Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

Por que eu não voto

Muitas pessoas já me perguntaram por que eu nunca voto.  Eis os motivos:

1) Votar é o sacramento da religião civil.  Politicamente, eu sou ateu.

2) Não votar é uma atitude que incomoda e aborrece o regime.  Tal abstinência — assim como a não observância de várias outras normas políticas — enfraquece os políticos.  E se eles fizessem uma eleição e nenhum eleitor comparecesse?

3) É um pé no saco.

4) Seu voto não conta — a menos que a eleição seja decidida por um voto.  Há muito mais chances de você ser morto a caminho das urnas do que de isso acontecer.

5) Os candidatos estão sedentos para comandar nossas vidas.  Entre eles, não existe um mal menor.

6) A política não é nossa salvação.  Com efeito, todo o sistema é corrupto, do mais alto escalão federal até o legislativo municipal.


0 votos

SOBRE O AUTOR

Lew Rockwell
é o chairman e CEO do Ludwig von Mises Institute, em Auburn, Alabama, editor do website LewRockwell.com, e autor dos livros Speaking of Liberty e The Left, the Right, and the State.





ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Maurício  23/10/2010 14:01
    Apesar de concordar com o Lew, acho um pouco contraditório ele falar isso e ao mesmo tempo dizer em PoA que o Ron Paul é uma prova que dá pra fazer política sem se corromper (por favor me corrijam se minha memória está me traindo).

    Não acredito que os libertários nos EUA saem de suas casas para votar no Ron Paul com estas premissas na cabeça, principalmente a última. Sei que vão dizer que o RP não disputa a eleição para ganhar, e sim para divulgar a mensagem libertária, o que não descredencia o "sacramento". A mesma coisa vale para os daqui quando apostam no Ricardo Salles e querem abrir um partido político...

    Abracos



  • mcmoraes  31/10/2010 20:55
    Mauricio disse: Apesar de concordar com o Lew, acho um pouco contraditório ele falar isso e ao mesmo tempo dizer em PoA que o Ron Paul é uma prova que dá pra fazer política sem se corromper (por favor me corrijam se minha memória está me traindo).

    Não lembro exatamente o q o LR disse em PoA, mas o q ele disse em seu livro é que o Ron Paul não é uma prova d q dá prá fazer política sem se corromper, mas sim uma exceção à regra.

    Despite what you hear, the political class is not interested in ideas for their own sake. They are interested in subsidizing their friends, protecting their territory, and getting reelected. Political ideology for them is, at best, a hobby. It is only useful insofar as it provides a cover for what they would do otherwise. I'm generalizing here, and yes, exceptions are possible. In fact, I can think of one in our century: Ron Paul. (Speaking of Liberty, page 382)
  • Carlos Santos  23/10/2010 17:46
    Infelizmente aqui no Brasil, deferentemente do que nos EUA, não temos escolha: somos obrigados a votar, nem que seja para votar em branco ou em nulo.

    "...a gente vive numa democracia, você a liberdade de escolha, você pode escolher em quem votar, você só não pode escolher não votar: você é obrigado a votar. Todo mundo sabe que é uma merda votar, senão não obrigavam você. E o Brasil é tão incompetente, que não consegue nem punir quem descumpre essa lei de votar, sabe qual é a punição para quem descumpre essa lei de votar? Uma multa de R$ 3,51. É dinheiro de pinga! -- Ah, então é por isso que o governo quer... -- Na boa, nem deviam cobrar isso porque a punição mesmo não é o dinheiro, é você ir no Banco de Brasil pegar aquela fila. Deveriam falar que não tem que pagar nada, só ir no Banco do Brasil e pegar fila, quando chegasse a sua vez a caixa falava: 'Aprendeu?'".
    - Danilo Gentili em 'Politicamente Incorreto'.

    Então aqui no Brasil, já que temos que pegar fila no Cartório Eleitoral pra justificar a falta e depois pegar mais fila no banco para fazer o pagamento da multa, melhor pegar uma fila logo pra votar em branco, enquanto não aparece nenhum político que prometa acabar com o voto obrigatório.

  • Luciano  23/10/2010 21:16
    Ridículo, apesar da maturidade e competência nos artigos sobre economia, Lew parece uma criança birrenta ao ignorar a política. Qual caminho ele propõe para melhorar ? Educação ? Esta também só surtirá efeito se influenciar no voto. Uma revolução ?
    Não há a opção "não quero brincar de política", ignorar o ar não nos torna independentes de sua existência.
    Faça-me o favor senhor Rockwell ... cresça !!!
  • mcmoraes  24/10/2010 11:51
    @Luciano: ...Qual caminho ele propõe para melhorar ? Educação ?...

    Sim, exatamente isso! Obrigado, Lew!
  • Luciano  25/10/2010 00:07
    Caro mcmoraes, foi bem conveniente omitir em seu comentário minha conclusão de que a educação só surtirá efeito através do voto. De que adiantaria a maioria dos brasileiros ter doutorado se todos eles se omitirem de votar no menos pior disponível ? Mudaria algo ? Nada !
  • mcmoraes  25/10/2010 11:52
    Para chegar à sua conclusão, é preciso assumir como verdadeira a seguinte premissa:

    - pessoas educadas dão suporte à democracia e obrigatoriamente participam do processo eletivo, votando e/ou se candidatando.

    Porém, na minha humilde opinião, tal premissa é falsa. Educação distingue-se de doutrinação. Educação surge da liberdade e esta leva a um futuro imprevisível. Como vc pode garantir q a democracia continuará existindo numa sociedade de pessoas educadas? Como prever as consequências das soluções inovadoras q surgem em uma sociedade livre? Existe alguma forma de afirmar com 100% de segurança q idéias q parecem impraticáveis hj, como a do sr. Friedman, por exemplo, continuem sendo impraticáveis para sempre? Compartilhe seus conhecimentos, por favor. Se vc não conseguir defender a sua premissa, pelo menos retire o q vc disse a respeito do LR. Grato
  • Luciano  26/10/2010 01:13
    Claro, vamos rezar por "um futuro imprevisível" e para que um dia, magicamente, ninguém vote e isto de alguma forma ainda mais mágica melhore o país para melhor.

    Estes que defendem o não voto são fanáticos, acham que o mundo se delimita onde termina o alcance de suas ideologias.

    Continuem como espectadores do combate a liberdade de imprensa e do aparelhamento e inchamento do Estado.

    Enquanto vocês ficam com birra do voto, não temos nenhum político de visibilidade que defenda as privatizações, quanto mais um partido. No entanto, há muitas pessoas capazes de defender o que é correto mas ficam nas sombras e não tem representantes que divulguem essas idéias.
  • Fernando Chiocca  26/10/2010 01:47
    Fiquei curioso Luciano.
    O que você vai fazer com o seu votinho para combater o combate a liberdade de imprensa e do aparelhamento e inchamento do Estado? Poderia revelar, e assim até orientar os outros?
  • Luciano  26/10/2010 08:27
    O que eu vou fazer, e já fiz no primeiro turno, é votar em candidatos e partidos que são menos danosos a liberdade de imprensa e ao Estado. Dessa forma, contribuimos para que se adie uma ditadura no país e prolongamos a possibilidade de pessoas com idéias liberais de divulgá-las, aumentando o número de pessoas conscientes que possam VOTAR em candidatos cada vez mais comprometidos com o que é melhor para o país, ou seja, mais liberdade. Quanto mais pessoas fizerem isto melhor.
    Entendeu ou quer que eu desenhe ?
    Enquanto eu tento divulgar a importância do voto e estimular um processo de melhoria(lento como todo processo não revolucionário) na sociedade, alguns idiotas fazem o contrário, divulgam a idéia imatura de que não votar irá magicamente transformar a sociedade de alguma forma imprevisível ou inevitável(o comunismo foi por aí).
    Votar PODE até não mudar nada mas NÃO votar COM CERTEZA não mudará.
    Todo fanatismo é utópico, vá se tratar !
  • Nilo BP  26/10/2010 10:28
    Sinceramente, se você acha que votar no "menos pior" é o melhor que você pode fazer, tudo bem. Mas eu esperaria das pessoas que freqüentam este site que focassem na dimensão das idéias, na qual ainda há muito caminho para andar antes que qualquer esforço prático seja significativo e duradouro. Um ressonante NENHUM DE VOCÊS PRESTA seria muito mais benéfico que um Serra que passasse raspando.
  • Fernando Chiocca  26/10/2010 11:07
    Luciano, ainda não entendi. Mas não precisa desenhar, pode simplesmente responder minha pergunta, coisa que você não fez. Quais partidos que são menos danosos a liberdade de imprensa e ao Estado? Vai votar em quem? E o que seu único voto vai adiantar mesmo?
  • Luciano  27/10/2010 09:03
    Pois é, eu respondo e a primeira coisa que dizem é que não respondi, fantástico, desonestidade pura. Ninguém, no entanto, sequer esboçou uma resposta que nos esclareça como não votar tem aguma chance de ser melhor do que votar.
    O argumento do "único voto que vai adiantar" realmente é de uma infantilidade gritante.
    Sobre os partidos menos danosos, só alguém completamente alienado da política nacional pode ignorar as ações recentes do PT em favor do controle da mídia e do aparelhamento de Estado e que isto está intimamente ligado a ideologia socialista mais radical. Deixem a máfia no poder se preferem assim.
    Alguém já ouviu falar em Venezuela ? Será que é indiferente termos alguém como Hugo Chávez ou alguém como FHC por exemplo ?
    O socialismo não traz apenas atraso econômico, traz violência como consequência(vide Venezuela), pessoas morrem pela omissão de outras. Se você é indiferente a vida das pessoas, não desperdice sua meia horinha no domingo para ir votar, seu tempo deve ser muito mais importante. Use esse tempo para imaginar um mundo melhor e se contente com seu ego superior.

    Gente imatura é dose !
  • Nilo BP  27/10/2010 12:17
    "Gente imatura é dose !"

    Hahahahaha! Essa foi a ironia do dia...
  • Renê Marcel Oechsler  27/10/2010 21:33
    Luciano

    Penso como você. Escolher o menos pior é racional, no momento, o "melhorzinho", é o Serra, sem sombra de dúvida. Já li aqui, que deveríamos rir de autoridades públicas e políticos em geral, mas acho que eles jamais se importarão com o nosso desprezo.
    Não votar, só piora. Qual a solução? Esperar mil anos para que todos os brasileiros entendam os benefícios do libertarianismo?
  • Guilherme Calspiatti  27/10/2010 23:49
    Imaturo e incrivelmente ingênuo é acreditar que seu voto mudará o status quo e trará algum progresso, transformações não vêm através do voto, embora soe muito bonito, romantismo democrático apenas colabora com aqueles que dizem estarem a combater.\r
    \r
    Porque os senhores, defensores do voto como instrumento sagrado para o avanço democrático, não se lançam candidatos? Porque não se elegeriam é a resposta. Não há espaço para aqueles que são contrários as mamatas estatais, os eleitores votam naqueles que mais benefícios os ofertarem e os políticos se utilizam da arte da política, arte de comprar o maior número de votos ao menor preço possível, para alcançarem o poder.\r
  • Fernando Chiocca  30/10/2010 15:58
    Luciano

    Ninguém, no entanto, sequer esboçou uma resposta que nos esclareça como não votar tem aguma chance de ser melhor do que votar.

    Chodorov esboçou: If We Quit Voting

    O argumento do "único voto que vai adiantar" realmente é de uma infantilidade gritante.

    Eu diria que é de uma realidade gritante...

    Sobre os partidos menos danosos, só alguém completamente alienado da política nacional pode ignorar as ações recentes do PT em favor do controle da mídia

    Engraçado você acusar uma pessoa de alienação quando se é totalmente alienado quanto você demonstrou ser.
    A mídia já é controlada pelo estado através das concessões. O único ambiente que é ainda é relativamente livre é a internet e é exatamente um senador do PSDB que está fazendo de tudo para impor as nefastas garras do estado sobre ela.

    e do aparelhamento de Estado e que isto está intimamente ligado a ideologia socialista mais radical.

    O socialista mais radiacal é o José Serra, que prometeu DOBRAR a política socialista do bolsa família, criado, aliás, pelo PSDB.

    Deixem a máfia no poder se preferem assim.

    Nós somos praticamente os únicos que lutamos para tirar a máfia do poder. Estado é uma máfia. Você quer apenas trocar o mafioso que vai explorar e agredir a todos...
  • sensato  28/09/2013 17:08
    pode me dizer como você faria para tirar o estado do poder? eu tb não voto... tenho 24 anos e nunca votei, mas do que adianta eu nao votar e os outros votarem?
  • Carlos Lima  29/09/2013 06:42
    Você quer saber por que não votar? É simples: não se deve votar em ladrões. Não se deve votar em pessoas que participarão de um esquema previamente preparado para roubar o cidadão. Não se deve votar em vigaristas para ocuparem cargos públicos, num país de ladrões como o Brasil, onde roubar virou esporte nacional. E, finalmente, não se deve votar apenas porque o outros votam. Tente votar usando sua própria cabeça. Recuse-se a fazer parte desse imenso rebanho de idiotas manipulados pela rede bobo de televisão. Votar nunca foi um direito. Sempre foi uma obrigação. E seu voto jamais transformará essa ditadura disfarçada na qual vivemos numa verdadeira democracia onde impere o livre mercado, isso eu posso lhe assegurar.
  • Leninmarquisson da Silva  13/10/2014 11:46
    Sinceramente, esse Luciano não consegue ver fora da caixa.

    O esquema no Brasil é MUITO simples: o PSDB cria as bases para uma economia ESTÁVEL (estável, não próspera) para evitar que o país caia em ruína, aí vem o PT, aproveita a boa fase para avançar a agenda socialista, fodendo tudo, já que os efeitos só aparecem no futuro. Aí quando a coisa está pra estourar o PSDB reaparece, estabiliza (o que é muito IMPOPULAR) e quando acaba o seu termo, o PT tem um prato cheio de medidas impopulares para atacar o PSDB e se eleger.

    Dessa forma o socialismo sempre avança no longo termo.
  • mcmoraes  26/10/2010 09:37
    Luciano, suas xingações sem base em argumentos me fazem lembrar do seguinte vídeo: www.youtube.com/watch?v=TrcM5exDxcc
  • Paulo Sergio  19/04/2012 05:02
    'Não há a opção "não quero brincar de política", ignorar o ar não nos torna independentes de sua existência.'

    Se os libertários encontrarem sua própria terra, aí vão poder ignorar os ares daqui.
    Eu acho isso muito mais realista do que tentar mudar as cigarras
  • Fernando Chiocca  23/10/2010 21:24
    Lew, como sempre, perfeito!

    É por isso também que não voto a mais de dez anos.

    Este outro artigo explica mais elaboradamente alguns dos pontos apresentados: Why I Do Not Vote
  • Rhyan Fortuna  23/10/2010 22:20
    Tendo Ron Paul como opção, não votar é quase um crime!
  • 9x.9K  24/10/2010 01:13
    Mas pensando bem, só um Ron Paul não vai levar liberdade alguma aos EUA. Lá, bem como em qualquer lugar do mundo, a mudança deve se dar através de uma revolução - não no sentido conservador/marxista da palavra -, ou só o que haverá é uma sobrevida do estado, levada pelo alivio social causado pelas medidas liberalizantes. Se quiser uma inspiração é só olhar para as origens dos EUA: separatismo.
  • Ere  25/10/2010 04:25
    Concordo com Luciano, não votar ou tentar "esquecer" da política é um ato imaturo, como nessa eleição por exemplo ouve uma candidata que apesar de não ter uma base firme para dirigir o paíz, seria uma alternativa de mudança politica muito forte, o que eu quis me referir foi que apesar de toda essa groselha de politicos, a diferença está se estabelecendo, se estudarmos um pouco da politica veremos que alternativas aparecerão com o decorrer do tempo.
  • Nilo BP  25/10/2010 08:32
    O papel do Lew, como ponto focal do libertarianismo internacional, é se manter firme nos princípios. Para ele a integridade moral é muitíssimo mais importante que qualquer efeito que uma "posição política" possa ter. Mesmo não sendo tão influentes quanto ele, nossos princípios são mais valiosos que nosso voto, porque este vale praticamente nada, mesmo assumindo que algo bom pudesse vir dele.

    E o Lew tem sim seu lado "político", neste site. Às vezes ele se alia com pontos de vista esquisitíssimos só porque concordam com ele em um ponto ou dois (você acha que ele apoiar Ron Paul e ser anti-política é contraditório? Dê uma olhada nisto aqui - é protecionismo totalmente descarado!) Mas os artigos do próprio Lew são impecáveis (bom, com uma exceção ou outra - ninguém é perfeito).

    Ou seja, como bom economista, Lew não vira a cara para as necessidades pragmáticas da vida, mas como pessoa íntegra também não joga os princípios pela janela à primeira chance de conseguir "resultados concretos".
  • Getulio Malveira  25/10/2010 12:49
    Há poucos anos seria inconcebível uma guerra em que um estado nacional não se embatesse com outro. Os conflitos bélicos atuais mostram que isso é falso. Hoje nos parece inconcebível um posicionamento político que não reconheça o sistema eleitoral, mas evidentemente isso também é falso. Se nos curvarmos a sedução da democracia, então a causa já está perdida. Entretanto, seria estupidez não tentar usar o sistema estatista contra ele mesmo. Não sob a ilusão de que este seja o melhor caminho, mas com a clareza de que se trata de uma arma entre outras, e de nenhum modo a melhor. Meditemos. Ainda que eu reconheça a perniciosidade do estatismo em si mesmo, se houvesse um candidato ao menos liberal a concorrer nas eleições por óbvio que eu votaria nele. Idealmente poderá parecer uma contradição, mas pragmaticamente é perfeitamente conciliável.\r
    Dizer que participar do sistema eleitoral implica reconhecer sua legitimidade é um argumento capicioso, pois nesse sentido, todos nós, mesmo votando em branco,somos obrigados a participar do sistema. Em última instância, mesmo nos Estados Unidos, a possibilidade de abster-se está prevista na legislação eleitora; logo, é possível afirmar que abster-se é uma possibilidade política do sistema que parte do reconhecimento de sua legitimidade. Mas tal modo de pensar é falacioso. Creio que pouco ganhamos ao ler o artigo do Lew nesse sentido. Prefiro lê-lo como como argumentação, aliás muito bem sintetizada, das razões para abster-se do voto, em tese, no contexto eleitoral americano. O que em nada contraria uma incidental posição política pelo voto num contexto específico, como por exemplo frente a existência de um candidato que possa dar voz aos liberais frente ao resto do país.
  • Ulisses Alfredo Santos Lima  26/10/2010 09:58
    Amigos LIBERAIS!\r
    \r
    Uma coisa é chegar a um nível de Anarcocapitalismo ou Minarquismo como a maioria que aqui participa gostaria.\r
    \r
    Outra coisa é onde estamos naquele gráfico que "mede" se somos socialista,liberais, etc.\r
    \r
    \r
    A Venezuela paga até hoje este preço por não ter ido as urnas...\r
    \r
    No meu entendimento abster o direito de votar é o maior tiro no pé das pessoas amantes da liberdade.\r
    \r
    É engraçado que somente quando tinha 17 anos que não tinha o mínimo de discernimento sobre política votei no melhor isso lá em 1989. quando votei no Afif para presidente, depois sempre tive que votar no menos pior.\r
    \r
    Infelizmente hoje temos que ir acompanhado de um engov no dia da eleição. \r
    \r
    \r
    Talvez daqui a uns 100 ou 200 anos em algum país poderemos viver sem um estado, acho que a Suíça está mais próximo disso embora tenha gente querendo acabar com ela.\r
    \r
    \r
    O problema é que não votando, apenas os nossos pés estará sendo sacrificado, mas de todos inclusive as pernas estarão condenadas, haja cadeiras de rodas e muletas \r
    \r
  • Guilherme  26/10/2010 21:15
    Amigos,\r
    \r
    Apesar de apreciar bastante o blog do Lew Rockwell e de ter lido com muito proveito o "Speaking of Liberty", permito-me discordar quanto a sua postura política. Senão vejamos:\r
    \r
    1) "A democracia é o pior dos regimes políticos, com a exceção de todos os outros" (Winston Churchill)\r
    \r
    2) Candidatos serão eleitos, protestemos ou não, gostemos ou não. E eles nunca são iguais: sempre é possível identificar o mal menor ... Mussolini seria um mal menor em relação a Hitler. Dilma seria um mal menor em relação a Stálin.\r
    \r
    3) Se não há alternativa superior à democracia e faz-se mister sufragar ao menos os males menores, que indivíduos na sociedade estão mais aptos a fazê-lo? Os 50% do conjunto de eleitores com educação primária ou inferior e renda de até dois salários mínimos ou inferior? Ou indivíduos como nós, "avis raras" na "Repúbrica dos Cumpanhêros", que trabalhamos duro, estudamos muito, pagamos impostos e sustentamos a "Ilha Fiscal" petralha?\r
    \r
    4) Se pessoas como nós, com princípios, cultura, discernimento, formação e informação muito acima das sofríveis médias nacionais, nos furtarmos a contribuir com a melhoria da política, estaremos eternamente condenados a ser governados por Tiriricas, Lulas, Dirceus, entre outros biltres, néscios e pascácios.\r
    \r
    A omissão dos melhores representa uma "Rebelião de Atlas", como mostrou a grande Ayn Rand. Mais vale agirmos como John Galt e buscarmos fazer com que a nossa voz seja ouvida cada vez mais, em alto e bom som, com a clareza e luminosidade das nossas idéias e dos nossos valores. É hora de ocuparmos nosso espaço, e não de cedê-lo à escória moral e intectual que hoje governa o país.
  • Paulo Sergio  18/04/2012 22:01
    '1) "A democracia é o pior dos regimes políticos, com a exceção de todos os outros" (Winston Churchill) '

    Democracia participativa ou representativa? Pq uma delas faz muito mais sentido, vc n tem representantes ou 'salvadores', tem empregados.
    Seria o pesadelo dos políticos, qdo os seasteads começarem valeria a pena tentar
  • juan kermesson  20/11/2010 17:15
    2) Não votar é uma atitude que incomoda e aborrece o regime. Tal abstinência - assim como a não observância de várias outras normas políticas - enfraquece os políticos. E se eles fizessem uma eleição e nenhum eleitor comparecesse?

    O político em questão também é um eleitor, sendo assim ele vota nele e se elege ^^
  • augusto  20/11/2010 18:23
    Juan, a questao eh legitimidade. Qual a legitimidade de um politico eleito apenas por seu proprio voto?\r
    \r
    O que o autor esta querendo dizer, na verdade, eh o seguinte: "e se nos nos recusassemos a participar dessa mentira?"
  • Rickbitelosy  10/02/2011 21:12
    O amigo está querendo dizer é que se nós nos recursarmos a votar os militares voltarão ao\r
    poder.E as coisas voltarão a ser como era antes da democracia. Aí vai alguns exemplos.\r
    \r
    ======REGIME MILITAR ======================================ATUAL DEMOCRACIA============\r
    Etudantes eram feridos ou mortos na ruas..............O povo é ferido e morto dentro de casa.\r
    O povo eram humilhados e tinham que ficar calado...Continua humilhado mas pode reclamar.\r
    O regime escolhia o presidente............................Impõe-se 2 vc escolhe "cosme ou damião.\r
    Havia censura de expressão sobre a imprensa..........Agora é a censura financeira.\r
    \r
    O leão que o diga\r
    \r
    Eu jamais deixarei de votar! Apesar disso eu ganho meio salario mínimo, e não votando tenho pagar a exorbitante taxa de R3,50 de multa.\r
    \r
    Até mais! Te vejo na fila da votaçao.\r
  • Adilson   09/04/2012 17:20
    Não votar é a unica arma que o eleitor tem, mas é a mais poderosa. Mas o eleitor nao sabe que ela é poderosa e continua a aturar a corrupção e a impunidade. No dia que o povo descobrir isto havera uma grande revolução e as mudanças finalmente irão acontecer. NÂO VOTE, é sua melhor opção.
  • Marco Antonio Gluck  18/04/2012 16:45
    Tenho 46 anos e votei apenas uma vez, aos 18 anos.
    Por que não voto? Em primeiro lugar,Por ser obrigatório. Segundo, não coloquei a pessoa como candidata, e sim nos conchavos dos partidos que aparecem candidatos que nunca vi . Terceiro só voto quando não tiver verba de gabinete e que o salário de um politico seja a de um trabalhador, como um gerente de uma grande empresa (O cargo é para quem tem aptidão pela coisa e que queira servir a população e um país para uma mudança). Quarto, acabando a imunidade parlamentar, pois é covardia as leis que eles mesmos fazem para acobertar bandidos que roubam saqueiam os cofres públicos e deixam milhares morrendo na fila de hospitais, morrendo de fome, etc...

    Querem o quê? que eu vote? Estão de brincadeira.

    Meu Voto é para colocar esse bando na cadeia. Meu voto são para mudar leis. Meu voto é para educar esse povo que vaz o que outro manda, tem o outro como ídolo, heroi, espelho, sei lá mais ... Esquece que é ele e sua familia que precisa de suas energias para ser alguém.
    Estes bundão que falam "Quem não vota não é cidadão" CIDADÃO? No dicionário quer dizer "habitante de um Estado livre, com direitos civis e políticos"
    Estado livre? E por que me obrigam a votar?
    Abraço
  • anônimo  18/04/2012 19:53
    Esse ano eu voto pela segunda vez na minha vida e gostaria de saber a opinião de vocês: é melhor votar nulo/branco ou não votar?

    Na última eleição votei nulo - que equivale ao voto em branco -, pois acreditava que o impacto que este causa é maior de quem não vota. Enquanto o voto nulo é visto como insatisfação, as abstenções são facilmente justificadas pela mídia e a classe política com desculpas esfarrapadas - como a dificuldade de transporte no interior, motivos de viagem e o desconhecimento do voto em trânsito. Outro lado positivo, e ao mesmo tempo negativo, do voto em branco é que ele favorece o fim das eleições a prefeito, governador e presidente no primeiro turno, já que eles não são computados para o cálculo da maioria nas eleições destes cargos. É positivo, porque acaba logo com a palhaçada e diminui o dinheiro desperdiçado; e negativo, porque diminui o tempo de debate e favorece a eleição de candidatos menos preparados.

    A minha vontade é não perder tempo indo votar, mas como quem não vota além de perder tempo na fila, tem que pagar multa, então não sei o que é "menos pior"...
  • Fernando Chiocca  18/04/2012 20:33
    O melhor é não votar.
    Eu nem saio de casa nos domingos de eleições.
    Concordo com os 6 ítens do Lew Rockwell.

    Quando fui obrigado a tirar um passaporte novo para ter autorização dos nossos mestres de entrar num avião comercial rumando para fora do território que eles controlam, tive que ir em um cartório eleitoral emitir um atestado de minha situação eleitoral.
    Tive que pagar R$3,50 por turno que não fui votar. A máfia estatal me assaltou mais este valor., e mais nada. Ainda mantive um pouco de dignidade.
    E foi bem mais tranquilo do que o pé no saco de votar. Só tinha eu no cartório eleitoral. Fila zero, zero cabos eleitorais. Não tive que olhar para a cara de idiotas úteis "curtindo a festa da democracia".
    Um parasita público com cara de sono e desarrumado me atendeu em 2 minutos e depois voltou a jogar Paciência no computador dele.
    Vale muito mais a pena ser roubado dessa quantia do que ir votar. Eu pago R$3,50 para não participar dessa palhaçada chamada eleição, e pagaria até mais.

    Se optar por ir votar, acho que melhor do que votar branco ou nulo, é votar no cacareco da vez:
    Tiririca, TSE e a verdadeira ironia das eleições 2010

    Isso sim desmoraliza a política do jeito que ela merece.
    Uma abstenção é só um número que fica no passado e ninguém nem lembra mais, mas um Tiririca como o deputado mais votado do país, é uma desmoralização diária que dura 4 anos.

    (confesso que na última eleição quase quebrei meu jejum de uns 15 anos sem votar, só pra dar um votinho pro Tiririca, mas no final minha preguiça falou mais alto. Mas parabéns ao povo de São Paulo que votou melhor do que nunca, e meu votinho nem fez falta)
  • anônimo  20/04/2012 10:59
    Nos computadores dos cartórios eleitorais não há o jogo da paciência instalado.\r
    \r
    Não que o pessoal neles faça muito coisa, mas é preciso corrigir a informação.
  • Carlos Lima  29/09/2013 16:40
    fernando:
    eu não voto também e tenho muito orgulho disso.
    no dia da palhaçada, não saio de casa nem por cem e duas cocadas.
    e desta vez não vou sequer renovar meu título, processo que aliás está ocorrendo neste momento em minha cidade.
    passarei a ser um sem-título com muito orgulho.
    se por um acaso for obrigado a comprovar participação, irei onde me mandarem e pagarei todas as multas que inventarem, que talvez cheguem no máximo aos R$ 10,00.
    farei o máximo que puder para não deixar minhas impressões digitais nas mãos desses canalhas.
    a gente nunca sabe o que vão fazer com elas.
  • Vinicius  19/04/2012 00:07
    "Há muito mais chances de você ser morto a caminho das urnas do que de isso acontecer."


    kkkk..ainda mais no Brasil....kkkk... na real soh voto pq a minha sessao(colegio) eh do lado da minha casa.....e ainda acho q ha alguem q vale a pena.....mas politicos liberais no brasil(se eh q isso existe) devem ser de contar nos dedos....
  • Rafael  26/03/2013 02:38
  • anônimo  20/08/2013 20:36
    Espalhe isso aí no facebook, aqui todo mundo já sabe
  • Marcos  20/08/2013 20:19
    "A política não é nossa salvação"

    Realmente não é. Mas pode ser nossa ruína.

    Votar é escolher o menos pior
  • Pedro.  29/09/2013 23:12
    A idéia do voto é uma nova forma de CONTRÔLE social.

    Do jeito que é o voto na celebrada "democracia" política, este é apenas um meio de os donos do mundo medirem a "temperatura social".

    Sem eleições, onde os donos do Poder estabelecem regras que lhes garantam o Poder, o unico meio de mudar a situação política seria através do confronto da sociedade com o Estado. Aliás seria útil estabelecer educacionalmente esta simetria entre os recebedores de impostos e os pagadores de impostos. Coisa que a estrutura estatal tudo faz para obscurecer. É uma idéia do "dois em um" onde a propaganda estatal subliminarmente e nem tanto induz á creça de que o estado é o representante da sociedade quando em verdade é seu explorador.

    Quando a qualidade da consciência melhorou, quando os críticos do sistema monarquico conseguiram fazer ecoar suas vozes e demonstrar a exploração que o Estado monarquico impunha à sociedade, através exclusivamente do Poder de causar danos aos indivíduos, tornou-se visível que tal situação não se manteria. A tendencia seria da população rebelar-se contra a estrutura de Poder em benefício de uma estrutura de trabalho trocado livremente sem a tutela extorsiva de parasitas que vivem do Poder e não do trabalho.

    Assim, a idéia de a população "eleger representantes" foi uma ESTRATÉGIA de guerra, a arte da guerra. Com a idéia da representação eleitoreira DELIBERADAMENTE INCENTIVANDO UMA EFETIVA LUTA DE GRUPOS E CLASSES ATRAVÉS DO ESTADO.

    Ou seja a idéia de "representantes" defendendo INTERESSES de seus eleitores foi uma PUNHALADA COM VENENO na idéia de JUSTIÇA. Ou seja, a idéia da democracia simplesmente aboliu a idéia do justo na atividade dos governos. A DEMOCRACIA É AMORAL, para os "representados" vale a defesa de seus interesses e não a defesa da justiça. Desta forma configura-se a velha questão sobre se a JUSTIÇA É APENAS A VONTADE DO MAIS FORTE.

    Sim, afinal o Estado com suas polícias, sobretudo politizadas, suas tropas armadas e sua estrutura tática é uma força IRRESISTÍVEL. A idéia do desarmamento da população não deixa de ser indicativo do temor estatal de uma população armada, mesmo que levemente, com poder baseado na quantidade de "guerrilheiros" independentes.

    Assim, a idéia da eoleição apodreceu o carater da população que passa a aceitar que aquilo que o Estado decide é o legitimo. Fazendo uma confusão entre o legal e o legitimo. Assim, se as leis sob uma perspectiva ética devessem ser legitimas, ATRAVÉS da idéia CLARÍSSIMA da LUTA ENTRE REPRESENTADOS passou o legitimo só assim o ser se antes aprovado PELO ARBÍTRIO LEGAL.

    Desta forma, quando muito o bom senso modera a idéia de democracia, embora tal bom senso seja apenas conveniente ao Poder estabelecido que limita o arbítrio democratico para turvar esta compreensão e impedir que se estenda para além das conveniencias e acabe por enfraquecer o Poder estatal através da absoluta deterioração moral e ética.

    É ridiculo que quem esta no Poder faça as regras para limitar a possibilidade de haver uma real concorrência pelos cargos do Poder.

    No brasil, por exemplo, na época da dita dura a proibição a propaganda ofensiva a categorias economicas ou aos governantes estabelecidos era chamada de censura , de ditadura.

    ...Atualmente partidos, autoridades (cuisp!), candidatos, politicos e etc., se valem de queixas ao aparato judiciario e sobretudo eleitoiral para proibir propagandas alheias e aplicar restrições aos concorrentes ...MAS ATUALMENTE CHAMAM ISSO DE DEMOCRACIA!!!! ...Antes era coisa de ditadura.

    ...E A POPULAÇÃO ACEITA BOVINAMENTE APENAS PORQUE NÃO OUVE VOZES EM CONTRÁRIO e antes ouvia.

    Da mesma forma aceita-se a discriminação entre grupos com perseguições e acusações como se livre direito de expressão MAS APENAS PARA ALGUNS CASOS.

    Imagine-se que se proibisse o ataque e incentivo violencia contra os ricos, os empresários, os patrõers, os comerciantes!!!!! ...Chamriam isso de ditadura da classe dominante que os estari impedindo de incentivar o ódio contra esses grupos nomeados. ...mas concordam com a proibição a MERAS CRÍTICAS contra gays.

    Enfim, eleição é uma empulhação. SObretudo porque membros do estado votam em bnome de seus próprios interesses contra a sociedade produtiva e esta, DIVIDIDA e POSTA EM DISPUTAS INTERNAS deixam de combater as classes estatais e, pior ainda, volta-se para o PODER ESTATAl NA ANSIA DESTE FAVORECER O SEU GRUPO DE INTERESSE. ...a IDÉIA DE JUSTIÇA, DE MÉRITO E DE LIBERDADE FORAM OBSCURECIDAS PELA IDÉIA DO PODER QUE IMPÕE A PRAXIS REALIZADORA. fICANDO AS QUESTÕES FILOSOFICAS ÉTICAS OU MORAIS COMO MERA EXCENTRICIDADE DE perdedores.
  • Pedro.  29/09/2013 23:15
    P E R F E I T O ! ! ! !

    "
    1) Votar é o sacramento da religião civil. Politicamente, eu sou ateu.

    2) Não votar é uma atitude que incomoda e aborrece o regime. Tal abstinência — assim como a não observância de várias outras normas políticas — enfraquece os políticos.

    5) Os candidatos estão sedentos para comandar nossas vidas. Entre eles, não existe um mal menor.

    6) A política não é nossa salvação. Com efeito, todo o sistema é corrupto, do mais alto escalão federal até o legislativo municipal.
    "
  • madalena  04/09/2014 01:55
    Há anos que não voto em ninguém porque tenho nojo de políticos e da politicalha que eles fazem. São mentirosos, corruptos, atrevidos e só fazem leis para o povo cumprir, eles mesmos não cumprem nada, muito pelo contrário, fazem questão de descumprir as leis; só dão maus exemplos.
    Na minha opinião, hoje em dia, a justiça, polícia, ministérios, agências controladoras, etc., são meros cabides de emprego, grandes inutilidades para resolver os problemas do povo e muito úteis para alimentar a corrupção, o bolso, a ganância e a sede de poder desses larápios loucos para ocuparem qualquer carguinho a fim de se locupletarem.
    Arre! fico tão indignada com tanta palhaçada, que até me embaralham as idéias, dá-me um nó na garganta e não consigo por em palavras todo o asco que tenho dessa gentalha horrorosa.
    Estão fazendo leis para o povo cumprir, colocando-o em um funil, dificultando-lhe a vida de todos os modos. Por exemplo: os motoristas não podem fazer nada que levam multa, os equipamentos para multar estão sempre bem aferidos, mas os semáforos são de açúcar, basta uma garoa para as porcarias embandeirarem; onde está a preocupação com a segurança dos condutores e seus familiares? Quando os governantes não cumprem suas obrigações com o cidadão pagador de impostos/multas/taxas e outros bichos, quem tem o poder de multá-los?
    Os motoristas são os demônios da vez, na ótica dos governantes, mas as ruas estão esburacadas; as calçadas então,
    "vixe"; se eu atropelar um pedestre que está andando no meio da rua porque não consegue caminhar pela calçada, eu é que sou decapitada, não o dono que não conserta sua calçada ou a prefeitura que não fiscaliza nada. E por aí vai.....
  • Susana  07/03/2016 20:46
    Achei este site porque estava indignada com a obrigatoriedade da biometria.
    OS bancos estão exigindo minhas impressões digitais. O governo através da obrigatoriedade do voto está exigindo minhas impressões digitais. Quando fui renovar a carteira de motorista (outra restrição arbitrária criada pelo governo) tive que cadastrar minhas impressões digitais.
    Agora a modinha é biometria e chip. Pensei em não ir votar nunca mais... fechar minhas contas de banco e se sobrar algum dinheiro investir em ações, comprar ouro ou então colocar numa conta no exterior. Mas as minhas impressões já estão na porcaria do computador do departamento de trânsito.
    No final... quem não fizer o cadastro biométrico não vai conseguir nem comprar comida. O que fazer? Comprar uma chácara é criar galinha, vaca e plantar uma horta? Ter um poço artesiano e celulas fotovoltaicas para ter agua e gerar energia? Porque vejam que todas as sanções são relativas a documentos (não pode tirar passaporte, não pode tirar identidade)... ou relativas a dinheiro ou benesses que o estado provê (educação, dinheirinho de autarquia, concurso e outras mazelas do gênero). O governo controla o dinheiro e as licenças... se você não faz o que o governo manda, não obtém mais licenças (aqueles papeizinhos que declaram que o governo "deixa" você viver a sua vida já que foi pedir a bênça ao padrinho - como por exemplo dirigir o carro que você comprou com o dinheiro do seu trabalho, nas ruas que você pagou para serem construídas na cidade que você ajudou a construir). Para o caso das licenças não serem suficientes para impedir você, cidadão, de viver a sua vida sem a bençao do Estado, o governo cria o controle do dinheiro. Ele sabe quanto você tem, no que gasta, onde gasta, onde poupa, tudo. Ele te dá credito, ou tira... ele confisca o quanto quer na hora que quer, ele "libera verbas" para setores específicos, como por exemplo construção civil que distorce completamente os preços dos imóveis gerando uma crise habitacional seguida de uma crise econômica... daí pra disfarçar, o governo aumenta o salario mínimo e faz propagandas de minha casa, minha vida... e põe a culpa do desastre que criou em "investidores" ou "capitalistas" ou qualquer outro grupo aleatório para desviar o olhar da população de quem criou todo o problema, ou seja, o próprio governo.
    Eleições não valem nada. Votar ou não votar não faz a menor diferença. Não votar seria genial num sistema de voto facultativo... mas neste sistema de voto obrigatório é somente uma coerção a mais... ela se perde em meio a todas as outras. Se eu não comparecer nas eleições eu vou ter que justificar, pagar multinha, regularizar a situação... ou seja... falta na escola e tem que ficar pedindo desculpa pra professora e fazendo lição de casa atrasada.
    Isso não me adianta nada. No final, o voto obrigatório é uma falacia eleitoral. O que precisa é mostrar essa vergonha para quem interessa. Explico: o ideal é que o povo brasileiro, mesmo participando dessa palhaçada, fosse votar com camisetas escritas "I vote because my government forces me to." ou "Forced to vote." ou outras frases em inglês e tudo quanto é lingua para que rodem fotos na internet e fique extremamente desvantajoso para o Brasil continuar a ter o voto obrigatório frente à comunidade internacional.
    O governo daqui só faz o que lhe ditam os interesses internacionais... então é ali que tem que atingir. Do mesmo jeito que o Gandhi fez com a India. Faz, mas mostra que não é cooperação e sim coerção.
    O Brasil está afundado numa ditadura do pior tipo: uma ditadura velada, disfarçada de democracia. O Brasileiro só tem as liberdades que o governo deixa ele ter. E são poucas e estão diminuindo cada vez mais.
    Deixa pegarem as impressões digitais, deixa forçarem a fazer tudo o que for... mas vamos mostrar pra todo mundo que não estamos concordando e que estamos sabendo o que estão fazendo.
    Que estão governando as pessoas à força, controlando desde nossas contas bancárias até nossos atos cotidianos. Que estão nos tratando como animais, cadastrando-nos em sistemas pelas nossas características físicas e não como deveria ser feito, por códigos e assinaturas, pela utilização das faculdades mentais, pela utilização da linguagem, respeitando-nos como seres humanos.
  • rodrigo d.  07/03/2016 21:43
    faço minhas as suas palavras.
  • Carlos Lima  08/03/2016 23:38
    susana essa aparente trabalheira pra regularizar a situação eleitoral de quem não gosta de fazer papel de palhaço, ficando horas numa fila de votação, é bem menos complicada do que parece. primeiro vc tem que precisar comprovar que está quites com a justiça eleitoral. passei anos sem nunca precisar disso. nem participo de concorrência pública, nem viajo ao exterior, nem faço empréstimos em bancos oficiais, etc. uma vez, uma única vez, familiares queriam me levar numa viagem e aí eu tive que tirar o tal passaporte. como não voto há anos, e ultimamente decidi não justificar nada, precisei ir até a tal justiça eleitoral pegar uma certidão. fui no dia que quis, na hora q quis, estacionei sem problemas, fui atendido rapidamente (tive a nítida impressão que a turma de lá só trabalha pesado às vésperas das eleições), e finalmente tive que pagar a tal multa. foram só r$ 3,00 e saí de quitação na mão. no final nem viajei nem nada, mas tudo bem. foi um teste maravilhoso pra ver se valeu a pena não ir fazer papel de imbecil a cada dois anos, entrando numa fila enorme pra escolher meu ladrão preferido. sabe, se a complicação fosse ainda maior, eu enfrentaria. não gosto de fazer nada obrigado pelo estado criminoso. jamais, repito, jamais entrarei novamente numa fila de ovelhinhas com medo de sofrer as punições desses canalhas. essa história de ser obrigado a votar não é verdade. ninguém vai me obrigar a participar dessa palhaçada. a menos que que seja na marra, fazendo uso da violência. dizer que a lei obriga alguém a votar? lei? mas que lei? a lei que quer me obrigar a votar é uma excrescência. pessoas que não conheço, que fazem parte das quadrilhas de abutres q se revezam no poder, pessoas que acham que são superiores a mim (apesar dos nossos intestinos terem o mesmo conteúdo), escrevem algo num papel e chamam de lei, dizendo q agora, por causa deste ridículo papel, eu serei obrigado a fazer o q eles quiserem. faço não, colega. não tem lei no mundo q me obrigue a fazer o q eu não quero, se eu puder evitar. e estou disposto a assumir as consequências das minhas decisões. vou lhe dizer uma coisa: o dia q eu decidi deixar de ser BÉ, ou seja, o dia que eu decidi sair do rebanho e ignorar completamente esse ridículo ritual q tem por objetivo colocar bandidos em cargos públicos, permitindo que eles possam me roubar "legalmente", foi um dos dias mais felizes da minha vida. faça o mesmo e vc verá como é gostosa a sensação de liberdade. pra encerrar deixo um pensamento que talvez possa ajudá-la a refletir sobre uma das mais ridículas obrigações já impostas aos cidadãos, e que diz assim: "EM RELAÇÃO À IDÉIA DO IMPÉRIO DA LEI, O PÚBLICO AMERICANO ESTÁ NUM ESTADO DE PROFUNDA NEGAÇÃO. APESAR DE ESTAREM RODEADOS DE EVIDÊNCIAS DE QUE A LEI É INERENTEMENTE POLÍTICA, A MAIOR PARTE DAS PESSOAS NO ENTANTO É CAPAZ DE CONVENCER A SI MESMAS DE QUE ELA É UMA INCORPORAÇÃO DE REGRAS OBJETIVAS DE JUSTIÇA ÀS QUAIS TÊM OBRIGAÇÃO DE OBEDECER. COMO EM TODOS OS CASOS DE NEGAÇÃO, AS PESSOAS PARTICIPAM DESSA FICÇÃO POR CAUSA DO CONFORTO PSICOLÓGICO QUE PODE SER GANHO AO SE RECUSAR A VER A VERDADE". (JOHN HASNAS)


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.