clube   |   doar   |   idiomas
Como os socialistas deturpam a linguagem para conquistar corações, mentes e, é claro, o poder

Nota do Editor

O grande Theodore Dalrymple certa vez disse o seguinte:

Em meus estudos sobre as sociedades comunistas, cheguei à conclusão de que o propósito das propagandas feitas pelo regime não era persuadir ou convencer os cidadãos, nem tampouco informar; o propósito era humilhar.  Consequentemente, quanto menos a propaganda correspondesse à realidade, melhor.

Quando as pessoas são obrigadas a permanecer em silêncio ao mesmo tempo em que lhe contam as mais óbvias mentiras; ou, pior ainda, quando elas são forçadas a repetir elas próprias essas mentiras, perdem todo o senso de honestidade.

Consentir com mentiras óbvias faz com que você, de certa forma, se torne também uma pessoa perversa.  Qualquer resistência é erodida, e acaba sendo totalmente destruída.  Uma sociedade formada por mentirosos emasculados é fácil de ser controlada.

Se você examinar o fenômeno do politicamente correto, verá que ele possui o mesmo efeito.  Intencionalmente.

O fato é que a realidade já desmoralizou as idéias econômicas da esquerda há muito tempo (e essa desmoralização pode ser acompanhada em tempo real na Venezuela).  A esquerda sabe que essa é uma batalha que ela não tem como vencer.  E os esquerdistas mais espertos já perceberam isso há um bom tempo.  O que fizeram?  Mudaram de estratégia e encamparam uma batalha que eles realmente podem vencer: o controle da linguagem e a conquista da mente.

E eles podem vencer essa batalha porque não têm nenhuma inibição para fazer tudo aquilo que julgam necessário para vencer: mentir, manipular, trapacear, ser abertamente incoerente — nada disso está abaixo deles. 

E eles são pacientes.  Eles podem perder seguidas batalhas, ano após ano.  No entanto, enquanto as coisas estiverem caminhando para o rumo que desejam, não importa quão lentamente, eles sabem que estão vencendo.

O artigo abaixo foi extraído de um livro escrito ainda na década de 1950. Nele, Mises analisa os primórdios deste fenômeno.

__________________________________________

Os socialistas criaram uma revolução semântica capaz de converter o significado dos termos em seu exato oposto.

No vocabulário desta "Novilíngua" — para utilizar um termo criado por George Orwell —, há, por exemplo, a expressão "o princípio do partido".  Etimologicamente, 'partido' é derivado do substantivo 'parte'.  Mas, na novilíngua, 'parte' passou a significar seu antônimo, 'o todo'.  Para os socialistas, 'parte' e 'todo' são sinônimos.

Consequentemente, quando eles se referem ao "princípio do partido", eles não estão se referindo a um partido específico ou a uma parte específica.  Eles estão se referindo a toda a sociedade sob seu comando.  Trata-se da supressão de toda e qualquer oposição.

Igualmente, 'liberdade' implica o direito de se poder escolher entre consentimento e divergência.  Porém, na novilíngua, 'liberdade' significa a obrigatoriedade de consentir incondicionalmente com os ditames socialistas.  Significa também a estrita proibição de qualquer discordância.

Essa inversão da conotação tradicional das palavras não representa apenas uma peculiaridade inocente da linguagem socialista.  Ao contrário, ela é extremamente necessária para a manutenção desse regime.  A ordem social gerada pela abolição da propriedade privada abole toda a autonomia e independência dos indivíduos, desta maneira sujeitando-os às ordens arbitrárias dos planejadores centrais.  Consequentemente, tamanha tirania e humilhação jamais teria o apoio das massas caso  não fosse camuflada por um linguajar mais sedutor.

Os socialistas jamais conseguiriam conquistar corações e mentes caso declarassem explicitamente que seu objetivo final é rebaixar todos os indivíduos à servidão. Por isso, por motivos de imagem e propaganda, os socialistas optaram pela falsa retórica de que defendem o socialismo junto com a liberdade, uma postura flagrantemente contraditória.

Já nos círculos de debate interno entre eles, a retórica é diferente.  Ali, os iniciados não dissimulam suas intenções em relação à liberdade.  Para eles, a liberdade, no passado, de fato representou uma característica positiva da sociedade burguesa, pois lhes forneceu a oportunidade de inventar e colocar em prática seus próprios esquemas.  Porém, tão logo o socialismo triunfou, não mais havia espaço para — ou mesmo necessidade de — idéias e pensamentos livres e discordantes.  Muito menos havia necessidade de se tolerar iniciativas autônomas da parte dos indivíduos.

Uma vez implantado o socialismo, qualquer mudança representaria uma intolerável perturbação no perfeito estado alcançado pela humanidade, que agora vive sob as bênçãos do socialismo.  Sob tais condições paradisíacas, seria loucura tolerar qualquer discordância.

Para os socialistas, a liberdade é um preconceito burguês. O cidadão comum não possui idéias próprias; ele não escreve livros, não promove heresias, e não inventa novos métodos de produção.  Ele simplesmente desfruta a vida.  Ele não dá valor aos intelectuais que apenas "querem o seu bem" e que ganham a vida fomentando a discórdia e a luta de classes.

Ao longo de sua carreira, Marx jamais confiou no povo e jamais acreditou que este pudesse espontaneamente exigir alterações no "arranjo burguês" e implantar o arranjo que Marx defendia.  Os trabalhadores nunca foram entusiastas do socialismo.  Eles apoiavam o movimento sindical cuja luta por maiores salários Marx desprezava como inútil. Eles pediam por todas aquelas medidas de interferência do governo nas empresas, medidas essas que Marx rotulava como tolices pequeno-burguesas.  Eles se opunham ao progresso tecnológico — nos primórdios, destruindo as novas máquinas; mais tarde, utilizando os sindicatos para, por meio da coerção, forçar o empregador a contratar mais operários do que o necessário.

O sindicalismo — a apropriação das empresas pelos trabalhadores que nela trabalham — é um programa que os trabalhadores desenvolveram espontaneamente.  Já o socialismo foi trazido para as massas por intelectuais de procedência burguesa.  Jantando e tomando vinhos conjuntamente nas luxuosas mansões londrinas e nas mansões rurais da "sociedade" vitoriana, damas e cavalheiros com trajes elegantes planejavam esquemas para converter o proletariado britânico ao credo socialista.

Como a revolução não veio espontaneamente, teve de ser imposta "pelo bem do povo".

Ao mesmo tempo em que dizem defender a liberdade, os socialistas defendem abertamente que a redução da liberdade e a submissão a seus ditames é um preço a ser pago pela obtenção de mais prosperidade.  Em sua novilíngua, "não vale a pena" ter liberdade se ela gera pobreza.  Sacrificar a liberdade com o intuito de "trazer riqueza para as massas" é plenamente justificável, dizem eles. 

Para os poucos e rebeldes individualistas que quiserem a liberdade de se recusar a aceitar os ditames socialistas, o destino será o mesmo dos camponeses ucranianos que morreram esfaimados por Stalin.

As populações que aceitaram a promessa de trocar um pouco de liberdade por um pouco mais de prosperidade ficaram sem ambas.


7 votos

autor

Ludwig von Mises
foi o reconhecido líder da Escola Austríaca de pensamento econômico, um prodigioso originador na teoria econômica e um autor prolífico.  Os escritos e palestras de Mises abarcavam teoria econômica, história, epistemologia, governo e filosofia política.  Suas contribuições à teoria econômica incluem elucidações importantes sobre a teoria quantitativa de moeda, a teoria dos ciclos econômicos, a integração da teoria monetária à teoria econômica geral, e uma demonstração de que o socialismo necessariamente é insustentável, pois é incapaz de resolver o problema do cálculo econômico.  Mises foi o primeiro estudioso a reconhecer que a economia faz parte de uma ciência maior dentro da ação humana, uma ciência que Mises chamou de "praxeologia".


  • Ulysses   29/07/2016 14:54
    Tento entender a mente comunista e chego à conclusão que o sucesso alheio machuca mais que o próprio fracasso.
  • Clovis Campos  29/07/2016 16:19
    A mente comunista está ligada diretamente à falta de caráter e moral, do contrário ela se torna uma pessoa de bem!
  • Diego  29/07/2016 16:21
    Tem uma frase de uma pessoa de cujo nome não me lembro que, para mim, define muito bem as pessoas socialistas. socialistas/comunistas são pessoas fracassadas e preguiçosas, que pensam que as pessoas de sucesso lhes devem algo.
  • Indivíduo  29/07/2016 18:35
    Eu tenho observado ultimamente, nas pessoas próximas do meu convívio, que existem comunistas especialistas sem nunca terem lido um livro de Marx. Esse tipo de indivíduo, alimenta intrigas na família acusando um de preconceituoso, outro de egoísta, outro de racista, e por aí vai... Ele observa as diferenças que existe dentro de um convívio social e coloca um contra o outro. E isso não é por nada. Pessoas desse tipo sempre conseguem tirar proveito dessa situação que eles mesmo provocam.
  • O MESMO de SEMPRE  30/07/2016 18:33

    Acredito que sejam palavras de Ayn Rand
  • Andre Henrique  31/07/2016 19:14
    Diego,
    Imagina que vc estudo afinco durante décadas... vc tem 50 anos é phd e o caralho a 4 e, do nada, um guri de 17 anos cria um app e ganha em um ano 100x mais que vc a vida inteira?!
    Isso corrobora com o que vc escreveu e explica pq a maioria dos intelectuais são socialistas.
    Injusto? Em minha opinião não... o guri de 17 anos de alguma forma agregou 100x mais valor que o intelectual.
    Abç,
    AHR
  • anônimo  29/07/2016 15:11
    Deve-se conquistar o coração antes da razão. Uma vez que conquista o coração as pessoas irão buscar acreditar naquilo independente da sua verdade.

    Isso serve para o socialismo, liberalismo e qualquer religião.
  • PepePOA  29/07/2016 16:25
    Cabe você explicar como o liberalismo, que tem como base filosófica o próprio racionalismo, pode ser conquistado pelo coração antes da razão.
  • Antonio  29/07/2016 16:37
    Seu axioma parte do princípio que o "coração", a parte sentimental do raciocínio das pessoas é imutável, pétreo. Ocorre que não raro as pessoas se decepcionam sentimentalmente inclusive por causas e/ou ideologias, por causa de estudos e raciocínios mais aprofundados, neste contexto então seria a "razão". Desta forma, seu axioma perde o sentido e pode ser qualificado como irreal.

    Agora, se você não concorda com minha análise, seu "coração" já foi conquistado pelo mesmo axioma.
  • anônimo  29/07/2016 16:49
    Não, não é isso. O que eu quis dizer é que toda ideologia começa pelo coração, a razão vem apenas para sustentar algo que desejamos acreditar. Você só consegue mudar de posição ideológica quando você muda seus sentimentos sobre algo.

    Isso serve para qualquer ideologia ou religião. Se você quer mudar alguém, ataque o coração.
  • Marcelo Vasconcelos  29/07/2016 18:35
    anônimo, o que você disse se aplica muito bem aos marxistas (comunistas, socialistas, etc.), mas não aos liberais (em sua maioria).

    Os marxistas são pessoas iludidas por falsos ideais e não se dão conta da perversidade do sistema que estão alimentando. Contudo, após se concientizarem da torpeza dos governos marxistas, modificam sua ideologia baseando-se em fatos concretos, em suma, na razão.

    Como é possível defender um sistema que promete liberdade e gera servidão? Ou mesmo que promete igualdade de direitos e lhe nega qualquer direito? Que promete alimento e gera escassez? Seria o "coração"?

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1046 - "A fome na Ucrânia - um dos maiores crimes do estado foi esquecido"

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=94 - "O horror da China comunista e seus pavorosos campos de morte"

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1584 - "Marxismo: a máquina assassina"

    Para defender a ideologia marxista é necessário apelar ao "coração", mas para abominá-la basta um pouco de bom senso.

    Entretanto, para ser libertário basta aplicar a razão à análise dos fatos. De forma simples (e resumida):

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2383 - "Sem o estado, quem cuidará dos pobres?"

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2453 - "Quer matar as pessoas de fome em pleno ano de 2016? Adote o socialismo"

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2466 - Como a crescente estatização do crédito destruiu a economia brasileira e as finanças dos governos"

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2474 - "Se o objetivo é limitar os gastos do governo, há um exemplo prático a ser copiado: a Suíça"

    anônimo, sugiro que leia os artigos do IMB sem se deixar levar por seu "coração", pois conseguirá ver que os liberais se baseiam na razão, não no "coração".
  • Oneide teixeira  30/07/2016 02:47
    Ele não esta falando em conquistar quem já é liberal, mas a população.
  • Mais Mises...  29/07/2016 22:32
    Caro anônimo, cresci numa região de atividade econômica metalúrgica, com forte atividade sindical e todas as balelas socialistas que conhecemos. Não à toa, cresci acreditando nelas (votei em pt independente até de candidato...) porque no meu coração, igualdade, solidariedade eram valores da esquerda. Ali, meu coração pertencia àquele mundo.
    Porém, após começar a trabalhar, há 16 anos atrás, passei a enxergar a situação um pouco diferente... Passei a ser neutro há algum tempo. Mas após conhecer a Escola Austríaca, Mises, Hayek, Friedman, Rothbard e ler, ler, ler, ver vídeos, ler e continuar a ler, a minha razão em face dos dados e de toda argumentação que dada pelos autores dos livros/artigos, a partir daí sim, meu coração passou a fazer parte do universo liberal/libertário. Não foi o contrário.
  • O MESMO de SEMPRE  30/07/2016 14:01
    Perfeito!

    O que leva alguém a insistir em algo tão mal formulado como uma ideologia, sempre repletas de contradições stricto senso?

    Somente o INTERESSE apoiado por uma comunidade de apoio. Isso é a fórmula ideológica.

    O que se tem que fazer é elevar as ideias liberais a uma ideia de MORAL que valoriza o indivíduo honesto.

    Os Socialistas sempre se esfregaram uns nos outros e demonstraram desprezo por seus críticos. O apoio mutuo ou mais propriamente INCESO MUTUO sempre foi a "cola" que os uniu: todos se louvam com "pessoas maravilhosas" que querem o bem do pobres e a tal justiSSa social.

    Os críticos do Socialismo sempre deixaram claro o quanto os apoiam moralmente, mas que sua ideologia (moralmente linda) é um fracasso na prática. Ora, a VAIDADE quer o apoio grupal, o reconhecimento moral que o objetivo alegado proporciona e não o objetivo em si. Daí as contradições e descaramentos na defesa do socialismo. Sem mesmo fazê-los corar. Pois se apoiam nos demais integrantes do grupo e NÃO em suas consciência. Exatamente esse antagonismo os leva ao comportamento VIOLENTO, manisfestando o desejo de impedir qualquer crítica que vislubrem como possivel causa de perda de apoio. Afinal, sectários querem AMPLIAR os GRUPO DE APOIO e não a verdade que só a própria consciência apoia.
  • O MESMO de SEMPRE  30/07/2016 13:50
    Matou a pau, anônimo!

    A mais brilhante frase que já li diz algo assim:

    Não é possível fazer alguém mudadar sua opinião através da razão, se esta opinião não foi adquirida pela razão.

    As ideologias jamais se dirigem à razão, mas sempre às emoções, desejos e paixões. Elas sempre prometem PARAÍSOS em futuro sem data e incerto. Com isso se desvencilham de qualquer apelo à racionalidade, à realidade ou a qualquer julgamento ético.
    Ideologias concebem a idéia de MORAL ARBITRÁRIA onde TUDO se justifica nos FINS que afirmam desejar estabelecer. Assim nada deve ser JULGADO, pois que o OBJETIVO REDENTOR (fim supremo) que as ideologias prometem passam a justificar todos os meios que apresentam como "receita pra atingir tal objetivo".

    Desta forma não importa ao "viciado" na fantasia qualquer argumento racional que se lhe oponha. Pois o desejo de atingir o objetivo é aquilo que o torna "alguém melhor". Essa é a MORAL IDEOLOGICA que fala ao interesse dos indivíduos e não a sua razão. Assim ele tentará moldar a realidade àquilo que lhe interessa.

    Claro que ao tocar nas emoções a VAIDADE não ficaria esquecida. Pois que se MANIPULA o indivíduo atiçando-lhe a vaidade.
    A MORAL é a regra que define o valor de um indivíduo ante sua comunidade, ou grupo de apoio. Assim cada grupo valoriza seu integrante segundo a cooperação deste com o grupo. Isso é um tanto o que TROTSKY expôs ao conceber "A MORAL DELES E A NOSSA".
    Uma GANG valoriza o CORPORATIVISMO de seus integrantes e mesmo a força ou violência destes. Para uma gang não interessa a honestidade ou senso de justiça do integrante, mas sua fidelidade ao grupo e habilidade violenta. Da mesma forma, para um seguidor de uma ideologia pouco vale a honestidade intelectual ou o reconhecimento da LÓGICA e da realidade.

    É EXATAMENTE POR ISSO QUE A RAZÃO NÃO LHE DIZ NADA, pois seu valor para o grupo ideológico é o CORPORATIVISMO e a afirmação da "VERDADE IDEOLÓGICA", ou "receita" salvadora - amontoado de afirmações que pretensamente levarão ao "Paraíso prometido", ou objetivo redentor.

    O descaramento, de seguidores de ideologias, diante da realidade é um auto condicionamento imposto. Uma vez que o interesse é PERTENCER AO GRUPO e ser por ele acolhido.
    Assim, com o MANIFESTO APOIO GRUPAL, o indivíduo se despe de qualquer JULGAMENTO ÉTICO (apoio da própria consciência) para se entregar ao "pensamento" grupal assim definido.

    Um seguidor ideológico não quer o orgulho egoísta de estar em conformidade com sua consciência, mas sim o manifesto apoio de seu grupo. Por isso a realidade e raciocínios nada dizem ao sectário ideológico.

    Portanto se teria que atacar a emoção para fazer um sectário sensível à razão.
    Ou seja, se teria que atacar a MORAL e aparentar desprezo ao confronta-lo.
    A ostentação de ORGULHO pela coerência e reconhecimento da realidade seria a melhor forma de levar um sectário a refletir sobre OUTRA MANEIRA de SE INSERIR EM UM GRUPO DE APOIO.

    Exatamente pelo fato de os adversários do Socialismo estupidamente preferirem a "luta" econômioca em detrimento da "luta" moral é que o Socialismo persiste como OBJETIVO CONSAGRADOR.

    Os adversários do Socialismo sempre o contestaram como teoria econômica (razão) e nunca como ideologia (emoção). O que sempre foi feito foi aventar o Socialismo como um objetivo moral que não se realizaria. Desta forma os adversários das ideais socialistas sempre insistiram que tal funesta ideologia era LINDA, apesar de impraticável. Assim valorizavam moralmente as idéias socialistas como (decorrentes do sincretismo com o cristianismo), porém errada como meio para atingir o objetivo, então reconhecido maravilhoso. Ou seja, o objetivo ideológico estaria correto, mas o meio (ideologia) incorreto. CLARO QUE COM ISSO PULUM VARIADAS TENTATIVAS IDEOLÓGICAS e seu fracasso jamais um impedimento para TENTAR MAIS UMA VEZ o OBJETIVO que valoriza moralmente o adepto.

    Fosse o Socialismo algo dirigido à razão, teria se destruido antes mesmo de ser concebido. Porém os fracassos técnicos não lhe impedem o sucesso moral. Afinal, somente se ataca a forma de atingi-lo e não o objetivo apregoado. Como ideologias se fundamentam no FUTURO PROMETIDO, este persiste incensando seus adeptos.
  • Juliana  30/07/2016 23:25
    boa parte eu concordo com O MESMO de SEMPRE, mas para mim ele complicou um pouco além da conta. Por que não simplesmente repetir o clichê 'conquistar corações e mentes' (com o alerta de que a ordem dos fatores não altera o produto), se ele é até mais completo?

    Fora que essa questão poderia ser tão mais interessante se fosse discutida em termos de propaganda, ou seja, em termos de vender a ideia, de sempre se estar buscando formas de transmitir a mensagem para o público em geral e de modo que isso seja o que elas queram, e por aí vai. Mas essa parece sempre ser uma palavra associada a quem quer manipular os outros. Eu entendo, porque em imensa parte isso é verdade, mas a ojeriza também não se justifica.

    Além disso, eu acho que é uma perda de tempo esperar que todas as pessoas (ou a maioria delas) possam se tornar "liberais convictos". Vai sempre existir certa quantidade de socialistas sem volta, outra quantidade de liberais sem volta, mas a grande maioria vai sempre seguir "acompanhando a maré", conforme seus interesses.

    Por último, derturpar a linguagem — em um sentido bem amplo e não só referente às palavras — para mentir e conquistar o poder é uma característica típica de quem defende regimes totálitários, como fez Augusto em Roma, um pouco antes de Cristo (mostrado neste vídeo, a partir de 41:22) e os socialistas só levam a lição adiante. Mas usar a linguagem para transmitir ideias e persuadir é pode ser fascinante, além de muito útil. O Márcio Coimbra no podcast (de 2014) aqui do site falava justamente sobre o trabalho de um instituto lá nos Estados Unidos de instruir políticos, acadêmicos e quaisquer outras pessoas em como falar de liberalismo, nas mais diferentes mídias, de uma forma que o público em geral consiga absorver.
  • anônimo  30/07/2016 23:55
    Correção: O ponto no vídeo que começa a falar do Augusto, imperador romano, é a partir de 42:19.
  • Marcelo Vasconcelos  01/08/2016 16:40
    anônimo, acho muito curioso as pessoas definirem a adesão ao pensamento liberal como uma questão emocional e não apenas (ou principalmente) racional.

    Não partilho de todos os conceitos dos misesianos, mas vejo que o pensamento liberal se baseia, essencialmente, na razão.

    As pessoas que defendem o marxismo agem por ingenuidade ou má-fé, pois basta uma análise histórica e fática para que os fundamentos desta teoria sejam derrubados. Tal caso não ocorre com o liberalismo, uma vez que os liberais buscam fatos concretos para fundamentar seus pensamentos e ações.

    "Deve-se conquistar o coração antes da razão. Uma vez que conquista o coração as pessoas irão buscar acreditar naquilo independente da sua verdade.

    Isso serve para o socialismo, liberalismo e qualquer religião."


    Você sem dúvida não é um liberal. Quem se auto intitula liberal não se atrela a conceitos pré-formulados. Pense no exemplo (é apenas um exemplo) de que alguém fosse capaz de provar que o comunismo traria liberadade a todos (algo absurdo!), ou seja, o bem mais almejado pelos liberais, ao passo que o liberalismo não seria capaz de tal feito. Ora, um liberal de verdade mudaria imediatamente seus conceitos e ao invés de tentar defender o liberalismo com argumentos estapafúrdios, mudaria sua forma de pensar, baseando-se na razão, e passaria a tratar o comunismo como sendo a ideologia a ser adotada.

    Obviamente o exemplo utilizado não corresponde a realidade, mas o fundamento para esta afirmação não vem do "coração", pelo contrário, vem da razão.

    Não tenho dúvidas de que se algum dia for provado que o liberalismo não funciona na prática os liberais deixarão de exitir, contratiamente ao que acontece com comunismo e socialismo, que mesmo sendo inegável o fracasso destas ideologias ainda há muitos que as defendem.
  • Felipe  03/08/2016 20:23
    Eu sou um liberal pelo coração, sempre acreditei e continuo acreditando que as pessoas devem ser livres para viver suas vidas e me lixo para o que os utilitaristas dizem. Mesmo se um dia alguém provar que escravizar toda a raça humana produzirá mais riqueza, eu não deixarei de defender o liberalismo.


    Isso não quer dizer que eu tenho uma fé cega na minha ideologia, apenas que eu tenho bons principios.
  • Júnior  29/07/2016 16:06
    Eu gostaria de entender esse mecanismo que conseguiu atrair tantos educadores para o pensamento socialista nos últimos anos. Por que há tantos professores, principalmente aqueles provenientes de faculdades públicas, com mentalidade ostensivamente socialista? Há nisso um propósito subliminar, já foi identificada alguma fonte proativa agindo nesse sentido, ou é apenas teoria da conspiração? Ou será que querem que pensemos que seja apenas teoria da conspiração? O fato é que os docentes, geralmente os licenciados, ao invés de questionadores, pensadores, arguidores, ao invés de capazes de incutir a amplitude de conhecimentos e provocar a perspicácia em seus alunos, saem da faculdade ferozmente convencidos, engajadamente soldados, limitadamente doutrinados. Vêem seus alunos como potenciais discípulos. E rebatem qualquer argumento válido. Não aceitam uma crítica ao capitalismo, de que é possível melhorar as relações de trabalho e benefícios sociais, dentro do capitalismo, sem necessidade de mudança. Não aceitam o argumento de que as nações capitalistas são as mais ricas, mais democráticas e com melhor IDH. Não. Fogem à razoabilidade. Usam o discurso da contrariedade sedutora e mentirosa, como diz o texto.
  • brunoalex4  29/07/2016 16:36
    Recomendo o seguinte livro:


    MAQUIAVEL PEDAGOGO: OU O MINISTERIO DA REFORMA PSICOLOGICA
    Livro por ALEXANDRE MULLER RIBEIRO e PASCAL BERNARDIN.

    Sinopse:


    O livro de Pascal Bernardin procura responder às seguintes perguntas- Quais são as razões da profunda crise na escola? É possível encontrar uma espécie de vírus no gene da sociedade e do sistema educativo? Pode-se concluir que é urgente uma redefinição do papel da escola e de suas prioridades? Pascal Bernardin pretende mostrar detalhadamente que o objetivo prioritário da escola moderna não é mais possibilitar aos alunos uma formação intelectual e muito menos fazê-los adquirir conhecimentos elementares. O que se pretende com a redefinição do papel da escola é torná-la nada mais do que o instrumento de uma revolução cultural e ética destinada a modificar os valores, as atitudes e os comportamentos das pessoas em escala mundial.

    Fonte: Livraria Cultura.
  • Livre Mercado  29/07/2016 16:48
    O mecanismo se chama inveja do sucesso alheio, professor no Brasil é a típica profissão de fracassado, onde quem não sabe produzir nada de útil, um profundo desprezo pelo sucesso alheio e um ego que não lhe permite assumir a pobreza que está condenado se agarra a estruturas e idéias que lhe suportem, vai levando os estudos a frente bancado pelos pais ou pela sociedade até chegar em altos graus acadêmicos, o resultado disso nas salas de aula todos conhecem.

    Sucesso causa inveja e muita, minha sala do ensino médio formada 20 anos atrás é de uma sorte ímpar, 25% de nós já ingressaram na almejada classe média alta vindos de uma classe baixa, a causa, um único professor genuinamente liberal e capitalista de resultados muito satisfatórios nos negócios, quebrando o paradigma de que dinheiro é ruim.

    Uma educação voltada para o coletivismo e pregação ao deus estado pode empobrecê-lo? Certamente, e vai torná-lo um eterno escravo da sua mente limitada.
    Para que a revolução socialista tenha êxito é essencial que os pobres sejam incapazes de produzir e se libertar, implorando por mais e mais estado.
  • Fernando  01/08/2016 13:38
    Trabalhei muitos anos como desnhista/produtor gráfico, iniciando minha carreira em 1971, quando ainda não havia computação gráfica, quando tudo era feito manualmente em uma prancheta.
    Durante anos, ouvi dos mais velhos e experientes, em vários estúdios, agências de publicidade e editoras, um ditado recorrente à época:
    "Quem sabe, faz. Quem não sabe, ensina. Quem não sabe ensinar, ensina a ensinar. E quem não sabe ensinar a ensinar, vira crítico de arte" (assim, com minúsculas, pois Arte (com maiúsculas), só é feita por quem sabe).
    My two cents on the subject.
  • O MESMO de SEMPRE  30/07/2016 14:19

    Junior,
    essa questão você consegue descobrir conversando com velhos professores que atuavam lá pela década de 60.

    Os socialistas profissionais passaram a direcionarem aos manipuladores de opinião. Aqueles que falam sem poder serem constestados. Coisa de Gransci.

    Um velho professor com boas relações (e bocas nop Estado) políticas me esclareceu isso e a prova era a posição obtida.

    A idéia difundida por professores cooptados para espalharem entre seus colegas de profissão era de que sob o Socialismo a CLASSE do PROFESSORES (sim, uma contradição) seria mais reconhecida não só economicamente, mas sobretudo em sua "importância" ou status social.

    Daí o falatório de que "professor é mal remunerado", REPETINDO-SE ESSE MANTRA INSISTENTEMENTE como LAVAGEM CEREBRAL (é técnica, vide Dilma e petistas repetindo o "GOLPE").

    Assim os professores, quanto mais recalcado e vaidoso, se entregavam como "donzelas seduzidas" aos seus ADESTRADORES ideológicos ao ponto da servião.

    Sim, os professores se encantavam com os GALANTEIOS que militantes profissionais lhhes dirigiam.
    Afirmavam que "os professores eram os profissionais mais importantes da sociedade" e que não eram reconhecidos como tal sob o capitalismo". Assim os seduziam com galanteios e promesas de "amor socialista" pela atividade.

    Com isso acirravam a revolta nos imbecis do ensino, tipo:
    "vocês são os profissionais mais importantes e o capitalismo valoriza os patroes que enriquecem à suas custas, sem dar-lhes nem o reconhecimento financeiro e nem de status"

    Arrematavam com: "no socialismo o trabalhador do ensino terá sua posição reconhecida e remunerada segundo esse reconhecimento" ..."o socialismo apoia a luta dos professores em busca do merecido reconhecimento que lhes é negado pelo capitalismo"

    Ainda difundiam que ERA HUMILHANTE PARA UM PROFESSOR TORNAR-SE EMPREGADO de um EX ALUNO.
    A idéia era que um aluno jamais poderia ter um desfrute material superior ao de seu professor e "responsável" pelo seu sucesso.

    Essa comparação entre alunos ricos em posição superior aos professores era isada para revolta-los e faze-los desejar uma HIERARQUIA SOCIAL.

    Isso foi o que dominou as mentes de professores VAIDOSOS e então frustrados, que passaram a ODIAR o CAPITALISMO que não os reconhecia como superiores e nem mesmo os remunerava como tal.
  • LUCIANO SILVA  29/07/2016 21:14
    As ideias socialistas conquistam tantos corações e mentes porque a maioria das pessoas são boas (solidárias, caridosas, generosas, honestas, etc.) e desinformadas sobre criação de riqueza. Por isso, redistribuição de renda, taxação de grandes fortunas e alta carga de impostos fazem tanto sentido àqueles que não gostam de ver o sofrimento alheio. Parece-lhes justo tirar dinheiro dos "milionários" para dá-lo aos necessitados. O socialismo se aproveita da bondade humana, e aí, fica fácil transformar o verbo roubar em "justiça social".
  • Mais Mises...  29/07/2016 22:38
    Parabéns! Excelente o seu comentário.
  • O MESMO de SEMPRE  30/07/2016 14:36
    Luciano, erraste de muito.
    Não é que sejam boas, mas exatamente o contrário.

    Fossem elas boas e bem intencionadas, se dedicariam a entender as questões. Porém, adotam ideologias por VAIDADE e é a vaidade que produz a INVEJA.

    Apesar do Socialismo só ter produzido GENOCÍDIO, MISÉRIA e ESCRAVIDÃO aos líderes estatais e ideológicos, ainda assim estas "boas pessoas" persistem apoiando estes MANÍACOS sanguinários???

    Francamente, que boa pessoa com boa intenção persistiria apoiando tal funesta ideologia???

    É a INVEJA que faz com que desejem rebaixar moralmente os ricos e bem sucedidos. Querem o repúdio aos que fazem sucesso e não o bem dos pobres. De preferência querem o castigo e o sofrimento para os bem sucedidos que invejam e pouco se importam com os necessitados.

    Vide socialistas que se enriquecem sempre que podem, sobretudo INJUSTAMENTE.

    Nenhum socialista inveja o sucesso imerecido, mas sim o sucesso merecido.

    A atividade artistica é a mais banal das atividades e muitos se enriquecem absurdamente através de privilégios estatais/governamentais ...nenhum socialista inveja artyistas milionários, muito mais ricos que grandes empresários que criam milhares de empregos.

    Faustão fatura R$ 5 milhões mensais na Globo outros apresentadores situam-se entre um e até mais de 3 milhões mensais. Atores protagonistas e diretores (Falabela R$ 650 mil) faturam sempre acima de 300 mil e mais das vezes superam os 500 mil por mês.

    ...e as classes MANIPULADORAS de OPINIÃO GOZAM de INCENTIVOS FISCAIS E VERBAS ESTATAIS ...nenhum socialista se importa: laboratórios de remedios, produção de comida e habitação pagam pesados IMPOSTOS ...enquanto TV, jornalismo e até agencia de propaganda, possuem isenções e impostos minorados. Pior ainda a produção teatral e cionematografica que nem o INSS do empreagdor precisam pagar e as empresas de produção artistica (pelas quais os artistas recebem) tamb[ém possuem incentivos e isenções.

    Nenhuma dessas "boas almas" socialistas se importam com isso, mas apenas com os empresários eprofissionais de sucesso.

    É a VAIDADE que gera a INVEJA do sucesso merecido. Se imerecido não despérta tanta inveja!!!
  • LUCIANO SILVA  30/07/2016 22:26
    "Luciano, erraste de muito.
    Não é que sejam boas, mas exatamente o contrário".

    Então a maioria das pessoas são más?

    "Fossem elas boas e bem intencionadas, se dedicariam a entender as questões. Porém, adotam ideologias por VAIDADE e é a vaidade que produz a INVEJA.".

    Com certeza, todo socialista é um invejoso, mas nem todo mundo que se deixa levar por ideias socialista é um socialista. Se informar sobre o socialismo até pouco tempo atrás não era coisa tão simples assim. Não fosse a internet, e sites como o INSTITUTO MISES e outros anticomunistas, onde poderíamos nos dedicar a "entender as questões"? Nem em cursos superiores da área de exatas você está livre da pregação socialista.

    "Apesar do Socialismo só ter produzido GENOCÍDIO, MISÉRIA e ESCRAVIDÃO aos líderes estatais e ideológicos, ainda assim estas "boas pessoas" persistem apoiando estes MANÍACOS sanguinários???
    Francamente, que boa pessoa com boa intenção persistiria apoiando tal funesta ideologia???"

    A resposta é próprio artigo e o título já diz muito: Como os socialistas deturpam a linguagem para conquistar corações, mentes e, é claro, o poder.

    "É a INVEJA que faz (...)."
    Daqui em diante você discorre sobre a inveja, o que já foi feito em vários outros artigos do site ou resumidamente neste artigo:

    Entenda o marxismo em um minuto
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1409

    Bônus:
    "A atividade artistica é a mais banal das atividades (...)"

    Compare o PIB de muitos países com a arrecadação de HOLLYWOOD.
  • Amonino  31/07/2016 12:53
    Seriam os ganhos artísticos imerecidos?

    Não seriam artistas e esportistas arquétipos de empreendedores? Afinal, atendem à demanda por entretenimento.

    Se forem muito bem remunerados significa que muita gente requer seus serviços continuamente.
  • O MESMO de SEMPRE  31/07/2016 22:49
    Atividades banais podem ter muito valor.

    Por exemplo um sujeito que se abaixa para pegar um diamante ou uma pepita de ouro está atendendo uma demanda que o remunera imensamente.
    Abaixar e pegar uma pepita ou diamante no chão ou num corrego é um trabalho banal, mas muito bem e justamente remunerado.

    O fato de ser banal não implica em pouco valor para os que o demandam.

    Uma c alcinha fio dental, nada vale para um homem. Porém um bela mulher a valoriza. Tudo depende de quem demanda, mas não depende de quantidade de trabalho ou complexidade do trabalho: VALOR É SUBJETIVO!!! ...Uma atividade banal pode ser de grande valor para muitos.

    Favor não confundir PREÇO e muito menos VALOR com quantidade de trabalho ou com complexidade do trabalho e nem mesmo com qualidade do trabalho PORQUE o VALOR É SUBJETIVO.

    Um artista suja uma tela ou cola algumas garrafas pet uma nas outras e diz que é arte e loucos valorizam tal porcaria.

    Vais dizer que é um trabalho intelectual um sujeito que coloca um pincel no "furico" e espalha tinta numa tela? ...mas existe e tem que valorize tal demência.
    Inumeros casos de ARTE se pode citar...

    Um filme idiota bananeiro pode ter grande arrecadaç~ao de bilheteria (pode) ou os artistas faturarem alto para fazer curtas metragens de conteúdo que levaria um par de horas para filmar uma "performance".

    A peça MACAQUINHOS PERFORMANCE remunerou bem os tais de artistas. Vais dizer que tal arte é uma atividade intelectual complexa??? ...exige habilidade e criatividade incomuns???

    É PRECISO se esforçar para entender o ÓBVIO???
  • Amonino  31/07/2016 23:39
    Seguindo a linha de subjetividade do valor proposta, o entretenimento não precisa ser elaborado, criativo ou sui- generis. Tem de despertar no público alvo interesse suficiente para que pague-se por ele.

    Com toda sinceridade, chamar os ganhos artísticos de imerecidos, baseado, basicamente, no próprio gosto,citando inclusive salários como exemplo, soou como a criticada inveja...
  • O MESMO de SEMPRE  01/08/2016 10:49
    A safadeza resulta do despeito.
    Só um safado, MESMO DEPOIS DE TER SUA CANALHICE DESMORALIZADA AINDA INSISTE EM INVENTAR SIGNIFICADO SOBRE O QUE LEU.

    A atividade artistica é a mais banal das atividades humanas. Até animais treinados podem ser artistas.

    ha animais artistas e representam muito bem seu papel. Ha artistas que sujam telas de tinta e que colam garrafas pet.

    Sentir-se ofendido em sua pretensão artistica a ponto de FRAUDAR o que foi escrito demonstra não só inveja de quem possui atividades complexas como a frustração que gera a FRAUDE DETURPADORA.

    Uma atividade ser banal não significa que o ganho por ela obtido honestamente seja imerecido, mas é imerecido quando obtido através de PRIVILÉGIOS LEGAIS ou OFICIOSOS, sobretudo quando obtidos dos IMPOSTOS cobrados à força da população.
  • O MESMO de SEMPRE  01/08/2016 10:59
    Só um safado ofendido em sua pretensão artistica pode afirmar que em algum momento fiz qualquer alusão a ganho imerecido nas artes.

    Se foi remunerado espontaneamente por quem valoriza sua arte, seu ganho é merecido.

    Imerecido é receber verbas oriundas de IMPOSTOS e receber PRIVILÉGIOS FISCAIS por ser um potencial MANIPULADOR de OPINIÃO em favor do Poder estatal.

    Só um safado pode insistir numa afirmação leviana mesmo deopois explicado o óbvio.
    Até debeis mentais podem fazer arte e algumas até do meu gosto.
    Um artista plastico que faz o "hiper realismo" é alguém com uma atividade que exige talento e treino. É fantástico e admirável.

    ...mas quem representa a arte enfiando dedos no traseiro uns dos outros e cheirando os "furicos" uns dos outros, como a arte na peça MACAQUINHOS PERFORMANCE, me perdoe, mas só dementes podem acreditar que tal é uma atividade.

    Você, FRAUDADOR de COMENTÁRIO, se é participante da tal peça de arte (arte de cheirar traseiros) contente-se com o dinheiro público que recebes pela su arte e não tente EMPULHAR. Vá cheirar traseiros de seus pares.
  • O MESMO de SEMPRE  31/07/2016 22:58
    Seria coisa de boas pessoas apoiar que o governo ROUBE de uns para DAR a outros em troca de apoio e votos????

    Um sujeito que concorda com a idéia de que quem trabalha e produz para acumular créditos (capital), deve ser PILHADO ou EXPROPRIADO dos frutos do seu trabalho, sob ameaça de violência, para que tal seja fornecido a outros e, sobretudo, àquele que por tal apoia esta injustiça chamando-a de "justiSSa social" ...É um BOM SUJEITO????


    Quem apoia o socialismo apoia que a violência seja usada para ROUBAR de quem produziu valor e o acumulou, para que tal seja concedido graciosamente (em troca de apoio político e/ou votos) a vagabundos e safados oportunistas, pode ser alguém decente???

    Claro que não!!!

    O erro tecnico é aceitável, mas o erro ÉTICO tão escandaloso não é erro, é safadeza!!!

    Ninguém pode se enganar tanto e acreditar que ameaçar um inocente de violência para tomar-lhe os frutos do trabalho honesto possa ser algo defensável.

    Todo socialista é antes de tudo um safado!!!
  • Oneide teixeira  30/07/2016 02:56
    Liberal parece um cordeiro reclamando da violência do lobo.
    Eles a esquerda esta certa, o errado somos nós em permitir que Maduro seja uma opção aos Venezuelanos, Dilma aos Brasileiros, hillary clinton aos americanos.
    Se tem espaço para a esquerda agir é por causa da incompetência da direita, e se você não se define como direita lamento sua capitulação a esquerda.
  • Conservador  30/07/2016 09:09
    Excelente.
  • Dissidente Brasileiro  30/07/2016 20:21
    Venezuelanos no Brasil apelam a viajantes desconhecidos para enviar remédios

    Quem tem coragem de dizer que o socialismo não é bom? Os "póbris" viajam de avião para o exterior apenas para comprar remédios... isso é chique demais!! Como vocês têm a cara de pau de reclamar de algo assim... rsrsrs.
  • a  30/07/2016 22:55
    Precisamos de livre mercado já.
  • Amonino  31/07/2016 03:32
    Conforme comentado acima, dificilmente se convence com lógica algo que a pessoa não acredite com o coração. Religiões estão aí como exemplo clássico. Ideologias tb.

    Mais ainda, é possível traçar paralelos interessantes entre diversas ideologias:

    Consideram a atual sociedade injusta.

    Buscam alcançar uma nova organização social, frequentemente utópica.

    Identificam uma força opressora a ser combatida, frequentemente associada a grupos poderosos.

    Alegam que o seu próprio conceito moral é o correto é todos os outros devem ser rejeitados. Abominam o relativismo.

    Alegam que sua sociedade será melhor para todos, frequentemente alegam que será melhor para os pobres.

    Bem como variam as sociedades ideais, variam os métodos para destronar a atual e alcançar a almejada. Mas um método é unânime: pregação/conversão.

    Daí retornamos ao início do comentário. Todas as ideologias se consideram as mais justas, mais lógicas e mais morais. Assim tentam se promover. Entretanto dificilmente se consegue incutir isso em quem não tenha uma tendência a abraçar tal ideia. O que deveria ser um trabalho de pregação/conversão acaba se tornando mero trabalho de identificação. Os que não abraçam a ideia são considerados burros, desonestos, criminosos até invejosos(síndrome de Valesca Popozuda?). Em resumo, identificados como inimigos.

    Portanto, se alguém considera injusta a atual sociedade e busca uma sociedade melhor, pode até não concordar com os métodos...

    ...Comunistas
    Anarquistas
    Anarcocapitalistas
    Liberais
    Libertários
    Consevadores
    Fascistas
    Socialistas...

    , mas para entender as motivações deles, basta sondar as próprias motivações.
  • anônimo  31/07/2016 14:19
    Minha única motivação é viver minha vida em paz sem ninguém enchendo meu saco, mas não posso pq tenho que sustentar parasitas e palermas isentões como vc que bota o libertarianismo junto dessa escória.
  • Amonino  31/07/2016 15:10
    E qual é o seu método para "viver em paz sem ser incomodado"?

    Solicitar que o parasita não te parasite?

    Se isentar de se identificar como militante ideológico?

    Libertarianismo é uma ideologia, e isso não depende do decreto um palerma.
  • Americano  31/07/2016 12:56
    O povo que mais sofreu nas mãos do socialistas foram os ucranianos. Os chineses e norte coreanos são magros até hoje, mas nada se compara a Ucrânia.

    No final da tragédia socialista, teve até a explosão nuclear em Chernobyl, deixando milhares de ucranianos contaminados pela radiação.

    Até hoje tem russos enchendo o saco na Ucrânia.
  • Douglas  31/07/2016 19:32
    Isso é verdade mesmo. Eu sempre digo isso nas conversas que tenho sobre o assunto.
  • Americano  31/07/2016 13:12
  • anônimo  31/07/2016 14:14
    Foda-se a ucrânia, foda-se a russia e foda-se os EUA, país lixo, imperialista, que fica espionando o mundo todo,invadindo o mundo todo, criando guerras no mundo todo, incentivando e armando terroristas e exportanto uma cultura LIXO, feita por um povo burro manipulado que não enxerga gramscismo nem se esfregarem nas ventas dele.
    https://www.youtube.com/watch?v=l62Umqi7948
  • anônimo  31/07/2016 22:30
    Bom mesmo é a Somália.
  • Douglas  31/07/2016 19:36
  • Rodrigo Amado  25/08/2016 12:56
    Essa deturpação funciona apenas por que a maioria das pessoa é imbecil.
  • Emerson Luís  14/09/2016 23:00

    É impressionante a capacidade do esquerdismo de fazer as pessoas enxergarem o oposto do que estão vendo.

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.