clube   |   doar   |   idiomas
Não perca tempo com Esquerda versus Direita - apenas defenda a liberdade

Não perca seu tempo classificando as pessoas, os partidos e as bandeiras entre esquerda e direita. A classificação existe apenas no discurso, não na realidade, e é uma ferramenta retórica para criar conflitos, marcar posições e demonizar adversários.

Mais do que isso, falar em esquerda e direita é participar de um jogo. Um jogo retórico que serve aos interesses de apenas um dos jogadores. Quase sempre, quem dá as cartas é a esquerda.

Funciona assim: o primeiro lance é da (autodeclarada) esquerda. Ela olha uma dada situação social vista como problemática e a interpreta como uma instância de luta de classes: um lado mais forte que oprime um lado mais fraco. A esquerda então arroga para si a defesa do lado mais fraco/oprimido, que envolve algum tipo de compensação para esse lado e punição do lado opressor.

E a direita, o que faz? Fica com a inglória incumbência, que ela aparentemente aceita de bom grado, de defender o lado mais forte contra o ataque da esquerda que quer balançar o status quo.

Isso vale desde os casos clássicos do conflito, como a situação dos trabalhadores. A esquerda arroga para si a defesa da causa dos operários e a direita fica com a defesa dos empresários.

No entanto, sabemos que na prática não é nada disso: há vários empresários de esquerda e há também sindicalistas de direita. Além disso, essa conveniente dicotomia exclui muita gente: o desempregado, o informal, o pequeno empreendedor, o autônomo, o profissional liberal etc.

Mesmo assim, a leitura "pega", e acaba sendo a lente básica pela qual muitos leem a realidade e se posicionam.

O mesmo jogo serve também para contextos totalmente díspares e nos quais encontrar um oprimido e um opressor é bem menos claro. Penso em dois bem aplicáveis ao Brasil, que mostram como é arbitrária essa divisão.

O primeiro é o aborto. A narrativa dominante nesse tema é a que pinta a mulher como vítima e os homens ou a sociedade machista patriarcal como opressores, que não querem que a mulher seja dona de si, seja feliz etc. Mas a própria esquerda brasileira, que tem em suas raízes ainda muito da teologia da libertação católica (ferrenhamente anti-aborto), oferece uma narrativa alternativa: o aborto é uma situação dramática na qual a mulher é jogada por um sistema injusto (pois, tendo condições, ninguém decidiria abortar), e as grandes empresas que ofertam e lucram com o aborto clandestino são parte do aparato opressor do capitalismo global.

De que lado ficar? Dos que negam direitos reprodutivos ou dos que apoiam a agenda de multinacionais?

Ou pensemos no caso do transporte. Há luta de classes aí? Não havia, não precisava haver, mas agora há. Ônibus, usado pela maioria pobre, e bicicletas — preferência de uma minoria rica e bacan — são o lado oprimido. Quem aposta neles é esquerda. Os egoístas motoristas de carro (mesmo os motoristas de um Fusca ou uma Brasília) são os opressores; quem os defende é a direita.

Há uma série de questões que revelam o absurdo dos termos esquerda e direita: ambientalismo, industrialização (ironicamente, defender as grandes indústrias com tarifas protecionistas e subsídios virou bandeira da esquerda), povos indígenas e tradicionais, agricultura familiar versus agronegócio, grande empresariado (beneficiado por políticas protecionistas e de subsídios, que virou uma agenda da esquerda), política externa, e muitas outras etc.

O pobre recostado recebendo bolsa-família e fazendo filhos, o maconheiro de Humanas que anda de bicicleta e quer revolução, o proletário pelego, o negro racista, a feminista beligerante: figuras que a direita adora odiar. Todos têm alguma base numa realidade parcial — assim como os estereótipos que a esquerda adora odiar! — mas são, antes de tudo, criações da imaginação ideológica. E nessa guerra de ódios, foi dado à direita o lado perdedor: o lado do mais forte, que naturalmente não desperta a simpatia popular.

Quer combater a mentalidade esquerdista?  A maneira certa está em se recusar a participar do jogo da luta de classes; está em apresentar soluções que não passem nem pela defesa de um grupo e nem pela demonização de outro. Está em descobrir as lógicas que desarmam esse discurso que só enxerga opressores e oprimidos.

A realidade social não é fundamentalmente uma realidade de exploração, de transações perde-ganha. Essas existem, mas são abusos. A luta de classes (ou melhor, de grupos) é a realidade básica apenas em um campo da vida social: a política, que instaura cabos de guerra por onde passa.

Fora da política, o padrão de interação humana em uma sociedade que reconhece direitos individuais é o da relação voluntária, que gera uma situação em que ambos os lados envolvidos ganham, sem soma zero.  As transações que ocorrem voluntariamente no mercado são uma modalidade desse tipo de interação.  

Cada transação acontece como um acordo voluntário entre duas pessoas ou entre grupos de pessoas. Esses dois indivíduos (ou grupo de pessoas) trocam dois bens econômicos: serviços ou bens (tangíveis ou intangíveis) e dinheiro. Ambas as partes empreendem a troca porque cada parte espera ganhar com ela.  Você faz algo positivo para mim — como, por exemplo, me ofertar um bem ou serviço — e eu, em troca, faço algo positivo para você, dando-lhe dinheiro.

A minha situação melhorou, pois, para mim, o bem ou o serviço vele mais que o dinheiro que lhe dei (se não valessem, eu não estaria incorrendo nessa troca).  E a sua situação também melhorou, pois você valoriza meu dinheiro mais do que o bem ou serviço que me vendeu (se não valorizasse, não os estaria vendendo).

Nós dois ganhamos.

Essa é a única relação que deve ser estimulada e que deve ganhar cada vez mais espaço — em vez de lutas de classe, de gênero, de cor, de preferência sexual, de distribuição de privilégios estatais etc. —, pois é ela que eleva a qualidade de vida de todos no longo prazo. 

Nem esquerda nem direita defendem exclusivamente esta relação.

Por fim, como bem disse Leonard Read:

"Esquerda" e "direita" descrevem, cada uma, posições autoritárias.  A liberdade não possui relação horizontal com o autoritarismo.  A relação do libertarianismo com o autoritarismo é vertical; está muito acima dessa podridão de homens escravizando indivíduos. [...]

O libertário não pode querer nada com "esquerda" ou "direita" simplesmente porque ele desdenha qualquer forma de autoritarismo: o uso do aparato estatal para tolher e controlar a criatividade e o empreendedorismo do indivíduo. [...]

E como também desdenha todas as formas de igualitarismo forçado, o libertário quer distância de comunismo, fascismo, nazismo, fabianismo e assistencialismo.

O libertário está acima de toda esta degradação. Sua posição no espectro ideológico, se fossemos usar analogias direcionais, seria acima — como um vapor que se separa do esterco e sobe a uma atmosfera saudável.  Se a idéia de extremismo for aplicada a um libertário, que seja baseada em quão extrema é a sua oposição às crenças e tentações autoritárias.

___________________________________

Artigo complementar:

Eu sou um genuíno libertário


2 votos

autor

Joel Pinheiro da Fonseca
é mestre em filosofia e escreve no site spotniks.com." Siga-o no Twitter: @JoelPinheiro85

  • Vinicius S.  20/04/2016 14:47
    Sempre pensei dessa maneira , a esquerda tanto a direita ofende o cidadão , a vida e as pessoas com suas ideologias bancadas em ignorância humana, querem dar condições melhores de vida mas não estimulam a produção do próprio país, mantêm cartéis em todos os lugares seja a direita ou esquerda ambos sopram ao vento do vitimismo incoerente e autoritarismo sem lógica

    No fim das contas analisadas friamente todos querem poder, mas ninguém entende como usar.
  • anônimo  20/04/2016 14:53
    Só existem duas classes os usurários e o resto.
  • anônimo  20/04/2016 16:14


    olhe bem na cara de seu futuro BraZil, Zil, Zil

    Com Z como seus donos gostam
  • anônimo  14/06/2016 09:44
    Banqueiros mandam no mundo todo.
    É o golpe mais bem feito da história da humanidade.
  • fã de determinado comentarista  20/04/2016 14:53
    Uma questão:

    o autor diz para não perder tempo com "esquerda x direita" mas a premissa do texto não só pressupõe tal dicotomia como a invoca expressamente: "Quase sempre, quem dá as cartas é a esquerda"


    Uma segunda questão:

    o texto conclui dando a entender que se um indivíduo defende a economia de mercado (e as trocas voluntárias) ele passaria a ficar fora (ou para além) da dicotomia "esquerda x direita". Mas isso não corresponde à realidade: por acaso não existem pessoas que são consideradas direitistas e que também defendem a economia de mercado?
  • Jair  20/04/2016 15:14
    "o autor diz para não perder tempo com "esquerda x direita" mas a premissa do texto não só pressupõe tal dicotomia como a invoca expressamente: "Quase sempre, quem dá as cartas é a esquerda""

    Não entendi o que você não entendeu.

    O autor não nega que haja a dicotomia esquerda e direita. Aliás, o próprio reconhecimento de que existe essa dicotomia (na forma de uma ferramenta retórica) é toda a base do artigo. Se ele não acreditasse que existe essa dicotomia, ele nem teria escrito o artigo.

    Ele apenas "recomenda" que você não seja um peão no jogo de manipulações feito por ambas -- o que seria, além de uma perda de tempo, deletério para você, que nada ganharia com isso e ainda seria usado para proveito de terceiros.

    "o texto conclui dando a entender que se um indivíduo defende a economia de mercado (e as trocas voluntárias) ele passaria a ficar fora (ou para além) da dicotomia "esquerda x direita"."

    Isso não foi dito. Não desta forma. Leia de novo.

    O texto afirma que o que você realmente deve se concentrar em fazer é defender as transações voluntárias. Você não deve ficar entrando em guerras ideológicas que envolvem lutas de classe, de gênero, de cor, de preferência sexual etc. Ao entrar nessa guerra, você se transforma em uma mera massa de manobra em prol de políticos e demagogos.

    "Mas isso não corresponde à realidade: por acaso não existem pessoas que são consideradas direitistas e que também defendem a economia de mercado?"

    Sim, mas elas não se restringem a isso. Se elas se restringissem a isso, não seriam direitistas, mas sim libertárias. No momento em que elas também tomam parte em guerras ideológicas que envolvem lutas de classe, de gênero, de cor, de preferência sexual, elas assumem uma posição no espectro horizontal. Veja um artigo que fala sobre isso.
  • Andre Henrique  20/04/2016 16:14
    De duas uma: ou vc tem uma grave deficiência de interpretação de texto ou vc está de sacanagem.
  • Austregésilo Flamarión   20/04/2016 17:08
    Ei, Andre Henrique:

    você parou de postar comentários com aquele seu personagem fake/troll?
  • Rafael   20/04/2016 22:10
    Cara, você tem sérios problemas de interpretação de textos.
  • Andre  21/04/2016 01:30
    Pq, meu caro?
  • Bruno  20/04/2016 15:04
    Em meu entendimento,classificar esquerda e direita hoje em dia é dizer o lado mais e o lado menos.Pra min não existe um terceiro,ou é mais ou é menos!O máximo que existe é um centro que é a mistura de ambos.
    Alguns libertários pregam esse discurso de nem esquerda e nem direita,que para min,isso não é nada mais e nada menos que uma desculpa pra dizer que não é nenhum dos dois,quando na verdade é Direita em minha concepção.É so uma tática de dizer que é diferente dos dois mas quando na verdade so demonstra estar em cima do muro e por existir a direita nacionalista ultra-conservadora,os liberais sentem um repugno de dizer que são do mesmo lado que os nacionalistas,por mais que ambos defendem algumas causas iguais(armamento,propriedade).
    Portanto eu classifico assim:
    Não há uma terceira,ou é ESTADO ou é MERCADO,não tem um terceiro.
    Portanto ou você é mais estado ou mais mercado.
    Quanto MAIS PARA A ESQUERDA,MAIS ESTADO.Seguir a esquerda é seguir ao estatismo.Pode existir esquerdistas conservadores,por isso é o conflito.
    Quanto MAIS PARA A DIREITA,MAIS MERCADO.Seguir a direita é seguir ao mercado,vulgo liberdade.
    Sendo assim,se alguém é conservador,não é extrema-direita pois o pensamento conservador defende a existência de uma estado para proibir certas liberdades individuais.Logo não é 100% direita,seria algo 70 ou 80% de mercado e outros 20% de mercado.
    Um anarco-capitalista pra min ficaria na extrema-direita,já que defende 100% do mercado e 0% de estado.Entende,essa é a unica forma fácil de conseguir desenvolver os lados.Um é Estado e o outro é mercado.
    Progressitas,Libertários,Socialistas..enfim Essas denominações são maís fáceis so que ao mesmo tempo causa conflito ao meu ver,no sentido de confusão dos conceitos de cada.
    Por isso eu vejo dessa forma,uma denominação universal.
    Socialista,Progressista é algo pra min na esquerda.
    Keynesiano é algo pra min na centro-esquerda.Pos-keynesianos talvez centro.
    Nacionalistas,ordoliberais e talvez um forte conservadorismo pra min é na Centro-Direita
    Liberais clássicos,Liberais meio conservadores,Minarquitas...Pra min é algo na direita moderada para a direita semi-radical.
    Anarco-capitalistas,Libertários puros...Pra min é algo na extrema-direita ou ultra-direita.

    Enfim só impondo aqui a reflexão mesmo de um ponto de vista mais simplista nessa relação e menos conflituoso.
    Ou é individuo ou é coletivo.Não tem como.Se você é mais individuo do que coletivo,logo vc é um direitista ou um centro-direitista.
    Se você é mais coletivo do que individuo logo você é um esquerdista ou centro-esquerdista.

    Algo desse tipo,eu vejo dessa forma e esse ódio que os libertários tentam criar na direita,pra min não ajuda o crescimento do país ja que estamos afundado na esquerda plena.
    Precisamos da união de quem defende o mercado,propriedade privada e o armamento.Quem defende essas 3 pautas pelo menos,tem que se unir ao invés de se dividir.
    Regime militar é relativo,o de 1964 é algo nacionalista conservador portanto fica mais a direita.
    Um militarismo soviético fica mais a esquerda.

    Enfim,a liberdade é a pauta da direita portanto,pelo Brasil acho justo nos se unirmos para dar um ar de mais liberdade e depois a gente se resolve nos detalhes.

    Grande Abraço a todos!Por um Brasil de MENOS MARX E MAIS MISES.

  • Um observador  20/04/2016 15:34
    Bruno,


    Essa classificação esquerda x direita não contempla todas as nuances. É que não se trata apenas de liberdade econômica, mas também liberdades individuais.

    Uma representação mais completa é o Diagrama de Nolan.
  • Bruno  20/04/2016 16:06
    Eu sei disso,no texto que eu escrevi mencionei liberdades individuais.
    Se você quer que o estado restrinja alguma liberdade individual,logo você quer mais estado,um estado maior por ter que interferir na liberdade individual.
    Acho que essa seria a relação correta.
    Poderia existir um '''''socialismo liberal''''Aonde os meios de produção seriam estatais mas as liberdades individuais estariam garantidas,o armamento também ou não...
    Entendeu?
    Qualquer coisa que você apoie que o estado tome conta você automaticamente vai pra esquerda entendeu.Isso seria a definição correta.Se você defendeu um estado minimo você não esta na direita radical ou ultra-direita e sim na direita moderam ou semi-radical,já que você defende a existencia do estado.Portanto ao defender a existencia do estado,você anda um pouco para a esquerda saindo da direita radical e indo pra moderada ou semi-radical.
    É assim:

    ESQUERDA--=SOCIALISMO/ESTATISMO------PROGRESSISTA---KEYNESIANO-----=CENTR0-----ORDOLIBERALISMO-liberalismo CLASSICO-------Minarquia/Libertário------Anarco-capitalismo---DIREITA
  • Herrmann  20/04/2016 16:53
    Mas Bolsonaro é considerado extrema-direita e é um estatista.

    Então essa sua classificação não pode estar correta.
  • Gustavo  20/04/2016 20:12
    Herrmann, Hitler também é considerado extrema-direita e era socialista.

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=98

    Não parou para pensar que o problema está justamente na classificação errada?
  • Kai  20/04/2016 16:45
    Se formos seguir o Diagrama de Nolan, Stalin, Mao Tsé-Tung e os outros demais líderes comunistas do século passado não eram de esquerda. Algo que ninguém possui a cara de pau em afirmar.

    Ainda acho o Espectro Político melhor.
  • Luiz Barbetta  20/04/2016 16:16
    Essa questão de esquerda e direita é bem complicada. Acredito que não haja uma definição clara do que é cada um, havendo variação portanto entre indivíduos e ao longo do tempo. Há quem use a mesma definição que você: esquerda muito estado e direita muito mercado (pouco estado). Mas você mesmo não está sendo fiel a essa definição. Liberais (libertários) no centro? Deveriam estar na extrema direita segundo essa classificação, a um passo do anarcocapitalismo. O regime militar deveria ser de esquerda, pois o estado era muito forte e controlava bastante também o mercado. Aqui entra-se em conflito, pois, para a maioria das pessoas, o regime militar foi o ápice da direita por ser conservador (mesmo parâmetro que você usou para classificá-lo, fugindo da sua orientação inicial de poder do estado), enquanto para outras seria considerado de esquerda. Então, além de juntar muita coisa diferente em apenas dois sacos (direita e esquerda,)não há consenso entre as pessoas de quais coisas vão em cada saco. Se você defende algo de um desses sacos, outra pessoa pode puxar algum podre que ela julga ser do mesmo saco e acusar você de defender isso por tabela. Essa classificação entre esquerda e direita apenas atrapalha, portanto não devemos utilizá-la.
  • Pedro  20/04/2016 16:47
    Recomendo Esquerda e Direita - Perspectivas Para a Liberdade de Rothbard. Se a esquerda luta contra o status quo, se ela luta a favor dos oprimidos, os libertários são a mais extrema esquerda. Lembre-se do Whigs, lembre-se que Bastit sentava-se ao lado de Proudhon no Congresso Francês, que a liberdade deve ser sempre buscada e que o conservadorismo nada mais é que a manutenção de algo que já se tem. Os libertários não podem perder seu caráter revolucionário, porque defendemos os verdadeiros oprimidos contra os verdadeiros opressores, defendemos quem produz de que rouba, de quem parasita, do Estado. Lógico, em um contexto atual não poderíamos nos classificar com a esquerda, mas eles são muito mais próximos de nós do que a direita. Os liberais foram a primeira esquerda, e o caráter revolucionário da esquerda nunca mudou, mas infelizmente os meios e os fins foram subvertidos.
  • Bruno  20/04/2016 18:01
    É realmente complicado:
    Mas nessa questão de oprimido e opressor,eu na verdade acho o seguinte:
    Ambos tem as mesmas intenções so que com meios diferentes
    A esquerda quer a prosperidade com o estado e a direita quer a prosperidade com o mercado.
    Logo libertários estariam na direita.Um acha que o estado é o meio e o outro o mercado.Ambos defendem o objetivo da prosperidade e o fim da opressão.Se a direita quer o mercado,é porque acredita que o estado é oque oprimi e causa problemas de pobreza.E virce versa!

    E so para a correção:
    Seguindo essa minha logica,pra min liberais estão na direita se em algum momento eu fiz alguém entender que estão no centro,ou eu me expressei mal ou ouve um equivoco de interpretação.Como eu disse,liberais acham que o caminho para a justiça social e a prosperidade não é através do estado e sim do mercado.Como a minha logica portando estariam a direita.
    O regime militar eu classificaria por centro-direita,por mais autoritário que seja.Ou somente centro.Pelo seguinte:
    O estado era grande mas a luta era pra manter a economia de mercado,ao invés de deixar o comunismo tomar posse,portanto isso ja fica mais ao centro e a direita.So que ao mesmo tempo o estado era grande e intervencionista.Logo fica mais ao centro-esquerda.Mas os principios de propriedade e armamento era defendidos oque da menos estado.No fim das contas da o nacionalismo .Centro-direita.Não o nacionalismo socialista(nazismo) e sim o nacionalismo de mercado.Algo assim.
    Realmente é complicado.Mas libertarios pra min estariam da direita moderada á ultra-direita ou radical-direita.

    Uma coisa que não da pra entender é da onde veem associação que o nazismo é de direita,pela minha logica,fica claro que o nazismo é de esquerda.
    Acho que vocês estão começando a enxergar oque eu estou dizendo.


    ---socialismo/estatismo---nacional socialismo---progressismo---keynesianismo----CENTRO-----Ordoliberalismo----Conservadorismo-----Liberalismo clássico----Minarquia e Libertário------Anarco-capitalistas e libertários.

    Essa minha concepção julga os níveis de tamanho estatal e tamanho do mercado.Entenderam?Se alguém fala que é centro-direita,eu ja entendo que tolera uma certa liberdade de mercado mas individual nem tanto.Ou virce e versa.Se eu sou direita moderada,eu dou a entender que eu sou liberal em muitas coisas mas conservador em algumas coisas.

    É muito complicado,eu gosto de definir assim.Na duvida eu me declaro Direita Liberal.
  • Bruno  20/04/2016 18:05
    E outra coisa pedro,pra min liberais esta mais a direita,pelo fato de achar o estado opressor ao invés do mercado.
    A esquerda acha o mercado opressor e o estado o salvador.
    A direita é o inverso.
  • Edujatahy  20/04/2016 21:55
    Achei interessante seu comentário. Só discordo da questão da ditadura militar brasileira ser mais à direita. Ao meu ver a única ditadura que se pode dizer "de direita" foi a de Pinichet. Na pratica o arranjo das demais ditaduras foi todo de esquerda.
    Acho que dentro da concepção que você adotou como direita e esquerda podemos considerar o fascismo também como esquerda. Estamos acostumados a enxergar apenas o "marxismo" como esquerda. Mas existem diversas formas de socialismo, o nazismo e o fascismo são formas de socialismo diferentes do marxismo (vale ressaltar que o socialismo marxista continua sendo o mais cruel e sangrentos de todos...)
  • Bruno  21/04/2016 16:29
    A ditadura eu falei algo mais a direita pelo fato de lutar pela existencia da economia de mercado..Seja ela livre ou não.Nesse ponto de vista,é a luta dos militares contra o comunismo indica uma luta mais pro-mercado do que estado.O regime deles economico,seria algo mais de centro talvez ou centro-esquerda.Pela minha lógica é possível enquadrar os militares como esquerda ou direita...Certo mesmo acho que ditadura não tem lado,é ditadura.Agora tem a ditadura com uma economia livre e tem aquela com o estado gigante socialista.Pinochet VS Cuba por exemplo.Algo meio que assim.
  • Edujatahy  03/05/2016 13:39
    Entendo seu ponto Bruno.
    No entanto acho que temos que separar ditaduras com "liberdade econômica" (Chile do Pinochet, Cingapura) e ditaduras "fascistas" (Brasil, Argentina e de forma geral toda a America Latina).
    As ditaduras "fascistas" não são "pró-mercado" ao meu ver, elas são pró-empresário, ou seja, alinhados aos poderosos empresários mancomunados com os políticos/ditadores. Elas se assemelham à ditadura de Mussolini.
    O fato de uma ditadura ser anti-marxista não a transforma em pró-capitalista. Ao meu ver, o fascismo e o nazismo foram anti-marxistas porém socialistas. O respeito à propriedade privada existiu apenas "no papel" mas na prática era o Estado quem comandava a economia e decidia quem produzia o quê e por quanto.
    No caso do Brasil, a nossa ditadura estava, pelo menos no aspecto econômico, no âmbito da esquerda (Talvez com exceção do começo do governo de Castelo Branco, que "curiosamente", morreu em um colisão de dois aviões no "congestionado" céu do Ceará dos anos 70). Esta luta entre os "fascistas" e os "marxistas" continua até hoje. E é necessário que os liberais não apoiem nenhum dos dois.
  • lene angeli   16/10/2016 00:21
    liberdade não é sinônimo de libertário
    liberdade existe dentro de um limite traçado pela responsabilidade
    já o libertário não não observa limites (sua ideologia lhe diz que sua liberdade é absoluta)
  • saoPaulo  21/10/2016 15:56
    já o libertário não não observa limites (sua ideologia lhe diz que sua liberdade é absoluta)
    Você não sabe do que está falando.
    Como está comentando no Mises, acredito que esteja atacando libertários anarco-capitalistas. Neste caso, a liberdade é limitada pela propriedade alheia.
    Nenhum libertário frequentador deste site diz que é certo entrar na casa de alguém e fazer o que quiser.
    Dê um exemplo contrário ou pare de escrever mer**.
  • Alison Gabriel Boff  20/04/2016 15:08
    Artigo irretocável! Muito obrigado IMB, tenho aprendido muito lendo seus textos e publicações.
  • Diego  20/04/2016 15:39
    Texto lamentável. Justamente pela direita se apequenar e evitar o embate, somada à pequena parcela de políticos efetivamente de direita eleitos, é que a esquerda sempre se impõe e em último caso leva no grito, se aproveitando também da mídia que a protege. É principalmente no campo cultural que a direita precisa ocupar, posto que já foi tomado a séculos pela esquerda seguindo o Gramsci. Já passou da hora da direita se levantar e começar a refutar e destruir todas inversões da esquerda, vide nazismo e fascismo serem de direita, o tipo de "democracia" que eles defendem, Foro de SP, essa lavagem pesada de que o governo vai salvar a todos...
    É inacreditável ver o suicídio do Bolsonaro domingo. Não dá pra entender como alguém pode ser tão burro e mal orientado pra fazer um discurso absurdo igual aquele jogando uma chance de ouro e ele próprio no lixo.
  • de Covarrubias  20/04/2016 16:12
    "Justamente pela direita se apequenar e evitar o embate, somada à pequena parcela de políticos efetivamente de direita eleitos, é que a esquerda sempre se impõe e em último caso leva no grito, se aproveitando também da mídia que a protege."

    Ou seja, para você, a salvação está em eleger políticos de direita, e não em fazer a educação cultural, que começa em casa e no seu bairro, e não por meio de políticos recitando frases de efeito e gritos de guerra.

    Na prática, você quer terceirizar pessoas -- no caso de políticos, as piores possíveis -- para que elas façam o embate para você.

    "É principalmente no campo cultural que a direita precisa ocupar, posto que já foi tomado a séculos pela esquerda seguindo o Gramsci."

    Correto. E não será "elegendo políticos de direita" que você conseguirá isso.

    "Já passou da hora da direita se levantar e começar a refutar e destruir todas inversões da esquerda, vide nazismo e fascismo serem de direita, o tipo de "democracia" que eles defendem, Foro de SP, essa lavagem pesada de que o governo vai salvar a todos..."

    Este site faz isso desde março de 2008.

    Por que o nazismo era socialismo e por que o socialismo é totalitário

    "É inacreditável ver o suicídio do Bolsonaro domingo. Não dá pra entender como alguém pode ser tão burro e mal orientado pra fazer um discurso absurdo igual aquele jogando uma chance de ouro e ele próprio no lixo."

    Ué, mas ele não seria exatamente um "político de direita que devemos eleger para nos salvar da esquerda"?
  • Diego  20/04/2016 16:40
    Você discorda e logo depois concorda com o que eu disse.
    Eleger políticos de direita não é terceirizar responsabilidades, mas passar a ter representatividade no Congresso pra que os nossos interesses, projetos e opiniões tenham espaço. Claro que não adianta eleger qualquer espantalho apenas por se declarar como direita, mas principalmente pessoas com cultura, postura, intelecto e capacidade de enfrentar esses canalhas. O debate tem que ocorrer em todos os lugares. O fato de ter uma caricatura como Bolsonaro como o principal nome da direita já mostra como é preciso reverter isso imediatamente.
  • de Covarrubias  20/04/2016 16:50
    Oi?!

    Em momento algum eu, que sou um libertário anti-estado, concordo que a solução é "eleger políticos de direita [para] ter representatividade no Congresso pra que os nossos interesses, projetos e opiniões tenham espaço."

    Acho que você chegou a este site só agora.
  • Jairzinho  20/04/2016 16:21
    Também achei esse texto fraco. Argumentação frouxa e mensagem clichê.

  • Rivelino  20/04/2016 16:49
    Forneça-nos, pois, um texto forte, com uma argumentação firme e uma mensagem original.

    Obs: essa postura de desqualificar algo de que não gostou apenas recorrendo a adjetivos surrados, sem jamais contra-argumentar o que foi dito, é típica da esquerda petista.
  • Jairzinho  20/04/2016 17:03
    "postura (...) é típica da esquerda petista"


    Ou seja, eis aí apenas mais um que perde tempo com "esquerda vs. direita"; mais um que perde tempo com guerrinhas ideológicas; mais um peão no jogo de manipulações.


    E quer um texto sobre o assunto? Eis:

    mises.org/library/left-right-and-prospects-liberty-1

  • frolstty  22/04/2016 22:12
    Também não achei o texto com argumentos fortes, apesar de ter gostado da discussão.

    Fiquei com a impressão de que no fundo o autor continuou assumindo uma posição no retrógrado espectro da direita-esquerda.

    Mas dizer que não gostou, ou não concorda, só é possível escrevendo um tratado no comentário. Senão você vira um petista... etc, etc, etc.
  • mauricio barbosa  20/04/2016 16:02
    Menos MARX e mais MISES.

    Com certeza no momento atual é preciso unir forças com os conservadores para varrer a serpente(PT)socialista do poder,que por ora eles(Petistas)se fazem de vítimas,mas que no momento certo darão o bote e ai o pouco de liberdade e qualidade de vida que usufruímos podem ser perdidos anos a fio e eu temo já estarmos no princípio deste processo gramsciano e devemos sim fazer coro com os movimentos anti-petistas e no futuro qualquer partido x que estiver no poder e querer usurpar nossas liberdades também deverão ser rechaçados com a mesma enfase,pois o que está em jogo é a nossa liberdade que é mais preciosa do que qualquer tesouro da face da terra...

    Portanto impeachment não é golpe e o STF pode contestar se houver alguma arbitrariedade nesse processo de cassação de mandato da presidente,portanto petistas parem com esse discurso de vítima e coitadinho,papo manjado e que só engana trouxa e desavisados.

    Esquerda e Direita no campo estatista são irmãs siamesas com discursos contrários,mas praticas convergentes,ou seja nos esfolam com impostos,inflação e divisão em classes(Grupos de interesse)para governar e nos saquear impiedosamente.

    Relembrando,hoje nosso(Libertários e conservadores)inimigo comum é a esquerda vermelha(Radical ou não)e amanhã poderá ser uma ditadura á direita(Conservadora radical)que estaremos(Nós libertários e outros)mobilizados para combater,pois viva a Liberdade sempre.

    Viva o IMB esse baluarte da liberdade e formação e informação de qualidade.

    Um abraço a todos.
  • FL  20/04/2016 16:35
    Um pequeno adendo ao texto, considerando a "briguinha" desta semana:

    É por isso que a Liberdade de Expressão tem que ser total e absoluta. Deixem os imbecis falarem suas imbecilidades, exatamente para que todos saibam o quão imbecis eles são.
    Ficou ofendido com algo que ouviu? Ótimo, agora vc sabe de onde veio e pode parar de "consumir" desta fonte (seja comprando de uma empresa, votando numa pessoa ou qualquer tipo de interação possível).
  • Diego  20/04/2016 17:37
    O problema é quando os imbecis dominam os setores de formação da opinião pública e as suas imbecilidades passam a ser tratadas como verdades absolutas, não são derrubadas e qualquer um que ouse fazer isso é destruído. Eles podem exaltar Marighella, Che, Stalin e cia à vontade e não existe nenhuma reação. Ontem tanto no Jornal da Band como no JN eles só mostraram o pedido da OAB pra cassar o Bolsonaro e não falaram nada do cuspe do Jean Penyys. É assim que a esquerda age e prevalece.
  • Capital imoral  20/04/2016 16:44
    De que lado ficar? Dos que negam direitos reprodutivos ou dos que apoiam a agenda de multinacionais?
    ------------------
    De nenhum dos dois, isso deveria ser função, exclusiva, da saúde publica.


    Enfim o artigo todo, cita uma esquerda falsa, uma neoesquerda, uma esquerda de mentirinha que aceita o capital. São homens e mulheres que não estão dispostos a matar e morrer pela liberdade.
    Falam em democracia, isso não é democracia, a democracia só existira quando o capital for abolido. Quando o dinheiro for abolido.


    Haaa mas o dinheiro, não é um jogo de soma zero, diria o neoliberal. De que importa isso meu amigo? Você não é capaz de perceber a superioridade moral e intelectual, de um mundo sem dinheiro? Onde o fator comum não é interesse individual, mas a busca pelo bem comum. Ver o outro como o fim em si mesmo, a não como um eterno meio.

    Volto a dizer, trocas voluntárias envolvendo dinheiro, não é liberdade, pois ambos os lados não pensam no bem comum, e também ambos se tratam como meios. Isso mostra inferioridade intelectual deste sistema, isso permite que homens mais cultos, possam explorar os mais ignorantes pensando que se deram bem, e isso fica comprovado na realidade social.

    Já adianto a vocês, o futuro do socialismo, não será essa palhaçada que vemos no congresso em qualquer lugar do mundo. Como tudo evolui, o socialismo também irá evoluir, e finalmente vai acabar com o capital. No futuro do socialismo, homens serão tratados como o fim em si mesmo.
  • mauricio barbosa  20/04/2016 18:21
    Capital imoral:

    Faça sua parte,abrindo uma ONG e angarie recursos de pessoas caridosas como você que ama os pobres de recursos materiais.
    Só não peça ajuda ao governo,pois quem pede ajuda ao governo será cooptado pelos políticos seja para se corromper ou virar cabo eleitoral do mesmo que só assim abrirá os cofres públicos para sua ONG assistencialista,todo nós sabemos que o jogo político é feito dessa forma toma lá da cá.

    O mercado é um sistema de trocas voluntárias em que impera não o mais forte,o mais esperto,o estelionatário,mas sim o mais bem informado(Exemplo arbitragem no espaço e especulação no tempo)ou seja se você não conhece o funcionamento,as regras do mercado,se informe melhor,estude o setor econômico em que você pensa em atuar,aprenda a negociar e se fracassar,recomeço do zero e pare de chorar,esbravejar lorotas e bravatas de coitadinho,seja homem,seja adulto,assuma suas responsabilidades,pare de se comportar desse jeito,eis uma lista de pessoas dignas de pena e que precisam de ajuda:

    -Crianças
    -Idosos
    -Doentes mentais
    -Pacientes com doenças terminais
    -Refugiados sem recursos
    -Pessoas famintas
    -mulheres estupradas
    -Pessoas vítimas de sequestro
    -Pessoas vítimas de bandidos violentos
    -ETC

    Enfim são fatos pontuais em que o Mercado não tem nada a ver com isso ou seja o que uma negociação salarial tem de errado para eu sentir dó de um dos lados,se for assim um empresário falido é digno de dó e eu duvido que você com esse discurso humanista tenha pena de um empresário falido,aposto que você deve ter se regojizado com a bancarrota de Eike Batista que por mais contestável que seja seus negócios,mas ele continua sendo um ser humano de carne e osso igual a qualquer trabalhador,quer dizer então que o seu humanismo é dois pesos e duas medidas,então pare com esse discurso fajuto e faça como diz o apóstolo Paulo diz:Honre a quem tem Honra e piedade com os demais,pare de ser hipócrita e aceite a realidade como ela é ou então crie ONG que preste serviços educacionais ou seja ensine os meninos da periferia a negociarem salário,que dê formação profissional,ensine finanças pessoais e outras conteúdos que enriqueçam os currículos deles,pode ter certeza que você será reconhecido pelo seu esforço,a comunidade irá lhe agradecer pelo bem que você fará a eles,lute por esses ideais e pare de pregar essas teorias ultrapassadas de socialismo\comunismo,teoria que já deveria estar enterrada nos porões da história,teoria que prega o ódio,a dependência,o paraíso na terra que até onde eu sei só será no Céu,portanto saia do seu castelo de areia e venha para a realidade onde quem trabalha e poupa prospera,agora quem quer viver do ócio e do sangue e suor dos outros é que prega esse humanismo fajuto e sem resultados sustentáveis.

    Relembrando Adam Smith:
    |
    "Não é da benevolência do açougueiro,do cervejeiro e do padeiro que esperamos o nosso jantar,mas da consideração que ele tem pelo seus próprios interesses.Apelamos não a humanidade,mas ao amor-próprio,e nunca falamos de nossas necessidades,mas das vantagens que eles podem obter..."

    Creio que você já conheça essa frase,mas não custa nada relembrar,afinal "relembrar é viver".

    Um abraço e reflita essas considerações aqui expostas e seja mais humilde e aguardo um retorno de alto nível,sem bravatas e lorotas de sua parte.

  • mauricio barbosa  25/04/2016 22:44
    Capital imoral

    Mais alguns casos para você sentir pena e querer ajudar com seu humanismo esquerdista,pense nisso.

    -Pessoas torturadas
    -Presos condenados,sendo inocentes
    -Deficientes físicos deprimidos
    -Pessoas com depressão crônica
    -Cornos deprimidos

    E lembres-se capital imoral,trabalhador não é coitado muito menos doente,no máximo desinformado,mas cabe a você com seu humanismo ensina-los a se defenderem dos exploradores(exploradores na sua concepção)pois na minha os empresários são estrategistas e cabe aos empregados também serem estrategistas e terem um plano de carreira e isso vale tanto para o peão bem como para o diplomado,e é preciso ficar claro para todos que da mesma forma que o empresário não tem garantia de ter vendas crescentes e expansão dos seus negócios da mesma forma o empregado não tem garantia de emprego permanente e renda crescente,dai um plano B para minimizar essas perdas...
  • Capital imoral  26/04/2016 21:17
    Vamos começar pelo começo.

    você começa pedindo para minha pessoa abrir uma ONG em uma sociedade capitalista, é isso mesmo que ouvi?
    Veja que já na essência, já começa errado. como assim? o mundo não era para ter ONGS, o mundo "era para ser uma Grande ONG", o mundo era para ser o socialismo.

    Mas infelizmente no mundo do capital, onde o mais informado leva vantagem
    (Como vc mesmo disse) é necessário ONGs privadas.

    Portanto meu amigo, não vou abrir uma ONG, pois eu transformo o mundo em uma ONG.


    O segundo argumento é somente uma comprovação do que eu havia dito, isso fica comprovado na própria revolta do neoliberal.
    veja como ele está nervoso, ele sabe que tem algo de errado no sistema do capital, ele sabe que quem tem a informação, explora
    o que não tem.

    mas chega a ser assustador, a falta de humanidade dos neoliberais, porque eles sabem que na essência da troca voluntária quem tem informação leva vantagem,
    mas propõe como solução, um belo e lindo "se vira filhão".
    isso me faz lembrar novamente, porque será que na sociedade capitalista o mundo precisa de ONGS? Porque será neoliberal?

    Volto a propor que no socialismo, não existe essa de informação privilegiada, ou de deixar cada um ser virar por si. O mundo socialista é uma Grande ONG, onde todos se ajudam, onde todos se amam, onde o homem é tratado como o fim em si mesmo.

    A pergunta mais pura que um socialista pode fazer é: como posso te ajudar? O que você precisa? Sem pensar em nenhum momento no beneficio próprio, mas no beneficio do todo.

    Porque o mundo capitalista precisa de ONGs?
  • mauricio barbosa  27/04/2016 06:10
    Capital imoral

    Então filhão na sua torre de marfim o mundo era para ser uma enorme ONG humanitária,agora eu te pergunto o PT é esquerdista igual a você e no entanto porque a Pátria educadora não implantou o conteúdo de Educação Financeira nas escolas deste país,pois nas tuas palavras era para ser uma grande ONG humanitária,afinal filhão existe um projeto de lei no congresso de iniciativa do Cofecon(Conselho federal de economia)até hoje engavetado e que o líder do seu governo Petralha poderia ter tido a dignidade de encampa-lo na época do mensalão e da fartura do petrolão já que boa parte destes recursos foram usados para esta finalidade(aprovar projetos de Lei do interesse do governo).

    Ou seja você continua a relinchar bravatas e lorotas feito um idiota útil com essas idéias risíveis e quiméricas,e eu só estou perdendo meu tempo com você por puro amor que tenho para com os leitores neófitos deste site ou seja estou prestando um serviço de utilidade pública ao rebater suas quimeras e insanidades,típicas de pessoas comunistas iguais a tu.

    O anarcocapitalismo não prega o paraíso na terra,existe esse equivoco seja de boa ou má-fé de quem quer que seja,ou seja o que pregamos é que as pessoas ao interagirem voluntariamente elas se auto-beneficiam e se alguma delas se sentir lesada haverá tribunais privados para resolver estes conflitos,coisa que no comunismo não existe por dois motivos,primeiro que ele nunca foi implantado na prática visto ser inviável e segundo quem tentou implanta-lo(Não é preciso relacionar os países,pois essa informação você já tem)fracassou ao se tornarem ditadores amantes do poder,ou seja só largam\largaram morto e outros implantaram verdadeiras disnatias(Coréia do Norte)enfim tudo por amor a humanidade não é mesmo filhão.

    A Pátria Educadora poderia estar ensinando estes conteúdos(Negociação salarial,como escolher um sindicato e lutar para ter concorrência neste segmento,finanças pessoais,formação profissional,formação de reservas,como investir estas reservas no mercado financeiro,como preparar um currículo,como se preparar para uma entrevista de emprego,etc)para o filho do pobre,e o filho do pobre quando ao não receber essas qualificações e capacitações no ensino público,muitas vezes aprendem tais conteúdos na universidade da vida,o que é válido,mas se tivesse recebido no ensino público ou na sua ONG,ganharia tempo e teria mais qualidade de vida não é mesmo filhão,afinal"Dinheiro não traz felicidade,mas acalma os nervos",ditado popular que resume uma grande verdade,essa é para sua reflexão diária seu humanista de araque que quer ganhos fáceis ao invés de por a mão na massa,lembra que eu falei das experiências comunistas ao longo do século XX,pois bem elas não deram e não dão certo exatamente por que os membros do partidão se acomodaram em seus cargos e o próprio Lula declarou na imprensa que a militância petista se acomodou em seus cargos e não quer mais saber de ir para as ruas defender as bandeiras vermelhas do PT,enfim mais uma prova de que a ONG humanitária comunista e petista é um fracasso retumbante.

    E mais uma filhão existe rico desonesto e pobre desonesto é em casos de negociação salarial,se você for na justiça do trabalho você irá ver que na realidade os patrões não são os vilões que você prega,pois a tal da hipossuficiência é usada e abusada pelos pobres trabalhadores,os coitadinhos de mentirinha,enfim o problema não é ser pobre ou rico o problema é de caráter.

    Capital inicial menos emoção e mais razão,pois você continuará passando vergonha aqui com este discurso tolo e ultrapassado de coitadismo e anti-capitalismo,só para refrescar sua memória,nas trocas voluntárias todos saem ganhando,inescrupulosos tem vida curta neste arranjo de mercado(Anarcocapitalista),estelionatário idem e se alguém se sentir lesado em alguma negociação as instituições ou melhor as empresas concorrentes farão o serviço de limpeza ao punir com indenizações pesadas ou cadeia qualquer um que se atrever a tirar vantagens indevidas do outro,isso não é quimera,é um arranjo muito melhor do que o estadão que promete cumprir tal serviço e não cumpre(Justiça lenta,omissa,parcial defende mais o setor público do que o cidadão)e olha a quantidade de políticos inescrupulosos e estelionatários soltos neste país,enfim capital imoral um "TCHAU QUERIDO"(Sem ofensas)para você.
  • Edujatahy  20/04/2016 21:51
    Pol pot concordou com você sobre a questão do dinheiro.
  • Dissidente Brasileiro  21/04/2016 00:30
    Diga a verdade: na hora de nascer, durante a fila de espera para inserção da massa cerebral, a sua não passou no teste de QA, né?

    PQP!! Esse aí para ser um legítimo brasileiro só falta as bolas... de futebol, lógico! - pois o resto, como relinchar e andar de quatro, ele já faz direitinho!
  • saoPaulo  27/04/2016 09:22
    Meu caro, sua imitação de troll esquerdista está ótima.

    Meu trecho favorito:

    "Você não é capaz de perceber a superioridade moral e intelectual, de um mundo sem dinheiro? Onde o fator comum não é interesse individual, mas a busca pelo bem comum. Ver o outro como o fim em si mesmo, a não como um eterno meio."

    Socialismo vê pessoas como fins em si mesmas, e o liberalismo as vê como meros meios!

    Não gosto de ter que explicar uma piada, mas acredito que seja melhor, antes que algum desavisado a tome por verdade.

    A graça aqui está na inversão de papéis. Socialistas historicamente massacraram milhões de pessoas pelo "bem comum", e sempre viram o mundo dividido em castas, ignorando as diferenças entre indivíduos dentro de determinado grupo. Enquanto isso, liberais repetem desde sempre que a menor das minorias é o indivíduo, e que seus interesses não devem ser atropelados em prol de um "bem maior", pois isso o torna apenas um meio e não um fim em si mesmo.
  • Marcelo Vasconcelos  15/07/2016 18:57
    Capital Imoral


    Sua proposta é muito "bonita", mas carece de um fundamento lógico.

    Analisando o mundo "real", o socialismo e o comunismo se mostraram apenas formas cruéris de capitalismo.

    Ora, socialismo e comunismo formas de capitalismo? Sim! Estes dois regimes, onde foram implementados, só serviram para criar uma casta privilegiada que massacrou e explorou o povo, em prol de líderes que vivem em mansões e usufruem de tudo o que o capitaismo oferece (Fidel Castro usando blusa da Adidas/Puma mandou lembranças!).

    Em suma, capitalismo para o governo e socialismo/comunismo para o povo, ou seja, não passam de regimes capitalistas que exploram o povo.

    Conforme diz o ditado, seguido a risca pelos líderes socialistas: "Socialismo é bom da porta para fora".

    Acreditar que os próximos líderes socialistas serão pessoas honradas, que prezarão pelo bem estar do povo, é realmente muito otimismo, ou ingenuidade (ou outra coisa...).

    Não pretendo exaurir o tema neste comentário, mas o certo é que socialimo e comunismo (conforme visto até hoje) se aproximam mais de campos de concentração do que de ONG's.
  • Igor  20/04/2016 16:45
    Excelente texto.

    Cada passada aqui pelo IMB é um novo aprendizado ou uma nova reflexão sobre a vida.

    Desde que conheci o instituto há cerca de 2 anos minha visão de mundo mudou muuuuito.

  • Nobre   20/04/2016 17:35
    Quem por esse caminho segue não chegará a lugar algum.
    Discussão sempre infrutífera, vazia de senso e com "n" contradições internas.

    DIREITA x ESQUERDA.

    O artigo em tela relata de forma convicente essas perspectivas.

    Todo é qualquer discussão no que tange essa tema, pode-se resumir em:

    * Direitos Naturais
    - Liberdade
    - Definição dos Direitos de Propriedade

    Com esses pontos bem definidos, cessa qualquer embaraço.
    Ao ler as cristalinas obras do Murray Rothbard, tudo fica esclarecido.



  • Juan Domingues  20/04/2016 17:37
    A forma como a esquerda pauta o debate é realmente impressionante.
    Alguns exemplos das coisas que povoam as redes sociais nessa semana:
    1. O ataque ao discurso de Jair Bolsonaro, o "intolerante defensor de ditadores" na câmara.
    2. A revolta feminista com um texto que diz que a mulher de Michel Temer é "bela, recatada e do lar", o que revelaria o machismo inconsciente na cabeça das pessoas.
    3. A revolta dos politicamente corretos com uma foto de Gabriela Pugliesi (quem?) no dia do índio, acusando a mesma de "apropriação cultural" uma vez que, por ser branca, não deveria usar acessórios indígenas.
    Entre outras insanidades que só servem como cortina de fumaça para ignorar o que deveria, efetivamente, estar sendo discutido em um momento crítico como esse: a intrínseca imoralidade estatal, a intrínseca ineficiência estatal, que em seu estopim no Brasil resulta, outra vez, em um processo de impeachment.
    E a "direita tradicional" consegue, no máximo, ficar correndo atrás do rabo, caindo em todas as armadilhas da esquerda e perdendo tempo com essas questões menores e completamente irrelevantes.

  • Gustavo  20/04/2016 17:49
    Não quero defender a direita, mas a esquerda só mantém essa popularidade de ser boazinha e defensora dos frascos e comprimidos mesmo com a morte de centenas de milhões de pessoas no século passado em seus regimes por causa dessas outras pautas que não são econômicas.

    Precisa-se desmascarar essas outras pautas que não são econômicas porque a esquerda mudou seu modus operandi.
    A direita e os libertários deveriam conduzir as acusações e os debates nas redes sociais e não deixar a esquerda o fazer.
  • Edmund Burke  20/04/2016 18:41
    O problema é: que direita? O Brasil não tem direita, não tem partido de direita, não tem uma militância de direita organizada...

    Já a esquerda tem: militância dentro e fora das universidades (jornais, revistas..), a maioria dos partidos são de esquerda e é ela quem pauta o debate no país.

    Essa é a realidade.

    Aí nesse vácuo que existe no ambiente de ''direita'', acabam surgindo figuras como Jair Bolsonaro.
  • Juan Domingues  20/04/2016 19:00
    Eu não discordo de você completamente não.
    A esquerda se apoderou das pautas "minoritárias e oprimidas" em geral (homossexualidade, ambientalismo, cicloativismo, feminismo, racismo, e modernamente até a defesa de imigrantes) exatamente para fingir ocupar o lugar que antigamente era apenas do discurso "em defesa do proletariado e contra o burguês". Como ficou claro que eles não conseguiram melhorar em nada a vida dos mais pobres (com muitos milhões de cadáveres durante a tentativa) só sobrou para eles fingirem se reinventar e procurar assumir outras pautas que colocassem a pretensa superioridade moral e preocupação social deles em destaque. Eles usam essas pautas minoritárias de duas formas: como um "bônus moral" e, principalmente (este é o mais perigoso) uma cortina de fumaça para levarem adiante sua agenda original: o aumento do Estado e a completa submissão do indivíduo ao coletivo, este por sua vez controlado pelas mentes brilhantes dos planejadores centrais.
    O que me parece uma perda de tempo e esforço monumental é o fato de que grande parte da direita, ou da "não esquerda" em geral, e isso inclui até libertários e anarcocapitalistas em menor grau, cai nesse truque, mesmo o conhecendo. Ficam tão preocupados em não serem chamados de racistas, ou machistas, ou carrocratas, ou homofóbicos, ou xenofóbicos, ou qualquer outra coisa, que perdem tempo e esforço tentando se justificar. Você vê muito mais gente por ai tentando rebater as pautas jogadas (de propósito) pela esquerda do que propondo suas próprias pautas. Sites como esse daqui, que tem uma missão bem objetiva e fazem um trabalho consistente de divulgação de conceitos e ideias específicas, infelizmente não são a regra.
  • Douglas  20/04/2016 20:08
    E alguns libertários, tentando não serem taxados como racistas, machistas, elitistas, carrocratas, homofóbicos, xenofóbicos, etc, se tornaram (ou se aliaram) progressistas igual a esquerda moderna se tornou.

    E então surgem bizarrices left-libs como essa:

    www.libertarianismo.org/index.php/blog/patriarcado-infelizmente/

    Aliás, gostaria de mostrar como essa esquerda está querendo invadir e distorcer o movimento libertário posts de autores esquerdistas:

    www.libertarianismo.org/index.php/blog/cultura-estupro-falacia-moralizacao-feminina/

    Prestem atenção aos comentários dos dois artigos acima, pedindo mais intervenção e privilégio as mulheres:

    www.libertarianismo.org/index.php/artigos/liberdade-feminismo/
  • Emerson Luis  21/04/2016 11:57

    Que horror! O sujeito se apresenta como "liberal", mas defende o feminismo (uma forma de neomarxismo) e ainda cita aquela pesquisa fajuta do IPEA. Os artigos só têm absurdos do começo ao fim, desde as gravuras.

    Aconselhar uma pessoa a não esquecer de trancar a porta, não beber muito e não andar sozinha em determinados lugares é "cultura do estupro" e "falácia da moralização feminina"?

    Qualquer indivíduo com um mínimo de racionalidade dá esse tipo de aconselho para as pessoas com quem se importa! Aconselhar comportamentos preventivos não significa culpar a vítima potencial, mas protegê-la!

    Que horror artigos desse tipo em um site que se diz liberal!

    * * *
  • BOLSONARO 2018  20/04/2016 18:15
    O libertário está acima de toda esta degradação. Sua posição no espectro ideológico, se fossemos usar analogias direcionais, seria acima — como um vapor que se separa do esterco e sobe a uma atmosfera saudável

    Reformulando de uma maneira menos lisonjeira para o ego do autor: os libertários estão tão acima da realidade política e cultural dos países onde operam que sua posição no espectro ideológico beira o autista e o quixotesco.

    Quando é que os liberais vão entender que seus discursos pó-de-arroz chupados de Voltaire/Ayn Rand/Rothbard/similares não têm nenhum ponto de contato e aderência com a cultura brasileira (meia dúzia de empresários, intelectuais e estudantes americanófilos não contam como cultura brasileira) e são, para a maior parte da população (tanto à esquerda como à direita), discursos inócuos e excêntricos?

    O Brasil não é o país onde as pessoas abandonam seus valores pessoais e interesses imediatos para serem leais a abstrações tiradas de livros.

    O Brasil é o país onde Jair Bolsonaro consegue, sem precisar fazer campanha eleitoral, 8% de intenções de voto para presidente e é ovacionado em estados onde nunca tinha posto os pés na vida.

    Nem mesmo nos EUA, que é o país que mais exporta ideias liberais para o resto do mundo, esse tipo de discurso pó-de-arroz tem apelo eleitoral. O único presidente que tiveram no século XX que se dizia liberal foi Reagan, que, segundo vocês mesmos, não conta porque foi protecionista e militarista; e o partido libertário lá também não ganha nada. E por que não ganha? Porque dialoga com abstrações, não com a realidade dos americanos.

    O ideal da liberdade tem um prestígio maior na cultura americana do que na brasileira porque, em suas origens, os EUA são um país de religiosos perseguidos e abandonados à própria sorte pela Europa para reconstruirém suas vidas em um novo mundo, sem a ajuda de ninguém. Essa é a identidade cultural que eles assumiram e projetam até hoje para o resto do mundo. E ponto, porque o liberalismo deles acaba por aí. Até a década de 30 do século XX, sempre foram um país altamente protecionista (e continuam sendo até hoje, nos setores onde sua produção não é competitiva), chegando às vezes a cobrar tarifas de quase 50% sobre o valor dos produtos; e, depois que conseguiram se fortalecer internamente, também se tornaram tão autoritários nos assuntos de outros países quanto a Europa tinha sido nos séculos anteriores; isso para não falar em Bretton Woods e em quem acabou com o padrão-ouro de uma vez no mundo inteiro.

    Em suma, se essa retórica autista de "estou acima de tudo e de todos" não é levada a sério nem no país onde ela tem algum respaldo da cultura nacional, por que seria diferente no Brasil?
  • Libertário   20/04/2016 18:34
    Ué, candidato, já que os libertários são insignificantes e não fazem diferença nenhuma para o mundo, por que o senhor se importa com a gente e vem aqui mendigar atenção?

    Isso não é postura de gente grande, confiante e segura de si.

    Aquele que é genuinamente grande e seguro de si não fica correndo atrás e implorando a atenção de quem é pequeno. O grande sabe que independe do pequeno.

    Já que os conservadores são tão autossuficientes e dominam todas as nuanças do mundo real, e já que os libertários são idealistas puristas que vivem numa torre de marfim, por que os conservadores vivem mendigando o apoio e a atenção dos libertários?

    Libertários, aliás, não ficam invadindo páginas conservadoras na internet e nem ficam mendigando atenção e conversões.

    Por que os conservadores não agem tal qual?

    Quem realmente é o grande e o confiante aqui?
  • bolsonarete de Copacabana  20/04/2016 18:52
    "por que os conservadores vivem mendigando o apoio e a atenção dos libertários?"

    Eu nunca fiquei "mendigando" apoio ou atenção de libertário nenhum. Isso é só mais um delírio seu...
  • Malthus  20/04/2016 18:40
    Foi só eu ou alguém mais notou que o comentário do fake bolsonete acima foi totalmente desconexo?

    O que aquele enorme parágrafo sobre os EUA têm a ver com o resto? O que a defesa da liberdade tem a ver com Bolsonaro -- que mamou no estado a vida inteira, jamais tendo trabalhado no setor privado -- ter 8%?
  • Jonatham  21/04/2016 15:28
    Entendi perfeitamente o comentário e concordo. Uma argumentação plausível e coerente com a realidade. Não vi nenhuma crítica ao ideal libertário em si, apenas uma observação de que não dá pra ficar apenas no campo das ideias enquanto o mundo desmorona ao seu redor com a propagação esquerdista.
  • anônimo  20/04/2016 22:32
    'Nem mesmo nos EUA, que é o país que mais exporta ideias liberais para o resto do mundo, esse tipo de discurso pó-de-arroz tem apelo eleitoral. O único presidente que tiveram no século XX'

    Que lindo, o cara exclui os presidentes do tempo que os EUA eram minarquistas e quando foi realmente o país com maior criação de riqueza da terra.
    O séc XX foi o século da decadência, nunca antes o governo deles inchou tanto, acabaram de vez com o padrão ouro, e (coincidência?) nunca tiveram tantas crises.
  • anônimo  20/04/2016 22:34
    'o partido libertário lá também não ganha nada. E por que não ganha? Porque dialoga com abstrações, não com a realidade dos americanos.'

    Antes da escória neocon se infiltrar na 'direita', um governo mínimo fez sim parte da realidade deles por vários séculos.
  • DeusOdeia  20/04/2016 18:37
    "Esquerda" e "direita" descrevem, cada uma, posições autoritárias.

    Já que na esquerda não tem democracia, quanto no anarquismo quanto no socialismo.

    Gostaria de saber como os anarco-capitalistas/libertários irião fazer para "chegar" ao poder, ou ser autoritário para implantar suas ideias anti-democráticas ou esperar da democracia.

    Isso não é uma dicotomia, ou existe democracia ou ditadura, ou você força uma pessoa a fazer algo ou ela faz porquê quer...
  • JesusAma  20/04/2016 18:51
    "Como vão fazer para chegar ao poder?"

    Chegar ao poder... é só com isso que essa gente totalitária, à esquerda e à direita, sonha. É só nisso que eles pensam e é só com isso que se importam.

    E ainda há otários que acreditam que essa gente sedenta por poder está preocupada com o bem-estar deles...

    Libertários, meu caro, só querem ser deixados em paz. Apenas isso. Não enchemos o saco de ninguém e não queremos que ninguém encha o nosso. É pedir demais? Por favor, só me responda isso.

    O que nós queremos? Isso aqui já estaria de ótimo tamanho. Por que a esquerda e a direita não nos deixam fazer isso?

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2341
  • XYZ  20/04/2016 19:23
    Libertários não querem o poder político e "só querem ser deixados em paz"?

    Talvez seja mais prudente vc falar apenas por vc.

    Ron Paul é libertário, e tentou mais de uma vez ser presidente dos EUA. ("He served in the House of Representatives in from 1976 to 1977, from 1979 to 1985 and from 1997 until 2013. He ran for President in 1988, 2008 and 2012").

    Lew Rockwell é libertário, e foi presidente do Mises Institute e foi assessor de Ron Paul ("trabalhou para o senador Ron Paul como chefe congressional de 1978 a 1982; manteve uma relação de trabalho com Ron Paul por muitos anos, como consultor da campanha de Ron Paul pelo Partido Libertário em 1988 para a presidência dos EUA, e como vice-presidente do comitê exploratório da interrompida corrida de Ron Paul pela nomeação do Partido Republicano em 1992").

    O atual presidente do Mises Institute, o libertário Jeff Deist, "was also Congressman Paul's chief of staff during the 2012 election, and his press secretary in Congress from 2000 to 2006".
  • UVW  20/04/2016 19:39
    Como você corretamente disse, eu falo única e exclusivamente por mim. Sou responsável única e exclusivamente por minhas opiniões e ações.

    E, ao contrário de você (ao que tudo indica), não pauto minhas posições e minha filosofia de acordo com o que terceiros fazem.

    P.S.: não que você se interesse muito pela verdade, mas o Ron Paul (de quem tenho divergências) já disse que, todas as vezes que concorreu à presidência, ele o fez apenas para difundir as idéias libertárias e da Escola Austríaca. Ele nunca teve qualquer ilusão de que ganharia a eleição e chegaria ao poder.

    P.S.2: Bolsonaro, ícone da moralidade, tem um irmão que é funcionário fantasma na ALSP. Nem por isso vou apontar o dedo para seus apoiadores e dizer que todos são igualmente hipócritas.
  • XYZ  20/04/2016 20:11
    Vc fala apenas por vc? Curioso, pq no comentário anterior vc falou no plural, invocando um conjunto indeterminado de pessoas ("libertários só querem ser deixados em paz...").

    "ao contrário de você (ao que tudo indica), (...)"

    Afirmação completamente jogada ao ar.

    "não que você se interesse muito pela verdade"

    Jogada ao ar, novamente.

    Quanto a Ron Paul (de quem eu não disse que vc só teria convergências), ele concorreu três vezes para presidente para divulgar as ideias libertárias e da EAE? Bacana. Mas ele chegou ao poder (político) como congressista; talvez seja lícito concluir, a partir disso, que o exercício, por vários anos, do cargo político de congressista também teve como móvel apenas a difusão das ideias libertárias e da EAE.

    Quanto a Bolsonaro, trata-se de um sujeito desprezível. Sua frase a respeito foi jogada ao ar. De novo.

  • anônimo  20/04/2016 22:45
    Sim, e não tem nada de incoerente nisso.Ele quiz ser presidente pra diminuir o tamanho do estado, uma estratégia questionável, mas o objetivo dela não.
  • DeusOdeia  20/04/2016 20:46
    "Chegar ao poder... é só com isso que essa gente totalitária, à esquerda e à direita, sonha. É só nisso que eles pensam e é só com isso que se importam. "

    Você não entendeu, ou você obriga as pessoas a fazerem algo, ou elas escolhem em não fazer esse "algo",Se você obrigar a elas não fazer, isso obviamente é uma obrigação e se você obrigar a elas deixarem de fazer o que elas gostam, isso também é uma tirania, isso está claro.

    Isso não é uma dicotomia, como por exemplo sistemas políticos, ou existe democracia ou existe ditadura. Impossível que todos concordem com as mesmas coisas, como: música, roupa, comida, esporte, profissões e etc.

    ___________________________________________________________________________________

    "E ainda há otários que acreditam que essa gente sedenta por poder está preocupada com o bem-estar deles..."

    Existem políticos honestos, mas a maioria não é, as pessoas são leigas e acabam votando porquê gostam de algo no políticos, provavelmente alguma mentira ou meias verdades. Eles não tem nenhuma conhecimento profundo sobre economia, política, história e tudo que envolve a ação humana.


    ___________________________________________________________________________________

    "Libertários, meu caro, só querem ser deixados em paz. Apenas isso. Não enchemos o saco de ninguém e não queremos que ninguém encha o nosso. É pedir demais? Por favor, só me responda isso."

    Você não quer encheção de saco, então comece por você, não tente excluir o direito das pessoas de votarem, é a única coisa que um simples trabalhador, como um lixeiro, padeiro, açougueiro, cervejeiro, de participarem em um país que pode ser livre e ter um governo reduzido.

    Como eu disse acima, no primeiro argumento, ou existe democracia ou ditadura. Disse Kant:"Um ditador pode ser temido pelo seu povo, mas, não amado"

    Eu lhe deixo em paz, mas pare de mentir.....

    ___________________________________________________________________________________


    Já que não gosta de governo, você pode mudar para outro local, uma ilha deserta tropical, ou a Antártida.

    O governo dos pais fundadores da América poderiam até desprezar a democracia, mas foi com atos políticos que reduziram o tamanho do governo, e transformaram o EUA em uma potência.

    Estude sobre a falácia do táxi de Schopenhauer, na teologia e aplique isso ao governo, não podemos dar tchau ao táxi que vez sua trajetória do começo ao meio para pegar um passageiro e levou ele até o final.

    E quando você alcançar o libertarianismo puro, adote um constituição libertária, amiguinho !
  • anônimo  21/04/2016 08:58
    'Você não quer encheção de saco, então comece por você, não tente excluir o direito das pessoas de votarem'

    Pela sua lógica brilhante quem quer ser deixado em paz tem que aceitar passivamente um sistema que NÃO o deixa em paz.
  • anônimo  21/04/2016 09:51
    A melhor coisa desse artigo foi o artigo complementar.
    O do Joel mesmo foi um lixo, 'direitos reprodutivos'?? Ah vá, coisa de gente que é atraída pro libertarianismo pelo que o libertarianismo tem de pior: os valores imorais da esquerda.
  • Ricardo  21/04/2016 13:57
    Ai, ai...

    "Direitos reprodutivos" é exatamente como a esquerda se refere ao aborto. Não é uma linguagem do autor. Ele apenas está descrevendo, de maneira irônica, como a esquerda fala e como ela se comportaria naquela situação paradoxal descrita no artigo.

    O fanatismo de alguns direitistas faz com que seu raciocínio muitas vezes macaqueie o QI da esquerda.
  • anônimo  23/04/2016 09:16
    '"Direitos reprodutivos" é exatamente como a esquerda se refere ao aborto. Não é uma linguagem do autor. Ele apenas está descrevendo, de maneira irônica, como a esquerda fala'

    Isso de ironia foi interpretação sua.Ignorância sua não saber que essa parte abortista é séria, que tem uma ala no libertarianismo que a leva a sério e pior, gente demente suficiente pra elogiar o que o CHE representa no lixo que é a cultura popular. E ainda se dizem libertários.
  • anônimo  24/04/2016 10:08
    'Ironia' aí é bondade sua.
    Esse é o mesmo cara que no face escreve isso:

    'Ainda sobre Jesus e política, se Cristo não tinha muito o que dizer sobre política, o cristianismo certamente teve.

    A começar pela primeira comunidade cristã de Jerusalém, que se organizou de maneira socialista. Era o socialismo mais simples imaginável: os membros vendiam suas propriedades e partilhavam a receita. Modelo obviamente insustentável e que - mesmo com a insistência de Paulo em pedir doações para ajudar os cristãos de Jerusalém - sumiu sem deixar rastros.

    O cristianismo continuaria inspirando organizações socialistas e o igualitarismo nos séculos por vir. A vida monástica - por muito tempo vista como o verdadeiro modelo cristão - era socialista, assim como algumas experiências mais radicais da Reforma e o modelo de organização indígena implantado por jesuítas na América do Sul. A teologia da libertação parte desse mesmo espírito.

    Na outra ponta do espectro, o cristianismo também se aliou e afirmou o poder de reis e imperadores, e a importância de se manter uma ordem social estamentária, sem grandes mudanças e sem ilusões sobre um Paraíso neste mundo. O Estado e sua espada são agentes da vontade de Deus na terra. A partir do imperador Constantino - para as igrejas orientais, São Constantino - a Igreja cristã sempre esteve aliada ao poder temporal; e no caso do papado, chegou a incorporá-lo e a substitui-lo.

    Em ambos os casos, o cristianismo sempre tendeu a ser contra o desejo de melhora individual neste mundo; contra a "cobiça", a "ganância". Felizes são os pobres. Nascer nobre e rico não tem problema; já buscar enriquecer... Foi preciso muito Aristóteles para formular uma posição mais afeita a este mundo.'


    Left lib até o osso.
  • anônimo  24/04/2016 10:17
    Ou veja então a pérola que ele disse quando chega a elogiar a figura popular do CHE (elogiando o produto de uma cultura lixo produzida pelos intelectuais esquerdistas), coisa que intencionalmente ou não acaba ajudando a escória petista no momento mais crítico pra derrota do PT.
    Left libs são os idiotas úteis dos libertários.
  • saoPaulo  26/04/2016 10:27
    "Isso não é uma dicotomia, ou existe democracia ou ditadura"

    ERRADO.

    Democracia é, sem dúvida, o deus moderno, praticamente o antônimo de ditadura, sinônimo de liberdade.

    Pois vejamos. Você vai comprar um carro, quais dos cenários lhe parece o melhor?
    A) Um ditador lhe diz exatamente qual carro, e por qual preço, você deve comprar.
    B) Toda a sociedade vota democraticamente no carro que você deve comprar.
    C) Você compra o carro que quiser com o seu dinheiro, sem ninguém te enchendo o saco.

    Interessante como as pessoas não param para pensar um segundo sequer antes de endeusar este sistema enfadonho...

    Democracia, meu caro, é apenas a ditadura da maioria e, portanto, uma ditadura, não seu oposto.

    Nesta sua falsa dicotomia entre democracia e ditadura, faltou um terceiro elemento: liberdade.
  • BOLSONARO 2018  20/04/2016 19:01
    Libertário,

    Não se envaideça com minha presença por aqui. Eu também sigo a página da Socialista Morena no Facebook, e isso não quer dizer muita coisa.

    E, se não quer que conservadores acessem o site e critiquem as alfinetadas que frequentemente lhes são feitas por aqui, basta avisar. Não fico em lugar nenhum contra a vontade do anfitrião. Ùm "Envie-nos seu comentário inteligente e educado, desde que ele não pise muito forte no nosso senso de identidade grupal" teria sido suficiente.
  • Libertário  20/04/2016 19:29
    Identidade grupal?!

    Querer ser deixado em paz, sem ninguém me encher o saco, sem ninguém cagar regra pra cima de mim, sem ninguém regular minha vida e a economia na qual vivo (ao mesmo tempo em que adoto a recíproca para com terceiros) é agora participar de "identidade grupal"?

    É esse o seu nível de conhecimento (ou de interpretação)?

    Bem que o autor do artigo alertou que direitistas eram incoerentes. Mas não sabia que também eram analfabetos funcionais. Aliás, a julgar pelo quão desconexo foi o seu primeiro comentário, já deveria ter desconfiado disso. Obrigado por sanar minha dúvida.
  • anônimo  20/04/2016 19:41
    o fato de usar nickname "libertário" implica pôr à calva determinada identidade (e, sim, identidade grupal, goste vc ou não dessa alcunha).
  • Olavão  20/04/2016 19:19
    Eu estava observando os comentários do Olavo de Carvalho no Facebook e não pude deixar de me surpreender ao notar que ali -- atenção: ali, no Facebook -- o homem flerta abertamente com idéias francamente libertárias, defendendo o fim do estado, da burocracia, dos políticos e a restituição da soberania popular.

    Vejam alguns exemplos do que ele escreveu (grifos meus):


    "Em março de 2015 tínhamos uma autêntica situação revolucionária, onde TODOS os canais de ação legal estavam sob o controle dos inimigos do povo, ou seja a ilegalidade tinha se tornado a única forma de legalidade. O que era preciso, então, era negar o sistema como um todo, mediante a desobediência civil maciça, e instaurar imediatamente uma nova ordem fundada na soberania popular. Mas os medíocres e covardes não conhecem nenhum tipo de ação que não seja por meio das "autoridades constituídas"."

    www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/627328394085905


    "Quem estudou o livro do Raymundo Faoro entende que o Brasil só tem um caminho de salvação: destruir o estamento burocrático e entregar o seu poder ao povo. O impeachment foi encaminhado de maneira a fazer PRECISAMENTE O OPOSTO, sob o pretexto de "preservar o Estado democrático de Direito"."

    www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/627383007413777


    Não há acordo possível entre os que querem salvar o Brasil e os que querem, acima de tudo, salvar a "Nova República".

    www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/627265680758843


    A idéia dos políticos e de seus office-boys na mídia foi simples e clara: desacelerar o processo para que não escapasse do seu controle e não caísse nas mãos da massa. O que poderia ser resolvido integralmente em semanas foi subdividido em partes, das quais nem mesmo a primeira se realizou ainda... E vem esse idiota cantar vitória! Burrice e desonestidade não são mesmo antagônicas.

    www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/627333517418726


    Passado mais de um ano dos primeiros protestos populares, ainda estamos AGUARDANDO o começo prometido. É isso o que os imbecis chamam de "resultados".

    www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/627319917420086


    A eleição de Jânio Quadros foi "o fim da bandalheira", seguido de Hino Nacional e lágrimas de comoção cívica. A queda de João Goulart foi "o fim da bandalheira", seguido de Hino Nacional e lágrimas de comoção cívica. A "Nova República" foi "o fim da bandalheira", seguido de Hino Nacional e lágrimas de comoção cívica. A eleição de Collor foi "o fim da bandalheira", seguido de Hino Nacional e lágrimas de comoção cívica. A queda de Collor foi "o fim da bandalheira", seguido de Hino Nacional e lágrimas de comoção cívica. A eleição de Lula foi "o fim da bandalheira", seguido de Hino Nacional e lágrimas de comoção cívica. As CPIs de 1993 foram "o fim da bandalheira", seguido de Hino Nacional e lágrimas de comoção cívica. A votação de ontem foi "o fim da bandalheira", seguido de Hino Nacional e lágrimas de comoção cívica. Ou a tal da bandalheira é imortal, ou todo mundo está mentindo.

    www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/627266894092055
  • anônimo  20/04/2016 22:53
    Rapaz vc não está entendendo nada, quando o Olavo fala que o povo foi traído pela classe política o que ele quer dizer é que foi perdida a oportunidade de um novo golpe militar, ou intervenção militar 'constitucional' como diz ele, que serviria pra extirpar os 'comunopetralhas' não só do governo mas do STF, das universidades etc.
  • Isis Monteiro  20/04/2016 20:26
    Nem esquerda nem direita. Isto é fora de sentido. O que o governante deve pensar é o que ajudará mais a obtenção de qualidade e progresso de vida para nossa população.
  • Renato  20/04/2016 20:46
    Reclamam do estado e não batem naqueles que mantém o estado: A CLASSE POLÍTICA.

    Se queremos ficar livres dessa corja temos que aos poucos alertar a todos sobre como é danoso para o bolso das pessoas e para os cofres do país a existência dessa classe parasitária chamada político.

    Em artigos anteriores eu percebi o aumento dos interessados que gostaram da minha ideia de criar um grupo para essa finalidade: A ELIMINAÇÃO DOS POLÍTICOS COMO CLASSE.

    Eu já expus aqui um principio de como iniciaríamos essa empreitada:

    Criaríamos um empreendimento para a função de alerta aos empreendedores. Sejam eles pequenos, médios ou grandes empreendedores.

    Um grupo poderia ser criado, mostrando o nosso cartão de visita, para fazer o trabalho de divulgação entre os empresários. Assim que contratados, de comum acordo com os mesmos (troca voluntária), estabeleceríamos um preço razoável para começar a imprimir cartilhas explicando as pessoas, dentro do estabelecimento do contratante, se assim esse desejar, mais principalmente nas ruas.

    Poderíamos também criar grupos de associados para que cada vez mais a mensagem de anti-políticos ganhasse mais força através de palestras e encontros.

    Mostraríamos aos poucos para as pessoas que pagar impostos é uma falácia. Só serve para sustentar a classe política...e também mostraríamos a existência de moedas digitais, como o bitcoin, por exemplo, para o empresário e para as pessoas comuns.

    Aos poucos vamos tirar essa mentalidade estatal da cabeça das pessoas.

    Como eu sou da CIDADE do Rio de Janeiro, ficaria melhor que pessoas daqui entrassem em contato comigo.

    Trabalharíamos como se fossemos "fantasmas". O investimento seria feito diretamente com empresários que assim solicitasse nosso serviço.

    É claro que esse grupo crescendo vamos criar e ter contato com pessoas de outros estados e até mesmo em nações estrangeiras.

    Para os interessados meu email NOVO é galenoeu@gmail.com
  • Wally  20/04/2016 21:02
    Sinceramente, colocar esquerda e direita no mesmo saco como se fossem a mesma coisa é ingenuidade ou burrice. Os estados mais livres do mundo floresceram sobre o solo da direita, uma direita conservadora liberal. E vale lembrar que o preço da liberdade é a eterna vigilância. Eu não sou fanático pelo Bolsonaro, mas ele com certeza é um político com idéias melhores do que Jean Willys.
    Os libertários são tão lunáticos quanto os esquerdistas em achar que é possível existir um mundo perfeito. Já a direita reconhece que o homem tem defeitos e que o mundo nunca será perfeito, mas que poderemos melhorar com pequenas modificações testadas e aprovadas pelo tempo.
  • anônimo  20/04/2016 22:38
    'Os libertários são tão lunáticos quanto os esquerdistas em achar que é possível existir um mundo perfeito. '

    E vc é tão analfabeto funcional quanto o pior esquerdista, se acha mesmo que os libertários contam com isso.
  • Anônimo 2  21/04/2016 19:58
    E vc é tão analfabeto funcional quanto o pior esquerdista, se acha mesmo que os libertários contam com isso.

    Só existem duas classes de analfabetos funcionais:

    1) Aqueles que lutam por uma ideologia;
    2) Aqueles que esperam que a ideologia caia dos céus.

    Os libertários esperam até hoje pela ajuda dos céus.
  • anônimo  25/04/2016 09:52
    Não, isso não é analfabetismo funcional.Analfabetismo funcional é ler uma coisa e não ser capaz de entender, por ex o sujeito que encontra um site com trocentos artigos explicando como os libertários NÃO contam com um mundo onde todo mundo é bonzinho, e não consegue entender.

    E falar que os libertários esperam sentados sem fazer nada também é ignorância sua. É bom começar a se informar mais antes de falar besteira.
  • saoPaulo  20/04/2016 21:06
    A esquerda quer controlar o seu corpo (bolso).
    A direita quer controlar a sua memte (comportamento).
    Digo "não, obrigado" aos dois.

    No entanto, é extremamente preocupante a atual hegemonia esquerdista mundial.
    Até mesmo vários "direitistas" abraçam várias bandeiras esquerdistas.
    Conseguirá a democracia destruir o que nos resta de livre mercado?
  • Paulo Henrique  20/04/2016 21:22
    Muito me preocupa esse Endeusamento por parte de um certo "conservadorismo" ao Bolsonaro.
    Nesses protestos de ruas ele já saiu em Defesa do Enéas. Oras, esse mesmo homem talvez supere o PT em burrice na economia, não sabia o que é inflação, condenou o plano real e as privatizações necessárias, desconhecia as causas dos juros, enfim, o que ele tinha de boa retórica, ele não tinha em conhecimentos econômicos.

    E o mesmo público que gosta do Bolsonaro é o que também gosta do Enéas. E eu não estou inventando isso, basta olhar os famosinhos do youtube que apoiam o Bolsonaro,(Nando Moura,Etc) também tem vídeos apoiando Enéas, e os comentários em tais vídeos concordam com o autor.

    Pra esse pessoal, ser conservador é ''condenar gayzismo'', pouco importa se você defende uma agenda que tornaria o Brasil em uma Venezuela.

    É um Petismo com sinal invertido, a ignorância é a mesma, a defesa cega a políticos é semelhante. Com a diferença de talvez não ter a mesma desonestidade do petista e entender que estamos com problemas.

    É também o mesmo pessoal que chama liberais de "idiotas uteis da esquerda".. Hora, na ótica deles, não ser idiota útil da esquerda seria votar o Enéas quando o mesmo estava vivo, ou no Bolsonaro;

    Embora o Bolsonaro já tenha declarado que defende o "mercado", eu não quero nem imaginar qual seria a definição dele de "mercado" quando sai defendendo Enéas;

    Oh sim, ele não está envolvido em corrupção, mas ser honesto nunca foi o suficiente para tirar o Brasil da lama, ser honesto é um requisito básico, não uma qualidade inestimável que sozinha vai resgatar tudo.

    Que fique de alerta aos Bons conservadores, que eu sei que existe, para a existência desses grupos;





  • Douglas  20/04/2016 21:45
    Os conservadores brasileiros possuem muito o que aprender com os conservadores americanos.
  • anônimo  20/04/2016 22:59
    Sim, tem que aprender tudo que eles fazem pra fazer justamente o contrário.
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2375
  • anônimo  21/04/2016 00:21
    Conservador Americano é uma contradição...
    Estados Unidos nasceu de uma revolução gênio.

    Libertários cansam, muito burros.
  • Corregedor  21/04/2016 00:46
  • Douglas  21/04/2016 02:36
    "Esse conservadorismo americano se baseava na liberdade individual, na defesa da vida e da propriedade, na liberdade de empreendimento e de comércio. Trata-se da essência da ideia de conservação da liberdade, ideia essa oriunda diretamente do liberalismo clássico."
    "Neste artigo, Hayek ataca o tipo de conservadorismo estatizante e nacionalista, muito em vigor na Europa e que se tornou convencional nos EUA desde a tomada do Partido Republicano pelos neoconservadores. No Brasil, infelizmente, o tipo de conservadorismo predominante é um desdobramento desse neoconservadorismo americano."

    Eu já li esse artigo e por isso fiz o meu comentário.

    A Guerra Fria, em especial mas não apenas, foi extremamente danosa para a Liberdade Econômica e para ambos os Partidos dos EUA.
  • Anônimo  20/04/2016 23:22
    Pelo que eu saiba, o Enéas era contra privatizações quando estavam relacionadas ao Soros e afins. Ele tinha um grande senso de nacionalismo, principalmente ao falar da Amazônia. Por falar em Amazônia, gostaria de ler algo a respeito das explorações do local em rumo desenfreado. No mais, pelo que eu pelo menos me lembre de Enéas, ele sempre foi visto como um louco para sua época, extremamente 'radical' aos olhares dos brasileiros quando vivo.
  • Washington  20/04/2016 22:12
    Faltou o autor do texto definir o que ele (autor) entende como sendo "esquerda" e "direita".
  • Marcelo Simões Nunes  21/04/2016 00:31
    O autor propõe que não se entre no jogo da esquerda e seu dualismo. A ideia é interessante, mas falta detalhar como fazer isso na prática. Se o assunto se restringe ao Mises, não haverá problema. Se se nega qualquer participação político partidária, também não. Mas como encarar as questões que estão na pauta do dia sem ficar encastelado na torre de marfim? Dou um exemplo: o falido estado brasileiro requer reformas urgentes. Uma delas é a reforma previdenciária, que, se executada, implicaria em alguma redução dos direitos dos contribuintes previdenciários. Obviamente o esquerda vai dizer que a maldita direita mais uma vez quer sacanear os trabalhadores, escamoteando a questão meramente econômica de que a reforma seria implementada para dar sustentabilidade ao sistema. Como discutir a questão sem que o assunto seja aprisionado pela retórica dualista? Creio que é isso o que interessa saber, dando sequência ao que o autor propõe.
  • Leitor Assíduo  21/04/2016 00:41
    Prezado Marcelo, parece que você leu apressadamente o texto. Sua pergunta foi claramente respondida pelo autor. Copio abaixo:

    "Quer combater a mentalidade esquerdista? A maneira certa está em se recusar a participar do jogo da luta de classes; está em apresentar soluções que não passem nem pela defesa de um grupo e nem pela demonização de outro. Está em descobrir as lógicas que desarmam esse discurso que só enxerga opressores e oprimidos."

    Como fazer isso? Somo utilizar a lógica e como apresentar soluções que não passam nem pela defesa de um grupo e nem pela demonizacao do outro?

    Bom, os mais de 2 mil artigos deste site ensinam isso. Se eles não bastam, então nada mais basta.
  • anônimo  21/04/2016 18:12
    Leitor Assíduo,não li apressadamente o texto, como sugere. Provavelmente foi você que leu apressadamente o que escrevi. Resumindo, disse que não ficava claro como agir do ponto de vista prático e dei um exemplo (a questão previdenciária). O texto que você menciona ("Quer combater a mentalidade esquerdista? A maneira certa está em se recusar a participar do jogo da luta de classes; está em apresentar soluções que não passem nem pela defesa de um grupo e nem pela demonização de outro. Está em descobrir as lógicas que desarmam esse discurso que só enxerga opressores e oprimidos.")é um tanto abstrato e por isso propus que alguém explicasse como trabalhar a questão previdenciária do ponto de vista do autor. Será que é difícil entender o que propus. Se não sabe como responder é melhor não dizer nada.

    Quanto à sua sugestão de ler os 2 mil artigos do site, o que tenho a dizer é que você deve estar de brincadeira. Por acaso imagino que você deva ter diversas opiniões contrárias ao estatismo marxista. Por acaso será que já leu ao menos toda a obra de Marx, para não falar da obra dos demais marxistas. Esse posicionamento de mandar ler textos em lugar de contra argumentar é apenas uma maneira ridícula de fugir de uma argumentação e mostrar um pseudoconhecimento supostamente maior e melhor do que o do outro.

    Por favor, você ou qualquer outro, será que alguém aqui, dentre tantos, é capaz de responder o que perguntei.

  • Assíduo  21/04/2016 22:42
    "Provavelmente foi você que leu apressadamente o que escrevi. Resumindo, disse que não ficava claro como agir do ponto de vista prático e dei um exemplo (a questão previdenciária). O trecho que você menciona é um tanto abstrato e por isso propus que alguém explicasse como trabalhar a questão previdenciária do ponto de vista do autor."

    Carai!!!

    É serio que você queria que, num artigo que se propõe apenas a debater os rótulos "esquerda" e "direita", o autor fizesse digressões sobre como reformar a previdência?!

    É isso mesmo?!

    "Quanto à sua sugestão de ler os 2 mil artigos do site, o que tenho a dizer é que você deve estar de brincadeira."

    Nossa!

    Você vem aqui dizendo que quer aprender argumentos para debater com a esquerda. Ato contínuo, você é gentilmente sugerido a estudar o site, procurando pelo assunto do seu interesse (algo facilmente feito pela ferramenta de busca).

    Sua reação? Bateu pezinho e ficou es-can-da-li-za-do com tal sugestão. Onde já se viu ter de ler e correr atrás? Quero aprender tudo sem fazer esforço nenhum! Ah, e quero receber tudo mastigadinho!

    "Por acaso imagino que você deva ter diversas opiniões contrárias ao estatismo marxista. Por acaso será que já leu ao menos toda a obra de Marx, para não falar da obra dos demais marxistas."

    Pois é. Neste site -- que você se recusa a ler para aprender -- há vários artigos demolindo os principais mitos marxistas: a mais-valia, a teoria da exploração, o materialismo dialético etc.

    Mas, de que adianta? Você não quer fazer o esforço de ler, né? Isso é pedir demais. Você provavelmente sonha com um daqueles computadores da Matrix, que, em questão de segundos, introjetam todo o conhecimento no seu cérebro.

    Se um esquerdista quisesse criar um espantalho do direitista intelectualmente ignorante e preguiçoso, que não gosta de ler para aprender e se aperfeiçoar, ele certamente iria apenas citar você.

    "Esse posicionamento de mandar ler textos em lugar de contra argumentar é apenas uma maneira ridícula de fugir de uma argumentação e mostrar um pseudoconhecimento supostamente maior e melhor do que o do outro."

    Eu realmente estou lendo isso?! Quer dizer que sugerir que você procure os artigos que falam exatamente do tema que você quer saber é "uma maneira ridícula de fugir de uma argumentação e mostrar um pseudoconhecimento supostamente maior e melhor do que o do outro"?

    Isso não pode estar acontecendo. Meus olhos devem estar me traindo.

    "Por favor, você ou qualquer outro, será que alguém aqui, dentre tantos, é capaz de responder o que perguntei."

    Como fazer a reforma de previdência sem que a esquerda chie? Era só procurar no site. Dou-lhe um exemplo aqui:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1553
  • Marcelo Simões Nunes  22/04/2016 03:20
    Assiduo, garoto, de nada adianta ser um leitor assíduo do Mises se você é incapaz de pensar e entender o que lê.

    ""Carai!!!

    É serio que você queria que, num artigo que se propõe apenas a debater os rótulos "esquerda" e "direita", o autor fizesse digressões sobre como reformar a previdência?!

    É isso mesmo?!""

    Em primeiro lugar, o foco do artigo não é debater os rótulos, mas como diz o autor "Está em descobrir as lógicas que desarmam esse discurso que só enxerga opressores e oprimidos." Em segundo lugar, eu não disse o que você disse que eu disse. Volte ao texto. Propus em exercício mental aos comentaristas e não ao autor.
    E vejo que você, sendo incapaz de aceitar meu convite a ir além do texto, enfocando uma questão concreta, continua em seu escapismo. Se não tem nada a acrescentar, por que não te calas? E segue escorregando.

    ""Quanto à sua sugestão de ler os 2 mil artigos do site, o que tenho a dizer é que você deve estar de brincadeira."

    Nossa!

    Você vem aqui dizendo que quer aprender argumentos para debater com a esquerda. Ato contínuo, você é gentilmente sugerido a estudar o site, procurando pelo assunto do seu interesse (algo facilmente feito pela ferramenta de busca).

    Sua reação? Bateu pezinho e ficou es-can-da-li-za-do com tal sugestão. Onde já se viu ter de ler e correr atrás? Quero aprender tudo sem fazer esforço nenhum! Ah, e quero receber tudo mastigadinho!""

    Você é mesmo a piada do dia, faz meia hora que estou rindo e não consigo parar. Por que você não lê os 2 mil textos? Já sei, já os leu, não é? E parece que não entendeu nada, porque não consegue me dar uma simples resposta. E explico, já que não entende: eu não quero "aprender argumentos para debater com a esquerda". Eu não disse isso, mas você. O que eu quero e fazer uma provocação para ver se há aqui alguém capaz de desenvolver o assunto. Só isso.

    "Por acaso imagino que você deva ter diversas opiniões contrárias ao estatismo marxista. Por acaso será que já leu ao menos toda a obra de Marx, para não falar da obra dos demais marxistas."

    ""Pois é. Neste site -- que você se recusa a ler para aprender -- há vários artigos demolindo os principais mitos marxistas: a mais-valia, a teoria da exploração, o materialismo dialético etc.""

    Ah! não me diga. Você acabou de descobrir a roda!!! De onde conclui que eu me recuso a ler? Se estou comentando um texto é porque o li, não é mesmo? E você não sabe quantos mais textos do Mises eu já li, não é mesmo? Quando disse: "Por acaso imagino....." estava apenas tentando fazer você entender o despropósito de sua sugestão de me mandar ler 2 mil textos, numa suposição (posso estar errado) de que você, apesar de ter lido bem pouco do marxismo (é uma suposição e me refiro aos textos originais e não às críticas do Mises), provavelmente se sinta a vontade para criticar o marxismo (suponho também) O argumento é: podemos pensar e discutir algo, mesmo que não dominemos completamente o assunto, pois, do contrário, melhor seria nunca abrirmos a boca. Entendeu agora?

    ""Mas, de que adianta? Você não quer fazer o esforço de ler, né? Isso é pedir demais. Você provavelmente sonha com um daqueles computadores da Matrix, que, em questão de segundos, introjetam todo o conhecimento no seu cérebro.

    Se um esquerdista quisesse criar um espantalho do direitista intelectualmente ignorante e preguiçoso, que não gosta de ler para aprender e se aperfeiçoar, ele certamente iria apenas citar você.""

    Provavelmente, garoto presunçoso, você terá de viver muito e ler muito para chegar perto de onde me encontro.

    "Esse posicionamento de mandar ler textos em lugar de contra argumentar é apenas uma maneira ridícula de fugir de uma argumentação e mostrar um pseudoconhecimento supostamente maior e melhor do que o do outro."

    ""Eu realmente estou lendo isso?! Quer dizer que sugerir que você procure os artigos que falam exatamente do tema que você quer saber é "uma maneira ridícula de fugir de uma argumentação e mostrar um pseudoconhecimento supostamente maior e melhor do que o do outro"?

    Isso não pode estar acontecendo. Meus olhos devem estar me traindo.""


    "Por favor, você ou qualquer outro, será que alguém aqui, dentre tantos, é capaz de responder o que perguntei."

    ""Como fazer a reforma de previdência sem que a esquerda chie? Era só procurar no site. Dou-lhe um exemplo aqui:""

    Realmente, parece que você tem alguma dificuldade básica. Entrei no texto que você sugeriu e o assunto não tem nada há ver com o que discutimos. Será que você não consegue responder o que perguntei por suas próprias palavras? Eu estou careca de saber que no Mises há um sistema de busca etc. Para que serve ler tanto se não se consegue articular nada. Por favor, pare de atacar e se defender e responda, ou cale-se. É simples assim.
  • Imparcial  22/04/2016 13:30
    "Entrei no texto que você sugeriu e o assunto não tem nada há ver com o que discutimos."

    Sorry, mas há sim. E totalmente. No texto sugerido, o autor deixa claro que sua proposta de reforma bancária iria solucionar, como efeito colateral, a questão da Previdência. (e explica como)

    Agindo precipitadamente assim, sem ler completamente o que lhe é sugerido, você acaba por dar razão às críticas do Assíduo.
  • Pobre Paulista  22/04/2016 15:01
    Dica:

    " No que mais, existem outros passivos governamentais (por exemplo, as pensões da Previdência Social) que também podem ser convertidos em títulos e consequentemente trocados por quotas nestes novos fundos de investimento, com efeitos econômicos altamente benéficos. "

  • Direitista  21/04/2016 03:30
    Boa noite Senhores,

    Discordo respeitosamente da posição defendida pelo Sr. Joel.

    Quando se fala em esquerda e direita, tem-se uma ideia de polarização, de oposição e de contraste.

    Se existem duas ideologias políticas que são diametralmente opostas são o comunismo e o anarcocapitalismo. No comunismo, em resumo, pretende-se um estado máximo, com possibilidade de ingerência em todas fibras do tecido social. No anarcocapitalismo não existem ingerências estatais, tornando o estado inexistente. Assim, tem-se os polos, esquerda ou direta.

    Assim, é ilógico alocar duas ideologias praticamente idênticas ou quase idênticas em polos opostos, embora seja muito comum. Isso é notório quando referem-se, por exemplo, ao PT como esquerda e o PSDB como direita. Ou, em outro exemplo, quando citam que a esquerda defende os pobres e a direita defende a elite.

    Este mesmo pensamento é um corolário para a dicotomia Coletivismo x Individualismo, ou Propriedade Privada x Propriedade Estatal/Real.




  • Realista  21/04/2016 04:36
    Direitista, juro que não entendi do que você discordou.

    Aliás, estaria você querendo dizer que direita é anarcocapitalismo e esquerda é comunismo?

    Se sim, falta avisar ao povo, então.
  • Direitista  21/04/2016 10:48
    Bom dia Realista,

    Desculpe se o texto não deixou claro minha posição. Permita-me explicar novamente.

    "Direitista, juro que não entendi do que você discordou."

    Logo no primeiro parágrafo, o autor expõe a sua conclusão: "a classificação existe apenas no discurso, não na realidade, e é uma ferramenta retórica para criar conflitos, marcar posições e demonizar adversários"

    Eu discordo disto. Conforme expus acima, em minha opinião a definição entre esquerda e direita se traduz em uma ferramenta de classificação, e não puramente retórica, e serve para distinguir um ideário de outro, e não para demonizar adversários. Tudo isso de acordo com um critério lógico que também expus, que é a ingerência estatal na esfera privada.

    O autor usa os termos "esquerda e direita" de forma ilógica, sem critério nenhum. Em um primeiro momento, atribui à esquerda a defesa dos "oprimidos" e, à direita, a defesa do "status quo". Mas em concreto o que isso quer dizer? Nada.

    Um exemplo claro do que eu digo é o caso de, em hipótese, a defesa dos oprimidos se traduzir na defesa dos pagadores de impostos contra a coerção tributária praticada pelo "status quo". Obviamente este cenário não é idêntico a outro em que os "oprimidos" são, por exemplo, pessoas com rendimento mensal abaixo de R$ 200 que pretendem expropriar parte da renda dos "opressores" que tem rendimento mensal acima de R$ 10.000.

    Colocando em outras palavras, definir esquerda/direita como opressor/oprimido é uma classificação que não expressa de fato nenhuma ideologia em particular. Se você é um socialista, os opressores serão os proprietários privados dos meios de produção. Se você é um libertário, os opressores serão os coletores e recebedores de impostos.

    Desta maneira, a definição emprestada pelo autor apresenta-se, em minha opinião, bastante inconsistente, pois não define absolutamente nada. Prossigamos.

    Mais adiante no texto, o autor exemplifica que "a esquerda arroga para si a defesa da causa dos operários e a direita fica com a defesa dos empresários", mas este exemplo é, em verdade, um exemplo vazio. O que seria a defesa da causa operária? O que seria a defesa dos empresários? Existem mil formas de fazer ambos, e é justamente neste modus operandi que deveria residir a atenção daqueles que pretendem classificar alguma ideologia política, e não apenas sobre os objetivos que elas pretendem.

    Veja, exporei dois cenários: 1) você pode defender a causa operária pregando o respeito absoluto pela propriedade privada, aduzindo que isto melhoraria as condições de vida de todos os operários e que isto traria prosperidade generalizada para todos os trabalhadores; 2) você pode defender a causa operária pregando a expropriação dos meios de produção em favor dos operários, aduzindo a mesma melhora de condições de vida e prosperidade geral. Seria correto dizer que ambos são esquerdistas ou direitista? É claro que não.

    Dois cenários, agora, pelo lado contrário: 1) você pode defender os empresários pregando que ninguém tem o direito de pleitear parte de suas propriedades sem que exista um contrato prevendo anteriormente esta prestação; 2) você pode defender os empresários pregando que os juros dos seus empréstimos devam ser pagos coercitivamente pelo restante da população. Seria correto dizer que ambos são esquerdistas ou direitista? Obviamente a resposta é não.

    E porque a resposta é não? Porque, apesar de ambos os exemplos defenderem o mesmo grupo de pessoas (operários no primeiro caso e empresários no segundo), os exemplos de número 1 passam pela defesa de pessoas inocentes (ou da não ingerência estatal) e os exemplos de número 2 passam pelo uso da coerção contra pessoas inocentes.


    Por tudo isso, discordei respeitosamente do Sr. Joel.



    "Aliás, estaria você querendo dizer que direita é anarcocapitalismo e esquerda é comunismo?"

    Não apenas isso. Tentei expor que a extrema esquerda seria o comunismo, e a extrema direita o anarcocapitalismo, considerando várias nuances entre eles conforme tem-se mais ou menos ingerência estatal sobre a iniciativa privada.

    Você pode dizer, se preferir, que a esquerda é o anarcocapitalismo e a direita o comunismo. O que não pode é colocar os dois do mesmo lado.
  • Direitista  21/04/2016 11:12
    Creio que esqueci de responder um parte.

    "Se sim, falta avisar ao povo, então."

    Pois é o que estou fazendo aqui, caro Realista. Estou avisando aos leitores do IMB que, em minha opinião, as definições contidas no texto estão equivocadas.
  • Marcelo Schwein  21/04/2016 03:32
    Prezados,

    Fugindo um pouco do assunto em si, minha dúvida é; porque qualquer discussão sobre diversos assuntos acaba virando uma guerra de egos?
    Uma batalha pela verdade absoluta?
    Um "o meu é mais certo que o seu"?

    Será que estamos fadados a sermos escravos de nossa própria prepotência e a sempre entrarmos num ciclo vicioso improdutivo de falácias e ideologias individuais ineficazes?
    Será que nunca conseguiremos discutir civilizadamente problemas e soluções efetivas em prol de um objetivo em comum com colegas que estão num nível intelectual diferente do nosso (seja superior, inferior ou igual, porém com diferenças ideológicas) sem utilizarmos de ataques pessoais, destilar ironias diretas ou sarcasmos velados?
    Porque insistimos em defender lados que acabam nos segregando e nos enfraquecendo como sociedade?

    Na minha humilde opinião, deveríamos nos unir e concatenar os aspectos positivos que cada "esquerdista", "direitista", "libertário" e etc possui.
    Seria o fato de eu pensar que a união dos nossos "irmãos" de raça e nacionalidade é extremamente necessária para sairmos do buraco que estamos uma utopia?

    Seria o fato de estar levantando essa questão uma prepotência de minha parte? hehehe
  • Bruno  21/04/2016 15:13
    Pelo contrário. Penso que todo esse preto vs branco é fruto do modo marxista de se ensinar em nossas escolas. Misture uma pitada de nacionalismo e passionalidade típica latina e voilá.

    Nos EUA, por exemplo, desde cedo há competições de debates entre estudantes.Com isso, desde cedo eles aprendem a domar seus instintos. Todos ganham.

    Esse extremismo de opiniões veio pra ficar, infelizmente. É ingênuo pensar que toda uma geração mal educada por marxistas, subitamente, vá recuar. Seja conservadores, seja esquerdistas.

    E a gente com tudo isso? A gente compra bitcoin ué.
  • indeciso   21/04/2016 06:42
    gostaria de saber na humilde mediocridade, quem seria um bom nome para a presidência com o intuito de pelo menos diminuir a força do estado. Sabendo que o PT,PMDB e o PSDB Não ira mudar Marina não me convence, o Ciro gomes é uma boa aposta? gostaria que esclarecessem pois o conheço pouco e a unica coisa que sei é que ele foi ministro da fazenda e ajudou na implantação do real...
  • Rhyan  21/04/2016 08:45
    Qual seu torturador de estimação, Marighella ou Ustra?
  • Ronaldo  24/04/2016 01:20
    Pinochet
  • Fernando  21/04/2016 10:28
    O Brasil é comunista na área econômica e anarquista na área social. O resultado não poderia ser pior.

    A verdade é que o congresso é um aglomerado de comunistas, lobistas, aproveitadores, monopolistas, oligopolistas, parasitas, malucos, etc. É uma democracia de fachada, onde o poder foi tomado por aproveitadores em todas as áreas. O que já era esperado.

    Nessa Babilônia chamada Brasília, é dificil encontrar alguém que se preocupe mais com as consequência das ações do governo.

    Brasília virou a maior fábrica de escassez do mundo.

    Enfim, uma salva de palmas para os sonegadores de impostos.





  • Andre  21/04/2016 13:42
    Brasil é "anarquista na área social"??

    De onde essa???
  • Emerson Luis  21/04/2016 10:34

    Concordo em parte.

    De fato a realidade não é tão simples como muitos acreditam e podemos ser facilmente distraídos e desviados daquilo que realmente importa. Estamos lidando com indivíduos e realidades complexos, não com estereótipos.

    Assim como não existe país 100% socialista nem 100% capitalista, também a maioria das pessoas parece ser, em maior ou menor grau e de diferentes formas, um mix de conceitos e comportamentos liberais e antiliberais.

    Assim como o socialismo obstrui e além de certo ponto destrói completamente a economia de um país, se um militante socialista praticasse suas ideias em todos os aspectos de sua vida, ele a destruiria.

    Porém, os conceitos de "esquerda" ("progressismo") e "direita" (conservadorismo) continuam válidos e úteis.

    O conservadorismo é potencialmente autoritário, mas possui versões saudáveis e é complementar ao liberalismo. Já o socialismo é intrinsecamente totalitário e incompatível com a liberdade. Aquilo que o "socialismo vegetariano" possui de bom foi extraído do liberalismo e do conservadorismo.

    Eu defendo a liberdade e a responsabilidade. Por isso sou liberal e conservador.

    * * *
  • PedroF  22/04/2016 00:22
    Para melhor entender esquerda e direita, devemos partir de alguns pressupostos. PRESSUPOSTOS ECONÔMICOS: Propriedade privada dos meios de produção, direito de herança, baixa regulamentação; PRESSUPOSTOS POLÍTICOS: liberdade (de pensamento, de expressão, de associação, de e da religião, de contratar), esfera de privacidade. Possivelmente esqueci algumas categorias (estou escrevendo ao correr da pena), mas, basicamente temos aí a base sobre que se ergue a direita. É a nossa praça-forte.A negação desses pressupostos conduz ao campo da esquerda, tão mais à esquerda quanto mais intensa é tal negação. Quais seriam então os pressupostos da esquerda. A esquerda não tem pressupostos. A esquerda é a negação da direita, pois a direita muito se assemelha ao "estado natural da pessoa". O estado mais próximo do ponto anterior à regulamentação da vida social. Assim como o gradativo fortalecimento do Estado leva à diminuição da força desses pressupostos, a sua total abolição poderia levar à lei do mais forte, e o mais forte se assemelharia à encarnação do Estado absoluto.
  • PedroF  22/04/2016 01:17
    Poderia ter falado em liberdade de mercado, mas essa ideia está encaixada em ambos os pressupostos.
  • Denison Ribeiro  22/04/2016 11:34
    OFFTOPIC: Não sei se algum de vocês teve a oportunidade de importar algo do Reino Unido. Realizei uma compra e não tenho o que reclamar do "correios" deles. Em 3 dias eles entregaram a encomenda para o Brasil, 3 dias de um continente para outro na opção de frete mais barata. Logicamente os correios e a alfândega do Brasil fizeram as partes deles e demoraram cerca de 23-25 dias para entregar em minha casa. Realizando uma curta pesquisa, adivinha só, o Royal Mail foi totalmente privatizado após mais de 500 anos de existência. Nâo sei se é esse o motivo de tanta eficiência mas tenho uma "leve" suspeita de que sim.

    ONTOPIC:
    Tenho a impressão de que as pessoas vão sempre querer alguém para idolatrar. É como se vivêssemos na idade média, sempre sendo obrigados aceitar um soberano.
    Espero que um dia a maioria das pessoas percebam que não precisam de um governo mandando em tudo.


  • Osbourne  22/04/2016 13:18
    Sobre os Correios britânicos não é só isso: desde 2002, a alemã DHL tem permissão para entregar cartas dentro do Reino Unido, trazendo concorrência para o Royal Mail.

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=818
  • Denison Ribeiro  23/04/2016 00:47
    Não sabia disso. Obrigado pela indicação. Quem sabe não chegamos lá um dia...
  • Alexandra Moraes  26/04/2016 16:20
    Precisamos de menos estado e mais concorrência entre as empresas.
  • Isis Monteiro  22/04/2016 20:35
    O libertário está acima de toda esta degradação.
    Se a idéia de extremismo for aplicada a um libertário, que seja baseada em quão extrema é a sua oposição às crenças e tentações autoritárias.
  • Guilherme  26/04/2016 00:59
    Belo artigo!
  • Gunnar  26/04/2016 14:45
    1. Gosto de separar os eixos pessoal e político. Um cabe as crencas pessoais, o outro descreve a politica em voga. No ambito pessoal, a pessoa pode ser de ultra-conservadora a ultra-progressista. Geralmente chama-se o primeiro de direita e o segundo de esquerda. No ambito politico, podem haver governos desde ditatoriais a minarquistas (ou anarco-capitalistas).

    2. O libertarianismo, ao meu ver, se preocupa apenas com o segundo. O libertario quer ter o direito de fazer e pensar o que quiser (desde que nao agrida ninguem no processo) e defende o mesmo para os demais cidadaos - inclusive ser um hippie poligamico fumador de maconha morando em uma comunidade sem dinheiro.

    Ou seja, no ambito pessoal, o libertario nao esta nem ai para o que a pessoa acredita ou faz - logo, nao poderia ser classificado como direita nem como esquerda. No ambito politico, defende a desestatizacao, indo contra a esmagadora maioria das propostas politicas tanto de direita quanto e esquerda.

    Conclusao: no ambito pessoal tanto faz, no ambito politico nenhum dos dois.

    PS: Perdoem a falta de acentuacao.
  • Alexandra Moraes  26/04/2016 16:24
    O texto é claro quando diz que "não perca seu tempo classificando as pessoas, os partidos e as bandeiras entre esquerda e direita. A classificação existe apenas no discurso, não na realidade, e é uma ferramenta retórica para criar conflitos, marcar posições e demonizar adversários".
    Esta frase é de uma extrema lucidez.
  • anônimo  26/04/2016 18:20
    'A classificação existe apenas no discurso, não na realidade'...

    Sim a direita tem vários defeitos, mas quem profere uma frase dessas vive a anos luz da realidade.O projeto da esquerda é o máximo possível de estado que der, já a direita pelo menos deixa o doente vivo pra continuar parasitando.

    E agora vejam aí o Bolsonaro recomendando todo mundo a sonegar impostos:
    https://www.youtube.com/watch?v=ElBQbueU0tQ
  • Fernando  27/04/2016 19:47
    Sei que o totalitarismo intrínseco à esquerda é um mal, não somente por questões relacionadas à falta de liberdade, mas também em virtude de sua expectativa messiânica mentirosa. Qualquer socialista medíocre deposita sua fé cega (isto mesmo: fé) no ser humano, mais especificamente na figura da burocracia do Estado. É uma falsa religião. Abolir a propriedade privada dos meios de produção, socializá-la mediante a administração pública do Partido, alcançar a igualdade material entre todas as pessoas, enfim, todas essas "soluções" evidenciam um pífio programa redentivo-religioso da esquerda; que, na verdade, até cria conceitualmente problemas que sequer existiam, para só então combater o espantalho ideológico adversário.

    O que me preocupa é que se faça sequer a sugestão de que Direita e Esquerda estejam no mesmo balaio de maneira tanto qualitativa quanto quantitativa. É verdade que a Direita produz algumas caricaturas, mas a incapacidade de ver certas nuances distintivas no espectro parece ser até o mesmo tipo de desonestidade que o socialista costuma utilizar, por exemplo, ao comparar os militares brasileiros aos nazistas, indiscriminadamente; para alguns, Hitler e Castelo Branco são a exata mesma coisa. Tal ideia é mais do que falta de percepção, é desonestidade. Graus, níveis, números, motivações e formas importam. A Esquerda não se resume apenas em um tipo de autoritarismo, mas em tudo o que é mais vil.

    É claro que o libertário utiliza isso como um arma retórica (espero...), não creio que fora da Esquerda alguém possa ser tão ruim na análise das proporções, motivações e gravidades das coisas.

    A característica que me parece comum entre a Esquerda e o pensamento de Leonard Read é uma esperança messiânica pujante em alguma estrutura falha. Dizer que "o libertário está acima de toda esta degradação" não implica dizer que o libertarianismo não tenha suas próprias degradações, uma vez que a degradação é inerente à condição humana.

    A ausência de Estado certamente resolveria alguns problemas, e talvez criasse outros. Não importa, não quero discutir o mérito de qual cria ou soluciona mais problemas, mas sim identificar uma religiosidade espúria tanto num pensamento quanto no outro. Já o conservador, embora muitas vezes mergulhe em meios errados, não se relaciona com seu ideal de maneira a crer que todos os problemas serão resolvidos, a relação não é pragmática e messiânica. São questões de valores morais objetivos (certos ou errados). Ou é errado ter relações homossexuais, ou não; se for, então é problema de todos, e não simplesmente do indivíduo.

  • saoPaulo  27/04/2016 21:55
    Rezumindo: o fiscal de c* quer que a "sociedade" controle o que dois adultos fazem consensualmente entre quatro paredes... Seja lá o que isso signifique...

    Esquerda e direita, ambos autoritários, apenas querem sua ditadura predileta no comando.

    Na falta de algo melhor e dependendo do caso, é preferível a segunda, mas nunca se esquecendo de que "o libertário está acima de toda esta degradação".
  • Fernando  28/04/2016 01:30
    E você achando que seu sarcasmo afetado é autorrefutador, mas não é. Só pegou no pé de um EXEMPLO no final do texto -que sequer é o centro do que eu disse- e banalizou tudo, assim como um esquerdista costuma utilizar a mesma estratégia para deslegitimar os adversários.

    Todo o seu argumento é que pode ser resumido (com "s", por favor) a um axioma -ou seja, a um pressuposto acrítico- de que tais questões relacionadas à sexualidade não têm relevância alguma fora do indivíduo, e tudo isso de antemão. Você pode acreditar no que quiser, na verdade; mas eu gostaria de um pouquinho de honestidade intelectual no sentido de reconhecer que esses aspectos "religiosos" do libertarianismo são tomados exatamente como pressuposições e saltos de fé. Você, a priori, toma como verdade que a homossexualidade não tem problema porque você elegeu antes do início do jogo o consenso como árbitro da moralidade humana; assim, na verdade, você já assentiu à bandeira "gayzista" do "não faz mal a ninguém", mesmo que não milite pela causa, digerindo o argumento sem sequer mastigar. É claro que provavelmente você não estará disposto a levar tais considerações ao máximo que elas exigem. O consenso entre o canibal e a sua vítima (vítima?), por exemplo, talvez receba um paliativo quando um espertalhão afirma que a vida é superior à liberdade. Mas daí só temos outro pressuposto de tal valoração de importância, além de não explicar o motivo de uma liberdade verdadeira não poder abrir mão do que lhe aprouver.

    O libertário parece só não estar acima da degradação da "ingenuidade" utópica. A mesma pueril "ingenuidade" da Esquerda. Um transfere a maldade do homem para a classe capitalista e a própria existência do capital privado em si; o outro transfere a maldade do homem para quaisquer aspectos da realidade que limitem a liberdade individual pacífica e o consenso não prejudicial a terceiros. Depois, finalizando esse espetáculo de ingenuidade antropológica e sociológica, acabam por acreditar em uma possível ordem tão livre a ponto de não sabotar a si mesma ao criar os lobos dentro de seu próprio aprisco de liberdade. É certo que devem crer que numa sociedade tão livre e tão boa não haveria dissidentes sedentos por tomar os "vazios de poder" justamente estabelecidos na possibilidade de se criar instituições totalitárias a agigantadas da mesma natureza das que outrora foram abolidas. Ou talvez creiam que os vazios de poder não existiriam em um mundo livre, que a liberdade é, em si, um poder capaz de preencher todo o espaço, e que a sociedade civil é naturalmente voltada a não estatizar-se, preservando a liberdade que lhe foi IMPOSTA (sim). A outra hipótese é aceitarem o risco e, mesmo assim, militarem tão avidamente, dizendo que é o certo a se fazer e ponto; mas, mesmo diante dessa mínima coerência, é fato que não dão a devida importância dimensional ao risco. O libertário é o que abraça uma utopia que não é em si criminosa como a socialista. Mas não deixa de ser utopia.
  • saoPaulo  28/04/2016 08:37
    "Só pegou no pé de um EXEMPLO no final do texto -que sequer é o centro do que eu disse- e banalizou tudo"

    Ora, você escreveu 3 parágrafos para dizer que a direita é melhor que a esquerda, o que, por si só, o artigo inteiro contradiz, afirmando que ambos são autoritários. Da minha parte, até lhe concedi este argumento no meu último parágrafo.

    Depois você cria um espantalho, atacando libertários por estes supostamente acreditarem messianicamente que seu sistema seria perfeito.

    Isto foi tão mentiroso que sequer tive vontade de responder.... Apenas me aponte um libertário dizendo que não existiriam conflitos em uma sociedade ancap.

    "Todo o seu argumento é que pode ser resumido (com "s", por favor[obrigado pela correção]) a um axioma -ou seja, a um pressuposto acrítico- de que tais questões relacionadas à sexualidade não têm relevância alguma fora do indivíduo, e tudo isso de antemão."

    Pois bem, agora você fez um julgamento afetado do que escrevi. Se você tem fixação com o que pessoas introduzem em seus orifícios anais, problema seu. Não comercialize com elas, não converse com elas, ensine seus filhos que isto é errado, faça o que quiser. Mas ao propor que isto é um problema da sociedade, e leia-se aqui implicitamente Estado, apenas reforça o rótulo de autoritário.

    "Você, a priori, toma como verdade que a homossexualidade não tem problema porque você elegeu antes do início do jogo o consenso como árbitro da moralidade humana"

    Há iniciação de agressão no surgimento de um casal homossexual? Se não, não há que agredí-los. Ponto.

    Se acha este comportamento errado, e tem todo o direito de achar a besteira que quiser, vai ter que encontrar formas não violentas de lutar contra isto, sem a ajuda de um Estado. Se concorda comigo, parabéns, você é um libertário e não sabia!

    "É claro que provavelmente você não estará disposto a levar tais considerações ao máximo que elas exigem. O consenso entre o canibal e a sua vítima (vítima?), por exemplo"

    Sim, claro, vamos pautar a discussão em casos extremamente raros que sequer são inibidos na presença de um Estado. TODOS os brasileiros são agredidos diariamente e têm seu dinheiro roubado com a sua concessão, mas vamos discutir os canibais! E depois vem dizer que são os libertários que querem um sistema prefeito...

    "o outro [libertário] transfere a maldade do homem para quaisquer aspectos da realidade que limitem a liberdade individual pacífica e o consenso não prejudicial a terceiros."

    Haja paciência. Me aponte um, apenas um libertário que afirme que não haveria maldade em uma siciedade ancap.

    Se não conseguir, ou é ignorante sobre o que diz, ou mentiroso.

    "Depois, finalizando esse espetáculo de ingenuidade antropológica e sociológica, acabam por acreditar em uma possível ordem tão livre a ponto de não sabotar a si mesma ao criar os lobos dentro de seu próprio aprisco de liberdade."

    Sim, e para lutar contra isso você propõe a criação de um Estado, o ímã de lobos, a entidade que maximiza o poder deles. Quem é o ingênuo aqui mesmo?

    "O libertário é o que abraça uma utopia que não é em si criminosa como a socialista. Mas não deixa de ser utopia."

    Infelizmente, nisto concordo contigo. Estou bastante desanimado com o futuro da liberdade. Para onde quer que eu olhe, vejo mais e mais gente como você, autoritárias que não conseguem enxergar saídas fora de um Estado. Querer acreditar que a liberdade floresça em um ambiente inóspito destes é realmente uma utopia.
  • anônimo  28/04/2016 09:40
    'Você, a priori, toma como verdade que a homossexualidade não tem problema porque você elegeu antes do início do jogo o consenso como árbitro da moralidade humana'

    Não é isso, nenhum libertário se baseia nisso. O ponto é que o sujeito é livre pra fazer o que quiser, o que ele faz da vida dele não é da minha conta.Eu posso até não achar bonito mas não é da minha conta.
    Se quiser morrer de fumar maconha, que fume.Se perguntar minha opinião eu vou falar que está errado, mas não vou obrigar ninguém a nada.
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2205
  • Beth Prado  28/04/2016 20:46
    Repito aqui frase do texto de extrema lucidez. "...não perca seu tempo classificando as pessoas, os partidos e as bandeiras entre esquerda e direita. A classificação existe apenas no discurso, não na realidade, e é uma ferramenta retórica para criar conflitos, marcar posições e demonizar adversários".

  • anônimo  29/04/2016 09:09
    Esse é um pensamento perigosamente simplista.É claro que a esquerda é muito pior, tudo que a esquerda faz tem como objetivo o maior estado possível.
  • saoPaulo  02/05/2016 09:59
    Será que a direita é mesmo tão melhor que a esquerda?

    A onda agora é o pessoal "de direita" aplaudir o deputado Flávio Bolsonaro e sua pretensa tentativa de garantir a internet como "direito constitucional"... Apenas mais um exemplo da direita adotando bandeiras socialistas.

    O que dizer da guerra às drogas? A tentativa da direita de engenharia social, um programa totalmente esquerdista. Basta lembrarmos que a lei seca americana começou como um movimento feminista para proteger as mulheres de seus maridos bêbados. Desnecessário descrever os resultados de tais políticas.

    O que dizer da sede da direita por guerras em países estrangeiros, que só é superada pela sede da esquerda pelo sangue de seus próprios compatriotas?

    Em suma, o direitista médio brasileiro - e talvez mudial... - está muito mais à esquerda que os conservadores clássicos. A diferença entre esquerda e direita está em magnitude e direção, não em natureza.

    Como disse Roberto Campos: "O Brasil está tão distante do liberalismo - novo ou velho - como o planeta Terra da constelação da Ursa Maior!"
  • Direitista  02/05/2016 11:15
    dizer que "a direita" está adotando bandeiras socialistas é de uma contradição lógica insuperável. Se socialismo é esquerda, qualquer pessoa que adote uma bandeira socislista é esquerda, e não direita.

    até quando vão continuar neste erro intectual?

    esquerda = socialismo
    direita = capitalismo

    essa é a única maneira lógica de se usar as expressoes direita/esquerda

    todo resto é espuma
  • saoPaulo  02/05/2016 13:11
    Ora, mas não sou eu que estou dizendo isto. Mas sim pessoas que se auto denominam de direita! Ao mesmo tempo em que aplaudem coisas como "internet para todos"...

    E é inegável também que a direita hoje abraçou muitas bandeiras esquerdistas. Vide Republicanos e o wellfare state. Vide o exemplo acima.

    A teoria dos jogos aplicada à democracia explica claramente este fenômeno, que leva a direita cada vez mais para a esquerda para abocanhar mais eleitores. Associado ao sufrágio universal, que por sua vez tende a deslocar todo o espectro para a esquerda continuamente. Com estes dois fenômenos, vemos republicanos defendendo a saúde universal e bolsonaristas defendendo a internet universal.

    Se eles não são "direitistas de verdade", deixo aos conservadores a tarefa de expor estes impostores... Apenas acho cômica - e um tanto triste - esta onda de "direitistas canhotos".
  • Bartolo de Sassoferrato  02/05/2016 13:53
    Você tem toda razão.

    Se o lado direitista é mesmo a favor do capitalismo, então deveria ser a favor da abolição do welfare state. Mas não apenas não é (a favor da abolição), como disputa com o lado esquerdista quem é o "verdadeiro benevolente" com os mais desfavorecidos. O Bolsa-Família no Brasil é um exemplo disso.

    Bolsonaro é considerado o "mais direitista" atualmente no Brasil? Pois bem, gostaria que lhe fosse perguntado: "o Sr. aboliria todas as instituições de redistribuição de renda?". Não creio que a resposta seria "sim".

    E aí entra o ponto: redistribuição de renda é INCOMPATÍVEL com uma genuína economia de mercado (capitalismo lassez-faire), que o "direitista" acima considera ser o "ponto-chave" do que caracteriza a "direita".
  • Obongo  03/05/2016 01:26
    "então deveria ser a favor da abolição do welfare state"

    Mas os direitistas são a favor.
    É por causa dos republicanos (direitistas) que os Estados Unidos não viraram uma social-democracia aos mesmos moldes escandinavos faz muito tempo.
    O grande problema é a democracia mesmo.
  • Andre  02/05/2016 13:44
    Não há salvação dentro da lei e dentro da democracia.

    Erro primário de conceito político o seu, socialismo e suas vertentes é de longe a pior forma de economia a ser feita, mas socialismo é a forma mais eficaz de concentrar poder político, o que interessa muito aos políticos de direita e esquerda.
    O povo que apoia os ditos novos conservadores da política brasileira que dizem ter a solução para nossos males, estão no inferno, cheio de boas intenções mas estes políticos só querem é aproveitar bem sua vez de partilhar o butim da economia brasileira.

    Além do mais o objetivo do político é ser eleito, e em um ambiente onde o povo demanda políticas estatizantes e socialistas, o político irá confortavelmente vender essa oferta ao eleitor com um verniz direitista pro gado conservador satisfazer sua psicologia antiesquerdista.
  • Tony  02/05/2016 14:58
    Esse seu comentário foi dirigido a quem?
  • anônimo  03/05/2016 04:10
    A definição de "direita" tanto no Espectro Político quanto no Diagrama de Nolan é ser a favor de mais liberdade econômica.
    Tanto é verdade que os partidos de direita tanto na Europa como no EUA são a favor de cortes do estado de bem-estar social, privatizações, abolição de leis trabalhistas, diminuição de impostos e desregulamentações para empreender.
    Como pode ver, não é difícil assassinar a reputação deles, já que o capitalismo de mercado é mostrado como um monstro desde a escolinha.

    Você está dizendo essas coisas porque acha que liberdade econômica é um monopólio dos libertários, quando não é. Em eleições não dá para ser "radical" e pedir a abolição do Estado, nem comunistas fazem mais discursos radicais como faziam.

    A Suécia, Inglaterra, França e mais recentemente a Irlanda somente não faliram porque partidos de direita desses países foram eleitos, realizaram diversas privatizações, diminuíram impostos e reduziram os gastos do governo. Aliás, esse ciclo de aumentar e diminuir impostos e gastos é frequente na Europa.

    Se libertários também tivessem mais partidos (em alguns países já possuem) e participassem da política (lembre-se que estamos em uma democracia) garanto que a Europa e o Mundo não estariam tão socialistas como estão hoje, pois os direitistas e libertários se ajudariam com coligações.
  • brunod  02/05/2016 14:45
    Nem esquerda nem direita,

    Nem bolsonaro nem Willys,

    Apenas Joel Santana é claro!

    Aborto=Direito Reprodutivo, a novilíngua que tanto transparece nos discursos da esquerda, agora sendo utilizada pelo Joel Santana, que advoga, não ser nem de Direita, nem de Esquerda.
  • anônimo  12/06/2016 10:11
    Esse Joel é sem noção demais, agora tá lá no face torcendo pela Hillary
    E uma bosta dessas ainda se diz libertário, pqp.

    Isso é o que dá se misturar com libertários de esquerda, a banda podre do libertarianismo.
  • Antônimo  12/06/2016 15:21
    Se eu fosse obrigado a escolher entre Hillary e Trump, prenderia a respiração e votaria na Hillary.

    Motivos (não necessariamente em ordem de importância):

    1) Trump prometeu uma tarifa de importação de 40% sobre produtos importados. Só um imbecil -- ou um mercantilista radical -- daria seu voto a algo assim. Tal proposta faz Bresser-Pereira parecer um moderado.

    2) Trump prometeu obrigar todas as empresas americanas que se mudaram para outros países a voltarem a produzir nos EUA. Por exemplo, a Ford construiu uma planta no México. Trump disse que usará sanções para obrigá-la a voltar para os EUA. Agindo assim, ele nada se diferencia de um caudilho latino-americano, que pretende dirigir a produção do país no chicote.

    3) Todas as propostas "radicais" de Hillary não podem ser implantadas sem a aprovação do Congresso. Aliás, o mesmo vale para Bernie Sanders. Eles podem falar de saúde socializada e de tributar extorsivamente os ricos o tanto que quiserem. Sem a aprovação das medidas pelo Congresso (e o Congresso jamais iria aprovar), são só palavras ao vento.

    Veja que nenhum presidente foi mais agressivo contra as armas do que Barack Obama. O que ele conseguiu? Nada (ainda bem!). Sem o Congresso, nada feito. Aliás, o que fez Barack Obama desde sua reeleição em 2012? Nada, pois não tinha o Congresso. Como o próprio Leandro já falou algumas vezes na seção de comentários deste site, a recuperação da economia americana começou assim que BO perdeu o Congresso.

    4) Com Hillary, há o "risco" de ela ser influenciada por Bill Clinton. Bill, olhando em retrospecto, foi um dos melhores presidentes dos EUA.

    5) É compreensível que o cidadão comum, após décadas de ditadura do politicamente correto, sinta uma grande atração por Trump e suas tiradas anti-PC. Eu mesmo sou vidrado nesse discurso. Mas isso não basta. De nada adianta um sujeito fazer tiradas verbais que me agradam se esse mesmo cara quer restringir minha liberdade de compra e liberdade de investimento.

    6) Tão logo a próxima recessão estoure nos EUA, é melhor que ela caia no colo dos democratas, que serão responsabilizados. Se a recessão estourar com Trump, os democratas levarão tudo em 2020. O Gary North tem escrito artigo atrás de artigo sobre isso. A eleição que realmente interessa é a de 2020. O partido que estiver no poder até lá será dizimado nas urnas pela crise econômica que ele, North, prevê que ocorrerá (está ligada à questão orçamentária do governo e aos passivos previdenciários).
  • Lel  12/06/2016 17:34
    Só sei de uma coisa: se for aprovado a criação de um SUS nos EUA, podem dar adeus completo ao sonho de um mundo razoavelmente livre.

    A facilidade para revisar a taxação sobre produtos importados não é nada perante a dificuldade de acabar com uma medicina socializada em que os custos ficarão cada vez maiores com o passar dos anos.
    Se o Trump ganhar, algum austríaco precisa falar urgentemente com ele e explicar que suas políticas irão trazer uma nova estagflação para os EUA com essas medidas.
  • Dissidente Brasileiro  12/06/2016 17:51
    De forma alguma pretendo defender Trump, Hillary, governo, estado... Mas o que você disse sobre a Hillary também vale para o Trump; jamais o congresso aprovaria as loucuras dele, e no final seriam apenas "palavras ao vento" também.
  • Pobre Paulista  13/06/2016 12:28
    OK Antônimo, mas os mesmíssimos argumentos se aplicam ao Trump, né?

  • Antônimo  15/06/2016 18:19
    Posso estar enganado (e espero que esteja), mas acho que não é necessária aprovação do Congresso americano para o governo elevar alíquotas de importação.
  • anônimo  13/06/2016 01:26
    Isso tudo é irrelevante.Se vc é libertário tem que falar que os dois são lixo, e não tomar um lado.
    Agora a banda podre do libertarianismo tem disso, esses espíritos meigos se sentem tão incomodados com o trump que viram partidários de uma tralha socialista como a Hillary.
    Patético.
  • de acordo com o anônimo  13/06/2016 16:30
    "Isso tudo é irrelevante.Se vc é libertário tem que falar que os dois são lixo, e não tomar um lado.
    Agora a banda podre do libertarianismo tem disso, esses espíritos meigos se sentem tão incomodados com o trump que viram partidários de uma tralha socialista como a Hillary.
    Patético
    "

    Concordo plenamente.
  • Azônimo  13/06/2016 16:27
    "Todas as propostas "radicais" de Hillary não podem ser implantadas sem a aprovação do Congresso. Aliás, o mesmo vale para Bernie Sanders. Eles podem falar de saúde socializada e de tributar extorsivamente os ricos o tanto que quiserem. Sem a aprovação das medidas pelo Congresso (e o Congresso jamais iria aprovar), são só palavras ao vento"

    E pq as propostas "radicais" do Trump não são "palavras ao vento"?
  • saoPaulo  13/06/2016 09:24
    Só por curiosidade, o que seriam "libertários de esquerda"?
    Na minha cabeça, isto não faz muito sentido...
  • Rockatansky  13/06/2016 13:36
    Isso nada mais é do que, como sempre, aquela atitude de esquerdista de se "apropriar" de expressões para fazer a guerrilha do proselitismo.

    O exemplo clássico é o termo "liberal", que hoje é usado como sinônimo de "esquerdista" nos EUA.

    "libertário de esquerda" segue a mesma "filosofia" de subversão semântica...
  • anônimo  13/06/2016 17:20
    Libertários de esquerda nos valores. A parte que o libertarianismo tem em comum com o típico esquerdista maconheiro lá do CA de sociologia.
    Gente por ex, que se incomoda com aquele artigo do Hoppe sobre a esquerda infiltrada no libertarianismo.
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1852
    Veja os comentários e vai entender.
  • opinador  13/06/2016 17:45
    Para entender a diferença de esquerda, direita e libertarianismo sugiro vc ver o diagrama de nolan.

    https://www.youtube.com/watch?v=BcCOs09HGrU

    Ou seja, não existe libertarianismo de esquerda ou de direita, o que existe é libertarianismo.

    Os libertarios são a favor de liberdade social e liberdade economica.

    Ou seja, que cada individuo adulto é responsável por suas ações.

    Portanto o estado não tem que se preocupar se a pessoa usa droga, não usa, se é gay ou se não é.

    O estado no máximo (ainda nem isso deveria fazer) teria que fazer é garantir os direitos de liberdade, vida e propriedade.

    Esses direitos são absolutos, agora a moral é relativa, ou seja, vc faz as regras dentro da sua propriedade e assume os riscos ou colhe os frutos disso.

    Se na sua propriedade vc permite uso de drogas e isso não agride ninguém o problema é só seu.


  • Rodrigo Pereira Herrmann  13/06/2016 19:45
    Até os socialistas entenderam que não existe sociedade sem religião e sem algum tipo de poder público cogente. Libertários ignoram isso. A proposta libertária (regulação privada em tudo, abolição do estado como estrutura de direito público e organização política) é apenas um passatempo inócuo.
  • Thomas  13/06/2016 20:27
    Hum... E se o tal "poder público cogente" cair nas mãos de ateístas ou de outro pessoas anti-religião e imorais? Qual seria a solução?

    Esperar quatro até que as urnas nos salvem? Mas quatro anos é muito tempo. O estrago pode ser irreversível.

    Aliás, e se as urnas chancelarem mais quatro anos de poder público cogente ateísta e imoral? E depois mais quatro? Aí serão 16 anos de poder público cogente ateísta e imoral.

    É bom você ter um plano de recuperação para remediar esse estrago causado pelo poder público cogente ateísta e imoral.
  • Rodrigo Pereira Herrmann  13/06/2016 22:37
    a república é o império da lei. e há o famoso sistema de contrapesos da tripartição do Poder. O fato de o governante ser ateu ou não, não faz muita diferença. Estado e Religião não se misturam dessa forma. O que pode haver, como representantes legítimos da sociedade, é uma bancada de parlamentares evangélicos ou libertários ou ruralistas ou socialistas. Isso faz parte da política.
  • pobretano  29/07/2016 14:13
    Tem mais império da lei em impérios como o britânico do que em republiquetas lixo como o BR.
  • saoPaulo  13/06/2016 23:10
    Cof, cof, comunismo...
    Cof, cof, lulo-petismo...
    Acho que estou resfriado.
  • Mitchell  14/06/2016 13:24
    "poder público cogente" para confiscar à força o patrimônio de quem produz para sustentar parasitas e chupins que ficam carimbando papel em repartição "pública".
  • opinador  13/06/2016 17:46
    "Gente por ex, que se incomoda com aquele artigo do Hoppe sobre a esquerda infiltrada no libertarianismo."

    Isso são somente as pessoas que pedem estado para resolver problemas sociais, como racismo, drogas, homossexuais, etc...

  • Lel  13/06/2016 18:08
    opinador, isso não muda o fato de que são "libertários de esquerda".

    Aquele site "Libertarianismo" é cheio desses progressistas infiltrados no libertarianismo. No Facebook também existem aos montes.

    Esse tipo de gente é criticada no artigo linkado pelo anônimo e nesse artigo também.
  • Rodrigo Pereira Herrmann  13/06/2016 21:47
  • Laurence M. Vance  13/06/2016 22:39
    An Open to America Regarding Libertarianism

    Dear America: Please don't mistake the Libertarian Party presidential ticket for libertarians.

    Regards, Laurence M. Vance.

    https://www.lewrockwell.com/lrc-blog/open-america-regarding-libertarianism/



    P.S.: Laurence Vance é conservador e cristão.
  • de acordo com o anonimo  13/06/2016 18:08
    "a esquerda infiltrada no libertarianismo"

    Mas aí é que está: como vc bem fala, é "gente infiltrada no libertarianismo".


    A rigor, não há como existir "libertarianismo de esquerda". É uma deturpação semântica propagada por esquerdistas, e vc bem sabe um exemplo de esquerdista que se diz "libertário".
  • anônimo  13/06/2016 19:09
    É muito bom você conhecer o seu inimigo.

    www.libertarianismo.org/index.php/tag/esquerda-libertaria/

    https://en.wikipedia.org/wiki/Left-libertarianism

    https://c4ss.org/content/28314

    studentsforliberty.org/blog/2014/08/26/what-is-left-libertarianism/

    bleedingheartlibertarians.com/2012/11/the-distinctiveness-of-left-libertarianism/
  • anônimo  13/06/2016 20:49
    Cara, qual é a bloddy dificuldade de entender que é gente de esquerda NOS VALORES?
    A mesma escória a que o Hoppe se refere quando diz que 'left libs são o viagra do poder do estado'.
  • anônimo  13/06/2016 21:21
    Gente infiltrada no libertarianismo que gera um monte de idiotas úteis do lado de cá.
    Cara, não tem como o gramscismo e a pauta imunda da esquerda (nos valores) não resultar numa sociedade disfuncional. Esquerdistas chefes sabem disso, conservadores de verdade e até alguns neocons sabem disso, libertários inteligentes, como o Hoppe, sabem disso.

    Agora pegue um moleque que leu uns livrinhos, não tem noção nenhuma da vida e o que sai é uma merda dessas:
    https://www.youtube.com/watch?v=BzdnkjcOViw

    Olha o nível de alienação do cara, ele se refere ao feminismo como 'luta pelos direitos das mulheres'...putz dá vontade de gritar cala a boca magda.

    Aqui pro Rafael Hide, pra esse Joel não sei o quê e pra left libs de todo tipo:
    https://www.youtube.com/watch?v=pcb_4nk4t4Q
    https://www.youtube.com/watch?v=EO68Kvb9fD4
    https://www.lewrockwell.com/2014/09/hans-hermann-hoppe/smack-down/


  • saoPaulo  14/06/2016 00:08
    Sinceramente, já encheu o saco este papinho de neocons de "libertários são idiotas úteis da esquerda".

    Vou contar pra vocês quem são os idiotas úteis da esquerda: vocês!

    Quem apoia a guerra às drogas e dá munição para os maconheirinhos de faculdade?

    Quem fica se preocupando com o que dois homens adultos fazem entre quatro paredes e faz o maior drama quando eles querem brincar de "casamento estatal"? Quem dá munição aos gayzistas?

    Quem adora uma guerrinha mundo afora e adora lamber botas de milicos? Quem dá munição a hippies pacifistas?

    Quem defende que uma mulher que toma uma pílula do dia seguinte é tão psicótica quanto alguém que mata um recém nascido a sangue frio? Quem dá munição às feminazis?

    Quem tem múltiplos orgasmos quando um Bolsonaro diz que vai socializar a internet?

    Quem valida o discurso de escravidão chamado contrato social, desde que este sirva os seus próprios interesses? Quem dá munição a políticos famintos por mais impostos?

    Quem diz ser liberal na economia e ao mesmo tempo clama por regulamentações, protecionismo, etc? Quem dá munição aos "jênios" da Unicamp?

    Ora, vão se olhar no espelho! Acham que a esquerda está ganhando por que? Cambada de frouxos que querem delegar ao Estado tudo quanto é coisa! "Ai, não tenho capacidade de ensinar meu filho que drogas são ruins...", "Ai, se não ensinar meu filho que dar o c* é errado, ele vai virar viado..." "Ai, a Dilma foi uma merda, mas o Bolsonaro vai nos salvar...!"
  • Lel  14/06/2016 01:01
    Tanto conservadores (e nisso me refiro aos neocons) quanto progressistas (e nisso me refiro aos left-libs) fornecem munição para a Esquerda.
    Nenhum dos dois pertencem ao Libertarianismo.

    Mas como o anônimo mostrou acima, os esquerdistas infiltrados no libertarianismo são muito mais danosos à Liberdade do que os conservadores.

    Feminismo Moderno (uma espécie de neomarxismo), Desarmamentismo, Movimento Negro, Ambientalismo, Movimentos "anti-racistas", Movimentos "anti-homofobia", Diversidade forçada, Politicamente Correto, Políticas Afirmativas e etc nunca aumentaram o poder estatal tanto quanto a proibição do casamento gay e coisas do tipo.
  • anônimo  14/06/2016 02:46
    Neocons são um lixo mesmo, ninguém contestou isso aqui.
    Mas Left-libertarians são o verdadeiro câncer do libertarianismo. São os tipos de pessoas que distorceram completamente o que é libertarianismo e dão um apoio muito maior à esquerda e aos burocratas "em nome da liberdade" do que os neocons.

    Apoiar o movimento feminista, movimento vegano, movimento ambientalista, movimento LGBT, multiculturalismo através de políticas afirmativas e cotas e etc é pedir de joelhos para aumentar muito mais o poder do Estado do que qualquer outra coisa existente.
    O Politicamente Correto tem a ver com controle e não com educação ou etiqueta

    Alguns libertários tentando não serem taxados como racistas, machistas, elitistas, homofóbicos, xenofóbicos, etc, se tornaram (ou se aliaram a) progressistas igual a esquerda moderna se tornou.

    E então surgem bizarrices left-libs como essa:
    www.libertarianismo.org/index.php/blog/cultura-estupro-falacia-moralizacao-feminina/

    Aliás, gostaria de mostrar como essa esquerda está querendo invadir e distorcer o movimento libertário com posts de autores esquerdistas:
    www.libertarianismo.org/index.php/blog/patriarcado-infelizmente/

    www.libertarianismo.org/index.php/artigos/liberdade-feminismo/

    Preste bem atenção às propostas e aos comentários nos artigos acima, pedindo mais intervenção estatal e privilégio às mulheres.

    O sujeito se apresenta como um "liberal", mas defende o feminismo (uma forma de neomarxismo e de socialismo) e ainda cita aquela pesquisa fajuta do IPEA. Os artigos só têm absurdos do começo ao fim, desde as gravuras.
    Aconselhar uma pessoa a não esquecer de trancar a porta, não beber muito e não andar sozinha em determinados lugares é "cultura do estupro" e "falácia da moralização feminina"?
    Qualquer indivíduo com um mínimo de racionalidade dá esse tipo de aconselho para as pessoas com quem se importa. Aconselhar comportamentos preventivos não significa culpar a vítima potencial, mas protegê-la.

    Esses não são os únicos artigos apresentando bizarrices como essa. Se procurar nos sites relacionados com o Portal Libertarianismo verá várias bizarrices "libertárias". Esse site, por exemplo, é cheia delas:
    https://libertarianismoedarwinismo.wordpress.com/

    Hans-Hermann Hoppe sobre a importância dos libertários serem conservadores morais e culturais e porquê o problema com a degradação moral e podridão cultural é do Estado:
    "Deve estar bem claro, enta~o, o motivo pelo qual os liberta´rios devem ser conservadores morais e culturais da mais intransigente natureza. O estado atual de degradac¸a~o moral, de desintegrac¸a~o social e de podrida~o cultural e´ precisamente o resultado de uma tolera^ncia demasiada e, acima de tudo, erro^nea e equivocada. Ao inve´s de todos os habituais democratas, comunistas e adeptos de estilos de vida alternativos serem rapidamente isolados, exclui´dos e expulsos da civilizac¸a~o (de acordo com os princi´pios dos contratos), eles sa~o tolerados pela sociedade. No entanto, essa tolera^ncia apenas incentivou e promoveu ainda mais sentimentos e atitudes igualitaristas e relativistas – ate´ que, finalmente, atingiu-se o ponto em que o direito (a autoridade) de excluir algue´m de alguma coisa foi efetivamente extinto (ao passo que o poder do estado, que se manifesta nas poli´ticas estatais de integrac¸a~o forc¸ada, aumentou proporcionalmente)."
    Democracia - o deus que falhou, pg. 255
    O Mises Institute também já explicou muito bem esse assunto: Cultural Marxism Explained in 7 Minutes
  • anônimo  14/06/2016 09:39
    'No entanto, essa tolerancia apenas incentivou e promoveu ainda mais sentimentos e atitudes igualitaristas e relativistas'

    Pois é, e é impressionante que uma coisa tão simples, que o Hoppe resume magnificamente numa idéia tão clara seja tão difícil de entrar na cabeça dos IDIOTAS ÚTEIS left libs.

    De novo, pegue por ex um sujeito como o Rafael Hide que acha lindo falar que o feminismo é uma luta liberal e blábláblá.
    Ou seja, é um moleque sem noção que não sabe p nenhuma do que tá falando, pq o feminismo moderno não tem nada a ver com 'igualdade' nenhuma.
    As feministas de hoje não estão nem aí pra lógica ou pra biologia ou pros motivos elencados por esse artigo aqui
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2093
    ...nem pra nada, o que elas querem é bancar a vítima eterna.Se não tem mais estupro o problema agora vai ser a 'cultura' do estupro, se não tem 'cultura' do estupro o problema vai ser as 'microagressions', se não tiver 'microagressions' elas inventam outra bosta qualquer e por aí vai ad eternum.

    É óbvio que gente assim mais cedo ou mais tarde vai querer que o governo faça algo pra corrigir a desigualdade. E aí vc vê que a maioria desse tipo de militantes também são socialistas.Surpresa!!!

    Intencional ou não, é isso que os idiotas úteis left libs acabam incentivando.





  • anônimo  14/06/2016 13:36
    "Ou seja, é um moleque sem noção que não sabe p nenhuma do que tá falando, pq o feminismo moderno não tem nada a ver com 'igualdade' nenhuma."


    Na verdade é o contrário e esse é principal problema desses movimentos sociais que os left-libs apoiam.

    Feministas não querem apenas que o Capitalismo de Livre-Mercado melhore a vida das mulheres, feministas atuais querem IGUALDADE entre homens e mulheres. Já que Direitos Iguais não é sinônimo de Igualdade e que homens e mulheres não são iguais (igual entre os próprios homens não há igualdade), então feministas atuais querem nada mais e nada menos que o nosso querido e fracassado Socialismo.
    Lógico, não irão dar esse nome, mas na prática vai ser quase a mesma coisa. Não é nenhuma surpresa que tanto feministas militantes americanas quanto feministas militantes brasileiras sejam quase (perceba esse quase) 100% esquerdistas e socialistas. Para as feministas, o Capitalismo melhorar a vida das mulheres é passado e apenas o Progressismo Igualitário irá realizar o que elas desejam.

    Pelo menos aqui no IMB a maioria dos leitores, pelos comentários, já perceberam como socialistas modernos agem (Feminismo, Pacifismo, Movimento Negro, Movimento LGBT, Ambientalismo, Diversidade, Politicamente Correto, Multiculturalismo, etc). Left-libs não enganam ninguém aqui. Infelizmente não posso dizer o mesmo na internet afora.
    Libertários Genuínos precisam se separar das feministas, dos progressistas, dos bleeding-heart libertarians e etc. Eles estão se infiltrando e distorcendo o movimento libertário por causa de "libertários" desse tipo que existem aos montes nas redes sociais.
  • Amonino  14/07/2016 01:50
    Mas o pacifismo não é um valor libertário? PNA?
  • anônimo  14/06/2016 09:11
    'Vou contar pra vocês quem são os idiotas úteis da esquerda: vocês!

    Quem apoia a guerra às drogas e dá munição para os maconheirinhos de faculdade?'


    Cara, vc é muito analfabeto funcional.
    Não sou conservador, não quero guerra às drogas nem nada disso.Mas vc se rebaixa (ou será que sempre esteve lá?) ao nível intelectual da esquerdalhada quando diz que se eu acho que esses valores são lixo, eu também quero proibir.
    Mesmo depois de eu ter citado Hoppe trocentas vezes, explicando em detalhes o que é que eu estou me referindo.
    Aí o palerma acha que o Hoppe é idiota útil também?
    Esse é o nível dos left libs.Ou gente burra como uma ameba, ou escrota como um petista.


  • saoPaulo  14/06/2016 15:47
    ao anônimo 14/06/2016 09:11:09
    ué, se você não é neocon, o comentário não foi dirigido a você. Leia o comentário novamente.

    Eu acredito sim que alguns temas esquerdistas são válidos. O problema é como eles querem resolver tais temas e que, muitas vezes, defendem privilégios ao invés de igualdade perante a lei. E se eu ver alguém dizendo que precisamos de regulação, cotas, etc., certamente irei argumentar contra.

    Eu acredito que casamento não deveria ser algo regulado pelo Estado. Neocons, por sua vez, não apenas querem isso, como querem proibir homossexuais de adquirirem status de casados. E a verdade é que, ao atacar este tema com argumentos imbecis, os neocons sim é que prestam serviço à esquerda. Pois bem, querem tanto casamentos estatais, então não reclamem quando homossexuais quiserem lhes impor democraticamente a aceitação de casamento gay.
  • Lel  14/06/2016 16:23
    Neocons e left-libs são dois problemas na luta contra o Estado. Mas o problema no Libertarianismo são os left-libs que apoiam movimentos sociais de esquerda achando que estão apoiando alguma liberdade do Libertarianismo.

    Mas, como foi dito, tais movimentos apenas agigantam o Estado cada vez mais com o pretexto de combater a discriminação e garantir a liberdade para todos ou para os grupos que eles dizem defender. Nem neocons, que não fazem parte do Libertarianismo, são tão idiotas-úteis assim.

    E o pior que esse tipo de gente está cada vez mais comum no movimento libertário.
  • anônimo  16/06/2016 09:39
    'ao anônimo 14/06/2016 09:11:09
    ué, se você não é neocon, o comentário não foi dirigido a você. Leia o comentário novamente.'

    Então meu chapa, a culpa foi sua de não ter tomado seu remédio todo pq não tem nenhum neocon aqui.

    Eu acredito sim que alguns temas esquerdistas são válidos. O problema é como
    Isso explica muita coisa.
    Não, o problema não é como, o problema é a bandeira mesmo e VC é que tem que se informar mais antes de servir à causa deles.

    Essa igualdade que eles querem, de sexo, de gênero, de QI ou do que quer que seja não vai existir nunca.Libertários de esquerda são burros (ou infantis) o suficiente pra acreditar nessa balela e ficam aí, dando corda pra importância dos problemas que não tem solução num mundo livre pq nunca foram problemas pra começo de conversa, são fatos da vida.
  • saoPaulo  16/06/2016 13:30
    "Então meu chapa, a culpa foi sua de não ter tomado seu remédio todo pq não tem nenhum neocon aqui."
    Nussa!!! Que chiliquenta!!! A carapuça serviu, foi?

    "Não, o problema não é como, o problema é a bandeira mesmo e VC é que tem que se informar mais antes de servir à causa deles."
    Pronto, mais um que se ouvir falar que Gramsci comia carne, vira vegetariano no dia seguinte.
    Eu vou servir às causas que EU acho justas. Se seu argumento contra algo é simplesmente "mas a esquerda também apóia isto", sinto muito, mas para mim não é o bastante.

    "Essa igualdade que eles querem, de sexo, de gênero, de QI ou do que quer que seja não vai existir nunca.Libertários de esquerda são burros (ou infantis) o suficiente pra acreditar nessa balela e ficam aí, dando corda pra importância dos problemas que não tem solução num mundo livre pq nunca foram problemas pra começo de conversa, são fatos da vida."
    Em primeiro lugar, nunca escrevi que defendia tal igualdade de resultados. Então acredito que este comentário não esteja se referindo a mim.
    Em segundo lugar, sou sim a favor de que todos sejam iguais perante a lei. E não vou mudar de ideia simplesmente porque isso seria "esquerdista".
    Em terceiro lugar, se os abolicionistas tivessem um pensamento como o seu, ainda teríamos pessoas possuindo outras pessoas como propriedade, afinal a escravidão sempre havia sido um "fato da vida".

    Novamente reitero. O problema da direita é querer pautar o que devemos pensar com base apenas em desculpas estilo "isto é esquerdismo". EU é que devo ser a favor de injustiças para um direitista ficar felizinho? Por que eles não podem simplesmente parar de defender idiotices e parar de dar munição para a esquerda?

    Alguém pode ser a pessoa mais sensata do mundo. Mas se ele abertamente defender pedofilia*, não é de se espantar que pessoas sensatas não o escutem, mesmo sobre temas em que ele está certo. Por outro lado, estas pessoas darão mais ouvidos a grupos que falem abertamente contra este maluco. Mesmo que estes grupos apenas falem merda sobre outros assuntos.

    Ao defender a guerra contra as drogas, por exemplo, a direita apenas está empurrando o "maconheiro de faculdade" para a esquerda, quando este poderia muito bem ser de direita e, com o tempo, mudar sua opinião com relação ao uso de entorpecentes.

    Portanto, ainda não estou convencido de que libertários de esquerda -- o que tomo como pessoas que defendem liberdades no âmbito social, sem coerção ou ação estatal -- sejam mais perniciosos que direitistas.

    *obviamente não estou dizendo que direitistas são a favor de pedofilia. Foi apenas um exemplo.
  • Thiago  16/06/2016 16:55
    saoPaulo está confirmado como um estatista assim como um neocon. Apenas confirmou o que vários estão falando aqui.

    Depois moleques de Facebook ainda possuem a cara de pau em questionar porque o poder do Estado esteja crescendo tanto, sendo que eles apenas estão apoiando movimentos progressistas em favor dos "direitos iguais", da "tolerância" e da "liberdade". Sendo que foram esses tipos de movimentos do politicamente correto os principais responsáveis em crescer tanto o poder do Estado em países desenvolvidos da 2ª Guerra pra cá.

    Não entendeu nada do que foi dito. Left-libs são a escória do libertarianismo.
  • saoPaulo  16/06/2016 17:16
    "saoPaulo está confirmado como um estatista assim como um neocon. Apenas confirmou o que vários estão falando aqui."
    ??? Está confirmado que sou estatista e neocon? Foi um erro de digitação, né?
  • anônimo  14/06/2016 09:16
    saoPaulo, leia a conversa toda e pare de falar besteira.Ninguém está falando que conservas ou neocons estão certos em querer proibir o que quer que seja.

  • Thiago  14/06/2016 11:14
    saoPaulo, na Europa e nos países de Primeiro Mundo tudo isso não é realidade, mas o poder do estado somente continua crescendo. Por quê? Ora, é muito simples explicar o porquê isso acontece.
    Tais movimentos sociais do politicamente correto que os left libs inocentemente apoiam somente estão aumentando o poder do estado. Na realidade, na essência eles precisam exatamente disso para conseguirem o que desejam.
    Se olharmos para a história, notaremos que o crescimento do governo é um fenômeno recente, mesmo com proibição das drogas e do casamento estatal gay, por exemplo.
    Desde a década de 1850 até as décadas de 1920 ou 1930, a fatia que o governo ocupava no PIB da maioria das economias industrializadas do mundo raramente ultrapassava os 6%. Porém, desse período em diante — e em particular desde os anos 1950 e 1960 justamente quando o politicamente correto surgiu com toda a força —, vivenciamos uma explosão maciça na fatia que o governo ocupa no PIB. Em alguns países, o valor varia de 35 a 45%. (No caso da Suécia, houve um ponto que chegou a 65% e o país quase se autodestruiu como resultado).

    Fora o fato que neocon nem ao menos é considerado libertário, podem pedir estatização completa de tudo para combater os comunistas (ironicamente) que ainda assim não estarão manchando e nem corrompendo o nome do libertarianismo. Mas left libs que adoram ajudar essas pautas de esquerda são considerados libertários e ainda apoiam tais movimentos sociais esquerdistas em nome da liberdade que existe no libertarianismo. Esse tipo de gente precisa ser hostilizado no meio libertário assim como são hostilizados os neocons, socialistas e keynisianos. Mas o pior é que suspeito, tendo como base as redes sociais, que esse tipo de gente seja maioria entre os libertários do Bostil.
  • anônimo  16/06/2016 17:11
    "Sinceramente, já encheu o saco este papinho de neocons de "libertários são idiotas úteis da esquerda"."

    São Paulo, nem perca tempo os caras nem entenderam o que é libertarianismo e estão falando baboseira.

    Mas deixa eu relembrar...rs

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1864

    Um libertario não é contra ou a favor de nada. Libertario só é a favor da propriedade privada.

    Só isso.

    Vc é a favor de algo, ok que seja na sua propriedade.

    Vc é contra algo,ok que seja na sua propriedade.

    Simples...rs

    Ai vem um neocon falando que o mundo precisa de religião, ou seja, o cara vem com um argumento utilitarista, bem coisa de esquerdinha...rs


    https://www.youtube.com/watch?v=Wn3_DdAGURg



  • Thiago  16/06/2016 18:01
    Esse artigo e o vídeo do Fraga resumem muito bem o que libertários devem fazer nessa questão específica de casamento e contrato.

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=881

    https://www.youtube.com/watch?v=-iglxdtA8Lo

    Os ativistas LGBTs, que os left-libs apoiam, ferraram com os gays intrometendo o Estado na relação deles. Duplicaram o poder do Estado só nessa brincadeira. Libertários devem ser a favor de casamentos privados, não de legalizar qualquer tipo de casamento.

    Pior que isso, só os mais novos iluminados left-libs que estão apoiando a Esquerda a ferrar também com os solteiros dando suporte a mais uma nova moda esquerdista onde qualquer coisa é estupro ou assédio e você pode ser preso, ficar X metros longe de determinadas pessoas ou pagar multa pesada com uma simples denúncia sem provas.
    Tudo isso, lógico, para garantir a "liberdade", os "direitos iguais" e a "segurança" das mulheres.
  • saoPaulo  16/06/2016 18:28
    Exatamente!!!!!!!!!
    Se o Estado não interferisse no casamento, gays poderiam se casar, grupos poderiam não reconhecer a união e outros poderiam reconhecê-la.
    Mas o que a direita faz? Querem manter o controle estatal justamente para obrigar que ninguém reconheça casamentos gay. E enquanto for assim, pessoas que acharem isto injusto tenderão para o lado esquerdista. Muito mais produtivo seria a direita parar de se preocupar com os orifícios anais de adultos, e aceitasse logo o bendito casamento homoafetivo. Seria uma bandeira a menos para legitimar o discurso esquerdista.
    Lembrando que sou a favor de casamentos privados.
  • Thiago  16/06/2016 18:53
    saoPaulo, um erro não justifica o outro.

    Deve-se lutar para a privatização de casamentos, não para legalizar o casamento gay.
    Agora, graças ao apoio dos left-libs, o Estado pode regulamentar TAMBÉM a relação civil de dois gays.
    A propósito, eu sinceramente não sei porque isso AINDA é discutido, sendo que já é legalizado desde 2013 aqui.

    Gaste seu tempo agora apoiando a nova defesa das mulheres contra a "cultura do estupro". Afinal, o Estado é para garantir a liberdade, a tolerância e os direitos iguais, não é mesmo?
  • saoPaulo  16/06/2016 23:20
    E onde foi que escrevi que acredito em "cultura do estupro". Prove que apóio isto!
    Está vendo? Este é o problema! Não pode-se concordar com a esquerda nem mesmo quando ela tem razão (muitas vezes pelos motivos errados, sempre defendendo os métodos errados) que já vão logo chamando de idiota útil da esquerda e querendo nos colocar no pacote esquerdista inteiro.
  • anônimo  16/06/2016 20:16
    'São Paulo, nem perca tempo os caras nem entenderam o que é libertarianismo e estão falando baboseira.

    Mas deixa eu relembrar...rs'


    Cara como vcs são burros, quantas vezes precisa falar que NINGUÉM disse que left libs querem proibir algo?
    Vcs são idiotas úteis sim, por lutar pelas mesmas bandeiras que a esquerda acha lindo e que só podem ser 'corrigidas' pelo governo.

    Um libertario não é contra ou a favor de nada. Libertario só é a favor da propriedade privada.

    Nossa Einstein, essa é uma grande novidade. E ainda não muda nada o fato de que dentro do escopo da liberdade vcs estão dando corda pra ideologia asquerosa da esquerda.

    É como o Hoppe diz, 'left libs são O VIAGRA do poder do estado.'
    Aí vem o palerma dizer que left libs não querem proibir nada nem são o estado...ora bolas todo mundo sabe disso, eles NÃO são o estado, eles DÃO CORDA pra pautas esquerdistas que só podem ser resolvidas pela ação do estado.


  • saoPaulo  16/06/2016 23:25
    Pois bem, então ficamos assim.
    Eu sou um idiota útil da esquerda.
    E você é um idiota útil da direita.
    Eu sou a favor da liberalização das drogas, uma bandeira defendida por esquerdistas. E você?
  • anônimo  17/06/2016 03:39
    Não ficamos assim coisa nenhuma, idiota útil é exclusividade da esquerda, putz cara vc não estudou nem o básico.
  • Thiago  17/06/2016 15:10
    Não é exclusividade da Esquerda, mas sem dúvida são os que mais são.
  • anônimo  18/06/2016 12:23
    É exclusividade da esquerda sim, vcs que estão confundindo tudo misturando conservas e neocons com libertários de direita.
    Libertário de direita é idiota útil? Então o Hoppe é idiota útil? Deixem de falar merda.
  • anônimo  16/06/2016 17:15
    Left-libs não são ativistas, left-libs são os que usam a maquina publica para alcançar seus fins...

    A mesma coisa são os conservadores libertarios.

    Eles podem se contra qualquer coisa, o problema é usar o estado para implantar sua agenda.

    Ambos são escórias socialistas.
  • Pobre Paulista  16/06/2016 18:40
    S
    O
    C
    O
    R
    R
    O
    !
    !
    !
  • Lel  19/06/2016 17:47
    Left-libs são a escória completa. São progressistas totalitários.

    Nem neocons fanáticos a favor de guerras atrás de guerras são tão desastrosos quanto left-libs.

    Entre naquele lixo de grupo Liberalismo e veja as palhaçadas que eles apoiam. Há um número considerável de "libertários" que preferiam o Sanders (!) do que o Trump.

    Left-libs são um câncer que estão destruindo o Libertarianismo de dentro pra fora.
  • Pessimista  12/06/2016 16:18
    "É compreensível que o cidadão comum, após décadas de ditadura do politicamente correto, sinta uma grande atração por Trump e suas tiradas anti-PC"

    Verdade, eu mesmo me senti atraído pelo Trump diversas vezes, e justamente por ele ter dado um foda-se a cartilha do politicamente correto. Mas logo que a minha razão retorna eu o desprezo.
  • Amônino  16/06/2016 19:52
    O utopismo francês dá o que falar até hoje:

    Vencida a utopia de que igualdade universal é possível, passamos agora à utopia da liberdade universal. Creio que essa não chegará a percorrer século, mas não posso esperar pelas ideologias de fraternidade universal...
  • anônimo  13/07/2016 10:32
    Joel Pinheiro é uma besta.
    Num momento como esse, onde qualquer idiota sabe que a educação brasileira é cheia de doutrinação esquerdista o cara vem com isso:
    https://www.youtube.com/watch?v=zPSpAgwxCwg
    Patético.
  • anônimo  13/07/2016 10:40
    Ainda sobre o 'escola sem partido', no meio de tanta bobagem pseudo libertária o animal chega a comentar que o estado é a autoridade 'legítima' pra resolve conflitos.
    Left libs são lixo.
  • saoPaulo  13/07/2016 22:01
    Vídeo longo e um tanto chato.
    Talvez eu tenha dormido, mas não vi a parte onde ele comenta que o estado é a autoridade 'legítima' pra resolve conflitos.
    No mais, apenas me passou pela cabeça aquela frase de Bastiat:
    Entre um bom e um mau economista existe uma diferença: um se detém no efeito que se vê; o outro leva em conta tanto o efeito que se vê quanto aqueles que se devem prever.
    Quem julgará os casos de doutrinação? Quem fará as denúncias anônimas?
    Dependendo destes fatores, poderemos ter mais casos de professores punidos por defenderem a "doutrina neo-liberal" do que professores punidos por realmente doutrinarem Marx. Espero estar errado, mas vejo um risco de essa lei ser um belo de um tiro pela culatra.
  • anônimo  14/07/2016 00:36
    A escola sem partido é uma idiotice sem tamanho. Liberais e conservas chorando para o governo fiscalizar o que ensinam na escola.

    A unica maneira correta de acabar com a doutrinação esquerdista nas escola é liberalizando o setor educacional, cada escola ensina o que quer e os pais decidem o que acham melhor para o filho.
  • anônimo  14/07/2016 05:54
    Ô sua anta, se nem tirar a doutrinação esquerdista ninguém consegue como é que vai liberalizar tudo, que é um passo muito maior?
    Privatizar todas as escolas públicas, isso é impossível no brasil de hoje.Só um demente pra considerar essa possibilidade.
    Tô começando a achar que conservas estão certos, vcs são sim idiotas úteis.Uma variedade diferente mas ainda sim idiotas úteis.
  • Contra o escola sem partido  14/07/2016 15:29
    O escola sem partido não irá acabar com doutrinação nenhuma. Vocês são uma vergonha, estão chorando para o governo regular ainda mais o ensino, na crença ingênua de que basta uma lei e nenhum professor vai mais ensinar de acordo com suas convicções ideológicas (se é que é possível ensinar história, geografia e sociologia sem nenhum tipo de doutrinação).

    Além do mais, vocês estão querendo violar a liberdade de alguém ensinar o que bem entender e da maneira que quiser.

    Pode chorar e gritar, mas a única maneira eficiente e ética de acabar com esse problema é liberalizando o setor, se isso será possível politicamente é outros quinhentos.
  • anônimo  14/07/2016 20:00
    'O escola sem partido não irá acabar com doutrinação nenhuma. '
    Do mesmo jeito que acabar com a CPMF não vai levar ao anarco capitalismo, pela sua lógica brilhante a CPMF tem que ficar lá, do jeito que está.

    'Vocês são uma vergonha, estão chorando para o governo regular ainda mais '
    Não seu analfabeto funcional, a idéia é justamente TIRAR a influência esquerdista da coisa.Se o meio que existe pra fazer isso é pelo governo, então que seja, melhor do que nada.

    'na crença ingênua de que basta uma lei e nenhum professor vai mais ensinar de acordo com suas convicções '
    Falácia do espantalho.

    Pode chorar e gritar, mas a única maneira eficiente e ética de acabar com esse problema é liberalizando o setor, se isso será possível politicamente é outros quinhentos.'
    E como vc sabe disso, mãe dinah? É por isso que não dá pra levar ancaps a sério, o raciocínio deles é movido à whishfull thinking o tempo todo.
  • anônimo  14/07/2016 21:08
    "Do mesmo jeito que acabar com a CPMF não vai levar ao anarco capitalismo, pela sua lógica brilhante a CPMF tem que ficar lá, do jeito que está."

    Só na sua cabeça oca essa foi a minha lógica.

    O projeto é uma imbecilidade porque não tem como funcionar na prática, além de ser ridículo o fato de vocês pedirem ao governo para regular o que sai da boca dos professores.


    "Não seu analfabeto funcional, a idéia é justamente TIRAR a influência esquerdista da coisa.Se o meio que existe pra fazer isso é pelo governo, então que seja, melhor do que nada."

    Não o que cabeça oca? você acabou de confirmar minha frase: "estão chorando para o governo"
  • anônimo  15/07/2016 09:39
    'além de ser ridículo o fato de vocês pedirem ao governo para regular o que sai da boca dos professores.'

    Se vcs não vivessem no mundo da lua notariam que já é isso que acontece.
  • anônimo  15/07/2016 11:28
    'Além do mais, vocês estão querendo violar a liberdade de alguém ensinar o que bem entender e da maneira que quiser.'

    O trabalho de um professor de escola pública não tem NADA a ver com a 'liberdade de alguém de ensinar o que bem entender', o que ele ensina não é uma coisa que ele tira das coxas, é um conteúdo planejado, pensado pra ser conveniente pra esquerda.
    Fora que ele é pago com impostos ou seja, roubo.Isso não tem nada a ver com 'liberdade de ensinar' nada.
    Aí vem o sem noção metido à intelectual e fala 'ah, mas é impossível ensinar os conteúdos de humanas sem algum viés ideológico'
    E por isso vamos deixar o esquerdismo correr solto né gênio? Putz,isso é coisa de moleques.Mesmo que seja verdade que alguma ideologia vai estar lá, é claro que o objetivo vai ser coibir quando a doutrinação é gritante, escancarada, da forma como é hoje.Hoje em dia só falta eles falarem que o CHE é a segunda vinda de Cristo, é isso que vai ser coibido.
    Pode não ser tudo mas já é um passo, agora por causa de moleques mimados que querem oito ou oitenta vamos ficar com um passo à menos no combate à hegemonia da esquerda em tudo.Parabéns idiotas.
    É por causa de coisas como essa que conservas até tem um fundo de verdade quando falam que liberteens são idiotas úteis.
  • Amônino  15/07/2016 13:59
    Em salas de aula superlotadas e desestruturadas, os professores suam sangue para tentar (e não conseguir) ensinar transitividade verbal.

    A ideia de que seja possível implantar uma cartilha ideológica consistente e ampla nesse ambiente é até possível, mas bem pouco provável.
  • Gabriel  15/07/2016 16:14
    ''A ideia de que seja possível implantar uma cartilha ideológica consistente e ampla nesse ambiente é até possível, mas bem pouco provável.''

    Pouco provável?



    Note aos 2:23, a professora chega para dançar com os alunos ''empoderados''.
  • outro anônimo  15/07/2016 17:36
    O vídeo é revoltante, mas sinceramente o que pode ser feito? Chorar para o governo punir aquela professora? realmente alguém acredita nessa hipótese?

    Muitos deixam de ser esquerdistas naturalmente ao crescerem, outros simplesmentes insistem porque querem acreditar naquilo e sobre isso pouco há o que fazer. Cabe a portais como esse continuarem divulgando ideias opostas e trazendo pessoas que se interessam para o liberalismo, mas nada além disso é possível.

    Seria ideal se houvesse liberdade no currículo escolar e assim os pais como eu não deixariam seu filho em uma escola dessa, mas sabemos que isso não é uma opção política.
  • Da bilhao?  14/07/2016 19:49
    "se nem tirar a doutrinação esquerdista ninguém consegue como é que vai liberalizar tudo, que é um passo muito maior?"

    Acho mais fácil liberalizar a educação do que um dia o setor acadêmico simpatizar com a direita.

    Ao menos eu vejo uma pequena (ainda bem pequena) luz com o desenvolvimento da tecnologia, da internet e de novos meios de aprender e ensinar (tal como a academy khan).
  • anônimo  15/07/2016 12:50
    'Acho mais fácil liberalizar a educação do que um dia o setor acadêmico simpatizar com a direita.'

    E alguém falou em simpatizar com a direita?
    Cara, parece que vcs vivem no mundo da lua, pelo amor de Deus...qualquer idiota sabe que toda sala de aula é esquerdismo puro, QUALQUER coisa contra isso é importantíssimo e tem que ser apoiado.
    Tá vendo, é por isso que a esquerda sempre vence, o pessoal do lado de lá é MUITO mais inteligente que certos liberteens, eles sabem que até as bandeiras que não vão atingir 100% do objetivo tem alguma utilidade.
  • Edujatahy  15/07/2016 13:27
    Muito mais importante do que querer discutir quem "controla" a grade curricular é descentraliza-la. Se não é possível a privatização das escola, então que estas sejam descentralizadas. Que passe a ser decisão soberana de cada escola de cada município o que quer e irá ensinar. Em suma, tirar o poder do MEC de decidir tudo.

    Já no relativo às universidades públicas. Estás é indiscutível. Tem que privatizar. Universidades públicas são o grande centro de formação de estatistas, e não tem medida que mude isso.
  • anônimo  15/07/2016 21:05
    Desenhando: quando a esquerda tem um PSOL ou meia dúzia de otários black block da vida lutando por alguma causa absurda tipo, 100% de cotas pra negros em qualquer merda lá, eles sabem que isso é impossível, sabem que é absurdo mas deixam mesmo assim.
    Eles deixam pq no final das contas mesmo aquela pauta absurda, que não vai chegar nunca no objetivo que ela quer, vai ter um certo impacto que vai fazer algum otário pensar 'então tá, não vamos dar 100% mas vamos dar uns 40% pra ver se eles se calam'.
    E é assim que eles vão vencendo.
    Já do lado de cá é ridículo, nego não tem a menor noção de estratégia, quando alguém pede uma causa o desgraçado pensa 'noossa, isso é impossível, isso não vai funcionar, nunca vai atingir todos os objetivos que pretende então não apóio'
    E aí o resultado é que do lado de cá nada sai do canto.

    Resumindo: vcs parecem uns moleques mimados querendo oito ou oitenta.Parecem com os olavetes reclamando do impeachment da vilma.
    Cresçam.Ou então parem de atrapalhar.
  • anônimo  16/07/2016 04:07
    https://lucianoayan.com/2016/07/14/exoneracao-de-adolfo-sachsida-implode-crenca-no-debate-com-a-extrema-esquerda/
  • Pobre Paulista  14/07/2016 02:09
    Resposta ao Amonino 14/07/2016 01:50:20

    "Mas o pacifismo não é um valor libertário? PNA?"

    PNA na verdade é PNIA - Princípio da Não Iniciação de Agressão. O PNA admite uma agressão como legítima defesa ou revide - falando de maneira genérica, admite violência em contextos justificáveis.

    Já o pacifismo puro e simples não admite agressão nem sequer em contextos justificáveis.
  • Amônino   14/07/2016 14:52
    A filosofia do pacifismo é idêntica à do PNA.

    As diferenças começam a aparecer na aplicação política do pacifismo, bem como se espera que seja com a aplicação do PNA.

    Quando vc se refere à "pacifismo puro", creio que esteja se referindo à alguma corrente política da filosofia.
  • Marcos  14/07/2016 14:59
    Nada a ver pacifismo com PNA.

    O PNA (Princípio da Não-Agressão) diz que nenhum inocente deve ser agredido. No entanto, o PNA deixa claro que, a partir do momento em que o inocente é agredido, o agressor perde todos os seus direitos e, consequentemente, está liberado para ser agredido de volta.

    Já o pacifismo diz que, se um inocente for agredido, ele deve ficar quieto e apanhar ainda mais, sem oferecer qualquer resistência.

    Isso é ideologia de masoquista.
  • Amônino   14/07/2016 15:13
    A filosofia pacifista se apoia na afirmação:

    "Não se alcança um objetivo justo através de meios injustos."

    Isso inclui a defesa contra a violência como um objetivo justo e, portanto, portanto justa a defesa violenta.

    Contudo, enfatiza que a violência deve ser sempre a última opção, precedida de negociação e transigência.

    Bastante condizente com uma interpretação não beligerante do PNA.

    Tenham em mente que a beligerância geralmente enseja as "medidas preventivas" que o estatismo sempre está disposto a oferecer.
  • pobretano  29/07/2016 14:22
    Na realidade não. O pacifismo não está necessariamente atrelado à total inércia não-violenta. MESMO porque "violência" não é uma palavra equivalente à "crime".

    O que um pacifista advogaria (pode haver divergências, é claro) é a reação violenta como último recurso, mesmo como justa resposta a uma agressão. Por exemplo: ainda que todo assassinato mereça ser punido com a morte, um pacifista poderia não aplicá-la em todos os casos (isto poderia estar escrito em uma carta-testamento).

  • Josias Sobrinho  19/07/2016 17:00
    DIFERENÇAS ENTRE ESQUERDA E DIREITA
    Esquerda:
    Esse modelo de controle dos meios de produção e da massa trabalhadora tem origem no nazifascismo e no comunismo de Lenin.
    Aliás, o modelo trabalhista brasileiro é cópia da Carta del Lavoro do Fascismo italiano, mesmo modelo copiado pelo Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores (partido nazista). E já era implementado por Lenin (comunismo soviético).
    O controle estatal é tipo dos modelos de extrema esquerda tais como o Comunismo, Nazismo, Fascismo tendo como doutrinas:
    * Totalitarismo (tudo pelo estado, nada contra o estado, nada fora do estado);
    * Sindicato único estatal (contribuição compulsória descontado do salário);
    * Controle dos meios de produção;
    * Controle da massa trabalhista;
    * Fascismo (Corporativismo, burocratização). Controle sobre profissões através de sindicatos e entidades de classes, isto é, mesmo diplomado, capacitado, habilitado, por mais competente que você seja, não pode exercer profissão sem pagar a "contribuição". Pagando o carnezinho, você tem licença para matar, derrubar prédios e pontes, cair com avião. Entidades corporativistas: CUT, CGT, UNE, UBES, OAB, CREA;
    * Retenção do salário (Brasil retém 52% do custo da mão-de-obra em forma de encargos. Apenas uma pequena parcela retorna aos cidadãos em forma de migalhas de serviços públicos);

    ... dentre outros modos de concentração de Poder.


    Direita:

    * Livre iniciativa;
    * Não intervenção;
    * Meritocracia;
    * Estado mínimo, isto é, o governo fornece apenas os serviços essenciais.
    No capitalismo:
    Empreendedor: Cocê é livre para abrir o próprio negócio, virar patrão, desde costureira, serralheiro, fazendeiro até o magnata, sem burocracia, sem taxas, sem associação.
    Ao empregado: Você é livre para negociar quantas horas quer trabalhar, ou se quer ganhar por produtividade ao invés de por horas, sem limite máximo mínimo semanal.
    No capitalismo, uma vez formado, capacitado e habilitado, você não é obrigado a se associar. Não tem que pagar o carnezinho do sindicato, OAB, CREA, UNE, entidades de classe e sindicatos em geral, nem é obrigado a se filiar como ocorre no Brasil.
    Você escolhe o plano de saúde e seguridade. Inclusive o estatal SE QUISER;
    Não há retenção de salário, isto é, você recebe na íntegra. (no Brasil, 52% do custo da mão-de-obra são confiscado)
    Não há poupança compulsória (no Brasil, o FGTS, além de "pagar" juros negativos, o governo NÃO paga aluguel pelo uso do bem alheio.
    Não há sindicato estatal, nem contribuição compulsória. Descontos em folha NÃO são permitidos.
    Trabalho e jornadas flexíveis. Você escolhe, em comum acordo com o empregador, se quer ganhar por hora ou por produção e quanta horas quer trabalhar, conforme a disponibilidade de tempo. Sem limite imposto pelos sindicatos.
    Não existe paternalismo (que é "fazer o bem" extorquindo o dinheiro alheio, mas roubando boa parte).
    Não existe assistencialismo, isto é, se você é um cidadão capacitado, se não paga impostos também não recebe (ao contrário do Brasil, onde os ambulantes sonegam impostos, contrabandeiam, não contribui e usam os serviços públicos sem pagar).





  • 100%  19/07/2016 17:54
    Estando correta essa sua classificação, a Ditadura Militar no Brasil foi um governo de esquerda.

  • Marcelo Vasconcelos  19/07/2016 19:32
    100%


    A ditadura militar realmente foi um governo de esquerda. Assim como todos os outros que tivemos, infelizmente.

    Nosso país ainda não teve um governo liberal, na verdade sequer chegou próximo disso.
  • Direitista  19/07/2016 20:26
    O regime militar foi um governo de esquerda
  • anônimo  19/07/2016 20:43
    Isso mesmo...
  • Maurício Gomes  19/07/2016 21:23
    Desde Getúlio Vargas (nos anos 30) o Bostil somente teve governos desenvolvimentistas em maior ou menor grau, ou seja, de Esquerda ou pelo menos mais de Esquerda do que de Direita.

    Ainda bem que não moro mais aí.
  • Josias Sobrinho  19/07/2016 21:36
    Um ponto importante que eu esqueci de mencionar: O direito à propriedade.

    Na doutrina de Esquerda:
    * Extinção da propriedade privada. Não há direito à herança. Toda a propriedade e bens imóveis passam a pertencer ao estado. Neste ponto, a diferença entre o nazismo e o comunismo (que foi mais arbitrário) é que Hitler começou confiscando (roubando) os patrimônios dos judeus, depois dos territórios ocupando (da França, por exemplo, surrupiando obras de arte, vinho, queijos, etc), depois dos adversários políticos e, por fim, dos próprios cidadãos alemães que não poderia contrariar a ocupação em pró da "causa". Nos dias atuais, na nova esquerda, o confisco da propriedade privada é mais sutil, pois tramitou no Congresso quase sem oposição:
    1) Taxação da herança, que começaria em 25% dos bens herdados, aumentando gradualmente até metade do valor dos bens (50%), depois nada impediria de se chegar ao confisco total do bem.
    2) Taxação da propriedade privada, sobre o pretexto de ociosidade (falsa alegação do uso especulativo do imóvel) que seguia com no percentual anterior.

    Na doutrina de Direita:
    Propriedade privada impenhorável, inalienável, com direito a herança garantido.
  • anônimo  29/07/2016 11:33
    Vejam a última pérola desse 'libertário':

    'Se a lei passar e pegar, teremos: professor sendo processado porque citou Marx. Professor sendo processado porque ensinou evolução ("sem dar igual tratamento a teorias alternativas"). Professor sendo processado porque recomendou que alunos usassem camisinha ("a ideia de sexo antes do casamento é ofensiva"). Professor sendo processado por dizer "Deus te abençoe". Professor sendo perseguido porque falou de Mises ("sem dar igual tempo e profundidade" para Friedman, Marx, Keynes e para Colbert, mercantilista do século 17).'

    Espantalho tão sem sentido que não tem nem o que comentar.Mas essa não é a pior parte.

    'Na realidade, a doutrinação em aula existe e é um problema. Acontece que o caminho para resolver isso não é impedir os professores de se expressarem em sala e criar um clima policialesco de delação anônima e vigilância constante. É melhorar a formação dos professores, ter critérios mais transparentes na escolha de livros didáticos e'

    NÃO sr pseudo libertário, a solução não é 'formaçao' coisa nenhuma, o professor pode ser 'formado' na venezuela, em cuba ou na pqp que isso não vai ser nenhum problema, o problema é eu ser OBRIGADO a botar meu filho nessa escola.
    A única solução é privatizar a coisa toda + home school.E cadê que esse sujeito fala disso?

    Sério, não precisa muito pra ver que esse cara não é libertário coisa nenhuma.
    Como todo left lib, aliás.

  • anônimo  29/07/2016 13:59
    Ele não está totalmente errado.

    Esse projeto vai dar mais poder ao governo, o que, por si só, já é absurdo. Além disso, é ridiculo pessoas que se dizem liberais pedir para o governo regular ainda mais o setor educacional.

    Só não concordo com a solução dele (e parcialmente concordo com a sua). Pois a única solução decente é liberar o setor educacional de qualquer regulação.

  • anônimo  21/08/2016 09:58
    Então vc concorda PARCIALMENTE que a solução é privatizar? Então vc não é libertário.Qualquer coisa diferente disso significa deixar um parasita estatal decidir o que teu filho deve estudar.

    E quanto ao Joel ele é um demente, não consegue ver as consequências do que propõe, é um irresponsável que está intencionalmente ou não, ajudando a esquerda.

    (obs, não concordo com o neocon_lambe_botas_dos_EUA/Israel Luciano Ayan em tudo, mas nisso ele está certo)
    www.ceticismopolitico.com/na-questao-da-doutrinacao-escolar-negacionistas-de-direita-sao-perigosissimos-saiba-porque/
  • Zack  09/08/2016 17:18
    Em Intervencionismo, uma Análise Econômica (1940), Ludwig von Mises escreveu:

    "A terminologia usual da linguagem política é estúpida. O que é esquerda e o que é direita? Por que Hitler é de 'direita' e Stalin, seu amigo e contemporâneo, de 'esquerda'? Quem é 'reacionário' e quem é 'progressista'? Reação contra políticas pouco inteligentes não deve ser condenada. E progresso em direção ao caos não deve ser elogiado. Nada deve ser aceito apenas por ser novo, radical, e estar na moda. 'Ortodoxia' não é um mal se a doutrina em que o ortodoxo se baseia é válida. Quem é antitrabalhista, aqueles que querem rebaixar o trabalho ao nível da Rússia, ou aqueles que querem para o trabalho o padrão de vida capitalista dos Estados Unidos? Quem é 'nacionalista,' aqueles que querem colocar seu país sob os calcanhares dos Nazistas ou os que querem preservar sua independência?"
  • Veda  16/08/2016 19:08
    É verdade: "Há uma série de questões que revelam o absurdo dos termos esquerda e direita: ambientalismo, industrialização (ironicamente, defender as grandes indústrias com tarifas protecionistas e subsídios virou bandeira da esquerda), povos indígenas e tradicionais, agricultura familiar versus agronegócio, grande empresariado (beneficiado por políticas protecionistas e de subsídios, que virou uma agenda da esquerda), política externa, e muitas outras etc."
  • DeusOdeia  27/02/2017 15:12
    ""Esquerda" e "direita" descrevem, cada uma, posições autoritárias. A liberdade não possui relação horizontal com o autoritarismo. A relação do libertarianismo com o autoritarismo é vertical; está muito acima dessa podridão de homens escravizando indivíduos."

    Só queria saber quando eu terei meu direito de votar para nunca mais votar. Alguém poderia me explicar isso ?


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.