Como bem ilustra a Venezuela, os defensores do socialismo desconhecem uma lei básica da economia

Como todo o universo já sabe, o governo venezuelano arruinou completamente a economia com a adoção de medidas socialistas. 

A mistura de hiperinflação (gerada pela impressão desmedida de dinheiro), controle de preços e estatizações de fábricas e lojas não apenas não conseguiu gerar oferta abundante de nenhum bem, como, ao contrário, gerou desabastecimento generalizado — as prateleiras das lojas e dos supermercados estão vazias e as pessoas de classe média que antes tinham emprego estão hoje esfomeadas, tendo de literalmente revirar latas de lixo e matar gatos e pombos nas ruas para ter o que comer. (Veja relatos completos e apavorantes aqui e aqui)

E então, para tentar "reverter" a fome e a escassez de comida, o governo venezuelano decretou que os cidadãos venezuelanos serão compulsoriamente convocados a trabalhar em fazendas agrícolas estatizadas por pelo menos 60 dias para reverter a fome que vem castigando o país. 

A Anistia Internacional declarou que o decreto "equivale a trabalho forçado". A diretora da AI para as Américas, Erika Guevara-Rosas, afirmou que "tentar abordar a severa falta de alimentos na Venezuela forçando o povo a trabalhar no campo é como tentar curar uma perna quebrada com um curativo".

Na verdade, seria mais correto dizer que é como tentar curar uma perna quebrada com um tiro na cabeça.

Campos de trabalho forçado são uma das consequências inevitáveis do socialismo.  E são um abuso ao direito mais básico do ser humano, que é o de não ter sua vida, sua liberdade e sua propriedade sobre o próprio corpo violada.

Talvez você já tenha observado esse padrão: onde quer que o socialismo seja tentado, as pessoas sofrem.  Cada caso de socialismo apresenta suas peculiaridades porque nenhum regime tirânico se comporta exatamente como os outros.  Mas a raiz do problema é a mesma: o governo proíbe o povo de ter determinadas propriedades, de acumular riqueza, de comercializar e de fazer associações voluntárias.

Esse é o cerne do problema da Venezuela. 

Mas há outra encrenca.

E lá vêm eles, de novo

Obviamente, nenhum socialista tem a hombridade de reconhecer que defendem um sistema que só gera caos e miséria.

Segundo eles (é sério), "os problemas que hoje atormentam a economia venezuelana não decorrem de nenhuma falha inerente ao socialismo".

Você já esperava esse comportamento negacionista, certo? O socialismo parece ser a mais persistente ideologia não-falsificável do planeta.  Socialistas são aquelas pessoas que juram que a gravidade não existe e que, por isso, vivem pulando com a esperança de que ascenderão às nuvens a qualquer momento.  Embora a ascensão às nuvens nunca aconteça, a fé de que não existe gravidade permanece inabalável.

O que, afinal, é o socialismo?  Não importa como ele seja definido ou descrito, não importa quantos casos fracassados você aponte, não importa quão frequentemente suas idéias centrais sejam refutadas, o socialista se recusa a aceitar responsabilidade.

Sendo assim, peguemos ao menos a definição de socialismo dada por alguém defende a ideologia.  O Partido Socialista da Grã-Bretanha fornece esta descrição sucinta para o que é o socialismo: "livre acesso a todos os bens e serviços".

Que ideia interessante.  Então eu quero um Bentley, férias na Europa, um terno feito sob medida, e cortes de cabelo vitalícios.  De graça.  Muito obrigado.

A incompreensão fundamental — e fatal

A afirmação acima parece confirmar tudo aquilo que sempre suspeitei a respeito do socialismo.  A ideologia é toda ela baseada em um erro extremamente simples, um erro tão fundamental ao ponto de negar uma característica básica do mundo: o socialismo nega a existência e a persistência da escassez.

E o fato é que vivemos em um mundo de escassez.  Nada é infinito.  Nenhum bem ou serviço é encontrado pronto do nada, em plena abundância.  Todos eles precisam ser criados e trabalhados.  Um carro não surge do nada.  É preciso trabalhar o aço, o alumínio, a borracha e o plástico que vão formá-lo.  E esses quatro componentes também não surgem do nada.  Eles precisam ser extraídos da natureza ou fabricados sinteticamente.  E, ao serem direcionados para a produção do carro, outros bens que necessitam desses mesmos componentes deixam de ser fabricados. 

Isso é a escassez.

O mesmo é válido para todos os outros bens de consumo que você possa imaginar, de laptops a aviões, de parafusos a sanduíches, pizzas, palitos de dente e fio dental.  Todos precisam ser produzidos e trabalhados.  E todos utilizam recursos escassos, os quais então deixam de ser utilizados em outros processos de produção.

Socialistas rejeitam este fato de que vivemos em um mundo de escassez, em que nada é infinito.  Isso significa que os socialistas negam que a questão da produção e da alocação de recursos sequer seja um problema. 

Se você nega esse básico, então não é nada surpreendente que você não tenha nenhuma consideração pela ciência econômica e desconsidere que ela seja uma disciplina das ciências sociais.

Só para esclarecer, economistas utilizam o termo "escassez" de uma maneira peculiar.  Escassez não significa desabastecimento, embora a possibilidade de desabastecimento — como o que ocorre hoje na Venezuela — seja uma característica da escassez.  E um bem ou serviço pode ser escasso ainda que exista em abundância.

Por exemplo, só porque os supermercados estão repletos de alimentos, ou só porque startups de internet estão implorando para que você baixe aplicativos, isso não significa que vivemos em uma era pós-escassez.  Não existe pós-escassez nesta vida.

Enquanto houver uma disputa para controlar algo, esse algo é um bem escasso. 

Digamos que você está dividindo uma pizza com seus amigos.  E sempre que você pega uma fatia, surge magicamente outra fatia no lugar daquela.  A pizza magicamente se auto-reproduz.  Em algum momento, tão logo você percebe este fenômeno, seu comportamento começa a se alterar.  Não mais existe rivalidade a respeito dos pedaços de pizza.  Seu controle sobre um pedaço da pizza não afeta o controle de outra pessoa sobre aquele mesmo pedaço.  Nesse caso, a pizza realmente se tornou um bem não-escasso.

A escassez é inerente à natureza de um bem.  Se você consegue imaginar pessoas tendo algum tipo de discussão para decidir quem controla ou consome esse bem, então ele é escasso. 

E lutar por "propriedade intelectual" não conta, pois o que isso realmente envolve é uma disputa para decidir se alguém pode utilizar seus recursos escassos (drive de computador, cordas do violão, papel e caneta etc.) para reproduzir padrões (software, músicas, idéias etc.).  Mais sobre isso abaixo.

Até mesmo bens abundantes podem ser escassos.  Pense em uma caçada a ovos de páscoa em que há 100.000 ovos espalhados por um quintal.  As crianças ainda assim irão correr e batalhar para coletá-los.  Os ovos, por mais abundantes que sejam, ainda possuem as características da escassez.

Não pode haver propriedade coletiva de bens escassos

Eis o ponto chave: enquanto um bem for escasso, não é possível haver acesso coletivo livre e ilimitado a esse bem.  Qualquer que seja este bem, ele será sobreutilizado, exaurido e, por fim, sumirá completamente após a última luta corporal pela última migalha restante — que é o que está acontecendo na Venezuela.

Ou seja, é impossível haver socialismo em um arranjo em que os bens e serviços são escassos.  Sob a realidade da escassez, bens e serviços têm de ser alocados racionalmente.  Em um arranjo de mercado, o sistema de preços livres coordena essa alocação, direcionando recursos escassos para aqueles setores mais demandados pelos consumidores.  A alternativa a esse arranjo é quando bens e serviços são alocados de acordo com decisões arbitrárias, as quais são implantadas por meio da força e da ameaça de violência.

É nisso que sempre consistiu o socialismo.  E tem de ser assim por um motivo simples: o socialismo não lida com a realidade.  O socialismo é a negação da realidade.

E o que é que não possui a característica de escassez?  Pense em qualquer bem ou serviço sobre o qual não haja nenhuma disputa para controlá-lo ou consumi-lo.  Você pode consumi-lo e outra pessoa também, até o infinito.  Essa última palavra é essencial.  Para que um bem possa ser considerado não-escasso, não pode haver limites à sua reprodutibilidade.

O ar pode ser considerado um bem não-escasso?  Nem sempre, como você bem sabe caso já tenha ficado preso dentro de um elevador lotado.  E a água?  Também não.  Por isso o mercado de água engarrafada é tão grande.  Água e ar são como todas as outras coisas no mundo físico: sujeitos a limitações.  Por isso, têm de ser alocados.

Por outro lado, digamos que você ouça uma canção pegajosa como "Happy".  Você pega o ritmo, memoriza a letra, canta o dia inteiro e ainda a compartilha com seus amigos.  Ao fazer isso, você não está subtraindo nada do original.  Da mesma maneira, você pode observar um quadro, se lembrar dele e reproduzi-lo.  O quadro original continua existindo normalmente.  Nada foi subtraído.  O mesmo vale para as ideias deste artigo.  Você pode pegá-las e reproduzi-las.  E eu não posso impedir você, a menos que eu agrida ou ameace agredir sua integridade física (que também é um bem escasso), ou peça para alguém fazer isso em meu lugar (o governo, por exemplo).

Em todos esses bens, a porção relativa às idéias é não-escassa, de modo que elas, as idéias, não precisam ser precificadas e não precisam ter dono para ser alocadas.

Deixando essa questão da propriedade intelectual de lado [leia tudo sobre o assunto aqui], socialistas parecem não conseguir entender nem mesmo o primeiro ponto: não há um Jardim do Éden na terra, em que tudo está disponível na mais ilimitada abundância. 

Tudo o que a humanidade pode fazer é batalhar para fazer com que mais bens e serviços sejam continuamente criados, trabalhados, produzidos e ofertados para o maior número possível de pessoas.  E ela pode fazer isso por meio das transações comerciais que ocorrem sob um regime de divisão do trabalho, propriedade privada e livre formação de preços.  E sempre lembrado que é impossível haver livre formação de preços sem propriedade privada.  E, sem preços, não há alocação racional de recursos escassos.

Este arranjo é simplesmente o mercado.  E ele é baseado na noção de que deve haver propriedade privada sobre todas as coisas escassas — exatamente a característica que os socialistas querem banir.

E então eles olham para a Venezuela e pensam: minha nossa, parece que algo está dando errado! O que quer que seja, não pode ser o socialismo!

Mas quer saber?  O socialismo é sim a causa.  Ele é o problema.  E qual o problema do socialismo?  Ele não faz o mais mínimo sentido no mundo real.


0 votos

SOBRE O AUTOR



Meu caro, pelo seu discurso você nunca foi liberal e nunca entendeu o que é ser liberal. E ainda tem coragem de vir com esse apelo sobre pobreza.

Gostaria de fazer uma pergunta a todos vocês:
Pois não.

Vocês já foram Pobres pra saber?
Nasci pobre, muito prazer.

Vocês já tiveram um parente morto por bala perdida?
O que isso tem a ver com capitalismo/liberalismo? Você está misturando segurança pública (que é MONOPOLIO do estado), que alias é altamente ineficiente (no Brasil, morrem 56.000 pessoas por ano, o maior indice do mundo, a gente perde até pra India, que é 43.000 por ano, outro país com alto controle estatal e burocrático) com conceitos economicos. O estado nega aos seus cidadãos o próprio direito de se defender com uma arma e mesmo assim é incapaz de solucionar o problema.

Falam tanto em mercado, economia. Mas nunca vi um liberal que enriqueceu graças a todo seu conhecimento na área, algum de vocês é rico por acaso? Maioria que vejo é classe média, acho gozado porque se manjam tanto de produzir valor e riqueza vocês deveriam ser ricos..Mas não é isso que eu vejo.

Ai meus deuses... essa foi triste.
1) O Brasil está muito longe de ser um país livre, economicamente. É o país que fica em 118 lugar no índice de liberdade econômica.

2) Ser liberal não é uma formula para ser rico e sim defender que as pessoas tenham a liberdade para efetuarem trocas entre si sem intervenção constante do Estado por via de impostos e regulações. É dessas trocas de valor que a riqueza é produzida. Cada um teria a liberdade de crescer de acordo com suas habilidades e viver num patamar de vida que julga confortável, mas repito, o Brasil NÃO É E NUNCA FOI UM PAÍS LIVRE, ECONOMICAMENTE. Você se dizia liberal e não sabe desse básico. Aham. To vendo.

Eu já fui liberal, ai cai na real com a vida, vi que esse papo de mercado não é bem assim.
Não, amigo, você nunca foi liberal. Sinto muito. Ou você está mentindo ou você diz ser uma coisa que nunca entendeu direito o que é (o que mostra o seu nível de inteligência).

Inclusive, um amigo meu foi pra Arabia Saudita, ele disse que lá existem muitas estatais e assistencialismo e o país enriqueceu assim mesmo...

Aham, beleza, usando a Arabia Saudita como exemplo:

Saudi Arabia's riches conceal a growing problem of poverty

"The state hides the poor very well," said Rosie Bsheer, a Saudi scholar who has written extensively on development and poverty. "The elite don't see the suffering of the poor. People are hungry."

The Saudi government discloses little official data about its poorest citizens. But press reports and private estimates suggest that between 2 million and 4 million of the country's native Saudis live on less than about $530 a month – about $17 a day – considered the poverty line in Saudi Arabia.


Opa, perai, como é que 1/4 da população da Arabia Saudita vive abaixo da linha da pobreza? Você não disse que era um país ótimo, rico, cheio de estatal e assistencialismo? Explique isso então.


Falam de acabar com o imposto mas negam toda a imoralidade que a ausência deste geraria, como injustiças e até coisas que ninguém prever.

Que imoralidades, cara-palida? Favor discorrer.

Favor, tentar novamente. Essa sua participação foi muito triste.


Poderiam responder o comentário desse Leonardo Stoppa:
Estranho, hipócrita é dizer que o socialismo atual compete com o capitalismo. Comunismo sim complete com capitalismo mas socialismo é uma forma de redistribuição que, quando interpretada por pessoas que estudam economia a partir de livros de economia (e não Olavo de Carvalho) é uma espécie de segurança ao capitalismo.

Se um dia você entender que existe conhecimento além do que você conhece você vai ver que dentro do conceito atual de socialismo estão as formas de redistribuição de renda (SUS, Fies, Bolsas). Em países de primeiro mundo a galera acaba usando essa grana inclusive para comprar iPhone, logo, é um socialismo que serve ao capitalismo pois deixar essa grana parada na conta de um milionário vai resultar na venda de 1 iPhone para apple, agora, quando redistribuído vira vários iPhones.

O problema da sua visão é que você estuda em materiais criados sob encomenda. Você deixa de estudar em livros de economia para aprender pelas palavras de um cara que é pago por aqueles que pagam os impostos, ou seja, aqueles que são contra a redistribuição, logo, você abre mão do conhecimento para a alienação.

Socialismo não é comunismo. Pode vir de certa forma assemelhado nos livros antigos, mas depois da segunda guerra mundial e principalmente depois da queda da URSS, ficou claro que não há em se falar em controle centralizado e ausência de propriedade privada, mas quem estuda um pouco de economia e sociologia sabe que a intervenção e a redistribuição são importantes atividades governamentais para salvaguardar a atividade industrial.

A final, de que adianta ter industrias de ultima geração se apenas 1% do povo compra seus produtos??

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Renan Merlin  19/08/2016 14:40
    Eu sei que não tem nada ha ver com o topico mas qual a teoria austriaca de tributação. Com excessão dos ancaps como seria uma tributação menos pior? Impostos Diretos? Impostos Indiretos? Sobre patrimonio? Como seria?
  • Bruno Hirsch   19/08/2016 15:10
    Dá prazer em ler os textos de vocês.
  • Marcos  19/08/2016 15:10
    Errado. O Socialismo está dando muito certo na Venezuela. A realidade do país mostra a face do socialismo na prática.
  • anônimo  19/08/2016 17:52
    Exatamente. A venezuela é a prova de que o Socialismo traz igualdade. Afinal embaixo de sete palmos de terra somos todos iguais.
  • Julio Atila  22/08/2016 15:47
    É Genial O seu comentário!
  • Camilo Chaves  19/08/2016 15:11
    Talvez, se vivêssemos em um mundo com recursos naturais infinitos e com robôs fazendo todo o serviço de coleta, processamento, empacotamento e distribuição desses recursos até nossas casas, somente assim, nessa utopia futura, um regime socialista seria factível. Qualquer coisa aquém disso é hipocrisia e ilusão e só pessoas com mente tacanha, ingênuas ou criminosas que apoiam regimes socialistas no mundo em que vivemos .
  • Hugo  19/08/2016 15:16
    Quando você diz "nossas casas", você está querendo dizer que as casas são de todos, daí o pronome possessivo na primeira pessoa do plural, certo?

    Sim, pois, no socialismo genuíno, não existe "sua casa" ou "minha casa". Existe apenas "nossas casas", que são de todos. Nem cama própria você tem.

    Acho que passo.
  • Anônimo  19/08/2016 15:20
    Nem assim funcionaria o sistema socialista.
  • Economista realista  19/08/2016 15:23
    Os robôs teriam de ser criados, produzidos e distribuídos. Alguém teria de fazer isso. Seus componentes teriam também de ser fabricados, produzidos e distribuídos. Alguém teria de fazer isso. Idem para suas peças de reposição.

    Como isso seria feito sem preços e sem uma maneira de calcular o valor dos salários dessas pessoas?
  • Capitalista egoísta  19/08/2016 15:53
    O socialismo é um regime de trocas....quem produz carro ,dá carro pra todos porque come de graça, se veste de graça e tem saúde de graça....quem produz alimento , dá o alimento de graça porque recebe o carro de graça, saúde de graça e se veste de graça....o médico atende de graça porque ganha carro de graça ,come de graça ,se veste de graça....enfim, é um ciclo de trocas ...TODOS TEM TUDO pois não precisariam pagar....todas as necessidades seriam atendidas....só que o egoísmo humano não comporta esse regime "angelical"...a ganância impede o socialismo...."quero um carro melhor que o do meu semelhante", "quero ter torneiras de ouro no meu banheiro"....

    Ou seja...o socialismo é utópico assim como o liberalismo(o de verdade, liberdade extrema, não os pseudos)também o é.

    Não existe nação 100% liberal...se assim fosse, não teríamos governos constituídos, exércitos,fronteiras,nações constituídas, barreiras comerciais,protecionismo....seria cada um por si mesmo.O indivíduo sendo o protagonista 100%.
  • Realista  19/08/2016 16:23
    Errou. E errou feio. Errou rude.

    O problema do socialismo nada tem a ver com a "natureza egoísta" do ser humano. Mesmo que o mundo fosso povoado exclusivamente por seres angelicais e abnegados, dispostos a lavar as privadas e a recolher o lixo benevolentemente, ainda assim o socialismo não teria como funcionar.

    Por quê?

    Vamos supor que os socialistas tenham sido capazes de criar um poderoso exército de cidadãos genuinamente ávidos para seguir todas as ordens de seus mestres, os planejadores socialistas.

    Fica a pergunta: o que exatamente esses planejadores mandariam esse exército fazer? Como eles saberiam quais produtos seus escravos deveriam produzir? Em qual etapa da cadeia produtiva cada exército deveria trabalhar? Quanto de cada produto deve ser produzido em cada etapa da cadeia de produção? Quais técnicas ou quais matérias-primas devem ser utilizadas na produção como um todo? Qual a quantidade de matérias-primas a ser utilizada? Onde especificamente fazer toda essa produção? Como eles saberiam seus custos operacionais ou qual processo de produção é mais eficiente?

    Mises demonstrou que, em qualquer arranjo econômico que seja mais complexo do que o exemplo de Robinson Crusoé sozinho em uma ilha, o comitê de planejadores socialistas simplesmente não teria como saber o que fazer. E nem como responder a essas perguntas vitais.

    Ao explicitar esse poderoso conceito do cálculo econômico, Mises demonstrou que o comitê de planejamento central não tinha como responder a essas perguntas porque o socialismo não dispõe daquela indispensável ferramenta que só existe em uma economia de mercado, e a qual empreendedores utilizam para fazer cálculos e estimativas: existência de preços livremente definidos no mercado.

    Sob o socialismo, os meios de produção (fábricas, máquinas e ferramentas) não possuem proprietários definidos (eles pertencem ao estado). Se os meios de produção pertencem exclusivamente ao estado, não há um genuíno mercado entre eles. Se não há um mercado entre eles, é impossível haver a formação de preços legítimos. Se não há preços, é impossível fazer qualquer cálculo de preços. E sem esse cálculo de preços, é impossível haver qualquer racionalidade econômica, o que significa que uma economia planejada é, paradoxalmente, impossível de ser planejada.

    Sem preços, não há cálculo de lucros e prejuízos, e consequentemente não há como direcionar o uso de bens de capital para atender às mais urgentes demandas dos consumidores da maneira menos dispendiosa possível.

    Dado que a própria essência do socialismo é propriedade coletiva dos meios de produção, e dado que tal arranjo não permite o surgimento de preços de mercado, e dado que sem preços não há o mecanismo de lucros e prejuízos, que é o que traz racionalidade para qualquer processo produtivo, o comitê de planejamento central não seria capaz nem de planejar nem de tomar qualquer tipo de decisão econômica racional.

    Suas decisões necessariamente teriam de ser completamente arbitrárias e caóticas. Consequentemente, a existência de uma economia socialista planejada é literalmente "impossível" (para utilizar um termo que foi muito ridicularizado pelos críticos de Mises).


    Leia qualquer um desses artigos. Escolha o que mais lhe aprouver.

    Os anticapitalistas de hoje continuam ignorando os problemas mais básicos do socialismo

    Se o socialismo é economicamente inviável, por que ele dura tanto tempo?

    O que é realmente o socialismo e qual o seu maior problema

    Menos Marx, Mais Mises - tudo o que você precisa saber sobre a teoria econômica do socialismo
  • Capitalista egoísta que adora keynes  19/08/2016 17:08
    Obrigado pelas dicas de artigo...sei que irrito muitos aqui,mas faço mais para pegar no pé do que convicção pessoal mesmo.....óbvio que a Venezuela é uma m. e Cuba é uma m. também....não sou nenhum louco "Guevara" da vida...Enfim, adoro ler os artigos deste site, mesmo não concordando algumas das vezes e concordando em outras .... e isso é muito legal.

    Por exemplo : Uma ideia que compartilho com os liberais é ser contra o Injusto Imposto de Renda....tem imposto mais inútil e injusto que este ? Direto da fonte,tirando o cidadão de usufruir a plenitude do valor ganho com o seu trabalho, seu suor. Aí vem os pilantras na mão grande abocanhar uma fatia?....fico p.da vida com isso

    Por que não taxar somente o consumo, quando se usa o dinheiro realmente ?

  • Dam Herzog  19/08/2016 20:12
    Uma vez produziram 200.000.000 de sapatos todos iguais para homens e para mulheres na antiga União Soviética e não foram utilizados mais da metade pela população. É que as pessoas não gostam por natureza de serem iguais e muitos preferiram ou fazer seu próprio sapato ou trocar serviços em troca de sapatos. Um individuo é único no mundo e ninguém a não ser ele próprio sabe o que é bom para ele. Milton Friedman disse certa vez que: o governo jamais poderá imitar a variedade e a diversidade das nações humanas.
  • LUCIANO SILVA  19/08/2016 22:04
    Capitalista Egoísta, você está "certim" o socialismo é um regime de trocas-trocas, onde você é o proletário e o Kid Bengala é o planejador central. Como recompensa, ele vai te passar toda a Mais-Valia que você merece nesse teu REGoIME ANGELICAL.
  • Julian Calgaroto  19/08/2016 15:31
    Artigo excelente! É uma pena que a lógica, por mais simples, seja incapaz de abrir os olhos de quem está sob efeito dessa doença mental chamada esquerdismo.

    A Venezuela vai virar o caos completo, assim como todos os países que tiveram o desprazer de experimentar o socialismo bem logrado (sim, o socialismo deu certo, e a Venezuela é um bom exemplo de como o socialismo é de verdade, sem os sentimentalismos cafonas e ideias mirabolantes que saem da cabeça de gente imbecil).

    Entretanto, o bando de néscio (socialistas/comunistas/fabianos) vai negar a realidade e tentar implantar sua ideologia podre em algum outro país suscetível o bastante. Esse câncer nunca termina!
  • Rafael Destefani   19/08/2016 16:26
    Se eu planto feijão e vendo a 4 reais e perco metade de minha safra, tenho que repassar os custos da plantação inteira para o preço do feijão que eu colher. Sendo assim o preço sobe para uns 7,00 reais por exemplo.

    Aí o povo reclama e o governo me obriga a vender o feijão a 4 reais.

    Não tendo lucro, acha mesmo que vou continuar plantando feijão? Óbvio que não. Não sou escravo. Com isso vem o desabastecimento.

    Quando o preço esta a 8,00 reais isso não quer dizer que sou obrigado a comprar. Compro menos. E se o estado se mete nisso para tentar regular, dá merd@.

    Socialismo é igual a miséria.

  • Dam Herzog  19/08/2016 20:31
    O socialismo além de ser por muitas razões impraticável ainda desinsentiva o trabalho, então seu subprodutos são fome, miséria, perda da dignidade (comer cachorro, pombo, gatos e restos de comida do lixo) sangue (uso da força) e morte. E proibindo a propriedade privada tiram a garra dos individuos. O coletivismo torna as pessoas sem ação. A ação humana desaparece. O povo torna-se passivo e não creativo. Onde ninguém é dono de nada, ninguém sente responsável por nada.
  • Igor Freitas  19/08/2016 16:28
    Excelente texto.

    "Nunca há o bastante de algo que todo mundo quer" e "quando as pessoas querem o impossível, só os mentirosos podem satisfaze-las".

    Ensinar essas frases para as crianças pode salvar uma nação.
  • Malthus  19/08/2016 16:34
    Essa segunda frase é do Thomas Sowell.

    "O fato de que muitos políticos de carreira são mentirosos descarados e compulsivos não é apenas uma característica inerente à classe política; é também um reflexo do eleitorado. Quando as pessoas querem o impossível, somente os mentirosos demagogos podem satisfazê-las."

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2129
  • Poor man  19/08/2016 16:30
    Excelente artigo, obrigado instituto Mises por compartilhar.

    Porem fica a questão: Quanto tempo vai levar para acabar tudo isso na Venezuela?
    Tenho a impressão que vai levar no minimo dez anos, agora que está começando a dar alguns pasos para tirar o ditador. Pobre povo, ainda vai sofrer muito nesta vida.
  • Conservador  19/08/2016 16:32
    Muito Triste.
  • Tannhauser  19/08/2016 16:47
    "Em todos esses bens, a porção relativa às idéias é não-escassa, de modo que elas, as idéias, não precisam ser precificadas e não precisam ter dono para ser alocadas."

    Discordo.

    Ideia: representação mental de algo concreto, abstrato ou quimérico.

    Para obter esse arranjo mental é necessário um cérebro apto.

    Sem cérebro, sem ideia.

    Uma anotação em um livro só é uma ideia se existir um cérebro para interpretá-la.

    O número de cérebros é escasso.

    Produzir ou multiplicar uma ideia nos cérebros custa tempo e energia.

    Se cérebro, tempo e energia são escassos, então ideias também são produtos escassos.





  • Hans  19/08/2016 17:08
    Isso é imaterial.

    O fato de cérebros serem escassos não implica que idéias sejam bem rivais. Nada a ver. Idéias não são bens escassos. Se eu tenho uma ideia e você a copia, a minha ideia continua existindo integralmente e eu posso continuar me utilizando dela. Você ter copiado a minha ideia não só não a tornou mais escassa, como, muito pelo contrário, a tornou ainda mais abundante.
  • Tannhauser  19/08/2016 17:32
    Mas eu não copiei a ideia "do nada".

    Para copiar a sua ideia precisei de tempo, energia e neurônios (meio físico de armazenamento da ideia).

    A sua ideia é um bem escasso, sem energia e material ela se dissipará (morte).

    Ideia não é imaterial.







  • Guilherme  19/08/2016 17:43
    "Para copiar a sua ideia precisei de tempo, energia e neurônios (meio físico de armazenamento da ideia)."

    Sim. E daí?

    Aliás, se eu lhe proibisse de utilizar seu tempo, sua energia e seus neurônios, aí eu não apenas seria um totalitário, como ainda estaria confiscando a sua propriedade mais íntima e pessoal.

    Não posso acreditar que você esteja defendendo isso.

    "A sua ideia é um bem escasso, sem energia e material ela se dissipará (morte)."

    Não entendi. Aliás, esse seria um ótimo argumento para copiarem minha ideia. Se ninguém a copiar e reproduzir, ela fica presa em minha mente e acabará morrendo junto comigo.

    Por outro lado, se você copiá-la, não apenas ela se torna ainda mais abundante, como ainda continua plenamente acessível por mim.

    Ninguém perdeu, ninguém ficou com menos coisas.
  • Tannhauser  19/08/2016 18:11
    "Por outro lado, se você copiá-la, não apenas ela se torna ainda mais abundante, como ainda continua plenamente acessível por mim.

    Ninguém perdeu, ninguém ficou com menos coisas."

    Acho que o problema está na definição de escassez.

    Pegando um trecho do texto, que explica o que é escassez:

    "E o fato é que vivemos em um mundo de escassez. Nada é infinito. Nenhum bem ou serviço é encontrado pronto do nada, em plena abundância. Todos eles precisam ser criados e trabalhados. Um carro não surge do nada. É preciso trabalhar o aço, o alumínio, a borracha e o plástico que vão formá-lo. E esses quatro componentes também não surgem do nada. Eles precisam ser extraídos da natureza ou fabricados sinteticamente. E, ao serem direcionados para a produção do carro, outros bens que necessitam desses mesmos componentes deixam de ser fabricados. "

    Adequando ao conceito de ideia:

    E o fato é que vivemos em um mundo de escassez de ideias. Nenhuma ideia é infinita. Nenhuma ideia é encontrada pronta do nada, em plena abundância. Todas elas precisam ser aprendidas e ensinadas. Uma ideia não surge do nada. É preciso energia e neurônios que vão formá-la. E estes também não surgem do nada. Eles precisam ser extraídos da natureza ou fabricados sinteticamente. E, ao serem direcionados para a criação ou ensino da ideia, outras ideias que necessitam desses mesmos componentes deixam de ser aprendidas ou ensinadas.


  • Guilherme  19/08/2016 18:37
    "E o fato é que vivemos em um mundo de escassez de ideias."

    Tem certeza? A meu ver, temos escassez de recursos para colocar essas idéias em prática. Idéias propriamente ditas não faltam.

    Eu tenho a ideia de um carro voador e de uma ponte ligando o Rio a Lisboa. Mas não tenho os recursos para colocar essas idéias em prática.

    "Nenhuma ideia é infinita."

    Frase sem lógica. Toda e qualquer ideia é, por definição, infinita. Nenhuma ideia se exaure e se esgota por ter sido excessivamente usada. Uma ideia pode ser usada para sempre (quando é boa) ou pode ser rapidamente descartada (quando é ruim). A ideia em si permanece existindo.

    "Nenhuma ideia é encontrada pronta do nada, em plena abundância. Todas elas precisam ser aprendidas e ensinadas."

    Correto. E é exatamente você quem está querendo barrar esse processo de propagação de idéias.

    "Uma ideia não surge do nada. É preciso energia e neurônios que vão formá-la. E estes também não surgem do nada. Eles precisam ser extraídos da natureza ou fabricados sinteticamente."

    Neurônios são extraídos da natureza ou fabricados sinteticamente?!

    "E, ao serem direcionados para a criação ou ensino da ideia, outras ideias que necessitam desses mesmos componentes deixam de ser aprendidas ou ensinadas."

    Oi?! Se eu ensino matemática para meu filho, perco a capacidade de ensinar português para minha filha?

    Repito: viu só como a sua teoria não se sustenta? Você tentou adaptar um raciocínio válido para bens físicos e escassos, e essa adaptação ficou completamente furada.
  • Tannhauser  19/08/2016 19:23
    Até que estou me divertindo... hehe



    "Tem certeza? A meu ver, temos escassez de recursos para colocar essas idéias em prática. Idéias propriamente ditas não faltam.

    Eu tenho a ideia de um carro voador e de uma ponte ligando o Rio a Lisboa. Mas não tenho os recursos para colocar essas idéias em prática."

    Para ter essas ideias, você precisou de matéria e energia. Ambos são escassos. Ideia é feita de recursos escassos, logo também é escassa.



    "Frase sem lógica. Toda e qualquer ideia é, por definição, infinita. Nenhuma ideia se exaure e se esgota por ter sido excessivamente usada. Uma ideia pode ser usada para sempre (quando é boa) ou pode ser rapidamente descartada (quando é ruim). A ideia em si permanece existindo."


    Quando digo "infinito", digo no sentido de quantidade. A quantidade de carros é finita. Assim como a quantidade de ideias. Ideia precisa de matéria e energia para existir. Como matéria e energia são finitos, ideia também é finita. Se você é a única pessoa que tem uma certa ideia e morre, essa ideia deixará de existir.



    "Correto. E é exatamente você quem está querendo barrar esse processo de propagação de idéias."

    Se você concorda que nenhuma ideia é encontrada em abundância, tem que concordar que nenhuma ideia é infinita.



    "Neurônios são extraídos da natureza ou fabricados sinteticamente?!"

    Os neurônios são fabricados pelo nosso corpo a partir da matéria e energia obtida através da alimentação. A alimentação vem da natureza. Ainda não são fabricados sinteticamente. Essa parte da adaptação ficou meio estranha mesmo.



    "Oi?! Se eu ensino matemática para meu filho, perco a capacidade de ensinar português para minha filha?"

    No seu exemplo, seu filho teve que optar entre aprender português ou matemática. A energia gasta para aprender português não poderá ser reutilizada para aprender matemática. Terá que utilizar outros recursos.


    Resumindo: na minha concepção, ideia é resultado de sinapses entre neurônios. Portanto, é material e escassa.



    Obs: Hoje não tenho mais tempo para discutir ideias.




  • Spin  19/08/2016 22:01
    "No seu exemplo, seu filho teve que optar entre aprender português ou matemática. A energia gasta para aprender português não poderá ser reutilizada para aprender matemática. Terá que utilizar outros recursos"


    Aqui vc claramente confunde "tempo" (e "energias" gastas num marco temporal) com "ideia". Do fato de que eu tenha que escolher entre ações alternativas no tempo não se segue que as "ideias" sejam "escassas". Não tem nada a ver uma coisa com outra.
  • Taxidermista  19/08/2016 18:56
    Meu prezado, dê uma conferida nesse artigo, por gentileza:


    mises.org/library/goods-scarce-and-nonscarce
  • Tannhauser  19/08/2016 21:23
    Valeu. Vou ler sim. Com calma.
  • Típico Socialista   19/08/2016 17:51
    Tudo de graça para todo mundo!

    Como eu vou fazer isso?
    É fácil. Me entregue todo o seu dinheiro e me conceda poderes políticos absolutos que eu te mostro.
  • Oneide teixeira  19/08/2016 18:27
    Liberal é muito inocente.
    Novamente a historinha "o socialismo fracassou", "os socialistas erraram", ""eles se equivocaram".
    O liberal esta sendo estuprado pelo socialista, o que ele diz, "você esta equivocado".
    E muita inocência achar que o socialista não sabe das consequência do que faz.
    A intenção é, era, e sempre será destruir a sociedade atual e recria la de forma "certa".
    Deixa de ser otário e coloque as coisas como são,o socialismo não fracassou na Venezuela, ele é um sucesso, quem fracassou foram os liberais e os conservadores por permitir a destruição da sociedade Venezuelana.
  • Edigar  20/08/2016 11:48
    Oneide, não generalize quanto aos liberais, a idéia de que o socialismo é uma coisa boa que não deu certo já caiu por terra há muito tempo. Todos aqui sabem que os líderes deste sistema sabem muito bem o que estão fazendo e são verdadeiros psicopatas.
  • david  20/08/2016 14:08
    Nem todos sabem o que faz. Alguns realmente acham que o país vai literalmente virar uma potencia econômica se abolir o capitalismo de vez. Digo isto porque já pensei assim e inclusive eu fui um petista fanático.
  • Andre  20/08/2016 19:31
    Oneide esses artigos sobre a Venezuela são para você compartilhar com seus amigos universiotários, estes sim acreditam ainda em alguma modalidade de sucesso socialista, ao invés de ficar aqui falando o que todos já sabem, imprima este artigo e coloque no quadro de avisos de qualquer faculdade, é incrível a reação.

    E este site vem fazendo um excelente trabalho para mostrar o que é a Venezuela, se você achar pouco o mises use este aqui também:

    www.maduradas.com/
  • Oneide teixeira  21/08/2016 03:00
    Edigar, David, Andre os liberais e os conservadores dão muita "moleza" para os socialistas não os qualifica corretamente, você vê isso nos debates onde o liberal-conservador quer ficar no campo das idéias e o socialistas esta fazendo guerra politica.
    E é disso que se trata participar da guerra politica apesar de muitos negarem a politica aqui..
    Vejam este site sobre guerra politica.
    www.ceticismopolitico.com/
  • Filósofo da USP  19/08/2016 18:30
    Que o IMB recebe dinheiro do George Soros ninguém comenta, é uma vergonha esse site.
    Vou solicitar o fechamento dessa espelunca.
  • Mais Mises...  20/08/2016 03:54
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Assinado: Mídia Ninja.
  • Douglas Rodrigues  19/08/2016 20:37
    Olá a todos. Estou no primeiro semestre de Economia, aqui na cidade de São Paulo,e ontem tive uma aula de introdução ao Economia, e o professor estava falando sobre os fatores de produção e curva de possibilidade de produção. Ele disse que numa determinada sociedade existem uma quantidade de fatores de produção (verossímil tal afirmação), e no decorrer da aula, ele explicando e tal, depois que acabou a aula, fui até e fiz as seguintes perguntas:
    P1: Quem decide aonde os fatores de podução(terra, capital e trabalho) serão empregados?
    Ele: O Governo. Essa pergunta me deixou com o pé atrás. Claro que sei que o governo interfere em muita coisa e não deveria, mas o correto não seria dizer que são os indivíduos decidem aonde esses fatores de produção serão usados?
    P2: O que acontece quando a oferta ultrapassa a demanda num determinados país?
    Ele: Se exporta o excedente. É sempre isso mesmo?
    E pergunto pra quem realmente sabe, e por que a oferta ultrapassou a demanda, ou, o que foi que aconteceu pra isso ter acontecido?
  • Tulio  19/08/2016 21:49
    Cristo Rei!

    Dica: saia dessa faculdade ou tranque a matéria desse professor. Seu QI vai desabar.

    Nem irei comentar a questão de que, para ele, é o governo quem deve distribuir os fatores de produção de uma economia (tal modelo foi implantado com sucesso na Coreia do Norte e está em plena vigência atualmente na Venezuela).

    Vou para a parte das exportações.

    O cidadão, na prática, está dizendo a exportação decorre de um mero erro de cálculo: houve uma superprodução, e esta tem de ser desovada nos gringos!

    Ao dizer isso, ele mostra que não faz a mais mínima ideia do que é empreendedorismo. Quem produz bens "tradables" não produz pensando apenas no mercado interno. Ele pensa em todo o mercado global. Se ele vai exportar mais ou se vai priorizar o mercado interno, é algo que será definido por vários fatores, entre eles o câmbio, a demanda interna (renda da população) e a demanda externa.

    Não existe isso de "Ah, primeiro vou produzir pensando em São Paulo. Se sobrar um restinho, exporto pros EUA e pra Europa!".

    Troque de faculdade.
  • André  19/08/2016 22:00
    Larga essa faculdade e:

    Se for de classe baixa - Faça curso técnico em que possa trabalhar bem longe da CLT depois de uns anos faça faculdade para consolidar a profissão;

    Se for de classe média - Engenharia, já que gosta de números;

    Se for classe média alta - Medicina sem pensar.

    Você está destruindo recursos escassos: dinheiro da mensalidade, combustível, alimentação e neurônios nesta lata de lixo.
  • Mais Mises...  20/08/2016 03:56
    Rapaz... sou da área da saúde, mas um professor que lhe responde a primeira pergunta assim ('O governo'), lascou! A pior parte é saber que ele, além de estar lhe prestando um desserviço, você ainda está pagando-o pra isso!!!
  • Amarilio  19/08/2016 23:05
    Os burocratas brasileiros parecem animais.
  • Luis  20/08/2016 01:39
    Seja mais especifico. Que tipo de animal? Alguns sao bem uteis, outros...
  • Luis  20/08/2016 01:41
    Se alguma coisa e' errada a principio, nao pode dar certo no fim.
  • Zezim  20/08/2016 02:52
    Leandro:


    m.oantagonista.com/posts/o-fed-vai-ter-do-da-gente
  • Wesley  20/08/2016 08:08
    O erro dos liberais é achar que os socialistas querem saber sobre como a realidade funciona. Os socialistas querem poder e dominação, simples assim. Eles não se interessam em saber sobre como os recursos são alocados. É mais fácil deixar para o setor produtivo pensar nisso, enquanto eles vivem dos impostos dos empresários que eles odeiam. A Venezuela está quebrada e faminta, mas o esquema de poder do Maduro continua intacto. Ele manda e faz o que ele quer lá. Ele tem poder e dominação, o que é mais importante para ele. A Coréia do Norte idem. Quem tem mais poder, um exército estatal armado até os dentes ou o livre mercado? É claro que o poder armado sempre ganha. É claro que os socialistas mais moderados como os europeus já entenderam que não precisa chegar a tanto. Basta dar favores a parte da população com o dinheiro dos impostos, aumentar enormemente o tamanho do Estado e das forças armadas, e cooptar parte do empresariado dando protecionismo e subsídio. Aí já se tem um regime implicitamente socialista. Aí se complementa com a agenda cultural estatal como desarmamento civil, pregação de ideologias estatistas e por aí vai. O Olavo de Carvalho falou que os liberais são inocentes e que não entendem o esquema de dominação do socialismo. Nesse ponto ele acertou em cheio. Os liberais desprezam e riem da esquerda porque eles não entendem nada de economia. Já a esquerda entende tudo sobre dominação política e os liberais nada entendem disso.
  • saoPaulo  23/08/2016 11:53
    E o erro dos neocons é abraçarem várias e várias bandeiras esquerdistas como welfare state, educação estatal, saúde estatal, guerra às drogas, guerra à pobreza, etc. Vendem a alma para o capeta e depois vêm aqui, querendo cagar regra do que libertários deveriam ou não fazer. Que tal abandonarem estas bandeiras esquerdistas antes de querer cobrar qualquer coisa de libertários?
    O movimento libertário é o que mais cresce hoje no Brasil, enquanto a direita perde seu tempo com causas estapafúrdias e perdidas. Vão reclamar que o impeachment da Dilma era uma estratégia ruim. Vão perder tempo discutindo sobre a Coca-Cola usar fetos abortados como adoçantes. Vão defender os coitadinhos dos drogados enquanto policiais são chacinados. Durante anos, a direita perdeu a batalha contra a esquerda, e agora vêm querendo bancar os mestres da guerra? Que hilário!
    É graças a think tanks como o Mises Brasil que, hoje, vemos conceitos como privatização serem mais e mais aceitos. Onde estava a direita todos estes anos, enquanto perdíamos a batalha das ideias? Estavam de conluio com a esquerda, pois no Brasil nunca existiu direita de verdade, mas apenas esquerdistas enrustidos!
  • Tim  23/08/2016 14:10
    "O Olavo de Carvalho falou que os liberais são inocentes e que não entendem o esquema de dominação do socialismo. Nesse ponto ele acertou em cheio. Os liberais desprezam e riem da esquerda porque eles não entendem nada de economia. Já a esquerda entende tudo sobre dominação política e os liberais nada entendem disso"


    O mesmo clichê neocon dito pela milionésima vez. O sujeito repete esse clichê risível e acha que está abafando...

    Vem cá, cidadão, e qual o "entendimento" dos neocons sobre "dominação política"?

    Ah, já sei, defender o papai estado, tal como fazem os esquerdistas! Pedir para o papai estado aumentar a intensidade da guerra às drogas; pedir mais política externa agressiva e mais Welfare State, tal como fazem os esquerdistas!

    Que sensacional, né? É um grande entendimento mesmo de dominação política, querer usar a força estatal para praticar a sua (neocon) dominação política.
  • anônimo  23/08/2016 14:31
    Então vai lá no site do Olavo. vai aprender sobre pepsi, heliocentrismo e conspiração comunista.
  • Hong-Konger  20/08/2016 11:01
    O problema é que ainda não teve operação Condor na Venezuela.

  • Antonio  20/08/2016 16:25
    Nem vai ter. Ou teve invertido, com o nome de "operação Castro". Captou?
  • ANDRE LUIS  20/08/2016 15:35
    Socialismo é como aquele cara que inventou um triturador gigante e, a fim de vendê-lo, inventa a história que quem entrar e colocar seus bens lá dentro terá prosperidade e saúde ao sair (mas desde que todos sejam forçados a fazer). Quando o cara já está cheio da grana, e pessoas e bens começam a ser triturados, a nova lorota é apontar como culpados os que não entraram.
  • Anonimo  21/08/2016 04:37
    Alguém me explica esse valor de r$2,3 trilhões de passivos não contabilizados.
    www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/em-decisao-inedita-tcu-rejeita-contas-de-dilma-47814/
    Já cheguei a conclusão que isso é decorrência de expansão de crédito ou não? Se souberem me respondam pfv.
    Obrigado
  • Anonimo  21/08/2016 05:00
    Poderiam me indicar livros de economia para ler. sou iniciante e estou entrando nesse mundo econômico, desde os básicos até os médios com linguagens econômicas.
    Agradeço quem me indicar
    Obrigado
  • Hong-Konger  21/08/2016 13:45
    Não tenho pena dos venezuelanos. Eles precisam pagar pelo apoio ao socialismo. O governo socialista não surgiu do nada.

    Quem não defende o capitalismo e a liberdade, vai ter que aguentar e pagar um preço muito alto. Essa canalhice de expropriar as coisas via estado tem um preço alto, que as pessoas precisam pagar.

    Essa vitimização do "povo enganado" não cola. Quem pediu um governo com "ações sociais", agora precisa vai ter que aguentar as consequências.


    E ainda vai chegar muitas faturas para o povo pagar. O socialismo é o inferno na terra.

  • Gilson Moura  22/08/2016 01:16
    Concordo em partes com você Hong-Konger. O Chavez veio com o mesmo discurso do Lula nas épocas eleitorais venezuelanas, como sabem o Lula ganhou com esse discurso de "defensor" dos pobres e blá blá blá e o Chavez ganhou também na Venezuela. Passados os 4 anos de governo, esses socialistas dificilmente serão tirados do governo pela forma democrática assim como está sendo com o Lula, porque tem muita fraude, estelionato e outras coisas como repressão. Lula conseguiu ficar 8 anos e ainda trouxe a sua sucessora desastrosa e anta conhecida como Dilma. Na Venezuela é a mesma coisa com o Maduro, quando os socialistas chegam ao poder pela forma democrática, eles permanecem ali pelo simples fato que estando ali, é mais fácil organizar a classe política do jeito que ele quer e assim se manter no poder, Lula fez isso e você viu na prática como são as fraudes. Por um lado eu culpo os venezuelanos de terem elegido o Chavez, mas muitos deles estão arrependidos dessa decisão assim como vários brasileiros que votaram no Lula. Você culpando os venezuelanos pelas coisas que eles estão passando, você deveria se culpar porque você deixou o Lula e a Dilma continuarem no poder e assim conseguir manter o seu projeto socialista que tanto querem. O Brasil está a um passo de virar socialismo e como não confio no Temer, eu não vejo para qual lado correr. Existem projetos de leis ridículas que fazem as "organizações" invadir as suas terrar e isso acontece quase que diariamente nas fazendas, basta pesquisar MST invade terra e vai aparece um monte de vídeo para visualizar. Não se engane que isso aqui não pode virar socialismo e quando acontecer não terá volta.
  • Madela  24/08/2016 21:54
    Eu também concordo. Não existe atalhos fáceis ou caminhos iluminados para o livre-mercado. A humanidade ainda vai ter de comer muito farelo nas mãos dos psicopatas para se aprender a lição.

    Torço (sarcasticamente) para que os venezuelanos (e brasileiros também) ainda tenham mais uns 250 anos de comunismo pela frente, visto que 70 anos dessa loucura na ex-URSS não foram o suficiente para acordar a massa de bovinos daquele país: O partido comunista na Rússia é o segundo maior partido daquele país.

    Pra mim não adianta de nada o livre-mercado construir um mundo [quase] perfeito, para que logo após, 8 bilhões de idiotas deêm ouvidos a 1/2 dúzia de psicopatas sedentos pelo poder.
  • Maiki Pedro  21/08/2016 16:00
    Mais um excelente texto desse grupo. Parabéns a pagina pelo ótimo trabalho, amo o site de vocês
  • Hong-Konger  21/08/2016 21:47
    O socialixo é a pior doença mental que existe.

    Homenagear o fidel lixo na câmara de vereadores de São Paulo, só pode ser idéia de gente com lixo na cabeça.


  • luis gustavo schuck  22/08/2016 01:20
    A definiçao de socialismo do partido britanico citado define como funciona o capitalismo. Livre acesso. Basta produzir que teremos o acesso...
    Os socialistas tb nao entendem de portugues. Livre acesso é entendido como direito sob qualquer circunstancia e direito é entendido como obrigaçao do estado em prover.
  • Servidor federal  22/08/2016 13:47
    O estado venezuelano falhou em atender às demandas da população ao se envolver em tamanha corrupção e exagerar na intervenção na economia.
    O quadro de servidores por lá é uma lástima, ideologização apaixonada e tamanho populismo certamente os impedem de fazer um trabalho eficiente na gestão econômica.
  • Servidor de Servidores  22/08/2016 22:56
    Errado.
    O estado venezuelano não está falhando em "atender as demandas da população", muito pelo contrário. A Venezuela está demonstrando pela enésima vez o que acontece quando o estado tenta usurpar uma atividade que só pode ser realizada de forma satisfatória pelo livre mercado.

    Pessoas revirando lixo e comendo pombos para sobreviver. Eis a consequência direta de se delegar ao estado poderes para resolver problemas (na Venezuela alimentação e segurança alimentar são direitos humanos fundamentais previstos na constituição).

    Pelo menos a constituição da Venezuela nada diz sobre direito ao vestuário, se não além de famintos os venezuelanos estariam também pelados.
  • Luiz  22/08/2016 20:20
    Socialista/comunista bom é o Lula, que quando precisa vai pro Sírio Libanês(Hospital caríssimo), tem sítio e cobertura, nada contra pessoas adquirirem bens e viverem do jeito que bem quiserem. Mas totalmente contra quem faz propaganda e n segue o que diz...
  • Comunista Cambojano  23/08/2016 17:40
    Se o socialismo é inviável por causa da escassez, como vocês explicam a Líbia durante o regime de Gaddafi? Um país onde não havia conta de luz, a eletricidade era grátis para todos os cidadãos e não havia juros sobre empréstimos. Tamanha foi a inveja dos EUA, que destruíram o país para evitar que os americanos descobrissem esse paraíso na terra e se revoltassem contra o sistema capitalista falido.


    https://debategeopolitico.wordpress.com/2016/08/23/por-que-destruiram-a-libia-e-mataram-gaddafi/
  • Marcelo Vasconcelos  23/08/2016 18:45
    Li a matéria até o fim do primeiro parágrafo, que dizia o seguinte:

    "Leia, pense e ajude a desconstituir o golpe em marcha e retomar a construção do Brasil com Inclusão Social, que esta agora suspenso pelo Golpe."


    Comunista Cambojano, comunismo e socialismo são regimes que obtiveram êxito em todos os países em que foram implantados. União Soviética, Camboja, Cuba, Coréia do Norte, Venezuela e Brasil são grandes provas disso... #ChupaCapitalismo #ChupaLivreMercado #ChupaLogica #ChupaBomSenso #ChupaFakeComunista
  • anônimo  23/08/2016 18:56
    >Líbia
    >Paraíso
  • saoPaulo  23/08/2016 23:15
    Ual! Isto explica as migrações em massa para a Líbia na era Gaddafi!
    Ouvi falar que Cuba e Venezuela têm planos de imitar a Coréia do Norte. Eles tiveram que construir um muro ao redor do país para tentar conter os imigrantes ilegais fugindo do capitalismo malvadão!
    Só que não...
    Quem é o idiota que acredita nestas mentiras? A esquerda leva mesmo a sério a máxima que uma mentira contada mil vezes se torna realidade.
    O curioso é que a fonte do tal debategeopolítico é verdadeira! Realmente foi um site suíço que postou/replicou estes mitos. E, pasmem, vários comentários em alemão concordando com as sandices, reclamando do imperialismo capitalista americano, etc. A Alemanha já vinha me decepcionando há tempos, mas até tu, Suíça? O negócio é se mudar pra New Hampshire...

    Is this stuff about Libya true?
    Myths of the Gaddafi regime Explained
    Gaddafi Crimes since 1969
  • Comunista Cambojano  24/08/2016 17:04
    Segundo este relatório linkado abaixo, antes da guerra civil (causada pela inveja dos EUA ao sistema igualitário da Líbia) a imigração era bem maior do que a emigração, que na verdade era quase inexistente, sendo composta apenas por estudantes beneficiados pelos programas sociais do governo.
    Existiam 2,5 milhões de estrangeiros residindo no país, maior parte vindos do Egito, Paquistão, Filipinas e Vietnã. Como explica isso? Por que essas pessoas iriam para lá, se não fosse verdade que o governo fornecia serviços públicos gratuitos, universais e de qualidade?

    www.migrationpolicycentre.eu/docs/migration_profiles/Libya.pdf


  • Brasileiro Getulista  24/08/2016 17:19
    É verdade. Inclusive havia volumosas filas de americanos, europeus (principalmente suíços), australianos, neozelandeses e gente do sudeste asiático (majoritariamente oriunda de Hong Kong e Cingapura) emigrando para a Síria em busca de seus serviços estatais de altíssima qualidade.

    Eu mesmo estava querendo muito me mudar pra lá. Mas acabei decidindo dar mais uma chance pro nosso querido SUS.
  • saoPaulo  24/08/2016 18:44
    Segundo este relatório linkado abaixo, antes da guerra civil (causada pela inveja dos EUA ao sistema igualitário da Líbia) a imigração era bem maior do que a emigração, que na verdade era quase inexistente, sendo composta apenas por estudantes beneficiados pelos programas sociais do governo.
    A emigração da Coréia do Norte também é quase inexistente, gênio.

    Existiam 2,5 milhões de estrangeiros residindo no país, maior parte vindos do Egito, Paquistão, Filipinas e Vietnã.
    E daí? Isto, no máximo, mostra que a Líbia era melhor para aqueles que imigraram do que seus países de origem, gênio, não que a Líbia era um paraíso na terra, e muito menos que Gaddafi era um santo.

    Como explica isso? Por que essas pessoas iriam para lá, se não fosse verdade que o governo fornecia serviços públicos gratuitos, universais e de qualidade?
    Non sequitur, gênio.
    Novamente, porque para elas a Líbia era melhor que seus países de origem, não porque ela era um paraíso.

    Você acredita mesmo que não havia conta de luz na Líbia? E que todos os recém-casados na Líbia recebiam US$ 50 mil, o bastante para a compra do primeiro apartamento?
    Santo deus, que otário! Os links que eu postei têm relatos de pessoas que já estiveram na Líbia e desmentiram esta baboseira. E você sequer se deu ao trabalho de ler, não é? É muita cretinice!

    Eu recebi um email aqui da filha do Nelson Mandela, falando que ele está mal de saúde e precisa urgente de $US 3000,00. Me passa o teu email pra eu te encaminhar, quem sabe você consegue ajudá-la.
  • Roger  24/08/2016 12:37
    Segundo a Luciana Genro é que deturparam Marx! KKKKKKKKKKKKK!!!!
  • anônimo  25/09/2016 03:57
    Amigos, o que poderiam dizer sobre o seguinte relatório:


    https://foodfirst.org/special-report-hunger-in-venezuela-a-look-beyond-the-spin/
  • anônimo  26/09/2016 16:32
    Se trata de panfletagem?
  • saoPaulo  26/09/2016 19:12
    Comentei algo sobre o artigo abaixo.
    saoPaulo 26/09/2016 12:15
  • saoPaulo  26/09/2016 12:15
    Artigo extremamente triste.

    Em primeiro lugar, não existe espaço para críticas, uma vez que não há a possibilidade de comentar o artigo. Por que esta necessidade de se blindar contra críticas?

    Em segundo, não consegui passar do parágrafo 7. Os autores são totalmente ignorantes em economia, não entendendo nem como se dá a formação de preços.

    As a producer of a high demand commodity and a voracious consumer of food imports, Venezuela became firmly inserted into the global economy in ways that have rendered it particularly vulnerable to fluctuations in global oil and food prices and to domestic inflation. The companies responsible for food imports and distribution have been able to use these conditions to their advantage in certain ways. For instance, since 1983, when the Venezuelan bolivar suffered a sharp devaluation against the US dollar, driving up inflation, a common practice has been to align product prices with black market currency rates as opposed to official (regulated) currency rates, further fueling inflation in the process.

    Ual! Então, segundo os autores, a inflação foi causada pelas importadoras e distribuidoras de comida, já que elas se recusaram a usar os preços tabelados pelo governo! Estes dois autores são dois imbecis ignorantes, do mesmo nível dos Fiscais do Sarney!
    Inflação nunca é uma consequência dos governos socialistas gastando feito loucos e criando dinheiro a rodo para cobrir despesas. Não, inflação é causada pelos malditos Ianques e por importadoras e distribuidoras de alimentos!
    Ora, vão pro inferno!

    Por fim, a autora Christina Schiavoni é PhD em... Estudos Sociais (sic!). Já o autor William Camacaro tem um mestrado em Belas Artes (uaaaaaal!!!) e é cofundador do Círculo Bolivariano de Nova Iorque. Ou seja, os dois não somente não têm capacidade nenhuma em entender as leis mais básicas da economia, conforme comprovado pelo texto medíocre, como estão mais que afundados na ideologia bolivariana, os cegando com relação a qualquer realidade objetiva.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.