clube   |   doar   |   idiomas
Como a Escola Austríaca mudou minha vida para melhor

Neste nosso primeiro podcast, o presidente e fundador do IMB, Helio Beltrão, faz um breve relato sobre como a descoberta da Escola Austríaca, no final da turbulenta década de 1990, não apenas trouxe uma profunda guinada à sua vida empreendedorial, como também, e principalmente, ajudou a recuperar toda a parcela de sua poupança que havia sido dizimada pelas crises asiática e da Rússia.

Além de narrar suas experiências vivificantes, Helio faz também um apanhado geral sobre as perspectivas da economia brasileira, a presença do estado em nossas vidas, suas motivações para fundar o IMB e vários outros tópicos.

Este podcast inaugura a parceria do IMB com Bruno Garschagen, que será o responsável pelas futuras entrevistas que já estão agendadas.  Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais pelo Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa e Universidade de Oxford (visiting student), Garschagen é graduado em Direito e traduziu, em parceria com Monica Magalhães, o livro O Fim do Fed - Por que Acabar com o Banco Central, de Ron Paul.  Seu primeiro livro, sobre o pensamento politico utópico, Lenin e Hitler, será publicado este ano pela Editora É Realizações.

Durante 11 anos, Garschagen atuou como jornalista de economia e política em algumas das principais publicações do país (Gazeta Mercantil, Folha de S. Paulo, Valor Econômico, Jornal do Brasil, revista Primeira Leitura, site No Mínimo).

Atualmente, é colunista do site OrdemLivre (onde atuou como Gerente de Relações Institucionais), especialista do Instituto Millenium, mantém um blog pessoal e é coautor do blog português O Insurgente.

 

Para ouvir a entrevista, clique aqui e role a página até o final.

 

Para melhor situar o leitor/ouvinte, eis o índice deste podcast:

0—11:07: a presença do estado brasileiro em nossas vidas;

11:07—18:30: como a descoberta dos ensinamentos da Escola Austríaca alterou substancialmente a minha vida, a minha visão de mundo e, principalmente, os meus investimentos no mercado financeiro;

18:30—22:20: por que decidi fundar o Instituto Ludwig von Mises Brasil e qual o referencial a ser seguido;

22:20—28:42: as perspectivas da economia da economia brasileira;

28:42—38:02: como lidar com as críticas dos economistas convencionais à Escola Austríaca, e qual a real motivação deles;

38:02—43:44 : projetos e objetivos do IMB para 2012, primeiro Curso de Escola Austríaca no país, monografias de estudantes e intercâmbio com liberais espanhóis e portugueses.


0 votos

autor

Bruno Garschagen
é autor do best seller "Pare de Acreditar no Governo - Por que os Brasileiros não Confiam nos Políticos e Amam o Estado" (Editora Record). É graduado em Direito, Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais pelo Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa e Universidade de Oxford (visiting student), professor de Ciência Política, tradutor, blogger (www.brunogarschagen.com), podcaster do Instituto Mises Brasil e membro do conselho editorial da MISES: Revista Interdisciplinar de Filosofia, Direito e Economia.


  • mcmoraes  09/01/2012 08:22
    Muito boa essa iniciativa, que, tenho certeza, deve render bons frutos! É sempre bom ouvir alguém falando sobre a EA.
  • anônimo  09/01/2012 08:25
    O livro que ele fala que serve como remédio para a desconfiança Hobberiana acerca do liberalismo é o livro "O caminho da servidão" de Hayek?
  • LIVIO LUIZ SOARES DE OLIVEIRA  09/01/2012 08:58
    Excelente essa iniciativa do IMB. E excelente também a entrevista do Hélio. O Bruno Garschagen fez perguntas bem elaboradas que o Hélio respondeu de modo convincente e bem fundamentado. Achei interessante quando o Hélio menciona o aplicativo que ele fez para investimentos na Bolsa. Hélio, será que você não estaria interessado em ministrar online um curso que poderia ser intitulado: Estratégia de investimentos na Bolsa com fundamentos da Economia Austríaca ? Não faltariam pessoas dispostas a pagar por isso. Penso que no Brasil não deve existir nada semelhante. Apenas os conhecidos cursos com análises técnica e fundamentalista.
    Grato pela atenção
  • mcmoraes  09/01/2012 12:08
    Realmente, o Bruno fez perguntas muito bem elaboradas. Uma futura entrevista poderia ser feita com o Olavo de Carvalho. Tenho certeza de que umas perguntas bem feitas poderiam esclarecer alguns pontos da crítica do Olavo aos libertários.
  • Inácio Neto  09/01/2012 09:12
    Show !!!
  • Maurício Goncalves  09/01/2012 10:15
    O próximo podcast tem que ser com vc, hein, Leandro! Se vc expor suas idéias oralmente com o mesmo domínio e clareza como faz nos seus textos e comentários será uma entrevista excelente!!

    Abraços!

  • Leandro  09/01/2012 12:27
    Bondade extremada, caro Maurício. Mas, infelizmente, o dom da oratória nunca me pertenceu. Uma eventual entrevista comigo seria, na verdade, um grande teste para a eficácia de energéticos e arrebites em geral.

    Grande abraço e obrigado, como sempre.
  • Anonimo  09/01/2012 12:55
    O Leandro tem é que ir no Jô.
  • LIVIO LUIZ SOARES DE OLIVEIRA  09/01/2012 13:28
    Essa ironia foi boa... Se usar essa fina ironia que usa nos textos, já está de bom tamanho. Leandro, deixe a modéstia de lado e grave uma entrevista em podcast. Ninguém é obrigado a nascer com o dom de Cícero ou de Demóstenes. A Economia Austríaca já é um energético, um arrebite porreta por si só.
  • Leandro  09/01/2012 13:35
    Prezados, agradeço o estímulo e as palavras caridosas, mas ainda não. Tem gente muito mais proeminente e importante na fila dos podcasts. Um dia, quem sabe...

    Abraços a todos!


    P.S.: Programa do Jô?! Daqui a pouco sugerem o Mais Você...
  • Daniel Marchi  09/01/2012 13:51
    Queria mesmo era ver alguém do IMB num daqueles programas "carta-marcada" da GloboNews. Quando debatem algum tipo de intervenção, sempre tem um cara a favor e outro contra, que entende que a intervenção é branda demais!
  • LIVIO LUIZ SOARES DE OLIVEIRA  09/01/2012 20:31
    Eita, assim fica difícil, Programa do Jô? E a ironia do Leandro foi mordaz: Mais Você... Se for assim podiam propor pelo menos Marcia Peltier Entrevista na Rede CNT ou de Frente com Gabi no SBT... Pelo menos são mulheres bonitas e inteligentes que deixam o entrevistado falar, diferentemente do Jô, e o Leandro ainda se sentiria em ótima companhia, hehe...Muito melhores do que a pantomima televisiva da Ana Maria Braga e o louro José, onde o Leandro seria forçado a mostrar os seus dons culinários, como fritar um ovo com bacon... hehehe . Seria muita humilhação para um expert em Economia Austríaca como o Leandro, a pretexto de divulgar esse ramo de conhecimento. E gozação pelo resto da vida...
  • Marc...  09/01/2012 10:16
    Mises cada dia melhor. Página inicial deixa de ser do Google para ser do Mises.
    Logo vocês vão passar o Google. Quando vão lançar as ações na Bolsa? Temos que aproveitar enquanto estiver na fase "Smart Money".

    Não dá para mudar para 2 podcast por semana?
  • Daniel Flores  09/01/2012 14:18
    Helio, libera o blueprint desse painel que citaste! hehehe =)
  • BSJ  09/01/2012 14:24
    Eu cliquei na frase azul onde se deveria fazer o download, mas não deu certo. Apenas rola a entrevista e só. Tentei também baixar o podcast com um programa de download e também não deu certo. Adoro podcasts, pois a leitura de textos na tela do PC cansa muito minha visão.
  • Fernando Chiocca  09/01/2012 14:30
    Aqui faz o dowload normal do arquivo em mp3. E estamos providenciando uma conta no iTunes para as pessoas se inscreverem e receberem automaticamente os novos podcasts.
  • Nyappy!  09/01/2012 17:06
    Vocês deveriam (ou poderiam) simplesmente fazer um RSS de mp3, ficaria mais universal para aqueles que não gostam de iTunes.

    Forte abraço!
  • Bruno Garschagen  14/01/2012 12:50
    Para fazer o download em browsers que não o Internet Explorer basta clicar com o botão direito do mouse e escolher a opção "Salvar link como...".
  • efraym  09/01/2012 14:29
    Helio! Devia montar um curso com suas estrategias de mercado, ou publicar alguma coisa, porque a maioria do povo só ta levando fumo nesse mercado.
  • Daniel  09/01/2012 14:59
    Ou administrar diretamente as carteiras do pessoal e virar o Peter Schiff brasileiro... hehe
  • LIVIO LUIZ SOARES DE OLIVEIRA  09/01/2012 16:18
    Eu também pensei nisso. O Hélio tem todo o cacife para ser uma mistura de Peter Schiff, Marc Fabber e Jim Rogers destes trópicos. Pode começar com um curso para investir na bolsa seguindo estratégias baseeadas na economia austríaca e uma franquia para investimento em ouro. Haveria já uma boa demanda apenas com os leitores do IMB, que tal?
  • anônimo  09/01/2012 14:31
    Intercambio com portugueses e espanhois? Puta merda...Melhor ficar por aqui mesmo.
  • anônimo  10/01/2012 02:44
    Não entendi em que se baseia sua opinião. Poderia ser mais claro?
  • mcmoraes  10/01/2012 02:59
    Acho que o filtro do moderador falhou nessa.
  • Angelo T.  09/01/2012 15:07
    Muito bom!\r
    Parabéns pela iniciativa. Esperamos ansiosamente pelos próximos episódios.
  • Fernando Ulrich  09/01/2012 20:34
    Excelente iniciativa! Parabéns ao IMB!
  • Rodrigo  10/01/2012 07:29
    Ótima iniciativa! Era o que faltava msm pro IMB.
    Com o tempo vcs podem dar uma incrementada como vinhetas próprias (msm assim gostei do Scorpions na trilha, hehe), transcrição completa do programa, uma lista RSS como já mencionado e por aí vai.

    Uma coisa boa que vcs colocaram é o resumo de tópicos mencionados no programa. Assim qd houver uma quantidade grande de podcasts (1 ano é suficiente pra isso), a pessoa pode dar uma olhada nos assuntos da semana e escutar aquela que mais interessar.
    Aliás, acho que um programa por semana está de bom tamanho. Assim dá pra preparar materiais a serem mostrados sem muita pressão de tempo. Não fica tão corrido.

    E qm sabe mais pra frente vcs não lançam o msm formato de programa só que gravado com vídeo? Até lá dá pra vcs pegarem uma boa experiência com formato áudio.
    Parabéns à todos.

    PS: Agradeço aqui ao Bruno Garschagen pelas notas de rodapés de "O fim do Fed" feita pelos tradutores. Sem aquelas informações, pessoas (como eu) que não estão familiarizados com o cenário americano achariam a leitura um pouco difícil de entender.
  • Anonimo  10/01/2012 08:33
    Só que o Bruno tem que transparecer mais naturalidade na hora de falar, hein...
  • Rodrigo  11/01/2012 11:34
    Isso pega com o tempo. Em poucos meses ele já vai estar bem melhor.
  • anônimo  11/01/2012 12:10
    Pra mim, o Bruno se saiu muito bem. Aliás, gostaria de felicitar o IMB pela excelente escolha, eu acompanhava, o Bruno, com frequência no Ordem Livre. Ele é ótimo!
  • Bruno Garschagen  14/01/2012 12:56
    Obrigado pelo comentário. Já estou trabalhando nisso. :) Abraços.
  • Bruno Garschagen  14/01/2012 12:55
    Agradeço pelo comentário sobre o podcast e pelo elogio à elaboração das notas de rodapé no livro do Ron Paul, Rodrigo. Logo que recebi o livro para traduzir sugeri ao editor a feitura das notas para que os leitores não precisassem sair do livro para encontrar as informações úteis e fundamentais sobre a política, o sistema financeiro e bancário americano, além de outros dados importantes. Abraços e obrigado.
  • José Ricardo das Chagas Monteiro  10/01/2012 08:47
    Saudações, assim como disse Hélio Beltrão, caso implantássemos o liberarismo o quê fazer com os impossibilitados ,aqueles são dependentes do Estado?
    Fico imaginando como seria uma sociedade totalamente geneticamente modificada, ou seja, com o gens do empreendedorismo,Ayn Rand,Mises,Hayek, etc.
    Gostaria de saber qual fim levou o ícone das aulas de praxeologia.
  • José Ricardo das Chagas Monteiro  16/01/2012 10:18
    "Caso implantássemos o liberarismo o quê fazer com os impossibilitados ,aqueles são dependentes do Estado?"

    Esse é justamente meu questionamento referente ao processo de mudança comportamental da sociedade. Como mudar isso num país onde grande parte dos jovens desejam ser servidores públicos? O estado se tornou uma droga, o indivíduo comum do Lisarb simplesmente não pensa em um modo de vida sem o Estado, é como se o Estado se tornasse um membro do corpo do indivíduo.

  • Caesar Cornelius  16/01/2012 08:05
    Ainda existe vida inteligente na net!!!

    O paternalismo estatal brasileiro, mascara a teoria de Robin Hood, tomar dos ricos (quem produz riqueza) para dar um pouco disto (e bota pouco) aos pobres (quem não produz nada por inércia) e farrear com as montanhas de recursos obtidos. É muita receita (verba) para desviar, corromper, amealhar e dividir segundo os próprios interesses, tudo em nome da boa administração publica;

    Na verdade a cidadania do brasileiro não começa com o registro do nascimento no cartório civil, mas com a expedição do titulo de eleitor!

  • Leninmarquisson da Silva  16/01/2012 15:49
    Parabéns pela iniciativa, muito legal da parte de vocês.

    Facilita muito pois se fosse escrever tudo o que o Hélio falou daria umas 3 páginas, e um aumento drástico na porcaria da minha miopia :D
    Nada como ouvir os mp3 durante as aulas inúteis da faculdade, ou enquanto dirijo e não posso ler =p

    Mas não gostei de uma coisa: o Hélio falou sobre como ele "surfou" na bolha e saiu no momento correto porque seus "indicadores" dispararam, foi a parte mais interessante da entrevista na minha opinião...mas ele não citou um exemplo desses indicadores :|
    PQP! Eu fiquei louco por não conseguir nem imaginar qual seriam ou como estabelecer esses indicadores, e até agora to frustrado por isso.

    Gostaria de um artigo que ensinasse, nem que surperficialmente, como "elaborar" esses indicadores, principalmente para as bolhas que aflingem o Brasil.
    Seria de muita utilidade um artigo desses.
  • mcmoraes  11/02/2012 16:10
    Atenção aos pragmáticos que frequentam o IMB: não percam o sexto podcast. Aqui vão alguns momentos que eu tenho certeza que vocês irão gostar:

    - 8:30: "...um prof. meu era bem Gramsciano, aprendi muito com ele e mantivemos um bom contato fora de sala de aula..."

    - 9:00 (quando perguntado sobre a possibilidade de existencia de um governo liberal): "... mas uma pergunta dessa assim de supetão? Pra responder agora? Eu não tenho resposta pra uma pergunta dessas. Nessa transiçao de jornalismo de redação pra academia eu aprendi a pensar diferente, a ter menos opinião e tentar procurar que dados podem suportar melhor cada caso. Então eu lhe repasso a pergunta. A bola tá com você, Bruno..."

    - 13:00: "...vários liberais dizem que é possível você ter um estado de bem-estar social de grande prosperidade desde que o empreendedor seja respeitado, a criação de riqueza não seja completamente banida e que seja possivel levar pra casa parte do lucro..."

    - 14:50, quando perguntado sobre minarquismo vs. ancap: "eu sou a favor do individualismo, eheheheh"

    - 16:30: "... lembrei de um interessante livro chamado 'Socialism After Hayek'. O autor é um socialista que leu muito Hayek... O livro é bem avaliado por um grande austríaco... O autor acaba defendendo meio que um socialismo de mercado, que é muito mais próximo do que nós consideramos livre-mercado do que nós consideramos socialismo. Basicamente mostra que não dá pra ler Hayek e continuar socialista à moda antiga."

    - 18:35 (quando mencionado que o próprio Mises tinha acusado o Hayek de socialista): "... é mas esse é o Mises difícil de lidar, né, a pessoa, eheheheh, difícil de ter essas relações pessoais"

    - 20:00: "... são autores que tentavam dialogar mais com essa parte de política pública, e eu acho isso bastante válido"



    ps: no entanto, eu gostei bastante dos últimos 10 minutos do podcast.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.