Embora com bem menos intensidade, o populismo começa a mostrar suas consequências no Chile

Como um argentino pró-mercado e pró-liberdade, tenho um afeto especial pelo Chile.  Tinha menos de 10 anos de idade na primeira vez em que visitei Santiago.  Já a última vez que estive lá faz relativamente pouco tempo, em um congresso organizado pela Fundación Para el Progreso, um instituto chileno que defende o livre mercado.

O que ocorre com o Chile, e a mim especialmente, já que me dedico à análise econômica "deste lado da cordilheira", é que tudo aquilo que eu desejaria para o meu país, Argentina, parece estar funcionando ali.

Em minhas aulas de Comércio Internacional, sempre estudamos a bem-sucedida experiência de abertura comercial observada no caso chileno.  A redução de barreiras tarifárias seguida da assinatura de acordos de livre comércio permitiram ao Chile se beneficiar do intercâmbio internacional, melhorando e aumentando os salários reais dos chilenos.  Tudo isso, adicionalmente, ocorreu em paralelo a uma economia em forte crescimento, baixas taxas de inflação e a um também baixo nível de desemprego.

Obviamente, isso nem sempre foi assim.  Ao final da década de 1960, o país caminhava firmemente rumo ao socialismo.  Segundo o The New York Times, Allende havia implantado "um programa socialista de confisco e estatização de minas, bancos e indústrias estratégicas; divisão e repartição de grandes propriedades rurais em fazendas comunais; e controle absoluto de preços".  Tais medidas, como o próprio Times reconhece, "rapidamente resultaram em acentuados declínios na produção, escassez absoluta de bens de consumo e inflação explosiva."

[N. do E.: adicionalmente, Allende centralizou e nacionalizou a educação e o sistema de saúde, distribuiu benefícios para seus aliados políticos e inflacionou alucinadamente a oferta monetária, o que levou ao colapso de toda a economia e ao endividamento maciço seguido do calote.  A inflação de preços, que chegou a quase 800%, foi combatida com o típico e anacrônico recurso do congelamento, o que deixou lojas e supermercados com prateleiras vazias, além de gerar revolta em todos os proprietários e empreendedores do país.

Hoje sabe-se que havia até mesmo um projeto que parece ter saído direto de um livro de ficção científica, levando ao paroxismo tudo aquilo com que Marx sempre sonhou: uma economia centralmente planejada por um computador gigante.]

Porém, em meados da década de 1970, o rumo econômico do Chile mudou.  Abandonaram o socialismo e migraram para um sistema de livre mercado — ao menos em comparação com seus vizinhos regionais.

Os sucessivos governos do país perceberam a importância do — e passaram a dar cada vez mais valor ao — equilíbrio fiscal (a dívida em relação ao PIB chegou ao exíguo valor de 5%; no Brasil, tal percentual é de 66%).  Adicionalmente, além de darem independência ao Banco Central, atribuíram-lhe a tarefa única de manter baixa a taxa de inflação de preços, proibindo-lhe expressamente de emitir dinheiro para financiar o déficit público.

Mais importante, entenderam que é o setor privado quem gera crescimento e riqueza.  Consequentemente, foi adotado um sistema de baixos impostos e de pouca regulamentação econômica. (A alíquota máxima do IRPJ era de 15% até 1998; hoje está em 22%.  No Brasil chega a 34%).

Essa maior liberdade, diferentemente do que argumentam os intervencionistas que vicejam na América Latina, não gerou nenhuma crise no país vizinho.  Ao contrário: catapultou seu PIB per capita, que, desde 1990, aumentou 2,5 vezes em dólares.

Não obstante, essa história de êxito não está passando hoje por seu melhor momento.  Ao contrário: corre o risco de ser seriamente revertida. 

Desde que assumiu a presidência, no início de 2014, Michelle Bachelet, do Partido Socialista, vem trazendo fortes incertezas e inseguranças econômicas.  Com um discurso longe do pragmatismo que a caracterizou em seu primeiro mandato (de 2006 a 2010), a médica vem adotando tons populistas cada vez mais radicais, insistindo na "necessidade" de tornar todos os chilenos iguais e de "criar" uma sociedade mais "justa" mediante um intervencionismo cada vez maior. 

Essa guinada à esquerda se confirmou quando ela conseguiu o apoio do Partido Comunista chileno, representado pela estudante Camila Vallejo.

O discurso populista de Bachelet não ficou só nas palavras.  Ele se transformou em medidas.  O Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, como dito, que já foi de 17%, hoje está em 22,5%.  Já entrou em vigência uma reforma educacional, cujo objetivo é eliminar o lucro da educação privada.  A meta final é acabar com o atual sistema de vouchers e criar um sistema educacional completamente gerido pelo estado, inclusive com educação universitária "gratuita" para todos, sistema idêntico ao que existe no Brasil e na Argentina (e com resultados nada invejáveis).

O atual sistema privado de saúde também está sendo atacado.  O objetivo declarado de Bachelet é fazer com que a saúde seja gerida de forma socializada.  As apólices e os prêmios que os trabalhadores chilenos pagam individualmente para seus planos de saúde seriam socializados e transferidos diretamente para os cofres do estado.  O objetivo é criar um sistema universal de saúde, algo que virou moda mundial.

Finalmente, já foi sancionada uma nova legislação laboral (ver aqui e aqui) — que parece inspirada na da Argentina — concedendo enormes poderes aos sindicatos (a base eleitoral da Bachelet) e, consequentemente, reduzindo a produtividade da economia.

Os resultados não têm sido nada bons.  Toda essa intervenção de cunho populista fez com que a confiança dos empreendedores na estabilidade e na previsibilidade da economia desabassem. 

Os investimentos, que já haviam se contraído 4,2% em 2014, no primeiro ano de Bachelet, voltaram a encolher mais 1,5% em 2015

Essa retração nos investimentos afetou o crescimento econômico.  Nos 10 anos anteriores a este segundo mandato da Bachelet, o PIB chileno vinha crescendo a uma taxa média de 4,7%.  Com Bachelet, essa taxa caiu para menos da metade, estando hoje em 2%.

chile1.png

Com investimentos em contração e com mais incertezas, a inflação de preços vem subindo.  A taxa atual é mais que o dobro da vista no último ano de Sebastián Piñera como presidente:

chile2.png

Com investimentos em queda e inflação em alta, o desemprego inevitavelmente aumenta.  Sob Bachelet, a taxa saltou de 5,9% para previstos 6,80%, índices semelhantes aos vistos imediatamente após a crise financeira mundial.

chile3.png

E as perspectivas futuras não são muito melhores.

Obviamente, os defensores de Bachelet dirão que a desaceleração se deve a fatores externos e à queda do preço do cobre.  Mas seria excessivamente ingênuo — ou mesmo mal intencionado — negar o efeito do populismo crescente e das incertezas que ele gera sobre a economia do Chile.  Nenhuma economia cresce de maneira robusta sob promessas populistas.  O populismo não apenas é incapaz de gerar mais confiança e mais certezas nos empreendedores e investidores, como, ao contrário, ele só faz reduzi-las.

Conclusão

Na Argentina, estamos hoje vivenciando as consequências do populismo.  Nossa carga tributária está em torno de 40% do PIB.  Temos educação pública e gratuita em todos os níveis: primário, secundário e universitário.  Como se não bastasse, os sindicatos têm um papel preponderante e o mercado laboral é excessivamente rígido.  Ademais, o afã de gastar mais do que se arrecada levou o governo a seguidas crises fiscais, desarrumando inteiramente a economia e fazendo com que o país — que já foi o décimo mais rico do mundo — caísse sistematicamente de posição no ranking da riqueza mundial.

Quando, à luz desses resultados, me perguntam qual modelo de país latino-americano devemos seguir, ou qual seria um projeto a ser imitado, nunca tenho dúvidas de citar o caso chileno, como comentei no início deste artigo.  Espero que, à medida que o tempo passe, eu possa continuar fazendo isso, e que a tentação populista no país seja revertida.

Caso contrário, o Chile será também empurrado ao abismo e passará a ser a mais nova vítima do populismo latino-americano, o qual logrou apenas decadência e crise.


0 votos

SOBRE O AUTOR

Iván Carrino
é analista econômico da Fundación Libertad y Progreso na Argentina e possui mestrado em Economia Austriaca pela Universidad Rey Juan Carlos, de Madri.



Meu caro, pelo seu discurso você nunca foi liberal e nunca entendeu o que é ser liberal. E ainda tem coragem de vir com esse apelo sobre pobreza.

Gostaria de fazer uma pergunta a todos vocês:
Pois não.

Vocês já foram Pobres pra saber?
Nasci pobre, muito prazer.

Vocês já tiveram um parente morto por bala perdida?
O que isso tem a ver com capitalismo/liberalismo? Você está misturando segurança pública (que é MONOPOLIO do estado), que alias é altamente ineficiente (no Brasil, morrem 56.000 pessoas por ano, o maior indice do mundo, a gente perde até pra India, que é 43.000 por ano, outro país com alto controle estatal e burocrático) com conceitos economicos. O estado nega aos seus cidadãos o próprio direito de se defender com uma arma e mesmo assim é incapaz de solucionar o problema.

Falam tanto em mercado, economia. Mas nunca vi um liberal que enriqueceu graças a todo seu conhecimento na área, algum de vocês é rico por acaso? Maioria que vejo é classe média, acho gozado porque se manjam tanto de produzir valor e riqueza vocês deveriam ser ricos..Mas não é isso que eu vejo.

Ai meus deuses... essa foi triste.
1) O Brasil está muito longe de ser um país livre, economicamente. É o país que fica em 118 lugar no índice de liberdade econômica.

2) Ser liberal não é uma formula para ser rico e sim defender que as pessoas tenham a liberdade para efetuarem trocas entre si sem intervenção constante do Estado por via de impostos e regulações. É dessas trocas de valor que a riqueza é produzida. Cada um teria a liberdade de crescer de acordo com suas habilidades e viver num patamar de vida que julga confortável, mas repito, o Brasil NÃO É E NUNCA FOI UM PAÍS LIVRE, ECONOMICAMENTE. Você se dizia liberal e não sabe desse básico. Aham. To vendo.

Eu já fui liberal, ai cai na real com a vida, vi que esse papo de mercado não é bem assim.
Não, amigo, você nunca foi liberal. Sinto muito. Ou você está mentindo ou você diz ser uma coisa que nunca entendeu direito o que é (o que mostra o seu nível de inteligência).

Inclusive, um amigo meu foi pra Arabia Saudita, ele disse que lá existem muitas estatais e assistencialismo e o país enriqueceu assim mesmo...

Aham, beleza, usando a Arabia Saudita como exemplo:

Saudi Arabia's riches conceal a growing problem of poverty

"The state hides the poor very well," said Rosie Bsheer, a Saudi scholar who has written extensively on development and poverty. "The elite don't see the suffering of the poor. People are hungry."

The Saudi government discloses little official data about its poorest citizens. But press reports and private estimates suggest that between 2 million and 4 million of the country's native Saudis live on less than about $530 a month – about $17 a day – considered the poverty line in Saudi Arabia.


Opa, perai, como é que 1/4 da população da Arabia Saudita vive abaixo da linha da pobreza? Você não disse que era um país ótimo, rico, cheio de estatal e assistencialismo? Explique isso então.


Falam de acabar com o imposto mas negam toda a imoralidade que a ausência deste geraria, como injustiças e até coisas que ninguém prever.

Que imoralidades, cara-palida? Favor discorrer.

Favor, tentar novamente. Essa sua participação foi muito triste.


Poderiam responder o comentário desse Leonardo Stoppa:
Estranho, hipócrita é dizer que o socialismo atual compete com o capitalismo. Comunismo sim complete com capitalismo mas socialismo é uma forma de redistribuição que, quando interpretada por pessoas que estudam economia a partir de livros de economia (e não Olavo de Carvalho) é uma espécie de segurança ao capitalismo.

Se um dia você entender que existe conhecimento além do que você conhece você vai ver que dentro do conceito atual de socialismo estão as formas de redistribuição de renda (SUS, Fies, Bolsas). Em países de primeiro mundo a galera acaba usando essa grana inclusive para comprar iPhone, logo, é um socialismo que serve ao capitalismo pois deixar essa grana parada na conta de um milionário vai resultar na venda de 1 iPhone para apple, agora, quando redistribuído vira vários iPhones.

O problema da sua visão é que você estuda em materiais criados sob encomenda. Você deixa de estudar em livros de economia para aprender pelas palavras de um cara que é pago por aqueles que pagam os impostos, ou seja, aqueles que são contra a redistribuição, logo, você abre mão do conhecimento para a alienação.

Socialismo não é comunismo. Pode vir de certa forma assemelhado nos livros antigos, mas depois da segunda guerra mundial e principalmente depois da queda da URSS, ficou claro que não há em se falar em controle centralizado e ausência de propriedade privada, mas quem estuda um pouco de economia e sociologia sabe que a intervenção e a redistribuição são importantes atividades governamentais para salvaguardar a atividade industrial.

A final, de que adianta ter industrias de ultima geração se apenas 1% do povo compra seus produtos??

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • mauricio barbosa  06/06/2016 15:47
    Essas desgraças não aprendem com a história e ficam querendo implantar o comunismo(Em doses homeopáticas ou sanguinárias tanto faz pois só muda o método de assalto rumo ao Totalitarismo)até a derrocada final e ai começa tudo de novo,o povo exige o fim desta desgraça que é o totalitarismo e então medidas liberalizantes são tomadas,o povo volta a respirar Liberdade e ver a Prosperidade e ai quando alcança o nível de riqueza dos sonhos essas aves de rapina da política e os comunistas são sem dúvida nenhuma o pior grupo político dentre as demais correntes político-ideológicas,começam a se movimentar querendo concentrar o butim nas mão deles e vem a ruína econômica toda de novo.Conclusão é melhor virar nômade e ficar migrando para terras onde essa praga(Comunismo)não colocou as mãos(digo patas pois são uns quadrúpedes)ainda,é duro ter de conviver com a insanidade,psicopatia e também mau-caratismo e inveja destes parasitas vermelhos.Acorda Brasil antes que seja tarde.Os chilenos devem acordar e expulsar esses quadrúpedes do poder,urgententemente.
  • O MESMO de SEMPRE  06/06/2016 15:50
    O mais grave problema, causador do eterno ressurgimento das safadas ideias socialistas é a tolice de seus adversários curvarem-se ao vocabulário, semântica e afirmações ESTATAIS, tudo isso em conjunto com o desprezo pela crítica moral ao socialismo.

    Não importa o quanto o socialismo fracasse ENONOMICAMENTE e quanta desgraça produza socialmente. Por mais miséria e mais mortes por deficiência de serviços ou por deliberados GENOCÍDIOS que o socialismo tenha causado, ele sempre RESSUSCITA porque é antes de tudo um apelo moral IDEOLÓGICO.

    O Socialismo não é uma teoria, mas apenas uma IDEOLOGIA que se baseia em APREGOADOS FINS morais (não ÉTICOS) para justificar os meios com que seus pretensos gestores afirmam atingi-los.

    Como não é uma TEORIA e, portanto, não se baseia em PRINCÌPIOS de CONHECIMENTO OBJETIVO, mas apenas uma IDEOLOGIA que promete "OBJETIVOS SUPREMOS" ou FINS REDENTORES de todos os meios em seu nome invocados, o Socialismo nada mais é do que UMA CENOURA na PONTA de uma vara AMARRADA no pescoço do JEGUE, fazendo este tentar alcança-la sem jamais conseguir tal INIQUO OBJETIVO.

    Sim, sem a crítica MORAL ao Socialismo este será SEMPRE DESEJADO em seus FANTASIOSO OBJETIVO.

    Senão vejamos:

    - Que igualdade há em CUBA???? ...ou na Coréia do Norte??? ...ou existiu na Alemanha Oriental (Re pública Democrática da Alemanha), ou na URSS ou em qualquer país que adotou o Socialismo????

    Nunca houve igualdade alguma em país socialista algum!!!
    Apenas o REBANHO POPULAR é ESCRAVIZADO à HIERARQUIA ESTATAL GOVERNATE que vivem no luxo através da EXPLORAÇÃO da SOCIEDADE pelo ESTADO.

    Estranhamente até liberais gostam de afirmar que há "igualdade na miséria" sob o Socialismo. NÃO HÁ IGUALDADE ALGUMA, entendam ISSO!!!

    Os negros foram ESCRAVIZADOS no brasil, e pela mesma (i)lógica igualdade cubana ou Coreana, se poderá dizer que "no brasil havia igualdade na época da escravidão?" pelo fato dos escravos serem iguais em remuneração (nenhuma). CLARO QUE NÃO HAVIA IGUALDADE no brasil, EMBORA OS NEGROS ESCRAVOS FOSSEM TODOS IGUAIS PORQUE NENHUM RECEBIA remuneração por seu trabalho.

    Adotou-se, estúpidamente, o nome "CAPITALISMO" e aceitou-se o nome "SOCIALISMO", quando deveria ser chamado de PODERISMO.
    Os socialistas não aceitam nomenclatura liberal, mas estes aceitam a nomenclatura socialista.

    O PIB não é uma avaliação razoavelmente precisa sobre a produção de BENS e SERVIÇOS ÚTEIS e por tal desejáveis e CONSUMÍVEIS, mas aceita-se tal empulhação como uma realidade da produção.

    O PIB serviria como um PARAMETRO PARA COMPARAR VARIAÇÕES e NÃO como uma MEDIDA PRECISA da produção. Contudo só poderia ser PARÂMETRO caso a METODOLOGIA não fosse DINÂMICA (mutável ao sabor momento).

    Na verdade a carga MÉDIA TRIBUTÁRIA sobre a produção SUPERA de LONGE OS 50% da produção.

    Tais estatísticas são imbecis quando afirmam que 1% da população detém "mais de 50%" da renda ou da riqueza. Tal afirmação é IMBECIL e sobretudo LEVIANA.

    O Estado CONSOME EM FUNCIONALISMO um elevado percentual da riqueza produzida e só isso já seria o bastante para, ATRAVÈS de MATEMÁTICA SIMPLES, por abaixo estas AFIORMAÇÕES LEVIANAS de CUNHO MERAMENTE POLITIQUEIRO para INDUZIR REVOLTA, INCONFORMIDADE, INVEJA e COBIÇA.

    Não é possível que um Estado/governo que por suas próprias e frauduletas estatísticas divulgue que ARRECADA quase 40% do tal de PIB e, SOMADO A ISSO AINDA AUMENTE SUA DÍVIDA CONTÍNUAMENTE, possa rfazer a afirmativa de que 1% dos mais ricos possuem mais de 50% dca riqueza do país.

    ...ISSO É ABSURDO ATÉ PARA A SIMPLES MATEMÁTICA!!! ..mera questão de uma avaliação por ORDEM de GRANDEZA faz perceber a falsidade desta afirmação

    ...TAL e QUAL AQUELA AFIRMAÇÂO DO IPEA sobre 2/3 (dois terços) da população concordar com estupro de mulheres com roupa provocante.

    A AFIRMAÇÃO ERA FALSA, um EMBUSTE SAFADO e tão absurdo que teve de ser assumido como FALSO devido a um "ERRO" na planilha.

    SAFADOS!!! ...Tentavam apenas a manipulação da sociedade INCUTINDO-LHE CULPA e DEFEITO, com o objetivo de ENDEUSAR o ESTADO como ENTIDADE MORAL SUPERIOR.


    PAREM de ACEITAR AS AFIRMAÇÕES MENTIROSAS da PROPAGANDA ESTATAL!!!!
  • Didi  06/06/2016 16:07
    Felicitações pelo artigo Iván Carrino!

    Deixaram a cabrita tomar conta da horta e agora os chilenos estão fadados a amargar considerável prejuízo. Urge neutralizar a má influência sindicalista coalhada de pelegos parasitários que grassa como gangrena na América Latina.
  • Frank Costa  06/06/2016 16:12
    Essa guerra se perde quando os liberais não acreditam em uma coisa chamada cultura, sim, acreditando que tudo se resume a uma mera questão econômica. Acredita-se que basta liberar a economia e tudo se acerta. Bom, como a tragédia se repede, basta olharmos os USA, pois quando que nos anos 60 alguém teria a coragem de se apresentar como de esquerda, socialista? Era difícil. Mas como a cultura dos USA vem sendo remodelada a galope, aparecem sujeitos como Bernie Sanders. Não é atoa que as Universidades estão cheira de gente desse tipo. Não adianta falarmos em questões econômica quando não entendemos que mesmo com os resultados óbvios, mesmo assim, não se surpreendam, a retorica da esquerda sempre consegue encantar os corações dos infantes. Não é de se admirar que tudo que se constrói com muito sacrifício e a duras perdas, sim, as perdemos em uma geração.
  • Bernardo Rodrigues Luiz   06/06/2016 16:13
    O país que era exemplo para América do Sul agora está copiando os maus exemplos dos vizinhos, o final nós já sabemos.
  • Maycon R. Campos  06/06/2016 16:13
    Enquanto não criminalizarem o comunismo, que hoje reside sob o manto do populismo, assim como foi criminalizado o nazismo, esse fantasma irá assombrar o mundo por muito tempo ainda.
  • Renato Cunha   06/06/2016 16:14
    Dilma, Cristina Kirchner, Bachelet... Então quer dizer que é só colocar uma mulher na presidência que ela vai fazer menos bagunça no governo do que os homens?
  • Júlia Werner  06/06/2016 16:19
    Não. Quer dizer que ao implantar ideias populistas o resultado é sempre negativo no final.

    O gênero das pessoas não é relevante para definir quem é bom ou ruim em nada.
  • Isaias Lobao  06/06/2016 16:37
    O único que lembrou que a presidente do Chile é uma mulher foi você. Em nenhum momento o autor do artigo destacou este fato.
  • Gabriel  06/06/2016 16:40
    Evo Morales, Rafael Correa, Daniel Ortega e Nicolás Maduro, todos têm algo em comum: são homens, latino-americanos e estão destruindo seus respectivos países seguindo ideias populistas.

    Qual é o seu argumento?
  • Pobre Paulista  06/06/2016 17:07
    Acho que o pessoal não percebeu seu sarcasmo.
  • Douglas  06/06/2016 17:46
    Não mesmo ehehehe.
  • Luis Felipe  06/06/2016 16:38
    "Porém, em meados da década de 1970, o rumo econômico do Chile mudou. Abandonaram o socialismo e migraram para um sistema de livre mercado — ao menos em comparação com seus vizinhos regionais."

    Não há nada que justifique o desrespeito a democracia. Allende foi ilegitimamente removido de seu posto. Qualquer pessoa de bem tem repulsa pela forma como o chile "abandonou o socialismo".
  • Pobre Paulista  06/06/2016 17:01
    Em que pese a maioria dos leitores desse site de fato não terem nenhum tipo de afeição com o militarismo e governos autocratas, não procede usar este argumento para defender a democracia.

    A democracia não é a solução; é o problema.

    Ademais, do ponto de vista puramente econômico, o resultado foi positivo para o Chile, como demonstrado no artigo.
  • Pessimista  06/06/2016 17:10
    "Não há nada que justifique o desrespeito a democracia"

    Então, se você fosse um judeu na alemanha nos anos 30, você deveria ficar quieto e aceitar a democracia que elegeu os nazistas?


    "Allende foi ilegitimamente removido de seu posto."

    Deixava ele destruir o país, ferrar com a vida de milhões de chilenos porque 36% dos eleitores votaram nele. Belo homem de bem você é.

    Afinal, se os judeus tentassem remover Hitler do poder você seria contra, afinal eles deveriam respeitar a democracia, não é?
  • Felipe  06/06/2016 17:34
    Os nazistas, em 1933, foram eleitos com um percentual de votos semelhante ao dos socialistas no Chile, 34,6%. O único motivo de Hitler ter sido chamado à chancelaria se deveu ao fato de que a coalizão de centro-esquerda, que ganhou a eleição, começou a brigar entre si e não ofereceu um candidato.

    De certo modo, Hitler chegou ao poder por acidente. Mais um exemplo da maravilha da democracia.
  • Guilherme  06/06/2016 17:10
    Não há nada que justifique a divinizaçãoda de democracia, principalmente quando ela traz resultados econômicos desastrosos graças à demagogia inveterada. Democracia só pode funcionar em comunidades pequenas onde as pessoas sejam suficientemente constrangidas em relação ao roubo da propriedade alheia através do Estado e onde haja a garantida possibilidade de secessões, ou seja, é quase um sonho.
  • Felipe  06/06/2016 18:25
    Eu não estou defendendo a democracia, muito pelo contrário. O exemplo de Hitler que dei foi justamente usado para criticá-la, em complemento ao comentário do Sr Pessimista acima, que corretamente apontou o cinismo dos socialistas ao defenderem Allende, que destruiu a economia chilena, apenas porque 1/3 dos eleitores chilenos votaram nele.
  • Anderson d'Almeida  06/06/2016 17:35
    Leia: mises.org.br/Article.aspx?id=1571
  • Cético  06/06/2016 19:23
    Qualquer forma é válida para se " abandonar o socialismo".

    Allende iria concorrer com Pol Pot.
  • Renato Souza  07/06/2016 10:38
    Allende cometeu inúmeros crimes, tinha uma guarda pessoal cubana (que foram aqueles que o mataram) foi eleito apenas com um terço dos votos, mentiu e fraudou para criar as condições de ser sacramentado pelo poder político, e haviam motivos constitucionais mais do que válidos para ser tirado do poder. Como Hitler.

    O erro não foi tirarem Allende, o erro foi não terem tirado Hitler.
  • Guilherme  06/06/2016 16:40
    Democracia só pode dar nisso.
  • O MESMO de SEMPRE  06/06/2016 17:39
    A democracia é APENAS a VONTADE da MAIORIA dos ELEITOS.

    Dialéticamente a democracia se tornou um VALOR MORAL, mesmo que esta seja AMORAL. Ou seja, na democracia NADA É JULGADO por qualquer apelo ao MÉRITO, MAS APENAS PELOS VOTOS.

    Se os eleitos decidirem pela ESCRAVIZAÇÃO dos LOIROS, isso será absolutamente democrático. Se a maioria negra se decidir por escravizar os brancos, será democratico. Basta que os ELEITOS aprovem leis nesse sentido, pois a democracia em si não se opõe à escravidão, defendendo apenas a LIBERDADE ELEITORAL SEGUNDO REGRAS ESTABELECIDAS PELOS ELEITOS que EXERCEM o PODER no MOMENTO.
    Tudo pode mudar segundo a VONTADE e INTERESSE dos ELEITOS do MOMENTO.

    Democracia nada tem com julgamentos sobre JUSTO ou INJUSTO, sobre CERTO ou ERRADO, mas apenas defende que se cumpra as regras dos ELEITOS do MOMENTOS para que se dê ELEIÇÕES entre candidatos dentro das regras estabelecidas para o MOMENTO; estabelecidas pelos eleitos que vigoram no momento. NADA MAIS! TUDO PODE MUDAR DEMOCRATICAMENTE SEGUNDO A IDEIA DE DEMOCRACIA.

    Dizer que democracia defende minorias é, não só, PARADOXAL como absolutamente imbecil.
    Pois que a alegada defesa das MINORIAS se dá pela tal democracia unicamente preconizar que estas se EXPRESSEM em seus interesses e reivindicações se assim estiver estabelecido pelos que vigoram eleitos. NADA ALÉM DISSO!!!

    Na verdade a democracia é apenas uma palavra absolutamente VAGA e tudo e qualquer coisa lhe pode ser atribuida seguindo a propaganda mais eficiente do que possa ser a tal democracia. Daí cada um a interpreta segundo seu interesse.

    Não por acaso as mais medonhas ditaduras se apresentam como DEMOCRACIAS:
    Por exemplo a REPÚBLICA DEMOCRATICA da ALEMANHA (RDA), com direito até a ?olícia politica mais famosa: STASI.
  • Luis Felipe  06/06/2016 16:54
    Somente para acrescentar que o eufemismo adotado pelo autor para se referir ao período ditatorial vivenciado pelo chile não é nojento por esta ter sido de direita é nojento por ter sido uma ditadura.

    Portanto deixo aqui minha manifestação de asco e repulsa por todos aqueles de direita ou esquerda que fazem pouco caso das milhares de vidas humanas ceifadas por ditaduras de direita e esquerda ao redor do mundo. Todos os povos tem direito a decidir a forma como serão governados e não há benefício social que justifique ditaduras de esquerda como não há colapso econômica que justifique ditaduras liberalistas.

    O chile não abandonou o socialismo tal qual cuba não abandonou o capitalismo. O chile, senhores, foi vítima de um golpe. E milhares perderam a vida graças a isto.


    Asco, nojo, repulsa.
  • George  06/06/2016 17:36
    Sua afetação de coitadismo pára na realidade histórica.

    Permita-me dar-lhe a versão verdadeira -- e politicamente incorreta -- da história.

    Houve mortes no Chile? Ora, é claro que houve. Quem morreu? Ah, aí a história é outra. Quem morreu foram exatamente aquelas pessoas que estão ávidas para criar campos de concentração e matar inocentes que oferecessem qualquer tipo de resistência.

    Em uma batalha para se evitar a imposição de uma ditadura comunista, é algo incontestável que a maioria daqueles que morreram ou sofreram torturas estava preparada para infligir, caso chegassem poder, um número excepcionalmente maior de mortes e uma escala avassaladoramente maior de sofrimento aos seus conterrâneos.

    A morte e o sofrimento desses propensos totalitários não deve ser lamentada, assim como não se deve lamentar as mortes de Lênin, Stálin, Hitler e seus respectivos auxiliares. A vida e a liberdade são positivamente auxiliadas pela morte e o desaparecimento desses seus inimigos mortais. A ausência destas pessoas significa a ausência de coisas como campos de concentração e genocídios, e isso obviamente é algo que deve ser ardentemente desejado.

    Contrariamente ao que pensam vários intelectuais de esquerda, comunistas não têm o direito de matar dezenas de milhões de pessoas inocentes. Mais ainda: eles não têm o direito de reclamar quando suas almejadas vítimas reagem, impedem suas ações e, nesse processo, matam alguns comunistas.

    Se os marxistas que apanharam e morreram no Chile quisessem de fato evitar tal destino, eles deveriam simplesmente ter ficado em casa escrevendo livros e artigos, ou fazendo palestras. Eles certamente não deveriam ter feito planos para saquear a propriedade de terceiros.

    Quanto a todas as pessoas inocentes que morreram no Chile, seu destino deveria ser imputado principalmente aos conspiradores comunistas que queriam impor sua ditadura totalitária. As pessoas têm o absoluto direito de reagir e defender suas vidas, liberdade e propriedade contra um levante comunista. Nesse processo, não se pode esperar que elas façam as distinções presentes em um processo judicial. Elas precisam agir rapidamente e decisivamente para remover as ameaças. Essa é a natureza de uma guerra de reação. O cruel destino de inocentes, em sua grande maioria pessoas que não puderam ser distinguidas do inimigo, é responsabilidade dos comunistas. Caso eles não tivessem tentado impor sua ditadura totalitária, não haveria qualquer necessidade de uso de força e violência para impedi-los. Consequentemente, os inocentes não teriam sofrido.

    Seja no Chie, seja no Brasil.

    Pronto, agora pode gemer, espernear, chorar e ficar cho-ca-dér-ri-ma com essa minha opinião.


    P.S.: asco, nojo e repulsa por quem diz que os saqueadores da propriedade privada alheia no Chile deveriam ter carta branca para continuar agindo assim.
  • O MESMO de SEMPRE  06/06/2016 17:46
    BRILHANTE E GENIALMENTE FANTÁSTCO GEORGE!!!

    Estou aplaudindo de pé!!! ...Foste brilhante e fechou o post com uma inteligência admirável.


    Show de BOLAAAA!!!!


    "A ausência destas pessoas significa a ausência de coisas como campos de concentração e genocídios, e isso obviamente é algo que deve ser ardentemente desejado.

    Contrariamente ao que pensam vários intelectuais de esquerda, comunistas não têm o direito de matar dezenas de milhões de pessoas inocentes. Mais ainda: eles não têm o direito de reclamar quando suas almejadas vítimas reagem, impedem suas ações e, nesse processo, matam alguns comunistas."


    o BRILHO dos BONS:

    "Pronto, agora pode gemer, espernear, chorar e ficar cho-ca-dér-ri-ma com essa minha opinião.


    P.S.: asco, nojo e repulsa por quem diz que os saqueadores da propriedade privada alheia no Chile deveriam ter carta branca para continuar agindo assim."

    Um dos mais prazeroso cometários que já li em toda minha vida!!!!
  • Gesse Gonçalves  07/06/2016 01:35
    muito boa resposta
  • Pessimista  06/06/2016 18:02
    "O chile não abandonou o socialismo"

    O chile é muita gente meu caro.

    Havia chilenos querendo implantar o socialismo e havia chilenos querendo o sistema de mercado.

    Sim, 36% dos chilenos votaram pelo socialismo e venceram, e ainda que fossem 70 ou 90% dos chilenos, que direito tem uma maioria de assaltar uma minoria? e porque a minoria deveria simplesmente aceitar que lhe confiscassem sua propriedade?

    Vou voltar ao exemplo que dei em cima, se os judeus tivessem se levantando contra Hitler para se defender, você seria contra?

    Não há nada de certo na democracia ou em qualquer outro sistema político.

    Os mortos que vieram pela ditadura foram consequência dessa tentativa de implantar um sistema de escravidão em massa, chamado socialismo.
  • Andre  06/06/2016 18:34
    Contemplem a nova estratégia esquerdista para combater o libertarianismo, jogar as ditaduras de esquerda e de direita no mesmo saco, agitar, olhar lá dentro encontrar os 100 milhões de mortos e diz que devemos dividir por 2 e dá 50 milhões de mortos para cada um, justo não?
    Equiparar a vida perdida de um camponês dono de um pedaço de chão taxado de burguês opressor que lutou para defender sua propriedade sua família e seu pouco de liberdade com a vida de um militante armado, bem educado e influente que lutou com todas as suas forças para transformar seu país em um satélite soviético-cubano.
    Isso não é libertarianismo meu caro, isso é canalhice esquerdista.
  • opinador  06/06/2016 19:37
    A ditadura militar é tão tosca quanto a ditadura esquerdista.

    Que na verdade não existe essa de ditadura de direita e ditadura de esquerda...

    Pra mim é tudo a mesma coisa.

    O que causou o crescimento no chile foi que Pinochet queria alivar a sua barra.

    Coisa que muito esquerdista faz com frequencia...

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2265


    https://www.youtube.com/watch?v=onGWIXaBHTo



  • Edujatahy  06/06/2016 19:59
    Eu não aprovo ditadura militar ou qualquer ditadura (entra aí também a ditadura da maioria, também conhecida como democracia).

    Mas não se pode, por simples honestidade, querer comparar a ditadura militar de Pinochet com as demais ditaduras esquerdistas. Nós estamos falando de alguns milhares de mortos contra alguns MILHÕES de mortos.

    Qualquer critério mínimo de razoabilidade perceberá que uma é MUITO MENOS maléfica e cruel que a outra.

    O que acho interessante é a indignação seletiva da nossa mídia em pintar Pinochet como um dos "piores" ditadures e deixar de lado o nível de destruição e miséria promovida pelos ditadores de "esquerda". Qualquer lista mínima mostraria que Pinochet não passa de um "estagiário" diante do que os "verdadeiros" ditadores socialistas (Hitler, Stalin, Mao Tse Tung, Pol Pot...) fizeram.
  • Taxidermista  06/06/2016 16:58
    Off:

    sobre a votação na Suíça a respeito do "Free Lunch" ("Unconditional Basic Income" - suíços votaram pelo 'não' ao UBI):

    mises.org/blog/switzerland-votes-free-lunch
  • Marcos  06/06/2016 17:38
    E o "não ao almoço grátis" venceu esmagadoramente, com 77% dos votos.

    Os suíços nunca decepcionam.
  • mauricio barbosa  06/06/2016 18:02
    Comunistas um erro não justifica o outro,inocentes mortos seja pela esquerda,seja pela direita são condenáveis do mesmo jeito,agora comparativamente falando o comunismo é mais feroz por ele confiscar injustamente o patrimônio alheio e esses proprietários reagirem ao esbulho e assim são exterminados daí as ditaduras de esquerda serem mais sanguinárias,ou seja em uma ditadura de direita a resistência é menor pois não há o confisco de propriedades,portanto são menos,mas muito menos sanguinárias,enfim contra os fatos não há argumentos,COMUNAS CALEM SUAS BOCAS OU ENTÂO ARGUMENTEM COM DADOS CONCRETOS E CONVINCENTES SEUS PULHAS.
  • Anderson  06/06/2016 21:49
    Suíços nunca decepcionam. Não é a toa que são ricos.
  • O MESMO de SEMPRE  06/06/2016 17:24
    Como comentei lá acima, a ideia que sempre prevalecerá é a IDEIA MORAL!!!

    Vejamos o tolo acima. Ele advoga a democracia como instancia moral superior.

    Qual a razão de ser tão estúpido e falar asneiras, já que foi o congresso que cassou Allende.

    O sujeito é limitado até no julgamento moral não propagandeado, pois que deseja apenas se OSTENTAR "pessoa maravilhosa" ao se exibir como empedernido democratíssimo.

    Para um estúpido interessado apenas em SE FANTASIAR com um MORALISMO CONSAGRADOR e tentar com isso convencer-se de que é alguém que presta (sim, isso decorre da própria insegurança sobre seu valor como indivíduo).

    Sim, indivíduos inseguros ou atormentados com aquilo que percebem de si, TENDEM A SE MOLDAREM segundo a MODA do momento.
    Se TRAVESTEM com a FANTASIA MORAL CONSAGRADORA SEM QUALQUER ANALISE de MÉRITO OBJETIVO.

    Allende e suas MILICIAS REVOLUCIONÁRIAS já estavam PRATICANDO ASSASSINATOS, SEQUESTROS e ASSALTOS contra a tal "BURGUESIA" e tudo se tornaria ainda mais aterrorizante com MILHARES de EXECUÇÕES de CAMPONESES e EMPRESÁRIOS "exploradores". ...COMO se deu na RUSSIA, CUBA, VIETNAN, CORÉIA do NORTE, ANGOLA e ETC. ETC. ETC..

    Contudo, para um sujeito que olha para si e nada vê que preste, resta apenas VESTIR-SE com uma FANTASIA VALORIZADORA!!!

    ...Então, como a propaganda MORAL tem alardeado que SER um DEMOCRATA é ser alguém BOM e MARAVILHOSO, cheio de tolerância e coisa e tal, qualquer paspalho inseguro, sobretudo ADOLESCENTE, tende a ostentar-se um DEFENSOR da DEMOCRACIA.

    ...Estes tipos inseguros, que se desprezam ou julgarem-se, não se importam com MILHARES de INOCENTES TORTURADOS e ASSASSINADOS por coletivistas, SOCIALISTAS. Não!!! ...estes atormentados querem apenas VERBALIZAR o QUANTO SÃO DEMOCRATÍSSIMOS e MARAVILHOSOS ao MOLDAREM-SE aos VALORES PROPAGANDEADOS.

    A democracia é APENAS a VONTADE da MAIORIA dos ELEITOS.

    Dialéticamente a democracia se tornou um VALOR MORAL mesmo que esta seja AMORAL. Ou seja, na democracia NADA É JULGADO PELO MÉRITO, MAS APENAS PELOS VOTOS.

    Se os eleitos decidirem pela ESCRAVIZAÇÃO dos LOIROS, isso será absolutamente democrático.

    Dizer que democracia defende minorias é não so PARADOXAL como absolutamente imbecil.
    Pois que a alegada defesa das MINORIAS se dá pela tal democracia permitir que estas se EXPRESSEM em seus interesses e reivindicações. NADA ALÉM DISSO!!!

    Quando democraticamente se proibe propaganda do racismo da superioridade de alguma religião (discriminações), se esta opondo à ideia da democracia. EIS O PARADOXO DEMOCRÁTICO!!!

    Afinal, se proibido propaganda racista, nazista, nacionalista, regionalista, religiosa e etc. invocando superioridade, TUDO e QUALQUER PROPAGANDA PODE SER DEMOCRATICAMENTE PROIBIDA PELOS QUE JÁ ESTÃO ELEITOS.

    Desta forma, os JÁ eleitos se valem do PARADOXO DEMOCRATICO para CENSURAR CONCORRENTES.


    Ou seja, os IMBECIS concordam que não se deva proibir a propaganda socialista (censurar), que preconiza o ATO VIOLENTO do ESTADO CONTRA DETERMINADA CLASSE SOCIAL. Ou seja, a propaganda socialista preconiza o ATAQUE a DETERMINADOS INDIVÍDUOS AGRUPADOS PELA RENDA OU POSSE de BENS.

    O NAZISMO preconizava o Socialismo, porém com enfase no ATAQUE aquilo que chamava de RAÇA. Ou seja, indivíduos agrupados pela RELIGIÃO e até pela COR DA PELE.

    Ora, ca no bananão a tal dita dura dos milicos proibia a propaganda socialista que preconizava atacar e expropriar determinados indivíduos atribuidos a grupos ou classes assim denominadas.

    UAIIII ...se a democracia pode proibir e prender adeptos de ideologia de discriminação de raças, qual a razão de não ser democratico proibir e prender adeptos de ideologias de DISCRIMIONAÇÃO CONTRA CLASSES SOCIAIS????


    Os imbecis tão pouco refletem sobre as asneiras que defendem, EM BUSCA de MARKETING PESSOAL, que nem percebem as suas CONTRADIÇÕES strictu senso.

    Aceitam que é democratico proibir propaganda nacional-socialista e fascista (sindicalismo), mas logo se arrepeiam de indignação caso se proiba a propaganda da DISCRIMINAÇÃO CONTRA CLASSES e sobretudo se proiba e prenda adeptos que praticam ASSASSINATOS, ASSALTOS, SEQUESTROS e TORTURAS em nome do SOCIALISMO. Como foi o caso de ALLENDE e suas MILICIAS REVOLUCIONÁRIAS.

    Não passam de PAVÕES IMBECIS!!!
  • Renato  06/06/2016 17:39
    Reclamam do estado e não batem naqueles que mantém o estado: A CLASSE POLÍTICA.

    Se queremos ficar livres dessa corja temos que aos poucos alertar a todos sobre como é danoso para o bolso das pessoas e para os cofres do país a existência dessa classe parasitária chamada político.

    Em artigos anteriores eu percebi o aumento dos interessados que gostaram da minha ideia de criar um grupo para essa finalidade: A ELIMINAÇÃO DOS POLÍTICOS COMO CLASSE.

    Eu já expus aqui um principio de como iniciaríamos essa empreitada:

    Criaríamos um empreendimento para a função de alerta aos empreendedores. Sejam eles pequenos, médios ou grandes empreendedores.

    Um grupo poderia ser criado, mostrando o nosso cartão de visita, para fazer o trabalho de divulgação entre os empresários. Assim que contratados, de comum acordo com os mesmos (troca voluntária), estabeleceríamos um preço razoável para começar a imprimir cartilhas explicando as pessoas, dentro do estabelecimento do contratante, se assim esse desejar, mais principalmente nas ruas.

    Poderíamos também criar grupos de associados para que cada vez mais a mensagem de anti-políticos ganhasse mais força através de palestras e encontros.

    Mostraríamos aos poucos para as pessoas que pagar impostos é uma falácia. Só serve para sustentar a classe política...e também mostraríamos a existência de moedas digitais, como o bitcoin, por exemplo, para o empresário e para as pessoas comuns.

    Aos poucos vamos tirar essa mentalidade estatal da cabeça das pessoas.

    Como eu sou da CIDADE do Rio de Janeiro, ficaria melhor que pessoas daqui entrassem em contato comigo.

    Trabalharíamos como se fossemos "fantasmas". O investimento seria feito diretamente com empresários que assim solicitasse nosso serviço.

    É claro que esse grupo crescendo vamos criar e ter contato com pessoas de outros estados e até mesmo em nações estrangeiras.

    Para os interessados meu email NOVO é galenoeu@gmail.com
  • Pobre Paulista  06/06/2016 18:09
    Na base do ^C ^V

    "Todos os povos tem direito a decidir a forma como serão governados..."

    "Asco, nojo, repulsa."

    (OK, eu adicionei os itálicos e negritos, mas o essencial foi na base do ^C ^V mesmo ;-) )
  • Filosofo da USP  06/06/2016 19:10
    Valeu.
  • a  06/06/2016 20:53
    A pessoa que se diz socialista deve parar de usar qualquer objeto produzido pelo capitalismo, inclusive comida.
  • Anderson  06/06/2016 21:55
    Eu desisto. Nunca esse povo vai aprender. Não é a toa que Henryk Ibsen disse: "Na maioria das vezes a maioria está errada".
  • Caio  06/06/2016 22:56
    O que ocorre para a população apoiar isso também tem a ver com as feridas da ditadura. Políticas de livre mercado sempre são associadas com o passado, com Pinochet, enquanto, o esquerdismo ganhou na guerra da propaganda, como os bonzinhos.

    Não dá para analisar somente pelo lado cultural. Talvez se não houvesse golpe, jamais a população iria apoiar o esquerdismo - algo que por ex, ocorre com o Peru, que foi vitima de uma ditadura socialista, e hoje, apesar de haver um governo de esquerda, este é pressionado a população a uma postura pragmática, e ambos candidatos com tendência mais liberais foram ao segundo turno.
  • saoPaulo  07/06/2016 00:06
    Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Chile...
    Estou cansado. Para onde quer que olhe, vejo estes malditos totalitários escravizando pessoas na promessa de um sonho igualitário, sonho este imoral, baseado na inveja. Sim, na inveja, pois se buscassem mesmo a eliminação da miséria, a primeira medida que defenderiam seria a eliminação dos impostos sobre artigos de primeira necessidade. Ao invés disto, sempre defendem maior taxação sobre os ricos. Estes malditos pretendem a "escravização do século XXI". Antes se escravizava as pessoas de "raça inferior". Hoje querem escravizar as de "raça superior". TODAS as pessoas que tenho contato, mesmo às vezes não admitindo explicitamente, acreditam piamente que os problemas do mundo seriam resolvidos se os ricos fossem mais taxados... E estou falando de pessoas de várias nacionalidades, com formação superior fora das "humanas". Não importam todos meus argumentos éticos e utilitaristas, não adianta eu apontar para os imbecis que eles próprios fazem parte do tal 1% mais rico do mundo, sempre vêm com aquele discurso à Obama do contrato social.
    Pois bem, eu estudei em escolas públicas, frequentei hospitais públicos, andei por vias públicas. Eu fico resignado, aceito minha escravidão. Porém, deixem ao menos meu filho, que está a caminho, desfrutar da liberdade que não tive, de não ter que financiar guerras das quais discorda, de não ter que doar dinheiro para tiranos que o enojam, de não ter que dar dinheiro a barões da FIESP para manter empregos longe de um chinês humilde, de não ser obrigado a pagar tributos a políticos milionários viciados em poder enquanto vê seus compatriotas se matando para comprar o leite dos seus filhos. Me comprometo a não usar de um centavo estatal para sustentá-lo. Pagarei, do meu bolso, por um hospital privado e por escolas privadas. Ele nunca usará instituição estatal alguma. Pagarei pedágio sobre todo metro que ele andar. Doarei dinheiro às forças armadas que o mantém protegido de invasores estrangeiros. Abdico de luxo, entretenimento, viagens e tudo que não servir exclusivamente para cuidar do meu filho. Me comprometo aqui a ser um escravo total do governo. Peço apenas em contrapartida que ele seja livre! Livre desta ilusão escravizadora que chamam de contrato social. Livre para escolher com quem se associar de acordo com sua consciência. Mas claro que sabemos que os tiranos não aceitariam minha oferta. Nem os tiranos que governam, nem os tiranos que são governados. E isto que mais me deixa frustrado. Não posso sequer comprar sua carta de alforria. Nem isso. ISTO É PIOR QUE ESCRAVIDÃO!
  • Max Rockatansky  07/06/2016 00:46
    Excelente desabafo.
  • O MESMO de SEMPRE  07/06/2016 02:03
    Essa é a verdadeira LUTA de CLASSES:

    As classes RECEBEDORAS de IMPOSTOS X As classes PAGADORAS de IMPOSTOS!!!

    São Paulo falou bem quando lembrou que se políticos e esquerdistas em geral desejassem o bem da população não taxariam os serviços de saúde e medicina e, em verdade não deveriam taxar os fornecedores de alimentação e habitação.

    OCORRE QUE A PRODUÇÃO TEATRAL e CINEMATOGRAFICA NÃO PAGAM QUALQUER IMPOSTO, TAXA ou "CONTRIBUIÇÃO". Nem mesmo precisam pagar a PARTE do EMPREGADOR ao INSS.

    Qual a razão disso???

    É simples, imagine-se artistas sendo taxados como são os empresários.
    Eles atacariam em suas peças e filmes a existência do estado.

    Porem, embora a produção de medicamentos, alimentação e habitação sejam mais úteis que peças teatrais e filmes é a produção de bens e serviços ÚTEIS e INDISPENSÁVEIS que são taxados mais que jornais e TVs.
    Claro que a pessoa física dos artistas não tem privilégio senão aquele de RECEBEREM PENSÃO e a mamata da CASA dos ARTISTAS sustentada com recursos PÚBLICOS. Sem contar que odem sonegar a vontade que a receita não os atormentará e ainda podem valerem-se das empresas de produção artistica para não pagarem impostos como pessoas físicas.

    Ou seja, o Estado preocupa-se com os FORMADORES, ou MANIPULADORES, de OPINIÃO e não com aqueles que são mais ÚTEIS, pois que estes não têm tempo para FAZER FOFOCA e MATUTAR MEIOS de INDUZIR a POPULAÇÃO CONTRA o Estado, já os tais de ARTISTAS e COMUNICADORES têm na fofoca sua profissão e podem facilmente jogar a população contra O PODER ESTATAL. Não apenas contra este ou aquele político ou partido, MAS CONTRA o PODER EM SI.

    Solução?

    Simples: Ninguém poderá viver de forma perene do PODER.

    - Políticos poderem se eleger no máximo 2 ou 3 vezes e sem aposentadoria especial.

    - Funcionários do Estado igualmente terem prazo máximo para viverem de impostos, 12 a 15 anos no máximo e com suas aposentadorias pela mesma regra da iniciativa privada.

    O Estado concede aposentadoria DIFERENCIADA a seus funcionários EXATAMENTE PARA QUE JAMAIS SE PREOCUPEM EM INVESTIR PARA GARANTIREM o MESMO PADRÃO AO SE APOSENTAREM.

    Com isso os parasitas estatais, incluso autoridades, ALTOS FUNCIONÁRIOS e POLÍTICOS não se preocupam com a economia, pois o PODER destrutivo do Estado, diga-se a VIOLÊNCIA, lhes garante o padrão VITALÍCIO e por tal POUCO se IMPORTAM com o estrangulamento da economia por parte da EXPLORAÇÃO ESTATAL sobre a SOCIEDADE, então LITERALMENTE ESCRAVIZADA em nome "dos pobres"

    O Estado é um conjunto de CLASSES SOCIAIS HIERARQUIZADAS que vivem da exploração ou ESCRAVIZAÇÃO dos PAGADORES de IMPOSTOS que ficam SUBMETIDOS à VONTADE de seus senhores estatais.

    ESCRAVIDÃO É ESTAR SUJEITO à VONTADE ALHEIA a fim de não sofrer a ação alheia em contrário.

    O ESCRAVO É AQUELE A QUEM NÃO É DADO PLENO DIREITO DE ESCOLHA NATURAL, pois que os SENHORES CONTROLAM AS OPÇÃOES DISPONÍVEIS:

    - O ESCRAVO não tem a OPÇÃO de NÃO MANTER RELAÇÃO alguma com seu senhor. Ou ele OBEDECE às ORDENS dos seus senhores ou ele SOFRE o ATAQUE DE SEUS SENHORES.

    Não é como uma relação empresarial, onde se o indivíduo não desejar ser empregado ou prestador de serviço a outros indivíduos, ele pode ASSIM OPTAR SEM SOFRER NENHUM ATAQUE a SUA INTEGRIDADE ou PROPRIEDADE.

    Aos escravos não é permitido todas as OPÇÕES NATURAIS, entre elas a de NEGAR-SE a QUALQUER RELAÇÃO com SEUS SENHORES.
    Na escravidão ESTEREOTIPADA os SENHORES AMEAÇAVAM a SOMENTE a INTEGRIDADE FÍSICA de seus ESCRAVOS, pois estes NADA MAIS TINHAM PARA SEREM AMEAÇADOS de DESTRUIÇão ou PRIVAÇÃO de seu BEM VIVER.

    Na NOVA ESCRAVIDÃO os senhores não ameaçam o CORPO do ESCRAVO, sua propriedade corporal, MAS SIM SUA PROPRIEDADE SOBRE SEUS BENS LEGITIMOS e seu LEGITIMO DIREITO dee TRABALHAR LIVREMENTE e PROSPERAR.

    A ESCRAVIDÃO PERSISTE no chamado "MUNDO MODERNO": As CLASSES RECEBEDORAS de IMPOSTOS ESCRAVIZAM os PAGADEORES de IMPOSTOS.
  • Dam Herzog  07/06/2016 00:27
    Como a presidente do chile começa ao implantar o socialismo destruir o pais.
    O Chile era a 7ª economia mais livre do mundo até 2014. Fico triste em saber que o socialismo como um artigo anterior do mises dizia desincentiva o trabalho, entrega a direção do pais a pessoas ditas iluminadas com poder total e sem respeitar leis, e regem a economia sem propriedade privada, dai sem mercado, e sem poder ter um sistema de preços. Dai o socialismo não produz, pelo desincentivo ao trabalho, tira a garra das pessoas promovida pela concorrência, não inova, e não sabe o que produzir e em que quantidade. Sem mercado não há solução. Então é um sistema já experimentado e falido, e com trágicas consequência para a população iniciando com o consumo do capital atual, e depois que o capital acaba, fome, pobreza, terror, perda da dignidade (pessoas comiam até seus filhos 'china'), sangue, morte por inanição. O líder comunista Pol Pot matava crianças com baioneta, e assassinou 40% da população. Lula tem a intenção de implantar o comunismo no Brasil segundo ele confidenciou a Lech Walesa líder operário polones, mas os petistas dizem que erraram por terem esquecido de doutrinarem e colocarem em comandos estrategicos pessoas alinhada com suas ideias nas nossas forças armadas, unirem as policias militares, e pessoas de sua confiança na Policia Federal. Só tiveram algum exito no judiciario. Se tivermos que viver sobre este regime vai ser um sofrimento físico, moral com perda da dignidade pela fome (comem cachoros, gatos e pombos. Esperamos que não chegue aqui. Para que experimentar o que já deu errado no mundo inteiro? Vamos ver como está o Chile daqui há 10 anos
  • José Carlos  07/06/2016 11:56
    Ola, Iván, foi um ótimo artigo.
    Agora na sua opinião, se estava tudo bem, país crescendo, quase sem desemprego, um exemplo de país liberal...
    O que aconteceu para o povo eleger a doida duas vezes? Não existe um partido com viés liberal por lá?
    Pelo que entendi, ela mostrou as mangas neste segundo mandato, mas provavelmente nas eleições já deve ter transparecido o alinhamento político dela.
  • O MESMO de SEMPRE  07/06/2016 18:01
    Essa é simples de responder.
    Simplesmente Pinochet NÃO FALAVA, ele só agia.

    O rebanho popular NÃO SABE PENSAR NEM JULGAR, mas apenas REPETIR feito papagaio.

    Esse é o erro e foi o erro de Pinochet que nem mesmo ESCLARECIA A POPULAÇÃO sobre o que rolava, não fazia discursos inflamados contra a URSS ou Cuba, não desconstruia as estorinhas fantasiosas da esquerda corrupta e PSICOPATA.

    Quem CALA PARECE CONSENTIR e a esquerda, que defende o PODER ABSOLUTO PARA HIERARQUIA ESTATAL ESCRAVIZAR A SOCIEDADE, não faz outra coisa senão BERRAR FRENETICAMENTE e promover badernas e arruzaças para depopis POSAR de VÍTIMA. Sim, as lideranças socialistas (Estado totalitário escravocrata) empurram para o sacrificio aqueles imbecis ideológicos, sobretudo os inseguros adolescentes ansiosos por OSTENTAREM-SE herois e guerreiros, a fim de esconderem até de si mesmo o PAVOR que sentem da VIDA ADULTA, pois que aterrorizados com a possibilidade do próprio fracasso.

    Imbecis ideológicos = aqueles que se ostentam defensores de FINS CONSAGRADORES com o objetivo de se FANTASIAREM de "pessoas maravilhosas" ou "guerreiros das boas causas".

    Para estes imbecis NÃO IMPORTA A VERACIDADE da IDEOLOGIA, mas apenas a OPORTUNIDADE que esta lhes dá de se OSTENTAREM MORALMENTE SUPERIORES.
    É a VAIDADE misturada à inseguranças ou consciência da própria irrelevância que move os IMBECIS IDEOLÓGICOS para FANATIZAREM-SE na CONSTRUÇÃO de suas APARÊNCIAS a fim de ESCONDEREM aquilo que imaginam a própria ESSÊNCIA. Daí não se importarem com a REALIDADE e se entregarem HISTÉRICOS ao FRENESI IDEOLÓGICO da ALGAZARRA GRUPAL que tenta superar a realidade.

    Ou seja, a ESQUERDA, que apenas defende o TOTALITARISMO ESTATAL, é mestre no BERREIRO e na PROPAGANDA MORAL, por mais paradoxal que seja. Afinal o esquerdismo é uma DOENÇA MENTAL provocada pela VAIDADE EXAGERADA, que faz o infectado só pensar em como EXIBIR-SE em APARÊNCIA até para si mesmo. Assim, TENTA MOLDAR-SE À PROPAGANDA MORAL ou a mais BARULHENTA PROPAGANDA SOBRE o VALOR MORAL do indivíduo.

    EIS AÍ A RAZÃO da VITÓRIA da ESQUERDA apesar das efetivas CONTRADIÇÕES de seu BESTEIROL IDEOLÓGICO. Então combatido com a HISTERIA e a BARULHEIRA, captando a atenção VISUAL e AUDITIVA para suplantar a ANÁLISE REFLEXIVA.

    Daí que guerrilheiros assassinhos e adoradores de Che Guevara, Fidel, Lenin, Stalin, Pol Pot e etc., NEM MESMO CORAM AO ALARDEAREM-SE "guerreiros da democracia" e "almas caridosas", com mais de cem milhões de vítimas INDEFESAS e em TEMPOS de PAZ, nas costas.

    SÃO MANÍACOS que se entregam à HITERIA IDEOLÓGICA COLETIVA!!!

    Essa propaganda moral histericamente repetida e nunca contestada por Pinochet é que produziu o sucesso do esquerdismo chileno.

    Essa é a RESPOSTA!
  • Adelson Paulo  09/06/2016 21:49
    A resposta é um pouco mais complexa, e está relacionada ao governo anterior de Sebastian Piñera. Piñera era um empresário bem sucedido quando assumiu a Presidência, e tentou implantar um regime quase empresarial na administração pública, e obviamente enfrentou grandes resistências dos servidores. Na época analistas chegaram a afirmar: como é possível fazer os servidores públicos trabalharem melhor, tratando-os mal?
    Piñera ainda recebeu severas críticas de não separar seus interesses empresariais pessoais quando na presidência. Com um governo cambaleante e inseguro, apesar do crescimento econômico regular, o costumeiro pêndulo político dos eleitores que tendem a votar na oposição, e a histórica força eleitoral das forças de esquerdas chilenas, a esquerda assumiu de novo o poder em 2014 no Chile. Deve-se ainda considerar que o contexto da ocasião ainda era de predomínio do bolivarianismo na Sul América.

  • Celso Silva  07/06/2016 13:05
    Faço um apelo aos médicos ligados ao movimento libertário para que iniciem prontamente pesquisas profundas para saber que tipo de vírus invade os cérebros dos esquerdopatas.
    Não é possível que com tantos exemplos de besteiras em todo o mundo, ainda existam comunistas que insistam nas teses estapafúrdias de seu guia e deus, o bon-vivant Marx, para implantar algo que nunca vicejará. Toda plantação esquerdista acaba num pasto seco, sem vida, onde a chuva da prosperidade se recusa a cair...
  • Opiniao  08/06/2016 09:22
    Que interessante. Não acompanho muito a política no Chile mas vejo muita gente comentar como o país é exemplo para toda a America Latina. Estive no Chile há quase 4 anos atrás e fiquei impressionada com o país. Infelizmente esses esquerdopatas parecem dominar toda a America do Sul. Uma pena.. vou acompanhar.
  • Renzo  09/06/2016 01:05
    Muito triste ver o populismo destruir um país com paisagens naturais espetaculares, povo educado, ótima infraestrutura, etc. Fui lá em 2011 e nem parecia América Latina. Agora vão copiar tudo o que tem de ruim por aqui...
    O pior de tudo é essa mentira da educação gratuita e universal. Para crianças qualidade péssima. No caso de adultos, a maioria vai pagar pra uma minoria ter aulas de graça, sem que tenha vagas pra todo mundo que quiser entrar na faculdade.
    Mas é aquele negócio, escreve-se toneladas de palavras mostrando a realidade, e o que ganha a batalha é a propaganda, pois basta uma notícia como a da Nissan mandando os empregados usarem fralda nos EUA pro povo automaticamente chegar à conclusão de que o capitalismo é ruim e o empresário é malvado. Nem sequer se atentam pro fato de que menos de cem anos atrás havia mais de 100 marcas diferentes produzindo carros nos EUA.
  • Pilates  09/06/2016 22:55
    O grande mérito do populismo é ser infalível. É questão de tempo para que mostre os resultados: inflação descontrolada, défict fiscal, recessão, desemprego, empresas fechando as portas. Nos últimos anos, tivemos uma intensa convivência com esta praga.
  • anônimo  11/06/2016 02:06
    Assim como o autor, tenho um afeto especial pelo Chile. Comecei a estudar espanhol ainda criança para conhecer o Chile, e tive o prazer de estar em Santiago no final de 2015. Fiquei encantada com a quantidade de arranha-céus e lojas de eletrônicos modernos, perfumes e roupas de grife em cada esquina. Os modelos de carros também me impressionaram bastante.

    No entanto, nem tudo era flores... A esquerda caviar de lá, insatisfeita em ver o povo mais preocupado em gastar seus pesos em festas regadas a vinhos maravilhosos ou tardes divertidas na piscina, estava preocupadíssima com a ausência da "mamãe estado" em assuntos como previdência e educação. No walking tour que eu fiz, o guia fez questão de parar em frente à sepultura de Salvador Allende e se lamentar de como o povo estava "alienado" e não queria "lutar por seus direitos" nos dias de hoje. Ainda teve outro que me perguntou se eu estava satisfeita com o fato da escolas no Brasil serem "de graça" (e depois me pediu alguns pesos para ajudar na causa, que eu educadamente não dei...).

    Conversando com algumas pessoas por lá, percebi que o discurso do "perfeito idiota latino-americano" é latino-americano mesmo. Tem muita gente de espírito empreendedor e simpático a algumas ideias da liberdade, mas com um pouquinho aqui, outro ali de boquinha do Estado. E li uma reportagem interessantíssima de um pretenso candidato à presidência com ideias bastante liberalizantes. Sinceramente, espero o melhor para o Chile, que esse câncer chamado populismo não se alastre por lá e acabe com o país como acabou com a vizinhança.
  • Acionista25  14/06/2016 22:54
    Parabéns ao site por mais um artigo interessante!Gostaria de tirar algumas dúvidas:
    1-Essa pujança do Chile até 2013(antes do governo Bachele) se deveu a que?De que forma Alende ou Pinochet contribuíram para essa melhora?Pelo que li apesar da ditadura de pinochet ser "liberal" e melhor que o governo de Alende, os níveis de pobreza e desemprego dobraram.Como explicar o Chile ter avançado?
    2-Qual pior regime,o socialismo ou o populismo?
    Abraços!
  • Emerson Luis  03/07/2016 16:43

    O Chile estava indo razoavelmente bem, espero que acordem há tempo.

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.