A espiral decadente da Venezuela

À medida que a situação econômica da Venezuela vai degringolando, seu governo vai se tornando cada vez mais autoritário.  No momento, ele está fazendo de tudo para solapar as bases do já extremamente deteriorado tecido social do país.

Na sexta-feira, dia 8, o presidente Nicolás Maduro ordenou que o exército ocupasse as lojas de uma rede varejista de eletrônicos e confiscasse todos os bens com o intuito de vendê-los a "um preço justo".  Logo após esse confisco, multidões se aglomeraram, ao longo de todo o país, em frente às portas de várias lojas de eletrodomésticos com o intuito de saqueá-las, o que chegou a ocorrer em vários casos.  Esta ocupação ocorreu um dia após o Banco Central da Venezuela anunciar que a taxa de inflação de preços em outubro foi de 5%, o que dá uma inflação anualizada de 54%.  No entanto, a realidade é bem mais tenebrosa.

A história da economia venezuelana e de sua decadente moeda, o bolívar, pode ser resumida na seguinte frase: "De mal a pior".  Com efeito, a situação já extremamente deteriorada da Venezuela conseguiu dar uma guinada para pior.

Em uma reação estouvada e totalmente equivocada às aflições econômicas do país, Maduro exigiu que o Congresso lhe concedesse poderes emergenciais e ditatoriais sobre toda a economia.  Recentemente, o governo anunciou planos para instituir uma nova taxa de câmbio para turistas em uma tentativa de acabar com a alta arbitragem no mercado paralelo de câmbio.  Obviamente, isso de nada irá adiantar.  A economia do país está em declínio desde que Hugo Chávez impôs seu "socialismo moreno" à Venezuela, uma excentricidade que, à época, chegou a ser relativamente bem recebida por vários setores da grande mídia.

Durante anos, a Venezuela manteve um volumoso programa de gastos sociais combinado com controles de preços e salários e com um mercado de trabalho extremamente rígido, além de manter, como política externa, uma agressiva estratégia de ajuda internacional voltada majoritariamente para Cuba.  Todo este insano castelo de cartas conseguiu se manter solvente por um bom tempo unicamente por causa das receitas do petróleo.

Mas à medida que os custos deste populismo da dupla Chávez/Maduro foram crescendo, o país teve de recorrer com cada vez mais frequência aos cofres da estatal petrolífera PDVSA e à impressora do dinheiro do Banco Central da Venezuela.

Desde a morte de Chávez, no dia 5 de março de 2013, todo este castelo de cartas começou a desmoronar, e a taxa de câmbio do Bolívar no mercado paralelo ilustra bem essa história.  Desde aquele mês, o bolívar já perdeu 62,36% de seu valor em relação ao dólar no mercado paralelo, como mostra o gráfico abaixo.

 venezuela_chart_1.png

Gráfico 1: taxa de câmbio bolívar/dólar no mercado paralelo (linha azul) versus taxa de câmbio oficial declarada pelo governo (linha vermelha)

Essa acentuada desvalorização do bolívar, por sua vez, gerou uma extremamente alta inflação de preços na Venezuela.  O governo reagiu exatamente como todos os governos populistas reagem aos aumentos de preços causados por suas próprias políticas: impondo controle de preços cada vez mais rígidos.  Obviamente, como Ludwig von Mises já havia explicado há várias décadas, estas políticas não apenas fracassaram completamente, como geraram um grande desabastecimento nos supermercados e uma constrangedora escassez de vários produtos essenciais, como papel higiênico.  E nada foi feito para atacar a causa básica das aflições inflacionárias da Venezuela, que é o descontrole da oferta monetária.

O gráfico abaixo mostra a evolução da quantidade de dinheiro na economia venezuelana (agregado M2) de acordo com as estatísticas do próprio Banco Central venezuelano.  Em sete anos, a quantidade de dinheiro na economia aumentou 10 vezes.

venezuela-money-supply-m2.png

Gráfico 2: evolução da quantidade de dinheiro na economia venezuelana

O governo Maduro reagiu a tudo isso recorrendo exatamente às mesmas táticas empregadas por outros regimes totalitários e com moedas destroçadas.  Do Zimbábue de Robert Mugabe à Coréia do Norte atual, o manual é simples: negar e enganar.

Oficialmente, os dados do governo venezuelano afirmam que a taxa de inflação de preços no país é de apenas 50%, um valor totalmente irreal.  E, para aumentar o escárnio, no dia 22 de outubro, o ministro das finanças Nelson Merentes enviou ao Congresso uma proposta orçamentária para 2014 que projetava uma inflação de preços de aproximadamente metade da inflação oficial atual.  Apenas mais uma tentativa jocosa e inócua de mascarar a realidade do grave problema inflacionário do país.

Mas então, quão grande é a inflação da Venezuela?  Utilizando a desvalorização do bolívar no mercado paralelo — que é o mensurador que melhor estima o real valor de uma moeda —, é possível inferir que a inflação de preços "reprimida" na Venezuela está atualmente nos três dígitos, alcançando o estonteante valor anual de 283%, como mostra o gráfico abaixo.

venezuela_chart_22.png

Gráfico 3: inflação de preços oficial (linha vermelha) versus inflação de preços implícita (linha azul) acumuladas em 12 meses.

Pior ainda: a taxa de inflação implícita mensal alcançou 36%, como mostra a figura abaixo.  Tal valor está perigosamente próximo do limite de 50% ao mês, que é o valor que simbolicamente caracteriza uma hiperinflação. 

venezuela_chart_33.png

Gráfico 4: taxa de inflação de preços mensal (implícita) na Venezuela

A acelerada depreciação do bolívar nada mais é do que um reflexo da deterioração das perspectivas econômicas da Venezuela.  Tudo indica que o governo Maduro está determinado a não apenas insistir em suas políticas fracassadas, como também em intensificá-las.  Preços estão sendo reduzidos por decreto, empresários estão sendo presos e a margem de lucro das empresas passou a ser estritamente controlada

Embora o congelamento mantenha os preços dos bens em níveis ostensivamente baixos no mercado oficial, eles inevitavelmente geram prateleiras vazias, privando vários consumidores de ter acesso a bens essenciais.  Controle de preços em conjunto com uma regulação da margem de lucro não pode gerar outra coisa senão o desabastecimento.  Como resultado, a escassez de produtos bateu recordes na Venezuela

O governo venezuelano alega que a alta inflação de preços e o desabastecimento generalizado de produtos básicos são resultado tanto de uma "guerra econômica" feita pelos EUA quanto de maquinações maquiavélicas da "classe burguesa parasítica" da Venezuela.  Por isso, Maduro começou a mobilizar suas tropas contra estes "inimigos" e passou a encarcerar todos os comerciantes que pudessem ser enquadrados no crime de "usura" e "extorsão".

Veja no vídeo abaixo o desespero de um comerciante ao ser preso pelo governo pelo simples fato de não ter reduzido seus preços como ordenava o governo:

Comprovando sua ignorância econômica, Maduro disse que o Banco Central venezuelano tem de estar mais atento às maquinações dos empresários do país e divagou: "Se estamos baixando os preços dos produtos em quase 100%, isso deveria impactar a taxa de inflação, não?"  É claro que não.  Enquanto o Banco Central continuar criando dinheiro para financiar o governo (ver o gráfico 2), a inflação de preços continuará subindo.  E ao ativamente estimular os saques aos comerciantes, o governo está deliberadamente desestabilizando a sociedade venezuelana, muito provavelmente com o intuito de ter a justificativa para adotar medidas ainda mais radicais.

Em abril, quando Nicolás Maduro oficialmente assumiu a presidência após uma vitória bastante questionável nas urnas, várias pessoas especularam que ele seria mais conciliador e moderado que seu antecessor Chávez.  Ledo engano.  Já está claro agora que, sob Maduro, o chavismo foi elevado ao paroxismo e que o pior ainda está por vir na Venezuela.

__________________________________

Leia também: Recordações de um Brasil socialista


0 votos

SOBRE O AUTOR

Steve Hanke
é professor de Economia Aplicada e co-diretor do Institute for Applied Economics, Global Health, and the Study of Business Enterprise da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, EUA.  O Professor Hanke também é membro sênior do Cato Institute em Washington, D.C.; professor eminente da Universitas Pelita Harapan em Jacarta, Indonésia; conselheiro sênior do Instituto Internacional de Pesquisa Monetária da Universidade da China, em Pequim; conselheiro especial do Center for Financial Stability, de Nova York; membro do Comitê Consultivo Internacional do Banco Central do Kuwait; membro do Conselho Consultivo Financeiro dos Emirados Árabes Unidos; e articulista da Revista Globe Asia.



"ajustar as atividades produtivas de acordo com as mais urgentes demandas dos consumidores não pode ser redução de salário?"

Não. Ajustar as atividades produtivas de acordo com as mais urgentes demandas dos consumidores significa produzir e vender exatamente aquilo que o consumidor quer. Se o empreendedor vai pagar salário astronômico ou mínimo para a mão-de-obra, isso é totalmente irrelevante para o consumidor.

"o trabalho não é fator de produção (um dos)"

Sim.

"o trabalho é um recurso escasso?"

Mão-de-obra é, por definição, algo escasso. Por isso mesmo, sempre haverá mais demanda por mão-de-obra do que mão-de-obra efetivamente disponível.

Falta mão-de-obra para tanto emprego disponível.

Sendo assim, a taxa de desemprego sempre deveria ser zero e os salários dos empregados sempre tende ao aumento. E por que o desemprego não é zero?
Por causa disso.

"demanda pode ser "criada" pelo marketing?"

Desejo pode ser criado pelo marketing, não demanda. Demanda significa aquisição. Eu tenho desejo por uma mansão, por um helicóptero e por uma Ferrari, mas não tenho como demandá-los porque não tenho o poder aquisitivo para os três. E não há marketing que me faça demandar esses três itens. Resta-me apenas desejar.

"sobre o trabalho escravo, nem entrei no mérito e na discussão sobre quando havia mais lucro e riqueza. Mas, o trabalho escravo é um fato que ainda existe. Existe por interferência governamental ou porque tem muitos empresários gananciosos e que buscam o lucro a qualquer custo (humano inclusive)?"

Ué, ainda existe trabalho escravo? Não sabia. Ainda existem pessoas trabalhando sem salário, sob chicotadas, proibidas de pararem de trabalhar e proibidas de pedirem demissão? Não sabia. Manda aí um link, por favor.

Até onde sei, nenhum indivíduo sai escravizado de sua casa e é levado a contragosto para trabalhos compulsórios. Um indivíduo, por definição, encontra trabalho porque saiu à procura de trabalho. Sua intenção sempre é melhorar de vida. Ele faz isso porque quer; porque a situação atual (sem trabalho) não lhe é atraente. Se ele está disposto a "trabalhar muito" é porque ele acha que assim ficará em situação melhor do que aquela em que se encontrava até então.

A menos que você comprove que o indivíduo está sendo [u]obrigado[u] a trabalhar sob a ameaça de um chicote, sem a opção de sair do emprego quando quiser, tal escolha sempre será benéfica para ele.

E se ele se sujeita a condições que para nós parecem degradantes é porque, para ele, aquilo ainda é melhor do que a situação econômica em que ele se encontrava antes. Cabe a você provar que esse indivíduo foi seqüestrado, levado a um emprego e ali mantido em cativeiro, contra sua vontade, sendo proibido de parar de trabalhar. Caso isso não tenha acontecido, então a única conclusão empírica é que esse indivíduo ainda prefere seu atual trabalho (assalariado) ao desemprego.
Errado.

Na economia, conhecemos a causa de tudo, pois a ação humana, ao contrário do movimento das pedras, é motivada. Sendo assim, é possível construir a ciência econômica partindo de axiomas básicos -- como a existência incontestável da ação humana e as implicações lógicas da ação --, axiomas estes que são originalmente reconhecidos como verdadeiros.

Destes axiomas, podemos deduzir passo a passo várias leis que também são reconhecidas como incontestavelmente verdadeiras. E este conhecimento é absoluto, e não relativo, exatamente porque os axiomas originais já são conhecidos. Eis alguns exemplos:

• Sempre que duas pessoas, A e B, se envolvem em uma troca voluntária, ambas esperam se beneficiar desta troca. E elas devem ter ordens de preferência inversas para os bens e serviços trocados, de modo que A valoriza mais aquilo que ele recebe de B do que aquilo ele dá para B, e B avalia as mesmas coisas do modo contrário.

• Sempre que uma troca não é voluntária e ocorre em decorrência de uma coerção, uma parte se beneficia à custa da outra.

• Sempre que a oferta de um bem aumenta em uma unidade, contanto que cada unidade seja considerada idêntica em utilidade por uma pessoa, o valor imputado a esta unidade deve ser menor que o da unidade imediatamente anterior.

• Entre dois produtores, se A é mais eficiente do que B na produção de dois tipos de bens, eles ainda assim podem participar de uma divisão de trabalho mutuamente benéfica. Isto porque a produtividade física geral será maior se "A" se especializar na produção de um bem que ele possa produzir mais eficientemente, em vez de "A" e "B" produzirem ambos os bens autônoma e separadamente.

• Sempre que leis de salário mínimo forem impostas obrigando os salários a serem maiores do que os salários que vigorariam em um livre mercado, um desemprego involuntário será o resultado.

• Sempre que a quantidade de dinheiro na economia aumentar sem que a demanda por dinheiro também seja elevada, o poder de compra da moeda irá diminuir.

Por outro lado, não existem elementos simples ou "fatos da natureza" na ação humana; os eventos da história são fenômenos complexos, os quais não podem "testar" nada. Eles, por si sós, somente podem ser explicados se forem aplicadas várias teorias relevantes aos diferentes aspectos de um determinado "fato" complexo que está sendo analisado.

Por que a matemática é tão útil na física? Exatamente porque os próprios axiomas utilizados, bem como as leis deles deduzidas, são desconhecidos e, com efeito, sem significado. Seu significado é exclusivamente "operacional", uma vez que eles são significantes somente na medida em que podem explicar determinados fatos.

Por exemplo, a equação da lei da gravidade, por si só, não tem sentido nenhum; ela só adquire sentido quando nós humanos observamos determinados fatos que a lei pode explicar. Consequentemente, a matemática, que efetua operações dedutivas sobre símbolos por si só inexpressivos (sem significado), é perfeitamente apropriada para os métodos da física.

A ciência econômica, por outro lado, parte de um axioma que é conhecido e possui significado para todos nós: a ação humana. Dado que a ação humana, em si própria, possui significado (o que não quer dizer que ela sempre será avaliada como racional e correta), todas as leis deduzidas passo a passo da ação humana são significativas.

Esta é a resposta para aqueles críticos que exigiram que Mises utilizasse métodos da lógica matemática em vez da lógica verbal. Ora, se a lógica matemática tem de lidar com símbolos inexpressivos, então seu uso iria destituir a economia de todo o seu significado.

Por outro lado, a lógica verbal permite que toda e qualquer lei tenha sentido quando deduzida. As leis da economia já são conhecidas aprioristicamente como significativamente verdadeiras; elas não têm de recorrer a testes "operacionais" para adquirir significância. O máximo que a matemática pode fazer, portanto, é converter laboriosamente símbolos verbais em símbolos formais inexpressivos e, então, passo a passo, reconvertê-los em palavras.

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1690
O melhor a fazer, no caso de dúvida, é perguntar a quem conseguiu sobreviver à Cuba, ou imigrou de certa forma. Conheci uma cubana que imigrou há alguns anos, formada em Teologia por lá. Ela contou, e parecia ter medo de falar ou vergonha, que muitos do que vivem em Cuba, necessitam dois empregos para conseguirem viver pelo menos dignamente. Como ela fazia. E quanto aos médicos tão bem falados na boca dos brasileiros, têm de ir de bicicleta para o trabalho e chegam com as mãos tremendo para realizar cirurgias.
O que me faz questionar como seria se o mundo todo fosse socialista e Cuba não tivesse sido isolada tantos anos pelo embargo econômico americano. E por esta mesma linha de pensamento me perguntou porque não olhamos para países como Zimbabwe. A solução não está na mudança drástica para o socialismo, mas em uma evolução gradual do capitalismo que minimize as diferenças tão abruptas que temos em nosso mundo. Será possível um hemisfério sul e norte com os mesmo índices de desenvolvimento humano ? Fico nessa dúvida.

Alguns fatos sobre Zimbabwe.
Desde 2000 encontra-se em uma profunda crise, além da hiperinflação, há um alto índice de desemprego, pobreza e uma crônica escassez de combustíveis, alimentos e moedas estrangeiras.

A hiperinflação vem destruindo a economia do país, arrasando com o sector produtivo. Uma medida governamental congelou os preços, causando desabastecimento, fortalecimento do mercado negro e prisão de comerciantes contrários à medida.[3]

Em Julho de 2007, foi lançada a cédula de 200 mil dólares zimbabweanos, que apesar do elevado valor de face, é capaz de comprar pouco mais do que um quilo de açúcar. No mercado paralelo, a moeda era cotada a 1 dólar americano.[2] Em maio de 2008, foi lançada a cédula de 500 milhões[4] e em julho do mesmo ano foram lançadas cédulas com valores a partir de 100 biliões de dólares zimbabweanos.

Houve uma reforma monetária que entrou em vigor em agosto deste mesmo ano, no entanto, a taxa inflacionária parece não ceder, havendo projeções de que haja a necessidade de nova reforma em breve.

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Mario Cunha  19/11/2013 12:55
    A Venezuela hoje é o Brasil de amanhã... Aliás, lembram-se dos fiscais do Sarney?
  • Ed  20/11/2013 23:26
    infelizmente você totalmente correto...
  • Típico Filósofo  19/11/2013 13:01
    Senhor Hanke, estou disposto a defender o bolivarianismo até seu último suspiro.

    Não é porque uma economia possui inflação exorbitante, restrições de oferta e produção e escassez generalizada de bens de consumo que ela não funciona. A situação atual da Venezuela é meramente um cenário onde um estado democrático justamente domou o mercado em prol do bem comum:

    •Os venezuelanos não mais esfregam papel em seus dejetos, que é uma terrível prática capitalista e anti-ambientalista. Pelo bem da humanidade ao longo prazo os venezuelanos utilizam folhas largas de favas, farão reciclagem de jornais ou simplesmente aceitarão seus corpos como são, abandonando a cultura da exploração física imposta pela elite "higiênica" e aceitando seus dejetos como um SS natureza.

    •As corridas nos supermercados são políticas de saúde pública e incentivo ao esporte.

    •Eletrodomésticos apenas causam dependência e preguiça, melhor éramos quando buscávamos lenha para lavar roupa e salgávamos carne no porão para conserva-la. Comidas frias prendem o homem à lógica da produção capitalista, o que é uma brutalidade.

    (Continua...)
  • Magno  19/11/2013 13:12
    Típico Filósofo cada vez mais genial!
  • Típico Filósofo  19/11/2013 19:28
    • O senhor Maduro já compreendeu que o temor pela inflação é uma arma burguesa para amordaçar os poderes do estado em prol de seus consumidores. É vital compreendermos que dado que o estado democrático jaz em uma esfera moral acima da individualista (que violentamente clama para si tudo que constrói indiferentemente ao bem estar social), é mais que legítima uma taxa de inflação superior com um, dois ou mais zeros ao ano caso isso signifique a manutenção das obras sociais e a realização de novas.

    • O senhor Hanke serve ao capital internacional: deseja desarmar a conquista bolivariana e criar nela seu pesadelo capitalista assim como tal feito na Estônia, cujo estado fora domado pela ditadura de um currency board e impedido de executar sua essencial política monetária (para financiar os gastos democráticos) em prol de uma política cambial fixa fortalecendo o poder de importação dos consumidores (dado que não teriam mais que pagar por bens de menor qualidade gerados pela indústria nacional).
    Trata-se de um imperdoável atentado à soberania e à autonomia da pátria.

    • Se a condição para que ocorra a perpetuação das conquistas democráticas venezuelanas seja uma eventual liderança autoritária por parte do partido do comandante supremo Hugo Chávez, Maduro terá a benção da intelligentsia brasileira. E a burguesia que seja expulsa do país: que mais de seus canais de mídia sejam fechados, que suas lojas sejam tomadas, que seus ativos sejam confiscados, que seu dinheiro perca todo seu valor e que suas palavras não tornem mais a excitar os tímpanos dos venezuelanos. Quem é contra os valores de Chávez, está contra a vontade do povo e nada é além de um traidor egoísta.

    Apenas a elite capitalista tem a perder com a escassez de comida nos supermercados, a ausência de eletrodomésticos, os desestímulos ao empreendimento, a deterioração do poder de compra da moeda e a inflação desenfreada. Em breve reconhecer-se-á impotente e desaparecerá silenciosamente - mas não temam pela venezuela, austríacos: o povo terá recebido apenas pelo que clamara nas urnas.
  • Bob 'do teatro'  20/11/2013 10:31
    Tipico Filosofo
    Há bastante tempo eu leio artigos neste site do 'Instituto Ludwig von Mises Brasil', e noto que você é um cara muito inteligente e conhecedor não só de economia como também da politica nacional e mundial.

    Porém meu amigo, aqui com estes três posts você revela (entrega o ouro) ser uma caricatura que alguém criou para contrapor as ideias libertárias e do liberalismo em geral. Com esse seu discurso, tanto sobre economia, quanto sobre politica você convence apenas criança que acredita em papai noel e lobisomem, ou em mula sem cabeça!

    Como eu não acredito em nada disso, eu adoro te ler apenas para ficar rindo da caricatura que você criou. Parabéns, você é um excelente artista da dramatização, Hollywood pode ainda te contratar, porque esse importante centro cinematografo pode ser considerado 'o mundo das personagens da esquerda caviar mundial'. Quem sabe você não faz parte dessa esquerda, ou seja, 'faça o que eu digo e esqueça o que eu faço'.
    A esquerda caviar é assim, prega socialismo e comunismo para os pobres, mas vive do do avanço e do progresso que o capitalismo e as politicas liberais realizam.

    Abraços de tamanduá(!)...
  • Típico Filósofo  20/11/2013 13:42
    Caricatura, eu?

    Quão tristes são os efeitos da lógica capitalista sobre o raciocínio dos indivíduos. A consciência social é delegada ao posicionamento de anedota e suas reivindicações quando são expostas explicitamente soam como jargões emocionais sem sentido, consistência interna ou coerência silogística. O senhor "Bob" fora manipulado pelo pensamento reacionário e não mais é capaz de enxergar aquilo que seus professores tanto lutaram para que entendesse e adorasse durante sua juventude.

    Acontecimentos como esse me levam a temer pelo futuro educacional do Brasil.
  • Renato Souza  20/11/2013 18:46
    O pior é que há socialistas de verdade que não são muito diferentes do "Típico filósofo".
  • Bob 'do teatro'  21/11/2013 14:06
    - Que consciência social?
    Quem tem consciência são os indivíduos, consciência social é um conceito abstrato formado por arbítrio de alguém, ou de um observador. O máximo que podemos ter em sentido coletivo é uma média de opinião publica, coisa bem diferente do conceito de consciência social inventada pela esquerda caviar.

    O futuro educacional do Brasil corre risco mesmo, mas se permanecer nesse engessamento estatal que é submetido o processo educacional, pois o estado não permite nem reconhece que o individuo também tem competência para se educar de forma privada sem nenhuma interferência do estado.

    Como se diz, o estado teme que os indivíduos fiquem muito soltos e dai perceber que a liberdade individual é algo que o estado não tem o direito de tocar. O estado não precisa de indivíduos, mas de boizinhos bom de carro e arado.

    Haja doutrinação.
  • Tomm  21/11/2013 15:28
    Prezado Bob do Teatro,

    Ironia é umas das sutilezas da inteligência... Jura que você não percebeu que é pura piada do Típico Filósofo?
  • Pobre Paulista  19/11/2013 13:02
    "Se estamos baixando os preços dos produtos em quase 100%, isso deveria impactar a taxa de inflação, não?"

    Essa frase vai junto de outras célebres:

    "Se estamos dando dinheiro aos pobres, deveríamos erradicar a pobreza, não?"
    "Se estamos taxando mais os ricos, deveríamos ter uma arrecadação maior, não?"
    "Se estamos abaixando as taxas de juros, o país deveria estar se desenvolvendo, não?"
    "Se estamos estimulando a demanda, o emprego deveria aumentar, não?"

    Entre outras pérola que vemos por aí.
  • luiz claudio martins reis  14/08/2014 13:45
    Quais seriam as quatro respostas rápidas da escola austríaca para essas perguntas (que são tão comuns em comentários e postagens Pró-PT de Facebook)? Alguém poderia me ajudar a sintetizá-las de forma simplificada para que eu pudesse refutar tais ideias defendidas por esses fans do mito de Robin Hood? Desde já vou agradecendo!
  • Robson  19/11/2013 13:14
    O presidente Maduro está seguindo certinho o manual de tudo o que NÃO se deve fazer em um governo em crise
  • Abc  19/11/2013 13:21
    Bem que Hayek falava, todo governo com planejamento econômico central tende ao totalitarismo. É impressionante.
  • Clayton Ataíde  19/11/2013 13:26
    Este gesto de Maduro na foto do artigo é perturbadoramente idêntico ao gesto feito por alguns ilustres petistas que atualmente estão na cadeia.
  • Pupilo  19/11/2013 16:17
    Hitler, Che Guevara, Idi Amim, Stalin. Enfim, todo ditador realize esse gesto.
  • tadeu Piffer  19/11/2013 17:20
    OS CRIMINOSOS PETISTAS TAMBÉM PODEM FAZER, PORQUE ALEGAM SEREM PRESOS POLÍTICOS
  • Julio Heitor  19/11/2013 13:30
    Será que esta manipulação nos valores da inflação feita pelo governo Venezuelano também ocorer aqui?

    Minha sensação é de que o aumento nos preços dos produtos no mercado estão muito superiores à inflação declarado pelo IBGE.

    Haveria alguma forma de termos como calcular a inflação real no Brasil?

    Abraços!
  • Leandro  19/11/2013 13:55
    Na realidade, a mensuração dos preços no Brasil está amplamente disponível para quem quiser ver, só que a imprensa lamentavelmente se encarrega de divulgar apenas o valor final ponderado.

    Explico melhor: a inflação dos bens não-comercializáveis (que não sofrem concorrência de importados), dos bens não-duráveis e dos serviços está em níveis extremamente incômodos, como há muito não se via. E isso de fato está sendo mostrado pelas estatísticas individuais do IBGE. Só que como o instituto só divulga para a imprensa o valor ponderado de cada item. E como o peso dado aos preços que são controlados pelo governo é relativamente alto, o número final da inflação total acaba sendo maquiado.

    Por exemplo, a inflação acumulada em 12 meses para os bens não-comercializáveis está acima de 8,20% (com picos de 9,70%); a dos bens não-duráveis apresenta picos de incríveis 13,22%, e a dos serviços está atualmente em 8,73% (veja ambas aqui).

    São esses os preços que você sente diariamente.

    No entanto, o IBGE atribui pesos distintos a eles, o que faz com que o valor final da inflação de preços total não seja tão grande quanto este que você sente. Adicionalmente, o peso dado aos preços monitorados pelo governo (serviços públicos e residenciais, transporte público, combustíveis, plano de saúde, pedágio, licenciamento) é relativamente alto, e como estes preços estão sendo mantidos artificialmente baixos, o valor final da inflação de preços acaba sendo mascarado.
  • Julio Heitor  19/11/2013 14:39
    Acredito que seja exatamente o peso dado a cada produto que mascara o valor real da inflação. Qual o critério para dar mais peso a um produto e menos a outro?

    Acredito que a resposta esteja no valor da inflação de cada produto: Se a inflação de um produto X é de 10%, daremos um peso bem pequeno, de forma que sua influência na media final seja pequena.

  • Marcelo  19/11/2013 18:31
    Leandro, essa é uma informação muito importante. Não pensas em fazer um artigo expondo os "detalhes" do índice oficial? Se já fizeste, ignora meu pedido.

    Precisamos desacreditar a inflação oficial. Com a tua exposição resumida aqui já deu para ter uma ideia de como o povo é ludibriado pelo índice - e como ele é feito exatamente para isso.

    Aí o sujeito consegue um retorno de 8% num título qualquer e acha que ficou acima da inflação, quando na verdade perdeu dinheiro. Isso para não falar da poupança...

    Abraço.

  • Leandro  19/11/2013 19:51
    O curioso é que falei a mesma coisa na seção de comentários de um outro artigo e, lá também, outras pessoas se surpreenderam. Realmente não entendo o susto, até porque se trata de uma estatística que não apenas não podemos acusar o governo (IBGE) de esconder, como na realidade ele próprio a divulga abertamente. Se a imprensa opta por não dar ênfase a estes números, aí realmente não se pode acusar o governo de nada. Apenas mais uma evidência da imprensa subserviente que temos.

    Sobre essa questão da rentabilidade, qualquer aplicação que esteja rendendo abaixo de 8,74% ao ano está perdendo para a inflação de preços do setor de serviços. E qualquer aplicação que renda menos que 7,81% ao ano está perdendo para a inflação de preços de bens não-duráveis (alimentação e bebidas, artigos de limpeza, produtos farmacêuticos, higiene pessoal, fumo, leitura e outros).

    www.bcb.gov.br/pec/Indeco/Port/ie1-11.xls


    Já a inflação de preços para todos os bens e serviços cujos preços não são controlados pelo governo é de 7,37% (e esse já é o valor ponderado).

    www.bcb.gov.br/pec/Indeco/Port/ie1-08.xls

    Ou seja, está tudo amplamente disponível. A imprensa só não fala porque não quer.
  • Leandro  27/11/2013 13:00
    Aliás, palmas para o Sardenberg, que levou esta questão da inflação mascarada à televisão.

    g1.globo.com/economia/videos/t/todos-os-videos/v/dilma-diz-que-pib-de-2012-foi-revisado-para-15/2980946/
  • Renato  02/01/2014 13:15
    A grande imprensa brasileira por viver das "benesses" governamentais, 16 bilhões de reais em propagandas ditas institucionais no governo Dilma, se curva a vontade dos partidos dominantes e cala diante de quaisquer fatos que contribuam para denegrir a imagem de governo, mostrando sua incompetência gerencial e estrutural, são poucos os jornalistas independentes que se atrevem a lançar no ar notícias que realmente informem a população embora contrariem a vontade do governo. Por isso ouso discordar em parte do nobre articulista, os dados não são corretamente divulgados por culpa da grande mídia sim, que se rende ao poderio econômico governamental e está pouco se lixando para a verdade "nua e crua", o importante é manter o Povo na ignorância dos fatos e assim contribuir para a manutenção do "status quo".
  • joao  19/11/2013 20:29
    Leandro, seria interessante o IMB divulgar, ainda que só os gráficos (sem texto), a evolução dos valores do PPR (Produto Privado Remanescente, que você descreve neste artigo e de um índice de inflação que não leva em conta os setores de preços controlados por lei, como vc fez em seu comentário.

    Seria de utilidade pública.
  • Occam's Razor  19/11/2013 14:10
    Apenas lembre-se que os preços de combustíveis, energia elétrica e passagens de ônibus estão congelados ou semi-congelados. A manipulação já está acontecendo com força.

    Também dá um frio na espinha quando o articulista diz que

    O governo Maduro reagiu a tudo isso recorrendo exatamente às mesmas táticas empregadas por outros regimes totalitários e com moedas destroçadas. Do Zimbábue de Robert Mugabe à Coréia do Norte atual, o manual é simples: negar e enganar.

    e você lembra que o PT está fazendo a mesma coisa. Abaixo temos apenas um exemplo. A presidente dá pito nos ministros para que eles concedam entrevistas defendendo a austeridade fiscal do governo. São realmente todos iguais.

    www1.folha.uol.com.br/colunas/viniciustorres/2013/11/1373304-estatisticas-sem-pes-nem-cabeca.shtml


  • Andre  19/11/2013 15:00
    Mas no Brasil, com as leis que atualmente regem o sistema financeiro, não tem como ter essa hiperinflação.
    Mas pode realmente ter uma inflação razoavelmente alta de forma persistente, mas não hiperinflação.

    O Leandro explicou isso já outras vezes.

    Agora, se mudarem as leis que impedem hiperinflação no Brasil... Aí será hora de fugir!

    Enquanto isso vou investindo em Bitcoin, a moeda que não inflaciona! :D

    Espero que a Venezuela chegue logo no fundo do poço, assim eles podem voltar à subir.
    Vai, Venezuela, pra baixooooooooooo, com força total!!!

    Quando a convulsão social sair do controle na Venezuela, podem acontecer duas coisas principais:

    1) Maduro ser deposto por outros comunistas, piores que ele, nesse caso ele será morto, pois comunista adora matar comunista.
    Além disso, nesse caso, alguns milhões de cidadãos serão mortos pelo governo e enviados para campos de trabalhos forçados, outros morrerão de fome mesmo.
    Daí alguma décadas depois os esquerdistas vão ficar glorificando esse novo ditador por ter sido um salvador da pátria matando MILHÕES de pessoas.

    2) Um golpe militar para restaurar a ordem, como aconteceu no Chile. Nesse caso Maduro deve ficar vivo.
    E o governo deverá matar algumas centenas de comunistas raivosos que tentarão tomar o poder pela guerrilha armada.
    Daí alguma décadas depois os esquerdistas vão ficar acusando esse novo ditador de ser o mal encarnado por ter matado CENTENAS ou MILHARES de comunistinhas fofinhos, que só queriam poder matar em paz.

    Infelizmente parece que o exército da Venezuela está corrompido, então a opção 1, infelizmente, é a mais provável.
    Quem fugiu à tempo da Venezuela se deu bem!
  • Gredson  19/11/2013 14:52
    Excelente artigo. cheguei a ficar com pena do empresário desesperado.

    A pergunta que não quer calar, quem poderá parar Nicolás Maduro? e como? Não adianta vir com esse papo de oposição, de seguir pelas vias democráticas, porque sabemos que ali a democracia trabalha apenas para ele. E tudo que for contra ele vai dizer que é golpista.
  • J. Tavares  19/11/2013 15:52
    Não há nada mais corrosivo a tudo aquilo que um liberal defende que a junção de duas tristes situações, a ignorância absoluta de um povo privado da educação ideologicamente neutra e de qualidade associado ao populismo demagógico dos caudilhos de esquerda.

    É o pior dos mundos, uma população que tem aversão à política e mal sabe realizar as 4 operações aritméticas é apresentada a um vendedor de sonhos, uma criatura caricata e messiânica que promete resolver todos os problemas da nação criando um estado babá gigantesco, o povo não precisa mais se preocupar já que o estado tomará conta dele e dará conta de suas necessidades, a única coisa que o caudilho cobra é a adoração cega e inquestionável do seus atos.

    Democracias mais sólidas que a nossa já caíram sob bandeiras vermelhas.

    O exemplo do que está acontecendo na Venezuela é quase um vaticínio do que ocorrerá a banânia se a estrela vermelha continuar a brilhar por estas terras.
  • Vitor Sousa  19/11/2013 18:27
    Concordo. Ainda acredito na capacidade de auto-implosão da nossa comandanta.

    Se continuarem com a torneira dos gastos aberta, dolar subindo e possivel necessidade de reajuste dos combustíveis a inflação explode e tome mais protestos da classe baixa e média nas ruas.
  • J. Tavares  19/11/2013 22:44
    Espero que você esteja certo, acho que a implosão econômica virá, mas dificilmente antes do PT vencer novamente em 2014.

    E a partir de 2015 entraremos na funesta espiral de destruição socialista.
    E quanto mais banânia afundar mais a esquerda o PT vai, é o único método que os socialistas conhecem, mais impostos para quem produz, censura a imprensa e internet para manter a aparência de normalidade, leis tolhendo as liberdades individuais para tentar imprimir o discurso único de socialistas amigos do povo versus burguesia inimiga do povo, congelamento de preços e finalmente prover treinamento e armar milícias(MST, UJS etc...) já que as forças armadas no brasil até agora não se vergaram ao PT, para o golpe final. Que será dado quando a convulsão social começar a se formar.
    Eles esperam por esse momento há 40 anos!

    Existem algumas travas que talvez impeçam essa tão conhecida espiral de destruição socialista que já vimos tantas vezes.
    O PMDB é o genius loci do povo brasileiro, um carrapato gordo, preguiçoso e acomodado, mas a seu modo é conservador e se perceber que o hospedeiro está muito doente, pode abandonar o barco, não pelo país, mas pela própria sobrevivência.

    As FFAA, não se sabe exatamente o que se passa por lá, mas é provável que esse tipo de discussão já tenha ocorrido e que planos de contingência tenham sido aventados a depender do apoio de certos segmentos da sociedade.

    Por último as urnas em 2014, caso uma somatória de fatores crie uma conjunção extremamente desfavorável à economia e o governo não tenha tempo hábil de habilitar mecanismos compensatórios de populismo assistencialista eles podem perder 2014.
    A conjunção seria resultado do fim da campanha expansionista do FED, o rebaixamento do rating brasileiro e uma desaceleração na economia Frankenstein chinesa, isso em um cenário de estagflação, déficit fiscal progressivo e desemprego causaria uma hecatombe nas contas públicas com arrocho e descontentamento geral.
    Em um pais em que a democracia ainda respira, por aparelhos, mas respira, seria o fim do ciclo petista.


    A conferir.
  • Deilton  20/11/2013 15:14
    Infelizmente acho muito díficil o PT não se reeleger em 2014.

    Sobre aumento de impostos: www.jogodopoder.com/blog/politica/imposto-de-renda-pt-estuda-elevar-aliquota-para-35/.

    O sonho do PT é se livrar do PMDB e PP. Estes estão vendidos e cavando as próprias covas. Com o crescimento do PSB e partidos como PCdoB e PSOL se tornando mais populares, não duvido o PT já livrar do PP como aliado já em 2015. Com o PMDB o buraco é mais em baixo por causa do número de prefeituras governadas por esse partido. Isso garante que ele terá uma grande representatividade no congresso.

    Nao acredito numa derrota do PT em 2014, mesmo que tudo isso ocorra: "A conjunção seria resultado do fim da campanha expansionista do FED, o rebaixamento do rating brasileiro e uma desaceleração na economia Frankenstein chinesa, isso em um cenário de estagflação, déficit fiscal progressivo e desemprego causaria uma hecatombe nas contas públicas com arrocho e descontentamento geral."

    Se Dilma se tornar impopular eles chamam o Lula de volta.

    Não acho que será necessário o PT pegar em armas. Eles (socialistas) venceram a batalha ideológica, o meio acadêmico é socialista, a mídia é socialista, a produção artitisca e cultura é socialista e o pensamento socialista está na cabeça do povo. Se a economia degringolar, eles colocarão a culpa no "livre mercado", nos americanos, nos empresários gananciosos, na pqp, etc.

    No campo individual, o que me resta é estar preparado para ir embora, caso seja necessário. Vou continuar a divulgar os textos do mises e sempre me posicionando contra o pensamento coletivistas em debates.
  • joao  20/11/2013 22:36
    Deilton, você disse exatamente o que penso!

    Não acho que será necessário o PT pegar em armas. Eles (socialistas) venceram a batalha ideológica, o meio acadêmico é socialista, a mídia é socialista, a produção artitisca e cultura é socialista e o pensamento socialista está na cabeça do povo. Se a economia degringolar, eles colocarão a culpa no "livre mercado", nos americanos, nos empresários gananciosos, na pqp, etc.

    No campo individual, o que me resta é estar preparado para ir embora, caso seja necessário. Vou continuar a divulgar os textos do mises e sempre me posicionando contra o pensamento coletivistas em debates.


    O que resta a quem tem algo a perder (moral, dinheiro, bom senso, etc) é "ir para o Vale de Galt" e deixar os socialistas sem nosso dinheiro e nossa aceitação.

  • Andre  21/11/2013 10:49
    ir pra onde? Singapura?
  • Rhyan  19/11/2013 16:35
    Vocês traduzem artigos do Mises Hispano? Tem muita coisa boa lá.

    www.miseshispano.org/
  • anônimo  19/11/2013 18:30
    Existe o risco do Brasil virar uma "Venezuela"?
  • anônimo  19/11/2013 18:45
    Por mais estúpido que seja, até um político é capaz de se lembrar do que aconteceu no plano cruzado
  • Leandro  19/11/2013 19:33
    Infelizmente, isso não é garantia de nada. Prova disso é que aquele que muitos consideram o político mais inteligente que já tivemos reputou o Plano Cruzado como o melhor plano econômico da história do país. Veja a partir do minuto 39:20.

    www.youtube.com/watch?v=v8NtQOh1pg4
  • Inácio  19/11/2013 19:40
    Caramba! E eu que realmente tinha uma certa admiração pelo Eneas. O Plano Cruzado foi bom porque "a Maria da Conceição Tavares chorou". Que jegue.
  • Andre  19/11/2013 20:48
    Valeu pelo vídeo!

    Agora tenho algo pra esfregar na cara de qualquer um que diga que o Enéas tinha um cérebro!!!

    Que antaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

    Ele disse "O plano real foi uma farsa", Hahahahahahaha!!!
  • thiago mota  20/11/2013 01:58
    Há controvérsia acerca da inteligência do Eneas...

    Ele manjava das ligações dos políticos com George Soros e talz, mas era um estadista - queria nacionalizar tudo, nióbio e os caralhos...além de parecer um autêntico adepto da Guerra às drogas (o que é empiricamente um desastre).
  • Leonardo Faccioni  20/11/2013 14:21
    Você quis dizer "estatista", aquele que pratica o estatismo. Estadistas, com "d", são exatamente aquilo que não temos na política brasileira há, ao menos, uns bons cinquenta anos (para não dizer desde a proclamação da República - a Velha). Um estadista é aquela figura que, miraculosamente, a despeito de todos os incentivos em contrário, surge a liderar um corpo político como se propriedade privada fosse, isso é, pensando nas conseqüências de médio e longo prazo de suas ações. Se é o caso de existir um Estado, por favor, que tenhamos a bênção miraculosa de contar, vez ou contra, com um estadista não-estatista.
  • Juliano  19/11/2013 19:33
    info.abril.com.br/noticias/internet/2013/11/venezuela-pede-ao-twitter-bloquear-perfis-que-informem-sobre-dolar.shtml
  • anônimo  19/11/2013 19:50
    O poder de compra no Brasil vem caindo então?
  • Gabriel  20/11/2013 11:34
    Opa,

    Eu perdi 60% do meu poder aquisitivo desde 2006.
    Tenho tudo anotado. Todos os salários e gastos.

    A vaca já foi pro brejo faz tempo.
  • orfao batalhador  22/11/2013 09:24
    Este cidadão deve ser estrangeiro!
  • Dalton C. Rocha  19/11/2013 22:20
    Maduro devia trocar o sobrenome de Maduro para PODRE!
    Mais uma coisa. Sabendo que Maduro foi graduado numa "Fábrica de diplomas" cubana, por que alguém tem alguma surpresa com isto?
  • Típico Filósofo  19/11/2013 23:52
    Cuba é a maior evidência dos milagres gerados por uma educação pública de qualidade.

    A razão de tão poucos de seus médicos estarem recebendo performances aprovadas no revalida e terem sido reprovados no Paraguai é devido ao fato de que de tão avançada é a medicina socialista, as ferramentas capitalistas são obsoletas e vergonhosamente grosseiras. Exigir que um médico cubano trabalhe nas nações capitalistas é equivalente a pedir que um cirurgião moderno realize uma cirurgia de apendicite utilizando gravetos e folhas de madeira no Egito faraônico.

    Além disso, o fim da luta de classes alterou dramaticamente o corpo do homem cubano, que funciona de forma completamente diferente daqueles que vivem sob a lógica capitalista de produção. Tal qual previa a análise humanista trotsky-dialética.
    Apenas os reacionários em sua desonestidade intelectual são capazes de não enxergar tal fato.
  • Hay  20/11/2013 09:49
    "Na verdade, os médicos cubanos são reprovados porque a medicina cubana é preventina, é um paradigma completamente diferente. Ela tem como objetivo tratar o ser humano em sua totalidade, e não a doença do ser humano."
    Você já teve ter lido ou ouvido coisas semelhantes antes. Essa é uma forma bonita de dizer: o médico cubano não é muito diferente de um enfermeiro ou um médico da década de 60. Se o Brasil tivesse só médicos cubanos, seria ainda pior do que um país só com clínicos gerais de qualificação questionável. Sabe quando você tem um problema para o qual o clínico geral do posto de saúde só sabe dizer "é virose"? Então.
  • Melanie Schwartz  20/11/2013 18:02
    Enquanto isso, alguns vermelhinhos aqui celebram a eleição de Camila Vallejo para deputada no Chile. Parece que os partidos socialistas estão ficando cada dia mais fortes por lá. Que pena, eu esperava que o Chile fosse se tornar um farol de bom senso na América Latina.

    www.theguardian.com/world/2013/nov/18/chilean-student-leader-camila-vallejo-congress-bachelet-election
  • Ismael Bezerra   20/11/2013 23:23
    Uma pergunta, o que impede os comunistas venezuelanos fazerem o que Lenim, Stalin e Trotsky fizeram com a Russia em 1917? Ou mais precisamente, o que impede eles de tomarem todos os meios de produção?
  • anonimo  21/11/2013 16:09
    Nada, talvez no máximo algum protesto da opinião pública internacional.
  • Andre  21/11/2013 00:58
    Ismael Bezerra, respondendo a sua pergunta:

    "Uma pergunta, o que impede os comunistas venezuelanos fazerem o que Lenim, Stalin e Trotsky fizeram com a Russia em 1917?"

    Eu digo que agora ABSOLUTAMENTE NADA impede.
    Principalmente depois que eu vi essa notícia:

    Congresso da Venezuela concede a Maduro poderes de ditador

    19 de novembro de 2013 foi um dia tenebroso para a Venezuela.
    Logo vai começar a matança oficial.

  • Carlos  21/11/2013 16:21

    Engraçado!, eu não vi esse vídeo do comerciante sendo detido em nenhuma emissora do Brasil.
  • Diego  22/11/2013 09:34
    Quanto fica a inflação do Brasil se for calculada nesse método de desvalorização no mercado paralelo? (no qual a inflação venezuelana chega a 283%)

    Eu acho que seria legal se o IMB divulgasse essas estatísticas que ficam mais "escondidas".

    Abraços
  • Leandro  22/11/2013 10:57
    No Brasil, a variação do dólar no mercado paralelo não é muito discrepante da variação da taxa oficial de câmbio.
  • IRCR  23/11/2013 04:02
    Leandro,

    Antes do plano real como era o cambio no mercado negro ?
  • Leandro  23/11/2013 12:01
    O mercado paralelo era a principal base de informação do valor do dólar, mesmo porque vários ativos (apartamentos e carros) eram precificados em dólares. Todos os jornais da época davam grande destaque à cotação do dólar no mercado paralelo. Revistas de carro disponibilizavam os valores dos automóveis em dólares.

    Mas desconheço algum site que disponibilize o histórico destes valores na internet.
  • Bob 'colaborador'  25/11/2013 00:18
    Leandro, este site disponibiliza um histórico a partir do ano de 1983 do dólar no cambio paralelo e no comercial:

    www.calculos.com/consulta10.php
  • Paulo Henrique  23/11/2013 15:13
    Falando da inflação Brasileira

    www.istoedinheiro.com.br/noticias/134669_UMA+BOMBA+DE+R+150+BILHOES
  • Emerson Luís, um Psicólogo  23/11/2013 18:19
    "À medida que a situação econômica da Venezuela vai degringolando, seu governo vai se tornando cada vez mais autoritário."

    A afirmação pode ser invertida que continua válida:

    "À medida que o seu governo vai se tornando mais autoritário, a situação econômica da Venezuela vai degringolando cada vez mais"

    É um círculo vicioso, um redemoinho na água em que o objeto vai girando em círculos e afundando cada vez mais até desaparecer. E os brasileiros não aprendem com as lições do país vizinho.

    * * *
  • Juno  25/11/2013 00:08
    E a Suíça quase viveu um "momento Venezuela" de brilhantismo esses dias:

    Suíços rejeitam proposta de limitar salários de executivos
  • Antonio Henrique  25/11/2013 01:29
    Este site é sempre excelente em economia.
    Porém, acredito que a total deterioração da economia venezuelana seja apenas uma manobra com o intuito de fomentar a luta de classes.
    Quanto pior for a situação econômica, mais fácil será para os comunistas tomarem o poder totalmente, acabando com as eleições.
    Para Maduro e Fidel, quanto pior a situação fica, mais fácil será alcançar o poder, com o povo em guerra contra os empreendedores.
    E com a tomada do poder, todos os bens de capital irão trocar de donos, deixando de pertencer aos atuais proprietários.
    A longo prazo, quando será impossível reaver os bens espoliados, estes pertencerão a ilustres membros do partido comunista.
    Assim como foi na Rússia, que ao fim do regime ostentava centenas de milionários e bilionários, em um total paradoxo, posto que todos os bens eram do Estado.
    Assim, daqui a alguns anos, tudo que tenha algum valor na Venezuela pertencerá a membros do partido comunista ( ou seja lá o nome que tiver o partido dos donos do poder, sócios do fidel.)


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.