clube   |   doar   |   idiomas
“Tenho boas intenções e é isso o que conta!” - eis o mantra que restou à esquerda
Belas intenções são mais importantes que seus trágicos resultados

Se você acredita que o estado deve se aventurar em ousadas empreitadas mesmo sem ter conseguido lograr qualquer êxito naquelas atividades bem mais simples e humildes, então você é de esquerda.

A esquerda defende um estado provedor e assistencialista não por causa de seu "histórico de sucessos" (isso seria constrangedor), mas sim por causa de suas boas intenções.  "Queremos ajudar o povo!", exclamam eles. 

Para a esquerda progressista, dado que as pessoas não são decentes e compassivas o bastante para ajudar seus semelhantes que estão na aflição, a solução é eleger políticos que sejam mais decentes e compassivos do que essas pessoas egoístas.  Esses políticos, por conseguinte, irão confiscar o dinheiro dessas pessoas egoístas — sob a ameaça de aprisionamento caso haja resistência —, repassá-lo para uma custosa e ineficiente burocracia, e gastar o que sobrar com os pobres, não para realmente solucionar o problema da pobreza, mas sim para torná-lo perpétuo de maneira a criar uma dependência sem fim.  E tudo visando a ganhos políticos e demagógicos.

E então os proponentes do estado assistencialista irão se dar um tapinha autocongratulatório nas costas e, com isso, aliviar suas pesadas consciências.  Eles irão orgulhosamente bater no peito e se bendizerem por ter o monopólio da compaixão e ignorar os destrutivos resultados de sua obra, rotulando de "reacionários" ou "cruéis" aqueles que tiverem a audácia de apontar esses resultados.

Veja, por exemplo, a saúde pública.  O que logrou esse programa caritativo?  Histórias de horror oriundas da medicina socializada não inúmeras e famosas.  Doentes morrendo na fila, sem atendimento; hospitais degradados; racionamento de remédios; consultas de rotina sendo negadas e fila de espera de meses (ou mesmo anos) para cirurgias; uma taxa de mortalidade que seria inaceitável na rede privada.

Mas nada disso constrange a esquerda progressista, que segue adiante, impávida, em sua defesa por ainda mais saúde estatal para os pobres.  Jamais espere que as notícias horrendas oriundas da saúde estatal façam os progressistas repensar seu clamor por ainda mais governo na saúde. 

O mesmo se aplica ao calamitoso estado da educação pública, o qual, por mais que fracasse e por mais que atrase os pobres, segue sendo objeto de clamores cada vez mais intensos da esquerda. 

O que dizer então dos programas de transferência de renda, cujo dinheiro, em grande parte, não vai para os pobres, que ficam com as migalhas, mas sim para os próprios membros da burocracia que coordena todo o esquema, para os consultores, e para as empreiteiras que constroem as moradias populares?  Os pobres são maldosa e intencionalmente transformados em uma subclasse perpétua, dependente do governo, para que membros da burocracia e empresários ligados ao governo possam viver confortavelmente bem à custa de todo o resto da sociedade.  O estado assistencialista fez com que praticamente não haja mais uma genuína mobilidade social.  Os degraus mais baixos da escada foram retirados em nome da compaixão.

Ser um progressista significa jamais ter de pedir desculpas.  Suas boas intenções valem mais que todos os resultados efetivamente obtidos. 

Isso nos leva a uma pergunta muito mais fundamental sobre essas pessoas que defendem um estado grande: como funciona seu processo de raciocínio?  Ele é tão repleto de inconsistências, falácias lógicas e noções duvidosas, que o resto de nós fica completamente sem entender como funciona a mente dessas pessoas.  Premissas falhas, ilógicas ou contraditórias talvez possam ser a razão por que elas frequentemente chegam a conclusões erradas.

Ao longo dos anos, observei alguns atributos da mentalidade progressista que são, na melhor das hipóteses, bem questionáveis.  Eis uma pequena lista de como essas pessoas agem e raciocinam:

1. Elas passam mais tempo promovendo a dependência do que encorajando a autossuficiência.

2. Mentiras e promessas impossíveis não lhe causam constrangimento, pois elas acreditam que os fins justificam quaisquer meios.

3. Elas acreditam que promessas valem muito mais do que resultados efetivos.

4. Elas aglomeram e separam as pessoas em grupos e lhes atribuem direitos fictícios de acordo com as características físicas e comportamentais desses grupos.

5. Elas não aprenderam nada com a história e nada sabem de economia.

6. Elas acreditam que afetações de emoção, frases de efeito, slogans e gritos de guerra superam a razão e a lógica.

7. "Justiça social" é sua expressão favorita, ainda que essa "justiça" seja conseguida por meio da expropriação da renda alheia.

8. Elas exigem respeito à propriedade apenas quando a propriedade é delas, mas não quando é sua.

9. Elas preferem lhe calar a entrar em um debate sério.

10. O indivíduo nunca é a minoria que elas dizem defender.

11. Quando alguém que discorda de suas idéias ganha alguma proeminência na mídia, elas gritam que está havendo uma "onda fascista".

12. Elas acreditam que um benefício social é um direito inalienável, mas um salário obtido por meio do esforço próprio é algo que pode ser confiscado para satisfazer o bem comum.

13. Quando suas políticas fracassam, elas não apenas não assumem nenhuma responsabilidade por elas, como ainda exigem mais do mesmo.

14. Elas estão sempre ocupadas tentando controlar a sua vida, mesmo quando a própria vida delas é totalmente problemática.

15. Elas alegam conhecer o futuro (por exemplo, qual indústria deve ser protegida ou subsidiada) ao mesmo tempo em que não demonstram nenhuma evidência de que conhecem o passado.

16. Elas desgostam da iniciativa privada não por ter sólidos argumentos contra ela, mas sim porque não têm a mais mínima ideia de como abrir uma empresa ou gerenciar uma.

17. Elas criticam indivíduos e empresas por não pagarem mais impostos, mas elas próprias jamais fazem qualquer "doação voluntária" para o governo.

18. Elas estão mal-humoradas e zangadas a maior parte do tempo, encontram motivos para se fazer de vítima a qualquer palavra proferida, não têm nenhum senso de humor, e não levam na esportiva nenhum tipo de piada politicamente incorreta.

19. Elas alcançaram a perfeição na arte do jogo duplo: ao mesmo tempo em que criticam tudo nos outros, se isentam de qualquer auto-crítica.

20. Elas apelam ao que há de pior em nós ao enfatizar as divisões raciais, ao estimular a guerra de classes, ao utilizar orientações sexuais como ferramentas políticas, e ao comprar votos com o dinheiro dos outros.

21. Elas têm um nível muito alto de expectativas e exigências em relação ao setor privado e um nível muito baixo em relação ao setor público.

Em seu livro A Arte da Guerra, Sun Tzu aconselhou: "Conheça o seu inimigo, conheça a si próprio, e você estará preparado para travar centenas de batalhas sem sofrer nenhum desastre".  Pode ser verdade.  Mas o que é garantido é que, quanto mais você se dedica a estudar a mentalidade revolucionária dos progressistas amantes do governo, mais difícil é realmente entendê-los.

Apenas ter "boas intenções", como os progressistas juram ter, não basta.  Coisas como razão, lógica, princípios morais, evidências, resultados, história, experiência, realidade e fatos são igualmente importantes.


15 votos

autor

Lawrence W. Reed

  • FL  18/04/2016 14:52
    Esse terceiro parágrafo:

    "Para a esquerda progressista, dado que as pessoas não são decentes e compassivas o bastante para ajudar seus semelhantes que estão na aflição, a solução é eleger políticos que sejam mais decentes e compassivos do que essas pessoas egoístas. Esses políticos, por conseguinte, irão confiscar o dinheiro dessas pessoas egoístas — sob a ameaça de aprisionamento caso haja resistência —, repassá-lo para uma custosa e ineficiente burocracia, e gastar o que sobrar com os pobres, não para realmente solucionar o problema da pobreza, mas sim para torná-lo perpétuo de maneira a criar uma dependência sem fim. E tudo visando a ganhos políticos e demagógicos."

    é a melhor definição que eu já li sobre como os esquerdistas (aqueles que todos conhecemos) se enxergam
  • Anderson d'Almeida  18/04/2016 15:52
    Pois é.

    É o velho pão e circo, só que revestido de ideologia.
  • Eduardo  30/10/2016 15:58
    Exato Anderson... só que o diferencial é que hoje existe a tecnologia, a internet para incrementar o espetáculo tosco e pueril e alcançar uma plateia maior.
  • Mohamed Attcka Todomundo  19/04/2016 14:56
    é a melhor definiçao q ja vi p/ "socialista", pouco importa se de "esquerda liberal" "esquerda progressista" "direita conservadora" "direita progressista" "direita cristã" "direita ateia" etc. notem q se vc trocar no texto "esquerda progressista" por "direita conservadora" basta depois trocar os esquemas subsidiados e o texto conserva o mesmo sentido. troque "compaichao pelos pobres" por "defesa nacional", "saúde pública" por "política externa agressiva", e por aí vai. tanto faz o rotulo ["esquerda liberal" "esquerda progressista" "direita conservadora" "direita progressista" "direita cristã" "direita ateia"]; o socialismo tem alas a eskerda direita, centro, em cima, em baixo, dentro, fora, a frente, e no final das contas, por trás (pq o nosso tá sempre na reta)
  • Mais Mises...  20/04/2016 18:42
    Foi exatamente isso que respondi para uma colega de trabalho hoje de manhã via aplicativo de celular. Ela defendendo toda a sorte de bolsas e esmolas estatais, chamando-nos de egoístas e outras diversas afetações emotivas sórdidas para os que não concordam com a sua 'genial' ideia.

    Uma pena que não havia pensado em algo como nessa frase do texto "Elas acreditam que um benefício social é um direito inalienável, mas um salário obtido por meio do esforço próprio é algo que pode ser confiscado para satisfazer o bem comum." Fantástico isso! Seria bem bacana pra encerrar meu papo com ela. rsrsrs
  • Diego Reinaldo Tavares   18/04/2016 15:25
    Uma dúvida: Seria verdadeiro dizer que a esquerda nasce das cadeiras de ciências sociais das universidades?
  • Gabriel  18/04/2016 15:28
    Já que ciências sociais é aplicada em todos os cursos de humanas, especialmente em universidades públicas, todos estes cursos se tornam esquerdistas gramscista. A pior parte é estudar Karl Marx em economia, já que em qualquer lugar sério do mundo ele é apenas um filósofo.
  • Halysson  19/04/2016 15:08
    Errou feio errou Ruim errou Rude.

    A teoria marxista é uma das mais Relevantes do pensamento econômico. Pode ser contestável, perigosa e falha.

    Mas é muito importante. E tão ou mais presente que a própria escola austríaca na academia.
  • Ex-universitário  20/04/2016 05:46
    "E tão ou mais presente que a própria escola austríaca na academia."

    Aí quem errou feio foi você. Me formei em Economia recentemente (2013) e posso te garantir que mesmo depois de 5 anos na USP eu nunca nem sequer ouvi a mínima menção à Escola Austríaca, nem mesmo nas cadeiras de Pensamento Econômico. Enquanto isso Marx aparece em diversas matérias e há inclusive um curso (que costumava ser dado pela Leda Paulani) que é basicamente seguir lendo capítulo a capítulo "O Capital". E isso que foi na USP, que chama a atenção justamente por ter um dos cursos de Economia mais plurais e menos alinhados à esquerda dentre as universidades públicas. Pude acompanhar diversos colegas em outras universidades como Unicamp, Unesp e Unifesp e fica visível como o Marxismo é muito mais presente, aparecendo até mesmo em matérias como Macroeconomia e Microeconomia. E esses amigos mesmos depois de formados continuam sem nem saber quem foram figuras como Hayek, Mises, etc., nunca nem sequer ouviram falar.

    Existe um abismo imenso e quase intransponível no tratamento dado às duas escolas na academia brasileira.
  • Halysson  20/04/2016 15:16
    Você tem razão. No Brasil, Marx é muito presente e a escola austríaca um bibelô exótico que fica escondido ali no cantinho, infelizmente.

    Mas eu me referi ao pensamento econômico dentro da Ciência Econômica NO MUNDO. Na Europa e EUA, as proporções são diferentes, mas Marx tem seu espaço lá fora também (américa latina, França e Alemanha principalmente.)

    Afirmar que o Marxismo é considerado doutrina econômica apenas por aqui, e filosofia no resto do mundo, é uma declaração que certamente não pertence a alguém que estudou economia. Como você e eu.
  • WDA  31/10/2016 12:55
    Ele não errou feio não. Você que não entendeu o que ele disse. O Marxismo tem vários viéses, mas como corrente econômica, ela não é muito levada a sério em lugar quase nenhum. Afinal, é difícil negar os fracassos da experiência histórica do Marxismo.

    Aliás, o Marxismo é mesmo IMPOSSÍVEL, porque no âmbito econômico (e em várias outras áreas, por sinal) suas idéias são auto-contraditórias, não podendo ser aplicadas eficazmente no campo da realidade, portanto.

    O Marxismo teve várias "atualizações" em diferentes áreas e dificilmente um autodenomidado Marxista, progressista, socialista ou afins, defende o Marxismo ortodoxo. Em geral, eles procuram racionalizações e justificações esfarrapadas para defenderem Marx com idéias diferentes das originais, ou simplesmente deturpando-as e atribuindo a Marx coisas que não são de sua lavra.

    E de fato, sejam as idéias de Marx defendidas em algum lugar do primeiro mundo ou do terceiro, onde e quem as estiver defendendo não pode mesmo ser tratado como sério.
  • Newton  18/04/2016 15:29
    Certamente conseguem arrebanhar um contingente qualificado pra argumentar em defesa dos desqualificados.
  • Robson Luiz  18/04/2016 15:26
    Confundir para conquistar. Eis a tática. Afinal, se nós não conhecemos o inimigo, como poderemos derrotá-lo?
  • Capital imoral  18/04/2016 15:27
    Doentes morrendo na fila, sem atendimento; hospitais degradados;racionamento de remédios; consultas de rotina sendo negadas e fila de espera de meses (ou mesmo anos) para cirurgias; uma taxa de mortalidade que seria inaceitável na rede privada.
    -----------------------------------
    Vou dar um choque de realidade, sobre o que o capitalismo faz com os pobres. Quem sabe assim vocês deixem de ser libertários e venham para o lado socialista. O texto a seguir faz parte do livro chamado: Por um Fio, escrito por Drauzio Varella.
    ----------------------------------
    Estagiei no pronto-socorro de pediatria do hospital das clínicas, na época um dos poucos centros especializados nesse tipo de atendimento na cidade.

    O movimento era absurdo; as vezes não havia outro jeito senão acomodar dois bebês numa cama só. A maioria vinha com diarreia e desidratação; outros sofriam de infecções respiratórias, conqueluche, complicações de sarampo, meningite e até paralisia infantil. Com trinta, quarenta crianças internadas num mesmo espaço, a choradeira não dava trégua; nos horários de pico, quando cismavam de esgoelar-se em coro, era necessário muito equilíbrio psicológico para resistir ao ímpeto de fugir daquele inferno.

    A figura das mulheres dia e noite ao lado dos filhos era comovente, estavam sempre a afagar-lhes a cabeça, oferecer-lhes o peito, pegá-los no colo niná-los quando se desesperavam. Se por alguma razão eram obrigadas a se afastar, as avós ou as tias das crianças vinham substitui-las; homem a cuidar do filho era ave rara.

    Na década de 60, as brasileiras tinham em média cinco ou seis filhos. Criança pequena morrer era acontecimento tão frequente que, ao tirarmos a história, a primeira pergunta era quantos filhos haviam dado à luz e a segunda, quantos deles permaneciam vivos. Os serviços de saúde da cidade não estavam preparados para assistir à massa de imigrantes nordestinos que chegavam à periferia, criando vilas e bairros populosos.

    Os doentes, envoltos em múltiplas camadas de fraldas e em xales baratos, vinham frebris, de olhos encovados, com história de diarreia instalada havia muitos dias, consequência do saneamento básico precário, da falta de higiene ao manipula-los e de esclarecimento aos paias para trazê-los logo no inicio da doenças. Como ainda não existia unidades de terapia intensiva, os que corriam risco de vida dividiam o espaço com os demais.

    Raros os plantões em que não perdíamos duas ou três crianças; as vezes morriam cinco ou seis. Eram tantas que no caminho para casa ficava difícil lembrar do rosto de todas. Paravam de respirar ao lado das mães resignadas. Era comum estarmos entretidos com um doente em estado grave e outro morrer no berço vizinho, sem que nos déssemos conta.

    O choro da mãe que perdia o filho contagiava as outras ao redor. Então se calavam, e sobrevinha um silêncio que durava horas.

    Deixava os plantões arrasado, revoltado com a ordem econômica responsável por tamanha desigualdade, em dúvida se os comunistas não estariam certos ao pregar que a única saída para o pais era a revolução.
    ---------------------
    Não sou que estou dizendo, que quem mata é o capital, È O PRÒPRIO MÈDICO que está dizendo.
    até quando mataras capital? até quando.
  • Lair Ribeiro  18/04/2016 16:33
    Ué, mas um hospital das clínicas não seria, por definição, um hospital gerido por universidades estatais?

    Quer dizer então que o senhor Dráuzio Varella, após presenciar em primeira mão os horrores da medicina estatal, ficou "revoltado com a ordem econômica responsável por tamanha desigualdade, em dúvida se os comunistas não estariam certos ao pregar que a única saída para o país era a revolução"?

    Difícil um exemplo mais premente de dissonância cognitiva do que a deste senhor. Testemunha os horrores da medicina estatal, e conclui que a solução é ainda mais estatização da medicina. Um jumento.

    Aliás, como confiar num médico com aquela aparência cadavérica? Imagine o Dráuzio Varella falando: "Siga meus conselhos de saúde e fique igual a mim!"

    Qualquer pessoa minimamente sensata seguiria o exato oposto dos seus conselhos.
  • Capital imoral  18/04/2016 17:10
    Pois bem vou explicar sobre o que se trata: " revoltado com a ordem econômica responsável por tamanha desigualdade. "

    traduzindo de uma forma clara, O problema não é o hospital estatal, ou a universidade publica, isso é apenas pequenos paliativos perto do monstro chamado capitalismo. esse monstro cria a desigualdade social.

    O capitalismo por essência cria desigualdade humana, o capital mata pessoas, pois o homem na busca incessante do lucro está explorando cada vez mais o pobre, em quanto existir capitalismo, existirá a falta de saneamento básico, que por consequência levará crianças a morte.

    Veja que o hospital publico, do povo, é apenas uma tentativa de reverter a consequência criada pelo capital. Por isso o estado existe, por isso hospital público existe, por isso a esquerda existe. Estamos entendidos?

    È preciso deixar claro que capitalismo mata. E mata muito. isso não é culpa do hospital público.
  • Edujatahy  18/04/2016 21:06
    O que mata muito é a a esquerda quanto assume totalmente o poder. Neste quesito são imbatíveis. Hitler, Stalin, Mao, Pol Pot são representações reais do que acontece quando se deixa socialismo/comunismo assumir o estado em absoluto.
  • Patrick  21/04/2016 09:48
    O capitalismo é responsável por gerar ricos, não pobres, já que o estado natural de todos é a pobreza.
  • Dam Herzog  30/10/2016 23:49
    O capitalismo é responsável por diminuir a pobreza no mundo desde a revolução industrial e teve o seu apice entre 1814 e 1915 principalmente nos Estados Unidos. Mas seus efeitos sobre a pobreza, já duram 200 anos. A revolução industrial impediu que os homens antes nem pudesse procriar, pois quando eles não morriam suas crias morriam. O socialismo e o comunismo sómente nos trouxe, fome, miseria, perda da dignidade, medo, sangue e morte. Não existe outra alternativa sustentavel que não seja o liberalismo onde o mercado e a propriedade privada surgem como o processo de maior produção de bens e serviços. Sem propriedade privada e mercado não existe solução, apesar de não existir um estado onde o liberalismo impere. Todas as economias ou são socialistas e atrazadas ou mistas e com pouca performance. Os EUA estão há 10 anos em recessão por causa de politicas keynesianistas e intervencionistas. Onde há mais liberdade e menos interferencia do governo existe mais progresso. Viva o mercado.
  • Eduardo  30/10/2016 15:55
    Vou lhe dizer algo que parece bem simples e tosco, mas se tiver um pouco de massa cinzenta que funcione dentro da cachola vai entender bem a fundo o que eu lhe digo, o capitalismo é algo que vc pode escolher ou não, está cheio de opções, já o socialismo não, é algo imposto sem nenhuma possibilidade de recusa, é desse jeito e só desse jeito e pronto! Simples assim....
  • Andre Dias  18/04/2016 18:27
    Drauzio sempre foi esquerdista, e para quem é martelo, tudo se parece com prego. Em outras palavras tudo, absolutamente tudo, pode ser explicado pela "desigualdade social". Se todos são iguais (axioma fundamental para eles) toda desigualdade só pode ser oriunda de exploração. E na cabeça de um socialista, enquanto a desigualdade social não for combatida (por meio do Estado máximo, é claro) a humanidade estará fadada a miséria absoluta.
  • Henrique Zucatelli  18/04/2016 21:56
    Capital imoral, tenho dados críticos para refutar sua tese:

    O orçamento da saúde de 2015 - somando federal + estados + municípios foi nada menos do que R$ 500 bilhões.

    Dividindo isso pelos 100 milhões de usuários do SUS: R$ 5.000,00 por ano, ou R$ 416,00 por mês. Um convênio com um belo valor, mas com qualidade Made In Somália.

    Se formos realmente dividir pela parcela que REALMENTE usa o SUS (idosos e crianças), não passa de 70 milhões, ou seja R$ 7.150,00 por ano ou R$ 600,00 por mês por pessoa.

    Agora volte ao seu relato: você acha que se essa grana estivesse nas mãos do povo, seja pela via ancap de cada um pagar o seu e pronto, ou pela via minarquista, que ainda permite o uso de vouchers, porém com hospitais privados, essa miséria aconteceria?

    Jamais querido, sabe por que? Porque empresas existem para dar lucros, e só dão lucros se tem clientes. E só tem clientes se atenderem bem, com preços baixos.

    Liberando o mercado e permitindo que este regule seus preços e todos concorram livremente, ou seja, grupos do mundo todo vindo para cá para competir pelo bilionário mercado da saúde, não dou 10 anos para que cada um pague nem metade disso e tenha serviços de dar inveja aos EUA.

    Espero que sente, faça as contas e reflita.
  • aluno  19/04/2016 13:47
    Henrique Zucatelli, concordo plenamente contigo com o seu exemplo, pois é isso mesmo que acontece em nosso sistema de saúde, uma perda enorme de recursos devido ao mal aproveitamento e falta de produtividade em função dá má gestão e da corrupção no sistema, e tudo isso aliado a falta de competitividade neste setor devido ao excesso de intervenção do governo. Aliás, tudo que o governo bota a mão dá merdx semelhante ao contrario ao rei midas.
    É exatamente devido a essa mentalidade exposta pelo capital imoral que temos esse capitalismo meia boca no Brasil, resulta de cobra com jacaré, e ai dá nisso que temos ai.
  • Felipe  19/04/2016 15:27
    Henrique,


    Muito bom. Estes dias eu pensei em fazer exatamente esta conta, para saber +- quanto o brasileiro desembolsa com o SUS - ajuda em discussões para mostrar que está longe de ser algo "grátis".

    Você poderia indicar qual foi a fonte do valor total de 500 bilhões?

  • Típico Universitário  18/04/2016 15:35
    Eu sou um marxista de verdade. Não acredito na divindade das minhas intenções. Muito pelo contrário. Eu quero ver mesmo é o mundo quebrando ao meio. Ver instituições milenares despedaçadas com paixão e sem remorso pelo proletariado em êxtase. Quero ver a cultura burguesa arruinada e despedaçada porque alguém ousou me acorrentar com ela, pesar-me as pernas com roupas de grife, lavar-me as vergonhas com papel (ugh!) e tentar me engasgar com pasta de dente. Sonho em testemunhar o dia em que seus preponentes tiverem de arrastar-se nas paredes. Pois o chão já estará inundado de lágrimas.

    Eu não curto o evangelho de esmola da esquerda fabianinha burguesa. Para mim é um meio para um fim. E em algum lugar entre os dois a própria esquerda do cigarro vai levar foiçada no pescoço também. O holocausto revolucionário, afinal, é um julgamento de classe; não de ideias.

    Quem olha para a coroa da árvore vê muitas folhas cabeça de vento como descritas no artigo. Concordo. Mas lembre-se: as raízes da árvore são muito bem fincadas e profundas. O item 14 deixa muito claro que você pode até soprar um vento de lógica na árvore e ver o que cai. Mas não é nenhuma razão que a mantém de pé, é?

  • cmr  18/04/2016 16:15
    Eu não entendi nada, não por ser analfabeto funcional, seu texto é totalmente prolixo.
    Está claro que você ligou o gerador de lero lero na potência máxima.
  • Antigo  18/04/2016 16:23
    Calma, o Típico Universitário, como o próprio nome diz, é apenas um fake liberal zoando com a retórica típica da esquerda universitária.

    Aliás, porra, o Típico Universitário existe há quatro anos, posta quase que diariamente aqui, e vocês ainda caem?
  • Guilherme  18/04/2016 18:08
    É impressionante que o povo daqui ainda não percebeu a zoeira do Capital Imoral, Tipico Filósofo/Universitário, Economista da UNICAMP, Sociólogo da USP e os mais recentes "Nove Dedos" e "Dez Dedos". Pelo menos 3 desses acredito pertencer ao mesmo zoeiro.
  • Mais Mises...  20/04/2016 20:22
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk pois é!
  • WDA  31/10/2016 13:04
    Típico Universitário, isso é exatamente o que um Marxista verdadeiro, coerente e sincero (isso existe?) diria, ou haveria de dizer!
  • Raquel Luz  18/04/2016 15:40
    Eu li a personificação de umas pessoas na internet, no trabalho, as vezes até em casa.
    O que mais me deixa triste com toda a situação, é que eles nunca dão ouvidos, sempre se acham certos e superiores. Você não pode falar nada que é fascista. Não da nem pra ter uma conversa séria, você não pode expressas sua opinião, nunca.
    Como viver num mundo desse?
  • Cassim  18/04/2016 16:22
    Não jogue sua vida fora com gente incapaz de agir racionalmente e somente dirigida pelos próprios preconceitos. Continue argumentando com tolos e isso só fará dois deles. O melhor raciocínio é pensar que você está roubando de muita gente boa, inteligente e produtiva do mundo ao investir energia e esforço em pessoas que vivem de insultos. Não é eficiente e só é miserável.

    O que eu faço é sinalizar com um argumento. Se alguém parte para insultos e reações primitivas, só estão sinalizando para mim que argumentar é inútil.

    Você tem que viver em um mundo em que a razão está morta, mas não significa que sua casa precisa ser como todo o resto. Não dá para limpar a sujeira do mundo mas você faz um bem para si próprio e para todos se mantém "o seu" mundo limpo.
  • Andre  18/04/2016 16:34
    Enriqueça, aprenda uma profissão ou ofício naturalmente demandado pelo mercado e faça bastante dinheiro, a classe média estatizante emburrecida nas universidades que ainda resta um fio de dignidade busca bons salários na iniciativa privada e nos concurso públicos é bastante sensível à presença do "selfmade man" e no Brasil temos muitas "selfmade woman" e os invejam, e a palavra para fazê-los ouvir é independência.
    Sua influência vai libertar das amarras estatais muitos desses jovens ávidos por viajar o mundo, conhecer novas culturas, morar fora numa cabana no meio do nada, aprender idiomas exóticos e praticar esportes radicais nos lugares mais loucos, coisas que um cargo público numa autarquia, estatal ou adm pública jamais irá proporcionar.
  • Ragnister  18/04/2016 16:51
    Devido a anos de doutrinação marxista, os esquerdistas não possuem a mente aberta para novos pontos de vista, o dogma já foi implantado. O máximo que podemos fazer é debater com quem tem a mente disposta a aceitação de fatos. Se o cara se recusa a respeitar as liberdades individuais, você está debatendo com um coletivista, o melhor a fazer é não perder seu tempo. Caso tenha intimidade com o maluco, tente ridicularizar esta ideologia vermelha que só trás pobreza, mortes e escravidão. Eles nos mandam estudar história, mas são eles que não aprenderam com ela. Nos chamam de fascistas, mas são eles que querem tudo no estado e nada contra ele. Nos chamam de golpistas mas são eles que defendem o governo mais corrupto da história. Usam a velha tática de Stalin: "Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é"

    A página "Socialista de iPhone" no facebook é o lugar aonde mais vi relatos de esquerdistas que foram "curados". Esta página usa o humor para mostrar o quão hipócrita é um defensor do socialismo. A página é muito boa, mas não espere milagres encima de esquerdopatas dogmáticos.

  • anônimo  19/04/2016 01:45
    Eu te entendo, também passo pela mesma coisa. Gostaria que todos me entendessem e mudassem de ideia, mas não podemos agradar a todos, certo?
    Então me contento em ter uma ou duas pessoas concordando comigo enquanto sou bombardeada de todos os lados por "acreditar em uma ideologia que não dá certo" (e outros argumentos mais, todos "ad hominem"). No mais, vou me apropriar de algumas das respostas dadas a você, cara Raquel.
  • Vinícius S.  18/04/2016 16:16
    Eles ( esquerdistas ) são um conglomerados de pessoas totalmente falidas em sua pequenas vida; a maioria, para não generalizar, dos que conheço em minha vida social são pessoas que tem o pai empresário que bancou a faculdade, e ainda por cima dizem que estudaram para não ser vítimas de patrões da empresa, mas que na realidade nada fazem para criar valor.

    Eu dou muita risada das falácias dessa gente; chega ao topo de serem a coisa mais engraçada de escutar.
  • Diego Fernandes  18/04/2016 16:20
    Fantasticamente acurado. Vários highlights aí são irrebatíveis, inclusive um progressista, ao lê-los, não será capaz ele mesmo de discordar. Sentir-se-ão importunados e até ofendidos, inclusive, tamanha a acurácia.

    Me chamou a atenção especialmente o "quando suas políticas fracassam, eles não apenas não assumem nenhuma responsabilidade por elas, como ainda exigem mais do mesmo", o que é eu diria a frente da linha de atuação da vertente.

    Como negar isso? É o que ocorreu na Europa Oriental, é o que ocorre na Coreia, nos recentes bolivarianos, o que ocorreu na Grécia (onde o empobrecimento da nação, provocado pelo estatismo, foi de uma hora para outra atribuído à austeridade - que é o remédio - e o Podemos foi eleito prometendo mais do mesmo).

    E no Brasil, idem. Lula e Dilma versaram por políticas excludentes e empobrecedoras. Qual a justificativa dos desenvolvimentistas? Foi culpa dos ajustes de Dilma, ditos "neoliberais", que são a cura do empobrecimento (embora obviamente à médio prazo, assim como o que vemos hoje foi reflexo do que foi iniciado há 15 anos) . E a proposta? "Mais estado, menos mercado", nas palavras do próprio ministro da fazenda. Outra coisa interessante é o quão frequentes são essas "falhas". Aliás, não só frequentes, universais, eu diria. Sempre falha. Em 10.000 anos de história humana, as políticas de esquerda ainda não deram certo uma vez sequer. Macabro.

    Algumas outras constantes terrivelmente reincidentes:

    "6. Elas acreditam que afetações de emoção, frases de efeito, slogans e gritos de guerra superam" - o objetivo aqui é chamar a atenção do incauto desesperado, trazendo-lhe para o rebanho dos que seguem as políticas que, historicamente, empobrecem e excluem, defendidas por eles.

    O que, obviamente, deriva de "5. Elas não aprenderam nada com a história e nada sabem de economia.", já que, se seguissem a linha da história e da razão, não poderiam defender as políticas que defendem, já que é claro até para o mais perfeito leigo no assunto que à esquerda recaem ditaduras, empobrecimento, exclusão, miséria, fome, toda sorte de preconceitos, eugenia e atraso tecnológico e moral.

    É uma cartilha perfeita, embora felizmente fadada ao fracasso precoce. Até se readaptarem novamente ,como fizeram os sociais democratas e os socialistas da Disco Era, apropriando-se de ideais liberais, mantendo-se por mais tempo na ativa, embora descaracterizando-se nas engrenagens históricas. Mas não se preocupe, sofrerão novo fracasso novamente, num longíquo futuro.

    E assim seguirá a humanidade...
  • Eudes Costa  18/04/2016 16:35
    Quero aqui deixar meus votos de parabéns pelo artigo. O mesmo se mostrou bastante pertinente ao quadro atual do País. Por fim! Mais Mises e menos Marx! Valeu
  • Arthur Gomes  18/04/2016 17:10
    A melhor definição de tudo isso é:
    "O inferno está cheio de boa intenções", ou "de boas intenções foi feito o inferno".
    O inferno na União Soviética, 40 milhões de mortes.
    O inferno na China, 70 milhões de mortes,
    O inferno no Camboja, 2 milhões de mortes, a população do país tinha 6 milhões.
    O inferno caribenho (Cuba), 100 mil mortes e 1 milhão de fugitivos para Miami.
    O inferno no Vietnã, o inferno nos países africanos. O inferno criado para os seus seguidores quando estes eram capturados pelas forças de repreensão aos comunistas.
    O inferno da fome, da miséria, da falta de tudo.
    Ou seja a promessa dos homens para criar um paraíso na Terra, só transforma tudo em um inferno. O céu existe, mas já foi criado por Deus. Na terra só temos um vale de choro e ranger de dentes(oração da Salve Rainha), aqui só resta aos seres humanos serem caridosos com o próximo, ele sofre, tem fome, tem sede, precisa de ajuda. O resto é a descrição inicial.


  • Taxidermista  18/04/2016 17:19
    No item 13 - "quando suas políticas fracassam, elas não apenas não assumem nenhuma responsabilidade por elas, como ainda exigem mais do mesmo" - poderia ser acrescentado "exigem mais do mesmo" E colocam a "culpa" do fracasso em inimigos imaginários (algo que o keynesianismo também faz).


    Outros dois bons textos para ler em conjunto com esse:

    Thomas Sowell, "A mentalidade da esquerda e seus estragos sobre os mais pobres":

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1662


    Murray Rothbard, "A esquerda progressista e a consagração da culpa":

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1496
  • JJ JR  18/04/2016 17:33
    Estou de pleno acordo com os argumentos de que a esquerda fracassou, suas politcas nesses 13 anos foram péssimas para o pais. Mas como legitimar um congresso que tem mais de 58% deles indiciados por corrupção e que sabemos além dos indiciados os outros tambem são corruptos por natureza.
    A oposição derrubando o governo conseguira reerguer o pais?

    Será que eles tem um pouco de visão libertaria que ao meu modo seria a mais apropriada para o pais, li vários artigos a respeito e estou de acordo plenamente com o que vcs pregam por mais leigo que seja.
  • Rodrigo  18/04/2016 17:50
    Simples.

    O ano é 1992. Ibsen Pinheiro, então presidente da Câmara do Deputados, cargo que pertence hoje a Eduardo Cunha, votou a favor da abertura do impeachment de Collor. Ibsen foi cassado poucos meses depois por participar do Escândalo dos Anões do Orçamento - sofreu uma denúncia falsa da revista Veja, mas teve movimentações bancárias que não conseguiu explicar. Foi condenado a ficar afastado da vida pública por oito anos (o processo em que era acusado de sonegação fiscal foi arquivado anos depois). Na primeira eleição em que pode voltar a concorrer, em 2002, não se elegeu.
    Os deputados Carlos Benevides, Fábio Raunhetti, José Geraldo e Raquel Cândido também votaram a favor do impeachment de Collor. Todos eles perderam seus mandatos poucos meses depois, envolvidos em esquemas de corrupção.

    Cid Carvalho, Genebaldo Correia e Manoel Moreira também tiveram seus mandatos cassados por corrupção, mas renunciaram antes, em 1994. Todos votaram a favor do impeachment de Collor.

    Sérgio Naya seguiu o mesmo voto, em defesa do impedimento. Foi cassado cometendo uma imensa lista de crimes, revelados após o desabamento do edifício Palace II, no Rio de Janeiro. Naya possuía milhares de imóveis em diversos países, uma dezena de carros de luxo e três jatinhos. Vivia numa cobertura de mil metros quadrados e era famoso por "ceder" imóveis para que uns 40 amigos e políticos vivessem gratuitamente - tal qual Lula diz ter vivido no sítio de Atibaia.

    Todos esses caras eram favoráveis ao impeachment. Todos seguindo o mesmo voto de figuras como os então deputados José Dirceu, José Genoíno e Luiz Gushiken, petistas que entrariam no goto da história, envolvidos nas mais variadas falcatruas.

    Em 1992, Collor sofreu um impeachment justo nas mãos de um Congresso sujo. Isso, no entanto, não foi motivo para que movimentos sociais e estudantis, sindicatos, centros acadêmicos, classe artística, imprensa e a esquerda em geral simplesmente deixassem de lutar pelo impedimento do presidente. Ter defensores da ditadura e políticos corruptos do lado pró-impeachment não era razão suficiente para que os então deputados Aloizio Mercadante, Jandira Feghali, Aldo Rebelo, Benedita da Silva, Florestan Fernandes e Miguel Arraes deixassem de dar seus votos favoráveis ao impeachment. Tampouco foi motivo para que Lula não apoiasse a causa.

    Agora, você pode continuar usando esse argumento em 2016, negando defender o impedimento de Dilma porque ele é arquitetado por políticos corruptos - e ignorando o cenário vivido em 1992.
  • Igor  18/04/2016 19:04
    Ótimo resumo.

    Parabéns!
  • anônimo  18/04/2016 21:32
    Isso é do spotniks
  • Anderson d'Almeida  18/04/2016 17:54
    Se for ver da maneira correta e eficaz, não só o poder legislativo, judiciário e executivo teria de mudar, o próprio sistema político do país precisaria de mudanças integrais.
  • Arthur Gomes  19/04/2016 11:19
    JJ JR
    Prezado, a arte de politica já possui um grande atrativo para as pessoas menos incapazes, na politica existe as pessoas mais narcistas do mundo, o grande filósofo Mário Ferreira dos Santos já explica muito bem isso, no livro a Psicologia do socialismo do francês Gustave Le Bon ele deixa claro que o avanço do socialismo acaba levando as piores pessoas para o governo.
    Isso o PT sempre fez no Congresso, mais partidos para dividir o poder e assim fica fácil o domínio. Achar que o congresso é um convento de Carmelitas é ser muito ingênuo, mas a situação do país com do domínio total do discurso da esquerda acaba transformando toda a sociedade inclusive o Congresso(Câmara Federal e Senado Federal) em uma geleia.


  • Arthur Gomes  19/04/2016 12:34
    Mário Ferreira dos Santos

    A LUTA PELO PODER

    Mário Ferreira dos Santos

    A luta pelo poder é a grande realidade da história. Sobre tudo nos círculos superiores da humanidade. O ser humano é um ser que carece, isto é, sente-se carente de prestígio.

    Ele ambiciona, impor-se sobre os seus semelhantes. E, o prestígio social, por ele anelado, ele deseja em todos os setores, porém nenhum setor pode lhe dar maior soma de poder do que o setor político, uma vez que este abre o caminho para alcançar o domínio do Estado, o domínio da administração, das coisas e dos homens, e por essa razão, todos os grupos sociais, quando tem seus interesses econômicos, já estabelecidos, eles desejam fortalece-los, através do domínio do caráter político, para poder então deste modo, robustecer ainda mais a sua posição.

    A luta no mundo tem sido sempre esta, pelo poder. No fundo, olhando bem, é uma luta genuinamente psicológica, porque suas raízes estão na própria psicologia do homem, no temperamento etc.

    Quando nós encontramos tipos jupiterianos, isto é, uma explicação um tanto quanto mais astrológica de tipos de pessoas, ou seja, de homens mais dados, as mais condescendentes, esses homens nunca exercerão o poder com violência, contudo um tipo saturniano, tipo introvertido, tipo sombrio, um homem de rosto bossuado, expressão cruel, este sempre exerce o poder com crueldade, pois ele não sabe respeitar os direitos alheios e esta é a razão: porque a história está sempre ameaçada pautadas por estes indivíduos que de posse do poder e junto do grupo que os apoiam, estabelecem regimes de brutalidade que só tem servido, para tornar a vida humana insuportável e criar as revoltas sociais que são profundamente justificadas.?
  • Anderson  18/04/2016 17:35
    Queria poder dividir esse país em dois: os liberais e os estatistas, pra não ter que conviver forçadamente em um mesmo lugar com esse povo. Não que eu tenha preconceito ou odio, mas obedecer as leis e as idéias deles sem concordar é triste.
  • cmr  18/04/2016 18:00
    Também sou a favor disso, de dividir o Brasil em dois, assim como fora feito na Alemanha e na Coréia.
    Cada um que arque com as consequências de suas escolhas.
  • Lel  18/04/2016 19:05
    O problema é que não existe apenas "socialismo marxista" e "capitalismo de livre mercado". Há várias graduações no meio.

    Se isso fosse tão simples, os países não estariam ficando cada vez mais socialistas aos pouquinhos depois da queda da URSS.

    O Brasil é esse lixo nacional-desenvolvimentista desde Getúlio Vargas.
  • Luis  18/04/2016 18:14
    Os esquerdistas devem ser iguais em todo mundo. Este artigo de um americano parece descrever os esquerdistas do Brasil.
  • Individuo individualista  18/04/2016 18:44
    A esquerda novamente vai dar o golpe nas próximas gerações. Agora, passaram de vítimas dos militares para vítimas do "golpe do impeachment" e da mídia golpista. kkkk
    O povo, como sempre, ignora os fatos e se deixa levar por sentimentos momentâneos.
    A esquerda, conta a história da sua própria maneira, com todos os requintes de coitadismo e vitimismo.
    O terreno já está preparado, agora é esperar alguns anos para assistir tudo acontecer novamente.
  • Odisseu  18/04/2016 19:32
    Atenção liberais, conservadores, direita; percam o medo de colocar suas caras e propostas nas eleições.

    De tanto fulminar com exemplos lógicos e racionais na frente desses hipócritas socialistas, um dia os eleitores lhes darão uma chance na urna. Não tenham receio de derrotas.

    Nao resolverá nada para o futuro ficarmos apenas nos enchendo de lindas teorias.

    Eles estão em toda parte entoando o canto da sereia.

    Milhares de outros Lulas, Dilmas, estão nesse momento se graduando nas universidades.

    Remem!
  • Renan  18/04/2016 19:51
    Essa imagem da petista chorando é impagavel kkkk
  • Arthur Gomes  19/04/2016 17:01
    Isso é muito bom.
  • a  18/04/2016 20:01
    Empresário verdadeiro não se alia a nenhum governo. Quem faz isso é ladrão.
  • Anderson  18/04/2016 20:24
    Queria perguntar uma coisa à vocês, talvez podessem me indicar um artigo: como privatizar as ruas, estradas e rios? Se os novos donos cobrassem muito caro eu teria que me mudar? No caso das estradas, se um mesmo dono tivesse rotas principais e alternativas, como haveria concorrência?
  • Ernesto de Carvalho  19/04/2016 01:49
    Acompanhei pela TV alguns debates que ocorreram na Câmara no processo de admissibilidade do impedimento da presidente Dilma. A fala dos deputados simpáticos à presidente, via de regra da esquerda, poderia ser antecipada com o conhecimento dos 21 pontos da lista do autor de como pensam e agem as mentes progressistas. Sem dúvida é uma súmula perfeita, uma bula para entender a verborragia dos sinistros.
  • Renato  19/04/2016 02:20
    Reclamam do estado e não batem naqueles que mantém o estado: A CLASSE POLÍTICA.

    Se queremos ficar livres dessa corja temos que aos poucos alertar a todos sobre como é danoso para o bolso das pessoas e para os cofres do país a existência dessa classe parasitária chamada político.

    Em artigos anteriores eu percebi o aumento dos interessados que gostaram da minha ideia de criar um grupo para essa finalidade: A ELIMINAÇÃO DOS POLÍTICOS COMO CLASSE.

    Eu já expus aqui um principio de como iniciaríamos essa empreitada:

    Criaríamos um empreendimento para a função de alerta aos empreendedores. Sejam eles pequenos, médios ou grandes empreendedores.

    Um grupo poderia ser criado, mostrando o nosso cartão de visita, para fazer o trabalho de divulgação entre os empresários. Assim que contratados, de comum acordo com os mesmos (troca voluntária), estabeleceríamos um preço razoável para começar a imprimir cartilhas explicando as pessoas, dentro do estabelecimento do contratante, se assim esse desejar, mais principalmente nas ruas.

    Poderíamos também criar grupos de associados para que cada vez mais a mensagem de anti-políticos ganhasse mais força através de palestras e encontros.

    Mostraríamos aos poucos para as pessoas que pagar impostos é uma falácia. Só serve para sustentar a classe política...e também mostraríamos a existência de moedas digitais, como o bitcoin, por exemplo, para o empresário e para as pessoas comuns.

    Aos poucos vamos tirar essa mentalidade estatal da cabeça das pessoas.

    Como eu sou da CIDADE do Rio de Janeiro, ficaria melhor que pessoas daqui entrassem em contato comigo.

    Trabalharíamos como se fossemos "fantasmas". O investimento seria feito diretamente com empresários que assim solicitasse nosso serviço.

    É claro que esse grupo crescendo vamos criar e ter contato com pessoas de outros estados e até mesmo em nações estrangeiras.

    Para os interessados meu email NOVO é galenoeu@gmail.com
  • Emerson Luis  19/04/2016 10:34

    Se dissessem que foi escrito ontem por um brasileiro, eu acreditaria!

    Como diz Constantino:

    A esquerda reivindica o monopólio da virtude e debate intenções em vez de resultados.

    * * *
  • Richard Oliveira  19/04/2016 13:52
    Excelente artigo, parabéns!

    Só um adendo, decidi compartilhar o que li hoje com vocês,

    "O sionismo internacional decidiu que o tempo de vida útil de "progressistas" como Cristina Kirchner(Argentina), Dilma Rousseff e Lula(Brasil), expirou. Não precisam mais destes intermediários, agora vão pelo controle total destes Estados e sua subordinação ao Governo Mundial centralizado e privado. O próximo regime neoliberal estilo Macri no Brasil vai operar para que isto aconteça."

    Cada um enxerga aquilo que deseja
  • Rodrigo Vaz  19/04/2016 19:50
    O terceiro parágrafo é perfeito para descrever a ideologia progressista!
  • anônimo  19/04/2016 21:18
    Claro que só resta isso. Isso sempre foi o que ofereceram e fizeram todos os liberais de direita ou de esquerda (libertários, ou liberais originalmente, e NACIONAIS-SOCIALISTAS, socialistas, comunistas e "iluminados" de todos os tipos)

    São mentirosos como seu pai, o diabo, homicidas desde o princípio.

    São atores ora bolas...Não é a propria definição de mentira ? Viver a vida de uma pessoa (persona = máscara em latim).

    Tudo dentro de casa...

    www.imdb.com/name/nm0004242/

    Fidel Castro Ruz was the fifth of nine children born to Angel Castro, a plantation owner originally from Galicia, Spain who operated a plantation in Cuba's Oriente Province. His mother, Lina Ruz Gonzalez, was a servant in his father's home who bore Fidel out of wedlock (they later were married several years after Angel's first wife died). Known as a rebellious, loud, and troublesome child, Fidel was sent to a Jesuit boarding school in Santiago de Cuba, where he was often teased by his wealthier classmates who called him a "peasant." He later attended Belen College before enrolling at the University of Havana, where he earned a law degree. After graduating from the university, Castro briefly practiced law, before he went on to marry Mirta Diaz-Balart, a wealthy philosophy student with family ties to Cuban dictator Fulgencio Batista. They had a son, Fidelito, but after 5 years, the couple divorce and went their separate ways. After several years in prison and exile (he lived in Mexico and New York City before starting the revolution) Castro led an attack on the Moncada barracks on July 26, 1953. The attack, which was a major attack on Batista's hold of Cuba, found Castro once again imprisoned before he was released. After his release he went to the Yucatan, where he organized a rebel force that landed in Cuba in 1958 and after many successful battles, Castro rode triumphantly into Havana on January 8, 1959.

    PS.: O resto é propaganda só o sublinhado importa.
  • Mescalina  19/04/2016 22:33
    Eu ainda preciso entender esse pessoal que utiliza doses acima do recomendável de LSD e aí despenca aqui neste site de pára-quedas...

    Quer dizer então que libertários, além de serem homicidas, são filhos do diabo? Não sabia que o diabo procriava aqui na terra. Já que você tem intimidade com ele e conhece seus métodos procriadores, onde posso encontrá-lo?
  • Homer  23/04/2016 00:36
    kkkkkkkkkkkkkkkkkk
  • WDA  31/10/2016 13:27
    Anônimo, você é débil mental ou você é um "ator" fazendo papel de imbecil? Estou
    em séria dúvida. Qual o nexo causal entre a barbárie perpetrada por um Marxista declarado, filhinho de papai rico, como o Fidel Castro (e assim como o próprio Marx, aliás) e as "culpas" por você sugeridas de parte dos ideários liberal e libertário?

    Qual a relação entre o que "ofereceram" os Marxistas, nacionais-socialistas, socialistas, comunistas e o que "ofereceram" os liberais e libertários? E desde quando os primeiros são liberais ou libertários (mesmo que de esquerda), seu imbecil?

    Nem pra fake você serve! E vá procurar fontes em lugares apropriados, em vez de linkar texto de um site de filmes para sugerir com base em nada que um Fidel Castro se equivale a um liberal/libertário.
  • Isis Monteiro  19/04/2016 22:11
    "Tenho boas intenções e é isso o que conta!"
    Não basta boas intenções apenas. É preciso mudar a realidade. O PT teve tempo suficiente para mudar consistentemente esta realidade, no entanto falhou. Seus membros envolveram-se em falcatruas e o estado brasileiro retrocedeu 30 anos. Triste realidade. Grande decepção.
  • Nelio  20/04/2016 14:27
    Texto perfeito

    É impressionante como eu começo a ler essas 21 características e automaticamente já me vem alguns progressistas a mente, tanto famosos quanto anônimos, nem é preciso muito esforço

    Vou guardar esse artigo para usar posteriormente

  • Ricardo  20/04/2016 15:58
    Uma duvida em relação ao principado de Liechtenstein.

    dadas as suas particularidades, ser uma micro-nação etc, notei que o ensino lá é totalmente gratuito, e mesmo assim é um dos países mais liberais que existe. (ao menos o que eu andei lendo). Se não me engano a saúde também é publica, (para os cidadãos de Liechtenstein).

    Isso não vai contra os ideais de liberdade?? ou pode haver um consenso nessa parte??
  • Hausmann  20/04/2016 16:36
    A saúde não é estatal. O governo determina -- sim, isso é condenável -- que as pessoas comprem um dentre vários planos de saúde fornecidos por operadoras privadas, que concorrem livremente entre si.

    Não é o ideal, é claro, mas está longe de ser uma saúde estatizada.

    en.wikipedia.org/wiki/Healthcare_in_Liechtenstein

    Na educação, o ensino básico é estatal. As universidades são privadas, embora uma -- a principal -- seja uma parceria público-privada.

    www.liechtenstein.li/en/education/higher-education/

    "Isso não vai contra os ideais de liberdade?? ou pode haver um consenso nessa parte??"

    Os ideais da liberdade dizem, pura e simplesmente, que ninguém deve ser coagido a nada.

    Se toda a população de Liechtenstein (meras 37 mil pessoas, menos que um bairro de São Paulo) concorda em pagar por educação básica, então não há coerção.

    Vale ressaltar que o modelo de Liechtenstein é exatamente o modelo de micro-estado que este Instituto defende regularmente: pequeno, com ampla liberdade de ir e vir, facílimo de entrar e sair.

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2341

    Falta apenas uma maior concorrência de outros micro-estados à sua volta.

    Ainda assim, a maior alíquota do IRPJ é de 12,5% (no Brasil chega a 34%) e não há absolutamente nenhuma tarifa de importação e nem nenhuma restrição sobre qualquer importação, e nem qualquer política anti-dumping.

    Pra mim, tá bom.
  • Ricardo  20/04/2016 22:14
    Essa era minhas dúvidas, embora creia que a implantação de micros estados no Brasil seja bem difícil.

    Mas obrigado pelo esclarecimento.
  • Alexandra Moraes  22/04/2016 15:40
    "Tenho boas intenções e é isso o que conta!" - eis o mantra que restou à esquerda.
    Concorde plenamente que somente isto restou à esquerda.
    Não adianta medidas de esquerda, se essas medidas são caras e ineficientes para resgatar os desválidos.
    A esqueda deveria se impregnar de realismo e deixar a balela entre esquerda e direita.
    Vários governos com boas intenções jã levaram seus países à bancarrota.
    Veja o caso brasileiro. É um bom exemplo.
  • Isis Monteiro  22/04/2016 20:46
    A história da esquerda é recheada de boas intenções. Em nome disso cometeram milhões de assassinatos. Vamos lembrar da Revolução Russa, Revolução Chinesa, Revolução Cubana, etc... etc... etc...
    Em nome das boas intenções construíram os regimes mais odientos do mundo.
  • Beth Prado  22/04/2016 22:03
    A esquerda perdeu seu norte. Está perdida sem rumo. Selecionam programas não cotejanto custo-benefício. A análise central é se o programa tem uma linha esquerdista ou direitista.
    Depois de 13 anos de esquerda no Brasil, o saldo é de um estado falido, corrupto e sem rumo.
  • Isis Monteiro  26/04/2016 17:10
    A esquerda defende um estado provedor e assistencialista não por causa de seu retumbante sucesso. O estado proveodor é defendido por causa das supostas "boas intenções da esquerda.
  • Isis Monteiro  26/04/2016 23:14
    A esquerda deveria tomar um banho de realidade. Ter boas intenções não basta se a políticas implementadas não trazem resultados de melhoria da sociedade. Ou pior, arrasam um país.
    É revoltante ver a situação do Brasil. Milhões de desempregados graças a um governo dito de esquerda.
  • Beth Prado  27/04/2016 21:40
    Não basta boas intenções se o resultado final da ação representou muito custo e pouco benefício. Como em uma empresa, as políticas públicas devem ser mensuradas para que se apure a efetividade delas.
  • Vote no Partido Novo  25/05/2016 04:37
    Peço ajuda dos libertários para ensinar o povo nessa notícia abaixo da Globo, lembrando que a globo tem prazo para comentar!
    Ajudem a explicar a causa libertária!
    Abs!
    g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2016/05/estudantes-ocupam-mais-uma-escola-contra-projeto-de-ppp-na-educacao.html
  • Nao vote no novo  31/10/2016 15:51
    Fui numa apresentação do Novo. Saí de lá escandalizado. O palestrante defendeu a democracia ilimitada. Na cabeça dele, tudo pode ser votado... Aparentemente os direitos naturais nao existem na ideologia do Novo.
    Enfim: o Partido Novo é só mais um partido que acha que a solução é trocar as pessoas no poder por pessoas melhores. E isso nao tem nada de novo. É apenas mais do mesmo erro...
  • a  30/10/2016 15:27
    É preciso cobrar diariamente dos políticos para que eles saibam que são apenas servidores e não astros de cinema.
  • Rinoceronte  30/10/2016 17:48
    Se eu colocar um vídeo no youTube, falando que tive um contato com Alienígenas e eles me deram uma pedra mágica que cura pessoas doentes, serei inicialmente considerado um louco! mas se pessoas começarem a pagar para tocar nessa pedra gerando muito $$$$, outros vão falar que tb tiveram contato com Alienígenas e que receberam uma pedra mais evoluída do que a minha, eles viram que pessoas estavam dispostas a pagar pela falsa esperança e passaram a copiar a mentira. O marxismo, é a pedra falsa que os demagogos usam, milhares são atraídos pela ilusão ou simplesmente para saquear quem é mais produtivo. O exemplo mais recente é a Venezuela, vamos perseguir os ricos e a classe média exploradora!
    Lula, Dirceu, Dilma, Chávez, Maduro, foram um completo fracasso na iniciativa privada, para obterem poder e dinheiro, só vendendo a ilusão marxista para os idiotas úteis.
  • Capital Liberal  30/10/2016 22:07
    Que piada, o autor andou assistindo o canal do Youttube mamãe falei? A esquerda está muito bem descrita aqui rsrs
  • Paulo Bat  31/10/2016 00:19
    Em minha opinião, infelizmente, muitos dos 21 itens elencados no artigo servem parcialmente ou totalmente para definir todos os governos que governaram o Brasil República e todos os partidos existentes no Brasil, total ou parcialmente. Alguns itens casam totalmente com todos os governos já existentes no Brasil e com todos os partidos. Alguns precisam algumas alterações para se diferenciar da esquerda tradicional.

    Itens 1, 2,3, 4, 5 e 9: os textos casam sem mudar uma vírgula a todos os governos e partidos brasileiros;

    Itens 6 e 7: casam parcialmente;

    Item 10: onde se lê "minoria" leia-se povo;

    Item 11: substitua "onda fascista" por outros adjetivos, tipo "radicais", "ateus", etc.;

    Item 12: em relação ao salário, todos confiscam porque o assalariado é a ponta fraca e mais fácil de ser taxado. Os pequenos empresários pelo menos conseguem viver numa maior ou menor informalidade (leia-se comprar e vender sem nota fiscal). E quanto aos grandes (amigos do rei), em qualquer sistema sempre estarão tranquilos;

    Item 13: substitua "mais do mesmo" por mudança de rumo;

    Item 14: todos tendem a controlar a vida do pobre "contribuinte" num maior ou menor grau;

    Item 15: Escolher empresas a serem subsidiadas ou protegidas não é privilégio da esquerda. As mesmas empresas protegidas ou subsidiadas pelos governos PT/PMDB o foram pelo governo PSDB/DEM de FHC, pelos governos Itamar, Collor, Sarney e militares. O famigerado "clube das empreiteiras" cujas garras foram expostas pela Lava-Jato, foi criado no governo Costa e Silva, em 1969, para fazer as grandes obras do governo militar, quando a concorrência internacional foi alijada por um decreto governamental;

    Item 19: Arte do jogo duplo é levada a frente pela grande maioria dos políticos, de todos os matizes;
    Item 20: Divisões raciais são muito mais reforçadas pelas pessoas conservadoras, tipo: índios, negros e nordestinos são preguiçosos (OBS: sou branco, sulista, casado com uma nordestina).

    Quanto a comprar votos, esta sempre foi uma ferramenta muito mais da direita do que da esquerda, pelo menos no Brasil em geral e no interior do Brasil em particular, onde os grandes fazendeiros e empresários sempre compraram votos. Tem até aquela anedota clássica: o peão chega ao local de votação e recebe o voto dobrado e preenchido das mãos do coronel. Aí, antes de colocar o voto na urna, ele pergunta em quem está votando, ao que o coronel responde rispidamente: "ó xente, você não sabe que o voto é secreto?"
  • Fabio  31/10/2016 01:53
    A Verdade Sobre a Educação Pública Brasileira

    A educação pública no Brasil não vai bem. Todos sabemos disso. A justificativa dada por professores, muitos alunos por eles influenciados, pela mídia em gearal e por várias organizações públicas ou privadas é de que o Brasil não investe o necessário em educação, ou seja, falta dinheiro. Mas será que é este o problema? Será mesmo que isto é verdade? Vamos aos fatos.

    A reportagem do jornal "O Globo" (se alguém não gosta da Globo, as informações podem ser verificadas em outras fontes) do dia 16 de setembro de 2016 divulgou alguns dados do último relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) a respeito da educação em 38 países, dentre eles o Brasil (oglobo.globo.com/sociedade/educacao/brasil-tem-alto-gasto-publico-em-educacao-mas-investimento-por-aluno-esta-entre-os-piores-20119242). O título da matéria "Brasil tem alto gasto público em educação, mas investimento por aluno está entre os piores" em si já demonstra a posição de defesa do discurso populista da falta de recursos (diversos outros jornais tiveram a mesma postura). Quando se lê a matéria vê-se que os parâmetros de comparação não dão significado algum a afirmação de que o investimento por aluno no Brasil é um dos piores, já que a comparação deve ser relativizada com o padrão de vida de cada país, o que não foi feito. O site do governo "Portal Brasil" informa que o Brasil é o terceiro país que mais investe em educação (proporcional ao PIB) dentre os países analisados (www.brasil.gov.br/educacao/2015/11/brasil-e-pais-que-mais-investe-em-educacao-diz-ocde).

    Segundo a reportagem do "O Globo", o gasto público brasileiro anual em educação em 2013 foi de US$ 3.852,00 por aluno do ensino médio e de US$ 3.802,00 a US$ 3.826,00 por aluno do ensino básico. O gasto público brasileiro anual por aluno do ensino superior e da pós-graduação, por outro lado, foi de US$ 13.540,00. Considerando-se uma taxa de câmbio de R$ 3,15 / US$; tem-se um gasto de aproximadamente R$ 12.000,00 em média por ano, por aluno dos níveis fundamental e médio, ou seja, R$ 1.000,00 por mês; e um gasto de mais de R$ 42.500,00 em média por ano, por aluno de nível superior, ou seja, mais de R$ 3.500,00 por mês.

    Como se pode observar os valores do gasto público se revertidos diretamente ao aluno seriam suficientes para pagar uma boa escola particular de nível fundamental, ou médio, em qualquer lugar do Brasil.
    Como no Brasil as universidades particulares são tidas como de má qualidade (há exceções, e em breve as universidades privadas serão melhores que as públicas) tomarei como exemplo uma faculdade privada do exterior. O custo anual de um curso de graduação no British Columbia Institute of Technology (BCIT), que é considerada uma das 10 melhores faculdades do Canadá, custa em média CAD$ 15.000,00 (R$ 35.000,00 aproximadamente para taxa de câmbio igual a R$ 2,35 / CAD$) para o cidadão canadense. Como pode-se observar, o aluno de nível superior de uma escola canadense paga menos que o brasileiro (a escola é gratuita para quem estuda, mas é paga com o dinheiro dos impostos pagos pela população) por uma educação de melhor qualidade.

    E quanto a afirmação de que o investimento por aluno está entre os piores entre os países analisados? Um excelente parâmetro de comparação da renda entre países é o salário mínimo. O salário mínimo atual no Brasil é de R$ 880,00 por mês. Então um aluno do ensino fundamental "paga" aproximadamente 1,14 salário mínimo de "mensalidade", e o aluno de nível superior "paga" aproximadamente 3,98 salários mínimos de "mensalidade". No Canadá o salário mínimo é pago por hora e varia entre as diferentes províncias do país. Tomando como base o menor valor entre todas as províncias (Newfoundland and Labrador e Saskatchewan) que é de CAD$ 10,50 por hora e considerando 176 horas trabalhadas por mês (8 horas por dia vez 22 dias úteis) chegamos a um salário mínimo mensal de aproximadamente CAD$ 1.850,00. Então o estudante de nível superior canadense paga aproximadamente 0,68 salário mínimo de mensalidade, ou seja, quase 6 vezes menos que o que o brasileiro paga por sua universidade pública "gratuita" que nem de longe se compara a canadense.

    E os salários dos professores? Dizem que os professores ganham mal. Vejamos. Os dados divulgados por diversos meios de comunicação (veja.abril.com.br/blog/impavido-colosso/salario-dos-professores-brasileiros-esta-entre-os-piores-do-mundo/) informa que o salário anual de um professor de nível fundamental no Brasil (nas últimas posições) é US$ 10.375,00, enquanto que no Canadá (nas primeiras posições) é de US$ 37.145,00. Novamente tomando como base o salário mínimo de cada país, tem-se que o professor brasileiro recebe em média aproximadamente 3,10 salários mínimos por mês, enquanto que o canadense recebe em média aproximadamente 2,25 salários mínimos por mês. O professor brasileiro ganha mais que o canadense que vive num país que tem um custo de vida maior.

    Quanto aos professores universitários brasileiros, não será necessário fazer contas, pois como revela o portal UOL Educação: "professor universitário no Brasil tem "salário de país nórdico", diz OCDE" (educacao.uol.com.br/noticias/bbc/2016/09/15/professor-universitario-no-brasil-tem-salario-de-pais-nordico-diz-ocde.htm).

    As escolas privadas conseguem oferecer educação de qualidade com verba por aluno menor do que a verba das escolas públicas, e a escolas privadas ainda pagam impostos e têm que arcar com seus eventuais prejuízos. As universidades públicas brasileiras, que pioram a cada ano, têm verba por aluno compatível com as melhores faculdades do mundo. Por que investir em educação pública, quando todos poderiam "pagar" por uma boa escola particular de sua livre escolha? Quem são os verdadeiros interessados em manter a estrutura falida da educação pública no Brasil?

    Não há justificativa alguma para qualquer tipo de manifestação relativa aos investimentos em educação no Brasil. As manifestações deveriam pedir competência e produtividade dos professores. As manifestações atuais têm claramente fins políticos e ideológicos vindas de uma classe corporativista que só pensa em defender seu próprio bem-estar às custas de todo o povo brasileiro que paga sozinho pelos erros do Estado paquidérmico brasileiro. Para aqueles professores que se sentiram ofendidos por este artigo, não há justificativas para pedidos de desculpas, pois os que se calam são coniventes com o crime que está sendo cometido contra os alunos e contra o povo brasileiro. Professores, sindicalistas e uniões estudantis, manipulam criminosamente crianças, adolescentes e jovens adultos para estes trabalharem como "bucha de canhão" na guerra travada por eles contra a sociedade com o único objetivo de preservação do status quo. Educação gratuita sim, mas educação pública não. Chega de privilégios.

    Fábio NL, Canadá – 28 de outubro de 2016.
  • Aluno Austríaco  31/10/2016 12:59
    O senhor já viu revolução na educação onde ninguém estuda ?

    É possível melhorar a educação sem estudar ?

    Eu não tenho um professor há mais de 10 anos e estudo quase todos os dias.

    Eu tenho liberdade para estudar o que eu quiser. Eu não preciso de professor para me ensinar.

    A educação só é exercida por autoditadatas, enquanto o ensino é feito por professores.

    O mais engraçado é que eu só preciso de um computador. Eu não preciso de verbas bilionárias para estudar.

    Essas ocupações de escolas são feitas por pessoas que tem horror à liberdade de estudar.
  • Fábio  31/10/2016 14:42
    Acredito em você e concordo plenamente. Estudo sobre economia austríaca, como provavelmente você mesmo e muitos outros aqui também o faz, sem a necessidade de um professor. Rothbard em seu livro "Educação Livre e Obrigatória" trata muito bem deste assunto. O professor tem mais uma função de orientação dos estudos do que ensinamento em si.
  • anônimo  31/10/2016 15:26
    Seu comentário foi um dos melhores que já li aqui.

    Há anos que enxergo esses "defensores" da educação como hipócritas e massa de manobra, estudar é algo barato e não precisa de um mega investimento por parte do estado , qualquer um pode fazer tendo acesso a internet ou a uma biblioteca.

    A verdade é que o problema da educação é a falta de interesse dos próprios alunos e os curriculos engessados pelo MEC.
  • Leandro Campos  31/10/2016 02:28
    Tem o ditado que diz: De boas intenções o inferno está cheio. Será que foi de lá que saiu a esquerda? rss
  • Ricardo  14/12/2016 01:16
    kkkkkkkkk deve ser.
  • NATALIA  31/10/2016 02:56
    Poderiam responder a esse comentário? É em relação ao PT ter realmente feito algo que diminuiu a pobreza.

    "A desigualdade é uma ideia, um conceito político ou econômico pra não poder ser atacado "fisicamente", que nesse caso seria matar o animal e obter a carne imediatamente, mas eu discordo. A desigualdade no país está na oportunidade, coisa que o PT deu pra muita gente nesses anos, pronatec, fies, cotas e tudo mais, querendo ou não, foi uma das poucas coisas boas desse governo, apesar de que poderiam ter feito muito mais do que facilitar o ingresso, mas sim melhorar a qualidade do ensino, isso é a diferença entre o que o Estado "dá" e no que uma pessoa com dinheiro suficiente pode obter. O resultado disso não é instantâneo e não é algo que todos veem, poucos da classe média, alta, se importam, mas existe e basta olhar ao seu redor e ver.?"
  • Realista  31/10/2016 11:42
    Responder exatamente ao quê? A pessoa só fez proselitismo e poesia. Nada disse de concreto. Apenas romantizou um partido político. O que há para se responder nisso?

    É o equivalente a você querer trazer de volta à realidade um homem que se apaixonou perdidamente por uma vagabunda. Ele só vai aprender a realidade na prática, após muitas decepções.
  • LEG  31/10/2016 14:08
    A redução da desigualdade feita através da expansão de crédito só favorece alguns grupos: os que são parceiros do governo.
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2451

    Tudo pode estar como antes.
    exame.abril.com.br/economia/desigualdade-no-brasil-pode-nao-estar-caindo-diz-estudo/
  • Marcos A Ferreira  31/10/2016 08:50
    Bom dia!
    Gostei do texto... penso que avança na discussão sobre a relação do individuo/cidadão com o estado, a burocracia intestina desse estado e sua manutenção e as visões (entendimento) da estrutura intestina; entretanto, em face da realidade brasileira, não se fala mais sobre a redução do número de ministérios, redução dos privilégios do detentores do poder ("bolsa paletó" (isso para MP, magistrados e deputados e senadores), "bolsa moradia" (também para as mesmas figuras), e outras "bolsas" mais (privilégios aos detentores do poder)...
    Essa sociedade brasileira é hipócrita e, nós, fazemos parte dela... os de direita, os de esquerda, os que se dizem anarquistas... tudo do mesmo e nada de novo..........
    Todos dormem e estamos em "estado de sonho"...
    Viva a Vida... a Liberdade... o direito de propriedade!
    E, por fim, "não há religião superior à Verdade" e, "não há ideologia superior à solidariedade"... Viva a liberdade de pensamento!
  • Renan Merlin  31/10/2016 13:28
    Eu não morro de amores pelo Crivela muito menos pela sua igreja mas nunca a maxima dita por Lenin fez tanto sentido. "Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é".
    O Marcelo Freixo e seus fanboys adora dizer que lutam contra qualquer tipo de preconceito todavia a critica ao Crivela era sempre porque o mesmo era pastor evangelico.
    Ou seja a esquerda respeita as diferenças desde que o mesmo não seja cristão.
  • Eduardo R., Rio  31/10/2016 18:18
    "De Bastiat para Cacá Diegues", por João Luiz Mauad.
  • Emerson Luis  01/11/2016 12:02

    Ótimo artigo!

    Curioso como esquerdistas defendem suas próprias ideias afirmando suas boas intenções, ao mesmo tempo que atacam as ideias de quem diverge colocando em dúvida as reais motivações deles. É a fixação em debater intenções em vez de resultados conjugada com o monopólio da moral e das boas intenções.

    Só um detalhe:

    5. Elas não aprenderam nada com a história e nada sabem de economia.

    Isso só é válido para os soldados rasos; quanto mais alto na hierarquia deles, mas cônscios eles são de que estão mentindo para conquistar poder a qualquer custo.

    Para complementar o artigo:



    * * *
  • Ricardo  14/12/2016 01:16
    Os vídeos dessa PragerU são muito bons.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.