clube   |   doar   |   idiomas
Só é socialismo enquanto funciona; quando deixa de funcionar, nunca foi socialismo

Você já tentou pregar gelatina na parede com um martelo e um prego?  Isso é muito mais fácil do que encontrar um socialista que apresente uma definição clara sobre o que é socialismo.  Como a definição sobre o que é socialismo é extremamente volúvel, variando de acordo com os resultados, o socialismo se torna um alvo interminavelmente móvel.

Marx defendia a abolição da propriedade privada e a estatização de todos os meios de produção (fábricas, fazendas, minas, escritórios, maquinários, equipamentos, computadores etc.).  Ele chamou isso de "socialismo científico".

"Mas não é isso o que defendemos!", afirmam os socialistas de hoje.

Lênin estabeleceu a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).  Ele colocou o estado soviético no comando de cada aspecto da vida do indivíduo e fez isso "pelo bem do povo". Quando a coisa deu errado, recuou e permitiu um pouco de livre iniciativa.  Stalin o sucedeu, intensificou o socialismo e declarou que o arranjo iria fazer chegar à perfeição "o paraíso dos trabalhadores" prometido pelos intelectuais socialistas.  Gerou milhões de cadáveres.

"Mas não é isso o que defendemos!", alegam os socialistas de hoje.

Hitler e seus asseclas "planejaram" inteiramente a economia alemã, impuseram controle de preços, controle de salários e arregimentaram toda a produção. A propriedade dos meios de produção continuou em mãos privadas, mas era o governo quem decidia o que deveria ser produzido, em qual quantidade, por quais métodos, e a quem tais produtos seriam distribuídos, bem como quais preços seriam cobrados, quais salários seriam pagos, e quais dividendos ou outras rendas seria permitido ao proprietário privado nominal receber.  Os nazistas se auto-intitularam socialistas e até mesmo deram ao seu partido o nome de Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães.

"Mas não é isso o que defendemos!", gritam os socialistas de hoje.

Quinze diferentes repúblicas dentro do império soviético se proclamaram inteiramente dedicadas ao socialismo — até que todos os seus regimes entraram em colapso nos período de 1989 a 1991. (Veja alguns relatos sobre a vida nesses países aqui, aqui e aqui).

"Mas não é isso o que defendemos!", dizem os socialistas de hoje.

Mais exemplos fracassados de socialismo

Desde a década de 1950, dezenas de regimes na África e na Ásia se comprometeram com a utopia socialista, abraçando orgulhosamente o socialismo pelo nome.  E gerando outros milhões de cadáveres, a maioria por inanição. 

Absolutamente todos eles geram a mesma proclamação dos socialistas de hoje: "Mas não é isso o que defendemos!".

Socialistas ao redor mundo se regozijaram com a ascensão ao poder do socialista Hugo Chávez na Venezuela.  "É exatamente isso o que defendemos!" tornou-se o mantra dos socialistas à medida que o governo venezuelano ia expropriando, estatizando e redistribuindo. 

Mal se passaram 15 anos, e a economia venezuelana está hoje à beira do total colapso, com pessoas matando cachorros nas ruas para ter o que comer e recém-nascidos morrendo como moscas nos hospitais públicos do país.  Consequentemente, tornou-se impossível encontrar um socialista que defenda o atual regime venezuelano.  Porém, aqueles poucos que se pronunciam apenas dizem "Mas não é isso o que defendemos!".

Por ora, todos os socialistas encontraram como último refúgio a defesa das economias escandinavas.  "Agora sim, é isso o que defendemos!", asseguram eles. 

O problema é que uma observação mais aprofundada dos países escandinavos mostra que: tais países não possuem leis de salário mínimo, a carga tributária sobre as empresas está entre as menores do mundo, as economias são abertas e há uma praticamente plena liberdade de importação (as tarifas são baixíssimas), há liberdade de empreendimento (quase nenhuma burocracia para se abrir empresas), e quase não há empresas estatais (a única mundialmente famosa é a estatal petrolífera da Noruega, país que tem a gasolina mais cara do mundo).  Veja todos os detalhes aqui, aqui, aqui e aqui.

O primeiro-ministro da Dinamarca recentemente veio a público fazer a seguinte declaração: "Sei que muitas pessoas nos EUA associam o modelo nórdico a uma espécie de socialismo.  Sendo assim, gostaria de deixar uma coisa bem clara: a Dinamarca está longe de ser uma economia socialista planejada.  A Dinamarca é uma economia de mercado". 

Consequentemente, os socialistas de hoje dizem: "Bom, não é isso o que defendemos...".  Afinal, os socialistas de hoje defendem um salário mínimo imposto pelo governo e frequentemente reajustado, mais impostos sobre as empresas, mais regulamentações estatais sobre os empreendimentos, e maciça intervenção estatal sobre o comércio.

É até não ser mais

Mikhail Gorbachev, o último líder da URSS, ofereceu uma das mais efusivas visões de quem seria um socialista.  "Jesus foi o primeiro socialista", declarou Gorbachev, pois ele "foi o primeiro a querer uma vida melhor para a humanidade".

A tola alegação de Gorbachev não nos leva a lugar nenhum.  É difícil haver alguém mais anti-socialista do que eu; e eu também quero uma vida melhor para a humanidade (e essa é uma das várias razões de eu não ser um socialista).

Ademais, como explicado neste artigo, Jesus nunca defendeu a redistribuição de riqueza pela força ou pelo processo político.  A compaixão e o compartilhamento que ele que sugeria eram todos voluntários — ou seja, feitos com o coração e não com o bolso de um terceiro sob a mira de uma arma.  Jesus repreendia as pessoas invejosas e ladras, e elogiava o homem que investiu sabiamente seu dinheiro e teve uma grande rentabilidade.  Se Jesus era um socialista, então eu sou Torquemada.

Socialistas são espécies intelectualmente escorregadias.  Para eles, os modelos que defendem são socialistas até o momento em que deixam de funcionar.  Quando deixam de funcionar, então não são mais socialistas.  Pior: nunca foram socialistas. 

É socialismo até que tudo degringole; e então passa a ser qualquer coisa, menos socialismo.

Sob o socialismo, você ou mata a vaca de uma vez ou a ordenha 24 horas por dia.  Mas uma coisa é certa: quando o leite acaba, os socialistas culpam a vaca.  Talvez o motivo de os socialistas não gostarem do conceito de responsabilidade individual é porque eles não querem ser vistos como pessoalmente responsáveis pelas consequências práticas das idéias que defendem.

O Dicionário Oxford (cujo slogan é "a linguagem é tudo") define socialismo como sendo "uma teoria política e econômica de organização social que defende que os meios de produção, de distribuição e de troca devem ser propriedade da (ou regulados pela) comunidade como um todo".  E oferece os seguintes termos como sinônimos: esquerdismo, assistencialismo, progressivismo, social-democracia, comunismo e marxismo.

Talvez agora estejamos chegando a algum lugar.  Tal definição soa precisa, certo?  Mas não é.  O que significa dizer que "os meios de produção, de distribuição e de troca devem ser propriedade da (ou regulados pela) comunidade como um todo"?  Acaso uma padaria deveria pôr em votação pública suas decisões sobre o que colocar em suas prateleiras ou quem contratar para o turno da noite?

E essa parte de "ou regulados pela comunidade como um todo"?  Você conhece um corpo regulatório que seja formado por todas as pessoas de uma cidade?  Mais ainda: formado por todas as centenas de milhões de pessoas de um país?  Não seria mais correto simplesmente reconhecer que tais organizações sempre acabam sendo formadas por algumas poucas pessoas que usufruem poderes políticos quase que ilimitados?

Mesmo tendo em mãos um dicionário no qual pesquisar a palavra socialismo, ainda me vejo coçando a cabeça e perguntando: "Mas, afinal, que diabos é isso?".  Talvez seja algo imaginário — algo que alguma pessoa espera que seja, mesmo que jamais tenha sido assim todas as vezes em que foi tentado.

Ou talvez seja como a pornografia: ninguém sabe definir exatamente o que é, mas todos reconhecem quando vêem.

Solidariedade excludente 

Creio que a melhor definição que já vi sobre o socialismo foi dada pelo colunista Kevin D. Williamson da revista National ReviewEi-la:

O socialismo e o assistencialismo, assim como o nacionalismo e o racismo, se baseiam a apelos à solidariedade — solidariedade que tem de ser impingida sob a mira de uma arma.  Tal apelo vai muito além de uma preocupação genuína pelos pobres e oprimidos, ou pelo povo em geral.  Trata-se, ao contrário, de uma solidariedade excludente, uma noção supersticiosa que vê o "corpo político" não como uma mera figura de linguagem, mas sim como uma descrição substantiva que diz que estado e pessoas são um organismo unitário, cuja saúde é de tão suprema importância, que os direitos individuais — propriedade, liberdade de ir e vir, liberdade de expressão, liberdade de associação — devem ser restringidos ao máximo ou mesmo eliminados quando passam a ser vistos como insalubres.

Os países "socialistas" que parecem funcionar — como Suécia, Noruega e Dinamarca — funcionam não por causa de suas características tidas como socialistas, mas sim por causa do capitalismo que eles ainda não aboliram.  Adote o socialismo pleno e você vira a Venezuela.  Ou, pior ainda, a Coreia do Norte.

Socialismo é violência

No final, tudo se resume ao combate persuasão versus violência.  Todo o resto é trivial.  É mais ou menos assim:

Sob o capitalismo, uma pessoa bate à sua porta e pergunta: "Você gostaria de comprar esses biscoitos?".  Você tem a liberdade de dizer sim ou não.

Sob o socialismo, uma pessoa arromba a sua porta acompanhada de uma exército paramilitar e diz: "Você vai comer essas drogas de biscoitos, queira ou não, e irá pagar por eles também!".

Alguns socialistas dizem que estão simplesmente defendendo a "solidariedade" e o "compartilhamento".  E, dado que os defensores do socialismo têm boas intenções, então tal doutrina, por definição, tem também de ser voluntária e benéfica.   Exceto que nunca é.  Se fosse voluntária, não seria socialismo; e se fosse benéfica, não seria necessária a violência para criá-la e mantê-la.

Os socialistas de hoje pensam e agem como se houvessem acabado de chegar de um universo paralelo: 

a) Um endividamento trilionário significa que o governo federal ainda não gastou o bastante para resolver nossos problemas. 

b) Confiscar dinheiro que pertence a terceiros por meio da tributação é algo perfeitamente certo se for direcionado para "coisas boas". 

c) Pessoas se tornam instantaneamente mais honestas, competentes e preocupadas com o povo tão logo são eleitas para cargos públicos. 

d) Se você obrigar patrões a pagar salários maiores do que a produtividade de seus empregados, eles ainda assim continuarão contratando mais pessoas, aceitando heroicamente seus prejuízos. 

e) Regulamentações sempre fazem o bem, pois seus defensores têm boas intenções. 

f) Civilizações ascendem e se tornam grandiosas ao punirem o sucesso e subsidiarem o fracasso.  E entram em colapso quando adotam a liberdade e a livre iniciativa. 

g) As pessoas têm o direito de ter tudo aquilo que quiserem, e devem exigir que os outros paguem, como educação gratuita, saúde gratuita, transporte gratuito e aborto gratuito.

Talvez toda essa insensatez tenha sua origem em uma falha fundamental de definição: se não for pelo uso da violência para moldar a sociedade da maneira que você quer, então o socialismo nada mais é do que uma fantasia nebulosa.  Trata-se de um gigantesco quadro-negro no céu, no qual você pode escrever qualquer coisa que seu coração desejar — e rapidamente apagar tão logo as circunstâncias se tornarem constrangedoras.

De qualquer maneira, não quero de maneira alguma fazer parte desse experimento.  Mas os socialistas insistem que eu tenho de participar.  À força e para o meu bem.


4 votos

autor

Lawrence W. Reed

  • Pobre Paulista  10/06/2016 14:57
    Eu concordo que a culpa é da vaca. Ainda bem que ela saiu de lá.
  • Anderson Marra  10/06/2016 15:27
    "Culpa da vaca..." kkk Artigo espetacular!
  • Olavo  10/06/2016 18:16
    Foi pra vala.
  • anônimo  10/06/2016 15:13


    Grito de guerra da UJS: Mexeu com a UJS, mexeu com o Satanás.

    Essa porcaria de UJS é patrocinada pelo PDT, PCdoB e PT.

    O Jararaca também aparece no vídeo.






  • Anderson d'Almeida  10/06/2016 15:49
    Corte o dinheiro estatal para esses parasitas, force-os a tirar notas altas na Universidade (e se não as tirarem, reprove-os). Isto não resolverá o problema, mas pelo menos esses vagabundos não ficarão arruaçando e infernizando o resto da sociedade...
  • JP  10/06/2016 16:56
    Manada sendo manada, conduta gregária faz parte de pessoas que não possuem individualidade.
  • 4lex5andro  26/11/2016 02:46
    É um conjunto incrível de doutrinações e sofismas sem rumo que são propaladas em pleno 2016.

    Não se percebe que a negação do indíviduo em prol do chamado ''pensador coletivo'' é a própria negação de si em direitos e deveres.
  • saoPaulo  13/06/2016 11:22
    E o voto de cada um destes idiotas vale tanto quanto o do Leandro Roque...
    Bem vindos à democracia.
  • Wendel  15/06/2016 02:21
    No meu blog comentei sobre isso esta semana.
    blog.wendelrocha.eng.br/10-economia/39-a-democracia-nao-e-a-voz-do-povo-nem-a-voz-de-deus.html
  • Leg  16/06/2016 20:15
    E ainda tem curso de formação para isso?
  • Eduardo Zardo  10/06/2016 15:28
    Que baita artigo!
  • Rubim  10/06/2016 15:28
    Já cansei de ver comentários dizendo que a atual crise econômica que vivemos é por culpa das "políticas neoliberais" adotadas pelo governo. Só rindo desse povo mesmo.
  • Regina Da Cruz  10/06/2016 15:29
    Só é socialismo quando há dinheiro para gastar; quando deixa de haver, a culpa é dos outros. O socialismo é uma ideia vírica, para viver precisa de parasitar alguém; e se o hospedeiro se revolta com a parasitagem, a culpa é do hospedeiro que é um egoísta!

    E por isso é tão difícil combater o socialismo...
  • Max  10/06/2016 16:04
    Bem isso.
  • Renato  10/06/2016 17:56
    Reclamam do estado e não batem naqueles que mantém o estado: A CLASSE POLÍTICA.

    Se queremos ficar livres dessa corja temos que aos poucos alertar a todos sobre como é danoso para o bolso das pessoas e para os cofres do país a existência dessa classe parasitária chamada político.

    Em artigos anteriores eu percebi o aumento dos interessados que gostaram da minha ideia de criar um grupo para essa finalidade: A ELIMINAÇÃO DOS POLÍTICOS COMO CLASSE.

    Eu já expus aqui um principio de como iniciaríamos essa empreitada:

    Criaríamos um empreendimento para a função de alerta aos empreendedores. Sejam eles pequenos, médios ou grandes empreendedores.

    Um grupo poderia ser criado, mostrando o nosso cartão de visita, para fazer o trabalho de divulgação entre os empresários. Assim que contratados, de comum acordo com os mesmos (troca voluntária), estabeleceríamos um preço razoável para começar a imprimir cartilhas explicando as pessoas, dentro do estabelecimento do contratante, se assim esse desejar, mais principalmente nas ruas.

    Poderíamos também criar grupos de associados para que cada vez mais a mensagem de anti-políticos ganhasse mais força através de palestras e encontros.

    Mostraríamos aos poucos para as pessoas que pagar impostos é uma falácia. Só serve para sustentar a classe política...e também mostraríamos a existência de moedas digitais, como o bitcoin, por exemplo, para o empresário e para as pessoas comuns.

    Aos poucos vamos tirar essa mentalidade estatal da cabeça das pessoas.

    Como eu sou da CIDADE do Rio de Janeiro, ficaria melhor que pessoas daqui entrassem em contato comigo.

    Trabalharíamos como se fossemos "fantasmas". O investimento seria feito diretamente com empresários que assim solicitasse nosso serviço.

    É claro que esse grupo crescendo vamos criar e ter contato com pessoas de outros estados e até mesmo em nações estrangeiras.

    Para os interessados meu email é galenoeu@gmail.com
  • bruno teixeira  21/06/2016 12:29
    Renato,
    tem um livro que analisa uma colocação sua historicamente:
    PARE DE ACREDITAR NO GOVERNO: Por que os brasileiros odeiam os políticos mas amam o estado
    de Bruno Garschagem.
    Esse paradoxo tem sido chamado de paradoxo de garschagem.
  • William Wallace  10/06/2016 18:17
    O socialismo nunca foi proibido.

    O socialismo de estado sempre será um fracasso, causado pelo próprio carácter dos políticos e militontos.

    As pessoas podem dar todo seu dinheiro aos pobres, podem trabalhar para ajudar os pobres, podem arrumar emprego para os pobres, podem vender produtos sem ter lucro, etc.

    Esses partidos socialistas são formados por tiranos, ditadores, exploradores, bandidos, loucos, escravagistas, autoritários, etc. Esses partidos são aglomedados de maníacos. Também são formados por socialistas pagos, solidários pagos, igualitários pagos, militontos pagos, etc.


    Eles querem fazer socialismo com o dinheiro dos outros, socialismo com o trabalho dos outros, socialismo com a propriedade dos outros, etc. É falta de vergonha na cara e bandidagem.
  • Jarbas Profeta  10/06/2016 18:19
    Artigo irretocável!

    É incrivelmente complicado discutir com socialistas, a réplica é baseada no seu argumento e não nas convicções do elemento, que por sinal, como o texto bem explicita não tem convicção de absolutamente nada. É dar soco em ponta de faca. Já desisti à tempos.
  • Renan  10/06/2016 18:56
    Detupraram marquis e Suecia é socialismo que deu certo. Quem nunca ouviu isso?
  • Leandro Campos  10/06/2016 19:02
    Nessa eu ri

    Sob o socialismo, uma pessoa arromba a sua porta acompanhada de uma exército paramilitar e diz: "Você vai comer essas drogas de biscoitos, queira ou não, e irá pagar por eles também!".

    Pena que isso seja trágico

    Socialismo ou o nome que quiserem, é algo utópico de se alcançar, querem o paraíso na terra. Acho que a única forma de isso ocorrer, seria se tivesse um ataque zumbi, assim todos pegam o que quiserem dos outros porque não existe mais nada que seja realmente seu, dado as circunstâncias

    Então veja o quanto é utópica o "socialismo"
  • Ed  10/06/2016 21:27
    O texto está errado. No socialismo, eles arrombam tua casa e te obrigam a pagar o biscoito que eles vão comer. Não é assim que funciona nossa saúde e educação?
  • William Wallace  10/06/2016 19:34
    Total da receita realizada dos órgãos do Poder Executivo do Governo Federal em 2016(5 meses):

    Receita Realizada (R$) R$ 1.148.006.645.267,67
    Previsão Atualizada (R$) 2.950.148.991.416,54


    Esses 1,148 trilhão poderia pagar 60 milhões de salários de R$ 1.600 por 12 meses. E ainda sobra ICMS,IPTU,IPVA,etc.

    Que crise é essa ? Isso é comunismo dos mais radicais.


  • Max Rockatansky  10/06/2016 19:43
    Enquanto a maioria dos brasileiros continuar achando que sonegar é o mesmo que "roubar", esse território chamado "Brasil" continuará com mentalidade de atraso. E em qualquer rede social ou seção de comentários em qualquer site pode-se ver que essa visão é predominante.

    O resultado da mentalidade de que sonegar é o mesmo que "roubar" é que "todas as pessoas estão com as mãos nos bolsos de outras pessoas". Ou por outra: achar que sonegar é o mesmo que "roubar" significa que as pessoas se acham donas do dinheiro dos outros.

    É a mais completa inversão moral: as pessoas acham que quem sonega estaria "roubando" um dinheiro que seria do "estado" (logo, um dinheiro que seria "de todo mundo", ou da "sociedade").

    A rigor, trata-se de uma perversidade sociopata disseminada na sociedade brasileira.
  • Fabio  12/06/2016 23:17
    Não Max, aquilo que vc produziu e ganhou é seu. O ladrão faz exatamente o que o estado faz. Se vc não dar o dinheiro pro ladrão, o ladrão te ferra.
  • Rafael  10/06/2016 20:02
    Pra que tirar a parte de Jesus? (não estou criticando)

    Ela era legal também:

    A Better Life for Mankind

    Mikhail Gorbachev, the last leader of the USSR, offered one of the most expansive views of who's a socialist. "Jesus was the first socialist," declared Gorbachev, because he was "the first to seek a better life for mankind."

    Gorbachev's silly claim clearly gets us nowhere: I'm as antisocialist as it gets, and I, too, seek a better life for mankind (it's one of the many reasons I'm not a socialist).

    Further, as I explained in "Rendering Unto Caesar: Was Jesus a Socialist?" (FEE.org, March 3, 2015), Jesus never advocated the redistribution of wealth by force or by the political process. The caring and sharing he suggested was all voluntary — that is, from the heart and not from somebody else's pocket at gunpoint. He rebuked people for envy and theft and praised the man who invested his money to earn the greatest return. If Jesus was a socialist, then I'm Torquemada.
  • Berry  10/06/2016 20:38
    Eles mudam a definição de socialismo sempre que convém, assim tudo é socialismo e nada nunca é socialismo ao mesmo tempo, a depender do resultado temporário que produz.
    Outro dia mesmo um seguidor da "Socialista Morena" (dá até uma dor no pâncreas de lembrar) disse que "os liberais usam Mises para refutar argumentos do socialismo que nem os socialistas usam mais", assim, na maior cara de pau.
    Ou seja, a falsa noção de que o valor é objetivo defendida por Marx e do planejamento central, cerne do arranjo socialista, não seriam mais "socialismo" na cabeça daquele ser. É inacreditável.
    Por isso que digo: não há nem sentido discutir com os socialistas modernos. Eles tem um grau de canalhice e dissonância cognitiva que torna praticamente impossível qualquer tipo de debate, visto que, se não é possível definir nada (as definições mudam toda hora), não é possível tirar nenhuma conclusão.
  • Anderson  10/06/2016 23:02
    Fico triste por ver o quanto ainda falta para livrar esse pais da mentalidade socialista, talvez isso nunca aconteça. Os liberais são minoria ínfima.

    Acho que o instituto Misses, que admiro muito, deveria focar mais em apresentar como poderiamos ter uma sociedade livre do estado, com livre mercado e ainda assim armoniosa e pacífica, demonstrando hipoteticamente que não seria o caos total e violência como os estadistas argumentam.

    Socialismo é loucura. Não se discute com doido. Mas eles são organizados e sabem argumentar. Temos que apresentar por que uma sociedade liberal não só seria melhor como seria a mais justa.

    "Cada um que coma o pão com o suor do seu rosto"



  • Silva  11/06/2016 00:26
  • Pobre Paulista  11/06/2016 02:53
    Instituto Misses? Seria legal ter umas por aqui mesmo!
  • Gabriel  11/06/2016 00:08
    Muito bom o material citado acima, ficou bem claro!
  • Garcia   11/06/2016 00:32
    O pessoal da ujs deveria morar na Venezuela pra experimentar as maravilhas do socialismo se alimentando de cachorros pra matar a fome
  • Ricardo Bordin  11/06/2016 02:06
    O pior é constatar a aceitação cada vez mais ampla dessa ideologia na América:
    https://bordinburke.wordpress.com/2016/06/09/o-preco-de-nao-olhar-para-baixo/
  • Oneide teixeira  11/06/2016 04:28
    Não existe luta de classe entre operários versus burguesia é só papo de malandro.
    Não existe divisão entre esquerda e direita, liberais e conservadores.
    O que existe é malandro e mané nem é uma luta porque mané antes de tudo é um alienado e só os malandros estão em guerra contra os manés passivos por natureza.
    Mané é quem paga a conta pro malandro.
    Malandro é o empresário que ganha subsídio do estado e depois financia fórum da liberdade.
    Mané e o empresário que tem que pagar mais caro para o dito liberal obter ganhos acima da sua produtividade.
    Malandro é o sem terra que deseja estatizar o campo e não a reforma agrária.
    Mané é o produtor rural que paga segurança particular para não ser invadido.
    O que Marcelo Odebrecth e João pedro Stedle tem em comum ambos lutam para obter ganhos acima da sua produtividade marginal.
  • Pilates  11/06/2016 10:05
    Cada um dá uma definição do que é socialismo. Varia de acordo com os resultados. Como sempre os resultados são extremamente ruins, sempre se arruma uma desculpa alegando-se que o que foi implantado não era socialismos de fato. Também costumam alegar que forças ocultas golpearam o que se tentou implantar.

  • Halvorsen  11/06/2016 11:38
    Isso quando não colocam a culpa em algum inimigo imaginario,como os "ianques imperialistas",etc...

    Socialistas,politicos em geral não são pessoas normais,são psicoticos,sociopatas,maniacos.
  • Jorge de Melo   11/06/2016 15:12
    Talvez o socialismo seja isto: pornografia política. Afinal, visando fazer o povo gozar, estupra-o.
  • anônimo  11/06/2016 17:34
    Esse vídeo mostra como combater o socialismo.

    3,2,1, bang !

  • anônimo  12/06/2016 02:18
    O socialismo voluntário nunca foi proibido e sempre vai existir. Ajudar os pobres não é proibido.

    O problema é esse socialismo de estado com autoritarismo e expropriação.

  • anônimo  12/06/2016 16:00
    Se é voluntário, então não é socialismo. Isto que você diz é denominado caridade. E caridade e socialismo são completamente diferentes entre si, possuem naturezas, meios e fins distintos.
  • Edujatahy  12/06/2016 19:49
    Exatamente. Socialismo é por definição usar da violência. Não existe nenhuma relação com caridade.
  • Jason  12/06/2016 14:51
    Ótimo texto!
    Galera tem algum artigo aqui no site q fale sobre a taxação de impostos em grandes fortunas? Valeuuu
  • Freddy  12/06/2016 15:01
  • THIAGO FELIPE  12/06/2016 14:57
    Parabéns pelo artigo, é isso mesmo, textos como esse deveriam, na conjuntura atual do Brasil, ser estudados nas escolas.
  • Jarbas Profeta  12/06/2016 22:56
    Enquanto houver estado a única coisa que nossas crianças vão aprender é Marx. Infelizmente.
  • Luiz  13/06/2016 18:49
    Os socialistas hoje defendem seus cargos parasitários, e um Governo grande que é margem pra corrupção.
  • Halysson  15/06/2016 17:30
    O Texto estava interessante até cometer a ignorância histórica de classificar o regime nazista como regime socialista/de esquerda.

  • Harley  15/06/2016 17:48
    Aqui neste site -- ao contrário dos demais fóruns de internet, em que prevalecem apenas chavões e frases de efeito --, você precisará de algo mais do que simplesmente sair cuspindo vituperações. O nível aqui é mais alto. Você tem de apresentar argumentos.

    Os fatos que comprovam que o nazismo adotou um regime econômico de esquerda estão descritos em detalhes neste artigo (o qual foi linkado no texto acima, que você confessadamente parou de ler logo no início):

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=98

    Aguardo a sua refutação aos fatos apresentados no artigo linkado acima.
  • Halysson  15/06/2016 21:49
    A origem da ideologia e do movimento Nazista está nas obras de pensadores, intelectuais, movimentos políticos de Direita e de Extrema Direita que existiam na Europa décadas antes de Hitler criar o movimento Nazista e que já tinham se formado desde o século XIX.

    Entre estes pensadores e intelectuais tivemos Arthur Gobineau (este foi o criador do mito da 'raça ariana superior') e Houston S. Chamberlain (cujas obras exerceram uma grande influência sobre Hitler). Inclusive, Hitler compareceu ao funeral de Chamberlain, em 1927, tal a sua admiração pelo intelectual britânico e que se naturalizou alemão.

    Nenhum destes pensadores era marxista, socialista de esquerda ou qualquer coisa remotamente parecida com isso.

    Logo, não há um único pensador ou intelectual marxista, socialista ou esquerdista que tenha influenciado Hitler.

    Todos os pensadores que o influenciaram eram de Direita ou de Extrema Direita. O mesmo vale para os movimentos e lideranças políticas que exerceram um grande impacto sobre a sua formação política e ideológica;
  • Harley  15/06/2016 22:07
    Exatamente como esperado, tergiversou e não respondeu.

    Vou tentar de novo: argumente que as políticas econômicas adotadas pelos nazistas não são de cunho socialista.

    Não me interessa os autores dos livros que Hitler leu. Estou interessado nas medidas econômicas que Hitler de fato adotou. Não estou interessado no que ele leu, mas sim no que ele fez de efetivo. E as práticas econômicas foram as supracitadas (e repetidas pelo leitor "Janjão" logo abaixo). Quais são os seus argumentos para negar que toda aquela economia controlada não é exatamente o que defende a esquerda socialista?

    De minha parte, afirmo que não há absolutamente nada de liberal ou conservador -- e muito menos de libertário -- nas políticas econômicas dos nazistas.
  • Pessimista  15/06/2016 23:30
    A esquerda tem que se decidir se direita e extrema direita se referem a liberais e defensores do individualismo. Ou se direita e extrema direita se referem a politicos estadistas e nacionalistas como Hitler.

    Decidam-se, pois as duas coisas não dá.
  • Halysson  16/06/2016 03:15
    Claro que dá, tanto direita quanto esquerda podem ser liberais ou conservadoras, democráticos ou autoritários. Uma coisa não exclui a outra. São posições que se movem em diferentes eixos de um plano.
  • Halysson  16/06/2016 03:12
    Hitler adotou a economia planificada centralizando no estado todas as decisões econômicas. Embora isso seja lugar comum nas fracassadas experiências socialistas, não é exclusividade delas. Todas as ditaduras latino americanas fizeram o mesmo. São de esquerda? São socialistas? Intervencionismo estatal não são o suficiente para classificar um regime de socialista.

    Até por que, ser liberal ou conservador é uma posição de eixo independente de esquerda e direita, por mais estranho que possa parecer, é possível ser liberal de esquerda, conservador de esquerda, e etc.

    Disse e repito, chamar o nazismo de regime de esquerda, MESMO no campo econômico, é um atestado de desconhecimento histórico e econômico.

    Eu poderia sugerir que se estude melhor sobre as teorias socialistas pra entender as diferenças. Pra criticar é preciso conhecer.

    Mas honestamente acho que tem coisa mais interessante pra se fazer na vida do que perder tempo com isso.
  • Thomas  16/06/2016 13:18
    "Hitler adotou a economia planificada centralizando no estado todas as decisões econômicas."

    Pronto. Perfeito. Essa é a definição precípua de socialismo. Você foi preciso na definição.

    Pedi para você tentar provar que, economicamente, os nazistas não foram socialistas. E você apenas corroborou ainda mais esse fato histórico.

    "Todas as ditaduras latino americanas fizeram o mesmo."

    O que apenas mostra que, economicamente, elas foram tão socialistas quanto os socialistas que elas diziam combater.

    Qual o espanto?

    Ou por acaso você acha que os militares eram seres economicamente iluminados que jamais cairiam em contradição?

    Veja o que fez o general Geisel no Brasil. Ninguém expandiu mais o estado do que ele; ninguém criou mais estatais do que ele. Ninguém fechou a economia mais do que ele. Ninguém foi economicamente mais socialista do que ele.

    "Disse e repito, chamar o nazismo de regime de esquerda, MESMO no campo econômico, é um atestado de desconhecimento histórico e econômico."

    Ué, se "é um atestado de desconhecimento histórico e econômico" dizer que o nazismo foi um regime econômico socialista, então você acabou de passar esse atestado, pois foi você próprio quem disse que "Hitler adotou a economia planificada centralizando no estado todas as decisões econômicas".

    Grande abraço.
  • Andre  16/06/2016 13:52
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=98
  • Halysson  16/06/2016 14:50
    Mais uma vez você sai rotulando a esmo todo excesso de estado de socialismo.

    Prova que não entende os preceitos BÁSICOS, do socialismo.

    NÃO EXISTE meio de produção privada num sistema socialista. A "coletivização" dos meios de produção e o fim da classe burguesa são os princípios fundamentais de uma economia socialista.

    Isso não aconteceu na Alemanha, não aconteceu nas ditaduras América latina, e nem vai acontecer de forma plena na Venezuela, embora eles estejam tentando, pois vai morrer todo mundo de fome antes.

    Pessoas com acentuada inclinação ao liberismo tendem a prostituir o termo socialismo (por ignorância) com a mesma intensidade que a esquerda mortadela prostitui o termo fascismo.
  • Guilherme  16/06/2016 17:12
    "NÃO EXISTE meio de produção privada num sistema socialista."

    Frase errada. Eis a frase correta: Não existe meio de produção privada num sistema comunista.

    Se você não sabe a diferença entre socialismo e comunismo, então deveria estudar mais antes de vir a público dar palpites infundados e fazer críticas descabidas.

    Essa é prova de que voe não entende os preceitos BÁSICOS (é assim, em caixa alta?) nem do socialismo e nem do comunismo.

    Karl Marx e a diferença entre comunismo e socialismo

    O que é realmente o socialismo e qual o seu maior problema
  • Halysson  16/06/2016 17:52
    Essa diferenciação é puro preciosism. um é estágio transitório e o outro a consolidação de uma proposta de sistema.

    E dentro do Regime e da Ideologia Nazista, essa estatização era algo abominável e combatido, da mesma forma que o partido nazista, combatia a ideologia socialista e perseguia os comunistas.

    Simplesmente não há afinidade nenhuma entre a ideologia socialista e a nazista.

    A única semelhança é o excesso de presença e controle do estado sobre a economia
  • Pessimista  17/06/2016 18:19
    "não há afinidade nenhuma entre a ideologia socialista e a nazista"

    São como dois irmãos gêmeos que ficam brigando entre si.

    Há muito em comum entre os regimes socialistas e nazistas.

    A propagando política, a devoção ao estado, a ênfase do coletivo acima do individuo, o autoritarismo.

    Em termos de políticas econômica, ambos planificaram a economia. Ah claro, os socialistas esmagaram a propriedade privada e já Hitler permitiu, desde que os proprietários se ajoelhassem ao seu comando.
  • Halysson  19/06/2016 20:05
    Eu concordo com você existem afinidades de valores entre o socialismo soviético e o nazismo alemão. Isso se explica pela teoria da ferradura, onde os as ideologias extremistas opostas acabam guardando mais semelhança entre si do que com vertentes mais brandas delas mesmas.

    Stalinismo É DE extrema esquerda, e Nazismo de extrema direita, isso é fato inconteste. Guardam semelhança. Mas são diametralmente opostos.

    Negar isso é tão descabido quanto acreditar na teoria da terra plana ou que o aquecimento global é uma farsa.

    https://en.m.wikipedia.org/wiki/Horseshoe_theory

  • Oscar  20/06/2016 00:21
    Ah, agora você já mudou radicalmente de discurso.

    Primeiro veio aqui dizer que as políticas econômicas do nazismo nada tinham de socialismo. Refutado com fatos e argumentos, você vem agora falar sobre "teoria da ferradura", na qual os extremos opostos se fundem, e a extrema-esquerda adota políticas econômicas da extrema-direita, e vice-vera.

    Ou seja, por linhas tortas você reconhece que o nazismo (segundo você, extrema-direita) adotou políticas econômicas da extrema-esquerda (políticas fortemente dirigistas e de planejamento central).

    Muito bom. Antes tarde do que nunca.
  • anônimo  20/06/2016 13:36
    "Ah, agora você já mudou radicalmente de discurso."

    - Não mudei nada. Disse e repito que chamar o Nazismo de regime socialista, é errado.

    "Primeiro veio aqui dizer que as políticas econômicas do nazismo nada tinham de socialismo."

    Não tem nada de socialismo, elas não formam a característica básica do socialismo/comunismo, que como já falei acima são a socialização dos meios de produção e a extinção da classe burguesa (repetido imbecilmente pelos comunas como fim da exploração do capital pelo trabalhador).

    "Refutado com fatos e argumentos"

    Em que universo? Só o que você fez foi repetir o ignóbil mantra de "Nazismo é socialismo sim", por que é autoritario e controla a economia.

    "Você vem agora falar sobre "teoria da ferradura", na qual os extremos opostos se fundem, e a extrema-esquerda adota políticas econômicas da extrema-direita, e vice-vera."

    Sim tentei usar a teoria da ferradura pra explicar - não que os exteremos se fundem (jamais haveria Aliança plena entre nazismo e socialismo soviéticos), mas que o radicalismo ideológico - que é pura ignorância, faz com que seus radicais signatarios defendam ideias absurdas e autoritárias independente de se de esquerda ou direita


    "Ou seja, por linhas tortas você reconhece que o nazismo (segundo você, extrema-direita) adotou políticas econômicas da extrema-esquerda (políticas fortemente dirigistas e de planejamento central)."

    Não, não adotou politicas intervencionistas e autoritárias semelhantes às politicas que um regime de extrema esquerda tomou. A esquerda não tem patentes nem direitos autorais sobre o autoritarismo e o intervencionismo. Ele já existe desde o império romano.

    Muito bom. Antes tarde do que nunca.

    O que você precisa é abrir a sua mente, deixar de acreditar que ideologias de direita são imaculadas e que a esquerda é o demônio, e por isso negar o obvio transformando o uma coisa em outra.
  • Boers  20/06/2016 19:18
    Prezado Halysson, por favor me responda sem tergiversar:

    Um regime econômico cujo governo

    1) planeja inteiramente a economia,

    2) impõe controle de preços,

    3) impõe controle de salários,

    4) arregimenta toda a produção,

    5) permite a propriedade dos meios de produção em mãos privadas, desde que o governo decida o que deve ser produzido, em qual quantidade, por quais métodos, e a quem tais produtos devem ser distribuídos, bem como quais preços podem ser cobrados, e quais salários devem ser pagos.

    Qual seria o nome desse regime econômico?

    Pergunta simples e direta, sem pegadinha.

    P.S.: um adendo: os criadores dessa política econômica pertenciam a um partido auto-intitulado Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães.
  • Torben  20/06/2016 20:09
    Primeiro vc disse que "não há afinidade alguma" entre socialismo e nazismo; agora vem dizer que "há afinidade de valores" entre socialismo e nazismo.


    Decida-se.
  • Halysson  21/06/2016 04:31
    Não existe afinidade ideológica. Hitler considerava o socialismo uma doença e caçava comunistas na Alemanha. O que não significa que em ambos regimes extremistas não existam características bem semelhante de autoritarismo e desrespeito à liberdade.
  • Gustavo  21/06/2016 18:40
    Não, Halysson. Hitler considerava o marxismo uma doença, não o socialismo.
  • Pessimista  21/06/2016 19:46
    Hitler se dizia socialista.

    Veja essa frase dele:

    "Meu socialismo nada tem a ver com marxismo. Marxismo é anti-propriedade. O Socialismo verdadeiro não é."
    - Francis Ludwig Carsten, The Rise of Fascism, University of California Press, 1982, p. 137. Hitler quote from Sunday Express.


    Repare que ele diz "meu socialismo".

    Sim, ele não era tão "radical" de abolir a propriedade, era um pouco mais esperto que a ala Marxista, ia deixar a propriedade privada gerar riqueza desde que ela se ajoelhasse ao seu partido.
  • Edujatahy  21/06/2016 19:43
    Halyson,
    deixa eu te explicar.

    Socialismo não é igual a marxismo. Marxismo é uma das correntes do Socialismo.
    Está difícil entender isso?

    Se você quiser dizer que o nazismo é um "socialismo de direita" (seja lá qual for a relevância disso) ou coisa do tipo fique a vontade. Mas que o nazismo é fundamentalmente socialista ele é!
  • Pessimista  16/06/2016 17:39
    "NÃO EXISTE meio de produção privada num sistema socialista."

    Pelo seu ponto de vista, nem Cuba seria socialista, na verdade nenhum país seria, pois não há como uma economia sobreviver com 100% de toda a produção sendo controlada por burocratas.


    Na prática, socialismo, assim como liberalismo, não são algo binário. Na medida em que o estado vá controlando a economia, ele passa se encaminhar ao socialismo.

    A Alemanha de Hitler permitia a propriedade privada, mas ao mesmo tempo sujeitava os proprietários a vontade do Fuhrer. O que se pode dizer que a propriedade era privada apenas no nome, pois estava subordinada ao interesses estatais.

    Hitler não estatizou 100% da economia, mas caminhou para isso, sujeitou boa parte dos proprietários a sua vontade, e por esse ponto, podemos dizer que suas ações políticas foram socialistas.
  • Janjao  15/06/2016 18:22
    Texto:

    "Hitler e seus asseclas "planejaram" inteiramente a economia alemã, impuseram controle de preços, controle de salários e arregimentaram toda a produção. A propriedade dos meios de produção continuou em mãos privadas, mas era o governo quem decidia o que deveria ser produzido, em qual quantidade, por quais métodos, e a quem tais produtos seriam distribuídos, bem como quais preços seriam cobrados, quais salários seriam pagos, e quais dividendos ou outras rendas seria permitido ao proprietário privado nominal receber. Os nazistas se auto-intitularam socialistas e até mesmo deram ao seu partido o nome de Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães."


    Não leu essa parte ou tem problema cognitivo?
  • anônimo  15/06/2016 18:46
    Ele provavelmente leu, mas não raciocinou. É típico dessa gente.
  • Halysson  15/06/2016 22:20
    Nome por nome não significa nada.

    A Republica Popular Democrática da Coréia do norte, de Popular não tem nada, de Democrática menos ainda.
  • WDA  22/06/2016 01:53
    Halysson: você definitivamente sofre de dissonância cognitiva ou é um arruaceiro virtual, um troll.

    Aparentemente Halysson não sabe que Marxismo não é o único tipo de socialismo existente e, embora combatesse o Socialismo Marxista (ou Marxismo) - criado por um homem de origem judaica - HITLER ERA SOCIALISTA. Ele não só se declarava abertamente socialista como, DE FATO, impunha à sociedade políticas socialistas.

    Pelo visto, Halysson não sabe que o socialismo é algo ANTERIOR ao Marxismo,o qual não passa de uma espécie daquele gênero. E pelo visto não sabe que se pode ser socialista sem ser Marxista, mas não se pode ser Marxista, Fascista, Nazista (ou seja, Nacional Socialista) ou, de qualquer outro modo, socialista, sem ser obviamente socialista!

    Em seu último cometário, Halysson percebeu que: "Nome por nome não significa nada." Mas não percebeu que todas as políticas socialistas adotadas pelo auto-declarado socialista Hitler, caracterizam-no como socialista não por um mero nome de partido, mas precisamente por seus ATOS.

    Porém, o mais engraçado é ver Halysson, o incoerente, destilar sua dissonância cognitiva escrevendo:

    "Simplesmente não há afinidade nenhuma entre a ideologia socialista e a nazista."

    E pouco depois:"Eu concordo com você existem afinidades de valores entre o socialismo soviético e o nazismo alemão." E tudo isso sem dar o braço a torcer, mesmo já o tendo feito.

    Isso serve para aprendermos o quão patético um sujeito se torna ao tentar defender o indefensável, mesmo já tendo sido desmascarado.
  • João Girardi  15/06/2016 19:05
    Se O QUE É socialismo já é um saco de gatos, alguém deveria mostrar pro Lawrence W. Reed um certo partido de extrema esquerda brasileiro chamado partido SOCIALISMO E LIBERDADE para ele escrever o que pensa a respeito, certamente seria cômico, e trágico.
  • Rafael Strom  18/06/2016 19:10
    Na minha visão eu diria que sob o socialismo uma pessoa arromba a sua porta acompanhada de um exército paramilitar e diz: "Aqui está um cupom para você trocar pelo biscoito que é bom para você na padaria que escolhemos. Ao chegar na padaria depois de 3 horas na fila fica sabendo que o biscoito só estará disponível no dia de São Nunca. Se quiser comer procure o o biscoito no mercado negro.
  • Bruno Pacheco  22/06/2016 20:42
    Tenho uma pergunta e não sabia onde colocar, é sobre Bohm Bawerk e a sua crítica devastadora a Rodbertus, necessito de ajuda para compreender algo.

    Basicamente, no exemplo de Bohm Bawerk um trabalhador único trabalha ao longo de cinco anos para construir uma máquina a vapor no valor de 5.500 dólares, sendo que o trabalhador deve receber todo o valor do seu trabalho, ou seja, 5.500 dólares quando a máquina só estiver pronta. Porém, ninguém pode aguentar tanto tempo assim, e o trabalhador prefere receber parceladamente o salário, sendo correspondente a 1.000 dólares por ano (já que se desconta a taxa de juros aqui no exemplo que é de 5%).

    Bohm Bawerk então afirma certamente que Rodbertus e os socialistas querem que os trabalhadores não apenas recebam todo o valor do produto final pronto, mas que já recebam-no no presente. E daí ele diz que o problema disso é que ao passo de 2 anos e meio (seguindo a lógica de rodbertus no exemplo) o trabalhador terá recebido uma quantia de 5.500 dólares antes mesmo de a máquina estar pronta.

    Minha pergunta é: como bohm bawerk chega a conclusão de que decorridos 2 anos e meio o trabalhador já terá recebido o valor futuro do bem? Como se faz essa conta que na metade do tempo o salários "deveria" ser de 5.500?
  • Alexandre  22/06/2016 20:52
    Desconheço esse cálculo mas essa teoria que você falou foi abordada neste artigo, na seção sobre o Bohm-Bawerk:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2348
  • Bruno Pacheco  23/06/2016 03:12
    Agradeço pelo link Alexandre, mas o que eu queria mesmo era descobrir a resposta para a minha pergunta, esteve me encucando durante os últimos dias, eu tirei esse cálculo por falar nisso do livro "A Teoria da Exploração do Socialismo-Comunismo".
  • Pessimista  23/06/2016 13:11
    Caro Bruno, de fato o calculo do Bohm Bawerk está errado.

    O certo seria que o trabalhador recebesse o valor de 5.500 só em 4,5 anos e não em 2,5 anos.

    Acredito que possa ter havido um erro de tradução em alguma edição, procurei a versão em inglês, mas também apresenta o mesmo erro.

  • saoPaulo  23/06/2016 15:34
    No alemão também consta 2,5 anos.

    Página 348.

    Também não consegui chegar a este resultado com meus cálculos.
  • Bruno Pacheco  23/06/2016 17:36
    Mas porque 4,5 anos ao invés dos 2,5 que bohm bawerk afirma?
  • Pessimista  23/06/2016 18:53
    Bom, pelo o que eu entendi (e se tiver errado me avise):

    Só pegar 5 parcelas de 1.100 (que totaliza 5.500) e aplicar juros simples (conforme dito por Bawerk) para saber quanto equivale o valor futuro do que ele recebeu.

    Tipo no fim do ano 1, ele recebe 1.100 + juros (220) = 1320. Ou seja os 1.100 que ele recebe no fim do primeiro ano equivalem a 1320 de quando ele terminar a máquina a vapor.

    Em 4,5 anos ele terá recebido um valor de 5.500.
  • Bruno Pacheco  24/06/2016 03:10
    Pessimista,

    creio estar começando a entender, mas acredito que você tenha cometido um erro (eu acho já que não sou muito lá bom com cálculos). Veja se estou certo, você diz que tem de se pegar as 5 parcelas de 1.100 e aplicar juros simples (a 5%), então são 1.100 + 20% (já que não conta um mês) dando 1.320, só que 4,5 vezes 1.320 dá 5940.

    Cheguei ao resultado redondo de 5.500 ao invés, descontando 5% do valor do produto final, isto é, 5% de 5500, que são 275. Então 1.100 mais os 275 de juro do produto final dando 1375, aí sim chego que após 4 anos, isto terá chego aos 5.500 do produto final, recebendo assim um ano antes o produto final dos 5 anos.
  • saoPaulo  24/06/2016 08:33
    Não.
    Você acabou de aplicar juros de 4 anos para montantes que o empregado deixou rendendo menos de 4 anos.

    A conta certa é:

    Final do ano 1 ->
    Valor presente = $1100,00;
    Valor 4 anos depois = $1100,00*1,20 = $1320,00

    Final do ano 2 ->
    Valor presente = $1100,00;
    Valor 3 anos depois = $1100,00*1,15 = $1265,00

    Final do ano 3 ->
    Valor presente = $1100,00;
    Valor 2 anos depois = $1100,00*1,10 = $1210,00

    Final do ano 4 ->
    Valor presente = $1100,00;
    Valor 1 anos depois = $1100,00*1,05 = $1155,00

    Metade do ano 5 ->
    Valor presente = $550,00;
    Valor 1/2 anos depois é igual ao valor presente, já que o salário do último ano não é acrescido de juros (juros anuais).

    Soma ao final dos 5 anos = $1320,00 + $1265,00 + $1210,00 + $1155,00 + $550,00 = $5500,00
  • Pessimista  24/06/2016 12:20
    Mas não é 1320 * 4,5.

    1320 corresponde a primeira parcela.

    os juros dos outros anos ficam menor.

    o segundo ano é 1100 + 165
    o terceiro é 1100 + 110
    o quarto é 1100 + 55
    o quinto é 1100 (não tem juros)

    se soma os 4 primeiros anos + metade do quinto equivale a 5.500

    Ao meu ver, você deve pegar os juros e aplica ao que ele recebeu (1.100), para assim ver quanto corresponde o valor futuro do que ele recebeu adiantado.

    Bom, mas não sei se estou certo. Foi o que eu entendi lendo o paragrafo do livro.
  • Bruno Pacheco  24/06/2016 12:43
    Nossa é verdade, acho que agora entendi. Realmente não sou muito bom em cálculos mas estou começando a compreender. Obrigado.
  • Primo  23/06/2016 15:07
    Na minha opinião Eugen von Böhm-Bawerk só se complicou levantando essas suposições de tempo para refutar a mais-valia. A salario do funcionário não é tirado do lucro da venda do produto e tão pouco da rentabilidade do patrão. A salario do funcionário é definido no contrato de trabalho. Não importa o preço final da mercadoria que será produzida. Além do mais um dos fatores mais complexos de ser calculado é o custo real de um produto. Há inúmeros fatores que envolvem o custo do produto, além da matéria prima e tempo de trabalho existe a depreciação dos bens de produção, custos de oportunidade e muitos outros fatores que no fim, o custo do produto é definido na margem, isto é, não existe um valor exato para o custo de um produto.


    Então Böhm-Bawerk diz: "Parece-me justo que os trabalhadores cobrem o valor integral dos frutos futuros do seu trabalho; mas não é justo eles cobrarem a totalidade desse valor futuro 'agora'."

    No meu ponto de vista, não vejo justiça no trabalhador cobrar o valor integral dos frutos futuros do trabalho, o valor que ele tem que cobrar é aquilo que está no contrato independente dos frutos futuros.
  • Pessimista  23/06/2016 16:38
    Concordo com você Primo.

    Acho a explicação do Böhm-Bawerk muito enrolada e péssima para explicar para um leigo.

    O trabalhador não merece o produtor integral porque ele não produziu nada sozinho, ele só produz graças a toda estrutura de produção que a empresa lhe oferece.

    A empresa é quem paga por todos os fatores de produção e assumi o risco do negócio, portanto não tem essa merda de mais-valia.
  • saoPaulo  23/06/2016 17:14
    Talvez...
    Mas mesmo que o socialista mais purista ignore tudo mais e insista que o proletário deveria receber todo o produto do seu trabalho, tal abordagem prova por A mais B que, ainda assim, o proletário estaria pedindo uma vantagem absurda, que sequer o mais ganancioso dos burgueses usufrui.
    Lembra o que Mises faz ao refutar o socialismo com base na impossibilidade do cálculo econômico. Mesmo que tomemos por certo que os socialistas sejam os mais puros anjos, ainda assim existe uma impossibilidade matemática para o socialismo. Da mesma forma, mesmo que tomemos por certo que o Estado pague o proletário da forma mais justa, ainda assim existe uma impossibilidade matemática ao se defender a mais-valia. E contra a matemática, não há argumentos...
  • Pessimista  23/06/2016 17:54
    Você está certo saoPaulo, são explicações que são feitas para um debate teórico. Mas ruim para discutir ou explicar para um leigo.

  • Primo  23/06/2016 22:29
    OK, mas como é que fica com João que se proponhe a arrendar um alqueire de terra e combine com o proprietário de pagar R$4.000,00 depois de passar dois anos. Esse João 'compra' equipamentos agrícolas e insumos e consegue um acordo de começar a paga-los após quatro anos. Então contrata um funcionário e combina com ele de pagar R$ 2.000,00 por mês. Esse funcionário faz tudo, e a cada 3 meses vende a colheita por R$50.000,00 . Em apenas um ano as vendas das colheitas pagam tudo o que João se comprometeu na empreitada. João não sabe nem onde fica o terreno arrendado, muito menos quais equipamentos agrícolas tem. O justo seria João pagar mais para o funcionário?
  • Leonardo  03/07/2016 07:48
    Ótimo artigo.
  • Emerson Luis  03/07/2016 23:24

    Mas não é isso o que defendemos!

    * * *
  • Rafael F  19/07/2016 15:09
    Esse artigo é um dos melhores que eu já li para definir o socialismo! parabens ao autor!
  • Kek  02/01/2017 15:09
    Os esquerdistas brasileiros já estão tentando fingir nas redes sociais que a Venezuela nunca foi socialista, apenas "populista".

    Mas, graças a Internet, temos o registro do apoio de longa data (até 2014) dos socialistas ao PSUV:

    https://noticias.terra.com.br/mundo/america-latina/os-14-anos-do-governo-socialista-de-chavez-na-venezuela,7b0c2812d904d310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

    https://www.espacoacademico.com.br/070/70kinoshita.htm

    www.vermelho.org.br/noticia/237785-7

    www.bbc.com/portuguese/noticias/2013/03/130103_obituario_chavez_cj.shtml

    A "regra" do texto está sendo cumprida novamente diante dos nossos olhos.
  • Ester Ines Scheffer  02/04/2017 23:45
    Parabéns pelo artigo, precisamos muito que essas idéias sejam cada vez mais expostas e debatidas. Gostaria de dar duas contribuições: 1 - acho incorreto que o socialismo seja denominado de teoria, para mim seja ló que isso for, ele não passa de uma HIPÓTESE que quando colocada em prática não se revela TEORIA. Essa pequena diferença tem muitas implicações, por isso a sua importância. Sobre as boas intenções do socialismo: creio que estamos todos numa guerra equivocada, achando que existe uma luta entre o BEM e o MAL. Tá, até tem, são os bandidos X polícia, mas tirando países em situação de descontrole da sua criminalidade, como o Brasil, a luta principal talvez seja outra: do BEM contra o BOM. Muita gente quer fazer o que lhe parece bom, lhe soa bom, lhe dá boas sensações, e fica contra quem faz o que parece a primeira vista duro demais, trabalhoso demais, sacrificado demais, e luta contra isso, chama de fascista quem quer responsabilizar as pessoas por seus atos etc. O socialismo é DO BOM, mas não é DO BEM. Uma cultura responsiva é DO BEM, no meu entendimento, mas isso não soa DO BOM. DO BOM é não se esforçar, não estudar muito, trabalhar pra que, e ganhar mesmo assim, não é mesmo?
  • West Berlin  18/07/2017 12:43
    Quando não funciona dizem que era "capitalismo de estado". Ou seja, agregam o nome capitalismo pra explicar o fracasso. É de chorar.
  • robson santos  18/07/2017 14:05
    ???
  • Dicionário 2018  18/07/2017 14:40
    Socialismo:
    Sistema econômico igualitário, justo e fraterno que funciona em todo lugar, exceto onde é aplicado.

    Capitalismo:
    Sistema econômico desigual, explorador e perverso que não funciona em lugar nenhum, mesmo nos lugares onde não é aplicado.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.