A teologia do estado no Novo Testamento - O que realmente era o "Dai a César"
por , quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

versão para impressão


007.jpgIntrodução

As questões envolvendo igreja e estado continuam a ser fonte de muitos conflitos entre cristãos, o que resulta em uma grande confusão sobre o que exatamente uma teologia bíblica do estado e das políticas públicas deveria tratar.

A confusão frequentemente induz a respostas inadequadas sobre questões importantes que dizem respeito à relação dos cristãos com o governo, tais como 1) qual tipo de governo um cristão deveria apoiar?, 2) qual política pública deveria ser obedecida?, 3) o que significa a submissão ao governo?

São muitos os cristãos que tentam justificar sua filosofia política citando Romanos 13 ou suas variações.  À primeira vista, essa parece ser uma solução aceitável — Paulo aparentemente apoia a submissão ao governo. Mas como reconciliamos essa passagem com o inegável fato de que indivíduos que agiram dentro das estruturas coercivas dos estados foram os culpados pelas maiores ações criminosas e violentas na história da humanidade?

Na Alemanha, durante as décadas de 1930 e 1940, por exemplo, teólogos utilizaram Romanos 13 para encorajar a submissão ao regime nazista, especialmente por ele ter sido democraticamente eleito. Recentemente, um membro do parlamento do Zimbábue declarou que o corrupto ditador-presidente Robert Mugabe foi enviado por Deus e que, por isso, "não deveria ser desafiado nas próximas eleições".

Obviamente, essas são maneiras inapropriadas de se usar as escrituras.  Mas a questão para os cristãos é: como saber as diferenças? Devemos simplesmente concordar com o governo porque a Bíblia assim diz, ou há mais coisas em jogo?

Claramente, a igreja necessita de um arcabouço mais sólido para avaliar a natureza do estado e as consequências das políticas públicas.  Proponho começar esse processo com uma análise de algumas passagens do Novo Testamento que parecem abordar a relação dos cristãos com o governo civil.  Especificamente, comecemos por aquilo que encontramos nos Evangelhos e em Romanos 13.

Os Evangelhos e o estado

Para desenvolver uma teologia bíblica sobre o governo, o primeiro passo deveria ser o exame dos ensinamentos de Jesus.  Quais são as palavras e as atitudes de Jesus que nos ajudam a entender quais deveriam ser nossa reação ao governo?

Frequentemente, aqueles que desejam derivar dos Evangelhos princípios bíblicos sobre o governo recorrem às famosas passagens do "Dai a Cesar", um evento registrado em todos os Evangelhos Sinópticos (Mateus 22:15-22, Marcos 12:13-17, Lucas 20:20-26).

Mas seriam esses os únicos textos dos Evangelhos que merecem ser abordados no que diz respeito ao governo civil? Em minha opinião, não.  Também é possível obter informações importantes sobre a natureza do estado por meio das tentações de Jesus e uma breve comparação entre o Reino do Homem e o Reino de Deus.

Comecemos com uma análise das passagens do "Dai a César", examinando primeiro o texto de Mateus 22:15-22:

Então os fariseus saíram e começaram a planejar um meio de enredá-lo em suas próprias palavras.

Enviaram-lhe seus discípulos juntamente com os herodianos que lhe disseram: "Mestre, sabemos que és íntegro e que ensinas o caminho de Deus conforme a verdade. Tu não te deixas influenciar por ninguém, porque não te prendes à aparência dos homens. Dize-nos, pois: Qual é a tua opinião? É certo pagar imposto a César ou não?"

Mas Jesus, percebendo a má intenção deles, perguntou: "Hipócritas! Por que vocês estão me pondo à prova? Mostrem-me a moeda usada para pagar o imposto".

Eles lhe mostraram um denário, e ele lhes perguntou: "De quem é esta imagem e esta inscrição?"

"De César", responderam eles.

E ele lhes disse: "Então, dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus".

Ao ouvirem isso, eles ficaram admirados; e, deixando-o, retiraram-se.

Em Mateus, os fariseus enviaram alguns dos seus discípulos ao templo junto aos herodianos até Jesus com o intuito de "enredá-lo em suas próprias palavras" no templo. O Evangelho de Marcos diz que eles enviaram alguns dos fariseus e herodianos até Jesus, provavelmente os sumos sacerdotes, mestres da lei, e anciãos mencionadas em Marcos 11:27. Estranhamente, Lucas identifica os questionadores como "espiões" enviados pelos sacerdotes, mestres e anciãos. A identidade desses interrogadores não é trivial.  Com efeito, existiam diferenças filosóficas marcantes entre fariseus e herodianos. Os herodianos apoiavam o poder romano, já que por meio dele obtinham benefícios. Os fariseus, por outro lado, eram mais ambivalentes com relação aos romanos; os fariseus geralmente os toleravam desde que eles não se intrometessem nas práticas religiosas judaicas. Contudo, fariseus e herodianos uniram-se por causa de sua oposição conjunta a Jesus.

Em cada Evangelho, a pergunta é introduzida de forma diferente, mas o conteúdo da pergunta em si é sempre o mesmo: "é certo pagar impostos a César ou não?". A pergunta é muito inteligente. Os herodianos defendiam o pagamento de tributos; se Jesus respondesse "não", eles teriam motivos para prendê-lo por rebelião contra César. Por outro lado, de modo geral, os fariseus não gostavam de pagar tributos (embora fossem forçados a fazê-lo), e uma resposta "sim" resultaria em uma perda de apoio popular a Jesus.

Além disso, existe uma sutil expressão jurídica na pergunta: "é certo" ou, em algumas traduções, "é lícito". Em outras palavras, os fariseus estão perguntando: "é consistente com a Torá pagar tributos a César?" Todos os presentes estavam cientes da lei e das palavras de Levítico 25:23. "A terra [de Israel] não poderá ser vendida definitivamente, porque ela é minha, e vocês são apenas estrangeiros e imigrantes".

A pergunta agora é mais complexa porque a Torá pode estar em jogo.  Dado que César está tentando tomar a terra de Deus, não seria uma desobediência à Torá o pagamento de tributos a César?

Jesus percebeu a malícia da pergunta, é claro, e respondeu de forma astuta. Quando pede aos fariseus que mostrem a moeda, eles involuntariamente apresentam a evidência que expõe sua própria hipocrisia.  Jesus lhes pergunta qual imagem e inscrição está na moeda. Eles respondem, provavelmente relutantes: "de César".  Mas eles, e todos que ali estavam, perceberam seu erro, pois as inscrições dessas moedas sempre leriam, "Tibério Claudio César Augusto, filho do deificado Augusto, sumo sacerdote".

Os fariseus, dos quais se esperava a defesa da lei de Deus, trouxeram ao templo um item que efetivamente desobedece ao segundo mandamento: não terás nenhuma imagem ou ídolo, mostrando que, em seus corações, desobedecem também ao primeiro mandamento. Eles, não Jesus, são os hipócritas. Eles são os que aderiram ao sistema pagão romano.

Na estimativa do teólogo Thomas Long, a resposta de Jesus significa que "todo mundo tem de decidir entre César e Deus. Nenhum homem pode servir a dois mestres (Mateus 6:24). Você parece ter tomado sua decisão, forjado seu conveniente acordo. Mas e sua obrigação a Deus? Dar a Deus o que pertence a Deus. Escolha hoje a quem você servirá".

Se essa interpretação estiver correta, então não há uma diretriz clara para a resolução das questões igreja x estado.  De nenhuma forma as práticas do estado são aqui legitimadas.  Ao contrário, Jesus diz que quaisquer esquemas de divisão em vida que criamos devem ser terminados, e desencoraja o nacionalismo ou o jingoísmo como uma prática legítima da Igreja.  Podemos até viver sob um estado, mas pertencemos por inteiro a Deus que está acima de todos os estados. Sempre devemos dar a Deus o que é de Deus. 

Uma dica interessante sobre a natureza do estado pode ser vista nas tentações de Jesus (Mateus 4:1-11, Lucas 4:1-13), pouco exploradas pela maioria dos estudiosos. Em Mateus, a terceira tentação de Cristo são "os reinos do mundo e seu esplendor", os quais Satã promete dar a Jesus caso ele seja subserviente a Satã.  Estranhamente, mesmo Satã sendo considerado o "príncipe [regente] desse mundo" (João 12:31, 14:30, 16:11), frequentemente não consideramos de forma sensata o que significa tal oferta.  Creio que Satã foi muito sincero em sua proposta: Jesus não considerou isso impossível. Jesus parece entender que os reinos do mundo realmente pertencem ao Satã, e nós não deveríamos pensar diferente.  Logicamente, isso significa que os reinos do mundo estão em inimizade com Deus.  Com efeito, você consegue encontrar comprovações disso de forma direta e indireta nas escrituras, em diversos textos.

O Antigo Testamento indica claramente que as religiões pagãs, frequentemente encorajadas por Satã por meio de suas feitiçarias e bruxarias, eram intimamente ligadas à liderança política nacional.  G.K. Chesterton concorda com essa interpretação e nos mostra evidências da história em seu livro o The Everlasting Man. Herodes compreende que a criança Jesus é uma ameaça ao seu poder, e por isso ordena a morte de centenas, se não milhares de crianças, em uma tentativa de impedir essa insurreição (Mateus 2).

Além disso, o tema da Babilônia como um estado maligno sobre a influência de Satã permeia o livro do Apocalipse.  Em Apocalipse 18:4, por exemplo, Deus exorta Sua Igreja: "Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas".

Discutir brevemente as diferenças entre o reino dos homens e o Reino de Deus é um exercício ilustrativo. Um dos temas recorrentes nos Evangelhos, especialmente Mateus, é que Jesus é um rei que irá criar o Reino de Deus. Mas Jesus afirma explicitamente que "meu reino não é deste mundo... meu reino não é daqui (João 18:36). As "regras / leis do reino" como explicadas no sermão da montanha são diferentes de qualquer tipo de lei estatal que já existiu.

Além disso, não é função do cristão usar a força bruta para a vinda do Seu reino, mas sim "buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça" (Mateus 6:33). Os reinos do homem são fundados no poder e na violência, mas o Reino de Deus é fundado na humildade (Mateus 18:4), serviço (Mateus 20:26) e amor (João 13:35). Enquanto não podemos nos desvincular totalmente dos governos desse mundo, somos lembrados, mais uma vez, que "nossa cidadania, porém, está nos céus" (Filipenses 3:20).

Em suma, os ensinamentos práticos de Jesus sobre o governo civil são virtualmente inexistentes, mas os evangelhos fazem algumas colocações fortes sobre a natureza do estado que podem nos surpreender. O estado parece ter uma forte conexão com Satã e seu reino, e é antitético ao Reino de Deus, o qual condena o uso do poder para o ganho pessoal.

 

No próximo artigo, uma abordagem sobre Romanos 13.



Norman Horn é o fundador e editor do site LibertarianChristians.com. É Ph.D. em engenharia química pela Universidade de Austin, Texas, e possui mestrado em Estudos Teológicos pela Austin Graduate School of Theology.



160 comentários
160 comentários
Charles Miller 27/12/2014 19:15:13

Texto genial. A passagem do "dai a Cesar" sempre me soou anti-Estado. Mas, nunca tinha me ocorrido este comentário sobre as tentações. Incrível.

Responder
O MESMO de SEMPRE 23/03/2016 19:12:35

As HERMENÊUTICAS e as LAMABANÇAS e CONTRADIÇÕES:

"Por outro lado, de modo geral, os fariseus não gostavam de pagar tributos (embora fossem forçados a fazê-lo), e uma resposta "sim" resultaria em uma perda de apoio popular a Jesus."

(...)

"Jesus percebeu a malícia da pergunta, é claro, e respondeu de forma astuta. Quando pede aos fariseus que mostrem a moeda, eles involuntariamente apresentam a evidência que expõe sua própria hipocrisia. Jesus lhes pergunta qual imagem e inscrição está na moeda. Eles respondem, provavelmente relutantes: "de César"."


É esquisito que Jesus temesse, ou não quissesse, a PERDA de APOIO POPULAR.

Afinal, pelo que consta, o lendário Jesus não era um candidato a cargos eletivos.

Ora, mas sobretudo se Jesus estava predestinado a sacrificar-se para perdoar os pecados humanos e acabar com os sacrifícios. Não vejo a razão de RESPONDER de FORMA ASTUTA.

Enfim, alega-se ele "se sacrificou por nos".
É um tanto absurdo que tal sacrificio se tenha dado de forma tão APARTADA da relação "filho" e "pai", tão completamente desvinculada de um sacrifício que pudesse levar o "deus pai" a perdoar os humanos ante a imolação auto consentida do "filho" numa pendega entre humanos e o tal "deus pai.

Afinal, a morte do lendario Jesus não foi diretamente relacionada à pendega entre o "criador" e sua "criatura", mas um efeito colateral das rixas populares e interesses de governo.

Ora, se o tal Jesus DEVERIA MORRER SE SACRIFICANDO PELA HUMANIDADE, tal sacrifício deveria ser a tal relacionado e não periférico. Sobretudo o tal Jesus NÃO Deveria responder de FORMA ASTUTA em oportunidade ANTERIOR. DEVERIA TER SIDO SINCERO e RESAPONDER COM A VERDADE.

Porém, como consta a defesa no texto em sua hermenêutica de botequim, O tal Jesus QUERIA CONQUISTAR APOIO POPULAR e sobretudo se furtava a respostas objetivas para NÃO PERDER TAL APOIO.

ISSO É COISA DE POLITIQUEIROS FARSANTES e não de um PREDESTINADO ao SACRIFICIO pela especie humana.

FRANCAMENTE, essas estorinhas da CAROCHINHA não passam de EMPULHAÇÃO para crianças ou que deseja muito crer em asneiras SEM PÉ NEM CABEÇA, completamente DESCONEXAS, DESPROVIDAS de qualquer LÓGICA ou SENTIDO aceitável.

Responder
Norberto Rost 27/12/2014 19:24:33

Que Deus? Que reino de Deus?
Isso não é um "exercício ilustrativo", é imaginário. Libertários crentes? É contraditório!
Um libertário deveria libertar-se da tirania do divino antes de se preocupar com o Estado.

Responder
Bobbio 27/12/2014 21:09:17

O indivíduo deve ser livre para acreditar no que quiser. Contraditório é um suposto "libertário" vir aqui estipular no que outros libertários devem crer e proibir que eles possam ter uma fé. Isso é projeto de totalitário.

Responder
Norberto Rost 27/12/2014 23:35:11

Não estou estipulando nem proibindo coisa alguma. Apenas expondo a óbvia relação entre totalitarismo estatal e religioso. Não cabe usar essa coletânea de histórias bíblicas, que só têm validade no escopo da fé, como argumento político.
"O estado parece ter uma forte conexão com Satã e seu reino..."
E a religião? Pelo dano que sempre causou à liberdade, parece que o tal Satã manda por lá.

Responder
Anderson Nunes Vieira 30/12/2014 15:38:15

Ola caro Norberto, entendo seu posicionamento. Particularmente não sou libertário como defende a escola austríaca, mas sou contra as formas de governo e estado que vigoram atualmente. Sou teísta e acredito que você de ser ateísta ou ateu. Para tanto as doutrinas libertárias são as mais próximas de uma realidade de liberdade do que qualquer uma outra. Isso é notório nas faculdades:

Hoje só existe uma teoria científica que é considerada ciência para explicação do universo e de tudo que há: O Big Bang (física), o naturalismo (filosofia), o evolucionismo (biologia), o antropocentrismo (antropologia), socialismo (sociologia), relativismo (psicologia), etc. E muitas dessas teorias são dogmáticas ao ponto de considerar qualquer teoria rival como sendo pseudociência ou ignorância intelectual. São teorias que estão recheadas de ideologias por trás. Por exemplo: Em contraposição ao Big Bang e a teoria evolutiva existe do Designer Inteligentes e o Criacionismo (COM ESTUDOS SÉRIOS, PREMIADOS E COM EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS), ou seja, não é abobrinha e encheção de linguiça como os ateus gostam de proferir pela internet. São teorias com bases científicas, mas o totalitarismo científico das universidades não reconhecem e pior dogmatizam as teorias que são a seu bel prazer. Já pensou se Einstein não tivesse a ousadia de questionar Newton? de Galileu não tivesse a ousadia de questionar o Aristóteles e Ptolomeu?

A ciência se faz com liberdade de idéias e não com dogmatismo ou uma única vertente teórica. O socialismo é estudado nas ciências sociais como verdade suprema e na economia tem até uma disciplina só para ele (Economia Política). Agora vai você propor estudar o liberalismo na sociologia ou criar uma disciplina que só estuda o liberalismo na economia pra você ver.

As idéias libertárias só possui esse nome porque seus indivíduos possuem a liberdade de acreditarem no que quiser, porém possuem algo em comum. LIBERDADE e não LIBERTINAGEM como alguns libertários extremados gostam de defender.

Concordo contigo que a igreja possuía um caráter não libertário quanto esta se aliava ao estado (teocentrismo). Porém, na atualidade ela atua de forma diferente. Uma coisa são regras (lê-se doutrinas, usos e costumes, etc). Outra coisa são liberdade de expressão, opinião, etc. Você tem o direito de não querer ir trabalhar (ninguém é forçado a nada) porém não pode proibir a empresa de descontar sua falta do seu salário ou te punir por isso (se a falta for injustificada). O problemas que nós confundimos ordem com proibição e intervenção.

Responder
Norberto Rost 30/12/2014 17:07:30

Olá Anderson

Você dever estar ciente que a palavra "teoria" tem um sentido diferente no ambiente científico. Se no linguagem do dia a dia usamos o termo como sinônimo de palpite, na ciência ele representa um conjunto de fatos naturais, evidências necessariamente verificáveis, mas não obrigatoriamente reprodutíveis, e um conjunto de hipóteses científicas adequadas à descrição destes fatos, de ideias necessariamente falseáveis, testáveis (e testadas) frente às evidências.

Teorias científicas, como a Teoria da Evolução ou a Teoria dos Germes para as Doenças, são comprovadas. Mas o Design Inteligente ou Criacionismo não pode ser demonstrado cientificamente. Vai continuar sempre no âmbito da fé.

Responder
Anderson Nunes Vieira 30/12/2014 17:31:47

Então Norberto, eu saudavelmente discordo com você nesse aspecto.

Pelos últimos estudos do D.I. (Designer Inteligente), existe muitos fatores que são comprovados cientificamente, desde a expansão do universo pela radiação de fundo até mesmo a existência de vida na Terra, partindo do pressuposto de Massa + Energia + Informação (síntese do DNA). O complicado é justamente a ideologia que existe por trás do evolucionismo e criacionismo.

O que quero dizer com isso: O EVOLUCIONISMO, como teoria, consequentemente leva ao ceticismo, naturalismo e posteriormente ao ateísmo assim como o criacionismo levará ao teísmo e consequentemente ao que chamo de criacionismo religioso que NÃO TEM nada a ver com o criacionismo científico. Outro sim, existem físico e químicos (Carl Sagan era um exemplo) que aceitavam pressupostos criacionistas sem acreditar na existência de um Deus específico....Sagan achava que a vida poderia ser fruto de Extraterrestres, etc.

O problema dos defensores do evolucionismo defende a TEORIA como se ela fosse uma Lei. Lei é tudo aquilo que foi exaustivamente reproduzido em laboratório e sempre deu certo e foi cientificamente comprovado. Leis do movimento de Newton, Leis do movimento de Kepler, Leis do magnetismo de faraday, etc. Pra você ver nem a Teoria da Relatividade de Albert Einstein é considerada Lei, porque ela se aplica somente ao universo e em massa em estado de grande velocidade como as da luz a famosa = E = MC^2.

Então, resumindo, eu e você acabaremos incorendo no famoso paradoxo filosófico: "Como você prova que a sua verdade é a verdade"? O evolucionismo de Darwin, o Big Bang não prova cientificamente como a vida e o universo foram formados....é impossível de se provar em laboratório....assim como é impossível provar que Deus existe no laboratório.

Como gosto de dizer em minhas aulas, ateísmo (evolucionismo, big bang, etc) também é crença...e uma crença muito forte. Mas o problema é o dogmatismo, vai você falar de criacionismo na faculdade de física pra você ver....será linchado, mas porque os "cientistas" tem tanto medo assim do criacionismo se ele não passa de uma filosofia vã baseada em uma fé ilusória? por que todo esse medo do criacionismo se o evolucionismo consegue provar com 100% de segurança tudo que existe? Isso que acho estranhamente estranho.

Responder
gabriel 30/12/2014 20:03:33

Olá, gostaria de uma ajuda e já que você parece entender se puder me auxiliar nesse ponto agradeço.

O problema dos defensores do evolucionismo defende a TEORIA como se ela fosse uma Lei. Lei é tudo aquilo que foi exaustivamente reproduzido em laboratório e sempre deu certo e foi cientificamente comprovado. Leis do movimento de Newton, Leis do movimento de Kepler, Leis do magnetismo de faraday, etc. Pra você ver nem a Teoria da Relatividade de Albert Einstein é considerada Lei, porque ela se aplica somente ao universo e em massa em estado de grande velocidade como as da luz a famosa = E = MC^2.

É meio offtopic pois não tem relação direta com o que está falando, mas vamos lá. Não sabia dessa diferença conceitual na semântica entre lei e teoria, e fiquei com dúvida pois sempre acreditei que a teoria da relatividade apareceu pra 'cobrir falhas' de newton, e que sua mecânica não era 'completa' já que se aplicava somente a velocidades e massas pequenas, achava que a teoria da relatividade era mais completa e não menos nesse sentido e que se aplicava tanto a grande quanto a pequenas velocidades (mas com diferenças minimas em baixas velocidades de forma que a mecânica newtoniana seja suficientemente boa para explicar os movimentos na terra mesmo não sendo 'correta'). Estaria eu me enganando todo esse tempo?
Até estou procurando sobre essa diferença no google mas se puder me dar uma ajuda, indicar algum site ou algo do gênero agradeço.

Responder
Anderson Nunes Vieira 30/12/2014 22:23:50

Então Gabriel vamos as definições: A ordem, na qual conheço sobre metodologia científica é: 1) Princípio, 2) Lei, 3) Teoria, 4) Modelo ou Hipótese: (Fonte: pt.slideshare.net/joaobalbi/03-princpios-conceitos-teorias-leis)

Lei
O termo "lei" é usado muitas vezes como sinônimo de "princípio". Contudo, uma lei física tem, em geral, uma característica que lhe confere maior confiabilidade lógica do que um princípio: a lei é, cumulativamente, obtida através de raciocínio dedutivo , partindo de uma outra lei mais geral, ou de uma teoria ou modelo.
As leis físicas são normalmente aproximações e têm um domínio restrito de aplicabilidade, que deve ser sempre referido. As leis físicas:
- São verdadeiras , por definição, pois nunca foram contrariadas por observações repetidas (dentro dos seus limites de aplicabilidade).
- São universais , porque se aplicam em todos os lugares do Universo.
- São simples , pois são tipicamente expressas por uma expressão matemática.
- São absolutas , porque nada no Universo parece afetá-las.
- São estáveis , pois se mantêm inalteráveis desde a sua descoberta (embora, em alguns casos, se tenha mostrado serem aproximações de outras leis mais precisas).
- São onipotentes , porque tudo no Universo está aparentemente de acordo com elas (conforme as observações).
- Geralmente traduzem a conservação de grandezas .
- Muitas vezes traduzem homogeneidades (simetrias) no espaço e tempo.
- São tipicamente reversíveis no tempo (se não forem quânticas), embora o tempo em si seja irreversível.

Teoria
- É uma descrição bem estruturada de alguns aspectos do mundo natural; um sistema organizado de conhecimento aceito que se aplica numa grande variedade de circunstâncias, para explicar um conjunto específico de fenômenos . Incorpora fatos, leis, previsões e hipóteses testadas.
- É geralmente aceita como válida por ter sobrevivido a um teste repetido. Uma hipótese científica que sobrevive à prova da experimentação pode resultar numa teoria científica.
- Deve servir não só para explicar fenômenos de uma determinada área do conhecimento, mas também para efetuar previsões na mesma área.
A escolha entre duas (ou mais) teorias explicativas para o mesmo fenômeno deve ser feita mediante argumentos que sejam independentes do conteúdo dessas teorias, o que nem sempre é fácil, como a história da ciência confirma.

***SOBRE NEWTON E EINSTEIN***

Einstein examinou a influência do espaço e do tempo na atração entre os corpos e redefiniu a gravidade - até então, a inquestionável física clássica de Isaac Newton considerava apenas a ação da massa dos corpos. As Leis de Newton não estão erradas, elas está incompleta. A Teoria de Einstein consegue explicar todo o universo, no entanto ela é imperceptível em baixas velocidades. A de Newton não se aplica a altas velocidades, porém consegue explicar perfeitamente os fenômenos em baixas velocidades vistos na Terra. A Teoria da Relatividade foi comprovada através do eclipse ocorrido em 29/05/1929. Muitos físico, inclusive eu, propomos que a Teoria de Einstein se torne a Lei da Relatividade, pois a mesma já foi cientificamente comprovada e experimentalmente testada e empiricamente aplicável. No entanto a acadêmia ainda resiste pelo fato da Relatividade de Einstein não contemplar o mundo quântico, onde as teorias da relatividade não conseguem comprovar muita coisa, imperando o princípio da incerteza de Eisenberg e a retrocausalidade (que Einstein chamou de efeito fantasmagórico à distância). Para se ter uma idéia, retrocausalidade consegue provar hipoteticamente que a informação de uma partícula para outra é mais rápida que a velocidade da luz, algo descabido e refutado por Einstein, mas amplamente defendido por Max Planck e Niels Bonr. E o mais bizarro, ela funciona de verdade, haja vista as grandes descobertas e invenções baseadas na mecânica quântica.

Na verdade o certo seria considerar as leis de Newton como teoria, afinal a mesma não retrata o universo completamente. Porém os físicos conservadores jamais fariam isso. Seria a Teoria do Universo (RELATIVIDADE), Teoria Mecânica (LEIS DE NEWTON) e Teoria Subatômica (RETROCAUSALIDADE).

Fontes: obaricentrodamente.blogspot.com.br/2011/09/as-limitacoes-da-mecanica-newtoniana-e.html

Responder
Jonatas 28/12/2015 17:36:14

Olá Anderson

Este debate entre evolução e DI não é interessante. Contradizer a Evolução por ela mesma não validará o DI. DI não é científico, mas a Evolução é.

Também não vejo muita necessidade do DI se equiparar à Evolução. Cientifizar a Fé? A Ciência é mutável e a Fé é dogmática.

No entanto há alguns que tentam dogmatizar a Ciência. O mundo está cheio de positivistas que mal usam o cérebro, mas estão por aí empurrando o "amor à ciência"...ou o "amor à humanidade".

Responder
Baroni 28/12/2015 16:07:50

Não existe ciência criacionista, o que existe é uma série de textos pseudo-científicos que querem dar um ar de cientificismo as palavras da bíblia. Que publicações criacionistas foram feitas em periódicos científicos sérios, que passam por revisão dos pares? Qual o grande artigo que foi escrito por esses pretensos cientistas e publicado numa Nature ou Physical Review Letters? Que tecnologia foi construída com base nesses conceitos? Como levar a sério o criacionismo "científico" que afirma que a terra é plana e tem seis mil anos de idade e que os humanos coabitaram com os dinossauros? O criacionismo está na mesma categoria científica da astrologia, numerologia, cromoterapia, homeopatia entre outras bobagens. Se você realmente quiser acreditar nisso é um direito seu e serei o primeiro a defender esse seu direito, porém ciência isso não é, nunca foi e nem nunca será.

Responder
Lucio Satiro 13/01/2016 02:55:00

Evolução comprovada ? Por quem ? Meu amigo antes de se fechar em suas certezas, sem questionar as milhares de fraudes científicas existentes e conferir aos tais " comprovadores" verdade absoluta no que dize. ( isso sim é muita fé de sua parte ), seria melhor você engendrar , caso se interesse de, por uma ampla e aprofundada pesquisa da TDI. A própria Lógica aponta inequivocamente para a existência de uma inteligência por trás da origem do Universo. A diferença é que nós teistas consideramos a relação de causalidade baseados na característica ontológica de quem provocou a mudança de estado do não- ser para o ser- existir. Enquanto você de forma ' brilhante repete as papagaiadas de Dawkins e Krauss sobre o Nada Absuto ter dado origem à qualquer coisa no que é em si já uma contradição.

Responder
atorres1985 27/12/2014 21:51:24

Libertário impondo religião? Quem é esse pokémon?

Você poderia muito bem mandar este texto para seus amiguinhos "cancervas" que acreditam naquele contos-de-fadas chamado "democracia", em vez de tentar doutriná-los.

Responder
João Girardi 24/12/2015 18:45:31

Não entendi o que quis dizer, os conservadores sempre se opuseram à democracia, basta ler Erik von Kuehnelt-Leddihn para descobrir isso, aliás, boa parte das críticas de libertários à democracia advém dele....

Responder
Anonimo. 28/12/2015 19:27:52

'Libertário impondo religião? Quem é esse pokémon?'
Diga aí onde é que vc viu imposição, estou a fim de rir hoje

Responder
Pobre Paulista 28/12/2014 01:00:58

Deus, o Criador, que criou tudo, inclusive você com sua pergunta estúpida.

Agora existem regras para ser um Libertário? Interessante, pois não li isso no contrato, vc poderia me indicar qual parágrafo e alínea consta isso?

PS: Agradeça a Deus por nenhum Cristão te obrigar a ser Crente, e por nenhum libertário te obrigar a ser libertário. Ninguém sabe o que é o "certo" e o que é o "errado", portanto, seja, no mínimo, coerente. Agora, se faz tanta questão de demonstrar sua ignorância, você pode visitar por exemplo a página vermelha, o centro de mídia independente ou o Brasil 24/7. Lá tem muita gente que sabe de cor e salteado as "regras corretas" de como uma pessoa aleatória deve viver a sua própria vida, dizendo no que elas devem crer, amar, comer, vestir, votar, protestar, etc.

Responder
Norberto Rost 28/12/2014 02:40:19

Não falei nada sobre regras ou contratos. Apenas vejo incompatibilidade entre religião e liberdade. É minha opinião, dada a propósito do artigo e num espaço de debates.

Você, que prefere usar um pseudônimo, me chama de estúpido e ignorante por eu traçar um pararelo entre estado e igreja. Por que não argumenta e demonstra que religiões e seus livros sagrados não são autoritários?

Responder
Victoria 28/12/2014 18:14:51

Incompatibilidade entre religião e liberdade? Aonde? Sim, realmente, já houveram pessoas que se utilizaram das religiões como forma de justificar o controle estatal da sociedade, mas também é bom lembrar que a mesma religião que serviu como desculpa para o controle dos reis do Antigo Regime serviu para Martin Luther King lutar contra a segregação racial. Gandhi (que era hindu), Zilda Arns, o próprio Jesus Cristo (contra a tirania do império romano), os cristãos dos antigos países comunistas e muitos outros religiosos utilizaram-se da religião para lutar contra Estados terríveis. Afinal, a religião - a não ser quando ligada ao Estado - é uma das formas mais antigas e voluntárias de associação entre pessoas, ajudando na formação de comunidades e famílias fortes, em substituição à necessidade de uma ajuda estatal. Assim, não sei porque haveria uma suposta incompatibilidade entre religião e libertarianismo. E, Gustavo Dreyer, tudo o que você citou são seus motivos pessoais para não acreditar em Deus - não motivos pelos quais seria incompatível ser libertário e acreditar em Deus. Logo, acho que o Noberto errou ao dizer que há incompatibilidade ao existirem crentes libertários. E erra também quem diz que é incompatível haverem ateus libertários (sim, já ouvi essa também, de radicaizinhos chatos). Digo isso porque o libertarianismo não é um estilo de vida fechado: é só um ideal compartilhado por várias pessoas diferentes, o de aplicar o princípio de não-agressão a todos os indivíduos (independentemente de serem parte do Estado ou não). Ponto. Se alguém não gosta de uma crença ou um estilo de vida, que não o adote, então. Agora deixe os outros em paz. Porque, quando você diz que um estilo de vida não é libertário, na verdade, você diz então que ele viola o princípio de não-agressão - e, logo, deve ser coibido. E como isso não é verdade em relação a religião - que NÃO tem que ser necessariamente ligada ao Estado, e sim é, na maioria das vezes, uma instituição voluntária - logo, sua sentença (embora essa provavelmente não seja sua intenção) é um ataque contra práticas voluntárias de pessoas pacíficas, o que é injustificável.

Responder
Flávio 28/12/2014 19:22:57

Olá, Norberto Rost.

Se existisse um criador do universo ele teria total direito de impor regras aos utilizadores de sua propriedade, que seria todo o mundo. Se o homem tivesse sido criado, não poderia reclamar de autoritarismo, já que se utiliza da propriedade dele, e o homem mesmo seria propriedade do criador.

Responder
anônimo 28/12/2014 22:17:06

Olá, Flávio

A visão do paraíso da liberdade!

Responder
Flavio 29/12/2014 13:41:25

Olá anónimo.

Você foi irônico?

Responder
Norberto Rost 29/12/2014 15:00:37

Flavio:

Sim, foi uma ironia.
E desculpe por esquecer de assinar o comentário.

Responder
Flavio 30/12/2014 00:32:01

Sem problema Norberto.

Responder
Alan 29/12/2014 03:36:56

Norberto Rost, não há incompatibilidade entre liberdade e religião quando a escolha de uma religião é feita por livre e espontânea vontade. A diferença é que o cristão, tendo sua liberdade, negará certos prazeres que são incompatíveis com a crença. Há a liberdade de escolha.
Além disso, nenhum cristão (de verdade) será a favor de obrigar outra pessoa a seguir a sua religião. O que o cristão deve fazer, por amor ao próximo, é contar o motivo da sua alegria. Este é o grande ato de amor, o de compartilhar aquilo que é mais importante para o crente, que é ajudar a livrar a alma do seu próximo do inferno. Ele somente requererá alguns minutos para falar, se a pessoa se negar a ouvir ele não sacará uma faca e colocará no seu pescoço, apenas irá embora triste por não tê-lo escutado.

Responder
Norberto Rost 29/12/2014 17:54:43

Alan, não se trata da liberdade de escolher uma religião.

O que eu questiono é a religião em si, que, baseada em um livro altamente questionável, e contra todas as provas científicas, afirma que eu fui criado por uma divindade, e portanto sou Sua propriedade e devo me conduzir conforme as regras determinadas neste livro.
Tá meio opressivo pro meu gosto.

Nem estou aqui pra debater sobre Mitologia.

Responder
Jeferson 29/12/2014 21:35:13

Norberto, não consigo ver sentido em seu paralelo entre religião e estado. Não vejo o elo entre uma escolha (ainda que baseada no que você parece querer taxar de ignorância, ingenuidade ou qualquer outro tipo de fragilidade mental de quem a realiza) e o monopólio do uso da força para impor o que quem quer que detenha este monopólio deseja, que é a essência do estado.

Você pede ao Pobre Paulista que demonstre argumentativamente o porque este paralelo não existe, mas você não demonstrou argumentativamente o seu ponto. Poderia realizar a demonstração?

Responder
Baroni 28/12/2015 16:47:49

Em toda a historia conhecida da humanidade a religião e o estado sempre estiveram intimamente ligados, os governantes (reis, imperadores, faraós, etc) sempre tiveram caráter divino e essa divindade sempre foi referendada pelos sumo sacerdotes. Durante toda idade média a igreja católica dirigiu o destino do ocidente, impôs suas regras e torturou e matou a todos que se opuseram a ela. O catolicismo foi a religião oficial em todos os reinos ocidentais até o grande cisma, quando passou a dividir a "oficialidade" com o protestantismo. No novo mundo a religião e o estado estavam ainda muito mais intimamente ligados, onde os governantes eram também os interlocutores do divino. A igreja católica durante sempre referendou o direito divino dos reis e imperadores do ocidente e esteve ao lado do fascismo e do nazismo. Hoje mesmo vemos movimentos que tentam destruir a laicidade do estado em lugares como EUA (tee party) e Brasil (bancada evangélica).
Por outro lado as religiões sempre estiverem por traz das guerras, do preconceito, das regulamentações, do atraso. O período que o ocidente foi dominado pela igreja católica é conhecido como a idade das trevas, período que não houve grandes avanços no conhecimento, as pessoas viviam com medo, eram perseguidas, sofriam com impostos extorsivos, regulamentações, etc. Mesmo na China, após o grande avanço no conhecimento, após as expedições de Zheng He, tudo foi abandonado por força da pressão dos conservadores confucionistas.
Então pode se afirmar que as religiões estão por trás ou ao menos são parceiras estratégicas, não apenas da coerção do estado, mas também das guerras, da opressão, da regulamentação, de grande parte dos genocídios e da privação da liberdade individual.

Responder
Jarzembowski 28/12/2015 18:52:31

Falar de religiões como se fossem um conjunto homogêneo de fenômenos já demonstra uma ignorância monstruosa.
Religião é um nome comum pra fenômenos heterogêneos - falar em "religiões" e atribuir características objetivas à esse coletivo, da mesma forma que se atribuiria ao coletivo "mamíferos" a característica "possuem glândulas mamárias" é coisa de quem quer dar palpite sobre o que nunca estudou.
Diferentes religiões NÃO SÃO objetos da mesma categoria - pelo amor de Deus, estude o mínimo de religião comparada antes de sair posando de doutor.

https://www.youtube.com/watch?v=E8qCWmY5tXo

www.amazon.com/Sacred-Profane-Nature-Religion/dp/015679201X/ref=la_B000AP85TS_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1451328170&sr=1-1

www.amazon.com/History-Religious-Ideas-Eleusinian-Mysteries/dp/0226204014/ref=la_B000AP85TS_1_9?s=books&ie=UTF8&qid=1451328170&sr=1-9

O sujeito vir aqui com seu conhecimento padrão MEC falar de "idade das trevas" é de embrulhar o estômago.
Foi a Igreja que criou as universidades, que preservou a cultura helenística, que difundiu o conceito de caridade entre os povos bárbaros, que unificou o ocidente após a queda do Império Romano, que estabeleceu os fundamentos ontológicos da ciência, que influenciou o direito moderno com o direito canônico, que criou os fundamentos da economia moderna com os escolásticos, que estabeleceu a noção de direitos humanos universais, que elevou a qualidade estética das artes a patamares nunca antes vistos, que difundiu a cultura universal pelo ocidente com os jesuítas, entre centenas de outras contribuições. Tudo isso durante "idade das trevas".
Já leu Rodney Stark, Alfred Whitehead, Stanley Jaki, Thomas Woods, Jerome Langford, Edward Grant?
Vai estudar e para de vigarices.

www.amazon.com/Rise-Christianity-Marginal-Religious-Centuries/dp/0060677015/ref=asap_bc?ie=UTF8

www.amazon.com/Victory-Reason-Christianity-Freedom-Capitalism/dp/0812972333/ref=asap_bc?ie=UTF8

www.amazon.com/Catholic-Church-Built-Western-Civilization/dp/1596983280/ref=sr_1_2?s=books&ie=UTF8&qid=1451328602&sr=1-2&keywords=thomas+woods

Responder
Baroni 29/12/2015 10:34:28

O ponto era mostrar a interligação da religião com as decisões de estado e com o exercício da coerção, não fazer qualquer dissertação sobre religião ou questionar seu papel na cultura, etc. Mas o ponto que mais me chama atenção não é sua argumentação, mas a arrogância de achar que ninguém pode dar uma opinião, num espaço para opiniões, sem que tenha lido todos os livros publicados sobre a matéria em tela, sem que seja uma "autoridade" no assunto. Qual o conhecimento minimo que alguém deve ter para dar uma opinião sobre um tema? Pode ser medidos em livros que já leu sobre o assunto? Quantos livros seriam? Ou precisa de algum grau acadêmico? Doutorado talvez?
O conhecimento só evoluiu porque a visão de "autoridades" foi questionada, se isso não tivesse acontecido ainda viveríamos numa terra plana, no centro do universo.
Não estou publicando um artigo num periódico científico, estou dando uma opinião, que pode ser correta ou não. Não tenho a pretensão de ser detentor da verdade, nem tenho por objetivo "vencer o debate", mas apenas submeter minha visão a critica racional de outras pessoas para que possa evoluir meu entendimento. Se puderes mostrar onde minha opinião está errada, dentro do contesto que foi dada, de forma racional, sem usar o "principio da autoridade" ou agressões gratuitas, será de grande valia.

Responder
anônimo 29/12/2014 23:24:53

Não seu retardado, isso não tem nada de opressivo.SERIA opressivo se todo mundo fosse forçado a acreditar, mas não é o caso.
Se vc acha a história absurda, não gosta do livro inventado, então não siga ora. Quer mais do que isso? Vc não tem direito a NADA mais do que isso.Qualquer coisa além disso significa impor AS SUAS crenças nos outros, e vc não tem esse direito da mesma forma que a religião não tem.

Responder
Norberto Rost 30/12/2014 19:16:02

Anônimo:

Não sou tão retardado a ponto de não compreender que ninguém é forçado a acreditar. Pelos menos não nas religiões cristãs.

Volto a enfatizar que não é esse meu ponto.

Mas depois de adotar uma religião (DEPOIS!) você se submete às regras que os governantes dessa religião determinam. Ou não se submete, mas então você é um desobediente religioso, algo equivalente à desobediência civil, passível da pena de excomunhão e condenação eterna.
Você talvez seja católico, e essa religião diz que não devemos usar métodos cotraceptivos. Isso não faz sentido, mas a religião não pergunta sua opinião.
Eles interpretam e decidem tudo sem perguntar a ninguém. Fazem um concílio e dali em diante Jesus passa a ser filho de Deus.
Não é por nada que o poder do faraó era legitimado pela sua ascendência divina, e daí sua infalibilidade. Estado e religião usam os mesmos métodos coercitivos.

Liberdade na religião? Acho que não.

Responder
Jeferson 02/01/2015 13:52:35

"Não sou tão retardado a ponto de não compreender que ninguém é forçado a acreditar. [...] Mas depois de adotar uma religião (DEPOIS!) você se submete às regras que os governantes dessa religião determinam. Ou não se submete, mas então você é um desobediente religioso, algo equivalente à desobediência civil, passível da pena de excomunhão e condenação eterna. [...]
Liberdade na religião? Acho que não."

Obrigado pelos argumentos. Você estaria certo... não fosse o fato de que você pode deixar a religião a que aderiu, ou na qual foi criado, a qualquer momento, coisa que MUITAS pessoas fazem. Se fosse assim, toda associação voluntária seria uma tirania, pois a partir do momento que você adere a qualquer grupo organizado, associação, clube, até mesmo a um condomínio, você está necessariamente se forçando a se submeter a um conjunto de regras.

Mas o estado é o único grupo ao qual a adesão é OBRIGATÓRIA a partir do momento em que você entra num determinado território, e ninguém pode sair dele sem mudar de país, caso em que passará a se submeter obrigatoriamente a outro estado. Ao invés de uma suposta condenação eterna que você pode ou não vir a enfrentar caso desobedeça às regras impostas por ele, você vai sofrer condenações concretas aqui no mundo material, garantidas pelo único poder concreto que existe: o das armas. Nenhuma religião, ou, como você bem enfatizou, nenhuma religião CRISTÃ vai ameaçar te apontar uma arma pra te forçar a acreditar (coisa impossível, diga-se de passagem) que Jesus é o filho do Deus único, nem a seguir seus dogmas; o estado vai.

Responder
Norberto Rost 02/01/2015 15:01:29

Pois é, não há liberdade no estado e nem na religião. A opção de entrar e sair, quando existe, não muda este fato.

Responder
James T. 12/01/2015 12:35:17

Mas a liberdade de entrar e sair faz toda a diferença. No seu comentário, troque "na religião" por "num clube", "num condomínio" ou "numa empresa". Se formos ver as coisas sob seu ponto de vista, a liberdade não faz muito sentido, porque nunca se verificará no mundo real, uma vez que em qualquer associação humana haverá regras a serem seguidas.

Responder
Matheus Anjos 28/12/2015 23:06:33

Norberto, entendi o seu ponto, para entender as provas sobre a existência de Deus gostaria de indicar a leitura de São Tomás de Aquino, gostaria também que entende-se que a religião católica conta com um grupo de pessoas com Doutorados em Teologia, Filosofia entre outros para expor suas opiniões, e depois de alguns processos demorados, calculados exaustivamente, trabalhos e com um tempo considerável para estudá-lo são feitas as devidas observações sobre a fé ou a no Dogma dela, não é algo chutado, tem toda uma preocupação em não desrespeitar a Deus e seus princípios.
Se você confia na opinião de pessoas com determinado nível de estudo, deve considerar que confiar em pessoas com mais estudo ou com um nível considerável também, senão peca por contradição e escolhe quem você irá ouvir sem antes "ouvir todos os lados e dar credibilidade aos dois, quando no final aparecer a resposta você ganhou com o aprendizado de algo novo, independente de quem estava certo". Papa Bento XVI por exemplo tinha alguns doutorados, era alguém inteligente e com um nível de estudo acima de muitos professores de faculdade no assunto que ele domina, estude sobre religião cara, verá que não é assim como você pensa.

Responder
anonimol 14/01/2016 11:55:44

'Mas depois de adotar uma religião (DEPOIS!) você se submete às regras que os governantes dessa religião determinam. Ou não se submete, mas então você é um desobediente religioso, algo equivalente à desobediência civil, passível da pena de excomunhão e condenação eterna.
Você talvez seja católico, e essa religião diz que não devemos usar métodos cotraceptivos. Isso não faz sentido, mas a religião não pergunta sua opinião.
Eles interpretam e decidem tudo sem perguntar a ninguém. Fazem um concílio e dali em diante Jesus passa a ser filho de Deus.
Não é por nada que o poder do faraó era legitimado pela sua ascendência divina, e daí sua infalibilidade. Estado e religião usam os mesmos métodos coercitivos.

Liberdade na religião? Acho que não.'


Você não sabe o que é liberdade.Liberdade não significa acreditar numa coisa mais ou menos certa, vc pode ser livre e acreditar na grande abóbora se quiser.Liberdade significa que ninguém te FORÇOU a acreditar na grande abóbora.
Vc fala que o problema é DEPOIS de entrar pra religião? Se vc entrou pq quis, não pode reclamar de nada.

Responder
Baroni 28/12/2015 16:26:07

Nenhuma criança nasce cristã, muçulmana, xintoísta, etc. As religiões são impostas as crianças pela sua família, por meio da repetição de praticas religiosas, rituais, ameaças, recompensas, ou seja coerção. A nenhuma criança é dada a opção de escolher qual religião quer adotar ou até de não adotar nenhuma. Então como dizer que somos livres para escolher a religião que queremos ou não seguir? Poucas são as pessoas que conseguem se libertar efetivamente da religião de seus pais, pois o medo e o trauma da ruptura, são por demais poderosos para serem superados facilmente.
Por outro lado o liberalismo exige racionalidade, ninguém se torna liberal sem o pleno exercício da razão, ao contrário das religiões que exigem que se abdique da razão, que se aceite os "ensinamentos" sem questionar, que se siga a liderança da "igreja" cegamente.
Por isso concordo que não faz muito sentido alguém ser liberal e religioso, pois fé e razão não convivem no mesmo mundo.

Responder
Anonimo. 28/12/2015 19:23:08

' Poucas são as pessoas que conseguem se libertar efetivamente da religião de seus pais, pois o medo e o trauma da ruptura, são por demais poderosos para serem superados facilmente.'

Deixe de ser frouxo.Se vc quer sair, saia, se não quer, não fode, porra.Daqui a pouco está como aquelas feministas que casam com o cara que as trata mal, não querem se separar e falam que esse 'sofrimento' é a mesma coisa de ser obrigad@ a algo pela força.

Responder
Baroni 29/12/2015 10:46:27

É o que se chama de doutrinação ou se preferir lavagem cerebral, basta ver o que acontece com qualquer pessoa que viveu num ambiente ultra religioso ou mesmo um socialista, tem praticamente o mesmo efeito de uma droga que produz dependência. Quebrar esse vinculo de dependência não é fácil para a maioria das pessoas, por isso a doutrinação religiosa ou mesmo ideológica é tão nefasta.

Responder
Jarzembowski 28/12/2015 19:23:32

Você não faz ideia do que é ciência ou razão, moleque!
Descobriu ontem esse gnosticismo de boteco que é o cientificismo e já tá se achando o iluminado.
Essa oposição entre religião e ciência só existe na sua cabeça oca.
Qualquer filósofo da ciência que se preze sabe que a crença na uniformidade da natureza, e
na existência de princípios ontológicos que justifiquem a investigação do Universo são características difundidas na imaginação da civilização ocidental pela cosmovisão cristã - não existiria base epistemológica pro desenvolvimento da ciência sem a influência da filosofia cristã no ocidente.

Vou deixar o Alfred Whitehead um dos maiores filósofos da ciência que já houve, terminar de chutar teu rabo:

"I do not think, however, that I have even yet brought out the greatest contribution of medievalism to the formation of the scientific movement. I mean the inexpungable belief that every detailed occurrence can be correlated with its antecedents in a perfectly definite manner, exemplifying general principles (causality). Without this belief the incredible labours of scientists would be without hope. It is this instinctive conviction, vividly poised before the imagination, which is the motive power of research: -- that there is a secret, a secret which can be unveiled. How has this conviction been so vividly implanted on the European mind?

"When we compare this tone of thought in Europe with the attitude of other civilizations when left to themselves, there seems but one source for its origin. It must come from the medieval insistence on the rationality of God, conceived as with the personal energy of Jehovah and with the rationality of a Greek philosopher. Every detail was supervised and ordered: the search into nature could only result in the vindication of the faith in rationality. Remember that I am not talking of the explicit beliefs of a few individuals. What I mean is the impress on the European mind arising from the unquestioned faith of centuries. By this I mean the instinctive tone of thought and not a mere creed of words.

"In Asia, the conceptions of God were of a being who was either too arbitrary or too impersonal for such ideas to have much effect on instinctive habits of mind. Any definite occurrence might be due to the fiat of an irrational despot, or might issue from some impersonal, inscrutable origin of things. There was not the same confidence as in the intelligible rationality of a personal being. I am not arguing that the European trust in the scrutability of nature was logically justified even by its own theology. My only point is to understand how it arose. My explanation is that the faith in the possibility of science, generated antecedently to the development of modern scientific theory, is an unconscious derivative of medieval theology."
-- Alfred North Whitehead, Science and the Modern World, p. 18-19.

A propósito, dizer que "a origem da crença da pessoa x ou y é a influência familiar ou cultural" não passa de uma falácia genética das mais safadas. Não desqualifica em nada o objeto da crença.

filosofiaeapologtica.blogspot.com.br/2014/12/falacia-genetica-suposta-origem-da.html

Responder
Baroni 29/12/2015 09:58:21

A despeito da sua tentativa de desqualificar o interlocutor (mesmo sem conhece-lo) para assim invalidar o argumento, não apresentaste nenhum fato ou argumento racional que invalida a afirmação, apenas usaste de palavras pomposas, citações alheias em outro idioma para tentar mostrar superioridade ou pretensa autoridade. Vejo que alguns libertários quando confrontados com argumentos contrários aos seus pré conceitos usam dos mesmos recursos de qualquer socialista para "vencer o debate", abandonam a razão, tentam desqualificar e ofender seus interlocutores e invocam sua autoridade e superioridade moral e intelectual. Se a razão for abandonada, não será possível haver colaboração a não ser pela coerção, assim sendo voltaremos a barbárie e é para esse cenário que o extremismo está nos conduzindo.

Responder
Cristian Rahmeier 12/01/2015 09:27:19

Eu penso exatamente como você, acredito que a humanidade não precisa de Deus, nunca precisou, e que essa coisa de Deus é só pra oprimir as pessoas. Não tem nada a ver com liberdade. Você deve concordar comigo , então, que todos nós devemos buscar a liberdade total. Penso como você, a família também é um sistema opressor do indivíduo, nunca precisamos de uma família. Pai, mãe, irmãos, irmãs. Não faz sentido, é tudo opressão. Também concordo com você que os dogmas devem ter bases científicas para que possamos crer com certeza. Concordo com você que não precisamos mais de religião, temos que crer na ciência. A ciência deve nos conduzir no futuro. Temos que crer no Big Ban, é um absurdo que as pessoas não acreditem nisso, tudo provado cientificamente de maneira exata. Até entendo a estorinha daqueles que acham que devemos conhecer o objeto para que, assim, se possa fazer uma abordagem mais próxima da real. Você está totalmente certo, suas palavras são incontestáveis. A religião é uma opressão totalmente desnecessária que quer nos impor sua verdade e ainda quer acabar totalmente com a ciência. Também acredito que a religião deva ser excluída do pensamento libertário, pois assim como a família não passam de órgãos opressores que buscam nos doutrinar e nos convencer sobre o que devemos acreditar, e tudo sem nenhuma base científica. Por isso eu acredito que todas as teorias deveriam ser ensinadas nas escolas para que todas as pessoas deixassem de ser alienadas e pudessem realmente conhecer a verdade omitida pelas religiões. É tão bom seguir a ciência, assim podemos ser realmente livres. Essas pessoas se dizem libertários, mas querem nos obrigar a acreditar em Deus. Por que falar em Deus e tentar convencer alguém de que existe um Deus é contra a liberdade. Agora com a ciência não.

Responder
Silvio 12/01/2015 12:49:16

Por favor, diga-me que você está trollando.

Responder
Primo 28/12/2015 23:59:20

"O que eu questiono é a religião em si, que, baseada em um livro altamente questionável, e contra todas as provas científicas, afirma que eu fui criado por uma divindade, e portanto sou Sua propriedade e devo me conduzir conforme as regras determinadas neste livro.
Tá meio opressivo pro meu gosto.

Nem estou aqui pra debater sobre Mitologia."


Roberto Rost, realmente mostra-se embaraçoso a relação entre libertarianismo e fé. Na minha concepção, a Religião foi algo criado para controlar pessoas, moldar costumes e ditar regras. Com a Religião foi possível unir tribos e fundar civilizações. Como sabemos, a ciência surge de maneira natural, ela não procura controlar pessoas e tão pouco consegue moldar costumes e ditar regras. Por meio do uso da ciência não é possível unir tribos e fundar civilizações, exceto a nossa. Percebe o paradoxo em que se meteu, caro Noberto Rost? Se você quiser ser um verdadeiro libertário, você não deve ter religião e não deve acreditar na ciência. Para você ser um verdadeiro libertário você tem que ser um vegetal e deixar de ter escolhas. Você, um verdadeiro libertário vegetal, não pode ter o direito de escolher quem vai ter o poder de te controlar. Esse é o momento zero, e então, BigBag!

Responder
Gustavo Dreyer 28/12/2014 12:54:58

Não achei o questionamento idiota, muito antes pelo contrário, achei a ponderação do Norberto pertinente ao tema. Antes de querer usar escrituras religiosas como fato, deve-se provar a premissa. Até que a investigação histórica prove que esses textos são de fato a palavra de uma divindade, e que a ciência prove a existência de deuses, seu uso é completamente especulativo, de fato pertence a um exercício imaginário. O texto é conciso, mas como eu disse, longe de ser fato.

OBS: quando você taxa a pergunta de alguém como "estúpida" sem dar qualquer razão estás cometendo a falácia ad hominem. Ainda mais quando não pode provar que foi seu deus que criou tudo.

Responder
anônimo 28/12/2014 18:08:39

'Apenas vejo incompatibilidade entre religião e liberdade.'

Isso porque vc não sabe ler.Qual parte de 'o indivíduo deve ser livre para acreditar no que quiser' que vc não entendeu?

Responder
anônimo 28/12/2014 18:13:30

'Você, que prefere usar um pseudônimo, me chama de estúpido e ignorante por eu traçar um pararelo entre estado e igreja. Por que não argumenta e demonstra que religiões e seus livros sagrados não são autoritários?'

1 Usar pseudônimo não torna nenhum argumento inválido. Ou válido.Então não tem porque mencionar isso.

2 Religiões e seus 'livros sagrados', enquanto não obrigarem ninguém a nada, são perfeitamente coerentes com o libertarianismo e não são autoritários coisa nenhuma.

Responder
anônimo 29/12/2014 12:24:50

anônimo:

Você é livre pra acreditar no que quiser. Isso eu não questionei, como você - exímio leitor - deve ter observado.

Não esqueça de obedecer direitinho as milhares de regras do seu livro sagrado. E têm algumas bem bizarras, não é mesmo?

E se eu for chamar alguém de ignorante, estúpido ou iletrado, usarei meu nome verdadeiro. Questão de honra.

Responder
anônimo 28/12/2014 18:19:42

'Antes de querer usar escrituras religiosas como fato, deve-se provar a premissa'...
'até que a ciência prove a existência de deuses'...


E a premissa de que a ciência é o único critério e a única forma de chegar na verdade, essa ninguém tem que provar né? Vc é incapaz de notar mas se contradiz o tempo todo, a sua própria lógica se baseia no cientificismo e no materialismo, filosofias com premissas aceitas intuitivamente, que não tem nenhum tipo de prova.
Neo ateus...o mcdonalds da filosofia

Responder
Luiz 30/12/2014 15:22:03

Questionar? O Norberto apenas alegou que "crentes" não podem ser libertários. É só uma alegação sem sentido, como de socialistas alegando que ricos odeiam pobres. Me admira um dito libertário querer "cagar regras" para terceiros ao estipular quem é ou não é libertário. Ele diz tirania do divino. Como ele faz a alegação cabe a ele o ônus de provar que existe uma "tirania divina". Ele ainda tenta sair pela tangente denunciando uma "óbvia relação entre totalitarismo estatal e religioso" mas não traz evidências dessa relação ficando apenas com joguinho de frases feitas.
O artigo não se propõe a enfiar goela abaixo a fé cristã apenas expõe uma interpretação que pelo visto não foi compreendida.

"e que a ciência prove a existência de deuses": poxa, usar o método científico que é usado para investigar a natureza física para provar que alguém não físico existe é no mínimo piada ou melhor cientificismo. Engraçado que a economia pela perspectiva austríaca é investigada pela praxeologia e não pelo método das ciências naturais.

Responder
gabriel 30/12/2014 19:31:19

Consigo entender o ponto do Norberto, fui criado num ambiente 'católico' mas não esse comentado aqui o qual aprendi a respeitar e admirar. Fui doutrinado pelo medo, razão a qual rezava muito e frequentava a missas não por fé mas por medo de punição. Isso era sempre reforçado de maneira que acredito não era um ambiente genuinamente cristão. Isso acabou com o passar do tempo me afastando da religião e criando certos mitos e preconceitos quanto a mesma que hoje vejo como infundados, acredito que seja o fruto de uma condução equivocada de abordagem religiosa que me foi incutido.
Enfim as leituras no IMB acabaram por me deixar mais em paz nesse ponto de revolta que eu tinha, mas certamente se continua com uma abordagem inadequada em diversos locais (não duvido nada que Norberto tenha passado por uma vivência nesse estilo) por isso consigo entender a revolta bem como admirar e respeitar os cristãos que tenham a visão como a relatada aqui.

Responder
anônimo 30/12/2014 14:10:42

Isso que é maravilhoso no "LIBERTARIANISMO", a pessoa adepta das idéias libertárias pode ser cristã, mulçumana, acreditar em duendes ou fadas ou simplesmente ser ateu. Viva a liberdade de ser cre no que a pessoa queira crer.

Responder
Silvio 30/12/2014 15:41:22

Vive la liberté!

Responder
Renato Souza 24/12/2015 17:30:02

Qualquer pessoa pode descrer de uma religião.

Mas o que muitos propõe é que não haja religião. Ora, a única forma de implantar a inexistência de religião é obrigando as pessoas não aderirem a nenhuma religião. Isso já foi tentado, e exige violência e coerção extrema (e mesmo assim a meta não foi atingida).
O ateísmo pode ser livre, mas o anti-teísmo é uma das coisas mais coercitivas e opressoras que já foi criada.

Responder
Sued 24/12/2015 18:54:34

O ateísmo militante (ou anti-teísmo) do século 18 e 20 foi bem violento mesmo.

Responder
Guto de Foz 02/06/2016 02:36:26

Parece que o Norberto andou lendo Bakunin demais... rsrsrsrsrs...


Responder
João 27/12/2014 20:07:33

Que bom ver este tipo de análise aqui. Era algo do que sentia falta.
Abraços

Responder
LUCIANO SILVA 27/12/2014 20:10:38

Segundo Hugo Chávez:
"Jesus foi o primeiro socialista: ele dividiu o pão e o vinho, e Judas foi o primeiro capitalista: vendeu Jesus por trinta moedas."

Pontos a considerar:

a) Tudo que Jesus fazia era de livre e espontânea vontade;

b) A maioria dos apóstolos eram trabalhadores (pescadores) e o próprio Jesus também trabalhava como carpinteiro, portanto viviam do trabalho que produziam e das trocas voluntárias que provavelmente faziam entre serviços e mercadorias.

b) Dentre as motivações de Judas para trair Jesus uma se baseia na expectativa de que o Messias acabaria com a dominação romana e iria criar um novo reino de poder sobre Israel.

Pergunta:

A frase de Hugo Chávez seria um sofisma (uma mentira, propositalmente maquiada por argumentos verdadeiros, para que possa parecer real)?

Responder
Jonathan David 27/12/2014 21:48:45

Jesus jamais apoiou o socialismo e jamais foi contra o capitalismo, que se dirá então da liberdade! Hugo Chávez não passava de um sofista. Quando da história do jovem rico, por exemplo, Jesus não foi lá e pela força tirou a riqueza dele quando o jovem se negou. Com Zaqueu a mesma coisa, jamais forçou alguém a nada. A mulher de Herodes que apoiava Jesus era rica e não por isso Jesus a desprezou. Aliás, o homem que oferece um sepulcro para o corpo de Jesus era de um homem rico. Há milhares de exemplos na Bíblia que provam como esses caras que querem justificar o comunismo/socialismo são mentirosos e enganadores.

Responder
Pobre Paulista 28/12/2014 01:10:05

Como um Cristão acho lamentável ver homens usando o nome de Jesus como sendo o primeiro (preencha com qualquer sistema político inventado pelos homens aqui)

Mas se quiser entrar numa discussão desse nível com alguém, recomendo citar a Parábola dos Talentos, onde é demonstrada a importância do livre mercado e dos investimentos ;-)

Responder
Rodrigo 29/12/2014 11:36:03

Outro ponto a ser considerado: Em diversas parábolas Deus é ilustrado como um empresário, um patrão ou alguém rico e de maior influência que os demais integrantes da narrativa.

Outro ponto: Jesus jamais pediu para que entregássemos nosso dinheiro ao Estado pra que ele fizesse justiça social. Pelo contrário, chamava todos à responsabilidade inidividual.

Responder
Sued 24/12/2015 18:51:13

Socialistas distorcem o que é o socialismo.

Socialismo NÃO É Caridade!

Responder
LUCIANO SILVA 27/12/2015 01:22:47

"Socialismo não é caridade" e "Serviço público gratuito".
Como explicar aos leigos que se tratam de duas impossibilidades?

Responder
Eduardo 27/12/2014 21:08:20

Somente o cristianismo é a verdadeira doutrina libertária, pois somente Jesus Cristo é "o Caminho, a Verdade e a Vida". Ninguém vai ao Pai, senão por meio Dele.

Responder
João 27/12/2014 21:38:42

Entendo que todos tem liberdade de crença, mas não entendo porque é grande a aproximação do cristianismo e do libertarianismo. Como defensor da liberdade, acredito que não é ético pessoas terem poderes sobre outras pessoas, e como libertário, acredito que a liberdade causa efeitos muito benéficos; porém, como ateu, vejo o cristianismo como simplesmente um monte de besteira, que não se sustenta pelos fatos e nem pelos resultados na sociedade.

Responder
Mateus 27/12/2014 21:51:44

Pode ver como quiser. Apenas não se esqueça de ficar na sua.

Responder
Lucas 28/12/2014 02:00:47

Naninanão. Ele pode se esquecer de ficar na dele sem problema algum. Enquanto os donos do site não se sentirem incomodados e quiserem bloquear os comentários dele, ninguém tem a autoridade de mandar o rapaz "ficar na dele".

Essa sua conduta é contraproducente e autoritária. Em vez de agir como um inspetor de escola e podar o colega comentarista, você poderia exortá-lo a dizer quais seriam as besteiras do cristianismo.

Responder
anônimo 28/12/2014 18:23:57

'Naninanão. Ele pode se esquecer de ficar na dele sem problema algum. '

Lucas, vc não entendeu nada.'Fique na sua' = pode pensar o que quiser, contanto que não imponha seus pensamentos pros outros pela força.
Logo esquecer de ficar na dele tem sim, vários problemas.

Responder
Lucas 30/12/2014 04:38:18

Nananinanão nanão, você é que não entendeu patavinas. O colega está apenas dizendo no que acredita, ou seja, ele não está impondo nada a ninguém, apenas expondo o seu ponto de vista e submetendo-o à discussão. Portanto, não há qualquer razão para dar um calaboca no rapaz. Dar uma de polícia do pensamento e mandar ficar na dele é uma esquerdice esquerdosa esquerdizante. Aqui é um espaço aberto de discussões e apenas os proprietários do site têm o poder de impedir que o rapaz se expresse.

Responder
Marcus 27/12/2014 22:39:54

Fiquei curioso agora, quais besteiras e quais fatos seriam esses?

Responder
Fsac 27/12/2014 22:50:32

Sou cristão porque quero, faço isso de forma voluntária. Não há uma igreja me ameaçando de prisão ou multa se eu não praticar ou se eu abandonar o cristianismo.

Responder
albert guedes 28/12/2014 01:40:44

O que você acha está dentro de sua liberdade de achar o que quer, mas quando você fala do cristianismo assim sempre passa na mente de um incauto que você quer proibi-lo. Confunde o fato de pessoas seguirem mandamentos que elas consideram sagrados - portanto necessários e não convenientes a crença - com imposição. Enfim, seu comentário foi um despropósito e irrelevante para o que o texto apresenta.

Responder
Joao 28/12/2014 03:26:46

A bíblia, como historiadora de deus para sua criação natural, não sabe do que fala. Biologia evolutiva, cosmologia, e outras áreas de conhecimento mostram como o pensamento bíblico sobre as leis naturais são infantis e inocentes. Por isso não vejo nenhuma inteligência superior por lá e não há sentido em dar crédito a moral contida lá. É por isso que é desconfortável ver o libertarianismo tentando ser corroborado por uma religião.
Tudo bem, o que sinto não importa, eu só não devo me intrometer na vida dos outros...
Mas pelo menos aqui, onde acredito que existam pessoas inteligentes, fico impressionado com tanta gente dando importancia a uma coisa que é tão insignificante perto do conhecimento humano.

Responder
Livio Luiz Soares de Oliveira 28/12/2014 04:04:12

Entendo que todos tem liberdade de crença, mas não entendo porque é grande a aproximação do cristianismo e do libertarianismo". Recomendo que leia The Victory of Reason: How Christianity Led to Freedom, Capitalism, and Western Success, de Rodney Stark, para esclarecer esse assunto. Como leitura auxiliar, recomendo também The God That Did not Fail: How Religion Built and Sustains the West, de Robert Royal.



"vejo o cristianismo como simplesmente um monte de besteira". Besteira é fazer uma afirmação gratuita como esta sem antes fundamentá-la de modo lógico, racional e científico. Grandes gênios da humanidade, como Kepler, Newton, Pascal, Huygens, Leibniz, Pasteur eram profundamente cristãos. Vai dizer que todos eram uns bestas?



"que não se sustenta pelos fatos " Leia a Física do Cristianismo, do renomado físico-matemático e cosmólogo norte americano Frank Tipler e verá que os principais ensinamentos cristãos sobre a pessoa de Cristo, como encarnação, nascimento e ressurreição são perfeitamente explicáveis sob o ponto de vista científico. O livro é excelente, mesmo considerando algumas passagens com conceitos difíceis envolvendo teoria da relatividade e mecânica quântica.



"e nem pelos resultados na sociedade" Sugiro a leitura do livro Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental, do economista "austríaco" Thomas E. Woods Jr. Indico de modo enfático também a leitura de dois clássicos: A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, de Max Weber, e Religion and the Rise of Capitalism, de Richard Tawney. Essas duas leituras são fundamentais para compreender as relações entre cristianismo e seus impactos na sociedade. Weber e Tawney foram os primeiros estudiosos a destacarem o papel da religião, especificamente o cristianismo, no surgimento do capitalismo e no desenvolvimento econômico.



Se você realmente tiver uma postura científica, leia esses livros como exploração introdutória. Porque afinal, ciência é confrontação de hipóteses. Subsiste a que melhor explica a realidade. Se dizer ateu e não confrontar hipóteses contrárias às suas crenças ateísticas é apenas um outro tipo de crença cega e irracional, e não tem nada de científico nisso.

Responder
Joao 28/12/2014 16:17:06

Definitivamente não sou especialista em história, mas acho que a cultura grega ia bem melhor na construção de uma sociedade racional do que foram os mil anos de idade média.
Sobre os grandes cientistas que você citou, todos eles morreram bem antes de Darwin nascer, que foi o que deu uma linha de pensamento alternativa (e experimentalmente correta) ao criacionismo, com excessão de Pasteur, que viveu na mesma época. Atualmente, físicos e biólogos tem enorme maioria de ateus, e outra boa parcela não acredita num deus pessoal como o cristão.
Agora falando sobre o que tenho mais segurança de falar, que é de física (sou estudante de física), atualmente explodiu a quantidade de livros que utilizam mecânica quântica e relatividade para criar explicações para suas crenças. Você está completamente enganado sobre a reputação entre os físicos sobre este livro do Tipler. Vou procurar para dar uma folheada nesse livro agora, mas pelas minhas pesquisas é mais um de misticismo quântico.
Os dogmas do cristianismo são mantidos por fé na bíblia. Não existe nada por lá dizendo que as coisas são feitas de átomos, que o tempo não é absoluto, que as forças que fazem as coisas caírem são as mesmas que mantém a lua em órbita, que existem bilhões de galáxias no universo, que as espécies evoluíram e continuam a fazê-lo, que existiram dinossauros no passado, que os seres vivos são feitos de pequenas células, enfim, nada que revelasse uma inteligência sobrenatural que sabia como era o universo por tê-lo feito. Existem só contos que se mostraram errados (como a criação, espécie por espécie) e histórias absurdas (cobras falantes, dilúvio de vários dias com todos os animais dentro de uma arca). Não há erro maior do que achar que o conhecimento científico corrobora o cristianismo.

Responder
Flavio 29/12/2014 13:30:29

Olá Joao.

A evidência é um fato, mas a interpretação da evidência é subjetiva. Um fóssil de celacanto é um fóssil de celacanto, um cientista deduzir pelo fóssil que o animal estava evoluindo para um anfíbio é subjetivo e se apoia na inclinação ideológica do cientista. O celacanto ainda é um peixe depois de milhões de anos. Você pode ter certeza das evidências, mas duvide da interpretação dada a elas. A ciência erra.

Responder
Lívio Luiz Soares de Oliveira 29/12/2014 17:49:39


a) "Definitivamente não sou especialista em história, mas acho que a cultura grega ia bem melhor na construção de uma sociedade racional do que foram os mil anos de idade média."

O achismo é um problema sério para a construção de um conhecimento sólido. Eu acho isso, você acha aquilo, o outro acha aquiloutro, todos acham e podem achar alguma coisa.

Vamos tentar discorrer em bases concretas e factuais. Falar sobre o que não se sabe é um caminho fácil para a confusão. Você pode não ter a mínima ideia, mas os conceitos teológicos cristãos tiveram um impacto decisivo na formulação de conceitos matemáticos avançados que foram decisivos para o progresso da ciência em geral. Leia o artigo intitulado O Elo Invisível Entre a Matemática e a Teologia, do dr. Ladislav Kvasz. Pode ser baixado aqui www.pucsp.br/rever/rv1_2007/p_kvasz.pdf .

O livro de Rodney Stark, que mencionei anteriormente, mostra como a teologia foi decisiva para a criação do método científico, principalmente em razão da escolástica medieval. Você pode considerar isso algo estranho, mas foi exatamente isso o que aconteceu. Os gregos tinham uma ciência natural meramente especulativa e nada empírica, com exceção da matemática. Foi a confrontação de hipóteses forjada pela escolástica cristã quem possibilitou o surgimento da metodologia científica baseada no teste de hipóteses. Não sou eu quem diz isso, mas cientistas renomados como Stark, com base em extensas pesquisas e não em achismos.

No mais, quando não somos especialistas em algo, ao invés de achar algo, devemos adotar a máxima latina: Ne sutor ultra crepidam (Não vá o sapateiro além do sapato).

b) "todos eles morreram bem antes de Darwin nascer, que foi o que deu uma linha de pensamento alternativa (e experimentalmente correta) ao criacionismo" . A Teoria da Evolução não trata de experimentação, pois a mesma requer, para teste de hipóteses, períodos muitos mais longos do que aqueles que a media de expectativa de vida humana pode alcançar. Estamos aqui lidando com períodos que vão de milhares, milhões de anos e bilhões de anos. Portanto, não se pode falar, stricto sensu, em experimentação neste cenário.

c) "Atualmente, físicos e biólogos tem enorme maioria de ateus, e outra boa parcela não acredita num deus pessoal como o cristão. " Mais um achismo, chutômetro puro. Quais fontes para essa afirmação?

Já que você não citou fontes, mas achismo, vou contra argumentar com dados empíricos e mostrar que você está bastante equivocado nesta questão. Stark, Iannaccone e Finke (Religion, Science and Rationality. The American Economic Review, v. 86, n. 2, p. 433-437, 1996, p.436), baseados em extensa pesquisa realizada pela Carnegie Comission, nos EUA, observaram que pesquisadores ligados às Ciências Exatas, como físicos e químicos tenderiam, em maior proporção, a professar uma fé religiosa e freqüentar cultos religiosos. A tabela abaixo representa os dados referentes à religiosidade, em termos percentuais, de 60.028 acadêmicos norte-americanos – um quarto do total do universo de acadêmicos dos EUA à época.


Área
Matemática e Estatística a)60 b) 47 c) 11
Física a)55 b) 43 c) 11
Ciências Biológicas a)55 b) 42 c) 11
Ciências Sociais a)45 b) 31 c) 13
Economia a)50 b) 38 c) 10
Ciência Política a)51 b) 32 c) 10
Sociologia a)49 b) 38 c) 12
Psicologia a)33 b) 20 c) 21
Antropologia a)29 b) 15 c) 19

Legenda: a)É religioso , b) Frequenta regularmente culto religioso, c) Opõe-se à religião.

Fonte: Rodney Stark. For the Glory of God: How Monotheism led to Reformation, Science, Witch –Hunts and the End of Slavery, 2003.


Perceba que, no caso norte americano, ao contrário do que você chutou, físicos e biológos estavam nas primeiras posições na escala de religiosidade entre os cientistas dos EUA. Esta pesquisa é considerada a mais abrangente do gênero realizada até hoje (STARK, 2003, p. 194).

Conforme Stark, dois resultados particularmente interessantes chamam a atenção quanto à propalada incompatibilidade, formulada pela tese da secularização, entre religião e ciência: os níveis relativamente altos de religiosidade dos acadêmicos norte-americanos e o maior nível de religiosidade dos acadêmicos das áreas cientificamente mais maduras, como as de exatas, em relação àqueles profissionais ligados à áreas científicas mais recentes, como a de Ciências Humanas. Ainda segundo Stark, talvez o resultado mais notável da pesquisa é que nas áreas ligadas à "Hard Science" os entrevistados tendem a freqüentar mais serviços religiosos, a se declararem como "profundamente" ou "moderadamente" religiosos e ter filiação religiosa. Os resultados se mantêm mesmo após serem realizados testes com variáveis de controle, como gênero, grupo étnico, idade e educação religiosa.


Não existe nenhuma pesquisa semelhante feita com cientistas no Brasil.

d) "Vou procurar para dar uma folheada nesse livro agora, mas pelas minhas pesquisas é mais um de misticismo quântico. "

Recomendo que você não apenas folheie o livro, mas o leia inteiramente com atenção e profundidade, sem restrições prévias. Suas pesquisas sobre o livro foram superficiais, já que o livro não trata de misticismo quântico. Não é nada na linha de Samit Goswami.

a) Sobre o último parágrafo do que você escreveu, é um grande erro pensar que a Bíblia trata de ciência. A Bíblia não é um livro científico. Evidentemente que o Universo não foi criado em seis dias. Evidentemente que a Bíblia não trata de átomos e de células, nem relatividade nem de teoria de campos. Estas coisas só foram descobertas recentemente.


Vamos fazer assim: você lê os livros que recomendei e depois voltamos a debater.

Caso queira entrar em contato, eis meu email livioluiz@hotmail.com

Cordiais saudações.

Responder
Renato 30/12/2014 05:36:34

Excelentes as contribuições do Lívio!

Responder
Silvio 30/12/2014 12:01:27

As observações do Lívio acerca da Teoria da evolução são estupendas e são inacreditavelmente pouco divulgadas. Verdade seja dita, o comentário todo foi matador.

Ave, Lívio!

Responder
maycon rogers ribeiro alves 30/12/2014 11:38:40

Concordo com seu ponto de vista, a teologia foi muito importante para desenvolver o saber científico, mas apenas no início pois é muito limitada racionalmente. Ela depende de suas crenças, de seus valores, e mais emoção do que razão.
Os EUA são uma aberração religiosa, sempre foi desde sua fundação, nenhum dado religioso de lá vale para outros países. São mais fundamentalistas que países árabes.
Um país onde pessoas que ensinaram as teorias de Darwin foram perseguidas e são perseguidas até hoje.(www.cientic.com/tema_evoluc_jorn6.html) Em um lugar que persegue as pessoas por não acreditarem em um deus ou em uma determinada corrente(mormóns) (www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs1708200806.htm)
O EUA não são exemplo, em questão religiosa para ninguém. Perseguiram judeus, católicos, mormóns, e hoje mulçumanos(bem que hoje está mais por debaixo dos panos).
Na Europa e Japão(na maior parte), a coisa é bem diferente, atualmente pelo menos. Já nos EUA pouco mudou só ficou mais brando.
Também acredito, que ciência e religião são incompatíveis(principalmente o judaísmo e suas derivações(cristianismo e islã)), mas isso não impede que um cientista tenha a sua. A fé não é única, todos adaptam a sua fé a seus valores, independente de religião.
O problema na fé é levar um livro mitológico a sério, se deus existe, por que teria que ser igual está na bíblia? A bíblia é o que o homem pensa de Deus, não o contrário. Por que não levam a sério os vedas ou mitos gregos, dá no mesmo.

Responder
Livio Luiz Soares de Oliveira 30/12/2014 13:48:01

"Ela depende de suas crenças, de seus valores, e mais emoção do que razão."

Basta ver o significado da palavra teologia para por em terra essa afirmação: Theos + Logos = Discurso racional sobre Deus ou sobre a Divindade. Razão é uma coisa, paixão é outra.


"Os EUA são uma aberração religiosa, sempre foi desde sua fundação, nenhum dado religioso de lá vale para outros países. São mais fundamentalistas que países árabes."

"O EUA não são exemplo, em questão religiosa para ninguém"

Dizer o quê de afirmações como estas? É a velha técnica da falácia do espantalho. Você apresenta dados sobre um tema e o interlocutor rebate com argumentos sobre um tema diferente, desviando o assunto. Não é a primeira vez que me deparo com esta técnica erística. Aqui mesmo no site, já debati com pessoas que, por mais que eu apresentasse dados e fatos, elas permaneceram irredutíveis, usando aquela mesma técnica. Schopenhauer fez escola ao ensinar sobre como vencer um debate sem precisar ter razão.

Tem pessoas que, por mais que se lhe apresentem argumentos, elas não querem dar o braço a torcer, pois já tem os seus preconceitos formados. Nem um milhão de argumentos empíricos poderiam mudar a opinião de pessoas aferradas aos seus preconceitos.


Responder
Livio Luiz Soares de Oliveira 30/12/2014 17:41:44

Silvio e Renato, grato pelos encômios dirigidos a este modestíssimo epígono da verdade.

Responder
Marcelli 21/02/2015 01:57:52



Olá João,
Acrescento q Darwin era religioso e, a partir de um certo momento passou a conduzir suas pesquisas como se Deus não existisse...
Mas, ao contrário do que vc pode imaginar, esse momento não foi fruto de um raciocínio lógico... Não!!
Isso ocorreu depois q uma de suas filhas faleceu ainda criança e Darwin ficou "revoltado" com Deus por ter levado seu "anjinho", ou seja, foi uma decisão emocional!! (Ver a biografia de Darwin, retrato de um gênio, de Paul Johnson)
Além disso, ao contrário do q se propaga, a teoria de Darwin baseia-se em microevoluções: por exemplo, duas espécies de aves
surgindo de um mesmo ancestral também ave. Mas, em suas observações, Darwin não encontrou evidências de macroevoluções: por exemplo uma ave cujo ancestral fosse um réptil ou um peixe, etc. Uma coisa é o q ele escreveu, ou coisa é o q interpretaram e repetem por aí feito papagaios...

Para o Maycon, dizer q o Islã é uma derivação do Judaísmo é uma colocação muito infeliz!! A coincidência é apenas o fato de ambas serem monoteístas, mas cada uma tem seu próprio Deus... O Islã pode até ter assimilado algumas tradições (costumes) judaicas e cristãs, mas não se pode por isso achar q o Islã descendeu ou derivou do judaísmo, pois se fosse assim então o cristianismo poderia ser também uma derivação do politeísmo, mas não é, visto q as essências são completamente diferentes!

Responder
diogo 27/12/2014 22:36:49

Me diga um único ensinamento de Jesus que da poderes sobre outras pessoas, você não sabe o que fala.

Responder
anônimo 28/12/2014 18:27:45

Se alguém te der um tapa, não dê outro em troca, mas ofereça a outra face.

Responder
Diogo 29/12/2014 14:37:13

Oi? Quer dizer que, não reagir a uma agressão me da poderes sobre outras pessoas?

Tenta de novo, estou te oferecendo a outra face.

Responder
anônimo 30/12/2014 04:39:15

O anônimo falou certo. Agir com a passividade desse versículo dá poderes para quem quiser me espancar mais

Responder
Diogo 30/12/2014 15:06:21

Errado, a partir do momento em que ofereço a outra face, o agressor tem uma permissão minha, não tem o menor poder sobre minha vida, ele não tem o controle das minhas ações, inclusive deixo de fazer o que ele queria/esperava que era o revide.

Responder
Silvio 30/12/2014 16:05:11

De fato, mas é sempre preciso ter muito cuidado ao usar essa saída da outra face, afinal, dependendo de quem o agride, oferecer a outra face pode significar até o fim da sua vida, o que é contrário à própria idéia de justiça, afinal, logo após sofrermos uma injustiça, não podemos permitir que uma outra injustiça, maior ainda, seja cometida. Citando Paulo VI a respeito desse assunto:

Não, Paz não é pacifismo, não esconde uma concepção vil e preguiçosa da vida; mas, proclama sim os valores mais altos e universais da vida : a verdade, a justiça, a liberdade e o amor.

www.vatican.va/holy_father/paul_vi/messages/peace/documents/hf_p-vi_mes_19671208_i-world-day-for-peace_po.html

Responder
Aksander 28/12/2014 00:12:49

Algumas correções:
1 - O Reino de DEUS na terra, é a implantação de sua lei nas nações, isso iniciou com a primeira vinda de CRISTO e tem se espalhado conforme o cristianismo vai a avançando. Por isso Jesus compara o Reino de DEUS com uma semente de mostarda.

2 - A afirmação a seguir é equivocada: "As "regras / leis do reino" como explicadas no sermão da montanha são diferentes de qualquer tipo de lei estatal que já existiu."

As regras e leis do Reino de DEUS estão espalhadas por toda a bíblia, suas leis foram impostas no antigo testamento, o que JESUS faz no sermão do monte é corrigir erros de aplicação e ensino de suas leis, as quais eram distorcidas pelos fariseus, JESUS mesmo afirma que não veio para revogar ou abolir a lei, mas para cumprí-lá.

Responder
ANDRE LUIS 28/12/2014 00:51:19

Muitos estratagemas utilizados pelos idólatras estatistas para neutralizar o avanço das idéias liberais, indo de temores infundados, passando por diversos tipos de falácias até mentiras grosseiras, são também usados contra cristãos que desejam influenciar nos destinos de suas nações.
O preconceito maior e mais danoso vem das próprias igrejas. Cristãos que sinceramente amam a Deus são levados a abrir mão de valores definidos por Deus como essenciais, apenas porque não foram suficientemente advertidos sobre as consequências de permanecerem politicamente inertes. As igrejas, por via de regra, se omitem do tema e desestimulam quem decide seguir por este caminho.
O vídeo a seguir dá um apanhado geral, colocando um pouco de perspectiva bíblica no assunto.
www.youtube.com/watch?v=WQ9gw24j5aI
Para aprofundar o tema, recomendo o livro do palestrante Stephen McDowell - Libertando as Nações - Livro este infelizmente caido em total esquecimento dentro das igrejas.

É muito importante que liberais entendam que a doutrina da não interferência nos assuntos da nação é algo exógeno, fruto do comodismo e letargia espiritual, e não pertence ao que diz Deus aos cristãos através da bíblia. É importante também entender que nem toda interferência cristã na política visa a implementação de uma guerra santa aos infiéis, nem a de concentrar poderes ilimitados às igrejas. Há sim quem vai por este caminho, mas o erro aqui é o colocar o filtro "cristão" em todos os casos.




Responder
Pobre Paulista 28/12/2014 00:55:21

Que maravilha ler um artigo assim aqui no Mises. Mal posso esperar pela análise de Romanos 13, estou curioso para saber se está alinhado com o que penso (em particular: Quem são realmente as "autoridades" que vêm de Deus?)

Responder
Filipe Luiz C. Machado 28/12/2014 01:37:20

Quem quiser conhecer mais sobre a interpretação bíblica, soba ótica libertária, acerca do uso de armas, pode adquirir meu livro: www.livro.reformahoje.com.br

Obrigado e parabéns pela tradução do texto!

Responder
Elson Junior 28/12/2014 02:05:20

Pode-se usar a teologia para refutar argumentos usados pelos religiosos mais confusos que são contrários à liberdade. Mas isso não seria andar em círculos? Abandonar a teologia (assim como qualquer religião) me parece muito mais libertário e vários autores já deram boas razões para isso... Philip Goddard dá ótimas aqui - www.clarity-of-being.org/reality.htm ....... Fora expressões como "cristãos deveriam"... cuidado, pois se falarem demais para cristãos (ou qualquer religioso) que "devem fazer isso ou aquilo", daqui a pouco vão encarar o IMB como encaram qualquer "autoridade" religiosa deles.

Responder
Robson 28/12/2014 02:54:22

O Evangelho ensina que fomos feitos para a morte e que esta vida é um teste, está escrito "aquele que quiser se salvar, pegue a sua cruz e me siga"

O socialismo, ao contrário, quer que a vida seja um mar de rosas porque é materialista por excelência, busca salvar o homem da morte criando um Paraíso na terra, ou pelo menos no discurso é assim, exatamente o contrário da ideia cristã sobre a natureza humana, nada mais claro do que a história da Torre de Babel, que ensina o homem não foi feito para esta vida, foi feito para a próxima.

Analogamente se para o cristão uma larva é feita para virar borboleta, para o socialistmo as larvas foram feitas para serem larvas numa sociedade perfeita de larvas, mas ainda continuam sendo larvas.

Responder
marcio carlos 28/12/2014 03:32:48

Achei muito interessante a abordagem do texto. Sou católico o que não significa que sou melhor que outros cristãos. Creio que Deus se revelou em Jesus Cristo e que existe uma vida após a morte baseado na ressurreição Dele. Apesar de ser bombardeado a todo instante com a ladainha da não existência de Deus, baseados na ciência ou nos acontecimentos milenares que ocorreram e ocorrem ainda hoje por aqueles que se dizem cristãos, entendo que se trata de homens e mulheres, sujeitos a falhas de toda a espécie. Portanto minha referência de vida é Jesus Cristo, o dos Evangelhos e das pessoas que viveram e vivem buscando imitá-lo. Quanto aos governos terrestres, meu relacionamento é com a obediência às leis do país conforme foi sucedendo o amadurecimento do povo brasileiro. Por melhor que seja qualquer governo (não é o nosso caso) nunca conseguiremos alinhá-lo com o Evangelho. Conheço bastante os meandros da sociedade e em tudo que existe, como estrutura social, há defeitos, erros, maldades, desequilíbrio, corrupção e egoísmo. Por isso Jesus separa as duas coisas e pede coragem para todos os que tentam viver o ensinamento Dele que é confrontado com o mundo. E, não há ideologia ou religião que conserte a nossa sociedade, não há. Espero viver na outra vida, uma vida plena sem as limitações que esse mundo me impõe

Responder
Rhyan 28/12/2014 13:44:40

Interessante. Eu pensei "como é fácil ser ateu, não há necessidade de malabarismos teológicos para encaixar uma visão religiosa numa ideologia política/econômica".

O problema é que ele conclui que este mundo está condenado e não está disposto a mudá-lo. É só esperar pelo reino dos céus. Infelizmente não é nada útil pra quem vive aqui e quer soluções reais.

Responder
Rodrigo 29/12/2014 11:37:20

E o pior é que ele está certo. Não há soluções reais para o que temos neste plano.

Responder
BOLSONARO 2018 29/12/2014 22:02:13

A religião cristã é a base cultural de toda a civilização ocidental (quer os ateus acreditem em vida após a morte, quer não): coloque uma carta fora do lugar e o castelo inteiro desaba.

Há mais de 2 mil anos que esses valores influenciam a nossa sociedade e moldam as instituições que existem ao nosso redor. Todos nós -- religiosos ou não -- respiramos nessa atmosfera desde que nascemos, temos o nosso modo de pensar e viver em grande medida determinado por ela e, salvo alguns casos patológicos, jamais deixamos de seguir esses referenciais e ideais ao longo da vida (ainda que de maneira inconsciente e irrefletida). Duvido que algum ateu criado em meio cristão, e que tenha ainda um pingo de decência, não sinta respeito por um São Thomas More ou um Santo Agostinho.

Querem ver como seriam as coisas se o cristianismo não existisse? Vão morar em um país islâmico ou comunista e sintam a diferença de ambiente e mentalidade.

Por essas e outras, a minha reação natural a projetos políticos que não se acomodam com a visão de mundo cristã é: coisa boa não pode ser. (a qual, creio eu, deveria ser a reação natural de qualquer pessoa sensata -- religiosa ou não --, que esteja mais preocupada em manter os pés no chão firme da realidade do que em embarcar no Trem da Alegria das utopias malucas).

Responder
RON PAUL 2016 30/12/2014 01:51:59

De acordo, mas espero que você não defenda a existência de um porrete estatal para enfiar o cristianismo goela abaixo do mundo inteiro.

Responder
Anarca da floresta 30/12/2014 11:27:30

A religião cristã é a base cultural de toda a civilização
ocidental


Não exatamente. A base teológica do cristianismo é o judaismo, que é
uma religião oriental. A base filosófica da *igreja católica* é o
individualismo grego. Esse sim, a base cultural única do ocidente:
conhece-te a ti mesmo. Ou seja, indivíduo, entende você mesmo. Não a
sua família, sua tribo, sua nação. Você.

A diferenciação do ocidente se deu exatamente pela manutenção dessa
idéia pela ICAR após a queda do império romano. E pessoas agindo com
base nessa idéia construíram a civilização ocidental.

A parte teológica messiânica é irrelevante para essa idéia existir.

Responder
BOLSONARO 2018 31/12/2014 01:01:21

Anarca da Floresta,

Com todo o respeito, discordo.

O filósofo Andreas Kinneging (que escreveu uma tese de doutorado sobre Antiguidade Clássica) tem, coincidentemente, um artigo abordando todos esses tópicos em que você tocou. Recomendo a leitura: www.firstprinciplesjournal.com/articles.aspx?article=181&theme=home&page=2&loc=b&type=ctbf

O cristianismo, de certo, deve muita coisa ao judaísmo e ao estoicismo greco-romano, mas não é a mesma coisa que eles.

Ao passo que o cristianismo é todo baseado no princípio do agape ("amor-caridade", que prega o amor universal e incondicional para com o próximo, quem quer que ele seja), o judaísmo sempre teve um quê de moral tribal, que cria toda uma série de discriminações entre o "povo escolhido" (judeus) e os "gentios" (não judeus). Se bem me lembro, o Rothbard diz em seu livro de história do pensamento econômico que até a questão da usura no judaísmo seguia um padrão duplo: os judeus só eram proibidos de cobrar juros entre eles mesmos. Dos outros povos, podiam fazê-lo à vontade.

E a moral greco-romana, por sua vez, sempre teve um quê de moral mundana (p. ex., aqueles "códigos de ética" seculares -- sem referência a um Deus transcendente -- que não servem para nada, só para alimentar a vaidade e o narcisismo de quem os segue e acha que está fazendo muita coisa).

Responder
Anarca da floresta 02/01/2015 11:40:05

O filósofo Andreas Kinneging (que escreveu uma tese de doutorado
sobre Antiguidade Clássica) tem, coincidentemente, um artigo abordando
todos esses tópicos em que você tocou. Recomendo a leitura:
www.firstprinciplesjournal.com/articles.aspx?article=181&theme=home&page=2&loc=b&type=ctbf[i]

Nada nesse artigo nega meu ponto principal, que o cristianismo (agape) é
irrelevante para o individualismo grego (razão). Parece que ele
concorda com ele, inclusive.

E sobre o individualismo grego ter sido incorporado ao cristianismo,
isso é factualmente incorreto. Ele foi incorporado em partes ao
Catolicismo e aos cristianismos derivados dele. Basta analisar diversos
tipos de protestantismo e grande parte da Rússia ortodoxa pra analisar
a profunda anti racionalidade dessas seitas.

[i]O cristianismo, de certo, deve muita coisa ao judaísmo e ao
estoicismo greco-romano, mas não é a mesma coisa que eles.


Fato. Não disse que eram.

E a moral greco-romana, por sua vez, sempre teve um quê de moral
mundana (p. ex., aqueles "códigos de ética" seculares -- sem
referência a um Deus transcendente -- que não servem para nada, só
para alimentar a vaidade e o narcisismo de quem os segue e acha que
está fazendo muita coisa).


Razão e moralidade são em geral independentes, e várias específicas
vezes, contraditórias.

Responder
Marcos 30/12/2014 11:28:08

Um sujeito que usa o nome de Bolsonaro agindo como prosélito cristão é tão convincente quanto um comunista defender o livre-mercado.

Responder
Rhyan 30/12/2014 20:32:54

Boça 2018: O Japão, Singapura, Coréia do Sul e Hong Kong provam que você está errado. Não precisamos necessariamente de valores cristãos, apenas de liberdade individual, sistema legal que protege a propriedade privada, livre mercado e moeda forte.

O que é mais bizarro é que direitas socialistas da moral querem impor esses valores através do imoral estado.

Responder
BOLSONARO 2018 31/12/2014 00:59:10

Rhyan,

Citar países asiáticos como alternativa ao cristianismo (e julgar o sucesso de uma sociedade com base apenas nos indicadores econômicos do dia) não é um argumento nada convincente.

O Japão é uma cultura em frangalhos: sua população média está envelhecendo, seu crescimento demográfico já é negativo e a família é, para todos os efeitos, uma instituição em extinção (os jovens não estão mais se casando e viraram antissociais que gastam toda sua renda profissional com pornografia, bonecas infláveis e perversões do gênero). Assista a este vídeo e veja o país que você está usando como exemplo de valores alternativos: www.vice.com/pt_br/the-vice-guide-to-travel/a-industria-do-amor-japonesa

Em outras palavras, eles podem até ter dinheiro no bolso (por enquanto), mas não tem futuro nenhum como sociedade.

E Cingapura pune o crime de imigração ilegal com chibatadas e o de tráfico de drogas, com pena de morte. Que belo paraíso para um libertário se espelhar, não?

Quanto aos outros países que você citou, eu não conheço o suficiente para dar uma opinião muito embasada. Então vou falar apenas algo bem genérico, "one size fits all".

O Hans-Hermann Hoppe tem uma aula interessante sobre religiões comparadas e crescimento econômico (https://www.youtube.com/watch?v=4Gns-pGIHUY), na qual ele fala coisas boas sobre as religiões asiáticas, que, tradicionalmente, valorizam as instituições da família e da autoridade secular tanto quanto o cristianismo. Na verdade, até mais. Afinal, no cristianismo, a obediência à família e à autoridade sempre teve como limite a consciência moral do cristão. No Oriente, ao contrário, não há limite algum e as instituições seculares são praticamente endeusadas -- tornando esses países, assim, um terreno bem mais propício para o autoritarismo moral e político do que o Ocidente (vide o que Cingapura faz com os libertários mais serelepes que resolvem dar o ar da graça por lá).

Sendo assim, para quem considera a moral cristã opressiva demais, usar o Oriente como referência me parece ser uma estratégia contraproducente: é um tiro que sai pela culatra.

Responder
Rhyan 02/01/2015 01:34:32

Você acompanha HHH e gosta do Bolsonaro? Qual o seu problema?

Sobre os argumentos não tem nem o que discutir, como se pornografia ou excentricidade fosse motivo de falência de um país... os EUA são o país com a indústria pornográfica mais forte do mundo.

Responder
BOLSONARO 2018 07/01/2015 16:16:24

Rhyan,

Uma sociedade em que 60% das pessoas não constitui família e vive um estilo de vida hedonista é, inevitavelmente, uma sociedade sem bebês -- o que, no longo prazo, significa uma sociedade sem força de trabalho.

Considerando que, sem força de trabalho, não pode existir produção, então, a resposta é sim: a falência moral de um país é causa direta de sua falência econômica.

Quanto à situação dos EUA (que estão enveredando pelo mesmo caminho que o Japão), sugiro a leitura do livro do Patrick Buchanan (que pode ser acusado de muita coisa, menos de ser um neocon militarista): www.amazon.com/The-Death-West-Populations-Civilization/dp/0312302592

Responder
Felipe 07/01/2015 18:19:34

"Uma sociedade em que 60% das pessoas não constitui família e vive um estilo de vida hedonista é, inevitavelmente, uma sociedade sem bebês"

E a mães solteiras?

Responder
RON PAUL 2016 08/01/2015 00:33:50

Se acabarmos com o welfare state, as famílias tradicionais ressurgirão com força, como que por mágica. I guarantee it. Assim, se você preza tanto pela família, que lute para que o estado tire suas patas sujas dela.

Pedir mais estado para resolver um problema que ele mesmo criou é de uma imbecilidade à toda prova.

Responder
anônimo 02/01/2015 08:02:05

Qatar tb não é cristão e é bem rico....

Responder
Magno 02/01/2015 11:55:06

Tira o petróleo e sobra o quê?

Responder
Carlos 02/01/2015 12:38:24

Tirar o petróleo do que, de quem ou de onde?

Responder
Magno 02/01/2015 13:29:00

Qatar. Não está acompanhando a discussão?

Responder
Malta 02/01/2015 16:47:14

Ah tá, tem razão. Passei desapercebido pelo comentário anterior mesmo. E sim, estou acompanhando a discussão. É que estou dando uma de Fernando Pessoa e usando heterônimos.

Sobre a pergunta anterior, Iraque, Irã e Venezuela estão cheios de petróleo e nem por isso estão bem, muito pelo contrário. Então a obra do povo de Qatar não é pouca coisa, mesmo com a mão dada pelo petróleo.

E, dando razão ao Bolsonaro2018, o povo do Qatar só enriqueceu o tanto que enriqueceu porque aderiu grandemente ao modo de vida ocidental, como se pode ver nessa matéria.

Responder
anônimo 02/01/2015 08:13:30

Bolsonaro, na boa. O Japão continua sendo um dos melhores país para se viver. Onde se vive mais

E o japonês, é um povo poupador, por isso eles preferem ver uma pornografia do que gastar com baladas.

E chega a ser irônico, um cara que quer o Bolsonaro na Presidência — notório por defender políticas de controle de natalidade, tem até um projeto de lei tramitando que prevê que nós paguemos por cirurgias de laqueadura e vasectomia para promover a promiscuidade e o controle de natalidade — vir aqui falar em defesa dos valores cristãos. Para o Bolsonaro, isso que tá acontecendo no Japão é bom e serve até de exemplo para o Brasil.

Não se iluda com esse Bolsonaro, achando que ele é cristão conservador...

Responder
Silvio 02/01/2015 12:33:27

Infelizmente o japonês não é mais o povo poupador que costumava ser:

The nation that used to save 23% per year is now cashing out by 1.3%.

But who needs savings, when you have a central bank that creates wealth out of nothing?
Want to retire in comfort? You can feast on a plate full of sushi stuffed with digits!
Abenomics is Asian Keynesianism.

Responder
Rhyan 03/01/2015 00:39:29

Japão é keynesianismo radical por décadas, exceto a deflação, mas falar que é um país ruim pra viver já é demais.

Responder
Andre 06/04/2015 19:20:11

" O Japão, Singapura, Coréia do Sul e Hong Kong provam que você está errado. Não precisamos necessariamente de valores cristãos, apenas de liberdade individual, sistema legal que protege a propriedade privada, livre mercado e moeda forte."



Rhyan, vc por acaso já leu os artigos aqui do próprio site sobre as origens do livre comercio e da escola asutriaca? por favor leia, antes de dizer que "valores cristãos não são necessários".

Responder
BOLSONARO 2018 07/01/2015 16:19:32

anônimo,

Eu não concordo com tudo o que Jair Bolsonaro defende (assim como não concordo com tudo o que Aécio Neves defendia ano passado, mesmo tendo votado nele).

O que penso sobre a possibilidade de tê-lo na presidência é mais ou menos o que Mises pensava sobre a ascensão do fascismo na década de 20: é um "navio quebra-gelo", uma medida de emergência para evitar males maiores e mais imediatos.

"It cannot be denied that Fascism and similar movements aiming at the establishment of dictatorships are full of the best intentions and that their intervention has, for the moment, saved European civilization. The merit that Fascism has thereby won for itself will live on eternally in history. But though its policy has brought salvation for the moment, it is not of the kind which could promise continued success. Fascism was an emergency makeshift. To view it as something more would be a fatal error". (MISES, Ludwig von. Liberalism: in the classical tradition. 3. ed. New York: FEE, 1985, p. 51).

Responder
Cristian Rahmeier 11/05/2015 02:35:25

A sociedade nunca poderia chegar ao nível de desenvolvimento sem o cristianismo, a não ser que todas as pessoas fossem tratadas como judeus. Impossível. Se alguém recebe muita grana não importa se ela tem religião ou não, nem que viva em um país livre. Nas duas opções as pessoas poderiam ter muito dinheiro, uma prostituta pode vender seu corpo por R$5.000,00 reais por noite; em um país opressor você pode receber muito dinheiro e ser próspero também. Mas um fato não podemos negar, nos dois casos, a riqueza não teria sustentabilidade a longo prazo para quem o ganhou. Eu acredito que a ideia de liberalismo só é correta porque funciona por muito mais tempo comparando a todas as outras já praticadas em todos os tempos, ou seja, a longo prazo não nenhuma tem mais respeito. Outra instituição que deve funcionar a longo prazo é a família, caso contrário todo o valor do liberalismo é perdido como o sabão na água. Qualquer país que deixar de seguir os valores familiares só tem um destino, a saber, a ruína. Só pra constar, família é um valor judaico-cristão. Para quem acredita que o cristianismo não construiu a nossa civilização pode ver quão importante foi o cristianismo para nós: https://www.youtube.com/watch?v=m5siHd1P5zk

Responder
Daniel Costa 28/12/2014 14:16:34

Caros,
não sei porque Jesus teria que ter resposta pra tudo, e também não sei porque sempre teria que se expressar corretamente, sem erro. passados mais de dois mil anos,Cabe a cada um interpretar os textos bíblicos segundo valores da não agressão independente das incertas palavras de Jesus (ou quem as escreveu ou interpretou). Por isso, procuro não me prender muito em certos diálogos da bíblia. Mas reconheço que devamos, nós libertários, incentivar sempre uma sociedade cristã, por preservar valores não totalitários, entre outras coisas.

Responder
João Paulo Barriga 30/12/2014 01:48:36

Uma vez que Jesus seria a encarnação do próprio Deus, que é omnisciente, não sei porque não deveríamos esperar que ele tivesse a resposta para tudo. E, uma vez que Deus também é omnipotente, não sei porque não deveríamos esperar que ele desse se expressasse corretamente, sem erro.

Seus requisitos seriam razoáveis se você considerasse Jesus como um mero homem, falível e imperfeito por natureza. Mas não é disso que trata o cristianismo.

Responder
Jeferson 30/12/2014 16:52:03

Acredito que daqui a 2.000 anos a ciência vai ser bem diferente do que é hoje. Diversas das teorias que temos hoje serão descartadas, outras serão comprovadas, outras novas surgirão, e dentre essas, muitas serão descartadas e outras se comprovarão corretas. Provavelmente a visão da física sobre o universo vai ser diferente. A visão da química sobre a matéria terá diferenças. As idéias sobre a vida e os seres vivos serão diferentes.

Certamente se algum cientista vier do futuro, puxando ainda mais, do ano 5.000 d.C., ele teria muito trabalho para explicar PARA OS CIENTISTAS do presente as idéias de sua ciência contemporânea. Conseguiria, mas teria que ensinar muita coisa para eles, até que eles pudessem começar a entender os fundamentos dessas teorias.

Ainda assim me surpreende que as pessoas esperem que Deus explicasse para pessoas que viveram há 4.000 anos atrás (2.000 no caso específico dos contemporâneos de Jesus) detalhes sobre o surgimento e o funcionamento do universo, desprezando completamente as limitações das pessoas que receberiam a mensagem em compreendê-la, que dirá da capacidade delas em transmitir.

Na verdade, eu sei que vocês não esperam isso, mas acham que isso é um argumento aceitável, desconsiderando tudo o que eu cabei de dizer. Se essas coisas fossem consideradas, e mesmo assim, iluminados por Deus os profetas tivessem deixado esse tipo de conhecimento, certamente vocês mesmos hoje em dia diriam que associar textos bíblicos a metáforas com descobertas científicas é um grande absurdo, é forçar a barra, etc.

Se considerar que a Bíblia como um todo foi um livro escrito com o único fim de ensinar ao homem o plano divino para a salvação de suas almas, ele é um livro completo. Quando você quer tomar a bíblia como um relato histórico, como um código civil e penal, como compilação poética, ou como uma tentativa de explicar o universo, ela é extremamente limitada, quando sequer é capaz de sê-lo.

Responder
diogo 28/12/2014 23:26:09

As pessoas não entendem a diferença entre voluntário e coercitivo, e fazem comparações descabidas entre religião e estado.

Responder
rodrigo d. 29/12/2014 01:49:19

Eu realmente acho que religião e opção de cada um, não sendo problema de mais ninguém. Igual orientação sexual.

Como ateu, eu gosto muito dos ensinamentos do novo testamento. Mesmo tratando o livro como uma obra de ficção não deixo de aprecia-la.

No fim é isso. Liberdade sempre.

Responder
Yonatan Mozzini 29/12/2014 11:07:01

Prezados amigos e leitores do IMB,

Quanto às questões entre liberalismo e cristianismo, gostaria de procurar esclarecer (ou relembrar) algumas coisas:

1) Nós, cristãos, somos 'propriedade privada' de Jeová, nosso Criador. A Ele pertencemos, e unicamente a Ele. A ninguém na terra chamamos de pai e senhor (incluindo qualquer governante), pois apenas somos residentes forasteiros nessa terra, aguardando o reino eterno e permanente de Deus;
2) Estamos dispostos a quebrar qualquer lei e regulamento humano, privado ou estatal, que vá contra os princípios de nossa fé, e entregar nossos corpos à morte, caso necessário;
3) Somos contra qualquer tipo de tirania, pois esta foi criada por Satã. No entanto, devemos ser mansos. Assim, somos contra qualquer tipo de insurreição, revolução ou tomada de poder através de armas e força bruta. Como o apóstolo Paulo disse, em I Coríntios 7: "Foste chamado sendo escravo? Não te preocupes com isso. Mas se ainda podes conseguir tua liberdade, aproveita a oportunidade." Quanto à questão da política humana, há ainda vários outros trechos bíblicos. Paulo diz, em I Timóteo: "Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade". Ainda há muito mais em Romanos 13, mas ainda gostaria de não comentar agora, o próximo artigo do IMB irá discorrer sobre esse assunto.
4) Cobrar tributos como o governo faz, isto é, de modo não voluntário, sob a ótica divina, é roubo. É errado e sempre foi. Na antiga nação de Israel não havia rei, apenas juízes, e estes não espoliavam um centavo sequer do povo; não havia tributos. Deus os advertiu o que ocorreria caso eles optassem por um rei. No entanto, quando Jesus diz para dar a César o que é de César, ele nos remete ao princípio da mansidão, assim como diz, também, no sermão da montanha: "se alguém te obrigar a tirar a túnica, entrega também a capa; se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas; se alguém te ferir na face direita, oferece-lhe também a esquerda." Negar o pagamento de impostos aos espoliadores não é uma atitude sábia, e Deus já nos advertiu. Jerusalém foi destruída em 70 d.C por não se sujeitar ao pagamento de impostos a Roma.

De qualquer forma, o que quero dizer é que, como submissos a Deus, somos submissos às autoridades, às regras de onde vivemos, sejam regulamentos no nosso condomínio, nosso município, ou mesmo país. Se vivêssemos no anarcocapitalismo, seríamos obedientes ao PNA, respeitando os tribunais privados, orando a Deus para que julguem em verdadeira justiça. Então, como diz o texto, sempre procuraremos servir a Deus para que tenhamos uma vida quieta e sossegada. Então, quando tivermos a oportunidade de promover regulamentos, seja na política dentro de empresas ou mesmo no governo público, devemos sempre fazer obedecendo aos princípios do amor a Deus e amor ao próximo.

Responder
anônimo 29/12/2014 12:29:26

O autor apenas enfatiza aquilo que ele mesmo acredita. Procura satisfazer sua crença num exercício de convencimento da própria interpretação. De nada adianta qualquer opinião contraria ja que o autor é um devoto. Seria a mesma coisa querer alguma novidade de um esquerdista sobre Marx. Muitas coisas deixam claro que o caminho da igreja em muito se parece com o Estado, inclusive aquele de que quem não crer pagara caro pelo ceticismo. Onde estaria a liberdade aqui?



Responder
Anderson Nunes Vieira 30/12/2014 15:59:09

Eu também queria um diploma de agrônomo sem ter feito agronomia, sei plantar, sei colher, sei tomar conta de fazenda e sei como funciona o mecanismo das plantas. Mas não deixaram eu ter o diploma de agrônomo sem fazer agronomia. affff.

LIBERDADE NÃO É IGUAL A LIBERTINAGEM.

Você pode até não acreditar em Deus e tem o direito e liberdade de não acreditar nEle, assim como Ele também tem o direito e liberdade de querer com Ele somente aqueles que acreditaram nEle. Como vou querer alguém em minha casa se quer não acredita que eu exista? ou pior que nem acredita que exista a casa para onde ele possivelmente reclama de não poder ir caso após a morte descobrir que ela realmente existe?

Ateu não precisa ter medo de ir para o inferno, afinal ele não existe não é? Mas, lembre-se a probabilidade de existir céu e inferno matematicamente é de 50%.

Responder
Marcio 29/12/2014 14:06:56

O artigo é bom por tratar de um assunto que pode ser importante para cristãos. Muita gente aqui pode achar: "bom, a Bíblia não é claramente a favor dos estados e da tributação, e o kiko?", mas essas pessoas são inteligentes o suficiente para ver que o artigo não prega nenhuma religião e apenas tenta mostrar pra religiosos que a Bíblia não condena a liberdade.

Seria muito triste se alguém deixasse de ser libertário só porque ele pensa que a tirania do estado está justificada pela Bíblia, assim como muitos eram a favor da escravidão e da servidão porque achavam que essas práticas estavam justificadas pela Bíblia. Muita gente é violentamente contra o homossexualismo também porque acha que a prática está condenada pela Bíblia, sendo que ela é tão condenada quanto a escravidão e servidão são apoiadas.

A verdade é que, mesmo que a Bíblia fosse claramente a favor da cobrança de impostos, ninguém precisa seguir a Bíblia. Sabemos ou sentimos que é errado e ponto final.

Responder
Gabriel d 29/12/2014 20:12:26

Ateus mimimi e sua ética existencialista, sempre flertando com o fascismo.

Responder
Cristiane f 30/12/2014 02:05:45

Ora, ora. Fascismo implica necessariamente na aceitação do estado. Por sua vez, o ateísmo em si nada tem a ver com o problema estatal. Aliás, ser ateu implica tão somente em não acreditar em deidades.

Posto isso, peço-lhe: pare de perseguir ateus como um todo. foque seus ataques apenas nos indivíduos ateus que querem trocar o Deus judaico-cristão pelo deus estado.

E peço isso porque, caso você não saiba, há diversos ateus que são amigos do cristianismo e que não merecem ser insultados gratuitamente. E sim, incluo-me nessa categoria.

Responder
anônimo 31/12/2014 10:23:30

'Posto isso, peço-lhe: pare de perseguir ateus como um todo. foque seus ataques apenas nos indivíduos ateus que querem trocar o Deus judaico-cristão pelo deus estado.

E peço isso porque, caso você não saiba, há diversos ateus que são amigos do cristianismo '

Acho que ele já fez isso, ao se referir apenas aos 'ateus mimimi'

Responder
Cristiane f 03/01/2015 01:47:27

Lendo seu comentário, agora fiquei sinceramente na dúvida se esse mimimi era uma ofensa aos ateus em geral ou era apenas a definição de um subgrupo entre os ateus.

Se for o primeiro caso, mantenho minhas críticas; se for o segundo, peço desculpas ao gabriel d., pois não tenho como deixar de concordar que muitos ateus (para o meu pesar e espanto) trocam o cristianismo pelo socialismo/comunismo, fascismo ou qualquer outra porcaria totalitária.

Responder
Felipe 30/12/2014 19:49:28

Quem flertava com o fascismo era a igreja.

www.midiaindependente.org/pt/red/2012/01/502008.shtml

Responder
Rodrigo 30/12/2014 22:38:47

"Em Mateus, a terceira tentação de Cristo são "os reinos do mundo e seu esplendor", os quais Satã promete dar a Jesus caso ele seja subserviente a Satã."

Vou traduzir uma dessas ações recentes:

Dilma precisa aprovar a quebra da constituições aprovando a Lei de Diretrizes fiscais, sendo inconstitucional, e rasgando a constituição. Só que para aprovar, precisava dos votos.


Então Satanás veio e falou:"Se aprovarem, vocês ganharam o Natalão no valor de 748 mil reais".

Quem acertar ganha um aperto de mão de amigo:

1. Eles venderam suas almas para ganharem 748 mil reais?

2. Quantos foram? (Uasuauaua)

3. Agora a pergunta. Quantos teriam dignidade suficiente para negar? (uauaua)


Pra mim só existe 2 tipos de pessoas no mundo: Os sábios, e os tolos. Independente de cor raça e religião.


Não adianta negar o fato que um livro pequeno, escrito a 2 mil anos atrás está acertando tudo que está acontecendo hoje. Então este "livrinho", está longe de ser fantasia.

Então para aqueles que ficam falando essas historinhas defasadas, tentando de alguma forma justificar suas safadezas, parem de balela. Aceitem que doi menos. As coisas que estão escritas na bíblia estão acontecendo diantes de seus olhos queiram ou não. =)

Não importa o que você quer acreditar ou não. O que importa é o que as escrituras ensinam.

Parece uns 3 caras que estavam falando sobre a bíblia, tentando negar ela de qualquer forma. Se ela é mentira, porque incomoda tanto? Hannn? Alguém pode explicar? Se ela não coloca uma arma na sua cabeça para vocês fazerem o que ela quer. Então porque tanto temor? Falem ... Pelo jeito sem respostas né. Marionetes ou Papagaios de mera repetição? Creio que os 2.

Soube que os 3 tinham os livros do Senhor do Anéis .... Barbaridade né kkkk.

Vão ver política, economia, filosofia ... Coisas mais úteis. Mas po, os caras falavam dos Senhor dos Anéis como se existissem de verdade. Como se o livro fosse um deus .... Puts grilo.

E não me venham com esta de que o mundo está se quebrando por causa dos cristãos não. Se nossos governantes do mundo todo, fossem cristãos, ou tivessem até mesmo estirpe, ou moralidade, e desse valor sobre o que é justo ou injusto, certo ou errado, o mundo não estaria como está.

O mundo está cada dia indo para o lado pior? Simmmmmmmmmmm. Isso que dá se afastar das verdadeiras qualidades.

Basta ver o que está acontecendo. ONU odeia Deus. Os políticos odeiam Deus. Os macumbeiros (sacrificadores de animais, e oradores de demônios, desejando o mal dos outros), satanistas (sacrificadores de crianças), ONU (que vai conseguir sim, uma ditadura mundial, pois todos os governantes estão do lado dela, e quem não estiver, eles vão matar). Voltaremos a o império Egipcio sim. Queiram ou não. Só que será mundial meus queridos. Ou acham porque o presidente mulçumano Barack Obama comprou armamento de calibre pesado, e munição para 20 anos de guerrar interna? Pois, os campos de concentração, estilo alemanha nazista, conhecidos como FEMA, está toda em prontidão nos EUA.


Eles vão cumpris o que está escrito nas pedras da georgia. Reduzir a população mundial em 80 a 90 % (para 500 milhões apenas).


Vamos lá ao livro da "fantasia"?

Mateus 24:21, Jesus diz: "Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver."

Vamos novamente?

Daniel 12:1b, que diz: "E haverá um tempo de tribulação, qual nunca houve, desde que existiu nação até aquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro."

Então é isso.

Vamos viver com honra. Vamos nos unir que é melhor. Nós somos um só. Filhos de Deus. Queiram ou não. Nós podemos fazer deste mundo melhor. Mas não vai ser lutando um contra o outro, mas com estes, que estão nos colocando uns contra o outro, e estão tramando nosso extermínio, a todo custo eles farão isso.

Abraços.

Responder
Leninmarquisson da Silva 02/01/2015 02:05:36

Rodrigo;

Não sei quem são esses 3 retardados com o livro do Senhor dos Anéis, mas pra quem leu a obra e entendeu, e conhece um pouco da história pessoal do Tolkien, vai ver que Senhor dos Anéis é uma das histórias mais cristãs que existe.

Basicamente a história diz: lute pelo que você ama, até o fim, apesar de toda a adversidade, e mostra que não importe o quanto você lute, a vitória só vem através da divina providência, mesmo quando toda a esperança está perdida. Além de outros elementos cristãos, como o antagonista Sauron e seu mestre, Melkor, ressentido e com inveja da criação, tentando copiar a criação (que falha, resultando nos Orcs e Uruks), anjos caídos (Maias que se tornam Balrogs), tentação (o Um Anel) entre outras coisas.

Foi um livro censurado por causa de alguns cristãos idiotas, mas é essencialmente uma história cristã. Se quiser saber mais, por favor veja:

https://padrepauloricardo.org/episodios/o-senhor-dos-aneis

Responder
Rodrigo 02/01/2015 16:04:38

Vou lhe falar uma coisa. Eu gosto do filme também.

O que mais me apaixono em um filme, são atos como o que você descreveu.

Atos de humanidade, coragem, honra, atos justos e dignos de verdade.

Atos que nos fazem se sentir vivos, porque o outro lado, é apenas um fingimento de vida.

Uma coisa que odeio, que é uma manipulação para lá e para cá, praticamente insesante, e de todas as formas, em nos adoçar. Eles sabem no que isso nos transforma. Em escravos passivos.

Sabemos, no nosso íntimo, o que é correto ou errado. Não adianta nós tentarmos se enganar. Agente sente. Fica incomodando na nossa mente. Não dá certo.

Então, é isso que concordo. É nisso que vivo. Se você tem medo de morrer, você nunca vai saber o que é vida de verdade. Eu falo assim, é a tentativa do homem de fazer disto tudo, uma eternidade. Nós sabemos que isto aqui não é a eternidade. Todos nós sabemos que isto tudo é passageiro. Fora isto, não sabemos mais nada.

Então vale à pena viver intensamente, e lutar por uma boa causa. Como diz em filmes como o 300. Morrer por uma boa causa, é viver e se sentir vivo, por toda a eternidade.

Como alguns colegas falaram, se temos alguma liberdade hoje, é porque muitos lutaram pela liberdade que temos hoje.

Mas não duvido que chegou a nossa vez, de fazermos isso, por nós e por aqueles que merecem a infância que tivemos, netos, filhos, bisnetos. Eles merecem.

Isso é viver por toda eternidade. Isso é construir a eternidade. Isto é prolongar nossos dias, de toda a nossa raça, neste lindo planeta azul. Lutar, conquistar, reagir, amar, com toda a sinceridade e honradez.

É o nosso dever de cuidarmos um dos outros, e de tudo isto aqui.

É nisto que eu acredito!!!

Responder
Silvio 02/01/2015 17:24:30

O Senhor dos Anéis também tem uma mensagem libertária muito importante: não importa quem use o Um Anel, ele o corromperá. O Um Anel não pode ser dominado, ele escravizará seu usuário. A única forma de lidar com o Um Anel é destruindo-o para todo o sempre.

Essa mensagem é muito importante para aqueles que acham que podem reformar o estado por dentro, pois, como diz Lew Rockwell:

A única função do estado é ser um aparato de coerção e compulsão. Esta é a sua marca distintiva. É isso que torna o estado o que ele realmente é. Da mesma maneira que o estado responde bem a argumentos de que ele deveria ser maior e mais poderoso, ele é institucionalmente hostil a qualquer um que diga que ele deveria ser menos poderoso e menos coercivo. Isso não quer dizer que algum trabalho feito "de dentro" não possa gerar algo de bom, em algum momento. Porém, é muito mais provável o estado converter o libertário do que o libertário converter o estado.

Todos nós já vimos isso milhares de vezes. Dificilmente são necessários mais do que alguns poucos meses para que um intelectual libertário que tenha ido para o governo "amadureça" e se dê conta de que seus ideais eram 'muito pueris' e 'insuficientemente realistas'. Um político prometendo tornar o governo mais manso e mais submisso rapidamente se torna um proeminente especialista em criar novas maneiras de tornar o estado mais eficiente no confisco da riqueza alheia. Tão logo este fatídico passo é tomado, não há mais limites. Conheço pessoalmente um burocrata americano que havia jurado fidelidade à filosofia libertária e, mais tarde, ajudou a implantar lei marcial no Iraque
.

Responder
Léo Oliveira 31/12/2014 16:18:05

Parabéns à todos deste espaço (c/ exceção de alguns depoimentos); cada um deve ter a sua opinião e se quiser, por algum motivo, prová-la, ou sei lá, argumentá-la!

Apenas deixo um recado à todos, independentemente de religião: Não se transforme em ignorantes, jamais!

Uma coisa é encontrar 1000 razões para justificar a sua teoria, tese, ou sei lá, outra coisa é querer que os outros acreditem neste conteúdo!

Estamos seguindo para destruição da humanidade e só. Vejam as questões climáticas, politicas, espirituais, uma zona só.... mas fiquem tranquilos: Vc´s não pagarão nenhum centavo, mas seus filhos, netos, bisn....

Eu devo amar à todos, porém tenho o direito de discordar de todos!

Responder
Leninmarquisson da Silva 02/01/2015 02:31:08

A discussão tá longa e eu to com preguiça, mas aqui vai algumas coisas:

A teoria do Big Bang, desenvolvida pelo George Gamov, surgiu de um padre belga, Georges Lemaître, e pra mim não invalida em nada o criacionismo ou o design inteligente. E também não explica de onde tudo veio, só o nosso universo. Pelo pouco que sei, o Hawking teoriza que a criação espontânea é perfeitamente possível, desde que haja as "leis do universo" mas, para que haja tais leis, deve haver um universo, e aí o negócio entra numa lógica circular tosca.

Por definição, "nada pode sair do nada (vazio)". Então cientistas assumem que tudo veio do Cosmos (atemporal, sempiterno, por meio do qual todas as coisas existem). Porra, essa é a definição de Deus. A única diferença que separa as duas visões é a crença de que o "Cosmos" é um ser sapiente (Deus, mesmo que, para alguns, seja apenas um "observador passivo, deixando a coisa rolar até a hora que decidir agir), enquanto para outros é apenas algo sem sapiência que simplesmente sempre esteve lá, impossível de se explicar porque ele transcende o próprio conceito de tempo. Mas mesmo assim, dá pra considerar que toda a criação surgiu por acaso, se você considerar que Deus simplesmente quis jogar dados e ver no que dava. Pra alguém que não está preso ao tempo e transcende passado, presente e futuro, tudo "ao mesmo tempo", jogar dados é só uma questão de escolha. Não invalida em nada a crença em Deus. A questão principal a ciência não consegue responder: como algo vem do "nada absoluto"?

Mudando um pouco o assunto: Carl Sagan, apresentador da série "Cosmos" parece ter um apreço especial por estrelas, especialmente o Sol. Claro, estrelas expelem a matéria necessária para a formação de planetas, e sustentam a vida. Até aí normal alguém querer mostrar alguma espiritualidade por elas. Não que o Carl Sagan ia além disso, mas curiosamente o Sol é o deus de uma caralhada de culturas: Babilônica, Assíria (Shamash/Ashur), Egípcia (Rá), Helênica (Apollo), Romana (Mitra), Inca, e Bizantina, que incorporou a adoração ao Sol ao Catolicismo, sutilmente, além de outras práticas pagãs:
- Natal é a celebração do Solstício de Inverno (Natalis Solis Invicti), e a roupa do Papa é cheia de simbolismos solares, e aquele cajado esquisitão representa o Sol.
- A virgem Maria com o "Menino Jesus", do mesmo jeito que os Egípcios tinham Isis com o menino Hórus, que por sua vez vem da religião babilônica antiga, da adoração de Semíramis com o menino Ninrod. Ao contrário do que alguns ateus afirmam, não é uma "cópia", mas sim uma incorporação da religião pagã na época, ao crescente cristianismo.

Quando dizem que isso mostra que todas as religiões são cópias umas das outras e que isso por si só prova que são um instrumento de dominação de massas, parece coerente. Mas se fosse só isso, pra que manter todos os simbolismos por tanto tempo? Símbolos que fariam qualquer cristão rejeitar tanto o catolicismo quanto o protestantismo (ambos cheios do simbolismo solar) tão logo percebessem o que representam?
Culturas como a dos Incas que não tiveram contato com as outras civilizações apresentam ritos religiosos extremamente similares aos de outras culturas (no Peru há/havia um culto à uma divindade idêntica ao Molech babilônio).
Enfim, o ponto aqui é, a explicação da bíblia para isso é o poder de Satanás sobre o mundo, "desviando os homens de todas as nações", e não que as religiões são todas iguais porque culturas diferentes, de épocas e lugares diferentes, possuem uma mitologia extremamente coincidente.

Responder
Joaob 02/01/2015 03:26:22

A resposta de Jesus eh a melhor que ja ouvi sobre o tema impostos..um gde sabedoria

Dai a Cesar o que eh de Cesar..signifuca dai ao Estado aquilo que eh dele...explicando...o que eh do Estado, enquanto ele existir, tem as " coisas" dele e nao adinat vc resistir..vc sera morto, esquartejado...entao pague a extorsao ou seja morto...nao ha saida..enquanto existir o Estado.e ele existe..portanto qdo o ladrao aponta uma arma para sua cabeca e pede seu dinherio..nao resista..pague..

Dai a Deus o que eh de Deus significa de para aquelas coisas que vc ama, respeita, etc. ( vc pode chamr de Deus se vc acredita nnele) o que de Deus, ou seja, o que vc acha que deve dar

Nao vou entrar no merito do que eh Deus, se existe ou nao..mas todos acreditamos em coisas que amamos, admiramos, respeitamos...eu chamo isso tuod de Deus e darei a minha parte a isso e isso para mim sao meus filhos, minha mulher, meus amigos, as causas que eu apoio, as " bondades" que faco, etc..ou seja no meio social que me cerca as pessoas ou ideias que eu apoio
Se vc acredita num ser superiror, respeito sua crenca..entao de a ele o q vc acha que eh dele

Qdo Jesus disse o que disse, o Estado existia, como existe ate hoje...entao pague a parte do Estado...

Isso nao me impede de pregar meu Evangelho, que eh o fim do Estado..uso ate uma frase fantastica de um grnde canalha, assassino..

"Lenin

While the State exists there can be no freedom; when there is freedom there will be no State."


Mas na minha pregacao nao quero ser um martir da causa libertaria...nao vou deixar de pagar meus malditos imposto e ser preso

Vou clamar especlamente junto a nova geracao pelo fim do Estado

Em resumo,
Dai a Cesar o que eh de Cesar (q senao vc esta morto..) e dai a Deus (as pessoas e causas que vc ama) o,que eh de Deus

O homem da Galileia de fato era um genio politico..por isso mesmo foi crucificado..

Cheers...happy new year...apesar do Estado, especialmemte o nosso, dominado pela maquina Petralha

Responder
Rodrigo 02/01/2015 17:06:54

Vou resumir uma coisa também.

Jesus nunca foi pacifista. Pelo contrário. Esse pacifismo que vendem por ai, peguem a bíblia e leiam. Se duvidam, tentem provar o contrário com isto aqui

www.monergismo.com/textos/etica_crista/controle_armas_pratt.htm

1 Timóteo 5:8 nos diz: "Mas se alguém não provê para si próprio, e especialmente para os de sua casa, abandonou a fé e é pior do que um incrédulo."

Eita lei do desarmamento ... Nosso país morrer mais por ano, que em todas as guerras juntas.

A bíblia não traz ambiguidade, apenas aprenda a lê-la como ela é. Todos nós temos o verdadeiro espírito. Se não olharmos com nossos próprios olhos e vontade, todos nós enxergaremos a verdade, e não a distorceremos.

O problema é que a distorceram de uma tal forma. E não é por ignorâcia não. É intencional mesmo. Todos nós caímos. Todos fomos enganados sim desde nossa mocidade.

Exemplo:

Alguns falam, que Deus é este que diz para simplesmente não fazermos nada? Mas eis o problema. Ele não diz para ficarmos de braços cruzados, pelo contrário.

Então como vivem dizendo isso? Eu mesmo respondo. Como falei, eles fizeram todos esses ministérios, igrejas, e religiões, feitas por homens de carnes e ossos. E distorceram o evengelho, para a sua própria cobiça.

Qual o objetivo? Domesticar toda a humanidade. E não é que "conseguiram"?

O problema agora é maior. Estamos acordando. A verdade esta brotando com toda a força, e isto é uma afronta e ameaça para o governo global. É por isso que eles estão a passos largos tentando nos ferrar.

Pois o efeito do Dopanol (inventei, em outras palavras, a tentativa de nos doparem) está terminando. Este remédio, já não está fazendo efeito.

Através do medo e da mentira, eles conseguem nos colocar onde eles querem que fiquemos (H1N1, Ebola, e não duvido que não venham mais mentiras, para poderem cada vez mais nos invenenar com suas vacinas - crianças morreram - meu filho quando tomou a vacina, vomitava SANGUE PELA BOCA - então não me venham com falso "paisagismo", pois isto não funciona mais).

Se estou mentindo, então não é a toa que em São Paulo, estão dizendo que a água do Rio Tietê, aquele mantro contaminado, faz bem a saúde e conserva os dentes, e que vão agora por todo o povo de sampa para tomá-la?

Isso é só a ponta do Iceberg. Tentem ver as leis que estão tentando nos impor, e que estão prestes aprovar. O que estão introduzindo nos ensinos escolares, forçando quase toda a nossa nação a estudarem quanto mais cedo, para a doutrinação ser desde o berço?

Dizem que é para o nosso bem, mas não é. Dizem que foi o povo que pediu, mas sabemos que não foi. Dizem que é para nossa segurança, mas é óbivio e claro que não.

O Império Egípcio, está mais vivo do que nunca, queiram, ou não. Basta ver todos os símbolos e gestos que nos cercam. Eles já nem escondem mais. Eles falam na cara dura mesmo.

Mas agora o Império não será só no Egito não senhores. Ele será mundial. E os maiores inimigos deles se chama, Deus, e Cristo.

Não perceberam a tentativa mundial de eliminar os bons costumes?

Em quase todo mundo os mapas mundias já estão sem Israel. Israel = Deus. Eles pensam assim. Será que não perceberam a demonização daquela nação pequena? Os caras são bombardeados toda hora, e a ONU não faz nada. Quando se defendem, a ONU fica de picuinha. A ONU tem que ser extirpada. Aquilo é o nosso problema.

www.libertar.in/2014/12/harpercollins-atlas-americano-omite.html


Ezequiel 38-39. Leiam ... Gogue, da terra de Magogue. É a Turquia!!!! Não a Rússia!!!

Olha acontecendo agora mesmo.

www.libertar.in/2014/12/primeiro-ministro-turco-fala-em-invadir.html

Isso é só o princípio do fim!

Solução: Está na hora de acordaremos os leões. O bicho vai pegar.

Nós fomos feitos para mais. E não para isto.

Que Deus os abençoe, os proteja, e os prepare, fisicamente, mentalmente, e psicologicamente!

Depois da grande guerra, vocês veram a maior televisão do mundo. Nosso céu será usado. Imagens holográficas estão sendo usadas. Isso é tecnologia a laser. Projeto Blue Beam. Procurem. Este projeto vai fazer toda a humanidade aceitar o falso messias, como se fosse o verdadeiro. Imagino quantos não serão enganados ... Por acreditarem que conspiração é teoria.

Conspiração não é teoria.

Estou tão cansado também de discutir esta coisa ... Ninguém acredita mesmo. Até a bíblia dizia. Que poucos iram para o céu. Motivo?

Deus disse: "O meu povo perece por falta de conhecimento" (Oséias 4:6).


A Tetrade começou -> 2 luas de sangue, 1 eclipse total (março de 2015), e mais 2 lua de sangue.

Genesis 1:14 "Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados ..."

Procurem sobre o que isso quer dizer.

O grande dia do Senhor está chegando. Nós seremos julgados e punidos. Todos, independente de raça sexo e religião. A justiça será derramada.

Estou muito cansado, é muita coisa, é muita informação. Não foi algo que fui preparado.

Se cuidem. Abraços.

Responder
Gunnar 06/01/2015 21:18:19

Por essas e outras que tenho um enorme orgulho da minha linhagem mennonita (google it). Faz parte de sua doutrina uma total aversão à ideia de um controle governamental - ou até mesmo à ideia tradicional de nação (definida por traços imaginários no solo): um mennonita não se considera americano, brasileiro ou alemão. Irá sempre se declarar um 'mennonita'. Ao longo dos séculos, nossa história sempre foi marcada por massivas migrações, de um lado para o outro do globo terrestre, sempre fugindo de governos (e outros inimigos). De tão aversos à interferência governamental, em muitos países, apesar de estarem há várias gerações, sequer falam o idioma local. (aliás, a exigência governamental de aprenderem o inglês foi um dos motivos de muitos deles saírem do Canadá há algumas décadas atrás). Poderiam ser considerados legítimos anarquistas. Melhor, anarcocapitalistas. Onde quer que tenham baixado acampamento, mesmo em países miseráveis como o Paraguay (na época), e sempre em áreas inóspitas (no caso do Paraguay, o desértico Chaco, no caso do Brasil, o Sul desabitado de matas virgens, antes disso, os pântanos russos), floresceram e transformaram a região em ilhas de enorme prosperidade. Se você tiver coragem de atravessar a Transchaco para visitar as colônias paraguaias, encontrará cidades de primeiro mundo cravadas no meio do deserto.

Responder
Jonatas Wingeter Rodrigues 07/01/2015 15:01:50

Olá colegas do fórum

Li diversos comentários sobre o tema...inclusive sobre evolução e criacionismo.

No meu ponto de vista vocês caíram no erro tradicional de discussão sobre o ego. Opiniões são expressões de pensamento a respeito daquilo que se acredita.

Eu sou cristão individualista e libertário. Tenho um amigo que é cético e anarco individualista. Não entramos em choque sobre religião, até porque todos nós somos crentes: eu creio em Deus, e ele crê em não-deus.

A respeito do artigo, muito boa a colocação!

Abs

Jônatas

Responder
Amarilio Adolfo da Silva de Souza 31/03/2015 20:46:30

Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão.

Responder
Adriano Machado 10/05/2015 04:38:25

Excelente artigo! Proporcionará uma maior compatibilidade entre a fé professo e os ideais políticos e econômicos que estou aderindo aos poucos.

Quanto aos críticos do artigo e seus argumentos preconceituosos e/ou dogmáticos, eu me pergunto: leram o artigo? compreenderam o artigo? se pensam que a religião é algo superado e vil, então porque estão discutindo o tema com crentes, em um artigo direcionado aos crentes? Minha conclusão: querem debater apenas por amor ao debate (o que é um equívoco porque não estão observando a temática a ser discutida - o artigo) ou porque nada têm de mais interessante para fazer ou porquanto talvez estejam querendo desconverter os outros ou serem convertidos.

Acerca dos demais comentário postados, em minha opinião o que mais acrescentou foi o do Sr. Lívio Luiz Soares de Oliveira, apesar de reconhecer que outros teístas também debateram de forma plausível e heroica sobre a pertinência do artigo em comento.

Responder
Mestre Madeira 24/12/2015 13:37:44

Texto muito bom. Fica claro que Jesus foi um homem de inteligência superior.

A propósito, mesmo os militantes ateístas deste forum com um mínimo de honestidade intelectual deveriam reconhecer que há mais liberdade, decência, caráter, honestidade e paz no ocidente graças à moral Cristã.

E que essa mesma moral cristã foi mater das escolas catedrais, aqueles lugares onde o ápice da intelectualidade humana floresceu.

Feliz nascimento de Cristo (NATAL) a todos!

Responder
Fabricio 24/12/2015 13:39:10

Ótimo artigo!

Responder
Proletario Pro-Mercado 24/12/2015 14:15:57

Quem crucificou Jesus Cristo ? Se foram os romanos, então foi o governo.

Defendemos a liberdade religiosa, até o momento que não houver imposições e leis baseadas em religião.

O caso da pena de morte é um bom exemplo. Quem matou, estuprou e esquartejou alguém tem algum direito ? Se os religiosos querem manter assassinos vivos, que pagem a conta dos presídios.

O governo tentará ser usado por comunistas, socialistas, religiosos, empresários, bandidos, operários e qualquer um que consiga tirar proveito.

Por mais que a democracia possa ter evitado um banho de sangue, as pessoas ainda não entenderam, que o governo não é lugar de lobby, doutrinação e totalitarismo.

Responder
Valdemar Katayama Kjaer 24/12/2015 15:01:44

Um comentário para quem "não gostou" do texto. A ideologia das pessoas influi na sociedade. A moral e ética dos indivíduos, as "unidades " produtivas, consumidoras e sociais, têm forte relação com o mundo real. Se os economistas não querem entender o mundo real, devem ficar com suas teorias malucas e, quem sabe, virarem novos Marxes. A visão sistêmica ("econômica ") não menospreza os elementos que compõem o todo ("indivíduos, instituições, grupos sociais). Aliás, a influência do cristianismo para o desenvolvimento do capitalismo e do liberalismo moderno é tão evidente que até Marx e Weber fizeram anotações sobre isso. Deixem de ser idiotas: capitalismo, democracia moderna, liberalismo clássico, têm fortes aspectos oriundos da secularização do cristianismo Calvinista. Sugiro a leitura do livro do ex primeiro ministro da Holanda, fundador da universidade aberta de Amsterdã e do partido antirrevolucionário dos países baixos, pastor da Igreja reformada holandesa, Abraham Kuyper, para entender um pouco mais das origens da nossa "economia ". O livro se chama "Calvinismo", uma leitura da secularização do cristianismo para a sociedade moderna.

Responder
DeusOdeia 25/12/2015 01:43:22

Fala que Jesus era libertário e implanta uma teocracia e comece matar os próprios cristãos !

Acha que engana quem ?

Stalinistas anarco-capitalistas !

Responder
Amarilio Adolfo da Silva de Souza 26/12/2015 21:26:38

A bíblia e nenhum livro religioso não pode ser usado como argumento para se apoiar ou não algo. A Ciência é a única fonte de conhecimento fiável que o ser humano possui em sua jornada rumo à eternidade. Por isso, devemos apoiar o Capitalismo Livre com todas as células do nosso cérebro, pois ele provou ser a única plataforma de avanço científico. Chega de impostos e burocratas.

Responder
Anonimo. 27/12/2015 13:41:27

'A Ciência é a única fonte de conhecimento fiável que o ser humano possui em sua jornada rumo à eternidade. '

Bullshit, cientificismo é uma filosofia como qualquer outra, limitada, infantil e seguida fanaticamente por gente que não é capaz de pensar fora da caixa.

Responder
Andre Cavalcante 27/12/2015 17:24:53

"A bíblia e nenhum livro religioso não pode ser usado como argumento para se apoiar ou não algo."

Sim, é claro que pode. Se a grande maioria da população achar que a Bíblia, Corão, Bhagavadgita ou qualquer outro livro religioso dizer que é verdade algo e esse algo é aceito pela população, imediatamente tal livro passa a ser um argumento e tanto: ou você acha que Jesus ter dito que o "Reino dos Céus está dentro de vós" não é um bom argumento para o individualismo?


"A Ciência é a única fonte de conhecimento fiável que o ser humano possui em sua jornada rumo à eternidade."A Ciência é a única fonte de conhecimento fiável que o ser humano possui em sua jornada rumo à eternidade.

Não é não. Ciência, assim como a arte e a religião são concepções humanas. Tem limitações assim como tudo que o ser humano, limitado, tem. Além da ciência, o ser humano conta com outras coisas, tais como senso comum (relação de causa e efeito percebida pela maioria), religião, ou simplesmente a intuição. A ciência é mais formal, pois usa mecanismos mais racionais, mas fiabilidade é outra coisa...

"Por isso, devemos apoiar o Capitalismo Livre com todas as células do nosso cérebro, pois ele provou ser a única plataforma de avanço científico. Chega de impostos e burocratas."

Não é não. Há vários arranjos em que o desenvolvimento científico acontece. De fato, regimes centraizadores e estatistas são muito bons em produzir armas, por exemplo. Já um regime capitalista é melhor em produzir em épocas de paz, mas não é o único. E "chega de impostos e burocratas" não tem nada a ver com o resto de seu comentário.

Abraços

Responder
Joao Vitor Ribeiro Alves 27/12/2015 02:13:04

Em marcos 10 (42:45) Jesus diz que não estamos aqui para governar e sim para servir!

https://www.bibliaonline.com.br/acf/mc/10

Responder
João 22/06/2016 21:39:00

posso ser cristão e libertário? vejo muitos comentários contra mais acredito que o pessoal nunca ouviu falar do livre arbítrio...

Responder

Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
  Nome
  Email   (também utilizado para o Avatar, crie o seu em www.gravatar.com)
  Website
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.







Multimídia   
  Podcast Mises Brasil
        por Bruno Garschagen - 06/01/2019
  Conferência de Escola Austríaca 2014
        por Diversos - 23/10/2014
  Fraude - Explicando a grande recessão
        por Equipe IMB - 31/10/2012
veja mais...



Instituto Ludwig von Mises Brasil



contato@mises.org.br      formulário de contato           Google+
Desenvolvido por Ativata Software