZ OLIVEIRA  19/01/2010 15:17
    Triste, terrível o que aconteceu na China. Conseguiram criar uma espécie de inferno na Terra. E muitos sonham com os "ideais" maoístas, tentando repetir essa experiência macabra. Esse plano nacional de direitos humanos, no que se refere à questão da propriedade privada, instituindo comitês de conciliação, incluindo invasores, é uma espécie de tentativa de fazer experimentação maoísta. Que muitos conheçam a verdade enquanto é tempo.
  • josé henrique  18/05/2016 17:01
    realmente é extremamente lamentável, qualquer ditadura seja ela de esquerda ou de direita não pode ser saudavel
  • Elma Persici  16/10/2016 16:21
    Chegamos muito perto dessa ideologia comunista chinesa... amiguinhos de Dilma, de Lula, do PT. Infiltraram na sociedade brasileira a invasão da propriedade privada, tanto no meio rural quanto no urbano ,com o comunismo que prega e pratica, entre tantas outras coisas, que a força e a destruição é o diálogo apropriado...que confiscar direitos sociais, econômicos e trabalhistas é a coisa mais natural deste mundo, inclusive o de ir e vir, quando interrompiam e tacavam fogo nas vias de passagem...espalharam a destruição da família, da cristandade, a institucionalização da mentira, da libertinagem, dos valores, da ideologia de sexo, da corrupção, do crime, implantação do Foro de S.Paulo, destruição da saúde, da educação, da segurança, eliminação de centenas de milhares de postos de trabalho, fechamento de empresas, de fábricas (inclusive porque o produto chinês invadiu o território brasileiro a preço competitivo)... extirpação da esperança do coração brasileiro. Todo o povo brasileiro deveria estar ciente de quem são os amiguinhos de nossos dois últimos presidentes!
  • Tereza da Cruz Thompson  20/01/2010 01:40
    Infelizmente parece que o Brasil esta morrendo de vontade de adotar exatamente essas praticas de Mao tse Tung. Cada governante imbecil e ignorante que aparece! Pobre Brasil que teve a desgraca de cair em maos erradas! Agora e tentar corrigir o erro de 7 anos atras!
  • Rhyan  08/09/2015 14:16
    Em qual realidade você vive? Compara o Brasil com a China Maoista? É sério?
  • anônimo  08/09/2015 14:47
    A comparação não é tão irrealista.

    Antes do comunismo a China era um país de propriedade privada, burocrático e fechado, igual o Brasil. Este regime é um dos piores possíveis. Pois a consequência é um país muito pobre e desigual, com uma elite empresarial sustentada pelo estado. E o problema disso é que todos os males são facilmente direcionados a elite empresarial, e que por dedução errônea, é ligado ao capitalismo, o que fortalece os movimentos de esquerda.
  • Rhyan  08/09/2015 15:59
    Desculpe, mas não tem nada a ver, só bastou essa crise atual para colocar em cheque a esquerda. Para nomearem um ministro da fazenda "chicaguista", surgiu uma tal de "nova direita" e tal.

    Não consigo nem comparar o Brasil com a Venezuela. Talvez com a Argentina dê para ver mais semelhanças, mas ainda tá longe.

    A direita conservadora mais radical vive de paranoia, natural para um grupo que o líder é o sr Olavo de Carvalho.
  • anônimo  08/09/2015 16:04
    Ministro da fazenda chicaguista que só aumenta imposto é?
  • Alguem  08/09/2015 17:22
    HOje nem se compara com o passado.
    Hoje temos a internet, meios de comunicação que expôe para o mundo todo ver os horrores de uma ditadura.
  • Dede  08/09/2015 20:44
    Tem isso tudo na Venezuela.
  • Darcio  08/10/2015 23:09
    infelizmente parece que todas essas fontes de informação não são suficientes pra acabar com o fanatismo ideologico esquerdista. É uma batalha dificil, pois foram decadas de doutrinação contar pouquíssimo tempo do despertar de alguns.
  • Rhyan  08/09/2015 18:08
    Por isso usei as aspas, mesmo assim estamos longe de um controle geral de preços.
  • Ernane  09/09/2015 13:06
    Rhyan graças ao Professor Olavo de Carvalho e suas investidas - justamente com vários outros historiadores, jornalistas, educadores, colaboradores é que muitos hoje conhecem (superficialmente) falam sobre o FSP. No dia em que vc ler pelo menos uma obra dele O.C. quem sabe pode sim critica-lo acusar daquilo que vc achar conveniente, do contrário, jamais cite sem conhecer as obras. A propósito talvez vc esteja fazendo parte desse artigo:
    "Quando entre os anos 80 e 90 comecei a redigir as notas que viriam a compor O Imbecil Coletivo, os personagens a que ali eu me referia eram indivíduos inteligentes, razoavelmente cultos, apenas corrompidos pela auto-intoxicação ideológica e por um corporativismo de partido que, alçando-os a posições muito superiores aos seus méritos, deformavam completamente sua visão do universo e de si mesmos. Foi por isso que os defini como "um grupo de pessoas de inteligência normal ou mesmo superior que se reúnem com a finalidade de imbecilizar-se umas às outras".

    Essa definição já não se aplica aos novos tagarelas e opinadores, que atuam sobretudo através da internete que hoje estão entre os vinte e os quarenta anos de idade. Tal como seus antecessores, são pessoas de inteligência normal ou superior separadas do pleno uso de seus dons pela intervenção de forças sociais e culturais. A diferença é que essas forças os atacaram numa idade mais tenra e já não são bem as mesmas que lesaram os seus antecessores.

    Até os anos 70, os brasileiros recebiam no primário e no ginásio uma educação normal, deficiente o quanto fosse. Só vinham a corromper-se quando chegavam à universidade e, em vez de uma abertura efetiva para o mundo da alta cultura, recebiam doses maciças de doutrinação comunista, oferecida sob o pretexto, àquela altura bastante verossímil, da luta pela restauração das liberdades democráticas. A pressão do ambiente, a imposição do vocabulário e o controle altamente seletivo dos temas e da bibliografia faziam com que a aquisição do status de brasileiro culto se identificasse, na mente de cada estudante, com a absorção do estilo esquerdista de pensar, de sentir e de ser – na verdade, nada mais que um conjunto de cacoetes mentais.

    O trabalho dos professores-doutrinadores era complementado pela grande mídia, que, então já amplamente dominada por ativistas e simpatizantes de esquerda, envolvia os intelectuais e artistas de sua preferência ideológica numa aura de prestígio sublime, ao mesmo tempo que jogava na lata de lixo do esquecimento os escritores e pensadores considerados inconvenientes, exceto quando podia explorá-los como exceções que por sua própria raridade e exotismo confirmavam a regra.

    Criada e mantida pelas universidades, pelo movimento editorial e pela mídia impressa, a atmosfera de imbecilização ideológica era, por assim dizer, um produto de luxo, só acessível às classes média e alta, deixando intacta a massa popular.

    A partir dos anos 80, a elite esquerdista tomou posse da educação pública, aí introduzindo o sistema de alfabetização "socioconstrutivista", concebido por pedagogos esquerdistas como Emilia Ferrero, Lev Vigotsky e Paulo Freire para implantar na mente infantil as estruturas cognitivas aptas a preparar o desenvolvimento mais ou menos espontâneo de uma cosmovisão socialista, praticamente sem necessidade de "doutrinação" explícita.

    Do ponto de vista do aprendizado, do rendimento escolar dos alunos, e sobretudo da alfabetização, os resultados foram catastróficos.

    Não há espaço aqui para explicar a coisa toda, mas, em resumidas contas, é o seguinte. Todo idioma compõe-se de uma parte mais ou menos fechada, estável e mecânica – o alfabeto, a ortografia, a lista de fonemas e suas combinações, as regras básicas da morfologia e da sintaxe -- e de uma parte aberta, movente e fluida: o universo inteiro dos significados, dos valores, das nuances e das intenções de discurso. A primeira aprende-se eminentemente por memorização e exercícios repetitivos. A segunda, pelo auto-enriquecimento intelectual permanente, pelo acesso aos bens de alta cultura, pelo uso da inteligência comparativa, crítica e analítica e, last not least, pelo exercício das habilidades pessoais de comunicação e expressão. Sem o domínio adequado da primeira parte, é impossível orientar-se na segunda. Seria como saltar e dançar antes de ter aprendido a andar. É exatamente essa inversão que o socioconstrutivismo impõe aos alunos, pretendendo que participem ativamente – e até criativamente – do "universo da cultura" antes de ter os instrumentos de base necessários à articulação verbal de seus pensamentos, percepções e estados interiores.

    O socioconstrutivismo mistura a alfabetização com a aquisição de conteúdos, com a socialização e até com o exercício da reflexão crítica, tornando o processo enormemente complicado e, no caminho, negligenciando a aquisição das habilidades fonético-silábicas elementares sem as quais ninguém pode chegar a um domínio suficiente da linguagem.

    O produto dessa monstruosidade pedagógica são estudantes que chegam ao mestrado e ao doutorado sem conhecimentos mínimos de ortografia e com uma reduzida capacidade de articular experiência e linguagem. Na universidade aprendem a macaquear o jargão de uma ou várias especialidades acadêmicas que, na falta de um domínio razoável da língua geral e literária, compreendem de maneira coisificada, quase fetichista, permanecendo quase sempre insensíveis às nuances de sentido e incapazes de apreender, na prática, a diferença entre um conceito e uma figura de linguagem. Em geral não têm sequer o senso da "forma", seja no que lêem, seja no que escrevem.

    Aplicado em escala nacional, o socioconstrutivismo resultou numa espetacular democratização da inépcia, que hoje se distribui mais ou menos equitativamente entre todos os jovens brasileiros estudantes ou diplomados, sem distinções de credo ou de ideologia. O novo imbecil coletivo, ao contrário do antigo, não tem carteirinha de partido.
  • cmr  09/09/2015 14:04
    Olavo de Carvalho, quem ?. Aquele que diz que a Pepsi utiliza fetos humanos abortados, que não existem combustíveis fósseis, que o sol gira em torno da terra, que o Obama é gay e muçulmano e não é americano, etc... ?????? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Todo comandado tem o líder que merece. kkkkkkkkk
  • anônimo  09/09/2015 14:50
    olavetes olavando...
  • anônimo  19/09/2016 14:24
    Imagina uma escola.
    Escola Estadual Olavo de Carvalho.
  • Creso  09/09/2015 23:28
    Igualdade de oportunidade liberta, igualdade de resultado oprime.
  • Pobre Paulista  08/09/2015 18:28
    Por nada não, mas o comentário original tem uns 5 anos já...
  • Rhyan  08/09/2015 22:20
    Nem percebi, Paulista, mas pior ainda, a crise não era essa. Valeu!



    Falar em foro de sp é coisa de apae ou de hospício.
  • Reynolds  08/09/2015 20:01
    O Foro de SP existe e possui como objetivo claro a criação de uma União de repúblicas socialistas na América Latina.

    Portanto, não é "impossível" o Brasil se transformar na Venezuela e depois se transformar em algo ainda pior que Cuba por causa da sua extensão territorial.

    E só uma questão de tempo...
  • Flávio  08/09/2015 20:41
    Mais um que caiu no conto do vigário do Olaveco...
  • Rhyan  08/09/2015 23:35
    Sei, agora fala dos Illuminatis e da NWO... eles são aliados dos greys ou dos satanistas?
  • Reynolds  09/09/2015 01:35
    Se você nunca pesquisou o assunto a fundo e acha que os únicos fatos que existem é somente o que o Globo, Estadão, Folha e a grande mídia publicam, não significa que o Foro não exista. Falácia de apelo ao ridículo não vai fazer o Foro de SP e os discursos do nosso ex-presidente Lula mostrando os objetivos declarados do Foro deixarem de existir.

    "Por fim, reafirmamos que para nós do Partido dos Trabalhadores as eleições não são um fim em si mesmo. Nosso grande objetivo é, através das vitórias que obtemos nos espaços institucionais, democratizar o Estado, inverter prioridades e estabelecer uma contra-hegemonia ao capitalismo, capaz de construir um projeto de SOCIALISMO radicalmente democrático para o Brasil."
    Página 10

    www.pt.org.br/wp-content/uploads/2014/05/14-ENPT-RESOLUCAO-TATICA-ELEITOAL-FINAL-1.pdf

    "As organizações políticas reunidas em São Paulo encontramos um grande alento para reafirmar nossas concepções e objetivos socialistas, anti-imperialistas e populares no surgimento e desenvolvimento de vastas forças sociais, democráticas e populares no Continente que se enfrentam com as alternativas do imperialismo e o capitalismo neoliberal e a sua seqüela de sofrimento, miséria, atraso e opressão anti-democrática. Esta realidade confirma à esquerda e ao SOCIALISMO como alternativas necessárias e emergentes."
    Página 74

    pt.scribd.com/doc/37101000/atas-foro-sao-paulo#scribd

    Só colocar no ctrl+f "socialismo", você achará muito mais citações dos objetivos DECLARADOS do Foro de SP de transformar a América Latina em uma união de repúblicas socialistas, ou seja, recuperar o que foi perdido no Leste Europeu.

    "As resoluções destes encontros afirmavam que nosso objetivo estratégico é o socialismo. A luta pelo socialismo exigia, então, construir e conquistar o poder político; construir o poder exige acumular forças, através do Partido, dos movimentos sociais, de espaços institucionais, de alianças e através da formação de uma cultura socialista de massas"

    "A eleição do presidente da República visava dar início, através do governo federal, à implementação de reformas estruturais de caráter democrático-popular. A execução destas reformas e a previsível reação das classes dominantes alterariam o patamar da luta de classes, criando uma situação em que ficaria claro, para amplos setores das classes trabalhadoras, a necessidade de passar da construção à conquista do poder. Para fazer avançar a estratégia democrático popular e consolidar as conquistas programáticas que estiveram na origem do atual governo é fundamental constituirmos um eixo de esquerda."

    https://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2014/03/Resolucoesdo3oCongressoPT.pdf

    "Art. 1º.O Partido dos Trabalhadores (PT) é uma associação voluntária de cidadãos e cidadãs que se propõem a lutar por democracia, pluralidade, solidariedade, transformações políticas, sociais, institucionais, econômicas, jurídicas e culturais, destinadas a eliminar a exploração, a dominação, a opressão, a desigualdade, a injustiça e a miséria, com o objetivo de construir o socialismo democrático."

    https://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2014/04/ESTATUTO_PT_2012_-_VERSAO_FINAL_registrada.pdf

    Dossiê PT-FARC.

    pt.scribd.com/doc/48182489/A-relacao-PT-Farc-provas-reunidas
    pt.scribd.com/doc/4423407/O-Estadao-e-a-conexao-FarcPT
    pt.scribd.com/doc/175444177/PT-e-as-FARC
    pt.scribd.com/doc/4423407/O-Estadao-e-a-conexao-FarcPT
    pt.scribd.com/doc/106006945/lula-FARC-e-o-FORO-DE-SAO-PAULO
    pt.scribd.com/doc/153191646/Farc
    pt.scribd.com/doc/47464164/FARC-Saudacao-ao-Foro-de-Sao-Paulo

    Por quase duas décadas, os jornais e supostos oposicionistas brasileiros esconderam do grande público a existência do Foro de São Paulo, descoberto pelo advogado paulista José Carlos Graça Wagner, que o denunciou publicamente em 1º de setembro de 1997, e não faltou quem rotulasse seus denunciadores como "teóricos da conspiração". De uns anos para cá, quando o Foro já tinha feito e desfeito governos em toda a América Latina, elegendo presidentes dos países do continente cerca de 15 membros da organização.

    VÍDEO 1 – 2012 – MENSAGEM DE LULA EM APOIO A HUGO CHÁVEZ:
    https://www.youtube.com/watch?v=tD4mfCnugXo

    " Em 1990, quando criamos o Foro de São Paulo, nenhum de nós imaginava que em apenas duas décadas chegaríamos onde chegamos. Naquela época, a esquerda só estava no poder em Cuba. Hoje, governamos um grande número de países e, mesmo onde ainda somos oposição, os partidos do Foro têm uma influência crescente na vida política e social. Os governos progressistas estão mudando a face da América Latina. (…) Em tudo que fizemos até agora, que foi muito, o Foro e os partidos do Foro tiveram um grande papel que poderá ser ainda mais importante se soubermos manter a nossa principal característica: a unidade na diversidade. (…) Sob a liderança de Chávez, o povo venezuelano teve conquistas extraordinárias, as classes populares nunca foram tratadas com tanto respeito, carinho e dignidade. (…) Tua vitória será a nossa vitória."

    VÍDEO 2 – 2008 – HUGO CHÁVEZ CONFESSA: LULA E FARC JUNTOS NO FORO DE 1995:
    https://www.youtube.com/watch?v=BRW-fdcaMfM
    Hugo Chávez confessa ter conhecido Lula e um dos então comandantes das Farc Raúl Reyes — cuja eliminação pelo Exército colombiano no nordeste do Equador ele lamenta e furiosamente critica — na reunião do Foro de São Paulo de 1995, em San Salvador, capital de El Salvador, na América Central:

    "Recebi o convite para assistir, em 1995, ao Foro de São Paulo, que se instalou naquele ano em San Salvador. (…) Naquela ocasião conheci Lula, entre outros. E chegou alguém ao meu posto na reunião, a uma mesa de trabalho onde estávamos em grupo conversando, e lembro que colocou sua mão aqui [no ombro esquerdo] e disse: 'Cara, quero conversar com você.' E eu lhe disse: 'Quem é você?' 'Raúl Reyes, um dos comandantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.' Nós nos reunimos nesta noite, em algum bairro humilde lá de El Salvador. (…) E então se abriu um canal de comunicação e ele veio aqui (…) e conversamos horas e horas. Depois, em uma terceira e última ocasião, passou por aqui também."

    A PARCERIA ENTRE FARC E PT, SEGUNDO O COMANDANTE RAÚL REYES:
    Em entrevista à Folha de S. Paulo de 27 de agosto de 2003, Raúl Reyes dera, entre outras, as seguintes declarações:
    "Folha — O sr. conheceu Lula?

    Reyes — Sim, não me recordo exatamente em que ano, foi em San Salvador, em um dos Foros de São Paulo.

    Folha — Houve uma conversa?

    Reyes — Sim, ficamos encarregados de presidir o encontro. Desde então, nos encontramos em locais diferentes e mantivemos contato até recentemente. Quando ele se tornou presidente, não pudemos mais falar com ele.

    Folha — Qual foi a última vez que o sr. falou com ele?

    Reyes — Não me lembro exatamente. Faz uns três anos.

    Folha — Fora do governo, quais são os contatos das Farc no Brasil?

    Reyes — As Farc têm contatos não apenas no Brasil com distintas forças políticas e governos, partidos e movimentos sociais…

    Folha — O senhor pode nomear as mais importantes?

    Reyes — Bem, o PT, e, claro, dentro do PT há uma quantidade de forças; os sem-terra, os sem-teto, os estudantes, sindicalistas, intelectuais, sacerdotes, historiadores, jornalistas…

    Folha — Quais intelectuais?

    Reyes — [O sociólogo] Emir Sader, frei Betto [assessor especial de Lula] e muitos outros."

    DISCURSO DE LULA DE 2 DE JULHO DE 2005 – 15 ANOS DE FORO:
    Pronunciado na celebração dos 15 anos de existência do Foro de São Paulo e reproduzido no site oficial do governo (www.biblioteca.presidencia.gov.br/ex-presidentes/luiz-inacio-lula-da-silva/discursos/1o-mandato/2005/2o-semestre/02-07-2005-discurso-do-presidente-da-republica-luiz-inacio-lula-da-silva-na-reuniao-do-conselho-de-cupula-do-mercosul/download), este discurso é, segundo Olavo de Carvalho, "a confissão explícita de uma conspiração contra a soberania nacional, crime infinitamente mais grave do que todos os delitos de corrupção praticados e acobertados pelo atual governo; crime que, por si, justificaria não só o impeachment como também a prisão do seu autor":

    "''Em função da existência do Foro de São Paulo, o companheiro Marco Aurélio [Garcia] tem exercido uma função extraordinária nesse trabalho de consolidação daquilo que começamos em 1990… Foi assim que nós, em janeiro de 2003, propusemos ao nosso companheiro, presidente Chávez, a criação do Grupo de Amigos para encontrar uma solução tranquila que, graças a Deus, aconteceu na Venezuela. E só foi possível graças a uma ação política de companheiros. Não era uma ação política de um estado com outro estado, ou de um presidente com outro presidente. Quem está lembrado, o Chávez participou de um dos foros que fizemos em Havana. E graças a essa relação foi possível construirmos, com muitas divergências políticas, a consolidação do que aconteceu na Venezuela, com o referendo que consagrou o Chávez como presidente da Venezuela.

    Foi assim que nós pudemos atuar junto a outros países com os nossos companheiros do movimento social, dos partidos daqueles países, do movimento sindical, sempre utilizando a relação construída no Foro de São Paulo para que pudéssemos conversar sem que parecesse e sem que as pessoas entendessem qualquer interferência política. ''"

    VÍDEO 3 – LULA MENTE PARA BORIS CASOY DURANTE CAMPANHA DE 2002:
    https://www.youtube.com/watch?v=qMqH3DRDjCs

    PT/FARC/FORO – SEQUÊNCIA DE FATOS:
    Em 24 de setembro de 2007, Olavo de Carvalho publicou o artigo "O perigo sou eu", no qual pede mais uma vez ao leitor — já o tinha feito em "Relendo notícias", de 2003 — a gentileza de examinar brevemente esta sequência de fatos:

    "· Abril de 2001: O traficante Fernandinho-Beira Mar confessa que compra e injeta no mercado brasileiro, anualmente, duzentas toneladas de cocaína das Farc em troca de armas contrabandeadas do Líbano.

    · 7 de dezembro de 2001: O Foro de São Paulo, coordenação do movimento comunista latino-americano, sob a presidência do sr. Luís Inácio Lula da Silva, lança um manifesto de apoio incondicional às Farc, no qual classifica como 'terrorismo de Estado' as ações militares do governo colombiano contra essa organização.

    · 17 de outubro de 2002: O PT, através do assessor para assuntos internacionais da campanha eleitoral de Lula, Giancarlo Summa, afirma em nota oficial que o partido nada tem a ver com as Farc e que o Foro de São Paulo é apenas 'um foro de debates, e não uma estrutura de coordenação política internacional'.

    · 1º de março de 2003: O governo petista estende oficialmente seu manto de proteção sobre as Farc, recusando-se a classificá-las como organização terrorista conforme solicitava o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe.

    · 24 de agosto de 2003: O comandante das Farc, Raul Reyes, informa que o principal contato da narcoguerrilha no Brasil é o PT e, dentro dele, Lula, Frei Betto e Emir Sader.

    · 15 de março de 2005: Estoura o escândalo dos cinco milhões de dólares das Farc que um agente dessa organização, o falso padre Olivério Medina, afirma ter trazido para a campanha eleitoral do sr. Luís Inácio Lula da Silva. O assunto é investigado superficialmente e logo desaparece do noticiário.

    · 2 de julho de 2005: Discursando no 15º. Aniversário do Foro de São Paulo, o sr. Luís Inácio Lula da Silva entra em contradição com a nota de 17 de outubro de 2002, confessando que o Foro é uma entidade secreta, 'construída para que pudéssemos conversar sem que parecesse e sem que as pessoas entendessem qualquer interferência política', que essa entidade interferiu ativamente no plebiscito venezuelano e que ali, em segredo, ele próprio tomou decisões de governo junto com Chávez, Fidel Castro e outros líderes esquerdistas, sem dar ciência disto ao Parlamento ou à opinião pública.

    · 9 de abril de 2006: O chefe da Delegacia de Entorpecentes da PF do Rio, Vítor Santos, informa ao jornal O Dia que "dezoito traficantes da facção criminosa Comando Vermelho — entre eles pelo menos um da Favela do Jacarezinho e outro do Morro da Mangueira — vão periodicamente à fronteira do Brasil com a Colômbia para comprar cocaína diretamente com guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Os bandidos são alvo de investigação da Polícia Federal. Eles ocuparam o espaço que já foi exclusivo de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar".

    · 12 de maio de 2006: O PCC em São Paulo lança ataques que espalham o terror entre a população. Em 27 de dezembro é a vez do Comando Vermelho fazer o mesmo no Rio de Janeiro.

    · 18 de julho de 2006: O Supremo Tribunal Federal, sob a pressão de um vasto movimento político orquestrado pelo PT, concede asilo político ao falso padre Olivério Medina, agente das Farc.

    · 16 de maio de 2007: O juiz Odilon de Oliveira, de Ponta-Porã, divulga provas de que as Farc atuam no território nacional treinando bandidos do PCC e do Comando Vermelho em técnicas de guerrilha urbana.

    · 12 de fevereiro de 2007: As Farc fazem os maiores elogios ao PT por ter salvo da extinção o movimento comunista latino-americano por meio da fundação do Foro de São Paulo.

    · Agosto de 2007: Nos vídeos preparatórios ao seu 3º. Congresso, o PT admite que seu objetivo é eliminar o capitalismo e implantar no Brasil um regime socialista; e fornece ainda um segundo desmentido à nota de Giancarlo Summa, ao confessar que o Foro de São Paulo é 'um espaço de articulação estratégica' (sic).

    · 19 de setembro de 2007: Lula oferece o território brasileiro como sede para um encontro entre Hugo Chávez e os comandantes das Farc.

    Entre esses fatos ocorreram outros inumeráveis cuja data não recordo precisamente no momento, entre os quais o fornecimento maciço de armas às Farc pelo governo Hugo Chávez, uma campanha nacional de mídia para desmoralizar o analista estratégico americano Constantine Menges que divulgava a existência de um eixo Lula-Castro-Chávez-Farc, os tiroteios entre guerrilheiros das Farc e soldados do Exército brasileiro na Amazônia, as denúncias de que as Farc davam treinamento em guerrilha urbana aos militantes do MST e, é claro, várias assembléias gerais e reuniões de grupos de trabalho do Foro de São Paulo.

    A existência de uma ligação profunda, constante e solidária entre o PT e as Farc é um fato tão bem comprovado, que quem quer que insista em negá-la só pode ser parte interessada na manutenção do segredo ou então um mentecapto incurável. (…)"

    VÍDEO 4 – 14ª REUNIÃO DO FORO – MONTEVIDÉU, 2008:
    https://www.youtube.com/watch?v=fCEJ3ydG0H8

    Reportagem da Veja.com sobre o XIV Encontro do Foro de São Paulo, em Montevidéu, em 2008, com as participações dos petistas José Eduardo Martins Cardozo, Marco Aurélio Garcia, Raul Pont, Valter Pomar e Nilmário Miranda; e a repetição de todos os chavões socialistas e gritos revolucionários.

    VÍDEO 5 – DISCURSO DE LULA DE 2011 – 17ª REUNIÃO DO FORO:
    https://www.youtube.com/watch?v=y1456joMic4

    Trechos do discurso de Lula, em que ele lembra de quando teve a ideia do Foro e do dia em que conheceu Fidel Castro, admite que Chávez tentou um golpe na Venezuela, e mostra como os participantes da entidade foram conquistando o poder em toda a América Latina, país por país (além, é claro, de soltar todas as suas bravatas eleitoreiras):
    (…) ''Querido companheiro Daniel Ortega, presidente da Nicarágua, e sua companheira Rosario [Murillo]; querido companheiro [Ricardo] Alarcón [de Quesada], representando aqui o extraordinário povo cubano; querido companheiro [Nicolás] Maduro, chanceler da Venezuela, queridos companheiros latino-americanos e convidados para essa 17ª reunião do Foro de São Paulo.

    Eu tenho sempre a preocupação, querido [José Manuel] Zelaya, de participar desses Foros e falar em português. [Trecho inaudível…] não entende nada do que 'yo hablo'. [Risos.] Eu tenho um tradutor que é um cubano naturalizado brasileiro. Se precisar o tradutor pode traduzir para que todo mundo entenda o que estou "hablando". Se entende… Bom, se não entender, eu não tenho culpa.

    Eu queria dizer a todos vocês que eu tô emocionado porque faz muito tempo que eu não participo de uma reunião do Foro de São Paulo. Parece que a última foi no Bar Latino em São Paulo em 2005, mas muito de passagem. E eu lembro quando tivemos a ideia de construir o Foro de São Paulo. Em 1985, eu fiz uma entrevista para um jornal brasileiro, e eu dizia que não era possível um metalúrgico chegar à presidência pelo voto e disputando democraticamente uma eleição. Quatro anos depois, eu fui à primeira disputa presidencial, fui para a segunda volta [turno], e terminei as eleições com 47% dos votos. O PT saiu muito fortalecido daquela eleição. Os partidos de esquerda que estão aqui, brasileiros — não sei se estão todos, mas o PCdoB, o PSB, não sei se estão… o PDT — que estiveram juntos comigo, todos nós saímos muito fortalecidos.

    E aí então veio a ideia, conversando com os companheiros cubanos num primeiro momento, de fazermos uma reunião da esquerda latino-americana. E fizemos em São Paulo, no Hotel Danúbio que já não existe mais, em junho de 1990, a nossa primeira reunião. Havia, meu querido Maduro, tantos partidos de esquerda na América Latina e tantas divergências, que só da Argentina compareceram 13 partidos políticos, e a única coisa que unificava os argentinos eram os gols de Maradona na Copa do Mundo de 1990. [Risos. Aplausos.] Havia um processo de desconfiança muito grande entre toda a esquerda latino-americana. Nós não tínhamos ainda aprendido uma lição básica que iria permitir que a esquerda chegasse ao poder. Nós temos um brilhante educador brasileiro, que já morreu, um dos mais importantes, que muitos latino-americanos conhecem, Paulo Freire, e ele dizia: 'Juntar os diferentes para derrotar os antagônicos.'

    E nós fomos aprendendo a conviver entre nós, e fomos construindo uma relação democrática difícil, complicada, muitas vezes era necessário muita paciência. Eu lembro que uma vez na reunião do Foro de São Paulo em El Salvador, nós não deixamos o Chávez participar, porque Chávez tinha tentado o golpe na Venezuela e nós não deixamos ele participar. Era muito difícil. Havia um processo de desconfiança entre nós muito grande. E de coração eu quero dizer pra vocês que uma das forças políticas que mais contribuiu para que nós chegássemos a construir o que nós construímos foram os companheiros do partido comunista cubano, que sempre tiveram paciência e experiência de nos ajudar. Não posso desmerecer o trabalho do companheiro Marco Aurélio Garcia, que hoje está no governo, não está aqui, mas que participou de quase todas as reuniões do Foro de São Paulo.

    Eu fico imaginando que algumas pessoas não estão mais aqui entre nós. E eu queria saudar aqueles que não estão aqui entre nós, homenageando o companheiro Schafik [Handal], da Frente Farabundo Martí, que não está entre nós. [Aplausos.] Nós estamos um pouco mais velhos. Quando começou o Foro, eu não tinha nenhum cabelo branco. Tomaz Borges tinha todo o cabelo na cabeça. [Risos] Daniel Ortega era cabeludo. [Risos] Ou seja: nós estamos cansados, mais do que quando começamos o Foro. Mas o caminho que nós percorremos não pode perder a importância das nossas conquistas. Nós estamos falando de 21 anos. Vinte e um anos é o tempo de maturidade de um jovem ou de uma jovem. E nesses 21 anos, olhemos a fotografia da America Latina de 1990 e olhemos a fotografia da America Latina de 2011, e nós vamos perceber que um verdadeiro furacão de democracia passou pelo nosso continente. Um verdadeiro furacão.

    Eu fico olhando a América do Sul. Quando cheguei à presidência em 2002, só tinha o Chávez. Mesmo assim, tinha sofrido um golpe. Depois, veio [Nestor] Kirchner. Depois de Kirchner, veio eleições no Paraguai. Depois, no Uruguai, com Tabaré [Ramón Vázquez Rosas]. Depois veio no Equador. E nós fomos fazendo uma mudança extraordinária que culminou com a eleição do companheiro Evo Morales na Bolívia. [Aplausos.] É a demonstração mais viva dessa evolução política da esquerda latino-americana. [Aplausos.]

    Porque esses meninos, e eu digo meninos porque tive o prazer de participar no dia 19 de julho de 1980 do primeiro aniversário da Frente Sandinista quando o orador principal foi Tomás Borges, o dia em que eu conheci Fidel Castro e fomos comer uma lagosta na casa não sei de quem, e eu lembro perfeitamente bem que, depois de chegar ao poder por uma revolução, no momento certo a Frente Sandinista não teve medo e convocou eleições democráticas. Perdeu. Daniel é o único ser humano do planeta que perdeu mais eleições do que eu. Eu perdi três eleições. Daniel perdeu quatro eleições. [Risos.] Quatro eleições. Entretanto, por nenhum momento, por mais acusado que esse companheiro fosse, ele deixou de acreditar que o caminho da democracia que a Frente Sandinista tinha optado era o melhor para a Nicarágua. E agora está o companheiro de volta para a presidência da República pela via do voto direto. Eu, como vocês estão percebendo, tenho muita dificuldade de fazer qualquer discurso de oposição depois de oito anos de governo. (…)''"

    VÍDEO 6 – JOSÉ DIRCEU FALA DO FORO NO PROGRAMA "PROVOCAÇÕES":
    https://www.youtube.com/watch?v=px7nPh8GGIY

    ANTÔNIO ABUJAMRA: Anos atrás, você podia prever uma América Latina assim: Fidel, Chávez, Morales, Bachelet, Correa… Quem mais? TODOS de esquerda na América do Sul! Você podia prever que isso ia acontecer?

    JOSÉ DIRCEU: Prever, não. Mas nós já lutávamos por isso e já trabalhávamos por isso. Inclusive porque nós criamos o Foro de São Paulo, que lutava pra isso; depois criamos ainda o Grupo de Marbella, porque é o nome da cidade do hotel onde nós ficamos no Chile, que se reuniu, TODOS foram presi… Todos depois foram eleitos presidentes da República. Todos foram. TODOS. O Ciro Gomes, que participava, e o [mexicano] Cuauhtémoc Cárdenas ainda não foram. Mas o [Vicente] Fox foi [no México]. O [Ricardo] Lagos foi [no Chile]. Tabaré Vazquez foi [no Uruguai]. [Cita outro, inaudível.] O Lula foi. Então você vê que não é o Chávez, o Evo Morales…

    ANTÔNIO ABUJAMRA [interrompendo]: Tabaré, Kirchner… Se essa turma se unir, o que é meio difícil, o que é que acontece com a América Latina?

    JOSÉ DIRCEU: Não, a condição para a América Latina avançar é a união desses presidentes desses países. Por isso que a informação de que o Banco do Sul está avançando… e a consolidação do Mercosul, e a integração energética, o gasoduto, e mesmo a zona de livre-comércio entre os nossos países… Não há nada mais importante pra nós que a integração da América Latina. Hoje, o NAFTA, a União Europeia e o Pacto Asiático: 70% do comércio é intrabloco. Só 30[%] é exportado para fora do bloco. Aqui na América Latina ou do Sul, ainda é 20 ou 25%. Então nós temos muito para integrar.

    VÍDEO 7 – DISCURSOS DE LULA E DILMA SOBRE FORO E REVOLUÇÃO:
    https://www.youtube.com/watch?v=9C9GSzRwBuo
    LULA: "O que Cuba tem mais do que nós? O povo cubano tem mais dignidade que a maioria dos povos da América Latina. (…) E foi assim que nós conseguimos construir o Foro de São Paulo e pela primeira vez a gente conseguiu juntar todos os partidos de esquerda da América Latina. Não pensem que é fácil! Tem aqui companheiros que partcipam…"

    DILMA: "Eu me sinto muito feliz de estar na tenda da revolução cubana, dos 50 anos da revolução cubana, que foi um acontecimento histórico na América Latina e teve uma influência profunda na minha geração. Então eu considero este momento especial."

    VÍDEO 8 – DISCURSO DE LULA DE 2013 – LULA EXPLICA A ESTRATÉGIA DO FORO DE SÃO PAULO PARA CHEGAR AO PODER:
    "Em 1990, ou melhor, em 1980, a esquerda latino-americana não acreditava que fosse possível chegar ao poder pela via da disputa democrática e sobretudo pela via eleitoral. (…) E a história se encarregou de provar que a democracia exercida a partir da participação de massas pode ser a melhor fonte para que a esquerda chegue ao poder em qualquer país do mundo. Vamos ver a experiência do companheiro Chávez (…). É importante lembrar que uma grande parte da elite da Venezuela não admite a chegada de Chávez ao poder (…), como não aceitam o Lula no Brasil e a Dilma no Brasil… E nós chegamos e eu quero, companheiro da direção do Foro de São Paulo, debitar parte da chegada da esquerda ao poder da América Latina pela existência dessa cosita chamada Foro de São Paulo. Foi aqui e devemos muito aos companheiros cubanos, devemos muito aos companheiros cubanos, porque, ao contrário do que muita gente conservadora pensa, os companheiros cubanos sempre, sempre nos ensinaram que o exercício da tolerância entre nós, a convivência pacífica na adversidade entre nós, a convivência entre os vários setores de esquerda era a única possibilidade que permitia que nós tivéssemos avanço aqui nesse continente. E isso aconteceu e pode acontecer muito mais, porque agora nós temos a obrigação de não permitir que haja nenhum retrocesso nas conquistas que nós obtivemos até agora. Nenhum retrocesso!"

    A propósito: os "companheiros cubanos", segundo Lula, sempre ensinaram o "exercício da tolerância" e da "convivência pacífica" entre os vários setores DA ESQUERDA, é claro. Porque, na Cuba de Fidel e Raúl Castro, a "tolerância" e o "pacifismo" com os opositores políticos sempre foram exercidos com prisões e fuzilamentos mesmo.
  • Rhyan  09/09/2015 02:58
    Não questionei a existência do FSP, questionei esse poder todo que dizem que tem. O governo do PT não se entende nem com a base aliada e talvez nem entre eles mesmos (sobre o Levi, por exemplo), você acham que uma organização com tantos grupos de tantas linhas esquerdistas seria assim tão eficiente e sem divergências? Você acha que tem algum político hoje em dia fazendo propaganda da Venezuela? (talvez uma meia dúzia de malucos de extrema-esquerda)

    A direita vê o FSP da mesma forma que a esquerda vê o Instituto Millenium, muita paranoia e conspiracionismo, nenhum fato concreto.

    Nunca acredite no Olavo, ele até pode acertar as vezes, mas isso é mais raro que o cometa Halley. Afinal, o Ron Paul não é um agente russo, a pepsi não usa fetos e Darwin ainda é maior nome da biologia moderna.
  • Reynolds  09/09/2015 13:17
    Rhyan, em quase todos os países latino americanos algum partido político que participa ativamente do Foro de SP chegou ao poder no início dos anos 2000 e ainda não saiu do poder. E você ainda questiona se ele não possui esse poder todo?

    Lógico, ele não é invencível, mas já está no poder da presidência da maioria dos países latino americanos. É só uma questão de tempo para ele tomar todos os países e conseguir seu objetivo de recuperar na América o que foi perdido no Leste Europeu.

    Lembrando que uma das etapas da construção do Socialismo é uma ""fase de capitalismo"" e se preocupar integralmente em conseguir destruir toda a oposição, aparelhando o Estado em locais estratégicos. Lênin que o diga.
  • Jose Luiz Simoes  12/01/2016 15:14
    Cala a boca, Amputado Mental. Vai babar o saco de algum desses Genocidas comunistas que você tanto admira e idolatra. Antes, no entanto, Lava tua boca antes de mencionar o Olavo e tenta pensar alguma coisa com teus próprios neurônios. A realidade e tão acachapante (Sabes o que significa acachapante, PTloide DEBILOIDE JUVENIL?) e está tão nas tuas fuças (E Fuças?sabes o que seja?) que nem precisas pensar muito para concluíres na podre que teu cérebro e SER idiotizado foram parar direcionados pelas mãos de Reconhecidos Genocidas, como Fidel, Lenin, Marx, dentre outros. Por fim, só para esclarecer-te melhor, criatura perdida -- já que não gosto de gastar vela boa com defunto ruim -- deixo a seguir algumas máximas do, atualíssimo, Nelson Rodrigues, amado por muitos socialistas de meia-tigela e que mesmo depois de decorridos 60 anos ainda tem um frescor admirável.


    "Na velha Rússia, dizia um possesso dostoievskiano: — "Se Deus não existe tudo é permitido". Hoje, a coisa não se coloca em termos sobrenaturais. Não mais. Tudo agora é permitido se houver uma ideologia."

    "Quando os amigos deixam de jantar com os amigos [por causa da ideologia], é porque o país está maduro para a carnificina.

    "Antigamente, o silêncio era dos imbecis; hoje, são os melhores que emudecem. O grito, a ênfase, o gesto, o punho cerrado, estão com os idiotas de ambos os sexos."

    "[Até o século XIX] o idiota era apenas o idiota e como tal se comportava. E o primeiro a saber-se idiota era o próprio idiota. Não tinha ilusões. Julgando-se um inepto nato e hereditário, jamais se atreveu a mover uma palha, ou tirar um cadeira do lugar. Em 50, 100 ou 200 mil anos, nunca um idiota ousou questionar os valores da vida. Simplesmente, não pensava. Os "melhores" pensavam por ele, sentiam por ele, decidiam por ele. Deve-se a Marx o formidável despertar dos idiotas. Estes descobriram que são em maior número e sentiram a embriaguez da onipotência numérica. E, então, aquele sujeito que, há 500 mil anos, limitava-se a babar na gravata, passou a existir socialmente, economicamente, politicamente, culturalmente etc. houve, em toda parte, a explosão triunfal dos idiotas."

    "Outrora, os melhores pensavam pelos idiotas; hoje, os idiotas pensam pelos melhores. Criou-se uma situação realmente trágica: — ou o sujeito se submete ao idiota ou o idiota o extermina."

    "Qualquer indivíduo é mais importante que toda a Via Láctea."

    "Ainda ontem dizia o Otto Lara Resende: — "O cinema é uma maneira fácil de ser intelectual sem ler e sem pensar". Mas não só o cinema dá uma carteirinha de intelectual profundo. Também o socialismo. Sim, o socialismo é outra maneira facílima de ser intelectual sem ligar duas idéias."

    Eu amo a juventude como tal. O que eu abomino é o jovem idiota, o jovem inepto, que escreve nas paredes "É proibido proibir" e carrega cartazes de Lenin, Mao, Guevara e Fidel, autores de proibições mais brutais.

    "Com o tempo e o uso, todas as palavras se degradam. Por exemplo: — liberdade. Outrora nobilíssima, sofreu todas as abjeções. Os regimes mais canalhas nascem e prosperam em nome da liberdade."

    "Ah, os nossos libertários! Bem os conheço, bem os conheço. Querem a própria liberdade! A dos outros, não. Que se dane a liberdade alheia. Berram contra todos os regimes de força, mas cada qual tem no bolso a sua ditadura."

    "Como a nossa burguesia é marxista! E não só a alta burguesia. Por toda parte só esbarramos, só tropeçamos em marxistas. Um turista que por aqui passasse havia de anotar em seu caderninho: — "O Brasil tem 200 milhões de marxistas"."

    "Hoje, o não-marxista sente-se marginalizado, uma espécie de leproso político, ideológico, cultural etc etc. Só um herói, ou um santo, ou um louco, ousaria confessar publicamente: — "Meus senhores e minhas senhoras, eu não sou marxista, nunca fui marxista. E mais: — considero os marxistas de minhas relações uns débeis mentais de babar na gravata".

    "No Brasil, o marxismo adquiriu uma forma difusa, volatizada, atmosférica. É-se marxista sem estudar, sem pensar, sem ler, sem escrever, apenas respirando."

    "Marx roubou-nos a vida eterna, a minha e a do Otto Lara Resende. Pois exigimos que ele nos devolva a nossa alma imortal."

    "As cartas de Marx mostram que ele era imperialista, colonialista, racista, genocida, e que queria a destruição dos povos miseráveis e "sem história", os quais chama de "piolhentos", de "anões", de "suínos" e que não mereciam existir. Esse é o Marx de verdade, não o da nossa fantasia, não o do nosso delírio, mas o sem retoque, o Marx tragicamente autêntico."

    "Nas velhas gerações, o brasileiro tinha sempre um soneto no bolso. Mas os tempos parnasianos já passaram. Hoje, ferozmente politizado, ele tem sempre à mão um comício."

    "Entre o psicanalista e o doente, o mais perigoso é o psicanalista."

    "É preciso ir ao fundo do ser humano. Ele tem uma face linda e outra hedionda. O ser humano só se salvará se, ao passar a mão no rosto, reconhecer a própria hediondez."

    "A Rússia, a China e Cuba são nações que assassinaram todas as liberdades, todos os direitos humanos, que desumanizaram o homem e o transformaram no anti-homem, na antipessoa. A história socialista é um gigantesco mural de sangue e excremento."

    "Tão parecidos, Stalin e Hitler, tão gêmeos, tão construídos de ódio. Ninguém mais Stalin do que Hitler, ninguém mais Hitler do que Stalin."

    "Vocês se lembram da fotografia de Stalin e Ribbentropp assinando o pacto nazi-comunista. Ninguém pode esquecer o riso recíproco e obsceno. Se faltou alguém em Nuremberg — foi Stalin."

    "Havia, aqui, por toda parte, "amantes espirituais de Stalin". Eram jornalistas, intelectuais, poetas, romancistas. Outros punham nas paredes retratos de Stalin. Era uma pederastia idealizada, utópica e fotográfica."

    "Sou um pobre nato e, repito, um pobre vocacional. Ainda hoje o luxo, a ostentação, a jóia, me confundem e me ofendem."

    "Hoje, o sujeito prefere que lhe xinguem a mãe e não o chamem de reacionário."

    "O povo é um débil mental. Digo isso sem nenhuma crueldade. Foi sempre assim e assim será, eternamente."

    "O grande acontecimento do século foi a ascensão espantosa e fulminante do idiota."

    "E deve-se a Marx o formidável despertar dos idiotas. Estes descobrem que são em maior número e sentem a embriaguez da onipotência numérica."

    "O socialismo ficará como um pesadelo humorístico da História.
    "
    "A Rússia, a China e Cuba são nações que assassinaram todas as liberdades, todos os direitos humanos, que desumanizaram o homem e o transformaram no anti-homem, na antipessoa. A história socialista é um gigantesco mural de sangue e excremento."

    "O homem só é feliz pelo supérfluo. No comunismo, só se tem o essencial. Que coisa abominável e ridícula!"

    "A melhor maneira de não ser canalha é ser reacionário."


    TÁ BOM OU QUER MAIS?!.....


  • Rafael Fernandes  30/03/2016 04:28
    Propagandista do establisment. Nada mais. Vc não sabe nada do que diz. O Olavo nunca disse que a pepsi usava CACOS de fetos abortados para adoçar. Quem disse isso foi o idiota do PÍRULA, distorcendo tudo. O Olavo apenas citou uma noticia na qual a pepsi estaria utilizando CÉLULAS, não CACOS, de fetos na fabricação do adoçante. A distorção é grande, mas porque estou perdendo meu tempo mesmo. Me esqueci que todos vcs são agentes de desinformação e a prova está nessa distorção ridícula que o idiota do PIRULA, inventou para achincalhar.
  • anônimo  31/03/2016 11:03
    O pirulla não distorceu nada, ele explicou com detalhes o que é uma cultura de bactérias, quem distorceu foi o seu guru que ainda fechou com chave de ouro 'LOGO, SE VC TOMA PEPSI VC É UM ABORTISTA TERCEIRIZADO'
    É impressionante o grau de demência da seita olavética.
  • Anônimo  04/05/2016 01:02
    Pirola é um palhaço social-democrata. Os dois não diferem em nada.
  • Klauss  26/11/2016 12:19
    O Olavo acertou quando disse a uns 20 anos atrás que o PT iria dar perca total no Brasil, e acertou quando imaginou a popularidade que, o Trump teria, mesmo com toda a grande midia, inclusive no Brasil, prever uma vitória para a H.Clinton.
  • Juliana  09/09/2015 03:34
    Sua síntese sobre alguns fatos históricos do FSP é digna de reprodução e divulgação aos que duvidam da existência e
    da implementação desse demoníaco plano de poder. Parabéns e obrigada por postar.
  • Renato Souza  09/09/2015 11:49
    Rhyan

    Você está errado.
    Primeiramente você compara o Instituto Milenium com o Foro de São Paulo, o que é um absurdo. Você disse especificamente: "A direita vê o FSP da mesma forma que a esquerda vê o Instituto Millenium, muita paranoia e conspiracionismo, nenhum fato concreto."
    Ora, se é assim, a esquerda é realmente paranoica, mas a direita é bastante realista. O Foro de São Paulo efetivamente coordenou as ações da esquerda na América do Sul, de modo que se apoiaram mutuamente, tanto governos, quanto organizações legais, quanto organizações ilegais, e efetivamente construiram um poder muito grande, que abrange todos os países mais importantes da América do Sul. Em todos esses países, efetivamente conseguiram fazer avançar de forma muito intensa seu programa, tanto em termos econômicos, quanto em termos culturais e institucionais. Matam, roubam, aterrorizam, achacam e intimidam, impunemente em todos esses países, e só no Brasil (confira, é a única exceção) só muito recentemente começou uma tímida reação dentro das instituições. Na Venezuela, por exemplo, há reação do povo, mas as instituições estão totalmente tomadas. Ora, isso não é paranoia, é simples constatação de um fato. Em comparação com isso, o que é o Instituto Milenium? Um grupo de liberais econômicos que expõe suas ideias. Os únicos meios que utilizam são as palavras falada e escrita. Percebe o absurdo da comparação.

    Você diz que a falta de concordância entre as esquerdas causará o seu insucesso. A história não mostra isso. Socialistas no mundo todo, discordando imensamente entre si, tomaram o poder em muitos países, e implantaram neles sistemas totalitários. Tanto é assim, que tão logo tomam o poder, começam a matar não só os não socialistas, mas também a outros socialistas. Com certeza, quem mais matou socialistas foram outros socialistas. Mas essas divergências internas não os tem impedido de tomar o poder ou de alterar as instituições, a cultura, o senso comum.

    Você aponta as divergências sobre apoiar ou não Levy, como um exemplo de como os socialistas se sabotam. Vamos voltar um pouco. A implantação do socialismo é um jogo de acertar o tempo certo, e por isso que muitos vezes foi feito de forma extremamente rápida (o que exige imenso apoio externo, inclusive financeiro). Onde se opta por implanta-lo de forma mais lenta, os resultados econômicos ruins não podem aparecer tão claramente antes que as instituições estejam bem domadas. No Brasil, o desastre econômico apareceu antes que toda possibilidade de reação bem sucedida houvesse sido abortada. Diante do desastre econômico tão evidente, diferentes lideranças, interessadas em se salvar politicamente (até o Lula) se afastam do poder central, e deixam Dilma sozinha. Mas veja que isso é uma exceção. Nos outros países do Foro de São Paulo, mesmo em situação econômica bem difícil, a tomada institucional e midiática foi tão forte, que fica difícil alguma reação legalmente autorizada. E mesmo no Brasil, em que há agora uma possibilidade importante de insucesso dessa estratégia, uma série de circunstâncias fortuitas contribuiu para isso. Poucas, se é que alguma estratégia humana é infalível, mas as estratégias marxistas, sejam repentinas, seja lentas, são freqüentemente histórias de sucesso.
  • Reynolds  09/09/2015 14:09
    Ótima resposta, Renato.

    O Foro de SP está no Poder tanto presidencial quanto nas instituições governamentais da maioria dos países latino americanos.
    Enquanto os liberais, conservadores e libertários nem ao menos possuem partidos políticos atuando nas eleições para representá-los.

    É uma falácia de apelo ao absurdo. É não ter o mínimo senso de proporções.
  • Anonimo Conhecido  21/09/2015 03:16
    Rapaz seu comentário é totalmente desnecessário, você não passa de um alienado que não possui argumentos e vem com essa tática de diminuir o nível do debate, seus comentários se restringem a fazer ataques pessoais ao interlocutor por não conseguir refutar as idéias, Então se não for para argumentar cala tua boca.

    Não importa quem está falando, o que importa é a lógica e coerência da mensagem e dos ensinamentos, essa tática de dizer que fulano é olavete e etc é espúria, coisa de idiota, então veja se argumente e mostre que você é homem e não um covarde.
  • Mauro Cambraia  20/01/2010 03:26
    Esse é sem dúvida um dos textos mais fortes, impactantes e persuasivos que eu já li sobre o assunto. Comunismo e todas as suas derivações são vírus que devem ser extirpados à força da raça humana. E ainda há quem considere que o Chile de Pinochet era um inferno...
  • Bruno  20/01/2010 13:40
    Qualquer ditadura, seja de direita ou esquerda é horrenda e deve ser condenado.\nE o que aconteceu na China foi uma provação, para mim quem sobreviveu a Mao Tse Tung nasceu de novo.\nPorém, o passado mórbido não deve em nenhum momento servir para passar a mão na cabeça de corrupto.
  • Eduardo Rodrigues, Rio  01/02/2012 20:30
  • Occam's Razor  09/06/2013 07:59
    E agora o PT prepara o seu "Segundo grande salto" (Grande Salto para Frente?). A situação está degringolando mais rápido do que eu previa.
  • Amarílio Adolfo da Silva de Souza  26/06/2013 21:22
    A história do comunismo é marcada por mortes incomensuráveis. Como alguém, com seu juízo perfeito, pode gostar disso?
  • Emerson Luis, um Psicologo  04/12/2013 16:59

    "A comunização da China se deu seguindo os três estágios usuais: (1) expurgos, (2) planejamentos e, por fim, (3) a procura por bodes expiatórios."

    O governo petista, com seu neomarxismo politicamente correto, está ensaiando há anos para entrar no primeiro estágio. Será que o Lula vai voltar em 2014 e gradualmente se tornar o nosso Mao?

    * * *

  • PAULO  10/12/2013 22:05
    O que me deixa mais estarrecido neste texto, não são os fatos ocorridos durante tal período, mas sim, a facilidade com que as pessoas se deixavam dominar... PELO AMOR DE DEUS!!!! ESTIMA-SE EM TORNO DE 65 A 70 MILHÕES DE MORTOS!!! - SERÁ QUE OS COMUNISTAS QUE DOMINAVAM TUDO ERAM ESSA QUANTIDADE?????

    Felizmente no Brasil isso jamais aconteceria... Pois aqui a Direita é tão agressiva quanto a Esquerda! Resumindo tudo: Em nossa cultura não existe "abaixemos para morrer senão morreremos" mas sim "se vamos morrer, que seja lutando e também matando!"

    Infelizmente faltou certa doutrina de ódio e desapego às vitimas do comunismo chines e também de outros comunismos. Aliás não digo de ódio e desapego, mas sim ANTI DOMÍNIO. Coisa que os brasileiros parecem trazer no próprio sangue. Observem como os esquerdas que estão no poder lidam conosco na ponta dos dedos. Creio que tenha havido falta de um Carl Marx direitista em outros países. Faltou umas pequenas pinceladas na cultura e no pensamento daqueles povos pra que a história fosse outra.
  • Victoria  22/09/2014 04:39
    kkkkk, verdade que o governo brasileiro morre de medo de fazer alguma coisa assim. Se as manifestações do ano passado são um indicador - e olhe que nem estamos com fome - se tivéssemos uma escassez chinesa era capaz de Brasília virar pó!
    Agora, de verdade, acho que não é nem só a cultura brasileira, é a Ocidental. Depois da Reforma Protestante, do Renascimento e do Iluminismo, a paciência ocidental com tiranos, sejam teocráticos ou ideológicos, acabou. Ou, pelo menos, com tiranos que não nos dão nada em troca. Agora, só permitimos que nos tiranizem em troca de polpudas esmolas (para ricos e pobres), nada de fome e só se dermos a nossa opinião. Um sistema melhor que o chinês, sem dúvida.
    Mas ainda assim, sonho imaginando o mundo, daqui há uns 400 ou 500 anos, sem tirania alguma. Ou pelo menos, sem tirania estatal alguma, já que sem tirania por completo seria utopia, que é impossível.
  • Denilson  27/02/2014 13:54
    Falem para o Lew Rockwell protestar contra a ida de empresas dos EUA para a China... Investimentos também...
  • Ricardo  27/02/2014 14:04
    Ué, por que um libertário protestaria contra decisões tomadas voluntariamente por pessoas?!

    Acho que você não tem muita ideia do que está falando...
  • anônimo  15/09/2014 14:29
    Ele aprendeu com o professor de história da quinta série que o capitalismo precisa de protecionismo.Logo...
  • ANDRE LUIS  09/09/2015 00:53
    Ricardo, uma pergunta;

    Seria um ato legítimo, do ponto de vista libertário, firmar contrato de mão de obra com um senhor de escravos, já que ambos são livres para contratar? (considerando escravos aqueles fisicamente impelidos a obedecer e impedidos de fugir).
  • Ricardo  09/09/2015 01:53
    Quem está firmando contrato com o senhor de engenho? Quem são esses "ambos"?

    E não: o simples fato de existir uma pessoa que se apropriou do corpo de outra já torna a situação moralmente inaceitável para qualquer libertário.
  • anônimo  28/02/2014 18:41
    OS COMUNISTAS SÃO VINCULADOS AO SATANISMO!
    É A RELIGIÃO DO ODIO A DEUS, DA INVEJA E COBIÇA DOS BENS ALHEIOS, E PERSEGUIÇÃO EM ESPECIAL À IGREJA CATÓLICA,
    Os comunistas - duramente repelidos pelo últimos 10 papas até ao emérito Bento XVI - vinculam-se todos ao satanismo por que Marx, mesmo seu companheiro Engels também o era, e todas suas ideologias e ações são calcadas nisso – não são poucas as referencias suas e de seus biógrafos a tal.
    Marx é o pai dos comunistas – patrono das ideias e ações do PT, PC do B e dos membros, assim como de seus eleitores compartilhando de tudo – além de seus pactos com Satanás, ele mesmo o descreve, vejam-lhe apenas 2 frases de sua autoria tal era seu ódio a Deus e às religiões, especialmente à Igreja Católica:
    1 – DESEJO VINGAR-ME D'AQUELE QUE GOVERNA LÁ EM CIMA.
    2 – VAMOS EXPULSAR OS CAPITALISTAS DA TERRA E DEUS DO CÉU.
    E ainda sua bandeira:
    a foice significa a morte,
    o martelo a destruição,
    a estrela vermelha de 5 pontas é o pentagrama satânico,
    o vermelho é o sangue dos adversarios.
    Além do mais, é fato inquestionável que por onde quer que passe o Comunismo (Rússia, China, Coréia do Norte, Albânia, Cuba, etc) o resultado é de sempre: odios entre si e a adversarios, propagação do ateísmo, perseguições religiosas, totalitarismo, fraudes, opressão, chantagens, mentiras, intolerancias a opositores, atraso, miséria e morte, e ainda entre si disputam a liderança a ferro e fogo, expurgando-se mutuamente, conferindo os procedimento do PT aqui.
    Idem, todos os postulados teóricos e econômicos de Marx fracassaram; há literatura mostrando que vagabundos e preguiçosos abraçam os ideais comunistas apenas como forma de expressarem seu ódio e inveja contra os que são prósperos economicamente - ricos às custas de seus próprios esforços e trabalho árduos, e desses há espertalhões se elegendo como políticos e alguns até presidentes da república para montarem seus negócios.
    De igual forma, muitos que se elegaram socialistas em defesa dos oprimidos para conquistarem o poder político e econômico não passaram de um bando de facínoras, mentirosos e criminosos. Os exemplos de Fidel Castro, de Lênin, Stálin, Pol Pot, Mao e outros mais são autênticas evidências disto. Nada mais que ladrões, ávidos por dinheiro e poder que se travestirem de "líderes socialistas" e lançando-se no lamaçal marxista, apenas se identificando como tal apenas depois de bem estabelecidos; ou seja, o comunismo além de ser uma mentira em si mesmo, é um excelente veículo para cometer qualquer fraude imaginavel, provando as quase 200 000 000 de mortos em repressões mundo afora para se manterem no poder e se enriquecerem.
    Graças a milhões de eleitores que se deixam satanizar e compartilham pelo voto do odio deles a Deus!
    O proprio Lênin admitia que o Estado e eles eram controlados por certas forças desconhecidas deles:
    "O Estado parece não funciona como desejamos. Como funciona? O carro não obedece. Um homem está ao volante mas parece não dirigir. O carro não corre na direção desejada, ele avança conforme o desejo de outras forças".
    O comunismo seria uma das taças da ira de Deus por falta de correção nossa de tantas injustiças, preditas em aparições de Nossa Senhora, como Fátima, Lourdes, Quito e La Salette etc.
  • anônimo  15/09/2014 14:28
    Continue com isso e vc pode acabar acreditando nas besteiras neocons de que a Rússia ainda é comunista.
  • Alex Hoffmann  24/10/2014 00:09
    E o são até os ossos, nestes países o socialismo/comunismo está tão entranhado nas almas de seus governantes que é impossível negar. Veja a tentativa russa com Pumti, ops, Putin, de uma nova re-invasão e uma nova tomada de território da Ucrânia, veja na Ucrânia os protestos de alguns pró rússia. Não nos enganemos, o que o colega fala é a mais pura verdade. E os erros da URSS se espalhará pelo mundo e tomará como um câncer, ai do Brasil, muito terá de sofrer, por fim meu Imaculado Coração Triunfará. Alguma semelhança aí, parece que não, o Brasil vai bem obrigado, não temos nenhum problema com socialismo/comunismo por aqui, a esquerda brasileira nem existe (lembremos todos meus caros, não é só pt que adora isto, o pcdob, e outros mais, se estivessem no poder fariam pior, mas o pt está sendo eficiente, aos poucos, comprando todos, transformando muitos funcionários do estado, vide bolsa família), é só invenção da nossa cabeça que é bitolada, de direita reaça, católica e burguesa (mais algum elogio que esqueci?).
    O problema é que a população brasileira é tão inocente da coisa que acha que esse negócio nem existe mais, que o que vivemos atualmente é o capitalismo. Está tão atordoada, que nem liga pros mensaleiros saindo pela "porta dos fundos".
  • Paulo Anton  01/06/2015 23:53
    Alex:
    O real problema é que mais de 98% da população brasileira pensa que, a esquerda irá agir como a direita o fez nas últimas décadas; ou seja, tentou melhorar a situação dos mais necessitados e tentou recuperar o país das incompetências econômicas/sociais e morais de governos anteriores e do período pós ditadura, de influências e dependências econômicas de países estrangeiros.
    Dito isso, é preciso esclarecer que atualmente o verdadeiro Presidente do Brasil é o Foro de São Paulo, que segue rigidamente as ideias gramscistas de Antônio Gramsci (um fanático e fracassado moral e culturalmente comuna, que foi condenado a prisão perpétua e que, durante os 40 anos de prisão elaborou uma "teoria", que explica como implantar o Socialismo/Comunismo ou melhor; o Socialismo Bolivariano em países republicanos com democracia).
    Segundo um dos itens dessa teoria, a "sopa não se come quente"; sempre se come pelas beiradas. Toda a teoria está sendo imposta na América Latina e do Sul (muito incentivada pelo Ditador Fidel Castro de CUba), e países como Venezuela, Bolívia, e num estágio um pouco mais atrasado, o Peru, Colômbia e mais recentemente a Argentina andam nessa direção. O objetivo maior é a conquista do Brasil e a implantação do Socialismo Bolivariano, pela sua importância territorial, econômica e social e pela possibilidade de financiamento ilícito a outros países de ditadura socialista/comunista.
    Pela precária educação que o povo latino americano dispõe, também pela confirmação de fraudes eleitorais em alguns países (sem comprovante e impossibilidade de conferir manualmente o resultado da eleição), a chance de sucesso da esquerda é considerável, visto que, a lavagem cerebral pró-socialista/comunista é escancarada nas universidades; a única possibilidade viável e rápida seria a mudança no sistema eleitoral.
  • anônimo  08/09/2015 22:47
    'E os erros da URSS se espalhará pelo mundo e tomará como um câncer, ai do Brasil, muito terá de sofrer, por fim meu Imaculado Coração Triunfará. '

    https://www.youtube.com/watch?v=WehqTwn600Q
  • Amarilio Adolfo da Silva de Souza  14/09/2014 14:55
    Pobres China, Rússia e brasil. Tão grandes em tamanho e recursos, mas tão cegos em Capitalismo.
  • Dam Herzog  19/07/2015 23:26
    O socialismo é inviavel, impraticavel e onde tentou-se implanta-lo mostrou uma babarie selvagem.
  • Denilson Silva  20/07/2015 03:31
    Brasileiros! Levem o capitalismo para nossas favelas... Ah não... Ele já está lá...
  • Denilson Silva  20/07/2015 13:19
    "O experimento começou da maneira mais sanguinolenta possível, após a Segunda Guerra, quando todos os olhos do Ocidente estavam voltados para assuntos internos"

    Gosto destes textos que pretendem ser historinhas para assustar... Principalmente depois que leio que o contra-ponto a "China má e comunista" são países que lançavam bombas atômicas que matavam 100 ou 200 mil pessoas em 10 segundos... Ah tá, vou ouvir mais uma vez a justificativa de porque foi necessário fazer isso. Essa contradição os liberais não superam mesmo. Acusam massacres, mortes etc, mas quando se fala em 200 mil pessoas desintegradas em 10 segundos em uma cidade civil, sem nenhuma importância militar para além de assustar, desestabilizar e mostrar força, isso é justificável...
  • Ricardo  20/07/2015 13:25
    Prezado Denílson, gentileza apontar um único artigo neste site que defende a chacina de civis pelo governo (seja pelo bombardeio nuclear, seja pelo ataque aéreo, seja pela invasão territorial por exército). Faça isso e fechamos o site na hora.

    Caso não consiga fazê-lo (uma dica: não conseguirá), tenha a hombridade de se retratar pela calúnia.

    Ao contrário da esquerda, que adora um ditador que mata as pessoas de fome, os libertários deploram todos os governos, não importa se liderado por um comunista ou por um cowboy americano.

    Faça um favor a si mesmo: entenda o básico de uma filosofia antes de passar vergonha emitindo opiniões sobre ela.
  • Lopes  08/09/2015 14:42
    Uma breve viagem ao "Sobre Nós" na página do portal teria poupado o labor de escrever este comentário.
  • anônimo  20/07/2015 14:02
    Um dos fundamentos básicos do liberalismo é a paz. Tanto daqueles que tenham uma filosofia utilitária quanto jus naturalista.

    Portanto, afirmar que o liberalismo defende alguma ação militar contra civis ou até mesmo que defenda um estado militarizado como os EUA, é assinar um atestado de burrice.
  • Edujatahy  08/09/2015 15:21
    Caro Denilson,
    ao ler o seguinte comentário, "Gosto destes textos que pretendem ser historinhas para assustar..." eu lhe digo:
    És um monstro! Falar algo assim é desrespeitar MILHÕES de mortos e todo o sofrimento dos sobreviventes e familiares desta pessoas. Querer dizer que um dos governos mais sanguinários da história da humanidade (possivelmente o mais sanguinário) é apenas uma "história para assustar" é de uma crueldade sem tamanho.
    Você é uma vergonha para a raça humana.

  • Dredd  11/09/2015 01:45
    Parabéns Edujatahy, são nesses termos mesmos que se deve discutir com um esquerdista. Esses animais defendem regimes que mataram milhões de pessoas (e quebraram a alma de outros milhões que conseguiram o milagre de sobreviver) e, quando lembrados disso, fazem pouco caso e até debocham dessas monstruosidades, não se importando com o sofrimento que semelhante enormidade implicou.
  • Edujatahy  11/09/2015 11:23
    Obrigado Dredd. É revoltante ver o que uma ideologia violenta e assassina na sua essência faz com a cabeça destas pessoas. Quando eu digo que socialista é pior que nazista sou criticado. O nazismo foi socialismo trainee. Não podemos duvidar do que estes monstros são capazes de fazer.

  • Bruno Jardim  09/09/2015 02:07
    Assim... que eu me lembre os EUA foram atacados pelo Japão e eles derrotaram um estado imperialista que matava, estuprava chineses aos milhões. Que bom que eles fizeram isso, né? :)
  • Vinicius  09/09/2015 13:56
    O projeto manhattan, que desenvolveu as bombas nucleares custou em valores atuais por volta de US$25bi.
    O que tem de liberal pilhar tanto dinheiro de pessoas produtivas e colocar em uma bugiganga pra matar outras pessoas produtivas?
    Estado liberal, quadrado redondo e irlandês sóbreo é tudo a mesma coisa.
  • anônimo  08/09/2015 14:28
    Deturparam Marx!
  • cmr  08/09/2015 17:39
    Sim, "deturparam" por completo.
    Por isso vamos implementar aqui o socialismo de "cáu márquis", que é o que "funciona".
    kkkkkkkkkkkkk
  • Fernando  08/09/2015 14:29
    Segundo o próprio Marx, Comunismo é uma utopia que só seria alcançada em 400 ou 500 anos (na realidade do mundo, jamais pode ser alcançada).

    O Socialismo é a tentativa de se chegar ao Comunismo. Ou seja, dizer que um partido é socialista ou comunista é a mesma coisa.

    Já dizer que um país é comunista, socialista ou capitalista não faz sentido, pois são questões de graus, já que não existe nenhum país totalmente capitalista (infelizmente) e nem comunista/socialista (o que é impossível).

    Estes 27 minutos do professor Yuri Maltsev podem esclarecer as coisas para vocês: Socialism: Utopia and Reality
  • anônimo  08/09/2015 15:10
    Pior é que tem muito imbecil que diz que só é socialista, mas não é comunista. (Tipo o PC Siqueira).

    Primeiro que o cara só mostra que não entende a filosofia do socialismo, já que um socialista coerente (dentro dos dogmas dele) é sempre um comunista.

    Segundo, o cara consegue se mais detestável que um comunista. Pois na teoria, socialismo é o estado controlando tudo, e o comunismo seria um sistema sem estado ( ao menos no mundo imaginário da nossa juventude).
  • Alberto  08/09/2015 16:00
    Cresci sabendo da diferenciação entre o socialismo e o comunismo. Nesta discussão há afirmações de que é uma "falácia" a ideia do comunismo não possuir Estado.

    Alguém pode responder e dar exemplos sobre o porquê dessa "falácia"?
  • Leandro  08/09/2015 16:04
    Essa ideia de que não há estado no comunismo é coisa de quem não entendeu Marx.

    A teoria defendida por Marx era sem pé nem cabeça. Ele dizia que, para abolir o estado, era necessário antes maximizá-lo. A ideia era que, quando tudo fosse do estado, não haveria mais um estado como entidade distinta da sociedade; se tudo se tornasse propriedade do estado, então não haveria mais um estado propriamente dito, pois sociedade e estado teriam virado a mesma coisa, uma só entidade -- e, assim, todos estariam livres do estado.

    Um raciocínio maravilhoso, não? Ou seja: se algum indivíduo dominar completamente tudo o que pertence a você, dominando inclusive seu corpo e seus pensamentos, então você estará completamente livre, pois não mais terá qualquer noção de liberdade -- afinal, é exatamente a ausência de qualquer noção de liberdade que o fará se sentir livre.

    Esse é o "anarquismo" marxista.
  • Rodrigo Pereira Herrmann  08/09/2015 16:22
    This is the ultimate truth.

    O marxismo é, filosoficamente, a negação do estatuto ontológico do ser humano. é a supressão da liberdade existencial conjugada com a negação da razão universal. Não há nada mais diabólico. O resultado será sempre o controle absoluto da sociedade e a máxima alienação dos homens. Todo o resto é a cenoura do burro.
  • Ronaldo  08/09/2015 22:29
    Agora entendo o pau que tinha entre Bakunin e Marx.
  • Luiz Carlos  09/09/2015 02:01
    CONCLUSÃO: FORA PT! FORA DILMA! Cassação do PC do B!
  • Bruno Felipe Mazoni Gomes de Araújo   08/09/2015 14:37
    Nossa, ainda tem gente que defende esse tipo de regime, horrível...
  • Marcelo Serrano   08/09/2015 14:42
    Os fofinhos só querem justiça social...
  • Luiz Philipe   08/09/2015 14:38
    Eu não sei quase nada sobre a China e sua cultura antes da revolução. E muito pouco fala-se sobre ela, parece até que a revolução apagou ou tentou apagar a história da China.

    Alguém poderia me explicar isso?
  • Rennan Alves da Costa  08/09/2015 17:48
    Não havia grandes diferenças entre a antiga monarquia chinesa e o seu período republicano. Impostos altos, controle de produção, gastos militares, enfim, os monarcas da época exerciam grande controle sobre a economia.

    Talvez, considerando o meu pouco conhecimento sobre a china antiga, o período mais laissez faire comparado às outras dinastias seja a dinastia Song. Fácil acesso a rotas, terras férteis, constantes trocas com os demais povos, etc. garantiram um grande período de prosperidade comparado às outras dinastias.

    Contudo, cabe ressaltar que eles poderiam ser ainda mais prósperos se durante a dinastia Song o governo não gastasse excessivamente com o exército, além do monopólio sobre o chá, sal e produtos químicos para fabricação de pólvora.
  • cmr  08/09/2015 18:25
    O que eu sei é que o Mao Tsé "Tungador" mandou queimar todos os livros, assim como Hitler mandou fazer na Alemanha.

    Os esquerdistas detestam cultura, tentam a todo custo reescrever a história, apagar o passado para incutir idéias românticas sobre a esquerda.

    A cultura da China não se perdeu só por causa de:

    -Muitos chineses fugiram para Taiwan, a elite intelectual, levando seus livros.
    -O monges no Tibet possuíam e possuem grandes bibliotecas, e lá o Mao não chegou, pois tem lugares na China onde vivem esses monges, que para chegar lá, tem que passar por cada caminho vertiginoso, que desanimou as "otoridades" maoístas.
    -O Japão tem muitos livros sobre a cultura da China, acumulados desde os remotos tempos quando o imperador mandava japoneses estudar na China, e aprender um sistema de escrita. Estes japoneses levavam para o Japão cópias dos livros.

    Se não fosse isso, hoje toda a cultura milenar da China estaria totalmente perdida, Mao teria regredido a China a pré história(época em que a humanidade não tinha a escrita)

  • Típico Universitário  08/09/2015 15:26
    Não gostou de ser assado, coxinha? Pede um golpe militar. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Eu li todo o artigo e não fiquei chocado em momento algum. BANDIDO (não falo de ladrão - que é um construto social para prender pobres arbitrariamente. Falo de BANDIDO: aquele cuja ganância o torna um acumulador ao invés de um distribuidor ao estado) tem de ser tratado assim mesmo. E BANDIDAGEM é genética: infelizmente, os chineses são todos iguais e não puderam separar quem é opressor e quem é oprimido pela cor da pele, por isso a revolução fracassou - a igualdade dos traços físicos deve proceder a revolução e não precedê-la, assim como vemos na Coréia do Norte, em que toda a população é uniformemente mais baixa (vantajoso), detém membros mais magros (comparativo à obesidade imposta pelo capital internacional) e até mesmo o mesmíssimo corte de cabelo.

    Não gostou de ser massacrado por todo o mal que você faz, coxinha? Tá triste? Reza pra Hitler e Mussolini, então, enquanto seus templos ainda estão de pé. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    A revolução NUNCA vai morrer.
  • Edujatahy  08/09/2015 15:41
    Infelizmente não consegui rir desta vez Tipico Universitário. O assunto é mórbido demais para eu tratá-lo com humor...
  • cmr  08/09/2015 17:44
    Concordo.
    Enquanto existirem pessoas que possuem os intestinos dentro da caixa craniana, como esse e outros típicos universitários, idiotices como socialismo, comunismo, revolução popular, ditadura do proletariado, etc... Sempre estarão na moda.
  • anônimo  08/09/2015 15:58
    Lew Rockwell é sempre impecável.
    Mas off topic, não acho que seja papel do IMB competir com as universidades e querer bancar revistas científicas.
  • Porta-Voz  08/09/2015 16:25
    Ué, você é completamente livre para não consumir estes produtos. Você nunca foi, e nem nunca será, obrigado a adquiri-los. Não tenha nenhum temor quanto a isso. Pode ficar descansado.
  • anônimo  09/09/2015 09:59
    E onde foi que vc leu que eu disse que sou obrigado? O que eu disse é que acho uma pena o IMB fazer isso porque é desperdício de recursos.Revista pra quê? Revista é uma tralha pré histórica que dá trabalho pra ser editada, impressa, distribuída e ainda tem quatidade limitada...e não tem nenhuma informação que não possa ser dita num site.
  • Dissidente Brasileiro  08/09/2015 16:30
    Off-topic: enquanto isso, essa singela matéria do site UOL denucia o caráter de boa parte da população bananeira, ops, brazileira.

    Reparem que o vitimismo e oportunismo não se limita apenas as classes baixas, pois se faz presente também nas classes abastadas, que por definição deveriam ser mais esclarecidas e objetivas. Mas essa definitivamente não é a verdade, porque o "DNA de Gerson" que corre nas veias do baneneiro, ops, brazileiro sempre fala mais alto independente da classe social, raça, formação acadêmica, religião, etc.

    É como diz o ditado: "quem nasceu para ser tostão jamais chegará a ser milhão". Impressionante como os habitantes desse paíz seguem à risca essa determinação, chegando ao extremo de fazer dela sua filosofia de vida.

    noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2015/09/08/por-filho-americano-brasileiras-viajam-a-miami-para-dar-a-luz.htm
  • Lopes  08/09/2015 16:52
    Bebês de proveta. Os pais querem já garantir que ele terá escapatória do Brasil.
  • Jaspion  08/09/2015 17:41
    Ou você errou o link ou está sendo um chato de galochas. Não vi problema algum no comportamento das pessoas retratadas na reportagem. Além disso, podendo eu escolher a cidadania de meu filho, é claro que eu usaria meus recursos para garantir a ele a cidadania do melhor país do mundo. E os médicos que oferecem esse serviço são empreendedores que merecem nossos parabéns.
  • cmr  08/09/2015 18:01
    Todo país é um reflexo do seu povo, todo povo tem o governo que merece.
    A classe política nada mais é do que um reflexo cru da sociedade e dos valores desta.

    No caso do Brasil, o povo se diz indignado com a corrupção mas se estivesse oportunidade de estar no poder, estaria fazendo igual ou pior do que essa corja política atual. Isso não é indignação e sim inveja.

    Coitado dos europeus, pois estão sendo invadidos por gente cuja máscara irá cair um dia, fazendo os europeus entenderem porque muitos países são tão pobres.
    Se bem que eles estão tomados pelo esquerdismo, vitimismo, politicamente correto, retóricas de "dívidas históricas", etc... Logo merecerão sim o futuro que está por vir. (contradizendo o "coitado dos europeus")
  • Opinador  08/09/2015 19:52
    "Coitado dos europeus, pois estão sendo invadidos por gente cuja máscara irá cair um dia, fazendo os europeus entenderem porque muitos países são tão pobres.
    Se bem que eles estão tomados pelo esquerdismo, vitimismo, politicamente correto, retóricas de "dívidas históricas", etc... Logo merecerão sim o futuro que está por vir. (contradizendo o "coitado dos europeus")"

    Engraçado que Hitler falava a mesma coisa dos judeus.

    Mais engraçado é alguém contra a imigração em um site libertário.

    www.mises.org.br/EbookChapter.aspx?id=644

    www.libertarianismo.org/index.php/videos/imigrantes-comprometem-pais/

    Outra mais engraçado é falar de máscara, mascara do que ? é só fazer triagem.

    Não é pq alguém vem de um lugar que é todo mundo daquele lugar.

    A mesma coisa diria que todo brasileiro é comunista e socialista, adora ficar sambando do que trabalhar.

    Vc é brasileiro e acredito que nem por isso gosta só de samba, votou na Dilma e não gosta de trabalhar.

    Cada um que aparece...rs
  • cmr  08/09/2015 21:00
    Opinador;

    entendo a visão libertária sobre imigração mas tem muito problemas na maneira como as políticas migratórias estão sendo conduzidas, principalmente na Europa e aqui no Brasil, onde já estão dando até bolsas assistencialistas para estrangeiros. Quem será que está pagando por essa "generosidade" ?.

    Não dá para "abrir a porteira" enquanto houver estado, enquanto houver assistencialismo, vitimismo, oportunismo político, retóricas de dívidas históricas, etc... Pois o resultado será um desastre, e o povo nativo é quem pagará o preço de tal populismo.

    Ou seja, sobre migração eu sou contra e a favor ao mesmo tempo.
  • Palpiteiro  09/09/2015 13:33
    Mais engraçado é que o próprio Hitler era um imigrante.
  • Dissidente Brasileiro  08/09/2015 20:31
    cmr, muito obrigado pelo seu comentário. Você foi o único que entendeu onde eu quis chegar. Esses protestos que vemos por aí não passam de oportunismo barato, e estão acontecendo simplesmente porque acabou o almoço grátis (e porque brazileiro adora um motivo para fazer bagunça também).

    O brazileiro em geral não dá a mínima para a corrupção pois ele mesmo é corrupto por natureza. O esquerdismo socialóide prosperou bem nestas paragens justamente pela total falta de caráter da população aliada à sua inércia implícita, do mesmo modo que uma semente germina quando encontra condições favoráveis para tal.

    Lopes e Jaspion: minha crítica não foi à respeito deles irem embora do brazil, mas pelo cinismo e falta de vergonha de querer seu filho vivendo às custas do American taxpayer, ou vocês não leram a seguinte parte:

    "Aqui a educação é gratuita, enquanto no Brasil uma educação de qualidade consome grande parte da renda familiar", justifica.

    Essa é a mentalidade do povo bananeiro, e por conseguinte do latino-americano em geral. Eles querem TUDO nas mãos, são coitadinhos vitimados que não têm outra opção a não ser viver às custas do onipotente e benevolente (com o dinheiro dos outros, é claro) Estado. Não é essa a cultura dominante presente nesta terra, e em todo o subcontinente latino? Agora, se a mentalidade da sociedade americana fosse a mesma da brazileira, essas pessoas do artigo citado sequer teriam um EUA para onde emigrar... provavelmente eles seriam apenas as Treze Colônias Britânicas originais até os dias de hoje.
  • Fernando  08/09/2015 21:00
    Dissidente, o mais incrível é essa conversa cada vez mais frequente de que algo fornecido pelo governo é "gratuito".... o cabra paga impostos altíssimos em TUDO que compra, paga imposto em TUDO que recebe, e tem certeza que as porcarias que o governo fornece são "de graça"... Lamentável...
  • Gredson  09/09/2015 04:30
    "O brazileiro em geral não dá a mínima para a corrupção pois ele mesmo é corrupto por natureza."
    ---------------
    pois fale por você, porque eu não sou "corrupto por natureza."
  • Rosseau  09/09/2015 05:22
    Bem, se formos ver pela ótica teológica, somos todos corruptos por natureza, brasileiros ou não.
  • anônimo  09/09/2015 09:25
    Pode não ser corrupto mas é analfabeto.Qual parte do EM GERAL que vc não consegue entender?
  • Jaspion  09/09/2015 23:41
    Considerando a questão por esse ponto de vista, não há como discordar de você.
  • Adelson Paulo  08/09/2015 17:06
    O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) surgiu de uma dissidência do Partido Comunista Brasileiro (PCB) em 1962, defendendo o stalinismo contra os ataques revisionistas iniciados por Kruschev na União Soviética. Ainda na década de 1960, o PCdoB assume a linha maoísta, aliando-se ao Partido Comunista Chinês e adotando a guerrilha armada no campo, sendo um dos protagonistas da Guerrilha do Araguaia. Ao final doa anos 1970, o PCdoB adota a linha albanesa, defendendo o regime de Enver Hoxha na Albânia como exemplo do socialismo.
    O PCdoB sempre atou junto ao movimento estudantil, e domina há décadas a direção da União Nacional dos Estudantes.
    Com a democratização no Brasil, o PCdoB legaliza-se e elege deputados estaduais e federais. Torna-se um dos principais aliados dos governos federais do PT, inclusive ocupando ministérios, e elegendo em 2014 o governador do Maranhão.

  • Joao Girardi  08/09/2015 19:19
    É por isso que não podemos tratar os planos dos esquerdistas como meras alternativas dentro de um jogo político, não há como discutir moderadamente quando uma ideia envolve a sua morte, de sua família, amigos e de seus conterrâneos, apenas denúncia e, se isso falhar, lutar pela sobrevivência.
  • Silvio  09/09/2015 23:37
    Já bati nessa tecla e parece que muitos leitores do IMB não conseguem entender essa obviedade.
  • Davi Mota   08/09/2015 19:38
    Faltou colocar nessa conta os 500 milhões de abortos provocados pela política do filho único e por forças estatais.

    Foi e continua sendo o regime mais genocida de todos os tempos.
  • Gustavo  10/09/2015 15:59
    Verdade.
  • Joao Girardi  11/09/2015 19:01
    Eu fico pensando até que ponto a ausência de racionalidade e de possibilidade de cálculo econômico que o socialismo provoca deve ter afetado a China, imagina quantas pessoas na contagem de mortos não devem ter sido computadas.
  • Samir Melo   08/09/2015 19:39
    Eu sempre tive a curiosidade de saber se é apenas no Brasil que existe essa alienação seletiva da mídia quanto aos crimes e barbáries cometidos pelos comunistas no século passado ou se em outros países tb é assim.
  • Marcela Tavares   08/09/2015 19:40
    E mesmo assim, o The History Channel só fala em nazismo e fascismo o tempo inteiro. Tentam de toda maneira cegar a todos com essas informações a fim de que as demais, sobre outros países e formas de governo, sejam esquecidas na história.
  • Amarílio Adolfo da Silva de Souza  08/09/2015 19:46
    A esquerda mundial é o(a) maior assassino(a) da História. Pena que só lembram de Hitler. Mas, comparando-o com Stalin, ele foi um "santo". Capitalismo nelas!
  • Rodrigo Pereira Herrmann  08/09/2015 19:49
    O 'History Channel' deveria se chamar 'Advertising Channel'. porcaria total.
  • Pedro  08/09/2015 20:20
    Assutador.
  • Constatação  08/09/2015 20:51
    Quando era moleque, achei um livro na casa da minha falecida avó, que morava em sítio. Me interessou a história do Vôo da Fênix (convertida muito mal em filme, diga-se, porque o livro é incomparavelmente melhor).

    Mas o livro, na verdade, é uma coletânea de 4 histórias, e uma delas é a condensação de "Fugindo da China Vermelha". Testemunho pessoal de um chinês chamado Robert Loh, que foi enviado pelo pai aos EUA para completar os estudos, antes da Revolução Chinesa de 1949 e depois voltou para a China a convite de um ex-professor, para ajudar no que supostamente seria uma nova aurora para o país. Alguns meses depois de chegar lá, descobriu que tinha caído numa cilada.

    A riqueza de detalhes com que Loh descreve os oito anos que passou na China comunista é impressionante.

    O que resta dizer... as páginas já estão amarelas depois de 60 anos, mas o conteúdo confirma totalmente o que se descreve aí no artigo.
  • Adelson Paulo  08/09/2015 21:26
    Lembrei-me de um livro que me influenciou bastante em minha juventude: "Henfil na China", publicado no Brasil em 1978. Este livro foi um complemento ao livro do Fernando Moraes, "A Ilha", de 1976, que descreve as magníficas conquistas do socialismo em Cuba.
    Neste livro o jornalista Henfil (um dos ícones de nossa esquerda) descreve uma China próxima da perfeição, onde o socialismo permitia uma linda igualdade social, com ampla solidariedade entre os trabalhadores. Apenas vou transcrever um trecho de uma resenha do livro que encontrei na internet:
    www.recantodasletras.com.br/resenhasdelivros/211561. Desta resenha é possível inclusive concluir que a degradação do socialismo na China se inicia com a entrada da Coca Cola e MacDonalds. É mesmo uma pérola.

    Imagine um lugar onde as pessoas não têm roupa de sair. "Em casa ou na rua usam calças largas, camisas chinelos e bermudas. Com a mesma roupa vão para o trabalho ou para o cinema". Um país onde impera a ditadura do proletariado e não da moda. "E onde a linha é Mao e não Dior". Nas ruas um operário vestido de operário é mais respeitado que um soldado vestido de soldado.
    Não existe imposto de renda, carteira de identidade, impressões digitais e nenhum documento burocrático. Não tem polícia, serviço secreto, rádio patrulha e nem ivestigadores. Todos os gastos dos estudantes são pagos pelo Estado, e os jovens têm um único objetivo: se formar intelectualmente para servir ao povo.
    Nas casas, em vez de passarem horas em frente da TV, as famílias estudam obras de Marx, Lênin e Engels. E sabe quanto é a divída externa desse lugar? Nada. Não devem um centavo aos delinquentes do capital financeiro, país, banco ou o que for. Qualquer coisa que é produzida é para ser distribuída entre a população de 900 milhões de pessoas. Assim, ou 900 milhões têm ou ninguém tem.
    Dentro das fábricas os operários não trabalham só mecanicamente. Eles cursam universidade, têm ainda uma biblioteca, assistência médica, dentistas, oftalmologistas e algumas possuem até centro cirúrgico. "Não se nota um traço mais significativo de qualquer cultura estrangeira. E o que tiver, foi tão mastigado que perdeu a sua origem alienígena". Não se vê nenhuma casa, nenhum edifício melhor que o outro. Logo, todos moram igual. Nada de bairros chiques ou um prédio fumê. Tudo naquela simplicidade.
    Difícil de imaginar um lugar assim não é mesmo? Pois fiquem sabendo que ele já existiu. E quem constatou isso foi o cartunista, jornalista, escritor e humorista Henfil, que teve a oportunidade de visitar a China de Mao antes da invasão da Coca-Cola e do MacDonalds.
  • Constatacao  08/09/2015 21:57
    Compreensível. Se for basear opiniões no que os comunistas dizem e apresentam, e não no que eles fazem... é fácil cair nessa.
  • Tira casaco  08/09/2015 21:32
    E ainda tem filhos da PuTa que veneram essa porcaria:



    Não me diga que aprendemos alguma coisa com a história. Sequer conhecemos a história o suficiente para aprender algo com ela.
  • Investidor  09/09/2015 00:05
    Moralizando o setor público foi foda. rs
  • Henrique Zucatelli  08/09/2015 21:47
    Calma aí, vamos colocar os olhos em uma questão que ainda não estava muito esclarecida sobre a China aqui no IMB: o câmbio.

    Segundo o professor Huang, a moeda chinesa É DESVALORIZADA.

    Eu já li aqui um dos articulistas do IMB refutando essa tese.

    Quem está certo, tecnicamente?

  • Leandro  08/09/2015 22:03
    Na China, não há moeda desvalorizada. O iuane ora se valoriza perante o dólar; ora fica estável. Foi só nos últimos 6 meses que, pela primeira vez em 2 décadas, o iuane se desvalorizou um pouco em relação ao dólar. Mas da década de 1990 até meados de 2014, o iuane só se valorizou perante o dólar. Sempre.

    Pode conferir aqui:

    www.tradingeconomics.com/charts/china-currency.png?s=usdcny&d1=19960101&d2=20151231&type=line
  • Henrique Zucatelli  09/09/2015 13:23
    Bom dia Leandro.

    Depende do contexto e do período que você está analisando, certo?

    Vamos voltar um pouquinho mais no tempo... analisando o mesmo gráfico a partir de 1980, nota-se que a moeda foi se desvalorizando gradualmente, e em meados de 1994 houve uma desvalorização de mais de 30% da noite para o dia, chegando a uma currency de 9 para 1 (o que aconteceu nesse período?).

    www.tradingeconomics.com/embed/?s=usdcny&v=201509091401h&d1=19800915&d2=20150915&h=300&w=600

    A partir daí o yuan se valoriza ano após ano até chegarmos em 2015.

    Mas o que quero dizer é: se a teoria de que moeda desvalorizada repele investimentos de longo prazo, que moeda desvalorizada empobrece o parque industrial, então o fato da maioria das indústrias do mundo ter ido pra lá foi um erro estratégico deles?

    Ou câmbio desvalorizado (mão de obra e insumos internos baratos) MAIS uma política de livre comércio atrai capital estrangeiro?

    Não seria essa a fórmula mais adequada para um país pobre como o Brasil?
  • Leandro  09/09/2015 14:43
    "Depende do contexto e do período que você está analisando, certo?"

    Não.

    "Vamos voltar um pouquinho mais no tempo... analisando o mesmo gráfico a partir de 1980, nota-se que a moeda foi se desvalorizando gradualmente, e em meados de 1994 houve uma desvalorização de mais de 30% da noite para o dia, chegando a uma currency de 9 para 1 (o que aconteceu nesse período?)."

    Sim, esse foi o inevitável período de reajuste após 30 anos de comunismo puro e duro. Após esse período sanguinolento, a opção por um câmbio semi-flutuante obviamente fez com que o valor da moeda desabasse. O estranho seria se um país devastado pelo comunismo adotasse um câmbio semi-flutuante e sua moeda se valorizasse.

    "A partir daí o yuan se valoriza ano após ano até chegarmos em 2015."

    Correto.

    "Mas o que quero dizer é: se a teoria de que moeda desvalorizada repele investimentos de longo prazo, que moeda desvalorizada empobrece o parque industrial, então o fato da maioria das indústrias do mundo ter ido pra lá foi um erro estratégico deles?"

    Não confunda "moeda desvalorizada" com "moeda em desvalorização". São conceitos totalmente diferentes.

    Uma moeda pode estar desvalorizada, mas com um câmbio fixo. Tal arranjo é infinitamente melhor do que uma moeda em contínua desvalorização (como é o caso do Brasil atual).

    Uma moeda desvalorizada, mas com um câmbio fixo, gera muito mais certezas e seguranças aos investidores estrangeiros do que uma moeda que se desvaloriza continuamente.

    Com um câmbio fixo -- independentemente de a moeda estar valorizada ou desvalorizada --, o investidor estrangeiro sabe exatamente quanto a moeda do país estrangeiro no qual ele está investindo valerá no futuro em relação à moeda do seu país natal. Todas as expectativas ficam mais ancoradas. Não há risco de o cara perder todo o seu dinheiro em decorrência de desvalorização cambial (como ocorre hoje no Brasil, algo que foi explicado em detalhes neste artigo).

    Logo, não deveria ser espanto nenhum que, tão logo a China adotou o câmbio fixo (em meados da década de 1990), as empresas foram para lá (até então estavam em Taiwan).

    E, desde então, o fato de a China estar continuamente valorizando sua moeda foi um chamariz ainda maior para os investimentos estrangeiros.

    Óbvio: se o câmbio vale 10:1 quando você chegou com sua moeda estrangeira, então $1 seu comprava Y$ 10. Se, após alguns anos, o câmbio se aprecia para 5:1, então estes Y$ 10 agora valem $2.

    Ou seja: sem que você tenha feito absolutamente nada, seu investimento na moeda do país estrangeiro já deu retorno. Nesse cenário, qualquer lucro adicional que você auferir no país trará um estupendo retorno real na moeda do seu país natal.

    Daí fica fácil entender por que a China, com sua política de contínua valorização cambial, conseguiu atrair tanto investimento estrangeiro ao longo da década de 2000. Com um câmbio em contínua valorização, investidor estrangeiro ganha dinheiro no país até brincando. (Tanto é que defendi essa política para o Brasil neste podcast)
  • Henrique Zucatelli  09/09/2015 15:13
    Muito bom, muito bom.

    Agora realmente entendi o boom de investimentos na China.

    Obrigado Leandro, ajudou demais.
  • Investidor  08/09/2015 22:04
    Vcs deviam falar sobre o Estado Islâmico. Os caras estão barbarizando de forma pior que a gente vê nos filmes de terror mais pesados. Estão escravizando sexualmente em larga escala mulheres e crianças, matando seus filhos homens e maridos, matando pessoas de forma extremamente cruel como as pondo em gaiolas e afogando. Esses caras quebraram todos os tabus imagináveis. Passaram de todos os limites. Instalaram o reino do estupro, pedofilia e terror absoluto. É um estado de psicopatas grau máximo na escala da maldade daquele programa do discovery channel. Ted Bundy e Jeffrey Dahmer a essas horas estão se revirando de inveja em seus túmulos. Devem estar dizendo: essas caras do EI são muito mais maus que nós. Nos fizeram parecer crianças maldosas.

    Sou um "leigo estudioso" de psicopatas. É um tema que gosto mesmo. Queria agora que autoridades no assunto como a psiquiatra formada pela UFRJ, Ana Beatriz Silva, se pronunciasse.

    Fico pensando em que filmes eles, claro que isso é um execício meramente retórico, se inspiraram pra promover tanta barbárie... Dois fortes candidatos: Saló ou os 120 dias de Sodoma e Jogos Mortais.
  • Anônimo  08/09/2015 23:44
    Eles são maus. Maus até demais. Parece até ficção. Nunca fui de acreditar em teoria da conspiração, mas eles são os monstros perfeitos. Parece até que foram encomendados por gente que conhece muito bem como incomodar todo mundo no ocidente. Eles têm tudo para todos os gostos.

    Mesmo os imbecis que acham que a cultura de loucos que castra mulheres e arranca olhos dos inimigos não pode ser julgada se sentem incomodados porque os caras destroem cidades históricas. Nem mesmo o mais psicopata dos intelectuais consegue ignorar.

    Acho que eles foram encomendados. Ou é isso ou eles não são tão maus quanto a mídia diz. Não dá para acreditar que existe gente assim no mundo.
  • anônimo  09/09/2015 10:05
    E quem será que armou eles e desestabilizou os países daquelas bandas, preparando o terreno pra que eles chegassem no poder?
    https://www.lewrockwell.com/2015/09/ron-paul/why-the-refugee-crisis/
  • Rennan Alves da Costa  09/09/2015 12:27
    Tela azul nos necons.
  • Travis  09/09/2015 14:11
    Claro, eles praticam terrorismo no seu país e você deixa eles soltos como estão.

    Faz sentido, cuck.
  • Dissidente Brasileiro  09/09/2015 18:49
    É claro que eles foram encomendados. Foram treinados pelos melhores do mundo - o governo dos EUA, é lógico:

    www.wnd.com/2014/06/officials-u-s-trained-isis-at-secret-base-in-jordan/

    Ainda em 2013, você sabia que a CIA entregou armamento para os muçulmanos? Essas armas entraram ilegalmente na Síria com a ajuda direta do serviço secreto do governo dos EUA. O Departamento de Estado dos EUA enviou veículos e outros materiais militares, inclusive equipamento sofisticado de comunicações.

    Sabia que o neocon John McCain também tem sua parte nessa bagunça toda?

    shoebat.com/2014/08/02/isis-praises-john-mccain-helping-invade-iraq/

    E não podemos esquecer que a guerra no Iraque iniciada por Bush deu poderes para o EI cometer os massacres e violência que está fazendo hoje. Não é verdade, Obama?
  • anônimo  09/09/2015 21:38
    www.globalresearch.ca/israeli-military-admits-to-supporting-al-qaeda-and-isis-in-syria/5464484
  • Leonardo  10/09/2015 21:49
    O terrorismo islâmico começou MUITO TEMPO ANTES dos EUA atacarem o Oriente Médio. Mas só recentemente a mídia começou a dar a devida atenção para esse fenômeno.

    Aí então surgem belos intelectuais para colocar toda a culpa nas costas dos EUA, colocar os islâmicos como pobres oprimidos e tentar esquecer o que a União Soviética fez no Afeganistão, Argélia, Síria, Bangladesh, Paquistão, Líbia e Sudão antes dos EUA.

    Não é por acaso que a KGB e STB financiou e usou, durante a Guerra Fria, o terrorismo islâmico para desestabilizar os governos de países muçulmanos e assim conseguir colocar um líder socialista fantoche no governo de tais países.
    Tal estratégia somente começou a ficar visível (e ainda assim foi esquecida pelos intelectuais atuais) quando eclodiu a Guerra do Afeganistão na década de 80.

    Leia o livro "Disinformation: Former Spy Chief Reveals Secret Strategies for Undermining Freedom, Attacking Religion and Promoting Terrorism" do ex-agente secreto romeno de alto escalão Ion Mihai Pacepa denunciando e explicando porque a KGB e a STB financiavam e usavam o terrorismo islâmico não-socialista para conseguir implementar o socialismo em países muçulmanos.

    Tal tática não foi tão efetiva como os comunistas esperavam, mas funcionou na Argélia, Síria, Bangladesh, Paquistão, Líbia e Sudão. No Afeganistão funcionou apenas parcialmente, tanto que a URSS teve que invadi-lo por causa da resistência nacionalista dos Mujahidin.
  • anônimo  11/09/2015 09:50
    ' e tentar esquecer o que a União Soviética fez no Afeganistão, Argélia'

    Esse é um exemplo ou de analfabatismo funcional ou de desonestidade intelectual mesmo.Então agora toda vez que alguém apontar um crime da sua gangue favorita (o governo dos EUA) significa inocentar os crimes da URSS?
    É vc que quer mudar de assunto, mas por aqui isso não cola.Os EUA são uma força contra a liberdade SIM.
  • anônimo  11/09/2015 12:05
    "O terrorismo islâmico começou MUITO TEMPO ANTES dos EUA atacarem o Oriente Médio"

    O terrorismo islâmico começou devido ao surgimento de Israel.

    E o EUA tem muita culpa no cartório sim. Financiou israel, se intrometeu na política de vários países árabes, financiou grupos paramilitares. Ajudou a criar vários problemas que não existiam.

    Vai perguntar para alguém como era a relação com os árabes antes de israel. Era ótimo, os fundamentalistas não tinha vozes, as mulheres tinham mais liberdade, havia uma admiração explicita a cultura ocidental por parte dos muçulmanos.

    Depois das intromissões os jihadistas e os fundamentalistas ganharam ouvidos....
  • anônimo  13/09/2015 10:38
    Como a auto proclamada polícia da terra criou o ISIS:
    www.globalresearch.ca/unmasking-isis-how-was-it-able-to-gain-land-arms-and-money-so-quickly/5475667
  • Fernando  08/09/2015 23:46
    A situação na Venezuela está extemamente grave. As mulheres venezuelanas estão usando panos no lugar de absorventes. Eu gostaria muito que as comunistas brasileiras fizessem essa experiência. Coloquem um pano no lugar do absorvente e sinta a maravilhosa experiência do socialismo e da igualdade.
  • Investidor  09/09/2015 18:51
    Coloquem um pano no lugar do absorvente e sinta a maravilhosa experiência do socialismo e da igualdade.

    haha
  • Tiago silva  08/09/2015 23:55
    (off topic) Tenham cuidado para não carregarem sobre o nome do investidor,o Google lança um aviso de fraude.
  • Investidor  09/09/2015 00:39
    Não entendi. Como assim?
  • Investidor  09/09/2015 03:20
    Olha, eu só escrevi Investidor no meu nick. Não há fraude nenhuma.
  • Tiago silva  09/09/2015 00:34
    Desculpem a insistência,mas alguém sabem o que se passa quando se carrega no nome do investidor.
  • Thiago Teixeira  09/09/2015 01:12
    O PC do B tem explícita inspiração Maoísta. Lamentável.
    .
    Linkei esse artigo no meu facebook, transcrevi o trecho do canibalismo, de trocar crianças para levar ao prato... Para chocar mesmo os comunistinhas idiotas úteis.
  • Gabriel  09/09/2015 03:10
    Eu não entendo como um ser humano pode ser uma mente tão distorcida como esses comunistas malucos, e o pior é que uma denominada "elite intelectual" defende esse tipo de aberração.

    Com todo o respeito, mas eu queria que todos os socialistas/comunistas/marxistas/esquerdistas tivessem o mesmo fim que as pessoas que foram contra esses regimes tiveram. É incrível como doentes metidos a intelectuais que usam apenas de uma velha retórica e vivem do estimulo à luta entre as pessoas conseguem ser levadas a sério ainda nos dias atuais.
  • Giancarlo  09/09/2015 13:55
    Lew é foda!

    Contribuindo para que todas essas mortes não tenham sido em vão.

    Valeu IMB!

  • Andre lambert  09/09/2015 14:15
    Lamentável. Ótimo texto.
  • Jarzembowski  09/09/2015 16:15
    Tem meia dúzia de tapados aqui que precisam resolver seus desejos sexuais reprimidos com o Olavo de Carvalho.
    Você fala de fatos fartamente documentados, cita dezenas de fontes distintas, inclusive fontes diretas e documentos oficiais, dezenas de pensadores diferentes tratando daquele tema sem mencionar o nome do Olavo uma única vez e a reação do sujeito se resume a um relincho "isso é teoria da conspiração do Olavo de Carvalho".

  • anônimo  09/09/2015 16:57
    'Tem meia dúzia de tapados aqui que precisam resolver seus desejos sexuais reprimidos com o Olavo de Carvalho.'
    Começando pelos olavetes que idolatram tudo quanto é merda que o mestre deles fala.
    Aqui pra vc:
    https://www.youtube.com/watch?v=U0mXFAWw6KE
  • anônimo  11/09/2015 12:25
    Então não levar a sério o idiota que fala uma merda dessas:
    'O libertarianismo é a caricatura do liberalismo clássico, levando-o às suas últimas conseqüências, contra todo senso comum, até torná-lo ridículo ou mesmo odioso, além de suprimir dele todo o fundamento moral cristão. De passagem, apóia, sob alegações capitalistas deduzidas de uma noção hipertrófica de "propriedade", vários itens do programa cultural da esquerda, de modo que serve ao comunismo por três vias: tornando o capitalismo motivo de escândalo, desconsagrando a sociedade capitalista e por fim reforçando as propostas da esquerda com uma argumentação paradoxal.
    ...significa ter desejo sexual por ele? Leve sua projeção pra outro lugar, olavete.
  • Jarzembowski  11/09/2015 18:31
    Vamos tentar traduzir pro Neanderthal:

    Você fala de fatos fartamente documentados, cita dezenas de fontes distintas, inclusive fontes diretas e documentos oficiais, dezenas de pensadores diferentes tratando daquele tema SEM MENCIONAR O NOME DO OLAVO UMA ÚNICA VEZ...
    Não disse que eram tapados? Trazer o nome do Olavo para qualquer discussão sobre qualquer tema que ele tenha eventualmente abordado, mesmo que os argumentos não pertençam a ele e sejam oriundos das mais variadas fontes não é monomania? Não é uma paranoia com a figura dele, possivelmente motivada por desejos sexuais reprimidos?
    Agora tudo que por ventura o Olavo tiver dito alguma vez, mesmo que tenha sido dito muito antes por outros pensadores está automaticamente errado só porque ele disse?
    Ou qualquer coisa que ele tenha concordado está sumariamente errada pelo fato de ele ter dito várias besteiras sobre outros temas?
    O sujeito berra "olavate" pra tudo que o desagrada - com o mesmo automatismo semi-animalesco que o esquerdista fala "coxinha", e ainda se acha um primor de preparo intelectual.
    Se você acha que ao dizer que determinadas coisas são fatos e não deixam de sê-lo porque o Olavo de Carvalho concorda significa que eu sou olavate é porque "tapado" é um adjetivo muito condescendente - doente mental é mais apropriado.


  • Leonardo  11/09/2015 19:48
    Em muitas coisas o Olavo possui razão.
    Por exemplo, sobre a KGB usar o terrorismo islâmico não-socialista para desestabilizar governos e assim conseguir instaurar regimes socialistas pelo Oriente Médio durante a Guerra Fria, sobre os objetivos declarados do Foro de São Paulo em fazer da América do Sul uma união de repúblicas socialistas, sobre investidores bilionários serem os principais financiadores dos movimentos socialistas pelo Mundo e sobre que a queda da URSS e a parcial abertura da Rússia para o capitalismo ser apenas uma estratégia comunista denunciada em 1984 pelo ex-agente secreto soviético Anatoliy Golitsyn.

    Mas alguns imbecis daqui não conseguem admitir. Para eles, ou uma pessoa está 100% certa ou está 100% errada. Se é conserva, está automaticamente errado e tudo o que diz é automaticamente bobagem.
    Posso não concordar com a ideia principal da pessoa, mas é uma questão de honestidade em admitir quando ela está correta.

    Antes que me acusem de algo, eu sou anarcap. Mas sou honesto em admitir com um conserva quando ele que é a responsável por popularizar uma ideia que está certa e ninguém mais fala-se nisso.
  • anônimo  11/09/2015 22:44
    'Antes que me acusem de algo, eu sou anarcap. '

    Não, vc não é.Vc é um mentiroso que defende o financiamento forçado dos contribuíntes de OUTROS países para Israel. Por enquanto está apenas tentando agradar o público aqui, mas não vai chegar muito longe nessa história.
  • anônimo  11/09/2015 17:25
    Olavo de Carvalho é a figura perfeita para a esquerda bater na direita.

    Sim, ele escreve bem, tem alguns bons argumentos, mas p*** q pariu o cara fala um monte de m**** .

    O cara já falou que a pepsi usa fetos humanos em adoçantes, já questionou Newton e Einstein por razões imbecis, já afirmou que a terra não gira em torno do sol, já falou que Che guevara lutou em Angola, que não existe combustível fóssil e etc..
  • Crispa  09/09/2015 16:41
    Já é hora de abrir os olhos......; essa turma vermelha que hoje ocupa o poder usa a mesma cartilha.
  • M.S. Batista  09/09/2015 17:39
    Leandro,

    Há algum artigo no mises.org.br que trata acerca dessa entrada em massa de imigrantes na Europa observada nos últimos meses?

    Obrigado pela atenção!!
  • Leandro  09/09/2015 18:30
    Amanhã.
  • M.S. Batista  10/09/2015 13:09
    Leandro,

    Algum artigo a respeito da perda do grau de investimento do Brasil pela S & P?
  • Dissidente Brasileiro  11/09/2015 02:48
    Enquanto todo mundo se aperta para superar a crise financeira provocada por esses esquerdistas desgraçados, os vagabundos estatais arranjam mais uma iniqüidade para testar nossa paciência:

    www.folhapolitica.org/2015/09/em-ano-de-ajuste-fiscal-senadores.html

    Ah, que falta faz um 11 de Setembro naquelas duas torres de Brasília, não é mesmo?
  • Leonardo  11/09/2015 19:49
    """Então agora toda vez que alguém apontar um crime da sua gangue favorita (o governo dos EUA) significa inocentar os crimes da URSS?"""

    Sim, é uma omissão de fatos. Pois os EUA não foi o primeiro a fazer isso e também não atacou os árabes sem nenhum motivo.

    É o mesmo caso de mostrar uma pessoa morta, condenar quem fez isso e não explicar o fato de que foi morta em uma tentativa dela realizar um homicídio.
  • anônimo  11/09/2015 22:36
    Cara, lógica com certeza não é seu ponto forte.
    Falar que um bandido foi morto numa tentativa de assalto não tem nada a ver com ACHAR que vc inocenta a gangue A falando de outros crimes da gangue B.Não importa o que a outra gangue fez, isso aqui também é crime.
    Falar que os EUA hoje são uma força contra a liberdade, que é a mais pura verdade, não absolve nem condena a URSS em nada. É como falar 'o toninho beira mar mandou matar não sei quem, logo, al capone é inocente'. Nonsense.
  • Leonardo  12/09/2015 01:14
    Só citar os crimes dos EUA e não citar os crimes da URSS para promover o terrorismo islâmico para as causas socialistas no Afeganistão, Argélia, Síria, Bangladesh, Paquistão, Líbia e Sudão continua sendo omissão de fatos.

    Quem começou a atacar os EUA foram os islâmicos e não o contrário.
  • anônimo  13/09/2015 10:48
    'Quem começou a atacar os EUA foram os islâmicos e não o contrário.'
    Oh please...todo mundo sabe que os EUA são aliados de Israel em tudo.Toda vez que o estado de Israel é condenado na ONU por crimes de guerra, por prender crianças, usar fósforo branco contra civis, etc, a votação dos países membros (países ricos e civilizados diga-se de passagem e não países como cuba ou venezuela)seria unânime se não fosse pelo voto de um país:os EUA.
    A desculpa olavete pra isso é que a ONU é a instituição comunista globalista comprometida com a criação do governo único mundial...besteira demais.
  • Leonardo  11/09/2015 21:31
    ""O terrorismo islâmico começou devido ao surgimento de Israel.""

    Não. O terrorismo islâmico AUMENTOU por causa de Israel. E isso é sem nenhuma contestação. Se islâmicos não admitem que judeus tenham seu próprio território próximo à eles, já é outra história.

    Islâmicos fazem atentados terroristas porque o Alcorão promete 72 virgens para o fiel que se matar para espalhar a fé por Alá.
    Não foi à toa que Hitler apoiava os islâmicos. Ele fazia isso porque a motivação religiosa para o terrorismo era extremamente forte e ele desejava usar isso para a causa nazista. Já na década de 30 existia terrorismo islâmico. E comunistas copiaram a mesma estratégia 10 anos depois.

    ""E o EUA tem muita culpa no cartório sim.""

    Com toda certeza. Mas pelo que me lembre, quem atacou os EUA no 11 de Setembro foram os islâmicos.

    ""Financiou Israel""

    Israel possui todo o direito de existir e de se defender.
    E os EUA não são o único país que ajuda financeiramente Israel. Todos os países da OTAN fazem o mesmo.

    ""se intrometeu na política de vários países árabes""

    Sim. Igual a União Soviética fez. Mas por sido uma ditadura fechada, tal fato só começou a ficar evidente depois de invadirem o Afeganistão e ainda hoje nenhum formador de opinião ou jornalista fala isso.
    E isso foi finalmente admitido por Ion Mihai Pacepa, um ex-agente secreto romeno que desertou para o Ocidente.

    Devo também lembrar que a Rússia e a China AINDA HOJE são as principais fornecedoras de fuzis AK-47 para os terroristas do Estado Islâmico, mas nenhum formador de opinião ou jornalista bate nessa tecla, só os EUA recebem a devida atenção. E nosso camarada acima também não citou isso.

    ""Ajudou a criar vários problemas que não existiam.""

    Quem criou todos os problemas originalmente foram os próprios islâmicos. É só eles pararem de praticar terrorismo contra civis que os problemas deles com as nações europeias civilizadas e os EUA começam a desaparecer.

    https://www.youtube.com/watch?v=QkgRVggM-XE

    Os árabes Sempre apedrejaram e espancaram mulheres e mataram cristãos no Oriente Médio. Isso faz parte da tradição de países islâmicos do Oriente Médio. Isso está escrito para ser seguido no Alcorão.
    "E quando vos enfrentardes com os incrédulos, (em batalha), golpeai-lhes os pescoços, até que os tenhais dominado, e tomai (os sobreviventes) como prisioneiros." - Alcorão 47:4

    "Matai-os onde quer se os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. ... E combatei-os até terminar a perseguição e prevalecer a religião de Deus. Porém, se desistirem, não haverá mais hostilidades, senão contra os iníquos." - Alcorão 2:191,193

    "Também vos está vedado desposar as mulheres casadas, salvo as que tendes à mão. Tal é a lei que Deus vos impõe." - Alcorão 2:24

    Apenas recentemente que as mulheres árabes começaram a possuir alguma voz e alguma cidadania em países árabes. E isso se deve justamente por causa da recente ocidentalização de tais países.
  • anônimo  11/09/2015 22:31
    'Se islâmicos não admitem que judeus tenham seu próprio território próximo à eles, já é outra história.'
    Se Israel invade e cria ocupações que são condenadas pela ONU e pelo mundo inteiro, menos por Israel e pelos EUA, e nego convenientemente omite isso pra dar a entender que o motivo real é algum tipo de ódio gratuito e irracional dos islâmicos, aí sim é outra história.
    https://www.youtube.com/watch?v=XIJh-y7cWnw
  • Leonardo  12/09/2015 01:19
    Os terroristas islâmicos usam civis palestinos como escudos humanos. Principalmente em escolas e hospitais.

    https://www.youtube.com/watch?v=PWlF7Wm8FMw

    É só procurar no YouTube que há vários vídeos mostrando imagens sobre isso.
  • anônimo  12/09/2015 15:14
    'Os terroristas islâmicos usam civis palestinos como escudos humanos. Principalmente em escolas e hospitais.'

    E de onde é que vc tira que isso te dá o direito de matar esses 'escudos humanos'?
  • Hector Bonilla  24/10/2015 01:27
    Islã é totalitário por natureza. Tão mortífero quanto nazismo e comunismo.

    https://www.youtube.com/watch?v=nvXaTmkO7pE
  • anônimo  11/09/2015 22:41
    'Israel possui todo o direito de existir e de se defender.
    E os EUA não são o único país que ajuda financeiramente Israel. Todos os países da OTAN fazem o mesmo.'


    Nossa que lindo, então um erro justifica outro.Não basta o taxpayer americano ser forçado a 'contribuir' com a segurança desse pessoal, por causa disso os taxpayers de outros países também tem que ser forçados à mesma coisa.
  • anônimo  11/09/2015 22:49
    '""O terrorismo islâmico começou devido ao surgimento de Israel.""

    Não. O terrorismo islâmico AUMENTOU por causa de Israel. '


    cough *mentira* cough
    https://www.youtube.com/watch?v=MCdLVKcM6aA
  • Hector Bonilla  24/10/2015 01:19
    """USP"""
    Mas que ótima fonte. USP é um centro de doutrinação socialista. TODAS as pautas que esquerdistas apoiam são defendidas com unhas e dentes pelos intelectuais uspianos.

    E o que o camarada acima falou é a mais pura verdade. A religião islâmica sempre teve a imagem de ser religião de terroristas. E olhe só, até Hitler adorava essa característica típica dos islâmicos.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Relations_between_Nazi_Germany_and_the_Arab_world
  • Anonimo  24/10/2015 09:25
    Então explique aí por que é que a comunidade islâmica existe no Brasil há tanto tempo sem cometer os crimes que vc diz que eles teríam que cometer. No Brasil e nos países que não ficam se metendo na vida dos outros

    https://www.lewrockwell.com/2012/01/fernando-chiocca/next-al-qaeda-target-rio-de-janeiro-brazil/
  • Davi  05/12/2016 05:15
    E as revoltas antissemitas de 1920? E as revoltas antissemitas de 1921? as quais prejudicaram negócios dos judeus? E os dois massacres de 1929? e as revoltas de 1936 a 1939? todas elas contra a presença dos judeus na região seu canalha. Eram mufts que motivavam e faziam esses ataques. E os 600 judeus decapitados e mortos por Maomé? A e o massacre de cristãos armênios em 1915? Deixa de ser canalha seu fascista. A e 20% da população israelense é árabe e outra inclusive existe árabe no parlamento israelense.
  • Luiz  23/10/2015 19:42
    Lendo isso fico curioso em saber como os chineses de hoje em dia se sentem em relação a tudo isso. Seus pais passaram por toda essa desgraça e o governo autoritário de esquerda continua lá. Deve existir um medo de que tudo possa voltar, já que basta que o partido eleja um novo Mao e lhe de poderes supremos.

    E como será que eles aprendem sobre esse período da história do país na escola?Será que Mao ainda é endeusado? E se sim, significa que existe possibilidade de o povo apoiar uma nova experiência socialista?
  • cmr  23/10/2015 20:42
    Eu não tenho a mínima idéia do que passa pela cabeça daquele povo, não conheço a China nem nunca estive lá, mas a figura do Mao Tsé Tung está por toda parte, inclusive nas notas.

    O partido eleger um novo Mao e dando poderes absolutos eu acho difícil, pelo menos essa e algumas gerações futuras, pois gato escaldado tem medo de água fria.

    Mao está blindado na China, pelo menos para as massas, não atribuem nem a ele nem ao socialismo a miséria que a China passou. Digo isso pois perdi uma amiga chinesa mês passado, só porque falei mal do Mao Tsé Tung e afirmei que a China não é mais comunista. Minha professora de mandarim, que é uma chinesa só que bem mais instruída que essa minha agora ex amiga, disse que se eu falar mal do Mao Tsé Tung para os pais dela, eles são capazes de me agredir fisicamente inclusive. Se eu quiser arrumar encrenca da pesada na China, é só falar umas verdades sobre quem foi o Mao Tsé Tung.

    Falar mal do Mao é ser inimigo da China, inimigo do povo chinês, e por isso será tratado como tal.

    Os chineses que já acordaram dessa idolatria maoísta, ficam quietos temendo represálias do estado e do resto da população inclusive. O estado chinês afirma categoricamente que a China é comunista até hoje, comunista de mercado, risível isso.

    Minha professora de mandarim diz sentir saudades da China, da família que ela deixou lá; reclama da falta de educação, respeito e disciplina do povo brasileiro, mas pretende nunca mais morar na China. Não é em todos os lugares do mundo que você pode xingar, vaiar um político e ficar por isso mesmo. (Grande legado do império romano, quem tem boca vaia Roma)
  • Pobre Paulista  23/10/2015 21:59
    "a figura do Mao Tsé Tung está por toda parte, inclusive nas notas"

    Por aqui temos a imagem da república, como isso não fosse uma imposição do governo e que 100% dos Brasileiros concordassem com esse sistema.
  • André  13/12/2015 12:30
    Longa vida ao maoísmo, terceira fase do marxismo! Que seja aplicado no Brasil o mais breve possível! Esse texto é uma uma sucessão de mentiras do começo ao fim.
  • Dam Herzog  15/02/2016 22:39
    Não deixem de ler este artigo, nos que estamos lutando para sair do socialismo. É do arquivo do Mises Brasil.www.mises.org.br/Article.aspx?id=94
  • Mairus   03/05/2016 16:49
    O povo chinês continua ainda hoje sofrendo o terror vermelho sobre o controle do Partido Comunista Chinês. Milhares continuam sendo assassinados, as liberdades de pensamento, expressão e crenças, continuam sendo negadas. A forma do espectro comunista muda de forma mas sua natureza é a mesma. A pratica de cultivação e meditação Falun Dafa foi proibida em 1999, 100 milhões de praticantes sofrem hoje repressão coforme narrada acima. São mortos e seus órgãos vendidos no mercado negro. Saibam mais em https://www.epochtimes.com.br/trafico-de-orgaos-um-novo-crime-do-seculo-21/


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.